Vous êtes sur la page 1sur 6

EDITAL

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO (LATO SENSU)


“SEGURANÇA PÚBLICA E CIDADANIA”

A Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO), e o VIVA RIO, fazem saber que estão abertas
as inscrições para o concurso de preenchimento de 50 vagas referentes ao segundo curso “Segurança Pública e
Cidadania”, na forma deste Edital.
O referido curso é realizado por meio de convênio firmado com o Ministério da Justiça, através da Rede
Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (RENAESP). O curso , de 360 horas, é de especialização em
segurança pública, a nível de pós-graduação lato sensu, destinado ao aperfeiçoamento de profissionais de Segurança
Pública e do Sistema de Justiça Criminal do Estado do Rio de Janeiro, e aberto a profissionais de outras áreas. Os
formandos receberão certificado de pós-graduação lato sensu em Segurança Pública reconhecido pelo Ministério da
Educação. Este curso foi oferecido em 2008/2009, e será novamente implementado em 2009/2010.
1 - Informações Gerais
a) Nome do curso: Segurança Pública e Cidadania (Pós-Graduação Lato Sensu)

b) Número de vagas e condições:


50 (cinqüenta) vagas:
- 40 vagas destinadas aos profissionais do serviço ativo de segurança pública e do sistema de justiça criminal do
Estado do Rio de Janeiro, que tenham curso universitário: Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Guarda
Municipal, Corpo de Bombeiro, Polícia Rodoviária Federal e Agentes Penitenciários. Estes profissionais
receberão bolsa de estudos da RENAESP, e terão a oportunidade de estudar de forma GRATUITA.
- 10 vagas serão destinadas a profissionais de outras áreas com nível universitário completo (mensalidade de R$
200,00).
c) Horário:
Segundas, Terças e Quintas-feiras, das 19h00 às 22h00.
d) Local:
Viva Rio: Rua do Russel, 76, Glória, Rio de Janeiro (estação do metrô Glória, saída Outeiro/Viva Rio, e estacionamento
gratuito)

2- Inscrições
a) Local e horário: As inscrições deverão ser feitas na sede do Viva Rio (Rua do Russel, 76, Glória), das 14 às 19 hs,
nos dias úteis, de 01 a 15 de outubro.

b) Documentos para inscrição (cópias, que não serão devolvidas, apresentando-se os originais no ato de inscrição),

– Currículo Lates ou currículo vitae


– Certificado de graduação
– Histórico de graduação
– CPF
– RG
– Comprovante de residência
– Comprovante de que é servidor ativo (aos profissionais de Segurança Pública e do Sistema de Justiça Criminal)
– 2 fotos 3x4
– Carta de Intenção (por que quer fazer o curso?)
3 – Processo Seletivo
a) O processo seletivo constará de (1) prova escrita, baseada em bibliografia específica (textos a serem recebidos no
ato de inscrição), (2) entrevista, (3) carta de intenção (por que quer fazer o curso?) e (4) avaliação do Curriculum Vitae.
Os candidatos serão avaliados por uma comissão de três docentes.
b) Local e data: a seleção será realizada na sede do Viva Rio, no dia 17 de outubro (sábado), de 9 à 16 horas (após
a prova escrita, os candidatos serão entrevistados pelos professores da Comissão de Seleção.
c) Bibliografia: a prova escrita se baseará em dois textos, a serem recebidos pelos candidatos no ato de inscrição:
Somente Respeitando o Público, a Polícia Vai Ser Eficaz na Prevenção do Crime, de David Bayley, in Revista
Brasileira de Segurança Pública, ano I, edição 1, 2007; e “A Polícia que Queremos”: Considerações Sobre o
Processo de Reforma da Polícia Militar do Rio de Janeiro, de Haydée Caruso, Luciane Patrício e Elizabete
Albernaz, in Polícia, Estado e Sociedade: Práticas e Saberes Latino-americanos, Caruso, Haydée e outros
(editores), Publit, Rio de Janeiro, 2007.
d) Em hipótese alguma haverá segunda chamada, vista ou revisão de prova.
e) Resultado: O resultado da seleção será divulgado a partir do dia 24 de outubro.

1
4- Sobre o Curso
a) Matrículas para o curso: As matrículas para o curso deverão ser realizadas no período de 26 de outubro a 31 de
novembro, no Viva Rio.

b) Termo de Compromisso - Os alunos-servidores aprovados deverão assinar um Termo de Compromisso, que os


obrigará a entregar, nos prazos determinados durante o curso, o Projeto de Monografia e a Monografia de final de
curso. Como os profissionais de segurança pública receberão bolsa de estudos do governo federal, o referido Termo de
Compromisso tem como objetivo garantir a conclusão do curso e a entrega do Projeto e da Monografia, visando
atender às exigências da Secretaria Nacional de Segurança Pública/Ministério da Justiça, Órgão
Financiador/Responsável pelos recursos destinados ao financiamento da bolsa de estudos. O aluno-servidor que não
cumprir o Termo de Compromisso deverá ressarcir o erário no valor dispendido pela administração para sua
especialização, a não ser que apresente justificativa considerada consistente pela coordenação do curso e pela
RENAESP, que demonstre a impossibilidade de cumprimento dos compromissos assumidos.

d) Início das Aulas: As aulas serão iniciadas no dia 03 de novembro.

e) Disciplinas e Professores: O curso terá 360 horas, entre aulas, palestras e orientação monográfica:

CARGA
DISCIPLINAS DOCENTES
HORÁRIA

Aula Inaugural horas

Haydée Caruso
RENAESP, CONSEG e PRONASCI 2
(RENAESP)

Antônio Rangel Bandeira


Apresentação do Curso 1
(Coordenador do Curso)

Disciplinas

Módulo 1: Violência e Segurança


Humana (Julho/Agosto)

Sociologia da Violência Urbana 15 Antonio Rangel Bandeira


Delegado Walter Barros
Polícia Científica e Direitos Humanos 12 Ex-Diretor Depto. Polícia
Científica PC/RJ
Sujeito, interação e segurança pública 21 Gláucia Helena Barbosa
Nalayne Pinto
Metodologia de Pesquisa Científica 15
Major PM
Policiamento Comunitário 21
Roberto Vianna

Psicologia e cultura da violência 15 Wilson Moura

Nalayne Pinto
Orientação de Projetos de Monografias 12

Orientação de Monografias 16 Professores Orientadores

Módulo 2: Política de Segurança,


Controle de Armas e Política de Drogas
(Set/Outubro)

2
Gestão integrada da ordem e segurança
18 Lênin Pires
pública

Armas 1: Armas de fogo, proteção ou


15 Antonio Rangel Bandeira
risco?

Cultura Policial 12 Verônica dos Anjos

Armas 2: Armas de fogo: repressão e Paulo Storani


9
prevenção Ex-Instrutor BOPE
Tráfico de drogas: problema de saúde
12 Brigida Renoldi
pública e segurança
Nalayne Pinto
Orientação de Projetos de Monografias 13

Orientação de Monografias 26 Professores Orientadores


Módulo 3: Diversidade, Grupos
Vulneráveis e Mediação de Conflitos
(Nov/Dezembro/Janeiro)
Mediação e Conflito Social 21 Gláucia Helena Barbosa

Violência de Gênero 18 Clarissa Huguet

Crianças e jovens na violência armada


9 Daniel Luz
organizada: perspectiva latino-americana
Crianças e jovens na violência armada
18 Clarissa Huguet
organizada: o caso brasileiro

Orientação de Monografias 26 Professores orientadores


Palestras (dentro das disciplinas) Palestrantes
Mídia e Violência Sebastião Santos
Força Internacional de Paz e Mediação de Rubem César Fernandes e
Conflitos: Haiti e Brasil Eduarda Passareli
Projeto “Delegacia Legal” Cesar Campos
Ética Profissional Ricardo Mello
Coronel do Exército
Planejamento Estratégico e Inteligência
Diógenes Dantas
Política Internacional de Drogas Ilona Szabo
Cultura da Paz André Porto
Projeto Criança Esperança (visita) Jairo Coutinho
“Disque Denúncia” e Participação Popular Zeca Borges
Mediação de Conflitos nas Favelas Carlos Costa
Mediação e Conselhos Tutelares Osmar Vargas
Mediação e Judiciário Naura Americano
Projeto Cultural AfroReggae (visita) José Junior
Indústria Brasileira de Armas Júlio César Purcena
Monografias (finalização)
Orientação de Monografias 32 Professores orientadores

3
Quem São os Professores (Corpo Docente):

Professor (a) Instituições

VIVA RIO/FLACSO
Antônio Rangel Bandeira, cientista ME (Mestre), Professor-Pesquisador FLACSO, ex-Professor da PUC/RJ, York
político e sociólogo University (Canadá), Instituto Superior de Economia (Lisboa), Instituto de Estudios
Sociales y Económicos (Chile), Cândido Mendes e Bennett (RJ), Coordenador do
Programa de Controle de Armas do Viva Rio
VIVA RIO
Brígida Renoldi, antropóloga DO (Doutora), ex-Professora do IFCS da UFRJ, Universidade Nacional de Misiones
(Argentina), Universidade Estadual do Norte Fluminense, UNaM (Argentina) e
Universidade de Buenos Aires; Pesquisadora sobre a Delegacia Legal.
VIVA RIO
Clarissa Huguet, advogada ME em Direito Internacional pela Universidade de Utrecht (Holanda) e Professora da
UERJ
VIVA RIO
Daniel Luz, cientista político DO, Consultor das Nações Unidas (ONU)
Ex-Professor da Universidade Autônoma de Barcelona
Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (América Latina)
ME, Profa. de Psicologia, Gestão de Pessoas e Relações Humanas
junto ao Tribunal de Justiça do Estado do RJ, TJ do Estado de Roraima, TRE, TRF e
Glaucia Helena Barbosa,
Ministério Público. Ex-Profa. da FESP junto à PMERJ (cabos e sargentos); Polícia
psicanalista
Civil (detetives e carcereiros) e DEGASE / Instituto Padre Severino (agentes
penitenciários).
Lênin Pires, especialista em Doutorando em Antropologia, Prof. UFF, Universidade Iguaçu e IUPERJ
segurança pública
Nalayne Mendonça Pinto, socióloga DO, Profa. UERJ, Veiga de Almeida, CCAA e UNIFESO; Pesquisadora IUPERJ e
e antropóloga Universidade Cândido Mendes
Paulo Storani, ME em Antropologia pela UFF, Secretário de Segurança de São Gonçalo, Professor
ex-capitão PM, antropólogo da Academia da PMERJ, da Universidade Cândido Mendes e Ex-Instrutor do BOPE
PMERJ
Roberto Cavalcanti Vianna, major Pós-graduado em Políticas Públicas de Justiça Criminal e Segurança Pública,
da PM Instrutor da PM, Professor da Secretaria Nacional de Segurança Pública e da
Universidade Estácio de Sá, ex-Coordenador do Comando de Policiamento em
Áreas Especiais, especialista em Policiamento Comunitário.
VIVA RIO
Rubem César Fernandes,
antropólogo e historiador DO, Diretor Executivo do Viva Rio e Ex-Professor da Columbia University (Nova
York), UFRJ, UFF, UERJ e Universidade de Campinas (SP)
ME em Ciências Sociais, Coordenadora da CONSEG no RJ; Profa. PMERJ, ESPM,
Verônica Almeida dos Anjos,
Universidade Estácio de Sá, GPAE, Observatório de Favelas; Pesquisadora
especialista em segurança pública.
FIOCRUZ, Observatório de Favelas e Viva Rio
POLÍCIA CIVIL
Walter Barros, delegado Ex-Diretor do Departamento de Polícia Técnica, da Polícia Civil do RJ, Professor da
Universidade Estácio de Sá, da Escola de Políticas Públicas e da ACADEPOL
UERJ e FLACSO
Wilson Moura, psicólogo DO, Professor da UERJ, ex-Professor da Escola de Altos Estudos de Paris, e
Coordenador de cursos para a Polícia Civil do RJ (UERJ) e Polícia Militar do Ceará
(FLACSO)

Palestrantes Convidados Instituições

Ministério da Justiça
Doutora em Antropologia, assessora da Coordenação Geral de Desenvolvimento de
Haydée Caruso
Pessoal da Secretaria Nacional de Segurança Pública, especialista em segurança
pública, criadora da Rede de Polícias e Sociedade Civil da América Latina,
VIVA COMUNIDADE
André Porto, ativista de paz Especialista em Cultura de Paz, Diretor da URI (Rede Internacional Inter-religiosa),
Coordenador da Caravana pelo Desarmamento (projeto MJ-Viva Comunidade)
VIVA COMUNIDADE
Carlos Costa, ex-líder comunitário.
Ex-Presidente da Associação de Moradores da Favela da Rocinha
Cesar Campos, engenheiro (a SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA RJ
confirmar) Supervisor do projeto de criação das Delegacias Legais, RJ
Cláudio Ribeiro Huguet, psicólogo e DO pela Escola Nacional de Saúde Pública-FIOCRUZ, ME e BA pela PUC/RJ,
psicanalista Supervisor do Núcleo de Atenção à Criança e Adolescente, Consultor dos Ministérios

4
da Saúde e do Desenvolvimento Social
Diógenes Dantas Filho, coronel do
Tribunal Militar de Justiça do RJ
Exército
PUC/RJ e VIVA RIO
Eduarda Passarelli Hamann-
Nielebock, especialista em DO em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais (IRI) da
Relações Internacionais PUC/RJ, Professora do IRI, FGV e Universidade Cândido Mendes, Projeto Viva Rio-
Haiti
SYNERGOS
Ilona Szabo, especialista em ME em Estudos Internacionais pela Universidade de Uppsala (Suécia) e especialista
Relações Internacionais em Desenvolvimento Internacional, pela Universidade de Oslo (Noruega). Ex-
Professora da Universidade Estácio de Sá e da UniverCidade; ex-Coordenadora do
Programa de Segurança Humana do Viva Rio

Jairo Coutinho, médico Projeto “Espaço Criança Esperança”, Rio de Janeiro - Coordenador

José Junior, fundador e diretor do AFROREGGAE


AfroReggae Fundador e Coordenador Executivo do AfroReggae
Naura dos Santos Americano,
Psicóloga do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro
psicóloga
VIVA COMUNIDADE
Osmar Vargas, ex-lider comunitário
Ex-membro de Conselho Tutelar de Ramos

Sebastião Correa Santos Radialista e Comunicador, coordenador de Comunicações do Viva Comunidade

DATAPREV
Ricardo Mello, jornalista e Foi Assessor da Assembléia Nacional Constituinte, Assessor de Comunicação da
publicitário Secretaria de Justiça do RJ, Chefe de Gabinete da SUSEP, Movimento “Ética na
Gestão”
VIVA RIO
Júlio César Purcena, economista Economista, co-autor de Brasil: as Armas e as Vítimas, especialista em controle de
armas de fogo e munições.

Zeca Borges
Formulador e Diretor do “Disque Denúncia”
(a confirmar)

6 - JUSTIFICATIVA do CURSO

Na América Latina, ocorrem 42% das mortes por arma de fogo a nível internacional, mas aqui vivem apenas 14% da
população mundial. O Brasil é campeão em números absolutos destas mortes, com quase 100 vítimas por dia. Grande
parte destas mortes é devida a conflitos inter-pessoais sem relação com o crime organizado, ao confronto violento
entre polícia e crime organizado, ao mal e excessivo uso de armas por parte da polícia no trato com a população e à
falta de controle do Estado sobre as armas. Se somarmos às cerca de 34.500 mil mortes anuais (2006) por arma de
fogo as 20 mil vítimas de ferimentos causados por elas, e aos danos causados pela prática de tortura e de maus tratos,
não apenas por parte dos delinqüentes, mas também por setores do próprio Estado, visualizaremos o quadro
dramático de extrema violência que caracteriza nosso país.

Até recentemente, os agentes de segurança pública operavam, via de regra, a partir de um treinamento prévio herdado
do regime autoritário, cuja meta era apenas a segurança do Estado e não da sociedade. São agentes que estão
inseridos em estratos sociais impregnados ainda de uma cultura arcaica de valorização da violência, exaltada por anos
de ideologia e prática brutais por parte do regime de exceção. Por duas décadas, foi exacerbada uma cultura de
violência e intolerância moldada por preconceitos de classe, raça, gênero, sexo e postura política, a partir de uma
compreensão tosca do conflito social visto como “caso de polícia”, e da criminalidade entendida como ato criminal
inato, cuja violência devia ser combatida com mais violência. Não é de se admirar que ainda encontre guarida em
muitas de nossas delegacias, batalhões e penitenciárias a legitimação da tortura e da pena de morte de facto,
embasada numa política de extermínio. Os preconceitos contra grupos sociais vulneráveis estenderam a arbitrariedade
oficial exatamente para setores que mais necessitavam da proteção do Estado, como crianças, jovens, mulheres e
pobres. O exercício de práticas ilegais naturalmente levou muitos agentes de segurança a se colocarem à margem da
lei também a outros níveis, aumentando de forma insuportável os níveis de corrupção e de conivência com o crime por
parte de setores do sistema de segurança pública. O advento da democracia não trouxe de início a reforma do sistema
de segurança. Pelo contrário, a entrada de drogas no país, e a proliferação de armas a partir do narcotráfico, em
meados dos anos 80, forneceram o combustível que iria deflagrar um cenário de violência urbana e insegurança cidadã
que sobressai no contexto comparativo internacional.

O governo federal, e as administrações de alguns Estados deram início a um processo de reversão desta herança de
arbítrio e violência. As diretrizes do Ministério da Justiça expressam um esforço para modernizar e democratizar o
aparato de segurança pública do país. Bem compreendeu o governo que a formação profissional do agente de
segurança é peça tão importante nesta estratégia quanto o necessário empenho de reestruturação e integração das
organizações de segurança, através do SUSP.

5
Neste contexto, a proposta da RENAESP responde à necessidade de promover a integração entre o saber científico
dos centros de pesquisa e ensino acadêmicos e o acervo de experiências, muitas delas valiosas, dos órgãos de
segurança pública. A nova política vem modernizar as instituições de segurança pública, através da formação técnico-
científica pautada pela busca da eficácia, das quais são exemplos o geo-referenciamento e a informatização, que
favorecem a cobrança e o controle sobre o policial, combatendo sua inoperância e mesmo cumplicidade com a
criminalidade, e aumentando a informação disponível para que bem desempenhe suas tarefas diárias. Mas pretende-
se que a modernidade chegue introjetada por um novo sistema de valores, e de nova conduta, que reflitam um
compromisso com o respeito à dignidade humana, abertura para o controle democrático sobre a corporação e uma
atitude de tolerância e valorização da diversidade individual. Para tanto, pretende-se substituir a didática do dictat, do
ensino autoritário e elitista, pela pedagogia do diálogo e da consciência crítica sobre o papel da polícia na sociedade,
que se quer compromissada com a construção da cidadania, principalmente entre os grupos sociais secularmente
estigmatizados e marginalizados.

A FLACSO e o Viva Rio participam, com este curso, deste esforço coletivo de aprimoramento da nossa polícia, por
entender que a construção da democracia e de uma cultura de paz passa pela modernização e pela democratização
do sistema de segurança pública. A FLACSO e o Viva Rio se identificam com as metas e princípios estabelecidos pela
Matriz Curricular Nacional da SENASP, identificação que é fruto da experiência por nós acumulada neste campo, e que
nos faz partilhar de princípios básicos como interdisciplinaridade, interligação entre a prática e a teoria, respeito e
valorização da diversidade na busca da unidade de ação, e desenvolvimento de uma consciência analítica e crítica por
parte do agente policial. São princípios que serão fortalecidos e expandidos pelo recente Programa Nacional de
Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI), ao promover a indissolúvel e essencial integração entre investimento
social e modernização da polícia.

7 - OBJETIVOS do CURSO
Conceitos, análises e debates sobre a realidade vivida pelo policial, e a avaliação de boas práticas concretas, buscarão
levar o aluno a se conscientizar da possibilidade, e importância, de:
– aprender a trabalhar em colaboração com as demais corporações policiais, compreendendo a importância da gestão
integrada e da ação unificada da segurança pública;
– compreender a complexidade das causas e, portanto das soluções, para o efetivo combate ao crime e redução da
violência;
– valorizar as medidas preventivas, e o investimento em inteligência policial, para minorar os estragos produzidos pela
ação repressiva, necessária em determinadas circunstâncias;
– incentivar a participação da sociedade no estabelecimento de prioridades para o policiamento local, na colaboração
com a polícia e na fiscalização contra os desvios de conduta dos agentes de segurança pública;
– trabalhar o diálogo entre os diferentes e desiguais, como forma de superar “a cidade partida” entre cidadãos e
excluídos, e de garantir segurança para todos;
– superar os limites impostos à análise e às atitudes por preconceitos de raça, classe, gênero e opção sexual ou
política;
– ultrapassar as demandas puramente salariais e por plano de carreira, embora legítimas e necessárias, incorporando
a missão de servidor público e as obrigações de atuar com honestidade e competência;
– valorizar o respeito à dignidade humana, compreendendo que não existe incompatibilidade entre eficiência no
combate ao crime e a preservação dos direitos dos cidadãos;
– compreender e lidar com generosidade com os grupos sociais vulneráveis, como crianças, jovens, enfermos e
terceira idade;
– adequar-se aos padrões modernos de segurança pública democrática e eficiente.

8 – Cronograma

Inscrições - 01 a 15 de outubro
Provas - 17 de outubro
Resultado - 24 de outubro
Matrículas - 26 a 31 de outubro
Início das Aulas - 03 de novembro

Maiores informações : Marília - Tel: 2555-3769 (parte da tarde, Viva Rio), ou pelo portal www.comunidadesegura.org

Rio de Janeiro, 23 de Setembro de 2009

Antônio Rangel T. Bandeira


(Coordenador do Curso)