Vous êtes sur la page 1sur 4

UFMS - Disciplina Áreas Degradadas - Engenharia Ambiental

1. Erosão:

Conjunto de processos, desgaste, acumulação e transporte, que alteram e


modelam a superfície da Terra e resultantes da ação dos agentes naturais.

Principais agentes de transporte: água, vento,gelo.

2. Tipos de Erosão:

2.1. Erosão Marítima: sobre a costa provocada pela ação das ondas e das
marés e pelos materiais que estes transportam e ainda pela ação
química da água do mar.

2.2. Erosão Glaciar: provocada pela ação dos gelos dos glaciares sobre os
vales das montanhas

2.3. Erosão Eólica: provocada pela ação direta do vento e das partículas por
ele transportadas. Ocorre em geral em regiões planas, de pouca chuva,
onde a vegetação natural é escassa e sopram ventos fortes.

2.4. Erosão Fluvial: resultante da ação dos rios sobre a superfície da Terra.
Causada pelas águas de rio ou de riacho.

2.5. Erosão Pluvial: é provocada pela retirada de material da parte superficial


do solo pelas águas de chuva.

3. Fatores Intervenientes no processo erosivo:

3.1. A chuva:

A água de chuva gera a erosão por meio do impacto das gotas sobre
a superfície do solo, caindo com velocidade e energia variáveis, e por
meio do escorrimento da enxurrada.

3.2. A cobertura vegetal: é a conservação natural de um terreno contra a


erosão.
UFMS - Disciplina Áreas Degradadas - Engenharia Ambiental

Os principais efeitos da cobertura vegetal destacam-se:

➢ proteção contra o impacto direto das gotas de chuva;

➢ dispersão e quebra da energia das águas de escoamento superficial;

➢ aumento da infiltração pela produção de poros no solo por ação das


raízes;

➢ aumento da capacidade de retenção de água pela estruturação do solo


por efeito da produção e incorporação de matéria orgânica.

3.2. A topografia: É um fator natural que determina velocidades dos


processos erosivos.

Relevos suaves acidentados < velocidades de erosão < concentração e


velocidades de escoamento das águas< a capacidade erosiva

3.3. Tipos de solos: influência e sofre a ação dos processos erosivos.


Constitui o principal fator natural relacionando erosão.

3.3.1. Influência:

propriedades físicas: textura, estrutura, permeabilidade e densidade


propriedades químicas, biológicas e mineralógicas

4. Erosão Pluvial: é provocada pela retirada de material da parte superficial


do solo pelas águas de chuva.

4.1. Fases da erosão do solo:

Escoamento superficial: responsável pela desagregação e deslocamento das


partículas de solo liberadas pela ação das águas.

4.2. A erosão laminar: É resultante da ação do escoamento superficial da água


de chuva, que ao se espalhar difusamente no solo desprotegido promove a
remoção de suas camadas mais superficiais.

4.3. Erosão em sulcos ou ravinas: Ocorre quando o canal de escoamento


pluvial apresenta aparências erosivas com traçado bem definido.

A água percorre caminhos preferências provocando fissuras de até 50 m de


modo progressivo, chamamos de sulcos;

Aumenta a cada ano pelas enxurradas;


UFMS - Disciplina Áreas Degradadas - Engenharia Ambiental

Evolui até atinge o horizonte A e B.

4.4.. Erosão em voçorocas ou boçorocas:

Representa o estágio mais acentuado do desgaste dos solos, pois resulta da


evolução das etapas anteriores que, ao sofrerem constantes influências da
água das chuvas, evoluem até atingir o lençol freático.

Fatos naturais condicionados na formação de ravinas e voçorocas:

Do tipo de solo;

Do tipo de relevo;

De modo indireto do tipo de substrato rochoso.

Sulcos: são pequenos canais que podem alcançar até 0,5 m de profundidade
Ravinas: profundidade em torno de 0,5 m a 1,5 m.
Voçoroca: comprimento e largura superiores a 3 m de profundidade acima de
1,5 m

5. Efeitos da erosão:

5.1. Empobrecimento de rios:

• perda da capacidade produtiva;

• encarecimento da produção, principalmente agrícola (recuperação e

adubação).

3.2. Assoreamento de rios:

• redução da profundidade dos leitos e da capacidade de transporte;

• Aumento das cheias

• Impactos sobre a ictiofauna.

3.2. Assoreamento de reservatórios hídricos:

• perda de água para geração de energia;

• comprometimento da qualidade e quantidade da água para diversos fins.


UFMS - Disciplina Áreas Degradadas - Engenharia Ambiental

3.2. Entulhamento de depressões e várzeas:

• Destruição dos ecossistemas de áreas úmidas;

• Destruição de áreas de produção agrícolas aumento de cheias;

• Propagação de doenças