Vous êtes sur la page 1sur 41
MÉTODOS QUA TITATIVOS Rui Mendes RMendes@iscet.pt

MÉTODOS QUA TITATIVOS

Rui Mendes RMendes@iscet.pt

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

Índice

Capítulo I: Funções Reais Exames e Minitestes

3

1.

Operações com úmeros Relativos

4

1.1. Adição

4

1.2. Subtracção

5

1.3. Multiplicação

5

1.4. Divisão

6

1.5. Potenciação

6

1.6. Radiciação

7

2.

Produto e Divisão de Potências de Mesma Base

8

2.1. Expoente

ulo

8

2.2. Expoente

egativo

9

2.3. Expoente

Fracionário

9

2.4. Utilização de Potências de Dez para simplificar a representação de certos úmeros

10

3.

Operações com fracções

10

3.1.

Multiplicação de fracções

12

4.

Somatórios

14

4.1. Introdução aos Somatórios

14

4.2. Definição Formal de Somatório

15

5.

Equações

19

5.1. Equação do 1º Grau com uma Incógnita

19

5.2. Equação do 2º Grau com uma Incógnita

20

6.

Sistemas de Equações Lineares

24

6.1. Sistemas de equações lineares Possivel Determinado

26

6.2. Sistema de equações lineares Possivel Indeterminado

27

6.3. Sistema de equações lineares Impossivel

28

6.4. Sistemas de equações lineares Possiveis a 3 incógnitas

28

7.

Representação Gráfica

31

7.1.

Coordenadas Cartesianas no Plano

31

7.2.

Gráfico de uma equação

32

7.4.

Equação Reduzida da Recta

37

7.

oções de Matemática Financeira

42

7.1. Juros Simples

44

7.2. Juros Compostos

48

7.3. Aumentos e descontos sucessivos

52

7.4. Taxas nominais e efectivas

53

8.

Rendas

56

8.1. Rendas Postecipadas

56

8.2. Rendas Antecipadas

58

9.

Quadros de amortização de dívidas

60

10.

Análise de projectos de investimento

64

10.1. Valor Actual Líquido (VAL)

10.2. Prazo de Recuperação/Pay-Back

Rui Mendes

65

66

2

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

10.3. Índice de rentabilidade

68

10.4. TIR

70

11. A atureza da Estatística

72

11.1. Definições básicas da estatística

72

11.2. Tabelas de frequências

73

11.2.1. Tabelas com dados não agrupados

73

11.2.2. Tabelas com dados agrupados

75

11.3.

Representação Gráfica

76

12. Medidas de Localização

82

12.1. Média

83

12.2. Moda (Mo)

86

12.3. Mediana (Md)

88

13. Medidas de Dispersão

92

13.1. Amplitude Total

93

13.2. Variância

94

13.3. Desvio-padrão

96

13.4. Coeficiente de Variação de Pearson

97

14. Coeficiente de Correlação

Exames e Minitestes

Rui Mendes

101

3

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

1. Operações com úmeros Relativos

1.1. Adição

Quando os números têm o mesmo sinal basta conservá-lo e adicionar os números; quando os sinais são contrários subtraímos o menor do maior, e o sinal que prevalece é o deste último. É bom lembrar também que o sinal mais (+) antes de um parêntese não vai alterar o sinal do número que está entre parênteses, ocorrendo o oposto quando o sinal antes do parêntese for o de (–). Se não houver nenhum sinal antes do parêntese estará implícito que o sinal será o de mais (+).

Exemplos:

i.

10 +

(+2) = 10 + 2 = 12

ii. 10 + (2) = 10 2 = 8

iii. 10 + (+2) = −10 + 2 = −8

iv. 10 + (2) = −10 2 = −12

Quando devemos somar mais de dois números relativos o resultado é obtido somando o primeiro com o segundo, o resultado obtido com o terceiro, e assim por diante até a última parcela.

Exemplo:

5 + (3) + (7) + 3 + 4 =

Exemplo: 5 + ( − 3) + ( − 7) + 3 + 4 = =
= 2 + (−7) + 3 + 4 = = (−5) + 3 + 4
= 2 + (−7) + 3 + 4 =
=
(−5) + 3 + 4 =

= (2) + 4 =2

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

em seguida, somar os dois números de sinais contrários obtidos.

Efetuando a soma do exemplo anterior, temos:

— soma das parcelas positivas:

(+5) + (+3) + (+4) = +12

— soma das parcelas negativas:

(3) + (7) = −10

— soma de ambos os resultados:

12 + (10) = 2

1.2. Subtracção

Cumpre observar que o sinal de menos (–) antes de um parêntese troca o sinal do número que está entre parênteses e, no mais, procedemos como na operação anterior.

Exemplos:

i.

10 (+2) = 10 2 = 8

ii. 10 (2) = 10 + 2 = 12

iii. (10) (+2) = −10 2 = −12

iv. (10) (2) = −10 + 2 = −8

1.3. Multiplicação

Exemplos:

i. 10 × 2 = 20

ii. 10 × (2) = −20

iii. (10) × 2 = −20

Rui Mendes

5

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

 

iv.

(10) × (2) = 20

1.4.

Divisão

Exemplos:

 
 

i.

10 =

5

 

2

 

ii.

10 =−

5

 
 

2

10

 

iii.

2

=−

5

iv.

10

=

5

2

1.5. Potenciação

Quando, em uma multiplicação, os factores são todos iguais, em módulo e em sinal, esta operação recebe o nome de potenciação. Assim sendo, a potência de um número é o produto de factores iguais a este número, sendo representada por:

a

expoente (n.º de repetições dos fatores iguais)

p

base (é o número ou fator em questão)

Conforme veremos a seguir, toda potência de expoente par é positiva, qualquer que seja o sinal da base, porém, toda potência de expoente ímpar tem o sinal de base.

Exemplos:

i.

ii.

iii.

Rui Mendes

( 2)

+

4

(

2)

4

( 2)

+

3

( 2)

= +

( 2)

= −

( 2)

= +

( 2)

× +

× +

(

2)

( 2)

× −

( 2)

× −

(

× +

2)

(

× +

2)

× +

× −

( 2)

( 2)

=

8

=

=

16

16

6

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

iv.

(

2)

3

( 2)

= −

( 2)

× −

( 2)

× −

=−

8

A esta altura é interessante notar a diferença entre a potenciação seqüencial e a potenciação escalonada, que serão analisadas logo a seguir.

a) Potenciação Seqüencial: 2 3 3 [(2) ] = [4] 64 = , que também
a) Potenciação Seqüencial:
2
3
3
[(2) ]
=
[4] 64
=
, que também pode ser efetuada diretamente mantendo-se a base
e multiplicando-se os expoentes:
2
× 3
6
2
=
2
=
64
b) Potenciação Escalonada:
3
2
3
2
2
2
que pode ser entendida como
, ou seja:
2
8
2
3 =
2
=
256

1.6. Radiciação

a) Raiz n-ésima de um número:

Dizemos que um número “b” é a raiz n-ésima exata de um número “a” quando

a = b

n

e ela é representada por

n a
n
a

= b

Denomina-se radiciação a operação pela qual se obtém a raiz n-ésima de um número. Nas operações exatas, a radiciação é a operação inversa da potenciação.

 Temos então:     Assim sendo 9 = 3 porque
Temos então:
Assim sendo
9 = 3 porque

Rui Mendes

O sinal

O número "

O

sendo 9 = 3 porque Rui Mendes O sinal O número " O é o radical

é o radical

a " é o radicando

número " " é o índice do radical

n

3

2 =

9

7

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

3 8
3
8

= 2

porque

2

3 =

8

No caso de n = 2 a raiz diz-se quadrada.

No caso de n = 3 a raiz se diz cúbica.

Exemplos:

2.º caso

1.º caso

   64 =± 8 pois      4 625 =±
64
8 pois
4
625
5 pois
 

(

+

8

)

2

=

64

(

8

)

2

=

64


(

+

5

)

4

=

625

5

)

4

=

625

 − 4
4


2i e, é considerado um imaginário puro

tal assunto não será abordado nesta disciplina

Observação: pelo que foi exposto, se alguém lhe perguntar qual é o valor de

simplesmente 3. Agora se for pedido o valor algébrico do

de simplesmente 3. Agora se for pedido o valor algébrico do 9 teremos então ± 3.

9 teremos então ± 3.

se for pedido o valor algébrico do 9 teremos então ± 3. 9 , a resposta

9 , a resposta e

2. Produto e Divisão de Potências de Mesma Base

a)

Para multiplicar potências de mesma base, repetimos a base e somamos os expoentes.

b)

Para dividir potências de mesma base, repetimos a base e subtraímos o expoente do denominador do expoente do numerador.

Ilustração 2.1

 
 

1

1 3

3

a

 

2

 

4

 

3

4

2

+ − +

 

 

2 = a

2

2

×a ×a ×a = a

 

b

8

=

b

8

5

=

b

3

b

5

 

2

x

2

5

3

 

= x

 

= x

5

x

I

3

=

I

3

(

− −

4)

=

I

7

I

4

2.1. Expoente ulo

Toda potência de expoente nulo é igual à unidade.

0

a =

1 , para qualquer a .

Rui Mendes

8

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

Observação:

São

indeterminação.

exceções

0

0 e

0

,

que

não

têm

qualquer

significado

numérico,

sendo

símbolos

de

2.2. Expoente egativo

Toda potência de expoente negativo equivale a uma fracção cujo numerador é a unidade e o

denominador é a potência com o expoente positivo ou seja:

Exemplos:

i.

ii.

Observações:

1

1

16

1

9

2 =

=

2

4

2

3 =

1

=

3

2

4

1 − n a = n a
1
− n
a
=
n
a

. (1)

1ª) Em conseqüência do exposto anteriormente temos:

n 1 a = − n a
n 1
a =
− n
a

(2)

2ª) Agora podemos obter o mesmo resultado do item (d) da ilustração 11 por outro caminho:

I

3

I 4

=

I

3

×

I

4

=

I

7

2.3. Expoente Fracionário

Toda potência de expoente fracionário equivale a uma raiz cujo índice é o denominador da fracção e cujo radicando é a base elevada a um expoente igual ao numerador, ou seja:

p q q p a = a Exemplos:
p
q
q
p
a
=
a
Exemplos:

(3)

Determinar os valores algébricos das seguintes operações:

2

2 3 i. 8 3 = 3 8 = 64 = 4
2
3
i.
8
3
=
3 8
=
64
=
4

Rui Mendes

9

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

ii.

iii.

16

4

Métodos Quantitativos ii. iii. 16 4 − =± 1 2 2.4. úmeros Utilização de Potências de

1

2

2.4.

úmeros

Utilização de Potências de Dez para simplificar a representação de certos

Exemplos: 3 2000 = 2 ×10 6 4000000 = 4 ×10 4 0,0003 = ×
Exemplos:
3
2000 = 2 ×10
6
4000000 = 4 ×10
4
0,0003
= ×
3
10 −
3
0,025
=
25
×
10 −

(*) Antigamente representava-se 2 e 4 milhões, respectivamente por 2.000 e 4.000.000. Já há alguns anos aboliram-se os pontos separatrizes de classes, mantendo-se agora um espaço entre as mesmas.

3. Operações com fracções

A adição e a subtracção fracções homogéneas (que têm denominadores iguais) são efectuadas, repetindo-se os denominadores e efectuando-se as devidas operações com os numeradores. Veja:

3

2

3

+

2

5

+

=

=

6

6

6

6

5

3

5

3

2

=

=

8

8

8

8

As propriedades da adição de números naturais também são válidas para a adição de números fracionários.

Propriedade comutativa: a ordem das parcelas não altera a soma

2 +

5

1

5

=

1

5

+

2

5

=

3

5

Propriedade associativa: podemos associar duas ou mais parcelas, de maneiras diferentes, sem que o resultado (soma) seja alterado.

3

8

+

1  +

8

5

8

=

3

8

+

1

8

+

5  =

8

9

8

Lembre-se que uma fracção do tipo 9/8, que tem o numerador maior que o denominador, é maior que a unidade (8/8).

Rui Mendes

10

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

9 =

8

8

8

+

1

8

1

= +

1

8

No caso de efectuarmos a adição e a subtracção com fracções heterogéneas (que têm denominadores diferentes), é preciso transformá-las em fracções equivalentes às que tenham denominadores iguais.

Para obtermos fracções equivalentes, é preciso multiplicar ou dividir o numerador e o denominador

de uma fracção por um mesmo número natural, diferente de zero.

Exemplos:

i. Ao determinarmos as fracções equivalentes a 2/3, temos:

Ao determinarmos as fracções equivalentes a 2/3, temos: ii. Vamos efectuar a seguinte adição: 3 1

ii. Vamos efectuar a seguinte adição:

3

1 3

1

2

+

2

5

+

=

+

=

=

2 3

 

6

6

6

6

iii. Vamos efectuar a seguinte subtracção:

5

1

=

15

4

=

15

4

=

11

8

6

24

24

24

 

24

Sempre que efectuamos qualquer operação com fracções, devemos encontrar o resultado mais simples possível, ou seja, uma fracção equivalente com numerador e denominador menores.

O processo usado para simplificar uma fracção é a aplicação da mesma propriedade usada para

encontrar fracções equivalentes, ou seja:

64 , temos:

Na simplificação da fracção 60

usada para encontrar fracções equivalentes, ou seja: 6 4 , temos: Na simplificação da fracção 60

Rui Mendes

11

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

16 é a forma simplificada da fracção 60

64 .

Portanto, 15

Exemplos:

i.

ii.

iii.

5

7

3

20

 

14

 

9

6

9

15

5

 

+

=

+

=

+

=

=

     

6

12

8

24

 

24

 

24

24

24

 

24

8

1

1

2

=

20

14

+

9

=

6

+

9

=

15

=

5

     

10

5

24

24

24

 

24

24

 

24

 

8

2

  3

4

1  −

5

1

6

2

= −

= 2

  15

20

23

=

4  −

20

1

6

120

23

=

2

= −

97

=

11

20

1

6

60

+

37

   

60

60

60

 

60

 

60

60

33

37

60

60

= −

2

= +

1

10

60

=

3.1. Multiplicação de fracções

Para multiplicar fracções, devemos multiplicar os numeradores e os denominadores entre si.

Quando fazemos uma multiplicação de fracções, podemos simplificar a operação usando o processo de cancelamento. Veja:

7 7

4 1

4

7

=

=

=

7

.

.

.

8 4.2

5 5

5

2

 

10

Para multiplicar uma fracção por um número inteiro, devemos multiplicar esse número pelo numerador da fracção e repetir o denominador. Por exemplo:

2.

3

7

=

6

7

Nas expressões numéricas com fracções, devemos lembrar que a ordem em que as orações devem ser efetuadas é:

1. Potenciação e radiciação;

2. Multiplicação e divisão;

3. Adição e subtracção.

Exemplos:

Rui Mendes

12

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

4


i. Resolver a expressão :

2.   2

3

3  −

5

4

5

 


2.   10

15

2

 

15

9  −

15

12

 

15

=

4

4

 

5


2.   1

4

5

 

2

 

4

5

= −

4

= −

4

−

10

15

15

= −

4

15

6

8

m

1

,
2

=

− −

 

10

15

 

4

= −

= +

4

ii. Uma lojista vendeu 3 partes de uma peça de tecido:

m e

metros vendeu ao todo.

iii.

6 +

3 6

1 4

 

6

16

 

+

=

+

+

=

8

4 8

2 8

 

8

8

 

2

5

João ao receber o seu vencimento, gastou

= 2m

1

com renda da casa e 2

em custos com a alimentação. Que fracção do salário ainda restou?

3

1- 5 = 5

2

(valor que sobrou do vencimento após ter pago a renda da casa)

1 (valor que gastou com a alimentação)
2

.

3

5

=

3

10

1

3

3

=

10

6

3

=

1

(fracção que sobrou ao João do seu salário)

5

10

10

10

10

10

 

Exercicios:

 
 

5

i.

1

+

3

=

 

4

2

10

 

1

1 −    1

 

3   =

 

ii.

iii.

8

+

3

2   5

3

1

7

.

1   =

4

10

Rui Mendes

3

4

m . Quantos

do que sobrou

 

13

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

4. Somatórios

4.1. Introdução aos Somatórios

Muitas vezes precisamos de escrever expressões que envolvem somas com um grande número de parcelas e, para facilitar, vamos intoduzir o conceito de somatório ou, como preferem alguns autores, a notação sigma. Tal notação envolve o uso do símbolo ΣΣΣΣ, que é a letra “sigma” maiúscula do alfabeto grego.

Por exemplo, a soma

a

1

+ a

2

+ a

3

+L+ a

n

com n termos (parcelas), pode ser sintetizada por meio do conceito de somatório. Simbolizaremos

por

por diante até chegarmos a

3 , o terceiro, e daí

a

i

o i-ésimo termo da soma, pois,

a

1

é o primeiro termo,

a

2

é o segundo,

a

a

n

. Temos então:

a

1

+

a

2

+

L

+

a

n

=

i = n

i =

1

a =

i

n

i =

1

a

i

e convém ressaltar as seguintes partes:

n ∑ i = 1
n
i = 1

o último elemento dos

termos a serem somados

a instrução

para somar

a i
a
i

termo geral do somatório

i é uma observação individual da série

o primeiro elemento dos termos a serem somados

Temos também que i =

somatório, e lê-se: “Somatório de a i , para i variando de 1 até n”.

1

é

o limite inferior, i

=

n

é o limite superior, sendo “i” o índice do

Não é absolutamente necessário, conforme veremos nos exemplos subsequentes, que i se restrinja sempre ao intervalo 1 i n. Mas i deve assumir sempre valores inteiros e variar de um em um no sentido crescente.

1 2 3 4 n L − 4 − 3 − 2 −1 0 1
1 2
3
4
n
L − 4
− 3
− 2
−1
0
1
2
3
4
→
←
→
→
sentido crescente
−∞
sentido crescente
−∞
(a)
(b)
L  → i  L → i

L  →

i 

L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i
L  → i  L → i

L →

i

Rui Mendes

14

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

Convém também ressaltar que i é um “símbolo mudo”, pois qualquer outra letra pode ser usada para este propósito. Alguns exemplos da notação sigma são dados na ilustração a seguir:

Exemplos:

6

2 2 2 2 2 2 i. i 2 = 1 + 2 + 3
2
2
2
2
2
2
i. i 2 = 1 + 2 + 3 + 4 + 5 + 6
i = 1
3
ii.
(3
i
+
2)
=
[ (− )+ ]+ [ (− )+ ]+ [ ( )+ ]+ [ ( )+ ]+ [ ( )+ ]+
3
2
2
3
1
2
3 0
2
3 1
2
3 2
2
i
=−
2
= 4 + (−1)+
2 + 5 + 8 + 11
n
3
3
3
3
3
iii. j
=
1
+
2
+
3
+
L
+
n
j = 1
8
1
1
1
1
1
1
1
iv. 1
=
+
+
+
+
+
+
2 k
2
3
4
5
6
7
8
k =

4.2. Definição Formal de Somatório

[3(3)

Expandindo as considerações iniciais temos então :

+

2]

=

n ∑ F(i) = F(m) + F(m + 1) + F(m + 2) + L
n
F(i)
=
F(m)
+
F(m
+
1)
+
F(m
+
2)
+
L +
F(n
− 1) +
F(n)
(1)
i
= m
onde F( i ) , que é a função geradora do somatório, é uma função da variável
i ( ou de outra
que seja escolhida ), m e n são números inteiros, sendo m ≤ n , e i varia de um em um, desde o
valor m até o valor n.

O lado direito de (1) consiste na soma de n m +1 termos , o primeiro dos mesmos sendo obtido substituindo-se i por m em F( i ) , o segundo substituindo-se i por m +1 em F(i), e assim

por n em F( i ). Nunca é

sucessivamente, até

demais relembrar que i é um "símbolo mudo", pois qualquer outra letra pode ser empregue para este fim. Por exemplo,

que o último

termo seja obtido substituindo-se i

é equivalente a

6

i= 2

2

i = 2

6

k = 2

k 2 = 2

2

2

2

2

2

 

+ 3

+ 4

+ 5

+ 6

2

2

2

2

2

 

+ 3

+ 4

+ 5

+ 6

Rui Mendes

15

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

A ilustração seguinte evidencia mais algumas aplicações do conceito de somatório :

EXEMPLOS:

 
 

50

(a)

x

i =

x

1

+

x

2

+

x

3

+

L

+

x

50

 

i

= 1

 

6

(b)

x

k

y

k =

x

2

y

2

+

x

3

y

3

+

x

4

y

4

+

x

5

y

5

+

x

6

y

6

k

= 2

 

500

 

2

2

2

2

 

(c)

j = 1

(x

j

x)

 

=

(x

x)

+

(x

2

x)

+

L

+

(x

x)

,sendo x =constante

 

1

500

 
 

20

(d)

i =− 5

i

(

= −

5)

(

+ −

4)

(

+ −

3)

(

+ −

2)

(

+ −

1)

+

0

1

+ +

2

+

L

+

20

 

2

2

k

+

1

 

1

3

 

5

(e)

       

k= 0

 

=

 

+

 

+

 
   

3

3

 

3

 

3

 

6

i

2

3

2

 

4

2

5

2

6

2

9

16

 

25

36

(f)

 

=

 

+

+

 

+

=

+

+

+

 
         
 

i= 3

i

+ 1

3

+

1

 

4

+

1

5

+

1

6

+

1

4

5

 

6

7

Também já vimos que os termos da soma podem envolver subíndices, porém a ilustração a seguir ajudará a sedimentar tal facto, até porque podemos ter também expoentes.

EXEMPLOS: 10 (a) ∑ kb 4b + 5b + L + 10b k = 4
EXEMPLOS:
10
(a)
∑ kb
4b
+
5b
+
L +
10b
k =
4
5
10
k = 4
n
2 3
n +
1
j +
1
(b)
a b
+
a b
+
L +
a b
=
a b
1
2
n
j
j = 1

Exercícios:

5

i. Escreva os termos de

Temos que:

Rui Mendes

i = 1

(2

i

+ 3) e ache a soma.

16

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

5

i=

5

1

i = 1

(2

x

i

i

+

=

3)

=

5

+

7

+ +

9

11

+

13

=

45

ii. Sendo x = { 7, 3, 9, 5, 6 }

x

1

+

x

2

+

x

3

+

x

4

+

x

5

=

7

+ +

3

9

5

calcular

+ +

5

6

=

i = 1

30

x

i

.

iii. Calcule os somatórios a seguir escrevendo as parcelas e determinando a soma.

(a)

(b)

4

i= 1

4

i = 1

i

i

= +

1

2 =

1

2

2

+

4

4

(a)

i ;

(b) i

i = 1

i = 1

+ +

3

4

2

2

+

3

2

=

+

10

2

4

=

30

2

;

(c)

(d)

4

i= 1

4

i= 1

i

i

3 =

4 =

3 3

1 2

+

4

1 2

+

4

+

+

3

3

3

4

+

+

3

4

4

4

=

=

100

354

iv.

Sabendo-se que

70

i= 1

x

i

=

700 e que

Temos que :

+

70

x

i

=

x

1

i = 1

e então,

x

14243

+

+

x

L

2

69

69

i = 2

x i = 680

x +

1

680

+ x =

70

700

+

donde,

x + x =

1

70

700

680

=

Assim sendo, 10% de

20

(

x

1

x

70

+ x

= 700

70

)

= 10% de 20 = 2

Rui Mendes

4

(c)

i = 1

i

69

i= 2

x

i

=

3

;

4

(d)

i = 1

i

4

680 , calcule 10 % de (

x

1

+ x

70

)

.

17

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

Exercícios Propostos sobre Somatórios

i. Desenvolva os somatórios e efetue as simplificações:

(a)

(b)

(c)

6

(3

i

= 2

6

(3

i = 1

i 1)

i 2)

4

i = 1

 +

2

1

i

(d)

7

(

i = 1

i +

2

1)

6

(f)

j = 3

2

j

(

j

2)

3

(g) 2

i =− 2

i

3

(h)

i

= 0

 

1

2

1

+ i

4

(i)

k = 1

 

k + 1

( 1)

k

 

3

 

(j)

k +

3

(

a

i

a

k

(m)

(n)

=− 2

n

i = 1

100 100

i

i

i 1

k

 

i

=

3

i

= 5

)

ii. Sendo x = {7, 3, 9, 5, 6} e y = {3, 2, 8, 1, 1} calcular:

5

(a)

(b)

i

= 1

5

i = 1

y

i

x

2

i

5

( c)

i

= 1

x

i

y

i

(d)

(e)

5

(

i

= 1

5

(

i = 1

x

x

i

i

+

+

2)

1)(

y

i

3)

iii. Sabendo-se que

Rui Mendes

80

i = 1

x

i

=

800

5

(f) (

i

= 1

x

i

+

2)

2

5

(

x

i

+

4)

(g)

5

i

= 1

(

y

i

+

4)

i = 1

(h)

(i)

5

i = 1

x

i

y

i

5

(

i

= 1

x

i

y

i

)

e que

79

i= 2

x

i

=

780 , calcular 20% de

x

1

+ x

80

.

18

Métodos Quantitativos

Métodos Quantitativos

5. Equações

5.1. Equação do 1º Grau com uma Incógnita

To