Vous êtes sur la page 1sur 25
SISTEMA ESQUELÉTICO Profª MSc. Julice Angélica Antoniazzo B. Gadani
SISTEMA ESQUELÉTICO Profª MSc. Julice Angélica Antoniazzo B. Gadani

SISTEMA ESQUELÉTICO

Profª MSc. Julice Angélica Antoniazzo B. Gadani

CONCEITO DE ESQUELETO:

É o conjunto de ossos e cartilagens que se

interligam para

formar o arcabouço do

corpo e desempenhar várias funções.

É o conjunto de ossos e cartilagens que se interligam para formar o arcabouço do corpo

FUNÇÕES DO ESQUELETO:

Proteção (para órgãos como o coração, pulmões e

SNC);

Sustentação e conformação do corpo;

Local de armazenamento de íons Ca e P (durante a gravidez a calcificação fetal se faz, em grande parte, pela reabsorção destes elementos armazenados no organismo materno);

Sistema de alavancas (que movimentadas pelos

músculos, permitem o deslocamento do corpo

num todo ou em partes);

Local de produção de certas células do sangue

(hemopoiético).

o deslocamento do corpo num todo ou em partes);  Local de produção de certas células

TIPOS DE ESQUELETO:

Esqueleto articulado (quando apresenta-se com

todas as peças);

Esqueleto desarticulado (quando apresenta-se

isolados uns dos outros);

A união entre os ossos no esqueleto articulado pode ser natural (feita pelos próprios ligamentos e cartilagens), artificial (ligação dos ossos por meio de peças metálicas) e pode ser misto (quando são

usados os dois processos de interligação).

dos ossos por meio de peças metálicas) e pode ser misto (quando são usados os dois

DIVISÃO DO ESQUELETO

D IVISÃO DO ESQUELETO  Esqueleto Axial: Porção mediana composta pelos ossos da cabeça, pescoço e

Esqueleto Axial: Porção mediana composta pelos ossos

da cabeça, pescoço e tronco.

Esqueleto Apendicular:

Pendurados no esqueleto axial,

composto pelos ossos dos

membros superiores e inferiores. A união entre duas porções se faz por meio de cinturas:

escapular e pélvica.

membros superiores e inferiores.  A união entre duas porções se faz por meio de cinturas:

NÚMERO DE OSSOS:

No indivíduo adulto,

com o desenvolvimento

orgânico já completo, o

número de ossos é de

206. Este número sofre

variação de acordo com

os seguintes fatores:

Fator etário;

Fatores individuais;

Critérios de contagem.

variação de acordo com os seguintes fatores:  Fator etário;  Fatores individuais;  Critérios de
variação de acordo com os seguintes fatores:  Fator etário;  Fatores individuais;  Critérios de

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:

Osso longo: seu comprimento é maior que a largura e espessura. Ex: ossos do esqueleto apendicular (fêmur,úmero, rádio, ulna, tíbia, fíbula e falanges). Estes

apresentam duas extremidades

chamadas epífises (proximal e

distal) e um corpo chamado

diáfise. Esta,possui uma cavidade

no seu interior chamado canal

medular, onde se aloja a medula

óssea. Nos ossos que ainda não completaram seu crescimento,

existe a cartilagem epifisial

(disco cartilaginoso localizado entre

a epífise e a diáfise).

seu crescimento, existe a cartilagem epifisial (disco cartilaginoso localizado entre a epífise e a diáfise).

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:

Osso laminar:

C LASSIFICAÇÃO DOS OSSOS :  Osso laminar: também chamado plano,apresenta comprimento e largura equivalentes,

também chamado

plano,apresenta comprimento e

largura

equivalentes,

predominando

sobre a espessura.

Ex: ossos do crânio, escápula e osso do quadril.

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:

Osso curto:

apresenta

equivalência das três

dimensões. Ex: ossos

do carpo e do tarso

C LASSIFICAÇÃO DOS OSSOS :  Osso curto: apresenta equivalência das três dimensões. Ex: ossos do
C LASSIFICAÇÃO DOS OSSOS :  Osso curto: apresenta equivalência das três dimensões. Ex: ossos do

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:

Osso irregular:

C LASSIFICAÇÃO DOS O SSOS :  Osso irregular: apresenta morfologia complexa que não encontra correspondência

apresenta morfologia

complexa que não

encontra

correspondência em

formas geométricas

conhecidas.

:  Osso irregular: apresenta morfologia complexa que não encontra correspondência em formas geométricas conhecidas.

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:

Osso pneumático:

apresenta cavidades

(sinus ou seios),

revestida de mucosa e

contendo ar.

OBS: Há ossos que,

devido as suas

peculiaridades, são

classificados em mais

de um grupo. Ex: o frontal é laminar e

pneumático, o maxilar

é irregular e

pneumático, etc

são classificados em mais de um grupo. Ex: o frontal é laminar e pneumático, o maxilar
são classificados em mais de um grupo. Ex: o frontal é laminar e pneumático, o maxilar

CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS:

C LASSIFICAÇÃO DOS O SSOS :  Ossos sesamóides: desenvolvem-se na superfície de certos tendões (intra-

Ossos sesamóides:

desenvolvem-se na

superfície de certos

tendões (intra-

tendíneos) ou da

cápsula fibrosa (peri-

articulares). A patela é exemplo de intra- tendíneo

de certos tendões (intra- tendíneos) ou da cápsula fibrosa (peri- articulares). A patela é exemplo de

TIPOS DE SUBSTÂNCIAS ÓSSEAS:

Substância óssea

T IPOS DE SUBSTÂNCIAS ÓSSEAS :  Substância óssea compacta: as lamínulas de tecido ósseo encontram-se

compacta: as

lamínulas de tecido ósseo encontram-se

fortemente unidas,

sem que haja espaço entre elas. Por essa

razão, este tipo é mais

denso e rijo.

Substância óssea esponjosa: as lamínulas ósseas são

mais irregulares e se

arranjam deixando espaços ou lacunas

entre elas.

PERIÓSTEO:

O osso se encontra sempre revestido por

delicada membrana

conjuntiva, exceto nas

superfícies

articulares. Esta

membrana é denominada

periósteo e apresenta dois folhetos: um

superficial e outro

profundo.

articulares. Esta membrana é denominada periósteo e apresenta dois folhetos: um superficial e outro profundo.

FUNÇÕES DO PERIÓSTEO:

Periósteo profundo:

A camada

profunda é

chamada

osteogênica pelo fato de suas

células se

transformarem

em células

ósseas,

promovendo

assim, seu

espessamento.

em células ósseas, promovendo assim, seu espessamento.  Periósteo superficial: As artérias do periósteo

Periósteo superficial:

As artérias do

periósteo

superficial

penetram no osso, irrigando-o e

distribuindo-se na

medula óssea, possibilitando

assim, a nutrição

das células ósseas,

já que esse tecido

se desenvolve lenta

e continuamente.

óssea, possibilitando assim, a nutrição das células ósseas, já que esse tecido se desenvolve lenta e

CÉLULAS DO TECIDO ÓSSEO:

Osteogênicas;

Osteócitos;

Osteoblastos;

Osteoclastos.

C ÉLULAS DO TECIDO ÓSSEO :  Osteogênicas;  Osteócitos;  Osteoblastos;  Osteoclastos.

REMODELAÇÃO ÓSSEA:

O tecido ósseo é extremamente moldável, sendo capaz de remodelar sua estrutura em resposta

das modificações a que está submetido.

A razão do remodelamento ósseo, é que o tecido enfraquece gradualmente, requerendo um ritmo

de substituição diária, havendo um mecanismo

regulador entre a quantidade de osso formada durante a remodelagem e a quantidade de osso

antigo, perdida através da reabsorção.

entre a quantidade de osso formada durante a remodelagem e a quantidade de osso antigo, perdida

REPARO DE FRATURAS:

Ocorrem através do periósteo, cujas células osteogenitoras, invadem o local formando um

colar em torno da fratura. Ocorre a diferenciação

das células em osteoblastos, que iniciam a

deposição de trabéculas ósseas.

torno da fratura. Ocorre a diferenciação das células em osteoblastos, que iniciam a deposição de trabéculas
torno da fratura. Ocorre a diferenciação das células em osteoblastos, que iniciam a deposição de trabéculas

PRÁTICA DE OSSOS:

P RÁTICA DE OSSOS :

OSSOS DO CRÂNIO:

O SSOS DO CRÂNIO :

COLUNA VERTEBRAL:

C OLUNA V ERTEBRAL :

OSSOS DO TÓRAX:

O SSOS DO TÓRAX :
O SSOS DO TÓRAX :

MEMBRO SUPERIOR:

M EMBRO S UPERIOR :

MEMBRO INFERIOR:

M EMBRO I NFERIOR :
M EMBRO I NFERIOR :

FIM !

FIM !