Vous êtes sur la page 1sur 2

Ser Humano

[ Ficha de Estudo ]

«O futuro não o descobrimos como Cristóvão Colombo descobriu a América. Não temos
que descobri-lo, temos que o inventar. O homem só se define pelo seu futuro, pelos seus
possíveis. (…)
O homem é olhar em frente, é movimento para diante. Para modificar o mundo: não a
predição do futuro, mas sim a invenção do porvir. (…)
O ser humano nasce com o aparecimento do projecto. (…)
(…) o futuro que o homem concebe exerce uma influência eficaz sobre o presente que
por ele é construído.»
Roger Garaudy

Comente a última frase do texto.

«Neste mundo de experiência não só encontramos coisas como também acontecimentos


concretos. Nós experimentamo-nos sobretudo como ser humano entre seres humanos. No
mundo experimental humano a dimensão pessoal e social adquire um significado central.
Apesar de todos os objectivos e interesses “materiais”, é esta a esfera autêntica em que nós
vivemos como seres humanos. Só através da relação pessoal com outros seres humanos
crescemos; só assim conseguimos um mundo humano. Em geral, se nos realizamos no outro,
esse “o outro” do homem é primariamente “o outro”, o próximo, com quem estamos em
contacto pessoal, com quem falamos, com quem estamos unidos e em quem confiamos, a quem
amamos e com quem nos preocupamos, com quem convivemos e colaboramos. Deste modo
revela-se-nos o mundo pessoal da comunicação humana como a dimensão autêntica e essencial
da existência humana (…).»
E. Coreth

Explique a seguinte afirmação: «A experiência especificamente humana é a


comunicação. O “eu” só se constitui e constrói em diálogo com o “tu”.»

«Como ser fundamentalmente desprovido de recursos naturais, o homem deve criar o


meio de que precisa: esta criação fomenta um novo tipo de formas a que chamamos culturais e
que opomos às formas naturais que constituem o ambiente do animal. Talvez alguém me
contraponha que alguns animais, tal como as abelhas ou as formigas, possuem a capacidade de
modificar a natureza pelo seu trabalho e conseguem criar um meio exterior que lhes esteja
adaptado. O que separa o homem destes animais é o facto de ele reflectir acerca do meio
exterior que acaba de criar, de modo a fazer surgir um outro novo, e assim seguidamente, sem
que seja possível pôr termo a tal processo. A insatisfação é essencial ao homem. (…)»
Henri Niel
Com base no texto, esclareça a afirmação: «a insatisfação é essencial ao homem».

«Que é o homem? É uma pergunta como tantas outras que nos interpelam, quer na vida
diária, quer na investigação científica. Perguntamos pelo mundo e pelas coisas, pela matéria e
pela vida, pela sua essência e pelas suas leis. Que é tudo isto e qual é o seu sentido? E que é o
homem? É uma questão entre muitas outras. No entanto ela reveste características muito
especiais, dado que afecta o próprio homem que interroga.
No acto de perguntar ele mesmo é posto em questão.
O homem interroga-se a respeito da sua própria essência. Sente-se impelido a formular
esta pergunta porque ele constitui um problema para si mesmo. (…)
Mas pôr a questão (pelo facto de nos dizer respeito) implica já uma primeira resposta: o
homem é quem interroga. É aquele que pode perguntar e tem de perguntar.
Isto só o homem pode fazer. A pedra, a planta, o animal, não são dotados desta
capacidade. Vivem mergulhados na apatia de uma existência que não se põe em questão. Nem o
animal, apesar de perceber o mundo que o rodeia, é capaz de perguntar. Permanece ligado ao
dado concreto de um determinado fenómeno sem conseguir distanciar-se em relação a ele de
modo a poder interrogar-se acerca das razões ocultas. O que se lhe mostra permanece
indiscutível.
O animal fica aquém da capacidade de perguntar. Só o homem se encontra imerso na
possibilidade e necessidade de interrogar. É esta a característica própria da sua maneira de ser.
Mas que espécie de ser é este que, ao contrário de todos os outros, possui como característica
peculiar a capacidade e a necessidade de perguntar? Que espécie de ser é este que no próprio
acto de perguntar se torna objecto de interrogação e se sente constrangido a pôr a questão da sua
própria essência: o que é o homem?
Só o homem é capaz de se interrogar acerca da sua própria essência. Isto é certo: nada
mais, nem nenhum outro ser vivo no mundo é capaz de o fazer. Todo o ser vivo (à excepção do
homem) tem uma existência inconsciente e por conseguinte alheia a qualquer problema. Não
possui a capacidade de se interrogar acerca da sua própria essência. Só ao homem é dado
perguntar por tudo e até por si mesmo, pela sua própria essência. Deste modo transcende o que a
realidade lhe oferece de imediato.»
E. Coreth

Resuma a ideia central do texto.

…/…

Centres d'intérêt liés