Vous êtes sur la page 1sur 58

Ano 10 Nº 110 - DEZEMBRO 2006 - R$ 14,50

PPPPPartiturartiturartiturartiturartiturasasasasas PPPPPartiturartiturartiturartiturartiturasasasasas comcomcomcomcom
PPPPPartiturartiturartiturartiturartiturasasasasas PPPPPartiturartiturartiturartiturartiturasasasasas
comcomcomcomcom comcomcomcomcom letrletrletrletrletrasasasasas letrletrletrletrletrasasasasas eeeee eeeee cifrcifrcifrcifrcifrasasasasas cifrcifrcifrcifrcifrasasasasas

1212 MIDIMIDI

Computer Music

12 12 MIDI MIDI Computer Music As Novidades da nova versão ● ● ● ● ●
12 12 MIDI MIDI Computer Music As Novidades da nova versão ● ● ● ● ●

As Novidades da nova versão

AAAAA CúmpliceCúmpliceCúmpliceCúmpliceCúmplice (Fábio(Fábio(Fábio(Fábio(Fábio JrJrJrJrJr.).).).).) MinhaMinhaMinhaMinhaMinha HistóriaHistóriaHistóriaHistóriaHistória (Z(Z(Z(Z(Zezéezéezéezéezé DiDiDiDiDi CarmarCarmarCarmarCarmarCarmargogogogogo &&&&& LucianoLucianoLucianoLucianoLuciano eeeee ChicoChicoChicoChicoChico BuarBuarBuarBuarBuarque)que)que)que)que)

●●●●● AllAllAllAllAll OutOutOutOutOut OfOfOfOfOf LoLoLoLoLovvvvveeeee (Air(Air(Air(Air(Air Supply)Supply)Supply)Supply)Supply) ●●●●● PPPPPalavralavralavralavralavrasasasasas dedededede UmUmUmUmUm FuturFuturFuturFuturFuturooooo BomBomBomBomBom (Jota(Jota(Jota(Jota(Jota Quest)Quest)Quest)Quest)Quest)

(Jota(Jota(Jota(Jota(Jota Quest)Quest)Quest)Quest)Quest) Dicas Dicas e e Truques Truques ● ● ● ● ●
(Jota(Jota(Jota(Jota(Jota Quest)Quest)Quest)Quest)Quest) Dicas Dicas e e Truques Truques ● ● ● ● ●

DicasDicas ee TruquesTruques

ChorChorChorChorChorandoandoandoandoando SeSeSeSeSe FFFFFoioioioioi (Iv(Iv(Iv(Iv(Iveteeteeteeteete Sangalo)Sangalo)Sangalo)Sangalo)Sangalo) TáTáTáTáTá PPPPPegandoegandoegandoegandoegando (Bruno(Bruno(Bruno(Bruno(Bruno &&&&& MarrMarrMarrMarrMarroneoneoneoneone eeeee GrupoGrupoGrupoGrupoGrupo TTTTTrrrrradição)adição)adição)adição)adição)

TTTTTrrrrradição)adição)adição)adição)adição) ●●●●● CanCanCanCanCan YYYYYououououou

●●●●● CanCanCanCanCan YYYYYououououou FFFFFeeleeleeleeleel ItItItItIt (Jean(Jean(Jean(Jean(Jean Roch)Roch)Roch)Roch)Roch)

(Jean(Jean(Jean(Jean(Jean Roch)Roch)Roch)Roch)Roch) ● ● ● ● ● S o r r y S o r r

SorrySorrySorrySorrySorry (Madonna)(Madonna)(Madonna)(Madonna)(Madonna)

o r r y (Madonna)(Madonna)(Madonna)(Madonna)(Madonna) ●●●●● PrPrPrPrPrecisoecisoecisoecisoeciso

●●●●● PrPrPrPrPrecisoecisoecisoecisoeciso AprAprAprAprAprenderenderenderenderender aaaaa SerSerSerSerSer SóSóSóSóSó (Silvio(Silvio(Silvio(Silvio(Silvio César)César)César)César)César)

PPPPPeloeloeloeloelo AmorAmorAmorAmorAmor dedededede DeusDeusDeusDeusDeus (Emílio(Emílio(Emílio(Emílio(Emílio Santiago)Santiago)Santiago)Santiago)Santiago)

●●●●● NatalNatalNatalNatalNatal DasDasDasDasDas CriançasCriançasCriançasCriançasCrianças (Simone)(Simone)(Simone)(Simone)(Simone) ●●●●● TheTheTheTheThe ChristmasChristmasChristmasChristmasChristmas SongSongSongSongSong (Alan(Alan(Alan(Alan(Alan Jackson)Jackson)Jackson)Jackson)Jackson)

Jackson)Jackson)Jackson)Jackson)Jackson) eeeee mais mais mais mais mais PDA, PALM Utilizando como
Jackson)Jackson)Jackson)Jackson)Jackson) eeeee mais mais mais mais mais PDA, PALM Utilizando como
Jackson)Jackson)Jackson)Jackson)Jackson) eeeee mais mais mais mais mais PDA, PALM Utilizando como
Jackson)Jackson)Jackson)Jackson)Jackson) eeeee mais mais mais mais mais PDA, PALM Utilizando como
eeeee mais mais mais mais mais
eeeee mais
mais
mais
mais
mais

PDA, PALM

Utilizando como Mp3 Player

(Parte II)

●●●●● Reinaldo G. Russo: O Arranjo - Os instrumentos de percussão ●●●●● Toninho Ribeiro: Levada de baixo no Samba

Reinaldo G. Russo: O Arranjo - Os instrumentos de percussão ●●●●● Toninho Ribeiro: Levada de baixo
Editora Zardo Ltda. ISSN 1415- 1871 Diretor Everton Zardo Editora Edeli S. Zardo Supervisão Editorial
Editora Zardo Ltda.
ISSN 1415- 1871
Diretor
Everton Zardo
Editora
Edeli S. Zardo
Supervisão Editorial
Silvia Zardo
Revisão Editorial
Terezinha Oppido
Vendas e Marketing
Josué Zardo
Silvia Zardo
DepartamentoDepartamentoDepartamentoDepartamentoDepartamento MusicalMusicalMusicalMusicalMusical
Músicas Seqüenciadas
Edeli S. Zardo
Gilberto M. Abreu
Revisão Musical
Rael Bertarelli Gimenes
DepartamentoDepartamentoDepartamentoDepartamentoDepartamento JurJurJurJurJurííííídicodicodicodicodico
Dr. Roberto Chamas
Colaboraram nesta edição
Adriano Alves Pereira
André Campos Machado
Andreza Rego
Ângelo Mugia
Carlos R. F. Menezes Júnior
Eduardo Camargo
Fabiana Demutti
Gabriela Gonzalez
Hélcio Camargo Jr.
Ivan Meyer
João Henrique de Paiva Baptistella
Luciano Vieira Lima
Maestro Reinaldo Garrido Russo
Sandra Fernandes de Oliveira Lima
Produção Gráfica
Cintia Zardo
Fotos de Capa
Divulgação
Playmusic é uma publicação mensal da
Editora Zardo Ltda. A reprodução total ou
parcial das matérias, partituras ou músicas
seqüenciadas, sem expressa autorização, está
sujeita a todas as sanções previstas por Lei.
Opiniões, sugestões ou reclamações, entre em
contato com:
Editora Zardo Ltda.
Tel/Fax (11) 5562-8208
E-Mail: playmusic@playmusic.com.br
www.playmusic.com.br

EditorialEditorial

www.playmusic.com.br Editorial Editorial Festas de Fim de Ano Apesar da virada do calendário não

Festas de Fim de Ano

Apesar da virada do calendário não ter o poder de transformar o futuro em uma história muito diferente do que já estamos vivendo hoje, sempre existe, nessa época, uma união de pensamentos positivos em todos os cantos do mundo, que não podemos desprezar de nenhuma forma. Os místicos sempre acreditaram que as “formas pensamentos” se transformam em energia no universo, ou seja, os bons sentimentos e pensamentos transformam-se numa matéria refinada e invisível que atua como energia auxiliar na manifestação nossas ações. A venda de livros de auto-ajuda, bem como as terapias alternativas, têm crescido muito nos últimos tempos, não só aqui no Brasil, mas em todo o mundo, o que mostra uma tendência para o lado mais espiritual. Também existem pesquisas indicando que as orações e as crenças das pessoas auxiliam no tratamento de doenças, inclusive abreviando sua cura. Principalmente no Brasil onde 95% da população acredita em Deus, independente da religião. Seguindo esses indicativos, seria interessante que todos pudessem entender o Natal, não só como uma época de mesa farta e troca de presentes e sim dar também importância ao lado espiritual. É muito produtivo também, na virada do calendário, fazer um balanço das realizações e obstáculos vividos, guardando a sabedoria das suas lições e ao mesmo tempo tentar transformar as dificuldades do presente, para reverter em progresso futuro. No repertório deste mês incluímos duas músicas natalinas, uma nacional e outra internacional, para acrescentar mais alegria ao ambiente. Pensando também nas comemorações de final de ano, acrescentamos as músicas mais dançantes para abrilhantar as festas. Desejamos a todos os amigos que sempre nos prestigiam um Natal e Ano Novo repleto de realizações, paz e saúde.

Edeli S. Zardo

3

4

6

9

12

13

14

16

19

20

21

24

28

31

35

38

41

44

47

50

53

56

ÍndiceÍndice

16 19 20 21 24 28 31 35 38 41 44 47 50 53 56 Índice

Lyrics no PSR Linha 40 e G-800

Incluir Segunda Voz no Encore

Editorial

Cartas

Computer Music

Sonar 6

Dicas e Truques PDA, PALM (Parte II)

Sugestões

Técnicas

Contrabaixo - Levada de Baixo no Samba

Teoria Musical

O Arranjo - Os instrumentos de percussão

Classificados

Guia do Repertório

Dicionário de Acordes

PARTITURAS A Cúmplice Minha História All Out Of Love
PARTITURAS
A Cúmplice
Minha História
All Out Of Love

Quais os procedimentos para fazer com que a letra de um arquivo MIDI apa- reça no visor do teclado. Este arquivo ao qual me refiro ele tem o Lyrics,consigo ver no computador mas não no PSR-640 da Yamaha. Sei que esta “dica” foi objeto de uma orientação de uma das edições da Revista Playmusic mas como não lembro qual, estou fazendo essa consulta nova- mente.

Silvio Olinda - PE

Alguns equipamentos, como os tecla- dos PSR Linha 40 necessitam receber uma informação dizendo que o arquivo MIDI possui letra e, portanto, ele deve habilitar a função Lyrics. Essa informação deve ser inserida no início da música. Para tanto, usando o Cakewalk/Sonar, siga os seguin- tes passos:

1) abra o arquivo 2) clique em View / Event List 3) tecle Insert para repetir o primeiro evento na lista 4) no campo HMSF digite 0 (zero) e leve o cursor com a seta para a direita até o cam- po Kind. Tecle Enter 5) digite “L” e clique OK 6) leve novamente com a seta parta a direita até o campo Data e digite uma letra qualquer e tecle Enter 7) Salve o arquivo no formato MIDI Format 0 OBS: Esse processo deverá ser feito toda vez que alguma alteração for feita no arquivo.

Riffs do PSR-2000

Palavras de Um Futuro Bom

no arquivo. Riffs do PSR-2000 Palavras de Um Futuro Bom Prezados amigos.O PSR-2000 tem uma função

Prezados amigos.O PSR-2000 tem uma função sensacional que é uma tecla que toca uma frase de cada timbre seleciona- do (é legal para gente saber como usar al- guns timbres menos comuns).Na tela dele eu visualizo as partituras de qualquer ca- nal das músicas que vêm na Playmusic. Pergunto: Tem alguma maneira de ver também a partitura das frases que ele toca quando selecionamos os timbres ? Ou seja, tem como eu visualizar aquelas frases que ele tem no teclado ?no arquivo. Riffs do PSR-2000 Palavras de Um Futuro Bom Júlio J. Chorando Se Foi Tá no arquivo. Riffs do PSR-2000 Palavras de Um Futuro Bom Júlio J. Chorando Se Foi Tá

Júlio J.

Chorando Se Foi

Tá Pegando

Can You Feel It

Sorry

Preciso Aprender a Ser Só

Pelo Amor de Deus

Natal Das Crianças

The Christmas Song

Só Pelo Amor de Deus Natal Das Crianças The Christmas Song M ÚSICAS COM MIDI H
Só Pelo Amor de Deus Natal Das Crianças The Christmas Song M ÚSICAS COM MIDI H
Só Pelo Amor de Deus Natal Das Crianças The Christmas Song M ÚSICAS COM MIDI H

MÚSICAS COM MIDI HARMONY

Essa função DEMO que toca Riffs dos instrumentos não pode ser alterada, apagada, editada, o que por sua vez não permite a visualização em pauta das notas, pois quando for acionado o DEMO qualquer outra tecla que se pressione can- celará o que estiver tocando.

Tendo uma linha melódica no Encore e quero fazer uma segunda pauta (2ª voz), qual procedimento para incluir esta se- gunda pauta abaixo da primeira? E fazer o contrário (ter duas e excluir a 2ª ou 1ª)? Desde já antecipo agradecimentos. Marcos

Quando você já tem uma pauta e quer incluir uma segunda voz (com outras no- tas) abaixo da mesma, siga os seguintes passos:

1) Com o cursor no primeiro compasso, clique no menu Score e escolha a opção Add Staff. 2) Na janela que abrir certifique-se que está selecionada a opção Add Bellow para acrescentar a pauta, abaixo da existente e clique em O.K. 3) Coloque o cursor na pauta em branco, que foi acrescentada, e inicie a gravação das notas desejadas. Para fazer o processo inverso, clique duas vezes do lado esquerdo da pauta,que deseja excluir e ficará selecionada para toda a partitura. Escolha no menu Score a opção Delete Staff.

Timbres do Vrtual Sound Canvas

Estimados profissionais da Playmusic. Mais uma vez peço ajuda de vocês para esclarecer a seguinte dúvida.Recentemen- te adquiri o fantástico programa Virtual Sound Canvas e está funcionando perfei- tamente.Configurei o Cakewalk 9 na janela Option, MIDI Devices a saída VSC. Neste caso os timbres dos arquivos MIDI estão reproduzindo os timbres do VSC (são“ma- ravilhosos”) e o som sai nas caixas de som do meu PC. Pergunto: ligando meu tecla- do PSR-550 via cabo MIDI na placa de som, como faço para que os arquivos MIDI re- produzidos no Cakewalk 9 toque os tim- bres do VSC no meu teclado e não os tim- bres do próprio teclado, como esta acon- tecendo? Tem alguma configuração no Cakewalk ou no meu teclado que deve ser ajustada? Existe um procedimento que posso salvar meus arquivos MIDI com os timbres do VSC no próprio programa VSC? Marcos Bichara

Os timbres reproduzidos na placa de som, no teclado ou no VSC, estão no for- mato de áudio, e portanto não tem como você enviar esse som de um para outro. O cabo MIDI envia e recebe um sinal (nota, volume e efeitos) que serão inter- pretados,por uma das opções acima,e que irão reproduzir a amostra do instrumento

4 Playmusic

gravado no equipamento (placa do PC, placa do teclado, ou arquivo de amostras do VSC).

A vantagem de trabalhar com o VSC,

além de ter uma qualidade timbres melhor que uma simples placa de som, você po- derá usá-los no momento em que for transformar/gravar um arquivo MIDI em áudio (playback) As mudanças efetuadas no Cakewalk, só poderão ser salvas no próprio formato do Cakewalk (.wrk), pois no formato MIDI serão salvadas apenas as informações MIDI (timbre,notas, volume, efeitos, etc )

Grato pelas explicações,entendi os“es- quemas”. 1) Então é impossível escutar os tim- bres salvos do VSC no meu teclado, quan- do os arquivos MIDI são reproduzidos no próprio teclado? Quando executo um arquivo MIDI no teclado conectado ao PC, usando o Cakewalk para gravar, não grava nada porque o som esta em áudio? 2) Tem como gravar os arquivos MIDI no Cakewalk na forma explicada? (Colan- do os arquivos prontos nos disquetes) A gravação só acontece tocando o meu te- clado em tempo real? 3) Para usar os timbres do VSC tenho que estar com algum programa seqüen- ciador aberto como o Cakewalk? Não tem com o usar o VSC só com ele aberto? 4) Outra coisa que esta me “frustran- do” é que quando toco o teclado usando o VSC, o som chega com muito atraso no PC ficando um efeito eco ou Delay, me impossibilitando de fazer apresentações ao vivo,pois trabalho com outros músicos. Podem me dar uma orientação a respeito desse atraso, se é problema na minha pla- ca de som (Sound Blaster Live 5.1) ou al- guma configuração no programa, na pla- ca ou no teclado? O VSC como já disse tem timbres fan- tásticos, mas a única coisa que consegui fazer com ele até agora foi ouvir os arqui- vos MIDI com os timbres dele Desculpe a insistência pelo assunto, sinto que me falta uma aprendizagem de “princípios de funcionamento das coisas” pois ainda não tive oportunidade. Abraços.

Marcos Bichara

A sua dúvida anterior era se os timbres

do Virtual Sound Canvas poderiam ser reproduzidos no seu teclado PSR-550, e a resposta foi não. Reproduzir ou gravar um MIDI no seu teclado conectado ao PC e usando os tim- bres do VSC é possível fazendo-se duas coisas:

1) Configurando o teclado em MIDI Template e SONG OUT que informa o te- clado para enviar as 16 pistas para o PC.

Veja os procedimentos na página 113 do manual do teclado. Para o som não sair no teclado, configure nas funções MIDI, MIDI Local = Off 2) Configurar no Cakewalk em MIDI Options, selecionado em MIDI OUT a opção do VSC ou da Sound Blaster. OBS - Esse procedimento não faz muito sentido, pois seria bem mas simples copiar o arquivo MIDI para o PC, reproduzindo-o no Cakewalk com os timbres do VSC e tocar o teclado de forma isolada. Não é necessário o Cakewalk para usar os timbres do VSC, inclusive muita gente usa o VSC para jogos com áudio. Você poderá fazer a configuração de ída diretamente no Windows, em Multimídia, selecionado o VSC ou o sintetizador da sua Sound Blaster. Quanto ao Delay mencionado, não tem como resolver esse problema, pois sempre existirá uma diferença de tempo, por menor que ela seja, entre o toque da tecla (saída MIDI) e a saída do som pela placa do PC (áudio), pois tem um trabalho de conversão das informações. A dica seria fazer como mencionado anterior- mente, ou seja, copie seus arranjos (MIDI) no PC para serem reproduzidos no Cakewalk e use o PSR-550 isolado do PC. Ambos podem ser conectados a uma mesa de som e que permitirá uma mixagem de saída mais adequada.

Notebook e arquivos MIDI

Tenho um Notebook AMZ L51 com as seguintes características: Celeron 1.5, 256 MB DDR, Cache 2MB, Placa de Som 3D, Sis- tema Operacional Linux, 4 Portas de Co- nexão USB. Essas característica são com- patíveis para trabalhar com arquivos MIDI,? Faço muitos shows ao vivo e sem- pre uso os arquivos MIDI. Caso negativo podem me dar uma“re- ceita de um Notebook” para não ter dor de cabeça no futuro? Minha intenção é conectá-lo ao tecla- do para tocar. Me preocupo com a quali- dade dos timbres. Abraços

Marcos

O Notebook para a aplicação mencio- nada está adequado, mas com as rápidas mudanças tecnológicas, quando mais atual melhor. Dê preferência para maior quantidade de memória e velocidade do processador, pois apesar do Cakewalk não ser um programa pesado para se trabalhar

com MIDI, na parte de áudio esses recur- sos adicionais podem fazer falta. Duas críticas a fazer em relação ao equipamento descrito:

1) Sistema Operacional Linux - Acho que não existe uma versão do Cakewalk 9.0 para esse sistema. 2) Verifique se o Notebook tem uma conexão para Joystick na placa de áudio ou uma porta serial simples (que não seja USB), pois uma conexão MIDI vai exigir uma delas. Uma porta USB também é viável, mas o cabo é mais difícil de encontrar e mais caro. Quanto à qualidade dos timbres, você poderá optar pelo Virtual Sound Canvas no Notebook ou configurá-lo para usar os timbres do seu teclado.

Configuração de MIDI Cable

Olá Pessoal da Playmusic. Mais uma vez venho através deste e-mail, parabenizar a equipe pelo excelente trabalho de sempre. Minha dúvida é a seguinte: Eu consegui conectar o cabo MIDI no PC e no teclado e assim quando executo algum arquivo MIDI no Sonar o som sai no teclado com os tim- bres do teclado com uma qualidade ótima, conforme a dica que me deram. Agora estou querendo tocar no teclado e gravar no Sonar. Se for possível fazer isso, gos- taria que vocês me informassem os procedi- mentos, pois já tentei várias vezes e não obtive sucesso em nenhuma das tentativas. Muito obrigado e abraços. Fábio Esmeraldino de Souza

A conexão MIDI, permite as duas coi- sas, reproduzir os MIDI no Cakewalk usan- do os timbre do teclado e usar o teclado e gravar no Cakewalk. No menu do Cakewalk, em MIDI Options, a janela que aparece tem as op- ções para configurar MIDI In e MIDI OUT. Verifique. No seu teclado,tente localizar nas con- figurações de MIDI a opção “Local OFF”. Para fazer a gravação, selecione a Pis- ta, o Instrumento e aperte o botão gravar. Não tem segredo é tocar e gravar.

Envie suas dúvidas e sugestões para a Seçao Cartas:

EDITORA ZARDO LTDA Tel./Fax: (11) 5562-8208 playmusic@playmusic.com.br www.playmusic.com.br

Luciano Vieira Lima Carlos R. F. Menezes Júnior O Cakewalk Sonar vem se firmando ao
Luciano Vieira Lima Carlos R. F. Menezes Júnior O Cakewalk Sonar vem se firmando ao

Luciano Vieira Lima Carlos R. F. Menezes Júnior

O Cakewalk Sonar vem se firmando ao

longo do últimos anos como um dos prin- cipais softwares de produção musical. Os acréscimos feitos em cada versão ofere-

cem aos usuários ferramentas cada vez melhores e mostram uma tendência de juntar em apenas um software todos os principais recursos para realizar trabalhos profissionais com audio e MIDI, diminuin- do a necessidade de adquirir outros pro- gramas (tais como plugins de outros fabri- cantes) para complementar estes recursos.

A versão 6 do Sonar trouxe, entre ou-

tras coisas, uma melhora na qualidade so- nora devido a implementação de uma nova engenharia de mixagem com preci- são dupla e 64 bits de definição. Deste modo o som dos instrumentos acústicos ficaram mais fieis. O layout também sofreu algumas alterações, possibilitando uma maior“personalização”por parte do usuário.

uma maior“personalização”por parte do usuário. As novidades da nova versão O Sonar 6 vem em duas

As novidades da nova versão

O Sonar 6 vem em duas versões, a Producer Edition, que é a mais completa e custa US$ 619,00 dolares (no site do fabri- cante) e a Studio Edition que custa US$ 369,00 dolares. Os recursos presentes na

versão Producer que não são encontrados na versão Studio são os seguintes:

* VC-64 Vintage Channel ™

* Session Drummer ™ 2

* Roland(r) V-Vocal ™

* Surround mixing ™

* SurroundBridge ™

* Sonitus Surround Compressor

* POW-r dithering

* AudioSnap ™

* Lexicon(r) Pantheon ™

* PSYN II ™

* Pentagon ™

* RXP ™

* Perfect Space

Tabela 1 - Recursos exclusivos da versão Producer

Requisitos do sistema

 

Mínimo

Recomendado

Sistema Operacional *

Windows XP

Windows XP/x64**

Processador

Intel® Pentium® 4 1.3 GHz ou AMD Athlon™ XP 1500+ ou mais rápido

Intel® Pentium® 4 2.8 GHz [EM64T] AMD Athlon™ 64 2800+ ou mais rápido

RAM

256

MB

1 GB ou mais

Gráficos (resolution, color depth)

1024x768, 16-bit color

1280x960, 24-bit color ou melhor

Espaço em disco rígido

100

MB

Muitos Gigabytes

Tipo do disco rígido

Qualquer um

EIDE/Ultra DMA (7200 RPM) or SATA

Interface de MIDI

Compatível com Windows

 

Interface de Audio

Compatível com Windows

Compatível com WDM ou ASIO

Media Drive***

DVD-ROM, DVD+/-R, or DVD+/- RW Drive

 

* SONAR não suporta Windows 95, 98, ME, NT, ou 2000 *** É necessário para instalação (DVD-Rom)

** Necessário para rodar a versão 64-bit do SONAR 6

2000 *** É necessário para instalação (DVD-Rom) ** Necessário para rodar a versão 64-bit do SONAR

OS NOVOS RECURSOS

Active Controller Technology (ACT)

Remapeamento automático de parâ-metros de efeitos, instrumentos e mixagens ao utilizar controladores externos. Deste modo não é preciso reconfigurar o controlador cada vez que utilizá-lo em um plugin diferente.

controlador cada vez que utilizá-lo em um plugin diferente. AudioSnap ™ Multitrack Audio Quantize Com este

AudioSnapMultitrack Audio Quantize

Com este recurso é possível corrigir de uma maneira mais ágil desencontros que podem ocorrer em uma gravação tais como conjuntos de percussão ou bateria. Ele uti- liza um algoritmo de altíssima qualidade que oferece quantização não destrutiva.

Ele uti- liza um algoritmo de altíssima qualidade que oferece quantização não destrutiva. Antes Depois Playmusic
Ele uti- liza um algoritmo de altíssima qualidade que oferece quantização não destrutiva. Antes Depois Playmusic

Antes

Ele uti- liza um algoritmo de altíssima qualidade que oferece quantização não destrutiva. Antes Depois Playmusic

Depois

Ele uti- liza um algoritmo de altíssima qualidade que oferece quantização não destrutiva. Antes Depois Playmusic

VC-64 Vintage Channel™ - Warm Sound

Simulador de equalizador e compres- sor analógico valvulado. Com ele é possí- vel acrescentar sonoridades mais“quentes” e “ricas”.

acrescentar sonoridades mais“quentes” e “ricas”. Session Drummer™ 2 Bateria virtual com timbres de alta
acrescentar sonoridades mais“quentes” e “ricas”. Session Drummer™ 2 Bateria virtual com timbres de alta

Session Drummer™ 2

Bateria virtual com timbres de alta qua- lidade. Com o Session Drummer 2 é possí- vel escolher o kit de bateria por estilo,além de oferecer uma grande variedade de patterns.

Novo Synth Rack

Com ele ficou mais fácil visualizar, gerenciar e controlar os instrumentos vir- tuais.

gerenciar e controlar os instrumentos vir- tuais. Analyst (Analisor de espectro em tempo real) Os recursos

Analyst (Analisor de espectro em tempo real)

vir- tuais. Analyst (Analisor de espectro em tempo real) Os recursos aqui apresentados são ape- nas

Os recursos aqui apresentados são ape- nas alguns dentre tan- tos que foram acres- centados. O Sonar 6 disponibiliza uma grande variedade de ferramentas para seus usuários ,demonstran- do por que a utilização deste software vem crescendo entre os profissionais da área. Um grande abraço e até outra análise nes- ta mesma seção.

* Carlos Roberto Ferreira de Menezes Júnior é compositor, arranjador, instrumentista e professor graduado em bacharelado em violão e licenciatura em música pela Universidade Federal de Uberlândia. É Especialista em Computação Sônica e atualmente faz mestrado nesta área na faculdade de engenharia elétrica da UFU. Desenvolve trabalho como diretor musical e produtor de discos de artistas da região. carlosmenezesjunior@gmail.com * Luciano Vieira Lima é professor da faculdade de Engenharia Elétrica e orienta mestrado e doutorado em engenharia da computação e computer music. Fez Doutorado em sistemas inteligentes autônomos de composição musical por computador baseado em estilos.

PDA, PALM Utilizando como Mp3 Player e com baixo consumo de bateria (mais horas de
PDA, PALM Utilizando como Mp3 Player e com baixo consumo de bateria (mais horas de

PDA, PALM

Utilizando como Mp3 Player e com baixo consumo de bateria

(mais horas de música pra você)

Parte II

Glauber Trevisol Furini Luciano Vieira Lima

você) Parte II Glauber Trevisol Furini Luciano Vieira Lima Dando continuidade ao artigo publicado na re-

Dando continuidade ao artigo publicado na re- vista anterior, iniciaremos agora a instalação do software da PalmOne e do Lightspeed e sua correta configuração. Para executarmos o programa Lightspeed no PDA devemos, antes de tudo, enviá-lo para o dispositivo. Utilizare- mos para isso, um programa da PalmOne, que acompanha o PDA. Este programa irá transferir o arquivo PRC do PC para o Palm. Uma outra função desse software é efetu- ar o caminho contrário que também trans- fere do Palm para o PC, efetuando um backup dos softwares do Palm. Isso é cha- mado de sincronismo, ou seja, ambos os computadores terão os mesmos progra- mas estando sincronizados.

terão os mesmos progra- mas estando sincronizados. Caso seu arquivo PRC não esteja asso- ciado ao

Caso seu arquivo PRC não esteja asso- ciado ao ícone acima, a causa provável é a falta deste programa e neste caso faça a instalação do mesmo. 1) Com o programa Palm Desktop (pro- grama de sincronismo) instalado, basta colocar o arquivo lightspeed.prc na lista de sincronismo do dispositivo, para que seja enviado ao PDA, podemos fazer isso de duas formas:enviando-o diretamente dan- do um duplo clique, ou clicando com o botão direito do mouse selecionando a opção “Enviar para” e “Palm Quick Install” . 2) Depois de realizado o passo ante- rior, verifique se o mesmo foi realmente adicionado a lista de sincronismo, confor- me a figura a seguir.

a lista de sincronismo, confor- me a figura a seguir. 3) A janela acima será aberta,
a lista de sincronismo, confor- me a figura a seguir. 3) A janela acima será aberta,

3) A janela acima será aberta, e o ar- quivo estará disponível para HotSync,caso não esteja na lista, repita o procedimento descrito no item1. 4) Conecte o PDA ao PC, via o cabo USB que o acompanha e faça o HotSync. Para iniciá-lo ligue seu Palm e localize o ícone indicado na figura, clique sobre ele utilizando de preferência a caneta plástica/metálica apropriada que o acompanha.

figura, clique sobre ele utilizando de preferência a caneta plástica/metálica apropriada que o acompanha. Playmusic 9

5) A tela abaixo é exibida e o HotSync estará sendo efetuado, dependendo da quantidade de arquivos que será enviado, poderá demorar, no caso ser somente o Lightspeed demorará menos de 30 segundos.

ser somente o Lightspeed demorará menos de 30 segundos. Janela no computador PC Tela do PDA

Janela no computador PC

demorará menos de 30 segundos. Janela no computador PC Tela do PDA 6) Concluído o HotSync

Tela do PDA

6) Concluído o HotSync esta tela sur- girá, volte para o menu principal clicando no ícone HOME do PDA

volte para o menu principal clicando no ícone HOME do PDA 7) O ícone do programa

7) O ícone do programa será exibido na tela do PDA.

do PDA 7) O ícone do programa será exibido na tela do PDA. 8) Agora basta

8) Agora basta clicar no ícone do pro- grama Lightspeed, ele é aberto e a tela principal abaixo é exibida.

ele é aberto e a tela principal abaixo é exibida. O programa possui duas telas de

O programa possui duas telas de ope- ração, esta é onde estão listados os pro- gramas, e onde podemos configurar os aplicativos, individualmente ou em gru- pos. Nesta tela encontramos o botão Enable/Disable, que ativa e desativa a fun- ção do programa, o botão Sigle/Multiple, lhe dá a opção de configurar apenas um ou mais aplicativos ao mesmo tempo e o botão Change abre as configurações das variáveis. O programa escolhido foi o pTunes. O Zire 72, e os PDA da PalmOne, mais novos,vem de fábrica com o software REALONE,para execução de Mp3,caso não tenha o pTunes instalado pode usá-lo nor- malmente seguindo os mesmo passos.

pode usá-lo nor- malmente seguindo os mesmo passos. Vamos configurá-lo: 9) Deixe os botões como ENABLE

Vamos configurá-lo:

9) Deixe os botões como ENABLE e SINGLE e clique no pTunes/RealOne.a tela a seguir é exibida:

e clique no pTunes/RealOne.a tela a seguir é exibida: 10) Faça a seguinte configuração: Bus em

10) Faça a seguinte configuração: Bus em 143 MHz e 1.0 de fator multiplicativo totalizando 143 MHz de processamento. Clicando nas setas orientadas à esquerda para diminuir e à direita para aumentar os valores.

para diminuir e à direita para aumentar os valores. 11) Saia do programa normalmente, clicando no

11) Saia do programa normalmente, clicando no botão HOME (citado no item 6) do seu PDA, voltando aos aplicativos, e abra o pTunes/RealOne clicando em seu ícone correspondente. Lembre-se que as configurações só fazem efeito no software escolhido no item 9.

ícone correspondente. Lembre-se que as configurações só fazem efeito no software escolhido no item 9. 10

10 Playmusic

12) O Player então é aberto, faça os procedimentos normais para a execução de suas músicas favoritas. Adicione músi- cas na sua lista e clique em Play.

Adicione músi- cas na sua lista e clique em Play. pTunes (não se assuste é apenas

pTunes

(não se assuste é apenas um skin do Winamp para pTunes.)

(não se assuste é apenas um skin do Winamp para pTunes.) RealOne Quanto a duração da

RealOne

Quanto a duração da bateria e esta- bilidade do sistema foram efetuados 2 testes, o primeiro com o PDA em suas configurações originais e o segundo com as configurações “setadas” confor- me o passo 18, BUS em 143 MHz e o fa- tor multiplicativo em 1.0 totalizando 143 MHz de processamento. Em ambos os testes, antes de serem realizados, espe- rou-se o aviso de bateria fraca então a mesma foi carregada por 2 horas, logo após o a carga, o player foi iniciado, e uma seqüência de musicas foi tocada em modo REPEAT e RANDON, o volume foi mantido em aproximadamente 75% e foi utilizado fones de ouvido. No primeiro teste com as configurações originais (208x1.5 = 312Mhz) o PDA manteve a execução das mp3 por exatamente 4 horas, já no segundo teste (143x1,0 =

143MHz ) o PDA executou as Mp3 por 8 horas e 15 minutos. Fazendo um overclock, se aumenta a performance do PDA, muito útil para aplicativos que necessitam de mais processamento, jogos, visualizadores de imagens, player de vídeo, porem diminu- indo a autonomia. Com um underclock, se aumenta a vida útil da bateria, inte- ressante para aplicativos que operam com pouco processamento, como apli- cações de PIM (agente eletrônica), Launchers, Ebook readers, Mp3 players como neste caso. Se observarmos na tela de configuração temos 3 configura- ções pré-definidas, High, Normal e Low,

facilitando a utilização para iniciantes, ou então podemos configurar alterando duas variáveis, Bus Clock e o fator multiplicativo, como foi utilizado neste artigo, gerando o CPU Clock. O BUS Clock

é responsável pela freqüência da comu-

nicação externa da CPU, ou seja, deter- mina o ciclo de dados por segundo tro- cados com a memória, com a parte res- ponsável pelo vídeo ou pelo som, o re- sultado da multiplicação do BUS pelo seu fator, resulta no CPU clock, que nada mais é, que a freqüência de

processamento dado a CPU. O programa Lightspeed é duplamen- te interessante, possui duas vantagens as quais agradam a todos os usuários de computadores de mão. Caso goste de performance, este programa oferece, ou se prefere autonomia, também. E se for mais exigente ainda, você ainda pode optar pelos dois, simplesmente configu- rando individualmente cada aplicativo do seu PDA dando mais processamento

a quem precisa e tirando de quem não

necessita. Abraços da equipe e até mais dicas de como utilizar PALMs no seu dia a dia como profissional ou amante da música.

Glauber Trevisol Furini - Trabalha com Computer Music na Faculdade de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Uberlândia, onde, também, faz sua graduação. É pesquisador da FINEP na área de educação, junto à pro - reitoria de Extensão da UFU. Luciano Vieira Lima é professor da faculdade de Engenharia Elétrica e orienta mestrado e doutorado em engenharia da computação e computer music. Fez Doutorado em sistemas inteligentes autônomos de composição musical por computador baseado em estilos.

Fez Doutorado em sistemas inteligentes autônomos de composição musical por computador baseado em estilos. Playmusic 11
DELICATESSEN – Jazz + Bossa (Bebel Arte / Tratore - 2006) Delicatessen é a prova
DELICATESSEN – Jazz + Bossa (Bebel Arte / Tratore - 2006) Delicatessen é a prova

DELICATESSEN – Jazz + Bossa (Bebel Arte / Tratore - 2006) Delicatessen é a prova de que no Brasil, também se sabe tocar e cantar em inglês. A banda gaúcha mistura jazz e bossa-nova com indiscutível qualidade. Se o canto forte do

jazz veio das igrejas, o canto delicado não. A inovação fica por conta da competência da banda, que ganha ainda mais aplausos com a performance da cantora Ana Kruger, que pertence a estirpe das raras cantoras sem vibratos, cuja voz cheia de privilégios é cristal. Daí a singularidade deste disco. Quem souber ouvir verá como ela faz bossa & jazz, sem maneirismos, sempre com a mesma ternura, o mesmo suíngue. Delicatessen é um sopro de doçura e sensibilidade. O coletivo vem do sul do País e traz a inspiração do cool jazz com vocal dos anos 50, regados com generosas doses de bossa nova.O Delicatessen destaca o violão executado magistralmente por Carlos Badia,

e o suporte ritmado do baixo de Edu Martins e a bateria de Mano Gomes, sintonizando

arranjos versáteis e criativos, com participações especiais de Chico Ferreti ao piano e Luiz Fernando Rocha no flugelhorn. O repertório de Jazz + Bossa conta com composições inéditas de Beto Callage (Todos os Dias e Setembro) e fundem-se com leveza aos standards de Duke Ellington (In a Mel- low Tone e In a Sentimental Mood), Earl Brent (Angel Eyes), Burke & Webster (Black Coffee), Al Dubin (You’re getting to ba a habit with me), Ray Noble (The very thought of you e The touch of your lips), Sammy Cahn (I fall in love too easily), Milton Drake (I love the way you’re breaking my heart), Brandt & Haymes (That’s all), Matty Malneck (I’m through with love) e Gershwin (Do it again).

HERBIE HANCOCK - Possibilities (Warner Music - 2006) Possibilities é um disco composto por um elenco de artistas renomados da cena musical, interpretando belas canções sob acompanhamento de Herbie Hancock, um dos pianistas de jazz mais influentes da atualidade. Nesse novo trabalho, Herbie Hancock coloca a tona canções que alternam entre influências de funk com jazz acústico e contemporâneo, elementos eletrônicos e doses singelas de Rhythm & Blue e Soul Music. Possibilities é um disco de duetos e grandes participações: Stitched Up abre o CD com a presença do cantor John Mayer; A Song For You deixa a tona as influências pop e os nomes da atual geração que Herbie Hancock admira e é ai que surge Christina Aguilera; Paul Simon aparece na faixa I Do It For Your Love:. O disco conta ainda com a presença de artistas como Joss Stone e Jonny Lang (When love comes to town), Annie Lennox (Hush, hush, hush), Sting (Sister Moon), Santana e Angélique Kidjo (Safiatou), Damien Rice e Lisa Hannigan (Don’t explain), Trey Anastásio (Gelo na montanha) e Stevie Wonder e Raul Midon (I just called to say I love). Possibilities promete ser um dos grandes lançamentos do ano. É um álbum que consegue reviver toda a essência de Herbie Hancock, através de melodias modernas, marcantes e criativas.

, através de melodias modernas, marcantes e criativas. RENATO BRAZ – Por toda a vida (Biscoito
, através de melodias modernas, marcantes e criativas. RENATO BRAZ – Por toda a vida (Biscoito

RENATO BRAZ – Por toda a vida (Biscoito Fino - 2006) Imaginem São Paulo repleta de toadas, luares do sertão e moças da roça, onde a

poesia de Catulo da Paixão Cearense e a prosa de Guimarães Rosa inspiram versos sobre

a cidade. A música de Jean e Paulo Garfunkel é capaz de conceber este universo bucólico

sobre a dura poesia concreta das esquinas paulistanas. Totalmente dedicado às canções dos irmãos Garfunkel, Por toda a vida é o quinto álbum do cantor Renato Braz, que levou quatro anos pesquisando o repertório e des- perta para o Brasil interiorano, num álbum repleto de violas, violões e acordeon. O disco tem participação especial de Mônica Salmaso (em Soldadinho de Chumbo), da Banda Mantiqueira (Calcanhar de Aquiles), além de Dori Caymmi, que assina os arranjos e violão em As Águas Sempre Vão, Por Toda a Vida, Aconteceu de eu me esquecer e Mágoa, nesta última cantando junto com Renato Braz, e o fino acompanhamento de músicos como Sizão Machado (contrabaixo), Toninho Ferragutti (acordeon), Gerson Oikawa e

Mário Gil (violão), Swami Jr. e Webster Santos (violão de 7 cordas), Teco Cardoso (flauta) e Naylor Proveta (clarinetes). Avenida São João explora as contradições da metrópole, mas Renato Braz mostra que também é de samba, na interpretação de Em Suma, onde também ataca no surdo. Contumaz é toada típica, sob a voz potente desse

artista e a viola de Ivan Vilela. O disco abre espaço ainda para a Marcha Nupcial, de Wagner, numa versão pra lá de livre dos irmãos Garfunkel. Uma das mais belas canções do disco, Meni- no Quieto tem arranjo e piano do maestro Nelson Ayres, embalando a canção de ninar.

Angelo Mugia é produtor cultural e coordenador de programação do Mozarteum Brasileiro.

Toninho Ribeiro Nesta edição vou falar sobre a levada do baixo no samba. A forma
Toninho Ribeiro Nesta edição vou falar sobre a levada do baixo no samba. A forma

Toninho Ribeiro

Nesta edição vou falar sobre a levada do baixo no samba. A forma mais comum

é a binária e deve ser escrita em 2/4 ou em

2/2, porém é normal encontrarmos parti- turas escritas por americanos em compas- so quaternário 4/4, particularmente eu prefiro a forma binária 2/4. A base funda- mental desse ritmo é a sua acentuação e para que fique bem caracterizado a sua forma básica, acentua-se o segundo tempo. Com relação as notas a serem usadas

é bastante comum a Tônica e a 5ª do acor-

de de forma ascendente ou a 4ª de forma descendente. Mas não esqueça que este é apenas o princípio básico, pois há várias maneiras para enriquecer a linha do bai- xo, usando arpejos, notas de aproximação cromática, etc Veja na figura ao lado alguns exemplos de células rítmicas básicas. Para obtermos a cadência é bom nos basearmos na semínima,acentuando sem- pre a segunda Nota. A colcheia pontuada é a princi- pal referência na pulsação do samba, pois os bateristas a usam muito no bumbo. Por experiência própria, posso dizer que leva algum tempo até que haja um casamento perfeito entre o baixo e a ba- teria. Por incrível que pareça tem que exis- tir uma química entre esses músicos, caso contrário, não rola. E digo mais, uma ban- da pode até ter um guitarrista não muito bom, mais se tem um baixo pulsante, pe- sado, pra frente e altamente entrosado com o baterista, com certeza a massa so- nora vai ser muito contagiante, seja no rock, no samba ou em qualquer ritmo.

Contrabaixo

Levada de baixo no Samba

Eu acho de extrema importância que o estudante ouça muito, e deixo aqui até uma indicação; quem não ouviu falar de Luizão Maia, mestre na levada de samba, que com poucas notas, precisão, persona- lidade sempre com muito sentimento, dava ao samba um balanço inigualável. Claro que como eu acabei de falar, é preci- so que haja uma troca, não adianta você jogar bem o futebol se quando passa a bola, o outro jogador não sabe devolvê-la. Este não era o caso do Luizão pois ele tocava com a Elis Regina e César Camargo Mariano, que para mim são a

maior referência no balanço do samba, procure ouví-los. Vai aqui um exercício. Pratique-o bas- tante que com certeza você logo estará dominando esse ritmo que eleva a nossa musica no exterior. Até a próxima.

Toninho Ribeiro - Cursou o Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos de Tatuí –SP. Atuou em Shows com Rosa Maria Collis, Pedrinho Mattar, Mario Edson e outros. Atualmente ministra aulas na Escola Ópera.

Exemplos de células rítmicas básicas

====================?

ll

2

4

«

«

«

¿

«

«

«

¿

>

ll

«

«

«

¿.

«

«

«

«

«

«

«

«

«

¿

ll

«

«

«

¿ ¿

«

«

«

«

«

«

«

«

«

«

«

«

¿

ll

«

«

«

¿.

«

«

«

«

«

«

«

«

«

«

=

””

«

«

¿ ¿.

¿ ¿.

> >

¿ ¿ ¿ ¿

Exercício - Levada de baixo no Samba

« « « « « « « « « « « « « « «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
4
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
« ˆ ˆ «
.
«
«
.
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
4
« ˆ. « ˆ ˆ. « ˆ «
« ˆ. ˆ ˆ.« «
«
ˆ «
«
«
ˆ « «
ˆ « «
«
ˆ. « ˆ «
«
«
«
«
ˆ. « ˆ «
«
«
«
«
«
l
====================?
l
ˆ. « ˆ «
ˆ«. « ˆ «
l
« ˆ ˆ «
.
ˆ« « ˆ ˆ
«
= « l
l
l
l
l
T
l
A
3
3 3
33
3 3
3
l
5
5
5
5
l
3
3
3
3
l
B
5
5
5
5
3
3
3 3
3
«
«
«
« «
«
«
«
«
«
«
« «
« «
« «
« «
« « «
«
« « «
«
«
« «
« «
«
«
«
«
«
« «
« «
«
«
«
ˆ. «
«
«
ˆ «
«
« ˆ ˆ.
«
ˆ «
« «
« ˆ
k ˆ«
≈ ≈
k ˆ«
«
« ˆ k ˆ«
≈ ≈
k ˆ«
ˆ «
l ====================?
ˆ «
.
«
ˆ «
.
ˆ. «
ˆ«. «
= l
l
l
l
T
l l
A
3
3
3
3
3
3
l l
5
5
55
5
5
l
l l
B
3
3
5
5
«
«
«
«
«
«
«
«
« «
«
«
«
«
«
«
« «
« «
«
«
« « «
«
«
«
«
«
«
« «
« «
ˆ. «
ˆ «
ˆ. «
« «
« «
ˆ« « ˆ
«
ˆ «
« «
« «
ˆ «
«
«
« « «
« « «
ˆˆ
«
«
ˆ «
«
====================?
l
ˆ «
.
ˆ «
ˆ «
.
« ˆ
l
ˆ. «
ˆ «
ˆ«. «
= { ”
ˆ «
l
l
T
A
3
3
3
3
l
l
55
5
55
5
{ ”
B
3
3
3
3
5
5
5
5
Maestro Reinaldo Garrido Russo Os livros de arranjo são repletos de dados sobre os instrumentos
Maestro Reinaldo Garrido Russo Os livros de arranjo são repletos de dados sobre os instrumentos

Maestro Reinaldo Garrido Russo

Os livros de arranjo são repletos de dados sobre os instrumentos de percus- são e sendo assim, deparamo-nos com detalhes que muitas vezes são relevantes aos instrumentistas e não ao arranjador. Muitos dos instrumentos com ataque percussivo, como: vibrafone, metalofone, marimba, piano, etc, têm altura definida e podemos, como já vimos, fazer uso des- ses instrumentos no papel de verdadeiros instrumentos de percussão, ou seja, sem a sua utilização harmônica ou melódica. Contudo,vamo-nos ater aos instrumentos que não têm altura definida e que são usados para preencher o espaço sonoro com os elementos do universo tipicamente rítmico. Muitos desses instrumentos são utili- zados nas orquestras sinfônicas como for- madores de timbre. Vimos, em matérias anteriores, que o timbre é formado pela qualidade, quantidade e amplitude dos harmônicos; pelo tipo de envoltório (ADSR); pela qualidade e quantidade de ruídos. Portanto, os instrumentos de per- cussão servem para compor os timbres orquestrais com seus ruídos que podem ser: estampidos agudos, batidas graves e ressonantes, rufos de tambores ou de pra- tos de todos os tipos, e assim, tornando o timbre de um acorde orquestral mais bri- lhante, mais denso e mais expressivo. Ve- jam que esta é uma outra maneira de o arranjador enxergar os instrumentos de percussão, além da maneira convencional

O Arranjo

Os instrumentos de percussão

tilizada na música popular onde os instru- mentos de percussão fazem repetições de células rítmicas simplesmente para dar o tom da “levada”. Saber como usar os ins- trumentos no todo da orquestra, da ban- da, do conjunto é arte de arranjador. Bom,podemos começar com a orques- tra de percussão mais reduzida possível que é a bateria. Podemos defini-la como um conjunto de tambores e pratos de vá- rios tipos e que são acionados por apenas um instrumentista através de baquetas e pedais. Veja na Figura 1 ao lado, onde os componentes da bateria são representa- dos por um símbolo específico num deter- minado lugar no pentagrama. Na mesma figura, vemos a escrita para um ritmo de rock básico. Para facilitar, veja no glossário abaixo os termos usados em português.

Drums - o conjunto da bateria Snare drum (SD) - caixa Small tom tom - tontons agudos Large tom tom - tonton médio Bass drum (BD) - bumbo (pedal) Hi Hat (HH) - pratos de contratempo Cymbal/Hi hat - pratos de condução (ride) Ou de efeito (crash)

O círculo ou a semibreve associada ao símbolo significa: aberto ou fechado. Temos, resumidamente, tambores, pratos e aros (de madeira e metal) de dife- rentes dimensões e peso proporcionando uma gama extensa de sons graves, médi- os e agudos. Os tambores têm peles esticadas em pelo menos um dos lados. A caixa, por exemplo, tem pele em ambos os lados e uma esteira de metal que pode ser regulada para vibrar ou não, produzindo um ruído de continuidade na própria pele.

Os tontons são tambores de tamanhos di- versos produzindo sons médio-agudos e médios. O tambor grave de pedal ou bumbo serve geralmente para dar o pul-

so. Dos pratos temos: os pratos de con- tratempo que são dois colocados em pa- ralelo, montados em pedestal e sujeitos

a ação de um pedal de forma a uni-los

ou desuni-los (fechado ou aberto) e per- cutidos com baquetas ou até com as mãos. Por fim, os pratos suspensos co- locados em pedestais, de tamanhos va- riados e que servem mais para o acom- panhamento, a condução. Dependendo da complexidade da par- titura, ela poderá ser escrita em dois pentagramas. Continuaremos na próxima edição comentando os instrumentos restantes que não fazem parte da bateria básica. Não se esqueçam de que os novatos podem fazer um curso básico de arranjo,

a preço baixo, com exercícios e correção, e aulas na forma de conferência pelo Skype ou MSN e através da Internet. Fazemos master-class e ministramos cursos rápidos para escolas de música em todo Brasil. Informem-se enviando-nos um e-mail para duemaestri@uol.com.br. Visite o site www.duemaestri.mus.br.

Maestro Reinaldo Garrido Russo é arranjador, violonista, professor de arranjo e teoria. É também diretor da 2MAESTRI (due maestri) consultoria em ensino de música e produção musical, curso de arranjo e cursos culturais. Autor do livro “O Básico da Teoria Musical”. Tel: (11) 5562-8593 ou pelo site:

www.duemaestri.mus.br ou e-mail:

duemaestri@ uol.com.br

Figura 1

Snare Brum. SD

œ»

»

»

»

LTT Large tom tom

« «

«

˙«

˙»

»

»

»

HH Hi hat

¿

»

»

»

«

«

« ¿

ll

=====================

˙»

»

»

»

/

STT Small Tom Tom

Cym Cymbl/Hi Hat

BD Bass Drum

Open HH

o

«

«

«

¿

HH

«

«

«

¿

COW BELL

«

«

«

±

«

«

«

«

Î

===================== /

prt condução fechado Cym

˙»

»

»

»

RIM

ll

4

4

prato de efeito - crash

ROCK

/

4 4

«

« «

¿

«

« «

¿

«

« «

¿

«

«

«

¿

Œ

œ»

»

»

»

œ»

»

»

Œ

»

«

« «

¿

«

«

«

¿

«

«

«

¿

«

«

«

¿

Œ

œ»

»

»

»

œ»

»

»

Œ

»

«

« «

¿

«

«

«

¿

«

«

«

¿

«

«

«

¿

Œ

œ»

»

»

»

œ»

»

»

»

Œ

«

« «

¿

«

« «

¿

«

«

«

¿

«

«

«

¿

Œ

œ»

»

»

»

œ»

»

»

Œ

»

””{

=====================

““{

ll

« ¿ « « « ¿ « « « ¿ Œ œ» » » » œ»
16 Playmusic
16 Playmusic
16 Playmusic
16 Playmusic
16 Playmusic

16 Playmusic

Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra
Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra
Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra
Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra
Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra
Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra

Vendo Yamaha G50 - Conversor MIDI para guitarra. É ideal para seqüenciar usando uma guitarra ou um violão MIDI, para ter a mesma varieda- de de timbres de um teclado. R$ 1.200,00. Tel. (11) 5562-8208.

Aulas de Piano e Teclado - Par- ticular e em domicílio, Harmonia e Im- provisação. Ligue e agende uma entre- vista. (11) 7176-9330 ou(11) 7265-6413 com Fernando Tadeu.

Router/Modem ADSL D-Link DSL-500G. Novo. Serve para qualquer operadora. Preço R$ 180,00. Fone: (48) 3028-2962

Vendo Yamaha PSR 1000 Im- pecável e com fonte original. Tel.: (11) 5562 8208

– Im- pecável e com fonte original. Tel.: (11) 5562 8208 Vendo Placa de Som Delta

Vendo Placa de Som Delta 1010 LT para grava çã o - PCI, 8-in/ 8-out analógicos com 2-in balanceados com pré de Mic 24 Bit/96 kHz MIDI e SPDIF. Tel. (11) 5564-4255 com Rose ou Vanessa.

Yamaha Tyros - Semi-novo, com caixas TRSMSO2 e Sub-Woofer. R$ 7.500,00 - Fone (11) 6915-0023 e (11) 9117-7007 c/ José Roberto.

18 Playmusic

Guia do Repertório

Por uma questão de diagramação, eventualmente, pode-se não transcrever pequenas variações de melo- dia, “breques” ou trechos sem bateria, em função das barras de repetição.

O resultado sonoro dos arquivos MIDI varia dependendo da fonte geradora (teclados, módulos, computa-

dor, etc.). As cifras indicadas nas partituras nem sempre correspondem fielmente às progressões harmônicas con- tidas nos arquivos MIDI, embora o resultado sonoro produzido pelo acompanhamento automático do teclado seja satisfatório. A maioria dos modelos não interpreta corretamente as dissonâncias dos acordes nem todas as inversões usadas no arquivo MIDI.

Para fazer as inversões dos acordes usando baixo de passagem no acompanhamento automático, como por exemplo a seqüência C - G/B - Dm7/A, é necessário alterar o modo do acompanhamento para a função que respeite a nota mais grave do acorde, fazendo o desenho do baixo de acordo com a inversão tocada, além de verificar se todas as notas do acorde estão na região do automático, ou se é preciso mudar a divisão do teclado (split point). No caso do teclado não ter o recurso de mudar o modo do acompanhamento, os acordes poderão ser tocados nas inversões de costume, apenas fazendo um encadeamento. Vale salientar, entretanto, que no violão essas inversões de acordes, usando baixo de passagem, fazem muita diferença na sonoridade da música, mesmo porque segue a intenção do original em que foi baseado. Antes de definir a divisão do teclado para o acompanhamento automático, além de observar as considera- ções acima sobre os acordes, deve-se também prestar muita atenção nas notas da melodia, principalmente as mais graves para que o ajuste da divisão do acompanhamento não impeça a execução da mesma. Quando ocorrer essa sobreposição do acompanhamento com as notas da melodia, uma boa alternativa é tocar uma oitava acima.

A maioria dos teclados quando acionado o acompanhamento automático, alteram as oitavas de alguns

instrumentos, de maneira que a melodia possa ser tocada a partir do C3 (dó central), sem utilizar a região do acompanhamento automático. É o caso dos violões e trombones entre outros. Nas partituras esses solos já estão escritos na região própria para esse fim. Por esse motivo, pode às vezes não corresponder à tessitura correta gravada no arquivo MIDI. Para evitar erros, ouça o arquivo gravado no disquete para saber a altura correta de cada instrumento. Os estilos indicados nas partituras são apenas sugestões, baseadas em várias marcas e modelos de teclados, que mais se aproximam da versão original. Convém sempre pesquisar se no seu equipamento não existe um outro que melhor se adapte a cada música. No caso de ritmos brasileiros, sugerimos, sempre que possível, utilizar os ritmos prontos de disquetes e cartuchos vendidos em lojas especializadas. Isso tudo no caso de não utilizar o arquivo MIDI, que é o ideal, pois possui a métrica e as viradas fiéis à versão da música em que foi baseada. Para fazer os breques indicados nas partituras, é aconselhável usar a função “star/stop”, onde o acompa- nhamento automático apenas é acionado enquanto as notas estão sendo pressionadas, parando assim que soltamos as teclas. Nas músicas com as cifras como G/C onde o baixo está em nota diferente do acorde, desconsiderar a nota do baixo e tocar apenas o acorde na inversão que melhor servir para o encadeamento no acompanhamento automático. É necessário ajustar as oitavas para cima ou para baixo, onde houver solos de Distortion Guitar ou Overdrive Guitar, nos teclados com até cinco oitavas. As frases foram transcritas de forma a facilitar a leitura. É preciso salvar na memória de registração a altura correta, sempre tomando como base o timbre que está soando no arquivo MIDI. Também em relação às frases dos solos de guitarra, tanto Distortion como Overdrive, é aconse- lhável sempre ouvir o arquivo MIDI, pois normalmente precisa ser usado o efeito pich bend para soar a nota certa. Para tocar as músicas “Chorando Se Foi” e “Tá Pegando” com acompanhamento automático é aconse- lhável usar estilos brasileiros prontos ou montar estilos a partir dos arquivos MIDI.

Edeli S. Zardo

Dicionário de Acordes

Dicionário de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de
Dicionário de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de
Dicionário de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de

Minha História

Dicionário de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de
Dicionário de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de
Dicionário de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de

Preciso Aprender a Ser Só

de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de Acordes
de Acordes Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de Acordes

Pelo Amor de Deus

Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de Acordes para Violão
Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de Acordes para Violão
Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de Acordes para Violão
Minha História Preciso Aprender a Ser Só Pelo Amor de Deus Posições de Acordes para Violão

Posições de Acordes para Violão e Guitarra

Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser

Minha História

Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser

Preciso Aprender a Ser Só

Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser

Pelo Amor de Deus

Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser
Amor de Deus Posições de Acordes para Violão e Guitarra Minha História Preciso Aprender a Ser

20 Playmusic

PL111001

A Cúmplice

Fa Maior

Fábio Jr.

Tonal. Original: Fa# Maior

 

Juca Chaves

Intro.: F / Am7 / Bb / Bb

C

Bb/D

C / F

/

Solo: C

/ F

/ C

/ Am7

/ D7

/

Am7 D7 / Gm7 / C7sus4 / Bb / Bb //

G/F

Eu quero uma mulher que seja diferente

F

C/G

F

De todas que eu já tive, todas tão iguais

Bb

C

Am7

Que seja minha amiga, amante e confidente

Dm7

A cúmplice de tudo que eu fizer a mais

G7

C7sus4

F

G/F

No corpo tenha o Sol, no coração a Lua

C/G

F

A pele cor de sonho, as formas de maçãs

Bb

C

Am7

A fina transparência, uma elegância nua

Dm7

O mágico fascínio, o cheiro das manhãs

G7

C7

F

Solo: Am7 / Bb /

Bb

C

Bb/D C /

F / Am7 D7 / Gm7 / C7sus4 /

Bb

/ Bb //

F

G/F

Eu quero uma mulher, de coloridos modos C/G Que morda os lábios sempre

F

Que for me abraçar Bb

No seu falar provoque o silenciar de todos

Dm7

E o seu silêncio obrigue

C

Am7

G7

C7sus4

A me fazer sonhar

F

G/F

Que saiba receber, que saiba ser bem-vinda

C/G

F

Que possa dar jeitinho em tudo que fizer

Bb

C

Am7

E que ao sorrir provoque uma covinha linda

Dm7

De dia uma menina

G7

C7

F

A noite uma mulher

Gm7 / C7sus4 / Bb / Bb //

F

Eu quero uma mulher, de coloridos modos C/G

Que morda os lábios sempre

G/F

F

Que for me abraçar Bb

No seu falar provoque o silenciar de todos

Dm7

E o seu silêncio obrigue

C

Am7

G7

C7sus4

A me fazer sonhar

F

G/F

Que saiba receber, que saiba ser bem-vinda

C/G

F

Que possa dar jeitinho em tudo que fizer

Bb

C

Am7

E que ao sorrir provoque uma covinha linda

Dm7

De dia uma menina

G7

C7

Bb

A noite uma mulher

Solo: Bb / Bbm /

/ Fsus4 / /

Fsus4

F

Menina, mulher

PL111001

A Cúmplice

Fábio Jr.

Fa Maior Tonal.Original Fa# Maior

8 Beat Juca Chaves q = 92 b b F Am 7 B B C
8 Beat
Juca Chaves
q = 92
b
b
F
Am 7
B
B
C
B
b /D
C
F
Coro
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
b c Ó
Œ
«
«
«
«
«
«
«
«
« «
« «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
œ» » »
«
Œ
«
«
«ˆ
ˆ « ˆ«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
˙«
ˆ «
«
=====================
ll
ˆ «
«
ˆ« «
j
« ˆ
ll &
« ˆˆ« «
«
«
ll
«
ˆ« ˆ« ˆ« .
j
«
ll
«
ˆ«
ˆ«
j j
ˆ«
j
ll
_ˆ «
ˆ ˆ«
«
ˆ«
j ˆ«
»
ll
Intro.
B b
Am 7
D 7
Gm 7
C 7 sus 4
«
« «
«
«
««
«
«
b
« «
«
«
««
« «
«
« «
« « «
«
«
«
«
«
«
ˆ«
«
j ˆ«
ˆ « ˆ «
«
« « «
« «
ll =====================
&
« «
« « «
«
ll
« «
ˆ«
j
ˆ«
« ˆ
« «
j ˆ«
ll
« ˆ ˆ«
« ˆ
ll
w
ˆ« ˆ ˆ «
j
« « «
˙«
ˆ «
ll
b " B F £ G/F C/G « « « « « « « «
b
"
B
F
£
G/F
C/G
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
b
Œ
.
«
«
«
«
« « «
« « «
«
«
«
« «
« «
« «
« «
« «
«
«
œ » œœ» »
»
ˆ« ˆ
j« «
ˆ
« ˆˆˆ ˆ«
« « « «
« « « «
« « « «
ˆ« « « ˆ ˆˆˆ «
jˆ«
«
« « « «
« « « «
ˆ «
«
«
«
«
«
«
«
Œ
œ
»
« ˆ ˆ« jˆ« « ˆ ˆ« « ˆˆ
«
«
«
ˆ « ˆ «
»
»
»
=====================
ll
&
llll
ll
ll
ll
»
»
»
»
» »
»
»
ll
Voz
B b F C Am 7 Dm 7 G 7 « £ £ « «
B b
F
C Am 7
Dm 7
G 7
«
£
£
«
«
« «
« «
«
«
««
«« « «
«
b
« «
« «
« «
« «
« ‰
« « «
«
«
ˆ«
« « «
«
«
« «
« «
« « «
« «
« «
« «
«
« «
«
« «
ˆ« jˆ« « ˆ ˆ
«
«
=====================
ll
&
ˆ« « ˆˆˆ
jˆ«
« «
« «
« «
ˆ
« « ˆ
«
«
ˆ « ˆ «
«
« «
« «
« «
ˆ «
ll
j ˆ«
ˆ«
« ˆ
ˆ ˆ« «
« «
ll
« « j
« «
« « «
« « «
« «
«
_ˆ« « _ˆ« « _ˆ« « « _ˆ_ˆ « «
j
« « ˆ
ll
« ˆ ˆ «
ll
C 7 sus 4
F
G/F
C/G
«
«
« «
«
«
« «
« «
« «
« «
«
« «
«
« «
« « «
« «
«
« «
« «
« «
« «
« «
« «
« «
« «
b
« «
. ˆ«
j
ˆ
«
ˆ
« ˆˆˆ ˆ«
« « « «
« « « «
« « « «
ˆ« « ˆˆˆ
jˆ«
« «
«
« «
j ˆ«
«
« « «
«
« « «
« « «
« « «
« « «
œ »
œ
»
ˆ«
ˆ« ˆ« jˆ« « ˆ«
« « ˆˆˆ
« «
« «
ˆ
« ˆ «
ˆ« ˆ ˆ
j« « «
»
»
»
=====================
ll
&
ll
ll
ll
»
»
»
ll
B b
F
C Am 7
Dm 7
G 7
C 7
«
£
«
b
« «
« «
«
«
«
« «
« «
« ‰
«
«
« «
£
« œ »
œ »
ˆ«
« « «
« «
«
«
«
«
«
« « «
« «
«
«
« «
« « «
« «
«
ˆ« « ˆˆˆ
jˆ«
« «
«
«
ˆ « ˆ «
« «
« «
ˆ ˆ
«
«
« « «
«
« « «
« «
« «
« «
« « «
« «
«
j ˆ«
« ˆ «
ll
====================&
ll
«ˆ
« ˆ
ll
« «
ll
ˆ «
» » »
ˆ«
j
ˆ « ˆ«
ˆ « « ˆ ˆ «
= ll
» » »
j _ˆ« « _ˆ« jˆ_« « « _ˆ « _ˆˆ_
« « « «
« « « «
b
b
F
Am 7
B
B
C
B
b /D
C
Coro
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
b
œ» J «
»
«
Œ
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
œ» » »
ˆ «
ˆ «
ˆ« «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ« «
j
ll =====================
&
»
»
ˆ« .
llll
ˆ«
ˆ ˆ«
«
«
ll
ˆ« ˆ«
j
ˆ« .
«
ll
«
ˆ«
ˆ« ˆ«
j j
ˆ«
j
j ˆ«
ll
_ˆ« «
ˆ «
ˆ« «
»
Solo
F Am 7
D 7
Gm 7
C 7 sus 4
« « « « « « « « « « « « « «« «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
««
«
«
«
«
«
«
«
««
«
«
«
«
«
«
b
«
˙«
Œ
ˆ« «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ «
ˆ«
«
«
«
«
«
«
j ˆ«
« ˆ « ˆ
«
«
«
ll &
=====================
ll
«
«
«
«
«
ˆ«
j
ˆ«
ˆ «
« ˆ ˆ«
«
ˆ «
ˆ« ˆ ˆ «
j
«
j ˆ«
ll
˙«
ll
ˆ «
ll

Copyright by Todos os Direitos Reservados

22 Playmusic

PL111001

b B b % " B F £ G/F « « « « « «
b
B b
%
"
B
F
£
G/F
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
b
Œ
.
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ«
j« «
ˆ
ˆ
« ˆˆˆ ˆ«
« « « «
« « « «
« « « «
ˆ« ˆˆˆ ˆˆ «
j« «
«
«
« « « «
« « « «
ˆ
«
«
«
« « «
« « «
=====================
ll
&
w
« ˆ ‰ jˆ« ˆ« « « ˆ ˆ« « ˆ « ˆ «
llll
ll
ll
ll
Voz
B b
C/G
F
C Am 7
Dm 7
« « « « « £ « « b « ‰ « « « «
«
«
«
«
«
£
« «
b
«
«
« «
« «
œ» »
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
« ‰
«
«
«
«
«
«
£
«
«
œ
»
ˆ«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ« « ˆ «
ˆ« ˆ ˆ
j« « «
»
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
&
»
»
«
«
ll =====================
»
»
ll
ˆ« « ˆˆˆ ˆ« « ˆ
jˆ«
«
«
« « « «
ll
«
ˆ« «
ˆ « ˆ «
ˆ
«
«
ll
«
« ˆ
ˆ«
j
« « «
« « «
«
j ˆ«
ll
_ˆ« « _ˆ« jˆ_« « « _ˆ « _ˆ_ˆ
«
« « « «
ˆ «
G 7
C 7 sus 4
F
G/F
« « « « «« «« « « « « « « « « «
«
«
« «
««
«« « «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
b
«
«
«
«
«
«
«
« « «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ« jˆ« « ˆ ˆ
«
.
ˆ«
j« « « ˆˆˆ ˆ«
ˆ ˆ
« « « «
« « « «
« « « «
ˆ« « ˆˆˆ j
jˆ«
«
«
«
ˆ«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ «
ˆ«
ˆ«
ˆ«
jˆ«
ˆ
« ˆˆˆ
«
« « « «
« « « «
=====================
ll
&
ˆ
«
« ˆ
ll
ll
ll
ll
B b C/G F C Am 7 Dm 7 « « « £ « «
B b
C/G
F
C Am 7
Dm 7
«
« «
£
« «
«
«
£
b
« « «
« « «
« «
« « «
œ »
»
œ
«
« «
« «
« «
« ‰
«
ˆ
« ˆ «
ˆ« ˆ ˆ
j« « «
»
»
ˆ«
« «
«
«
« « «
« « «
=====================
ll &
»
»
»
ll
ˆ« « ˆˆˆ
jˆ«
« «
« « « «
« « « «
ll
ˆ« « ˆ «
« «
« «
« ˆ ˆ «
« « «
« « «
« «
« «
« «
« «
« «
»
j ˆ«
ˆ«
« ˆ
« ˆ
ll
« « «
ˆ«
j
«
«
« « «
« « «
ll
_ˆ« « _ˆ« « _ˆ «
j« « _ˆ_ˆ _ˆ
«
«
« ˆ
G
7
C
7
F
C
F
«
to
«
«
«
«
œ »
«
Coro
b
«
«
«
«
«
«
«
»
»
œ
J œ»
«
»
»
«
Ó
w
ll
=====================
&
«
«
j ˆ«
ˆ « »
« ˆ « ˆ
ˆ « «
»
w
»
»
llll
»
»
ˆ« .
ll
ll
ll
Solo
C
Am
7
D
7 Gm
7
« «
b
«
« «
œ » œ » » œ œ œ »
« « «
.
»
» »
»
œ »
œ »
œ »
w
˙«
ˆ«
====================&
ll
ll
#ˆ« j «
ll
w
» »
ll
»
» » »
» »
» »
» »
»» »
» »
= ll
» » »
b C 7 sus 4 B œ» ˙» . « « « « « »
b
C
7 sus 4
B
œ»
˙» .
«
«
«
«
«
»
b
»
«
«
«
«
J œ»
œ»
»
»
ˆ «
ˆ« .
»
»
»
ll &
============
»
ˆ«
ll
»
»
»
»
llll

D.S. e Coda

b m 6 Coda fi B b « « B « Ocarina « « «
b m 6
Coda
B b
«
«
B
«
Ocarina
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«
b
J œ»
«
« ˆ «
J œ»
«
«
ˆ «
J œ»
«
«
«
«
»
«
«
«
«
»
œ»
«
»
ˆ« jˆ« j «
ˆ«
«
«
«
«
«
»
œ»
»
«
«
«
=====================
ll
&
llll
»
»
ˆ« .
«
ˆ«
ll
»
»
»
ll
«
ˆ«
ll
»
»
»
ˆ« jˆ« j «
j ˆ«
»
bˆ« « j
˙« .
»
bˆ« « .
ll
Solo
Fsus 4
F
«
«
« « «
«
«
«
b
Ó
Œ
ˆ«
« «
« «
ˆ «
j ˆ«
« «
« «
« «
« « «
« «
Œ
ll
====================&
ll
ll
ˆ« .
ˆ«
ˆ «
˙« .
«ˆ «
ll
=
””
Voz

PL111002

Minha História (Gesùbambino)

Zezé Di Camargo & Luciano Part.: Chico Buarque

Do Maior/ Reb Maior

8 Beat

q = 106

Dalla/ Palotino Versão: Chico Buarque

« «

jˆ jˆ «

ˆ

« «

« «

« jˆ «

«
«

_ˆ« « _ˆ« «

« «

« « « « « « ˆ« ˆ«
«
«
«
«
«
«
ˆ« ˆ«

C Piano

.

« «

«

_ˆ« «

« « «« « «« « « « « « ˆ « « ˆ «
« «
«« «
«« «
« «
«
« ˆ
«
« ˆ « ˆ «
«
«
« «
» »
ˆ «
« ˆ
« « ˆ
l

l
l

œ»

œ»

» œ

œ J »

» »

»

» » »

F

« «

« «

j «

« « « «« « « «« « « « « « « « «
«
«
«
««
«
«
««
«
«
«
«
«
«
«
« « ˆ
«
«
«
«
˙
«
ˆ
« ˆ
«
«
ˆ «
«
«
«
l
«
ˆ «
« ˆ
l
_ˆ «
ˆ
«
«
l
«
««
«
«
l
«
«

_ˆ« « _˙« «

l

l

«« « «

« ˆ «

«

l

l

« «

« ˆ

«

ˆ«

« j

« «

ˆ «

« «

ˆ«

l

l

l

= l

=====================

l

l

l

l &

« «

« ˆ

« «

ˆ«

« ˆ

« ˆ j «

ˆ «

ˆ « « « « « ˆ« ˆ«
ˆ
«
«
«
«
«
ˆ« ˆ«

c Œ

sem bateria

« « «« « « « « « « « « « « ˙ «
« «
««
« «
« «
«
«
«
« «
«
˙
« « ˆ «
« ˆ
« «
l
_« ˆ « _« « ˙
«
«
«« «
«« «
« «
« ˆ
« «
«
œ»
« «
« ˆ « ˆ «
»
«
ˆ «
«
«
«
«
ˆ «
»
« jˆ «
ˆ «
ˆ «
« ˆ

_

_ « ˆ

«

« «

ˆ«

_ˆ« «

« «

«

˙«

l
l

l l

œ J »

»

» »

» » »

====================?

c

Intro.

« ˆ

«

ˆ «

ˆ «

«

« ˆ

Ó

&

C

« «

«

ˆ «

_ˆ« «

« «
«
«

«« « «

« ˆ «

« ˆ

«

_ «

« ˆ

_

G

7

œ»

» œ

C

« «

jˆ j

« «

ˆ « « « « « « ˆ« ˆ«
ˆ
«
«
«
«
«
«
ˆ« ˆ«

« «

« ˆ

« «

ˆ«

F

« « «

« «

« ˙ « « _˙« « «« « l «« « «
«
˙
« «
_˙« «
«« «
l
««
« «

_ˆ« «

l l

« « «

«

ˆ «

« «

« ˆ «

ˆ «

« «

« ˆ

l

£ « « « « « « « ˆ « ˆ « ˆ « «
£
«
«
«
«
«
«
«
ˆ
«
ˆ
«
ˆ
«
«
«
«
«

_ˆ« «

ˆ«

ˆ«

Ó

Gsus 4

G

« « « « « « « « « ˆ « « « « «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
ˆ
«
«
«
«
«
« ˆ
«

« «

ˆ

l ˆ«

l

l l w

« « «
«
«
«

ˆ ˆ

« ˆ ˆ«

rit

Dm

« « « « ˆ « « « _ˆ « «
«
« «
«
ˆ
«
«
«
_ˆ « «

« « ˆ

« ˆ

=====================

l
l

l

l ====================?

= l l

l
l

ll

=====================

ll &

« «

«

« ˆ

_ˆ« «

« « « « « « « « « «
«
«
«
«
«
«
«
«
«
«

ˆ

a tempo

““{

œ» .

» »

»

«

«

«

ˆ ˆ

«

«

œ » œ »

» »

»

ll

œ » œ » » » » » » ll » » » » »
œ »
œ »
»
» »
» »
ll
» » »
» »
»

œ »

œ» J œ» » œ »

» »

»

˙»

» » »

.

» œ » œ» J œ» » œ » » » » ˙» » » »

» »

»

» » » » » » » » » »» » »
»
»
»
»
»
»
»
»
»
»»
»
»

œœ

œ»

»

» »

œ»

»

» »

œ» J œ » »

»

» »

_ˆ « _ « ˆ _ « ˆ

Œ

» » ‰ œ» J œ » » » » » _ˆ « _ « ˆ

Ó

Voz

»œ œ

» »

»

» »

»

»

1. G

G 7 /B

£

1. G G 7 /B £ C

C

ll

˙»

» » »

» œ » œ » œœ» » » » » » »» » » »
» œ
»
œ » œœ» »
» »
»
»
»» »
» »
» »
» » »

œ »

ll

œ»

» » »

œ»

»

» »

œ»

»

» »

£

« « «

« ˆ ˆ ˆ« ˆ «

« « «

« «

« «

« «

«

« « «

ˆ «

£ « « « « ˆ« « « ˆ« « « ll
£
«
« « «
ˆ«
« «
ˆ«
« «
ll

« «

_ˆ« « _ˆ« «

« « ˆ« « « ˆ« « « ll « « _ˆ« « _ˆ« « Œ

Œ

&

=====================

ll

ll

« « _ˆ« « _ˆ« « Œ & ===================== ll ll & Ó Œ œ» »

&

Ó

Œ

œ» »

≈ »

»

œ »

» »

»

””{

C "

Œ

.

Coro

«

«

« «

jˆ « ˆ« « ˆ«

«

«

«

_ˆ« «

«

«

«

ˆ « «

_ˆ «

«

«

«

«

« ˆ

ˆ

2.

G

» œ œ » œ » » œ » œ » œœ » » »
» œ œ »
œ » »
œ » œ »
œœ
»
»
» »
» » »
»»
» » »
» »
»
»» » »
»» »
» » »

œ »

C

Ritmo

llll

w

w

ll

G

» J œ» » »

ll

7 /B

F

«

«

«

ˆ

«

ˆ«

«

« «

ˆ«

.

«

«

«

ˆ

ˆ

«

«

ll

C

œ»

»

» »

« « «

ˆ«

=====================

ll

œ »

»

»

»

====================&

ll

ll

«

«

«

œ» J

» »

»

œ œ»

» » »

»

œ» J œ» .

» »

»

»

» »

»

» »

ll

.

˙»

»

»

»

»

»

˙.

˙.

«

«

«

«

«

«

œ»

»

»

»

»

»

œ

« ˆ ˆ « ˆ œ

« ˆ « ˆ

œ»

»

=

ll

«

≈ »

»

ˆ

«

Voz

C

C+/G #

ll

Ó

œ»

»

» »

Dm/A

«

« «

ˆ«

« « «

˙«

b

£

ll

B

Ó

&

« « « « « « « « «
«
«
«
«
«
«
«
«
«

ˆ «

ˆ «

ll

ll

=====================

ll

llll

»œ » œœ œ œ » » » » » » » » »» »
»œ
» œœ œ œ »
»
» »
» »
»
»
»» »
»»
» » »
»
»
»
»» »
» »

œœ » » œ»

» »

»

œ « ˆ

»

» » »

Œ

Œ

œ»

»

» »

œ »

»

» »

Copyright by Todos os Direitos Reservados

24 Playmusic

PL111002

Bm-