Vous êtes sur la page 1sur 52

l

Índice
Folhas de Papel ............................................................................................................................................. 4
Tu e Eu… ....................................................................................................................................................... 5
Amiga… ......................................................................................................................................................... 6
Sonho… ......................................................................................................................................................... 7
Nunca Desistir… ............................................................................................................................................ 8
Naufragando… .............................................................................................................................................. 9
Amor… ........................................................................................................................................................ 10
Quem Sou?! ................................................................................................................................................ 11
Só a ti… ....................................................................................................................................................... 12
Minha Vida…............................................................................................................................................... 13
Um Rumo… ................................................................................................................................................. 14
O Efeito de um Não… ................................................................................................................................. 15
Cansado… ................................................................................................................................................... 16
Mudança… .................................................................................................................................................. 17
Quem como a ti… ....................................................................................................................................... 18
Fruto de um Sonho… .................................................................................................................................. 19
Sozinho… .................................................................................................................................................... 20
O Sabor da Morte… .................................................................................................................................... 21
Um Sorriso Pode Ser… ................................................................................................................................ 22
Esta Guerra vou Lutar… .............................................................................................................................. 23
Que Porcaria de Mundo Este… ................................................................................................................... 24
Voto de Ignorância… .................................................................................................................................. 25
Quem te Dera…E a Mim… .......................................................................................................................... 26
Só Tu…Só Mesmo Tu! ................................................................................................................................. 27
Sentimentos de Insuficiência… ................................................................................................................... 28
Coração que Findou… ................................................................................................................................. 29
Porcaria de vida .......................................................................................................................................... 30
O Tempo em Ti… ........................................................................................................................................ 31
Será Poeta?! ............................................................................................................................................... 32
Um Olhar….................................................................................................................................................. 33
Sou que querias… ....................................................................................................................................... 34
Minha aparente felicidade ......................................................................................................................... 35
Desculpas próprias ..................................................................................................................................... 36
Acredito em amor....................................................................................................................................... 37
Ditos ........................................................................................................................................................... 38
Um toque… ................................................................................................................................................. 39
Brilho Impuro.............................................................................................................................................. 40
Sou uma só liberdade ................................................................................................................................. 41
Vida / Droga................................................................................................................................................ 42
Perfeito? ..................................................................................................................................................... 43
Despertaste-me .......................................................................................................................................... 44
Uma noite ................................................................................................................................................... 45
Maré ........................................................................................................................................................... 46
Vento que passas........................................................................................................................................ 47
Frente á morte............................................................................................................................................ 48
Expressão minha......................................................................................................................................... 49
Tédio ........................................................................................................................................................... 50
Falta ............................................................................................................................................................ 51
Soltos de saudade....................................................................................................................................... 52
Folhas de Papel

É estranho quando um acto de momentos,


Como uma borracha perita,
Apaga uma relação de verdadeiros sentimentos
Como se a lápis fosse escrita,
E a minha vida,
Como o papel marcado,
É impossível ser corrigida,
Sem me deixar amachucado,
Como um papel estragado.

Tu és como uma contracapa,


Sintetizas tudo em mim Só penso num futuro
Como se de tudo te tratasses, Em que nossas almas se unam
Como se soubesses de mim o fim, E em que de nós surja o amor mais puro
Como se mais do que me amasses Mais puro que agua que corre
Tivesses em mim assim, Lenta e livremente num ribeiro
Como se com a tua presença E só minha esperança não morre
O maior pecado me perdoasses, Pois só com teu perdão me sinto inteiro
Como se minha maior crença, Tudo o que te peço é perdão
Tu completasses, Pois sem ti me sinto mal,
Sabendo que meu coração, Pois só contigo sinto não andar em vão
Nada mais é que uma simples página de ti, Como se de um papel branco te tratasses
Página branca como se esperando, Iluminando esta minha escrita
Com meu amor ir te amando. Tornando meus ditos visíveis.

És todo o meu imenso mundo


E arrependo-me eternamente da traição
Sei que foi um golpe fundo
E que contraria toda a minha paixão
Mas essa paixão que sinto
Digo-te e repito, é toda uma verdade
Quando te digo que é amor não minto
E o que já foi amizade
É agora uma folha de papel nova
Onde espero escrever diversos capítulos
Que sejam deste amor a prova,
Deste amor sem título
Que sucinta em mim
Todo e qualquer estímulo
Com um tal frenesim
Que nada mais invento
Senão os versos que enchem este papel assim
Deste sincero sentimento.
Tu e Eu…

Talvez se eu não sentisse


O que por ti penso sentir,
Talvez se eu não sorrisse
O que contigo espero sorrir,
Talvez nesse momento eu morresse
Pois nada mais me faria viver.
Só contigo tudo o que eu vivesse
Teria sentido em todo o meu querer,
Todo esse meu querer de a teu lado ficar,
De ser completamente teu,
De só a ti completar,
De concretizar todo este querer meu
Com um único olhar,
Com um único beijo teu.

Só este amor sinto assim,


Assim com uma única finalidade,
Tornar-te única em mim.
Tanto amor, tanta verdade
Que não me permite parar de te admirar
Com uma admiração compulsiva
Que me faz contigo querer estar
Numa única perspectiva
De que tu és parte,
És a parte que atribui todo o sentido
A este exemplo de arte
Que por nós é vivido,
Este jogo de amor
De que somos ambos peças,
E com grande fervor,
Digo-te e espero que não esqueças
Que te amo eternamente,
Procuro em ti abrigo
E quero perder contigo todo o tempo importante
Pois tudo mais importante é contigo.
Amiga…

Amiga,
Sim, amiga
Que não causa qualquer intriga
E que me extingue esta fadiga
Esta fadiga intrigante
De nada ser,
Como numa estante,
Um livro deve querer
Não ali só estar,
Não ali estar só,
Querer imaginações alimentar
E deixar de ser somente pó.

Alimentar uma e qualquer inspiração,


Não é o que pretendo,
Concretizar todas e uma só relação
É tudo o que espero e entendo.
Relação de amizade
Como parte integrante da vida,
Relação de intimidade
Criando em mim pessoa querida
Relação de cumplicidade
Por pessoas especiais nutrida
Mostragem de simplicidade
Por nossa relação expelida.

Tu, sem duvida especial,


Por quem, acima de tudo,
Nutro um sentimento original
Que em nenhum estudo
Encontro qualquer explicação,
Por isso, sinto-me afortunado
Ao saber que tenho em ti uma amiga
Que me faz sonhar acordado
E, apesar de impossível que tudo consiga,
Contigo sinto-me melhor,
Nesta realidade sou mais importante
Tal como uma criança fica maior
Quando lê o livro da estante.
Sonho…

Quando te vejo,
Nasce em mim um novo eu,
Quando te beijo,
Nada é realmente meu,
Quando adormeço começo a pensar
Como será amanhã?
Será que tudo vai mudar?
Mas tudo isso passa de manhã
E quando me recomponho
Sinto-me como que a voar
Mas tudo fazia parte de um sonho
Sonho de que não queria acordar
E fica só minha vontade,
De te beijar!

Quando dizes que sou querido,


Penso que é essa minha vontade,
Ser por ti querido e sentir o nunca sentido,
Quem me dera poder tornar essa vontade, verdade
E poder tornar-te a mulher mais feliz no mundo
Aí me sentiria completamente realizado,
E tudo o que quereria no fundo
Seria manter-me a teu lado.

Torna-se difícil escrever


Quando o coração sente
E a cabeça não quer perceber
O que poderá daqui para a frente
Entre nós acontecer.
Era bom se fosse verdade
Tudo o que sonho quando a dormir
E se tivesse a liberdade
De gritar tudo o que estou a sentir,
Talvez aí o futuro Neste momento sinto
Se tornasse nítido Minha vontade tornar-se escura,
E talvez fosse mais puro Se não te amo te minto,
O sentimento por mim vivido. E para isto há uma só cura,
Mas sinto que me estou a perder
Por neste sentimento apostar.
Me sinto mal por saber
Que de ti o mesmo não posso cobrar,
E meu maior erro
É apesar de tudo querer te amar,
E apesar de tudo isto saber
Continuo a errar,
Mas que posso eu fazer
Se só contigo penso estar
Se só a ti não consigo esquecer.
Nunca Desistir…

Não posso dizer que estou contente,


Pois me atinge o sofrimento.
Penso que ninguém deve esconder o que sente,
E este sentimento não lamento.
Mesmo que quisesse não quero poder
Deste sentimento desistir,
Vou esperar teu coração me querer
E só nesse momento voltarei a sorrir.

Talvez eu não possa ser


Para ti suficiente,
Mas é difícil esquecer
O que meu coração crente
Sente por ti, pessoa especial,
Este sentimento bonito
Que parece imortal,
E que não pode, por mim, ser descrito.

Há grande probabilidade,
De nada do que sentes mudar,
Mas vou manter a fidelidade
A esta vontade de te amar,
Pois ela, que eu mais forte,
Não me permite te esquecer.
Só queria ter a sorte,
De a ti, feliz poder fazer.

O facto de seres para mim só amiga


Me deixa muito frustrado.
Só eu sei como me castiga,
O facto de não ser por ti amado.
Naufragando…

Sinto-me naufragando
Como um barco
Neste amor navegando
Sem encontrar qualquer marco
Que seja deste enorme mar,
Deste mar de incertezas, o fim,
Destas águas de amar,
Com ondas beijando-te assim,
Levando minha vontade
Até ti numa ilha perdida
Onde apanho uma aragem
Que tão bem é por mim sentida
E por não ter coragem
De revelar meu coração
Choro e lamento
Todo este medo de um não
Vai-me provocando um fim lento.
Amor…

Cruel sentimento,
Que por tão belo poder ser,
Como um complexo intento,
Tanto me faz sofrer.
Sentimento inexplicável
Que me leva ao céu e ao fundo,
Pensamento implacável
Que nem a ti eu escondo.
Quem Sou?!

Cheguei a uma conclusão


Apesar de ser, não sei quem sou,
Não entendo meu coração,
Sou, só o sentimento que me assolou.
Minha cabeça está distante
Pensando numa pessoa especial
Meu corpo, ser andante
Faz-me te querer, instinto animal.

Vontade de encontrar
Da minha existência explicação,
Desejo de meu passado revelar
O porquê desta convicção,
Mas, meu presente me consome,
Meu futuro me assombra,
De ser feliz sinto a fome,
De um sorriso encontro somente a sombra.
Só a ti…

Não sei que escrever


Sem palavras fico
Quando teu sorriso sinto
Esse teu olhar rico
É belo e não minto
Teus lábios perfeitos
Me fazem sonhar
E tua falta de defeitos
Faz-me te querer amar
Só de ti escrevo
Só em ti penso
E só a ti não consigo descrever...
Minha Vida…

Minha vida
Repleta de pequenas ilusões,
Apesar de embebida
Em grandes desilusões,
Todas elas representam
Várias e diversas relações,
Que me magoam
Em muitas e diversas situações.
Um Rumo…

Um dia escuro,
E eu que só queria tomar um rumo,
Mas, meu futuro,
Esvai-se em fumo,
Só queria um caminho
Bem menos atribulado,
Só procuro um ninho
Onde possa dormir descansado.
O Efeito de um Não…

Loiros Cabelos e olhos bonitos


Em meus sonhos estão,
Sonhos que provam meus escritos
Com tamanha sensação
Que me fazem na realidade
Neste amor acreditar,
Só queria ter a liberdade
De meus sonhos concretizar…

Como que num golpe final


Recebi dela um NÃO expressivo,
Tornou minha existência infernal,
Meu coração ficou repressivo,
Mas ano novo chegou,
Meia-noite fez-me prometer
Que minha pessoa mudou,
E que não voltarei a sofrer.

Só me resta entender
A melhor maneira
De a conseguir esquecer,
E, pensar minha vida inteira
Que de um pesadelo não passou
Este sofrimento vivido,
Espero poder dizer que dele nada restou
E poder procurar um sorriso verdadeiro escondido.
Cansado…

Que sono de ser


Sono de aprender
E mesmo assim não saber
Sobre amor escrever

Vontade de me deitar
Numa cama de inspiração
Que me faça acreditar
Em toda minha emoção

Necessidade de descansar
E só querer acordar
Quando tudo passar
Quando finalmente possa mudar

Falta de força para agir


Que procuro a todo o momento
Que poderá em mim emergir
Num qualquer sentimento
Mudança…

Com a mudança crescemos


Tornando-nos superiores
Com a mudança aprendemos
A esquecer coisas piores

Com os erros entendemos


O que deveremos melhorar
O nosso querer percebemos
Para por ele poder lutar

Mudança de ser
Mudança de estar
Aprender a o passado esquecer
E só para o futuro olhar
Quem como a ti…

Tu, em minha cabeça


Sempre presente,
Não esperes que te esqueça,
Pois meu amor evidente
Não me permite esquecimento,
Cada beijo que te dou
Me serve de enriquecimento,
Diz isto quem como a ti nunca amou.

Meus pensamentos
A ti limitados,
Meus sentimentos
Não por mim inventados,
Sei que devo agradecer
A quem a ti inventou
Pois só tu dás razão a meu ser,
Diz isto quem como a ti nunca amou.

Contigo quero estar,


Tua companhia sinto necessitar,
Minha vontade é de te beijar,
Minha realidade é de te amar
E, só minha esperança era de te namorar,
Diz isto quem sua vontade encontrou,
Diz isto quem só em ti consegue pensar,
Diz isto quem como a ti nunca amou.
Fruto de um Sonho…

Só a ti, era capaz de dar


Minha ínfima vontade e corpo inteiro
Só para sentir tuas mãos me tocar,
Num único toque verdadeiro,
Num simples toque de afecto,
Que de afecto se transformasse em amor,
Em meu consumo directo
Queria sentir teu fervor.

Só um deus sem preconceito,


Para sintetizar minha vontade
Para um ser, como tu, tão perfeito
Em toda tua própria simplicidade,
Meu coração, a ti, queria se resumir
E eu, mero e simples intendente
Percebo que minha vontade é sumir
Para um paraíso que me complemente.

É tão bom sonhar que, no mundo


Existe um ser, como tu, tão fantástico
Neste sitio tão vazio onde me afundo
À procura de um sorriso que não explico
Um sorriso por teus lábios esboçado
Mas és um sonho que minha noite enfeita
E em meu dia, me deixa extasiado
Tu, uma criatura tão inexplicavelmente perfeita.
Sozinho…

Vou vivendo, lutando


Por cada momento único,
Vou sorrindo, enfrentando
Tentando parecer cómico,
Vou olhando em frente
Pois pode ser o último cada diazinho,
Vou preparando a mente
Para o facto de estar sozinho.

Estás a meu lado mas não te sinto,


És para alguns um deus
Mas em ti não creio e não te minto,
Só acreditarei na hora do adeus
Que és capaz de perdoar em vez de julgar,
Apesar de não ser nenhum santinho
Compreensão é tudo que sinto esperar,
Mas tu falhas e eu, ainda estou sozinho.

Vivo neste local, neste nosso mundo


Onde se sente, pairar no ar, a podridão
De uma sociedade onde me afundo
Neste mundo, onde numa multidão
Ninguém comigo socializa
Mas se erro por um pouquinho
Toda a multidão me criminaliza
E com isto continuo sozinho.

Sei que vou sentir minha vida


Em meus pensamentos se findar,
E nenhuma pessoa comovida
Meu sorriso poderá recuperar,
Vou caminhar acompanhado,
Até ao fim, por um qualquer caminho,
Tornando o final um emaranhado,
E nessa altura ficarei realmente sozinho.
O Sabor da Morte…

Sinto-me tão impotente


Ao saber que minha vida
É controlada de forma imponente
Por um final que convida
A caminhar por um rumo
Onde de nada me serve a sorte,
Onde nada mais sou que fumo
E deve ser esse o sabor da morte

É tão estranho pensar


Que desaparecerei de qualquer maneira
Pode ser por uma vontade de matar
Ou prontificado numa fogueira
Pode ser um erro, um golpe fatal me infligir
Ou por algo ainda que eu mais forte
E o pior, contra isso não compensa competir
Quando sei que saberei o sabor da morte

Sou um eterno condenado


E eu? Sem culpa qualquer…
Meu destino está previamente traçado
Sem um simples aviso sequer
Sinto-me sem controlo
Não vale a pena que me comporte,
Posso ser um justo ou um tolo
Mas sentirei de certeza o sabor da morte

Mais vale ser simplesmente eu


Pois mais nada eu compreendo
Senão que, na realidade, nada é realmente meu
Na altura em que a um fim trágico eu atendo.
Não vale a pena ser calculista
Pois serei no final nada mais que um porte,
E quando finalmente meu todo conquista
Saberei realmente o verdadeiro sabor da morte
Um Sorriso Pode Ser…

Um sorriso pode ser uma escada


Que mais alto que a riqueza
Eleva uma pessoa sentindo-se amada
E que desce qualquer tristeza
Abaixo do nível da tua mente
Onde cada patamar é sentimento
E tão simples é felizmente
Esboçá-lo num cumprimento

Um sorriso pode ser gerador


Gerador de amizade e compaixão
De alegria pode ser criador
E significar tudo numa paixão
Gera, em quem o recebe, uma luz
Formando uma união momentânea,
Alivia o peso de qualquer cruz
De uma forma tão instantânea

Um sorriso pode ser tudo


Quando em conversa com alguém
Apesar de ser totalmente mudo
Substitui imensas palavras também
Cada sorriso é fácil e único
Esboçado pode ter significados eternos
Tem o poder de o verão tornar atópico
E de aquecer todos os gélidos Invernos

Um sorriso pode ser um dicionário


Dando a entender de ti o significado
Num momento feliz pode ser estacionário
Uma salvação num momento complicado
Um abraço significativo de amizade
Um beijo expressão de um amor
A prova de uma relação de cumplicidade
Demonstrador de vontades com imenso fervor
Esta Guerra vou Lutar…

Cada dia, uma nova luta


E eu tenho de estar preparado
Treinar como um recruta
Para não me sentir inferiorizado
Nesta vida tão exigente
Que exige de nós o mundo
De uma forma que tão facilmente
Com minhas limitações eu entendo.

Esta guerra em que as balas


São substituídas por termos insultuosos
Ditos em soltas e falsas falas
Juntamente com gestos venenosos
Que me convidam à violência
Mas resistir é mais importante
Torna-se uma questão de sobrevivência
Calar antes que algo eu lamente.

O pior de tudo é saber


Que se respondo sou afogado
Por pessoas que devem querer
Me ver tornar homem asfixiado
Por tamanha falta de liberdade
E tão grande falta de coragem
Que se nega à minha vontade
De lutar por uma miragem

Vou tentar com toda minha garra


Minha vontade fazer valer
Deixar esta estranha amarra
Que sinto me sufocar até morrer
Recuperar minha existência
Decomposta em diversas posições
Adquirir a possível experiencia
E abandonar todas as ilusões.
Que Porcaria de Mundo Este…

Que porcaria de mundo este


Onde as pessoas já nem se conhecem
Como se cada dia fosse um teste
Onde todos se convencem
Que nada mais vale o esforço
De lutar para o futuro recompor
Onde todos esperam um reforço
Que faça por si o que pode ser melhor.

Que porcaria de mundo onde ninguém


Luta para sua vontade satisfazer
Apesar de todos saberem tão bem
Que ninguém por eles algo vai fazer
Mesmo assim não se esforçam
E sua vontade continua por cumprir
Mas eles nem para isso se comportam
E limitam-se a, para as dificuldades, sorrir.
Voto de Ignorância…

Que liberdade aclamada é esta


Numa democracia negligenciada
Com hipocrisia que infesta
Toda a classe inferiorizada
De tal forma que viver dignamente
Se torna missão impossível
Neste mundo em que actualmente
Ninguém é totalmente incorruptível.

O poder quase absoluto do estado


Que estranhamente lhes é oferecido
Por um povo por eles enganado
E que depois se vê aborrecido
Com todas as decisões tomadas
Que em tudo o prejudicam
E o poderosos com opiniões erradas
De qualquer posto não abdicam.

Talvez seja altura de mudar


A maneira de votar de todo o cidadão
Que insiste em não pensar
Nas consequências da falta de reflexão
Um povo que se quer ignorante
Para não ter qualquer noção
Do quão é importante
Essa sua tomada de decisão.
Quem te Dera…E a Mim…

Quem te dera ser


Tudo o que já fui um dia,
Um dia em que não sabia escrever
Mas meus sentimentos percebia
E com isso podia sofrer,
Pois sofria tranquilamente,
Apesar desse sofrimento entender
Esteve ele, em todos os actos, presente.

Quem te dera ser


O que sou por esta altura
Pois agora posso escrever
Com tamanha envergadura
Que sou livre de lutar
Contra qualquer sofrimento
Pois não só a ele sei expressar
Sem qualquer complemento.

Quem te dera ser


O que penso ser num futuro esperado,
Não sei se continuarei a escrever
Mas espero ser por alguém completado
E finalmente me sentir repleto
De toda a alegria que me é associada,
Pois serei mais tarde esqueleto
Após uma simples morte escusada.

Mas principalmente quem me dera,


A mim, ser tudo o que digo ser
Mas sou só alguém que espera
Algo de importante acontecer,
Que espera ansiosamente
Esse ponto final neste caminho,
Não esperando que algo, em ti, represente
Mas esperando levar comigo teu carinho.
Só Tu…Só Mesmo Tu!

És tudo aquilo porque esperei


Minha atenção consegues centralizar
Porque não sei que fazer eu poderei
E minha vontade sinto paralisar
Como se para ti também olhasse
Sem atentar em mais nada
Como se de ti um sinal esperasse
Para se sentir finalmente conquistada

Me sinto sentir de forma diferente,


Sei que tenho alguém a zelar por mim
E esse alguém é demasiado importante
Para me fazer sentir emoção assim,
Quando meus olhos te alcançam
Logo meu coração bate mais forte
E é quando essas batidas começam
Que sinto não poder esperar minha sorte

És muito especial à tua maneira


E és mais especial em meu pensamento
Mas tenho medo por minha vida inteira
Me desiludir em qualquer meu intento
Sentimentos de Insuficiência…

Ouvir uma resposta negativa


Tornando minha vontade negação
Com uma vontade imperativa
De sentir em meu coração
Que tudo isto é mentira
Esquecer uma esperança
Mas não matar o que sentira
Presente nesta lembrança.

Nesta subtil lembrança


Que tenho do que passou,
Desde que era criança
Que tudo em mim mudou
Que comecei por sofrer
Por algo importante sentir
Passei apenas a viver
Uma tristeza que insiste em existir.

Mas sem essa tristeza existir


Talvez não seja tão importante
O facto de um dia poder sorrir
Com uma alegria escaldante
Que abra meus horizontes
Para um futuro risonho
Nesta procura de fontes
Para tudo o que componho.

Mas neste exacto momento


Nada mais posso compor
Que este meu sentimento,
Armado em bom escritor,
Mas nada mais eu escrevo
Senão minha vida já sofrida,
Com todo o pequeno relevo
Que me exige esta ferida.

Uma ferida que não pode sarar


Com, de meu coração, as batidas
Que insisto em tentar expressar
Nestas expressões compridas
Repletas de uma certa relutância
Por nada poder para melhor mudar
Nestas estranhas instâncias
De meu coração completar.
Coração que Findou…

Porque tudo é complicado


Neste sentimento que é teu
Que por ti foi recusado
Passando a ser tormento meu,
Coração que lágrimas chora,
Este coração que não mente
Neste sentimento que impera
E que, como eu, só ele sente.

Podias ser fonte de felicidade


Mas tornaste um tormento
Esta espécie de amizade
Sem qualquer deferimento,
E este coração que chorara
Pede agora para morrer
Em teus braços prontificara
Toda sua vontade de viver.

E agora tudo terminou


Sem sequer ter começado
E nada mais se completou
Senão meu coração acabado
Meu coração que vivera
Em teus braços suplicou
Mas não sobrevivera
E neste sentimento se findou.
Porcaria de vida

Será que não tem fim


Esta porcaria desta vida
Que me causa a morte a mim
Aumentando esta ferida
Que insiste em não sarar
Que é o facto de nada ser
De estar sozinho e sozinho ficar
E nada passar afinal de um querer?

Será que não finda o sofrimento


Que é amar sem correspondência
Que é sofrer em detrimento
Só de mim em qualquer iminência
Este sofrimento que se arrasta
Que me mata, me aniquila
E que de mim não se afasta
E que minha vida em tudo compila.
O Tempo em Ti…

O tempo é tão relativo!


Uma hora pode demorar segundos
E nesse tempo significativo
Posso conhecer imensos mundos,
Mas um minuto pode ser eterno
Tal como o segundo em que te vi,
Um dia pode ser um inferno,
Mas, em breves minutos te descrevi
Não com essa imensa perfeição
Que te tenho desde sempre associada,
Mas, foi aí que, em meu coração,
Tua linda figura ficou gravada
Com tamanha excentricidade
Que nunca mais será apagada,
Essa tua imagem de beldade
Será sempre, por mim, relembrada.
Será Poeta?!

Será que deve ser chamado de poeta


Alguém que se limita a escrever
Do sentir que torna sua vida repleta
De uma enorme vontade e infinito querer?!
Será que deve ser, de tal título, merecedor
Alguém que escreve por puro prazer,
Alguém que expressa sua tristeza e dor
Nesta ínfima vontade de escrever?!

Será que deve ser chamado de poeta


Alguém que escreve o que pensa
E seus pensamentos completa
Numa qualquer literatura extensa?!
Será que deve ser, de tal título, merecedor
Alguém que vive a vida a tentar
Voar como nas asas de um condor
Sem com nada mais se importar?!
Um Olhar…

Olhei o céu e as estrelas


Que com toda sua calma brilharão
Como no dia que sonhei tê-las
Na palma da minha mão.

Olhei o mar com seu azul imenso


Num dia menos complicado
Como quando sozinho penso
Que tudo pode ser enfrentado.

Olhei uma nuvem serena


Sonhando nela caminhar
Obtendo uma calma plena
Podendo assim descansar.

Olhei teu rosto especial


E desejei por tudo te beijar
Percebi então que no final
Só para tua beleza queria olhar.

Olhei teu olhos brilhando


De uma forma diferente
Tentei então ir te explicando
Que queria te olhar eternamente.
Sou que querias…

Sou um espelho de tua vida,


Sou escuridão de teus pensamentos,
Sou o motivo de tares perdida,
Sou teu conjunto de sentimentos,
Que serão por ti, eternamente,
Sentidos, por uma qualquer motivação
Numa escala que, gradualmente,
Aumenta batidas em teu coração.

Sou fruto de imaginação,


Sou uma luta, uma revolta,
Sou de ti uma expressão,
Sou toda a felicidade de volta,
Sou o que esperei ser, somente eu
Independentemente do que pensas
Sou importante nesse presente teu
Apesar de todas minhas dispensas.

És o que sou,
Foste o que tinha,
És a verdade de quem lutou
Para, nesta realidade, ser minha,
És uma linha de sonhos,
Uma continuação de vontades,
Vejo teus olhos tristonhos
Como espelhos, nestas verdades.
Minha aparente felicidade

És o meu sorriso,
A minha felicidade,
És um enorme aviso,
A minha actualidade,
És uma realidade
Mas a mentira mais pura,
Tens essa mesma utilidade,
És esta minha armadura.
Desculpas próprias

Desculpa sentir
Tudo o que te faz sofrer
Sem te deixar sorrir,
Mas que posso eu fazer?!
Desculpa tudo que te peço,
Lágrimas, sofrimento,
Pois sei que não meço,
De sofrer, o crescimento.

Desculpa não ser criador


De alegria e felicidade,
Mas sim, inventor de dor
Agravada pela ingenuidade
Com que penso neste sofrimento
Sem conseguir nada mudar,
Sempre acontece de meu pensamento
Amar e em alguém especial paralisar.

Desculpa, tu próprio eu ser,


Devia por nós fazer o melhor,
Mas sinto enfrentar não saber
Este sofrimento sempre maior,
Faço-te querer morrer, desistir
E limito-me depois a pedir desculpa,
Só queria te poder ver sorrir
Mas disto tudo é minha a culpa.

Espero que aceites este pedido


E que juntos possamos lutar
Para enfrentar todo o ocorrido
E para o bem de ambos mudar
Nesta única pessoa que somos,
Sou teu coração e pensamento
E queria ser feliz como já fomos
Num qualquer, de amor, sentimento.
Acredito em amor

Acredito que sentir


É eterno, inexplicavelmente
É o amor que sinto ao surgir
E ao entrar em minha mente,
Esse amor em que se acredita,
Sem questionar, de olhos fechados,
É uma força que não se explica
Num momento abraçados.

É um suspiro de alma,
Uma visão de perfeição,
É uma mostra de calma,
Um futuro sem opção,
É isso o amor, uma vida,
Um único pensamento,
Uma pessoa querida
Em qualquer momento.
Ditos

Uma estrela me disse


Que iria também brilhar
Com um sorriso que sentisse
Todo o significado dum olhar,
Nesta noite de escuridão
Sem qualquer fonte de luz
Que é o meu triste coração
Nesta vontade que conduz.

Uma onda me disse


Que iria também integrar
Um qualquer mar que cumprisse
Tudo o que sinto esperar,
Esse mar de calma aparente
Com um azul estranhamente imenso
Como o duma gota que intente
Entrar neste sonho extenso.

Uma árvore me disse


Que iria em mim florescer
Um sorriso que exprimisse
Uma felicidade a crescer
Neste enorme e belo jardim
Que não passa de meu querer
Ao procurar um diferente fim
Para este constante sofrer.
Um toque…

Apareces no horizonte, encontras-me,


És tu assim totalmente inexplicável,
Aproximas-te, observas-me,
Eu tento irreconhecível
Expressar palavras que nos soltem,
Vocábulos que não vão aparecer,
Tento que meus pensamentos voltem,
Estes insistem em não se reverter.

Finalmente esboças um sorriso,


És tu expressada num gesto,
De te sentir em mim preciso,
Um olhar eu te empresto,
Impreterivelmente me respondes
Com um toque significativo,
Esse toque em que te escondes
Incendeia-me, de tal forma abrasivo.

Revelas-te novamente,
Agarras-me com tua mão,
Olhas-me e inexplicavelmente
Fica em tua mão meu coração,
Mostras-me os caminhos para ti,
Conduzes-me, elevas-me,
Esta vontade que não combati
Envolve-te, totalmente consome-me.

Incendiaste em mim o fogo,


Expressaste em ti a vontade,
Prendeste-me neste jogo,
Num abraço de verdade,
Deitamo-nos envolvidos,
Sinto-te como suave cetim,
Sentimentos convertidos,
Sei que estás em mim.

Um ambiente de calor,
Nós num único conjunto,
Voamos juntos como condor,
Uma noite, um marcante ponto,
Tempo insiste em não parar,
Teu fogo num aumento,
Morremos em forma de amar,
Infelizmente acabou o intento!
Brilho Impuro

Brilho impuro
Foge de mim o mundo
Antevejo o futuro
Um som bate no fundo
Bate, toca a campainha
Foge, esconde ou luta
Verdade só minha
Desaparece ou escuta.

Brilho impuro
Foi, desapareceu
Aparece então o escuro
Ainda mais escureceu
Cai a noite em conjura
Sono que me adormece
Luta de envergadura
Confunde, estremece.

Brilho impuro
Entorpece a vista
Abre-se um furo
Bela conquista
Desapareço em mim
Sou algo finalmente
Sou alguém assim
Sou eu realmente.
Sou uma só liberdade

Sinto-me uma ave no ar,


Sinto-me solto mas feliz,
Sinto-me livre, a voar,
Sou a pessoa que diz
Que sozinho me sinto bem,
É esta a minha verdade,
Mesmo quando com alguém
Sou uma só liberdade.

Finalmente sou uma vida


E tenho essa vida em mim
Curei qualquer longa ferida
E agora sei que o sofrer tem fim
Pois tenho a liberdade comigo
Vivo um sorriso, nesta realidade
De neste presente meu amigo
Sentir e ser uma só liberdade.

Findou qualquer adversidade


E sobrevive agora o prazer
De ser esta minha verdade
A de, o que quero, poder fazer
Nesta vida, cada luta que travei
Foi para conseguir a posteridade
E tudo o que realmente esperei
Era ser esta fantástica liberdade.
Vida / Droga

Vida como droga


Alucina, mata
Efémera me afoga
Como água na mata
Ciclo de vida e música
Grito de luta num som,
Na memória sempre fica,
Como este momento é bom.

Droga como vida


Surpreende, chama
Festa que convida
A quem viver ama
Sonoridade bizarra
Ambiente que espera
Droga passa, agarra
É alegria que se esmera.
Perfeito?

Eu simplesmente acredito
Que nada é inteiramente perfeito
Que por muito que possa ser dito
Tudo tem em algo um defeito
Se algo realmente me deleita
É porque talvez meu coração dilate
Mas quem quer uma vida perfeita
Que lute por ela ou que se mate.
Despertaste-me

Tentei conhecer-te
Mas a mim não ligaste,
Tentei então entender-te
E foi então que te expressaste,
Eras diferente de tudo,
Eras linda, especial, original,
Eras inteligente contudo,
Talvez, demasiado inconvencional.

Fizeste-me em minha vivência


Pensar de outra maneira
Disseste com certa experiencia
Que tudo não passava de asneira
Conseguiste que pensasse em mim
Que ao espelho me olhasse
Abriste-me os olhos por fim
Sem que nada nos afectasse.
Uma noite

Uma noite a pensar,


Uma noite sem dormir,
Uma vida me magoar,
Essa vida diz me desiludir,
Para quê pensamentos
Quando acabas por sofrer
Para quê sofrimentos
Quando acabas por esquecer!

Insisto em lembrar
Sonhar, acreditar, crer,
E vou continuar a lutar
Até acabar por morrer,
Porque existe algo em ti,
Algo que chama a atenção
Talvez por tudo que sofri,
Valha finalmente esta expressão:
És me muito mais que imaginei!
Maré

Sentimento que rebenta,


Como onda que ao chegar
Esta bela praia invadir tenta
Mas sem nunca a provar,
É esta a praia da vida,
Areia branca escaldante,
Sentimentos em ferida
São deveras expectantes.

Um barco atraca no porto,


Será por um beijo composto
Ou por algum carinho morto
Que viaje nele indisposto?
Será de ti uma simples carícia
Esta que sinto em mim atracar,
Que me toca sem malícia
Sem nunca realmente tocar?

Maré sobe, absorve a praia,


Chegará repleta de escuridão
A noite morta, esperai-a,
Como espera o coração
Que chegue um barco de ti,
Com sentimentos, carinhos,
Que explique o que senti
Ao percorrer estes caminhos.

A escuridão da noite chegou,


Alastra com ela o sofrimento
Em alguém que só esperou
Que existisse um sentimento
Nessa pessoa que é amada,
Mas chegou sozinha a lua
E esta esperança morre abafada
Esperando por uma resposta tua.
Vento que passas

Oh vento que passas


Em frente a ti peço,
Leva contigo esta memória,
E, nesse teu regresso,
Nessa tua volta inglória,
Traz contigo uma razão
Para eu gostar de alguém
Que já entrou em meu coração
E espero agora entrar também.

Oh vento que passas


Pensa nesta minha revolta,
Leva contigo o sofrimento
E não o tragas de volta
Em mais nenhum momento
Afoga-o nesse teu mar
De forma que não me atormente
Quando a ela puder amar
Dessa forma tão envolvente.

Oh vento que passas


Peço-te agora ao partir
Leva contigo este sentimento
E deixa-o, deixa-o cair
Nesse vão do esquecimento
Onde deixas cair as memórias
Dessas amizades de todas as gentes,
De todas as conjuntas histórias
Que um dia consideraste comoventes.
Frente á morte

Qual destino, morte,


Pode recordações apagar,
Apagar com pulso forte
Algo que nunca irá acabar?
Oh morte desiste,
Não podes esquecer
Algo que sentiste
Mesmo sem saber.

Nunca apagarás em mim


Este meu sentimento
Pelo que lutei até ao fim
Com tamanho envolvimento
Que nem tu, morte,
Mudarás o veredicto
Nesta relação que é sorte,
Fruto de algo invicto.

Poderás apagar-me,
Esconder-me, prender-me,
Mas não morrerá em ti
Algo que desta forma senti,
Desiste ou perdes agora
Pois não morro nesta luta
Nem penso ir embora,
Por isso agora escuta,
Sente esta força em mim,
Observa-me mas desiste
Pois não morrerá assim,
Neste direito que lhe assiste,
Este sentimento desejado
Que ampliou meu coração,
Que me deu um significado
Nesta minha argumentação.
Expressão minha

Tenho uma única expressão


E não me preocupo
Pois não é com tua opinião
Que eu me ocupo,
Se gostas ainda bem,
Tenho o meu espaço
Que é só meu também
Tal como o tempo escasso
Que partilharei contigo,
Espera-me e convence-te
Que nunca encontrarás meu abrigo
Espera-me e consciencializa-te
Que não é para ti que vivo,
Só teu sorriso para mim recolho
Mas com todos convivo
E desses, muitos eu escolho.
Tédio

Quando a vida se espera,


Quando o tempo se estende,
Quando a noite se esmera,
Quando o futuro se entende,
Tudo se torna entediante
Pois nada mais se pode esperar,
Nada é mais importante
Que tudo o que acabamos de criar.

Aparece o imenso tédio,


Morre o sol e o seu dia,
Aparece o luar médio
Na sua forma de espia,
Surge a grande lua branca
Que o céu acaba de conseguir,
O sono em mim se tranca
A vontade é ir dormir.

Morre a vida em mim,


Só existe tempo para pensar:
Será este o verdadeiro fim
Que se tenta condensar?
Será, do dia, esta a ultima luz
Que eu consigo observar?
Uma curiosidade se produz
Mas o tédio acaba por não acabar.
Falta

Sinto-me aqui perdido


Procuro-te, encontras-me?
Sinto-me em mim esquecido
Espero-te, lembras-me?
Não existo, por ti insisto,
Sinto ter de te lembrar,
Nesta recordação não desisto
Pois quero em tudo te beijar.

Olho o céu, vejo a lua


Sorrio, apareceu uma estrela,
Quero a companhia tua
Pois minha vontade é só tê-la
Luzes, palcos, fama, ribalta,
Não é essa minha esperança
Pois afinal sinto só tua falta
Nesta só minha crença.

Pessoas, vidas e lutas


No seu próprio destino,
E estas saudades astutas,
Com as quais eu não atino,
Não findam de matar
Minha vontade de viver,
Existe forma de as afastar
Parando de as conceber?
Soltos de saudade

Que vida esta que vivo,


Que esperança esta que morre,
Que destino este onde sobrevivo,
Que lágrima esta que escorre.

Minha face enxuta


Onde escorres por saudade,
Minha lágrima que não escuta
Percebe-me nesta verdade

Ouvidos que não ouvem,


Expressões que se soltam,
É a vida de outrem
Que meus pensamentos escoltam.

Existes em mim mas não,


Conheces meu eu que não é meu,
Conheces meu, que é teu, coração
Mas não percebes que morreu.

Espera, um sorriso apareceu,


Infelizmente acabou sem começar,
Pior ainda, não era teu,
Devia estar mesmo a sonhar.

És um sonho inerente
A esta vontade de te ter
Ao lado de quem sente
Contigo querer viver.

Eu que sou meu, supostamente,


Em momento algum me entendo
Nesta saudade consistente
Com quem meu tempo despendo,

A real morte se consuma,


Sem qualquer conquista,
Esta neblina que parece espuma
É o que enturva minha vista.

Existe nem um intento


De consumir-te em mim,
Esvai-se todo meu alento
Desta forma chega o fim.

Centres d'intérêt liés