Vous êtes sur la page 1sur 4

CLC5 – Cultura, Comunicação e Média

Nesta reflexão bastante importante no meu ponto de


vista (TIC ao longo da nossa vida) reparo que já mais
conseguiria viver sem estas ferramentas que me tornam a
vida mais facilitada tendo estas informações muitas vezes
disponíveis na hora.
No caso da Internet, que actualmente é a minha
principal ferramenta, posso obter e pesquisar todos os
temas que me interessam e que de outra maneira
demoraria mais tempo a obter, só recorrendo a bibliotecas.
Tenho a noção que nem toda a informação é verdadeira
pois existe muitas fontes e muitos autores, ou seja é
necessário sempre verificar a fiabilidade dos sites.
Por exemplo, hoje em dia recorro especialmente às
leituras de Jornais virtuais, e obras virtuais como museus,
teatros, etc.
Considerando estes sites muito bons para quem, por
algum motivo, não se pode deslocar e poder ter acesso
num pequeno gesto de um toque.
Acho também que as TIC são muito importantes para
manter viva a memória bem como as recordações do
passado, mas bastante mais importantes as notícias do
presente, que nos chegam a toda a hora, de todas as partes
do mundo.
Concluo, porém, que o facto de a televisão usufruir da
imagem não significa que o público só seja adepto daquilo
que é visivelmente perceptível, porque muitas pessoas se
identificam com o Jornal impresso ou com a Rádio.
Como qualquer instrumento, os mass media podem ser
utilizados para o bem e para o mal. Assim pode dizer-se
que existe alguns que procuram incutir o vício nos seus
ouvintes, telespectadores e internautas e outros que
procuram criar a virtude naqueles que estão em contacto
com ela.
CLC6 – Culturas de Urbanismo e Mobilidade

Nesta temática considero que Portugal têm uma


arquitectura muito própria variando pelos vários pontos
deste nosso pequeno pais. Na matéria leccionada
reparamos que ao passar dos anos tivemos algumas
mudanças, quer a quando da vinda dos refugiados onde se
criaram zonas a que hoje chamamos de bairros Sociais, e
dos estilos internacionais trazidos pelos nossos emigrantes.
No meu entender o aparecimento dos planos Municipais fez
com que houvesse mais respeito e se desenvolve-se regras
para todo o meio envolvente assim como os materiais
utilizados, no entanto penso que ainda existe muitas formas
ilegais nesta matéria e que me parece necessário e urgente
trabalhar nesse campo.
Hoje em dia com poucas barreiras e de fácil acesso à
informação os povos movimentam-se com maior rapidez
trazendo e levando informações das suas culturas, a
ruralidade tende a desaparecer onde em tempos se
construía de volta de uma praça, hoje conhecida por a zona
velha ou zona histórica, nasceu comércio desenvolveu-se
emprego e as pessoas tornaram-se mais cultas
intelectualmente fazendo com que deixassem até os
trabalhos agrícola.
CLC7 – Fundamentos de Cultura, Língua e
Comunicação

Falando na primeira pessoa, eu considero-me um “filho do


mundo”, nascido num contexto de família pós moderna tive
uma educação baseada em factores comportamentais e de
boa relação inter-pessoal, desde cedo viajei conhecendo
culturas novas existentes neste nosso Portugal, fazendo
com que me tornasse uma pessoa muito mais aberta e
realista.
Após aos meus 18 anos, parti para descobrir o que
realmente eu sou e o que era capaz, vivi nas ilhas, na
metrópole e hoje numa zona mais agrícola e posso dizer
que me moldei a cada uma delas mas de uma coisa tenho a
certeza continuei a ser o eu.
Sei que sofri ao longo destes tempos alterações, sociais,
comportamentais entre outras, devido ao facto de o mundo
estar em constantes mudanças.

Tag
Bruno Costa
Azambuja