Vous êtes sur la page 1sur 8

GURUS DA SAÚDE

[atividade física] [nutrição] [hábitos alimentares] [saúde] [qualidade de


vida]

• Os dez mandamentos de Nuno Cobra, preparador físico;


• Os cinco mandamentos de Alfredo Halpern, endocrinologista;
• Os cinco mandamentos de Fernanda Lima e Ari Stiel Radu,
reumatologistas;
• Os cinco mandamentos de Mauricio Hirata, clínico geral;
• Os cinco mandamentos de Tânia Rodrigues, nutricionista;
• Os cinco mandamentos de Hong Jin Pai, acupunturista.

Com dicas simples, preparadores físicos, nutricionistas e


médicos ajudam paulistanos a abandonar vícios, sair do
sedentarismo, melhorar hábitos alimentares e, assim, conquistar
a tão sonhada qualidade de vida

Marcella Centofanti

Dormir oito horas e acordar sem despertador. Cheirar a comida e


pegar as folhas com as mãos. Numa crise de ansiedade, em vez de
se entupir de chocolate, boceje e espreguiiiiiiiice. Antes de trocar as
cortinas ou o piso da casa, instale um simples comedouro para
pássaros na janela e observe o movimento dos animais. Ah, tem ainda
o banho frio: dois por dia. Essas recomendações, que caberiam bem
na boca da vovó, encabeçam a lista dos mandamentos de alguns
médicos, preparadores físicos e nutricionistas paulistanos.

Eles lotam seus consultórios – há quem atenda até trinta pessoas por
dia – vendendo receitas de como alcançar a tão propagada qualidade
de vida. "Saúde não é sinônimo de condicionamento físico. Ter saúde
é acordar de manhã, ver que está chovendo, respirar fundo e pensar:
'Que dia romântico!'", prega o preparador físico Nuno Cobra Ribeiro, o
mais popular dos gurus do bem-estar.

Cobra ficou famoso na década de 80 graças a um seguidor especial:


Ayrton Senna. Seu currículo acumula outros nomes conhecidos do
esporte, como os pilotos Mika Hakkinen, Rubens Barrichello, Gil de
Ferran e Christian Fittipaldi e o tenista Jaime Oncins. Pacientes não
estrelados pagam entre 1 200 e 2 000 reais por mês pelo "método
Cobra", que preconiza a superação física como o caminho para uma
mente sã e feliz.

Esse valor dá direito a um encontro semanal com um de seus


"discípulos" (leia-se a mulher, Silvia, e os quatro filhos, todos com
formação na área esportiva). Segundo sua teoria, o exercício aumenta
a circulação sanguínea, o que melhora a oxigenação do cérebro e, por
conseqüência, o raciocínio e a criatividade. Seus conceitos
encontram-se detalhados no livro A Semente da Vitória, lançado em
janeiro de 2001. Há 106 semanas na lista dos mais vendidos de
VEJA, o best-seller está na 49ª edição e ultrapassou a marca dos 230
000 exemplares.

Os dez mandamentos de
Nuno Cobra, preparador físico

1- Durma pelo menos oito horas e tente acordar sem despertador. "Ele
é uma agressão ao organismo"
2- Alimente-se em pequenas quantidades a cada três horas. 3- Cheire
a comida, pegue as folhas com as mãos e mastigue o mais devagar
possível
4- Exerça alguma atividade física pelo menos três vezes por semana.
Uma hora de caminhada pode ser praticada por qualquer pessoa, em
qualquer lugar, e é suficiente para obter os benefícios do esporte
5- Evite ficar nervoso. Em situações de stress, experimente bocejar e
espreguiçar
6- Dedique pelo menos quinze minutos do dia à meditação. Escolha
um local silencioso, sente-se numa posição confortável e se esqueça
da vida
7- Tome ao menos dois banhos frios por dia. Esse hábito é
energizante
8- Nenhum tratamento irá funcionar se você não abandonar seus
vícios, a começar pelo cigarro
9- Quando fizer exercícios físicos, concentre-se apenas neles. Não
leia enquanto pedala na bicicleta nem ouça música enquanto corre
10- Preste atenção ao fluxo de ar que entra e sai de seu pulmão e
procure respirar mais profundamente. Faça elogios com mais
freqüência. Essa tática funciona como um ímã e faz com que todos
queiram estar a seu lado

Na quarta-feira (20), ele deve inaugurar na cidade mais um lugar para


difundir suas receitas de auto-ajuda, o Centro de Treinamento Nuno
Cobra, no novo Hotel Gran Estanplaza, no Brooklin. O local terá
aparelhos de ginástica, parede de escalada, barras e paralelas para
atividades de equilíbrio – seu exercício preferido é colocar os
executivos para andar sobre um arame esticado. "Ao superarem seus
limites físicos, eles percebem que podem fazer o que parecia
impossível", afirma Cobra, que nos anos 50, quando era estudante,
completava o orçamento trabalhando num circo como equilibrista. A
mensalidade do centro será em torno de 400 reais, mais do que se
paga numa academia.

Cobra é o que se pode chamar, com propriedade, de um homem de


hábitos espartanos. Acorda às 5 da manhã, janta às 6 da tarde, dorme
às 8 da noite, toma dois banhos gelados por dia e garante que não
coloca um gole sequer de bebida alcoólica na boca há quarenta anos.
Felizmente para seus pacientes, não exige semelhantes sacrifícios –
embora recomende alguns. "Não sou durão, só faço elogios", diz ele,
aos 65 anos que nem de longe aparenta, exceto pela cabeleira
branca. "Quando o aluno percebe modificações no organismo, sente-
se vitorioso e tem disposição para realmente mudar seu estilo de
vida." Foi o que aconteceu com o publicitário Átila Francucci. Ao iniciar
o tratamento, Francucci era sedentário, estava acima do peso e tinha
os níveis de colesterol e triglicérides altos. Em quatro meses de
treinamento, sem nenhum remédio, os exames sanguíneos ficaram
estáveis. Hoje, 8 quilos mais magro, o publicitário corre cinco vezes
por semana. No ano passado, completou a São Silvestre. "Meu humor
e minha disposição melhoraram", conta. "Todo mundo percebe as
mudanças e isso alimenta o espírito."

O endocrinologista Alfredo Halpern é outro campeão das prateleiras e


queridinho dos paulistanos que precisam fazer as pazes com a
balança. Seus quatro livros somam mais de 120.000 exemplares
vendidos. No início da década de 70, ele criou a famosa "dieta dos
pontos", um regime no qual os alimentos ingeridos contam pontos –
cada 1 equivale a 3,6 calorias. O paciente que desembolsa 390 reais
pela consulta deve fazer com que a soma dos pontos fique dentro do
limite diário estabelecido (em média, 1.100 calorias para mulheres e
1.400 para homens). Há dois anos, a dieta está disponível na internet
e pelo telefone. O usuário paga uma taxa mensal de 50 reais e conta
com o acompanhamento de uma nutricionista.

Os cinco mandamentos de
Alfredo Halpern, endocrinologista

1- Não se culpe por ser gordo. Procure ajuda e emagreça


2- Fuja das fórmulas mágicas e das dietas milagrosas. O que vale é
aprender a comer
3- Não há alimento proibido. O segredo é não exagerar em nada
4- É possível comer bem e ter um peso normal
5- Obesidade é uma doença e, às vezes, seu tratamento requer a
intervenção de medicamentos. Mas lembre-se: eles precisam ser
receitados por um médico

"Qualquer dieta faz emagrecer", admite Halpern. "Só que, pelo


sistema que criei, o indivíduo não passa sufoco. Ele escolhe o que vai
comer, aprende a se alimentar e a manter o peso." O endocrinologista
foi fundador do Ambulatório de Obesidade do Hospital das Clínicas, o
primeiro do país. "Dei minha contribuição para tornar a obesidade um
assunto sério", diz ele, vaidoso assumido. Pelo que calcula, cerca de
200.000 pessoas perderam quilos com sua ajuda.

Em qualquer linha da medicina, a alimentação é considerada um


ponto fundamental para o bem-estar. "Quando comecei a trabalhar,
vinte anos atrás, dieta era sinônimo de emagrecimento", lembra a
nutricionista Tânia Rodrigues. "Hoje, as pessoas procuram se
alimentar bem para ter benefícios no sono, fortalecer a imunidade e
melhorar o funcionamento do organismo." Tânia é sócia da RGNutri,
clínica fundada por ela e por Patrícia Bertolucci, ex-nutricionista do
São Paulo Futebol Clube. Ficou conhecida em meados da década de
90 ao cuidar da alimentação dos atletas do Corinthians. Para auxiliá-
la, montou uma equipe de seis profissionais e doze estagiários.
Os cinco mandamentos de
Fernanda Lima e Ari Stiel Radu, reumatologistas

1- Não pratique exercícios em locais expostos à poluição, como


avenidas movimentadas. Escolha horários com menos tráfego ou
deixe para se exercitar em casa, numa esteira, por exemplo
2- A regularidade traz mais benefícios à saúde do que a intensidade
da atividade física
3- Fique atento à postura. Se você não se cuidar, todo o seu esforço
com atividades fisicas poderá ser em vão
4- Seja paciente com seu corpo. Em um mês, você não vai recupar o
atraso de dez anos
5- Evite exercitar-se em horários de calor excessivo, para não sofrer
desidratação

Monitorar os altos e baixos da balança de seus pacientes levou o


clínico geral e endocrinologista Mauricio Hirata a uma descoberta.
"Percebi que minha missão era maior: tratar da felicidade deles", diz.
Aos poucos foi ampliando sua clínica em Moema, onde seguranças e
manobristas controlam o incessante entra-e-sai de carros de luxo.
Circulam por ali figuras como a empresária Eliana Tranchesi, o
restaurateur Sergio Arno e o arquiteto Sig Bergamin. "Ele é médico e
analista ao mesmo tempo", afirma a socialite Ana Maria Velloso. "Com
remédios, perdi 20 quilos. Mas foi na base de muita conversa que
descobrimos a causa psicológica de minha gordura."

O médico é de fato daqueles que gostam de estudar a personalidade


de quem entra em seu consultório e soltar frases como: "Pelos seus
olhos, sei que você não está feliz". Sua fórmula engloba desde dicas
simples até mudanças radicais, como tentar convencer grandes
empresários a mudar de casa para ficar mais perto do trabalho e
evitar o stress dos congestionamentos. Para receber tais conselhos,
os clientes pagam 300 reais e enfrentam fila de espera de dois meses.
Em sua equipe há psicólogo, ginecologista, nutricionista, professor de
educação física, ortopedista, fisiologista do esporte e esteticista. Dela
agora fará parte um sexólogo. "Sexo é a causa de muitos problemas,
mas continua um assunto tabu."
Os cinco mandamentos de
Mauricio Hirata, clínico geral

1- Arrume um espaço na agenda para fazer ginástica, como o horário


do almoço
2- Coma alimentos saudáveis. Se for o caso, leve a comida de casa
3- Ponha um comedouro para pássaros na janela de sua casa ou
apartamento e observe os movimentos dos animais. "É excelente para
relaxar"
4- Não perca muito tempo de seu dia no trânsito. Se você mora longe
do trabalho, mude-se para mais perto
5- Deixe a janela do quarto entreaberta se você tem dificuldade em
acordar de manhã. A luz ajuda o cérebro a perceber que já é dia

Nem sempre quem marca um horário com esses profissionais tem


alguma doença crônica. É crescente o número de pessoas que vêm
se aplicando para viver bem no trabalho e fora dele e conseguem
transformar carreira, vida familiar e lazer em um conjunto harmonioso.
"Quando o assunto é qualidade de vida, a medicina tradicional morre
na praia", acredita o reumatologista Ari Stiel Radu, sócio da Clínica do
Movimento, na Vila Nova Conceição, uma das mais respeitadas no
ramo da medicina esportiva, e chefe do Ambulatório de Coluna do
Hospital das Clínicas. "Em nossa consulta, por exemplo, queremos
saber até a distância entre a academia e a casa do paciente. Isso
pode explicar aquela eterna preguiça para a ginástica."

Com a ajuda dele e da sócia, Fernanda Lima, chefe do Ambulatório de


Medicina Esportiva do HC, a pedagoga Cléa Granadeiro, de 57 anos,
soube que sofria de fibromialgia, uma doença reumatológica incurável
não diagnosticada por exames. Enfrentou dores em articulações,
músculos e tendões do corpo todo por dez anos. "Primeiro, a doutora
Fernanda me entupiu de textos que explicavam a doença. Depois,
receitou um tratamento que, além da parte clínica, inclui fisioterapia e
psicoterapia", relata Cléa. "Hoje em dia faço ginástica regularmente,
durmo bem e não sinto mais nada."

Os cinco mandamentos de
Tânia Rodrigues, nutricionista

1- Acostume-se a beber mais água. Deixe uma garrafa de meio litro


sobre a mesa de trabalho e outra dentro do carro
2- Inclua pelo menos três frutas na alimentação diária. Elas garantem
quantidades mínimas de vitaminas, fibras e minerais, que ajudam a
prevenir diversos tipos de câncer
3- Não saia de casa sem se alimentar. Se sua refeição for apenas um
cafezinho, pelo menos acrescente um pouco de leite à xícara
4- O jantar deve ser a refeição mais leve do dia. Se você tem mais
fome à noite, faça um esforço e coma menos nesse horário. O corpo
se acostumará e você terá mais apetite de manhã
5- Coma uma pequena porção de algum alimento rico em carboidrato
trinta minutos antes das atividades físicas. Isso vai melhorar seu
rendimento

Se a qualidade de vida é uma expressão que foi incorporada ao


vocabulário da medicina tradicional na última década, ela faz parte há
milênios dos preceitos da medicina oriental. "Seis séculos antes de
Cristo, já se falava na China que a saúde se sustenta sobre quatro
pilares: atividade física regular, mente calma, respiração profunda e
dieta equilibrada", explica o médico acupunturista Hong Jin Pai, que
implantou a técnica no Hospital das Clínicas e diz aos pacientes o que
acha que eles devem ouvir, sem meias palavras, ao estilo chinês.
"Falo mesmo, porque, se o problema está nos hábitos da pessoa, ela
pode fazer acupuntura quanto quiser que não vai resolver."

Para ele, no entanto, a forma de encarar o cotidiano é mais importante


que a quantidade de horas dormidas à noite. Hong atende pacientes
das 7h15 às 20 horas, dá aulas na USP, escreve dois livros e elabora
sua tese de doutorado. No fim de semana, ministra um curso de
acupuntura. Há dois anos, seu momento de folga resume-se às tardes
de domingo. "É fácil dizer que a pessoa tem de trabalhar menos, mas
numa sociedade como a nossa isso é inevitável", considera. "Temos
de produzir mesmo, desde que a rotina não vire um martírio." Entre os
ensinamentos que repete no consultório, o principal é que cada um
ame o que faz e pare de reclamar à toa. "Não existe segredo para ser
saudável e feliz. Basta querer."
Os cinco mandamentos de
Hong Jin Pai, acupunturista

1- Reclamar da vida só causa stress. Em vez de resmungar porque


faz frio, vista um agasalho
2- Passamos a maior parte do dia no trabalho. Por isso, você precisa
amar o que faz
3- Aproveite o trânsito para escutar alguma música de que goste,
estudar um idioma ou, se não estiver dirigindo, ler
4- Seja otimista. Lembre-se de que todas as crises são passageiras
5- A terceira idade deve ser a melhor fase da vida. Estude, exercite-se
e leia. Ficar parado só acelera o envelhecimento

Fonte:
http://veja.abril.com.br/vejasp/200803/bem_estar.html
Revista Veja São Paulo - 20 agosto 2003 -