Vous êtes sur la page 1sur 6

ICMS/NACIONAL - Nota Fiscal Modelos 1 ou 1-A - Emissão

Para o acobertamento das operações que envolvem as operações relativas à circulação de mercadorias,
seja em âmbito interno, interestadual ou de comércio exterior (por exportações ou por importações), a
legislação do ICMS, aplicável em âmbito nacional exige que os contribuintes do IPI e do ICMS emitam
Notas Fiscais de modelos 1 ou 1-A.

No Entanto, a complexidade de detalhes para a correta emissão do referido documento fiscal inúmeras
vezes causa dúvidas quanto ao seu preenchimento. É importante ressaltar que a inobservância das
exigências ou dos requisitos regulamentares no cumprimento dos deveres instrumentais, em outras
palavras, das chamadas obrigações tributárias acessórias, em especial, quanto à utilização dos documentos
fiscais, pode caracteriza-los como inidôneos para todos os efeitos fiscais, fazendo prova apenas em favor
do Fisco, gerando multas, as quais, na maioria das vezes, poderiam ser evitadas.

Intencionando esclarecer, de forma exemplificativa, o correto preenchimento dos quadros e campos


constantes dos modelos 1 ou 1-A da Nota Fiscal, de modo a abranger todas as Unidades da Federação,
neste Comentário examinamos a descrição de critérios que devem ser observados, quando esses
impressos forem utilizados pelos contribuintes do IPI e do ICMS, com base na legislação aplicável em
âmbito nacional, ou seja, de acordo com as regras gerais contidas Convênio SINIEF s/nº, de 15/12/1970,
estando consideradas as alterações introduzidas pelo Ajuste SINIEF nº 3, de 29/09/1994 e demais
alterações.

1. Dados a Indicar

Analisando, de forma fracionada, conforme a seguir, e de acordo com o artigo 19 do Convênio SINIEF s/nº,
de 15/12/1970, a Nota Fiscal conterá, nos quadros e campos próprios, observada a disposição gráfica dos
modelos 1 e 1-A, as seguintes indicações:

Quadro "EMITENTE"

a)o nome ou a razão social;

b)o endereço;

c)o bairro ou o distrito;


d)o Município;

e)a Unidade da Federação;

f)o telefone e/ou o fax;

g)o Código de Endereçamento Postal - CEP;

h)a inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ;

i)a natureza da operação de que decorrer a saída ou a entrada, tal como venda, compra, transferência,
devolução, importação, consignação, remessa para fins de demonstração, de industrialização ou outra, etc;

j)o Código Fiscal de Operações e Prestações - CFOP;

k)o número de Inscrição Estadual do substituto tributário na Unidade da Federação em favor da qual é retido
o imposto, quando for o caso;

l)o número de Inscrição Estadual;

m)a denominação "NOTA FISCAL";

n)a indicação da operação, se de entrada ou de saída;

o)o número de ordem da Nota Fiscal e, imediatamente abaixo, a expressão "SÉRIE", acompanhada do
número correspondente, se adotada por haver:

. interesse por parte do contribuinte;

. determinação por parte do Fisco para separação das operações de entrada de mercadorias.

p)o número e a destinação da via da Nota Fiscal;

q)a data-limite para emissão da Nota Fiscal ou a indicação "00.00.00", quando o Estado não fizer uso dessa
prerrogativa;

r)a data de emissão da Nota Fiscal;

s)a data da efetiva saída ou entrada da mercadoria no estabelecimento;

t)a hora da efetiva saída da mercadoria do estabelecimento.

Observados os requisitos da legislação pertinente, a Nota Fiscal poderá ser emitida por
processamento eletrônico de dados, sendo as indicações das letras "b" a "h", "l" e "o"
anteriores e "e", do "COMPROVANTE DE ENTREGA, impressas por esse sistema.
Quadro "DESTINATÁRIO/REMETENTE
DESTINATÁRIO/REMETENTE

a)o nome ou a razão social;


b)o número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica - CNPJ ou no Cadastro de Pessoas
Físicas - CPF, do Ministério da Fazenda;
c)o endereço;
d)o bairro ou o distrito;
e)o Código de Endereçamento Postal - CEP;
f)o Município;
g)o telefone e/ou o fax;
h)a Unidade da Federação;
i)o número de Inscrição Estadual.
Quadro "FATURA"
FATURA
Esse quadro, se adotado pelo emitente, deverá conter as indicações previstas na legislação pertinente.
Quadro "DADOS DO PRODUTO"
DADOS DO PRODUTO
CÓDIGO DESCRIÇÃO VALOR
CLASSIFICAÇÃO SITUAÇÃO VALOR VALOR
DOS UNIDADE QUANTIDADE ALÍQUOTA DO
FISCAL TRIBUTÁRIA UNITÁRIO TOTAL
PRODUTO PRODUTOS IPI

ICMS IPI

a)o código adotado pelo estabelecimento para identificação do produto;


b)a descrição dos produtos, que compreenda nome, marca, tipo, modelo, série, espécie, qualidade e demais
elementos que permitam sua perfeita identificação;
c)a classificação fiscal dos produtos, quando exigida pela legislação do IPI;
d)o Código de Situação Tributária - CST;
e)a unidade de medida utilizada para a quantificação dos produtos;
f)a quantidade dos produtos;
g)o valor unitário dos produtos;
h)o valor total dos produtos;
i)a alíquota do ICMS;
j)a alíquota do IPI, quando for o caso;
k)o valor do IPI, quando for o caso.

Nas operações sujeitas a mais de uma alíquota (letra "i") e/ou situação tributária (letra "d"),
os dados do quadro "Dados do Produto" deverão ser subtotalizados por alíquota e/ou
situação tributária. A menção das indicações do quadro "Dados do Produto" será
dispensada desde que aquelas constem de romaneio, o qual passará a constituir parte
inseparável da Nota Fiscal, obedecidos os demais requisitos legais pertinentes.
Quadro "CÁLCULO DO IMPOSTO"
CÁLCULO DO IMPOSTO
BASE DE CÁLCULO VALOR DO ICMS
BASE DE CÁLCULO DO VALOR DO VALOR TOTAL DOS
ICMS ICMS PRODUTOS
ICMS SUBSTITUIÇÃO SUBSTITUIÇÃO

VALOR DO OUTRAS DESPESAS VALOR TOTAL DO


VALOR DO FRETE VALOR TOTAL DA NOTA
SEGURO ACESSÓRIAS IPI

a)a base de cálculo total do ICMS;


b)o valor do ICMS incidente na operação;
c)a base de cálculo aplicada para a determinação do valor do ICMS retido por substituição tributária, quando
for o caso;
d)o valor do ICMS retido por substituição tributária, quando for o caso;
e)o valor total dos produtos;
f)o valor do frete;
g)o valor do seguro;
h)o valor de outras despesas acessórias;
i)o valor total do IPI, quando for o caso;
j)o valor total da Nota Fiscal.
Quadro "TRANSPORTADOR/VOLUMES TRANSPORTADOS"
TRANSPORTADOR/ VOLUMES TRANSPORTADOS
a)o nome ou a razão social do transportador e a expressão "AUTÔNOMO", se for o caso;
b)a condição de pagamento do frete: se por conta do emitente ou do destinatário;
c)a placa do veículo, no caso de transporte rodoviário, ou outro elemento identificador, nos demais casos;
d)a Unidade da Federação de registro do veículo;
e)o número de inscrição do transportador no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas - CNPJ ou no
Cadastro de Pessoas Físicas - CPF, do Ministério da Fazenda;
f)o endereço do transportador;
g)o Município do transportador;
h)a Unidade da Federação do domicílio do transportador;
i)o número de Inscrição Estadual do transportador, quando for o caso;
j)a quantidade de volumes transportados;
k)a espécie dos volumes transportados;
l)a marca dos volumes transportados;
m)a numeração dos volumes transportados;
n)o peso bruto dos volumes transportados;
o)o peso líquido dos volumes transportados.

Caso o transportador seja o próprio remetente ou o destinatário, esta circunstância será


indicada no campo "NOME/RAZÃO SOCIAL", do quadro "TRANSPORTADOR/VOLUMES
TRANSPORTADOS", com a expressão "REMETENTE" ou "DESTINATÁRIO", dispensadas
as indicações referidas nas letras "b" e "e" a "i" deste quadro.
No campo "PLACA DO VEÍCULO" do quadro "TRANSPORTADOR/VOLUMES TRANSPORTADOS", deve
ser indicada a placa do veículo tracionado, quando se tratar de reboque ou semi-reboque deste tipo de
veículo, devendo a placa dos demais veículos tracionados, quando houver, ser indicada no campo
"INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES".
Quadro "DADOS ADICIONAIS"
DADOS ADICIONAIS
Nº DE CONTROLE DO FORMULÁRIO
INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES RESEVADO AO FISCO
000.000

a)no campo "INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES": outros dados de interesse do emitente, tais como
número do pedido, vendedor, emissor da Nota Fiscal, local de entrega, quando diverso do endereço do
destinatário nas hipóteses previstas na legislação tributária, propaganda, etc;
b)no campo "RESERVADO AO FISCO": indicações estabelecidas pelo Fisco do Estado do emitente;
c)o número de controle do formulário, no caso de Nota Fiscal emitida por processamento eletrônico de
dados.
"DADOS DA AIDF E DO IMPRESSOR"
No rodapé ou na lateral direita da Nota Fiscal devem constar o nome, o endereço e os números de
inscrição, estadual e no Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas - CNPJ, do Ministério da Fazenda, do
impressor da Nota Fiscal; a data e a quantidade da impressão; o número de ordem da primeira e da última
nota impressa e respectiva série, quando for o caso; e o número da Autorização para Impressão de
Documentos Fiscais - AIDF.

Esses dados devem ser impressos tipograficamente.


"COMPROVANTE DE ENTREGA"

No comprovante de entrega dos produtos, que deverá integrar apenas a 1ª via da Nota Fiscal, na forma de
canhoto destacável:
a)a declaração de recebimento dos produtos;
b)a data do recebimento dos produtos;
c)a identificação e a assinatura do recebedor dos produtos;
d)a expressão "NOTA FISCAL";
e)o número de ordem da Nota Fiscal.
2. Proibição de Acréscimo ou Alteração de Dados
Em geral, aos contribuintes do IPI e do ICMS sempre foi permitido, nos documentos fiscais:
a)o acréscimo de indicações necessárias ao controle de outros tributos federais e municipais, desde que
atendidas as normas da legislação de cada tributo;
b)o acréscimo de indicações de interesse do emitente, que não lhes prejudiquem a clareza;
c)a alteração na disposição e no tamanho dos diversos campos, desde que não lhes prejudiquem a clareza
e o objetivo.
Entretanto, a partir da alteração da padronização das Notas Fiscais, modelos 1 ou 1-A, pelo Ajuste SINIEF
nº 3, de 1994, não são permitidos os acréscimos e as alterações citadas nas letras "b" e "c" anteriores,
exceto quanto às seguintes situações:
a)à inclusão do nome de fantasia, endereço telegráfico, número de telex e o da caixa postal, no quadro
"EMITENTE";
b)à inclusão no quadro "DADOS DO PRODUTO":
. de colunas destinadas à indicação de descontos concedidos e outras informações correlatas que
complementem as indicações previstas para o referido quadro;
. de pauta gráfica, quando os documentos forem manuscritos;
c)à inclusão, na parte inferior da nota fiscal, de indicações expressas em código de barras, desde que
determinadas ou autorizadas pelo Fisco estadual;
d)à alteração no tamanho dos quadros e campos, respeitados o tamanho mínimo, quando estipulado no
Convênio SINIEF s/nº, de 15/12/1970, e a sua disposição gráfica;
e)à inclusão de propaganda na margem esquerda dos modelos 1 e 1-A, , desde que haja separação de, no
mínimo, 0,5 centímetro do quadro do modelo;
f)à deslocação do comprovante de entrega, na forma de canhoto destacável para a lateral direita ou para a
extremidade superior do impresso;
g)à utilização de retícula e fundos decorativos ou personalizantes, desde que não excedentes aos seguintes
valores da escala "europa":
. 10% para as cores escuras;
. 20% para as cores claras;
. 30% para cores creme, rosa, azul, verde e cinza, em tintas próprias para fundos.
3. Possibilidade de Supressão de Campos do IPI
É permitida a supressão dos campos referentes ao controle do IPI, no caso de utilização das Notas Fiscais
de modelos 1 ou 1-A em operações não sujeitas a esse tributo.
Essa permissão de supressão dos campos do IPI não se aplica ao campo intitulado "VALOR TOTAL DO
IPI", constante do quadro "CÁLCULO DO IMPOSTO", hipótese em que nada será anotado neste campo.
4. Emissão da Nota Fiscal para Acobertar Diferentes Naturezas de Operações ou
Prestações
É permitida a inclusão de operações enquadradas em diferentes Códigos Fiscais de Operações e
Prestações, numa mesma Nota Fiscal, hipótese em que estes serão indicados no campo "CFOP" no quadro
"EMITENTE", e no quadro "DADOS DO PRODUTO", na linha correspondente a cada item, após a descrição
do produto.
5. Vendas a Prazo
Na hipótese de vendas a prazo, quando não houver a emissão de Nota Fiscal - Fatura ou de Fatura, ou,
ainda, quando esta for emitida em separado, a Nota Fiscal, modelos 1 ou 1-A, além dos requisitos exigidos
normalmente, deverá conter, impressas ou mediante carimbo, no campo "INFORMAÇÕES
COMPLEMENTARES" do quadro "DADOS ADICIONAIS", indicações sobre a operação, tais como:
. preço à vista;
. preço final;
. quantidade;
. valor; e
. datas de vencimento das prestações.
6. Dados do ISS
Os dados referentes ao ISS - Imposto Sobre serviços de Qualquer Natureza - devem ser inseridos, quando
for o caso, ou seja, quando de interesse dos contribuintes desse tributo, entre os quadros "DADOS DO
PRODUTO" e "CÁLCULO DO IMPOSTO", conforme o que dispuser a legislação municipal, observadas as
demais disposições regulamentares.
7. Emissão da Nota Fiscal em Retorno ou em Devolução de Mercadorias
Nas Notas Fiscais de modelos 1 ou 1-A, emitidas relativamente a saídas de mercadorias em retorno ou em
devolução, deverão ser indicados, ainda, no campo "INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES", o número e a
data da emissão e o valor da operação do documento original.
8. Aposições de Carimbos
A aposição de carimbos nas Notas Fiscais, quando do trânsito da mercadoria, deve ser feita no verso das
mesmas, salvo quando forem carbonadas.
9. Emissão por Processamento Eletrônico de Dados
As Unidades da Federação poderão exigir que a emissão dos documentos fiscais, por contribuintes de
determinadas atividades econômicas, seja feita mediante utilização de sistema eletrônico de processamento
de dados.

Ver "nota" da descrição do quadro "EMITENTE", conforme item 1 deste Comentário.


10. Operações Sujeitas ao Regime de Substituição Tributária
As indicações a que se referem a letra "k" do quadro "EMITENTE" e as letras "c" e "d" do quadro
"CÁLCULO DO IMPOSTO", todos do item 1 deste Comentário, só serão prestadas quando o emitente da
Nota Fiscal for o substituto tributário.
Quando a mesma Nota Fiscal documentar operações interestaduais tributadas e não tributadas, cujas
mercadorias estejam sujeitas ao regime de substituição tributária, o contribuinte deverá indicar o imposto
retido relativo a tais operações, separadamente, no campo "INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES".