Vous êtes sur la page 1sur 14

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a União Europeia
O N a t a l n a E u r o p a União Europeia

União Europeia

O N a t a l n a E u r o p a União Europeia

População: 497,5 milhões de habitantes Superfície: 4 308 milhões de km²

Línguas Oficiais: 23 (alemão, búlgaro, checo, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, estónio, finlandês, francês, grego, húngaro, inglês, italiano, irlandês, letão, lituano, maltês, neerlandês, polaco, português, romeno, e sueco) Alfabetos: Latino, Grego e Cirílico

1951 1. Bélgica 2. Bulgária 1973 3. República Checa 1981 4. Dinamarca 5. Alemanha 1986
1951
1. Bélgica
2. Bulgária
1973
3. República Checa
1981
4. Dinamarca
5. Alemanha
1986
6. Estónia
7. Irlanda
1995
8. Grécia
9. Espanha
2004
10. França
2007
11. Itália
12. Chipre
13. Letónia
14. Lituânia
15. Luxemburgo
16. Hungria
17. Malta
18. Holanda
19. Áustria
20. Polónia
21. Portugal
22. Roménia
23. Eslovénia
24. Eslováquia
25. Finlândia
26. Suécia
27. Reino Unido

A União Europeia (UE) representa um conjunto de 27 países democráticos, independentes, que partilham os mesmos valores – não discriminação, justiça, solidariedade, igualdade entre homens e mulheres – e que têm objectivos comuns, nomeadamente a paz e o bem estar dos seus povos, a criação de um mercado único, um desenvolvimento sustentável, a liberdade, a justiça e a protecção dos direitos de todos os seus cidadãos. A UE constitui um modelo inovador e único em termos mundiais. Os Estados-Membros delegaram parte dos seus poderes em instituições por eles criadas assegurando, assim que os interesses comuns são decididos democraticamente.

O

N a t a l

n a

E u r o p a

são decididos democraticamente. O N a t a l n a E u r o p
são decididos democraticamente. O N a t a l n a E u r o p

Bélgica

democraticamente. O N a t a l n a E u r o p a Bélgica

População: 10,5 milhões de habitantes Superfície: 30 158 Km 2 Capital: Bruxelas Língua Oficial: Neerlandês, Francês e Alemão Moeda: Euro

Receita de Natal da região de Hainaut (Valónia): Cougnou ou Cougnolle (o Pão do Menino)

Ingredientes 1 kg de farinha; 70 g de fermento (fresco); 500 ml de leite; 2 ovos; 15 g de sal; 200 g

de manteiga; 80 g de açúcar; 200 g de uvas passas; 200g de açúcar granulado.

Modo de preparação (para 10 cougnous)

Peneire a farinha para um alguidar e faça uma cova no meio.

Aqueça o leite até 40°C e acrescente o fermento para o dissolver. Junte o açúcar, o

sal e os ovos e deite tudo na cova.

Misture rapidamente com a farinha. Junte a manteiga e amasse até a massa ficar

duma consistência homogénea, sedosa e macia. Adicione pouco a pouco as uvas passas e o açúcar granulado à massa. Divida a massa em 10 porções e faça pequenas salsichas. Deixe-as a levedar durante 20 minutos. Molde as formas redondas das cabeças e das pernas dos meninos. Disponha-os sobre a sertã untada de manteiga e deixe-os repousar novamente num local morno até dobrarem de volume. Dê uma leve pincelada com uma mistura de água e gema de ovo. Pré-aqueça o forno até 230°C. Leve os meninos ao forno durante 11 minutos.

Pratos típicos: Waterzooi – Sopa de legumes e frango; Moules Frites/Mosselen

met friet – Mexilhões com batatas fritas à belga; os famosos chocolates belgas ou pralines; outros doces como Wafels / Gaufres e Speculaas / Spéculoos. A cerveja é

a bebida nacional e existe em muitas variedades, algumas fabricadas especialmente para o Natal.

Tradições:

- Os carnavais: os trajes dos Gilles, as personagens típicas dos carnavais das

cidades como Binche, Nijvel/Nivelles

Binche, à semelhança dos cortejos de gigantes das cidades de Ath, Mechelen,

Dendermonde, Mons e Bruxelas são considerados pela UNESCO Património Cultural da Humanidade.

são bastante estranhas; o Carnaval de

- As procissões, incorporando os cortejos conhecidos como Ommegangen, onde figuram gigantes, animais

- Tradições Natalícias: Festa de Sinte-Mette (São Martinho) no dia 11 de Novembro

– Festa de Sinterklaas / Saint Nicolas (S.

em algumas cidades (Aalst, Mechelen Nicolau) nos dias 5 e 6 de Dezembro.

)

1
1
Bulgária O N a t a l n a E u r o p a

Bulgária

Bulgária O N a t a l n a E u r o p a População

O

N a t a l

n a

E u r o p a

Bulgária O N a t a l n a E u r o p a População

População: 7,7 milhões de habitantes Superfície: 111 000 Km 2 Capital: Sófia Língua Oficial: Búlgaro Moeda: Lev

Receita de Natal: Pimentos recheados com arroz

Ingredientes

2 pimentos médios

1 chávena de arroz

1 cebola

1 alho

azeite

sal

Modo de Preparação

Refoga-se a cebola com o alho e o azeite. De seguida, adiciona-se o arroz, acrescentado ao preparado um copo de água e sal a gosto. Deixa-se cozer até o arroz absorver toda a água e reserva-se. Depois de lavados, cortam-se os pimentos ao meio e recheiam-se com o arroz. De seguida, colocam-se as metades de pimentos num tabuleiro – que deve conter água até meio – onde se acrescenta azeite a gosto e sal. Leva-se a cozer em forno médio até que os pimentos fiquem assados.

2
2

O

N a t a l

n a

E u r o p a

os pimentos fiquem assados. 2 O N a t a l n a E u r

República Checa

assados. 2 O N a t a l n a E u r o p a
assados. 2 O N a t a l n a E u r o p a

População: 10,3 milhões de habitantes Superfície: 79 000 Km 2 Capital: Praga Língua Oficial: Checo Moeda: Coroa Checa

Receita típica de Natal: Kuba

Ingredientes

1 chávena e meia de cevada

1 chávena e meia de cogumelos secos

7 chávenas de água

2 colheres de chá de sal

1 pitada de pimenta preta

2 dentes de alho picados

1 cebola picada

3 colheres de sopa de manteiga

1 colher de chá de manjericão

Modo de preparação Refoga-se a cebola sem deixar queimar. Demolham-se os cogumelos e juntam-se à cebola. Acrescenta-se a água e o manjericão. Cozinha-se em lume brando mexendo sempre até que a água se evapore. A mistura deve ficar espessa. Juntam-se os outros ingredientes, coloca- -se numa forma e vai ao forno durante 30 a 35 minutos. Tradicionalmente este prato serve-se na véspera de Natal, podendo servir de acompanhamento a carne e a peixe.

Pratos típicos: knedlíky (bolinhos de pão)

Curiosidades: O S. Nicolau chama-se Svaty Mikalas, que no feriado de S. Nicolau passeia com um anjo e um diabo para perguntar se as crianças se portaram bem ou mal.

3
3
Dinamarca O N a t a l n a E u r o p a

Dinamarca

Dinamarca O N a t a l n a E u r o p a População

O

N a t a l

n a

E u r o p a

Dinamarca O N a t a l n a E u r o p a População

População: 5,4 milhões de habitantes Superfície: 43 094 Km 2 Capital: Copenhaga Língua Oficial: Dinamarquês Moeda: Coroa Dinamarquesa

Receita típica de Natal: Risen Grød

Ingredientes

120 g de arroz

1 litro de leite

manteiga

açúcar

canela em pó

Modo de preparação Deita-se o arroz no leite a ferver e deixa-se cozer em lume brando durante 1 hora. Quando ficar pronto coloca-se numa travessa. É costume cada pessoa servir-se e juntar à sua porção um pouco de manteiga, açúcar e canela, mais ou menos conforme a sua gulodice. Tradicionalmente escondia-se uma amêndoa no arroz e quem a recolhesse tinha direito a uma prenda.

Pratos típicos de Natal: smørrebrød (uma espécie de canapés); batatas cozidas ou caramelizadas, a couve-roxa e os assados de carne de porco ou de pato.

Tradições: Em Dezembro, até ao dia 24, existe um programa especial de televisão. As crianças compram calendários sobre o programa, e cada dia abrem uma janela onde está um desenho que identifica o que vai acontecer no programa naquele dia. Os lucros dos calendários vão para projectos infantis em países pobres.

Símbolo nacional: Sereiazinha de Copenhaga

Curiosidades: Os dinamarqueses celebram o Natal na noite do dia 24, e antes de abrirem os presentes dançam à volta da árvore e cantam músicas desta quadra.

4
4

O

N a t a l

n a

E u r o p a

cantam músicas desta quadra. 4 O N a t a l n a E u r

Alemanha

desta quadra. 4 O N a t a l n a E u r o p
desta quadra. 4 O N a t a l n a E u r o p

População: 82,6 milhões de habitantes Superfície: 356 854 Km 2 Capital: Berlim Língua Oficial: Alemão Moeda: Euro

Receita típica de Natal: Bolo de S. Nicolau

Ingredientes 20 g de manteiga; 300 g de farinha; 3 colheres de chá de fermento; 150 g de amêndoa moída; 4 colheres de sopa de casca de limão cristalizada (ou passada por açúcar numa frigideira em lume brando); 3 colheres de sopa de cacau; 250 g de mel; 2 colheres de chá de canela em pó; 2 colheres de chá de essência de baunilha; 2 colheres de chá de raspa de limão; 1 colher de chá de essência de amêndoa; 12 colheres de sopa de água.

Modo de preparação Mistura-se numa tigela a farinha, o fermento, as amêndoas, a casca de limão cristalizada, o cacau, a baunilha, a raspa de limão e a essência de amêndoa. Numa frigideira à parte mistura-se o açúcar, o mel e a água mexendo bem para não deixar queimar. Ferve 5 minutos e depois juntam-se os restantes ingredientes, utilizando uma colher de pau. Unta-se um tabuleiro com manteiga, polvilha-se com farinha e coloca- -se a massa lá dentro. Vai ao forno durante 20 minutos. Retira-se então para salpicar com amêndoas e coze mais 5 minutos. Quando ficar pronto, cobre-se com geleia de amêndoa e corta-se aos quadrados.

Pratos típicos: Rheinischer Sauerbraten (carne assada marinada com vinho e especiarias), Würstchen mit Kartoffelsalat (salsichas com salada de batata), Sauerkraut und Eisbein (chucrute com mão de porco), cerveja, vinho, vinho espumante e Apfelsaft (sumo de maçã).

Tradições: As Festas de S. Nicolau, o quebra-nozes, as feiras de Natal e o calendário do advento.

Curiosidades: As salsichas e a salada de batata fazem parte da ementa de Natal.

5
5
O N a t a l n a E u r o p a Estónia

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Estónia População

Estónia

O N a t a l n a E u r o p a Estónia População

População: 1,35 milhões de habitantes Superfície: 45 227 Km 2 Capital: Tallin Língua Oficial: Estónio Moeda: Coroa Estónia

: Tallin Língua Oficial : Estónio Moeda : Coroa Estónia Receita típica do Natal: Piparkoogid (biscoitos

Receita típica do Natal: Piparkoogid (biscoitos de gengibre)

Ingredientes 250 g de mel ou de melaço; 100 g de açúcar; 50 g de manteiga; 2 colheres de chá de mescla de especiarias (canela, cravinho, cardamomo, gengibre, noz-moscada); um pouco de sal; 1 ovo; 300-500 g de farinha; 2 colheres de chá de fermento em pó. Modo de preparação Ferve-se o melaço com o açúcar e a manteiga, sem nunca deixar de mexer. Juntam-se as especiarias e bate-se para arrefecer. Adiciona-se o ovo já batido e a farinha misturada com o fermento. Bate-se até conseguir uma massa sólida. Deixa-se repousar em lugar fresco. Enrola-se a massa. Unta-se um tabuleiro e colocam-se os bolos cortados usando formas de biscoito (estrela, coração, lua ou homenzinho). Depois de prontos, os biscoitos podem ser decorados com o glacé colorido.

Tradições:

Na língua estónia Jōulud designa Natal e já era celebrado antes do Cristianismo. Actualmente, o Natal é uma mistura de tradicionalismo e de modernidade, uma fusão do profano com o religioso. As festas concentram-se sobretudo na Véspera de Natal, o jantar com a família e a missa, embora a época Natalícia se inicie no Advento, quando as pessoas compram calendários de Natal e acendem velas. Na noite de Natal, as famílias com crianças, costumam ter a visita do Pai Natal. As crianças com direito a prenda, têm de cantar ou recitar poemas, o mesmo aplica-se aos adultos. Para os mais indisciplinados, assim como para os pais, o Pai Natal traz uma vara, habitualmente sem uso. Os ajudantes do Pai Natal, os pequenos Duendes, têm a tarefa de vigiar secretamente as crianças durante o ano todo e tomar as devidas notas, para o Pai Natal saber quem se portou bem ou mal. No início do mês de Natal as crianças escrevem uma carta ao Pai Natal onde expressam o que gostariam de receber e que pode ser deixada no parapeito da janela para os Duendes a entregarem ao Pai Natal. Também é no parapeito que as crianças estónias deixam, cada noite de Dezembro, as suas pantufas, para os Duendes lá colocarem prendinhas ou guloseimas. Este privilégio é destinado às crianças bem comportadas.

Curiosidades:

A primeira Árvore de Natal pública foi erguida na Praça do Município, em Tallin, no ano remoto de 1441. A tradição de levar para casa uma árvore de Natal difundiu-se no país durante o século XIX. A árvore de Natal é um abeto verde. As primeiras decorações usadas na árvore de Natal eram brinquedos, doces, maçãs e, já mais tarde, velas. Por que razão as pessoas têm de comer 7, 9, e mesmo 12 vezes, na Véspera de Natal? Estes números eram mágicos, e a alimentação em excesso garantia fartura para o ano seguinte. Se os homens comessem sete vezes na Véspera de Natal dizia-se que no ano seguinte teriam a força de sete homens. Por que razão a comida tinha de ficar em cima da mesa durante toda a noite? Acreditava-se que os antepassados e outros espíritos apareciam em casa na noite de Natal, bem como na noite de Ano Novo e na Epifania.

6
6

O

N a t a l

n a

E u r o p a

de Ano Novo e na Epifania. 6 O N a t a l n a E
de Ano Novo e na Epifania. 6 O N a t a l n a E

Irlanda

Novo e na Epifania. 6 O N a t a l n a E u r

População: 4 milhões de habitantes

Superfície: 70 000 Km 2 Capital: Dublin Língua Oficial: Irlandês e Inglês Moeda: Euro Receita de Natal: Salmão fumado com molho de espinafres

Ingredientes 8 fatias de salmão fumado e algumas folhas de alface cortadas em tiras Para o molho: 50 g de espinafres; 100 ml de óleo de girassol; 1 colher e meia de sopa de vinagre balsâmico; meia colher de sumo de limão; sal; pimenta preta. Modo de preparação Dispor as tiras de alface nos pratos. Colocar em cima as fatias de salmão. Misturar os espinafres com óleo de girassol, o vinagre e o sumo de limão. Temperar com sal e pimenta e bater tudo com a varinha mágica. Deitar o molho em cima do salmão e servir.

Tradições

Hoje em dia, o Natal é celebrado de forma muito semelhante à dos outros países, com grandes festejos, troca de presentes, o berço do menino na igreja, a árvore de Natal, etc. Mas existem costumes que são específicos da Irlanda. A tradição mais distintiva é, possivelmente, uma tradição aparentemente de origem irlandesa e que só se celebra neste país: a da vela de Natal. Na véspera de Natal, a 24 de Dezembro, o chefe de família coloca uma vela grande na principal janela da casa ou na cozinha, no caso das zonas rurais. Habitualmente, estas velas pesam cerca de meio quilo e medem sessenta centímetros de comprimento; podem ser de várias cores: verdes, encarnadas, azuis, brancas ou amarelas. Tradicionalmente, a vela é fixa num nabo ao qual se raspa o interior, ou num recipiente cheio de farelo ou de farinha. A vela é geralmente acesa pelo membro mais novo da família e fica acesa toda a noite. O brilho das velas nas quintas espalhadas pelo campo é um dos espectáculos mais encantadores do Natal irlandês. As velas invocam a desgastante procura de alojamento por parte de Maria e de José e são uma promessa de boas vindas ao menino Cristo. Um dos costumes pagãos/cristãos mais pitorescos que tem sobrevivido é a procissão dos wren boys (“rapazes da carriça”). No dia a seguir ao Natal, habitualmente conhecido por dia de Santo Estêvão, os rapazes e os homens vestem fatos e máscaras extraordinárias e andam pela vizinhança cantando e dançando. Levam com eles um pau grande no cimo do qual colocam um pequeno arbusto de azevinho e prendem uma carriça, a “rainha de todas as aves”. Andam de casa em casa, à procura de hospitalidade e recitam uns versos especiais, dos quais há várias versões:

A carriça, a carriça, rainha de todas as aves No dia de São Estêvão foi apanhada no tojo Apesar de ser pequena a sua família é grande Ponha a mão na algibeira e dê-nos um tostão

ou

Ponha a chaleira e a panela ao lume E dê-nos um tostão para enterrar a carriça

Existem inúmeras variações vocais, mas todas celebram “a carriça, a rainha de todas as aves”. Natal em irlandês diz-se Nodlaig. A época natalícia vai da véspera de Natal até à festa da Epifania, que na Irlanda é conhecida como o Pequeno Natal ou Nodlaig na mBan (o Natal das Mulheres), em que as mulheres descansavam e os homens faziam as tarefas. Outro costume de Natal que tem sobrevivido é o dos “Christmas Mummers” (“Mimos de Natal”), grupos de rapazes e jovens que representavam peças em verso nas aldeias e nas vilas durante o período natalício. Pensa-se que são descendentes dos autos populares da idade média, reduzidas a um humor simples. O tema habitual é um combate entre dois personagens, a queda de um deles e a sua reanimação por parte de um doutor.

7
7
O N a t a l n a E u r o p a Grécia

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Grécia População

Grécia

O N a t a l n a E u r o p a Grécia População

População: 11 milhões de habitantes Superfície: 131 957 Km 2 Capital: Atenas Língua Oficial: Grego Moeda: Euro

Receita de Natal: Kurabiédes

Ingredientes (quantidade: aprox. 30 bolinhos)

250 g de manteiga; 1 kg de açúcar em pó; 1 kg de farinha; 1 gema de ovo; uma colher de chá de fermento; uma taça de café de conhaque; uma chávena de amêndoas, sem pele, torradas e moídas.

Modo de preparação Mistura-se a manteiga com 150 g de açúcar. Junta-se o conhaque, a gema de ovo, a farinha, o fermento e as amêndoas. Bate-se bem com uma colher de pau. Põe-se a massa num tabuleiro untado utilizando formas em feitio de estrela e lua. Vão ao forno durante 15 minutos. Quando ficarem prontos, salpicam-se com o resto do açúcar.

Pratos típicos: Cozinha à base de carne de borrego e cabrito, mas os pratos de peixe e de vegetais também são muito apreciados. O azeite acentua o sabor da comida grega. O uso de ervas aromáticas e especiarias é fundamental. Os gregos apreciam muito uma refeição com vários petiscos (mezédes).

Prato típico do Natal: perú recheado, assado no forno

Outros doces típicos do Natal: christópsomo e melomacárona

Tradições: Na véspera do Natal as crianças visitam os vizinhos e familiares e cantam canções típicas que se chamam kálanda, tocando uns triângulos metálicos. Em troca recebem dinheiro ou doces.

Curiosidades:

• É no dia de São Basílio (1 de Janeiro) que se distribuem as prendas, este Santo é considerado o protector dos pobres.

• Antigamente na Grécia, em vez de decorar a árvore do Natal, as

pessoas costumavam colocar um pequeno barco na sala da casa, assim mostravam a grande importância que o mar tem para o país.

8
8

O

N a t a l

n a

E u r o p a

que o mar tem para o país. 8 O N a t a l n a

Espanha

mar tem para o país. 8 O N a t a l n a E u
mar tem para o país. 8 O N a t a l n a E u

População: 44,1 milhões de habitantes Superfície: 506.030 Km 2 Capital: Madrid Língua Oficial: Espanhol Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Rosca de Reis

Ingredientes

100 g de farinha

1/2 litro de leite

20 g de fermento

2 ovos

75 g de açúcar

1 colher de água

raspa de limão

frutas cristalizadas

Modo de preparação

Mistura-se tudo excepto as frutas cristalizadas numa tigela até formar uma massa espessa. Deixa-se descansar durante três horas. Amassa- -se e descansa mais três horas. Distribui-se a massa num tabuleiro de forno e cobre-se com as frutas cristalizadas. Coze durante 20 minutos. Quando se retirar do forno e enquanto estiver quente enrola-se para ficar com a forma de torta. É costume esconder uma prendinha neste bolo.

Pratos típicos: Paella, leitão assado e tortilha à espanhola

Tradições: Cortejo dos Reis Magos

9
9
França O N a t a l n a E u r o p a

França

França O N a t a l n a E u r o p a População

O

N a t a l

n a

E u r o p a

França O N a t a l n a E u r o p a População

População: 63,4 milhões de habitantes Superfície: 544 000 Km 2 Capital: Paris Língua Oficial: Francês Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Tronco dos Reis Magos

Ingredientes

170 g de açúcar

170 g de manteiga

2 gemas de ovo

90 g de cacau em pó

50 g de amêndoas

1 kg de castanhas cozidas

Xarope

1dl de água

50 g de açúcar

50 g de manteiga

2 colheres de sopa de rum

Modo de preparação Mistura-se o açúcar com a manteiga, duas gemas de ovo e o cacau para fazer um creme. Ferve-se à parte 1 dl de água com 50 g de açúcar. Retira-se este xarope do lume e juntam-se 50 g de manteiga, 2 colheres de sopa de rum e as castanhas cozidas feitas em puré. Amassa-se com as mãos até formar uma bola. Molha-se um pano e põe-se a bola de massa em cima. Cobre-se com outro pano molhado e passa-se com o rolo da massa para estender. Retira-se o pano de cima e barra-se o rectângulo de massa com 2/3 de creme de cacau. Salpica- -se com amêndoas picadas.

10
10

O

N a t a l

n a

E u r o p a

-se com amêndoas picadas. 10 O N a t a l n a E u r
-se com amêndoas picadas. 10 O N a t a l n a E u r

Itália

amêndoas picadas. 10 O N a t a l n a E u r o p

População: 59,1 milhões de habitantes Superfície: 301 263 Km 2 Capital: Roma Língua Oficial: Italiano Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Panettone

Ingredientes 50 g de fermento de padeiro (fresco); 650 g de farinha; 1 colher de café de sal; 150 g de açúcar; 5 ovos; 200 g de manteiga; raspa de um limão; 1 colher de sopa de azeite; frutas cristalizadas e passas.

Modo de preparação

Dissolve-se o fermento em 1/2 copo de água morna. Mistura-se com a farinha,

o açúcar, o sal, a levedura e cinco gemas. Junta-se a manteiga, a raspa de

limão, as frutas cristalizadas e as passas. Amassa-se até formar uma bola. Cobre-se com um pano molhado e deixa-se descansar durante 6 horas. A bola cresce imenso. Amassa-se de novo para lhe dar a forma de cilindro e coloca-se numa forma untada com azeite. Faz-se uma cruz na massa e fica a repousar mais 1 hora. Vai ao forno e coze durante 45 minutos. Desenforma-se e só se come passadas 12 horas.

Lenda de Natal

O nome Befana deriva da palavra epifania. Esta lenda está relacionada com o

nascimento de Cristo. Conta-se que Befana, uma noite, viu no céu uma estrela muito brilhante e, de seguida, apareceram à sua porta, conduzindo uma

caravana, três homens sábios que a convidaram a juntar-se a eles. Ela recusou

o convite, mas de seguida arrependeu-se. Preparou uns presentes para o

menino recém-nascido, pegou na vassoura com que ajudava a mãe a limpar e

partiu. Tanto procurou pelo menino Jesus que se cansou. Foi então que anjos surgiram da luz brilhante da estrela e fizeram com que Befana voasse pelo céu montada na sua vassoura. Mesmo assim, não encontrou o bebé divino. Mas continua a procurar até hoje e, a cada ano, durante o Advento, ela vai de casa em casa, onde haja uma criança, para ver se é a que procura. Na noite de 5 de Janeiro, para as crianças mal comportadas a Befana leva carvão. Claro que nunca leva apenas carvão, os meninos não são sempre bem comportados nem sempre mal comportados, por isso ela leva “carvão”, sob a forma de um doce de caramelo, e presentes. De alguma forma a sua procura não é em vão, pois

o espírito do Menino Jesus pode ser encontrado em todas as crianças.

11
11
Chipre O N a t a l n a E u r o p a

Chipre

Chipre O N a t a l n a E u r o p a População

O

N a t a l

n a

E u r o p a

Chipre O N a t a l n a E u r o p a População

População: 0,8 milhões de habitantes Superfície: 9 000 Km 2 Capital: Nicósia Língua Oficial: Grego e Inglês Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Vasilopita

Ingredientes

6 ovos

2 copos de açúcar

1 copo e meio de manteiga vegetal derretida

4 copos de farinha para bolos

2,5 colheres de fermento em pó

1 copo e meio de leite

1 copo de amêndoas sem pele e cortadas aos bocadinhos

algumas amêndoas sem pele inteiras

bocados de nougat

Modo de preparação Junta-se a farinha, o fermento e os ovos bem batidos. Acrescenta-se o açúcar e a manteiga. Bate-se até a massa ficar cremosa. Depois mistura-se o leite, as amêndoas e os pedacinhos de nougat. Unta-se uma forma redonda com manteiga e polvilha-se com farinha. Verte-se a massa na forma e por cima colocam-se as amêndoas inteiras, desenhando a data do Ano Novo. Vai ao forno pré-aquecido a 150º centígrados. Coze durante uma hora.

12
12

O

N a t a l

n a

E u r o p a

Coze durante uma hora. 12 O N a t a l n a E u r

Letónia

durante uma hora. 12 O N a t a l n a E u r o

População: 2,3 milhões de habitantes Superfície: 65 000 Km 2 Capital: Riga Língua Oficial: Letão Moeda: Lats

Receita típica do Natal: Bolinhos de Mel

Ingredientes

700 g de farinha para bolos

2 copos de leite

100 g de manteiga ou banha de porco

25 g de fermento

sal

Para a cobertura

de porco ∑ 25 g de fermento ∑ sal Para a cobertura 400 g de mel;

400 g de mel; 50 g de manteiga; 1 copo de nozes ou avelãs; 1 ovo.

Modo de preparação Mistura-se o fermento com uma colher de chá de açúcar e deixa-se a mistura num sítio quente para crescer. Amorna-se o leite e deixa-se numa tigela onde se junta metade da farinha, uma pitada de sal e a pasta de fermento com açúcar. Bate-se muito bem. Polvilha-se com farinha. Deixa-se a descansar cobrindo a tigela com um pano branco. Depois da massa crescer acrescenta-se o resto da farinha, a manteiga ou a banha e bate-se de novo com uma colher de pau. Deixa-se um pouco mais em repouso para crescer. Estende-se a massa de forma a ficar com uma espessura de cinco centímetros. Cortam-se os bolinhos com formas próprias. Besuntam-se com a cobertura e vão ao forno num tabuleiro untado com manteiga.

Cobertura Mistura-se a manteiga com o ovo previamente batido, acrescentam-se as nozes ou avelãs e o mel.

Pratos típicos: Empadas de toucinho (speėa pīrādziĦi) e Sklandu tartes. Uma parte fundamental do Natal letão mais tradicional consiste num generoso banquete do qual faz parte a cabeça de porco assada. Fazem também parte deste banquete as ervilhas e feijões que pela sua forma redonda e curva representam o sol ou o ano.

Tradições:

Foram encontradas evidências históricas de que a decoração da árvore de Natal tem as suas origens na época medieval (século XV), pela mão dos cavaleiros Bálticos. Na altura do Natal (equinócio), uma das velhas tradições pagãs da Letónia é cortar uma árvore e arrastar a base que sobrou à volta da casa ou da propriedade (quintal ou quinta), para ser queimada depois. O simbolismo desta tradição é o seguinte: a queima da base que sobrou do corte da árvore simboliza a queima dos infortúnios do último ano, dizendo adeus às longas noites e recebendo o novo ano e os dias de luz.

13
13
Lituânia O N a t a l n a E u r o p a

Lituânia

Lituânia O N a t a l n a E u r o p a População:

O

N a t a l

n a

E u r o p a

Lituânia O N a t a l n a E u r o p a População:

População: 3,379 milhões de habitantes Superfície: 65 300 Km 2 Capital: Vilnius Língua oficial: Lituano Moeda: Litas

Receita típica do Natal: Arenque com cogumelos secos Silke su grybais

Ingredientes

• 12 filetes de arenque

• 3 cebolas picadas

• 5 colheres de sopa de óleo vegetal

• 3 colheres de sopa de natas frescas

• 6 cogumelos secos

• Açúcar e pimenta

Modo de preparação

Demolham-se os cogumelos secos em água quente durante 3 horas e depois cozem-se e cortam-se em tiras. Os cogumelos e uma cebola picada são temperados com açúcar e pimenta e fritos em lume brando durante 5-10 minutos. Os filetes de arenque são cobertos de ambos os lados pelo preparado anterior, enrolam-se e colocam-se no prato de servir. No final cobrem-se com natas frescas. Acompanha-se com batatas cozidas ou pão preto.

Pratos típicos: Sopa fria de beterraba, salsichas lituanas, pratos à base de batatas como panquecas de batata ou Cepelinai, uma espécie de almôndegas de batata recheadas de carne, requeijão ou cogumelos.

14
14

O

N a t a l

n a

E u r o p a

requeijão ou cogumelos. 14 O N a t a l n a E u r o
requeijão ou cogumelos. 14 O N a t a l n a E u r o

Luxemburgo

ou cogumelos. 14 O N a t a l n a E u r o p
ou cogumelos. 14 O N a t a l n a E u r o p

População: 500 mil habitantes Superfície: 2 586 Km 2 Capital: Luxemburgo Língua Oficial: Luxemburguês, Francês e Alemão, sendo o Luxemburguês a língua nacional

A bandeira tricolor tem o estatuto de bandeira nacional. No território do Grão-Ducado do Luxemburgo o emblema do Leão encarnado poderá ser utilizado com o mesmo significado da bandeira tricolor. (Decisão do Conselho de Governo de 27 de Abril 2007).

Receita típica do Natal: Boxemaennercher (O Bolo dos Padrinhos)

Ingredientes:

125 g de açúcar; 7 gemas de ovos; 60 g de farinha; 3 claras de ovos; passas; fios de ovos; 1 moeda de prata.

Modo de preparação:

Bate-se o açúcar com 6 gemas, juntam-se as claras em castelo e a farinha. Quando a massa ficar homogénea acrescenta-se uma gema. Vai a cozer ao forno numa forma untada com manteiga.

No Luxemburgo há formas próprias em feitio de bebé. Caso esta não exista, quando a massa estiver cozida e arrefecida recorta-se a forma de bebé. Colocam-se as passas no lugar dos olhos, nariz e boca, utilizam-se os fios de ovos para fazer a cabeleira e põe-se

a moeda de prata no sítio do umbigo.

Pratos típicos: Bouneschlupp (sopa de feijão verde), Judd mat Gaardebouden (cachaço de porco fumado com favas), Traïpen (morcela com puré de maçã), Kuddelfleck (entremeada de porco com batatas salteadas), Kachkéis (queijo fundido), Quetschentaart (tarte de ameixas).

Tradições típicas de Natal:

- Nokloosdaag: No dia 6 de Dezembro, a festa de Saint Nicolas, é celebrada em memória

do jovem bispo que, segundo a lenda, salvou crianças da morte. Hoje em dia as crianças

recebem presentes de São Nicolau. Contrariamente ao Pai Natal, o S. Nicolau usa um chapéu encarnado pontiagudo (a mitra) e uma espécie de bastão (o báculo). Segundo a

tradição, S. Nicolau está acompanhado pelo Père Fouettard (Pai das Chibatadas) vestido de preto e com umas pequenas chibatas para castigar as crianças que não se portaram bem. Nas semanas que antecedem o dia 6 de Dezembro, as crianças colocam os seus sapatos na chaminé para que São Nicolau ou Kleeschen (Saint Nicolas) aí lhes ponha rebuçados ou outros doces, nomeadamente os Boxemaennercher, bolo típico com a forma de um pequeno homem.

- Chreschtmaart (mercado de Natal): Duas semanas antes do Natal, a Place d’Armes, no

centro da cidade de Luxemburgo, enche-se de pequenas barracas de madeira, que vendem velas, perfumes, doçaria, bebidas típicas tal como o Glühwein (vinho quente), assim como comidas típicas: Lëtzebuerger Grillwurscht, Mettwurscht (salsichas luxemburguesas), Gromberekichelcher (bolachas de puré de batata) etc.

Curiosidades:

O Luxemburgo que, com 1000 anos de existência, deu quatro Imperadores à Alemanha,

não tem actualmente mais do que um terço da sua antiga superfície.

A cidade de Luxemburgo, chamada Gibraltar do Norte foi fortificada pelo arquitecto

militar francês Vauban. Tem 23 Km de casamatas (subterrâneos por baixo da cidade).

15
15
O N a t a l n a E u r o p a Hungria

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Hungria População:

Hungria

O N a t a l n a E u r o p a Hungria População:

População: 10,1 milhões de habitantes Superfície: 93 000 Km 2 Capital: Budapeste Língua Oficial: Húngaro Moeda: Forint

Receita típica do Natal: Beigli (Bolo enrolado com recheio de sementes de papoila ou de nozes)

Ingredientes para três rolos com nozes e três com sementes de papoila.

Massa

1 kg de farinha; 500 g de manteiga; 8 gemas e mais 2 ovos para a camada dourada; 60 g de açúcar; sal; 4 dl de leite; 30 g de fermento de padeiro.

Recheio de sementes de papoila

2 dl de leite; 250 g de açúcar; 300 g sementes de papoila moídas; raspas de 1 limão; 2 maçãs raladas; canela em pó; passas; um pouco de doce de alperce (ou de damasco) e, eventualmente, rum ou mel.

Recheio de nozes

2 dl de leite; 300 g de açúcar; 300 g de nozes moídas; passas; canela em pó; casca ralada de um limão; uma maçã ralada.

Modo de preparação

Misturar a farinha com o açúcar, o sal, os ovos e a manteiga. Juntar o fermento de padeiro com um pouco de leite morno açucarado. Adicionar mais leite até obter uma massa não muito dura. Amassa-se até se desprender dos dedos. Cobrir a massa com um pano e deixá-la repousar durante dez minutos. A seguir, divide-se a massa em seis bolas iguais e formam-se seis rectângulos finos com um rolo de massa.

Recheios: ferver o leite e juntar o resto dos ingredientes.

Dividir o recheio pelos rectângulos, enrolá-los e colocá-los num tabuleiro untado com manteiga. Picá-los com um garfo em vários lugares. Ter cuidado em não colocar os rolos de massa muito juntos, uma vez que crescem no forno. Pincelar com os ovos batidos, várias vezes, ao comprimento e largura do rolo. Colocar no forno a temperatura média. Devem consumir-se depois de 2 ou 3 dias de repouso.

Pratos típicos: Gulyás, Halászlé (Sopa de Peixe) e Couve Recheada

Curiosidades: Duas semanas antes do Natal, no dia 6 de Dezembro, as crianças recebem a visita de Mikulás ou St Nicholas (e não do “Pai Natal”) que lhes dá pequenos presentes, em geral doces e chocolates. A principal celebração do Natal na Hungria é na noite de 24 de Dezembro, Szent-este ou noite sagrada. A família reúne-se à volta do pinheiro e janta solenemente. O jantar é composto por pratos tradicionais como peixe, perú, couve recheada e a sobremesa tradicional é o beigli, um bolo feito com sementes de papoilas ou nozes. Depois da refeição, os membros da família vão buscar as prendas que foram deixadas debaixo da árvore de Natal pelo Menino Jesus e os seus anjos. São incluídos na decoração da árvore rebuçados recheados embalados em papéis brilhantes, os szaloncukor.

16
16

O

N a t a l

n a

E u r o p a

brilhantes, os szaloncukor . 16 O N a t a l n a E u r
brilhantes, os szaloncukor . 16 O N a t a l n a E u r

Malta

os szaloncukor . 16 O N a t a l n a E u r o

População: 0,4 milhões de habitantes Superfície: 316 Km 2 Capital: La Valleta Língua Oficial: Maltês e Inglês Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Laghaq tal-ghasel (Anéis de Melaço)

Ingredientes

• 500 g de farinha

• 150 g de manteiga

• 150 g de sêmola

• 300 g de margarina

• 150 g de açúcar

• 1 gema de ovo

• leite q.b.

Recheio

• 500 g de melaço

• 2 colheres de sopa de cacau

• 300 g de açúcar

• raspa de limão

• raspa de laranja

• 4 cravos-da-índia

• 2 colheres de sopa de anis

• 2 colheres de sopa de sêmola

• 1 colher de chá de especiarias

• água q.b.

Modo de preparação

Mistura-se a farinha com a manteiga, a sêmola e o açúcar. Junta-se o leite e a gema. Bate-se bem até ficar cremoso. Deixa-se repousar. À parte, mistura-se o melaço com o cacau, o açúcar, a raspa de limão, a raspa de laranja, anis, especiarias e água. Coloca-se esta mistura numa caçarola e leva-se ao lume até engrossar, acrescentando-lhe a sêmola a pouco e pouco. Retira-se do lume e deixa-se arrefecer. Estende-se a massa em tiras largas, recheiam-se e moldam-se em forma de tubos para depois formarem anéis. Perfuram-se os anéis com uma faca afiada, colocam- se num tabuleiro untado com manteiga e levam-se ao forno até ficarem dourados.

Pratos típicos: Minestrone, sopa de peixe, massas e bolos, pratos estufados. Prato nacional chama-se Struffat Tal-Fenek que é um estufado de coelho.

Tradições: Procissão das Crianças

17
17
Holanda (Países Baixos) O N a t a l n a E u r o

Holanda (Países Baixos)

Holanda (Países Baixos) O N a t a l n a E u r o p

O

N a t a l

n a

E u r o p a

Holanda (Países Baixos) O N a t a l n a E u r o p

População: 16,4 milhões de habitantes Superfície: 41 528 Km 2 Capital: Amesterdão Língua Oficial: Neerlandês Moeda: Euro

Receita típica de Natal: Letras de São Nicolau

Ingredientes

• 1 placa de massa folhada congelada

• 1 clara de ovo

• 50 g de amêndoas picadas

• 50 g de açúcar

Modo de preparação

Deixa-se descongelar a massa folhada, estende-se com o rolo da massa e

corta-se em tiras de modo a formar letras (de preferência as iniciais dos nomes

de familiares ou amigos).

Colocam-se as letras num tabuleiro próprio para ir ao forno, previamente forrado a papel de alumínio, pincelam-se com a clara de ovo batida e cobrem-

-se com as amêndoas e o açúcar. Levam-se ao forno a cozer durante 10 minutos. As letras podem conservar-se durante dois ou três dias numa caixa de bolachas.

Pratos típicos: Arenque cru, enguias fumadas, sopa de ervilhas, entre outros.

O Edam e o Gouda são queijos holandeses também muito apreciados no

estrangeiro.

Tradições: Sinterklaas (Dia de São Nicolau)

18
18

O

N a t a l

n a

E u r o p a

(Dia de São Nicolau) 18 O N a t a l n a E u r

Áustria

de São Nicolau) 18 O N a t a l n a E u r o

População: 8,3 milhões de habitantes Superfície: 83 858 Km 2 Capital: Viena Língua Oficial: Alemão Moeda: Euro

Capital: Viena Língua Oficial: Alemão Moeda: Euro Receita típica do Natal: Biscoitos de Baunilha

Receita típica do Natal: Biscoitos de Baunilha

Ingredientes

• 250 g de manteiga

• 250 g de farinha

• 100 g de amêndoas esmagadas

• 75 g de açúcar

• 1 gema de ovo

• 1 colher de chá de açúcar baunilhado

• 1 pitada de sal

Modo de preparação

Mistura-se a manteiga com a farinha e depois os outros ingredientes. Deixa-se descansar 2 horas dentro de 1 saco de plástico, no frigorífico. Depois fazem-se pequenas ferraduras com a massa, colocam-se num tabuleiro untado com manteiga e cozem no forno durante 10 minutos. Quando ficarem prontos e ainda quentes polvilham-se com açúcar baunilhado.

Pratos típicos: Wiener Schnitzel, Apfelstrudel, Sachertorte.

Tradições: A valsa.

Curiosidades: Costume de organizar o Christkindlmarkt (mercado do menino Jesus). É o menino Jesus (Christkindl) que no Natal distribui os brinquedos às crianças.

19
19
O N a t a l n a E u r o p a Polónia

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Polónia População:

Polónia

O N a t a l n a E u r o p a Polónia População:

População: 38,2 milhões de habitantes Superfície: 313 000 Km 2 Capital: Varsóvia Língua Oficial: Polaco Moeda: Zloty

Receita típica de Natal: Carpa frita à polaca

Ingredientes:

• carpa até 2 kg de peso

• 4 cebolas grandes

• 1 colher pequena com os seguintes temperos esmagados: louro, grãos de pimenta preta, grãos de pimenta da Jamaica, coentros

• 25 g de manteiga

• azeite

• manteiga

• sal

• farinha

• ovos

• pão ralado

Modo de preparação:

Primeiro lava-se muito bem a carpa. Depois, corta-se o peixe em fatias grossas e esfrega-se com o sal e os temperos. Em seguida, colocam-se as fatias de peixe, intercaladas com rodelas de cebola, numa panela de barro. Tapa-se a panela e deixa-se a marinar. Uma hora antes de servir cobrem-se todas as fatias de peixe com farinha. Depois, passam-se por ovo e a seguir por pão ralado e fritam-se em azeite quente. As fatias de peixe panado são colocadas num tacho e sobre cada uma delas coloca-se um pedaço de manteiga. Volta-se a tapar bem e deixa-se em ambiente quente. Depois de fritar o peixe, o resto do azeite é usado para fritar rodelas de cebola bem lavadas. Por fim, coloca-se a carpa, rodeada de cebola frita, numa travessa quente.

Pratos típicos: sopa de beterraba, couve recheada e pierogi (uma espécie de ravióis recheados com couve e cogumelos)

Tradições:

- Preparação dos presépios e decorações de árvore de Natal.

- Partilha de Oplatek, pão de hóstia, entre os familiares antes da Ceia de Natal

- Participação na Missa do Galo

- Juntar as vozes para cantar as Kolenda – cânticos de Natal

20
20

O

N a t a l

n a

E u r o p a

– cânticos de Natal 20 O N a t a l n a E u r

Portugal

cânticos de Natal 20 O N a t a l n a E u r o

População: 10,6 milhões de habitantes Superfície: 92 072 Km 2 Capital: Lisboa Língua Oficial: Português Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Broas de Natal

Ingredientes

• 250 g de açúcar

• 250 g de manteiga

• 400 g de farinha

• 5 gemas de ovos

• 1 colher de chá de canela em pó

Modo de preparação

• 1 colher de chá de canela em pó Modo de preparação Batem-se as gemas com

Batem-se as gemas com o açúcar. Amolece-se a manteiga em banho-maria, deixa-se arrefecer e junta-se às gemas misturando bem. Incorporam-se a farinha e a canela a pouco e pouco até obter uma massa uniforme. Num tabuleiro untado de manteiga e polvilhado de farinha estendem-se bocadinhos de massa em forma de broa, deixando bastante espaço entre cada uma porque vão crescer. Pincelam-se com gema de ovo e vão ao forno a cozer.

Pratos típicos: Bacalhau cozido, perú assado, polvo, azevias, rabanadas, sonhos e bolo-rei.

Tradições: Árvore de Natal, presépio, consoada e missa do galo.

21
21
O N a t a l n a E u r o p a Roménia

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Roménia População:

Roménia

O N a t a l n a E u r o p a Roménia População:

População: 21,8 milhões de habitantes Superfície: 238 000 Km 2 Capital: Bucareste Língua Oficial: Romeno Moeda: Leu

Receita típica do Natal: Cozonac de noz

Ingredientes 1 kg de farinha; 300 g açúcar; 200 g de manteiga; 8 colheres (de sopa) de óleo; 50 g de fermento em pó; ½ litro de leite; 1 colher (de chá) de sal; 8 ovos; miolo de noz moído q.b.; essência de rum; especiarias (casca de limão ralada, açúcar baunilhado).

Preparação da massa

Mistura-se 200 ml de leite a ferver com 250 g de farinha e coloca-se sobre a restante farinha. Mistura-se com uma colher de pau e amassa-se um pouco com a mão para não formar grumos. O fermento em pó mistura-se com uma colher (de chá) de açúcar e um pouco de leite amornado e deixa-se crescer, depois deita-se sobre a farinha. As gemas dos 8 ovos misturam-se com o açúcar e o restante leite, acrescentando-se o sal e o óleo. O óleo deita-se aos poucos, como se fosse para preparar maionese.

A composição que resulta amassa-se bem com a mão para que não haja grumos, depois deita-

-se a manteiga derretida (amornada) e as especiarias e amassa-se por mais 15 minutos. Quando a massa se torna homogénea, tapa-se com uma toalha e deixa-se crescer, de seguida fazem-se folhas que serão untadas com o creme de recheio.

Preparação do recheio

Batem-se as claras em castelo com uma caneca de açúcar e acrescentam-se o miolo de noz moído e a essência de rum. Obtém-se um creme com o qual se untam as folhas de massa, que depois se enrolam. O cozonac que resulta unta-se com ovo e coloca-se num tabuleiro untado com manteiga que vai para o forno. O cozonac pode ser retirado do forno quando o palito ao espetar a massa, sair limpo.

Pratos típicos: Almôndegas de carne grelhadas, guisado de carne de porco com alho e cebola e donuts recheados de natas e queijo

Tradições: Baba Dochia (Velha Dochia) é a personagem de uma bela lenda romena.

A Baba Dochia tinha um filho, o Dragobete, que tinha uma esposa. Como a sogra não gostava

da nora e esta estava doente, mandou-a para a floresta apanhar morangos no Inverno, sob pretexto de só estes a conseguirem curar. A nora lá foi e, estranhamente, com a ajuda de uma entidade divina, o MărŃişor, que lhe ofereceu uma flor branca e uma vermelha, lá encontrou os morangos de Inverno. Esse acontecimento fez com que a Baba Dochia também fosse para a floresta apanhar morangos, pensando que o Inverno já tinha terminado. Levou 9 casacos de pele, uns por cima dos outros, que ia libertando um após outro. Quando ficou sem casaco, começou a fazer tanto frio, que Baba Dochia gelou e se transformou em pedra.

É assim que, na tradição romena, o branco e o vermelho começaram a simbolizar a luta entre o

bem e o mal, entre o Inverno e a Primavera. O filho da Velha, o Dragobete representa para os romenos o santo dos namorados tal como São Valentim e o MărŃişor (diminutivo para Março) é uma celebração tradicional do começo da Primavera. É no mês de Março que os romenos oferecem uns aos outros talismãs com cordões vermelhos e brancos (em geral são os homens que os oferecem às mulheres), que trazem sorte a quem os usar.

22
22

O

N a t a l

n a

E u r o p a

trazem sorte a quem os usar. 22 O N a t a l n a E

Eslovénia

a quem os usar. 22 O N a t a l n a E u r

População: 2 milhões de habitantes Superfície: 20 273 Km 2 Capital: Liubliana Língua Oficial: Esloveno Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Potíca

Esloveno Moeda: Euro Receita típica do Natal: Potíca Ingredientes 28 colheres de chá de manteiga fresca;

Ingredientes

28 colheres de chá de manteiga fresca; 58 colheres de chá de farinha; 3

ou 4 colheres de chá de fermento; 6 colheres de sopa de leite morno; 3 gemas de ovo; 7 colheres de chá de açúcar; 1 chávena de natas; 1 pitada de sal; raspa de limão.

Recheio

5

gemas de ovo; 25 colheres de chá de açúcar baunilhado; raspa de limão;

2

colheres de sopa de natas.

Modo de preparação

Batem-se as 28 colheres de chá de manteiga fresca e misturam-se com as

58 colheres de chá de farinha. Acrescenta-se três ou quatro colheres de

chá de fermento, seis colheres de sopa de leite morno, três gemas de ovo,

sete colheres de chá de açúcar, uma chávena de natas, uma pitada de sal

e a raspa de limão. Amassa-se e estende-se três vezes com o rolo da massa. Depois cobre-se com um pano limpo e aguarda-se três horas.

Entretanto, prepara-se um creme para o recheio com 5 gemas de ovo, 25 colheres de chá de açúcar baunilhado, raspa de limão e duas colheres de sopa de natas. Barra-se a massa com o recheio. Enrola-se de modo a formar uma torta e coloca-se num tabuleiro untado com manteiga. Vai ao forno até cozer.

Pratos típicos: A cozinha eslovena foi muito influenciada pela dos países vizinhos. Assim, o Strudel e o Wiener Schnitzel vieram da Áustria, o risoto

e os ravióis da Itália e o goulash da Hungria. O potica é um bolo esloveno especialmente apreciado.

23
23
O N a t a l n a E u r o p a Eslováquia

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Eslováquia População:

Eslováquia

O N a t a l n a E u r o p a Eslováquia População:

População: 5,4 milhões de habitantes Superfície: 49 000 Km 2 Capital: Bratislava Língua Oficial: Eslovaco

Moeda: Coroa Eslovaca (Entrada na Zona Euro prevista para

01/01/2009)

Receita típica do Natal: Kapustnica (Sopa de Natal)

Ingredientes

2 cebolas grandes picadas

1 mão cheia de cogumelos secos

30 g de ameixas pretas

250 g de chouriço

2 colheres de sopa de óleo de girassol

1 lata de 810 g de choucroute

1 folha de louro

1 colher de chá de tomilho seco

1 colher de chá de pimentão doce

1 colher de café de pimenta preta em pó

1 colher de sopa de sal fino

alho

Modo de preparação

Colocam-se os cogumelos de molho em água a ferver. Numa panela leva-se o óleo a aquecer em lume brando e juntam-se as cebolas picadas. Deixa-se fritar até as cebolas ficarem transparentes. Junta-se a choucroute escorrida e cortada aos bocados, mexe-se com uma colher de pau e deita-se água até cobrir a choucroute. Tempera-se com sal, louro, tomilho, pimenta, pimentão doce e acrescentam-se os cogumelos. Tapa-se e deixa-se ferver até a choucroute estar cozida. Se necessário acrescenta-se água quente, mas de forma a que a mistura fique bem espessa. Quando levantar fervura, deita-se o chouriço inteiro na panela. Acrescenta-se o alho picadinho e as ameixas pretas. Mexe-se, torna-se a tapar e deixa-se cozer em lume brando. Quando o chouriço estiver cozido retira-se, corta-se às rodelas e torna-se a meter na sopa, que deve ser servida assim que estiver pronta.

24
24

O

N a t a l

n a

E u r o p a

assim que estiver pronta. 24 O N a t a l n a E u r
assim que estiver pronta. 24 O N a t a l n a E u r

Finlândia

estiver pronta. 24 O N a t a l n a E u r o p

População: 5,2 milhões de habitantes Superfície: 338 000 Km 2 Capital: Helsínquia Língua Oficial: Finlandês e Sueco Moeda: Euro

Receita típica do Natal: Tartes de Ameixa

Ingredientes

Compra-se massa folhada congelada para fazer a base da tarte

Recheio

1/2 kg de ameixas pretas

água

150 g de açúcar

Modo de preparação

Lavam-se as ameixas. Põem-se de molho em água durante algumas horas. Quando já estão moles, tiram-se os caroços. Levam-se as ameixas ao lume e deixam-se ferver até ficarem reduzidas a uma espécie de puré. Estende-se a massa folhada com o rolo e corta-se em quadrados com os cantos em diagonal. Põe-se o recheio em cima da massa. Usam-se os cantos para fazer enfeites em cima do recheio. Pincelam-se as tartes com gema de ovo. Levam-se a cozer em forno quente (250º C durante 10 minutos).

Pratos típicos: Salmão, arenque fumado, carne de rena, pastéis da Carélia (karjalanpiirakka) feitos de batata ou de arroz e o peixe e carne gorda de porco em crosta de pão de centeio (kalakukko). As bebidas mais consumidas são o leite, sumos de bagas silvestres e no Natal glögi (uma bebida quente condimentada com gengibre e canela).

Tradições: Sauna, visita do Pai Natal, missa de noite de Natal ou de manhã seguinte, decoração da Árvore de Natal

25
25
O N a t a l n a E u r o p a Suécia

O

N a t a l

n a

E u r o p a

O N a t a l n a E u r o p a Suécia População:

Suécia

O N a t a l n a E u r o p a Suécia População:

População: 8,9 milhões de habitantes Superfície: 450 000 Km 2 Capital: Estocolmo Língua Oficial: Sueco Moeda: Coroa Sueca

Receita típica do Natal: Pepparkakor – biscoitos de gengibre

Ingredientes 150 g de manteiga; 200 g de açúcar; 2 colheres de sopa de melaço; 2 colheres de sopa de canela em pó; 1 colher de sopa de gengibre em pó; 1 colher de sopa de cravinho em pó; 2 colheres de café de bicarbonato de sódio; 1 dl de água; 450 g de farinha.

Modo de preparação Mistura-se a manteiga com o açúcar, o melaço e todos os outros ingredientes pela ordem que estão apresentados acima, até obter uma massa uniforme. Deixa-se repousar a massa no frigorífico durante 24 horas. Depois estende-se a massa com o rolo de modo a obter um rectângulo com cerca de 1 cm de espessura. Recortam-se corações ou outras figuras e colocam-se num tabuleiro untado com manteiga e polvilhado de farinha. Cozem no forno a 200ºC durante 5 minutos. Os pepparkakor conservam-se durante muitos dias em latas para bolachas.

Pratos típicos: Prato especial de bacalhau (lutfisk), Smorgåsbord – refeição com pratos tradicionais variados e diversas iguarias, como o arenque do Báltico em conserva (sill), almôndegas (köttbullar), presunto de Natal (julskinka), batatas cozidas e/ou gratinadas com anchovas (janssons frestelse), patê de fígado, pão de várias qualidades, etc.

Tradições:

- Advento – Preparação para o Natal. Por ser a fase mais escura do ano, dita a

tradição que se acenda uma vela em cada domingo que antecede o Natal. A celebração começa quatro domingos antes do Natal. Quando todas as quatro velas estão acesas o Natal está a chegar. Muitos suecos reúnem-se para beber glögg – um vinho quente temperado com especiarias, acompanhado de amêndoas, passas e bolachas de gengibre.

- Festa de Santa Luzia – Luzia é uma figura mística antiga com um papel duradouro de portadora da luz nos escuros Invernos suecos. Luzia deve ter luz em seus cabelos, o que se traduz numa coroa de lâmpadas ou velas sobre a sua cabeça. Todos na procissão – a Luzia, os meninos-estrela e as criadas, vestem túnicas brancas e cantam cânticos. As festas de Luzia também incluem bolachas de

gengibre e pãezinhos doces de açafrão – lussekatter, que têm a forma de um gato enrolado com olhos de passas. Bebe-se glögg ou café.

- Knutsdagen – o dia 13 de Janeiro marca o fim das festas de Natal.

26
26

O

N a t a l

n a

E u r o p a

o fim das festas de Natal. 26 O N a t a l n a E
o fim das festas de Natal. 26 O N a t a l n a E

Reino Unido

festas de Natal. 26 O N a t a l n a E u r o

População: 60,4 milhões de habitantes Superfície: 242 500 Km 2 Capital: Londres Língua Oficial: Inglês Moeda: Libra Esterlina

Receita típica de Natal: Christmas Pudding

Ingredientes:

110 g corintos; 110 g sultanas; 110 g passas; 30 g amêndoas moídas; 110 g banha de porco; 30 g de casca de frutas cristalizadas (citrinos); 110 g açúcar amarelo; ½ colher de chá de fermento; ½ colher de chá de mistura de especiarias; Uma pitada de canela; Uma pitada de noz-moscada; uma colher de sopa de brandy; 110 g pão ralado; 75 g farinha; 2 ovos; Polpa e sumo de ½ laranja; Polpa e sumo de ½ limão; ½ maçã ralada; ½ cenoura ralada; 1 colher de sopa de melaço; ½ colher de chá de essência de amêndoa; uma pitada de gengibre; uma pitada de sal; leite.

Modo de preparação

Coloque todos os ingredientes dentro de uma taça e misture-os bem. Tradicionalmente toda a família deverá dar uma boa mexedela na massa e pedir um desejo! A massa deverá ficar bastante húmida. Cubra a taça e deixe repousar de um dia para o outro. No dia seguinte coloque a mistura na taça em que o pudim irá ser cozinhado (taça de 1 litro) untando-a previamente com manteiga. Cubra-a com dois pedaços de papel próprios para o forno e folha de alumínio e ate a taça com um cordel sobre os papéis. Coloque a taça dentro de um tacho e deixe cozer o pudim em banho-maria durante 8 horas. Quando estiver cozido, deixe arrefecer e retire os papéis e folha de alumínio substituindo-os por outros. Guarde o pudim num sítio fresco e escuro. No dia de Natal, coza-o novamente durante 2 ½ horas. Retire os papéis e folha de alumínio e desenforme o pudim, com a ajuda de uma faca, virando-o ao contrário para cima de um prato de servir, previamente aquecido. Coloque uma haste de azevinho no topo. Aqueça um pouco de brandy num recipiente e, quando estiver quente, deite- -lhe fogo. Leve o recipiente para a mesa e devagar entorne o brandy a arder sobre o pudim. O pudim poderá ser servido ou com molho de rum, ou somente com rum ou com manteiga de rum.

27
27

Centres d'intérêt liés