Vous êtes sur la page 1sur 22
S E FUNDACENTRO G U CURSO DE SEGURANÇA QUÍMICA R A EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO N
S
E
FUNDACENTRO
G
U
CURSO DE SEGURANÇA QUÍMICA
R
A
EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
N
Ç
RESPIRATÓRIA
A
Q
U
Í
M
I
C
15/09/2011
A
Vladimir
CLASSIFICAÇÃO DOS RISCOS RESPIRATÓRIOS S IPVS E ppO 2 < 95 mmHg, ou 12,5 %O
CLASSIFICAÇÃO DOS RISCOS RESPIRATÓRIOS
S
IPVS
E
ppO 2 < 95 mmHg, ou
12,5 %O 2 ,ao nível do mar
DEFICIÊNCIA
R
G
DE OXIGÊNIO
I
U
S
C
NÃO IPVS
12,5 < %O 2 < 21
ao nível do mar
R
O
S
A
POEIRAS
R
N
AERODISPER-
NÉVOAS
E
SÓIDES
Ç
S
FUMOS
P
IPVS
A
I
RADIONUCLÍDEOS
CONTAMI NANTES
MISTURA DE
R
Q
AERODISPER-
A
ORGÂNICOS
SÓIDES ,
U
T
GASES
Ó
E VAPORES
Í
ÁCIDOS
R
NÃO
I
M
O
IPVS
ALCALINOS
GASES E
S
I
VAPORES
INERTES
C
ESPECIAIS
A
Vladimir
CLASSIFICAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA PeçaFacial S Filtrante e Fuga Não E DEPENDENTES DA
CLASSIFICAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO
RESPIRATÓRIA
PeçaFacial
S
Filtrante e Fuga
Não
E
DEPENDENTES DA
Com Filtro
Motorizados
Químicoe
ATMOSFERA AMBIENTE:
G
Com Filtro
U
RESPIRADORES
PURIFICADORES DE AR
Mecânico
M
otor za os
i
d
R
Com Filtro
Combinado
A
EQUIPAMENTOS DE
Fluxo contínuo
N
PROTEÇÃO
RESPIRATÓRIA
De
Ç
Respirador de Linha de
Ar Comprimido
Demanda
A
Respirador de Linha de
Ar Comprimido
Com Cilindro Auxiliar
De Demanda com
Pressão Positiva
Q
De
INDEPENDENTES DA
Ci
rcu
it
o
U
Demanda
Aberto
ATMOSFERA AMBIENTE:
Máscara
Autônoma
Í
RESPIRADORES DE
ADUÇÃO DE AR
De Demanda com Pressão
Positiva
Circuito
Fechado
M
Sem Ventoinha
I
Respirador de
Ar Natural
Com ventoinha
manual
C
Com ventoinha
motorizada
A
Vladimir
RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR (Exemplos) NÃO MOTORIZADOS S E PEÇA SEMIFACIAL G FILTRANTE (PFF1, PFF2
RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR
(Exemplos)
NÃO MOTORIZADOS
S
E
PEÇA SEMIFACIAL
G
FILTRANTE (PFF1, PFF2 E
U
PFF3) COM OU SEM VÁLVULA
R
DE EXALAÇÃO
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
 

RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR (Exemplos)

NÃO MOTORIZADOS

S

 

E

PEÇA QUARTO FACIAL COM

FILTRO PARA

PARTÍCULAS

PEÇA QUARTO FACIAL COM FILTRO PARA PARTÍCULAS

G

U

R

A

N

Ç

A

Q

U

Í

M

I

C

A

Vladimir

 

RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR (Exemplos)

NÃO MOTORIZADOS

S

E

G

PEÇA PEÇA SEMIFACIAL SEMIFACIAL COM COM UM UM FILTRO FILTRO OU OU FILTROS FILTROS AOSAOS

PEÇAPEÇA SEMIFACIALSEMIFACIAL COMCOM UMUM FILTROFILTRO OUOU FILTROSFILTROS AOSAOS

PARESPARES ((MECÂNICOSMECÂNICOS,, QUÍMICOSQUÍMICOS OUOU COMBINADOS)COMBINADOS)

FILTROS FILTROS AOSAOS PARESPARES (( MECÂNICOSMECÂNICOS ,, QUÍMICOS QUÍMICOS OU OU COMBINADOS) COMBINADOS) Vladimir
FILTROS FILTROS AOSAOS PARESPARES (( MECÂNICOSMECÂNICOS ,, QUÍMICOS QUÍMICOS OU OU COMBINADOS) COMBINADOS) Vladimir
FILTROS FILTROS AOSAOS PARESPARES (( MECÂNICOSMECÂNICOS ,, QUÍMICOS QUÍMICOS OU OU COMBINADOS) COMBINADOS) Vladimir
FILTROS FILTROS AOSAOS PARESPARES (( MECÂNICOSMECÂNICOS ,, QUÍMICOS QUÍMICOS OU OU COMBINADOS) COMBINADOS) Vladimir

Vladimir

U

R

A

N

Ç

A

Q

U

Í

M

I

C

A

RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR (Exemplos) NÃO MOTORIZADOS S E PEÇAPEÇA FACIALFACIAL INTEIRAINTEIRA COMCOM G
RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR
(Exemplos)
NÃO MOTORIZADOS
S
E
PEÇAPEÇA FACIALFACIAL INTEIRAINTEIRA COMCOM
G
UMUM FILTROFILTRO OUOU FILTROSFILTROS AOAOSS
U
PARESPARES MECÂNICOSMECÂNICOS
((
,,
R
QUÍMICOSQUÍMICOS OUOU COMBINADOS)COMBINADOS)
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR (Exemplos) NÃO MOTORIZADOS S E G PEÇAPEÇA FACIALFACIAL INTEIRAINTEIRA U COMCOM
RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR
(Exemplos)
NÃO MOTORIZADOS
S
E
G
PEÇAPEÇA FACIALFACIAL INTEIRAINTEIRA
U
COMCOM UMUM FILTROFILTRO
R
QUÍMICOQUÍMICO CLASSECLASSE IIIIII
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
 

RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR MOTORIZADOS

S

 

E

PEÇAPEÇA FACIALFACIAL INTEIRAINTEIRA ––

E PEÇAPEÇA FACIALFACIAL INTEIRAINTEIRA ––

G

COMCOM CONTATOCONTATO FACIALFACIAL

U

R

A

A

N

Ç

A

Q

U

Í

M

I

C

C

A

Vladimir

RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR MOTORIZADOS S TOUCA DE PROTEÇÃO E RESPIRATÓRIA – SEM CONTATO G
RESPIRADORES PURIFICADORES DE AR MOTORIZADOS
S
TOUCA DE PROTEÇÃO
E
RESPIRATÓRIA – SEM CONTATO
G
FACIAL
CAPUZ DE PROTEÇÃO
RESPIRATÓRIA - SEM
CONTATO FACIAL
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR (Exemplos) S E LINHA DE AR COMPRIMIDO G DE FLUXO
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
(Exemplos)
S
E
LINHA DE AR COMPRIMIDO
G
DE FLUXO CONTÍNUO COM
LINHA DE AR COMPRIMIDO
DE FLUXO CONTÍNUO COM
PEÇA FACIAL INTEIRA
U
PEÇA SEMIFACIAL
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
(Exemplos)
(Exemplos)
S
E
LINHA DE AR COMPRIMIDO DE
FLUXO CONTÍNUO COM CAPUZ
G
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR (Exemplos) S E G U LINHA DE AR COMPRIMIDO DE
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
(Exemplos)
S
E
G
U
LINHA DE AR COMPRIMIDO DE
FLUXO CONTÍNUO COM
CAPACETE
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
LINHA DE AR COMPRIMIDO DE FLUXO
CONTÍNUO COM CAPACETE PARA
JATEAMENTO
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
(Exemplos)
S
E
LINHA DE AR COMPRIMIDO DE DEMANDA COM
G
PRESSÃO POSITIVA
U
COM PEÇA SEMIFACIAL OU FACIAL INTEIRA
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR LINHA DE AR COMPRIMIDO DE
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
LINHA DE AR COMPRIMIDO DE DEMANDA COM PRESSÃO POSITIVA
LINHA DE AR COMPRIMIDO DE DEMANDA COM PRESSÃO POSITIVA
COM CILINDRO AUXILIAR PARA ESCAPE
COM CILINDRO AUXILIAR PARA ESCAPE
S
E
G
Válvula de
demanda
Peça facial inteira com
válvula de exalação especial
U
R
A
N
Conexão tipo engate
rápido com a mangueira
de ar comprimido
Ç
respirável
A
Cilindro com ar
comprimido respirável
para aproximadamente 10
minutos (escape)
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
(Exemplos)
S
E
MÁSCARAMÁSCARA AUTÔNOMAAUTÔNOMA DEDE CIRCUITOCIRCUITO ABERTOABERTO
DEDE DEMANDADEMANDA COMCOM PRESSÃOPRESSÃO POSITIVPOSITIVAA
G
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR (Exemplos) S MÁSCARAMÁSCARA AUTÔNOMAAUTÔNOMA DEDE CIRCUITOCIRCUITO FECHADOFECHADO E
RESPIRADORES DE ADUÇÃO DE AR
(Exemplos)
S
MÁSCARAMÁSCARA AUTÔNOMAAUTÔNOMA DEDE CIRCUITOCIRCUITO FECHADOFECHADO
E
G
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORESRESPIRADORES DEDE FUGAFUGA
S
RESPIRADOR PURIFICADOR DE AR
E
COM BOCAL E PINÇA NASAL
G
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORESRESPIRADORES DEDE FUGAFUGA S CAPUZ PARA FUGA E DE FLUXO CONTÍNUO G U R A
RESPIRADORESRESPIRADORES DEDE FUGAFUGA
S
CAPUZ PARA FUGA
E
DE FLUXO CONTÍNUO
G
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
RESPIRADORESRESPIRADORES DEDE FUGAFUGA
S
E
MÁSCARA AUTÔNOMA DE FUGA DE CIRCUITO FECHADO,
COM BOCAL E PINÇA NASAL
G
COM AUTONOMIA DE 30 A 50 MINUTOS
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
SELEÇÃO DE RESPIRADORES PARA USO ROTINEIRO (PPR(PPR ParágrafoParágrafo 4.2.2.24.2.2.2 )) S PASSOSPASSOS PARAPARA AA
SELEÇÃO DE RESPIRADORES PARA USO ROTINEIRO
(PPR(PPR ParágrafoParágrafo 4.2.2.24.2.2.2 ))
S
PASSOSPASSOS PARAPARA AA SELEÇÃOSELEÇÃO DODO TIPOTIPO DEDE RESPIRADORRESPIRADOR
E
RISCORISCO DESCONHECIDODESCONHECIDO
G
CONSIDERARCONSIDERAR OO AMBIENTEAMBIENTE COMOCOMO SENDOSENDO IPVS.
U
R
TOXIDEZTOXIDEZ DESCONHECIDADESCONHECIDA
A
CONSIDERARCONSIDERAR OO AMBIENTEAMBIENTE COMOCOMO SENDOSENDO IPVS.
N
OO AMBIENTEAMBIENTE ÉÉ DEFICIENTEDEFICIENTE DEDE OXIGÊNIO?OXIGÊNIO?
Ç
ÉÉ ESPAÇOESPAÇO CONFINADO?CONFINADO?
A
Q
AA ATMOSFERASATMOSFERAS ÉÉ IPVS?IPVS?
U
AA ATMOSFERASATMOSFERAS NNÃÃOO ÉÉ IPVS.IPVS.
Í
AA CONCENTRAÇÃOCONCENTRAÇÃO DODO CONTAMINANTECONTAMINANTE ::
M
ÉÉ MAIORMAIOR QUEQUE SUASUA CONCENTRAÇÃOCONCENTRAÇÃO IPVS?IPVS?
I
CONSIDERARCONSIDERAR OO AMBIENTEAMBIENTE COMOCOMO SENDOSENDO IPVS.
AA CONCENTRAÇÃOCONCENTRAÇÃO ÉÉ MENORMENOR QUEQUE AA IPVS.IPVS.
C
ENTÃOENTÃO PODE-PODE-SESE CALCULARCALCULAR OO FATORFATOR DEDE PROTEÇÃOPROTEÇÃO
A
REQUERIDOREQUERIDO
Vladimir

SELEÇÃO DE RESPIRADORES

(PPR Parágrafo 4.2.2.2 )

A ESCOLHA DO TIPO DE RESPIRADOR É FEITA PELO FATOR

DE PROTEÇÃO REQUERIDO = FPr

FPR =

CONCENTRAÇÃO DO CONTAMINANTE

LIMITEDE EXPOSIÇÃO

PROCURAR NO QUADRO I DA I.N. O TIPO DE RESPIRADOR QUE POSSUI.

FP atribuído > FP requerido

Vladimir

FATORES DE PROTEÇÃO ATRIBUÍDOS (a) (ADAPTADO DO QUADRO I DA IN Nº 1 DE 11/04/1994)
FATORES DE PROTEÇÃO ATRIBUÍDOS (a)
(ADAPTADO DO QUADRO I DA IN Nº 1 DE 11/04/1994)
TIPO DE RESPIRADOR
TIPO DE COBERTURAS DAS VIAS RESPIRATÓRIAS
S
COM VEDAÇÃO FACIAL
SEM VEDAÇÃO FACIAL (f)
PEÇA
PEÇA FACIL
CAPUZ E
OUTROS
E
SEMIFACIAL (b)
INTEIRA
CAPACETE
G
A
- PURIFICADOR DE AR
-
NÃO MOTORIZADO
10
100
--------
-------
-
MOTORIZADO
50
1000 (d)
1000
25
U
B
- DE ADUÇÃO DE AR
B1 - LINHA DE AR COMPRIMIDO
R
- DE DEMANDA SEM PRESSÃO
POSITIVA
10
100
----
-------
A
- DE DEMANDA COM PRESSÃO
POSITIVA
50
1000
--------
---------
N
- DE FLUXO CONTÍNUO
50
1000
1000
25
B2 - MÁSCARA AUTÔNOMA
Ç
(CIRCUITO ABERTO OU FECHADO)
-
DE DEMANDA SEM PRESSÃO
A
POSITIVA (c)
10
100
-------
-
Q
DE DEMANDA COM PRESSÃO
POSITIVA
------
(e)
------
U
a) O Fator de Proteção Atribuído não é aplicável para respiradores de fuga
b)Inclui a peça quarto facial, a peça semifacial filtrante e as peças semifaciais de elastômeros.
Í
c)A máscara autônoma de demanda não deve ser usada para situações de emergência, como de incêndios.
d)Os Fatores de Proteção apresentados são de respiradores com filtros P3 ou sorbentes (cartuchos químicos pequenos
M
ou grandes). Com filtros classe P2, deve-se usar Fator de Proteção Atribuído 100, devido às limitações do filtro.
e)Embora esses respiradores de pressão positiva sejam considerados os que proporcionam maior nível de proteção,
I
alguns estudos que simulam as condições de trabalho concluíram que nem todos os usuários alcançaram o Fator de
Proteção 10.000. Com base nesses dados, embora limitados, não se pode adotar um Fator de Proteção definitivo para
esse tipo de respirador. Para planejamento de situações de emergência, onde as concentrações dos contaminantes
possam ser estimadas, deve-se usar um Fator de Proteção Atribuído não maior que 10.000.
C
f)Ver definição no Anexo 1.
NOTA:Para combinação de respiradores, como por exemplo, respirador de linha de ar
comprimido equipado com um filtro purificador de ar na peça facial, o Fator de Proteção a ser utilizado é o do respirador
A
que está em uso.
Vladimir
   

EXEMPLOSEXEMPLOS DEDE SELEÇÃOSELEÇÃO DEDE EPREPR

S

- Um trabalhador necessita fazer reparos em uma galeria de

E

esgotos industriais e não dispõe de nenhum instrumento para avaliar o teor de oxigênio, nem os contaminantes presentes. Sabe- se apenas que a atmosfera não é explosiva. Escolher o respirador apropriado.

G

U

R

A

Solução:1 - O risco é desconhecido, pois o teor de oxigênio e os

N

contaminantes presentes são desconhecidos.

Ç

2

-

Portanto, o ambiente deve ser considerado IPVS (PPR, item

A

4.2.2.2 alínea (a).

 

Q

3

- Neste caso, conforme o item 4.3 do PPR, os EPR(s) que devem

U

ser usados são: 1 - Máscara autônoma de demanda com

Í

pressão positiva. Ou

M

 

2

-

Respirador de linha de ar comprimido de

I

demanda com pressão positiva, com peça facial inteira

C

e com cilindro auxiliar para escape.

A

 

Vladimir

VERIFICAÇÃO DA VEDAÇÃO (PPR Anexo 4) S E G ENSAIO DE PRESSÃO NEGATIVA: U R
VERIFICAÇÃO DA VEDAÇÃO
(PPR Anexo 4)
S
E
G
ENSAIO DE PRESSÃO NEGATIVA:
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
VERIFICAÇÃO DA VEDAÇÃO
(PPR Anexo 4)
S
E
G
ENSAIO DE PRESSÃO POSITIVA:
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
   

ENSAIO DE VEDAÇÃO (IN / PPR Anexo 5)

S

 

E

G

O QUE É ?

U

 

R

A

Confirma se um respirador que já passou no

N

 

teste de pressão negativa ou positiva,

Ç

realmente se adapta bem ao rosto de um

A

dado indivíduo;

Q

É feito numa sala, fora da área de risco; Usa agente químico ao redor do rosto; Observa-se a reação do usuário

U

Í

M

I

 

C

A

 

Vladimir

ENSAIO DE VEDAÇÃO (PPR Anexo 5) ENSAIOS PERMITIDOS : QUALITATIVOS; AGENTE RESPOSTA NATUREZA DO AGENTE

ENSAIO DE VEDAÇÃO (PPR Anexo 5)

ENSAIOS PERMITIDOS:

QUALITATIVOS;

AGENTE

RESPOSTA

NATUREZA DO

AGENTE

ÓLEO DE BANANA

CHEIRO

VAPOR ORGÂNICO

SACARINA

GOSTO

NÉVOA

BITREX

GOSTO

NÉVOA

FUMAÇA IRRITANTE

TOSSE

“FUMAÇA”

Vladimir

ENSAIO DE VEDAÇÃO (IN / PPR Anexo 5 Parágrafo II) - Sacarina S E G
ENSAIO DE VEDAÇÃO
(IN / PPR Anexo 5 Parágrafo II) - Sacarina
S
E
G
U
R
A
CAPUZCAPUZ
N
Ç
Obs;Obs; 11 -- CAPUZCAPUZ (0,30cm,(0,30cm,
H40cm)H40cm)
A
22 -- ORIFÍCIOORIFÍCIO 0,200,20 mmmm
Q
U
33 -- ORIFÍCIOORIFÍCIO NANA DIREÇÃODIREÇÃO
DADA BOCABOCA DODO USUÁRIOUSUÁRIO
Í
M
NEBULIZADORNEBULIZADOR
DevilbissDevilbiss nºnº 4040
I
C
A
Vladimir
ENSAIO DE VEDAÇÃO
QUANTITATIVOS:
S
E
EXEMPLO;
G
U
R
A
N
Ç
A
Q
U
Í
M
I
C
A
Vladimir
 

CONTEÚDO MíNIMO ( IN / PPR Parágrafo 1.5 )

S

 

E

G

O PPR DEVE SER ESCRITO E CONTER, NO MÍNIMO, OS

U

ITENS:

R

A

N

Ç

IndicaçãoIndicação dodo administradoradministrador

A

Q

U

ExameExame médicomédico prévioprévio // anualanual

CritérioCritério técnicotécnico dede seleçãoseleção dodo EPREPR dd

TT

ii

áá ii

rere namennamen oo

tt

osos usuusu rr osos ee envoenvo vv

ll

idid

osos

Í

EnsaioEnsaio dede vedaçãovedação prévioprévio // anualanual

M

Manutenção,Manutenção, higienização,higienização, inspeçãoinspeção ee guardaguarda

 

I

AuditoriaAuditoria anualanual

C

A

 

Vladimir

 

TREINAMENTO ( IN / PPR Parágrafo 6 )

S

 

E

TREINAMENTO DO SUPERVISOR

 

G

PROGRAMA MÍNIMO:

U

R

A

N

FundamentosFundamentos dede proteçãoproteção respiratória;respiratória;

RiscosRiscos dede exposição;exposição;

 

Ç

ProblemasProblemas dede usouso ee aa suasua solução;solução;

A

Q

U

Í

CritérioCritério dede escolhaescolha dede respiradores;respiradores; TreinamentoTreinamento dosdos usuários;usuários;

VerificaçãoVerificação dede vedaçãovedação ee ensaiosensaios dede vedação;vedação;

 

M

AcompanhamentoAcompanhamento dodo uso;uso;

I

ManutençãoManutenção ee guarda;guarda;

C

RegulamentosRegulamentos sobresobre oo usouso ee legislaçãolegislação

 

A

Vladimir

TREINAMENTO ( IN / PPR Parágrafo 6 ) S TREINAMENTO DO USUÁRIO PROGRAMA MÍNIMO: E
TREINAMENTO
( IN / PPR Parágrafo 6 )
S
TREINAMENTO DO USUÁRIO
PROGRAMA MÍNIMO:
E
G
U
NecessidadeNecessidade dodo uso;uso;
R
RiscosRiscos dede exposição;exposição;
A
ProblemasProblemas dede usouso ee aa suasua solução;solução;
N
Ç
ProteçãoProteção coletiva:coletiva: comocomo vai?vai?
A
Q
U
PorquePorque foifoi selecionadoselecionado aqueleaquele respirador;respirador;
CaCappacidadeacidade ee limitalimitaççãoão dodo resresppiradorirador;;
InspeçãoInspeção préviaprévia ee colocaçãocolocação dodo respiradorrespirador
Í
M
VerificaçãoVerificação dede vedaçãovedação ee ensaiosensaios dede vedação;vedação;
I
ManutençãoManutenção ee guarda;guarda;
C
ProcedimentosProcedimentos dede emergência.emergência.
A
Vladimir
RESPIRADORES PARA FUGA
S
Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira
E
G
U
RESPIRADOR
R
Entrada em situação rotineira, ou
entrada para resgate ou
realização de atividade corretiva
Esca e do ambiente com
p
A
concentração
no ambiente com concentração:
N
Ç
A
Purificador de
ar com bocal e
De oxigênio: > 18%
De contaminante não
irritante aos olhos:
NÃO ADEQUADO
Q
< MCU do filtro;
pinça nasal e
,
U
filtro classe 1
Í
M
I
< IPVS ;
Das duas condições, o
valor que for menor;
Com tempo de escape
menor que a vida útil do
filtro.
C
A
Vladimir
S E G U R A N Ç A Q U Í M I C

S

E

G

U

R

A

N

Ç

A

Q

U

Í

M

I

C

A

A N Ç A Q U Í M I C A RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio
A N Ç A Q U Í M I C A RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio

RESPIRADORES PARA FUGA

A Q U Í M I C A RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira Entrada
A Q U Í M I C A RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira Entrada
A Q U Í M I C A RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira Entrada
A Q U Í M I C A RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira Entrada

Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira

PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira Entrada em situação rotineira , RESPIRADOR Purificador de
PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira Entrada em situação rotineira , RESPIRADOR Purificador de

Entrada em situação rotineira ,

Vladimir Vieira Entrada em situação rotineira , RESPIRADOR Purificador de ar com peça e filtro químico
Vladimir Vieira Entrada em situação rotineira , RESPIRADOR Purificador de ar com peça e filtro químico

RESPIRADOR

Purificador de

ar com peça e filtro químico classe 1

mif

i

l

se ac a
se
ac a
de ar com peça e filtro químico classe 1 mif i l se ac a ou
de ar com peça e filtro químico classe 1 mif i l se ac a ou

ou entrada para resgate ou

realização de atividade corretiva no ambiente com

concentração:

De oxigênio: > 18% De contaminante não irritante aos olhos:

<

10

Li

it

d

x

Exposição < IPVS

< MCU do filtro

Das três condições, o valor que for menor

e

m

e

Das três condições, o valor que for menor e m e Escape do ambiente com concentração
Das três condições, o valor que for menor e m e Escape do ambiente com concentração
Das três condições, o valor que for menor e m e Escape do ambiente com concentração

Escape do ambiente com concentração

De oxigênio: > 18% De contaminante não irritante aos olhos:

<

<

MCU do filtro;

IPVS;

aos olhos: < < MCU do filtro; IPVS; Das duas condições, o valor que for menor;

Das duas condições, o valor que for menor; Com tempo de escape menor que a vida útil do filtro.

Vladimir

IPVS; Das duas condições, o valor que for menor; Com tempo de escape menor que a
RESPIRADORES PARA FUGA S Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira E G U R RESPIRADOR Entrada em
RESPIRADORES PARA FUGA
S
Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira
E
G
U
R
RESPIRADOR
Entrada em situação rotineira, ou
entrada para resgate ou realização
A
Escape do ambiente
com concentração
de atividade corretiva no ambiente
com concentração:
N
De oxigênio: > 18%
Ç
A
Purificador de
ar com peça
De contaminante irritante
aos olhos ou não :
De oxigênio: > 18%
De contaminante irritante aos
olhos ou não :
Q
< MCU do filtro especificado
< 100x Limite de Exposição
p
elo fabricante
;
U
facial inteira +
< IPVS
<
IPVS;
Í
filtro químico
classe 1, 2 ou 3
< MCU do filtro
M
Das três condições, o valor
que for menor
I
Das duas condições, o valor que
for menor;
Com tempo de escape menor que
a vida útil do filtro.
C
A
Vladimir
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação

S

E

G

U

S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação

RESPIRADORES PARA FUGA

S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Entrada em situação

Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira

RESPIRADOR

Entrada em situação rotineira, ou entrada para resgate ou realização de atividade corretiva no ambiente com concentração:

Escape do ambiente

com concentração

De oxigênio: > 12,5% De contaminante irritante aos

olhos ou não :

Linha de Ar comprimido de fluxo contínuo,

ou de demanda com pressão positiva, com

<

1000x Limite de Exposição

NÃO

IPVS

<

Das duas condições, o valor que for menor

ADEQUADO

peça facial inteira

Vladimir

Vladimir

S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR

S

E

G

U

R

A

N

S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Capuz
S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Capuz

RESPIRADORES PARA FUGA

S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Capuz
S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Capuz
S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Capuz
S E G U R A N RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Capuz

Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira

RESPIRADOR

Capuz com cilindro com autonomia de 5,

10, 15 minutos
10, 15 minutos

Entrada em situação rotineira, ou entrada para resgate ou realização de

atividade corretiva no ambiente com

concentração:

NÃO

ADEQUADO

Escape do ambiente

com concentração

DE OXIGÊNIO, OU

CONTAMINANTE:

QUALQUER %,

IPVS OU NÃO

Vladimir

Ç

A

Q

U

Í

M

I

C

A

RESPIRADORES PARA FUGA S Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira E G U R RESPIRADOR Entrada em
RESPIRADORES PARA FUGA
S
Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira
E
G
U
R
RESPIRADOR Entrada em situação rotineira, ou
entrada para resgate ou
Escape do ambiente com
A
realização de atividade corretiva
concentração
no ambiente com concentração:
N
Ç
Linha de Ar
A
comprimido de
Q
DE OXIGÊNIO, OU
CONTAMINANTE:
p
ressão
v
DE OXIGÊNIO, OU
CONTAMINANTE:
U
demanda com
p
com peça facial
inteira, com
cilindro
auxiliar
para escape
ositi a
QUALQUER %,
QUALQUER %,
Í
IPVS OU NÃO
IPVS OU NÃO
M
I
C
A
Vladimir
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de

S

E

G

U

S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de

RESPIRADORES PARA FUGA

S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de
S E G U RESPIRADORES PARA FUGA Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira RESPIRADOR Máscara autônoma de

Maurício Torloni/Antonio Vladimir Vieira

RESPIRADOR

Máscara

autônoma de

demanda com p com Peça facial inteira

ressão

ositi a

p v
p
v

Entrada em situação rotineira, ou entrada para resgate ou

realização de atividade corretiva

no ambiente com concentração:

DE OXIGÊNIO, OU CONTAMINANTE:

QUALQUER %,

IPVS OU NÃO

Escape do ambiente com

concentração

DE OXIGÊNIO, OU CONTAMINANTE:

QUALQUER %,

IPVS OU NÃO

Vladimir

 

PPR – PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PARA USO DE RESPIRADORES EM SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA E DE SALVAMENTO

S

 

E

G

U

“Embora não seja possível prever todas as

R

situações de emergência e de salvamento para

cada

industrial, pode-se

tipo

de

operação

A

N

Ç

prever

muitas

condições

nas quais será

A

necessário

o

uso

de

respiradores”. Sendo

Q

U

p

ossível

che ar a escolha do EPR ade uado

,

g

q

Í

para

cada situação concreta, pela análise

M

cuidadosa dos riscos potenciais”.

 

I

C

 

A

 

Vladimir

 

PPR – OS PROCEDIMENTOS ESCRITOS PARA EMERGÊNCIA OU SALVAMENTO DEVEM:

 

S

   

E

G

 

a)

– definir os prováveis respiradores a serem usados,

considerando os materiais e as substâncias utilizadas, os equipamentos, a área de trabalho, o processo e as pessoas

envolvidas em cada o era ão;

U

R

 

p

ç

A

 

b)

- com base nesta análise preliminar, verificar se os

 

N

respiradores disponíveis podem proporcionar a proteção

Ç

 

adequada quando seus usuários forem entrar em área

A

 

potencialmente perigosa (IPVS);

 

Q

U

 

c)

p

- selecionar o res irador a ro riado e distribuí-lo em

p

p

Í

 

quantidade adequada onde possam ser necessários para o uso

M

 

nas situações de emergência ou salvamento;

 

I

 

d)

- esses respiradores devem ser mantidos, inspecionados e

C

guardados de modo que sejam facilmente acessíveis e estejam

A

 

em condições de uso quando necessário.

 

Vladimir

OBRIGADO!

ANTONIO VLADIMIR VIEIRA

e-mail –

vladimir@fundacentro.gov.br

Fone – 11-3066-6186 Fax 11 3066-6342

Vladimir