Vous êtes sur la page 1sur 1

O Código Penal brasileiro, a exemplo dos códigos de outros países, não apresenta um

conceito de ação ou omissão, deixando-o implícito, atribuindo sua elaboração à doutrina.


é a que se manifesta por intermédio de um movimento corpóreo tendente a uma finalidade . A
maioria dos núcleos dos tipos se consubstancia em modos positivos. É a chamada comissão .

Pela representação e pela antecipação mental do resultado a ser alcançado

Fase interna Pela escolha dos meios a serem utilizados


Das formas Fases de Pela consideração dos efeitos colaterais ou concomitantes à
Ação realização da ação
de conduta utilização dos meios escolhidos

O agente exterioriza tudo aquilo que havia arquitetado mentalmente, colocando em


Fase externa prática o plano criminoso, procedendo a uma realização no mundo exterior.

é o comportamento negativo, abstenção de movimento . Desatende mandamento imperativo (a norma mandava agir e o
agente se omitiu). Deve haver o conhecimento da situação típica, consciência, por parte do omitente, de seu poder de
ação para a execução da ação omitida; possibilidade real, física, de levar a efeito a ação exigida.
Omissão

Conseqüência da sem conduta, não há fato típico , uma vez que ela é seu elemento. A consequência será a atipicidade do fato.
exclusão da conduta

conduta é a realização material da vontade humana , mediante a prática de um ou mais atos. Já o ato
Diferença entre ato e conduta é apenas uma parte da conduta , quando esta se apresente sob a forma de ação. De acordo com o
número de atos, que a compõem, a conduta pode ser plurissubsistente ou unissubsistente.
29. Infração Penal
(Conduta: ação e omissão. Conceito
de ação: causal, final e social)
Não fato típico na ocorrência de resultado lesivo em decorrência de caso fortuito (aquilo que
se mostra imprevisível e por força estranha à vontade do homem . Ex. incêndio provocado
pelo cigarro derrubado do cinzeiro pelo ar)
Causas que excluem a conduta Caso fortuito

evento externo ao agente , tornando inevitável o acontecimento. Ex. Coação física


Força maior

Para a caracterização da conduta é indispensável a existência do binômio vontade e consciência

é o querer ativo , apto a levar o ser humano a praticar um ato livremente.

Nos movimentos obtidos por coação física irresistível


Vontade Não há voluntariedade Nos movimentos reflexos

Nos movimentos resultantes de hipnose


Requisitos da conduta é a possibilidade que o ser humano possui de separar o mundo que o cerca dos próprios atos, realizando um
julgamento moral das suas atitudes . Significa ter noção clara da diferença existente entre realidade e ficção
doença de quem age ou fala durante o sono,
Sonambulismo tornando seus sentidos obtusos
Não há consciência
Consciência nos estados de outra doença que provoca, acessos repentinos de sono, transportando
o enfermo a um estado de irrealidade, permitindo-lhe, no entanto
Narcolepsia continuar a ter movimentos e relações com o meio ambiente.