Vous êtes sur la page 1sur 22

ELETRICIDADE

Profᵃ. Msc. Rafaelli Pereira de Souza
Universidade Federal do Amazonas
Faculdade de Tecnologia
Departamento de Eletricidade
Manaus - 2015

Objetivo

Circuitos em Paralelo

• Análise dos parâmetros de corrente, tensão,
potência e resistência elétrica em circuitos em
paralelo de corrente contínua.

 Laço: Caminho fechado onde cada nó é visitado uma única vez. bcdeb R5 Laço: abcdefa R2 f e d .  Malha: Um laço que não contém qualquer outro laço dentro dele. a I1 R1 b I2 c R4 I3 v R3 Malhas: abefa.Ponto no qual a corrente elétrica se divide: I2 I1 I3  Ramo: Caminho único entre dois nos consecutivos.Definições  Nó .

.  Ou seja. ramos ou circuitos estão ligados em paralelo quando possuem dois pontos em comum. dois ou mais componente estão ligados a mesma fonte de tensão.Circuitos em paralelo  Dois elementos.

acontecendo o mesmo na parte inferior (b). os elementos estão em paralelo.  Portanto.Circuitos em paralelo a 1 2 a 3 1 2 b a 3 1 2 3 b b Todos os elementos estão ligados ao mesmo terminal na parte superior (a). .

Cada percurso paralelo é então um ramo ou uma malha com a sua própria corrente. I I2 I1 V R1 V1 R2 V2 I = I1 + I2 Na associação de resistores em paralelo a intensidade de corrente total é igual à soma das intensidades das correntes nos resistores associados.Tensão e corrente em circuitos paralelos Os resistores R1 e R2 estão em paralelo entre si e com a bateria. .

Exemplo  Dois ramos R1 e R2 ligados a uma linha de tensão de 110 V consomem do circuito uma corrente total de 20 A. Qual a corrente I2 no ramo R2? Itot = 20A I2 = ? I1=12 A 110V R1 R2 I2 = 20 – 12 = 8 A . O ramo R1 retira 12 A do circuito.

os produtos das resistências elétricas pelas respectivas intensidades de correte elétrica são iguais I I1 V R1 R1I1 = R2I2 = R3I3 = RnIn I2 I3 R2 R3 .Tensão e corrente em circuitos paralelos Em uma associação de resistores em paralelo.

um ramo que possua menor resistência permite a passagem de uma corrente maior do que um ramo com resistência mais alta. as intensidades de corrente elétrica são inversamente proporcionais às respectivas resistências elétricas Pela lei de Ohm: I I2 I1 V R1 V1 R2 V2 Com a mesma tensão aplicada.Tensão e corrente em circuitos paralelos Em uma associação de resistores em paralelo. .

Resistências Total  Itot = 20A I2 = ? I1=12 A 110V R1 R2 Exemplo: Qual a resistência total do circuito? .

será percorrido pela corrente total I.Associação de resistores em paralelo O resistor equivalente RT submetido à diferença de potencial V. então: V = RTI Como I = I1 + I2 temos: Em uma associação de resistores em paralelo. . o inverso da resistência equivalente da associação é igual à soma dos inversos das resistências associadas.

Associação de resistores em paralelo No caso de dois resistores associados em paralelo temos: No caso da associação de dois resistores em paralelo. a resistência equivalente é dada pela razão entre o produto (R1R2). e a soma (R1+R2) das resistências dos resistores .

. maior a condutância.Condutância A condutância é oposto da resistência. Quanto menor a resistência.  O símbolo da condutância é G e sua unidade é o Siemens (S)  Por exemplo 9 Ω de resistência é igual a 1/9 S de condutância.

a corrente em um ramo será uma fração da corrente total.  Essa fração é o quociente da segunda resistência pela soma das resistências.  Onde I1 e I2 são as correntes nos respectivos ramos.  Observe que a equação para a corrente em cada ramo tem R oposto no numerador. .Divisor de corrente  Quando se considera somente dois ramos.

Potências nos resistores em paralelo Em uma associação de resistores em paralelo. as potencias dissipadas em cada resistor são inversamente proporcionais às respectivas resistências elétricas .

Exemplo Considerando os dados fornecidos na figura determine: (a) A resistência R3 (b) A tensão da fonte (c) Corrente total (d) Corrente I2 (e) Potência P2 IT I1= 4A I2 RT = 4Ω V R1 = 10Ω R2 = 20Ω R3=? .

Exemplo Calcule a potência dissipada em cada ramo e a potência total do circuito na figura abaixo: IT I1 20V R1 = 10 Ω I2 R2 = 5 Ω .

IT I1 27 V R1 = 9 Ω I2 R2 = 18 Ω . verificando que IT = I1 + I2  (d) Calcule a potência dissipada por cada uma das cargas resistivas  (e) Calcule a potência fornecida pela fonte. comparando o resultado com a potência dissipada pelos resistores.Exemplo Para o circuito com resistores em paralelo da figura abaixo determine:  (a) Resistencia total  (b) Corrente total  (c) Calcule I1 e I2.

 Pode ser substituída por um resistor equivalente. que se obtém considerando- se que cada associação parcial (série ou paralelo) equivale a apenas um resistor.Associação mista de resistores  Contêm resistores associados em paralelo e série. A 12 Ω 6Ω C 5Ω B 7Ω D 8Ω .  Colocam-se letras nos nós e terminais das associações.

5 Ω (c) A intensidade de corrente elétrica em cada um dos resistores de 5 Ω. Determine: A Resistência equivalente entre os pontos A e B (b) A intensidade de corrente elétrica no resistor de 7.5 Ω 5Ω B 5Ω . (a) A 7. a ddp entre os terminais A e B vale 100 V.Exemplo No circuito esquematizado.

estará em série com o resistor de 7.5 Ω encontrado. que posteriormente se dividirá para os resistores de 5Ω. a resistência total entre os pontos A e B será: (b) A intensidade de corrente elétrica que flui no resistor de 7. Calculando a corrente total.Exemplo – Resolução A 7. temos: .5 Ω é igual a corrente total fornecida pela fonte.5 Ω (a) Resolvendo a associação entre os resistores de 5 Ω paralelos: 5Ω 5Ω B O resistor equivalente de 2.5 Ω.

que atravessa o resistor de 7.Exemplo – Resolução (c) Ao atingir o nó C indicado na figura.5Ω se divide em duas correntes iguais (pois os resistores tem a mesma resistência) e com intensidade I’: . a corrente total I = 10A.