Vous êtes sur la page 1sur 2

Camilo Boito

Os restauradores

O texto um tanto complexo, mas de uma certa forma simples de se entender, pois Boito fez o seguinte... Partiu das ideias de Ruskin e Violletle-Duc, conciliando-as no restauro. Sendo assim a restaurao s deveria ser praticada quando todos os outros meios tivessem fracassado. (manuteno, consolidao e intervenes imperceptveis). No mais, Boito formulou um conjunto de diretrizes para a restaurao e conservao de monumentos histricos e suas ideias auxiliaram na separao precisa entre os conceitos da restaurao e conservao. Ele procurou separar os conceitos de conservao e restaurao, como eu j disse anteriormente, considerando a primeira como a nica coisa a se fazer, uma obrigao indispensvel sobrevivncia do bem. J para a segunda, reservou um principio distinto, algumas vezes contrario a conservao. Pois bem, depois de ter lido o texto e durante boa parte ter achado que Boito ficava o tempo inteiro em cima do muro vi que ele discordava de Ruskin quando dizia que o edifcio deveria ser deixado merc do tempo e cair em ruinas, desconsiderando suas sugestes de conservaes peridicas para garantia de sobrevivncia da obra. E j em relao Viollet-le-duc, alertava sobre o perigo de se alcanar o estado completo, que pode nunca ter existido, assumindo o restaurador a posio do arquiteto original. Outra coisa que chama a ateno no texto o fato dele ter criado os sete princpios fundamentais para a interveno em monumentos histricos. No contexto ele defendeu as conservaes como forma de evitar o restauro, admitindo-o apenas quando indispensvel conservao da memoria. Por: Murillo Freitas Costa da Silva