Vous êtes sur la page 1sur 1

Feira de Carreiras 2009

I Seminário Pré-Engenharia
EXPERIMENTO COM PÊNDULO: DETERMINAÇÃO DA ACELERAÇÃO DA
GRAVIDADE
Elisiane A. Camargo;Bruna Fernanda¹

¹Colégio Engº Juarez de Siqueira Britto Wanderley, São José dos Campos – SP,
{elisianeantunescamargo_2007;brufeasili}@hotmail.com

Resumo: A experiência tem como objetivo


determinar a aceleração gravitacional (g) na
superfície da Terra através de oscilações de um
pêndulo.

Palavras-chave: aceleração gravitacional,


pêndulo, período.
Introdução: A Aceleração Gravitacional é
uma constante física que interfere no nosso
dia-a-dia. É possível determiná-la através Figura 1: Gráfico do experimento (T x L)
da variação da velocidade de um corpo em Em seguida, foi linearizada a função, como
queda livre ou através de fórmulas que se mostra a Figura 2, a fim de verificar a hipótese
relacionam com a aceleração da gravidade. inicial:
Desenvolvimento
Utilizando um experimento feito durante aulas
de física, considera-se possível encontrar o valor
da aceleração gravitacional através de oscilações
de um pêndulo devido à relação entre o período
(T) de oscilação do pêndulo, o comprimento (L)
e a aceleração da gravidade.
Para o procedimento experimental, utilizou-se
um pêndulo simples e barbante de diferentes
comprimentos (L) para determinar o período. Figura 2: Linearização do gráfico (T x √L)
Após concluir o procedimento experimental
Com o gráfico da Figura 2, é possível calcular a
utilizamos algumas fórmulas*.
equação da reta, e achar o valor da tg α que será
usada para descobrir a aceleração. Substitui-se
* 1- T = 2π . √L 2- y = ax + b 3- a = tg α
as incógnitas da equação 2 pelas incógnitas da
√g
equação 1, despreza-se o valor de ‘b’ e obtém a
1: equação do período relação utilizando os valores do gráfico
2: equação de uma reta (tg α = 2π / √g => tg α = 2,12).
3: função trigonométrica Conclusão
Resultados Com os resultados obtidos concluímos que é
Com os dados do experimento foi possível gerar possível encontrar a aceleração gravitacional
o gráfico a seguir (Figura 1): (9,8m/s²) através de oscilações um pêndulo, não
obstante o valor encontrado foi de 8,76m/s².
Sendo assim, temos uma diferença percentual de
11% em relação à aceleração real da gravidade.