Vous êtes sur la page 1sur 3

LOGÍSTICA E TURISMO: A RELAÇÃO DE SUCESSO DO JEEP TOUR.

Graduanda em Logística: Gerda Haering – FATEC SENAC RIO


Doutorando em Educação: Marcelo Pereira Marujo – UFRN – FACNEC – FATEC
SENAC RIO

A Jeep Tour, empresa criada para exploração do turismo ecológico na cidade do Rio
de Janeiro, cidade mundialmente conhecida não apenas pela beleza de seu litoral;
mas, também por ter dentro de seus limites a maior floresta urbana do mundo. A
supracitada empresa teve tudo para se desenvolver plenamente desde sua criação a
qual foi paralela ao expressivo evento Eco 92, amplamente divulgado entre todas as
nações, pois este fato bastaria para que a Jeep Tour, com foco tão ambientável
crescesse rapidamente já que os serviços oferecidos em carros abertos
representavam uma novidade para o turismo e, consequentemente, à cidade. No
entanto, a total ineficiência de um conceito de administração, logística, até mesmo
no aproveitamento da exploração turística consciente da Floresta da Tijuca,
consolidou-se durante muito tempo como um de seus maiores óbices para o seu
desenvolvimento, fazendo com que a Jeep Tour fosse vista por seus consumidores
atacadistas (operadores brasileiros de turismo receptivo internacional) como uma
empresa precária quando da realização de suas atividades. Pois, mais de uma
década de aprendizado foi necessária para que por intermédio de técnicas
administrativas empreendedoras, desenvolvimento logístico e de marketing, busca
de mercado em sua origem (exterior) por intermédio de suas atividades fins –
turismo ecológico - prodigioso e prazeroso; a Jeep Tour se tornasse uma prestadora
de serviços turísticos de reconhecimento internacional. O objetivo do estudo centra-
se em denotar a logística como ferramenta estratégica para o desenvolvimento
empresarial do turismo ecológico. A metodologia que orienta o estudo é a pesquisa-
ação; especialmente, por considerar que tal método propicie mais propriedades
integradas, tanto subjetivas quanto objetivas, quando da construção do desenho
metodológico. O processo de recrudescimento da Jeep Tour ocorre no início deste
século culminando com sua apresentação àquela época em um dos maiores
eventos turísticos do Rio de Janeiro: BRITE 2000. Ademais, na tentativa de vender
os produtos oferecidos, embora fossemos próprios consumidores, isto proporcionou
uma reflexão de quando da experimentação do que seja pagar por algo frustrante,
porquanto a experimentação dos serviços oferecidos aos clientes possibilitar o
entendimento e, consequente a expectativa do consumidor. Assim sendo, buscou-se
convênios com outras empresas que não tinham como foco principal a ecologia,
mas, que de alguma forma exibiam em seus percursos os atributos naturais mais
representativos da cidade (fosse no mar, montanha ou helicópteros que sobrevoam
pontos específicos, mesmo os instrutores de vôo duplo em asa delta foram
envolvidos). Outrossim, foi elaborado um plano de marketing mais agressivo e
direcionado para o cliente externo que era o alvo real da empresa. Então, deu-se
nesse momento menos atenção ao consumidor interno (operadoras de turismo
brasileiras) e buscou-se a opinião do consumidor que a empresa entendia como
alvo: turistas estrangeiros. A Floresta da Tijuca passou a ser alvo de muitíssimo
estudo, não apenas como história da cidade, mas, focando-se no propósito da
empresa, a ecologia. Logo, guias começaram a ser formados para atenderem
necessidades básicas dos turistas, ainda, pesquisar sobre áreas, como: botânica,
zoologia, questões de reflorestamento primário e secundário da área, o solo e a
geologia, enfim tudo que pudesse ser importante e agregar valores às informações
para os turistas. Na busca de resolver problemas de tempo e pontualidade,
motoristas profissionais (provenientes das Forças Armadas) compromissados com o
cumprimento de normas/horários foram admitidos e para surpresa geral, puderam
ensinar bastante sobre selvas e ainda técnicas de prevenção de acidentes pessoais
na mata que mais tarde foram incorporadas à cultura da empresa. Quanto aos
roteiros ideais, cada rota foi criteriosamente trabalhada durante vários meses para
que houvesse uniformidade; não apenas nos percursos, mas também e acima de
tudo, nas informações oferecidas. Logo, nesse aspecto todos os referidos
profissionais tinham a responsabilidade e o compromisso de fiscalizar e contribuir
com todos, não interessando qual era exatamente sua função. Os resultados
mostram que a Jeep Tour, na atualidade e em âmbito estadual, é a mais conhecida
e respeitada operadora de turismo ecológico e de aventura. Todos os funcionários,
colaboradores e administradores da empresa possuem propriedades sobre todo o
processo e, sobretudo, do produto oferecido e a sua relevância; pois, com esta
estratégia a empresa tornou-se mais organizada, criativa e cada vez mais está
sendo norteada pela sustentabilidade e constante desenvoltura dos seus negócios.
A empresa é a única organização fornecedora de passeios ecológicos urbanos que
tem reconhecimento mundial e também muitos clientes internacionais. Ademais,
atualmente é a maior fornecedora em sua categoria para os mercados interno e
externo, possui a maior frota própria de veículos e a única capaz de restaurar
veículos antigos para tal finalidade. O seguro para os passageiros também mostra a
importância e a preocupação com seus clientes. Numa dimensão, mais
comprometida com a natureza e, por conseguinte, mais ambientável toda a sua frota
é abastecida com combustível (GNV) por ser menos poluente, o que mostra a sua
preocupação com a preservação do meio ambiente. Ainda, mantêm uniformidade de
serviços de guias e motoristas igualmente vestidos com uniformes do tipo safári que
concretizam sua atividade. Todos os funcionários, ostentando a filosofia de
desenvolvimento da empresa, se sentem responsáveis pelo perfeito
desenvolvimento dos produtos, contribuem com idéias, criticas e sugestões com a
intenção de melhorar constantemente o seu atendimento ao cliente. Portanto, a
conclusão do estudo mostra que a aplicação de conceitos de logística intrínseca ao
turismo demonstrou grande importância para a consolidação da empresa. Pois, foi
por intermédio da utilização de estratégias quando do repensar a cadeia logística
que se localizaram os pontos fracos e os reverteram em pontos fortes capazes de
redimensionarem o crescimento da empresa; assim, favorecendo a melhoria de todo
o processo em prol da uma maior qualidade do seu produto. Enfim, todos estes
pontos aliados à logística do marketing e, ainda, fatores que contribuíram para a
consolidação de empreendimento de pós-venda, os quais foram essenciais para
reestruturar e, possivelmente, promover o desenvolvimento sustentável da Jeep
Tour.
PALAVRAS-CHAVE: LOGÍSTICA – TURISMO – SUSTENTABILIDADE –
RESPONSABILIDADE SÓCIO AMBIENTAL
Publicação:
Revista Científica da Facnec – Faculdade Cenecista de Itaboraí – ano 1 –n°2 –
jun/2009