Vous êtes sur la page 1sur 15

Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão

Conhecimento na área Biblioteca escolar

Aspectos críticos
que a Literatura Desafios. Acções
Domínio Pontos fortes Fraquezas Oportunidades Ameaças
identifica a implementar

No artigo de Zmuda e É reconhecido Nos relatórios A articulação com As queixas da Prática baseada
Harada deve ser antes pela classe efectuados não departamentos, classe docente: a em evidências:
de mais “um
especialista de
docente, órgãos tem sido possível conselhos de sobrecarga encontrar os
aprendizagem”: não pedagógicos, evidenciar o direcção de horária, que aspectos positivos
tem atribuições de direcção a impacto que a Be turma, áreas pouco tempo e os pontos
aula formal, mas é importância da teve nas projecto, sala de disponibiliza, fracos. Definir a
um especialista em BE e o papel do aprendizagens e estudo, para além do sua acção num
colocar a informação
da BE em
professor nas literacias. actividades trabalho de sala trabalho
conhecimento. Tem bibliotecário, no Apesar de se extracurriculares, de aula e restantes colaborativo e
Competências do que ter uma visão desenvolvimento conseguir um está a dar os burocracias estabelecer metas.
professor bibliotecário clara das metas da “informacional; processo de auto- primeiros passos, inerentes à Definir um plano
aprendizagem da sua transformativo e responsabilização mas ainda com condição de de formação para
escola. Centrar a
prática nas evidências
formativo”.Tem (BE-Professores e muitas professor. Por os recursos
(investigar/avaliar) sido feito Direcção) no dificuldades de outro lado, falta humanos da BE,
para tomadas de anualmente um envolvimento implementação “perceber” o não só no âmbito
decisões. Exercer relatório crítico colectivo, a prática. É a papel da BE no da gestão, mas
uma liderança como da acção da BE, prática é ainda articulação com o processo de sobretudo em
“parceiro líder”, para
mudar mentalidades
baseado em muito difícil. Por currículo, a área aprendizagem. educação/pedago
(professores, órgãos algumas outro lado, ainda fundamental a A evolução gia e recursos
pedagógicos e evidências não temos um investir pelo prof. tecnológica das digitais.

1
Conhecimento na área Biblioteca escolar

direcção da escola: a estatísticas, equipa com Bibliotecário. TIC, desactualiza


importância da BE na permitindo ter qualificações As actividades constantemente o
escola, no ensino-
aprendizagem, nas
algum variadas para extracurriculares software da BE,
literacias, na conhecimento do responder às e acções de desencorajando os
promoção da leitura, papel solicitações; os promoção da utilizadores.
sensibilidade estética desempenhado. computadores e leitura, tem dado Também está a
e gosto e interesse Por outro lado, equipamentos alguma ser difícil explicar
pela arte, ciência e
literatura.. Ao mesmo conseguiu-se a tecnológicos são visibilidade à BE aos alunos,
tempo flexível e integração da BE, escassos para a e mudado um sobretudo do
adaptável, em nos documentos procura. O espaço pouco a imagem 3ºciculo, que para
contínua estruturantes da também é exíguo, do coordenador, além da internet,
aprendizagem, Escola: Projecto situação que vai que existe recursos
mudança e inovação.
Muito atento à
Educativo, ficar resolvida a progressivamente impressos para
“informação do Regulamento breve trecho com não é visto só investigação.
Séc.XXI” (as TIC e o Interno de Escola nova BE(a escola como um gestor
papel do e da BE; PDC; encontra-se em da colecção, mas
Bibliotecário Plano de Acção obras-projecto de com um papel
formação
/competências).Em nos diversos requalificação das importante no
suma, ter sempre domínios, escolas).Nunca apoio currículo e
presente que a BE aprovados nos tivemos um em literacia de
não é só um espaço órgãos escolares orçamento informação.
de informação, mas o competentes. Foi contemplado,
ponto de partida de
um trabalho
uma contribuição apesar de
colaborativo de importante no proposto.
transformar a reconhecimento e
informação em afirmação da BE.
conhecimento, seja Também existe
qual for o suporte da

2
Conhecimento na área Biblioteca escolar

informação. Ser um um bom nível de


bom gestor do tempo: colaboração
“fazer menos e
melhor”. Conseguir
pontual entre
provar que os professor
investimentos bibliotecário e
financeiros têm um professores, que é
impacto muito mais difícil a
positivo no decurso
de ensino- nível dos órgãos
aprendizagem. pedagógicos
intermédios.
A organização e Um dos pontos As referências à Manter um É se dúvida, o
gestão da BE, fortes a salientar é BE ainda não diálogo constante desenvolvimento
deve ter como a integração da constam do PCE. com a Direcção de estratégias que
primordial BE na Não tem sido partilhando A BE não dispõe conduzam à
objecto, orientar a documentação possível reunir dificuldades e de orçamento recolha
sua acção para a institucional: com os vários sucessos. Propor anual, apesar de sistemática de
melhoria do PEE, RI ,PCTs. órgãos projectos e proposto. A evidências e se
desempenho dos Tem também intermédios, mas actividades no CP valorização do avalie a influência
Organização e Gestão da
alunos, nos vários documentos que existe e reunir com os papel da BE ainda da BE nos
BE
domínios de pretendem reger a comunicação Departamentos, só está em resultados de
aprendizagem. BE de uma forma escrita via e-mail DT. Promover documentação aprendizagem dos
Trabalhar com mais eficiente: e na plataforma encontros com institucional da alunos. Construir
todos os Normas de para os escritores, e escola, urge a sua e analisar
professores no funcionamento, Departamentos, exposições. aplicação prática. instrumentos de
planeamento do PDC e Plano de CDT para Reforçar o apoio recolha de
PAA da escola, Acção para os integrarem a BE a utilizadores no informação, para
colocando a BE próximos 4 anos. no processo acesso e procura e definir

3
Conhecimento na área Biblioteca escolar

ao seu serviço. educativo, nas na produção da prioridades e


Adequar os competências de informação. objectivos em
objectivos da BE, informação e função das
seus recursos ao actividades análises
currículo nacional culturais. O órgão efectuadas.
e PCTs. Encarar a privilegiado de
gestão da BE, comunicação tem
como recurso sido o Conselho
fundamental no Pedagógico.
desenvolvimento
do gosto pela
leitura, na
aquisição das
literacias
fundamentais, na
progressão nas
aprendizagens e
no sucesso
escolar e de apoio
às actividades de
lazer e tempos
livres. Responder
com um horário
de
funcionamento,
que corresponda a
todos os turnos

4
Conhecimento na área Biblioteca escolar

horários da
escola.
Implementar um
sistema de
avaliação que
controle o
processo de
funcionamento,
fomentando a
melhoria da
qualidade,
baseada na
recolha
sistemática de
evidências. Deve
dar resposta aos
novos desafios
das BEs, com
computadores e
equipamentos
tecnológicos
actualizados. A
questão da
liderança
equacionada
segundo Ross
Todd o “professor

5
Conhecimento na área Biblioteca escolar

bibliotecário
como parceiro-
líder”, nas várias
vertentes
identificadas.
Planeamento da
A escola,
colecção de
actualmente em
acordo com as
obras, vai ter
propostas dos DC, Continua a ser a
novas instalações,
em recursos O Coordenador A equipa actual é falta de dotação
onde o Plano
impressos e define e distribui limitada no que orçamental, que
Tecnológico vai Continuar a
digitais, funções e cria respeita às suas inviabiliza as
ser aplicado. O propor à
adequados às boas relações. qualificações proposta de
seu impacto vai Direcção, de
necessidades Participa no específicas e aquisições dos
conduzir forma
curriculares e de Conselho variedade de diversos
necessariamente à fundamentada, o
Gestão da Colecção informação dos Pedagógico, na formação inicial. Departamentos,
mudança, financiamento
utilizadores, nas planificação de A BE não destinadas ao
sobretudo no anual para
proporções actividades, apresenta apoio do ensino –
âmbito da actualizar a
definidas no PDC. sugerindo e condições de aprendizagem, às
informação colecção impressa
Organizar e inventariando espaço e de competências de
digital, com a e recursos
informatizar a possibilidades de equipamento de informação e
criação de digitais.
colecção. Difusão trabalho com a acordo com a actividades
melhores
da informação do BE. procura. culturais e de
ambientes virtuais
catálogo em leitura autónoma.
de aprendizagem
suporte impresso
e ligação ao
e electrónico.
currículo.
Facilitar o acesso

6
Conhecimento na área Biblioteca escolar

material e
intelectual às
fontes de
informação,
disponibilizando
recursos
didácticos e
culturais.

“A BE integra o A BE tem tentado Não tem sido Promover a


processo cooperar com os possível a participação
A BE tem
educativo”; “O Departamentos/ participação periódica da BE
produzido uma
coração de uma Grupos periódica da BE nas reuniões de
série de materiais, Pela recolha de
BE é o disciplinares, nas reuniões dos planificação dos
no domínio da evidências
A BE como espaço de desenvolvimento CDT, no sentido diferentes órgãos diferentes órgãos
literacia de “requisição para a
conhecimento e da compreensão de se envolver no pedagógicos da pedagógicos;
informação, por sala de aula”,
aprendizagem. Trabalho humana” A BE do planeamento das escola. No Organizar acções
exemplo o dossier nota-se que os
colaborativo e articulado Séc.XXI, diversas entanto já está informais de
“como estudar”; recursos da BE
com Departamentos e resultante da actividades. A agendada uma formação sobre a
“como utilizar a são pouco
docentes. evolução do área mais reunião com os BE junto dois
internet”, etc., que rentabilizados
paradigma conseguida tem CDT, com o professores.
tem tido um bom pelos docentes no
tecnológico, não é sido o apoio às objectivo de Apresentar aos
acolhimento dos âmbito da
mais só o local áreas curriculares conhecer e docentes
professores das actividade lectiva.
onde se armazena não disciplinares: colaborar com os sugestões de
áreas não
e disponibiliza a Área de Projecto, projectos trabalho
curriculares.
colecção. É Sala de Estudo e curriculares de colaborativo em
sobretudo um Formação Cívica, turma. torno do

7
Conhecimento na área Biblioteca escolar

espaço de assegurando a A BE tem um tratamento de


conhecimento. A inclusão da BE e bom serviço de diferentes temas
grande tarefa do dos seus recursos difusão de ou unidades de
profissional de nas suas informação, ensino.
educação, do actividades. através de boletim
Prof. Também, o Prof. informativo
bibliotecário, dos Bibliotecário tem, impresso e na
professores em pontualmente, plataforma,
geral, na participado em disciplina de
construção do actividades de Biblioteca/Recurs
sucesso educativo sala de aula das os Digitais.
é conseguir áreas de projecto,
transformar a no âmbito da
informação na literacia de
construção do informação.
conhecimento e
da cidadania. Tem
de estar a par com
as actividades de
ensino-
aprendizagem, de
desenvolver
competências de
informação e
fomentar as
actividades
culturais. Como

8
Conhecimento na área Biblioteca escolar

bem sintetizou
Ross Tood a BE
actual é
“knowledge
sapace, not
information place;
connections, not
collections”. É
dentro destes
objectivos que a
BE tem de
equacionar o seu
plano de acção:
Formular políticas
e criar serviços;
seleccionar e
adquirir recursos;
facilitar o acesso
material e
intelectual a
fontes de
informação,
disponibilizando
recursos e
dispondo de
pessoal
qualificado. Para

9
Conhecimento na área Biblioteca escolar

que os
pressupostos se
tornem evidentes,
a prática terá de
ter em conta o
trabalho
colaborativo e
articulado com
Departamentos e
todos os docentes.
A escola, onde a A BE tem Urge proceder, Planear
BE se insere, tem incluindo em colaboração antecipadamente
Os professores
actualmente, uma actividades de com os grupos com os
alegam
grande formação de disciplinares, ao professores o
sobrecarga de
responsabilidade, utilizadores, levantamento nos trabalho de
trabalho docente
na formação dos visitas guiadas currículos das A BE propor um pesquisa a
noutras tarefas de
seus alunos em com os novos competências de modelo de realizar na BE;
Formação para a leitura e ensino-
competências alunos da escola informação pesquisa de Incentivar a
para as literacias aprendizagem,
para as diferentes (7º, 10ºs anos e inerentes a cada informação a ser formação de
bloqueando a
literacias. O papel CEFs do primeiro disciplina/área usado por toda a docentes e das
utilização de um
da BE articulado ano). Edita “O curricular e nível escola. equipas da BE na
documento
neste sentido com guia do de estudo, com área da literacia
uniformizado para
os professores da utilizador”. São vista à definição da informação da
toda a escola, de
escola, no actividades de um currículo literatura juvenil e
pesquisa de
desenvolvimento coordenadas com de competências da sociologia da
informação.
de competências, os respectivos transversais leitura.
está a dar aos DT. Planeia com adequado a cada Sensibilizar a

10
Conhecimento na área Biblioteca escolar

alunos o suporte as áreas de ano de escola para a


fundamental nos projecto, os temas escolaridade. importância da
sucessos das suas do trabalho de Na promoção da leitura como
aprendizagens e pesquisa a leitura, apesar da suporte às
na construção do realizar na BE. A colecção carecer aprendizagens e à
conhecimento. As equipa BE, de actualização, progressão das
diversas elaborou um tem uma pequena aprendizagens.
actividades a dossier com colecção variada
enfatizar, terão de guiões de de leitura
ter em conta “o pesquisa e outros autónoma,
portfólio de materiais de apoio adequada aos
competências” ao trabalho de gostos e
cada vez mais exploração dos interesses de
diversificado: na recursos de informação de
formação de informação pelos utilizadores.
utilizadores; nas alunos.
competências A BE desenvolve,
tecnológicas, de forma
promovendo a sistemática,
utilização das TIC actividades no
e Internet, como âmbito da
ferramentas de promoção da
acesso, produção leitura: escritor da
e comunicação de semana, com
informação e leitura e
como recurso de publicação de
aprendizagem. É textos, poemas;

11
Conhecimento na área Biblioteca escolar

neste contexto encontros com


que a BE ganha escritores e outros
um papel eventos culturais
preponderante na relacionados com
formação das as diversas
diferentes formas de arte.
literacias Estas actividades
têm normalmente
a colaboração do
grupo de
Português e a
“Oficina das
Artes”.
O papel A A promoção das A BE deverá
O “parque
“informacional” BE/Bibliotecário TIC e Internet fomentar de
tecnológico” é
da BE não pode colabora no como ferramentas forma intensiva e
reduzido para a
descurar o apoio à cumprimento dos de produção e generalizada o
procura e com Desenvolvimento
infra-estrutura objectivos do como recurso de ensino em
problemas de um programa de
tecnológica das PTE. Integra a aprendizagem, contexto das
actualização. Por Literacia da
BE e os novos ambientes TIC e Web. Tem equipa e propôs não pode limitar- competências de
outro lado, a Informação,
digitais. de dar um dois projectos de se à BE, mas informação.
procura pelos integrado no
contributo claro apropriação e uso fazer parte de um “Conteúdos,
alunos dos desenvolvimento
na promoção de das TIC e plano transversal administração –
computadores e curricular.
competências inclusão nas a toda a escola, no gestão, ambientes
internet é
nestas práticas sentido de virtuais de
imediata quando
ferramentas, no formativas e de potenciar as aprendizagem e
têm de investigar.
sentido de as ensino- aprendizagens e currículo são

12
Conhecimento na área Biblioteca escolar

integrar nas aprendizagem: construção do partes de um todo


práticas lectivas. formação conhecimento. Só que a biblioteca
Os novos (informal) assim se pode escolar tem
ambientes digitais plataforma refrear a forçosamente de
são apenas mais moodle, que está tendência dos integrar.
um lugar onde a decorrer em alunos mais
procurar dois níveis de novos para os
informação, para formação. jogos e outras
além da actividades
informação A BE integra as recreativas.
impressa. Neste possibilidades que
aspecto a BE tem as TIC e a Web
de ter recursos facultam em
adequados em projectos
termos humanos e escolares de
tecnológicos. iniciativa da BE:
Como sintetiza o página na
texto desta sessão plataforma, com a
“A organização disciplina da
da informação Biblioteca /
digital (…), a Recursos Digitais,
criação de proporcionando
ambientes virtuais conteúdos de
de aprendizagem, aprendizagem
a ligação ao para a escola e no
currículo serão domicílio.
factores críticos

13
Conhecimento na área Biblioteca escolar

de sobrevivência A BE produz
para as BEs”. materiais
informativos e de
apoio à adequada
utilização da
internet (guiões
de pesquisa, sites
de interesse e
credíveis para
várias
disciplinas).

Alguma recolha
Actividades de estatística de
gestão na recolha evidências: Nova BE na
sistemática de requisições escola (em obras). Postura de
Gestão de evidências/
informação, para domiciliárias e Reforçar como Apoio das investigação, “ser
avaliação. A mentalidade de
decisões sala de aula, uso serviço de rotina, reuniões/partilha prospectivo”,
resistência à
fundamentadas. das TIC, a recolha de SABE com demonstrar
inovação.
relatórios de evidências. coordenador pontos fortes e
avaliação das concelhio. fracos.
actividades
culturais extra-
curriculares.

14
Conhecimento na área Biblioteca escolar

Gestão da mudança
SÍNTESE Factores de sucesso Obstáculos a vencer Acções prioritárias

Um grande pré-requisito:
resolver os
condicionalismos,
sobretudo internos- Mudar As queixas dos professores, alegando
mentalidades para a sobrecarga horária / burocratização.
mudança (processo lento, Provar que a BE é um espaço de
ir com calma). aprendizagem e formativo/cultural,
Paralelamente, actuar nos “intrinsecamente” relacionado com
“processos” nas “práticas” Melhor articulação com todos os todo o processo educativo ministrado Interrogar a escola, publicar
e “impactos”:R Todd – intervenientes do processo educativo. pela escola. evidências, optimizar processos.
evidence, not advocacy. Provar que investir em recursos
Avaliar (envolvendo toda (materiais e humanos) da BE, é um
a escola), verificar “gaps”, bom investimento.
gerir os diagnósticos, para
melhorar, mudar, novas
práticas …

15