Vous êtes sur la page 1sur 84
REVISTA INTERDISCIPLINAR A Revista Interdisciplinar, criada em outubro de 2008, órgão oficial de divulgação da Faculdade
REVISTA INTERDISCIPLINAR A Revista Interdisciplinar, criada em outubro de 2008, órgão oficial de divulgação da Faculdade
REVISTA INTERDISCIPLINAR A Revista Interdisciplinar, criada em outubro de 2008, órgão oficial de divulgação da Faculdade

REVISTA INTERDISCIPLINAR

A Revista Interdisciplinar, criada em outubro de 2008, órgão oficial de divulgação da Faculdade NOVAFAPI, com periodicidade trimestral, tem a finalidade de divulgar a produção científica das diferentes áreas do saber que seja de interesse das áreas da saúde, ciências humanas e tecnológicas.

The Interdisciplinary Journal, founded in October of 2008, is the official publishing organ for NOVAFAPI School with publication every three months and has the objective of making public the scientific production in different areas of knowledge that are of interest to health areas, human sciences and technology.

La revista interdisciplinar, creada en Octubre de 2008, órgano oficial de divulgación de la Facultad NOVAFAPI, con periodicidad trimestral, tiene la finalidad de propagar la producción científica de las diferentes áreas del saber que sea de interés de las áreas de la salud, ciencias humanas y tecnológicas.

COMISSÃO DE PUBLICAÇÃO

PUBLISHING COMMITTEE/COMISIÓN DE PUBLICACIÓN

Diretora/Head/Directora

Cristina Maria Miranda de Sousa

Editor Científico/Scientific Editor/Redactor Científico

Maria Eliete Batista Moura editorrevistainterdisciplinar@novafapi.com.br

Editor Associado/Associate Editor/Redactor Asociado

Rita de Cássia Sérvio Mendes Lopes

Membros/Members/Miembros

Ana Maria Ribeiro dos Santos

Fabrício Ibiapina Tapety

Benevina Maria Vilar Teixeira Nunes

Oséas Florêncio Moura Filho

CONSELHO EDITORIAL

EDITORIAL BOARD/CONSEJO EDITORIAL

Adriana da Cunha Menezes Parente

Claudete Ferreira de Souza Monteiro

Faculdade NOVAFAPI

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Ana Maria Escoval Silva

Eucário Leite Monteiro Alves

Universidade Nova de Lisboa - Portugal

Faculdade NOVAFAPI

Antônia Oliveira Silva

Francílio de Carvalho Oliveira

UFPB

Faculdade NOVAFAPI

Antonio Pereira Filho

Gerardo Vasconcelos Mesquita

Faculdade NOVAFAPI

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Adriana Castelo Branco de Siqueira

Gilderlene Alves Fernandes

Faculdade NOVAFAPI /UFPI

Faculdade NOVAFAPI

Carlos Alberto Monteiro Falcão

Gillian Santana de Carvalho Mendes

Faculdade NOVAFAPI

Faculdade NOVAFAPI

Carmem Milena Rodrigues Siqueira Carvalho

Gizela Costa Falcão de Carvalho

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Faculdade NOVAFAPI

José Zilton Lima Verde Santos

Maria José Soares Monte

Faculdade NOVAFAPI

Faculdade NOVAFAPI

Laureni Dantas de França

Maurício Mendes Boavista de Castro

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Faculdade NOVAFAPI

Luis Fernando Rangel Tura

Mitra Mobin

UFRJ

Faculdade NOVAFAPI

Luciana Maria Ribeiro Pereira

José Nazareno Pearce de Oliveira Brito

Faculdade NOVAFAPI

Faculdade NOVAFAPI

Maria Cândida de Almeida Lopes

Norma Sueli Marques da Costa Alberto

Faculdade NOVAFAPI

Faculdade NOVAFAPI

Maria do Carmo de Carvalho Martins

Paulo Henrique da Costa Pinheiro

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Faculdade NOVAFAPI

Maria do Socorro Costa Feitosa Alves

Telma Maria Evangelista de Araújo

UFRN

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Maria Zélia de Araújo Madeira

Yúla Pires da Silveira Fontenele de Meneses

Faculdade NOVAFAPI/UFPI

Faculdade NOVAFAPI

Bibliotecária/Librarian/Bibliotecária:

Maria Celeste Mesquita Moura

Secretária/Secretary/Secretaria:

Gelsemânia Barros Martins Carvalho

Capa/Cover/Capa:

Time Propaganda

Editoração/Lay-out/Diagramación:

Time Propaganda

Tiragem/Number of Issues/Tiraja:

500 exemplares

Projeto/Project/Projecto:

Faculdade NOVAFAPI

Revisão dos Resumos/Abstract Review/Revisión de Resumen

Inglês/English/Inglês:

Espanhol/Spanish/Español:

Cecelia Roos Paz Ellyda Fernanda de Sousa Oliveira

R454

Revista Interdisciplinar [publicação da]

Faculdade NOVAFAPI. Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação V.1, n. 1, 2008.

Teresina: Faculdade NOVAFAPI, 2008

Trimestral

ISSN 1983-9413

Saúde

Ciências Humanas

Tecnologia

CDD 613.06

Endereço/Mail adress//Dirección: Rua Vitorino Orthiges Fernandes, 6123 • Bairro Uruguai • 64057-100 • Teresina • Piauí • Brasil Web site: www.novafapi.com.br • E-mail: revistainterdisciplinar@novafapi.com.br

Revista Interdisciplinar NOVAFAPI • Teresina-PI

ISSN 1983-9413

Vol. 1 • Nº 1 • Outubro/Novembro/Dezembro 2008

EDITORIAL

SUMÁRIO/CONTENTS/SUMARIO

Socializando a produção científica da Faculdade NOVAFAPI

05

Socializing scientific production at NOVAPI School (06) Socializando la produción científica de la Faculdade NOVAFAPI(07)

Maria Eliete Batista Moura, Rita de Cássia S. Mendes Lopes

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

Maria Otávia de Andrade Poti – um mito na enfermagem piauiense

09

Maria Otavia de Andrade Poti - a legend in Piauí Nursing Maria Otávia de Andrade Poti – un mito en la enfermería piauiens

Ana Maria Ribeiro dos Santos, Benevina Maria Vilar Teixeira Nunes , Maria Eliete Batista Moura , Lídya Tolstenko Nogueira , Patrícia Maria Gomes Carvalho

Representações sociais da amamentação por mães

.......................................................................................................................

13

Social representation of breast feeding Representaciones sociales de amamantación por madres

Maria Bruno de Carvalho Silva, Evilânia Campelo Soares, Ivette Amorim de Souza, Kallyana Rodrigues de Sousa, Carmen Milena Rodrigues Siqueira Carvalho

Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem

da NOVAFAPI

20

Changes in the formation of a nurse: social representation elaborated by professors of the nursing course at NOVAFAPI Cambio en la formación del enfermero: representaciones sociales elaboradas por profesores del curso de enfermería de la NOVAFAPI

Maria Eliete Batista Moura, Waldelene de Araújo Gomes, Cristina Maria Miranda de Sousa

Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas

26

Social Representation of Pap smear elaborated by prostitutes Representaciones sociales sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas

Maria Zélia de Araújo Madeira, Fernanda Maria de Jesus Sousa Pires Moura, Clóvis Henrique Mauriz Ramos, Marcia Virginia Carvalho Sousa,

Mayra Hagel Mendes Lima, Vivian Maria Alcântara Raulino

As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante

31

Social representation of nursing care given by family member/ companion Las representaciones sociales del cuidar de la enfermería construídas por el pariente/acompañante

Marcela Bruno de Carvalho Silva, Marcelle Teixeira de Oliveira Cardoso, Samara Carla Lopes de Mesquita, Suênia Macena Neves

Qualidade higiênico-sanitária da carne de sol comercializada nos estabelecimentos de produção artesanal

da zona leste de Teresina

38

Sanitary-hygienic quality of sun dried meat sold in handicraft centers in the western part of Teresina, Piauí Calidad higiênico-sanitária de la carne de sol comercializada en los establecimientos de produción artesanal de la zona leste de Teresina –PI

Luciana Maria Ribeiro Pereira, Rosana Martins Carneiro, Claudeny Holanda Mendes da Rocha, Marília Gomes Bezerra, Marla Borges Pereira, Aline Jaques Almondes

SUMÁRIO/CONTENTS/SUMARIO

Eficácia das atividades de educação nutricional sobre os conhecimentos em alimentação em escolas municipais de Teresina
Eficácia
das
atividades
de
educação
nutricional
sobre
os
conhecimentos
em
alimentação
em
escolas
municipais
de Teresina – PI
43
The effectiveness of nutritional education on food knowledge in city schools of Teresina - Piauí
Eficacia de las actividades de educación nutricional sobre los conocimientos en alimentación en escuelas municipales de Teresina – PI
Natália Silva Andrade, Patrícia Mascarenhas Lustosa de Amorim, Norma Sueli Marques da Costa Alberto
Estudo de coorte sobre eventos adversos pós-vacinais em crianças nascidas em uma Maternidade de Teresina – PI
49
Cohort study on adverse events post-vaccination in children born in a Parenting of Teresina - PI
Estudio de cohortes sobre eventos adversos posteriores a la vacunación en los niños nacidos en la Maternidad de un Teresina - PI
Telma Maria Evangelista de Araújo, Claudete Ferreira de Souza Monteiro
RELATO DE CASO
Desenvolvimento da linguagem em portadores da Síndrome de Down: estudo de caso
55
Development of language in carriers of Down Syndrome: case study
Desarrollo del lenguaje en portadores de Síndrome de Down: estudio de caso
Adriana Rufino Cronemberger Pedrini, Débora Fonseca Andrade, Lylian Mendes dos Santos
PÁGINA DO ESTUDANTE
Infecção hospitalar nas unidades de terapia intensiva pediátrica e neonatal – uma revisão da literatura nacional
58
Hospital infection in pediatric and neonatal intensive care – a review of national literature
Infección hospitalar en las unidades de terapia intensiva pediátrica y neonatal – una revisión de la literatura nacional
Maila Batista Barbosa de Moura, Cristina Maria Miranda de Sousa, Maria Eliete Batista Moura
Análise microbiológica dos sugadores odontológicos e sua desinfecção nas clínicas I e II da NOVAFAPI
62
Microbiologic analysis of dental suctions and their disinfection in I and II clinics at NOVAFAPI
Análisis microbiológica de los chupadores odontológicos y su desinfección en las clínicas I y II de NOVAFAPI
Valdo Nogueira Júnior, Mitra Mobin
As representações sociais da biossegurança elaboradas por acadêmicos de odontologia
66
The social representations of biosecurity elaborated by dental students
Las representaciones sociales de bioseguridad elaboradas por académicos de odontología
Luana Kelle Batista Moura, Francisca Tereza Coelho Matos
Dignidade da pessoa humana: o alcance do princípio constitucional dentro e fora das
penitenciárias de Teresina na formação psico-profissional
70

Human dignity: obtainment of the constitutional principles within and outside the penitentiaries of Teresina in the psycho-professional formation

Dignidad de la persona psico-profesional

humana: el alcance del principio constitucional dentro y fuera de las penitenciarias de Teresina en la formación

Danielly Leal da Silva, Janne Beatriz Pessoa da Silva, Adriana Castelo Branco de Siqueira

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO PUBLISHING NORMS ............................................................................................................................................................................

..............................................................................................................................................................

73

77

NORMAS PARA

PUBLICACIÓN.............................................................................................................................................................

81

FICHA DE ASSINATURA

........................................................................................................................................................................

85

Socializando a produção científica da Faculdade NOVAFAPI EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Editora Científico da Revista
Socializando a produção científica da Faculdade NOVAFAPI EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Editora Científico da Revista
Socializando a produção científica da Faculdade NOVAFAPI EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Editora Científico da Revista

Socializando a produção científica da Faculdade NOVAFAPI

EDITORIAL

Maria Eliete Batista Moura

Editora Científico da Revista Interdisciplinar

Rita de Cássia Sérvio Mendes Lopes

Editor Associado da Revista Interdisciplinar

Uma Instituição de Ensino Superior necessita produzir conhecimento e contribuir para o desenvolvimento da ciência, com vista à solução dos problemas essenciais da sociedade. Assim, o processo de desenvolvimento do ensino de metodologia da pesquisa nos Cursos de Graduação da Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí – NOVAFAPI, parte do entendimento de que para desenvolver a perspectiva crítica do aluno, em relação à realidade em que está inserido, é necessária a sua aproximação com os conteúdos dos processos metodológicos da construção da pesquisa, para que possa buscar respostas aos problemas da realidade prática. Dessa forma, trabalhamos o processo de pesquisa para estimular o desenvolvimento da cons- ciência crítica dos alunos, como propõe as Diretrizes Curriculares dos cursos de graduação. A Faculdade NOVAFAPI acredita na pesquisa científica como um diferencial de desenvolvi- mento da Instituição, tendo em vista que nas mais diversas áreas do conhecimento, abre caminhos que permitem o amadurecimento acadêmico de professores e alunos dedicados a procurar respostas para os problemas da sociedade. Assim, desenvolve a pesquisa, o ensino e a extensão, para produzir e divulgar o conhecimen- to através da produção científico-acadêmica nos campos técnico, científico e artístico-cultural. Os projetos de pesquisa são desenvolvidos por alunos e professores dos cursos de graduação e de pós- graduação e abrangem estudos diversificados, em diferentes campos do conhecimento. Com o objetivo de socializar o conhecimento construído na Instituição, a Faculdade NOVAFAPI lança o primeiro número da Revista Interdisciplinar, em que os leitores poderão conhecer algumas pesquisas de professores e alunos. Dentre os trabalhos apresentados, após análise, foram seleciona- dos 13 de maior relevância, de acordo com a normalização vigente da Revista Interdisciplinar. Entre os artigos aceitos, a maioria são pesquisas originais, estudo de caso e, na página do estudante, pesquisas resultantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação Científica – PIBIC. A NOVAFAPI, por meio da Revista Interdisciplinar, dá a sua contribuição ao divulgar a sua pro - dução científica para o crescimento das profissões na área da saúde, ciências humanas e tecnológi- cas.

Socializing scientific production at NOVAFAPI School EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Scientific editor of the Interdisciplinary
Socializing scientific production at NOVAFAPI School EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Scientific editor of the Interdisciplinary
Socializing scientific production at NOVAFAPI School EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Scientific editor of the Interdisciplinary

Socializing scientific production at NOVAFAPI School

EDITORIAL

Maria Eliete Batista Moura

Scientific editor of the Interdisciplinary Journal

Rita de Cássia Sérvio Mendes Lopes

Associate editor of Interdisciplinary Journal

An institution of higher education needs to produce knowledge and contribute to science, with a view on finding solutions for essential social problems. In this manner, the process for the development of research methodology teaching in Undergraduate Courses at Health, Human and Technology Sciences School of Piauí – NOVAFAPI, part of the understanding is that to develop the cri- tical sense of the student in regards to the reality in which they live, it is necessary to introduce them to the contents of the methodological processes of research construction so that they can search for answers to problems of practical reality. In this way, we work with the research process to stimulate the development of the critical conscience of the students as proposed in the Curriculum Laws of the undergraduate course. NOVAPI School believes in scientific research as a differential mark in the Institution develop - ment, keeping in mind that the most diverse areas of knowledge open paths which permit academic maturity of professors and students dedicated to the search for answers to social problems. Thus, research, teaching and extension work is developed to produce and make public the knowledge through academic-scientific production for students and professors of undergraduate and graduate courses and cover diversified studies in different areas of knowledge. With the objective of socializing the knowledge constructed in the Institution, NOVAFAPI School launches it first issue of Interdisciplinary Journal, in which the readers are able to become informed about the researches of the students and professors. After analysis, 13 of the more relevant work presented were selected according to the norms established by the Interdisciplinary Journal. Among the articles accepted, the majority are original studies, one case study and on the student page, a study resulting from the Institutional Program for Scientific Initiation Scholarship –PIBIC. NOVAFAPI, by means of the Interdisciplinary Journal, is contributing to the growth of profes- sions in the health, human and technology sciences by making its scientific production public.

Socializando la produción científica de la Facultad NOVAFAPI EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Editora Científico de
Socializando la produción científica de la Facultad NOVAFAPI EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Editora Científico de
Socializando la produción científica de la Facultad NOVAFAPI EDITORIAL Maria Eliete Batista Moura Editora Científico de

Socializando la produción científica de la Facultad NOVAFAPI

EDITORIAL

Maria Eliete Batista Moura

Editora Científico de la Revista Interdisciplinar

Rita de Cássia Sérvio Mendes Lopes

Editor Asociado de la Revista Interdisciplinar

Una Institución de Enseñanza Superior necesita producir conocimiento y contribuir para el de - sarrollo de la ciencia, con vista a la solución de los problemas esenciales de la sociedad. Así, el proceso de desarrollo de la enseñanza de metodología de la investigación en los Cursos de Graduación de la Facultad de Salud, Ciencias Humanas y Tecnológicas de Piauí – NOVAFAPI, parte del entendimiento de que para desarrollar la perspectiva crítica del alumno, con relación a la realidad en que está inseri- do, es necesario su acercamiento con los contenidos de los procesos metodológicos de la construcci- ón de la investigación, para que pueda buscar respuestas para los problemas de la realidad práctica. De esta forma, trabajamos el proceso de investigación para estimular el desarrollo de la con- ciencia crítica de los alumnos, como propone las Directrizes Curriculares de los cursos de graduación. La Facultad NOVAFAPI cree en la investigación científica como un diferencial de desarrollo de la Institución, sabendo que en las más diversas áreas del conocimiento, se abren caminos que permi- ten el amadurecimiento académico de profesores y alumnos dedicados a buscar respuestas para los problemas de la sociedad. Así, se desarrolla la investigación, la enseñanza y la extensión, para producir y divulgar el cono - cimiento através de la producción científico-académica en los campos técnico, científico y artístico- cultural. Los proyectos de investigación son desarrollados por alumnos y profesores de los cursos de graduación y de posgraduación y abarca estudios diversificados, en diferentes campos del conoci- miento. Con el objetivo de socializar el conocimiento construido en la institución, la Facultad NOVA- FAPI presenta el primer número de la Revista Interdisciplinar, en que los lectores podrán conocer algunas pesquisas de profesores y alumnos. De todos los trabajos presentados, tras análisis, fueron se - leccionados 12 de mayor relevancia, de acuerdo con la normalización vigente de la Revista Interdisci- plinar. De los artículos aceptos, la mayoria son pesquisas originales, estudio de caso y, en la página del estudiante, pesquisas resultantes del Programa Institucional de Becas de Iniciación Científica – PIBIC. La NOVAFAPI, por medio de la Revista Interdisciplinar, contribuye al divulgar su producción científica para el crecimiento de las profesiones en el área de salud, ciencias humanas y tecnológicas.

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Maria Otávia de Andrade Poti – Um mito na enfermagem piauiense Maria Otávia de Andrade
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Maria Otávia de Andrade Poti – Um mito na enfermagem piauiense Maria Otávia de Andrade
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Maria Otávia de Andrade Poti – Um mito na enfermagem piauiense Maria Otávia de Andrade

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

Maria Otávia de Andrade Poti – Um mito na enfermagem piauiense

Maria Otávia de Andrade Poti – A myth in piaui nursing Maria Otávia de Andrade Poti – Un mito en la enfermería piauiense

Ana Maria Ribeiro dos Santos

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Professora da Faculdade

NOVAFAPI e da UFPI. End: Rua Profº Madeira, 1519, Horto

Florestal - Teresina – PI. E- mail: ana.mrsantos@gmail.com

Benevina Maria Vilar Teixeira Nunes

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Coordenadora do Curso de Graduação em Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI. Professora da UFPI.

Maria Eliete Batista Moura

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Coordenadora de Pesquisa e Pós- Graduação da Faculdade NOVAFAPI. Professora da Graduação e do Mestrado em Enfermagem da UFPI.

Lídya Tolstenko Nogueira

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora da UFPI.

Patrícia Maria Gomes Carvalho

Enfermeira. Mestranda do Programa de Mestrado em Enfermagem da UFPI. Professora da Faculdade NOVAFAPI.

RESUMO

Este estudo tem por objeto a biografia de Maria Otávia de Andrade Poti (1919 – 1945), a primeira

enfermeira piauiense a desenvolver esta função no Hospital Getúlio Vargas. Trata-se de um estudo de natureza histórica, com objetivo de caracterizar a vida da citada personagem, utilizando fontes documentais escritas, orais e iconográficas. Em seu desenvolvimento foram levantados alguns dados relevantes, como: Maria Otávia deixou seu lar para estudar na Escola de Enfermagem Anna Nery, na então capital federal; sua noção de responsabilidade e compromisso profissional a obrigaram a retornar ao seu estado natal, postergando assim seus sonhos de mulher; a dedicação e o amor ao exercer a profissão no Hospital Getúlio Vargas, embora durante tão pouco tempo, em virtude de morte prematura, transformaram-na em um mito na enfermagem piauiense. Descritores: História; História da enfermagem; Biografia .

ABSTRACT

The objective of this study was to produce a biography of Maria Otávia de Andrade Poti (1919 – 1945), the first person from Piauí to work as a nurse in Getúlio Vargas Hospital. This is a study of a his- torical nature with the objective of characterizing Poti’s life by using written, oral and icononographic documents. Several relevant topics were raised during the development of the study: Maria Otávia left her home to study at the Anna Nery School of Nursing at the then federal capital; her notion of responsibility and professional obligation which obliged her to return to her state of birth thus put- ting off her dreams as a woman; the dedication and the love for her profession at the Getúlio Vargas Hospital which transformed her into a myth in the nursing of Piauí, even though she was there for such a short time because of her premature death. Descriptors: History; History of nursing; Biography.

RESUMEN

Este estudio tiene por objeto la biografia de Maria Otavia de Andrade Poti (1919 – 1945), la primera

enfermera piauiense a desarrollar esta función en el Hospital Getúlio Vargas. Se trata de un estudio de naturaleza histórico con objetivo de caracterizar la vida del personaje citado, utilizando fontes docu- mentales escritas, orales, iconográficas. En su desarrollo fueron levantados algunos datos relevantes, como: Maria Otavia dejó su hogar para estudiar en la Escuela de Enfermería, Anna Nery, en la enton- ces capital federal; su noción de reponsabilidad y compromiso profesional, la obrigaron a volver a su estado de origen, postergando así sus sueños de mujer; la dedicación y el amor al ejercer la profesión en el Hospital Getulio Vargas, aunque durante tan poco tiempo, en virtud de la muerte prematura, la transformó en el mito en la enfermería piauiense. Descritores: Historia. Historia de la Enfermería. Biografia.

Submissão: 11/02/2008

Aprovação: 12/06/2008

Santos AMR, et al.

  • 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

Sabe-se que foram as mulheres que deram início aos primeiros co - nhecimentos sobre saúde e doença desenvolvendo saberes sobre o ato de cuidar que eram repassados de geração em geração. Historicamente, ao cuidar das pessoas essas mulheres desenvolveram conhecimentos sobre

o uso de ervas e drogas que influenciaram de forma tão forte o processo cuidativo que Paracelso, considerado o pai da medicina moderna, reco - nheceu ter aprofundado seus estudos de farmacologia a partir do conhe - cimento adquirido com elas (LIMA, 2006). Admite-se também que “as mulheres, precisamente as enfermeiras, foram as primeiras a construírem os instrumentos e as técnicas básicas

para cuidar das pessoas” (FIGUEIREDO; CARVALHO,1999, p.35).

Assim, “em qualquer texto relativo ao gênesis da enfermagem, uma parte considerável do seu conteúdo, aborda a história da enfermagem como um episódio da história da mulher” (DONAHUE, 1993, p.2). Nesse sentido, durante o desenvolvimento da disciplina História da Enfermagem na Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí – NOVAFAPI, ao desenvolver estudos sobre a história da enfermagem no Estado, identificou-se uma personagem, mulher enfermeira, cuja histo - ria marcou o desenvolvimento da profissão no cenário local. Desta forma, o objeto do presente estudo é a biografia de Maria Otávia de Andrade Poti, a primeira enfermeira piauiense a trabalhar no Hospital Getúlio Vargas, com o objetivo de caracterizar a vida desta per- sonagem.

  • 2. METODOLOGIA

Trata-se de um estudo de natureza histórica cujas fontes primárias constaram de depoimentos de uma familiar e uma exercente da enferma- gem, contemporânea de Maria Otávia, coletados por meio de entrevista de história oral temática, gravadas em fita cassete e posteriormente trans-

critas. Para Padilha e Borenstein (2005), as fontes primárias caracterizam-se

por tratarem de informações de primeira mão e representarem os contatos mais diretos com os acontecimentos ou situações históricas. Assim sendo, podem ser o testemunho de pessoas que participaram diretamente do fato, obtido por meio de entrevistas, como também documentos elabo - rados com a finalidade de transmitir informação, como cartas, fotografias e informes oficiais. Desta forma, além dos depoimentos utilizou-se fontes iconográfi- cas, com especial destaque para o acervo fotográfico pertencente aos fa- miliares, bem como, documentos oficiais e uma carta redigida pela própria personagem do estudo. Como fonte secundária consultou-se referências relacionadas à te - mática e ao contexto político e social da época e a seguir procedeu-se a narrativa histórica. Para evitar que o estudo sofresse influência da sub- jetividade das pesquisadoras, após a transcrição, leitura das entrevistas e redação do texto, os dados produzidos foram validados pelas depoentes. Vale ressaltar que o projeto recebeu aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da NOVAFAPI e que no momento da entrevista, as depoentes tomaram conhecimento do projeto de pesquisa e do roteiro de entrevista e também assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.

  • 3. A HISTÓRIA DE MARIA OTÁVIA DE ANDRADE POTI Maria Otávia de Andrade Poti nasceu no dia 17 de julho de 1919,

em Valença (PI), filha de Benedita de Andrade Poti e Francisco Ferreira Poti.

Em 1920 a família de Maria Otávia mudou-se para Teresina para que os filhos pudessem estudar. Ela contava então com um ano de vida. Iniciou os estudos aos cinco anos com professora particular e com sete anos passou a estudar na Escola Modelo Artur Pereira, revelando-se uma aluna distinta e conquistando todos os prêmios ali concedidos.Realizou sua Primeira Eu- caristia na Igreja do Amparo. Em 1932 ingressou na Escola de Adaptação, realizou dois anos de

curso sempre se distinguindo. Então, em 1934 matriculou-se na Escola

Normal, terminando seu curso em 11 de dezembro de 1938, sendo laure -

ada em 1º lugar pelo Interventor Leônidas Melo. Foi nomeada então para trabalhar como professora em Água Branca, nesta época município de São Pedro do Piauí. Lá, trabalhou durante um ano, retornando nas férias de 1939 para Teresina.

Em fevereiro de 1940, a pedido de Dr. Sotero Vaz, então diretor do

Departamento de Saúde, dirigiu-se para a cidade do Rio de Janeiro a fim de estudar na Escola de Enfermagem Anna Nery (EEAN). Em 30 dezembro de 1940, Maria Otávia recebeu a touca, concluindo seu curso em dezem- bro de 1943.

Retornou então para Teresina, contrariando a vontade do seu noivo, o médico Eduardo Ferencz, que à época desejava casar-se. Desta forma,

Maria Otávia trabalhou durante o ano de 1944, no Hospital Getúlio Vargas.

E conseguiu trazer para este hospital duas colegas de turma, sendo uma

delas Alvina Teixeira de Arruda, natural de Araraquara-SP e a outra, Maria Aleluia Frota Sales procedente de Sobral-CE.

No final do ano de 1944, Maria Otávia apresentou problemas de

saúde. Mas, mesmo assim, realizou as festas natalinas de pacientes e fun-

cionários do hospital. Entretanto, continuou com a saúde abalada e então,

no começo do ano de 1945, seu noivo, Dr. Eduardo veio buscá-la, levando-a

para o Rio de Janeiro, onde ficou internada no Hospital de São Sebastião.

Em 19 de março de 1945 sua irmã Maria Madalena Poti Monte

dirigiu-se à cidade do Rio de Janeiro para fazer-lhe companhia. Contudo, seu estado agravou-se, vindo a falecer às 23:10 horas do dia dois de abril

de 1945, no pavilhão Miguel Couto, no hospital acima citado. Seu corpo foi

velado na EEAN e sepultado, conforme havia pedido, vestida com unifor- me de enfermeira, sendo o seu caixão ornamentado de crisdálias brancas, onde foi colocado também um retrato de seu noivo, como ela havia soli- citado.

O sepultamento realizou-se no cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro. Na ocasião, o seu caixão foi coberto com uma bandeira da Cruz Vermelha e a missa de 7º dia realizou-se na EEAN e o convite para a ceri- mônia foi publicado na imprensa do Rio de Janeiro.

Santos AMR, et al. 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS Sabe-se que foram as mulheres que deram início aos

Figura 1 - Maria Otávia Poti em sua solenidade de formatura, na EEAN.

Rio de Janeiro,1943.

Figura 2 - Solenidade de formatura na EEAN. Ao centro o Reitor da Universidade do Brasil.

Figura 2 - Solenidade de formatura na EEAN. Ao centro o Reitor da Universidade do Brasil. Rio

de Janeiro, 1943.

  • 4. ASPECTOS RELEVANTES DO TRABALHO DA ENFERMEIRA NO HOSPITAL GETÚLIO VARGAS NOS ANOS DE 1943 – 1944

A inserção da enfermeira no espaço piauiense decorreu da Reforma Sanitária implantada no País durante o Estado Novo e que abriu o merca- do de trabalho para a enfermeira em duas instituições de Teresina, inicial-

mente no Departamento de Saúde e em 1941, no Hospital Getúlio Vargas

(NOGUEIRA,1996). Vale ressaltar que à época os exercentes da enferma- gem no Piauí, na área hospitalar, eram as religiosas católicas e os leigos que prestavam cuidados de enfermagem. Com a inauguração do Hospital Getúlio Vargas e para que este se adequasse a idéia da moderna administração hospitalar, fez-se necessário à figura da enfermeira na referida instituição. Foi uma tarefa bastante difícil atrair enfermeiras para o Piauí, por tratar-se de um estado pobre e distante da capital federal.

Figura 2 - Solenidade de formatura na EEAN. Ao centro o Reitor da Universidade do Brasil.

Figura 3 - Hospital Getúlio Vargas - Teresina, 1941.

Assim, foi devido ao esforço oficial de profissionalização de enfer- meiras iniciado pelo poder público que moças da sociedade piauiense fo- ram encaminhadas à capital federal para cursarem enfermagem na Escola

de Enfermagem Anna Nery. Em meados de 1943, a enfermeira piauiense

Maria Otávia de Andrade Poti retornou a Teresina para trabalhar como en- fermeira no Hospital Getúlio Vargas. Naquele cenário, Maria Otávia e as outras duas enfermeiras que a acompanharam dividiram-se na supervisão das diversas clínicas do hospi- tal, prestavam cuidados diretos aos pacientes, além de orientação técnica contínua aos demais exercentes da enfermagem. Porém, coube a Maria Otávia, além da supervisão dos centros cirúrgicos a chefia geral do serviço de enfermagem (NOGUEIRA,1996). Vale destacar que esta chefia, foi exercida com eficiência, embora

Maria Otávia de Andrade Poti – um mito na enfermagem piauiense

por pouco tempo, em decorrência das qualidades de que era dotada a referida personagem, tais como: inteligência, abnegação e fina educação,

de tal forma que sempre desfrutou de justa simpatia e merecido respeito

entre os colegas de trabalho (ESTADO DO PIAUÍ, 1945).

A jornada de trabalho correspondia a 08 horas diárias e além disso,

existia o agravante das enfermeiras residirem no próprio hospital e, portan-

to, certamente essa jornada era ultrapassada, ficando esta profissional 24

horas do dia a disposição da instituição. Outro fato relevante era a solidão

a que estas mulheres enfermeiras eram submetidas devido a sua disponi- bilidade total e exclusiva ao hospital (NOGUEIRA, 1996).

Assim, corrobora-se com Nogueira (1996, p.107), que ao referir-se

ao trabalho destas mulheres enfermeiras, diz:

O exercício da profissão consistia no centro de interesse da vida daquelas mulheres enfermeiras que trabalharam no HGV em

meados da década de 40. Formadas sob o signo da enferma- gem como missão, assim se conduziram na prática. Apesar das

dificuldades vivenciadas , o olhar [

...

]

para o passado é de com-

placência e de exaltação aos melhores momentos, embora sem

perder de vista a amargura da solidão.

No sentido de demonstrar a prática de uma determinada mulher enfermeira, de reconhecer e homenagear a sua luta pela afirmação e con- ceito da profissão, transcreve-se algumas linhas da carta que redigiu aos exercentes da profissão no momento de sua partida do nosso Estado. Quero pedir a todas e a cada uma em particular, que continuem a

distribuir o bem, sem interesses outros, senão a recompensa do céu. Pois, a caridade é uma virtude que eleva e dignifica, enobrecendo o espírito de quem a pratica. No cumprimento do dever, está a revelação do caráter. Portanto, sejam caridosas, nas árduas tarefas que lhes forem entregues, certas de que estão engrandecendo o Brasil e protegendo a humanidade

(POTI, 1945, p.1).

  • 5. A CRIAÇÃO DO CENTRO ACADÊMICO MARIA OTÁVIA POTI

Em maio de 2001, considerando todo esse contexto citado e por reconhecer a importância da enfermeira Maria Otávia Poti para o desenvol- vimento da profissão no Estado, os alunos da primeira turma do Curso de Graduação em Enfermagem da NOVAFAPI, nomearam o centro acadêmico do Curso de Enfermagem como “Centro Acadêmico Maria Otávia Poti”.

Figura 2 - Solenidade de formatura na EEAN. Ao centro o Reitor da Universidade do Brasil.

Figura 4 – Familiares de Maria Otávia presentes a solenidade de criação do Centro Acadêmico do

Curso de Enfermagem da NOVAFAPI. Teresina, 2001

Na abertura do Centro Acadêmico, a Coordenação do Curso de En- fermagem e a disciplina História da Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI organizaram solenidade que contou com a participação de autoridades

Santos AMR, et al.

da enfermagem em Teresina, além de diversos familiares da personagem, residentes em nossa capital e em outros Estados do País, os quais sentiram- se bastante honrados e agradecidos por este primeiro reconhecimento do trabalho e da dedicação da primeira enfermeira piauiense a desenvolver atividade no Hospital Getúlio Vargas. Vale ressaltar também, que na referida solenidade ocorreu uma Mostra de História da Enfermagem, que constou de apresentação da his- tória de Maria Otávia de Andrade Poti, em forma de pôster, assim como de apresentação de uniformes e materiais utilizados pela enfermagem no Hospital Getúlio Vargas, no período pesquisado.

Santos AMR, et al. da enfermagem em Teresina, além de diversos familiares da personagem, residentes em

Figura 5 - Mostra de História da Enfermagem realizada durante a solenidade de criação do Cen- tro Acadêmico do Curso de Enfermagem da NOVAFAPI. Teresina, 2001.

  • 6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Com o desenvolvimento do estudo, teve-se oportunidade de con- firmar a presença forte e constante da mulher no desenvolvimento da his- tória da enfermagem piauiense. Dessa forma, mesmo estando em pleno século XXI, em um momento de grandes mudanças, pode-se verificar a importância de se conhecer e entender um personagem da enfermagem piauiense do século passado. Uma mulher enfermeira que deixou o espa- ço reservado de seu lar para estudar enfermagem em uma cidade grande e distante. Uma mulher enfermeira possuidora de uma grande noção de responsabilidade, que a obrigou inclusive a retornar ao seu estado natal, postergando até seus sonhos de mulher. Uma mulher enfermeira cuja dedicação e amor à profissão, embora exercida durante pouco tempo no Hospital Getúlio Vargas, em virtude de morte prematura, transformou-a em um mito na enfermagem piauiense. Nesse sentido, acredita-se que o conhecimento e entendimento de um dos principais personagens da história da enfermagem piauiense pos- sam contribuir para o entendimento da atual prática de enfermagem em nosso estado, criando assim a possibilidade de repensá-la e reconstruí-la.

REFERÊNCIAS

DONAHUE, P. Historia de la enfermeria. Madri: Egdesa, 1993.

ESTADO DO PIAUÍ. Senhorita Maria Otávia de Andrade Poti.Teresina, Diário

Oficial, v. 15 n. 38, p.1, abr.1945.

FIGUEIREDO, N. M. A.; CARVALHO, V. O Corpo da enfermeira como instru- mento do cuidado. Rio de Janeiro: Revinter, 1999.161p.

LIMA, M. J. O que é enfermagem. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 2006.125p.

NOGUEIRA, L. T. A Trajetória da enfermagem moderna no Piauí: 1937- 1977. Rio de Janeiro: EEAN/UFRJ, 1996. 217p. Tese (Doutorado em Enfer- magem). Escola de Enfermagem Anna Nery, Universidade Federal do Rio de Janeiro.

PADILHA, M. I. C. S. BORENSTEIN, M. S. O método da pesquisa histórica na enfermagem. Texto e Contexto Enfermagem. Florianópolis, v.14, n.4, p.575-584, out-dez. 2005.

POTI, M. O. A. Carta aos enfermeiros do Hospital Getúlio Vargas. Teresina,

1945.

SANTOS, A. M. R.; entrevistadora. Maria Madalena Poti Monte [entrevistada]. Teresina: NOVAFAPI; 2001 abr 10. 1 fita cassete (60 min). Entrevista conce - dida a disciplina Historia da Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI.

SANTOS, A. M. R.; entrevistadora. Henriqueta Pinheiro [entrevistada]. Teresi- na: NOVAFAPI; 2001 abr 12. 1 fita cassete (60 min). Entrevista concedida a disciplina Historia da Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI.

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Representações sociais da amamentação por mães Social representation of breastfeeding by mothers Representaciones sociales de
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Representações sociais da amamentação por mães Social representation of breastfeeding by mothers Representaciones sociales de
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Representações sociais da amamentação por mães Social representation of breastfeeding by mothers Representaciones sociales de

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

Representações sociais da amamentação por mães

Social representation of breastfeeding by mothers Representaciones sociales de amamantación por madres

Maria Bruno de Carvalho Silva

Professora da Faculdade NOVAFAPI. Enfermeira da Fundação Municipal de Saúde – FMS - PSF

Evilânia Campelo Soares

Graduando de Enfermagem - Faculdade NOVAFAPI

Ivette Amorim de Souza

Graduando de Enfermagem - Faculdade NOVAFAPI

Kallyana Rodrigues de Sousa

Graduando de Enfermagem - Faculdade NOVAFAPI

Carmen Milena R. S. Carvalho

Doutora em Odontologia. Área de concentrarão: Dentística e Endodontia. Professora da Faculdade NOVAFAPI e UFPI

RESUMO

Este estudo tem como objetivos identificar as representações sociais da amamentação por mães atendidas no pré-natal pela equipe do PSF e discutir os aspectos psicossociais envolvidos no pro - cesso de amamentar. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, envolvendo trabalho de campo baseado na teoria das representações sociais. Fizeram parte da amostra 50 mulheres que responde - ram ao teste de associação livre de palavras, o qual foi processado através do software Tri-Deux-Mots, submetido à análise fatorial de correspondência, destacando evocações a partir dos estímulos indu- tores: leite materno e amamentar. As participantes responderam a um questionamento e os dados foram submetidos à análise de conteúdo que apontou três categorias: manifestações culturais da amamentação, aspectos psico-afetivos da amamentação e posicionamento frente à amamentação. A partir desses métodos identificou-se as representações sociais da amamentação que vão desde as manifestações culturais, aspectos psico-afetivos até posicionamentos favoráveis e desfavoráveis. Descritores: Aleitamento materno; Programa Saúde da Família. Psicologia Social.

ABSTRACT

The objective of this study is to identify the social representation of breastfeeding by mothers recei- ving prenatal care attended by a family health team while also discussing the psychosocial aspects involved in the process of breastfeeding. This is an exploratory study involving field work based on

the theory of social representation. The sample involved 50 women who responded to the free word

association which was processed with the software Tri-Deus-Mots and submitted to correspondence factorial analysis highlighting evocative word stimuli: maternal milk and breastfeeding. The same women answer a questionnaire and the data was submitted to content analysis and three catego - ries were noted: cultural manifestation of breastfeeding, psycho-affection aspect of breastfeeding and attitude towards breastfeeding. From these methods the social representation of breastfeeding were identified which range from cultural manifestation, psycho-affection aspect to favorable and unfavorable attitudes. Descriptors: Maternal Nursing; Family Health Program; Social Psychology

RESUMEN

Este estudio tiene como objetivos identificar las representaciones sociales de la amamantación por madres asistidas en el prenatal por el equipo del PSF además de discutir los aspectos psicosociales involucrados en el proceso de amamantar. Se trata de un estudio exploratorio, envolvendo trabajo de

campo basado en la teoría de las representaciones sociales. Hicieron parte de la amostra 50 mujeres

Submissão: 18/06/2008

que contestaron al teste de asociación libre de palabras, lo cual fue procesado a través del software Tri-Deux-Mots, sometido a análisis fatorial de la correspondencia destacando evocaciones a partir de los estímulos indutores: leche materno y amamantar. Las mismas contestaron un cuestionamiento y los datos fueron sometidos a análisis de contenido y apuntaron tres categorias: manifestaciones cul- turales de amamantación, aspectos psico-afectivos de amamantación y posicionamiento frente a la

Aprovação: 02/09/2008

amamantación. A partir de estos métodos se identificó las representaciones sociales de amamantaci-

Silva MBC, et al.

ón que van desde las manifestaciones culturales, aspectos psico-afectivos hasta posicionamientos favorables y desfavorables. Descritores: Aleitamiento Materno; Programa Salud de la Familia; Psico- logía Social.

  • 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

A amamentação é percebida pela mulher como um processo que vai além do ato de amamentar o seu filho e se expande nas demais inte - rações de sua vida aliado aos aspectos psiquicos-afetivos que resultam na interação mãe e filho e se reverte em importantes benefícios para a crian- ça, a mãe, o núcleo familiar e o próprio estado (OMS, 1989). A amamentação dá à criança o melhor começo da vida. Estima-se que mais de um milhão de crianças morrem a cada ano por diarréia, in- fecção respiratória e outras afecções, por não serem amamentadas ou por serem desmamadas precocemente. Muitas outras padecem de doenças que não contrairiam se tivessem recebido aleitamento exclusivo até pelo menos quatro meses. A amamentação também contribui para a melhoria da saúde materna (BRASIL, 1996). Além de ser o mais completo alimento para o bebê, o leite materno atua como agente imunizador, acalenta a criança no aspecto psicológico, tem a vantagem técnica por ser operacionalmente simples, é de baixo cus- to financeiro, protege a mulher contra câncer mamário e ovariano, auxilia na involução uterina, retarda a volta da fertilidade e otimiza a mulher em

seu papel de mãe (RICCO, 1995).

Para Almeida e Gomes (1998), O conhecimento científico oferece respostas de amplo espectro, que vão desde as propriedades biológicas ímpares do leite humano até as questões de cunho econômico, capazes

de causar impacto tanto na família quanto no Estado. Para os autores, o aleitamento materno trás inúmeros benefícios para a mulher, dentre eles, recuperação pós parto, associada à diminuição do sangramento e invo - lução uterina. O efeito contraceptivo da amamentação, quando praticada em regime de livre demanda, é considerado um importante fator para au- mentar o espaçamento entre gestações. Os aspectos econômicos dizem respeito aos benefícios obtidos pelo grupo familiar que opta pela amamentação. Nos estudos realizados no Rio

de Janeiro, em 1994, foi considerável o desperdício financeiro no primeiro

ano de vida do bebê, se o seio materno fosse substituído por outro tipo de

alimentação. A criança que mama no peito necessita apenas de 5% de um

salário mínimo para suprir todas as suas necessidades vitais (CARVALHO,

ALMEIDA; NOVAK, 1994)

Em relação ao Estado, os aspectos relacionados à saúde e à eco -

nomia têm merecido lugar de destaque nas publicações. A adoção de políticas de promoção e apoio à amamentação é apresentada como uma estratégia supletiva de saúde pública, cuja eficácia já foi comprovada em diferentes sociedades, com diferentes graus de complexidade e desenvol-

vimento (MARTINS FILHO, 1984). Segundo Silva (1997), a mulher vivencia a amamentação mediante

um processo de percepção, interpretação e atribuição de significados para sua experiência de amamentar, em seu ambiente natural. Os elementos utilizados para a identificação destes processos constituem todos os mo - mentos interativos da mulher com os sujeitos e objetos sociais em seu contexto. O conhecimento construído nesta vivência faz com que seja compreensível a atitude das mães em relação a sua prática de amamen- tar, pois, segundo a perspectiva da interação simbólica, os seres humanos agem com base nos significados que as situações têm para eles.

A experiência de amamentação tem trajetória determinada pelo

conjunto de interações vivenciadas pela nutriz dentro de seu ambiente natural, onde essa vivência se dá. Nesse sentido, são desenvolvidos sen- timentos que influenciam o processo da amamentação, constituindo-se elementos importantes no processo de decisão materna de amamentar

ou não (SILVA, 1997).

Segundo Almeida e Gomes (1998), o leite humano reúne em sua

composição mais de 150 substâncias diferentes, todas com funções bio-

lógicas definidas. A água, que totaliza 87% de composição centesimal, é o

nutriente presente em maior quantidade; as proteínas do soro protegem o recém-nascido de inúmeros agentes infecciosos; os carboidratos funcio- nam como fonte energética e atuam como coadjuvantes na mediação de outros fenômenos biológicos de maior importância; os lipídios desempe - nham funções múltiplas; os elementos minerais são indispensáveis à nutri- ção do lactente; e há ainda os hormônios, enzimas, fatores específicos do leite humano, enfim, todo um elenco de compostos químicos a serviço das necessidades do lactente. As vantagens imunológicas relativas à amamentação, que constam nos inúmeros trabalhos publicados na última década, podem ser sintetiza-

das em uma única frase: “cada mamada é uma vacina”. Os fatores de pro- teção do leite humano destacam sua ação em patologias que têm exigido maior atenção no atual cenário da saúde pública, como cólera e dengue, cujos agentes causais são combatidos por constituintes específicos do leite humano (ALMEIDA,2002). De acordo com Monstrone, De Rosa (2000), as vantagens da ama- mentação são numerosas e incluem menores índices de morbidade e mortalidade por infecções, promove crescimento e desenvolvimento ade - quados, efeito protetor contra obesidade, redução das ocorrências alérgi- cas, maior vínculo afetivos mãe-filho e aumento da biodisponibilidade de nutrientes, particularmente de ferro. Neiva, Cattoni, Ramos, Issler (2003), estudaram as estreitas relações entre o desmame precoce e seus reflexos no desenvolvimento motor-oral, enfocando as conseqüências na oclusão, respiração e aspectos motores orais da criança, realizaram uma pesquisa bibliográfica relacionada às áreas de pediatria, odontologia e fonoaudiologia, observou-se que o desmame precoce pode levar à ruptura do desenvolvimento motor-oral adequado, podendo prejudicar as funções de mastigação, deglutição, respiração e articulação dos sons da fala, ocasionar má-oclusão, respiração oral e al- teração motora oral. Concluiu-se que além dos inúmeros benefícios do aleitamento materno, este contribui para o desenvolvimento motor-oral adequado e previne alterações fonoaudiológicas no que se refere ao sis- tema motor-oral.

Carrascoza, Costa Junior, Ambrosano e Moraes (2005) identificaram

e analisaram as justificativas referidas por mães para prolongar o aleita- mento materno de seus filhos além do primeiro ano de vida da criança.

Esse estudo englobou 40 mães cujos filhos eram atendidos pelo Centro

de Pesquisa e Atendimento Odontológico para Pacientes Especiais - Cepae - da Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP. As participantes foram entrevistadas individualmente, utilizando-se um questionário espe - cífico. Todas as entrevistas foram gravadas em áudio. Os resultados mostra- ram que o motivo mais referido pelas mães para a manutenção da ama- mentação foi o prazer materno. Também foi observado que a proximidade mãe-bebê favorece o prolongamento do aleitamento. Estudos ainda são requeridos para obtenção de análises funcionais mais precisas de variáveis que levam ao prolongamento ou interrupção do aleitamento materno. Autores como Carrascoza, Possobon, Tomita e Moraes (2006) iden- tificaram e avaliaram as possíveis conseqüências do uso da mamadeira

Representações sociais da amamentação por mães

sobre o desenvolvimento orofacial em crianças que foram amamentadas até, pelo menos, seis meses de vida em 202 crianças (quatro anos de idade) que freqüentaram o Programa de Atenção Precoce à Saúde. A amostra foi dividida em crianças que utilizaram apenas copo para ingestão de líquidos e aquelas que utilizaram mamadeira. Observaram um selamento labial em

82% das crianças e repouso da língua no arco superior em 73% e 69% de

respiração nasal sem o uso de mamadeira. Nas crianças com mamadeira

observaram 69% de selamento labial, 47% repouso de língua e 37% de

respiração nasal. Concluíram que usar mamadeira, mesmo entre crianças que receberam aleitamento materno, interfere negativamente sobre o de - senvolvimento orofacial. É importante destacar que a amamentação é uma temática que se reverte em preocupação entre os órgãos mundiais de atenção à saúde da mulher e da criança, e os profissionais de saúde inseridos neste contexto, tem a oportunidade de desenvolver junto às comunidades, atividade de pré-natal, controle do crescimento e desenvolvimento da criança, estando, portanto, diretamente ligada às ações de promoção, prevenção e apoio do aleitamento materno. Diante do exposto e da experiência vivenciada por ocasião do Está- gio Curricular I, desenvolvido junto a uma equipe do Programa de Saúde da Família 1 - PSF, na vila Alto da Ressurreição , onde se teve a oportunidade de desenvolver atividades de pré-natal e controle do crescimento e desen- volvimento da criança, surgiu no grupo o interesse em estudar como as mães acatavam as informações dadas durante as palestras, visto que mui- tas mães apesar de terem realizado o pré-natal com a equipe encontravam dificuldades em amamentar. A situação problema desse estudo centra-se na forma como os pro- gramas de incentivo ao aleitamento materno têm se voltado para informar a mãe sobre os efeitos biológicos do leite materno e os benefícios para a criança, sem, no entanto, se ater aos fatores determinantes da decisão de amamentar ou não que a mãe muitas vezes é conduzida a tomar. Para uma melhor adesão das mães à prática do aleitamento, necessário se faz lançar mão de vivências e conhecimentos socialmente elaborados, respeitando- se os aspectos psicológicos, sociais e emocionais que se encontram envol- vidos nesse complexo processo que é o ato de amamentar. Diante da questão que se apresenta é oportuno para desenvolvi- mento do estudo a utilização da Teoria das Representações Sociais como uma forma de identificar na prática cotidiana a representação dessas mu- lheres que vivenciam a condição de nutriz. Considerando estes fatores, os profissionais da área de saúde ne - cessitam obter um maior conhecimento das mães que amamentam, identificando sua rotina, comportamento e a representação social, afim de obter dados que possam ser utilizados para a implementação de ações assistenciais de promoção e incentivo voltados para a real dimensão do problema. Assim, para estudar o assunto, tomou-se como objeto as represen- tações sociais da amamentação por mães na condição de nutriz, delimi- tando-se como objetivos: identificar as representações sociais da ama- mentação por mães atendidas pela equipe do PSF e discutir os aspectos psicossociais envolvidos nas representações sociais da amamentação por mães atendidas pela equipe do PSF. Sendo a mulher e a criança objetos do trabalho dos profissionais da área de saúde, justifica-se buscar compreender as representações sociais do aleitamento materno, que poderá concorrer para o aprofundamento

dos conhecimentos no campo da saúde materno-infantil, contribuindo para o surgimento de novas propostas de intervenção em saúde. Este estudo pretende trazer novos conhecimentos que auxiliarão numa melhor assistência por profissionais envolvidos neste campo de atuação, partindo do pressuposto de que as representações sociais con- tribuem para a construção de uma realidade comum a um grupo social e respeitando o comportamento e a atitude de cada nutriz, o que contribui para uma melhor orientação a respeito do aleitamento materno, uma vez que serão conhecidos os fatores que mais influenciam esta prática no ce - nário em estudo. A relevância deste estudo demonstra-se através da produção de conhecimentos relacionados às representações sociais da amamentação por mães na condição de nutriz.

  • 2. CONSIDERAÇÕES A CERCA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

Para compreender os pressupostos deste estudo se faz necessário explicitar as bases de conhecimentos a cerca das Representações Sociais (RS). Acreditamos ser uma estratégia que nos permite ver a sociedade com indivíduos que não são apenas processadores de informações, mas pensadores ativos que se comunicam e produzem suas representações e

soluções específicas para as questões que se colocam a si mesmos (MOS-

COVICI, 1978).

Segundo o mesmo autor, a Representação Social é um conjunto de conceitos, explicações e afirmações que se originaram no cotidiano através de comunicações interindividuais; contribui para a formação de condutas e a orientação das comunicações sociais, pode ser compreendida como a teoria do “senso comum” designando, numa perspectiva ampliada, uma forma de pensamento social. A utilização deste conceito permitirá que as representações sociais identificadas nesta pesquisa, através dos discursos e das observações re - velem a realidade para, então, através da compreensão e análise do obje - to em estudo, identificar as Representações Sociais da amamentação por mães.

Cabe assinalar que o propósito de todas as representações é o de transformar algo não familiar, ou a própria não familiaridade em familiar. Então, representar uma coisa não é simplesmente duplicá-la, repeti-la ou reproduzi-la. É de fato, reconstituí-la, retocá-la, modificar-lhe o texto

(SPINK, 1995).

Respeitar a pessoa e sua bagagem cultural, partilhar com ela sa- beres e costumes é a postura adequada para o profissional de saúde inte -

ressado em completar ou modificar ações importantes para o bem estar

individual e coletivo, em que as práticas profissionais vistas a partir das representações sociais, possibilitam um novo olhar não mais as conside - rando tão somente como esfera normativa, estritamente técnica e cien- tificamente determinada. Mas como expressão das subjetividades que se constituem e se expressam inseridas em dado espaço social (OLIVEIRA; SIQUEIRA; ALVARENGA, 1998).

Moscovici (1978) mostra como se estrutura cada representação.

Para ele, estas aparecem com duas fases indissociáveis: a figurativa e a sim- bólica. O surgimento destas fases permite compreender que os processos formadores das representações têm por função atribuir a todo sentido uma figura e a toda figura um sentido. A isso ele chamou de objetivação e ancoragem.

  • 1. Programa de Saúde da Família - é um programa criado pelo governo Federal, composto por equipes de multiprofissionais: médico; enfermeira; aux. de enfermagem; 4-6 ACS assistindo à população.

Silva MBC, et al.

A objetivação, para Moscovici (1978) é, portanto, um processo que

consiste em uma “operação imaginante” pelo qual se dá uma “forma” ao

conhecimento acerca do objeto, tornando concreto um conceito abstrato, reproduzindo-o numa imagem. Ou seja, é traduzir um esquema apenas conceitual em realidade existente e presente no cotidiano. Por si só, a objetivação segundo Jodelet (2001) não garante a inser- ção orgânica de uma construção formal do conhecimento. Esta deve estar dialeticamente articulada com a ancoragem. Dessa forma, assegurando as três funções basilares de representação: incorporação do estranho ao novo, interpretação da realidade e orientação dos comportamentos.

Sobre a ancoragem, Moscovici (1978) diz que a ancoragem refere-

se a integração do objeto representado no sistema de pensamento pré- existente e às transformações advindas daí. Ancorar é classificar e deno - minar a idéia. A ancoragem é, portanto, o processo que constitui o enraizamento social da representação e de seu objeto e permite a incorporação do que é desconhecido ao novo em uma rede de categorias usuais. Estes dois processos, objetivação e ancoragem, contidos na Teoria das Representações Sociais norteiam os sujeitos do estudo e permitem materializar a palavra e denominar as idéias.

O procedimento analítico e o tratamento das informações se deram com

base em um plano geral de análise e tratamento, utilizando-se a técnica de

Análise de Conteúdo Categorial Temática (BARDIN: 1977; KRIPPENDORFF:

1990).

Baseando-se nesse contexto teórico-metodológico, utilizou-se a análise de conteúdo para apreensão dos dados, tomando por base os ob- jetivos propostos nesse estudo, subsidiados na Teoria das Representações Sociais, seguindo as seguintes etapas de análise: leitura flutuante das res- postas do questionamento; seleção do material (constituição do corpus); processo de categorização: seleção das unidades (unidades de análise) e codificação; composição das categorias simbólicas. A partir das respostas evocadas pelos sujeitos, foram construídos dicionários de vocábulos adjetivos concernentes aos dois estímulos/indu- tor leite materno e amamentar. Em seguida, procedeu-se a uma análise semântica de conteúdo para codificação e preparo do banco de dados constituído pelas variáveis de opinião (palavras) dispostas em linhas hori- zontais, codificadas e agregadas a numerais referentes a cada estímulo in- dutor (1- leite materno e 2- amamentar) e pelas variáveis fixas (faixa etária, estado civil e se amamenta ou não) dispostas nas três primeiras colunas do banco de dados, codificadas da seguinte forma:

QUADRO 1- Codificação das variáveis fixas

3. METODOLOGIA

   

IDADE

ESTADO CIVIL

AMAMENTA

Trata-se de um estudo de natureza quantitativa e qualitativa, envol-

pe que atende no Saúde da Família. Fizeram parte da amostra 50 mulheres

com disponibilidade em participar deste estudo, que após aceitação ver-

(coluna 1)

(coluna 2)

(coluna 3)

vendo trabalho de campo, em que se busca identificar fenômenos sócio-

 

1=<de 20 anos

1= solteira

1= sim

culturais de representações sociais relacionados com a amamentação, em

2= 20 à 30 anos

2 = casada

2= não

que se salienta conhecimentos e crenças difundidas coletivamente no co -

3= 31 à 40 anos

3= união estável

 

tidiano de mães na condição de nutriz. De acordo com Chizzotti (1998), a abordagem qualitativa é adequa-

Esse banco de dados foi submetido ao software Tri-Deux Mots (CI-

da para esta investigação, tendo em vista que possibilita uma maior apro-

BOIS, 1995). Em seguida, foram configuradas graficamente as objetivações

ximação com o mundo dos significados, das ações e relações humanas relativos a vivência destas mães, permitindo captar o universo de valores, motivações e atitudes que compõem um aspecto não perceptível em equações, médias e estatísticas. O estudo foi desenvolvido com mães, residentes na vila Alto da Res- surreição, na cidade de Teresina-Pi, acompanhadas no pré-natal pela equi-

bal culminou na assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclareci-

relativas aos estímulos indutores, revelando-se aproximações e oposições das modalidades na construção dos fatores analisados através da AFC – Análise Fatorial de Correspondência, definindo, assim, a objetivação da amamentação. Os resultados permitiram uma avaliação estatística dos dados no que concerne à freqüência (importância de contribuição das modalidades na construção dos fatores) e a representação gráfica das variações semân- ticas na definição do campo de representação do objeto em estudo.

do, que obedece aos aspectos éticos e legais conforme o Comitê de Ética

4.

ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS

 

e Pesquisada da NOVAFAPI, levando em consideração a determinação da Resolução N° 196 do Ministério da Saúde (BRASIL, 1996).

4.1.

A Amamentação como conhecimento socialmente elaborado

Como estratégia de coleta de dados, foi utilizado o Teste de Associa- ção Livre de Palavras (ALP) que foi elaborado a partir de duas palavras-estí- mulo: «leite materno» e «amamentação». Tratando-se de um instrumento que permite ao entrevistado, a partir dos estímulos indutores, evocarem respostas de conteúdos afetivos e cognitivos. Antes da aplicação, os pes- quisadores ilustraram um exemplo semelhante ao que foi utilizado na pes- quisa, para familiarizar o entrevistado sobre o procedimento de aplicação e adequação de respostas. Os pesquisadores orientaram os sujeitos em relação ao tempo: quanto mais ágil e impulsiva for à resposta, maior seu efeito de validade (NÓBREGA, 2003). O instrumento para aplicação do teste de ALP foi dividido em duas partes: a primeira foi destinada ao levantamento dos dados sócio-demo - gráficos ou variáveis fixas como idade, estado civil e se amamenta ou não

A prática da amamentação pela ótica das representações sociais possibilita a construção de definições, explicações e afirmações que se originam no cotidiano por meio das comunicações interindividuais e do conhecimento socialmente elaborado e compartilhado. Portanto, as repre - sentações sociais são uma forma de conhecimento, socialmente elaborada e partilhada, tendo uma visão prática e concorrente para a construção de uma realidade comum a um conjunto social (JODELET, 2001). Relacionado nessa abordagem, explicitado pela teoria, a realização deste estudo teve como elemento determinante a exposição de idéias das mães que viven- ciaram ou vivenciam no seu cotidiano o ato de amamentar. No processo de categorização, foram apreendidas três categorias temáticas, sendo que uma delas foi decomposta em duas subcategorias

e a segunda parte com os estímulos indutores ou variáveis de opinião, se - guidas de um questionamento acerca da importância das palavras citadas.

que surgiram a partir de um total de 45 unidades de análise.

Representações sociais da amamentação por mães

Categoria A- Manifestações Culturais da Amamentação

A primeira categoria refere-se às manifestações culturais da amamentação,em que os sujeitos expressam informações de crenças que refletem as representações sociais elaboradas por sujeitos sociais. Observa- se que os sujeitos do estudo têm suas subjetividades e crenças ancoradas

mãe e filho [

]

cresce os laços da mãe e do filho [

]

deixa a criança feliz

[

]

... é contato e união [

]

]

... a gente aprende amar mais ainda o nosso filho

]

paixão pelo filho porque é

...

]

é

... porque o filho vai amar mais a mãe [

...

[

]

... um ato de carinho [

... bom quando o filho ta perto [

... fico satisfeita quando estou amamentando [

...

]

em experiências anteriores a elas próprias, de familiares e vizinhos. Os da-

dos relatados destacam que as mães fazem referências ao leite materno como pouco ou fraco,baseadas nas manifestações de comportamento do bebê (choro), indicando que o mesmo sente fome, tanto para a mãe como

O que se observou da análise dos dados desta categoria é que a maior parte dos sujeitos representou, a prática da amamentação como, carinho e satisfação.

para toda a família, caracterizando-se por reflexos de experiências anterio- res vivenciadas pelo grupo social.

Categoria C- Posicionamento frente à amamentação

As unidades temáticas que explicam sobre as expressões relacio - nadas à cultura, particularmente às crenças, são detalhadas no quadro 3 a seguir:

Nessa categoria encontram-se distribuídas duas subcategorias que explicam os posicionamento: favorável e desfavorável, presentes na prática de amamentar ou não, elaborados pelos sujeitos do estudo.

QUADRO 2 - Distribuição das unidades de análise temáticas das manifestações culturais da amamentação.

 

Favorável

O posicionamento favorável ao leite materno e ao ato de amamen- tar são objetivados por essas mulheres com: “saúde”, “necessário”, “vitami-

 

UNIDADE DE ANÁLISE DAS MANIFESTAÇÕES CULTURAIS DA AMAMENTAÇÃO

 

na” e “bom”. A partir desses dados revelados como favoráveis é possível se compreender o valor da amamentação e a disponibilidade em amamentar

criança que só mama, fica com fome e também não engorda [

[

]a

... milha filha não mama porque não tenho leite [

]

]

... por que o leite é fraco

dados por essas mães. As mesmas têm a amamentação como o melhor para a criança, reinterpretando, assim, o discurso dos profissionais da saú-

não alimenta sozinho e precisa de complemento [

]

pouco leite, meu

de e relacionando a prática da amamentação a uma boa condição da saú-

filho mama e continua com a mesma fome [

]

de e desenvolvimento para a criança.

que tem gosto ruim [

]

QUADRO 4 - Distribuição das unidades de análise temáticas sobre o

 

]

meu leite é pouco e fraco,

posicionamento frente à amamentação.

   
 

UNIDADES DE ANÁLISE SOBRE O POSICIONAMENTO

 

Segundo Bittar (1995), o homem herda não apenas a genética que

 

FAVORÁVEL FRENTE À AMAMENTAÇÃO

transmite as características físicas, mas também, a cultura que difunde cos- tumes e valores que contribuem para edificação do saber do homem. Des- sa forma, as manifestações culturais determinam a conduta dessas mães na prática da amamentação.

a criança não precisa de outro tipo de alimento [

[

]

... a criança [

]

a criança fica forte e não adoece [

... se tem nada [

...

]

]

porque faz bem

... porque sem saúde não

]

sem ser amamentado, a criança não vai ser saudável

se você der o alimento, ajuda a criança a crescer [

[

]

... o bebê a crescer [

]

]

... alimenta e a criança fica saudável [

porque ajuda

]

é alimento,

 

Categoria B- Aspectos psico-afetivos da amamentação

 

... e assim a criança não precisa de mais nada [

]

... sendo amamentada a

Essa segunda categoria refere-se aos aspectos psico-afetivos da

 

criança

fica forte e não adoece [

]

cresce sem

adoecer

facilmente

amamentação identificados nas unidades de análise elaboradas por meio das respostas dadas por essas mães. Esses sujeitos do estudo revelaram o quanto o vínculo entre mãe/filho influencia na construção da representa- ção que eles têm sobre os aspectos psico-afetivos da amamentação, des-

por ser completo, não precisa dar outra coisa para a criança [

[

]

]

a

... não precisa ser

... criança fica forte e sadia [

comprado [

]

meu filho fica satisfeito [

]

...

]

... porque é fonte de vitamina [

...

... bom para o bebê [

]

... evita doenças porque é forte

porque ele fica de barriguinha cheia [

]

tacando a importância dos laços afetivos de amor e carinho na promoção de uma aproximação maior da criança com a mãe, tornando a prática da

evita pegar câncer de mama [

[

]

... e para o filho [ ] ...

...

]

amamentação um ato de amor, satisfação e completa interação.

 
Uma amamentação materna bem sucedida é importante porque favorece as relações entre a mãe e a
Uma amamentação materna bem sucedida é importante porque
favorece as relações entre a mãe e a criança. A presença da mãe, a cada re -
feição, e sua disponibilidade proporciona um conjunto de contatos físicos,
sensoriais e verbais que são estimulantes e suficiente tanto para a mãe,
Desfavorável
quanto para o filho (DUPIN,1977).
QUADRO 3 – Distribuição das unidades de análise temáticas dos
aspectos psico-afetivos da amamentação.
O posicionamento desfavorável frente à amamentação elaborado
pelos sujeitos sociais do estudo, revela que essas mães reconhecem o leite
materno como algo que não supre as necessidades alimentares dos filhos,
visto que as mães não querem amamentar por acharem que os filhos não
gostam de mamar, pois, não aceitam o peito e as rejeitam.
QUADRO 5 – Distribuição das unidades de análise temáticas sobre
o posicionamento frente à amamentação
UNIDADE DE ANÁLISE DOS ASPECTOS PSICO-AFETIVOS
DA AMAMENTAÇÃO
[
...
]
porque com amor você cuida [
...
porque amor de mãe é tudo [
]
aumenta o contato entre mãe e
UNIDADES DE ANÁLISE SOBRE POSICIONAMENTO
DESFAVORÁVEL FRENTE À AMAMENTAÇÃO
filho [
...
dável, porque sem ele ninguém vive [
]
...
]
tudo com amor se torna sau-
o amor é vida, carinho, prazer
... ] pelo
aumenta a interação entre
[
...
]
meu filho me rejeita [
...
]
não gosta de mamar [
...
]
meu filho não
]
...
amamento porque ele fica mais calmo[
aceita o peito [
]
só dou o peito porque meu filho para de chorar [
...
que amamentar deixa o
]
e satisfação [ ...
]
]acho
filho você cuida se dedica e dá a vida [
]
peito caído [
...
]
o peito da gente dói [
...
]

Silva MBC, et al.

  • 4.2. Campo de representação ou imagem da amamentação

Os dados obtidos a partir do Teste de Associação Livre de Palavras e processados pelo software Tri-Deux-Mots deram origem a um conjunto de 425 palavras como respostas para os estímulos/indutores leite materno

e amamentar; destas, 62 com significados diferentes. Essa redução deu- se pela formação dos dicionários através do agrupamento pela similari- dade semântica existente entre palavras, por exemplo, expressões como:

“necessário”, “indispensável” e “importante” foram reduzidas a uma única palavra,”importante”, para se referir a amamentar. Através do gráfico, pode-se observar o conteúdo das representações ou imagens da amamentação, tornando-se possível a partir da objetivação configurada no campo representacional, fazer a leitura e interpretação das modalidades ou variáveis de opinião pelas palavras evocadas ou represen- tações, correlacionando-as com as variáveis fixas (idade, estado civil e se amamenta ou não) organizadas segundo os eixos ou fatores (F1 e F2). No gráfico 1, encontram-se configurados dois lados fatoriais F1 e F2, apresentados em formas diferenciadas para facilitar a visualização das modalidades pertencentes a cada um dos fatores, bem como as variáveis fixas que contribuíram para formação dos dois eixos. Salienta-se com fonte em itálico as modalidades que compõem o fator F1; com fonte em negrito estão as modalidades que contribuíram com o fator F2. E destacadas com fonte em negrito e sublinhada as variáveis fixas que contribuíram para for- mação dos respectivos fatores. A análise dos dados obtidos por meio do teste de associação livre de palavras e processodos pelo método Tri-Deux-Mots,é uma importante metodologia, porque permite representar graficamente a atração entre as variáveis fixas (idade, estado civil e se amamenta ou não) que se encontram em colunas e as variáveis de opiniões (respostas dos sujeitos), correspon- dentes às linhas constituídas de adjetivos. Tais variáveis quando cruzadas pelo método Tri-Deux-Mots, revelam a dinâmica de atração e distancia- mento entre as modalidades de respostas e características dos grupos. A análise do gráfico é feita a partir da leitura das palavras evocadas, distribuídas de maneira oposta sobre os eixos ou fatores (F1 e F2).

Gráfico 1. Representação gráfica do plano fatorial sobre amamen-

tação.

Silva MBC, et al. 4.2. Campo de representação ou imagem da amamentação Os dados obtidos a

No fator F1, fonte em itálico, linha horizontal, destacaram-se duas modalidades das mães que amamentaram, as quais se encontram do lado

negativo do eixo 1 e são representadas pelas palavras: vitamina e neces- sário.

Do lado positivo do eixo 1 (Fator F1), destacaram-se as modalidades correspondentes às respostas das mães que não amamentaram, represen-

tadas pelas palavras: fraco e emagrece. Com relação ao segundo fator (F2), linha vertical com fonte em ne - grito, o procedimento analítico é idêntico. Destacaram-se as modalidades de respostas evocadas pelos sujeitos, que se encontram do lado negativo do eixo 2 e representadas pelas palavras: bom, quente, saúde e nutrição (em relação a leite materno) e interação (em relação à amamentação). Do lado positivo do eixo 2, destacaram-se as modalidades corres- pondentes às respostas das mães solteiras, com menos de 20 anos, no que se refere ao leite materno, representada pela palavra: alimento. E no que se refere à amamentação, representadas pelas palavras: responsabilidade, prazer, afeto e saúde. Do lado negativo de eixo 2, destacaram-se as modalidades corres- pondentes às respostas evocadas pelas mães casadas com idade entre 31

a 40 anos, no que se refere ao leite materno, representadas pelas palavras:

bom, saúde, quente e nutrição. Ao se referir à amamentação, representa a seguinte palavra: interação.

  • 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Neste estudo procurou-se a partir da identificação das repre - sentações sociais da amamentação, por mães atendidas pela equipe de Saúde da Família, discutir os aspectos psicossociais envolvidos nesse pro - cesso de amamentação. A Teoria das Representações Sociais, no estudo do objeto, consti- tuiu vantajosa vertente, pois mostrou-se aplicável à diferentes formas de construção do conhecimento encontradas no cenário da pesquisa, onde ocorre o objeto social desta pesquisa, amamentação. O conhecimento cotidiano orienta as condutas e os pensamentos do sujeito nas suas vivências diárias sendo, pois, responsáveis pelo modo e pela determinação do pensamento. Ressalta-se que existe uma grande diferença entre o conhecimento cientifico e o do senso comum, mas isso não quer dizer que o senso comum não seja um meio de comunicação do conhecimento na vida cotidiana. A amamentação como objeto social, constitui o foco deste estudo, a partir do qual as mães explicitam as representações sociais por meio do Teste de Associação Livre de Palavras que possibilitou a identificação das mais diversas representações sociais. Em se tratando das respostas que foram submetidas à análise de conteúdo, estas possibilitaram identi- ficar muitas informações, que depois foram complementadas pela análise fatorial de correspondência do Teste de Associação Livre de Palavras, onde foram configuradas as semelhanças entre os dados de ambos tratamen- tos.

Os resultados indicaram que os conteúdos submetidos às análises apontaram que as questões relacionadas às manifestações culturais repre - sentam parte da herança sócio-cultural que determina e orienta condutas relacionadas ao ato de amamentar. A partir das concepções dos sujeitos sobre os aspectos psico-afeti- vos apreendeu-se informações vinculadas à interação mãe/filho, nas quais se destacam laços afetivos de amor, carinho e cuidado, o que torna a prá- tica da amamentação algo prazeroso, que proporciona uma sensação de satisfação plena. O posicionamento frente à amamentação é evidenciado com ele - mentos favoráveis nos quais a ênfase dada pelas mães ao reconhecimento

do valor da amamentação e a disposição em amamentar responde aos apelos do seu grupo social e apóia-se no discurso dos profissionais da saú- de, relacionando o leite materno como indispensável a uma boa condição de saúde e desenvolvimento do bebê. Em consonância com os achados da análise de conteúdo, consta- tou-se, através da análise fatorial de correspondência, que as mães que amamentam reconhecem o leite materno como beneficente para o bebê e demonstram conhecer as propriedades e a influência que a lactação exercem sobre a saúde da criança ao evocarem as palavras: vitamina e necessário, além de vivenciarem a amamentação como uma prática que desperta prazer, afeto, saúde e interação entre a mãe e o bebê. Por outro, as concepções das mães que não amamentam foram

Representações sociais da amamentação por mães

objetivadas através das expressões: leite fraco e emagrecedor, não reco- nhecendo a amamentação como uma prática essencial para o desenvolvi- mento e crescimento do bebê. É necessário, pois, ressaltar que a implementação dos programas de incentivo ao aleitamento materno deva ser desenvolvida em consonância com as comunidades, sem desprezar o fato de que o grupo social contribui e exerce domínio na orientação de condutas, além de compreender que a assistência e apoio ao aleitamento não pode estar restrito aos aspectos biológicos do leite materno, incorporando o discurso dos profissionais no cotidiano dos serviços de saúde, onde as mulheres não conseguem ex- pressar os reais motivos pelos quais encontram-se envolvidas e que, certa- mente, contribui para a prática da amamentação.

REFERÊNCIAS

ALMEIDA, J.A.G.; GOMES, E. Amamentação: um híbrido natureza-cultura. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 6(3): 71~75, 1998.

KRIPPENDORFF, K. Content Analysis:

Londres: Sage, 1990.

introduction to its methodology.

ALMEIDA, J.A.G. Amamentar um hibrido natureza-cultura. Rio de Janeiro:

Editora Fiocruz, 2002.

MARTINS FILHO, J., Como e porque amamentar. São Paulo: Sarvier, 1984.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

MONSTRONE, V. G; ROSE, J. C. Uma experiência educacional de incentivo ao aleitamento materno e estimulação do bebê, para mães de nível

março de 2005.

BITTAR, M. A. F. Aleitamento materno: um estudo etnográfica sobre os costumes crenças e tabus ligados a esta prática.[Dissertação]. Ribeirão Pe - reto (SP): Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. Universidade de São

sócio-econômico básico: estudo preliminar, 2000. Disponível em: http:// www.aleitamento.ong.br/arquivos/estudopreliminar.htm acesso em 23 de

Paulo; 1995

MOSCOVICI S.A., Representação social da psicanálise. Rio de Janeiro:

Zahari, 1978.

BRASIL. Ministério da Saúde., Resolução 196/1996, Conselho Nacional de

Saúde.1996.

NEIVA, F.C.B; CATTONI, D. M; RAMOS, J. L.A; ISSLER, H. Desmame precoce:

CARVALHO, J.F.C; ALMEIDA, J.A.G.; NOVAK, F.R. A alimentação do recém- nascido filho de mãe HIV positivo. Cadernos do NEPEN, 3:1-121, 1994.

implicações para o desenvolvimento motor-oral J. Pediatr. v.79 n.1, Porto Alegre, jan./fev. 2003.

CHIZZOTTI, Antônio., Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo:

NÓBREGA, S. M. O Teste de Associação Livre de Palavras in: COUTINHO, M. P. L., LIMA, A. S., OLIVEIRA, M. B; FORTUNATO, M. L. Representações Sociais:

Cortez. 1998.

abordagem Interdisciplinar. João Pessoa: EDUFPB; 2003.

OLIVEIRA D.C; SIQUEIRA A.A.F; ALVARENGA A.T. Práticas sociais em saú-

CIBOUS, U. F. R., Tri-Deux Mots. Versão 2.2 Paris, Sciences Sociales, (1 dis- quete). 1995

CARRASCOZA, K. C.; COSTA JUNIOR, A. L.; AMBROSANO, G.M.B; MORAES, A.B.A. Prolongamento da amamentação após o primeiro ano de vida: argu- mentos das mães. Psic.: Teor. e Pesq. v.l.21 n.3 Brasília set./dez. 2005

CARRASCOZA, K. C.; POSSOBON, R. F.; TOMITA, L.M.; MORAES, A. B. A. Con- seqüências do uso da mamadeira para o desenvolvimento orofacial em crianças inicialmente amamentadas ao peito. J. Pediatr. v. 82 n.5, Porto Alegre, set./out. 2006

de: uma releitura à luz da teoria das representações sociais. In: Moreira ASP, Oliveira ASPM. Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia:AB, 1998.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno: o papel especial nos serviços materno-infantis. De - claração Conjunta OMS/UNICEF. Genebra: editora da OMS, 1989.

RICCO, R. G., Aleitamento natural. IN: WOISKI JR. Nutrição e dietética em pediatria. 4. ed. São Paulo (SP) Atheneu; 1995.

DUPIN, H. Alimentation et nutrition. In: MANDE, R.et al. Pédiatrie Sociale. Paris, Flammarion médice-science, Cap. 5, 1977. p. 106-9.

SILVA, I.A., Amamentar: uma questão de assumir riscos ou garantir benefí- cios. São Paulo: Robe, 1997.

JODELET, D. Representações Sociais: um domínio em expansão. In: Jo - delet, D. organizador. As Representações Sociais. Rio de Janeiro (RJ): Ed. UERJ. 2001.

SPINK, M. J., O conhecimento no cotidiano. São Paulo: Brasiliense; 1995.

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem da
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem da
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem da

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas

por professores do curso de enfermagem da NOVAFAPI

Changes in the formation of a nurse: social representation elaborated by professors of the nursing course at NOVAFAPI

Cambio en la formación del enfermero: representaciones sociales elaboradas por profesores del curso de enfermería de la NOVAFAPI

Maria Eliete Batista Moura

Doutora em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery da UFRJ. Especialista em Ativação dos Processos de Mudança na Formação Superior de Profissionais de Saúde. Professora da Graduação e do Mestrado em Enfermagem da UFPI. Coordenadora de Pesquisa e Pós-Graduação da

Faculdade NOVAFAPI E-mail: lia@novafapi.com.br

Waldelene de Araújo Gomes

Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana. Professora da UEFS/BA.

Cristina Maria Miranda de Sousa

Pesquisadora, Advogada. Doutoranda do Programa de Pós- Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre Representações Sociais da Faculdade NOVAFAPI – Piauí.

RESUMO

O estudo tem como objetivos apreender as representações sociais da mudança na formação dos enfermeiros, elaboradas por professores. Trata-se de um estudo exploratório orientado pela Teoria das Representações Sociais. O cenário da pesquisa foi a Faculdade NOVAFAPI, localizada na cidade de Teresina – Piauí. A pesquisa teve como sujeitos 60 professores do Curso de Graduação em Enferma- gem. Os dados foram produzidos a partir do teste de associação livre de palavras e processados pelo software Tri-Deux Mots indicado para tratamento de questões abertas e fechadas, e interpretados por meio da Análise Fatorial de Correspondência (AFC). Os resultados indicaram que a combinação dos dois critérios, maior freqüência de evocações e contribuição nos dois fatores, resultaram nas palavras:

humanização, capacidade e transformação como evocações mais significativas pertencentes à repre - sentação social dos sujeitos da pesquisa sobre mudança na formação do enfermeiro da NOVAFAPI. Descritores: Enfermagem; Psicologia Social; Educação

ABSTRACT

The objective of this study is to learn the social representations of change in the formation of nurses elaborated by professors. It is an exploratory study orientated by the Theory of Social Representa- tions. The scene of the study was NOVAFAPI College located in the city of Teresina, Piauí. The sample study included 60 professors of the undergraduate nursing course. The data was produced from the free word association test and processed on the software Tri-Deus Mots indicated for the treatment of open and closed questions and interpreted by means of Correspondence Factor Analysis (CA). The results indicated that a combination of two criteria, greater number of evocative thoughts and contribution of the two factors resulted in the words: humanization, capacity and transformation as evocative ideas most significantly belonging to social representation of the subjects of the study about changes in the formation of nursing at NOVAFAPI. Descriptors: Nursing Education, Nursing, Social Psychology.

RESUMEN

Submissão: 07/05/2008

Aprovação: 28/08/2008

El estudio tiene como objetivo aprehender las representaciones sociales del cambio en la formación de los enfermeros, elaboradas por profesores. Se trata de una investigación exploratória orientada por la Teoria de las Representaciones Sociales. El encenario de la investigación fue la Facultad NOVAFAPI, ubicada en la ciudad de Teresina – Piauí. La investigación, tuvo como sujetos 60 profesores del Curso de Graduación en Enfermería. Los datos fueron producidos a partir del teste de asociación libre de palabras y procesados en el software Tri-Deux Mots indicado para tratamiento de cuestiones abiertas y cerradas, e interpretadas por medio de Análisis Factorial de Correspondencia (AFC). Los resultados indicaron que la combinación de dos criterios, mayor frecuencia de evocaciones y contribuición en los dos factores, resultaron en las palabras: humanización, capacidad y transformación como evoca- ciones más significativas pertenecientes a la representación social de los sujetos de la investigación sobre cambios en la formación del enfermero de la NOVAFAPI. Descritores: Educación en Enfermería, Enfermería, Psicología Social.

Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem da NOVAFAPI

1. INTRODUÇÃO

Este estudo tem como objeto as Representações Sociais do Proces- so de Mudança na Formação dos Enfermeiros Elaboradas pelos Professores da Faculdade de Saúde, Ciências Humanas e Tecnológicas do Piauí – NO- VAFAPI. O Curso de Enfermagem foi criado em 2001. A filosofia que dá sus- tentação ao curso proposto é considerar como prioridade ações voltadas para a promoção e manutenção da saúde, visando provocar mudanças no perfil epidemiológico das doenças prevalentes, através de práticas em que o biológico se articule com o social e o cultural, estabelecendo novos para- digmas para a formação e a ação do profissional enfermeiro.

Dessa forma, a NOVAFAPI reconhece que a formação desse pro- fissional deve ser articulada a partir de uma perspectiva multidisciplinar e multiprofissional, na medida em que vê o CUIDAR como a essência da enfermagem. Coloca-se como diretriz para todos os envolvidos no processo de formação dos enfermeiros, na NOVAFAPI, a adoção de atitudes que favore - çam o desenvolvimento do ser humano e da sociedade com vistas ao exer- cício pleno da cidadania, estabelecendo novas relações com os contextos sociais, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões, como competências e habilidades específi- cas da Enfermagem, de acordo com as novas Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Enfermagem em todo o Brasil. Assim, a NOVAFAPI, com a oferta do Curso de Enfermagem, propõe- se a preparar seus alunos para que possam exercer sua profissão com com- petência e consciência social, tendo como referencial as necessidades no setor de saúde e as características sócio-econômicas do contexto regional e nacional. O Currículo do Curso de Enfermagem reflete a concepção, finali- dades e os objetivos que a NOVAFAPI estabelece como referenciais, e sua elaboração apoiou-se na legislação pertinente, nas diretrizes propostas pela Associação Brasileira de Enfermagem – ABEn e pelo Departamento de Políticas de Ensino Superior - SESU/MEC, através da Resolução nº 03 de

07 de novembro de 2001.

Como parâmetros para o ensinar e aprender indica-se como refe - rência: articulação entre teoria e prática; aproximação entre o conhecimen- to, o aluno e o paciente de forma mais precocemente possível; apropriação do conhecimento sobre a forma de habilidade e atitude; transferência do conhecimento para as múltiplas situações de vida e prática profissional; utilização de conhecimento, habilidades e atitudes já adquiridos como su- porte para a aquisição, recriação e criação de novos conhecimentos. A interdisciplinaridade no contexto do Curso de Enfermagem é en- tendida como ato de troca, de apreensão global da informação, processo de transformação, compreensão da complexidade do saber e da sua mul- tidimensionalidade. Daí a necessidade da integração entre as disciplinas e a necessidade de que a ação docente seja discutida e analisada pelos envolvidos na complexa tarefa de ensinar e aprender. Como processo que busca ser instrumento de transformação, deve ser posto em prática de forma que possibilite corrigir distorções, enfatizar aspectos, antecipar ou prever situações críticas, aquilatar resultados, enfim, vincular-se dinamicamente à realidade circundante. Portanto, a prática interdisciplinar pretendida exige: integração, troca, reciprocidade, busca, construção coletiva, respeitando o objeto de estudo e análise de cada componente curricular e a especificidade de cada componente, posto que o princípio da unidade consista também no ir e vir das ciências. Nesta perspectiva há necessidade de que o professor se aproprie do

conhecimento científico, que saiba organizá-lo e socializá-lo, sendo dessa forma, competente em sua prática pedagógica. Esta competência precisa estar impregnada de humildade, de simplicidade, de atitude investigativa face ao conhecimento, de atitude de respeito ao outro, construindo com ele o alicerce do conhecimento. O professor precisa, também, sentir-se li- vre para poder falar e ouvir. A interdisciplinaridade do Curso de Enfermagem tem sido estabe - lecida através de abordagem sistêmica de casos, através das práticas de - senvolvidas na realidade contextual, no trabalho pré-profissional, através dos projetos de extensão, pesquisa e das atividades comunitárias, o que pressupõe, necessariamente, inter-relação das disciplinas na concepção e execução do Currículo. Contudo, mesmo com todo o esforço para desenvolver uma boa formação para os Enfermeiros egressos da NOVAFAPI, o Curso está sendo desenvolvido através de um Projeto Político Pedagógico que necessita de

uma reorganização, tomando como base as Novas Diretrizes Curriculares para os Cursos de Graduação em Enfermagem em todo o Brasil, que de - verá ser construído coletivamente com a participação de todos os profes- sores do Curso. Assim, numa reunião de colegiado, nas discussões foi sugerida por um grupo de professores a possibilidade de um curso de especialização em Formação Pedagógica para o Ensino Superior na Área da Saúde, consi- derando que a experiência com oficinas isoladas em outras IES não funcio- nou. Dessa forma, com a participação de alguns professores e pedagogas da Faculdade, fez-se o projeto do curso que, em seguida, foi aprovado pelo colegiado. O curso seria presencial, com encontros mensais de 30h/a, todos

os professores (56), aceitaram participar e assim procedeu-se o registro

do projeto na Coordenação de Pesquisa e Pós-Graduação da IES. Após aprovação, estabeleceu-se um período de inscrição de cinco dias, com ampla divulgação em toda a Faculdade. Para surpresa da coordenação,

14 professores não fizeram suas inscrições e isso gerou muito desconforto

no restante do grupo que demonstrou preocupação com a possibilidade desta situação ser determinante para dificultar o processo de mudança, considerando que o objetivo do curso era construir o novo PPP, coletiva- mente, com a participação de todos os professores e também dos alunos e funcionários em alguns momentos.

A coordenação do curso, analisando o processo, ainda tentou con- tornar a situação, fazendo mais duas reuniões com os professores que re - jeitaram a proposta, além de encaminhar carta com o objetivo de mostrar mais uma vez a necessidade da mudança e sensibilizar os professores, mas eles continuaram resistentes ä proposta. Mesmo assim, o curso foi iniciado com a participação de 42 pro- fessores, o que representa 75% do quadro. Com o andamento do curso,

percebeu-se que os professores participantes passaram a compreender melhor a necessidade dessa atualização, porém os não-participantes per- sistiram na descrença desse processo de mudança, duvidando do currículo integrado enquanto melhor maneira de formar profissionais de Enferma- gem.

Diante dessa problemática, este estudo tem como objetivo apre - ender as Representações Sociais do Processo de Formação do Enfermeiro elaboradas pelos professores.

  • 2. AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS NO CONTEXTO DO PROCESSO DE FORMAÇÃO DO ENFERMEIRO Nos últimos anos, a teoria e o método das representações sociais

Moura MEB, Gomes WA, Sousa CMM.

têm adquirido força no campo das investigações na área da saúde. No campo da enfermagem, um grande número de pesquisadores tem-se in- teressado por essa abordagem dada a possibilidade de estudar a produção simbólica como uma forma de realizar pesquisa mais criativa; valorização do saber popular; possibilidade de revelar situações do cotidiano da práti- ca não visíveis objetivamente e pela possibilidade de estudo da sensibili- dade e da emoção (TAVARES; TEIXEIRA,1998). A Teoria das Representações Sociais é uma forma sociológica de Psicologia Social, originada na Europa com a publicação feita por Serge Moscovici (1961) no seu estudo La Psychanalyse: Son image et son public. (GUARESCHI; JOVCHELOVITCH, 1998). Moscovici é um teórico que se fundamenta no conceito de repre - sentação coletiva desenvolvido por Durkheim (1912) e propõe uma nova concepção teórico-conceitual capaz de atender às questões colocadas pe - los problemas da modernidade (NÓBREGA, 2001). A Representação Social (RS) é definida como uma forma de conhe - cimento do “senso comum”. Ela está diretamente relacionada à maneira como as pessoas entendem e introjetam as informações de acordo com os referenciais que possuem, os indivíduos vão reelaborar o saber científico segundo sua própria “conveniência”, ou seja, de acordo com os meios e

recursos que têm (MOSCOVICI, 1978). Para Minayo (1994), Representação Social é um termo filosófico que

significa a reprodução de uma percepção retida na lembrança ou no con- teúdo do pensamento. Nas ciências sociais são definidas como categorias de pensamento que expressam a realidade, explicam-na, justificando-a ou questionando-a. As Representações Sociais podem ser compreendidas como uma forma de conhecimento, socialmente elaborado e partilhado, tendo uma intenção prática e concorrendo à construção de uma realidade comum a um conjunto social (JODELET, 2001). Elas se manifestam em palavras, sen- timentos e condutas e se institucionalizam. Portanto, podem e devem ser analisadas a partir da compreensão das estruturas e dos comportamentos sociais. Sua mediação privilegiada, porém, é a linguagem, tomada como forma de conhecimento e de interação social (GUARESCHI; JOVCHELOVI- TCH, 1998). Dessa forma, realizar este estudo, justifica-se pela importância da temática para a formação do profissional Enfermeiro. Refletindo-se sobre o homem como um ser sócio-histórico em sua relação com a natureza, suas ações e atitudes estão constantemente permeadas pelas relações sociais estabelecidas em determinado contexto. Assim, percebeu-se que os professores que não acreditam na mudança do processo de formação do Enfermeiro, continuam trabalhando individualmente, sem participar da vida e dos projetos das instituições, afastados das atividades sindicais e corporativas e com poucos investimentos na vida social, cultural, política e econômica da sua região, considerando que mesmo sem ser intelectual, é o mediador e intérprete do saber em transformação. Isso nos inquietou e nos levou a questionar sobre o nível de atenção que este problema vem recebendo nas IES e especialmente na NOVAFAPI, visto que muitos professores do Curso de Enfermagem não têm demons- trado preocupação com a questão por desconhecer, ou mesmo negligen- ciar a necessidade de mudança. Face ao exposto, propomo-nos a estudar as representações sociais embutidas nas condutas dos professores do Curso de Enfermagem da NO- VAFAPI, relacionadas ao processo de formação do Enfermeiro. Espera-se que a compreensão de tais representações possa estimular um compor- tamento diferente e que venha a contribuir com esse processo de mu- dança.

  • 3. ABORDAGEM METODOLÓGICA

Trata-se de uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, por ser mais adequada para investigar a problemática apresentada: os fe - nômenos sócio-culturais das representações sociais relacionadas com o processo de mudança na formação do Enfermeiro. Para Gil (1999), as pesquisas descritivas têm como objetivo primor- dial a descrição das características de determinada população, ou fenô- meno ou estabelecimento de relações entre variáveis. São incluídas neste grupo as pesquisas que têm por objetivo levantar as opiniões, atitudes e crenças de uma população. A pesquisa qualitativa responde a questões muito particulares. Ela se preocupa, nas ciências sociais, com um nível de realidade que não pode ser quantificado, ou seja, trabalha com um universo de significados, moti- vos, aspirações, crenças, valores e atitudes, o que corresponde a um espaço

mais profundo das relações, dos processos e dos fenômenos que não po -

dem ser reduzidos à operacionalização de variáveis (MINAYO, 1994).

Tendo como objeto de estudo as representações sociais do proces- so de mudança na formação do Enfermeiro elaboradas pelos professores, julgamos oportuno utilizar o método qualitativo para realizá-la, visto que foi necessária a compreensão de atitudes, crenças, valores e comporta- mentos dos sujeitos da pesquisa. A elaboração e o funcionamento de uma representação podem ser compreendidos através dos processos de objetivação e ancoragem. A ob - jetivação consiste em materializar a palavra, descobrir a qualidade icônica de uma idéia ou ser impreciso, reproduzir um conceito em uma imagem. Objetivar é, portanto, fazer com que aqueles conteúdos vagos e nebulosos sejam objetivados, transformados em figuras. A ancoragem consiste na interação cognitiva do objeto representado a um sistema de pensamen- to social preexistente. Esse processo é responsável pelo enraizamento das idéias (TAVARES; TEIXEIRA,1998). O cenário da pesquisa foi a Faculdade de Saúde, Ciências Huma- nas e Tecnológicas do Piauí - NOVAFAPI, localizada na cidade de Teresina – Piauí. A pesquisa teve como sujeitos os professores do Curso de Gradu- ação em Enfermagem da NOVAFAPI. De acordo com Chizzotti (1999), os sujeitos ou pessoas fontes de informações, devem ser aqueles que conhe -

cem bem o problema do estudo, e que, como testemunho oral, com suas percepções e análises podem esclarecer aspectos desconhecidos e identi- ficar fatos que não foram explorados no problema. A amostra foi definida partindo da concepção de saturação de idéias e da disponibilidade dos sujeitos em participarem desse estudo, que após aceitação verbal culminou na assinatura do termo de consentimento livre e esclarecido . As variáveis sexo, faixa etária e categoria profissional foram respon- sáveis pelo perfil dos sujeitos da amostra, os quais compreenderam 60 pro - fessores. Os dados foram produzidos a partir do teste de associação livre de palavras, com as palavras estímulo: Mudança na formação do Enfermeiro. O teste de associação livre de palavras, originalmente desenvolvido por

Jung (Rapaport et al, 1965) na prática clínica e adaptado no campo da

psicologia social por Di Giacomo (1981) vem sendo amplamente utilizado nas pesquisas sobre Representações Sociais (COUTINHO et al., 2003). Para o mesmo autor, o teste de associação livre de palavras trata-se de uma técnica projetiva orientada pela hipótese de que a estrutura psico - lógica do sujeito torna-se palpável através das manifestações de condutas de reações, evocações, escolhas e criações, constituindo-se em índices reveladores do conjunto da personalidade. O instrumento se estrutura so-

Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem da NOVAFAPI

bre a evocação das respostas dadas a partir de estímulos indutores. Tais estímulos consistiram num grupo de palavras previamente elaboradas de acordo com a relação estabelecida entre os sujeitos da investigação e o objeto a ser pesquisado ou objeto representado. Esses termos indutores foram apresentados aos sujeitos, solicitando-lhes que associassem pron- tamente uma ou mais palavras (ou expressões) que lhes viessem à mente. Há que se esclarecer que quanto menor o tempo gasto pelos sujeitos para elaboração das respostas, maior a validação dos resultados da pesquisa. Foi também desestimulada a utilização de frases longas ou conceitos inte - lectualmente mais elaborados. Tendo em vista a importância da familiarização dos entrevistados com o procedimento a ser realizado, foi aplicado previamente um exemplo semelhante ao teste utilizado na pesquisa. Na codificação dos dados, a primeira etapa consistiu na elaboração de uma lista das palavras evocadas correspondentes ao estímulo. Foram agrupadas separadamente, em arquivos, todas as respostas evocadas por toda a amostragem referentes ao estímulo indutor. Em seguida, as respos- tas foram dispostas em ordem alfabética e posteriormente reagrupadas por similaridade semântica. (COUTINHO, 2003). Posteriormente, organizou-se um banco de dados constituído pelas variáveis de palavras dispostas em linhas horizontais, codificadas e agrega- das ao número referente ao estímulo indutor - Mudança na formação do Enfermeiro, e pelas variáveis fixas (sexo, faixa etária, categoria profissional) dispostas nas três primeiras colunas do banco de dados. Uma vez organizados os dicionários e o banco de dados, os resulta- dos do teste de associação livre de palavras foram processados no software Tri-Deux Mots; indicado para tratamento de questões abertas e fechadas, e interpretados por meio da Análise Fatorial de Correspondência (AFC). Esse software foi desenvolvido por Phillipe Cibois (2001) para processa- mento estatístico de um volume de dados que manualmente seria penoso e demorado. O mesmo permite verificar correlações entre grupos, assim como visualizar as relações de atração e afastamento entre os elementos do campo representacional a propósito de determinado objeto (COUTI- NHO, 2003). A AFC avalia as correlações (positivas e negativas) existentes en- tre diferentes grupos de caracteres, colocando em evidência os campos semânticos definidos pelas palavras associadas ao estímulo e à sua con- tribuição para a construção dos fatores ou eixos que constituem o plano fatorial. É ideal para explicar as representações sociais obtidas através do Teste de Associação Livre de Palavras, o que enfoca as variáveis fixas ou sócio-demográficas (em coluna) e as variáveis ativas ou de opiniões (em linha), que se confrontam e se revelam, graficamente, na representação do plano fatorial. O gráfico que foi construído a partir desse processo corresponde às representações ou adjetivos que os sujeitos evocaram a respeito do objeto em estudo, isto é, ao mapa dos agrupamentos e oposições entre os adjeti- vos associados à mudança na formação do Enfermeiro. Apresenta, portan- to, resultados que permitiram uma avaliação estatística dos dados no que concerne à freqüência (importância de contribuição das modalidades na construção dos fatores), e a representação gráfica das variações semânticas na definição do campo espacial. Para análise do material final deste processo, foram consideradas as modalidades que obtiveram a contribuição por fator superior a duas vezes a média, que segundo Coutinho (2003) corresponde às modalida- des ou palavras que contribuíram com maior significação na construção dos fatores. Segundo a mesma autora a média é proveniente da divisão de 1000, pelo número de modalidades com significados diferentes, que

no caso específico corresponde a 70. Em seguida, multiplica-se por 2, o resultado advindo desta divisão (10,5) obtendo-se assim o valor superior a

duas vezes a média (21). Desse modo, configuraram-se graficamente as representações psicossociais relativas ao estímulo indutor, revelando-se aproximações e oposições das modalidades na construção dos fatores analisadas através da AFC, definindo assim, a objetivação da mudança na formação do pro - fissional Enfermeiro. Ressalta-se que os resultados dos dados analisados foram apresen- tados em gráficos e quadros, com discussões específicas, tendo como refe - rencial a Teoria das Representações Sociais.

  • 4. CONSTRUINDO AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE O PRO- CESSO DE MUDANÇA DO ENFERMEIRO

O fenômeno da mudança na formação do Enfermeiro, pela ótica das Representações Sociais possibilita edificação de conceitos, explicações e afirmações que se originam no cotidiano através das comunicações inter-individuais e do conhecimento socialmente elaborado e compar-

tilhado. O conhecimento vincula-se às construções sociais influenciadas pela cultura (opiniões, atitudes e estereótipos), pelos grupos sociais e pela história. Portanto, as Representações Sociais contribuem para a formação de condutas e a orientação das comunicações, pode ser entendida como uma teoria do “senso comum”, designando uma forma de pensamento so-

cial (MOSCOVICI, 1978). Pautado nessa abordagem, explicitada pela teoria,

a realização deste estudo teve como elemento determinante as evocações dos professores que vivenciam problemas relacionados à mudança na for- mação do Enfermeiro. Destaca-se, assim, que a Teoria das Representações Sociais, capaz de identificar vários aspectos psicossociológicos envolvidos na mudança na formação do Enfermeiro, considera a vivência dos professores no traba- lho enquanto fenômenos de produção e organização de conhecimentos de sujeitos sociais particulares, revelando-se em um excelente instrumento no diagnóstico psicossocial que possibilitou o entendimento da mudança na formação do Enfermeiro na interface dos condicionantes psicológicos, sócio-culturais e psicossociais. A partir dessas considerações, este ítem objetiva apresentar os re - sultados e análises do Teste de Associação Livre de Palavras, submetidos ao processamento do software Tri-Deux Mots, analisados pela técnica de Análise Fatorial de Correspondência, que permitiu representar graficamen- te a atração entre as variáveis fixas e as variáveis de opinião, em que essas correlações e a análise dos conteúdos finalmente possibilitaram a apreen- são das Representações Sociais construídas pelos sujeitos com relação à mudança na formação do Enfermeiro. Os dados obtidos a partir do Teste de Associação Livre de Palavras e processado pelo software Tri-Deux Mots deram origem a um conjunto de 354 palavras como respostas para o estímulo mudança na formação do Enfermeiro. Destas, 70 apresentaram significados diferentes. Esta redução deu-se pela formação dos dicionários, através do agrupamento pela simi- laridade semântica existente entre as palavras. Através do gráfico 1, pode-se observar o conteúdo das represen- tações sobre mudança na formação do Enfermeiro, tornando-se possível a partir da objetivação configurada no campo representacional, fazer a leitura e interpretação das modalidades de opinião pelas palavras evoca- das, correlacionando-as com as variáveis fixas (sexo, faixa etária e categoria profissional) organizadas segundo os eixos ou fatores (F1 e F2). No gráfico 1 disposto a seguir, encontra-se configurado ou repre -

Moura MEB, Gomes WA, Sousa CMM.

sentado dois lados fatoriais F1 e F2, apresentados com fontes diferentes, bem como as variáveis fixas que contribuíram para a formação dos dois ei- xos. Apresentam-se com fonte em negrito as modalidades que compõem o fator F1, com fonte normal e sublinhada as modalidades do fator F2 e em fonte itálico as modalidades comuns aos dois fatores F1 e F2 e as variáveis fixas em realce cinza. Gráfico. Representação gráfica do plano fatorial sobre mudança na formação do enfermeiro

Moura MEB, Gomes WA, Sousa CMM. sentado dois lados fatoriais F1 e F2, apresentados com fontes

Durante o processo analítico das evocações, foram consideradas as correlações existentes entre os diferentes grupos de palavras, identifican- do, assim, as aproximações e oposições das modalidades. Os dados apresentados, a partir do gráfico 1, começam pelas pala- vras que se encontram no lado esquerdo (negativo) e direito (positivo) do F1 (eixo horizontal – fonte em negrito) e, em seguida, as palavras que se encontram no lado inferior (negativo) e lado superior (positivo) do F2 (eixo vertical - fonte normal sublinhada).

Fator 1- lado esquerdo (negativo)

Destacam-se no gráfico do lado esquerdo (negativo) do fator 1 (eixo horizontal – fonte em negrito) as representações sociais da mudança

na formação do Enfermeiro, elaboradas por professores do Curso de Enfer-

magem da NOVAFAPI com mais de 56 anos. Segundo esse grupo de sujeitos, mudança na formação do Enfer- meiro é sinonímia de ação, integração, conhecimento, profissionalismo, cuidado, humanização e capacidade.

Fator 1- lado direito (positivo)

No lado oposto (direito positivo) do mesmo fator (F1), observa-se a

delimitação do agrupamento das representações sociais sobre o mesmo

estímulo mudança na formação do enfermeiro, constituídas por professores de 46 a 55 .

Neste lado do eixo, mudança na formação do enfermeiro é sinoní-

mia de reflexivo, atitude e transformação.

Fator 2 – lado inferior (negativo)

No fator 2 (eixo vertical – fonte normal sublinhada) no lado inferior negativo do gráfico 1, destacam-se as representações sobre mudança na formação do enfermeiro elaboradas por professores na faixa etária de 46 a mais de 56 anos.

As modalidades correspondentes às variáveis de opinião evocadas por esses professores em resposta ao estímulo, mudança na formação do enfermeiro são representadas pelas palavras: humanização, capacidade e transformação.

Fator 2 – lado superior (positivo)

No fator 2 (eixo vertical – fonte normal sublinhada) no lado superior

positivo do gráfico 1, encontram-se as objetivações de mudança na forma-

ção do enfermeiro, construídas por professores de 25 a 35 anos. No que se refere às palavras estímulos mudança na formação do enfermeiro, os sujeitos sociais pesquisados contribuíram com a objetiva- ção nesse fator com as seguintes modalidades: compromisso, aceitação, ética, amigo, profissionalismo e cuidado. Os dados apresentados dizem respeito à análise de 14 variáveis de

opinião que foram apreendidas na representação gráfica com maior freqü- ência de contribuição para os dois eixos. Nelas pode-se observar a contri- buição de cada modalidade na formação dos fatores a partir da freqüência com que cada uma se apresenta, assim pode-se observar a distribuição das representações nos dois fatores (F1 e F2). O quadro ainda demonstra os valores numéricos da contribuição fatorial em resposta ao estímulo, mu- dança na formação do enfermeiro com CFP no total de 1826 . Observa-se que, na análise fatorial do estudo, algumas palavras ti- veram contribuições significativas nos dois fatores (F1 e F2), e foram apre - endidas com maior freqüência. Como resposta ao estímulo mudança na formação do enfermeiro, as palavras transformação, capacidade, cuidado, humanização e profissionalismo foram as modalidades evocadas que tam- bém contribuíram com os dois fatores. As palavras com maior freqüência, resultantes do estímulo e que contribuíram com os dois fatores, foram: hu- manização, capacidade e transformação. Dessa forma, a combinação dos dois critérios, maior freqüência de evocações e contribuição nos dois fatores, resultaram nas palavras: huma- nização, capacidade e transformação como evocações mais significati- vas pertencentes ao núcleo central da representação social dos sujeitos da pesquisa sobre mudança na formação do enfermeiro da NOVAFAPI. As demais evocações apresentadas no gráfico e quadro tendem, por conse - guinte, a representar os elementos periféricos da representação. A análise fatorial de correspondência reforça o pensamento de Jodelet (2001) ao afirmar que as representações sociais, enquanto teorias práticas sobre determinado objeto ou problemas sociais específicos e im- portantes na vida dos grupos, alimentam e são produzidos numa interde - pendência do sujeito/objeto/interação social. Os fenômenos perceptivos, imagens, as opiniões, crenças ou atitudes que formam o tecido atômico das representações sociais somente adquirem estruturação lógica no en- trelaçamento dos vínculos entre estes elementos, o que possibilita a atri- buição de significação aos processos psicossociais. Assim, é possível apreender os aspectos psicossociais presentes nas culturas, nas manifestações, nos posicionamentos, nos sentimentos e nas evocações desses sujeitos, como componentes sociais determinantes da mudança na formação do enfermeiro visto que contribuem para orienta- ção de condutas e construção do conhecimento em relação ao fenômeno social do estudo.

Mudança na formação do enfermeiro: representações sociais elaboradas por professores do curso de enfermagem da NOVAFAPI

  • 5. CONSEDERAÇÕES FINAIS

Neste estudo procurou-se, a partir da apreensão das Representa- ções Sociais da Mudança na formação do Enfermeiro construídas por pro- fessores do Curso de Graduação em Enfermagem da NOVAFAPI, explorar os aspectos psicossociais envolvidos nesse processo enquanto determi- nantes ou não da adesão dos professores à mudança, no seu cotidiano de trabalho. Os conteúdos do conhecimento cotidiano orientam as condutas e os pensamentos dos sujeitos nas vivências diárias e as condições sociais em que vivem, as quais são responsáveis pelo modo e pela determinação do pensamento. Portanto, vale ressaltar que o fato de existir diferença en- tre o conhecimento científico e o senso comum, não significa dizer que este último possa não ser perfeitamente válido para seus intentos, como um meio de comunicação do conhecimento na vida cotidiana. O conhecimento cotidiano permite ao indivíduo interiorizar as prá- ticas sociais, as experiências e os comportamentos, utilizando-se de um sistema de interpretação veiculado às formas de comunicação social, atra- vés das quais os indivíduos constroem e se apropriam de objetos sociais. A mudança na formação do Enfermeiro como objeto social, consti- tuiu o foco deste estudo, a partir do qual os professores puderam explicitar as Representações Sociais através do instrumento de pesquisa, o Teste de Associação Livre de Palavras, que possibilitou diferentes formas de se apre -

ender as representações sociais. Os resultados indicaram que os conteúdos submetidos às análises mostram os processos psicossociais da mudança na formação do Enfer- meiro, relacionados às questões de aspectos sócio-históricos. Dessa forma, as práticas influenciadas e construídas pelo grupo social são sustentados por razões históricas e culturais, pela prática cotidiana instituída e, de for- ma velada, pelas normas e valores institucionais. O posicionamento frente à mudança na formação do Enfermeiro é evidenciado com elementos favoráveis, tais como: humanização, capaci- dade e transformação. À medida que são objetivadas as Representações Sociais da mudança na formação do Enfermeiro, ancoradas nos aspectos ideológicos, históricos, sociais e sócio-culturais, evidencia-se um conflito entre as propostas de mudança através das novas Diretrizes Curriculares que focalizam predominantemente os aspectos objetivos desse processo, e quase nunca o ponto de vista social e psicológico. Portanto, apoiando-se em Tura (2002), constata-se que tal Diretriz não contempla a complexidade da comunicação humana, dificultando o alcance dos objetivos propostos e transformando-se em atividades rotineiras. A partir disso, podemos considerar, finalmente, que a mudança na formação do Enfermeiro foi incorporada pelos professores como a neces- sidade de capacitação para posterior transformação, tornando a formação profissional do Enfermeiro mais humanizada.

REFERÊNCIAS

COUTINHO, M.P.L. et. al. Representações Sociais: Abordagem Interdisci- plinar. João Pessoa: Universitária, UFPB, 2003.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 2 ed . São Paulo:

MINAYO, M.C.S. A psicanálise, sua imagem e seu público, 1961.

MOSCOVICI, S. A Representação Social da Psicanálise. Rio de Janeiro:

Zahar, 1978.

Cortez, 1999.

 

NÓBREGA, S. M. Sobre a Teoria das Representações Sociais, In: MOREIRA, A

GIL,

A

C.:

Métodos e Técnicas de Pesquisa Social .5 ed. São Paulo:

S. P. Representações Sociais: teoria e prática. João Pessoa: Editora Univer-

Atlas,1999.

sitária, UFPB, 2001.

GUARESCHI, P.A.; JOVCHELOVITCH, S.(Orgs.). Textos em representações sociais. 4 ed. Petrópolis:Vozes,1998.

TAVARES, C. M. M.; TEIXEIRA, E.R. Pesquisa em Enfermagem: novas meto - dologias aplicadas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1998.

JODELET, D. As Representações Sociais. Rio de Janeiro: UERJ, 2001.

MINAYO, M.C.S. (Org.) Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 4 ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

TURA, L.F.R.; MADEIRA, M.C.; GAZE, R. Representações sociais das hepatites virais e suas implicações nas práticas educativas de prevenção, Caderno Saúde Coletiva. v.10 n.2 2002.

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas Social Representation of Pap smear elaborated by
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas Social Representation of Pap smear elaborated by
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas Social Representation of Pap smear elaborated by

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas

Social Representation of Pap smear elaborated by prostitutes Representaciones sociales sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas

Clóvis Henrique Mauriz Ramos

Enfermeiro graduado pela Faculdade NOVAFAPI

Marcia Virginia Carvalho Sousa

Enfermeiro graduado pela Faculdade NOVAFAPI

Mayra Hagel Mendes Lima

Enfermeiro graduado pela Faculdade NOVAFAPI

Vivian Maria Alcântara Raulino

Enfermeiro graduado pela Faculdade NOVAFAPI

Maria Zélia de Araújo Madeira

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Professora da UFPI e

NOVAFAPI. Teresina – PI. E-mail: zeliamadeira15@yahoo.com.br

RESUMO

O estudo objetivou identificar e discutir as representações sociais da citologia oncotica elaboradas por prostitutas. Os sujeitos foram 43 prostitutas do centro de Teresina-PI. O instrumento utilizado para co- leta de dados foi o teste de associação livre de palavras. Os dados foram processados pelo software Tri-Deux-Mots e interpretados por meio da análise fatorial de correspondência. Os dados permitiram observar que as evocações mais freqüentes no que se refere ao estímulo prevenção ginecológica fo- ram: ansiedade, doença, câncer e importante. No estímulo câncer de colo uterino foram: tratamento, depressão e família. Portanto, tratar a citologia oncotica a partir das representações sociais construídas pelas prostitutas, propicia a intervenção de medidas preventivas, educadoras na realidade em que essas mulheres estão inseridas, a fim de evitar fatores causadores do câncer cérvico uterino que podem atingir precocemente a população feminina, em especial as mulheres que contribuíram para esta pesquisa. Palavras-chaves: Citologia. Colo do Útero. Representação. Social.

ABSTRACT

Fernanda Maria de Jesus Sousa Pires Moura

Enfermeira Mestre em Enfermagem e docente da UFPI

The objective of this study was to identify and discuss the social representation of Pap smear elaborated

by prostitutes. The subjects were 43 prostitutes from the downtown area of Teresina, PI. The instrument

used to collect data was the word association test. The data was processed by the software Tri-Deux- Mots and interpreted by means of correspondence factor analysis. The data showed that the words

most frequently triggered when stimulated by the phrase gynecological prevention were: anxiety, dise - ase, cancer and important. When stimulated with the phrase cervical cancer the words were: treatment, depression and family. Therefore, it is necessary to treat Pap smears with the social representation cons- tructed by the prostitutes who are favorable to preventive and educational intervention in the reality in which they live. This would help prevent factors that cause cervical cancer which could affect prematu- rely the female population, especially the women who contributed to this study. Descriptors: Cytology, Cervical Cancer, Social Psychology

RESUMEN

Submissão: 28/01/2008

El estudio objetivó identificar y discutir las representaciones sociales de la citología oncótica elaborada por prostitutas. Los sujetos fueron 43 prostitutas del centro de Teresina-PI. Los instrumentos utilizados para coleta de datos fue el teste de asociación libre de palabras. Los datos fueron procesados por el software Tri-Deux-Mots y interpretado por medio de análisis fatorial de correspondencia. Los datos permitieron observar que las evocaciones más frecuentes en el que se refieren al estímulo prevención ginecológica fueron: ansiedad, enfermedad, cáncer. En el estímulo cancer de colo uterino fueron: tra- tamiento, depresión y familia. Por lo tanto, tratar la citología oncótica a partir de las representaciones sociales construídas por las prostitutas, propicia a la intervención de medidas preventivas y educadoras en la realidad en que estas mujeres están inseridas, a fin de evitar factores causadores del cáncer cervico uterino que pueden atingir precocemente la población femenina, en especial las mujeres que contri- buyeron para esta pesquisa.

Aprovação: 16/04/2008

Descritores: Citología, Colon del Útero, Psicología Social.

Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas

  • 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS

A prostituição é referida no meio popular como a profissão mais antiga do mundo, comprovação essa realizada através de estudos que re - gistraram historicamente a existência de prostitutas desde a antiguidade, quando havia o predomínio do matriarcado. O primeiro registro da separa-

ção de prostitutas das esposas data de dois mil anos a, C. na antiga Suméria (ROBERTS, 1998). A prostituição pode ser definida como uma relação sexual entre pessoas na qual o vínculo determinante não é o afeto ou o desejo recípro - co, mas sim o ato de proporcionar prazer sexual em troca de dinheiro ou outro tipo qualquer de benefício. Com isso observa-se que não só a troca de dinheiro por prazer sexual caracteriza a prostituição, podendo também ser a troca de bens materiais em geral que caracteriza esse ato (BARSA,

1997).

Nesse contexto, é importante ressaltar que o programa de preven- ção do câncer cérvico-uterino e de mama é um dos programas ministeriais criados para a saúde da mulher a fim de evitar os índices de mortalidade feminina (BARROS; MARIN; ABRÃO, 2002). Dessa forma, torna-se necessária uma atenção voltada às mulheres, em especial, profissionais do sexo que, em sua grande maioria, sofrem grandes discriminações em virtude do seu meio de sobrevivência. Na prevenção ginecológica realizam-se o exame do órgão genital feminino, externo e interno, cada qual com sua técnica específica. A reali- zação desse exame apresenta estratégias para detectar e prevenir doenças, utilizando meios que vão desde o diálogo com a cliente até o exame clíni- co e laboratorial (citologia oncótica) (BRUNNER; SUDDART, 2002). A citologia oncótica consiste no estudo das células do cérvix e da vagina para analisar e identificar células alteradas com inflamação, displa- sia ou neoplasias. Esse é o exame padronizado pelo Ministério da Saúde por meio do programa de controle do câncer cérvico-uterino (GONZALES,

2001).

Diante do exposto, a realização desse exame é de grande importân- cia, pois contribui para a detecção precoce de várias patologias relaciona-

das ao sexo, em especial dessas mulheres que tem grande risco devido à atividade desempenhada. Para apreendermos a representação sobre citologia oncótica pro- duzidas pelas prostitutas utilizamos à teoria das representações sociais. O estudo das representações sociais proporciona a possibilidade de buscar, no universo das prostitutas, a sua representação acerca do exame de citologia oncótica, ou seja, uma melhor compreensão sobre os senti- mentos, comportamentos e atitudes dentro de um contexto particular. “As representações sociais visam entender o caminho social em construção. Ao agir, contar, utilizar, recontar uma história ou um fato, utilizando conceitos que não são produzidos exclusivamente pelas próprias idéias e imagens”

(MOSCOVICI, 1978, p.98).

Esse caminho construído criou um pensamento científico a partir do senso comum, corriqueiro, elaborado pelas prostitutas, que interpretam fatos sociais, ao transformar a realidade de acordo com as referências, os meios e recursos que possuem. Ou seja, é uma maneira de avaliar o saber prático do sujeito em relação ao objeto, sendo uma forma de conhecimen- to social que correlaciona o pensamento dos indivíduos e seus grupos para absorver formas cotidianas dos pensamentos, atitudes e acontecimentos em comum (FONTINHA, 2002). Dessa forma, entende-se que desenvolver esse estudo baseado na teoria das representações sociais adequa-se ao objeto, a representação social sobre citologia oncótica elaborada por prostitutas no centro de Tere -

sina Piauí, pois os sentimentos e as percepções das prostitutas são melhor detectados e interpretados com esse tipo de pesquisa. E os objetivos foram os seguintes: identificar e discutir as representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas.

2. METODOLOGIA

A pesquisa realizada é de caráter descritivo, com abordagem qua- litativa, motivada na Teoria das Representações Sociais, por entendermos sua adequação ao estudo da problemática apresentada. As representações são criadas para que as pessoas possam interagir com o mundo tanto física como intelectualmente. Partilhamos o mundo com os outros, portanto as representações sociais são fundamentais na vida cotidiana, apoiando-se em valores segundo os grupos sociais de onde partem significações, valores ideológicos e culturais, conhecimentos cien- tíficos, experiências particulares e afetivas do individuo (VALA, 1993). Dessa forma, as representações sociais podem ser entendidas como a construção de um objeto e expressão de um sujeito, uma forma de co - nhecimento, socialmente elaborada e partilhada, com um objetivo prático, contribuindo para a construção de uma realidade comum a um conjunto social.

Os cenários da pesquisa foram uma praça, ruas e bordeis do centro de Teresina, capital do estado do Piauí. Os sujeitos foram as prostitutas que “fazem programas” nesta região, as quais foram contatadas através do sin- dicato das prostitutas. Este sindicato funciona com o apoio da Fundação Municipal de Saúde. Que colabora, distribuindo preservativos, fazendo pa- lestras educativas e promovendo mutirões de saúde em beneficio dessas mulheres. A escolha do local de pesquisa se deu devido à participação dos pesquisadores em um mutirão de saúde, para as prostitutas, realizado em

um hospital público de Teresina. A partir daí deu-se o fácil acesso a elas por meio da coordenação do sindicato das prostitutas. O primeiro contato foi num mutirão e os contatos seguintes aconteceram por intermédio da sindicalista responsável pelas prostitutas do centro de Teresina após o consentimento livre e esclarecido dessas mulheres, com segurança do anonimato de suas falas, como tam- bém da assinatura do termo de consentimento o que está de acordo com a Resolução 196/96 do Conselho Nacional de Saúde que trata de questões éticas em pesquisas com seres humanos. Foram abordadas as prostitutas que estavam nos locais da pesquisa

e que aceitaram participar da mesma, um total de 43 mulheres, amostra

esta considerada ideal para a utilização do software Tri-deux-Mots e para a utilização do teste de associação livre de palavras, na análise dos dados deste presente trabalho, que foi realizado no período de agosto a outubro de 2006. Os dados foram produzidos a partir da caracterização dos sujeitos, através das variáveis fixas: idade, estado civil, escolaridade e do teste de associação livre de palavras processadas pelo software Tri-Deux Mots dan- do origem a um conjunto de palavras como respostas para os estímulos indutores: prevenção ginecológica e câncer de colo. O teste de associação livre de palavras é uma técnica que atua na estrutura psicológica do sujeito tornando-se evidente, através das mani- festações de condutas de reações, lembranças, escolhas e criação, possibi- litando a configuração dos elementos que formam a rede associativa dos conteúdos lembrados a cada estímulo indutor, onde, o estímulo deve ser previamente definido em função do objeto da representação (COUTINHO; LIMA; FORTUNATO; OLIVEIRA, 2003). Com os resultados obtidos com o teste, partiu-se para produção

Ramos CHM, et al.

dos dicionários, que é a primeira fase da codificação de dados e consiste em criar um arquivo com todas as respostas evocadas com relação aos respectivos estímulos indutores. Através disso, realizamos um catálogo de todas as palavras evocadas pelos sujeitos. Depois, tais palavras se agru- param, levando-se em consideração a similaridade do campo semântico (COUTINHO; LIMA; FORTUNATO; OLIVEIRA, 2003).

Formou-se o banco de dados constituído pelas variáveis de opinião em linha horizontal, codificadas e agregadas a números referentes a cada estímulo indutor (1-prevenção ginecológica e 2-câncer de colo uterino) e as variáveis fixas (idade, estado civil e escolaridade), codificadas em três colunas do banco de dados, agrupadas conforme Tabela 1 abaixo.

Tabela 1 Codificação das variáveis fixas. Teresina (PI), 2008.

Idade Nº Estado Civil Nº Escolaridade Nº
Idade
Estado Civil
Escolaridade

1= menor de 20 anos

02

1= solteira

26

1= não sabe ler ou escrever

06

2= 21 a 30 anos

23

2= casada

03

2= 1° grau incompleto

22

3= 31 a 40 anos

13

3= união estável

05

3= 1° grau completo

07

4= maior de 40

05

4= separada

06

4= 2° grau incompleto

05

 

5= viúva

03

5= 2° grau completo

03

Fonte: Relatório Tri-Deux Mots

Os dados obtidos por meio do método de associação livre de palavras foram preparados e organizados através do banco de dados para serem pro- cessados pelo software Tri-Deux Mots. O software Tri-Deux Mots possibilita a verificação das correlações entre grupos que permite a visualização das relações de atração e de afastamento entre os elementos do campo representacional ao nível do objeto da pesquisa. Esse software organiza todas as palavras evocadas pelos sujeitos, a fim de fica- rem distribuídas em um gráfico, cujos eixos são denominados Fator 1 (F1) e Fa- tor 2 (F2). A denominação desse método é a interpretação por meio da análise fatorial de correspondência (COUTINHO; LIMA; FORTUNATO; OLIVEIRA, 2003). Os resultados desses dados analisados serão apresentados em gráficos e tabelas, para haver discussão, tendo como base a Teoria das Representações Sociais.

  • 3. ANÁLISE DOS RESULTADOS

O teste de associação livre de palavras que continha como estí- mulos indutores prevenção ginecológica e câncer de colo uterino originou

um grupo de 343 evocações, das quais 42 com significados diferentes. O

agrupamento de palavras com similaridade semânticas, influenciou para a redução do número de palavras distintas. Os resultados foram analisados e interpretados de forma descritiva e demonstrativa, por meio do gráfico de representação do plano fatorial de correspondência sobre a prevenção ginecológica e câncer de colo uterino.

Gráfico 1 Representação gráfica do plano fatorial sobre citologia oncótica. Teresina (PI), 2008.

Ramos CHM, et al. dos dicionários, que é a primeira fase da codificação de dados e

Fonte: Relatório do Tri-Deux Mots

LEGENDA:

Plano Fatorial

Palavras Indutoras

Variáveis Fixas

Fator 1 (F1)= [eixo horizontal – esquerda (negativo)e direito (positivo)]

1-Prevenção ginecológica

1 - Idade

Fator 2 (F2)= [eixo vertical – superior (positivo)e inferior (negativo)]

2-Câncer do colo uterino

2 - Estado civil

Sublinhado – modalidades que existem em ambos os vetores

3 - Escolaridade

Representações sociais sobre citologia oncótica elaboradas por prostitutas

A tabela 2 resulta do cruzamento entre as variáveis fixas (idade, estado civil e escolaridade) e das palavras indutoras, de acordo com as representações das prostitutas sobre prevenção ginecológica e câncer de colo uterino. Através do método Tri- Deux- Mots que distribui as palavras evocados em dois eixos ou fatores, F1 e F2. Fator (F1), representado pela cor vermelha (linha horizontal) ex- pressa as representações ou modalidades, por explicar 38,4% da variedade total de respostas e o segundo fator (F2) representado pela cor azul (linha vertical) contribui com 18,9% das evocações, os dois fatores totalizaram 64% da variedade das respostas, sendo bastante representativo para o es- tudo. Além disso, existem também as palavras comuns aos dois fatores que estão representadas pela coloração verde. No fator (F1), no lado positivo, o estímulo prevenção ginecológica é contemplado pelas palavras, DST, doença e AIDS evocada por mulheres maiores de 40 anos e casadas. Já no lado negativo surgiram as palavras:

preocupada e ansiedade evocadas por mulheres de 31 a 40 anos. Ainda no fator (F1) com relação ao estímulo câncer de colo uterino, no lado positi- vo, surgiram as palavras cura e tratamento que dizem respeito às mulheres analfabetas. No lado positivo do fator (F2) surgem às palavras: importante e bom como resposta ao estímulo indutor prevenção ginecológica e, no lado ne - gativo, a palavra câncer evocada por mulheres com união estável. Quanto ao estímulo câncer de colo uterino no lado positivo, aparecem as palavras parceiro, família, arrependimento, depressão e sofrimento. Já no lado negati- vo do mesmo estímulo indutor não houve representação gráfica. As palavras comuns aos dois fatores, representadas no lado nega- tivo do fator (F1) como resposta ao estímulo prevenção ginecológica são:

sintoma, inflamação, dor, vida e saúde, palavras emitidas por mulheres se - paradas e viúvas. Para o estímulo câncer de colo uterino, do mesmo lado, encontram- se as palavras DST, doença e AIDS, também expressadas por mulheres viúvas. Entretanto, do lado positivo de ambos os estímulos, não houve representação gráfica. As palavras comuns aos dois fatores no lado positivo do Fator (F2), como resposta ao estímulo prevenção ginecológica encontram-se as pa- lavras sintoma, inflamação e dor, representadas por mulheres separadas. Em relação ao estímulo câncer de colo uterino, no lado positivo do gráfico, não há representação. No lado negativo do mesmo fator com o estímulo prevenção ginecológica, aparecem, as palavras vida e saúde, emitidas por mulheres viúvas. Ao estímulo câncer de colo uterino do mesmo lado, sur- giram as palavras, DST, doença e AIDS, representadas por mulheres viúvas. Ressaltam-se as evocações de maior representatividade para o pre - sente estudo. Para Fator (F1), segundo o estímulo prevenção ginecológica são ansiedade e doença (Tabela 2) e quanto ao estímulo câncer de colo uterino foi tratamento. Logo, para o Fator (F2), de acordo com o estímulo

prevenção ginecológica foram câncer e importante. E para o estímulo câncer de colo uterino foram depressão e família.

Fator 1 (F1) lado direito positivo

Com o estímulo prevenção ginecológica observou-se que as pala- vras DST, AIDS e DOENÇA foram evocadas com mais freqüência nas mu- lheres casadas com mais de 40 anos, isso mostra a preocupação excessiva

com doenças que elas possam adquirir com a profissão exercida, reconhe - cendo a importância do uso dos preservativos para evitar essas doenças e enaltecendo a prevenção ginecológica como uma ferramenta importante na detecção dessas patologias. Para o estímulo câncer de colo uterino as palavras com maior repre - sentação positiva foram CURA e TRATAMENTO, que foram evocadas por mulheres analfabetas. As mulheres relatavam que apesar dessa doença ser séria, existem varias formas de tratamento que levam à cura.

Fator 1 (F1) lado esquerdo negativo Para o primeiro estímulo, prevenção ginecológica destacam-se as palavras, PREOCUPADAS e ANSIEDADE como os sentimentos mais impor- tantes dessas pessoas. O que se constata é que elas ficam ansiosas para a realização do exame e preocupadas com o possível resultado, mesmo tomando-se toda a precaução necessária para a não aquisição de DST’s. Esses sentimentos são enaltecidos devido aos riscos que essa profissão coloca às entrevistadas no que se refere ao contato com doenças sexual- mente transmissíveis. No que se refere ao segundo estímulo, câncer de colo do útero, não houve representação gráfica, ou seja, nenhuma palavra foi representativa como negativa, constatando-se com isso que elas possuem pouco conhe - cimento no que diz respeito ao exame citológico que tem como principal patologia a ser prevenida o câncer de colo uterino, dando ênfase apenas às DST’s, a maioria dela, não sabem que algumas dessas doenças são fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de colo uterino.

Fator 2 (F2) lado superior positivo

Em resposta ao estímulo prevenção ginecológica, as palavras mais ci- tadas foram: IMPORTANTE e BOM. Indica com isso a conscientização dessas mulheres com relação a doenças, pois, para elas, a prevenção ginecologica é importante para abordar sobre a sua saúde, integridade física e esclarecer dúvidas, sendo uma boa oportunidade para a educação em saúde nessas pessoas. Para o segundo estímulo, câncer de colo do útero, as representa- ções foram: PARCEIRO, FAMÍLIA, DEPRESSÃO, SOFRIMENTO e ARREPENDI- MENTO. Pois ao se falar em câncer essas pessoas lembram logo das suas famílias e/ou de seus parceiros, mostrando uma preocupação com eles, caso desenvolvam algum tipo de câncer que culmine em morte o que

Tabela 2 Freqüência das palavras mais evocadas, diante dos estímulos indutores, que contribuíram para a formação dos fatores 1 e 2. Teresina (PI), 2008.

Fatores Estímulo - 1 CPF Estímulo - 2 CPF
Fatores
Estímulo - 1
CPF
Estímulo - 2
CPF

Fator 1

1 – prevenção ginecológica

f

2 – Câncer de colo uterino

f

Ansiedade

326

Tratamento

75

Doença

131

Subtotal

457

75

Fator 2

Câncer

93

Depressão

94

Importante

94

Família

82

Subtotal

187

176

Total Geral

644

251

Fonte: Relatório do Tri-Deux Mots

Ramos CHM, et al.

os deixaria desamparados financeiramente e afetivamente. O possível de - senvolvimento de um câncer geraria em tal grupo os sentimentos de de - pressão, sofrimento e arrependimento. Arrependeriam-se por não terem tomado as devidas precauções.

Fator 2 (F2) lado inferior negativo

A palavra mais evocada por mulheres de união estável em resposta ao estímulo prevenção ginecológico foi CÂNCER. Isso demonstra que es- sas mulheres, por terem família e um maior acesso aos serviços de saúde, reconhecem a importância do exame preventivo como a única forma de detecção precoce do câncer de colo uterino. Em relação ao segundo estímulo, câncer de colo do útero, não houve representação no gráfico, demonstrando mais uma vez o pouco co - nhecimento que a maioria das entrevistadas possui em relação ao câncer cérvico-uterino.

  • 4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A escolha da teoria das representações sociais permitiu apreender as representações sociais que as prostitutas possuem de acordo com os estímulos prevenção ginecológica e câncer de colo uterino. Tais representações foram evidenciadas através de aspectos sociais como: DST, doença, AIDS, saúde, cura, tratamento, câncer, vida, sintoma, inflamação e dor. Os aspectos psicológicos foram ancorados em palavras como: arrependimento, ansiedade, depressão, sofrimento, importante, bom, parceiro e família. Tratar temas polêmicos como a Representação Social da Citologia Oncótica Elaboradas por Prostitutas, que sofrem discriminação social, é dar visibilidade a representação construída por esse grupo que representa uma parcela importante da sociedade, embora muitas vezes ignorada e repu- diada. Desta forma, o conhecimento adquirido nesta pesquisa, favorece a

construção de ações preventivas às doenças físicas e psicológicas que esse grupo está sujeito a lidar diariamente com várias pessoas desconhecidas e sem nenhuma relação de afeto. Apesar de essas mulheres terem apoio da Fundação Municipal de Saúde, observa-se, pelos relatos, que o conhecimento que elas possuem ainda é pouco em relação ao câncer de colo uterino. Cabe ressaltar que as mulheres pesquisadas são amparadas por um sindicato, mas há muitas mulheres que exercem a profissão de forma clandestina, como no caso de crianças e adolescentes que são grupos de risco mais vulneráveis e despro - tegidos pela própria família. Com isso, tornou-se bem evidente a importância dada pelas prosti- tutas a realização do exame de citologia, por saberem que dessa maneira poderiam estar evitando alguma doença. Já que a multiplicidade de par- ceiros e o não uso de preservativo em todas as relações sexuais, pode favo- recer o desenvolvimento do câncer, que em estágios avançados da doença propicia a morbi-mortalidade das mulheres em idade reprodutiva. Dessa forma, os programas de controle e prevenção necessitam conter ações educativas e discussões a respeito da sexualidade, garantindo o conhecimento sobre exame de citologia oncótica e das doenças detec- tadas e prevenidas por ele. Assim, ocorre a necessidade de implementar estratégias para realização deste exame, direcionadas para os diversos seg- mentos, evitando a segregação dos socialmente excluídos, dentre eles, as prostitutas. Permitindo com isso uma maior participação na promoção da saúde e prevenção de agravos. Os profissionais de Enfermagem, grandes responsáveis pelas ações de promoção da saúde, precisam direcionar suas práticas para a cliente - la excluída socialmente, como as prostitutas, devendo ser agentes mul- tiplicadores de informações, através do incentivo de uma prática sexual segura, valorizando e respeitando cada cliente, além de compreender o contexto social no qual o mesmo está inserido.

REFERÊNCIAS

BARSA. Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda, Rio de Janeiro-São Paulo: 1997. 12v.

GONZALEZ, H. Enfermagem em Ginecologia e Obstetrícia. 2. ed, Paulo: SENAC, 2001.

São

BARROS, S.M.O; MARIN, H.F.; ABRÃO, A.C.F.V. Enfermagem Obstétrica Gi- necológica. São Paulo: Roca, 2002.

MOSCOVICI, S. A Representação Social da Psicanálise. Rio de Janeiro:

Zahar, 1978.

BRUNNER, L.S.; STUDDART, D.S. Tratado de Enfermagem Médico-cirurgi- ca. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara KOOGAN, 2002.

ROBERTS N. As Prostitutas na História. Trad. M Lopes. Rio de Janeiro: Re - cord, 1998.

COUTINHO, M.P.L; LIMA, A.S; FORTUNATO, M.L; OLIVEIRA, F.B. Representa- ções Sociais: abordagem interdisciplinar. João Pessoa: Universitária UFPB,

2003.

VALA, J. Representações Sociais - Para Uma Psicologia Social do Pensa- mento Social, Psicologia Social., J. Vala & M. Monteiro (Eds.), Lisboa: Funda- ção Calouste Gulbenkian, 1993.

FONTINHA M.I.G.R. Prostituição Sexualidade e SIDA. 2° Congresso Comu-

nicação, Tema: Ciência Social e Comportamental. Lisboa, Portugal. 2002. Disponível em: http://www.aidscongress.net/article.php?id_comunica-

cao=51. Acesso em 15 de novembro de 2006.

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante Social representation of nursing care
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante Social representation of nursing care
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante Social representation of nursing care

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo

familiar/acompanhante

Social representation of nursing care given by family member/ companion Las representaciones sociales del cuidar de la enfermería construídas por el pariente/acompañante

Marcela Bruno de Carvalho Silva

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Docente do Curso

de Graduação em Enfermagem da Faculdade

NOVAFAPI.

Rua Cônego Raimundo Fonsca, 964, Fone:3233-7149, marcela_bruno@hotmail.com

Marcelle Teixeira de Oliveira Cardoso

Aluna do Curso de Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI

Samara Carla Lopes de Mesquita

Aluna do Curso de Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI

Suênia Macena Neves

Aluna do Curso de Enfermagem da Faculdade NOVAFAPI

RESUMO

Trata-se de um estudo de caráter exploratório, com abordagem quantitativa e qualitativa, realizado com 70 familiares/acompanhantes de um Hospital Público de Teresina-Piauí. Teve como objeto de estudo as representações do cuidar de enfermagem construídas pelos familiares/acompanhantes e, como objetivos, apreender as representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante e analisar as representações apreendidas. Os dados foram coletados através de um teste de associação livre de palavras. A análise dos resultados deu-se por meio da técnica de Análise Fatorial de Correspondência. Os resultados obtidos representaram o cuidar de enfermagem em elementos positivos e negativos. Representa como ponto positivo que o cuidar de enfermagem baseado na higiene é uma atividade mínima que deve ser realizada dentro de um ambiente hospi- talar. E como pontos negativos o descaso, a falta de agilidade e o desânimo que influenciam direta- mente na realização deste cuidar de enfermagem. Descritores: Cuidar; Enfermagem; Familiar.

ABSTRACT

The objectives of this study were to learn the social representation of the care given by family mem- bers/ companions and to analyze the representations presented. This is a study of exploratory cha-

racter with a quantitative and qualitative approach carried out with 70 family members /companions

at a public hospital in the city of Teresina, Piauí. The data was collected through word association test.

An analysis of the results was found by means of correspondence factor analysis. The results obtained represented nursing care in negative and positive factors. As a positive factor, nursing care based on hygiene is the minimum activity that should be carried out in a hospital setting. Negative factors are the negligence, lack of agility and discouragement which directly influence nursing care. Descriptors: Care; Nursing; Family.

RESUMEN

El estudio tuvo como objetivos recoger las representaciones sociales del cuidar de enfermería cons- truidas por familiares/acompañantes y analisarlas. Se trata de un estudio de carácter exploratório, con abordaje cantitativa y calitativo, realizado con 70 familiares/acompañantes de un Hospital Público de la ciudad de Teresina-Piauí. Los datos fueron coletados a través del teste de asociación libre de palabras. El análisis de los resultados ocurrió por medio de la técnica de Análisis Factorial de Corres- pondencia. Los resultados obtenidos representaron el cuidar de enfermería en elementos positivos y negativos. Representa como punto positivo que el cuidar de enfermería basado en la higiene es una actividad mínima que debe ser realizada dentro de un ambiente hospitalar. Y como puntos negativos el descaso, la falta de agilidad y la falta de ánimo que influyen directamente en la realización de este cuidar de enfermería. Descritores: Cuidar; Enfermería; Familiar.

Submissão: 04/06/2008

Aprovação: 27/08/2008

Silva MBC, et al.

1. INTRODUÇÃO

A assistência de enfermagem a pacientes hospitalizados vem sendo aprimorada ao longo da história. Entretanto, observa-se uma deficiência nessa assistência, em especial, na execução das ações de enfermagem que objetivam suprir as necessidades básicas do paciente.

Foi no cenário do berço da Revolução Industrial na Inglaterra que Florence Nightingale, uma das figuras dominantes do desenvolvimento pleno da profissão, diferenciou as ações de enfermagem das ações mé - dicas, marcando o início da identificação da enfermeira como profissional. Esses cuidados passaram a ser organizados, inicialmente, de forma funcio - nal, sendo importante o cumprimento das tarefas e, também, a realização dos procedimentos técnicos e outras atividades de caráter rotineiro (LO-

PES, 1994).

Após a Segunda Guerra Mundial, o plano de cuidados passou a ser

operacionalizado mais amplamente pelas enfermeiras. Esse plano foi usa- do como meio para a realização dos registros de enfermagem de ordem

funcional e definido como um relatório com o objetivo de informar toda equipe para que essa desse continuidade aos cuidados prestados aos pa-

cientes, através de informações relatadas sobre os mesmos (CIUCA, 1972).

A assistência de enfermagem baseia-se no ato de cuidar, que, se - gundo Collière (1999), tem como definição um ato de reciprocidade, onde se presta auxílio a toda pessoa que precisa de ajuda nas suas necessidades vitais, ordenando as atividades prestadas aos que necessitam desses cui- dados para melhorar a qualidade de vida. Com o avanço da medicina houve uma organização dos hospitais e do posicionamento médico como principal responsável por esta orde - nação, onde as concepções de saúde-doença foram buscadas através de fundamentos aperfeiçoados do saber científico, melhorando a assistência dada aos pacientes, evoluindo cada vez mais as práticas de intervenção centradas no indivíduo (GEOVANINI et al, 2002). Nessa assistência destaca-se também o papel da família como de importância fundamental no cuidar do paciente hospitalizado, pois, se - gundo Wrigth (2002), a presença do familiar ao lado do paciente propor- ciona bem estar e saúde ao enfermo, portanto, torna-se indispensável a inclusão da família como parte integrante do cuidar de enfermagem. O interesse das autoras pelo tema em questão, iniciou-se durante a experiência como acadêmicas na disciplina de Saúde do Adulto e do Idoso I, onde presenciou-se as dificuldades dos familiares a cerca do cuidar aos pacientes hospitalizados em um Hospital Público da cidade de Teresina, onde foi realizada a pesquisa. Assim, a situação-problema refletida no presente estudo relaciona- se ao cotidiano do familiar/acompanhante no ambiente hospitalar, onde este vivencia a rotina da assistência de enfermagem dentro da instituição e pode, portanto, influenciar na qualidade dos cuidados prestados.

Diante do contexto em que se insere a família no cuidar do paciente hospitalizado, tornou-se necessário apreender os aspectos psicossociais da família, a fim de despertar para a análise dos questionamentos e reflexões que priorizam as representações sociais do cuidar dado ao paciente, utili- zando-se para este estudo a Teoria das Representações Sociais.

De acordo com Moscovoci (2005), a Teoria das Representações

Sociais vai além dos fatos de instituição, da coleta das ideologias e dos

documentos, é o interesse por crenças e pelo modesto cotidiano do pen- samento e do sentimento. Jodelet (1989) evoca que as representações sociais são o produto e o processo de uma atividade externa ao pensamento e de elaboração psicológica e social desta realidade. Neste sentido, há uma relação esta-

belecida entre um conteúdo (que inclui imagens, opiniões, informações) relacionado a um objeto a partir de um sujeito. A representação dada pelo sujeito de uma pesquisa sobre um de - terminado objeto deve ser efetivamente praticada e não apenas suposta, isto é, deve ser detectado em comportamentos e comunicações que, de fato, ocorreram sistematicamente (SÁ,

1996).

Sob esta visão, a percepção do familiar/acompanhante envolve uma série de representações que disseminaram questionamentos sobre a concepção das mesmas dentro da instituição o que nos levou, assim, a realização do presente estudo. Deste modo, durante a experiência acadêmica das autoras, perce - beu-se que a convivência do familiar/acompanhante dentro da instituição com o cuidar prestado pela enfermagem ao ente hospitalizado é um fenô - meno social e através desta constatação delimitou-se como objeto deste estudo as representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante. Partindo, então, do interesse em pesquisar o objeto de estudo le - vantou-se o seguinte questionamento: Quais as representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante em um Hospital Público da cidade de Teresina? Sendo assim, para responder tal questionamento determinou-se como objetivos deste estudo: apreender as representações sociais do cui- dar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante de um Hos- pital Público e analisar as representações sociais apreendidas.

  • 2. CONSIDERAÇÕES A CERCA DA TEORIA DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

A Teoria das Representações Sociais, originada na Europa, surgiu no século passado no início dos anos 60, sendo introduzida na Psicologia So-

cial por Serge Moscovici (1978), em sua obra: A Representação Social na psi- canálise, tendo como objetivo apreender como a população apropriava-se de conhecimentos científicos que eram incorporados ao seu saber, sendo uma fonte de enriquecimento dos conhecimentos sobre o mundo; visan- do compreender como seria o caminho desta construção social. Moscovici, usando técnicas variadas para recontar a história, idéias, imagens, lugares e regras variadas formulou o conceito de representação social (MOSCOVICI,

1978).

A obra de Serge Moscovici (1978) resgata o conceito de repre - sentação coletiva de Durkheim que partia do princípio da multiplicidade dos fenômenos sociais, em que a ciência, para estudar as representações,

tinha que reconhecer a oposição entre o individual e o coletivo. Isso fez com que se estabelecesse uma ruptura da visão positivista defendida por Durkheim.

Segundo Moscovici (1978), para compreender as Representações

Sociais se faz necessário estratégias que viabilizem uma visão da sociedade

com indivíduos que não são apenas processadores de informações, mas pensadores ativos que se comunicam e produzem suas próprias represen- tações.

Madeira (2003), ressalta a importância da comunicação social como determinante na criação do pensamento e representação social, tendo um papel mediado entre o universo consensual e interindividual, diferencian- do o saber historicamente construído e o saber científico, embasando as representações sociais como um fenômeno perceptivo de imagens, opi- niões, valores e crenças que constituem anatomicamente estas represen- tações.

As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante

De acordo com Moscovici (1981), as representações sociais são um conjunto de conceitos, proposições e explicações originado na vida cotidiana no curso de comunicações interpessoais. Elas são o equivalen- te, em nossa sociedade, aos mitos e sistemas de crenças das sociedades tradicionais. Segundo Jodelet (1989), as representações sociais são uma forma

de conhecimento socialmente elaborada e partilhada que tem um obje - tivo prático e concorre para a construção de uma realidade comum a um conjunto social. Desta forma, as representações sociais encontram-se no imaginário individual das pessoas, tornando-se sociais porque apresentam semelhan- ças. Assim, seu poder convencional e prescritivo sobre a realidade, termi- nam por constituir o pensamento em um verdadeiro ambiente onde se

desenvolve a vida cotidiana (MOSCOVICI, 1978).

O propósito das representações sociais é, portanto, o de transformar algo não familiar em familiar, sendo assim, seu objetivo não é simplesmen- te duplicar determinado objeto, ou mesmo, repeti-lo ou reproduzi-lo, mas

é de fato, reconstruí-lo, retocá-lo e modificá-lo (SPINK, 1995). Segundo Abric (1997), a teoria das representações sociais funciona

como um sistema de interpretação da realidade entre as relações dos indi- víduos com seu ambiente físico e social, determinando, dessa forma, suas práticas. Pode-se caracterizá-la como um guia para a ação, uma vez que ela orienta as ações e as relações sociais, devendo-se considerá-la como um sistema de pré-decodificação da realidade, porque ela determina um conjunto de antecipações e de expectativas. Jodelet (2001) afirma que a Teoria das Representações Sociais inter- vém no processo de conhecimento individual e coletivo, pessoal e social, na expressão pertencente a cada grupo e nas transformações sociais. To- dos estes aspectos tornam-se relevantes, pois trata-se do processo saúde- doença do grupo de pessoas, em que o foco principal é a atenção dada ao paciente e assistência exercida pelos profissionais de saúde. Portanto, esta pesquisa através do conhecimento a cerca das Repre - sentações Sociais, nos possibilitará apreender e analisar o objeto em estu-

De acordo com Menga e André (1986), a abordagem qualitativa é caracterizada pela obtenção de dados descritivos no contato direto entre o pesquisador e a situação pesquisada, valorizando mais o processo que o produto e preocupando-se em demonstrar as perspectivas dos sujeitos da pesquisa. O método qualitativo justifica-se por ser uma forma adequada de entender como as coisas acontecem. A opção pela Teoria das Representações Sociais se deve ao fato desta ser adequada para investigar a problemática em questão a fim de apreender e discutir as representações sociais envolvidas na convivência do familiar/acompanhante dentro da instituição com o cuidar prestado pela enfermagem ao ente hospitalizado. O estudo foi desenvolvido em um Hospital Público na cidade de Te - resina, Estado do Piauí, localizado na região central desta capital. A escolha

desse cenário para a pesquisa se deu por se tratar de um Hospital de Ensi- no em que se tem maior acessibilidade, facilitando o desenvolvimento do estudo, além de ter uma maior demanda de pacientes, consequentemente familiar/acompanhante tendo assim um grande número de sujeitos.

O estudo contou com a participação de 70 sujeitos na condição

de familiares/acompanhantes dos pacientes internados no Hospital, que, após aceitação verbal, culminou na assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido obedecendo, portanto, os aspectos éticos/ legais descri- minados na Resolução nº 196 do Ministério da Saúde, (BRASIL, 1996). Foi preservada a notoriedade dos membros participantes da coleta de dados da pesquisa que se disponibilizaram a participar do estudo. Os dados constituídos pelas variáveis sócio-demográficas dizem respeito às questões fechadas contidas na primeira parte dos instrumen- tos, sendo responsáveis pelo perfil dos sujeitos da amostra. Com base nas variáveis: faixa etária, sexo e grau de parentesco, chegou-se ao perfil dos

sujeitos, que compreendem 70 familiares/ acompanhantes. Em relação a idade, 22 se encontravam na faixa etária de 15 a 30 anos, 44 na faixa etária

de 31 a 60 anos e 4 na faixa etária de 61 a 80 anos. Quanto ao sexo, 60 do

sexo feminino e 10 do sexo masculino. Outro fator observado foi o grau

de parentesco, onde 16 são filhos, 20 são pais, 08 são esposo(a), 07 são

amigos, 10 são irmãos e 09 são outros(sobrinho(a), irmão(a), neto(a)).

QUADRO 1 – Perfil dos sujeitos a partir das variáveis sócio-demográficas

FAIXA ETÁRIA

F

%

SEXO

F

%

GRAU DE PARENTESCO

F

%

  • 15 Feminino

a 30 anos

  • 22 31

     

85

  • 60 Filhos

16

22

  • 31 Masculino

a 60 anos

  • 44 62

  • 10 10

Pais

20

28

  • 61 a 80 anos

  • 04 07

Esposo(a)

08

11

Amigos

07

10

Irmão(a)

10

14

Outros

09

15

TOTAL

70

100

TOTAL

70

100

TOTAL

70

100

do, dar materialidade ao objetivo e identificar as representações sociais do cuidar de Enfermagem construídas pelo familiar /acompanhante.

3. METODOLOGIA

Esta pesquisa é de caráter exploratório com abordagem quantitati-

va e qualitativa. Segundo Marconi; Lakatos (1985), a pesquisa quantitativa

é adequada para apurar opiniões e atitudes explícitas e conscientes dos entrevistados, pois utiliza instrumentos padronizados (questionários/tes- tes).

  • 3.1. Instrumento e procedimento de coleta de dados

Utilizou-se como instrumento de coleta de dados, o Teste de Asso - ciação Livre de Palavras. A escolha deste instrumento deu-se pelo fato de facilitar aos acompanhantes a expressão livre dentro do tema proposto, sem perder de vista as informações que deverão ser coletadas para a pes- quisa.

Segundo Abric (1994), o teste de associação livre de palavras tra- ta-se de uma técnica projetada onde as manifestações de condutas de reações, evocações, escolhas e criação serão demonstradas pelo sujeito,

Silva MBC, et al.

revelando assim o conjunto de sua personalidade. O instrumento constou de duas partes, uma referente à caracte - rização dos sujeitos, onde foram consideradas três variáveis: faixa etária, sexo e grau de parentesco, e a outra através do teste de associação de palavras, que foi construída por dois estímulos indutores: Cuidar e Cuidar de Enfermagem.

  • 3.2. Teste de associação livre de palavras

O Teste de Associação Livre de Palavras foi construído a partir das palavras-estímulo: cuidar e cuidar de enfermagem. Trata-se de um instru- mento que permite ao entrevistado, a partir dos estímulos indutores, evo- carem respostas de conteúdos afetivos e cognitivo-avaliativo (NOBREGA; COUTINHO 2003).

Segundo Abric (1994), esse instrumento permite que os elementos

implícitos ou latentes que seriam perdidos ou mascarados nas produções discursivas sejam pronunciados. O teste de associação livre de palavras nos mostra graficamente, através da correlação entre as variáveis fixas e variá- veis de opinião, a objetivação feita pelos sujeitos da pesquisa em relação ao fenômeno estudado.

  • 3.3. Análise de dados

A primeira etapa para codificação dos dados constituiu-se em pre - parar os dicionários de vocábulos adjetivos apropriados a cada estímulo.A etapa seguinte disponibilizou as respostas, em que se analisou e identifi- cou quais foram as mais freqüentes, reagrupando-as por similaridade se - mântica, organizando-as em banco de dados constituído pelas variáveis de opinião codificadas e agregadas a numerais referentes a cada estímulo indutor (1-Cuidar e 2-Cuidar de Enfermagem) e pelas variáveis fixas. Uma vez organizados os dicionários e o banco de dados fo- ram processados no software Tri-Deux Mots, indicado para tratamento de questões abertas e interpretados por meio da Análise Fatorial de Cor- respondência (AFC). Esse software possibilita averiguar correlações entre grupos, bem como visualizar as relações de atração e afastamento entre os elementos do campo representacional à propósito de determinado objeto (NOBREGA; COUTINHO, 2003). A AFC avalia as correlações positivas e negativas existentes entre diferentes grupos de caracteres, colocando em evidência os campos se - mânticos definidos pelas palavras associadas ao estímulo e destacando a contribuição para construção dos fatores ou eixos que constituem o plano fatorial. É ideal para explicar as representações sociais obtidas através do Teste de Associação Livre de Palavras, porque enfoca as variáveis fixas ou sócio-demográficas (em coluna) e as variáveis ativas ou de opiniões (em linha), que se confrontam e se revelam, graficamente, na representação do plano fatorial. O gráfico que foi construído a partir desse processo corresponde às representações ou adjetivos que os sujeitos evocaram a respeito do objeto em estudo, isto é, ao mapa dos agrupamentos e oposições entre os adjeti- vos associados ao familiar/acompanhante. Apresenta, portanto, resultados que permitiram uma avaliação estatística dos dados no que concerne à freqüência (importância de contribuição das modalidades na construção dos fatores) e a representação gráfica das variações semânticas na defini- ção do campo espacial. Os resultados desses dados analisados serão apresentados em grá- ficos e tabela, com suas respectivas discussões tendo como referencial a Teoria das Representações Sociais.

  • 4. RESULTADOS, ANÁLISE E DISCUSSÃO

Os dados obtidos no Teste de Associação Livre de Palavras foram processados no software Tri-Deux Mots, e deram origem a 492 palavras em resposta aos estímulos/indutores cuidar e cuidar de enfermagem, sendo que, destas, 48 constituíram-se de palavras com significados diferentes. A redução deu-se pela formação dos dicionários, através do agru- pamento pela similaridade semântica existente entre as palavras; por exemplo, expressões como: “afeto”, “amizade”, “amor”, “carinho”, “gosta”, “gostar”, “gostar bem”, “querer bem” foram reduzidas a uma única palavra, «afeto», para se referir a cuidar. No Gráfico 1, disposto a seguir, encontram-se configurados dois lados fatoriais F1 e F2, apresentados em negrito e itálico para facilitar a visualização e análise das modalidades pertencentes a cada um dos fa- tores, além das variáveis sócio-demográficas (faixa etária, sexo e grau de parentesco) que contribuíram para a formação dos dois eixos. No eixo horizontal Fator 1 (F1), as modalidades são apresentadas com fonte em itálico; no eixo vertical Fator 2 (F2), as evocações são desta- cadas com fonte em negrito; e para as modalidades que contribuíram com os dois fatores F1 e F2 foi atribuída a fonte em negrito, itálico e sublinhado. Destaca-se, ainda, no final de cada palavra evocada, o número que codifica para qual estímulo ela contrib uiu com maior freqüência, ou seja, o número 1 para cuidar e o número 2 para cuidar de enfermagem. Gráfico 1. Representação gráfica do plano fatorial sobre o cuidar de

Silva MBC, et al. revelando assim o conjunto de sua personalidade. O instrumento constou de duas

enfermagem. Através do gráfico 1, pode-se observar o conteúdo das representa- ções ou imagens sobre o cuidar de enfermagem no hospital. A partir da objetivação do fenômeno social em estudo, configurado no campo repre - sentacional do referido gráfico, foi possível fazer a leitura e interpretação das modalidades ou variáveis de opinião (palavras evocadas pelos sujei- tos), correlacionando-as com as variáveis fixas ou variáveis sócio-demo - gráficas (faixa etária, sexo e grau de parentesco) organizadas em oposição segundos os eixos ou fatores (F1 e F2). Os dados apresentados, a partir do gráfico 1, obedecendo à distri- buição das modalidades no campo representacional, começam pelas pala- vras que se encontram nos lados, esquerdo e direito do F1 (eixo horizontal – fonte em itálico) e em seguida as palavras que se encontram no lado

As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante

inferior) e lado superior do F2 (eixo vertical – fonte em negrito). Fator 1 – Lado Esquerdo No lado esquerdo do gráfico do fator F1 (eixo horizontal – fonte em itálico), encontra-se um conjunto de evocações sobre cuidar e cuidar de

veis: bom, higiene e apoio. Na elaboração do dicionário, a evocação bom

modalidades como: desmotivado, desinteresse, desanimadas e desatento, que revela a falta de compromisso com o paciente, deixando a prática do cuidar de enfermagem formar lacunas para o desenvolvimento das ativi- dades prestadas ao paciente.

enfermagem, elaborados pelos pais com faixa etária de 61 a 80 anos. Sendo assim, segundo esse grupo de sujeitos, cuidar é sinonímia

Fator 2 – Lado Superior

 

de higiene. Essa palavra está na elaboração do dicionário, pois se fez agru-

No lado positivo do gráfico 1, eixo superior F2 (vertical – fonte em

pamento das palavras com similaridade semântica destacadas entre as evocações banho, higiene e limpeza. Através dessa modalidade pode-se observar que os pais relacionam banho, higiene e limpeza como cuidados mínimos para a prevenção de doenças, considerando esse requisito como uma necessidade específica para alcance da saúde. Em relação ao cuidar de enfermagem, os pais objetivam três variá-

atendimento, foi reduzida a sinonímia bom. Essas variáveis de opinião evi- denciam que para os sujeitos refere-se ao fato de que na profissão deve-se evitar contaminações e infecções hospitalares, proporcionando expectati- vas de cuidados à saúde.

negrito), as imagens apresentadas no campo representacional pelos estí- mulos cuidar e cuidar de enfermagem tiveram uma maior contribuição de evocações, por parte de irmãos com faixa etária de 15 a 30 anos. No que se refere à palavra cuidar, os sujeitos sociais pesquisados contribuíram com a objetivação neste fator com as modalidades; atenção e ajudar. O estímulo ajudar foi evocado a partir das modalidades: ajuda, apoio e auxílio, que revelam o sentido de reciprocidade, tendo em vista que eles reconhecem que prestar auxílio é fazer algo em benefício do pró- ximo como parte integrante do cuidar. Para representar cuidar de enfermagem, no lado superior do gráfico, os irmãos destacam as palavras: alegre e agilidade como resposta a esse es-

de 61 a 80 e do sexo masculino; e, para o fator F2, foram os irmãos e pais com

enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante para os dois fatores

o estímulo cuidar apresentou uma freqüência total de 747 contribuições

para a formação de fator (CFP); e para o estímulo cuidar de enfermagem a

Segundo Carpenito (1985), os pacientes que sofrem tanto físico

tímulo indutor. O estímulo agilidade foi apreendido no sentido de que a ra-

quanto emocionalmente podem ser mais bem ajudados pela equipe de enfermagem, que os encoraje a expressão dos seus sentimentos e que transmita a propriedade de tais emoções, proporcionando apoio, fazendo um bom atendimento e compartilhando com a família sentimentos posi- tivos na inserção do cuidar. O espaço subjetivo do cuidar de enfermagem permite a comunicação entre a equipe e o familiar/acompanhante pro - porcionando assim um ambiente de participação, de interação em que os envolvidos possam dialogar e expressarem seus desejos e necessidades.

Fator 1 – Lado Direito

pidez influencia na recuperação, pois os sujeitos encaram como primordial o momento em que o paciente mais precisa do cuidar de enfermagem. Pode-se observar, no decorrer da análise do Gráfico 1, que as variá- veis fixas ou sociodemográficas que contribuíram em maior escala para o fator F1 foram os pais e outros (afilhados, sobrinhos, netos) com faixa etária

faixa etária 15 e 60 anos de idade. Para uma melhor visualização e compreensão, demonstra-se, atra- vés do Quadro 2, a seguir, uma relação de ordem decrescente das variáveis de opinião que contribuíram para a formação dos fatores F1 e F2. Nesse

Por outro, no lado oposto (direito) do mesmo fator (F1), observa- se a delimitação do agrupamento de variáveis sobre os mesmo estímulos construídas por outros (afilhados, sobrinhos, netos) de sexo masculino. No que se refere à palavra cuidar, os sujeitos sociais pesquisados contribuíram com a objetivação neste fator com uma única modalidade:

atenção. A evocação apreendida pelos sujeitos refere-se à aplicação cuida- dosa da mente a alguma coisa, no sentido de estar atento, tendo respon- sabilidade e tratar bem o próximo. Para o estímulo cuidar de enfermagem, os familiares outros do sexo masculino evocaram duas modalidades negativas: descaso e falta de agi-

quadro demonstra-se ainda que foram apreendidas dezesseis variáveis de opinião, que contribuíram para a formação dos fatores 1 e 2. De acordo com as freqüências apresentadas, é permitida a visualização das modali- dades objetivadas que demonstram as representações sociais do cuidar de

(F1 e F2). Os valores numéricos da contribuição fatorial demonstram que

freqüência foi de 950 CFP. QUADRO 2 – Distribuição das modalidades que contribuíram para formação dos fatores 1 e 2 e suas respectivas freqüências (f ) diante das

lidade e uma modalidade positiva alegre. Evidencia-se na concepção do familiar/acompanhante que descaso e falta de agilidade influenciam dire -

tamente no cuidar prestado ao ente hospitalizado, dificultando a recupe -

FATORES

ESTÍMULO - 1

CPF

ESTÍMULO - 2

CPF

ração do paciente. Mas com relação a alegre, os sujeitos assinalam uma de -

FATOR 1

1-Cuidar

f

2-Cuidar de Enfermagem

f

monstração de carinho, proporcionando melhor receptividade e aceitação

Higiene

183

Descaso

227

do serviço desenvolvido pelos profissionais de enfermagem.

Atenção

121

Alegre

73

Falta de agilidade

64

Fator 2 – Lado Inferior

Higiene

59

No fator 2 (eixo vertical – fonte em negrito) no lado inferior do

Bom

58

gráfico 1, encontram-se as objetivações de cuidar e cuidar de enfermagem,

Apoio

41

elaboradas pelos pais com faixa etária de 31 a 60 anos.

SUBTOTAL

 

304

 

522

Neste lado do eixo, em relação a cuidar encontram-se as objetiva-

FATOR 2

Alimentação

191

Desânimo

304

ções de trabalho, alimentação e saúde. Ao evocarem a modalidade saúde

Trabalho

97

Alegre

75

os sujeitos revelam bem-estar, evitar doença e psicológico. Dessa forma,

Saúde

54

Agilidade

49

são estados que modificam as necessidades físicas e as medidas preventi-

Ajudar

52

vas associadas à saúde do indivíduo.

Atenção

49

Já com relação a cuidar de enfermagem, os pais destacam uma úni-

SUBTOTAL

 

443

 

428

ca modalidade, negativa: desânimo. Esse estímulo foi evocado a partir de

TOTAL GERAL

747

950

Silva MBC, et al.

duas palavras indutoras. Na análise fatorial de correspondência deste estudo, foram objeti- vadas palavras que contribuíram para a formação dos dois fatores, no caso a palavra atenção para o estímulo cuidar e alegre para o estímulo cuidar de enfermagem. A combinação entre a alta freqüência de evocações e a contribuição nos dois fatores traz a apreensão do que, provavelmente, vem a ser o núcleo central das representações sociais, as palavras atenção e alegre. Nessa análise, pode-se observar que houve inter-relação entre as representações apreendidas nos relatos dos sujeitos e a realidade vivencia- da por eles no ambiente hospitalar, em que, através do teste de associação livre de palavras, foram apreendidas as representações sociais e analisadas com base na análise fatorial de correspondência. Isto porque todas as pa- lavras evocadas no teste encontram-se nas falas dos sujeitos que eram os familiares/acompanhantes dos pacientes internados. Desta forma, a téc- nica de análise demonstrou eficácia na apreensão das representações so - ciais, na concepção do familiar/acompanhante, e, até mesmo, para atingir o objeto de estudo. Observou-se que durante a pesquisa das palavras evocadas através dos estímulos cuidar e cuidar de enfermagem destacaram-se com maior freqüência as seguintes: desânimo, descaso, alimentação,higiene, atenção e alegre, onde alimentação e higiene estão relacionadas ao cuidar; desânimo e descaso, ao cuidar de enfermagem e, para ambos estímulos, atenção e alegre. Essas palavras mais evocadas serão discutidas nos parágrafos se - guintes. A dificuldade do cotidiano hospitalar desencadeia sentimentos am- bivalentes que vão sendo superados ou suportados pelo familiar/acompa- nhante, tendo em vista o bem-estar do seu ente hospitalizado. O hospital tem uma realidade dolorosa e difícil de ser enfrentada e as reações depen- derão de cada pessoa. As palavras objetivadas diante do estímulo cuidar que tiveram maior relevância na construção dos fatores 1 e 2 foram a alimentação e higiene. Observou-se que a alimentação relaciona-se a uma necessidade do organismo em atender suas necessidades vitais, evitando assim a insta- lação de possíveis doenças. No entanto, a evocação de higiene está relacionada com cuidados mínimos para a prevenção de doenças, considerando este requisito como uma necessidade específica para alcance da saúde. Segundo o familiar/ acompanhante esta ação está diretamente ligada entre a equipe de enfer- magem, que cuida, e o outro, que recebe o cuidado, numa relação de troca constante. Atender às necessidades básicas do paciente é uma função da enfermagem por ser justamente um ato com intenção terapêutica além de exigir compromisso ético das pessoas envolvidas nesse cuidar (BRASIL,

2002).

Com relação ao estímulo cuidar de enfermagem, foram evocadas com maior freqüência as palavras desânimo e descaso. Segundo Yokota (1983), o desânimo e o desinteresse são problemas que acontecem muitas vezes em função do distanciamento do enfermeiro do cuidado integral ao paciente, por desenvolver várias atividades durante a jornada de trabalho, principalmente administrativas que requerem maior disponibilidade de tempo. Em conseqüência, há baixo índice de atuação na assistência presta- da direta ao cliente hospitalizado. As palavras acima foram evocadas pelos sujeitos do presente estudo, onde observa-se a falta de compromisso por parte dos profissionais em relação ao cliente, influenciando diretamente no cuidar prestado, dificultando a recuperação do paciente. Diante dos estímulos cuidar e cuidar de enfermagem objetivou-se, respectivamente, atenção e alegre que contribuíram para a formação dos

dois fatores. O paciente como ser humano, necessita de atenção e um atendimento diferenciado que pode ser prestado por qualquer membro da família. Percebeu-se através dos sujeitos da pesquisa que atenção in- clui responsabilidade, tratar bem o próximo e estar em alerta. Segundo

Lacerda (2007), o termo atenção à saúde contempla atividades que têm o objetivo desde a promoção até a reabilitação da saúde, de forma individu- alizada ou coletiva. No que se refere a alegre, os sujeitos assinalam uma relação de carinho, proporcionando melhor receptividade e aceitação do serviço de - senvolvido pelos profissionais de enfermagem, expressando um agrupa- mento de sentimentos como alegres, simpáticas e carinhosas, ocorrendo uma sintonia e compreensão do ser humano como um todo. Segundo

Silva (2005), a demonstração de alegria, de carinho e do simples toque é se

suma importância no desenvolvimento do cuidar a um cliente hospitaliza- do, pois esses sentimentos demonstram preocupação e dedicação a este que necessita de cuidados. Ressalte-se que, através da análise fatorial de correspondência, as palavras evocadas reforçam o pensamento de Jodelet (2001) ao afirmar que as representações sociais, enquanto teorias práticas sobre determi- nado objeto ou problemas, são produzidas em uma interdependência do sujeito/objeto/interação social. Dessa forma é possível apreender os as- pectos culturais, posicionamentos, sentimentos e as manifestações através das evocações dos sujeitos, como componentes sociais determinantes do cuidar de enfermagem, visto que contribuem para o conhecimento em relação ao fenômeno social do estudo. Por fim, com relação às representações sociais apreendidas, en- quanto fenômeno cultural, pôde-se observar, a partir da análise e discus- são dos dados, que se trata de uma produção enraizada de conhecimento dos sujeitos, um valor transcendental de seus próprios valores dos quais são indissociáveis, projetados dentro do seu universo, demonstrando que as pessoas não são apenas elementos básicos de informações, e sim cons- trutores das suas próprias representações.

  • 5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

No presente estudo, através dos discursos dos sujeitos os quais fo- ram submetidos à análise fatorial de correspondência, pôde-se apreender as representações sociais sobre o cuidar de enfermagem relatadas pelo familiar/acompanhante. Os sujeitos do estudo representaram o cuidar de enfermagem em elementos positivos e negativos. Como positivo, o familiar/acompanhante afirma que o cuidar de enfermagem baseado na higiene é uma atividade mínima que deve ser realizada dentro de um ambiente hospitalar. Os sujeitos representam o descaso, a falta de agilidade e o desânimo como sentimentos negativos, que diretamente influenciam na realização do cuidar de enfermagem e na recuperação do paciente. Saber o que é desejável significa envolver crenças e valores da cuidadora em relação à saúde, por isso interessar-se pela pessoa, aceitá-la, e reconhecer suas expe - riências é uma forma de envolvimento dentro das relações do cuidar. O desafio proposto neste trabalho implicou na defesa de uma pro - posição, segundo a qual as identificações das representações sociais pos- sam se revelar como uma forma proveitosa de acesso às necessidades hu- manas de saúde, contribuindo, assim, para a instrumentalização do campo de atuação da enfermagem. Ao estudar as representações sociais construídas pelo familiar/ acompanhante, pôde-se observar e explorar os fatores que dificultaram ou não, o cuidar, e ainda, conhecer e compreender o posicionamento dos

atores sociais frente a este fenômeno. Por fim, é necessário ressaltar a necessidade da mudança do para- digma em relação à implementação de programas que visualizem tanto o familiar/acompanhante como o cliente, públicos alvos de contínuo apoio,

As representações sociais do cuidar de enfermagem construídas pelo familiar/acompanhante

e reconhecimento dos mesmos como objeto de políticas de humanização, constituindo assim, fator decisivo para atingir objetivos prioritários do de - senvolvimento humano, tais como a atenção, o carinho, apoio, interação entre familiar/acompanhante e paciente, respeito, agilidade no atendi-

mento, comprometimento, zelo e, acima de tudo, cuidar com amor.

REFERÊNCIAS

ABRIC, J.C. Tradução Denise Cristina de Oliveira. As representações sociais:

aspectos teóricos,1997

Méthodologie de recueil des représentations sociales. J.C.

________. ABRIC (Org.). Pratiques sociales et représentations. Paris: PUF, 1994.

enfermagem. Estudo sociológico em contexto hospitalar. (dissertação). Lisboa: Instituto Superior de Ciências do trabalho e Empresa, 1994.

MADEIRA, M. C. A confiança afrontada: Representação Social da AIDS para jovens. AIDS e representações sociais: a busca à sentidos. Natal: Editora UFRN, p.47-72, 1998.

BRASIL. Diretrizes e Normas Regulamentadoras de Pesquisas Envolvendo Seres Humanos. Resolução 196/96. Brasília. Disponível em: www.ufrgs.br/

MARCONI, M.A.; LAKATOS, E.M. Metodologia do trabalho científico. 6.ed. São Paulo: Atlas, 2001.

HCPA/gppge/res1996.htm.

MENGA,L.ANDRE,M.E.D.A. Pesquisa em educação: abordagem qualitativa. São Paulo: EPV, 1986.

Ministério da saúde.Secretaria de Políticas de saúde. OPAS. Brasília, 2002.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro:

Zahar, 1978.

CIUCA, R.L. Over the years with the nursing care plan. Nurse outlook, v.20, n. 11, p.706-711, 1972.

On Social Representation. In: FORGAS, J.P.(Ed).Social Cognition;perpesctives on everyday understanding.Londres:Academic

COLLIÈRE, M. F. Promover a vida. Tradução de Maria Eleonor Abecasis. In:

Press,1981.

Promouvoir la vie. Lisboa: Lidel, 1999.

 

Prefácio. In: Loucuras e representações sociais. Petrópolis:

COUTINHO, M. P. L. Depressão infantil: uma leitura psicossociológica. In:

Vozes, 2005.

MOREIRA, A.S.R.; JESUINO, J.C. Representações Sociais: teoria e prática. 2.ed. João Pessoa: Universitária, 2003.

NOBREGA,S. M; COUTINHO, M. P. L. O teste de associação livre de palavras

FERREIRA, A B. H. Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986

.In: Representações Sociais: abordagem interdisciplinar. João Pessoa: Uni- versotária, 2003.p.69.

GEOVANINI, T et al. História da Enfermagem: versões e interpretações. 2. ed. Rio de Janeiro: Revinter, 2002.

JODELET, D.(Ed). Les representations sociales. Paris: PUF, 1989.

SÁ, C.P. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes,

1996

SILVA, D.C. As tecnologia leves no cuidado de enfermagem hospitalar.

EEAN/UFRJ.jan,2005

As representações sociais: um domínio em expansão. Tradu- ção Lílian Ulup. Rio de Janeiro: UERJ, 2001.

________.

SPINK, M. J.(org). O conhecimento no cotidiano:as representações sociais na perspectiva da psicologia social.1. ed.São Paulo: Brasiliense, 1995

LACERDA, M.R et al. As categorias da assistência domiciliar e a prática dos profissionais de saúde. Jornal de Enfermagem,v.06,2007.

WRIGHT, L.M; LEAHEY, M. Enfermeiras e famílias: um guia para avaliação e intervenção na família.3ed.São Paulo: Roca,2002.

LOPES, N.G.M.A recomposição dos saberes, ideologias e identidades de

YOKOTA, O. A problemática do cancelamento de cirurgia conforme per-

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Qualidade higiênico-sanitária da carne-de-sol comercializada nos estabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Qualidade higiênico-sanitária da carne-de-sol comercializada nos estabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina
PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN Qualidade higiênico-sanitária da carne-de-sol comercializada nos estabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina

PESQUISAS/RESEARCH/INVESTIGACIÓN

Qualidade higiênico-sanitária da carne-de-sol comercializada nos

estabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina –PI

Sanitary-hygienic quality of sun dried meat sold in handicraft centers in the western part of Teresina, Piauí Calidad higiênico-sanitária de la carne de sol comercializada en los establecimientos de produción artesanal de la zona leste de Teresina –PI

Rosana Martins Carneiro

Acadêmica do curso de Nutrição da Faculdade NOVAFAPI

Marília Gomes Bezerra

Acadêmica do curso de Nutrição da Faculdade NOVAFAPI

Marla Borges Pereira

Acadêmica do curso de Nutrição da Faculdade NOVAFAPI

Aline Almondes Jaques

Acadêmica do curso de Nutrição da Faculdade NOVAFAPI

Luciana Maria Ribeiro Pereira

Nutricionista. Mestra. Coordenadora do curso de Nutrição da

Faculdade NOVAFAPI. luciana@novafapi.com.br

RESUMO

Os alimentos de origem animal, tais como a carne, que tem composição rica em nutrientes e água em elevado teor, são bastante susceptíveis à deterioração microbiana. Em diversos países, viu-se casos de toxinfecção por ingestão de carne, posto que a contaminação pode ocorrer em todas as operações do abate, até a distribuição, e sua intensidade depende das medidas higiênicas adotadas. A pesquisa objetivou analisar a qualidade higiênico-sanitária da carne-de-sol comercializada nos es- tabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina-PI. Trata-se de um estudo descritivo, de delineamento transversal/observacional, realizado em 06 pontos de produção, onde foram verifi- cadas as condições higiênico-sanitárias através de check-list e, para as amostras coletadas, realizou-se

análises microbiológicas para contagem de Staphylococcus aureus, Coliformes a 45º C e pesquisa de Salmonella sp. Obteve-se, como resultados para o Check-list, 15% de criticidade, 50% de crítico não-conforme; para não-criticidade: 10% conforme, 15% não-conforme, 4% não-aplicável e 6% não

observado; na análise microbiológica, elevada contagem do número mais provável de coliformes a

45° C e Staphylococcus aureu e ausência de salmonella. Nas condições em que foi realizado o estudo,

conclui-se que os estabelecimentos necessitam implantar as Boas Práticas de Produção de Alimentos

Claudeny Holanda Mendes da Rocha

Nutricionista. Mestra. Professora do curso de Nutrição da Faculdade NOVAFAPI.

para atender aos requerimentos estabelecidos pela RDC 216 de 15/09/2004. Descritores: Higiene dos alimentos; Microbiologia; Nutrição.

ABSTRACT

Foods of animal origin such as meat which have a composition rich in nutrients and a high content of water are very susceptible to microbe deterioration. In many countries there have been cases of toxic infection caused by the consumption of meat since contamination can occur in all phases of operation from slaughter to distribution and its intensity depends on the hygienic methods taken. The objective of this study is to analyze the hygienic-sanitary quality of the sun-dried meat sold in stores of handicraft production in the western area of Teresina, Piauí. This is a descriptive study with a observational/transversal outline carried out at 06 points of production where hygienic-sanitary

conditions were verified by using a check-list.

For the samples collected a microbiological analysis

for Staphylococcus aureus, Coliformes at 45º C and for Salmonella sp was performed. The results from the check list were critical 15%, 50% were critical non-conforming; for non-critical: 10% conforming, 15% non-conforming, 4% not applicable and 6% not observed. In the microbiological analysis, there was an elevated count most probably of Coliformes at 45° C and Staphylococcus aureu with an ab-

sence of salmonella. In the conditions in which the study was carried out, it was concluded that the stores need to implant the Good Practices of Food Production to meet the requirements established

Submissão: 12/03/2008

Aprovação: 27/06/2008

by RDC 216 of 15/09/2004. Descriptors: Food Hygiene, Food Microbiology, Nutrition.

Qualidade higiênico-sanitária da carne de sol comercializada nos estabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina -PI

RESUMEN

Los alimentos de origen animal, tales como la carne, que tiene compo - sición rica en nutrientes y agua en elevado teor, son bastante susceptí- bles a la deterioración microbiana. En diversos países se constató casos de toxinfección por ingestión de carne, puesto que la contaminación puede ocurrir en todas las operaciones del abate hasta la distribución, y su inten- sidad depende de las medidas higienicas adoptadas. La pesquisa objetivó analisar la calidade higiénico-sanitarias de la carne de sol comercializada en los establecimientos de producción artesanal de la zona leste de Tere - sina-PI. Se trata de un estudio descriptivo, de delineamiento transversal/ observacional, realizado en 06 puntos de producción, donde, fue verifi- cado las condiciones higiénico-sanitaria a través de check-list y, para las amostras colectadas, fue realizada análisis microbiológicas para contage

de Staphylococcus aureus, Coliformes a 45º C y pesquisa de Salmonella sp. Se Obtuvo como resultados para el Check-list, 15% criticidad, 50% de crítico no-conforme; para no-criticidad: 10% conforme, 15% no-conforme, 4% no-aplicable y 6% no observado; en análisis microbiológica, elevada contage del número más probable de coliformes a 45° C y Staphylococcus

aureu y, ausencia de salmonella. En las condiciones en que fue realizado el

estudio se constató que los establecimientos necesitan implantar las Bue -

nas Prácticas de Producción de Alimentos para atender a los requerimien-

tos establecidos por la RDC 216 de 15/09/2004.

Descritores: Higiene de los Alimentos, Microbiologia de los Alimentos, Nutrición.

1. INTRODUÇÃO

A carne constitui uma fonte básica de proteína de alta qualidade. Além da riqueza em aminoácidos, contém umidade, gordura, vitaminas do

complexo B e minerais, sobretudo o ferro (PARDI et al, 1995).

Os alimentos de origem animal, principalmente a carne, pela com- posição rica em nutrientes e elevado teor de água, são bastante susceptí-

veis à deterioração microbiana (XAVIER e JOELE, 2004).

Constitui-se um meio de cultura excelente para o desenvolvimento de microrganismos e freqüentemente está envolvida na disseminação de patógenos causadores de enfermidades no homem e animais (LEITE, VA- LENTINI; FALCÃO, 1988).

As carnes estão freqüentemente envolvidas em casos de toxinfec- ção de origem alimentar em quase todos os países. Isto porque, a conta- minação pode ocorrer em todas as operações: abate, armazenamento e distribuição. Sua intensidade depende das medidas higiênicas adotadas

(XAVIER; JOELE, 2004; SILVEIRA, 1994).

Controlar as condições higiênico-sanitárias dos alimentos significa não somente prevenir as enfermidades que podem atingir o homem, mas também permitir a vigilância da qualidade e prevenir o desperdício des- ses alimentos, particularmente, nas áreas de desenvolvimento (PANETTA,

1982).

Em vários municípios brasileiros, existem falhas nos sistemas de ins- peção e fiscalização de produtos, principalmente os de origem animal. No

caso da carne, é comum a existência de matadouros clandestinos, onde os animais são abatidos na ausência de um inspetor veterinário e em péssimas condições higiênico-sanitárias. Além disso, os produtos são distribuídos e comercializados em estabelecimentos de produção artesanal, açougues e mercados, expondo os consumidores a riscos de enfermidades veiculadas

por alimentos contaminados (XAVIER; JOELE, 2004; MENDES, 1996).

Por constituir um veículo potencial de contaminantes de nature - za biológica, física e química nas diversas fases – desde sua origem até a transformação, armazenagem, transporte e distribuição para o consu- mo – a carne deve, via de regra, submeter-se ao controle de qualidade

higiênico-sanitária, tecnológica e comercial (XAVIER; JOELE, 2004; SILVEIRA, 1994; FEITOSA, 1999).

A carne bovina curada surgiu como alternativa na preservação do excedente de produção da carne, face às dificuldades encontradas para sua conservação. Além disso, o processo de salga e desidratação apre -

senta-se como alternativa viável; uma vez que as condições climáticas e a disponibilidade de sal são favoráveis a essa prática (NÓBREGA; SHINEIDER, 1983; COSTA; SILVA, 2001). A microbiota da carne-de-sol depende das condições nas quais os

animais foram criados, abatidos e processados (SILVA; GANDRA, 2004). Por

se tratar de um produto sem registro no Ministério da Agricultura, a carne- de-sol, atualmente comercializada, procede de abates clandestinos, o que

pode aumentar o risco da incidência de gastrenterites alimentares (COSTA; SILVA, 2001). A presença de microrganismos pode ser utilizada como indicativo de condições inadequadas de manipulação, sendo os microrganismos de maior interesse na avaliação da qualidade da carne-de-sol o Staphylococ-

cus coagulase positiva, Salmonella sp e Coliformes à 45º (BRASIL, 2001).

Está mais do que comprovada a importância da Segurança Alimen-

tar para a saúde pública, principalmente, ao se considerar os dados atuais referentes ao aparecimento e ressurgimentos de diversas doenças veicula-

das por alimentos (CHESCA et al, 2004).

Por ser um produto regional de amplo consumo, encontra-se mui- tas vezes, acondicionada e armazenada de forma imprópria e exposta ao meio ambiente, sujeita à contaminação por poeira, sujidades e microrga- nismos. Assim, entende-se a importância de conhecer a qualidade higiêni- co-sanitária da carne-de-sol comercializada na zona leste de Teresina - PI. Este estudo objetivou avaliar a qualidade higiênico-sanitária da carne-de-sol comercializada nos estabelecimentos de produção artesanal da zona leste de Teresina-PI.

2. METODOLOGIA

2.1. Local

O presente estudo descritivo, de delineamento transversal - ob-

servacional foi realizado nos estabelecimentos de produção artesanal e comercialização da carne-de-sol, na zona leste de Teresina -PI. Apesar de existirem 150 estabelecimentos dessa natureza na capital, foram selecio- nados, aleatoriamente, 15 pontos de produção na zona leste. Mas, devido

a resistência dos proprietários em participar da pesquisa, apenas seis locais de produção artesanal de carne-de-sol foram inspecionados.

2.2. Check-list

Durante as visitas, foram verificadas, no momento da aquisição da carne-de-sol, as características organolépticas, observando-se a textura, a cor, o odor e maciez dos produtos. As condições higiênico-sanitárias dos estabelecimentos foram aferidas através do emprego do check-list – Mesa detalhado para diagnóstico inicial (SENAI, 2001), baseado na Legislação

vigente para o setor, RDC 216, de 15/09/2004, que engloba aspectos de

instalações, equipamentos, utensílios, matéria prima e manipuladores. Os aspectos observados foram divididos em quatro blocos (ROCHA; MURATO-

Carneiro RM, et al.

cebida e expressada pelos pacientes.Ribeirão Preto,1983. Dissertação de

RI, 2006): aspectos gerais de recursos humanos; aspectos gerais de condi-

ções ambientais; aspectos gerais de instalações, edificações e saneamento;

Mestrado-Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São

aspectos gerais de equipamentos, sanitização e produção. Cada item foi

Paulo.

analisado na sua totalidade, de acordo com dois parâmetros: Criticidade,

item que se relaciona com a segurança sanitária do produto; Conformi-

dade, campo que se relaciona ao atendimento de requisitos específicos,

podendo assumir as seguintes classificações: Conforme (C), Não Conforme

(NC), Não Aplicável (NA) ou Não Observado (NO).

  • 2.3. Análise Microbiológica Foram realizadas as análises em seis estabelecimentos, totalizando

30 amostras de carne-de-sol coletadas; sendo cinco amostras de cada

estabelecimento. As amostras de alimentos para as análises microbio-

lógicas foram divididas em cinco lotes contendo seis amostras, uma de

cada estabelecimento, em cada lote. Estas foram adquiridas e coletadas

assepticamente, acondicionadas em caixas isotérmicas, contendo gelo e

conduzidas ao Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí “Dr. Costa Al-

varenga”- LACEN-PI, sendo mantidas sob refrigeração até o momento da

análise microbiológica, em intervalo não superior a 4 horas. Foram avalia-

das as amostras coletadas para contagem de Staphylococcus aureus coagu-

lase positivo, contagem de Coliformes a 45º C e pesquisa de Salmonella sp,

segundo metodologias propostas pela American Public Health Association

– APHA (VANDERZANT; SPLITTSTOSSER, 1992). Não foi possível registrar

a umidade relativa do ar durante os dias de coleta, tendo em vista que a

temperatura variou entre 30° a 38°C.

  • 3. RESULTADOS E DISCUSSÕES A carne-de-sol é um produto submetido à salga seca (adição de

cloreto de sódio), tratando-se de um método amplamente utilizado para

a sua preservação e conservação, resultando num produto semi-desidra-

tado. Nos estabelecimentos em estudo, percebeu-se o mesmo método de

salga, mas a forma utilizada pelos manipuladores não segue um padrão.

Dos seis locais avaliados, quatro proporcionaram condições adequadas

de armazenamento em refrigeradores e exposição ao sol das mantas de

carne-de-sol, com utilização de telas de fio nylon, para a proteção contra

insetos e sujidades do meio.

  • 3.1. Check-list Diante dos resultados, fez-se uma média dos itens de conformida-

de, não-conformidade e pontos de criticidade nos seis estabelecimentos

de produção artesanal de carne-de-sol (Gráfico 01).

  • 3.1.1 Aspectos Gerais de Recursos Humanos

Os manipuladores não recebem treinamento de higiene e boas

práticas compatíveis com as tarefas que executam e apresentaram higiene

corporal inadequada: cabelos e bigodes desprotegidos e totalmente des-

cobertos; unhas compridas com esmalte e uso de adornos. Os mesmos

não são submetidos a exames médicos e laboratoriais na periodicidade re -

comendada; não utilizam uniformes adequados e aventais específicos para

a atividade em execução. Os procedimentos de higienização das mãos não

se encontraram descritos e disponíveis em lugar visível ao funcionário, de -

monstrando que os proprietários não se preocupam com quesitos básicos

relacionados a higiene e manipulação da carne.

  • 3.1.2 Aspectos Gerais de Condições Ambientais

Nos arredores da empresa, foram identificados focos de contamina-

ção tais como, sucatas, lixo, animais (inclusive insetos e roedores), e outros

contaminantes. Isso evidencia uma possível contaminação da carne por

bactérias e outros, durante a sua exposição ao sol e acondicionamento.

  • 3.1.3 Aspectos Gerais de Instalações, Edificações e Saneamento

O layout dos estabelecimentos mostrou-se inadequado, não ga-

rantindo proteção contra a entrada de pragas ou outros animais: paredes/

divisórias claras e de superfície lisa, encontrando-se em péssimo esta-

do de conservação; os pisos são de material liso, impermeável, mas com

superfície derrapante; presença de ralos sem proteção contra a entrada

de insetos e roedores; portas mantidas em bom estado de conservação,

contudo, sem superfície lisa, de fácil limpeza e ausência de fechamento

automático por molas ou similar. As janelas, desprovidas de telas mili-

métricas, encontraram-se dispostas de forma a permitir a incidência de

raios solares diretamente sobre os alimentos; as luminárias não possuem