Vous êtes sur la page 1sur 3

CULTO DAS SETE PALAVRAS 04/04/2010

EM MOMENTOS DE SOFRIMENTO E DIFICULDADES LEGÍTIMAS, DEVEMOS


CONFIAR QUE JESUS ENTENDE A NOSSA DOR (*)

Depois, vendo Jesus que tudo já estava consumado, para se cumprir a Escritura, disse:
Tenho sede. (João 19:28)

Estas palavras de Jesus na cruz expressam de forma clara o sofrimento que Jesus
suportou. Quem poderia imaginar que aquele que veio como a fonte de água viva teria que
suportar uma enorme sede no último dia de sua vida na terra? É interessante que somente o
apóstolo João registra esta frase de Jesus na cruz e somente João registrou o encontro de
Jesus com a mulher samaritana quando Ele ofereceu de graça a água viva (João 4).
Deus se fez carne e habitou entre nós. Jesus, o Filho, que morreu na cruz por nossos
pecados, era verdadeiramente Deus. Ele era, é, e sempre será o Deus Eterno. Mas Jesus
também foi perfeitamente humano. Como um homem ele também sentiu fome, sede e cansaço,
e não hesitou em dizer isso. Naqueles últimos momentos na cruz do Calvário, ele afirma que
estava com sede uma afirmação de sua perfeita humanidade.
Todo o processo de crucificação acarretava bastante perda de líquidos. Jesus estava
muito desidratado, depois de seis horas pendurado na cruz e de muito sangue derramado. Jesus
passou a madrugada inteira sendo julgado, levado de um lado para o outro e chicoteado pelos
soldados romanos. Ele carregou a cruz pelas ruas de Jerusalém até não suportar mais tamanho
cansaço Simão de Cirene ajudou-o a levar a pesada cruz. Ao chegar no monte do Calvário,
ainda teve suas mãos e pés perfurados por pregos grossos que fizeram jorrar ainda mais
sangue. A hemorragia causada por ferimentos tão profundos e o suor liberado pelo corpo na
longa jornada até o Gólgota acarretaram a perda de muito líquido. É importante lembrar que a
crucificação não era apenas um método para matar o condenado, a principal função era torturar
o condenado de forma cruel, para servir como demonstração do poderio de Roma. E a sede
que Jesus experimentou ali na cruz comprova que Ele sofreu todas as dores que um homem
sentiria ao ser crucificado. Ele tomou o nosso lugar naquela cruz, teve sede e sofreu
brutalmente, para que hoje eu e você possamos beber a água que Ele nos dá a água da vida.
O rico ensinamento que podemos extrair desta frase de Jesus na cruz é o seguinte:
(*) EM MOMENTOS DE SOFRIMENTO E DIFICULDADES LEGÍTIMAS,
DEVEMOS CONFIAR QUE JESUS ENTENDE A NOSSA DOR
Jesus é capaz de compreender-nos e amparar-nos em nossas fraquezas, porque Ele,
como ser humano, sofreu fome, teve sede, fadiga e muitas outras dificuldades. Ele é capaz de
nos consolar e nos confortar em nossas dores e fraquezas. Em momentos de sofrimento e
dificuldade devemos confiar que Jesus entende a nossa dor, porque Ele mesmo experimentou
várias dificuldades. Ele não apenas entende, mas Jesus nos oferece o Seu maravilhoso auxílio
para que possamos suportar cada uma das adversidades da vida. Ele é o Emanuel o Deus
conosco sempre presente, que enfrentou a dor humana quando esteve nesta terra e suportou o
sofrimento do Calvário.
O escritor aos Hebreus nos faz a seguinte afirmação: Porque não temos sumo
sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas
as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente,
junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em
ocasião oportuna. (Hebreus 4:15-16).
Precisamos crer e descansar nesta maravilhosa promessa que é enfatizada em vários
textos bíblicos. Jesus não está distante como muitos querem afirmar. Ele se importa nos
mínimos detalhes com cada um dos seus servos. Sua promessa nunca falhará: Ele prometeu
estar conosco e nos oferecer misericórdia e graça em ocasião oporuna. E além de tudo,
sabemos que Ele esteve neste mundo e suportou na carne os sofrimentos e angústias que
atravessam a nossa alma em vários momentos. Ele sabe quais são as dificuldades inerentes ao
homem, porque ele suportou várias delas sem cometer pecado nenhum.
As dificuldades não-legítimas, criadas por um senso extremo de autocomiseração,
escondem muitos pecados. Estas dificuldades criam supostas angústias que na verdade
retratam um coração ainda centralizado no eu e em suas reivindicações. Tais angústias são
pecado e devem ser confessadas e abandonadas. Jesus está do nosso lado e entende as
dificuldades legítimas, fruto das limitações impostas pela própria condição humana, mas Ele
não irá nos afagar enquanto o EU estiver no trono de nosso viver. Jesus veio para nos
libertar da escravidão egoísta, e nos mostrar que o caminho para a santidade é negar a si
mesmo e renunciar todas as nossas vontades carnais. Qualquer sentimento de autopiedade
pecaminosa que está arraigado no coração deve ser arrancado através dos recursos divinos.
A Bíblia é clara em nos mostrar que o sofrimento legítimo serve para trazer crescimento
e santificação a todos os crentes. Sabemos que Deus nos aperfeiçoa em santidade mediante
situações de dor também. Ele não nos prometeu um paraíso aqui na terra, mas Ele mostrou que
estaria conosco nos vales da sombra da morte, como o nosso Amado Pastor. Jesus é o pastor
que cuida de cada uma das ovelhas do seu aprisco Ele é o Bom Pastor que tem um interesse
especial e amoroso por suas ovelhas. Com certeza iremos passar por situações que debilitam a
alma e afligem o coração, mas devemos confiar na promessa do Bom pastor de nossas almas:
Ele entende nossa dor e oferece os recursos para enfrentarmos angústias e fraquezas.
A maravilha de toda a verdade bíblica reside na suficiência da Palavra de Deus, que é
poderosa para nos conformar à imagem do filho de Deus. Temos o exemplo do Senhor Jesus,
que em meio a todo o sofrimento e dificuldades inerentes à condição humana, não deixou de
obedecer na íntegra à vontade de seu Pai. Nós também temos que aprender a lidar com as
limitações que a vida humana nos impõe sem transgredir os mandamentos e princípios
bíblicos. A obediência de Jesus o levou a provar uma enorme sede na cruz do Calvário e
muitas privações. Mas até que ponto nós estamos dispostos a sofrer por causa da obediência a
Deus? Será que estamos preparados para suportar dor e angústia e ainda permanecer em
obediência?
A principal lição desta frase de Jesus na cruz está na identificação completa com o
sofrimento humano. Jesus experimentou a dor mais profunda no Calvário para mostrar a mim
e a você que Ele não está ausente em meio aos sofrimentos legítimos que enfrentamos
também. Ele entende a nossa dor. Ele sabe que há limitações impostas pela condição humana
por isso Ele nos oferece a Sua maravilhosa provisão e proteção, para que possamos ser
aperfeiçoados em santidade diante do nosso Deus.
Mas é bom saber que um dia todo sofrimento humano terá fim. Toda lágrima cessará e
não haverá mais dor e lamento no céu. O nosso Deus prometeu que um dia toda angústia
chegará ao fim porque Cristo renovará todas as coisas.
E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E
acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras. Disse-me ainda: Tudo está
feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da
fonte da água da vida. (Apocalipse 21:5-6)
Que promessa maravilhosa promessa! Você está com sede? Você tem enfrentado lutas e
dissabores legítimos que o fazem desejar um refrigério verdadeiro? Então, confie que Jesus
Cristo entende a sua dor e está com você todos os dias, e que um dia você ficará livre de
qualquer angústia e sofrimento ao chegar no lar celestial.
Que Deus nos abençoe.