Vous êtes sur la page 1sur 14
Experimento 1 Circuitos Elétricos I Diego Vinicius Drumond da Cruz – RA: 11033710 Professor Dr.

Experimento 1 Circuitos Elétricos I

Diego Vinicius Drumond da Cruz RA: 11033710

Professor Dr. Edmarcio A. Belati

Santo André

3-2014

Resumo

Neste experimento foram gerados dois sinais de tensão alternados e periódicos:

um senoidal e outro quadrada. Suas características (valor máximo, valor médio, valor eficaz, valor de pico-a-pico, frequência e período) foram medidas pelos instrumentos do laboratório e calculadas pelas equações apropriadas. A comparação das características dos dois sinais permitiu perceber as diferenças de funcionamento entre diferentes tipos de sinais variáveis. Percebeu-se uma a ligeira discrepância entre os valores medidos por diferentes instrumentos de medição (multímetros e osciloscópios), devida às diferenças de precisão e de funcionamento dos equipamentos. Os valores experimentais e teóricos foram comparados e, sendo muito próximos, pôde-se concluir que as equações utilizadas estavam corretas.

2

Sumário

1. INTRODUÇÃO

4

2. OBJETIVOS

5

3. DESCRIÇÃO EXPERIMENTAL E METODOLÓGICA

6

3.1 Materiais e Instrumentação

6

3.2 Cuidados Experimentais

6

3.3 Procedimento Experimental

7

3.3.1

Parte I Onda Senoidal

7

3.3.1.1 Onda Senoidal Completa

8

3.3.1.2 Onda Senoidal com Retificação de Meia-Onda

8

3.3.1.3 Onda Senoidal com Retificação de Onda Completa

8

3.3.2

Parte II Onda Quadrada

9

3.3.2.1

Onda Quadrada Completa

9

4. RESULTADOS

9

4.1 Parte I Onda Senoidal

9

4.1.1 Onda Senoidal Completa

10

4.1.2 Onda Senoidal com Retificação de Meia-Onda

11

4.1.3 Onda Senoidal com Retificação de Onda Completa

12

4.2 Parte II Onda Quadrada

12

4.2.1

Onda Quadrada Completa

12

5. CONCLUSÃO

12

Referências Bibliográficas

14

3

1.

INTRODUÇÃO

Em circuitos e dispositivos elétricos que trabalham em regime de sinal variável no tempo, caracterizá-los apenas pelo valor máximo ou de pico (isto é, o máximo valor do sinal ou a amplitude da onda [3] ) pode não ser suficiente, visto que a forma de onda do sinal alternado influencia diversas propriedades do sinal e como o circuito responde a ele. Pode ser necessário, para a completa caracterização e análise de um circuito ou elemento de circuito, determinar outras características do sinal variável, como por exemplo, valor médio, valor eficaz, valor pico-a-pico, frequência e período [1] . O valor médio de sinais variáveis no tempo é o valor que, se fosse empregado de forma constante em um circuito por certo intervalo de tempo Δt = t 2 t 1 , teria o mesmo

efeito provocado pelo sinal variável aplicado ao circuito pelo mesmo intervalo de tempo. Isto é, a integral (ou a área sob a curva) do sinal alternado é igual à de seu valor médio, durante um mesmo intervalo Δt [2] . Sendo assim, o valor médio é definido como a variação total do sinal num intervalo de tempo dividido pelo tempo total percorrido [1] . Por ser uma integral de uma curva, o valor médio depende das características da forma de onda do sinal [1] . Assim, uma onda triangular terá um valor médio diferente de uma onda senoidal, mesmo que seus períodos e amplitudes sejam iguais, pois suas integrais são diferentes. O valor médio de um sinal senoidal é zero, pois a área da parte positiva da curva é igual à da parte negativa. O valor eficaz ou rms (do inglês “root mean square”, ou raiz quadrada da média) de um sinal variável no tempo é o valor de um sinal constante que entregaria a mesma potência a um resistor que uma onda alternada durante um período de tempo [1] . O valor pico-a-pico (V pp ) de um sinal alternado é o dobro do valor de pico, correspondendo ao módulo da diferença entre os valores extremos que o sinal pode assumir [3] .

A frequência (f) de um sinal periódico representa o número de ciclos completos de

oscilação por unidade de tempo que a onda completa. Quando se mede o número de oscilações por segundo, a unidade de frequência e o Hertz (Hz) [3] .

O período (T) de um sinal periódico, como já dito, é o intervalo de tempo que a

onda leva para completar uma oscilação. É o inverso da frequência, e dado em segundos (s) [3] . Logo, quanto maior a frequência, menor o período, e vice-versa. Todas as características acima são referentes à tensão alternada, sejam elas senoidais, quadradas, triangulares entre outras e possuem uma região de tensão positiva

4

e outra negativa. A onda senoidal é um tipo de tensão característico das redes de transmissão de energia. Contudo, a maioria dos equipamentos eletrônicos funciona à base de tensão contínua, com valores que não variam. Dessa forma, para o correto funcionamento dos equipamentos, é necessária a retificação da tensão alternada, tomando apenas valores positivos, feita a partir de circuitos retificadores [4] . Um exemplo de circuito retificador de meia onda é o diodo, que é conectado em série com a fonte de tensão alternada. O diodo é um dispositivo semicondutor que permite a passagem de corrente somente em um sentido, ou seja, em situações de polarização direta o diodo age como chave fechada e quando é polarizado inversamente, age como chave aberta. Portanto, o diodo permite a passagem de corrente quando a tensão de entrada está no seu ciclo positivo e não permite a passagem no ciclo negativo. Logo, toda a parte negativa da tensão de entrada é “cortada” pelo diodo, constituindo assim um retificador de meia onda [5][6] . Para a retificação completa de uma onda, pode ser utilizada uma montagem do tipo ponte, como mostrado na Figura 1:

uma montagem do tipo ponte, como mostrado na Figura 1: Figura 1. Circuito retificador de onda

Figura 1. Circuito retificador de onda completa [7] .

2.

OBJETIVOS

Medição das características (valor máximo, valor médio, valor eficaz, valor de pico- a-pico, frequência e período) de sinais com diversas formas de onda com diversos instrumentos disponíveis no laboratório. Comparação e interpretação dos dados obtidos.

5

3.

DESCRIÇÃO EXPERIMENTAL E METODOLÓGICA

3.1.

Materiais e instrumentação

Gerador de Sinais (Tektronix) com cabo BNC-jacaré;

Osciloscópio com duas pontas de prova;

Matriz de contatos (Protoboard).

3.2.

Cuidados experimentais

Deve-se ligar os equipamentos assim que se chegar ao laboratório e deixá-los “aquecendo” antes de começar a realizar as medições. Deve-se configurar a impedância do gerador de sinais para a função High Zpara obter os sinais esperados no osciloscópio. Também se deve ter cuidado com o manuseio dos resistores por serem frágeis, evitando-se sua quebra.

3.3. Procedimento experimental

O experimento foi dividido em duas partes: na Parte I, analisou-se uma onda senoidal completa, com retificação de meia-onda e com retificação de onda completa. Na Parte II, analisaram-se as mesmas propriedades para um sinal triangular, novamente sem retificação, com retificação de meia-onda e com retificação de onda completa. Em ambos os casos, a tensão pico-a-pico foi ajustada para 10V, e a frequência, para 250Hz. Com o osciloscópio, o multímetro de bancada e o multímetro portátil, realizaram-se medições de diversas propriedades dos sinais. No osciloscópio os valores obtidos foram medidos através dos cursores calculados automaticamente através da função “Meas” (measure) do aparelho. Assim, obtiveram-se os valores da tensão pico-a- pico, da tensão média e da tensão rms medida em ciclos. A frequência e o período também foram dados automaticamente pela função. Após usar o osciloscópio foram feitas as medições com o multímetro de bancada e o portátil de modo convencional obtendo a tensão efetiva (rms) e a frequência. Todos os outros valores teóricos para onda completa, retificação de meia-onda e retificação de onda completa foram calculados posteriormente ao experimento com as seguintes Equações (1) a (6):

A tensão média (V média ) em um circuito com tensão variável no tempo, no intervalo entre t 1 e t 2 , é dada por (1):

6

(1)

Para tensões periódicas, cujo intervalo de tempo no qual completam uma oscilação é sempre o mesmo, pode-se calcular seu valor médio usando como intervalo de tempo um período (T), isto é, o tempo levado para uma oscilação completa do sinal, como mostrado em (2):

O valor eficaz (V ef ) ou rms (V rms ) é dado por (3):

Dependendo do formato da onda, pode-se determinar uma equação particular para cálculo do valor eficaz do sinal. Quando o sinal alternado é senoidal, por exemplo, sabendo-se que a tensão senoidal é dada por V(t) = V máx *sen(ωt) (em que V máx é a amplitude da onda e ω é a frequência angular) e que o período é T = 2π, tem-se [1] :

angular) e que o período é T = 2π , tem-se [ 1 ] : A

A tensão pico-a-pico de um sinal corresponde à variação total em módulo do valor

da tensão, de um pico a outro, e é dada por (5):

 

(5)

O

período

e

a

frequência,

sendo

inversamente

proporcionais,

podem

ser

encontrados através da relação (6):

 
 

(6)

3.3.1 Parte I Onda Senoidal

3.3.1.1 Onda Senoidal Completa

A tensão pico-a-pico de um sinal corresponde à variação total em módulo do valor

da tensão, de um pico a outro, e é calculada com uso da tensão de pico a pico, que é

conhecida:

(1)

7

A tensão média (V média ) em um circuito com tensão variável no tempo, no intervalo entre t 1 e t 2 , é dada por:

(2)

Para tensões periódicas, cujo intervalo de tempo no qual completam uma oscilação é sempre o mesmo, como é o caso da onda senoidal, pode-se calcular seu valor médio usando como intervalo de tempo um período (T), isto é, o tempo levado para uma oscilação completa do sinal:

O valor eficaz (V ef ) ou rms (V rms ) é dado por:

Dependendo do formato da onda, pode-se determinar uma equação particular para cálculo do valor eficaz do sinal. No caso, para o sinal senoidal, sabendo-se que a tensão senoidal é dada por V(t) = V máx *sen(ωt) (em que V máx é a amplitude da onda e ω é a frequência angular) e que o período é T = 2π, tem-se [1] :

angular) e que o período é T = 2π , tem-se [ 1 ] : O

O período, sendo inversamente proporcional à frequência (que é conhecida), pode

ser calculado por:

 

(6)

 

3.3.1.2

Onda Senoidal com Retificação de Meia-Onda

A

tensão máxima é igual à tensão de pico-a-pico, já que a onda está retificada.

 

A

tensão média para um sinal com retificação de meia-onda é calculada por:

 

(7)

A

tensão eficaz para um sinal com meia retificação é dada por:

 

(8)

O

período de oscilação é calculado pela equação (6).

8

3.3.1.3 Onda Senoidal com Retificação de Onda Completa

A

tensão máxima é igual à tensão de pico-a-pico, já que a onda está retificada.

A

tensão média para um sinal com retificação de onda completa é calculada por:

 

(9)

A

tensão eficaz para um sinal com retificação completa é dada por (8).

O

período de oscilação é calculado pela equação (6).

 

3.3.2

Parte II Onda Quadrada

 

3.3.2.1

Onda Quadrada Completa

 

A

tensão máxima é dada pela Equação (1).

 

A

tensão média é calculada conforme a Equação (3).

 

A

tensão eficaz para uma onda triangular é dada por:

O

período de oscilação é calculado pela equação (6).

(10)

4.

RESULTADOS 4.1. Parte I - Onda senoidal:

Conforme descrito anteriormente, mediram-se a tensão pico-a-pico, o valor máximo, o valor médio, o valor eficaz, o período e a frequência de uma tensão senoidal gerada pelo gerador de sinais.

4.1.1. Onda senoidal completa:

A forma de onda obtida pelo osciloscópio é mostrada na Figura 2:

9

Figura 2. Forma da onda senoidal obtida pelo osciloscópio. Os dados medidos com os multímetros

Figura 2. Forma da onda senoidal obtida pelo osciloscópio.

Os dados medidos com os multímetros e o osciloscópio e os valores teóricos calculados para diversas características da onda senoidal completa são apresentados na Tabela 1:

Tabela 1. Valores medidos e calculados para a onda senoidal completa.

     

V

médio

     

V pp (V)

V máx (V)

(mV)

V rms (V)

T (ms)

f (Hz)

Valor teórico

10,0

5,00

 

0,0

3,5360

4,0000

250,00

Osciloscópio

10,2

5,11

-15,3

3,5282

3,9988

249,93

Multímetro

Bancada

----

----

 

----

3,5290

----

250,00

digital

Portátil

----

----

 

----

3,5460

----

250,00

Nota-se que nem todos os dados da Tabela 1 são preenchidos. Isso se deve ao fato de os multímetros digitais serem incapazes de realizar a medição dos valores de tensão de pico a pico, a amplitude da onda senoidal, o valor médio e o período da onda. Pode- se observar uma alta concordância entre os valores teóricos e os obtidos experimentalmente.

4.1.2. Onda senoidal com retificação de meia-onda:

10

A forma de onda obtida pelo osciloscópio para o circuito retificador de meia onda é mostrada na Figura 3:

o circuito retificador de meia onda é mostrada na Figura 3: Figura 3. Forma da onda

Figura 3. Forma da onda senoidal com meia retificação obtida pelo osciloscópio.

Os dados medidos com os multímetros e o osciloscópio e os valores teóricos calculados para diversas características do sinal senoidal com retificação de meia-onda são apresentados na Tabela 2:

Tabela 2. Valores medidos e calculados para o circuito retificador de meia onda.

     

V

médio

     

V pp (V)

V máx (V)

(V)

V rms (V)

T (ms)

f (Hz)

Valor teórico

5,00

5,00

1,5920

3,5360

4,0000

250,00

Osciloscópio

4,54

4,45

1,3106

1,6731

3,9974

249,91

Multímetro

Bancada

----

----

 

----

3,5690

----

251,00

digital

Portátil

----

----

 

----

3,5510

----

250,00

Novamente é observada a falta dos dados que não podem ser obtidos através dos multímetros. No caso do circuito retificador pode ser observado um grande desvio entre o valor eficaz de tensão medido pelo osciloscópio e o valor teórico.

11

4.1.3.

Onda senoidal com retificação de onda completa:

Os valores calculados para diversas características do sinal senoidal do circuito retificador de onda completa são apresentados na Tabela 3:

Tabela 3. Valores calculados para o circuito retificador de onda completa.

     

V

médio

     

V pp (V)

V máx (V)

(V)

V rms (V)

T (ms)

f (Hz)

Valor teórico

5

5

3,183

3,536

4

250

4.2. Parte II - Onda quadrada:

Conforme descrito anteriormente, mediram-se a tensão pico-a-pico, o valor máximo, o valor médio, o valor eficaz, o período e a frequência de uma tensão triangular gerada pelo gerador de sinais.

4.2.1. Onda quadrada completa:

A forma de onda obtida pelo osciloscópio é apresentada na Figura 4:

onda obtida pelo osciloscópio é apresentada na Figura 4: Figura 4. Forma da onda quadrada obtida

Figura 4. Forma da onda quadrada obtida pelo osciloscópio.

Os dados medidos com os multímetros e o osciloscópio e os valores teóricos calculados para diversas características da onda quadrada completa são apresentados na Tabela 4:

12

Tabela 4. Dados medidos e calculados para a onda quadrada completa.

 

V pp [V]

V max [V]

V

médio

V rms [V]

T [ms]

f [Hz]

[mV]

Valor teórico

10,00

5,00

 

0

2,887

4,0

250,00

Osciloscópio

10,50

5,10

-15,5

2,860

3,9

250,28

Multímetro

Bancada

----

----

 

----

2,849

----

260,00

digital

Portátil

----

----

 

----

2,872

----

250,00

5.

CONCLUSÃO

Durante a realização do experimento foi possível analisar todas as características

de sinais alternados periódicos, como valor máximo, valor médio, valor eficaz, valor de

pico-a-pico, frequência e período, e perceber como essas características alteram suas

propriedades dependendo do tipo de onda, No caso, pôde-se comparar tais

características de ondas senoidais e quadradas. As diferenças nas equações utilizadas

para calcular algumas dessas características comprovam as diferenças de funcionamento

e de operação de diferentes tipos de ondas.

Analisando os dados obtidos, pôde-se observar que os valores mensurados pelos

diferentes instrumentos foram muito próximos, mas não exatamente iguais. Conclui-se

que o uso de diferentes instrumentos pode gerar ligeiras variações nos resultados,

mesmo que os instrumentos mensurem as mesmas variáveis. Isso indica que as

precisões e os métodos de funcionamento e de utilização de cada instrumento não os

mesmos, embora a finalidade seja exatamente a mesma. Também se pode concluir que o

osciloscópio é o instrumento que fornece os dados mais completos para a análise de

circuitos de corrente alternada, visto que o multímetro não consegue medir certos

valores, como tensão de pico a pico e tensão média. Os dados teóricos que foram

calculados condisseram com os valores experimentais, ou seja, as equações que

descrevem os valores de tensão média e de tensão eficaz são corretas.

13

Referências Bibliográficas

[1] JOHNSON, D. E.; HILBURN, J. L.; JOHNSON, J. R. Fundamentos de análise de circuitos elétricos. 4. ed. Rio de Janeiro: Prentice-Hall do Brasil, 1994.

[2] NAKASHIMA, K. Valor médio e eficaz. Instituto de Engenharia de Sistemas e Tecnologias da Informação, Itajubá.

[3] PRÁTICAS DE ELECTROTÉCNICA. Princípios da corrente alternada. Universidade do Minho, Portugal.

[4]

<http://www.corradi.junior.nom.br/Projetosbasicos.pdf>. Acesso em: 11/12/2013.

Circuitos

retificadores.

Disponível

em

[5] SEDRA, Adel S.; SMITH, Kenneth C. Microeletrônica. 5ª ed. São Paulo, SP:

Prentice Hall do Brasil, 2007

[6] BOYLESTAD, Robert L., NASHELSKY, Louis. Dispositivos Eletrônicos e teoria de circuitos. 8ª ed. São Paulo, SP: Prentice Hall do Brasil, 2004

[7]

<http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAeKgAF/conversor-cc-cc-buck>. Acesso em: 11/12/2013.

em:

Imagem

de

um

circuito

retificador

de

onda

completa.

Disponível

14