Vous êtes sur la page 1sur 28

Edição especial do meio ambiente

PERIÓDICO MENSAL DA EMPRESA BW COMUNICAÇÃO - ANO 2 - Nº7 - JUNHO/2008 - 5.000 EXEMPLARES DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

CARLOS MINC
ENTREVISTA EXCLUSIVA

CASO SHELL PAULÍNIA ONGS 1


14 anos de indiferença Diversidade e educação ambiental Olhos abertos na hora de colaborar
2
Expediente
editorial
Diretor
Bruno Wellington
brunowellington@revistaspasso.com.br
Jornalista Responsável
Luciene Maiochi MTB 23.515
lucienemaiochi@revistaspasso.com.br
E ssa edição é dedicada ao dia Mundial do Meio Ambiente,
comemorado todo dia 5 de junho. Lugares específicos de nossa
Reportagem
Luciene Maiochi
cidade, como o Mini Pantanal, Parque Ecológico, Jardim Botâ-
Diagramação e Arte Final nico, Parque Zeca Malavazzi, fazem parte dessa comemoração.
Mateus Vinicius Informações sobre o lixo, o ar e também sobre caso de contami-
mateusvinicius@revistaspasso.com.br nação da Shell que é uma vergonha e que ainda não foi solucio-
Publicidade nado. A importância da Mata Atlântica, da Amazônia e curiosi-
Bruno Wellington dades sobre as ONGs que defendem o meio ambiente no Brasil
Impressão
e no Mundo. Além da entrevista concedida pelo Ministro Carlos
Silva Marts
Minc, no dia da sua posse em Brasília, no Palácio do Planalto,
Informações e Sugestões
revistaspasso@revistaspasso.com.br onde estivemos no dia 27 de Maio.
Endereço
Av. José Paulino, 1609 - Sala 1, Centro
Paulínia/SP - CEP 13140-000
fone | fax: (19) 3933.2381 Boa leitura!

Diretor Bruno Wellington


Os artigos e colunas assinados por co-
laboradores não são de responsabilida-
de da Revista Spasso, e não refletem
Ninguém está autorizado a solicitar objetos em lojas, pedir qualquer
necessariamente a opnião da revista.
tipo de serviço ou refeições em nome da revista a pretexto de produzir re-
portagens para qualquer seção da Revista SPASSO ou para qualquer tipo


de parceria ou permuta, em nome de BRUNO WELLINGTON para outros
veículos de comunicação pois o mesmo é exclusivo da REVISTA SPASSO.

índice
Aconteceu 4 Ação 16
Capa 8 Paulínia e o meio ambiente 18
Coluna social 13 Sustentabilidade 22
Conscientização 14 Prazer e Emoção 25
Ongs 15 Spasso Comercial 26

3
Caso Shell
14 anos de indiferença
tornou-se público e deixou muitos mora- manifestado em ex-trabalhadores e mo-
dores extremamente preocupados, não radores de áreas atingidas. Mas existem
apenas por terem que se mudar de suas evidências que comprovam uma relação
casas, mas também pela saúde afeta- direta da contaminação com doenças.
da pela contaminação. O que ocorreu Segundo o Instituto Nacional do Câncer
foi uma grande falha, onde o direito de (INCA) a média prevista no Estado de
“A Shell só admitiu sua respon-
sabilidade pela contaminação em saber da comunidade não foi respeitado, São Paulo é de 0.32 caso a cada 100
1995, em razão de uma ação feita nem o controle social. A Shell só admitiu homens e 0,3 em cada 100 mulheres.
pelo Ministério Público Estadual. sua responsabilidade pela contaminação Entre os moradores do Recanto dos
O que não admitiu foi ter conta- em 1995, em razão de uma ação feita Pássaros a média é 37 vezes maior.
minado seus ex-funcionários e pelo Ministério Público Estadual. O que O bairro estava situado entre in-
nem os ex-moradores.” não admitiu foi ter contaminado seus ex- dústrias e às margens do Rio Atibaia,
funcionários e nem os ex-moradores. Os onde muitas famílias moravam a anos
exames e diagnósticos feitos pelo toxico- nesse local. Em razão desse aconteci-
logista Igor Vassilieff não foram aceitos mento trágico, tiveram que sair de suas

A contaminação da Shell acon-


teceu em 1993, por produtos tóxicos
pela empresa e por isso o caso perma-
nece até hoje na justiça. O especialista
detectou a presença de metais pesados
residências. Em 2001 a Multinacional
começou a comprar chácaras do bairro
afetado, até que em 2003 todos os mo-
no lençol freático que abastece as e organoclorados, substâncias usa- radores que ainda viviam nessa região,
chácaras do bairro Recanto dos Pás- das na fabricação de pesticidas, mas a tiveram que sair por ordem da Justiça e
saros em Paulínia. Essa contaminação Shell insiste em dizer que não. Uma das muitas famílias que não tinham pra onde
foi descoberta porque a empresa Shell principais estratégias de defesa por ter ir, com gastos pagos pela empresa, fo-
estava vendendo suas unidades quími- provocado essa contaminação é admitir ram morar em um Hotel da cidade. É o
cas em nível mundial para outro grupo, que solo, subsolo e lençol freático foram caso da família de Antônia Pelegrini e da
que exigiu uma auditoria ambiental no afetados por substâncias químicas, mas Ciomara de Jesus Rodrigues, que até
site de Paulínia e através dessa análise contestam a relação delas com doenças hoje moram no Hotel e se submeteram
foi constatada a contaminação. O caso que tenham surgido ou que possam ter viver uma rotina sem privacidade.

4
foto ilustrativa do quarto onde as famí-
lias vivem no hotel da cidade.

Ex-funcioário da Shell, Antô- responsável pelas doenças adquiridas


Antônia é uma das ex-morado-
nio De Marco Rasteio, trabalhou mais pelos ex-funcionários, em alguns ca-
ras e viu seus filhos crescerem e o ma-
rido morrer no período em que está no de 20 anos no site da empresa e hoje sos, em que a indenização terá que ser
hotel. Quando escuta os rugidos do leão cuida da associação paga, a Multinacio-
que fica no parque ecológico, situado ao ATESQ (Associação “é difícil acreditar que nenhum órgão públi- nal tem feito acordos
co municipal ou estadual, não tenha tomado
lado do hotel, diz: “O que me deixa triste dos Trabalhadores e muitos acabam
conhecimento da gravidade do problema.
toda vez que o ouço é perceber que eu Expostos a Subs- Houve uma negligência generalizada na aceitando a proposta
e ele passamos pela mesma situação. tâncias Químicas) questão do respeito pela vida humana.” oferecida, por medo
Vivíamos em liberdade, no meio da na- que funciona dentro que essa situação se
tureza, e hoje estamos enjaulados sem do Sindicato dos Químicos. Segundo estenda por muito tempo e talvez não
ter feito nada para merecer isso”. ele, dos 250 ex-funcionários da Multi- recebam nada ou morram antes. Mui-
Ciomara, também perdeu muito nacional, 48 morreram em decorrência tas informações a respeito de contami-
de tudo que tinha em sua chácara e hoje
de doenças relacionadas à contamina- nação por produtos químicos estão no
vive uma vida completamente diferente
ção provocada pela empresa. Muitos site: www.quimicosunificados.com.br
da qual gostaria de estar vivendo. “Viver
em um hotel pra muitos pode parecer até também apresentam doenças relacio-
uma mordomia. Mas a realidade é bem nadas a produtos químicos, detectadas 1993 a 1995-Constatação da contaminação e confissão
diferente, só mesmo quem vive essa si- através de exames. A média de idade 1995 a 2000-Silêncio. e omissão
tuação é que pode falar a respeito, nin- desses óbitos está na faixa de 35 a 60
2000 a 2008-Denúncia e demora
guém mais” desabafa. anos. Embora a Shell não admita ser

5
Existem fatos que ficaram sem des que devem ser apuradas.
respostas, pois se a própria empresa, Segundo informações do ad-
ao fazer uma análise exigida por um vogado que cuida do caso das famílias
grupo interessado em suas unidades, envolvidas, Valdir Tolentino, foi nomea-
acabou descobrindo a contaminação, é do através do Juiz que cuida do caso,
difícil acreditar que nenhum órgão pú- um perito para fazer novas análises nas
blico municipal ou estadual, não tenha pessoas infectadas, mas será feita uma
tomado conhecimento da gravidade do nova petição para que haja a substitui-
problema. Houve uma negligência ge- ção desse perito por outro, pois ele é
neralizada na questão do respeito pela infectologista e o caso requer um que
vida humana. A constatação da conta- seja toxicologista, do contrário a demora
minação aconteceu em 1993, quando pode ser maior. Como nomear alguém
iniciou a análise e a Shell admitiu essa em que sua função não ajuda em nada,
contaminação em 1995. Mas somente aliás, ajuda a prorrogar ainda mais a so-
no ano de 2000, houve a denúncia de lução do caso.
contaminação através de uma associa- Infelizmente, a falta de uma inves-
ção de moradores do bairro. Entre eles tigação séria e punição exemplar para
Paulo Souza (Paulinho), ex-morador do casos como esse, causa vergonha. Hoje
bairro e atual secretário de Defesa e existe um representante diretamente
Desenvolvimento do Meio Ambiente de envolvido no caso Shell ocupando um Paulo Souza, (Paulinho)
Paulínia e também de Pierre Benevides, cargo em defesa do meio ambiente, que primeiro manifestante no caso Shell
que na época era diretor do Conselho de certamente, representa cada um dos e atual secretário de Defesa e de-
senvolvimento do meio Ambiente.
Segurança na área ambiental. A infor- moradores que o apoiaram quando pre-
mação foi veiculada pela imprensa em sidente da associação de bairro e espe-
geral e repercutiu não apenas no Brasil, ram que a justiça seja feita o mais rápido Mesmo sendo uma vítima do caso
mas no mundo todo. Na visão de Pierre, possível, o que não vem acontecendo. O Shell, hoje como atual secretário
a Shell foi réu confesso admitindo sua que podemos perceber é que tendo uma do meio ambiente, o caso anda
mais lento do que nos tempos
culpa pela contaminação do solo, mas sociedade fiscalizadora, certamente te-
quando era militante.
existem também outras responsabilida- remos um futuro melhor.

6
7
Carlos Minc E x-militante de esquerda, Car-

ministro do los Minc, hoje petista, foi um dos fun-


dadores do partido verde. Eleito de-
putado estadual por seis vezes era

meio ambiente secretário do Meio Ambiente do Rio


de Janeiro. Sempre teve a vida políti-
ca ligada a preservação do meio am-
biente. Recordistas de leis ambientais
aprovada pelo Estado, uma média de
(150), criou a campanha do “cumpra-
se”, para que as leis saíssem do papel
e fossem cumpridas. Recebeu um prê-
mio das Nações Unidas pela luta em
“A Amazônia não vai virar carvão” defesa do Meio Ambiente.
Carlos Minc Disse que vai dar continuidade
a política de Marina Silva, ex ministra do
Meio Ambiente, que não quer interferên-
cias na montagem de sua equipe, que
dará prosseguimento ao trabalho que
vinha desenvolvendo.

8
A família do ministro. Fanny Esther (mãe), Maria Margari-
da (esposa), Carlos Minc, Luiz Baumfeld (pai).

SPASSO - Quais serão as prioridades senvolvimento sustentável da Amazônia. que querem atuar dentro da lei.
no seu governo? Vamos trazer recursos para manter a flo-
Carlos Minc - O que vamos fazer é resta em pé. Também vamos apresentar SPASSO - Como será a liberação das
agregar outros aspectos que faziam par- fundos que será criado por decreto pre- licenças ambientais?
te da agenda, mas em vista dessa prio- sidencial. Para isso já estão garantidos Carlos Minc - Como já disse, não se-
ridade tão forte da Amazônia, ficaram US$ 100 milhões de empresas norue- rei um carimbador maluco, o carimbador
um pouco obscurecidos. Por exemplo: a guesas. Esses recursos serão deposita- da improbidade administrativa. Podemos
questão industrial, a questão do lixo do dos em setembro próximo. O fundo será dar licenças mais ágeis e com mais ri-
esgoto, a questão de participação mais gerido pelo Banco Nacional de Desenvol- gor. Com a regulamentação do artigo 23
ativa na definição de políticas científi- vimento Econômico e Social (BNDES). A da Constituição, o governo federal vai
cas e tecnológicas, que levam em conta lógica é a seguinte: todo mundo diz que ter mais tempo para cuidar dos licencia-
a tecnologia limpa. Tanto o presidente a Amazônia é importante, todos choram mentos mais espinhosos e deixar para
Lula, como a Ministra Dilma, participa- quando se corta uma árvore, mas tem os estados os processos mais simples.
ram da conversa, me apoiaram e viram 25 milhões de pessoas que vivem lá, e
que isso seria um ganho e não uma res- precisamos de recursos para que essa SPASSO - O ministro de Minas e
trição as obras do PAC (Programa de população sobreviva de maneira sus- Energia, Edison Lobão, disse espe-
Aceleração do Crescimento), que é tudo tentável. Vou dizer isso aos ministros do rar da sua gestão uma rapidez na
que interessa ao país. Meio Ambiente de outros países e que concessão de licenças ambientais,
as contribuições serão bem vindas para como pretende fazer isso?
SPASSO - Qual será o plano de com- exercermos nossa soberania ambiental. Carlos Minc - Antes teremos uma lon-
bate ao desmatamento? ga conversa. Mas direi que teremos uma
Carlos Minc - A idéia é dar ao Ibama SPASSO - Como fica a situação dos ótima relação, pois acho que as hidrelé-
(Instituto Brasileiro de Meio Ambiente) produtores rurais que tem pendên- tricas fazem a diferença. A nossa matriz
poderes semelhantes aos da Receita cias ambientais e não conseguem (energética) é uma das mais limpas, por-
Federal, ampliando seus poderes de obter novos créditos? que as hidrelétricas geram pouca emis-
fiscalização, para que possa leiloar ime- Carlos Minc - Iremos regularizar são de CO2. Pretendo usar os recursos
diatamente os bens apreendidos de cri- essa situação. Vamos fazer junto ao das compensações ambientais pagas
minosos ambientais. INCRA (Instituto Nacional de Colo- pelas usinas para preservar os recursos
nização e Reforma Agrária) um mu- hídricos, reflorestando as nascentes e
SPASSO - O que será feito com a Amazônia? tirão para legalizar os produtores os mananciais, criando dezenas de par-
Carlos Minc - Vou criar um fundo in- rurais que querem ser legalizados e ques fluviais. Vou pedir a Lobão apoio na
ternacional, formado com recursos da terem acesso ao crédito. A solução tentativa de tornar nacional um decreto
iniciativa privada, para estimular o de- é facilitar a legalização para aqueles que já está em vigor no Rio de Janeiro.

9
Presidente Lula discursando no dia
da posse do ministro Carlos Minc

Ele determina que produtores de com- Presidente Lula


bustíveis fósseis, terão que produzir cer- O presidente Luiz Inácio Lula da Sil- “O que você fez, ainda será reconheci-
to porcentual de energia renovável. va disse que a chegada de Minc, em do pelo Brasil. Não podemos aceitar é que
substituição a Marina Silva, não significa parece que tem uma briga sua com o pre-
abandono da política de preservação da sidente da República. O teu valor, Marina,
SPASSO - O Instituto Nacional de Pesqui-
Amazônia. Destacou que a política am- transcende isso,” disse Lula.
sas Espaciais (Inpe) fez recentes medições
do desmatamento da Amazônia. Como biental é uma só e deverá ser cumprida.
avalia o resultado apresentado? Não existe política de ministro A ou de
ministro B, afirmou, acrescentando que
Carlos Minc - Acho estranho quan-
a legislação será cumprida. Não iremos
do algumas pessoas aplaudem o Inpe passar por cima dela. Depois de dedicar
quando alguns resultados acontecem e a maior parte de seu discurso a elogiar
quando os resultados são diferentes re- a ex-ministra, o presidente negou que
solvem que o Inpe não é qualificado. exista uma briga entre eles. “Nossa ami-
zade é inabalável. A Marina provou que
SPASSO - A ex ministra sempre pode a sensatez e a habilidade política podem
contar com o apoio do PT, dos ambi- trabalhar junto.”
entalistas aqui do Brasil e fora daqui
e mesmo assim ela não conseguiu
realizar muitos de seus projetos. O
senhor não teme enfrentar grande re-
sistência e muitos dos projetos não ir
adiante?
Carlos Minc - Eu tenho uma consci-
ência clara das pressões, mas acho
legítimo isso numa sociedade demo-
crática, cada um colocando as suas
demandas que devem ser ouvidas. Eu
no Rio de Janeiro abri espaço pela pri-
meira vez para os empresários. Eles
têm acento e voto na Câmara de Com- Marina Silva - Ex Ministra
pensação Ambiental e vamos fazer a
mesma coisa em Brasília, coisa que
nunca aconteceu. Quando um empre- João Paulo Capobianco
Marina Silva - Ex Ministra
A ex Ministra Marina Silva deixa
sário participa de uma discussão ele
João Paulo Capobianco o governo sem falar muito sobre as cau-
se compromete também levar adiante O ex-secretário de Marina Silva sas do desgaste entre ela e o Presidente
aquilo que foi combinado. Então não criticou o governo e disse que o Ministé- Lula. Mas garante não ter mágoa e disse
vejo que eu tenha dificuldades, pois rio do Meio Ambiente não é um Ministé- o tempo todo que o gesto foi para cons-
sou uma pessoa acostumada ao diálo- rio de primeira classe no nosso governo. tituir um novo acordo e está constituído.
go, negociações, aprovei mais de 130 “Nós não podemos nos enganar. Nós “A melhor forma de ajudar o governo é
leis na Assembléia, todas discutindo, não podemos deixar de explicitar que, fazer política de País, e eu vou continuar
negociando, cedendo. para boa parte do governo, o Ministério fazendo política de País.” Marina Silva
do Meio Ambiente é um licenciador am- disse ainda que a agenda ambiental bra-
biental. O Ministério do Meio Ambiente sileira está fortalecida. “Há uma tendên-
não é estratégico, não pode oferecer so- cia de referendo dado pela sociedade
luções para o país e isso tem que mu- brasileira de que se deve desenvolver,
dar”, disse Capobianco. mas com sustentabilidade ambiental.”

10
11
12
SPASSO
Posse do ministro
Carlos Minc
Brasília DF

Bruno Wellington deseja boa sorte


ao novo ministro Carlos Minc.

Ex-governadora do Rio de
Janeiro, Benedita da Silva e
Bruno Wellington (diretor da Descontração do Presidente Lula, ex minis-
Revista Spasso) tra Marina Silva e novo ministro Carlos Minc
durante a posse.

Bruno e a ex-ministra Marina Silva,


durante uma conversa no Planalto.

Fanny Esther (mãe) Maria Margarida (esposa)


Ministro e Luiz Baumfeld (pai)

Edison Lobão, Ministro das Minas e


Energia.

Luciene Maiochi (jornalista da Re-


vista Spasso ) nos bastidores.
Diretor aproveita para conhe-
cer Brasília

13
Esse tesouro não é só nosso, pertence as próximas gerações.
Até que ponto somos seres racionais ?
Amazônia
Q ual o futuro da Amazônia?
Como acabar com os conflitos de ter-
floresta é inaceitável dentro e fora do
país. Mais de 15% dos 5 milhões de es-
atenção do poder público, das ONGs
e do cidadão. No último levantamento
ras e impedir a destruição da floresta? pécies de seres vivos existentes, habi- da fundação, feito entre 2000 e 2005, a
São muitos os desafios e interesses tam a Amazônia.Uma vez destruída, a vegetação devastada no Rio havia trip-
econômicos na região. A Amazônia biodiversidade tropical não pode ser licado. Revelou que 93% da vegetação
abriga 33% das florestas tropicais do recriada pelo reflorestamento.
foi destruída. A Mata que cobria 15% do
planeta e cerca de 30% das espécies
conhecidas de flora e fauna. Com a País, hoje cobre 1% apenas. Em fever-
destruição cada vez maior, diversas
espécies, muitas delas nem sequer
Mata Atlântica eiro deste ano, o Instituto Estadual de
Florestas (IEF) e a SOS Mata Atlântica
identificadas pelo homem, desapare- O grande responsável pelo desmata- assinaram um convênio para monitorar
ceram. Em 1988, desencadeou-se uma mento foi o ciclo do café do fim do a vegetação no estado e fazer o replan-
discussão internacional a respeito do século X1X e começo do século XX. Os tiu de espécies típicas para melhorar e
papel da Amazônia no equilíbrio da bio- fazendeiros derrubaram a floresta para preservar o que ainda resta da Mata.
sfera e das conseqüências da devasta-
plantar o chamado ouro negro.
ção que, segundo os especialistas, iria
alterar o clima da Terra, o que já está A Mata Atlântica originalmente per-
aconteceu. Qual será então a solução corria o litoral brasileiro de ponta a
para diminuir os problemas existentes? ponta. Estendia-se do Rio Grande do
Politicamente falando, foi criado um Norte ao Rio Grande do Sul, e ocu-
Programa de Desenvolvimento Susten- pava uma área de 1.360.000 km2, hoje
tável das Comunidades da Área de In- tem apenas 95.000 km2. Tratava-se da
fluência do Gasoduto Urucu-Porto Vel- segunda maior floresta tropical úmida
ho, que tem como objetivo desenvolver do Brasil, só comparável à Floresta
ações de desenvolvimento sustentável, Amazônica. Destruímos um tesouro e
no estado do Amazonas, visando gerar
o pouco que sobrou, está ameaçado. A
ocupação e renda com atividades eco-
logicamente corretas, economicamente única boa notícia é que o ritmo da dev-
viáveis e socialmente justas, mobili- astação diminuiu nesses últimos anos,
zando, organizando, estruturando e co- mas não há o que festejar. De acordo
ordenando iniciativas de planejamento com a fundação SOS, a Mata Atlân-
estratégico e gestão sustentável e de tica é a que tem a maior diversidade
forma integrada para a zona de influên- de espécies de árvores no mundo e
cia do gasoduto. Isso tudo vem salientar uma das cinco áreas mais ameaçadas
a urgência com que diversos aspectos
precisam ser solucionados, para ten- de degradação no planeta. Na região,
tar salvar essa riqueza tão importante 380 espécies de animais estão amea-
não apenas para o Brasil, mas para o çadas de extinção. Os desmatamentos
mundo, para o planeta. A destruição da continuam acontecendo, o que exige

14
Olhos abertos
na hora de colaborar
“O desenvolvimento não pode
devastar o meio ambiente”

O Greenpeace é uma organiza-


ção não-governamental com sede em
Fundação SOS Mata Atlântica
é uma organização não-governamental.
Fundada em 30 de setembro de
1988, a Associação SOS AMAZÔNIA foi
Amsterdão (Holanda do Norte) e escri- Entidade privada, sem vínculos partidá- criada com o objetivo de denunciar as
tórios espalhados por quarenta e um pa- agressões a Floresta Amazônica, apoiar
íses, inclusive no Brasil. Atua internacio- rios ou religiosos e sem fins lucrativos.
o movimento de resistência dos serin-
nalmente em questões relacionadas à Foi criada em 1986 e tem como missão gueiros aos desmatamentos das flores-
preservação do meio ambiente e desen- defender os remanescentes da Mata tas no Acre e colaborar com a formação
volvimento sustentável, com campanhas Atlântica, valorizar a identidade física e de uma opinião pública que valorizasse
dedicadas às áreas de florestas, clima, a conservação e a preservação ambien-
cultural das comunidades humanas que
nuclear, oceanos, engenharia genéti- tal. Na assembléia de criação, houve a
ca, substâncias tóxicas, transgênicos e nela habitam e conservar o riquíssimo
participação de professores da Universi-
energia renovável. patrimônio natural, histórico e cultural dade Federal do Acre, servidores públi-
A organização, criada em 1971 dessas regiões, buscando o seu desen- cos e líderes do movimento social, entre
no Canadá por imigrantes americanos, é volvimento sustentado. eles Chico Mendes.
financiada com dinheiro de pessoas físi-
cas apenas, não aceitando recursos de
governos ou empresas. Tem atualmente
cerca de três milhões de colaboradores Existem Ongs que se carac-
em todo o mundo,que doam quantias terizam preocupadas com fatores
mensais que variam de acordo com o ambientais, mas muitas vezes aca-
país. O Greenpeace busca sensibilizar bam se favorecendo através delas e
a opinião pública através de atos, publi- se beneficiam com atitudes ilícitas,
cidades e outros meios. Muitos países desviando do objetivo principal pela
como por exemplo os Estados Unidos, qual foi fundada. Por isso é neces-
teve uma expansão econômica atrope- sário ter cautela quando se quer
lando os valores ambientais em épocas ajudar uma Ong. Procure se certifi-
que não existia nenhuma organização car da sua legitimidade e quais os
em defesa do meio ambiente. Hoje a benefícios já atingidos por ela. Mes-
história é diferente. Muitas organizações mo sendo uma organização não go-
que lutam em defesa do meio ambien- vernamental, isso não implica que o
te, podem ainda não ter tanta força, mas governo repasse verbas e consiga
atrapalham o meio de campo e com isso assegurar seus próprios interesses
ganham tempo e razões que buscam em alguns casos.
a conscientização da raça humana em
preservar o que ainda nos resta.

15
Haja lixo!
A Estre (Empresa de Saneamen-
to e Tratamento de Resíduos) é uma
síduos em sua etapa inicial. O Centro é
composto por aterro, unidade de bior-
empresa brasileira que trabalha para remediação e usina de triagem de ma-
providenciar soluções em gerenciamen- teriais recicláveis. É o único aterro que
to ambiental, gestão de resíduos sólidos utiliza a tecnologia de ponta e recebe o
e tratamento de áreas degradadas para lixo de várias cidades da região, além
empresas privadas e o poder público. de Paulínia. Muitos municípios utilizam
Fundada em 1999,conquistou o mercado esse aterro, como Americana, Jaguari-
com sua qualidade, agilidade e seguran- úna, Santo Antônio de Posse, Sumaré.
ça na prestação de serviços. Implantou
Estas cidades gastam milhões de reais
cinco aterros sanitários, entre eles o de
a cada ano para transportar e deposi-
Paulínia. A Estre está capacitada para
tar o seu lixo. Em Americana existe um
atender a todo o Brasil com projetos,
projeto para a construção de um aterro
tratamentos de resíduos e prestação de
serviços de consultoria ambiental. municipal e também um aterro regional
Em Paulínia o Centro de Gerencia- que será construído pela iniciativa priva-
mento de Resíduos, aterro Estre, tem a da em uma área conhecida como Pós-
mais completa estrutura para tratamento Represa, mas ainda precisa de estudo,
e disposição final de resíduos da Região parcerias e verbas para que isso venha
Metropolitana de Campinas. São 750 a se concretizar. Seria ideal para que fu-
mil m2 e capacidade para aproximada- turamente não venha surgir problemas
mente 6,5 milhões de toneladas de re- por falta de aterro.

16
17
O contato com a natureza
e a consciência ecológica
das novas gerações
Mini Pantanal
U ma reserva ecológica que encanta por sua be-
leza natural e muito explorada por biólogos, ecologistas
e meio ambientalistas do Brasil e do mundo. Com uma
área de aproximadamente 32 km2, Paulínia abrange 18
km2 de toda a extensão. Existem catalogadas 122 espé-
cies de animais, entre eles Anfíbios ( sapos e rãs). Rép-
teis (cobras, jacarés, lagar tos, tar tarugas, jabutis, etc).
Vários tipos de peixes e muito mais. As aves contam com
135 espécies, como garças, cisnes, frango d água e ou-
tras.
Visitado por tur istas de vár ias regiões e de ou-
tros países,vem se destacando como ponto turístico
da cidade.

Parque Ecológico
O Parque é um grande centro de educação, direcionado prin-
cipalmente a problemas ambientais, contribui na aprendizagem atra-
vés de estudos e pesquisas do comportamento e da reprodução dos
animais e a inter-relação dos mesmos com o Meio Ambiente. Está di-
vidido em grandes ecossistemas e visa oferecer melhores condições
para o bem estar dos animais.
São 75% do espaço destinado a animais silvestres e nati-
vos e os outros 25% aos exóticos. Segundo o veterinário Marcelo de
Queiroz Telles, que trabalha a 16 anos no parque, ao todo são 270
animais entre aves, répteis e mamíferos, com 65 espécies diferentes.
Os que mais atraem as crianças é o tigre, os hipopótomos e sem dú-
vida a sua majestade o leão, que chegou com seis meses e está com
14 anos.
O Parque Ecológico, o “Bosquinho” como é conhecido, tem
como entrada uma Arca de Noé, que simboliza o primeiro agrupa-
mento de animais. É uma área de preservação de aproximadamente
65.000m2, onde a natureza se faz presente através de seus animais,
lagos e vasta vegetação. Além de ser um ambiente adequado para o
lazer da população local de da região é também referência para esco-
las e creches na interação das crianças com a natureza, despertando
assim os primeiros contatos espécies do mundo animal.

18
Parque
Zeca Malavazzi
Área de lazer onde as famílias paulinenses passeiam nos
finais de semana ou por ocasião de eventos. Possui um terço da
área ricamente arborizada com várias espécies de plantas e toda
infra-estrutura necessária como: churrasqueira, torneira, banheiro,
mesas, estacionamento e pedalinhos para passeio no lago. Tam-
bém freqüentado por apaixonados por pesca, embora não tenha
mais peixes como antigamente, ajuda passar o tempo e se tiver
sorte fisgar algum peixinho.

Jardim
Botânico
Compreendendo uma área de 86000m2, tem como objetivo
principal a preservação de plantas nativas e exóticas, aclimatadas no
Brasil. A preservação das espécies provém da permanência de um ar-
boreto com cerca de 1200 espécies de onde são colhidas as sementes
e aí enviadas ao viveiro municipal.
O Jardim Botânico “Adelelmo Piva Júnior” completou 16 anos
de existência no dia 31 de maio. Num espaço de tempo que pode até
ser considerado pequeno para uma instituição do gênero, já é bastante
respeitado e reconhecido tanto no Brasil como no Exterior pelo traba-
lho que desenvolve nas áreas de preservação e pesquisa da flora.
Quando iniciou a implantação no Jardim Botânico, o objetivo
era reunir uma coleção de 2,3 mil espécimes e desenvolver ativida-
des voltadas à preservação e educação ambiental, objetivos que vêm
sendo alcançados plenamente nos últimos anos, pois é reconhecido e
respeitado até nos meios acadêmicos.

19
20
É preciso ter consciência
Qualidade do ar
e fiscalização
em Paulínia Existem muitos casos de recla- das vezes, por elas estarem causando
Não é novidade que o ar que res- mações a Seddema, em relação às ár- algum tipo de dano. Esses pedidos são
vores que causam danos nas calçadas deferidos ou não deferidos, depois que
piramos contém inúmeras impurezas ca-
de residências e comércios em geral. os fiscais averiguam o local e a árvore
racterizadas por diversos fatores. Paulínia
São tipos de árvores que foram planta- em questão. As que são recomendáveis
não foge a regra. Ainda mais por ser uma
das anos atrás e que são inadequadas para substituir as cortadas são: Aroeira
cidade petroquímica, as probabilidades
para esse fim, pois elas buscam água e Quaresmeira, que não possuem ca-
acabam sendo maiores. na rede de esgoto e acabam causando racterísticas das citadas anteriormente.
Segundo informações da Cetesb vários estragos. Os tipos mais conheci- Mas na verdade, muitas pessoas aca-
(Companhia de Tecnologia de Saneamento dos são: Sibipiruna, Chapéu de Praia, bam se desfazendo delas por conta pró-
Ambiental) são feitas medições diárias nas Ipê Rosa, Fícus Benjamim e Sabão-de- pria, sem nenhuma autorização e não
cidades da RMC (Região Metropolitana de Soldado. Todas elas não são árvores re- recebem nenhuma penalidade, pois não
Campinas) Paulínia tem se mantido com comendáveis para o plantio na cidade, há nenhuma fiscalização mais rigorosa
índices: Regular e Boa pois acabam causando muitos transtor- quanto a isso, causando indignação aos
Qualidade: varia segundo os índices nos. Segundo o Seddema, muitos pedi- que se preocupam com o meio ambiente
dos de corte de árvores são na maioria e com a arborização da cidade.
0-50 - Boa
51-100 - Regular
101-199 - Inadequada
200-299 - Má
299 – Péssima

Poluentes mais comuns: Dióxido de


Enxofre, Partículas Inaláveis, Dióxido de
Nitrogênio, Monóxido de Carbono e Favo-
ráveis para Ozônio.
Efeitos a saúde: Pessoas com doen-
ças respiratórias podem apresentar sinto-
mas como tosse seca e cansaço.

Quando se trata de meio ambiente,


Paulínia tem seu lado positivo.
O Projeto Lixo-Zero, criado pela e demais instituições em busca de um
Secretaria de Obras e Serviços Públi- ambiente saudável para a população e
cos através da Lei Municipal n° 2.536 um destino reciclável para o lixo.
de 15 de Dezembro de 1993, foi plane- Embora essas lixeiras não exis-
jado para ser um programa completo de tam mais, o projeto de separação do lixo
conscientização e educação ambiental por coleta tem sido mantido. O projeto
no direcionamento do lixo. Na época fo- Lixo Zero procura trabalhar a reconcei-
ram colocados lixeiras em vários pontos tuação do lixo, desenvolvendo várias
da cidade, para que o lixo fosse separa- atividades que visam à informação e a
do através de uma coleta seletiva, tanto conscientização sobre diversas questões
nas residências, escolas, quanto nas in- ambientais. Com essa postura ambien-
dústrias e no comércio, através de par- tal, podemos criar espectativas positivas
cerias com o setor público, setor privado para que o futuro possa ser mais limpo.

21
Utilização de garrafas PET.
Aquecedor solar

Fórum 2008 de Brasil recebe recursos para Telhado com


Inovação e Sustentabilidade pesquisa de plástico verde caixas de leite

R epresentantes do Brasil e de
outros países estiveram reunidos no
As maiores empresas do setor
petroquímico concederão ao Brasil mais
Que tal transformar caixinhas
de leite longa vida, ainda pouco valiosas
Fórum 2008 de Inovação e Susten- de US$ 1,33 bilhão em investimentos para a reciclagem, em matéria-prima
tabilidade da Região Metropolitana destinados à pesquisa e produção de para subcoberturas de telhado.
de Campinas, nos dias 17 e 18 de plásticos verdes, derivados do etanol de A reciclagem está presente na
Junho. Iniciativas do setor privado cana-de-açúcar e de glicerina. Os dados atualidade, não apenas pelo aspecto
e público para um desenvolvimento do Instituto Sócio-ambiental do Plásti- econômico, mas também pela questão
sem agressões ambientais, através co, que apontam o Brasil como líder na ecológica. Não faz sentido jogar junto
de discussões e palestras, buscam tecnologia dos plásticos “verdes”, foram com o lixo orgânico materiais que pos-
soluções e apoio para que todos os recolhidos de empresas líderes do setor sam ser reaproveitados ou transforma-
setores façam investimentos pensan- como Braskem (com filial em Paulínia) a dos. Aos poucos, as tecnologias vão
do na economia de energia. Dow Brasil, Nova Petroquímica e Solvay, avançando e são descobertas novas for-
A refinaria de Paulínia esta mas de reutilização. O Brasil é recordista
que tentam reduzir sua dependência do
implantando um sistema de purifica- em reciclagem de latas de alumínio, atin-
nafta para a produção de resinas. O uso
ção para o diesel e gasolina. O obje- gindo 97% de reaproveitamento.
do plástico como embalagem, em sua
tivo é reduzir em 95% a emissão de Também existem várias utilida-
maioria no setor de alimentos, aumen-
enxofre desses combustíveis. O metal des para as garrafas PET, que entopem
tou muito nos últimos 20 anos, mas a tubos, causam enchentes, mas agora
polui o meio ambiente e causa efeito
na camada de ozônio. A intenção é massificação da sua utilização recebeu têm algum valor comercial. Porém, em-
continuar reduzindo. críticas, como por exemplo, no que diz bora o leite longa vida seja amplamen-
respeito a sua decomposição, que pode te consumido pela população, suas
demorar até 500 anos. Com a implan- embalagens têm baixo valor comercial
tação do plástico verde as expectativas porque, por serem compostas de vários
melhoram na ordem de amenizar o im- materiais, não eram de fácil reciclagem.
pacto ambiental, pois com sua fórmula Por ter uma face aluminizada,
orgânica, sua decomposição será um a caixa de leite mostrou-se perfeita
benefício para todos. para exercer a função da manta, com a
vantagem de ser uma solução ecológi-
ca, que pode contribuir muito para que
esse material não seja mais jogado no
lixo. Com a manta, a casa fica mais con-
fortável porque funciona como isolante
térmico, refletindo o calor para cima.
Evita goteiras e respingos, além da su-
jeira que entraria pelo telhado. A man-
ta é colocada sobre o madeiramento
e sob as telhas. Cada metro quadrado
de manta consome 20 caixinhas, o que
permitirá um custo bastante inferior ao
das mantas industrializadas.

22
23
SPASSO
(19) 3874.3516

SPASSO

24
Vamos dar mais importância aos atos de
carinho do que aos defeitos e críticas.
por: Roberto Carlos de Mello Somos seres inteligentes, não queremos
magoar e nem ser magoados. Quando
recebemos, temos a necessidade de de-
volver. Se falarmos mal ou agredirmos,
seremos ofendidos ou agredidos. Por que
não elogiar e conquistar?
Será que estamos desaprendendo? Acho
que não, prefiro achar que estamos num
bombardeio de ocupações e preocupa-

Necessidade de ções.
Ressalto, se somos capazes de
agredir quem amamos, imaginemos o

E stamos no mês dos namorados,


dias em que todos querem fazer algo es-
amar Façamos desta data um dia de
mudanças em nossos relacionamentos.
que somos capazes de fazer com quem
apenas conhecemos?
Desta maneira, somos incapa-
zes de ver um palmo na frente de nos-
so nariz. Com isso, quero lembrar que é
dando que se recebe. Queremos receber
o que? Fica aí, para pensarmos..
Tenhamos um bom diálogo com quem
pecial. Penso que esse dia deveria ser Que possamos ver e dar ao invés de pensamos amar. Façamos a mudança
igual o ano todo, pois se namorássemos cobrar e ignorar; que este possa ser um já. Passemos a valorizar o que temos e
mais, cuidássemos mais, beijássemos momento de muito carinho e com isso, comemoremos muito, porque o tempo
mais, abraçássemos mais, conversás- aprendamos o que é o amor e o que é passa muito rápido. Hoje podemos ter 15
semos mais, com certeza, os romances realmente gostar de uma mulher. anos e amanhã, já teremos 80 e nem per-
durariam mais, porque namorar é bom A grande maioria dos homens ceberemos que nos esquecemos de nos
demais. acha que sabe o que é gostar de uma dar e amar. O que fizemos ontem não tem
Podemos fazer isso dos 12 aos mulher, mas o verdadeiro sentido de mais como mudar, mas o que faremos no
120 anos e não precisamos pagar nada gostar de uma mulher não é se sentir próximo segundo, com certeza, poderá
por isso. É muito bom quando estamos dono dela, nem muito menos tê-la sexu- ser reavaliado e fazer a diferença.
namorando, nos enchemos de planos, almente, mas sim, saber penetrar na sua Vou chamar atenção dos casais!
sonhos, desejos e não deixamos as alma, nos seus pensamentos e na sua Sejam mais tolerantes, menos ciumentos
preocupações tomarem conta de nos- imaginação. Saber compreendê-la, sa- e mais confiantes, porque, do contrário,
sas mentes. Com isso não exaltamos ber seus maiores desejos e compreen- estarão pedindo para ser abandonados.
a tristeza, a depressão e todos os as- der seus sentimentos. Ter ouvidos para Quando confiamos em nós mesmos e da-
pectos negativos que tomam conta de ouvi-la, tê-la sexualmente, isso qualquer mos o melhor de nós, se o pior acontecer,
nossas mentes. um pode fazer. quem perderá não será nós e sim, quem
Tornamo-nos mais audaciosos, Gostar de um homem também não soube dar valor. Encontraremos pes-
acreditando no valor real da vida, que não é fácil. A mulher se arruma não para soas que saibam nos dar valor. Não nos
é o amor. Com isso, estaremos desen- seu homem e sim, para outra mulher. Ela acomodemos, porque não adianta chorar
volvendo a prática de nos dar um pou- não importa se ele a deseja e sim, com e nem correr atrás depois que perdemos
co mais. Vamos perceber como é bom os defeitinhos que ela tem. Não se ocu- alguém. Pode ser que nunca mais iremos
e gratificante. É gostoso fazer algo pa de mostrar todos os seus suspiros, recuperar, que seja tarde demais, mas é
para agradar ao invés de continuarmos mas sim, de como que os outros vão melhor morrermos tentando, do que viver
a ser egoístas, querendo apenas rece- pensar. Quando vêm os filhos, o homem lamentando. Por isso, amemos, beije-
ber, ter e ganhar. é passado para trás e depois é tachado mos, abracemos, namoremos e não nos
Nesta data, a maioria das pes- de incompreensível. Será que não falta arrependamos do que fizermos e sim, do
soas que tem alguém que ama quer sur- aprender, um pouco mais, como nos tra- que não foi possível. Somos pessoas in-
preender. Inconscientemente, se está tar? teligentes e, com certeza, não vamos nos
praticando um ato de doação. Podemos Então, vamos nos dar sem medo, arrepender.
perceber que se praticarmos mais um sem preconceito, sem tabu. Por isso, é È bom falar para casais, porque
pouquinho o namoro, seremos capazes bom prestarmos atenção em tudo o que quero ver a disputa de quem vai fazer
de deixar o egoísmo de lado e com esta preparamos. Não tenhamos pressa, tudo melhor pelo outro e isso, é muito bom.
atitude, receberemos muito mais. foi preparado para que não fujamos e te- Garanto que um tempo bem usado, com
Vamos praticar mais este dia, mos todo tempo do mundo. Mostremos criatividade, fará com que descubramos
vale a pena! Imaginamos nós, namoran- do que somos capazes e tenho certeza, do que somos capazes. Nos preocupa-
do aos 15 anos, depois aos 30 e aos 50 de que não nos falta capacidade e nem remos menos e colocaremos a beleza
e assim por diante, será muito bom. criatividade. interna em evidência.
Tiremos alguns dias para desli- Um beijo, um carinho, um abraço Deste jeito, iremos longe, ao ho-
gar um pouco da loucura da vida, acre- são muito importantes. Não só o de mãe rizonte do conhecimento, da vivência,
dito que será muito bom. Aprenderemos ou o do irmão, mas sim, o de “prazer. O do carinho, do amor e da vida. Quando
a dar, a receber e a valorizar. poder que este ato tem nos surpreende- a idade chegar, que possamos falar que
O dia 12 de junho é um dia para colocar rá, pois dobra o bravo, enfraquece o forte soubemos e sabemos amar, realmente.
em nossas vidas e jamais esquecer. e muda a opinião do que se diz durão. Feliz mês dos namorados

25
Auto Mecânica Auto Peças Produtos Odontológicos Concessionária de veículos

Acabamento Agência de Turismo Presentes e Acessórios

Cabeleireiro Ótica Pizzarias Colégio

Escritório de Contabilidade
Contabilidade Conveniência Móveis para Escritório

Escola de Cursos Móveis Planejados

26
27
28
SPASSO