Vous êtes sur la page 1sur 50
Curso de Arquitetura e Urbanismo - Di sciplina Expressão e Representação III www.metodistademinas.edu.br Topografia

Curso de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III www.metodistademinas.edu.br

Topografia com o SketchUp 6.0

(e com o auxílio dos programas WinTop Standard e AutoCAD) 2ª Versão - Outubro 2008

WinTop Standard e AutoCAD ) 2ª Versão - Outubro 2008 Elaborado por: Ezequiel Mendonça Rezende Revisão:

Elaborado por:

Ezequiel Mendonça Rezende

Revisão:

Mateus Pontes

Outubro / 2008

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

2

Sumário:

1 Primeira parte: Utilizando o Básico

4

1.1 Vetorizando um desenho

4

1.2 Preparando o terreno no AutoCAD

6

1.3 Importando o arquivo .DWG

7

1.4 Criando a superfície do terreno

8

1.5 Colocando os platôs na superfície do terreno

10

1.6 Isolando áreas na superfície do terreno

12

1.7 Criando curvas de nível a cada 0,5 metros

12

2 Segunda parte: Criando taludes corretamente

14

2.1 Criando taludes corretamente

14

2.2 Criando os taludes

16

2.3 Cortando o Terreno 3D

20

2.4 Criando as curvas de nível corrigidas

23

2.5 Criando curvas interpoladas

25

2.6 Lançando uma rampa (processo simplificado)

26

3 Terceira parte: Rampa com planos reversos

29

3.1 Compreendendo os planos reversos

30

3.2 Construindo a rampa com planos reversos

31

4 Quarta parte: Cálculo de movimento de terra

34

4.1 Colocando o terreno original

34

4.2 Criando os planos de seções

35

4.3 Extraindo as áreas das seções

38

5 Quinta parte: Utilizando Scripts RUBY

40

5.1 Plugin Cloud_v6.rb

40

5.2 Plugin ContourMaker.rb

42

6 Anexos

43

7 Bibliografia

50

Relação de figuras:

Figura 1 – Terreno a ser vetorizado

4

Figura 2 – Programa WinTopo Standard

4

Figura 3 – Abrindo a imagem a ser vetorizada

5

Figura 4 – Programa WinTopo Standard

5

Figura 5 – Salvando em formato vetorial

5

Figura 6 – Organizando o terreno no AutoCAD

6

Figura 7 – Ligando a barra de ferramentas SandBox Tools

6

Figura 8 – A barra de ferramentas SandBox Tools

6

Figura 9 – Importando o terreno em formato .dwg

7

Figura 10 – Configuração das unidades de importação

7

Figura 11 – Resultado da importação

7

Figura 12 – Terreno importado dentro do SketchUp

8

Figura 13 – Seleção das curvas de nível

8

Figura 14 – Superfície gerada com o comando From Contours

9

Figura 15 – Fazendo a interseção da superfície com o prisma

9

Figura 16 – Executando o comando Intersect

10

Figura 17 – Terreno finalizado

10

Figura 18 – Platô selecionado durante o comando Stamp

11

Figura 19 – Comando Stamp aplicado na superfície do terreno

11

Figura 20 – Comando Drape aplicado na superfície do terreno

12

Figura 21 – Retângulo abrangendo o terreno

12

Figura 22 – Planos repetidos em Z

13

Figura 23 – Novas curvas de nível a cada 0,5 metro

13

Figura 24 – Exemplo de platô, rampa e taludes a serem criados

14

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

3

Figura 25 – Organizando o terreno no AutoCAD

14

Figura 26 – Terreno importado dentro do SketchUp com os níveis nas extremidades

15

Figura 27 – Superfície gerada com o comando From Contours

15

Figura 28 – Colocação do platô na cota 5,0m

16

Figura 29 – Desenho das seções dos taludes de corte e aterro

16

Figura 30 – Extrusão das seções dos taludes de corte e aterro

17

Figura 31 – Todas as seções dos taludes de corte e aterro

17

Figura 32 – Todos os taludes de corte e aterro

18

Figura 33 – Todas os taludes de corte e aterro com as interseções entre si

18

Figura 34 – Taludes de corte e aterro fazendo a interseções com o Terreno 3D

19

Figura 35 – Limpeza das interseções dos taludes com o Terreno 3D

19

Figura 36 – Representação final da interseção dos taludes com o Terreno 3D (offset)

20

Figura 37 – Seleção do Terreno 3D para iniciar a interseção com o offset

20

Figura 38 – Reversão das faces do Terreno 3D para executar a interseção com os taludes

21

Figura 39 – Terreno 3D com as interseções corretas com os taludes

21

Figura 40 – Novo Terreno 3D com os taludes e platô

22

Figura 41 – Novo Terreno 3D com as curvas de nível originais

22

Figura 42 – Superfície que irá criar a curva de nível 0,0m

23

Figura 43 – Conjunto de superfícies que criarão as novas curvas de

23

Figura 44 – Seleção do conjunto de planos

24

Figura 45 – Planos horizontais fazenda a interseção com o Terreno 3D e taludes

24

Figura 46 – Novas curvas de nível corrigidas

25

Figura 47 – Planos horizontais para criar curvas níveis a cada 0,5m

25

Figura 48 – Novas curvas níveis corrigidas a cada 0,5m

26

Figura 49 – Inicio da construção da rampa

26

Figura 50 – Usando o comando Rotate para posicionar a rampa

27

Figura 51 – Rampa com os taludes extrudados

27

Figura 52 – Rampa ligando a rua ao platô

28

Figura 53 – Vista do terreno com as curvas de nível corrigidas

28

Figura 54 – Planta do terreno com as curvas de nível corrigidas

29

Figura 55 – Concordância errada da rampa com a rua

29

Figura 56 – Ligação de uma rua inclinada com um platô

30

Figura 57 – Subdividindo os planos reversos

30

Figura 58 – Rampa construída com planos reversos

30

Figura 59 – Rampa concordando corretamente com a rua

31

Figura 60 – Rampa com as seções dos taludes

31

Figura 61 – Comando Follow Me aplicado às seções dos taludes

32

Figura 62 – Rampa com os taludes com inclinações corretas

32

Figura 63 – Taludes fazendo a interseção com os terreno

33

Figura 64 – Interseção do talude com o terreno

33

Figura 65 – Comando Soften Edges

34

Figura 66 – Rampa e taludes corretos

34

Figura 67 – Terreno com modificado junto com o terreno original

35

Figura 68 – Construção do plano de seção

35

Figura 69 – Colocação do primeiro plano de seção

36

Figura 70 – Criação de todos os planos de seção

36

Figura 71 – Interseção dos planos de seção com o terreno

37

Figura 72 – Planos de seção com as interseções criadas

37

Figura 73 – Seções indicando os cortes e

38

Figura 74 – Comando Entity Info mostrando a área da superfície selecionada

38

Figura 75 – Seleção de pontos a serem importados

40

Figura 76 – Configuração dos pontos a serem importados

41

Figura 77 – Terreno 3D com a triangulação dos pontos

41

Figura 78 – Configuração da distância das curvas de nível

42

Figura 79 – Curvas de nível geradas com o ContourMaker.rb

42

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

4

Topografia com o SketchUp 6.0

(e com o auxílio dos programas WinTop Standard e AutoCAD)

1 Primeira parte: Utilizando o Básico

A partir de um terreno existente desenhado à lápis ou no AutoCAD, pode-se criar o terreno em 3D no SketchUp. Para este exercício, utilizaremos o terreno abaixo:

Para este exer cício, utilizaremos o terreno abaixo: Figura 1 – Terreno a ser vetorizado 1.1

Figura 1 – Terreno a ser vetorizado

1.1 Vetorizando um desenho

Se você ainda não tem o seu desenho em formato digital vetorial (.DWG ou .DXF), você poderá converter o seu desenho feito à mão em um papel para um arquivo digital vetorial. Inicialmente, com a utilização de um scanner qualquer, capture a imagem de seu terreno com as curvas de nível. Leve esta imagem para o programa freeware WinTopo Standard

(http://www.wintopo.com).

freeware WinTopo Standard ( http://www.wintopo.com ). Figura 2 – Programa WinTopo Standard Elaborado pelo

Figura 2 – Programa WinTopo Standard

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

Dentro do programa WinTopo Standard, vá ao menu File Open image imagem do scanner:

, e abra a

5

File → Open image imagem do scanner: , e abra a 5 Figura 3 – Abrindo

Figura 3 – Abrindo a imagem a ser vetorizada

O programa WinTopo Standard apresentará a tela com a seguinte aparência:

Standard apresentará a tela com a seguinte aparência: Figura 4 – Programa WinTopo Standard Se necessário,

Figura 4 – Programa WinTopo Standard

Se necessário, utilize as ferramentas de edição (

Se necessário, utilize as ferramentas de edição ( ) para desenhar ou apagar partes desnecessárias da

) para desenhar ou apagar partes

desnecessárias da imagem, como o norte magnético, cotas e textos. Com a imagem totalmente

corrigida e limpa, utilize o comando On-Touch vectorization (

as áreas pretas da figura serão encontradas e o programa criará os vetores sobre eles. Estes vetores

serão apresentados da cor verde. Para salvar o arquivo em formato vetorial, vá ao menu File Save Vector As quadro abaixo:

vá ao menu File → Save Vector As quadro abaixo: ) para vetorizar a imagem. Todas

) para vetorizar a imagem. Todas

Abrirá o

quadro abaixo: ) para vetorizar a imagem. Todas Abrirá o Figura 5 – Salvando em formato

Figura 5 – Salvando em formato vetorial Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

Em Save as Type, escolha o formato AutoCAD DXF (*.dxf). Abra o arquivo .dxf no AutoCAD. Será necessário colocar este novo desenho na escala, para isto utilize o comando Scale com a opção Reference dentro do AutoCAD.

6

1.2 Preparando o terreno no AutoCAD

Se você recebeu o arquivo vetorial do terreno (.dwg ou .dxf) de um topógrafo, já com as medidas corretas, basta limpar o desenho, deixando apenas o necessário à exportação para o SketchUp. Note que as curvas de nível deverão estar com as suas coordenadas Z corretas, sendo que, no exemplo utilizado neste tutorial, cada curva tem uma diferença de cotas em 1,0 metro em relação a outra.

uma diferença de cotas em 1,0 metro em relação a outra. Figura 6 – Organizando o

Figura 6 – Organizando o terreno no AutoCAD

Salve o desenho e abra o SketchUp. Antes de iniciarmos, dentro do SketchUp, ligue a barra de ferramentas SandBox Tools. Para isto vá ao menu Window Preferences. Será apresentado o quadro de diálogo abaixo:

. Será apresentado o qu adro de diálogo abaixo: Figura 7 – Ligando a barra de

Figura 7 – Ligando a barra de ferramentas SandBox Tools

Escolha a opção Extensions SandBox Tools. Aparecerá a nova barra de ferramentas abaixo. Senão, vá ao menu View Toolbars, e marque a opção Sandbox.

ao menu View → Toolbars , e marque a opção Sandbox . Figura 8 – A

Figura 8 – A barra de ferramentas SandBox Tools

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

1.3 Importando o arquivo .DWG

7

Abra o SketchUp e importe o arquivo . DWG do AutoCAD. Para isto, vá ao menu File

Import

,

abrirá o quadro abaixo:

vá ao menu File → Import , abrirá o quadro abaixo: Figura 9 – Importando o

Figura 9 – Importando o terreno em formato .dwg

Em Files of type, escolha ACAD Files (*.dwg, *.dxf). Clique em Options, e abrirá o quadro:

(*.dwg, *.dxf) . Clique em Options , e abrirá o quadro: Figura 10 – Configuração das

Figura 10 – Configuração das unidades de importação

Em Scale, escolha a unidade de importação do arquivo (se o desenho foi executado em centímetros no AutoCAD, escolha centímetros). Clique em OK e depois no quadro seguinte em Open. O SketchUp apresentará o quadro abaixo com o resultado da importação do arquivo .dwg.

abaixo com o resultado da importação do arquivo .dwg. Figura 11 – Resultado da importação Note

Figura 11 – Resultado da importação

Note que todos as camadas e blocos do AutoCAD também foram importados. Portanto, quanto mais bem organizado for o seu desenho no AutoCAD, mais fácil será trabalhar no SketchUp.

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

8

Após a importação, o seu terreno deverá estar semelhante ao abaixo. Desligue as camadas desnecessárias para prosseguir com o trabalho.

as camadas desnecessárias para prosseguir com o trabalho. Figura 12 – Terreno importado dentro do SketchUp

Figura 12 – Terreno importado dentro do SketchUp

1.4 Criando a superfície do terreno

Faça a seleção apenas das curvas de nível para a execução do comando From Contours

(
(

). Este comando criará uma superfície no mesmo local das curvas de nível. Aguarde um pouco o computador executar o comando (verifique a evolução do comando na barra de status).

(verifique a evolução do comando na barra de status). Figura 13 – Seleção das curvas de

Figura 13 – Seleção das curvas de nível

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

9

Após o comando From Contours, a superfície gerada deverá apresentar a aparência abaixo. Note que foram criadas algumas áreas fora da superfície gerada que podem estar diferentes das curvas reais existentes. Neste caso, será necessário remover estas partes da superfície gerada. Também perceba que a nova superfície criada está contida dentro do um grupo do SketchUp.

criada está contida dentro do um grupo do SketchUp. Figura 14 – Superfície gerada com o

Figura 14 – Superfície gerada com o comando From Contours

Para remover o excesso de superfície gerada, faça a extrusão da projeção do terreno (criando um prisma). Este prisma do terreno deverá fazer a interseção com a superfície acima.

deverá fazer a interseção com a superfície acima. Figura 15 – Fazendo a interseção da superfície

Figura 15 – Fazendo a interseção da superfície com o prisma

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

10

Em seguida, selecione a superfície do terreno e crie a interseção desta com o prisma do terreno. Para isto, execute o comando Intersect Intersect with model (clique na superfície com o botão direito do mouse, e abrirá o menu de contexto):

o botão direito do mouse, e abrirá o menu de contexto): Figura 16 – Executando o

Figura 16 – Executando o comando Intersect

Em seguida, apague os planos excedentes. A figura abaixo mostra a aparência da superfície do terreno após a limpeza dos planos excedentes:

do terreno após a limpeza dos planos excedentes: Figura 17 – Terreno finalizado 1.5 Colocando os

Figura 17 – Terreno finalizado

1.5 Colocando os platôs na superfície do terreno

Para colocar os platôs na superfície do terreno, será utilizado o comando Stamp (

superfíc ie do terreno, será utilizado o comando Stamp ( ). Será necessário que os platôs

).

Será necessário que os platôs estejam visíveis (e devem estar abaixo ou acima da superfície do

terreno, em quaisquer coordenadas Z, mas nas coordenadas X e Y corretas).

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

11

Note que o SketchUp gera uma platô que não é o correto para o uso em topografia, já que a configuração do comando Stamp na VCB, controla apenas a distância do Offset, e não a inclinação dos taludes. Sendo assim, em alguns lugares aparecerão taludes muito inclinados. Para a execução do comando, selecione o platô e clique no comando Stamp. Modifique se necessário o valor do Offset no VCB.

. Modifique se necessário o valor do Offset no VCB . Figura 18 – Platô selecionado

Figura 18 – Platô selecionado durante o comando Stamp

Em seguida, aponte o cursor para a superfície do terreno e dê um clique nela. Aguarde um pouco o computador executar o comando (verifique a evolução do comando na barra de status). Em seguida, aparecerá um platô destacado da superfície do terreno. Mova-o para o local desejado e dê outro clique para finalizar o comando Note que o platô foi colocado em uma coordenada Z, sem qualquer precisão. Para corrigir isto, entre no grupo da superfície do terreno e selecione este novo platô.

Com o comando Move (

terreno e selecione este novo platô. Com o comando Move ( ), mova-o para uma nova

), mova-o para uma nova posição definida em Z.

Move ( ), mova-o para uma nova posição definida em Z. Figura 19 – Comando Stamp

Figura 19 – Comando Stamp aplicado na superfície do terreno

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

12

1.6 Isolando áreas na superfície do terreno

III 12 1.6 Isolando áreas na superfície do terreno Para separar uma área na superfície do

Para separar uma área na superfície do terreno, deve-se utilizar o comando Drape ( Selecione a superfície no plano do terreno, e clique no comando Drape. Em seguida clique na superfície do terreno. Aguarde um pouco o computador executar o comando (verifique a evolução do comando na barra de status). Após o comando, a superfície será dividida em outras partes que poderão receber materiais diferentes:

).

outras partes que poderão receber materiais diferentes: ). Figura 20 – Comando Drape aplicado na superfície

Figura 20 – Comando Drape aplicado na superfície do terreno

1.7 Criando curvas de nível a cada 0,5 metros

Interpolar novas curvas de nível no SketchUp é muito simples. A partir do terreno anterior, criaremos novas curvas. Inicialmente, criaremos um conjunto de planos separados em um metro na coordenada Z. Inicialmente desenhe um retângulo que abranja todo o terreno:

desenhe um retângu lo que abranja todo o terreno: Figura 21 – Retângulo abrangendo o terreno

Figura 21 – Retângulo abrangendo o terreno Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

13

Faça a cópia (arranjo) deste plano repetida vezes no eixo Z (Para isto, selecione o plano, e faça a primeira cópia com a distância de 1m, digitando 100 no VCB. Em seguida responda 25x para repetir a cópia 25 vezes). Mova todos os planos para a coordenada Z desejada. Apenas por questões didáticas, foi aplicada aos planos, uma transparência para ilustrar a aparência final:

uma transparência para ilustrar a aparência final: Figura 22 – Planos repetidos em Z Finalmente selecione

Figura 22 – Planos repetidos em Z

Finalmente selecione a superfície do terreno e execute o comando Intersect Intersect with model (clique na superfície com o botão direito do mouse, e abrirá o menu de contexto). Aguarde um pouco o computador executar o comando (verifique a evolução do comando na barra de status). Após a execução do comando, o seu terreno terá além das curvas originais, mais um conjunto de curvas interpoladas a cada 0,5m.

mais um conjunto de curvas interpoladas a cada 0,5m. Figura 23 – Novas curvas de nível

Figura 23 – Novas curvas de nível a cada 0,5 metro

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

14

2

Segunda parte: Criando taludes corretamente

2.1

Criando taludes corretamente

Como foi abordado no item 1.5, o SketchUp utiliza um procedimento para criar os taludes que não atende às exigências reais de um projeto topográfico. Mas isto poderá ser contornado e então será possível criar os taludes desejados. O objetivo desta segunda etapa deste documento será a criação do platô, rampa, taludes e curvas de nível corrigidas representados na Figura 24.

e curvas de nível corrigidas representados na Figura 24. Figura 24 – Exemplo de platô, rampa

Figura 24 – Exemplo de platô, rampa e taludes a serem criados

Abra um terreno com as curvas de nivel no AutoCAD. Apague os elementos desnecessários, deixando somente as curvas de nivel, limite do terreno e norte magnético.

as curvas de nive l, limite do terreno e norte magnético. Figura 25 – Organizando o

Figura 25 – Organizando o terreno no AutoCAD

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

15

Para a importação, siga os mesmos procedimentos apresentados no item 1.3. Após a importação, o modelo do SketchUp deverá aparentar com a figura abaixo.

o modelo do SketchUp deverá aparentar com a figura abaixo. Figura 26 – Terreno importado dentro

Figura 26 – Terreno importado dentro do SketchUp com os níveis nas extremidades.

Para evitar que durante a criação da superfície do terreno fique faltando alguma parte que não englobe todo o limite do lote, acrescente pequenos pedaços de linhas (com uns 10 cm) nas extremidades do terreno, mas nas coordenadas Z corretas (Coloque estas linhas com valores de elevações em Z exatamente como estão no levantamento topográfico – verifique os níveis nas extremidades do terreno). Após a importação, Crie uma nova camada para a superfície do terreno (Terreno-3D) e selecione as curvas de nível e execute o comando From Contours seguindo o mesmo procedimento do item 1.4.

From Contours seguindo o mesmo procedimento do item 1.4. Figura 27 – Superfície gerada com o

Figura 27 – Superfície gerada com o comando From Contours

Neste momento faça uma cópia de seu terreno original para um uso posterior (Será utilizado

na quarta parte deste trabalho). Para isto vá ao menu File Save A Copy As

e dê o nome de

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

Terreno-3D-Original.skp. Guarde com cuidado esta cópia. Após este comando, daremos continuação ao nosso exercício. Crie uma nova camada para o platô (Camada Platô). Crie e posicione o platô para a elevação desejada (no nosso exemplo, ele ficará exatamente no nível da curva de 5,0m).

16

ele ficará exatamente no nível da curva de 5,0m). 16 Figura 28 – Colocação do platô

Figura 28 – Colocação do platô na cota 5,0m

2.2 Criando os taludes

Desligue a camada da superfície do terreno (Terreno-3D) e crie uma camada para os taludes (Taludes). Desenhe uma seção do talude a ser criado. No exemplo em questão, para simplificar o trabalho, o talude terá a declividade de 45º (100%). Note que a seção do talude deverá iniciar no platô e ter uma altura equivalente ao maior desnível do terreno. No exemplo, o platô está na cota 5,0m e a curva de nível mais elevada é a 11,0m. Portanto, esta seção do talude poderá ser representada com um triângulo com 6,0m de cateto no mínimo. Desenhe um triângulo para a seção do talude que representa o corte e outro triângulo que representa o aterro. No exemplo, estes triângulos foram desenhados com 10,0m de catetos.

estes triâ ngulos foram desenhados com 10,0m de catetos. Figura 29 – Desenho das seções dos

Figura 29 – Desenho das seções dos taludes de corte e aterro

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

17

Faça a extrusão nos dois triângulos, de modo a ocuparem toda a extensão do terreno.

triângulos, de modo a ocuparem toda a extensão do terreno. Figura 30 – Extrusão das seções

Figura 30 – Extrusão das seções dos taludes de corte e aterro

Repita o procedimento para todos os limites do platô, criando um triângulo de talude para cada corte e aterro.

criando um triângulo de talude para cada corte e aterro. Figura 31 – Todas as seções

Figura 31 – Todas as seções dos taludes de corte e aterro

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

18

Faça a extrusão de todos os triângulos de taludes, tanto para os cortes quanto para os aterros.

de taludes, tanto para os cortes quanto para os aterros. Figura 32 – Todos os taludes

Figura 32 – Todos os taludes de corte e aterro

Selecione todas as superfícies e arestas que representam os taludes (para isto dê três cliques na superfície dos taludes). Clique em uma destas superfícies com o botão direito do mouse e execute o comando Intersect Intersect with model (abrirá o menu de contexto).

→ Intersect with model (abrirá o menu de contexto). Figura 33 – Todas os taludes de

Figura 33 – Todas os taludes de corte e aterro com as interseções entre si

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

19

Ligue a camada Terreno-3D e selecione novamente todas as superfícies e arestas que representam os taludes (para isto dê três cliques na superfície dos taludes). Clique em uma destas superfícies com o botão direito do mouse e execute o comando Intersect Intersect with model (abrirá o menu de contexto).

→ Intersect with model (abrirá o menu de contexto). Figura 34 – Taludes de corte e

Figura 34 – Taludes de corte e aterro fazendo a interseções com o Terreno 3D

Após a interseção com o Terreno 3D, desligue todas as camadas, deixando apenas a camada Taludes ligada. Cuidadosamente, apague as partes das superfícies que estão fora da interseção dos taludes com o terreno 3D.

estão fora da interseção dos taludes com o terreno 3D. Figura 35 – Limpeza das interseções

Figura 35 – Limpeza das interseções dos taludes com o Terreno 3D

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

20

Após a limpeza das partes que não representam a interseção dos taludes com a superfície do Terreno 3D, o que sobrará é o platô e os limites das interseções, também conhecido com “offset”. O seu modelo deverá aparentar como o desenho abaixo.

O seu modelo deverá aparentar como o desenho abaixo. Figura 36 – Representação final da inters

Figura 36 – Representação final da interseção dos taludes com o Terreno 3D (offset)

2.3 Cortando o Terreno 3D

Ligue a camada Terreno-3D. Entre no grupo que representa o Terreno-3D e de três cliques para selecionar todos os polígonos que fazem parte da superfície. Clique na superfície com o botão direito do mouse e execute o comando Intersect Intersect with model (abrirá o menu de contexto).

→ Intersect with model (abrirá o menu de contexto). Figura 37 – Seleção do Terreno 3D

Figura 37 – Seleção do Terreno 3D para iniciar a interseção com o offset

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

21

Provavelmente o comando fará somente a interseção com a parte de aterro dos taludes (a parte inferior abaixo do platô). Para executar a interseção com a parte de corte dos taludes, faça a inversão da superfície do Terreno 3D. para isto, clique na superfície com o botão direito do mouse e execute o comando Reverse Face.

botão direito do mouse e execute o comando Reverse Face . Figura 38 – Reversão das

Figura 38 – Reversão das faces do Terreno 3D para executar a interseção com os taludes

E novamente, clique na superfície com o botão direito do mouse e execute o comando

Intersect Intersect with model (abrirá o menu de contexto). Volte o lado da superfície para a o

lado correto com o comando Reverse Face. Após a execução destes comandos, a superfície do Terreno 3D apresentará duas superfícies separadas da principal.

O seu modelo deverá aparentar como o desenho abaixo.

O seu modelo deverá aparentar como o desenho abaixo. Figura 39 – Terreno 3D com as

Figura 39 – Terreno 3D com as interseções corretas com os taludes

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

22

Finalmente, apague as duas superfícies definidas por uma área interna ao Terreno 3D, sobrado apenas a parte que não foi modificada pelo platô e taludes.

a parte que não foi modificada pelo platô e taludes. Figura 40 – Novo Terreno 3D

Figura 40 – Novo Terreno 3D com os taludes e platô

Ligue a camada das Curvas de nível originais. Observe que estas curvas de nível ainda representam o antigo terreno. Portanto será necessário criar as curvas de nível corrigidas, passando pelos taludes de corte aterros.

nível corrigidas, passando pelos taludes de corte aterros. Figura 41 – Novo Terreno 3D com as

Figura 41 – Novo Terreno 3D com as curvas de nível originais

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

23

2.4 Criando as curvas de nível corrigidas

Para criar as novas Curvas de Nível Corrigidas, crie uma nova camada com o nome de Curvas de Nível Corrigidas. Desenhe no nível 0,0m um plano horizontal um pouco maior que o seu terreno. Note que é muito importante que este plano coincida com alguma curva de nível antiga, senão, as novas curvas ficarão com as elevações em Z diferentes das originais.

ficarão com as elevações em Z diferentes das originais. Figura 42 – Superfície que irá criar

Figura 42 – Superfície que irá criar a curva de nível 0,0m.

Agrupe esta superfície e faça um conjunto de cópias repetidas em Z com intervalos de 1,0m. Para isto, selecione a superfície e com o comando Copy (clique na tecla Ctrl), faça uma cópia para o eixo Z. Digite o valor de distância da cópia em 1,0m e com 12 repetições (na VCB digite 1 e em seguida digite 12x).

repetições (na VCB digite 1 e em seguida digite 12x). Figura 43 – Conjunto de superfícies

Figura 43 – Conjunto de superfícies que criarão as novas curvas de nível.

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

24

Ainda dentro do grupo, selecione todas as superfícies (digite Ctrl+A).

do grupo, selecione todas as superfícies (digite Ctrl+A). Figura 44 – Seleção do conj unto de

Figura 44 – Seleção do conjunto de planos horizontais.

Clique em uma das superfícies com o botão direito do mouse e execute o comando Intersect Intersect with model (abrirá o menu de contexto). Serão criadas as novas curvas de nível exatamente onde os planos horizontais interceptam a superfície do Terreno 3D e os taludes.

interceptam a superfície do Terreno 3D e os taludes. Figura 45 – Planos horizontais fazenda a

Figura 45 – Planos horizontais fazenda a interseção com o Terreno 3D e taludes

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

25

Apague todas as arestas que definem os planos horizontais, e então ficarão apenas as novas curvas de nível corrigidas.

ficarão apenas as novas curvas de nível corrigidas. Figura 46 – Novas curvas de nível corrigidas

Figura 46 – Novas curvas de nível corrigidas

2.5 Criando curvas interpoladas

Para criar curvas de nível interpoladas, o procedimento é o mesmo que foi apresentado no item 1.7 e 2.4. Para isto faça a cópia dos planos horizontais com uma distância de 0,5m e com um total de 24 planos. Não se esqueça de colocar os planos exatamente na mesma posição Z das curvas de nível antigas.

na mesma posição Z das curvas de nível antigas. Figura 47 – Planos horizontais para criar

Figura 47 – Planos horizontais para criar curvas níveis a cada 0,5m

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

26

Faça a interseção dos planos horizontais com a superfície do Terreno 3D e com os taludes e platô. Apague todas as arestas que definem os planos horizontais, e então ficarão apenas as novas curvas de nível corrigidas.

ficarão apenas as novas curvas de nível corrigidas. Figura 48 – Novas curvas níveis corrigidas a

Figura 48 – Novas curvas níveis corrigidas a cada 0,5m

2.6 Lançando uma rampa (processo simplificado)

O lançamento de uma rampa é semelhante à criação de um platô. Basta criar o plano que irá definir a rampa, sendo um pouco maior que a rampa desejada. Também construa a seção dos taludes que farão interseção com a superfície do Terreno 3D. Após a criação do plano da rampa e taludes faça um grupo de todas as entidades pertencentes à rampa.

faça um grupo de todas as enti dades pertencentes à rampa. Figura 49 – Inicio da

Figura 49 – Inicio da construção da rampa

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

27

Utilizando o comando Rotate, faça a rotação do grupo da rampa até ficar na posição correta. Muito cuidado neste momento. Verifique se o transferidor da ferramenta Rotate esteja exatamente na vertical em relação à rampa, e que o ponto de rotação esteja exatamente o início da rampa. Este será o ponto inicial de rotação (ponto 1). Dica: Para transferir o transferidor da lateral da rampa para o eixo da rampa, segure a tecla Shift até localizar o eixo da rampa. Marque o segundo ponto na outra extremidade do plano da rampa (ponto 2) e finalmente clique em um ponto da superfície do Terreno 3D (ponto 3) para finalizar a rotação da rampa.

Terreno 3D (ponto 3) para finalizar a rotação da rampa. Figura 50 – Usando o comando

Figura 50 – Usando o comando Rotate para posicionar a rampa

Em seqüência, finalize as laterais dos taludes da rampa fazendo a extrusão das seções com o comando Push/Pull.

fazendo a extrusão das seções com o comando Push/Pull . Figura 51 – Rampa com os

Figura 51 – Rampa com os taludes extrudados

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

28

Utilizando o mesmo procedimento utilizado no item 2.2, faça a limpeza dos planos excedentes e também faça a interseção do Terreno 3D com os taludes da rampa.

faça a interseção do Terreno 3D com os taludes da rampa. Figura 52 – Rampa ligando

Figura 52 – Rampa ligando a rua ao platô

E para finalizar, basta criar novamente as curvas de nível corrigidas, incluindo também a rampa e seu talude.

nível corrigidas, incluindo também a rampa e seu talude. Figura 53 – Vista do terreno com

Figura 53 – Vista do terreno com as curvas de nível corrigidas

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

29

A figura abaixo apresenta uma vista em planta da nova topografia com o platô, rampas, taludes e com as novas curvas de nível corrigidas a cada 0,5m.

e com as novas curvas de nível corrigidas a cada 0,5m. Figura 54 – Planta do

Figura 54 – Planta do terreno com as curvas de nível corrigidas

3 Terceira parte: Rampa com planos reversos

A rampa construída com o processo anterior não faz a concordância corretamente com a rua, já que esta é inclinada no início da rampa em relação ao final da rampa junto ao platô. Isto ocorre porque as cotas de nível à direita e a esquerda no início da rampa não são iguais. Esta situação é muito comum em rampas que ligam garagens à rua. Muitas prefeituras não permitem que modifique o greide da rua. Também naquele exemplo, os taludes não ficaram com a inclinação correta, já que ele foram rotacionados junto com a rampa.

correta, já que ele foram rotacionados junto com a rampa. Figura 55 – Concordância errada da

Figura 55 – Concordância errada da rampa com a rua

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

3.1 Compreendendo os planos reversos

Considere o desenho abaixo, onde o nível da rua (Linha A-B) está mais baixo que o nível do platô (Linha C-D). Note também que a rua é inclinada, já que os pontos A e B estão em cotas diferentes. A ligação da rua com o platô será feito por um plano reverso (plano definido pala ligação de A-B-C-D).

30

reverso (p lano definido pala ligação de A-B-C-D). 30 Figura 56 – Ligação de uma rua

Figura 56 – Ligação de uma rua inclinada com um platô

Para uma melhor representação da rampa, este quadrado principal deverá ser representado por subdivisões, com planos cada vez menores. Note que o programa SketchUp não completa a superfície definida por cada polígono, já que estes tem as suas arestas construídas em planos diferentes.

tem as suas arestas cons truídas em planos diferentes. Figura 57 – Subdividindo os planos reversos

Figura 57 – Subdividindo os planos reversos

Para resolver o problema, o programa subdivide cada quadrado em dois triângulos, formando assim vários pequenos planos que conformarão a superfície da rampa. Note que a ligação entre os pontos B-C é formado por uma curva virada para cima (na realidade uma parábola) e os pontos A-D é formado por uma curva virada para baixo (uma hipérbole). Esta superfície semelhante a uma cela de cavalo também é conhecida como parabolóide- hiperbólico.

também é conhecida como parabolóide- hiperbólico. Figura 58 – Rampa construída com planos reversos

Figura 58 – Rampa construída com planos reversos

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

31

3.2 Construindo a rampa com planos reversos

Levando em consideração o que foi apresentado no item anterior, construiremos a rampa com planos reversos, levando em consideração a inclinação da rua. Para isto utilize as linhas guias para encontra a localização exata dos pontos de interseção da rampa com a rua e com o platô. Para uma melhor organização dos trabalhos, crie uma camada com o nome Rampa.

dos trabalhos , crie uma camada com o nome Rampa. Figura 59 – Rampa concordando corretamente

Figura 59 – Rampa concordando corretamente com a rua

Em seguida, construa as seções dos taludes exatamente na vertical (alinhado com o eixo Z). Não esqueça que os catetos do triângulo devem ter o mesmo valor para que o talude fique com a declividade exata de 45º. Se for um projeto real, esta declividade deverá obedecer normas técnicas para o terreno em questão.

obedecer normas técnicas para o terreno em questão. Figura 60 – Rampa com as seções dos

Figura 60 – Rampa com as seções dos taludes

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

32

Utilizando o comando Follow Me faça a extrusão do triângulo acompanhando a lateral do

talude.

a extrusão do triângulo acompanhando a lateral do talude. Figura 61 – Comando Follow Me aplicado

Figura 61 – Comando Follow Me aplicado às seções dos taludes

Repita a operação para o talude do outro lado da rampa.

Repita a operação para o talude do outro lado da rampa. Figura 62 – Rampa com

Figura 62 – Rampa com os taludes com inclinações corretas

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

33

Para prosseguir, verifique se a camada Rampa está ativa. Em seguida, ligue o Terreno 3D e selecione todos os planos que formam os taludes e clique em uma das superfícies com o botão direito do mouse e execute o comando Intersect Intersect with model (abrirá o menu de contexto).

→ Intersect with model (abrirá o menu de contexto). Figura 63 – Taludes fazendo a interseção

Figura 63 – Taludes fazendo a interseção com os terreno

Desligue todas as camadas, deixando apenas a camada Rampa ligada. Apague os planos excedentes, deixando apenas os planos que definem os taludes.

deixando apenas os pl anos que definem os taludes. Figura 64 – Interseção do talude com

Figura 64 – Interseção do talude com o terreno

Finalmente, para evitar a que o piso da rampa tenha uma aparência de recortes de triângulos, selecione toda a rampa e clique em uma das superfícies com o botão direito do mouse e execute o comando Soften / Smooth Edges (abrirá o menu de contexto).

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

O programa abrirá o quadro Soften Edges.

III O programa abrirá o quadro Soften Edges. Figura 65 – Comando Soften Edges 34 Araste

Figura 65 – Comando Soften Edges

34

Araste a barra deslizante para que a partir de um determinado ângulo ocorra a suavização da superfície.

determinado ângulo ocorra a suavização da superfície. Figura 66 – Rampa e taludes corretos 4 Quarta

Figura 66 – Rampa e taludes corretos

4 Quarta parte: Cálculo de movimento de terra

O programa SketchUp 6 não tem um comando para calcular o volume abaixo de uma

superfície, mas isto poderá ser feito utilizando o mesmo procedimento utilizado em projetos de terraplenagem. Para o cálculo de movimento de terra será necessário que você tenha pronto o seu terreno original (salvo na etapa no nosso início do exercício – item 2) e o seu terreno modificado com todos os platôs e taludes colocados corretamente.

4.1 Colocando o terreno original

Considerando que temos apenas o terreno modificado produzido na etapa anterior, será necessário colocar junto ao arquivo de trabalho o terreno original. Para isto, abra outra seção do SketchUp e abra o arquivo Terreno-3D-Original.skp anteriormente salva. Selecione a superfície do terreno original e vá ao menu Edit Copy. Este será copiado para a área de transferência do Windows (ou MacOS). Simultaneamente abra o arquivo do terreno modificado e vá ao menu Edit Paste in Place. O seu terreno original será colocado exatamente sobre o terreno modificado. Se por acaso durante a execução do terreno modificado você teve que mover o seu terreno em relação aos eixos XYZ, então será necessário mover manualmente o terreno original para ficar exatamente sobre o terreno modificado. Em seguida, para uma melhor visualização, aplique um material com transparência sobre o terreno original. Se o seu modelo está corretamente organizado com as camadas para taludes, platôs e terreno

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

35

modificado, desligue a camada do terreno modificado, deixando as camadas dos platôs, taludes e terreno original ligada. O seu modelo deverá aparentar como o abaixo.

ligada. O seu modelo deverá aparentar como o abaixo. Figura 67 – Terreno com modificado junto

Figura 67 – Terreno com modificado junto com o terreno original.

4.2 Criando os planos de seções

Crie uma camada para criar os planos de seções (camada Seções). Coloque esta camada ativa. Em seguida, em uma vista lateral do terreno construa um plano maior que o terreno, e agrupe este plano.

Obs.: Dependendo do terreno elaborado, pode ser que os planos de seções não sejam paralelos a uma das vista padrão do SketchUp. Então será necessário construir o plano de seção em uma posição adequada para dar prosseguimento ao trabalho. Para isto utilize os recursos de linhas guias (Guide Lines) disponíveis no SketchUp.

de linhas guias ( Guide Lines ) disponíveis no SketchUp. Figura 68 – Construção do plano

Figura 68 – Construção do plano de seção

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

36

Entre no grupo criado e selecione o plano de seção (selecione a superfície e as arestas do plano) do qual você deseja fazer as cópias.

as arestas do plano) do qual você deseja fazer as cópias. Figura 69 – Colocação do

Figura 69 – Colocação do primeiro plano de seção

Em seguida execute o comando Move/Copy (pressione a tecla Ctrl para transformar o comando Move em Copy). Verifique se a cópia está exatamente alinhada com um dos eixos XYZ ou outro eixo definido para o seu trabalho.

Digite o valor da distância da primeira cópia (no nosso exemplo foi digitado 3m) e em seguida, ainda dentro do comando Copy, digite o número de repetições para que o SketchUp execute um arranjo com o plano selecionado (no nosso exemplo foi digitado 10x, para obter um total de 11 planos construídos).

10x, para obter um total de 11 planos construídos). Figura 70 – Criação de todos os

Figura 70 – Criação de todos os planos de seção Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

37

Se alguma das camadas dos platôs, taludes e terreno original estiverem desligadas, ligue para que estas façam a interseção com os planos de corte. Também verifique se a camada ativa é a camada Seção. Ainda dentro do grupo de planos de corte, selecione todos os planos (digite Ctrl+A) e clique com o botão direito do mouse sobre um dos planos selecionado, e abrirá o menu de contexto. Selecione a opção Intersect Intersect With Model.

Selecione a opção Intersect → Intersect With Model . Figura 71 – Interseção dos planos de

Figura 71 – Interseção dos planos de seção com o terreno

O SketchUp criará sobre os planos selecionados a interseção com o terreno original, platôs e talude. Desligue todas as outras camadas, deixando apenas a camada Seção ativa. Obs.: Pode ser necessário executar o comando Reverse Faces nos planos das laterais do terreno para executar a interseção nestes planos, já que o terreno apenas toca o plano, e não o atravessa totalmente.

terreno apenas toca o plano, e não o atravessa totalmente. Figura 72 – Planos de seção

Figura 72 – Planos de seção com as interseções criadas

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

38

Entre no grupo dos planos de seções e apague as arestas que definem os planos, deixando apenas as interseções criadas. Para uma melhor compreensão das áreas referentes aos cortes e aterros, aplique cores diferentes à estas áreas (no exemplo abaixo, as área de cortes foram coloridas de azul e as áreas de aterro foram coloridas de vermelho).

de azul e as áreas de aterro foram coloridas de vermelho). Figura 73 – Seções indicando

Figura 73 – Seções indicando os cortes e aterros.

Obs.: Se por acaso alguma área ficou incompleta e ou então dividida em duas, complete manualmente a seção até que tenha apenas uma superfície definida.

4.3 Extraindo as áreas das seções.

Para extrair as informações de área de cada seção criada, basta entrar no grupo Seções e clicar com o botão direito do mouse sobre a área desejada e aparecerá o menu de contexto. Selecione a opção Entity Info. Será apresentado o quadro de diálogo Entity Info mostrando a informação de área da superfície selecionada. Clique em outra área e as informações serão atualizadas.

em outra área e as informações serão atualizadas. Figura 74 – Comando Entity Info mostrando a

Figura 74 – Comando Entity Info mostrando a área da superfície selecionada.

Leve cada valor das áreas encontradas para um programa de planilha eletrônica (Microsoft Excel ou OpenOffice Calc) para calcular todo o movimento de terra executado. Para o cálculo, considere um valor de empolamento do solo de 30% para os cortes e de 10% para os aterros.

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

39

Para o exemplo executado, o cálculo do movimento de terra é apresentado na tabela abaixo.

PLANILHA DE CÁLCULO DE MOVIMENTO DE TERRA

 

TABELA 1 - CORTES

 

SEÇÃO

Área

Distância

VOLUME

S1

0,00

3,00

 

S2

0,00

3,00

0,00

S3

0,20

3,00

0,30

S4

2,40

3,00

3,90

S5

8,30

3,00

16,05

S6

17,60

3,00

38,85

S7

31,10

3,00

73,05

S8

21,30

3,00

78,60

S9

0,20

3,00

32,25

S10

0,00

3,00

0,30

S11

0,00

3,00

0,00

Volume Total

 

243,30

Volume + 30%

 

316,29

 

TABELA 2 - ATERROS

 

SEÇÃO

Área

Distância

VOLUME

S1

0,00

3,00

 

S2

0,00

3,00

0,00

S3

0,00

3,00

0,00

S4

10,90

3,00

16,35

S5

20,10

3,00

46,50

S6

19,20

3,00

58,95

S7

30,10

3,00

73,95

S8

1,20

3,00

46,95

S9

0,00

3,00

1,80

S10

0,00

3,00

0,00

S11

0,00

3,00

0,00

Volume Total

 

244,5

Volume + 10%

 

268,95

Saldo para bota fora (m3):

 

47,34

Total de

 

caminhões:

 

8

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

40

5 Quinta parte: Utilizando Scripts RUBY

5.1 Plugin Cloud_v6.rb

O programa SketchUp tem uma poderosa ferramenta de interpretação de scripts escritos em

linguagem Ruby. Na Internet existe centenas de plugins escritos nesta linguagem especificamente para o SketchUp. No sítio Ruby Library Depot 1 pode-se encontrar centenas destes plugins, que acrescentam novas funcionalidades ao programa SketchUp. Um plugin em especial será abordado nesta seção, chamado Cloud_v6.rb 2 , disponível no sítio em questão.

O plugin Cloud_v6.rb permite a importação de nuvens de pontos provenientes de

equipamentos de levantamento topográficos, como Estação Total ou levantamentos a laser.

O arquivo do plugin (cloud_v6.rb) deve ser copiado para dentro da pasta Scripts do

programa SketchUp (normalmente dentro do diretório: “C:\Program Files\Google\Google SketchUp 6\Plugins” ).

O arquivo com os pontos levantados deve obedecer a uma estrutura, onde os pontos são

apresentados em seqüência e cada linha deve representar apenas um ponto com as suas coordenadas

X, Y e Z separados por um dos símbolos: espaço , ; . # - _ ! ? / ‘* . Também os pontos podem estar em um formato CSV, que é um arquivo utilizado pelo Microsoft Excel, onde os dados são separados por vírgula, semelhante ao exemplo abaixo:

Exemplo de arquivos de pontos separados por vírgula - CSV

522.13,

4096.15,

9973.3

174.15,

4030.68,

9940.2

-337.82,

4378.11,

9955

-481.14,

4321.2,

9961.6

-581.37,

4033.92,

9965.4

Quando iniciado o programa SketchUp, no menu Plugins aparecerá a nova opção “Import points cloud”. Ao executar o script, aparecerá a tela abaixo solicitando que o arquivo com os pontos que definem o terreno seja importado.

arquivo com os pontos que definem o terreno seja importado. Figura 75 – Seleção de pontos

Figura 75 – Seleção de pontos a serem importados

1 Ruby Library Depot – Disponível em: <http://www.crai.archi.fr/RubyLibraryDepot/> - Acesso: 14 out 2008

2 Script cloud_v6.rb – Disponível em: <http://www.crai.archi.fr/RubyLibraryDepot/Ruby/EM/Cloud_V6.zip> - Acesso:

14 out 2008 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

Ao selecionar o arquivo com os pontos, abrirá o quadro abaixo solicitando a configuração de seu arquivo de pontos:

41

solicitando a configuração de seu arquivo de pontos: 41 Figura 76 – Configuração dos pontos a

Figura 76 – Configuração dos pontos a serem importados

Data delimiter: Escolha como os pontos são separados. Se o seu arquivo for um CSV, mantenha a vírgula como separador (,). Na ultima linha deste quadro é apresentado a primeira linha de pontos do seu arquivo selecionado. Isto permite verificar que tipo de separador é utilizado.

Point object: Mantenha a opção Construction point para o programa colocar um ponto de construção no local de cada ponto da lista selecionada.

Flatten Z coordinate: Escolha No para que os pontos sejam importados com a sua coordenada Z original. Se for escolhido Yes, cada coordenada Z será substituída por zero (0) o que resultará em uma nuvem de pontos 2D.

Put points on existeng layer: Escolha na lista a camada para a colocação dos pontos.

Put point on new layer: Digite neste campo o nome da camada que você deseja criar e então todos os pontos serão colocados nesta camada.

Line sample for reference: Apresenta a primeira linha do arquivo selecionado, permitindo que escolha corretamente em Data delimiter o tipo de separador das coordenadas X, Y e Z.

Quando o botão OK é pressionado, é solicitado o ponto de origem da nuvem de pontos. Selecione a origem (encontro dos eixos X,Y e Z) do SketchUp para não modificar os valores originais do arquivo de lista de pontos. Ao final da importação você será perguntado se deseja fazer a triangulação dos pontos. Se a resposta for Yes, o script iniciará a triangulação (que pode demorar um pouco se o computador for lento, ou muito grande o número de pontos), e então será apresentado o terreno em 3D.

de pontos), e então será apresentado o terreno em 3D. Figura 77 – Terreno 3D com

Figura 77 – Terreno 3D com a triangulação dos pontos

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

5.2 Plugin ContourMaker.rb

42

O plugin ContourMaker.rb 3 também disponível no sítio Ruby Library Depot 4 , permite que se crie as curvas de nível a partir de uma superfície selecionada. Para a instalação, o arquivo do plugin (ContourMaker.rb) deve ser copiado para dentro da pasta Scripts do programa SketchUp (normalmente dentro do diretório: “C:\Program Files\Google\Google SketchUp 6\Plugins” ). Quando iniciado o programa SketchUp, no menu Plugins aparecerá o comando “Contours”. Para utilizar o plugin, você deve selecionar a superfície de seu terreno (que deverá ser um grupo ou componente) e então aparecerá a tela abaixo solicitando a configuração de distância das curvas de nível.

ando a configuração de distância das curvas de nível. Figura 78 – Configuração da di stância

Figura 78 – Configuração da distância das curvas de nível

Em seguida será criado as curvas de nível com as alturas iniciando na origem do SketchUp. Note que o terreno deverá estar em uma coordenada Z acima do zero (0), senão o programa criará apenas as curvas acima desta cota. Na figura abaixo mostra as curvas geradas a partir do terreno criado no item 5.1.

as curvas gera das a partir do terreno criado no item 5.1. Figura 79 – Curvas

Figura 79 – Curvas de nível geradas com o ContourMaker.rb

3 Script ContourMaker.rb – Disponível em: <http://www.crai.archi.fr/RubyLibraryDepot/Ruby/EM/ContourMaker.rb> - Acesso: 14 out 2008

4 Ruby Library Depot – Disponível em: <http://www.crai.archi.fr/RubyLibraryDepot/> - Acesso: 14 out 2008 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

43

6 Anexos
6
Anexos

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 44 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi
e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 44 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi
e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 44 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi
e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 44 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi
e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 44 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi

44

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

45

Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 45 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

46

Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 46 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

47

Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 47 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

48

Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 48 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

49

Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 49 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta
Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 49 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta
Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 49 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta
Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III 49 Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodi sta

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - Disciplina Expressão e Representação III

50

7 Bibliografia
7
Bibliografia

BRANDALIZE, Maria Cecília Bonato. Apostila de Topografia – PUC-PR

CARDÃO, Celso. Topografia. Belo Horizonte. Edições Engenharia e Arquitetura UFMG, 1979

REZENDE, Ezequiel Mendonça. Curso de AutoCAD 2006 - módulo 2D. Faculdade de Arquitetura Izabela Hendrix – 2006

ROSKES, P.E. BONNIE, The SketchUp® Ve rsion 4 Workbook - Conceptual Product Development, Inc.

SketchUp 6.0 for Windows - On Line User Guide - Disponível em:

<http://download.sketchup.com/OnlineDoc/gsu6_win/gsuwin.html> Acesso em: 30 abr 2008

Obs: Este tutorial foi desenvolvido com o SketchUp 6.0 (Versão 6.4.112) emr – 17/10/2008

Elaborado pelo professor do Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix - Arq. Ezequiel Mendonça Rezende