Vous êtes sur la page 1sur 41
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA Portal Educação CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS Aluno: EaD

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA Portal Educação

CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS Aluno:
CURSO DE
GESTÃO DE PROJETOS
Aluno:

EaD - Educação a Distância Portal Educação

Documento não controlado - AN03FREV001

1

CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS MÓDULO I A EMPRESA E OS PROJETOS Atenção: O material
CURSO DE GESTÃO DE PROJETOS MÓDULO I A EMPRESA E OS PROJETOS Atenção: O material
CURSO DE
GESTÃO DE PROJETOS
MÓDULO I
A EMPRESA E OS PROJETOS
Atenção: O material deste módulo está disponível apenas como parâmetro de estudos para este
Programa de Educação Continuada. É proibida qualquer forma de comercialização ou distribuição
do mesmo sem a autorização expressa do Portal Educação. Os créditos do conteúdo aqui contido
são dados aos seus respectivos autores descritos nas Referências Bibliográficas.

Documento não controlado - AN03FREV001

SUMÁRIO MÓDULO I 1 INTRODUÇÃO A GESTÃO DE PROJETOS 2 A PROFISSÃO “GESTÃO DE PROJETOS”
SUMÁRIO MÓDULO I 1 INTRODUÇÃO A GESTÃO DE PROJETOS 2 A PROFISSÃO “GESTÃO DE PROJETOS”
SUMÁRIO
MÓDULO I
1 INTRODUÇÃO A GESTÃO DE PROJETOS
2 A PROFISSÃO “GESTÃO DE PROJETOS”
3 OBJETIVOS
4 O DIA A DIA DOS PROJETOS
5 TÉCNICAS DE GERENCIAMENTO
6 PROJETOS DE SUCESSO
7 COMO TRANSFORMAR SIMPLES PROJETOS EM PROJETOS COMPETITIVOS
8 VANTAGEM DE SER COMPETITIVO
9 GERADORES DE PROJETOS
10 BUSCANDO OPORTUNIDADES
11 TRABALHANDO AS NECESSIDADES
12 SELECIONANDO, ANALISANDO, PLANEJANDO E TRANSFORMANDO
IDEIAS EM NOVOS PROJETOS
13 SELEÇÃO DE ALTERNATIVAS PARA O PROJETO
14 O QUE É MÉTODO PARAMÉTRICO E COMO FUNCIONA
15 ESTUDO DE CASO
MÓDULO II
16 INTRODUÇÃO
17 DETALHAMENTO DOS PROCESSOS DE INICIAÇÃO DO PROJETO
18 TERMO DE ABERTURA
19 CONTRATO
20 DECLARAÇÃO DO TRABALHO
21 FATORES AMBIENTAIS DA EMPRESA
22 EXERCICIOS DE FIXAÇÃO

23 ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS

Documento não controlado - AN03FREV001

24 UTILIZANDO O QUE FOI “PLANEJADO INICIALMENTE” DURAÇÃO DO PROJETO CONTROLE E MANUTENÇÃO DO PROJETO

24

UTILIZANDO O QUE FOI “PLANEJADO INICIALMENTE” DURAÇÃO DO PROJETO CONTROLE E MANUTENÇÃO DO PROJETO SÍNTESE, OBJETIVO E ESTRATÉGIA INICIAL DELEGANDO TAREFAS A EQUIPE DE GESTÃO DE PROJETOS OS PAPÉIS EM UM PROJETO TRABALHANDO O PROJETO E A EMPRESA POSSÍVEIS PROBLEMAS DESVENDANDO E SOLUCIONANDO CONFLITOS PROJECT CHARTNER ELABORAÇÃO E FUNÇÃO DO PROJECT CHARTNER OUTROS DOCUMENTOS DO PROJETO EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO ANEXOS

25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 MÓDULO III
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
MÓDULO III
38 INTRODUÇÃO
39 RECONHECENDO TALENTOS PARA FORMAÇÃO DA EQUIPE
40 TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÕES
41 DISTRIBUIÇÃO DE TAREFAS e PROCESSOS GERÊNCIAIS
42 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO
43 INTEGRAÇÃO
44 ESCOPOS DO PROJETO
45 O QUE É E COMO UTILIZAR A EAP
46 PRAZOS DO PROJETO
47 RECURSOS E ORÇAMENTO DO PROJETO
48 QUALIDADE
49 RECURSOS HUMANOS NO PROJETO
50 COMUNICAÇÃO
51 RISCOS
52 AQUISIÇÕES

53 CAMINHO CRÍTICO REDE PERT / CPM

Documento não controlado - AN03FREV001

54 BASELINE / LINHA DE BASE ANEXOS PLANO DE PROJETOS DOCUMENTO DE DECLARAÇÃO DE ESCOPO

54

BASELINE / LINHA DE BASE ANEXOS PLANO DE PROJETOS DOCUMENTO DE DECLARAÇÃO DE ESCOPO PLANO DE GERENCIAMENTO DO ESCOPO PLANO PARA GERENCIA DE TEMPO PGC – PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTO RELATÓRIO DE PERFORMANCE DE PROJETO

55 55.1 55.2 55.3 55.4 55.5 55.6 MÓDULO IV 56 INTRODUÇÃO 57 RESUMO DE PLANEJAMENTO
55
55.1
55.2
55.3
55.4
55.5
55.6
MÓDULO IV
56 INTRODUÇÃO
57 RESUMO DE PLANEJAMENTO
58 FATORES HUMANOS
59 TIPOS DE ESTRUTURA
60 MATRIZES DE RESPONSABILIDADES
61 CÁLCULOS DAS DATAS DO PROJETO
62 HISTOGRAMAS DE RECURSOS
63 NIVELAMENTOS DE RECURSOS
64 EXECUÇÕES DO PROJETO
65 CONTROLES DO PROJETO
66 DIAGRAMAS DA GANTT
67 DIMENSÕES DO PROJETO A SEREM CONTROLADAS
68 DISTRIBUIÇÕES DE RESPONSABILIDADES DE CONTROLE
69 GERENTES DE CONTROLE
70 MECANISMOS DE CONTROLE – BALANCED SCORECARD (BSC)
71 ENCERRAMENTOS DE CONTRATOS
72 RELATÓRIOS DE CONCLUSÃO
73 RELATÓRIO DE DESEMPENHO
74 RELATÓRIO FINAL DO PROJETO
75 RELATÓRIO DE HOMOLOGAÇÃO
76 RELATÓRIO DE STATUS

77 ARQUIVOS DO PROJETO

Documento não controlado - AN03FREV001

78 FECHAMENTOS DO PROJETO CONCLUSÃO: O GERENCIAMENTO DE FINE O SUCESSO DO PROJETO CONCLUSÃO: RAZÕES

78

FECHAMENTOS DO PROJETO CONCLUSÃO: O GERENCIAMENTO DEFINE O SUCESSO DO PROJETO CONCLUSÃO: RAZÕES PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS NÃO RELAXE NA ETAPA FINAL

79 80 81 82 DICAS PARA CAPTAR INÚMERAS INFORMAÇÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS EM RELAÇÃO AO
79
80
81
82 DICAS PARA CAPTAR INÚMERAS INFORMAÇÕES E CONSIDERAÇÕES
FINAIS EM RELAÇÃO AO PROJETO
83 ANEXO: MODELO / EXEMPLO DE PLANEJAMENTO DE PROJETO
84 GLOSSÁRIO DO CURSO
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Documento não controlado - AN03FREV001

MÓDULO I 1 INTRODUÇÃO A GESTÃO DE PROJETOS Todos nós diariamente, nos deparamos com situações
MÓDULO I 1 INTRODUÇÃO A GESTÃO DE PROJETOS Todos nós diariamente, nos deparamos com situações
MÓDULO I
1 INTRODUÇÃO A GESTÃO DE PROJETOS
Todos nós diariamente, nos deparamos com situações e métodos de
trabalho. Alguns desses são partes de um “projeto” seu ou da empresa para qual
você trabalha.
Sabemos o que é um “projeto” e temos certo conhecimento sobre o que se
pode chamar de “gestão”. Mas será que sabemos o que significa “gestão de
projetos”?
São muitos os conceitos que pessoas e autores do mundo todo têm sobre a
gestão, gerência, gerenciamento ou administração de projetos.
Mas em comum acordo, “gestão de projetos” significa a aplicação de
diferentes conhecimentos, técnicas, métodos e habilidades, utilizadas para
elaboração de atividades, tem como meta atingir inúmeros grupos de objetivos,
definidos ou predefinidos, que precisam obedecer a prazos levando em
consideração os custos e a qualidade, mobilizados por meio de recursos humanos,
tecnológicos ou técnicos.
Interpretando esse conceito, podemos concluir que administrar ou gerenciar
projetos não é uma tarefa fácil e também incapaz de ser realizada por uma única
pessoa.
O gestor de projetos, além de conhecer esse conceito, precisa saber colocá-
lo em prática.
Um projeto é um grupo de esforços temporários, criados para alcançar um
objetivo, como por exemplo, um novo produto ou serviço ou então um resultado
positivo e exclusivo.
Por isso, a administração de um projeto precisa ser organizada, eficiente,
delegando e gerenciando tarefas, por meio de uma equipe de profissionais.

Documento não controlado - AN03FREV001

É comum que cada um de nós, sem nem ao menos perceber, tenha um projeto,

É comum que cada um de nós, sem nem ao menos perceber, tenha um

projeto, por exemplo, a construção de uma casa, a formação de uma família, a conquista
projeto, por exemplo, a construção de uma casa, a formação de uma família, a
conquista de um novo emprego, etc.
Pensando e analisando cada um desses exemplos podemos perceber que
nenhum deles, é possível se concretizar sem que tenhamos a ajuda de outra
pessoa.
Para construirmos uma nova casa, precisamos trabalhar para conseguirmos
dinheiro, para então comprarmos os materiais de construção e contratarmos um
pedreiro, um arquiteto, um engenheiro, um decorador, um paisagista, conforme
manda nosso bolso e nosso desejo.
Note que, nesse simples exemplo conseguimos reunir uma série de esforços
e um grupo de pessoas.
Imagine então, os projetos das grandes empresas.
Um gestor precisa estar preparado para gerenciar ou administrar pequenos,
médios e grandes projetos.
Daí da importância de adquirir cada vez mais conhecimento nessa área tão
importante para o desenvolvimento e crescimento da empresa, bem como para seu
próprio crescimento e aperfeiçoamento, tanto pessoal como profissional.
Por meio desse curso, você aprenderá técnicas que farão seus projetos
pessoais ou profissionais, obterem resultados positivos e obterá ainda mais
conhecimento para ser um excelente gestor de projetos.
2 A PROFISSÃO “GESTÃO DE PROJETOS”
Antes de iniciarmos nosso estudo mais aprofundado sobre gestão de
projetos, é importante que conheçamos um pouco mais sobre os profissionais que
atuam nessa área.
A principal certificação ligada aos profissionais de gestão de projetos é dada
pelo PMI – Project Management Institute: em português quer dizer instituto de
gerenciamento de projetos.

Documento não controlado - AN03FREV001

O PMI é uma associação profissional sem fins lucrativos, que se dedica ao avanço da

O PMI é uma associação profissional sem fins lucrativos, que se dedica ao avanço da profissão de gerente de projetos.

É reconhecido mundialmente pelo estabelecimento de normas globais nessa área e como órgão certificador de
É reconhecido mundialmente pelo estabelecimento de normas globais nessa
área e como órgão certificador de profissionais de gerenciamento de projetos o PMP
– Project Management Profissional (Gerente profissional de projetos).
A certificação é liberada após exames de reconhecimento profissional.
Para auxiliar esses profissionais o PMI criou um guia denominado PMBOK,
que reúne grupos de conhecimento sobre administração de projetos.
Muitas das informações contidas nesse curso, foram extraídas desse guia,
por isso, aproveite ao máximo seus estudos, pois com certeza ao finalizá-lo, você
estará apto a administrar brilhantemente seus projetos.
3 OBJETIVOS
Já temos um pequeno conceito sobre a gestão de projetos, e por meio dele,
podemos aos poucos ir aprofundando nossos conhecimentos nessa área tão
importante para o nosso sucesso pessoal e profissional.
Mas qual será o objetivo principal do gestor de projetos?
Para responder a essa pergunta, precisamos conhecer mais alguns
conceitos, veja:
Gerência de projetos: é a combinação entre pessoas, técnicas, métodos e
sistemas necessários para administrar recursos humanos, técnicos ou financeiros,
indispensáveis para atingir o objetivo final ou concluir o projeto com êxito.
Administrar ou gerenciar projetos significa fazer o essencial para concluí-lo,
dentro das normas e objetivos estabelecidos pela empresa, por si mesmo ou pela
situação.
Logo o objetivo principal do gestor é trabalhar para que todas as atividades
sejam exercidas de tal modo que as metas ou objetivos sejam alcançados,
obedecendo aos limites propostos, como prazos, custos e qualidade.

Documento não controlado - AN03FREV001

O gestor é o profissional fundamental par a que os projetos sejam concluídos com êxito,

O gestor é o profissional fundamental para que os projetos sejam concluídos

com êxito, atraindo resultados positivos e consequentemente novos, maiores e mais rentáveis projetos futuros. É
com êxito, atraindo resultados positivos e consequentemente novos, maiores e mais
rentáveis projetos futuros.
É importante afirmarmos, que nenhum projeto obterá resultados positivos e
exclusivos, caso não tenha uma boa administração.
A gestão de projetos é imprescindível para que a empresa obtenha sucesso
em suas metas e objetivos e continue crescendo e se desenvolvendo ao longo do
tempo.
O principal objetivo da “gestão de projetos” é delegar com eficiência
todas as tarefas, reunindo excelentes profissionais, para que todas as metas e
objetivos sejam alcançados, de modo que os resultados esperados sejam
obtidos, respeitando prazos, limites financeiros e a qualidade exigida.
Administrar esse processo não é uma tarefa fácil, o que torna o profissional
em gestão de projetos, bastante disputado e importante no mercado de trabalho.
Porém, todo gestor, precisa estar consciente das exigências e perspectivas
que o cercam, buscando cada vez mais conhecimento, para exercer com
criatividade, profissionalismo, comprometimento e habilidade sua profissão,
aprendendo novas e eficientes técnicas e estratégias de administração.
E qual será a função do objetivo no projeto?
Objetivo é o que chamamos de o caminho em direção ao alcance de um
projeto.
Logo o objetivo no projeto é essencial, pois é por meio dos “objetivos” que
chegaremos à conclusão do projeto e a obtenção dos resultados.
4 O DIA A DIA DOS PROJETOS
Analisando o que estudamos até aqui, podemos concluir que gerenciar
projetos é uma tarefa difícil, que exige comprometimento, responsabilidade, ética,
é uma tarefa difícil, que exige comprometimento, responsabilidade, ética, Documento não controlado - AN03FREV001 10

Documento não controlado - AN03FREV001

um conjunto de habilidades mo dernas e inovadoras, excele ntes estratégias e um seguro e

um conjunto de habilidades modernas e inovadoras, excelentes estratégias e um seguro e eficiente poder de administração. É verdade que ser um gestor de projetos exige muita dedicação e conhecimento, afinal, ter nas mãos a gerência de um novo produto ou serviço, uma grande obra ou negociação, é como ter a própria empresa, com seus lucros e prejuízos. Qualquer erro pode ser fatal.

São os projetos que tornam a empresa “grande” ou “pequena”, de “sucesso” ou “fracassada”. Para
São os projetos que tornam a empresa “grande” ou “pequena”, de “sucesso”
ou “fracassada”.
Para que um projeto venha a dar certo, é necessário antes de qualquer coisa
que ele seja criado e planejado, após isso, toda empresa passa por adaptações para
que todos os objetivos sejam alcançados.
A seguir, estudaremos um passo a passo para que o projeto continue sendo
o centro das atenções da equipe de trabalho, sem fugir das obrigações diárias,
essenciais para o funcionamento da empresa.
É importante sabermos que projetos são diferentes de atividades, objetivos
ou metas.
Precisamos de um grupo de atividades, objetivos e metas para concluirmos
um projeto, mas projeto é um caminho ou sistema, utilizado no desenvolvimento de
novos produtos ou serviços e que têm inicio, meio e principalmente fim.
Para se obter êxito em um projeto é necessário que algumas fases sejam
obedecidas, tais como:
Concepção: nessa fase o roteiro do projeto é criado, ou seja, o que é e
qual o objetivo principal e alguns meios para alcançá-los.
Iniciação:
momento
em
que
o
projeto
é
aberto,
apresentado
e
fundamentado.
Planejamento: nessa fase o roteiro começa a ser obedecido, são
estudadas e colocadas em prática algumas técnicas ou passos para que cada
estudadas e colocadas em prática algumas técnicas ou passos para que cada Documento não controlado -

Documento não controlado - AN03FREV001

11

objetivo seja alcançado, respeitando os limites de prazo, custo e qualidade da empresa. Execução do

objetivo seja alcançado, respeitando os limites de prazo, custo e qualidade da empresa.

Execução do plano: aqui a equipe de trabalho é selecionada, as tarefas delegadas e o
Execução do plano: aqui a equipe de trabalho é selecionada, as
tarefas delegadas e o plano entram em ação.
Monitoramento dos resultados: nessa fase a responsabilidade
principal é do gestor de projetos, que precisa constantemente estar gerenciando as
tarefas, os indicadores e a equipe, para que os resultados positivos sejam obtidos.
Encerramento: é a fase final do projeto, onde todas as metas devem
ter sido alcançadas e os resultados obtidos com êxito e satisfação.
O dia a dia de um projeto precisa de muita cautela e dedicação. Estudo e
análise constante da equipe, das atividades, dos indicadores, dos resultados.
A elaboração de um cronograma para cada projeto é fundamental para que
todos os envolvidos consigam verificar com precisão e rapidez em que parte o
projeto se encontra.
Planejar e respeitar as datas para conclusão de cada tarefa ou alcance de
cada objetivo ou meta, são essenciais para que o gestor consiga acompanhar a
evolução do projeto e caso necessário possa efetuar mudanças no cronograma ou
estratégia.
Use a figura abaixo para compreender melhor o ciclo de vida dos projetos:
Monitoramento
Concepção
Planejamento
dos resultados
Início
Execução
(ideia)
FEEDBACK
Conclusão
Conclusão

Documento não controlado - AN03FREV001

5 TÉCNICAS DE GERENCIAMENTO Apresentaremos agora, algumas técnicas utilizadas no gerenciamento, essenciais para que o
5 TÉCNICAS DE GERENCIAMENTO Apresentaremos agora, algumas técnicas utilizadas no gerenciamento, essenciais para que o
5 TÉCNICAS DE GERENCIAMENTO
Apresentaremos agora, algumas técnicas utilizadas no gerenciamento,
essenciais para que o projeto seja concluído e obtenha resultados exclusivos e
positivos:
Análise de SWOT: SWOT é uma sigla originaria do inglês que significa
Strenghts (pontos fortes), Weaknesses (Pontos fracos), Opportunities
(oportunidades), Threats (ameaças).
Logo a análise de SWOT é a verificação e entendimento dos cenários
internos e externos da empresa:
Cenário interno: os dirigentes da empresa podem controlar esse cenário,
nele são analisadas as forças e fraquezas para conquista dos objetivos.
Forças: Força na marca dos produtos, conceito da empresa,
localização, participação de mercado, boa rede de distribuição, etc.
Fraquezas: Pouca força de marca, baixo conceito no mercado, custo
elevado, má localização, pouca participação de mercado, rede de distribuição ruim,
etc.
Cenário externo: não pode ser controlado pelos dirigentes da empresa, nele
são analisadas as oportunidades e ameaças:
Oportunidades: crescimento no número de clientes, excelentes linhas
de crédito disponíveis, poder de compra satisfatório, etc.
Ameaças: diminuição no número de clientes, produtos substitutivos no
mercado, não disponibilização de linhas de crédito, etc.
A análise desses cenários é essencial para a iniciação e planejamento dos
projetos, pois possibilita ao gestor e aos envolvidos uma visão clara de como a
empresa e os produtos estão sendo vistos pelos clientes e pelo mercado.

Documento não controlado - AN03FREV001

Análise de Stakeholders : é a verificação e o entendimento em relação aos interessados pelo

Análise de Stakeholders: é a verificação e o entendimento em relação aos interessados pelo projeto. Podem ser organizações ou pessoas que têm interesses positivos ou não em relação ao projeto por meio da sua execução ou conclusão. São eles:

• Patrocinadores: envolvidos financeiramente tais como, acionistas, investidores, parceiros, financiadores, diretores,
• Patrocinadores: envolvidos financeiramente tais como, acionistas,
investidores, parceiros, financiadores, diretores, dirigentes, etc.
Internos: envolvidos no projeto tais como, gerente e equipe de projeto,
funcionários, terceirizados, etc.
• Externos: responsáveis pela fiscalização tais como, sindicatos,
ambientalistas, comunidade, sociedade, órgãos governamentais, etc.
• Mercado: ligados ao produto ou serviço tais como, clientes,
concorrentes, consumidores, distribuidores, fornecedores, etc.
Essa análise visa transmitir ao gestor informações importantes sobre os
envolvidos com o projeto, como por exemplo, quem são eles, qual a importância de
cada envolvido, a responsabilidade de cada um, como comunicar-se e de que forma
trabalhar com eles.
Tendo essas informações será mais fácil ao gestor elaborar a apresentação
do projeto, o que possibilitará desde o início o sucesso e aceitação do mesmo pelos
interessados.
Árvore da decisão: É um conjunto de probabilidades que reúnem
informações especificas sobre riscos, custos e benefícios de um projeto. Nela são
mencionados os passos desejados, seus respectivos riscos, quanto será gasto para
aplicação e os benefícios recebidos por meio deles.
Depois de elaborada essa “árvore” o gestor terá uma imagem de qual a
decisão correta a ser tomada ou qual o melhor caminho a seguir, aquele que mais
trará resultados positivos e que deverá ser discutido com a equipe e dirigentes do
projeto.
Balanced Scorecard: Indicadores balanceados de desempenho. Esta
técnica tem como objetivo verificar o equilíbrio entre metas de curto e longo prazo
bem como os investimentos financeiros e não financeiros envolvidos no projeto.

Documento não controlado - AN03FREV001

O gestor precisa conseguir um relatório de indicadores de desempenho da gerência do negócio, gerência

O gestor precisa conseguir um relatório de indicadores de desempenho da

gerência do negócio, gerência de serviços e gestão de qualidade, que demonstrem se a estratégia
gerência do negócio, gerência de serviços e gestão de qualidade, que demonstrem
se a estratégia aplicada está refletindo de modo positivo no setor financeiro e na
satisfação dos clientes.
É necessário também que sejam verificados se o sistema tecnológico e
organizacional utilizados pela empresa está cooperando para o desenvolvimento
positivo do projeto.
Para conseguir um “balanced Scorecard” de sucesso é fundamental que:
1. A estratégia da organização seja formulada.
2. Visão, missão e valores estratégicos sejam obedecidos.
3. A satisfação do cliente seja levada em consideração.
4. Transformar estratégias em objetivos.
5. Definir as ações iniciais para conquista desses objetivos.
Benchmarking: processo de verificação e comparação dos sistemas
utilizados pela empresa na negociação ou projeto com outras organizações ligadas
ao mesmo assunto no mundo.
Existem diferentes tipos de benchmarking sendo eles:
Interno: buscamos as melhores técnicas e estratégias dentro da própria
empresa.
Funcional:
buscamos
melhores
técnicas
e
estratégias
de
determinada
função ou atividade, dentro ou fora da empresa.
Competitivo: buscamos estratégias ou técnicas no nosso concorrente.
Genérico: buscamos estratégias ou técnicas em todas as empresas do
mesmo ramo, área ou interesse.
Essa técnica permite que encontremos novas e diferenciadas estratégias
para finalizar nossos projetos, possibilitando uma visão mais ampla e criativa sobre o
que vamos criar aplicar ou implantar.
Brainstorming: é uma técnica dinâmica utilizada para explorar a criatividade
da equipe.

Documento não controlado - AN03FREV001

Apesar de muito popular e simples de ser aplicada o brainstorming é uma técnica que

Apesar de muito popular e simples de ser aplicada o brainstorming é uma técnica que estimula a equipe de projetos a contribuir para criação de novas e eficientes estratégias em busca da conquista de objetivos. Geralmente aplicada da seguinte forma: um facilitador reúne os integrantes da equipe de projetos ou outros envolvidos que achar necessário, e estimula a contribuição com ideias ou sugestões que mais tarde serão encaminhadas para análise e direcionadas a resolução de problemas ou a criação de novos produtos ou serviços. Essa técnica pode ser aplicada para:

Desenvolvimento de novos produtos e serviços. Elaboração de campanhas publicitárias. Busca de soluções para
Desenvolvimento de novos produtos e serviços.
Elaboração de campanhas publicitárias.
Busca de soluções para problemas.
Identificação de caminhos para gestão de projetos.
Formação de novas equipes.
Para que essa técnica funcione, é necessário obedecer alguns princípios e
regras tais como:
Não julgar as ideias de imediato, possibilitando o julgamento somente
após análise das mesmas, das dicas, das sugestões ou opiniões.
Aceitar todas as ideias não desconsiderando nenhuma até que as
pessoas fiquem esgotadas de criatividade, ou seja, que não tenham mais ideias para
o momento.
Evitar critica em relação às ideias e sugestões obtidas, o grupo está ali
para colaborar, não para ser julgado.
Aceitar toda criatividade liberada pelo grupo.
Quanto mais ideias, mais chances de se chegar à solução.
Encorajar a reestruturação de ideias, ou seja, novas ideias sobre as já
liberadas.
Compor o grupo com o líder, os membros e uma secretária.

Documento não controlado - AN03FREV001

O brainstorming pode ser aplicado também indi vidualmente por meio da conversa com cada integrante

O brainstorming pode ser aplicado também individualmente por meio da conversa com cada integrante ou por meio de uma urna onde deverão ser depositadas as ideias e sugestões.

Lei de Murphy: também denominada lei das probabilidades, auxilia o gestor na investigação de estratégias
Lei de Murphy: também denominada lei das probabilidades, auxilia o gestor
na investigação de estratégias errôneas e que possam levar o projeto a resultados
negativos.
Caracteriza a análise das estratégias para verificação de:
a. Quais os problemas podem ser gerados na aplicação de determinada
estratégia?
b. Qual a interpretação do alvo, cliente, administrador, acionista, etc?
c. Identificação de possíveis incompetentes na equipe.
d. A importância de a equipe reconhecer seus erros.
e. Evitar que os erros cheguem ao gestor somente após o término e
aplicação do projeto.
f. Nada que for confidencial deverá ser de conhecimento de toda a
equipe.
g. Erros comuns que não são vistos no início do processo, mas que
podem ser verificados antes da conclusão.
Modelo de Kerzner: avalia a maturidade organizacional utilizando uma
linguagem comum onde a empresa compreende a necessidade da comunicação
clara e objetiva bem como um nível único de conhecimento em relação ao projeto e
as estratégias. Todos buscam a concretização dos objetivos com sucesso utilizando
uma única metodologia buscando a melhoria contínua.
OPM3: O gestor de projetos opta pela aplicação de conhecimentos,
habilidades, ferramentas, técnicas e métodos sistemáticos para o gerenciamento de
projetos.
Há uma relação entre melhores práticas, capacitações, evidências e
indicadores.

Documento não controlado - AN03FREV001

Após a análise das práticas aplicadas, os resultados obtidos até então e os indicadores de

Após a análise das práticas aplicadas, os resultados obtidos até então e os indicadores de desenvolvimento; o gestor poderá optar pela implantação de melhorias, que serão testadas e avaliadas.

Delphi: parecida com o brainstorming a técnica Delphi difere somente porque os participantes não se
Delphi: parecida com o brainstorming a técnica Delphi difere somente
porque os participantes não se conhecem, mas são especialistas e conhecedores do
assunto que cooperam com ideias, sugestões ou opiniões possibilitando a solução
dos problemas e a criação de novas estratégias, produtos ou serviços.
Entrevista: técnicas utilizadas para verificar se projetos similares já foram
realizados na empresa. Por meio de uma série de perguntas direcionadas aos
participantes de outros setores geralmente líderes ou gerentes, a entrevista
possibilita identificar estratégias ou até mesmo projetos já utilizados pela empresa
que possam auxiliar no desenvolvimento e planejamento do atual.
Técnica grupal nominal: exige que os participantes estejam todos na
mesma sala, recebem um papel e lápis, onde irão anotar todas as ideias, propostas
ou soluções para um ou mais problemas em discussão. Cada papel poderá conter
apenas uma proposta que será apresentada aos demais em um quadro especifico
ou grudados na parede.
Identificação da causa raiz: é a análise das causas e não dos problemas.
Tem como objetivo fazer um levantamento das consequências causadas pelo
problema em questão e o que pode ser prejudicial ao andamento e planejamento do
projeto.
Análise de premissas: premissa é uma fórmula hipoteticamente verdadeira.
Isso quer dizer que a análise de premissas tende a verificar de modo claro,
completo, consistente e preciso, todos os documentos gerados no decorrer do
projeto. Apresentando essas premissas ao gestor, ele poderá analisar as fórmulas e
estratégias falseadas ou errôneas no decorrer do planejamento do projeto.

Documento não controlado - AN03FREV001

Diagramação: existem três tipos sendo: • Diagrama de causa e efeito (Ishikawa): mostram os efeitos

Diagramação: existem três tipos sendo:

• Diagrama de causa e efeito (Ishikawa): mostram os efeitos dos problemas e as suas
• Diagrama
de
causa
e
efeito
(Ishikawa):
mostram
os
efeitos
dos
problemas e as suas causas. Por exemplo, mau atendimento = falta de treinamento.
• Fluxograma de processos: mostram ao planejamento a sequenciados
processos, ações ou rotinas do projeto.
• Diagrama de influência: mostram a relação entre as variáveis e os
resultados utilizados no desenvolvimento do projeto como prazos, taxas, condições
meteorológicas, etc.
6 PROJETOS DE SUCESSO
Um projeto de sucesso é o que a maioria dos gestores procura.
Mas o que caracteriza um sucesso, se tratando de projetos?
Quando o custo, o cronograma e a qualidade estimados são obedecidos e
cumpridos. Note:
Prazo: quando o produto ou serviço é entregue conforme o cronograma. O
não cumprimento dos prazos pode fazer com que um projeto inteiro seja um
fracasso.
Orçamento: quando o projeto cumpre com a estimativa de gastos
preestabelecidos. Caso os investimentos com o projeto forem maiores do que o que
foi estimado, a empresa pode ter prejuízos significativos, pois os gastos com o
processo podem tornar-se maiores do que os lucros arrecadados com a implantação
dele.

Qualidade: é o resultado do projeto. Geralmente os produtos (ou serviços) precisam ter uma excelente qualidade, para que o projeto obtenha êxito total. Podemos avaliar esses resultados de duas formas:

Documento não controlado - AN03FREV001

Funcionalidade: O que o produto ou serviço deve fazer? Quantas pessoas empregarão? E Qual a

Funcionalidade: O que o produto ou serviço deve fazer? Quantas pessoas empregarão? E Qual a rapidez de retorno? Desempenho: O processo desenvolvido funciona?

É importante que tanto a funcionalidade como o desenvolvimento sejam levados em consideração na inicialização
É importante que tanto a funcionalidade como o desenvolvimento sejam
levados em consideração na inicialização do projeto. É por meio dessas
modalidades que as exigências do projeto serão especificadas.
Perceba que custo, cronograma e qualidade, são partes essenciais em um
projeto, onde precisamos dedicar toda nossa atenção e conhecimento.
Alterando uma dessas situações, todas serão modificadas, pois uma
depende da outra para que o projeto seja um sucesso.
Quanto mais tempo disponibilizarmos para o projeto, mais dinheiro nós
gastaremos o que consequentemente limitará os gastos com a qualidade do
produto ou serviço.
Por isso é importante que nos dediquemos em analisar e aperfeiçoar cada
um desses fatores.
Porém, existe outro fator relevante no sucesso do projeto, a satisfação e
necessidade dos clientes.
São os nossos clientes que irão definir os custos, o cronograma e a
qualidade de nossos produtos ou serviços.
Com base nas suas expectativas, desejos e necessidades é que lançaremos
um novo projeto, visando satisfazer os clientes para que consequentemente nossas
vendas e lucros aumentem.
Sem clientes, não há novos projetos e sem novos projetos não há
empresa.
há novos projetos e sem novos projetos não há empresa. Uma corrente óbvia, mas essencial par
há novos projetos e sem novos projetos não há empresa. Uma corrente óbvia, mas essencial par
há novos projetos e sem novos projetos não há empresa. Uma corrente óbvia, mas essencial par

Uma corrente óbvia, mas essencial para que os gestores administrem projetos de sucesso.

Documento não controlado - AN03FREV001

7 COMO TRANSFORMAR SIMPLES PROJETOS EM PROJETOS COMPETITIVOS Já vimos que um projeto tem prazo
7 COMO TRANSFORMAR SIMPLES PROJETOS EM PROJETOS COMPETITIVOS Já vimos que um projeto tem prazo
7 COMO TRANSFORMAR SIMPLES PROJETOS EM PROJETOS COMPETITIVOS
Já vimos que um projeto tem prazo de validade, ele precisa ser concebido,
iniciado, planejado, executado, monitorado e concluído.
Aprendemos algumas técnicas para tornar mais fácil o gerenciamento e
também o planejamento e a ação.
Mas será que já sabemos o que é necessário para que os projetos tornem-
se competitivos?
Já sabemos que para que um projeto obtenha sucesso é necessário que
seja planejado e executado por pessoas competentes, que trabalhem com seriedade
e comprometimento, cumprindo todos os prazos e obedecendo aos limites da

empresa. Porém projeto de sucesso não significa projeto competitivo. Para ser competitivo o projeto necessita que o planejamento seja estratégico, elaborado para dar certo, sem necessitar de mudanças ao longo do percurso. Um planejamento estratégico bem elaborado depende muito das pesquisas antecedentes e das análises realizadas anteriormente. Como já estudamos, existem dois tipos de cenários para serem analisados no inicio do processo, o cenário interno e o externo. Na análise interna conseguimos verificar com precisão as forças e fraquezas da empresa, compreendendo seus limites e percebendo os problemas que devem ser solucionados antes do lançamento do projeto. Já na análise externa, conseguimos perceber quais são as oportunidades que devem ser aproveitadas naquele momento e quais as ameaças sofridas ou que possamos sofrer no decorrer do processo. Conseguimos também ter uma visão mais clara e precisa das tendências atuais e consequentemente, identificamos as incertezas do negócio. Essas análises podem ser feitas utilizando algumas das técnicas já estudadas ou por meio de entrevista e pesquisas de mercado.

Documento não controlado - AN03FREV001

21

Mesmo que as respostas obtidas não venham a ser aquelas que gostaríamos de ouvir, para

Mesmo que as respostas obtidas não venham a ser aquelas que gostaríamos de ouvir, para que o novo projeto tenha excelentes resultados é necessário que aceitemos a real situação da empresa. Somente após aceitarmos os erros, problemas e complicações, é que estaremos aptos a obter soluções e criar projetos competitivos no mercado. Para elaboração de um projeto eficiente e competitivo, devemos respeitar algumas normas, também utilizadas na elaboração do planejamento estratégico, tais como:

Busca e análise dos objetivos da empresa. Busca análise e melhoria dos projetos implantados pela
Busca e análise dos objetivos da empresa.
Busca análise e melhoria dos projetos implantados pela concorrência.
Elaboração de um passo a passo, de como fazer para que esses
objetivos sejam alcançados de modo prático, rápido e eficaz, respeitando as
análises de cenário interno e externo, planejamento estratégico.
Verificar passos a serem seguidos em curto prazo, mas que dispõe de
atenção no decorrer do processo, planejamento tático.
Fazer uma análise detalhada e antecipada para verificar se o projeto
poderá ou não dar certo, projeto de viabilidade.
Efetuar a implantação do projeto obedecendo ao planejamento
estratégico e tático elaborados anteriormente.
Manter observação diária na execução do projeto, para percepção de
pequenas ou grandes falhas na implantação.
Fazer uma verificação de custos, receita e resultados, para medir a
eficiência do projeto.
Acreditar e usufruir de técnicas criativas e inovadoras.
Todo o projeto planejado e acompanhado diariamente tende a ser um
projeto competitivo.
Quando efetuamos uma análise completa dos cenários,
automaticamente ficamos preparados para adentrar o mercado e lançar nosso
projeto.
ficamos preparados para adentrar o mercado e lançar nosso projeto. Documento não controlado - AN03FREV001 22

Documento não controlado - AN03FREV001

Com o acompanhamento rotineiro, as pequenas ou grandes falhas são perceptíveis logo nas primeiras amostras

Com o acompanhamento rotineiro, as pequenas ou grandes falhas são perceptíveis logo nas primeiras amostras de resultado e em muitos casos, existe a possibilidade de reverter à situação, efetuando mudanças e coletando novas ideias com o auxilio de todo pessoal envolvido no projeto.

8 VANTAGEM DE SER COMPETITIVO Apresentar um projeto competitivo vai além de ampliar a carteira
8 VANTAGEM DE SER COMPETITIVO
Apresentar um projeto competitivo vai além de ampliar a carteira de clientes
e aumentar os lucros.
Por meio do planejamento do projeto, é possivel tornar-se uma empresa
qualificada, preferida pelo mercado.
Quando somos competitivos é natural que:
Tenhamos um melhor controle do tempo e dos envolvidos.
Aumentemos nossas possibilidade de desenvolvimento.
Estejamos mais preparados para enfrentar as mudanças de mercado.
Sejamos melhores comunicadores, reduzindo os conflitos profissionais
e de relacionamento.
Estejamos aptos a controlar, avaliar e corrigir novos e futuros projetos.
Aumentemos nossas habilidades para servir o cliente ou público alvo.
Tenhamos uma visão mais ampla e verdadeira em relação a nossa
empresa.
Todo projeto pode ser competitivo, desde que seja planejado e executado, respeitando aos limites da
Todo
projeto
pode
ser
competitivo,
desde
que
seja
planejado
e
executado, respeitando aos limites da empresa e também da equipe de
projetos.

Saibamos com mais facilidade definir responsabilidades. Tenhamos maior envolvimento com equipes de diferentes departamentos, evitando assim o chamado “improviso”. Saibamos detectar ameaças e oportunidade com mais facilidade. Saibamos promover a gestão por objetivos.

oportunidade com mais facilidade. Saibamos promover a gestão por objetivos. Documento não controlado - AN03FREV001 23

Documento não controlado - AN03FREV001

Saibamos detectar pontos fortes e pontos fracos da empresa, a tempo de solucionar os problemas
Saibamos detectar pontos fortes e pontos fracos da empresa, a tempo de solucionar os problemas

Saibamos detectar pontos fortes e pontos fracos da empresa, a tempo de solucionar os problemas e continuar sendo competitivos. Tenhamos um maior número de indicadores no decorrer do processo, capazes de fortalecer ainda mais o projeto. Tenhamos diferentes diretrizes, sendo capazes de optar por caminhos alternativos, mas que também trarão resultados positivos.

É essencial sermos competitivos, para que possamos sempre estar à frente de nossos concorrentes e
É essencial sermos competitivos, para que possamos sempre estar à
frente de nossos concorrentes e lançar com criatividade e tempo nossos
projetos, sendo sempre os primeiros a inovar e controlar o mercado.
Por meio dessas características, a empresa competitiva atrai para si alguns
aspectos fundamentais, como:
Qualidade: transmite ao mercado, uma imagem positiva da empresa,
refletindo a capacidade de acertar sempre, evitando perdas e trabalhos duplicados.
Velocidade: permite que a empresa, no decorrer do processo, produza
produtos ou serviços com mais agilidade.
Confiabilidade: transmite a capacidade da empresa em ser pontual e
obedecer aos prazos.
Flexibilidade: a habilidade da empresa em modificar seus produtos ou
serviços, em espécie ou quantidade, de forma rápida e eficiente.
Custo: demonstra como a empresa é capaz de diminuir os custos e tornar
os preços mais competitivos.
Produtos: capacidade de melhorar os produtos existentes e desenvolver
novos produtos, obedecendo às necessidades dos clientes.
e desenvolver novos produtos, obedecendo às necessidades dos clientes. Documento não controlado - AN03FREV001 24

Documento não controlado - AN03FREV001

Organizacional: condições positivas da empresa de efetuar mudanças em toda a organização de modo que

Organizacional: condições positivas da empresa de efetuar mudanças em toda a organização de modo que os clientes sejam bem atendidos. Como você pode verificar:

“Um projeto competitivo, pode destacar a empresa no mercado e torná- la única e especial
“Um projeto competitivo, pode destacar a empresa no mercado e torná-
la única e especial aos olhos de seus clientes”.
Ser uma empresa colecionadora de vantagens garante o sucesso da
organização e seu destaque frente à concorrência. Mas algumas necessidades são
relevantes para essa conquista:
Estrutural: nesse âmbito, a empresa interfere muito pouco em busca
da competitividade, porque são fatores que não podem ser controlados pela
empresa, como: estabilidade monetária, infraestrutura política, política de juros do
governo, leis, impostos e outros.
Setorial: nesse âmbito a competitividade pode aumentar de acordo
com as oportunidades e parcerias.
Interno: nesse âmbito podem ser obtidos maiores resultados
competitivos, por meio do aumento da produtividade. Profissionais habilidosos na
área podem conseguir maneiras de tornar a execução das atividades mais
eficientes.
9 GERADORES DE PROJETOS
Muitas das situações e necessidades do dia a dia podem tornar-se
potenciais geradores de projetos.
As mudanças repentinas que ocorrem no mundo dão ênfase para que novos
projetos sejam criados.
que ocorrem no mundo dão ênfase para que novos projetos sejam criados. Documento não controlado -

Documento não controlado - AN03FREV001

Estar em um mercado que exige da em presa sempre mais, proporciona que novos projetos

Estar em um mercado que exige da empresa sempre mais, proporciona que novos projetos sejam gerados, baseados nas vantagens da competitividade. Encontrar-se entre as melhores empresas do ramo ou simplesmente ser a melhor ou mais frequentada loja da cidade, gera novos e melhores projetos rotineiramente. Porém, é necessário que saibamos diferenciar um projeto de uma operação, pois nem tudo que nos cerca pode ser um gerador de projetos.

Recapitulando o que já foi visto, projetos são únicos, precisam obedecer a um prazo, tem
Recapitulando o que já foi visto, projetos são únicos, precisam obedecer a
um prazo, tem data para iniciar, desenvolver-se e ser concluído. Um projeto trabalha
à base de objetivos definidos e concretos. Podem ser elaborados para
sistematização ou lançamento de produtos, gerenciarem serviços de consultoria ou
construções ou então para captação de financiamento ou prospecção de negócio.
O projeto tem por finalidade organizar e gerenciar ideias, planejar de que
forma as atividades devem ser exercidas, por quem e como.
Já a operação são atividades efetuadas para obtenção de resultados.
A operação faz parte do projeto, mas não é um projeto.
Compreendo isso, podemos dizer que todas as atividades exercidas na
empresa, que demandem tempo, custo, recursos e planejamento, são geradores de
projeto.
Tudo que pode ser melhorado, incrementado, renovado, pode ser um
gerador de projeto.
A
empresa
sente
quando
precisa
de
um
novo projeto e
automaticamente encontra potenciais geradores que vem a desencadear
projetos formidáveis, competitivos e de sucesso.
Produto: o mercado exige constantemente a melhoria dos produtos
existentes e a criação de novos produtos, de modo que não haja atrasos e não
prejudiquem a imagem da empresa.
Mudanças Organizacionais: reestruturações, melhorias internas,
incorporações, fusões ou outras mudanças na empresa, devem ser vistos e
incorporações, fusões ou outras mudanças na empresa, devem ser vistos e Documento não controlado - AN03FREV001

Documento não controlado - AN03FREV001

planejados como projetos, para que os resultados obtidos possam ser constantemente analisados. Gestão estratégica de

planejados

como

projetos,

para

que

os

resultados

obtidos

possam

ser

constantemente analisados. Gestão estratégica de outros setores da empresa: avaliar e enxergar a empresa ou
constantemente analisados.
Gestão estratégica de outros setores da empresa: avaliar e enxergar a
empresa ou parte dela, como um projeto, pode torná-la ainda maior e mais eficiente.
Produtos únicos: muitas empresas trabalham com produtos ou serviços
caracterizados únicos, que exigem um controle absoluto de prazos, recursos,
qualidade, flexibilidade e inovação. Por exemplo, transporte.
Marketing: campanhas publicitárias e outras ferramentas de marketing,
também podem ser vistas, planejadas e controladas como projetos.
Acredite! Muitas das atividades exercidas pela sua empresa, podem se
tornar grandes projetos e transformar sua organização.
Prazos e recursos: podem ser transformadas em projetos as limitações de
prazos e recursos humanos ou financeiros, na tentativa de planejar e controlar os
resultados.
Como estudamos no tópico anterior, a competitividade exige muito dos
projetos, é onde podemos encontrar possíveis geradores, tais como:
Qualidade: cada vez mais competitivo, o mercado exige que a empresa
melhore e inove seus projetos, evitando perdas e tarefas duplicadas.
Velocidade: são melhorias que devem ser implantadas na empresa para
satisfazer determinada demanda.
Flexibilidade: ações que permitem modificar algumas metas e objetivos da
empresa, adequando-se as exigências e novidades do mercado.

Confiabilidade: visa atender com qualidade, pontualidade, agilidade e compromisso os envolvidos do processo, na maioria das vezes o cliente.

Documento não controlado - AN03FREV001

10 BUSCANDO OPORTUNIDADES Como podemos perceber diariamente na empresa onde trabalhamos, nas notícias dos telejornais,
10 BUSCANDO OPORTUNIDADES Como podemos perceber diariamente na empresa onde trabalhamos, nas notícias dos telejornais,
10 BUSCANDO OPORTUNIDADES
Como podemos perceber diariamente na empresa onde trabalhamos, nas
notícias dos telejornais, impressos e revistas, o mundo está passando por profundas
transformações sociais, econômicas e culturais.
Um processo acelerado, que modifica a todo instante o meio em que
vivemos.
Ouvimos falar em globalização, mudanças geopolíticas, avanços científicos
e tecnológicos e muitas vezes não nos damos conta de que tudo isso acaba
diretamente e indiretamente influenciando nossa vida profissional, nossos projetos,
nossa empresa.
A concorrência começa a ficar cada vez maior, principalmente para
empresas ligadas a tecnologia e a ciência e consequentemente, todo o resto precisa
ser modificado.
Novas tendências, novas cores, formatos, novas fórmulas, e assim, com
uma infinidade de “coisas novas” todos os ambientes acabam sendo modificados,
adequados aos tempos atuais.
Basta olhar para fora da janela agora, pensar um pouco, analisar a ideia e
pronto, uma nova oportunidade está sendo criada.
Buscar oportunidades não é o segredo nos dias de hoje.
O principal fator é a competitividade, a agilidade e habilidade exigida por

toda essa correria. Saber se adaptar a esses novos tempos e implantar estratégias certas no momento certo. Ser capaz de oferecer produtos e serviços compatíveis com essas mudanças, com as novidades, com a criatividade desse mundo globalizado. Saber usar os recursos financeiros, o tempo e o conhecimento qualitativo da empresa, para criar produtos que os clientes procuram. Inovar, fazer a diferença, é o segredo na procura das oportunidades. Mas existem algumas dicas práticas que podem ser utilizadas na busca de oportunidades para novos projetos, veja:

Documento não controlado - AN03FREV001

Análise constante do mercado, as tendências, mudanças e aprimoramentos. Análise rotineira da concorrência, novos
Análise constante do mercado, as tendências, mudanças e aprimoramentos. Análise rotineira da concorrência, novos

Análise

constante

do

mercado,

as

tendências,

mudanças

e

aprimoramentos. Análise rotineira da concorrência, novos lançamentos, promoções, estrutura, etc. Acompanhamento da
aprimoramentos.
Análise rotineira da concorrência, novos lançamentos, promoções,
estrutura, etc.
Acompanhamento da tecnologia.
Avaliação constante da empresa, verificando seu posicionamento no
mercado e buscando soluções para aprimoramento.
A busca de oportunidades deve ser efetuada a todo instante, em uma
simples reportagem no jornal da sua cidade, por exemplo, uma nova e inovadora
ideia pode surgir e por meio do detalhamento e análise dessa ideia, um projeto
competitivo e de sucesso.
11 TRABALHANDO AS NECESSIDADES
Após a concepção, ou seja, a ideia se transformando em um projeto, nós
precisamos fazer algumas análises importantes, necessárias para o bom
desempenho do projeto.
Note que as necessidades, que iremos estudar a partir de agora, serão
futuramente “o projeto”.
Essas análises que denominaremos “necessidades” devem ser feitas em
duas situações:
a) A empresa e sua equipe.
b) Os clientes e o mercado.

Geralmente a resposta dessas análises são as necessidades que a empresa têm de se recolocar no mercado, aumentar sua carteira de cliente, construir um novo prédio ou inúmeras outras que podem ser observadas no decorrer dessa verificação. Ou então, o que o cliente e o mercado precisam e esperam da sua empresa.

Documento não controlado - AN03FREV001

É comum que as pessoas e as empresas evidenciem as soluções antes mesmo das necessidades.

É comum que as pessoas e as empresas evidenciem as soluções antes mesmo das necessidades. Por isso, a importância de obter uma visão completa do que a empresa ou os clientes precisam. Quais são os seus desejos, vontades e consequentemente suas necessidades? Apresentar o que realmente precisam, não é tarefa fácil, nem mesmo para um cliente. Todos nós sabemos o que precisamos e imaginamos ser uma necessidade, mas nem sempre o que precisamos é o que necessitamos. Por exemplo, João acordou com uma dor de cabeça imensa. Na tentativa de aliviar a dor, se dirigiu até a farmácia e comprou um remédio. A dor passou por instantes, mas voltou a incomodar no final do dia, quando João procurou um médico e descobriu que necessitava fazer um tratamento. Note que João precisava se livrar da dor de cabeça, mas para isso tinha uma necessidade, algo que precisaria ser feito para definitivamente acabar com o problema, que no nosso exemplo seria o tratamento. Com os clientes e a nossa empresa, funciona exatamente assim. Sabemos o que precisamos e muitas vezes temos a solução parcial (no exemplo “o remédio”), mas não sabemos como chegar à solução total, ai encontra-se a necessidade. Para termos certeza de que estamos fazendo a coisa certa em nosso projeto, devemos nos certificar se a real necessidade do cliente foi compreendida e gerar inúmeros caminhos para se chegar à solução, evitando palpites ou atalhos que atrapalhem na identificação dessas necessidades. Devemos apresentar ao cliente uma solução perfeita, que lhe traga satisfação, sem que desperte no mercado, na concorrência ou na empresa, meios de contestação ou novas soluções parciais. Para facilitar esse processo, analise os seguintes fatores:

a) Mercado: o mercado irá absorver com facilidade e carisma esse novo projeto? b) Concorrência:
a) Mercado: o mercado irá absorver com facilidade e carisma esse novo
projeto?
b) Concorrência: não existe nada igual ou parecido na concorrência?
c) Tecnologia: o novo projeto está acompanhando as tendências
tecnológicas atuais?
d) Posicionamento: qual é o posicionamento da empresa e como será o

posicionamento do novo projeto?

Documento não controlado - AN03FREV001

e) Objetivos : quais são os reais objet ivos desse projeto? Caso as respostas venham

e) Objetivos: quais são os reais objetivos desse projeto?

Caso as respostas venham a ser positivas, então você descobriu uma necessidade de mercado e
Caso as respostas venham a ser positivas, então você descobriu uma
necessidade de mercado e consequentemente uma oportunidade para sua empresa.
Automaticamente, a necessidade de mercado gera uma cadeia de
necessidades para sua empresa, como por exemplo, recursos financeiros, tempo
para implantação do projeto, uma pesquisa de clientes e satisfações com base
nesse possível projeto, etc.
Essas necessidades da empresa devem ser levadas em consideração, já
que como estudamos anteriormente, o custo, o tempo e a qualidade são fatores
primordiais para um projeto de sucesso.
É importante que algumas metas sejam traçadas, se possível alguns testes
de aceitação no mercado, alguma pesquisa de viabilidade para então a execução
definitiva do projeto, evitando assim gastos desnecessários, perca de tempo com um
projeto inviável ou até mesmo o lançamento de um produto ou serviço que não
agradem o cliente.
Respeitar os limites da empresa é importantíssimo nessa etapa do processo.
Sempre que forem identificadas, as necessidades devem ser
estudadas, analisadas, acompanhadas e quando preciso resolvidas, para que a
empresa não tenha prejuízos e o projeto não perca seu real sentido para a
equipe e para a organização.
Devemos levar em consideração que tanto empresa e equipe como mercado
e clientes, são providos de necessidades, e todas precisam ser atendidas.
A empresa e a equipe para respeitar seus limites e obterem êxito na
execução do projeto, e o mercado e os clientes para receberem aquilo que precisam
e obter a satisfação.
para receberem aquilo que precisam e obter a satisfação. Nenhuma necessidade deve ser igno rada no

Nenhuma necessidade deve ser ignorada no processo. Caso haja rejeição de necessidades, o desenvolvimento e o sucesso do projeto serão negativamente afetados.

Documento não controlado - AN03FREV001

31

12 SELECIONANDO, ANALISANDO, PLANEJANDO E TRANSFORMANDO IDEIAS EM NOVOS PROJETOS Selecionar a melhor ideia que
12 SELECIONANDO, ANALISANDO, PLANEJANDO E TRANSFORMANDO IDEIAS EM NOVOS PROJETOS Selecionar a melhor ideia que
12 SELECIONANDO, ANALISANDO, PLANEJANDO E TRANSFORMANDO
IDEIAS EM NOVOS PROJETOS
Selecionar a melhor ideia que tivemos ou de uma equipe, por exemplo, não
é uma tarefa tão simples como parece.
Antes de decidirmos qual a melhor ideia para então transformá-la num
projeto, requer uma visão muito mais ampla do que achar aquela ideia ou sugestão
magnífica.
A vida real do gerente de projetos, não se baseia em sexto sentido,
adivinhação ou apostas.
O gerenciamento de um projeto como estudamos anteriormente, inicia na
concepção do mesmo, ou seja, no momento em que a ideia foi gerada por si próprio
ou por outrem.
Ou seja, a responsabilidade de selecionar a melhor ideia e transformá-la em
um projeto de sucesso e competitivo é do gestor de projetos.
Mas como selecionar a ideia certa? Existe uma técnica?
Digamos que não existe solução ou poção mágica para que todas as vezes
que necessário, a melhor ideia seja selecionada, principalmente quando o número
de boas ideias é significativo.
O que o gestor de projetos deve levar em consideração no momento de
fazer essa seleção, é a análise rápida e precisa dos fatos. Obter uma visão ampla do
que está acontecendo em relação ao que irá acontecer após a aplicação prática
dessa ideia.
Fazer uma análise rápida, quer dizer colocar a situação na balança, tentar
observar quais os benefícios que o possível projeto irá trazer a empresa de imediato,
a curto e em longo prazo. Verificar de modo geral se a empresa terá condições de
executá-la, se tem recursos financeiros para implantá-la, se pode dispor do tempo
exigido pelo futuro projeto e se esse trará soluções benéficas para a empresa.

Documento não controlado - AN03FREV001

Caso essa análise seja feita e a maio ria das repostas seja positiva, então existem

Caso essa análise seja feita e a maioria das repostas seja positiva, então existem grandes possibilidades dessa ideia ser transformada em projeto. A partir daí, a etapa de planejamento pode ser discutida. Como vimos, planejar é criar condições eficientes para conquistar algo. Não é o momento da execução, mas sim os passos que deverão ser seguidos para executar o projeto. Por isso, mesmo no momento do planejamento é possível mudar de opinião e selecionar e analisar uma nova ideia. Muitas vezes, somente no momento do planejamento é que o gestor consegue ter uma noção mais clara do que realmente irá acontecer, o que torna essa fase importante e indispensável no processo.

Nenhum projeto é criado sem uma ótima ideia e nenhuma ideia é transformada em projeto
Nenhum projeto é criado sem uma ótima ideia e nenhuma ideia é
transformada em projeto se não for analisada e planejada.
13 SELEÇÃO DE ALTERNATIVAS PARA O PROJETO
A seleção de alternativas do projeto se dá pela comparação das alternativas
disponíveis, geralmente são as seguintes:
Desempenho.
Custos.
Tempo.
Riscos.
Consequências.
Cultura.
Mas pode haver outras, que aparecerão no início ou no decorrer do
processo. Dependendo do projeto.
Muitos mecanismos podem ser utilizados para selecionar uma alternativa no
projeto, mas o mais comum e utilizado são os modelos de ponderação ou
pontuação.
mas o mais comum e utilizado são os modelos de ponderação ou pontuação. Documento não controlado

Documento não controlado - AN03FREV001

Nesse modelo, são atribuídos notas de ze ro a dez para cada alternativa, em cada

Nesse modelo, são atribuídos notas de zero a dez para cada alternativa, em cada aspecto ou fator analisado. E são atribuídos pesos, geralmente de um a três, de acordo com a importância de cada fator para o projeto. O resultado final é calculado por meio de média ponderada. Veja o exemplo:

Categoria de alternativas Desempenho Custo Tempo Risco Consequência Cultura Total Peso 2 3 3 3
Categoria de alternativas
Desempenho
Custo
Tempo
Risco
Consequência
Cultura
Total
Peso
2
3
3
3
2
1
Alternativa A
6
8
4
5
6
4
5.64
Alternativa B
7
5
3
8
3
6
5,28
Para efetuar o cálculo e verificar qual a melhor alternativa, devemos
obedecer à fórmula:
Total = ∑ Nota x Peso fator
∑ peso fator
Traduzindo a fórmula com base na tabela acima, ficará assim:
Total = notadesempenho x 2 + notacusto x 3 + notatempo x 3 +
notarisco x 3 + notaconsequência x 2 + notacultura x 1
2 + 3 + 3 + 3 + 2 + 1
Logo, o cálculo da alternativa A será:
Total A =
6 x 2 + 8 x 3 + 4 x 3 + 5 x 3 + 6 x 2 + 4 x 1
14
Total A = 12 + 24 + 12 + 15 + 12 + 4
14

Documento não controlado - AN03FREV001

Total A = 79 dividido por 14 = 5,64 pontuação alternativa A. Repetindo o cálculo

Total A = 79 dividido por 14 = 5,64 pontuação alternativa A.

Repetindo o cálculo com os valores da alternativa B, teremos o resultado final de: Total
Repetindo o cálculo com os valores da alternativa B, teremos o resultado
final de:
Total B = 7 x 2 + 5 x 3 + 3 x 3 + 8 x 3 + 3 x 2 + 6 x 1
14
Total B = 14 + 15 + 9 + 24 + 6 + 6
14
Total B = 74 dividido por 14 = 5,28 pontuação alternativa B.
Portanto, nesse método de seleção, a alternativa A seria selecionada,
porque obteve maior nota 5,64.
Esse método apesar de apoiar a escolha das alternativas de modo correto e
justo, não deve ser utilizado como fonte de apoio.
É importante que mais algum método seja utilizado em conjunto com a
ponderação e pontuação, para que a escolha seja realmente confiável.
Como por exemplo, a opinião de grupo.
Ouvir a equipe é um método prático, simples e que em conjunto com a
ponderação e pontuação, podem auxiliar na escolha correta da alternativa de
projeto.
Ouvindo a equipe de projetos, é possível compreender melhor a ideia
proposta, os objetivos reais e finais do processo e fazer uma análise mais clara do
tempo e grau de dificuldade da execução.
A pesquisa também pode ser um método que em conjunto transmite

segurança a seleção de alternativas do projeto. Poderá ser pesquisado no mercado, na concorrência, entre os clientes e a própria empresa, as qualidades e valores dados para cada alternativa. Essa pesquisa pode acontecer obedecendo ao segmento e até mesmo a categoria de cada alternativa, procurando profissionais ligados a mesma área de atuação.

Documento não controlado - AN03FREV001

14 O QUE É MÉTODO PARAMÉTRICO E COMO FUNCIONA O método paramétrico, utilizado na tomada
14 O QUE É MÉTODO PARAMÉTRICO E COMO FUNCIONA O método paramétrico, utilizado na tomada
14 O QUE É MÉTODO PARAMÉTRICO E COMO FUNCIONA
O método paramétrico, utilizado na tomada de decisão, auxilia na escolha da
melhor alternativa de projeto, tendo como base deveres e desejos.
Funciona como o método de pontuação e ponderação que estudamos no
tópico anterior, com algumas diferenças, pois é um método de PONTUAÇÃO.
Utilizam características do projeto em modelos matemáticos para calcular a
estimativa de custos.
Esse método foi desenvolvido por Kepner e Tregoe, dois consultores norte-
americanos, e auxilia o gestor desde a substituição de funcionários até as decisões
de investimento.
Algumas empresas utilizam esse método em projetos que já foram
desenvolvidos, para obter mais eficiência e melhorar a execução e o resultado.
Sabendo a definição de quantidade e tempo com precisão o método torna-se
bastante seguro e eficaz.
Esse método permite que todos os envolvidos possam interagir trocar ideias
e criar soluções na medida em que está sendo utilizado.
Com essa ferramenta, os especialistas interagem com o mercado,
verificando suas necessidades e identificando subsídios para avaliação
mercadológica local. Tais como:
Produção.
Mercado.
Recursos Financeiros.
Recursos Humanos.
Recursos administrativos.
A utilização desse método se dá em cinco passos, sendo eles:

Documento não controlado - AN03FREV001

Passo 1: Seleção de critérios de decisão Vejamos um exemplo prático, uma empresa vem crescendo

Passo 1: Seleção de critérios de decisão

Vejamos um exemplo prático, uma empresa vem crescendo avançadamente nos últimos anos e precisa contratar
Vejamos um exemplo prático, uma empresa vem crescendo avançadamente
nos últimos anos e precisa contratar um gerenciador de projetos, também conhecido
como CPO – Chief Projec Officer.
Como todo profissional de projetos essa pessoa, deverá ter experiência e
habilidades suficientes para administrar projetos.
Como essa escolha é de extrema importância para a organização, o ideal
seria que todos os diretores e gerentes da empresa reunissem-se para identificar
quais requisitos seriam necessários encontrar nesse profissional, para então buscá-
lo no mercado de trabalho.
Esses requisitos seriam divididos em critérios ou “deveres” e alguns
parâmetros ou “desejos”.
Vejamos como a equipe de executivos realizou essa tarefa.
Critérios:
Salário de no máximo R$ XXXX,XX por mês.
Possuir veículo próprio e disponível.
Morar próximo ou na mesma cidade da empresa.
Parâmetros:
Fluência em pelo menos duas línguas, incluindo inglês.
Amplo conhecimento em informática.
Experiência em gerenciamento de projetos.
Experiência administrativa.
Disponível para ocupar o cargo.
Disponibilidade para viagens.
Habilidades e conhecimentos em gerenciamento de projetos.
Passo 2: Peso dos “desejos”
De todos os parâmetros apresentados, ou seja, os desejos da empresa em
relação ao candidato, o mais importante é que o profissional tenha experiência em

Documento não controlado - AN03FREV001

gerenciamento de projetos. Logo, esse par âmetro deverá levar o peso maior, podendo ser, por

gerenciamento de projetos. Logo, esse parâmetro deverá levar o peso maior, podendo ser, por exemplo, peso 10. O segundo item importante são os conhecimentos e habilidades do profissional, em gerenciamento de projetos, então o peso poderá ser 9. Desta forma, todos os desejos devem ser avaliados e receber um determinado peso.

Passo 3: Avaliação de alternativas Nesse passo, devemos avaliar as alternativas de forma que atendam
Passo 3: Avaliação de alternativas
Nesse passo, devemos avaliar as alternativas de forma que atendam aos
deveres.
Voltemos ao exemplo inicial.
Nossa empresa recebeu cinco candidatos à vaga de gerente de projetos.
Três deles foram avaliados e não atendiam a todos os quesitos. Porém dois deles
atendiam aos três critérios (deveres) iniciais.
Logo, esses dois candidatos passaram para uma nova fase, a avaliação dos
parâmetros. Onde seriam com certeza diferenciados.
Passo 4: Pontuação de “desejos” ou parâmetros

Chamaremos esses dois candidatos de João e Pedro, para facilitar a compreensão. João passou pela análise de desejos e notou-se que ele possuía uma segunda língua, mas seu inglês era básico. Não poderia iniciar as atividades imediatamente, mas possuía experiência de mais de 10 anos como gerente de projetos, portanto tinha conhecimentos e habilidades na área, além de amplo conhecimento em informática. Pedro, diferente de João, era fluente em inglês, poderia iniciar as atividades em uma semana, tinha 5 anos de experiência administrativa e somente um de experiência como gerente de projetos. Seu conhecimento em informática era de nível médio e tinha dificuldades em apresentar habilidades e conhecimentos em gerenciamento de projetos. Realizada essa análise, os candidatos precisam ser comparados para sabermos quem atenderá melhor aos desejos da empresa.

Documento não controlado - AN03FREV001

Poderíamos facilitar essa avaliação, dando nota máxima (10) aquele que atendesse o requisito desejado. Por

Poderíamos facilitar essa avaliação, dando nota máxima (10) aquele que atendesse o requisito desejado. Por exemplo, João não é fluente em inglês, então ele ganha nota 5, já Pedro ganha nota 10. E assim sucessivamente até que todos os quesitos sejam analisados e pontuados. Na totalização dos pontos é provável que João tenha sido o vencedor, pois atende o maior número de quesitos / desejos solicitados pela empresa.

Passo 5: Seleção da alternativa correta Visto os resultados da pontuação, a empresa está apta
Passo 5: Seleção da alternativa correta
Visto os resultados da pontuação, a empresa está apta a selecionar o
melhor candidato.
15 ESTUDO DE CASO
A empresa XXX S/A cresceu significativamente nos últimos meses. Quando
se deu conta, estava com muitos projetos, mas sem um profissional para gerenciá-
los.
Eduardo, diretor presidente da empresa, percebeu essa necessidade e
resolveu reunir a equipe de executivos para verificar qual o perfil desse profissional e
quais requisitos deveriam ser evidenciados nele.
A
equipe de executivos pesquisou, analisou e decidiu o seguinte:
O
profissional deverá:
analisou e decidiu o seguinte: O profissional deverá: Ter experiência em gestão de pr ojetos de

Ter experiência em gestão de projetos de no mínimo três anos. Conhecer técnicas de gerenciamento. Ter MBA em gestão de projetos. Ter conhecimento em informática avançada. Falar e escrever fluentemente o inglês. Possuir condução própria. Morar na mesma cidade da empresa. Estar disponível para exercer o cargo.

Documento não controlado - AN03FREV001

Disponível para viagens. Salário de até R$ 4.600,00. Ter conhecimentos e habilidades administrativas. Candidataram-se
Disponível para viagens. Salário de até R$ 4.600,00. Ter conhecimentos e habilidades administrativas. Candidataram-se

Disponível para viagens. Salário de até R$ 4.600,00. Ter conhecimentos e habilidades administrativas.

Candidataram-se para a vaga três profissionais, que chamaremos Candidato A, B e C, sendo eles:
Candidataram-se para a vaga três profissionais, que chamaremos Candidato
A, B e C, sendo eles:
CANDIDATO A: Experiência de 4 anos em administração de empresas.
Fluente em inglês e espanhol. Pós-graduado em Gestão de projetos e
conhecimentos de nível médio em informática. Não possui veículo próprio e mora
em uma cidade vizinha, a 23 km da empresa. E pode iniciar as atividades
imediatamente.
CANDIDATO B: Experiência de 2 anos como gestor de projetos e 3 anos
como administrador. Fluente em inglês. Formado em Administração de empresas e
com conhecimentos avançados em informática. Precisa de 15 dias para se desligar
da empresa onde trabalha atualmente. Possui veículo próprio e mora a 6 km da
empresa.
CANDIDATO C: Experiência de cinco anos, sendo três anos em
administração e dois anos como gerente de projetos. Realizou alguns cursos sobre
gerenciamento de projetos ampliando seus conhecimentos. Formado em
administração de empresas e pós-graduado em marketing internacional. Possui
conhecimentos de nível médio em informática, carro próprio e mora a 12 km da
empresa. Poderá iniciar as atividades dentro de 10 dias e exige salário de no mínimo
R$ 5.000,00.
Analisando o estudo de caso em questão, responda:
Qual método de seleção deverá ser utilizado nesse caso?
R:

Quais são os critérios (deveres) identificados pelos executivos?

Documento não controlado - AN03FREV001

R: Quais são os parâmetros (desejos) identificados pelos executivos? R: Qual é o candidato que

R:

Quais são os parâmetros (desejos) identificados pelos executivos? R: Qual é o candidato que mais
Quais são os parâmetros (desejos) identificados pelos executivos?
R:
Qual é o candidato que mais se aproxima dos desejos da empresa e que
provavelmente será contratado pela XXX S/A?
R:
FIM DO MÓDULO I

Documento não controlado - AN03FREV001

41