Vous êtes sur la page 1sur 11

ENGENHARIA CIVIL

MECÂNICA DOS SOLOS E ELEMENTOS DE GEOLOGIA I

SÃO PAULO
2015

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

RELATÓRIO DE ANÁLISE TÁCTIL VISUAL DO SOLO SÃO PAULO 2015 .

INDICE 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 201. Devido a essa característicaé que se pode afirmar serem os solos materiais pontualmente diferentes. O solo é um material heterogêneo. pois poderá ser realizado no local sem necessidade de instalações de um laboratório. nos trazem informações . olfato e visão. Estes testes são simples e rudimentares. Tal análise agrupa solos com características semelhantes permitindo definir o tipo e número de ensaios necessários a sua caracterização de um modo mais correto. Sem utilização de equipamentos. tanto no local quanto em laboratório. é de grande importância para a engenharia geotécnica. pois podemos obter informações em campo sobre a composição de um mineral por base que impressionam nossos sentidos como: tato. pois nenhum processo de controle ocorre durante a sua formação. entretanto. Introdução: A análise Táctil Visual é um método econômico e prático de identificação de solo. originando disso a importância dos resultados de ensaios.

requeremque o comportamento do solo seja devidamente considerado. respondendo-a com os resultados obtidos no teste visual e táctil. devem-se apresentar informações suplementares. e mesmo interagir com obras implantadas no seu interior. sendo 14 Km² urbana e 3 Km² rural. sempre que possível. Objetivo Classificar as amostras coletadas de acordo com tabela proposta. seja porque se está em fase preliminar de estudo. uma vez que cabe a ele absorver as cargasaplicadas na sua superfície. quanto as características geológicas. faz limite com os municípios de São Paulo. raízes. Além da identificação do solo. O município de Poá está localizado na Região Metropolitana de São Paulo. na bacia hidrográfica do Alto Tietê. Coleta da amostra A amostra do solo foi coletada na Zona Leste de São Paulo. a presença de materiais não pertencentes ao solo.Todas as obras de EngenhariaCivil se assentam sobre o terreno e. seja porque o projeto não justifica economicamente a realização de ensaios de laboratório. por isso. pois o solo exerce um papel especial nas obras de Engenharia. tem área de 17 km². Uso para a engenharia Para o Engenheiro Civil. 2. Ferraz deVasconcelos. 3. bem como. pedológicas e termos regionais usados na área em estudo. . Itaquaquecetuba e Suzano. Rua Oswaldo Crus – Vila Varela – Poá. a necessidade doconhecimento das propriedades do solo vai além do seu aproveitamento como material de construção.importantes e devem ser feitos com critério. existência de vazios macroscópicos. etc. é necessário descrever um solo sem dispor de resultados de ensaios. em que ensaios de laboratório não estão disponíveis. Com muita frequência. 4.

Sub-Regiões Hidrográficas e Geologia Alto Tietê .Figura 1: Localização da cidade 5 Descrição de Geologia Figura 7 .

CEPAS20 e compõem-se de metassedimentos e depósitossedimentares.CPRM19 e do Centro de Pesquisas de ÁguasSubterrâneas . composta por sedimentosinconsolidados e sujeita a acomodações. de idade pré-cambriana (700-800milhões de anos) ocorrem em faixas alongadas na direção NESW sãorepresentadas por associações de gnaisses. conforme leciona Ross &Morozestá localizado namorfoestrutura do Cinturão Orogênico do Atlântico dentro da morfoescultura dePequenas Planícies Fluviais. areia e silte-argila e aluviões quaternáriospredominantemente areno-argilosos. Nestas últimas. Neste município predominam os Sistemas Atmosféricos Extratropicais deSul-Sudeste em média nos 50% ao longo de um ano. Já nas planícies. N25E a N60E e N65W (fraturas sub-verticais). conforme relatórios da Companhia dePesquisas de Recursos Minerais . No município de Poá as unidades metassedimentares dividem-se emquatro associações: a) metapelítica. e no mesmo sentido as aulassobre climatologia da Professora Doutora Juliana Ramalho Barros22 a área daEstância Hidromineral Poá encontra-se na transição de dois climas zonais. As direções estruturais predominantes. com lençol freático pouco profundo. por se tratarem de áreas sujeitas a inundaçõesperiódicas. Segundo as lições do Professor Monteiro21.quartzitos. O relevo é marcado por planícies e terraços fluviais e colinas de toposconvexos. As rochas metassedimentares. b) xistos feldspáticos a gnaisses. situamse entre N60E a N90E com mergulho entre 25 e 60° para NW(foliação metamórfica principal). conforme laudo do InstitutoGeológico. As rochas presentes na região.O Município de Poá. xistos feldspatos. eb) Controlados pelas massas tropicais e equatoriais. filitos e localmente anfibolitos. micaxistos. as formas são de dissecação média a alta com valesentalhados e densidade de drenagem média a alta. e maiores que 10% nas colinas emorros. cujas altitudes oscilam entre 700 a 800 metros e com declividadespredominantes menores que 2% nas planícies. d) quartzo xistos a mica quartzitos. Os depósitos sedimentarescorrespondem à formações da bacia sedimentar de São Paulo de idade terciáriadados por cascalho. o grau de fragilidade potencial dessasáreas é muito alto.A participação deles pode ser reduzida em até 20% . resultando numa fragilidadepotencial média. asaber: a) Controlados por massas tropicais e polares. c) alternância de metapelitos e meta-arenitos.

c) Córr. que pode produzir chuviscosao entardecer. choque) entre os Sistemas Tropicais eExtratropicais que se forma a Frente Polar Atlântica. ou seja. Brasil (*). condicionando osperíodos mais críticos para a ocorrência de escorregamentos e inundações. Cap. Na área do município há diminuição da pluviosidade em relação ao litoral. De Lourdes(**). A diminuição dos totais de chuva em relação ao litoral permite adefinição de um breve período seco no inverno. e g) Ribeirão Itaim Centro Av. . d) Córr. Assim. f) Rio Guaió Calmon Viana Av. durante toda a primavera e verão. a brisa marítima pode aprofundar a convecção local eintensificar os temporais de final de tarde no verão em situações sinóticasfavoráveis. mais chuvoso pode setornar a estação ou o ano como um todo.310mm a 1400 mm23. entreos quais se destacam: a) Córr. masé constantemente influenciado pela brisa marítima.pelo fato de estar a sotavento das principais correntes produtoras de chuva. Madre Angela Av. Tucunduva Fonte Áurea Rua Castro Alves (*). O total anual médio para Poá fica entre 1. quanto mais frequente for apassagem de sistemas frontais nesta área do Estado. Tanquinho Vila Júlia Rua Dario Carneiro (**). É da interação (encontro. N. Segundo os dados do Subcomitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê ecabeceiras24 as chamadas Áreas Críticas do Município tendem a aumentar o nívelde água e corrermos o risco de inundações* ou de erosões** nas margens. b) Córr.em um ano em casosextremos. Além disso. principal sistema atmosféricoprodutor das chuvas no Estado de São Paulo. Vital Brasil (*). e) Rio Guaió Calmon Viana Rua Da Praia (*). Sra. sendoque os excedentes hídricos (excesso de água no solo) ocorrem preferencialmentede outubro a março. Floriano Inácio (*). Do Paredão Jd. Tucunduva Vila Oceania Av.

Os resultados anotados em laboratório foram: Procedimento Amostra 1 Fotos Amostra 2 Ocorrência de matéria estranha Pedras desconhecidas Não. Odores estranhos Não Não Cor natural Marrom com tom de bege Preto Fotos .214. Resultados e Discussão: Foram analisadas 2 amostras classificadas como “amostra 1” e “amostra 2” .

Sensação ao tato (seco) Desagrega parcialmente Áspero Sensação ao tato (úmido) Pastoso Pastoso Sujar as mãos Sai com aproximadame nte 1 min. Sai muito pouco Resistência do solo seco Desagregaçã o do solo submerso Grande resistência a desagregação Desagregação lenta Pouca resistência Não Desagrega .

Portanto. a dificuldade de retirar-lo da mão com água corrente e perfeita moldabilidade. De lenta sedimentação quando disperso em água. Amostra 4: Entre os testes verificou-se 4 fenômenos que nos levam a crer ser argila. foi convencionado chama-lo deArgila Siltosa. Portanto tal material.Dispersão em água Plasticidade Mobilidade da água intersticial Não se dispersou Não se dispersou Não moldável Não Moldável Alta mobilidade Alta mobilidade 22 23Conclusão: Os resultados da análise visual e táctil dos materiais aqui citados. trata-se de uma argila com certo teor de particulas mais grossas. foi convencionado chama-lo deSilte argiloso. o teste de desagregação do solo submerso confere caracteristicassiltosas uma vez que é de facil desagregação. No teste de sujar as mãos a dificuldade encontrada para retira-lo fortalece a hipotese de que seja um material argiloso. por outro lado.ajudam a inferir sobre o tipo de particulas que compõe estes solos: Amostra 1: Mostrou esfarelamento fácil enquanto seco. Desta forma sobre a amostra 1 pode-se concluir. que indica pouca coesão entre suas moléculas. Desta forma. porém sua água intersticial o faz rachar ao abrir a mão ( caracteristica de solos grossos). e gosma quando molhado. . logo aponta caratersiltoso. que se trata de um material que tem em sua composição particulassiltosas e argilosas. São estes: a sensação de farinha extremamente fina quando seco. e sensação pastosa enquanto molhada. Tal solo não evidencía torrões e desagrega fácil quando submerso. tais características são respectivamente inerentes a silte e argila.

Todas estas caracteristicas indicam ser um material arenoso de particulas grossas. 2006 [1] http://www. ter levado mais de um minuto para sedimentação em água e muito pouco tempo para desagregar quando submerso evidencia que certa porcentagem do solo é siltoso.São Paulo: Oficina de Textos.pdf (2) . 24Biblíografia: PINTO. Sua água intersticial sobe e desce rapidamente e o solo se apresentou muito quebradiço ao abrir a mão.Amostra 9: Já este material é aspero tanto úmido quanto seco. Carlos de Souza. Porém. Curso básico de mecânica dos solos em 16 aulas. 3ª edição.br/prof/foto_p_downloads/mec_solos1_2. Desta forma foi convencionado chama-lo de Areia Siltosa. sai rapidamente da mão quando lavado em água corrente.unemat-net. Oferece resistência a desagregação levemente superior aos outros elementos.