Vous êtes sur la page 1sur 8

Avaliação Materiais Metálicos I

Professor: Celso Barbosa Aluno: Danilo dos Reis Lima
Equipe: Danilo Leite Ribeiro Ian Araújo Camões de Sena Marcelo Sousa de Carvalho Rose Julienne Amorim Victor Achilles Palmeira Arraes 1. As etapas principais de uma usina siderúrgica são redução, refino e posteriormente conformação. Uma imagem com o fluxo das duas primeiras etapas foi posta a seguir:

Figura 1 - Fluxo esquemático do processo envolvidos na produção de aço Fonte: Curso básico de aços - Scheid, 2010

O carvão mineral é primeiramente processado na coqueria. Estes dois são separados por diferença de densidade. 2010 O produto e subproduto do AF (alto forno) são: ferro gusa e escória. antes de qualquer outra etapa. O enxofre é prejudicial às propriedades mecânicas dos aços e é retirado por meio de uma lança que sopra nitrogênio. óxido de cálcio e magnésio. composta por fornos lado a lado em que esse é depositado e permanece a certa temperatura para retirada de voláteis restando. se inicia o refino ou aciaria. coque. Os altos-fornos são abastecidos principalmente com: sínter. as matérias-primas promovem a redução do minério de Ferro originando o ferro gusa. Ocorre uma reação desses compostos com o enxofre e o resultado (sulfeto de cálcio) é menos denso e flota podendo ser separado. Após essa etapa. basicamente. Após essa preparação. Ao serem adicionadas no alto forno. Se não atendida à especificação do aço. inicia-se o processo de produção do aço. Essas reações acontecem na faixa de 1500-1600°C e as principais reações são mostradas a seguir: Figura 2 . .Reações no processo de redução do minério de ferro Fonte: Curso básico de aços . O ferro gusa. Enquanto isso. carbeto de cálcio em pó. uma massa de Carbono chamada de Coque. a sinterização é feita para preparar o minério de Ferro para utilização. carvão mineral e os fundentes (calcário e dolomita). é levado para uma estação de dessulfuração de gusa (EDG) (Shied. O resultado dessa etapa é o sínter que é uma das possíveis cargas dos altos fornos. 2010). 2010). uma nova dessulfuração é feita após transferência do ferro gusa para a panela transferidora na aciaria (Shied. O Ferro gusa é carregado em um transportador chamado de carro-torpedo. Esse processo consiste em aglomerar pequenas partículas de Ferro com uma mistura de fundentes e coque.As matérias primas utilizadas são: minério de Ferro.Scheid. fundentes e minério de ferro. sendo a escória o produto de menor densidade.

vazado em um distribuidor que o separa em vários veios. forno panela ou forno a vácuo (Ruhrstahl Heraeus [RH]) (Shied. Essa etapa é que transforma o ferro gusa em aço e é chamada de metalurgia primária. Em seguida são cortadas nos tamanhos especificados. N2. Aços com maior teor de liga vão para o forno panela. Adiciona-se sucata para evitar que a temperatura atinja valores elevados.2010). Nas trefilarias. 2010). arames para solda e eletrodos. solidificando-se em formato de tarugos que serão cortados nas dimensões para laminação. silício e fósforo). O arame trefilado pode ser submetido a vários outros processos resultando em arame. são levadas ao leito de resfriamento. . levando-o até as especificações exigidas. A rota mais simples é pela estação de borbulhamento adicionando-se sucata a mistura para diminuição da temperatura ou Ferro liga para o aquecimento da carga a partir do sopro de oxigênio. Nas gaiolas intermediárias o processo de conformação contundia e a forma final é dada pela gaiola do acabador. C e O2) são retirados. após esse processo. os outros elementos como silício e manganês são oxidados durante o sopro de oxigênio e CaO formando escória a qual sobrenada a mistura (Shied. A metalurgia secundária pode ser feita por 3 tipos de processos: estação de borbulhamento. A terceira opção de forno a vácuo (RH) é normalmente usada para teores baixíssimos de elementos intersticiais como aços de estampagem extra profunda (Shied. Após essa etapa. Com essa movimentação os elementos intersticiais (H2. pregos. promovendo a oxidação dos elementos do Ferro (carbono. são feitas as primeiras deformações do tarugo que é então preparado para o processo. Após a passagem pelo formador de espiras. 2013). O processo é caracterizado por duas colunas.A etapa de transformação de Ferro gusa em aço ocorre em conversores por meio do sopro de Oxigênio. arame farpado. pois a reação é exotérmica. Neste caso eletrodos são colocados para fechar o arco elétrico eletrodo/aço líquido. As barras. as bobinas de fio máquina podem ser trefiladas ou laminadas a frio. Nas gaiolas de desbaste. Isso permite adição de ligas frias sem diminuição da temperatura (Shied. Quando passa pela trefila. o aço é conduzido ao lingotamento contínuo. o fio máquina tem suas dimensões reduzidas de acordo com a especificação do produto (Gerdau. O aço líquido passa por moldes para resfriamento. 2013). A laminação é um processo contínuo de conformação mecânica que se inicia no forno de reaquecimento onde os tarugos tem sua temperatura elevada para permitir a laminação a quente. Nitrogênio é posteriormente soprada para homogeneizar a temperatura. que determina a tolerância dimensional e pode assumir a forma de barra ou rolo (Gerdau. uma borbulha Argônio e reduz a densidade relativa naquela parte e como consequência o aço circula na parte superior do recipiente.2010). 2010). As bobinas de fio máquina são passadas na trefila para produção de arames. o aço é transformado em rolo de vergalhão ou fio máquina. O Carbono é queimado e assim vai para fora do líquido na forma de CO e CO2. Esses tarugos são laminados e passam pelo bloco acabador.

que ocorre nos pontos mais altos. Na parte inferior do forno. Esse mesmo é mantido na zona de reserva térmica acima de 900°C. Esse processo de redução ocorre em várias etapas. 4. A reação resumida fica (1000°C):  O monóxido de carbono. 2008). que são os combustíveis. Plasticidade é a capacidade de se deformar irreversivelmente (plasticamente). Redução direta é o processo de obtenção de aço sem a fusão da mistura. o que o difere do processo de redução no AF. removendo o oxigênio destes. até embaixo onde a temperatura é menor. reduz o óxido de ferro para óxido de ferro (II. por afinidade.III) (entre 200°C e 700°C):  Mais embaixo. o óxido de ferro (II) é reduzido para ferro puro(1200°C): 3. Tenacidade é a habilidade de um material absorver energia até sua fratura (Callister. na região das ventaneiras. O princípio básico de funcionamento de um alto-forno é o da oxiredução. A primeira reação. O objetivo é produzir ferro na sua forma elementar a partir de óxidos de ferro. O processo de redução direta consome uma quantidade menor de energia e menor custo de instalação do que a redução no AF. o oxigênio queima o carbono do coque ou do carvão vegetal. . esse é mais apropriado para pequenas produções. O produto obtido por esse processo é o ferro esponja e é usado para produção de aço. III) é reduzido novamente para óxido de ferro (II) (850°C):  Por fim. em que. na região mais quente. Essa reação opera aproximadamente em 1000°C e produz . reage com o óxido de ferro reduzindo-o. Por fim. Monóxido de carbono é um poderoso agente redutor e reage com o oxigênio presente nos óxidos de ferro gerando ferro gusa e dióxido de carbono. que é o agente redutor. em uma maior temperatura. O dióxido de carbono reage novamente com o carbono gerando monóxido de carbono. um elemento rouba elétrons de outro causando reações químicas. começando no topo.2. por onde os óxidos de ferro entram e a temperatura é menor. promovendo a reação com mais carbono gerando . o óxido de ferro (II. Abaixo um resumo do processo com as principais reações que ocorrem nos alto-fornos e as temperaturas nas quais elas ocorrem:  O oxigênio do ar soprado pelas ventaneiras reage com o carbono do combustível produzindo dióxido de carbono.

Um aço SAE1035 apresenta aproximadamente 0. a resistência à corrosão. siderúrgica. Os elementos básicos formadores do aço são: ferro. laticínios.  Aços Inoxidáves Martensíticos As características mecânicas desses aços variam um pouco de acordo com a composição química. ocorre um aumento de dureza e resistência à tração. refrigeração. resistência ao impacto e a soldabilidade diminui bastante. Essas características ainda permitem a fabricação de elementos deformados como perfis ou arames através de processo de conformação mecânica. odontológica. O aumento do teor de carbono modifica as propriedades da seguinte forma: Limite de resistência: Aumenta Alongamento: Diminui Dureza: Aumenta Tenacidade: Diminui Soldabilidade: Diminui 6. os aços inoxidáveis martensíticos apresentam elevada . hospitalar. equipamentos para a fabricação de ácido nítrico.Plasticidade e tenacidade são importantes. Diminui um pouco a tenacidade. Os aços austeníticos são séries 200 e 300. Ao incorporar o Cromo (Cr) ao aço. temperabilidade e. em recipientes de alimentos.60% de carbono. De um modo geral. trocadores de calor e tubulações contendo soluções com cloretos e água do mar. manganês e impurezas como fósforo e enxofre. 9. pois estes estão na faixa de 0. cirúrgica. na fabricação de vasos de pressão e tubulações.30~0. silício. talheres. São geralmente utilizados nas indústrias química e petroquímica. apresentam alta resistência à corrosão e conformabilidade. as séries 400 abrangem tanto os ferríticos e martensíticos.35% de carbono. Aplicações:  Aços Inoxidáveis Austeniticos De um modo geral. pois permitem que a ruptura dos metais não ocorra de forma abrupta (falha catastrófica) e permitem que possam ser encruados alterando as propriedades físicas do material. 8. em grandes quantidades.  Aços Inoxidáveis Ferríticos São amplamente utilizados em sistemas de exaustão de automóveis. farmacêutica. O SAE1035 é considerado um aço de médio carbono. 7. carbono. 5.

a) A fase presente é 100% austenita. Primeiramente é necessário saber qual é o percentual de carbono na liga para entender se é uma liga hipoeutetóide ou hipereutetóide. A posição no diagrama Fe-C pode ser vista na linha (1). . 2. possui 0. b) . por isso. Portanto. c) Segunda parte 1.022%C. pás e outras peças para turbina a vapor. instrumentos cirúrgicos. enquanto o hipereutetóide possui mais carbono que o previsto na mesma composição eutetóide e é composto por cementita próeutetóide e perlita. molas. parafusos. 3. 10.dureza e. cames. a fase proeutetóide é cementita proeutetóide pelo fato de a liga ser hipereutetóide. A ferrita eutetóide é a ferrita presente na perlita proveniente da fase y (austenita). Outras utilizações envolvem eixos de bombas. são aplicados em cutelaria. porcas. válvulas. esferas de rolamento. lâminas e tesouras. Um aço carbono hipoeutetóide é aquele que possui menos carbono que na composição eutetóide (0.76%C) e é composto por ferrita próeutetóide e perlita.76%C enquanto a ferrita proeutetóide é a ferrita que se formou acima da temperatura eutetóide e possui 0.

a) Possui apenas a fase AlNi.(1) 4. . c) 5. c) Possui apenas a fase AlNi. b) Portanto. b) Possui as fases AlNi e AlNi3. a) Por ser uma liga hipoeutetóide. a fase proeutetóide é ferrita proeutetóide.

William D. SHIED. Rio de Janeiro: LTC. 2000. Jr.Referências CALLISTER. Curso básico de aços. Curitiba: 2010. Adriano.gerdau.com. 2013. Ciência e engenharia de materiais: uma introdução.br . Vídeo ilustrativo. 5ªedição. www. GERDAU.

Centres d'intérêt liés