Vous êtes sur la page 1sur 480

Decodificação A flor de lis

A origem e significado do símbolo FLOR DE LIS
IN arte pré-colombiana
por Carl de Borhegyi copyright 2012

Th propósito primordial e deste estudo é explorar e iluminar aspectos previamente
desconhecidos de arte pré-colombiana e da iconografia. Dito isto, w Hile as
semelhanças na aparência e no significado do símbolo da flor de lis em arte précolombiana e iconografia pode ser mera coincidência, a lógica diria para o exame da
possibilidade do antigo contato trans-oceânico com as Américas antes da chegada de
Colombo assunto --a repleto de contenção.
Nenhuma publicação para o meu conhecimento, seja online ou em papel já apresentou
provas da Fleur símbolo do Velho Mundo de lis codificado em arte pré-colombiana que
representa um símbolo da divindade e Senhor, ligada a uma trindade de deuses, a
Árvore da Vida, e um cogumelo da imortalidade. O cogumelo divino, (o fruto proibido),

sendo o meio através do qual se alcançou ecstasy e, portanto, a comunhão com os
deuses.
Tanto o cogumelo Amanita muscaria eo cogumelo psilocibina são discutidos em
relação à sua veneração no Novo Mundo, e sua associação com o símbolo que temos
vindo a reconhecer como A flor de lis, e sua relação com a Árvore da Vida e uma
trindade dos deuses criadores. Culto de ambas as espécies de cogumelos é discutida em
relação à sua associação com a divindade e mesoamericana rei-deus Quetzalcoatl, seus
homólogos pré-colombianas, e seus numerosos avatares. Também discutido é a relação
de cogumelos divinos, com o jogo de bola sagrado, guerra e sacrifício humano. O
paralelismo entre o uso, veneração e representação de cogumelos sagrados na cultura
mesoamericana ea adoração de Soma na Ásia também é discutida.

Philip II, rei da França, em um retrato do século 19 por Louis Felix Amiel

O trevo, na sua forma conhecida como a flor-de-lis ( "flor do lírio"), tem sido um
símbolo da monarquia européia e o símbolo sagrado da Santíssima Trindade. Acima,
uma pintura do rei Philippe II Augustus (1165-1223 dC), último rei dos francos e
primeiro rei da França coroado com a flor de lis. Embora talvez melhor conhecido
através de sua associação com a realeza francesa, o símbolo em si é de longe maior
antiguidade, e ocorre na arte antiga, tanto do antigo e do Novo mundo como um

símbolo da divindade, ou "Senhor" ligado a uma trindade dos deuses, a Árvore do
mundo e um cogumelo da imortalidade.
Em ambos os hemisférios da flor de lis símbolo está associado a divindades mitológicas
de uma serpente, felino, e pássaro gigante, todos os associados com uma árvore de vida,
e uma trindade de deuses criadores. Na América Central, como no Velho Mundo, a
Árvore da Vida representa o centro simbólico da terra, o axis mundi, ou pilar do
mundo. Em ambos Mesoamérica e no Velho Mundo, a linha real do rei foi considerada
de origem divina, ligada com a Árvore da Vida. Descendentes da Mesoamérica rei-deus
Quetzalcoatl, e, portanto, todos os reis mesoamericanos ou governantes, também
estavam ligados à Árvore da Vida esotericamente codificado, tanto no Velho Mundo e
Novo Mundo com o trevo, ou flor de lis símbolo.
Nenhuma discussão sobre os primórdios do culto de cogumelos no Novo Mundo seria
completa sem, pelo menos, uma breve menção de possíveis origens do Velho Mundo. A
visão antropológica predominante da história antiga do Novo Mundo é que seus
primeiros habitantes humanos vieram da Ásia, mas, depois de ter chegado e se espalhou
por todo o comprimento e largura dos dois continentes, e eles desenvolveram suas
próprias culturas complexas totalmente independente de influências externas ou
inspiração. Começando com Franz Boas, antropólogos americanos adoptou um ponto
essencialmente isolacionista de vista. Os povos do Novo Mundo, eles argumentaram,
foram plenamente capaz de desenvolver civilizações tão sofisticado como alguns
encontrados no Velho Mundo.Sugestões em contrário foram demitidos como, na melhor
das hipóteses, uma falta de evidência arqueológica duro, e na pior das hipóteses,
fantástico, racista ou degradante.Como resultado, os americanistas, em geral,
descartaram a possibilidade de todas as considerações de possível contato transoceânico como falta de legitimidade.

Citando o final de etno-arqueólogo Gordon F Ekholm ...
"Há, é claro, muitos problemas relacionados com os tipos de provas que foram
apresentadas na área de contatos transpacíficos, mas a principal dificuldade
parece ser uma espécie de barreira teórica que não chega a nossa reflexão
sobre questões de difusão ou contato cultural. Isso é verdade no pensamento
antropológico em geral, mas a obstrução parece ser particularmente sólida e
resistente entre os arqueólogos americanos "(de Man Across the Sea;. Problemas
de contatos pré-colombianos de 1971, terceira edição 1976, capítulo 2, Difusão e
evidências arqueológicas , por Gordon Ekholm página 54)

Surpreendentemente, como eu descobri, o símbolo antigo que temos vindo a reconhecer
como A flor de lis aparece na arte da Mesoamérica em aproximadamente ao mesmo
tempo na história como a ascensão da antiga Olmecas (1200 aC a 400 aC). Talvez não

tão surpreendentemente, o emblema das flor de lis na arte pré-colombiana e iconografia
carrega o mesmo simbolismo do "Senhor", ligada a uma Trindade de deuses, a Árvore
do mundo, e um cogumelo da imortalidade.

Acima é uma estatueta albite-jadeite de um governante olmeca ou deidade,
usando um capacete coroado com um elemento de trevo que lembra o símbolo
da flor de lis do Velho Mundo.

"Difusionismo" é um termo frequentemente usado para descrever as origens de
características culturais e sua propagação de uma sociedade para outra.
O termo Mesoamérica, (Paul Kirchhoff 1942) é definido como "as áreas do México e da
América Central que testemunharam o desenvolvimento de civilizações précolombianas avançadas, tais como a olmeca, zapoteca, maia, Teotihuacano, tolteca,
Mixtec e asteca, todas que compartilhou uma série de traços culturais inter-relacionados
que envolvem conceitos religiosos, ritualismo, arquitetura, artes e ofícios, escrita
hieroglífica, e Calendrics "(Charles Gallenkamp de 1959, revisto 1985 p.3)
Depois de ver a evidência em favor do contato pré-colombiano, a minha esperança é
que os historiadores será mais aberta ao conceito de que os oceanos, milhares de anos
atrás, eram rodovias não barreiras, e que os leitores deste estudo vai desafiar os mais
velhos vista da história do Novo mundo com um reconhecimento mais aberta da

capacidade marítima dos povos antigos para explorar seu ambiente e dispersar sua
bagagem intelectual para seus cantos mais distantes.

Encorajo vivamente todos os espectadores que procuram uma idéia geral do assunto
para percorrer rapidamente as diferentes imagens e, em seguida, voltar ao assunto de
interesse.
Em conformidade com o título 17 USC Seção 107, as fotografias protegidas por direitos autorais ou
desenhos nesta página é distribuído sob o uso justo, sem fins lucrativos ou pagamento de pesquisa
sem fins lucrativos e apenas para fins educacionais.

Não muito tempo depois da queda da capital asteca foi relatado para Hernando Cortes
que os índios estavam usando certos cogumelos em suas cerimônias religiosas,
consumindo-os como frades espanhóis colocá-lo, em uma comunhão religiosa
demoníaca e chamando esses sagrado cogumelos teonanacatl, ou seja, "Deuses carne ""
Teo ", que significa Deus na língua dos astecas. Um dos primeiros doze franciscanos
chegar logo após a conquista do México foi Toribio de Paredes que os índios
carinhosamente chamado Motolinía" homem pobre ", ele termina a sua dissertação com
a observação que os índios servidos os cogumelos na Sagrada Comunhão (fonte, os
cogumelos alucinógenos do México e psilocibina:. Uma bibliografia, por R. Gordon
Wasson e Stephan F. de Borhegyi, Universidade de Harvard, p 37 1962).
Outro cronista espanhol Jacinto De La Serna, também fez a analogia entre a Eucaristia
cristã e comer o cogumelo; ele sugere que os índios consideram a carne do cogumelo
como divino, ou como ele considera diabólica (fonte, os cogumelos alucinógenos do
México e Psilocibina: Uma bibliografia, por R. Gordon Wasson e Stephan F. de
Borhegyi, Universidade de Harvard de 1962 ).

Acima à esquerda é uma cena do Codex Bodley, um manuscrito Mixtec de
Highland México, pintado por volta de 1500 dC, e à direita é um close de uma
priod clássico tardio (600-900 aC.) Maya pintura de vasos. Sua minha crença de
que os artistas codificado intencionalmente A flor de lis como um símbolo
metafórico de um cogumelo divino.

Acima estão todos perto vista de pré-Conquest códices, que retratam embarcações
codificados com uma versão do Novo Mundo das Fleur-de-lis, metaforicamente
marcação a bebida ritual como um símbolo de Deus, ou de geração de Deus.

No livro inovador publicado pelo falecido Robert Gordon Wasson e sua esposa,
Valentina Pavlovna Wasson, Cogumelos intitulado, Rússia e História (1957), o Wassons
postulou a existência de um sistema de crença, partilhada por ambos os continentes, que
era tão antiga que a sua a maioria dos elementos básicos pode ter sido levado para o
Novo mundo com os primeiros colonizadores humanos. A origem deste sistema de
crença Pan-Americana, ele acreditava, era a descoberta do homem início dos efeitos que
alteram a mente de várias substâncias alucinógenas encontrados na natureza, entre eles
o muscaria cogumelo Amanita. O Wassons supôs que nossos ancestrais remotos adorado
e venerado um deus cogumelo divina talvez 6000 anos atrás (Furst, 1972, reeditado
1990, p.187).

Para um tratamento abrangente do papel dos cogumelos na história do mundo,
verCogumelos, Rússia e History by Valentina P. Wasson e Robert G. Wasson, eds. NT
1957.

Citando Gordon Wasson ...
"O uso de cogumelos, se estou certo, distribuídos por maior parte da Eurásia e
Américas, e como Stone Age Man emergiu para a luz da proto-história destes fungos
estranhos pode muito bem ter sido o principal segredo dos seus mistérios sagrados".
"Em resumo, eu defendo que as lendas da Árvore da Vida e da erva Maravilhosa teve
a sua génese no Cinturão Forest of Eurasia". "A Árvore da Vida, não é o lendário
Bétula, eo fruto proibido da árvore da vida, o que mais é, senão o Soma, o flyagaric, [o Amanita muscaria] do pongo dos membros da tribo Ugrian?"

Os Wassons
informou sobre o consumo ritual de fly-agaric ou cogumelos Amanita muscaria
entre os povos asiáticos da Sibéria e do norte, sugerindo a antiguidade de uma
antiga cogumelo culto aos tempos da Idade da Pedra. Acima são petroglifos
paleolíticos da região de Chukotka do nordeste da Sibéria retratando embarcações
marítimas e cogumelo dirigido figuras.
Nós sabemos que os traços asiáticos filtrada através da Sibéria para o Ártico americano
durante todo o período pré-histórico e continuaram a fazê-lo entre o moderno Eskimo
(Miguel Covarrubias 1954, p.150).
Embora se possa argumentar que o aparecimento simultâneo de imagens de cogumelo
codificado em ambas as primeiras culturas do Velho Mundo e as do Novo Mundo
poderia ser o resultado de excrescências paralelos do mesmo Paleolítico culto do
cogumelo xamânica proposto por Wasson, existem outros, mais complexas,
semelhanças que sugerem possíveis contatos transpacíficos entre as duas áreas. Um
destes é o método de extracção da bebida alucinogénios utilizado em ambas as áreas. Eu
encontrei muitas evidências na arte pré-colombiana que suporta identificação da planta
mistério reverenciado e deificado do Rig Veda, chamada Soma no folclore indo-ariana
de Wasson, e chamou Haoma na mitologia persa de Zoroastro e, mais tarde, como o
cogumelo Amanita muscaria .

Que codificam o cogumelo Amanita muscaria "Hidden in Plain Sight". por Augusto Le Plongeon). 1972: 201) .97). a identidade botânica de Soma ainda permanece um mistério. Enquanto os hinos sobre Soma vieram até nós através do tempo. Ela é o ovo cósmico.). a Hiramyagarbha (O Projeto Gutenberg EBook de Vestígios dos maias. (Furst. a única planta / bebidas conhecido por ter sido deificado na história da cultura humana. na cocar da Deusa da Terra. por quem todas as coisas são criadas por sua união com Brahma. o útero de ouro. 1976 p. Acima são figuras de fertilidade feminina da Índia. . Harappa / Civilização do Vale do Indo (2600-1900 aC.O Rig Veda descreve Soma como uma pequena planta vermelha não ter folhas. Maya era a deusa. Há ainda um debate entre os estudiosos relativas à verdadeira identidade da planta mistério mencionado mais de 100 vezes no Rig Veda chamado Soma. chamado Maya. e sem raízes e flores. UMA egundo o Rig-Veda. mas ter uma haste que é suculenta e de carne (Furst.

38-39) . e também é a base do ódio do judaísmo reativa de embriaguez "(Gerald Messadie. "O equilíbrio do mundo foi mantida através de sacrifícios e a oferta ritual de Soma. 1997.. participando. assim. p... o suco de uma planta que poderia muito bem ter sido Amanita muscaria ou cogumelos Amanita phalloida O significado desse rito é digno de reflexão: O mundo existe apenas na condição que os seres humanos-se embriagar em determinadas datas fixas e circunstâncias. .Citando Gerald Messadie. Este é o princípio básico dos mistérios gregos. da natureza dos deuses. autor de "A História do Diabo" .

IX. a planta em torno do qual os sacrifícios védicos teve lugar.17-18). Da mesma forma. Esta possibilidade é corroborada pelo fato de . eo cogumelo psilocibina. indica cannabis. No Rig Veda. 8.(Rig Veda.3) Etno-botânico Terrance McKenna."Temos bebido o Soma e se tornar imortal. e encontrou os Deuses". McKenna baseou sua teoria na premissa de que o cogumelo Amanita muscaria é amplamente reconhecido como um cogumelo venenoso. é descrito como um líquido intoxicante que foi batido ou pressionado para fora da planta usando pedras prementes especiais.5-6. "O Alimento dos Deuses". e que o cogumelo Amanita muscaria não produz uma experiência alucinógena. 109. chamados de pedras Soma (RV IX. não há evidência arqueológica das terras altas guatemaltecas que apóiam o uso de metates para moer cogumelos alucinógenos sagrados anteriores ao seu consumo em uma cerimônia de cogumelo. alcançamos a Luz. autor do livro.XLVIII. Soma.11. propôs que a bebida Soma do Rig Veda foi uma combinação de água.

utilizando "pedras Soma". 498-504). uma planta misteriosa chamada Soma foi a fonte de uma bebida intoxicante conhecido pelo mesmo nome. Deve-se concluir que esses manos e metates foram utilizados para a mesma finalidade que as pedras sagradas descritos no Rig Veda que foram utilizados para preparar Soma. Nas terras altas da Guatemala. De uma maneira semelhante. são frequentemente acompanhadas por ferramentas de rectificação de pedra conhecidos como manos e metates. tanto a sua descrição e os detalhes da sua preparação parecem apontar para o cogumelo Amanita muscaria. De acordo com o Rig Veda. Acima estão duas das nove pedras de cogumelos em miniatura encontrados enterrados juntos em um túmulo Maya em Kaminaljuyu.que a prática sobrevive até o presente em cerimônias de cogumelos mazatecas no sul do México (SF de Borhegyi de 1961: 498-504). juntamente com nove metates miniatura de pedra e manos (pedras Soma?) Utilizadas na preparação de uma bebida cogumelo ritual. Enquanto a identidade real desta planta sagrada foi perdido ao longo do tempo. pedras cogumelo. e os sucos foram filtradas através de lã em grandes potes. junto com nove almofarizes e pilões. e onde o cogumelo Amanita muscaria cresce em abundância. . A carne da planta foi esmagado. 1961. onde foram encontradas a maioria das pedras de cogumelos. ferramentas de pedra que provavelmente foram utilizados nos ritos preparatórios do cogumelo (ver SF de Borhegyi. os arqueólogos que trabalham no local pré-clássico da Kaminajuyu descobriu nove pedras de cogumelos em miniatura em uma Maya túmulo. Contas de cerimônias cogumelo ainda na prática entre os índios zapotecas do México confirmar o uso dessas ferramentas na preparação de cogumelos alucinógenos para o consumo humano. quando eles foram encontrados in situ no decurso da escavação arqueológica.

.. Espanhol cronista Fray Diego Duran informou que os cogumelos foram comidos por ocasião da adesão de Moctezuma II ao trono. codificado "Hidden in Plain Sight" como um cogumelo Amanita muscaria. Universidade de Harvard) . o famoso imperador e sumo sacerdote dos astecas. "O pouco de vermelho coberto cogumelo com bolinhas brancas ocorrem frequentemente em contos populares húngaras.. geralmente em conexão com pequenos anões que vivem sob eles" (carta de Borhegyi para Wasson 29 de abril de 1953 arquivos Wasson. Acima é um período tardio Clássico (600-900 CE. (Fotografia de cogumelo com direitos de autor e de propriedade do artista. pássaros. cobras e criaturas pequenas gnome-like coloridos ". no ano de 1502.) Maya estatueta de uma figura gnome-like barbudo vestindo um chapéu de cabeça para baixo. Isto sugere que o folclore e mitologia dos anões ou pequenas criaturas gnome-como no Velho Mundo associado com o cogumelo Amanita muscaria atinge o Novo Mundo muito antes das viagens de Cristóvão Colombo.Cronistas espanhóis que os astecas bebeu ou comeu os cogumelos para induzir transes e sonhos alucinatórios durante o qual tive visões de onças. Esther van de Belt) Citando Maya arqueólogo Stephan de Borhegyi .

de 100 CE-. (Foto do cogumelo Amanita muscaria foi tirada por: © Michael Wood) Eu encontrei muitas evidências de propor que as tradições védica. . e que os índios do Novo Mundo modelada sua religião em crenças védicos e práticas rituais. A estatueta. que é de 7. México Ocidental. que antes deste estudo.Cogumelos divinos foram tão habilmente codificado na arte religiosa. a 600 BCE. "Hidden in Plain Sight". está agora no Museu Regional INAH em Guadalajara México. tanto do Antigo e do Novo Mundo. eles praticamente escapado à detecção.5 cm de altura.Acima está uma estatueta de Nayarit. com a ascensão dos antigos olmecas. migrou para as Américas por volta de 1000 aC. descrevendo um pouco pessoa sentada sob um cogumelo Amanita muscaria.

Cogumelos visionários codificados em arte pré-colombiana. No entanto. Stephan F. de Borhegyi . Citando Maya arqueólogo Dr. como eu descobri.. .. e cogumelos Psilocybin "Hidden In Plain Sight". Embora à primeira vista os rostos dos "Deuses Weeping" dá a ilusão de uma divindade com balançando olho-bolas. você verá que os globos oculares pendentes são realmente codificado cogumelo Amanita muscaria. eu f você olhar de perto.

. A passagem ou portal para. quer por via oral. pelos antigos maias. os indivíduos antropomórficas com presas com olhos pendurados. assim como montanhas e vulcões. foi esotericamente codificado na arte com a Flor de lis símbolo e ligado a uma bebida ritual que provavelmente continha cogumelos alucinógenos. .". Eu acredito que os antigos mesoamericanos acreditavam que o consumo de cogumelos alucinogénios. são comumente associados com o deus Quetzalcoatl na sua forma de Ehecatl Deus do vento" (SF de Borhegyi 1980: 17).O jaguar-representa um ser sobrenatural. Sua minha crença de que o cogumelo Amanita muscaria foi ligada a um conceito que chamo de transformação jaguar. da morte. anal através de enemas. que está ligada a cavernas e piscinas de água. submundo decapitação ao renascimento para a ressurreição. associado com o submundo chamado Xibalba. transformou o indivíduo em um "jaguar-" e que os cogumelos abriu um portal sagrado para o submundo. como o Deus Sol submundo iria passar pelo processo de transformação divina. e que a imagem do jaguar-se de uma metáfora para a jornada no submundo onde. ou beber. e fora do submundo que assegurou a vítima ressurreição divina decapitado..

você verá um cogumelo Amanita muscaria (espécime real mostrado na foto à direita) codificada na cabeça e nariz do lado humano. p. (de Peter Furst. seu parentesco bem estabelecida. a mesma planta sagrada era conhecido como Haoma. ao tempo em que os nossos antepassados primeiro viveu com a bétula e the fly-agaric. Gian Carlo Bojani Director do Museu Internacional de Cerâmica em Faenza. enquanto a metade esquerda da retrata máscara o efeito do cogumelo Amanita como resultando em jaguar-transformação. Stirling. 1972. Mais uma vez. se não a maioria dos casos. (foto acima do "Foram Jaguar" do Prof. 103). 1976 p. e pode ter sido introduzido na Mesoamérica com o culto do cogumelo eo flor de lis símbolo. Citando Ethno-micologista R. em essência. O jaguar-eventualmente. e desempenhou um papel importante na cultura persa e mitologia. se você olhar de perto. decapitação e ressurreição espiritual. sacerdotes e governantes em seus rituais de ver o passado e o futuro e se comunicar com os antepassados e deuses. Na religião de Zoroastro. . A estatueta usa um cocar codificado com um Amanita muscaria cogumelo. um meio-humano. As grandes religiões da Ásia. Rosto contorcido da estatueta retrata o "grunhido olmeca".O jaguar-aparece na arte dos olmecas antigos tão cedo quanto 1200 aC Eu acredito que esta máscara simboliza a jornada da alma para o submundo onde ele vai sofrer uma transformação jaguar. veio a ser adorado e venerado por toda a América Central e do Sul. os Vedas sendo os textos sagrados que foram introduzidas no subcontinente da Ásia por volta de 1500 aC pelos chamados arianos (um nome que se deram que é sânscrito para um nobre) que é posterior à civilização Harappa / Indus. deidade meia-jaguar primeiro descreveu e nomeou em 1955 pelo arqueólogo Matthew W.Acima no canto superior esquerdo. seus irmãos numerosos. esta comunicação divina foi conduzido sob a influência de cogumelos alucinógenos. de volta. Espelhos foram usados pelos xamãs. como "descobri". um motivo comum na arte olmeca que eu acredito que representa o efeito do cogumelo da transformação jaguar e viagem submundo mítico da alma. talvez através do Mesolítico e no Paleolítico "(de Furst. é uma máscara pré-colombiana de cerâmica que retrata a transformação de um ser humano em um "jaguar-". são derivados de Vedismo. Espelhos também foram objeto ritual comum na Ásia Central e China. Gordon Wasson.212) "Soma do Rig-Veda fica incorporado na história religiosa e pré-história da Eurásia. Eu acredito que em muitos. A estatueta tem nas suas mãos o que parece ser um espelho côncavo. Itália) (Foto de Amanita muscaria por Richard Fortey) Acima na parte inferior esquerda é uma tardia estatueta maia clássico (600-900 dC) fotografado por Justin Kerr (656a K). O seu papel na cultura humana pode voltar agora.

localizado em Thiruvananthapuram Índia. A porta portal codifica serpentes duplas. não é a serpente o espírito chthonic auto-mesmo que nós sabemos da Sibéria?" Acima é uma porta de entrada para o século 16-Padmanabhaswamy Temple. como um símbolo esotérico do védico hindu-Trindade. embrulhados em torno da árvore da vida. e ressurreição divina. ."Em Gênesis. A entrada do templo elaborada acredita-se ser um portal protegido por uma divindade do submundo associada à morte e submundo ressurreição. e dupla flor de lis emblemas.

Ekholm propôs vários contatos transpacíficos com o Novo Mundo começando tão cedo quanto 3000 aC Ele acreditava que essa influência sobre a civilização do Novo Mundo vieram da China ou Sudeste Asiático.A flor de lis motivo na arte antiga da Índia e China. e argumentou que os chineses. Ekholm corajosamente propôs que os visitantes chineses da dinastia Shang atravessou o Pacífico e ensinou os olmecas como escrever. construir monumentos. Bihar. um príncipe indiano do século 6 aC A lenda do Buda é que sua concepção e nascimento eram milagrosas. . Lenda budista afirma que durante a vida de Gautama ele deixou pegadas em todas as terras onde seus ensinamentos seriam reconhecidos. Budismo é nomeado pela sua fama fundador Gautama. No final de 1940 Gordon F. na Índia. e adorar um deus felino. que não só inventou a bússola. concebido ele em um sonho. uma metáfora esotérica para a Árvore da Vida e o cogumelo da imortalidade. coincidentemente chamado Maya. que veio a ser conhecido como o Buda. Acima é uma escultura da Índia de Buda meditando em um portal. também conhecido como Siddharatha Gautama. simboliza um portal divina (Nirvana). durante as dinastias Chou e Han empreendeu planejado viagens de e para hemisfério ocidental tão cedo quanto 700 aC Ekholm alega que os estudiosos têm subestimado as capacidades marítimas dos primeiros chineses. mas usou um leme mais condições de navegar do que os usados nas viagens de Colombo. sob um símbolo da flor-de-lis. Nalanda Museum Site. e deu à luz a ele em pé e segurando uma árvore. Sua mãe.

eo que parece ser duas cogumelo Amanita muscaria codificados. . em Londres. Observe as pegadas sob a árvore bodhi.Acima é um calcário escultura primeiro século aC agora no MuseuBritânico. intitulado a iluminação de Buda.

que significa od G. teonanacatl. o que me leva a especular que a Guatemala possa ter sido chamado de "a terra da Gautama". teonanacatl. simbolizando "a viagem". É apenas uma coincidência que o budista profeta Gautama tinha uma mãe chamada Maya. Os astecas chamado seu cogumelo divino. e que o Deus hindu Soma teve um filho chamado Buda? .Pegadas do Buddha. O motivo da pegada é comum na arte pré-colombiana. uma das muitas terras visitado por monges budistas no pré colombianos? Na religião chinês. que significa "carne de Deus". a palavra "tao" significa estrada ou caminho. codificados com flor de lis emblemas como um símbolo de uma Trindade. "teo".

1963 p. bem como um licor que é destilado a partir da planta e a intoxicação produzida pelo licor ". (a partir de Larousse. ele é criador e pai dos deuses. o ser supremo criado antes dos três Vedas.232) Acima é um fragmento jugo de pedra jogo de bola com pegada que foi escavado por J. ele é a lua."Soma tem vários aspectos muito diferentes na mitologia Hindu: por um lado. World Mythology. por outro lado. juntamente com uma pedra tripé de cogumelos a partir de . e ele também é uma planta. Eric Thompson.

o anel rotativo ou roda protege o Soma dos deuses.) .. em que sua existência depende (O Mahabharata (Adi Parva). descrevendo um disco solar antigo. Para os hindus. o Mahabharata. Secções XXXIII-iv .um poço na frente do Monumento 3 no local da costa do Pacífico de El Baul na Guatemala. Acima é um provável El Baul marcador ballcourt do Pacífico Piedmont da Guatemala. No indiana épico. o sol é o "olho do mundo". com os quatro pontos cardeais ou raios do sol estilizado como cogumelos divinos no perfil.

p. é que eu acredito que uma referência metafórica ao cogumelo sagrado e da Árvore da Vida ou Árvore do Conhecimento. 2006. Note-se que Buda eventualmente atinge a iluminação.. .O motivo disco solar roda-like (normalmente quatro ou oito raios em número) ocorre em todo o mundo antigo. ambos perfeitamente aplicável a um cogumelo ".34) Como a história vai. Carl AP Ruck .. (a partir de cogumelos sagrados da Deusa. O bodhi palavra que significa a iluminação. e sua identidade botânico está escondido debaixo de uma infinidade de metáforas.. aparecendo em petroglifos vários milênios antes da invenção das rodas raiadas. Citando pesquisador Scott Hajicek-Dobberstein . como o guarda-sol ou roda com raios. Citando o Dr.... Buda se torna iluminada ao sentar-se sob a árvore de Bodhi. Soma ser uma metáfora dele como o" One pressionado ". "Assim o deus Soma [do Rig Veda] não tem nome. ou Nurvana debaixo desta árvore.. mas só depois que ele morre de comer um cogumelo.

e 9-séculos há algumas pistas que podem ser interpretadas para revelar que os adeptos estavam consumindo Amanita muscaria psicodélicas. 'Amanita muscaria'. mural budista que descreve Buda sentado sob a Árvore da Vida codificada como a flor de lis (de Po Win Daung."Nas biografias lendários de alguns adeptos budistas dos 2º." (De Hajicek -Dobberstein 1995. siddhas Soma e iluminação alquímico: cogumelos psicodélicos em tradição budista) "O Desperto". . Myanmar). cogumelos para alcançar a iluminação.

. (8 de abril de 1954 arquivos Wasson) "a árvore ceiba quando jovens definitivamente tem picos curtos e eu acho que os incensários perfurantes na área do Maya estão relacionados ao conceito de árvore ceiba cravado. que era a árvore sagrada dos maias".. em uma carta a Gordon Wasson . . ou Árvore da Vida.Os antigos maias veneravam a árvore Ceiba como a sua chamada Árvore do Mundo. De acordo com Maya arqueólogo Stephan de Borhegyi.

(BC c.Buddhist Mameluks moedas . Budist kültürde Lotus. .. .600-500 BC) codificado com símbolos astronômicos em associação com cogumelos e da Árvore da Vida. (fonte Nuray Bilgili 2015) Acima é uma moeda Magadha Janapada (c. Hıristiyan kültüründe Zambak ve Türk kültüründe Gonca-Rumi motifi adı verilen Hayat çiçeği İkonografisi .600-500) que descreve símbolos cogumelocomo em associação com a Árvore da Vida...13 e 14 century.. Magadha Janapada moedas de prata..

são incrivelmente fortes. entre os maias. mas não pode negar-lhes .. em particular.Acima estão Dinastia Han (206 aC . e eles já têm perturbado alguns Americanistas que não gostam de vê-los. vestindo cocares que proponho são codificados com cogumelo Amanita muscaria. . Citando etno-arqueólogo Robert Heine Geldern: "As influências da cultura hindu-budista do sudeste da Ásia no México e.220 dC) estatuetas 'Sichuan' com rostos sorridentes... Os navios que poderia cruzar o Oceano Índico foram capazes de atravessar o Pacífico também.

352-353). Reed menciona (página 27) que a identidade do toltecas representa um dos problemas mais confusos da história lendária e documentado do México. Entheogenic Traços na Islâmica Mysiticism). eo imperador chinês morreu no ano 207 aC. em busca de cogumelos alucinógenos para levar de volta para a China (DH Childress. uma no século V dC. 1992 p.Além disso. o mesmo imperador que construiu a Grande Muralha. Antropólogo Gunnar Thompson teoriza que os exploradores chineses navegaram pela costa da América Central entre 500-300 aC. sem obter o procurou depois de cogumelo da imortalidade (DH Childress. simbolizado pela "serpente emplumada". as hordas toltecas apareceu com a rapidez de um ciclone. e que foi deificado por seu próprio povo. Reed do passado antigo do México. à procura de um local favorável para finalmente se fixar na margem sul do lago Texcoco em Culhuacan ( "O Lugar da viragem" ou "O lugar dos Bent antigas"). 1992 p. Antropólogo Henriette Mertz observou duas expedições chinesas para a América em seu livro pálido Ink (auto-publicado c. a erva ou planta da imortalidade. p. Ela escreve que. os toltecas deus-rei Mixcoatl.561). "esta visita século 5 para o México mudou todo o curso da história mexicana" (de Peter Tompkins 1976 p. que a palavra" Mixcoatl "significa ". "o guerreiro feroz. Autor Alma M. 1958). e que ele se tornou o herói da cultura tolteca Quetzalcoatl. Registros chineses indicam que o Imperador Chi-Huang-ti. Ambas as expedições estão nos registros chineses. que significa "procurar". muitas vezes descrito como um fungo (fonte: Frederick R. que Mertz e vários outros historiadores têm identificado como o México. Dannaway. enviou milhares de homens e mulheres em uma viagem para o chamado "Terra de Ouro" para encontrar o chamado cogumelo da imortalidade. 1966. 13. O chinês voyagers nunca retornou da expedição. em 412 dC. De acordo com . estes navios foram realmente maior e provavelmente mais mar-digna do que as de Colombo e Magalhães ".62). e o outro muito mais cedo no vigésimo terceiro século aC a expedição século 5 é descrito por Hwui Shan um monge budista que informou sobre as viagens de cinco missionários budistas para um país distante para o leste chamado "Fu-sang". De acordo com Mertz. que tem sido chamado de" Novo Mundo Genghis Khan ". escreve que um membro da Assembleia Nacional chinesa afirma que um monge chinês chamado Fa Hsien desembarcaram no México. Textos chineses primeiros usar o chhiu língua. Depois de queimar e saquear Teotihuacan o chefe energético seguiu em frente.

27-28). eo outro. "esta visita século 5 para o México mudou todo o curso da história mexicana" (de Peter Tompkins 1976 p.o Anales de Cuauhtitlan ele mais tarde mudou a sede do império tolteca de Tula " ( do passado antigo do México. De acordo com Mertz. 1966. Citando David Pratt "Até o século 3 aC. uma no século V dC. De acordo com a crônica Shih . os chineses estavam construindo navios mercantes oceânicos até 80 pés de comprimento e pesando até 60 toneladas. que Mertz e vários outros historiadores têm identificado como o México. 1958). Ambas as expedições estão nos registros chineses. antropólogo Henriette Mertz observou duas expedições chinesas para a América. p. A expedição chinesa quinto século é descrito por Hwui Shan um monge budista que informou sobre as viagens de cinco missionários budistas para um país distante para o leste chamado "Fu-sang".352-353). muito mais cedo no vigésimo terceiro século aC (Peter Tompkins 1976 p.352-353). Em seu livro pálido Ink (auto-publicado c.

Neste aspecto. para os antigos mexicanos. Maya é o poder que traz toda a realidade em ser como ela é percebida pela consciência humana. 1976 p. Citando o final de Etno-micologista R. ou pelo menos a ideia de cogumelos sagrados. Portanto. o mesmo se aplica ao início de Índia. Os deuses consumiram a bebida Soma. Gordon Wasson . uma vez adoravam um cogumelo alucinógeno e empregou-o em ritual religioso e da medicina. os chineses. usado em sacrifícios a todos os deuses. todos os fenômenos naturais contidos neste mundo material são produtos de maya. como a da China. com o qual os deuses possuía para criar e manter o universo físico.Estamos ainda disse que os próprios deuses foram descritos como Mayin . que poderia naturalmente introduziram alguns dos seus próprios conhecimento farmacológica avançado.info fonte Maio de 2009). era um aspecto indispensável de todos os rituais védicos.Chi. O SEGREDO DO SAGRADO MAYA . como parece provável. se refere ao poder de Soma. tem uma semelhança desconcertante para a sua pré-hispânica colega mexicano "(Furst. No Rig Veda o termo Maya. liderada pelo capitão Tzu Fu. uma frota de navios.. uma terra distante para o leste.. também conhecida como a Ilha dos Imortais. deixou a China para Fu Sang. portanto. por acidente ou design. e assumir várias formas materiais. "Agora.104) Soma foi considerado o líquido mais precioso no universo e. em 219 aC. a fim de sustentar a sua imortalidade. se. durante o reinado do imperador Shih Huang. o objetivo era trazer de volta o lendário cogumelos ling Chih para o imperador doente (davidpratt. Soma é semelhante ao ambrosia grega (cognato para amrita ) porque era o que os deuses bebiam e que ajudou a torná-los divindades. e se alguns de seus sábios chegaram ao Novo Mundo. cuja calendrical sistema.

É tentador pensar que a estatueta feminina acima à direita representa a mãe de Gautama rainha Maya? Ao buscar a origem linguística para o nome de Maya. em quíchua. A fotografia é de um painel do relevo tribunal bola do sítio arqueológico de El Tajin. p. à esquerda é a imagem de Buda sob o que parece ser um cogumelo Amanita muscaria. de 2005. e Guatemala. Ao perceber a tartaruga nesta cena criação de um número de anos atrás. América do Sul (Hugh Fox. O grande arqueólogo e epigrapher falecido . uma história da criação muitas vezes representado na arte hindu.118). À direita está uma estatueta feminina das ruínas maias de Xelha em Quintana Roo México. ou maia. agora em Maya Museu de Cancún.Acima. deve-se notar que os linguistas identificaram uma série de palavras em sânscrito. Como é que eu não era o primeiro pesquisador a fazer a conexão. eu soube imediatamente que esta cena ballcourt de El Tajin era uma versão do Novo Mundo do mito hindu / budista conhecida como "A agitação do oceano do leite". a antiga língua dos Andes do Inca do Peru. em Veracruz México.

que uma serpente dirigida dupla se esconde abaixo na parte inferior da cena.44) (HeineGeldern 500-1000 dC . que é composto de uma serpente entrelaçada sendo puxado em ambas as extremidades por céu divindades (quatro pontos cardeais ). e há pouca dúvida de que deve ter havido um contacto estreito entre as duas regiões. do que as duas divindades por trás dos personagens centrais segurar contentores ou baldes rituais em suas mãos cheio com a bebida Soma. 1959a). Kelley observou as semelhanças marcantes entre os estilos decorativos Chow tardios da China de 700-200 aC e os da cultura El Tajin de Veracruz. . Note-se que a cauda da serpente acabar diretamente acima do símbolo do novo Sun nascido logo acima da tartaruga em um design estilizado de três lóbulos do emblema Fleur-de-lis. que era guardado por uma serpente. que atua como o ponto de pivô central. Note que. emergindo da profundidade do oceano. no desenho acima por Daniela Epstein-Koontz no do painel ballcourt o Tajin. pode de fato representar o avatar do deus hindu Vishnu. e como um "licor celeste". Kelley observou os anos semelhanças atrás. México. Jett 1971. que cria o novo Sun nascido (Vishnu?). p. Embora a identidade real do védica Deus-fábrica da Soma foi perdido ao longo do tempo. A tartaruga na parte inferior da cena. Se esta cena ballcourt não representa mitologia hindu-budista. O estilo de arte em El Tajin é uma reminiscência da cultura Cotzumulhuapa na costa do Pacífico da Guatemala. mas seu trabalho foi muitas vezes criticado por sua insistência para continuar seus estudos de longo alcance contatos culturais através de trans-Pacífico e viagens transatlânticas. de (Stephen C. Os três flechas penetrantes da Sun na cena alude à tríade ea vida do Sun dando raios de luz. esotericamente aludindo eu acredito para a trindade de deuses criadores na mitologia védica . Soma foi descrito como um deus. abaixo do mecanismo de agitação. e estou certo de que ele faz. pressionado a partir de cogumelos sagrados.David H.

pelo contrário.Embora ambos adicionado enormemente para o corpo de informação etnográfica e arqueológica publicado sobre o assunto.. e o jogo de bola mesoamericano. Inc) . "Este estilo pode ser confundida com nenhuma outra no México. Esta tarefa foi imensamente facilitada pela nova tecnologia fotográfica. Eu n outono de 2004 me matriculei em um curso intitulado "Tópicos em Maya arqueologia" na Universidade de Hamline. Ele baseou essa teoria em sua identificação de um culto de pedra cogumelo que passou a existir nas Guatemala Highlands e litoral do Pacífico por volta de 1000 aC. todos os modernos milagres dia disponível para os pesquisadores anteriores.Aqui eu descobri notável compilação e base de dados de fotografias de roll-out de mesoamericanas de Justin Kerr estatuetas de cerâmica e pinturas em vasos maias. Stephan F. Intrigado com a pesquisa arqueológica do meu pai. de Borhegyi. acima de tudo.. Ajudando com seus programas de aula como um membro do conselho. Minhas atribuições em que a classe me apresentou o site de pesquisa on-line FAMSI ( Fundação para o Avanço de Estudos da Mesoamérica. a comunidade acadêmica e arqueológico. mais conhecido simplesmente como Borhegyi. p 0. que os rituais de cogumelos alucinógenos eram um aspecto central da Maya religião. 1994. encontrei-me com muitos dos arqueólogos que visitam e partilhadas ideias com eles. México. Do olmeca para os astecas . Coe. Como resultado deste estudo e evidências sólidas de outros estudiosos. o falecido Maya arqueólogo Dr. como um todo tem sido relutante em reconhecer e aceitar o papel cultural e religioso importante desempenhado pelos cogumelos em antiga sociedade do Novo mundo. suas afinidades mais próximas parecem mentir. de hoje não oficial "decano de estudos Maya". arqueólogo Michael D. e Gordon Wasson. Tanto o meu pai. e mais tarde na Universidade de Wisconsin.115) Meu estudo do simbolismo cogumelo na arte pré-colombiana começou em 1996. que permanece até hoje praticamente . juntamente com um culto cabeça troféu associado com sacrifício humano e decapitação ritual. inspirado por uma teoria proposta pela primeira vez pelo meu pai. a fim de assistir suas palestras e workshops em Maya arqueologia. e minha capacidade de acessar o banco de dados Kerr no meu computador de casa. Coe é citado como dizendo . através do Pacífico com o bronze e culturas da Idade do Ferro da China" (Michael D. entrei para aSociedade Maya de Minnesota. Foi este site. que me permitiu fazer o estudo detalhado da arte visual mesoamericana. eu tenho sido capaz de expandir este assunto muito além de esforços pioneiros do meu pai. uma etno-mycologist bem conhecido notou este fato mais de meio século atrás. Apesar de toda a evidência do uso religioso de cogumelos visionários gravados nos códices pré-colombianos e descritos nas crônicas espanholas. Coe. eu tinha formado em educação física Southwestern Michigan College. sem razão aparente.Referindo-se ao clássico Veracruz estilo de arte de El Tajin. e autor do livro. o computador.

. em seu livro monumental.. NT A partir do momento da sua primeira reunião na Guatemala em 1953 até a morte prematura de meu pai.. em cada caso.. em seguida.desconhecido. eo efígies de pedra cogumelo iria fornecer as pistas necessárias para decifrar o seu significado. A pedra de cogumelos encontrados nesta sepultura pré-clássico. o mais cedo 1000 aC. 1952. Citando arqueólogo Stephan F. Wasson. o próprio cogumelo era uma metáfora iconográfica. onde a associação de cerâmica que indicaria que eles são pré-clássico.. em particular. Há também uma série de ainda não publicados espécimes de pedra cogumelo no Museu da Guatemala a partir de Highland Guatemala. Como resultado de seus esforços de colaboração. Meu site.. que desempenhou um papel importante na o desenvolvimento da ideologia religiosa indígena. com base em carbono 14 datas e estratigrafia. de Borhegyi . um número suficiente de pedras cogumelo havia sido encontrado durante o curso de investigações arqueológicas a permitir meu pai para determinar datas aproximadas e catalogá-las estilisticamente. "Minha tarefa para o chamado culto do cogumelo.. os fragmentos de pedra cogumelo tem uma circular sulco sobre as pedras superior. em 1969. Rússia. baseia-se nas escavações de Kidder e sacudiu no cemitério Verbena em Kaminaljuyu. mas que na América Central. tem uma ranhura circular na tampa. "Hidden in Plain Sight". eM & Kidder. 1957). 1957b . "cogumelo Pedras da América Central". representam um culto do cogumelo. (Wasson e Wasson. SF. bem como uma extensa pesquisa de Wasson em simbolismo cogumelo na Sibéria e no Sudeste Asiático. Wasson e Robert G. em Cogumelos. cogumelo encontrado durante os períodos clássico e pós-clássico não tem ranhuras circulares. Gordon Wasson publicou o artigo de meu pai sobre o assunto de pedras cogumelo média americana. Esta foi a base sobre a qual eu preparei o gráfico em pedras de cogumelos que foi posteriormente publicado pelos Wassons. Mound e-III-3. descoberto em Mound E-III-3 . Guatemala. Rússia e História por Valentina P. Enquanto a maioria dessas esculturas em pedra de cogumelos eram de proveniência indeterminado. na verdade.. os dois cientistas trabalharam em estreita cooperação e compartilhou uma volumosa correspondência de mais de 500 cartas.. Kaminaljuyu. (ver Shook. foi criado para apresentar evidência visual que os cogumelos não são apenas com frequência identificável na arte préhistórica. alguns desses achados pré-clássico pode ser datado tão cedo quanto 1000 aC a referência está no seguinte ". eds. Cogumelos e História. eles supuseram que se as pedras de cogumelos que. Borhegyi de. AV. Contribuições para americana de . tanto do Velho Mundo e Novo Mundo.

De acordo com etnomycologist Gastón Guzmán. cogumelos Fly Agaric de Salvia Espaço Ethnobotanicals) Citando etno-arqueólogo Peter T. pirâmides e escultura de pedra megalítica decorado com as imagens de deuses e governantes. com o seu estilo distinto de arte e mitologia. Carnegie Institution of Washington. e pouco depois no que é hoje no estado de Veracruz. que vem. 596. em primeiro lugar ao longo da costa do Pacífico da Guatemala e do México. muitas das quais retratam o simbolismo de um jaguar rosnar. Robert Ravicz. 1200-400 aC Estas figuras com cara de bebê para crianças. 53 de Publ. cerca de 1000-400 aC. Esta figura parece representar um bebê segurando em uma árvore ou gigantesco cogumelo Amanita muscaria . e os primórdios da Mesoamérica da cultura olmeca (SF de Borhegyi para Wasson. são um traço distintivo na arte olmeca. arquivos MPM 01 de dezembro de 1960) Os primeiros indícios de um culto religioso à base de cogumelos no Novo Mundo. apareceu de repente em plena floração. Furst: . (Guzman. 14 de junho de 1953) . (Foto de Amanita muscaria. México. a fase de San Lorenzo da cultura olmeca. DC (carta de Borhegyi ao Dr. 2010). um dos efeitos da Amanita muscaria experiência cogumelo é para ver objetos tão gigantesco em tamanho. A Bove é um apito olmeca.Antropologia e História No. Esta cultura sofisticada. parece datar de aproximadamente o mesmo período de tempo. e características faciais que parecem muito semelhantes aos aqueles encontrados nas culturas da Ásia. provavelmente.

de Borhegyi. p. A fotografia é de 1963 a publicação "O jogo de bola de borracha da América Antiga". Stephan F. namoro ao período clássico tardio. escrito por arqueólogos Dr. e minha mãe Dr. Suzanne de Borhegyi-Forrest."É tentador sugerir que os olmecas poderia ter sido instrumental na propagação dos cultos de cogumelos por toda a Mesoamérica. Toda a Mesoamérica durante o pré-clássico (2000 aC a 250 dC) e clássico atrasado período (600-900 dC) ). A pedra palmate está agora na coleção do Museu Público Milwaukee. e que a esmagadora maioria destes pedra artefatos são de pré-clássico e origem clássico atrasado (SF de Borhegyi 1961. . como eles parecem ter sido de outros aspectos significativos do início da civilização mexicana (Furst 1976. provavelmente foram utilizados para fins cerimoniais e não usado durante o jogo real. México. Estas pedras palmate como a abaixo .133 e nota 21). é de Veracruz. 79) . p. Manuscritos Nahua (Annals of Cuauhtitlan) recorde que era Senhor Topiltzin Quetzalcoatl que inventou o jogo de bola." Na arte mesoamericana. representações de cabeças humanas como símbolos de troféu ocorrer em parafernália de jogo de bola e painéis de parede corte da bola. 600-900 CE e representa um trevo estilizado que proponho é uma versão pré-colombiana da flor de lis emblema do velho mundo. doada pelo falecido Albert Hoffmann. ballplayers são muitas vezes retratado vestindo estes curiosos objetos de pedra descritos abaixo chamadas "pedras palmate" ou palmas. O jogo de bola Palma. Em tempos pré-clássico jogo de bola ritual parece estar obsessivamente ligado a onça-pintada e simbolismo da serpente associada a ritos de fertilidade sangrentas.

e difusão cultural pode estar em ordem" "Enquanto a decapitação humano era um difundido costume ao longo de ambos os antigos e novos mundos tão cedo quanto o período Paleolítico. aparece pela primeira vez na arte dos antigos sumérios.7). possivelmente. 1955). Embora mais estudos são necessários ao longo desta linha.. Os historiadores propõem que Sumer foi resolvido entre 4500 e 4000 aC por um povo não-semitas e que antiga Suméria era conhecida como a "terra dos reis civilizados".25) O símbolo que temos vindo a reconhecer como A flor de lis. é tentador sugerir que o costume de usar cabeças humanas em ballgames competitivos ser adicionado à crescente inventário Pré-clássico de "contatos trans-Pacífico". . pela dinastia Han (206 aC-220 dC). 1968). (SF de Borhegyi 1980. aos tempos Shang (cerca de 1750 BC -1100 aC).Citando Maya arqueólogo Stephan de Borhegyi . China e Mongólia remonta pelo menos tanto quanto a dinastia Chou (cerca de 1100 aC -250 aC) e. o uso de cabeças humanas decepadas nos jogos de pólo do Tibete. o costume de usar "cabeças troféu" no jogo deve sobreviveram em forma moderna em áreas marginais. p. o jogo de pólo na China tornou-se mais refinado e cabeças humanas foram aparentemente substituídas por bolas. no entanto. usada no Novo Mundo pela antiga civilização Inca do Peru (Hugh Fox de 2005 p. a mesma palavra exata para "Senhor"..A palavra suméria para "Senhor" é apu. consulte Loffler. sua associação com os jogos da equipe antigos parece ter ocorrido apenas na Ásia Central e Oriental. Mesoamérica e América do Sul (para ballgames no Sudeste Asiático . A literatura escrita mais antiga dos Sumérios data de cerca de 2600 aC. como prova pelo fato de que os tajiques membros de tribos dias atuais do Afeganistão ainda usam a cabeça de uma cabra como uma bola durante o jogo (Abercombie. "O jogo de bola.

divindades solares antigos foram muitas vezes descrito como metade homem / meio-peixe. ambos segurando um balde ritual que contém uma bebida divina da imortalidade. há uma antiga crença de que o Deus Sol nasceu a partir do mar esubiram para o céu como uma águia . símbolo da Árvore da Vida. . ou meia homem e meio pássaro.A tabuleta de argila suméria acima retrata a deusa Inanna (conhecido por semitas como Ishtar) ladeada por duas divindades aladas coroado com a Fleur símbolo de lis. A divindade alada na esquerda segura o que parece ser uma pinha na mão esquerda. No Velho Mundo. Note-se que as divindades aladas parecem estar guardando um portal sagrado para ressurreição divina. Por esta razão.

(A ilustração do Peixe Deus Dagon. A "Árvore da Vida". 713-716 aC. Na Bíblia. é uma das lendas mais difundidos e duradouras da história da religião.Acima. a foto da divindade alada é de http://en. à esquerda é o peixe Deus Dagon.org/wiki/Winged_genie ). A divindade alada é retratado segurando um balde de rituais numa mão e uma pinha da Árvore da Vida no outro. por John Clark Ridpath (Clark E Ridpath de 1912. localizada em um paraíso de imortalidade. Representando uma divindade alada também coroada com o Fleur de lis emblema. há uma "árvore da vida" e uma "árvore do conhecimento do bem e do mal" encontrado crescer no Jardim do Éden. é de Com povos do mundo . e que Deus tem medo de seres humanos que atingem o conhecimento secreto daquela árvore da vida eterna.Acima à direita é um alívio para a parede norte do palácio do rei Sargon em Durrukin. no relato do Gênesis sobre as origens da humanidade. .wikipedia. da mitologia assírio-babilônica usando um capacete coroado com a flor de lis emblema simboliza a divindade e senhorio . ou o "Jardim dos Deuses".

codificada nos ramos da Árvore da Vida.Observe também que um símbolo da flor de lis foi codificado na base da Árvore da Vida. simbolizando a divindade e senhorio e uma trindade de deuses. como um símbolo esotérico da imortalidade e ressurreição divina.Acima de um rei assírio (722 aC-705 aC) usa um capacete coroado com o emblema Fleur-de-lis. Observe o simbolismo esotérico do número 3. Pode-se encontrar inúmeras lendas e mitos da Árvore da Vida que se relacionam com os acontecimentos do Antigo Testamento. .

Acima à esquerda e abaixo é um desenho de um Celt pedra olmeca (900-500 aC) que retrata uma divindade alada ou Deus-Rei coroado com um emblema do senhorio. . a divindade alado assírio é retratado segurando um balde de rituais numa mão e uma pinha da Árvore da vida no outro.) que descreve uma divindade alada coroada com a flor de lis emblema.Acima à direita é um um ncient laje assíria de pedra (650 aC. que irá demonstrar é uma flor símbolo de lis.

A controvérsia continua sobre a forma como cedo começaram as migrações. produção de alimentos e vida da aldeia estabelecida. . Berthold Laufer antropólogo e Geografia Histórica com uma especialização em idiomas do leste asiático. demonstrou que a palavra xamã é de origem turco-Tungusian em contraste com as crenças anteriores que vieram do sânscrito. mais comumente através do consumo de cogumelo Amanita muscaria. que as origens dessas crenças parecem preceder o desenvolvimento da agricultura. É geralmente excetuado-se que antes do Pleistoceno Idade do Gelo. A adoração de companheiros do espírito animal e o conceito de transformação do humanoanimal é tão antiga.Na antiga arte da Mesopotâmia o Deus Sol no submundo também é retratado como um meio homem. e metade deidade leão descrito acima usando um capacete coroado com uma de símbolo Fleur lis.Uma vez que essas crenças também estão presentes em todo Norte e América do Sul que pode muito bem ter sido levado para lá pelos primeiros caçadores e coletores para alcançar o Novo Mundo. e se esses primeiros imigrantes usado barcos ou atravessou uma ponte de terra que posteriormente inundada. e que foi introduzido para a Sibéria por monges budistas. muitas vezes através de uma forma de transformação animal. Encontramos as primeiras evidências destes rituais xamânicos na Mesoamérica na arte dos olmecas antigos juntamente com o desenvolvimento da agricultura. os primeiros seres humanos migraram para as Américas através da região do Estreito de Bering . onde Sibéria é de apenas cem milhas ou mais desde o Alasca. xamanismo Siberian incorpora transes extáticos provocada por um ritual de dança e o incentivo de alucinações. A intenção era abrir comunicação direta com o mundo espiritual.

com/categories/380/Ancient-Unknown-) . simbolismo dosubmundo Jaguar Deus. ou uma espiga de milho em uma estilizada codificado flor de lis símbolo.Acima está uma estatueta de jade olmeca (900-300 aC). Note-se que o artista olmeca codifica uma pinha. ou Submundo Sun Deus. http://www. (Foto do.antiques. que retrata a familiar "grunhido olmeca".

datada ao redor. .Acima à direita é uma estatueta alado olmeca jadeite. Jadeite olmeca escultura 900-300 aC A escultura jadeite acima (pegada de nota) representa um governante olmeca ou deidade com o "grunhido olmeca" familiar.simbolismo do submundo Jaguar Deus. 900-300 aC Os olmecas alado divindade aparece para ser coroado com um símbolo de trevo da divindade semelhante em forma para o Velho Mundo Fleur-de. ou Submundo Sun Deus.símbolo de lis. conhecida como a estatueta Arroyo Pesquero. Vou demonstrar que a iconografia coroado acima desta régua ou divindades cabeça é uma versão do Novo Mundo do Velho Mundo emblema Fleur-de-lis.

arte simbólica secreta e glyphic escrevendo. é um painel de alívio pré-clássico olmeca (800-500 aC) a partir da costa sul da Guatemala. que retrata um felino deus-rei coroado com um símbolo da flor-delis estilizada codificado em seu cocar.Acima.. " "Arte olmeca tem traços significativos. Citando mexicana historiador de arte Miguel Covarrubias . um símbolo associado com o vento deus Ehecatl Quetzalcoatl. culminando no desenvolvimento de tais características litúrgicas como a arquitetura religiosa. e Monte Alban" (1954: 79) . Teotihuacan. particularmente o Maya. eo deus Maya Trovão Chac. e é semelhante em forma de cruz ariana Tau. "O espírito místico da" "arte olmeca sugere a presença de feiticeiros altamente intelectuais.. e que o felino deus-rei usa um medalhão em forma de T em volta do pescoço. Observe as pegadas no monumento. Este ícone em forma de T é conhecida como a Ik glifo.. Tajin. que podem ter desenvolvido o básico conhecimento astronômico para previsões meteorológicas e time-acerto de contas. sugerindo um estágio inicial no desenvolvimento das culturas clássicas.

que traduzido da língua maia significa "Terra da Serpente". O . Maya. nos atuais estados de Veracruz e Tabasco. ancestrais. Mixtec e civilizações astecas que estavam a seguir.Acima é um desenho por Jill Leslie Furst de um Celt jadeite olmeca. levantando-se nasplanícies tropicais do centro-sul do México. e foi um paraíso de deuses. As pessoas poderosas que conhecemos como os olmecas emergiu das selvas pantanosas da costa do Golfo do que hoje é dia atual México. Os olmecas foram a primeira civilização importante na Mesoamérica. a língua que eles falavam. Não o suficiente é realmente conhecido sobre as pessoas olmecas. tolteca. nos centros de San Lorenzo. onde havia um governo por um longo tempo. falam de uma terra chamada Tamoanchan. Teotihuacano. o que pode ter chamado a si mesmos. por volta de 1500-1200 aC E. Foi dito que "esta era uma terra resolvido muito antes da fundação de Teotihuacan. A influência desses centros cerimoniais estendida em todas as direções e cultura olmeca aparentemente colocou muitas das bases para a Zapotec. e onde esta antiga civilização veio originalmente. poemas astecas gravados por escribas espanhol. e Tres Zapotes. e os seres humanos". La Venta. Laguna de Los Cerros.

p. Carbono 14 datas colocar civilização olmeca de San Lorenzo em 1200 aC (MD Coe.46).29). em várias práticas rituais (COE. Stirling em 1955 para chamar a olmeca o "povo do jaguar. mesmo em suas primeiras formas conhecidas. foram encontrados em todo Chiapas. 1968b M. a poderosa religião unitária do olmeca. uma fêmea humana. as terras altas da Guatemala. Sabemos que esta cultura pelo seu estilo poderoso da arte que caracteriza adulto e bebê "estavamonças. Morley. 1965a. 1994: 69. As interpretações dos olmecas gama organização política do que de um império (Caso 1965. Etno-mycologist Gordon Wasson foi o primeiro a chamar a atenção para a difusão do sapo e é associação com o cogumelo prazo . em Chiapas. como a toxina sapo alucinógena. 1963. a primeira civilização complexa no Novo Mundo tem intrigado os arqueólogos por algum tempo. mulheres e crianças aos deuses . De . que não antes. para um estado (Heizer 1960). onde as formas não mais cedo ou mais simples foram encontrados. Grube. a um cheifdom. 1965b). 2001:. A descoberta de numerosos ossos sapo em enterros olmecas em San Lorenzo sugere que os olmecas podem ter usado outras substâncias que alteram a mente. 1961. 1993: 196) . Furst. parece se espalhar rapidamente por todo o Novo mundo com certos elementos da crença sistema que se espalhou até a área andina da América do Sul. (Sanders e Price 1968) (Philip Drucker 1981. muitas imagens sapo rolamento esculpidas em sua base. e da necessidade de oferecer a homens. no México. O ritual de decapitação foi b ased sobre o que eu acredito que era um culto esotérico da cabeça humana associada com uma cabeça troféu cult .21). p 0. Maya historiador de arte Tatiana Proskouriakoff demonstraram que em glifos maias o sapo é o símbolo divino de renascimento (Coe. e ao longo da costa do Pacífico até o sul de El Salvador. O costume ritual de decapitação e sua relação com o jogo de bola pré-colombiana remonta à pré-clássico (2000 aC a 250 dC) tempos olmecas (SF . 294) pedras em forma de cogumelo." Ele especulou que os olmecas acreditava que em algum momento de sua mítica passado um jaguar tinham copulado com e impregnados. já era um sistema altamente evoluído. Renomado arqueólogo Maya Sylvanus G. 1970. Bernal 1969a. A religião da antiga olmeca foi fundamentada no sacrifício." um estilo de arte tão difundida que levou o falecido arqueólogo Matthew W. que. p. Coe). 1990: 28. México. formas mais simples de escrever fora do que poderia ter crescido são conhecidos em qualquer lugar (Stephen C. Os olmecas aparecem em cena já tendo desenvolvido um sistema altamente evoluído da escrita. observou que havia também a falta de antecedentes diretos conhecidos da cultura maia na região de Maya (Morley 1946. p. (Borhegyi. com os cogumelos inebriantes ou venenosas na Europa. os arqueólogos afirmam que a cultura olmeca parece vir do nada em plena floração no local de San Lorenzo. Jett 1971.46).aumento dos olmecas.Morley observou a escrita como um exemplo perfeito. 1957.

A urna Zapotec retrata uma régua ou deidade com características faciais que parecem muito semelhantes àquelesencontrados nas culturas da Ásia. no sul da Mesoamérica. p. Ol mec religião definir o tom para muitos dos futuros crenças religiosas no Novo mundo. e os grandes feitos dos reis mesoamericanos. foi olmeca influenciado.a régua ou deidade retratado na urna é coroado com um símbolo de governo que eu acredito que representa uma versão do Novo mundo das o velho mundo da flor de lis.237). Os zapotecas eram um pré-colombiana civilização que floresceu no vale de Oaxaca. Acima é um olmeca influenciado urna Zapotec a partir de (Tomb 7) Monte Alban. celebrando tempo honrar eventos. o estelas com inscrições oficialmente conhecido como o danzante com glifos (ou Monumento 3 em San Jose Mogote).Mann 2006. foi esculpida por volta de 600 aC (Josephy 1991.Borhegyi 1965. de a mais antiga paliçada Zapotec. intervalo entre 1680 e 1410 aC ( Charles C. Os primeiros indícios de escrita na Mesoamérica aparece em uma estelas no antigo local de cerimônias Zapotec de Monte Alban. Por volta do final do período pré-clássico tardio (900 aC a 250 dC) escrita começa a aparecer esporadicamente. Novas evidências sugerem que o centro cerimonial em Monte Alban.159). e começa a desenvolver sob a influência olmeca cerca de 700-800 aC radiocarbono datas por Kent Flannery e Joyce Marcus . (fotografia de urna Zapotec de http://roadslesstraveled. p.26). p.us/monte-Alban /) . em Oaxaca no México. Observe o familiar "grunhido olmeca" simbolismo de um jaguar submundo rosnando.

O glifo Zapotec no canto inferior direito. os cogumelos alucinógenos do México e psilocibina:. no vale de Oaxaca.Papeles de Nueva Espana 1580. o linha real do rei foi considerada de origem divina. Uma bibliografia. como no Velho Mundo. Na América Central. (Wasson e de Borhegyi 1962. . relataram o uso de cogumelos sagrados entre os índios zapotecas. em seu "Relacion de Teticpac". codifica um símbolo para o cocar que vou demonstrar é uma versão pré-Conquest ou Novo Mundo do Velho Mundo da flor de lis símbolo da régua ou senhor.Espanhol cronista Pedro Perez de Zamora. p 371962). Acima é a lista dos 20 sinais dia Zapotec de Javier Urcid (2000). ligada à Árvore da vida.

Tlaloc com eles. Seu cocar de penas elaborado codifica o que parece ser um sinal ano mexicana diretamente abaixo um período versão do clássico Teotihuacan da flor de lis emblema (Desenho de Kubler 1967. localizado a cerca de 40 km. O período clássico na Mesoamérica (250 dC a 900 dC). Teotihuacan exerceu uma tremenda quantidade de influência religiosa e comercial em toda a América Central. Vasos cerimoniais influenciaram Teotihuacan e queimadores de incenso cerâmicas decoradas com as divindades protetoras Teotihuacan de Quetzalcoatl e Tlaloc são encontrados em toda a área maia da Guatemala. Ela retrata uma régua Teotihuacan vestido com o disfarce do deus Tlaloc mexicana. Tlaloc da chuva e mitigação Deus. Embarcação bebendo Teotihuacan. Os reis de Teotihuacan estabeleceu um vasto império que chegou até o sul de Kaminalyuju. mais uma vez tomou o centro do palco nos grandes centros cerimoniais. fornece o sustento para a vida e vida após a morte. e Yucatan no México. 14). a fig. parece que um renascimento do rituais jogo de bola associadas a ritos de fertilidade pré-clássico olmecas (rituais de cogumelos) de decapitação humana sangrenta. Com a queda de Teotihuacan. é geralmente caracterizada pela forte influência de Teotihuacan. uma grande cidade maia nas terras altas da Guatemala. T ele poder e influência religiosa de Teotihuacan declina repente em torno 600-650 AD um epois da queima e subsequente destruição da grande cidade.O desenho acima é de um período Clássico (200-650 dC). cerca de 400 dC a 650 dC. se o derramamento de sangue humano é recíproco. A figura segura um machado sangrento na mão esquerda e três lanças na mão direita.Especialmente durante os anos. por chichimecas ou Otomi invasores "bárbaros" do norte do México. a nordeste da Cidade do México. . Onde quer que os teotihuacanos foi tomaram sua religião e seu deus da guerra. uma enorme metrópole religiosa.

Aqueles que morreu por Tlaloc ou estavam sob seu olhar atento. presas felinas e bigode. foi diretamente para seu paraíso divino chamado Tlalocan. .Tlaloc podem ser facilmente identificados por seus olhos de marcas arregalou os olhos.

Tlaloc provido o sustento necessário para a vida eterna. o deus Tlaloc partilhavam o mesmo templo como Quetzalcoatl na grande cidade de Teotihuacan . no retorno para o derramamento de sangue humano terra. .Também conhecido como "The Master". ecomo uma chuva e mitigação Deus.

O cocar é coroado com três Flor de lis símbolos e dois cogumelos codificados. Ambas as divindades estão associados com o sacrifício humano e decapitação ritual que proponho estão ligadas ao planeta Vênus como a estrela da noite.O queimador de incenso pré-colombiana acima mostra uma divindade presas ou governante usando o cocar do deus Tlaloc mexicana.orgwikiFile: Tarascan_incense_burner_w_ Tlaloc_headdress.1521 CE. O deus Tlaloc foi identificada como a contrapartida Nahua (mexicano) ao Maya Chuva Deus Chac. e agora reside no Museu de Arte Snite . (Photofromhttp: //commons.jpg) . O queimador de incenso é da cultura Tarascan 1350 .wikimedia.

no estado mexicano de Chiapas. e que ele coloca a origem do calendário em 1359 aC (Susan Milbrath 1999 p. Os arqueólogos teorizaram que Izapa pode ter sido resolvida tão cedo quanto 1500 aC tornando Izapa tão antiga quanto os sítios olmecas de La Venta e San Lorenzo. localizada na costa do Pacífico. Maya pesquisador Vincent Malmstrom propõe que a origem do calendário do dia Ritual 260 da Mesoamérica é de Izapa. . perto da fronteira da Guatemala.64).Acima é uma estela pré-clássico do sítio arqueológico de Izapa.

Spinden.A estela acima claramente descreve um homem barbudo com um barco. De acordo com o falecido Dr. um b ove. . ea cruz Tau indo-ariana. semelhante em forma de cruz tau velho mundo. Note-se que o barco é moldada ou codificada como o Maya Ik glifo. A flor de lis e uma trindade de deuses.. um dos grandes estudiosos de arte mesoamericana e arqueologia.. Herbert J. provavelmente a Deus longo-cheirado ". em forma de um T maiúsculo. talvez até mesmo um estrangeiro do Velho Mundo. O Ik gly ph. escreve . Um Estudo de Maya arte. e autor de. que viajou para o Novo Mundo trazendo com ele o símbolo da cruz. (um capital T) um símbolo na Mesoamérica do Deus do vento. "Parece bastante provável que Quetzalcoatl era uma adaptação mexicana de um dos o principal divindades Maya. é semelhante em forma de um cogumelo de perfil.

e é o deus mais frequentemente representados nos quatro códices maias pré-hispânicos. vemos uma divindade longo de lábios.Acima são selos (SMAT) da Índia. e nos textos coloniais Chac é referido como o deus dos campos de milho. como uma manifestação de água. Muitos dos monumentos em Izapa retratam divindades aladas e um tema religioso de uma árvore do mundo ou Árvore da Vida. rios e mar. lagos. um atributo comum do Maya deus Chac (também escrito Chaac). coroada com um emblema semelhante em forma e significado às Flor de lis. Chac é uma divindade Maya derivado de uma serpente. . ou de nariz comprido representado no mar abaixo.Na América Central. na forma de chuva. este X-símbolo é claramente relacionada com a natureza dualista do planeta Vênus como uma morte e ressurreição estrela. Kashmir 2o século dC Voltando ao stela Izapa acima. codificada em seu cabeça. juntamente com um símbolo-X.

1990 p. de Morning Star Morning Star é 584 dias. do Palenque Triad foi identificado como um deus antropomórfico tubarão-toothed cujos atributos incluem um Spondylus shell ear-reflexo e diadema shell em seu cocar. A revolução sinódico de Vênus. em sua cabeça ligada associada com os quatro pontos cardeais e sua centro sagrado. 1967 pp. uma página na Dresden Codex retrata quatro chacs sentados no "Árvores do mundo". creio eu código para um portal de cogumelos associada a decapitação submundo. no centro do universo. é uma referência para o portal central de Vênus ressurreição. metaforicamente codificado acima como portais sagrados para os quatro pontos cardeais. identificado com Quetzalcoatl e do mundo espiritual. codificado com um símbolo-X. (Milbrath. De acordo com J. A Floresta dos Reis . que é o mesmo aniversário como o vento Deus Ehecatl-Quetzalcoatl. No Dresden e Madrid códices em forma de T Ik glifo é usado para retratar o olho de Chac. e que essas revoluções foram agrupados pelos nahuas em fives. A imagem de uma divindade barba longa de lábios retratada em Maya pintura de vasos K3060. significa ing "9 Vento ". e Vênus ressurreição. que representa um portal sagrado que leva ao submundo. localizado nos quatro pontos cardeais de tempo e espaço.170). (ver Maya Dresden Codex) de modo que 5 x 584 igualou 2. que também codifica um símbolo-X. que retrata uma divindade barba longa de lábios com nariz bulboso e olho serpentina.Ambos GI e Quetzalcoatl estão associados com o planeta Vênus e o ritual do submundo decapitação (Schele e Freidel. Na Mesoamérica encontramos estela de reis maias vestidos com trajes elaborados (representação divindade) que reforçam o poder do rei como um deus da vida e da morte e ressurreição Venus esculpida. já que ambos Morning Star e Evening Star. É minha convicção de que tanto GI e GII do Palenque Triad. GI. nasceu em 9 de Ik . . " como d esignated por Schellhas.920 dias. parece -me estar intimamente ligada com cogumelos.Deve notar-se que o número 5 foi especificamente associada com Quetzalcoatl e que o quincôncio associada com Vénus. identificado como o quincunx. Eric Thompson o ciclo de Vênus idealizado sempre terminou no dia 1-Ahau.Esta configuração de cinco anos. O símbolo-X descrito acima em a cabeça de Chac é. 1999 p. sabe também como"Deus B . e seu centro cósmico. também nascido em 9 de vento. ou exatamente oito anos solares (Nicholson . Um quinto Chac está sentado em uma caverna que representa o centro cósmico do mundo. representam aspectos do planeta Vênus como estrela ressurreição divina. Os atributos associados a esta divindade estão ligadas a um deusarqueólogos Maya têm chamado Chac.245).Acima é um atrasado clássico (AD 600-900) Maya K3060 pintura do vaso. GI do Palenque Triad. 45-46). (também escrito Chaac).

Nesta cena o governante foi identificado como Pássaro Jaguar.Acima é um desenho de Stela 11. T h e rei do conjurando do Maya deus K'awil manifesto ed o mundo espiritual dentro o mundo material. chuva e trovões . das antigas ruínas maias de Yaxchilan. representa a personificação de um raio. e um peitoral que codifica o emblema Fleur-de-lis como um símbolo de realeza divina. o Grande. o rei de Yaxchilan. designado como "Deus B . conhecido como K'awil. "por Schellhas. . no estado de Chiapas no México. O famoso rei usa uma máscara barbudo deus maia de decapitação conhecida como Chac (também escrito Chaac) ou Chac-Xib-Chac. que retrata o rei poderosa vestindo um cocar de penas elaborado. como o seu homólogo asteca-tolteca Tlaloc. sobre as cabeças dos três vítimas sacrificiais. Chac. que descreve a serpente de pés Maya deus. O rei detém o Deus K Manequim Scepter.

em Chiapas México. um no lado éter de uma divindade que pode representar GI do Palenque Triad. O deus-rei que é retratado no queimador de incenso. Palenque é o lar de uma trindade de deuses maias conhecidos como Palenque Triad.Acima é um fim acima de um período atrasado Clássico (600-900 dC) cerâmica queimador de incenso da antiga cidade maia de Palenque. e dois da flor de lis símbolos. . com felino atributos usa uma coroa codificado comdois X-símbolos.

Acima é uma cabeça capacete cerâmica etrusca datada de 650 aC Comparar a iconografia semelhante codificado acima e abaixo de Fleur símbolo de lis. . cabeça divindade e X-símbolo.

e que esse ato de entrar ou empoleirar-se em galhos mais altos da árvore como o novo diretor Pássaro Divindade foi um evento que magicamente organizado todo espaço e tempo nos três níveis do universo. O Maya deus K'awil também conhecido como Deus K ( designada por Schellhas) . quando primeiro Pai levantou a Árvore do mundo ele "entrou" e tornou-se a Árvore. o submundo . e o mundo superior (Douglas Gillette 1997.Acima é a imagem de um governante Maya. Acreditava-se para invocar as divindades associadas com a imortalidade ligada a sangrias rituais e cogumelos sagrados . plano terrestre. p. A barra cerimonial . um portal sagrado que leva para o mundo espiritual de um mundo sobrenatural da imortalidade divina. também conhecido como o bar cerimonial Bicephalic. que usa um cocar de penas elaborado coroado com uma flor símbolo de lis. que significa "Raised-Up-Sky". detém uma "Double-cabeça de serpente-bar". Morley acredita a barra cerimonial Maya simbolizava o posto mais alto religiosa durante o período clássico (AD 250-900). Arqueólogo Legendary Sylvanus G. eun mitologia maia. conhecido apenas como Régua C da Coba. é o deus mais frequentemente retratado emergindo da Double-cabeça de serpente Bar durante o período clássico. um símbolo real que tenha sido identificado como uma representação simbólica da "Árvore do Mundo". O Maya rei.37). como já foi mencionado. conhecido entre os maias antigos como o Wakah Chan.

um símbolo sagrado ou código referindo-se a uma trindade de deuses.provavelmente representa um ícone cosmológica da "árvore do mundo". 92). 31). Gronemeyer 2004). K'awil conhecido como o Senhor de Linhagens. Leitura Maya Art . Arqueólogos propor que Régua C é retratado representando Chac na Stela 20 em sua adesão.Isto sugere que Régua C entrou na vida após a morte representando esta divindade. e é e é frequentemente retratado vestindo um earflare concha e um diadema shell em seu cocar que descreve um símbolo em forma de X que eu identifico como um portal para submundo. que significa" K celeste " awiil nasce "( Stone e Zende r. que glifo de K'awil é quase sempre uma logograma. 149). Chac ou Chac-Xib-Chac. ligada à cogumelos e decapitação submundo. No entanto o seu conhecido que governantes maias que representadas a divindade Chac-Xib-Chac em sua morte. As inscrições Stela 20 revelam que o nome do governante pode ter sido dado o kaloomte título »(ver E1 do texto stela. mas como a reencarnação do Deus Sol. que abriu a porta para o mundo espiritual. o axis mundi. à semelhança do deus K'awil. Reis maias podem ter acreditado que eles estavam realmente se comunicando com o deus K'awil quando eles realizavam rituais sagrados derramamento de sangue após o consumo da bebida inebriante. O governante é retratado vestindo a mantilha elaborada do Maya deus Chac-Xib-Chac. Um excelente exemplo de transformação submundo do rei pode ser encontrado nas inscrições em Tikal em que o nome dado a este rei é Sihyaj Chan K'awiil . é considerado por muitos estudiosos a ser uma versão do G II do Palenque Triad. e renasce como a divindade Unen K'awiil ou o bebê do K ' awiil "(Stone e Zender 2011. o governante retratada na Stela 20 é conhecido apenas como Governante C. O governante também usa roupas codificado com o motivo 3 pontos. que era um sobe e desce portal ligado à natureza dualista do planeta Vênus como estrela da manhã e Evening Star. mas que um espelho . Porque os glifos na Stela 20 são demasiado reduzido para ser lido. tem mais recursos de peixe-like. sabe como as três pedras de lareira da criação. p. Chac-Xib-Chac é uma divindade de longo lábios com ambas as características de répteis e peixes-like. 1999 p. Pesquisadores Maya nos informam que. Ele empunha um machado e é comumente representado na arte Maya associado com o ritual de decapitação submundo. Por causa de atributos reptilianos de Chac ele é comumente confundido com o Maya deidade serpente de pés conhecido como K'awil (também escrito K'awiil ou Kauil) a outra chamada de longa lábios divindade Maya. "A leitura dos hieróglifos maias" (página 112). p. 2011. ressuscitou do Mundo Inferior não como Chac-Xib-Chac. Kinich Ahau . O arqueólogo Michael Coe menciona em seu livro. também conhecido simplesmente como Chac dos códices posteriores. um título comparável ao posto supremo do" imperador "(Harrison. o rei está renascendo no momento preciso da sua ressurreição e apoteose. ou a ressurreição do submundo. quando vemos tocha ardente de K'awil perfuração na testa ou crânio do rei.

mas em sua morte. Meus estudos me levaram a concluir que todas as variantes do toltecas / deuses astecas Quetzalcoatl e Tlaloc. Gucumatz. podemos concluir que Régua C ressuscitado do submundo renascer como jaguar bebê. Eu acredito que o glifo significado mão aberta "para levantar". possivelmente indicando um nome alternativo para K'awil. estão ligadas ao planeta Vénus através de divina regência. ou a do governante de Coba retratada na Stela 20. e que logo abaixo que glifo é o glifo já identificada como um título que lê. que eles podem ter nomes diferentes e estar associado a um pouco diferente atributos em diferentes áreas da cultura. diretamente na frente da Régua C. nos diz que "ele foi criado" ou que a "árvore do mundo foi criado". mas à semelhança de K'awil. ressuscitou do Mundo Inferior não como Chac-Xib-Chac mas à semelhança do deus K'awil. e sua adesão a partir do submundo. e ligado a uma tríade de deuses e. Kukulcan. também aparecem nos locais de Caracol e em Tikal. a flor de lis. No Velho Mundo A flor de lis é um símbolo que representa uma Trindade de deuses criadores. como um "rei vivo". p. "Kinich Ahau" ou "Grande Sol Senhor". Tohil. e provavelmente GIII do Palenque Triad?). 31). uma abertura de um portal divina. durante o início do clássico Período 250400 CE (Proskouriakoff. Isto implicaria que Maya governantes que representadas o deus Chac-Xib-Chac no momento da morte. e os seus homólogos clássico Maya. K'awil e Chac. Então ao invés de usar o título Kaloomte que é um pouco modesto de qualquer maneira porque os glifos superiores são tão erodidas e ilegível.de fumar ou na testa conceber também são comumente usados. um nome encontrado em Relacion do Bispo Landa. e que o glifo diretamente abaixo do glifo mão aberta pode significar "ele chegou". como " Kinich Ahau u ba K'awiil " Régua C pode ter tido o título distinto de Kaloomte. linhagem e descida. há um glifo bar com quatro pontos. quando vemos tocha ardente de K'awil perfuração na testa ou crânio do rei que o rei no momento preciso da sua ressurreição e apoteose. indicando o número nove. e que há glifos que mencionam o assentamento do Senhor Kinich Ahau. . Esta chamada tríade de deuses criadores (Holy Trinity?) Entre os antigos maias. 1978: 116) (Milbrath 1999: 102) . Coe também menciona que a notação bar-e-ponto do número "nove" está associada com K'awil. ele ressuscitado como uma reencarnação do deus Sol conhecido como Kinich Ahau (também escrito Ajaw. como Bolon Ts'akab. Eu tenho observou que diretamente em frente da Régua C. portanto. renasce como a divindade "Unen K'awiil ou bebê K'awiil" (Stone e Zender 2011. pesquisadores Maya nos informar que.

.(Gráfico do antigo babilônico Triad. estes três deuses desempenhou um papel crucial nos primeiros simbolismo da realeza que vimos em Cerros. Trinity) Citando Maya arqueólogo David Freidel . Tikal." (Maya Cosmos 1993) .. truine. "como o mais antigo e sagrado de todas as divindades maias. e Uaxactun.

através Justeson e Kaufman). O cocar assume a forma de um pássaro sobrenatural conhecida como a divindade pássaro principal. p. . 259. plano terrestre. o submundo. Uma régua representando uma divindade pássaro é retratada na estela.37) Pode não ser coincidência que na Mesoamérica como no Velho Mundo há uma crença paralela em uma Árvore da Vida encimada por uma divindade pássaro espectacular . ele "entrou" e tornou-se a Árvore. que fica no topo da árvore da vida no centro do mundo. em Veracruz. e foi esse ato de entrar ou empoleirar-se em galhos mais altos da árvore como a nova divindade pássaro principal que foi o evento que magicamente organizado todo o espaço e do tempo nos três níveis do universo. e o mundo superior (Douglas Gillette 1997. vestindo um elaborado cocar pássaro. 19 de março 1993. vol. A estela datas para o 2º século aC e registra um script com 465 glifo s. simbolizando a divindade e realeza. apelidado Stela 1 de La Mojarra. quando Primeiro Pai levantou a Árvore do Mundo. tornando-se um dos primeiros registros escritos conhecidos da Mesoamérica ( "A Decifração do epiolmeca Hieroglyphic escrita" no Journal of Science.Acima é o La Mojarra Stela. Na mitologia maia. um monumento esculpido epiolmeca que foi encontrado sob as águas do rio Acula perto da aldeia de La Mojarra em 1986. codificados com um símbolo que proponho representa uma flor de lis emblema. México.

Entre os Quiche Maya. são da antiga cidade de Teotihuacan. 1993: 236). foi chamado iqok'ij. (150 aC-750 dC) a antiga metrópole de Teotihuacan é pensado para ter sido estabelecida em torno de 100 aC Na mitologia mesoamericana a harpia está associada tanto com o sol ressuscitado." (Tedlock. Diz-se que quando Quetzalcoatl morreu. . Em Aztec (astecas) a mitologia o cosmos estava intimamente ligada aos aspectos Evening Star e estrela da manhã do planeta Vênus.Os murais acima e abaixo que codificam a Fleur de símbolo de lis. ele foi transformado em que a estrela que aparece ao amanhecer. e o planeta Vênus como estrela ressurreição. Vênus em sua forma como a Estrela da Manhã. A manifestação desta estrela na Mesoamérica sendo o alado rei-deus Quetzalcoatl. significando o "sunbringer" ou "portador do sol ou dia.

chamado Tamoanchan onde havia uma árvore sagrada que marcou o lugar onde os deuses nasceram e onde os cogumelos sagrados e todos vida derivada .. Na mitologia do México antigo. Nota da bebida codificado com dois flor de lis símbolo da divindade. e ressurreição. como um jaguar. . "Em Tamoanchan . desce a cada noite no submundo para lutar contra as forças da morte.Como a Estrela da Manhã da Nahua ou deus mexicano avatar de Quetzalcoatl foi a harpia.. triunfante. Há flores perfeitas ..... existe uma lenda Nahua de um paraíso de nove céus que foi dedicado ao deus Quetzalcoatl vento. p.. Há flores sem raízes" (Hugh Thomas 1993.474). a fim de retornar. todas as manhãs para o céu nas asas de uma águia.Em Aztec (Nahua) lendas do sol. No tapete florido ..

Acima é um recipiente de beber pré-colombiana. ecogumelos estilizados como o fruto da imortalidade da árvore lendária da Vida. uma indicação de que os habitantes de lá eram obcecados não só com o jogo de bola. México. Na minha análise do pré-C arte olumbian eu descobri que os deuses e reis associados com a Fleur símbolo de lis estão claramente ligados a uma Trindade de Deuses e uma árvore de vida. que codifica uma divindade pássaro. A grande cidade de El Tajin em Veracruz. mas com sacrifício humano e decapitação. é um extenso sítio arqueológico que possuem um mínimo de 18 quadras de bola. .

note que existem pequenos cogumelos representadas no membro da Árvore da Vida apenas à esquerda do centro. . O painel esculpido retrata um indivíduo.O deus barbudo que paira acima com dois corpos. Mais importante ainda. México. pode representar Quetzalcoatl em seus aspectos individuais como o planeta Vênus que representa tanto o Estrela da Noite e Estrela da Manhã. em Veracruz. Note-se que a figura na água abaixo de receber a oferta de sangue. que sobreviveu a um mundo que termina inundação por ser transformado em um peixe. no ato sagrado da retirada de sangue do pênis dele. que pode ser uma referência simbólica a um ancestral mitológica de uma idade mundial anterior. usa um cocar de peixe.O desenho acima é de um painel de relevo esculpido a partir das paredes laterais verticais do Tribunal Bola do Sul pelo El Tajin. uma régua ou deidade com presas estavam-jaguar.

ou" Árvore da Vida "que emerge do submundo codificado com o Fleur símbolo de lis e encimado por um pássaro espectacular deidade. encimadas por a harpia. da árvore do mundo. codificados com a flor símbolo de lis. um dos poucos remanescentes pré-C onquest códices que retrata a Árvore do Mundo ". (http://americaindigena.htm) . Acima é uma página do Codex Borgia.com/sacred16.Acima e abaixo estão as imagens dos códices antigos.

. uma referência simbólica da quatro pontos cardeais . Acima é um painel de pedra asteca agora no Museu Nacional da Cidade do México. AD Eu acredito que o artista intencionalmente codificado o símbolo da flor de lis que emerge dos quatro ramos da árvore do mundo. O falecido etno-mycologist Robert Gordon Wasson identificou a iconografia à direita como um símbolo asteca representando cogumelos sagrados. que retrata uma divindade pássaro gigante no topo da Árvore do Mundo. um manuscrito Mixtec de Highland México. e a ressurreição divina do sol. O símbolo representando cogumelos no perfil é do Aztec estátua de Xochipilli.Acima é um close-up cena do Codex Selden. pintado por volta de 1500.

associado com a cor verde. o chamado axis mundi .A flor de lis símbolo aparece neste mural cena do Templo de Feathered Conches na antiga cidade de Teotihuacan n em Highland México . o portal ou o mundo pilar central . . bem como o quetzal-arara verde são avatares do rei-deus Quetzalcoatl. O verde pássaro quetzal. aludindo ao pássaro verde que fica no topo da árvore do mundo. que conecta o mundo inferior com o mundo superior .

está intimamente ligado com o símbolo da flor-de-lis. o planeta Vênus como estrela da Manhã Estrela da Tarde. e mesoamericana rei-deus Quetzalcoatl como 9-Wind. usando o cocar da Jaguar Deus submundo codificado com um de símbolo Fleur lis.Acima é um período clássico tardio (600-900 dC) cerâmicaqueimador de incenso de Palenque. Como vou demonstrar ao longo. eu descobri que o Ik glifo na iconografia mesoamericana. (Chaac?) DoPalenque Triad . . que retrata um dos Triad Palenque como uma divindade barbudo presas. ligada ao Deus Sol ressuscitado e para o criador Sun Deuses e decapitator. O Ik glifo também está ligado aos nascimentos do Maya deus GI.

que se parece com um capital T. e é descrito frequentemente como o olho de Chac em Dresden Codex. pode ser identificada aqui pela Trademar k Ik símbolo ou glifo codificado como o dente de Chac. ou GI do Palenque Triad. respiração (respiração = Life) e do espírito. T ele deidade pode representar o deus Maya Chac-Xib-Chac. O deus Maya Chac a contrapartida Maya de deus mexicano Tlaloc . foi um dos símbolos mais sagrados entre os antigos maias.A bove é outro queimador de incenso que descreve a mesma divindade barba. desgasteing flares orelha codificados com uma cabeça para baixo. e representa um dia . ou invertidos símbolo da flor-de-lis. O símbolo significa vento. que eu acredito que é uma referência esotérica ao submundo ressurreição. O Ik glifo.

Acima. (Chac) e a mesoamericana reideus Quetzalcoatl como 9-Wind. A bove são glifos do Dresden Cod ex que retratam a Maya deus Chac . Chac é o deus mais frequentemente retratado Maya nos três sobreviventes códices pré-hispânicos. e ao rei-deus Quetzalcoatl como 9-Wind. é um outro glifo Maya do Dresden Codex (possivelmente um glifo eclipse) que proponho descreve o símbolo Fleur-de-lis associado com o glifo Ik ( em forma de um capital de branco T) em conexão com os quatro pontos cardeais. comth e Ik glifo codificado como o olho. e que o seu ligada aos nascimentos do Maya deus GI. Eu achei o Ik glifo na Mesoamérica estar intimamente ligado com o símbolo da flor-delis. .sagrado no calendário maia ligada ao nascimento de GI do Palenque Triad.

2011. House B). o artista Maya codificou a forma de T Ik glifo em contexto com o símbolo da flor-de-lis que descreve a quatro direções cardeais.Stone. emergindo de seu centro. um símbolo mesoamericana referindo-se à descida ao inferno através do qual se renasce e ressuscitado (desenho de A. 400-200 aC. (Museum Saint Louis Art) . O queimador de incenso no lado esquerdo tem um Ik glifo em forma de T.No desenho acima de um clássico tardio (600-900 dC) Maya alívio estuque (ruínas maias de Palenque. O queimador de incenso Zapotec à direita é datado período formativo tardio. Acima são queimadores de incenso Zapotec retratando uma divindade ou governante coroado com uma flor símbolo de lis. Leitura Maya Art . p. Eles aparecem em conjunto com um motivo etapa.174).

. Ambos Chac e Tlaloc são descritos geralmente nos iluminando os parafusos arte empunhando pré-colombianos. como o deus Tlaloc mexicana. raios e trovões. ou empunhando um machado associado com Submundo decapitação.Acima é uma máscara de jade de Palenque que retrata GI do Palenque Triad com uma forma de T Ik glifo codificado como o dente de G I. também está associada com a chuva. O Maya deus Chac. Nota que parece ser um de símbolo Fleur lis codificado na cabeça de Chac estilizado como a Árvore da Vida.

. vestindo o invertido ou de cabeça para baixo Fleur símbolo de lis.Acima são todas as imagens período clássico tardio (600-900 dC) que retratam o Deus do Submundo e Deus de submundo decapitação.

p. . note que o símbolo no canto inferior direito referido como uma flor e que representa o número 20. "pequenos cogumelos que embriagam" (Wasson e de Borhegyi 1962. a palavra Xochi . Em outros poemas da mesma coleção. 1600) "menciona expressamente os cogumelos sagrados". 37 1962). intitulada Xochimapictli. é idêntica em forma à flor de lis símbolo do Velho Mundo. o cogumelo da imortalidade . A Nahuatl poema traduzido por Angel Maria Garibay. onde xochinanacatl é traduzidohonguillos that embeodan .Acima são símbolos e nomes para os sinais de 20 dias no calendário asteca. Esta referência é reenforced pelo léxico de Alonso de Molina ( Vocabulario en Lengua Castellana y Mexicana 1571) . Proponho que este símbolo asteca referido como uma flor nos sinais dia e que representa o número 20 é realmente um símbolo da divindade. intitulado "Dolor en la Amistad" (c. "Flores" é usado de uma forma que sugere que era uma metáfora usada para cogumelos sagrados. coleccion de Poemas nahuas de 1959. os cogumelos alucinógenos do México e Psilocibina: Uma bibliografia. ou "Senhor" e representa um símbolo esotérico da Árvore da Vida e seu fruto proibido.

que eu acredito que codifica o cogumelo Amanita muscaria.Acima é uma opinião do close up de uma tardia clássico Período (600-900 dC) navio Maya K5390. estilizado na forma da flor de lis emblema como um símbolo da imortalidade e ressurreição divina. .

Cada dia tem um glifo para representá-lo. e é a contrapartida para o sinal do dia mexicana central "flor" (Xochitl). O idealizada ciclo de Vênus sempre terminou no dia 1-Ahau. . 1999 p. Ajaw também escrito Ahau: significa régua.170). rei ou "Senhor".A maior parte da Mesoamérica partilhavam o mesmo calendário. Acima é o calendário maia Tzolkin que tem o mesmo ciclo de 20 nomes de dias. e o glifo na parte inferior direita. (Milbrath.

Gerard Van Bussel (Van Bussel 1991 Ibid pp.Escavações (Scott JF. indicando uma relação precoce entre o jogo de bola e serpentes. O Quiche Maya dos Guatemala Highlands descrever o cogumelo Amanita muscaria como sobrenaturais e . Embora Maya deus Chac é identificado com os quatro pontos cardeais. 1976. O jogo de bola ritual só pode ser explicado como um fenômeno cultural cruz.2548) descobriram um jugo pedra e um cetro em forma de serpente (início de préclássico 900 aC). ele às vezes era visto como "um deus". e que o cetro em forma de serpente encontrada em El Manati pode ser uma insígnias de poder e soberania. e três Ahau ícones(também escrito Ajaw) . e concluiu que a bola do jogo pode ser uma alegoria da vida através da sucessão dinástica. no. Há muitas evidências de que jogadores de beisebol da área da Costa do Golfo usava joelheiras com o design glifo Ahau.8). um símbolo de Maya reinado (SF de Borhegyi 1980. para que transcendeu todas as barreiras linguísticas na Mesoamérica. que reside no centro do universo. 256-57) analisaram a relação entre as palavras Maya para sangue e sêmen. um em cada joelho.Acima está uma estatueta pré-colombiana (note deus-olhos) agora no Museu de Denver. segurando o que eu diria é um cogumelo Amanita muscaria. p. e um em seu cinto jogo de bola (jugo). O mais antigo sítio arqueológico conhecido a partir do qual jogo real bola parafernália foi recuperado é El Manati no no mexicana Gulf Coast. Nota grandes olhos da estatueta deus.46 pp.

como Deus das linhagens. e retrata a imagem o f o Maya deus K'awil .chamá-lo um raio cogumelo ou em Quiche Maia cakulja ikox. descrevendo serpentes duplas. 1976 p 0.82). simbolizando sua ligação com a Trindade divina. Rajaw Cakulja (Furst. K'awil é o deus Maya mais frequentemente retratado emergindo do Bar serpente de duas cabeças detido por governantes maias como um símbolo da suprema soberania . e os cogumelos sagrados para a jornada de transformação. e eles se relacionam com este cogumelo submundo com o Senhor da Lightening.K'awil parece ter em forma de cogumelo tampões de ouvido. Acima é um período clássico atrasado Maya queimador de incenso de (600-900 AD)Palenque. Perna serpente do K'awil simboliza a . ikox significa cogumelo subterrâneo. O Dobro-dirigida serpente Bar wa s uma referência esotérica para o portal sagrado associado com a árvore do mundo. sacramento divino e sacrifícios de sangue . e ele é coroado com uma flor de lis emblema. o planeta Vênus tanto como uma estrela da manhã e estrela de noite. K'awil também aparece com frequência como o manequim S Cepter realizada pelos governantes como um símbolo do poder divino.

Esses atributos são metáforas do poder de penetrar.199). 249-251). 1985. cauac . t ele espírito de K'awil entrou em objetos materiais através de um raio. David Stuart (1987) encontraram uma silábica ortográfica para o nome de Deus K onde se lê K'awil. Chipa Cacula ". no submundo.T h e do rei conjurando do Maya deus K'awil manifesto ed mundo espiritual dentro do mundo material. mas também significa "ídolo" ou "incorporação" nas línguas maias Poqom e kaqchikel (Freidel. ou axehead) que penetra na testa (ver Maya pintura de vasos K2797 abaixo). mais novo ou menor Lightning". As palavras "serpente" e "céu" são homônimos na língua maia. Deuses de uma perna só como K'awil eo seu homólogo asteca Tezcatlipoca pode. de fato. sinalizou que a pessoa estava em um estado de transformação incorporada pelo poder do relâmpago" (Freidel. ou entrar. schele. porque ambos compartilham aparências de répteis ou de cobra. É bem provável que eles são. vem da palavra para um raio. (e espelho de obsidiana. O Maya deus K'awil é reconhecível por sua longa upper-lip (ver Maya pedra cogumelo acima) e um tubo de fumar. Análise do Popol Vuh de Dennis Tedlock revela que "os três q'abawil eram divindades de madeira e pedra chamados Cacula Huracan. criando assim uma nova vida em um lugar de morte e decadência. um parafuso de sa de um raio. simbolizada um raio que. De acordo com David Freidel "o machado na testa. Desde acreditava-se que ambas as pedras e os cogumelos foram criados a partir relâmpago. . foi identificado pelos estudiosos como a contrapartida Maya ao deus Quetzalcoatl mexicano. penetrando no chão e entrar no submundo. muito lipped de transformação divina. Relâmpago One-leg".ser uma metáfora esotérico para um deus cogumelo de uma perna só divina (Soma do Rig Veda). a fim de adorar K'awil como um deus de uma perna só. 1993: 194. que propus é um deus cogumelo de uma perna só. O Maya deus K'awil. que significa "sustento" em Yukatek maia. mas diferentes manifestações do mesmo Deus.410 N). Parker : 1993 p. também conhecido como Kukulcan e Itzamna. penetrou no chão e entrou no submundo. que se manifestou a partir do poder do raio.imortalidade divina que. e "Lightning súbita ou violenta" e sugere que o espírito se manifesta dentro de objetos materiais (Tedlock. A palavra maia antigo de pedra. um atributo associado com K'awil. poderia criar uma nova vida em um lugar de morte e decadência. Proponho que as pedras foram esculpidas para olhar como cogumelos. Na arte Maya K'awil que é muitas vezes descrito como um deus pernas.

devido à sua propensão para se misturar com outros deuses e suas associações variadas. Citando Andrea Stone. que retrata uma régua ou divindade sentado à esquerda. entre elas ritos de transformação. sentado à direita. representa um grande exemplo do que eu identifiquei como de inspiração cogumelo arte maia.49) . "o deus mais onipresente na arte maia clássica. a régua ou deidade à esquerda detém claramente um cogumelo divino em sua mão esquerda.. a fertilidade agrícola e rituais reais em geral " (Reading Maya Art . e Marc Zender .Maya Vaso pintura K2797 do Justin Kerr Data Base. A cena mushroomic é de um período tardio clássico (AD 600-900) navio Maya. 2011.. p. com os braços cruzados.. K'awiil (Deus K). é também o mais enigmático. receber ou oferecer um cogumelo sagrado para os maias deus K'awil (Deus K).

assim como os seus homólogos Maya representado Chac-Xib-Chac. Por causa da associação de Tlaloc com Submundo decapitação como o aspecto Evening Star of Venus. O queimador de incenso acima. governantes Teotihuacan provavelmente retratou-se personificando Tlaloc. que provavelmente representadas o deus Tlaloc a contrapartida do deus Maya Chac-XibChac. O Feline ea flor de lis . ou GI do Palenque Triad. é a partir daregião de Petén da Guatemala e datas entre 250-900 AD. O mesmo pode ser dito do período clássico governantes Teotihuacan. antes de entrar no submundo . tem sido associada a uma tríade de deuses criadores simplesmente conhecido como o Palenque Triad.Acima é uma tampa de queimador de incenso que descreve uma régua representando a divindade Maya K'awil. O Maya deus K'awil (também escrito K'awiil). com semelhante flor de lis emblema.

Na antiga arte da Mesopotâmia do Deus Sol Submundo é frequentemente retratado como um leão ou um homem com metade e metade deidade leão muitas vezes coroado com uma flor símbolo de lis. Eu acredito que a escultura acima da antiga Síria. descreve a ressurreição do (cabeça decapitada?) Submundo jaguar ou . Na arte do Velho Mundo a sua comum ver o Fleur símbolo de lis codificado com divindades felinas associados com a Árvore da Vida.

onde a Árvore da Vida emerge. em associação com a Árvore da Vida na arte antiga da Síria e da Turquia . Acima e abaixo são mais exemplos de divindades felinas codificados com o símbolo da flor de lis. O símbolo do sol ou Vênus.Submundo Sun Deus da Árvore da Vida. é apenas para a esquerda da cabeça decapitada felino.

.O símbolo lis Fleur de na arte pré-colombiana. como prova de contacto précolombiano.

The Underworld Jaguar Deus do México antigo é descrito acima em um manuscrito Mixtec pré-colombiana chamado Codex Zouche-Nuttall ou Codex Tonindeye. . A pintura descreve a Jaguar Deus submundo sentado em um jogado codificado com o Fleur símbolo de lis. e três símbolos da flor de lis de cabeça para baixo que eu proponho é o código para a sagrada trindade e submundo ressurreição.

Acima é um balão de policromia cerâmica do Peru. América do Sul Wari (Huari) cultura de 500 dC a 1000. que retrata um felino com três Flor de lis símbolos codificados em suas costas e cauda (Metropolitan Museum of Art). .

As esculturasretratam a deidade jaguar com uma flor de lis símbolo flamejante codificado no final de sua cauda (foto do mayanbeachgarden.Coincidência ou evidência de contato pré-colombiano? Acima estão dois frisos de estuque esculpidos a partir das ruínas maias de Balamku. no México. em Campeche.com). .

um símbolo que significa régua ou senhor. .Acima é um clássico tardio (600-900 dC) Maya embarcação bebendo que descreve uma flor de lis símbolo flamejante emergindo de um Ahau glifo.

ou "Double-cabeça de serpente-bar".entalhada no lado de trás da placa de Leiden é uma data contagem longa que corresponde a 17 de setembro. . A placa de Leiden que é pensado para ter vindo da cidade maia de Tikal. emergindo de cada extremidadeda barra cerimonial . tanto coroado com um símbolo que lembra um emblema "flamejante flor de lis". A divindade à direita emergindo do Bar Cerimonial também codifica um símbolo-X. no ano de 320 dC. em seu cocar. a noção de que o sol à noite é um submundo Jaguar Deus (Milbrath 1999: 96). Na arte pré-colombiana a onça foi identificado como o alter ego do sol. segurando o que tem sido descrito como um cerimonial Bar estilizado.Acima é um pedaço de jade esculpido conhecido simplesmente como a placa de Leiden que retrata um atropelamento Maya governante elaboradamente vestida sob os pés um cativo. de acordo com a correlação GMT do calendário Maya. o que representa um símbolo esotérico da ressurreição divina. O Cerimonial Bar foi identificada como sendo uma representação simbólica da "árvore do mundo". retrata duas divindades.

coroada com um símbolo que me refiro como uma flor de lis símbolo flamejante. .Fotografia © Justin Kerr Acima é um queimador de incenso que retrata um governante Maya ou uma jovem divindade Maya sob o disfarce do "eram jaguar" ou Submundo Deus Sol.

pronto para ser explorado perto das raízes da árvore da vida. na Régua C da Coba um pouco mais tarde. Este fato provavelmente deu origem à crença em uma Árvore da Vida. O Maya rei detém um "double-cabeça de serpente -bar ". identificar a deidade jaguar como o submundo Sun Deus. o Lago de Leite que está escondido. onde os deuses se reúnem em conclave. A estela esculpida retrata a adesão de um governante Maya. Acima é uma reprodução de Stela 20. que interliga o mundo superior com o submundo. México. onde o árvore cresce perto do umbigo da . A crença em uma "árvore do mundo" ou "Árvore da Vida". p. um portal sagrado que leva para o mundo espiritual de um mundo sobrenatural da imortalidade divina. conhecido entre os maias antigos como o Wakah Chan. a partir do sítio arqueológico de Coba em Quintana Roo. a Água da Vida. conhecido apenas como Régua C. Muito mais. acreditava-se ter sido superado por um pássaro espectacular. coroada com um símbolo que vou demonstrar é uma versão do Novo Mundo das Fleur símbolo do Velho Mundo de lis. que significa" Raised-Up-Sky ". (a partir de Furst 1976. um símbolo real que tenha sido identificado como uma representação simbólica da" árvore do mundo ". capaz de subir às alturas.102) Existem referências repetidas para o alimento da vida. que retratam s um submundo Jaguar Deus com Ajaw glifo (que significa Senhor) acima de sua cabeça e vestindo um lenço em volta do pescoço codificado com um upsidedown Fleur de li símbolo s. os cogumelos Amanita muscaria crescem em uma relação simbiótica sob pinheiros e bétulas gigantes. é um conceito que tem a sua origem no Velho Mundo. Ao longo do Norte e da Ásia Central.Acima é um fim acima de um período clássico tardio (600-900 dC) Maya vaso K1250. "" Não. também conhecido como o bar cerimonial Bicephalic. e na Ásia.

103) o umbigo da terra é um código para a entrada para o submundo.terra. A escultura antiga acima mostra uma divindade pássaro. a árvore Cósmica. p. a Coluna do mundo. no Mar Cáspio. Horda Dourada Dagistan) . com asas que codificam uma flor símbolo de lis. "(de Furst 1976. o Axis Mundi. 12421502. na Rússia República do Daguestão também escrito Daguestão. ( Türk-Mogol Altın Ordu Devletine ait Rölyefler. A Türk-Mogol carving é da região do Cáucaso do Norte.

Em redor do quatrefoil nas direções cardeais são quatro símbolos da flor de lis.A escultura acima é também da região do Cáucaso do Norte. que cada retratar uma régua ou deidade (trindade?) Com a figura central segurando um símbolo-X. As duas divindades retratados ( "gêmeos do herói"?) Mantenha bares cerimoniais debaixo do braço. e retrata um marcador andar bola tribunal esculpido em forma de um quatrefoil. O desenho acima é por Barbara Fash. 1242-1502. O marcador de corte da bola é da antiga cidade maia de Caracol na atual Belize. no Mar Cáspio. imaginário simbólico da Árvore do Mundo. e tem uma longa história que remonta ao antigo olmeca e Maya. com o que parece-me ser um de lis . Horda Dourada Dagistan) A escultura Dadestan descreve três quatrefoils. Na América Central. o símbolo do quatrefoil. (Türk-Mogol Altın Ordu Devletine ait Rölyefler.308). na Rússia República do Daguestão . é um cartucho que também retratou divindades ou ancestrais divinizados. e a divindade à direita usa um cocar elaborado. e símbolo do Submundo. e representa um portal divina para o Outro (Linda Schele e David Freidel 1991 p. o símbolo Maya de um portal.

p 352) O arqueólogo David Freidel. conhecido simplesmente como Chaac dos códices posteriores. 1993.215). "Que a porta quatrefoil tem simbolizado o portal para o Outro. Maya Cosmos 1993. era um portal de entrada para o tempo eo espaço da última criação" (. Os dois desenhos no topo são pelo falecido John Montgomery. foi sagrado para os antigos arianos da Índia.352). rei ou Senhor. E que a forma quatrefoil foi usada desde os tempos olmecas em diante para representar a porta de entrada para o Outro (Maya Cosmos 1993. David Freidel escreve que "o ballcourt não era apenas um lugar de sacrifício. em forma de um capital-T. escreve. um Ik glifo. p. . que retratam a quatrefoil como um símbolo de um portal divina. Acima são quatro desenhos de monumentos clássicos Período Maya. e significa régua. e retratam a Maya glifo Ajaw também escrito Ahau. desde o início da vida civilizada na Mesoamérica" (Maya Cosmos. e semelhante em forma para o Velho Mundo Tau Cross. p. símbolo do deus do vento. O quatrefoil no canto inferior direito descreve em seu centro. I n Velho Mundo t ele Tau Cross.símbolo da flor emergindo a cabeça do deus Maya Chac-Xib-Chac.

Citando etno-mycologist Robert Gordon Wasson . 2001. que foi o primeiro nascido da Palenque Triad. " "Eu acredito que o Soma era um cogumelo. ressuscitou do Mundo Inferior não como Chac-Xib-Chac. conhecido por epigraphers Maya (leitores de glifo) simplesmente como GI. 2001 p. no canto inferior esquerdo estáa partir de t ele cidade antiga de Palenque. o Oronge ou tue-mouche ou crapaudin dos . e um escudo Spondylus usado sobre a orelha (MD Coe. quando seu uso foi abandonado pelos sacerdotes. Amanita muscaria (Fries ex L. As inscrições em Palenque dizem-nos que o rei era considerado a encarnação do GI.000 anos atrás. 111 e 118) Epigraphers Maya propor que GI do Palenque Triad pode ser o mesmo deus Maya como o deus Maya chamado Chaac dos códices pré-conquista.. MD Coe. o Fliegenpilz dos alemães. Secrets of the Maya .O desenho acima . significa ing"9 Wind". Kinich Ahau . chamou os Brahmanas e colocá juntos depois os hinos haviam sido montados. Herbert J. que é o mesmo aniversário como o vento Deus EhecatlQuetzalcoatl. do Palenque Triad (Editors. mas como a reencarnação do Deus Sol. Citando o falecido Dr. e que desempenharam um papel importante no mito da criação local. o fly-agaric. sua identidade se perdeu cerca de 3. As composições litúrgicas mais antigas dos indoarianos.111). O Palenque tríade consiste em três deuses que nasceram a partir do mesmo ancestral divina. designada "Deus B" por Schellhas. cujo Aztec equivalente é Quetzalcoatl" (A Study of Maya Art 1975 p.. como barbatanas ou halteres em cada lado da boca.62). Aparentemente. "Muitas autoridades consideram Deus B para representar Kukulcan. (Leitura Os maias Glyphs. Chaac e GI têm atributos reconhecíveis semelhantes. discutir os substitutos a serem utilizados para Soma no ritual. 2004: 109). nasceu em 9 de Ik .. mas não conseguem descrever a planta original. GII e GIII. a Serpente Emplumada. Spinden. p. Arqueologia Revista .. "O que era essa planta que foi chamado de" Soma "? Ninguém sabe. também nascido em 9 de vento. curador de arqueologia mexicana e etnologia no Museu Peabody da Universidade de Harvard .) Quel. GI. que abriga uma trindade de deuses maias conhecidos como Palenque Triad.Deve notar-se que Linda Schele e David GI Freidel acreditam que é Vénus e GIII que é o sol (Milbrath 1999: 102) Seu conhecido que Maya governantes que representadas a divindade Chac-XibChac em sua morte.

Soma dos arianos : ttp: aryans. Muitas vezes. é colocar para baixo nos manuais de cogumelos tão mortal venenosa. um esplêndido exemplo de um tabu longo outliving a religião que deu origem . o mukhomor dos russos fausse. estou certo. como eu mesmo posso testemunhar. [3] Até que ultimamente tem sido uma característica central do culto de numerosas tribos no norte da Sibéria.com/amanita/soma-) Para este dia xamãs siberianos ainda codificar o vermelho brilhante com manchas brancas.htm //www. as cores do cogumelo Amanita muscaria em seu traje cerimonial . mas isso é falso. todos os outros certamente morreria Isto é. a ele entre os usuários mais conservadores do fly-agaric na Sibéria a crença prevaleceu até tempos recentes que só o xamã e seu aprendiz poderia consumir o fly-agaric impunemente:. onde tem sido consumidos no decurso das suas sessões xamânicas.iamshaman.franceses. a origem do tabu que sobreviveu entre nós até aos nossos dias. Este flamejante cogumelo vermelho com manchas brancas flecking sua tampa é familiar ao longo do norte da Europa e da Sibéria. a sua reputação como uma planta letal no Ocidente é. Tatiana o xamã Evensk de Kamchatka . defendo. " (de Wasson de.

é o mesmo motivo encontrada na arte mesoamericana. (Pintura mural fotos http://www. É importante notar referência simbólica do artista de um coelho na lua no mural do lado direito. outro motivo comum representado tanto em Maya e arte asteca. A pintura mural do lado esquerdo mostra um xamã sentado ao lado de um pacote ritual. ou sacerdotes usar roupas eu acredito que são codificados com as cores do cogumelo Amanita muscaria.Os murais Lukhang da Índia antiga retratam cenas que podem representar culto Soma.thelostword. Todos os xamãs acima. Os xamãs nos murais me parece estar em transe extático. Os Vedas 'mencionar repetidamente que Soma cresce no alto das montanhas.ht ) .dk/index3.

e de quatro idades mundiais anteriores ea sua destruição cataclísmica.Compare as imagens do coelho na lua nos murais Lukhang da Índia antiga. e que as serpentes de penas representam a escravidão de tempo. e a sua natureza cíclica. para a semana planetária hindu de nove dias. Ele viu a semelhança entre o ciclo Mesoamericano dos Nove Senhores da noite. maturidade. p. . morte e renascimento seria quebrado ea própria vida iria acabar. e Gukumatz. e notou a crença paralelo de calendários ligados a previsões astrológicas. O mexicano rei-deus Quetzalcoatl o chamado "serpente emplumada". Se rituais manutenção da vida não foram realizadas em momentos adequados vinculados a seus calendários sagrados. o ciclo de formação trans de nascimento. com a versão asteca do coelho na lua no pré-Conquest Codex Borgia.292) Maya arqueólogo David Kelley também notou a semelhança entre o calendário mesoamericano e as mansões lunares hindus. O temor de que os deuses tinham destruído criações anteriores e que o seu próprio mundo pode encontrar um destino semelhante. estavam todos a fama de ser os inventores da ciência de medir o tempo. De acordo com Maya archaeoastronomer Susan Milbrath (1999. e seus Maya deus-rei homólogos conhecido como Kukulcan. levou Maya sacerdotes calendário para fazer cálculos de calendários astronômicos e tão precisas como as que são feitas hoje pelos astrônomos modernos.

À direita é uma outra imagem da deusa da lua e seu coelho companheiro de uma página na pré-colombiana Dresden Codex. de comprimentos diferentes. p. à esquerda é a Deusa da lua Maya e seu companheiro o Rabbit Moon encontrados em graffiti antigo nas ruínas maias de Nakum. Na China. 52 para a Mesoamérica. chegando no mesmo dia ponto de partida a cada vez em muitos anos. o que foi uma invenção também utilizado pelos babilônios e os hindus. Kehoe . no nordeste da Guatemala. que malha como engrenagens. um i nvention pelos antigos maias que a maioria das Mes oamerican estudiosos propõem desenvolvida de forma independente no Novo Mundo.Matemática Maya também incluiu o conceito de zero.. e da mitologia mesoamericana o coelho lua é o companheiro para a deusa da lua.. "China e Mesoamérica compartilhou a complicação de dois calendários simultâneas. 60 para a China". é mais provável ligado à origem dos calendários e escrita hieroglífica no Novo Mundo.162). Citando antropóloga Alice B. O conceito de zero. controvérsias na arqueologia. Kehoe de 2008 .(Alice B. . localizado no departamento de Petén. as histórias sobre a data do coelho da lua de volta. tanto quanto 475-221 aC. Acima.Em ambos mitologia chinesa.

[A partir de um tecido chinês. secretas Drogas do budismo) . descrita antes na Árvore da Vida.Acima são tardias estatuetas clássico Maya ( século sétimo ao oitavo) da deusa Maya Lua e seu coelho companheiro.] (Fonte. Na mitologia chinesa o coelho na lua faz o elixir da imortalidade.

142 e 138).. o coelho lua estava estreitamente identificado com a bebida intoxicante conhecido como pulque. A dinastia Tang (618-906 AD) Espelho era que descreve um coelho misturando o elixir da imortalidade na Árvore da Vida Fonte: Hiart / Wikimedia Commons Na pré-conquista do México. e vemos o aparecimento da serpente quetzal no templo de Quetzalcoatl-Tlaloc (Miller e Taube 1993. um elixir derivado da seiva fermentado do agave (agave) da planta. . onde a data de construção mais antiga de cerca de 200 aC. As primeiras representações de pulque intoxicação na Mesoamérica aparecem no local de Teotihuacan. p.

Dr.13V. realizado na Cidade do México .233) . Ekholm propôs vários contatos transpacíficos com o Novo Mundo começando tão cedo quanto 3000 aC Ele acreditava que essa influência sobre a civilização do Novo Mundo vieram da China. Robert von Hein-Geldern. que descrevem os homens que bebem um elixir a partir do corpo de um coelho. e Dr. p.Acima é uma página a partir do pós-Conquest Codex florentino Livro 4. . durante as dinastias Chou e Han empreendeu planejado viagens de e para o Hemisfério Ocidental como Já em 700 aC Evidência de contacto pré-colombiano entre Teotihuacan e China foi apresentado em 1962 pelo Dr. Paul Kirchhoff. construir monumentos. No final de 1940 etno-arqueólogo Dr. Gordon F. e adorar um deus felino (Charles C. Gordon F. Mann 2006. Ekholm propôs que os visitantes da dinastia Shang atravessou o Pacífico e ensinou os olmecas como escrever. Dr. f. Ekholm. Eulalia Guzman no Congresso Internacional de Americanistas. e argumentou que os chineses.

41-42) e Dr." Citando Dr. um acordo que floresceu por volta de 1100 aC. (The Ancient Passado do México 1966. Thompson observou as canoas marítimas maiores e mais eficientes do Itza Maya de Chichen Itza. "Pesquisas futuras provavelmente irá indicar que influências asiáticas mudou toda a estrutura da sociedade nativa e transformou a cultura tribal antiga na civilização mais ou menos comparável às do Velho Mundo. chamando estes Putun Maya (alto-falantes Chontal maias).. tiveram enterros com corpos cobertos com vermelho de cinábrio e enterrado com ofertas de jade funerárias..17). Robert Heine Geldern . 1966. Paul Kirchhoff era da opinião de que o calendário asteca e maia ritual foi uma invenção chinesa. p. Vaillant observou que no antigo local de Zacatenco. Citando o falecido Dr. e Heine-Geldern que notaram semelhanças marcantes na arquitetura maia de Chichen Itza e relevos e frisos esculturais chineses. um enterro personalizado também encontrada na China (Alma Reed. "os fenícios da América Central" por causa de sua excelência como marítimos e seu controle do comércio costeiro. Reed p.Gordon Ekholm observou um semelhanças marcantes entre os vasos tripé cilíndricos de Teotihuacan e vasos chineses da dinastia Han (206 aC a 220 dC). . Deve ser mencionado que Maya arqueólogo J Eric S. a Alma M. Eulalia Guzman . no vale central do México.. George C..

Pérsia...81-82) Citando David Kelley de. a Alma M." . "Quando se estuda Teotihuacan e as profundas influências culturais desta grande Tollan mesoamericana. Índia. Stephan F. Argumentando que a ausência do verdadeiro arco ea roda no Novo Mundo provou que não tinha havido contactos entre Novo Mundo e Velho Mundo. Egito e África do Norte " (de Man Across the Sea: Problemas de Precolumbian Contactos.. no coração de Pequim são os mesmos que os do Palácio de Atetelco em Teotihuacan. Síria. Man Across the Sea: Problemas da précolombianas Contactos 1971 "É surpreendente encontrar estudiosos."Três das quatro seções do antigo Palácio de Inverno. SF de Borhegyi de 1971 p. ou metrópole. Citando o Dr.. Reed p. Paralelos exatos são para ser visto nas duas construções". torna-se tentador para compará-lo com os impactos do Helenismo sobre as várias civilizações orientais que governaram uma vez Anatolia [antiga Turquia].42). (O passado antigo do México 1966. de Borhegyi .

A flor de lis codificado em arte asiática? .

1993 p." O cogumelo Amanita muscaria vive em simbiose com pinheiros e bétulas. . veio das encostas cobertas de pinheiros das montanhas que cercam o vale.De acordo com Hugh Thomas (Conquest. a mais importante dessas plantas.14) "Os cogumelos da mexica (astecas). (A foto por Adrian Davies).

da parte inferior e lamelas (brânquias) do cogumelo Amanita muscaria.Acima é uma fotografia tomada por Phil Bendle. .

em particular. As influências da cultura hindu-budista do sudeste da Ásia no México e. Soma "Hidden in Plain Sight" A escultura do relevo da direita é de uma deusa hindu. atinge a iluminação ou Nurvana mas morre de comer o que tem sido descrito como um cogumelo venenoso.. a enciclopédia livre. O bodhi palavra que significa a iluminação. entre os maias. Citando o falecido antropólogo Dr. é mais provável uma referência metafórica à Árvore do Conhecimento. eventualmente. são incrivelmente fortes. Fotografia da Wikipedia. Bhubaneswar. Deve notar-se que Buda. "Aqueles que acreditam que os antigos povos da Ásia eram incapazes de cruzar o oceano perderam completamente de vista o que as fontes literárias nos dizer sobre os seus navios e sua navegação. segurando o que eu proponho é um cogumelo Amanita muscaria na sua mão direita. ou Árvore da Vida. .Budismo é nomeado pela sua fama fundador Gautama que veio a ser conhecido como o Buda. Robert Heine Geldern .. Muitos dos povos do Sudeste Asiático adotou civilizações hindu-budistas indianos. Alívio da Alasa Kanya em Vaital Deul. um príncipe indiano do século 6 aC Como a história vai. Buda se torna iluminada ao sentar-se sob a árvore de Bodhi.

htm ) (Fotografia Direitos de autor: por etno-Mycologist John W. navios de o tamanho que levou Fahien da Índia para a China (através da água China de tempestade) eram certamente capazes de prosseguir todo o caminho para o México e Peru... Navios que poderia cruzar o Oceano Índico foram capazes de atravessar o Pacífico também... mas não pode negar-lhes .info/ Pacific. que são divindades femininas na mitologia Hindu e budista que .e eles já têm perturbado alguns americanistas que não gostam de vê-los. localizado na atual Camboja.hinduwisdom. Allen) A escultura acima é de as ruínas de Angkor Wat.. atravessando o Pacífico. Ele descreve três Apsaras. mil anos antes do nascimento de Columbus navios indianos eram muito superior a qualquer feito na Europa até o século 18 ". (Citação de http://www. Além disso.. estes navios foram realmente maior e provavelmente mais mar-digna do que as de Colombo e Magalhães .

(compare com Tlatilco estatueta feminina do México abaixo) é ao mesmo tempo surpreendente e intrigante. China e sudeste da Ásia. e da Árvore do Mundo. abaixo do que poderia ser pinheiros. e América do. e que o número três gostaria de sugerir uma referência simbólica para a Trindade hindu-budista. A escultura retrata a Apsara na extrema esquerda. Allen. para ser um cogumelo sagrado em sua mão esquerda.sãocapazes de mudar a sua forma à vontade. . segurando o que parece para mim e micologista John W. A codificação do cogumelo Amanita muscaria em conexão com a cabeça em áreas tão distantes como a Índia. ou Árvore da Vida. o que seria uma referência simbólica para Soma. Isto pode-se inferir que as Apsaras têm três Amanita tampas muscaria cogumelo estilizados codificados em seu cocar.

Tlatilco uma cultura influenciada olmeca. 005 (http://sniteartmuseum. John Fundo Eliot Wheelock número de acesso: 27.) Terracotta. período maduro 2600-1900 aC). Acima à direita é uma estatueta feminina cultura Tlatilco. México. a civilização do Vale do Indo (3300-1300 aC.145 centímetros x 0 centímetros x 0 centímetros adquiridos com recursos fornecidos pelo The Lake Família Endowment 2. rosto modelado e corpo modelado à mão Classificação: Tipo Escultura. Early-Oriente Preclassic período 1300-800 aC Ambas figuras femininas codificar cogumelo Amanita muscaria em seu cocar.edu/collection/aztlan/index_pages/aztlan_all.Acima à esquerda é uma estatueta feminina a partir da cultura Harappa.html) .000. períodos pré-clássico Early-Média. e ambos retratam o que eu acredito que são as pernas vulva em forma e quadris . Puebla. Museu de Belas Artes de Boston.nd.3 cm (8 pol.017.75in x 0cm 0cm x 17. Acima à esquerda é uma estatueta feminina que está da civilização do Vale do Indo.135 Proveniência / História propriedade: Comprado pelo MFA em 1927. 1300-800 BC Dimensão: 6. México. Harappa Cultura 3o-2o século BC 20. A estatueta feminina na direita é de Puebla. sub-type: Figura indiana.

Mas eles são realmente não relacionado? . Citando etno-micologista R. são historicamente alheio e autónoma.. "É claro que pode ser argumentado que as duas grandes tradições cogumelo.. tendo surgido espontaneamente nas duas regiões de requisitos semelhantes da psique humana e similares ambiental oportunidades. Gordon Wasson ."Hidden in Plain Sight" cogumelos codificados em arte pré-colombiana. o de New índios mundo e que dos povos da Eurásia.

e pode ter sido introduzido na Mesoamérica com o culto do cogumelo. esta comunicação foi conduzido sob a influência de cogumelos alucinógenos . e à direita uma estatueta Maya (300-900 dC) fotografado por Justin Kerr (656a K). A estatueta tem nas suas mãos o que parece ser um espelho côncavo. à esquerda é o cogumelo Amanita muscaria. Acredito que. Espelhos foram usados pelos xamãs em seus rituaisde ver o passado e o futuro e se comunicar com os antepassados e deuses. . um motivo comum na arte olmeca que eu acredito que representa o efeito do cogumelo da transformação jaguar e viagem submundo mítico da alma.Fotografia © Justin Kerr Acima. Seu rosto se contorceu retrata o "grunhido olmeca". A estatueta usa um cocar inspirado pela Amanita muscaria cogumelo. Espelhos também foram objeto ritual comum na Ásia Central e China. em muitos. se não a maioria dos casos.

: 73-77. América do Sul que eu acredito que descreve um padre ou pajé segurando um espelho em uma mão. Besterman de 1965 . e um muscaria cogumelo Amanita na outra (Museu Nacional de Antropologia y Arqueologi.Acima é uma embarcação de pré-colombiana do Peru. . Museu de Arte Primitiva de 1965. Lima / Pedro Rojas Ponce) Para obter a documentação de olhar espelho (captoptromacy) na Mesoamérica ver T.

780-782) . Hastings de 1951: IV.Dinastia Han (206 aC . segurando um espelho e vestindo um cocar codificado com cogumelo Amanita muscaria.220 dC) cerâmica pintada estatueta 'Sichuan'. Para obter a documentação de espelho olhando no Velho Mundo ver J.

onde o cogumelo Amanita muscaria cresce em abundância.Dinastia Han (206 aC . Como eu descobri.220 dC) pintado estatuetas de cerâmica 'Sichuan' com rostos sorridentes usando cocares codificados com cogumelo Amanita muscaria. . é bem possível que o Amanita muscaria cogumelo cult ainda pode sobreviver em áreas remotas do Highland Guatemala.

conhecido como o pássaro celestial ou divindade principal Pássaro. representa o axis mundi ou o centro do mundo. O pássaro Quetzal. com as suas raízes no submundo e seus ramos nos céus. agora o pássaro nacional da Guatemala moderna. geralmente fica no topo da árvore.Em 2009. (Fotografias de Connor de Borhegyi) . era considerado sagrado por causa de sua plumagem verde. foi visto como um portal para o submundo. Cada um dos sentidos foi associada com uma cor diferente. O tronco. Eu acredito que há evidências agora claro que o Amanita muscaria cogumelo é um símbolo de igual antiguidade. Na mitologia mesoamericana a árvore do mundo.Um pássaro. Embora brinquedo claramente de uma criança produzida para o comércio turístico. eles carregam o simbolismo de grande antiguidade. Embora o vendedor me informou que a Maya fez comer essa variedade de cogumelos. é possível que ela pode ter sido referindo-se à nãoalucinógena Caesarea Amanita. Todos eles têm um pássaro quetzal sentado em uma árvore pintada no tronco. que liga os dois planos. enquanto a cor verde representada a posição central.comumente vendido nos mercados do México e da Guatemala e muito apreciado pelo seu sabor delicado (Guzmán de 2002 : 3) Eu comprei vários desses Amanita brinquedo muscaria cogumelos como presentes. fiquei surpreso ao descobrir que os índios maias dos Guatemala Highlands estavam vendendo estes pequenos Amanita muscaria brinquedos cogumelo nos mercados como o descrito acima. Os ramos representam os quatro pontos cardeais.

das Flor de lis codificados em moedas antigas indianas.A flor de lis Símbolo codificado em moedas indianas antigas? Eu achei representações muito precoce. com possível Fleur de lis símbolo? . moeda de Nahapana (119-124 dC).

. à direita da dinastia Kshaharata século 1 dC MOEDAS indiano. Kukulcan. O Empire Satavahana cobria grande parte da Índia a partir de 230 aC em diante. Antiga. Nahapana. touro e suástica. estão ligados a uma Trindade de deuses e assim o símbolo lis Fleur de meio divina regência. linhagem e descida. e os seus homólogos clássico Maya. Leilão 71.org/wiki/Satavahana) (fotografia de moedas a partir de Baldwin Auctions Ltd.Fleur símbolo de lis na moeda acima. vajra rev ou raio. K'awil e Chac. Chumbo Karshapana do Nasik região. 1322) Meus estudos me levaram a concluir que todas as variantes dos deuses Teotihuacan.wikipedia. que eles podem ter nomes diferentes e ser associado com um pouco diferentes atributos em diferentes áreas de cultura. (De http://en. Satakarni I. árvore rev. sobre a moeda acima no canto superior direito. leão para a direita.Observe o símbolo da flor de lis. chumbo Karshapana. tolteca / astecas Quetzalcoatl e Tlaloc.

175). assemelha-se a cinco apontou meia estrela mexicana que estudiosos têm identificado como um símbolo para Venus. Entre os antigos maias. um shell meia-cortada concha usado por sacerdotes ou governantes. A equipe harpia ao seu lado é um símbolo de Vênus como estrela da manhã. o Deus do vento personificava o número três (Holy Trinity?) (Stone e Zender. . 2011. Quetzalcoatl é retratado em um trono vestindo sua marca registrada "Wind-Jewel" peitoral . Quetzalcoatl's gesto significa uma abertura ou criação . p.Acima é a imagem do rei-deus Quetzalcoatl vestindo um cocar serpente emplumada com um símbolo que vou demonstrar tem o mesmo significado exato como o símbolo da flor-de-lis do Velho Mundo.T ele "Wind-Jewel". Leitura Maya Art. identificando-o como a ressurreição Deus de Venus como os aspectos Evening Star e estrela da manhã do planeta Vênus . Creio que esta imagem acima mostra Quetzalcoatl como um Deus Venus. um símbolo sagrado identificado com o deus do vento.

12) . Em seu manuscrito. o Aztec tolteca rei-deus Quetzalcoatl. e. Historia Eclesiástica Indiana .Acima é um close up de Quetzalcoatl. (Caso de 1958: p. representa um símbolo da flor de lis. criou uma nova humanidade. um olhar mais de perto os atributos de cocar de Quetzalcoatl. reuniram-se os ossos de gerações passadas. (conhecido como Waxak-Lahun-Ubah-Kan entre os maias Classic) é retratado vestindo sua marca registrada wind-jóia e a máscara do Deus do vento Ehecatl-Quetzalcoatl. o avatar de Quetzalcoatl e o "olho single" motif um símbolo de Vênus e o Deus Sol ressuscitado. Mendieta escreve que Quetzalcoatl foi considerado um Prometheus mexicana. um dos poucos remanescentes pré-C o nquest códices. Aqui. Ele desceu ao mundo dos mortos. O antigo mito da criação da humanidade de Quetzalcoatl foi preservada para nós por um frade franciscano chamado Jerónimo de Mendieta em 1596. assim. um deus beneficente de toda a humanidade. uma harpia. a partir do Codex Borgia. polvilhado-los com seu próprio sangue.

que seria Sally diante da casa.. Teo que significa Deus. Motolinía gravada . comer com eles um mel abelhinhas. . Tele astecas chamou os cogumelos divinos IR teonanacatl. e um pouco mais tarde veriam mil visões.Acima. que me parecem ser os cogumelos psilocibina . nanacatl significa cogumelo. "Eles tinham uma outra forma de embriaguez. na parte inferior direita é uma página do Codex Mendoza. que os tornava mais cruel e foi com alguns fungos ou cogumelos pequenos. mas aqueles desta terra são de tal natureza que comidos crus e ser amarga . a imagem ampliada mostra os cogumelos psilocibina que emergem de um emblema Fleur-de-lis estilizado. e. que mostra o tributo recolhido por funcionários públicos astecas da província de Tochtepec. querendo alguém para .. Acima no canto inferior esquerdo é um close do o tributo em um tw vaso tratadas-o. portanto. um códice asteca criada logo após a conquista espanhola. que existem nesta terra como em Castilla.. como um símbolo da divindade. metade raivoso.. parecelhes que as suas pernas e corpos estavam cheios de vermes comê-los vivos. especialmente as serpentes e como eles estariam fora de seus sentidos.

1980 p. No. chamados Topiltzin ou Quetzalcoatl.matá-los. Outros.38) um dos poemas em uma antologia Nahuatl menciona expressamente os cogumelos sagrados. coleccion de Cidade Poemas nahuas. 37 em Xochimapictli. Esta possibilidade é reenforced pelo léxico de Motolina. Estes cogumelos. aconteceu às vezes que eles se enforcaram. chamaram em sua línguateonanacatl. Eles realizaram mais sacrifícios rituais para ele do que para qualquer outra criatura.. que disse que os índios adoravam acima de todos os outros salvar o sol. onde eles se deleitava com sensações além imaginação ". "flores" em um sentido que sugere que era uma metáfora usada para o cogumelo. Ele conclui que "a última razão pela qual o seu calendário foi com base nessa estrela que tinham muito reverenciado e honrado com sacrifícios. um mundo de estranha e maravilhosa beleza. que significa "carne de Deus" ou o diabo. " (Wasson e Borhegyi. p. o cogumelo dos astecas. onde xochinanacatl é traduzido pela embeodan honguillos that. onde eles cantaram sua poesia asteca a música de seus instrumentos astecas. ele foi metamorfoseado em que a estrela radiante. foi chamado "a flor que nos faz bêbado" (Nicholson 1967. De acordo com Gordon Wasson (1962 p. morreu e deixou este mundo. 1987) Os astecas na época da conquista espanhola que se refere aos cogumelos como flores (Wasson. 1962) Motolinía também descreveu o calendário e Vênus como a estrela de Lúcifer. " (Lafaye. a sua Tamoanchan). na mesma coleção usar Xochi. era porque essas pessoas mal orientadas acreditavam que quando um de seus deuses principais.. celestial ou terrestre. Citando Gordon Wasson . traduzido por Angel Maria Garibay. "As flores levou para outro mundo.79). México. 1959) . e também contra os outros eram mais cruel. a quem adoravam. Flores (cogumelos) simbolizar um estado da alma em sua jornada para a divindade completa e Teonanacatal. por vezes. e com esta embriaguez bestial e trabalho que eles estavam se sentindo.90). um mundo que eles chamaram sua Tlalocan (ou. "pequenos cogumelos que embriagam" (De "Dolor en la Amistaad" (1600 AD) Anonymous.

Xochipilli foi tambémconhecidos como Macuilxochitl. eo patrono dos cogumelos sagrados e plantas alucinógenas. Nota t ele cocar deXochipilli que contém dois adornos de plumas cinco cada . A divindade asteca Xochipilli . cujo nome em Nahuatl. ." Esta estatueta detém claramente o que eu vou argumentam sãoAmanita muscaria cogumelos em cada mão. que significa "cinco flores". significa "Prince of Flowers.uma possível referência ou de código para o que os estudiosos chamam de "fiveness" de Vênus. Espanhol cronista Fray Diego Duran escreve que a guerra foi chamado xochiyaoyotl que significa "Guerra florido". Morte àqueles que morreram em batalha foi chamado xochimiquiztli. que significa "florido morte" ou "FELIZ morte" ou "Morte Fortunate". pode ter sido um aspecto de um jovem Quetzalcoatl.Acima é uma estatueta Aztec agora na coleção do Museu Nacional na Cidade do México. a língua dos astecas. referindo-se aos cinco ciclos sinódicos de Venus identificados no Venus Almanaque do Dresden Codex. do deus asteca de flores Xochipilli .

Hallucinogens tomadas antes da batalha provavelmente eliminado todo o senso de medo. e deu o combatente uma sensação de invencibilidade e coragem para lutar nos níveis mais selvagens. cobras e . "Esta embriaguez durou dois ou três dias.Acima estão duas estatuetas de ouro pré-colombianas. p. que foi o primeiro cronista espanhol denunciar rituais Cogumelo entre os astecas. 1993. Não muito tempo depois da queda da capital asteca foi relatado para Hernando Cortes que os índios estavam usando certos cogumelos em suas cerimônias religiosas. consumindo-os como frades espanhóis colocá-lo. fome e sede. pássaros.508). Cronistas espanhóis que os astecas bebeu ou comeu os cogumelos para induzir transes e sonhos alucinatórios durante o qual tive visões de onças. o guerreiro asteca à direita vestindo o que proponho é um plug nariz de inspiração cogumelo. depois desapareceu"(Thomas. "Carne de os deuses". também sugeriu que o chichimecas e toltecas consumido alucinógenos antes da batalha para melhorar a bravura e força (Furst 1972. p. em uma comunhão religiosa demoníaca e chamando esses sagrado cogumelos teonanacatl .12) . Fray Bernardino de Sahagun.

onde foi acreditado pelos índios para ser a carne de seus deuses. pp 225-6) . por Fray Bernardino de Sahagun (Codex florentino. entre 1547-1582 AD. I: 23). 1858. O uso astecas de cogumelos alucinogénios foi relatado por tais proeminentes historiadores espanhóis como o frade dominicano Diego Durán (astecas: A História das Índias da Nova Espanha.criaturas pequenas gnome-like coloridos ". Um dos grandes historiadores espanhóis que era mais simpático aos índios e sua cultura do que a maioria de seus colegas foi Fray Bernardino de Sahagun (1499-1500. Sahagun foi provavelmente o primeiro a registrar o uso de cogumelos. 1964. no ano de 1502. traduzido com notas por Doris Heyden e Fernando Horcasitas. . e Toribio Motolinía (tradução Icazbalceta. tradução Garibay. escrito entre 1547 e 1582. ou como ele considera diabólica (Wasson e de Borhegyi 1962. também fez a analogia entre a Eucaristia cristã e comer o cogumelo. História dos Chichimecas).Espanhol cronista Fray Diego Duran informou que os cogumelos foram comidos por ocasião da adesão de Moctezuma II ao trono. New York. Os frades espanhóis que relataram sobre o uso de cogumelos alucinógenos. ele sugere que os índios consideram a carne do cogumelo como divino. o famoso imperador e sumo sacerdote dos astecas. em seu famoso Historia General de las Cosas de Nueva Espana. 1947. Outro cronista espanhol Jacinto De La Serna. e que os cogumelos produzidos visões e vozes que eram de Deus poderoso. 247) . pouco depois da conquista foram repelidos pelos aparentes semelhanças entre a cerimônia de cogumelo sagrado para a comunhão cristã santa. Sahagun escreveu que os índios estavam usando cogumelos selvagens ( teonanacatl) em cerimônias religiosas. os cogumelos alucinógenos do México e Psilocibina :. por Fray Bernardino de Sahagún. Vol. p 39 1962). Uma bibliografia. Codex florentino ( Historia General de las Cosas de Nueva España ) . Orion Press.: 239.

e história. A página à direita mostra o que parece ser os rostos sorridentes de vítimas sacrificiais. Ele ensinou os índios a escrever em alfabeto latino. Quando ele escreveu sobre a conquista espanhola como dito a ele por nativos que testemunharam os acontecimentos. . um livro de mitologia asteca. que significa "artista ou construtor". e apenas uma cópia incompleta sobrevive até hoje. Fray Bernardino de Sahagun chegou ao México em 1529 e fez um estudo dedicado à forma como os índios da vida. Sahagun aprendi que os astecas que vou me referir a como os astecas. em meados do século XIII e que havia se mudado para uma área que já existia há mais de mil anos habitavam por pessoas astecas chamado tolteca. Durante um período de 15 anos Sahagun compilado doze volumes do que ele chamou a história do México antigo. quando veio à tona em 1808. talvez para ser usado após a decapitação como um pacote ritual para envolver suas cabeças cortadas em. antes de sua decapitação. Sahagun percebeu que o modo de vida do Aztec foi chegando ao fim então ele foi para os nativos mais antigos. de modo a gravar o que os índios podia se lembrar de sua cultura que foi passado de geração em geração. O texto original já está perdida. Note-se que capas da vítima sacrificial foram transformadas em torno de como babadores. as autoridades espanholas estavam furiosos e obrigou-o a rever sua história em favor dos vencedores. o que eles poderiam se lembrar sobre sua história. Eles retratam o que eu acredito é a ingestão de cogumelos sagrados antes de decapitação ritual. liderado por Quetzalcoatl. durante a invasão francesa da Espanha. eram uma tribo que tinha apenas recentemente entrou no Vale do México.Ambas as páginas ilustradas acima são do Codex florentino. Sagahun menciona que os nativos falavam de uma sociedade tolteca anteriormente. que acreditava em um único Deus. aprendeu a língua deles e pediu-lhes para pintar por escrito imagem.

A imagem superior da página mostra o cogumelo sagrado do México. por Frey Bernardino de Sahagun. a evidência de um ritual de cogumelos entre os Astecas. chamado teonanacatl pelos astecas que significa "Deuses Flesh". médio esquerdo do códice florentino. . que descreve uma figura sentada vestindo um robe branco. Acima é outro uma cena. beber de um cálice. Livro 11.Acima é um desenho do século XVI do códice florentino. Note-se que em frente da figura sentada são duas tampas de cogumelos representadas junto ao tronco do cogumelo que ainda está no solo. A imagem de um pássaro empoleirado em cima dos cogumelos é uma possível metáfora que alude à divindade pássaro principal que fica no topo da árvore do mundo na mitologia mesoamericana.

em seguida. o Sumo Sacerdote dos astecas. e ele iria cair para a morte. um teve uma visão que ele iria cometer adultério. Um teve uma visão que já que ele iria morrer. ele também seria pedra e teve uma visão de que sua cabeça seria esmagada por pedrasiriam condená-lo. seria de morrer na . enquanto ainda estava no comando de seus sentidos. (Sahagun. continuou. E eles viu em visão. alguns adultério talvez comprometido. um teve uma visão que ele iria roubar. 517). "Na primeira. um teve uma visão que ele iria viver em paz e tranquilidade. como segue: "Durante quatro dias houve festa e celebração e. Sahagun descreve o uso de cogumelos na coroação de Montezuma II. um teve uma visão que ele iria comprar escravos. em seguida. um teve uma visão que ele levaria cativos na guerra. o cogumelo alucinógeno dos astecas. no entanto muitas coisas estavam a acontecer a um. então ele viu tudo em visão: mesmo que ele iria ser afogado. até que ele morreu. entrou e sentou-se lá de casa em seus lugares. Eles não comeram mais alimentos. Eles comeram-los no momento em que as trombetas shell foram soprado. ele seria de pedra. rico. mas só ficou lá acenando. seguido de sacrifícios humanos em números". Da forma como forem muitas coisas foram todos foram disse-que um levaria cativos. eles só bebia um chocolate durante a noite. ele seria um proprietário de escravos. dançavam não mais. Mas alguns. e choro. os ladrões. e o que andou fazendo. um teve uma visão que ele seria rico. veio a coroação de Montezuma II. ele seria atingido por pedras. um líder de jovens. cogumelos tinha sido servido. E quando os efeitos dos cogumelos tinha deixado eles consultaram entre si e disseram uns aos outros o que tinham visto na visão. o que acontecerá com aqueles que tinham comido não cogumelos. viu-se que ele iria morrer no campo de batalha. seria de se tornar um guerreiro experiente. 1950 p. um teve uma visão que ele iria cair de uma parte superior do telhado.Acima é uma ilustração do século 16 a partir do códice florentino de teononacatl . um teve uma visão que ele iria ser comido por animais selvagens. talvez. no quarto dia. um teve uma visão que ele pereceria na água. e eles comeram os cogumelos com mel. Alguns foram.

cerimonialmente banhar escravos. Antes que este mundo foi destruído o país era governado por Deus L. uma instância de representação deidade a ter lugar no Maya Submundo. A figura de pele escura que está diretamente na frente dele usa o cocar de uma divindade submundo. fornecer banquetes. Dibble & Anderson. Talvez ele iria para sua morte em Anauac (Codex florentino. descreve. viu tudo em visão. Kerr No. ou governante vestindo jaguar vestuário. Bk 9: 38-39) " Fotografia © Justin Kerr O clássico tardio (600-900 dC) pintura Maya vaso mostrado acima na forma de roll-out. ajoelha-se na postura de alguém prestes a ser sacrificado.Um jogador de bola. se afogar. que em tempos clássico tardio simbolizava o Senhor Maya do Submundo. Tudo o que era para acontecer a um. eles. em seguida. A figura da extrema esquerda segurando uma lança e escudo usa o cocar da Maya Deus L. Que ele é associado com o ritual macabro de decapitação é clara a partir da cabeça troféu que tem amarrado de cabeça para baixo a sua equipe. tornar-se rico. K5390. Ele tem uma equipe real e com a mão direita faz um gesto que eu interpretar como código para o ritual de cogumelos divina. comprar escravos. acredito . Em Maya cosmologia o planeta Vênus se acreditava ser o sol a partir da idade mundial anterior .batalha. cometer adultério. . perecer na água. seja estrangulado.

Acima é uma opinião do close up Maya vaso pintura K5390, que eu acredito que
esotericamente codifica o cogumelo Amanita muscaria, na forma da flor de lis emblema
como um símbolo da imortalidade divina.
Espanhol cronista Frei Toribio de Benavente , carinhosamente chamado Motolinia pelos
índios foi um dos primeiros a relatar o uso de cogumelos alucinógenos, pelos
astecas.Motolinia registrou que os índios da Nova Espanha (conhecidos como os astecas
ou astecas) considerado Quetzalcoatl como um de seus deuses principais. Eles o
chamavam Deus de ar e do vento, e construiu templos para ele.
Motolinia posta em causa as lendas que descreviam Quetzalcoatl como se opondo
sacrifício humano, e escreve que o Santo da cidade de Cholula, era onde sacrifícios
humanos foram realizados em honra de Quetzalcoatl. Em seus Memoriales, (capítulo
29), Motolinia descreve a grande cerimónia de Quetzalcoatl que durou oito
dias.Coincidentemente, este é o mesmo número de dias que, segundo a lenda,
Quetzalcoatl era no submundo criar a humanidade por sangria sobre os ossos de seu pai
e os ossos de gerações passadas. Ele então saiu do submundo como a estrela da
manhã. Motolinía descreve uma estrela , (Venus) ele chama de Lúcifer, da qual ele
escreve:
O sacrifício da própria vida se acreditava ser o maior presente que se pode dar aos
deuses, porque seguiram os caminhos do seu deus-rei Quetzalcoatl, que na lenda se

sacrificou (em Teotihuacan), de modo a tornar-se o novo quinto sol, e trazer a luz de
volta para o mundo: (MD Coe 1994: 91)

Citando Fray Motolina .....
"os índios adoravam esta estrela mais do que qualquer outra, excepto o sol, e realizou
mais sacrifícios rituais para ele do que para qualquer outra criatura, celestial ou
terrestre .... A última razão pela qual o seu calendário foi com base nessa estrela que
tinham muito reverenciado e honrado com sacrifícios, era porque essas pessoas mal
orientadas acreditavam que quando um de seus deuses principais, chamados
Topiltzin ou Quetzalcoatl, morreu e deixou este mundo, foi metamorfoseado em que a
estrela radiante. " (Lafaye, 1987)
Os astecas, "sabia em que dia ele [Vênus] iria aparecer no leste depois de ter perdido
em si ou desapareceram no oeste, que contava os dias por esta e rendeu reverência e
ofereceu sacrifícios a ele". (A partir de A. Aveni, "Venus eo Maya," American Scientist
67, p. 274.)
A cidade de Cholula, perto de Puebla, no México tem uma pirâmide honrar
Quetzalcoatlcobrindo uma área de mais de 500.000 metros quadrados. Pés, tornando-se
a maior estrutura piramidal do mundo (Hugh Thomas 1993 p.258). Um mural em
Cholula conhecidos como "Os bebedores", foi descoberto em 1969 pelo arqueólogo
Ponciano Salazar Ortegon enquanto escavavam Edifício 3-1-A. O mural retrata vários
indivíduos no ato de consumir muito intoxicante, se não alucinógeno, bebida.
Eu diria que os seguidores de Quetzalcoatl chegou à cidade sagrada de Cholula e,
depois de beber uma bebida tóxica (cogumelo?), Deram as suas vidas, em troca de
imortalidade como oferendas de sangue para o rei-deus Quetzalcoatl.
Pode-se argumentar que o chamado colapso da civilização maia clássica, era uma
invasão tolteca na região de Maya por tribos Chontal Maya, também conhecido como o
Putun Maya. Essas tribos de língua Chontal eram devotos seguidores do deus-rei
Quetzalcoatl.O Colapso Maia é um período de tempo que ocorre entre 900 dC e 1000
dC, quando os arqueólogos ver uma parada abrupta de qualquer nova construção e que
os monumentos antigos com datas contagem longa chamado estelas deixaram de ser
erguido. Sua durante este período de tempo, nas terras baixas da Guatemala Central que
arqueólogo ver um súbito declínio na população ou o abandono de cidades maias.
Citando Maya arqueólogo Stephan F. de Borhegyi ....
" Eu acho que a história é a seguinte:. O rei sacerdote Quetzalcoatl / Kukulcan,
(Gucumatz) foi expulso por seus inimigos de Tula (Tollan), por volta 960A.D (.
Quetzalcoatl foi acusado de sodomia e incesto) Ele saiu com um pequeno grupo de
seus seguidores e foi para Tlapallan, ou seja, a região de Laguna de Terminos. Aqui

ele aparentemente se estabeleceu. parece que algumas das tribos Chontal aceitou
o culto do cogumelo introduzido por ele e depois de alguns anos, a pressão de inimigo
tribos obrigou-os a seguir em frente, liderado por descendentes de Quetzalcoatl e seus
seguidores Alguns foram a nordeste de Chichen Itza;. outros foram para o sul
seguindo o Usamacinta direção a Guatemala "(Carta, Borhegyi para Wasson, abril
de 1954).

Fotografia © Justin Kerr

O navio Maya esculpida acima K5420, retrata uma cena esotérica da criação ocorrendo
no Maya Submundo. Proponho que a divindade de barba na extrema direita representa o
deus Quetzalcoatl. Ele é retratado com o f leur -de-lis e mblem acima de sua testa
simbolizando senhorio e divindade, eu também propor que o simbolismo e iconografia
na extrema esquerda mostra um cogumelo estilizado que emerge a partir do ânus de
uma tartaruga de cabeça para baixo (nota carapaça ). O animal dentro da carapaça, no
entanto, pode representar um cão sacrificado ou veados ou mesmo um felino. Em ambos
os Nahua e mitologia maia um cão ou um anão muitas vezes acompanha o falecido no
submundo. Um anão pode ser representado à direita sentado em frente a divindade de
barba logo abaixo o que parece ser um macaco. No caso de o animal dentro da carapaça
da tartaruga é um cervo sacrificados, deve-se notar que muitos cogumelos alucinógenos,
entre eles Psilocybe e Panaeolus cogumelos gêneros, crescer no esterco de quadrúpedes
herbáceas, como veados, fazendo com que o cervo extremamente sagrado em rituais de
cogumelos .Cogumelos encontrados crescendo no esterco de veados eram fáceis de
encontrar e seguros para o consumo. Eles também foram muito fácil de cultivar para
fins de comércio.
o tartaruga de carapaça na cena da criação é algo reminiscente da mitologia hindu, em
que uma tartaruga funciona como o ponto de pivô central no mito védico hindu da
agitação do oceano de leite. A agitação do mito do oceano do leite é contada em vários
textos antigos hindus. A védica deus Vishnu, descrito como uma tartaruga do mar, é o
ponto de pivô ou produzindo vara para Mt. Mandara. Por sugestão de Vishnu, deuses e
demônios agitar o oceano primevo com a ajuda de uma serpente, a fim de obter Amrita,

o que irá garantir-lhes a imortalidade. Eu diria que Amrita é o cogumelo Amanita
muscaria.
A tartaruga foi identificado com o renascimento entre os antigos maias, e a carapaça da
tartaruga com a divindade. Na mitologia da criação dos antigos maias a primeira
imagem criada foi a constelação tartaruga Ac , identificado como as três estrelas
(Hearthstones de criação) do cinturão de Orion (Brennan, 1998 p.93). Também gostaria
de propor que a tartaruga é uma referência esotérica ao planeta Vênus como estrela
ressurreição divina.No vaso escultura acima, acredito que o simbolismo de um sacrifício
veados e o ritual de decapitação pode ser inferida pelo machado tridente o artista tem
localizada na haste do que parece ser um cogumelo, aludindo eu acredito para os
poderes criativos da tartaruga.A carapaça é um portal divino de renascimento e, através
da mediação do cogumelo, para submundo transformação jaguar. As lâminas tridente
usados na decapitação ritual ea viagem de cogumelo são ambos simbólica de portais
divinos da deificação ancestral.Proponho que na Mesoamérica havia uma crença de que
as estrelas no céu noturno representavam as cabeças decapitadas de ancestrais
divinizados. O símbolo da flor-de-lis em Maya, Olmeca e arte asteca é provável uma
referência esotérica para a trindade dos deuses, identificados em hieróglifos maias como
os três Hearth Pedras de pedras lareira creation.These separou o céu a terra, quando os
deuses criaram o mundo em "Three Stone Place" (Orion). No Quiche Maya Popol Vuh,
esses deuses foram nomeados, Thunderbolt Furacão, recém-nascido Thunderbolt, e Raw
Thunderbolt (ver também Palenque Triad).
O demônio esquelético nesta cena representa o aspecto Evening Star of Venus e preside
a morte do animal sacrificial (note tartaruga simbólica). As mãos da morte e da criação
são evidentes no demônio esquelético e o artista também tem esotericamente
incorporada a serpente criador acima crânio alongado do demônio esquelético. O crânio
é amarrado a sua cabeça em um nó dos governantes, que lembra o chamado "Dor de
dente Glyph", que refere-se ao supremo ato de amarrar o cabeça real ou pacote, o
símbolo divino de conclusão associado com terminações de época e o ritual ato de
decapitação.
Na extrema direita vemos uma cena em que um minúsculo ser humano e macaco são
criados a partir das divinas mãos serpente (note mãos) de Quetzalcoatl, que representa a
Estrela da Manhã de Vênus nesta cena. O macaco que ele cria representa o símbolo
divino de renascimento. estudiosos Maya salientar que quando a imagem do macaco,
conhecido como Deus C, e que significa "divindade", é mesclado com outro objeto que
marca a imagem como "santo". Neste caso, a imagem sagrada é o ato de criação.
Em Maya religião o macaco representa o primeiro dos Nove Senhores da noite ou
Submundo. Chamado de Bolon Ti Ku, esses deuses foram responsáveis por orientar o
Sun (identificado como um jaguar submundo), no submundo para ser sacrificados por
decapitação submundo e renasce e deificado como o novo Sun. O primeiro deus

associado com re-nascimento foi o Monkey (GI) e Quetzalcoatl (G9) foi o último,
associada à morte e conclusão. A palavra K'uh em glifos clássico Maya foi atribuído ao
deus-macaco e glifos seu perfil macaco foi usado para descrever "santo" ou "sagrado",
referindo-se a "divindade" ou "deus" (MD Coe 2001, p.109 ).
As imagens macaco nesta cena criação também pode aludir aos Cinco Sóis contas
cosmogônicos (Mary Miller e Karl Taube 1993; p.118), no qual Quetzalcoatl em seu
disfarce como Ehecatl Deus do vento presidiram o segundo sol, ehecatonatiuh, o sol de
vento, até que foi destruída por grandes ventos. Os sobreviventes daquela época foram
transformados em macacos e Quetzalcoatl era seu governante. Arqueo-astrônomo Susan
Milbrath escreve que ( Estrela Deuses do Maya , 1999, p. 256), que uma análise do
Dresden Codex identifica o macaco como também relacionado com Vênus como a
Estrela da Manhã.

Citando Fray Bernardino de Sahagún, códice florentino ( Historia General de las
Cosas de Nueva España ) , 1547-1582.
"Eles foram muito devotos {índios}. Apenas um era seu deus; eles mostraram toda a
atenção, eles chamados, eles oraram a um pelo nome de Quetzalcoatl. O nome de
quem foi seu ministro, seu sacerdote [foi] também Quetzalcoatl. "Há um só Deus"
[ele é] Quetzalcoatl (Sahagún, 1950-75,10: 160).
"Embora este Quetzalcoatl era um homem [os índios] que segurou-o de ser um
deus .... Este Quetzalcoatl que era um homem mortal e perecível que chamaram um
deus. Embora tivesse algumas aparições da virtude, a julgar pelo que dizem que ele
era, contudo, um grande feiticeiro, um amigo de demônios ... e merece ser atribuído
às chamas do inferno ... Quando seus antepassados disse que este Quetzalcoatl foi
para Tlapallan e gostaria de voltar, que você deve esperar seu retorno, eles mentiram,
pois sabemos que ele está morto, que seu corpo foi reduzido a pó e que Deus Nosso
Senhor atirou sua alma para o inferno, onde ele sofre tormento eterno. "(Sahagun,
1969, livro 1, capítulo 5)

O nascimento de Quetzalcoatl?

Vários estudiosos, primárias entre eles mexicana historiador de arte Miguel
Covarrubias, interpretaram a imagem acima, como descreve o nascimento do deus
Quetzalcoatl mexicano. Lindamente esculpidas em um osso jaguar, ela foi encontrada
em Tomb 7 no local de Monte Alban perto de Oaxaca, México. Aqui Quetzalcoatl, a
figura central, usa o que se parece com os óculos de Tlaloc. Ele ainda está ligado por
seu cordão umbilical para o que eu acredito é uma árvore do mundo de inspiração
cogumelo. A cabeça do lado esquerdo usando óculos e descrito como emergindo das
mandíbulas de uma serpente, representa o renascimento de Quetzalcoatl e ressurreição
do submundo. A árvore, que tem flores de cogumelo-como é, em essência, um portal
divina e metáfora para a jornada espiritual da ressurreição deificado. Esta metáfora
mesoamericana liga o lugar de criação no centro do universo (lugar de sacrifício jogo de
bola) com a estrela ressurreição que é o planeta Vênus. Eu acredito que o artista tem
codificada a Árvore do Mundo de inspiração cogumelo como teria sido visto através dos
olhos de Goggled do deus Tlaloc mexicana, um deus associado com a estrela da noite, a
transformação jaguar submundo, e decapitação. Segundo o arqueólogo mexicano
Alfonso Caso, uma escultura no Museu de Berlim de Etnografia retrata olhos Goggled
de Tlaloc como sendo composta de duas serpentes entrelaçadas para formar um círculo
ao redor dos olhos. A imagem da serpente, e sua conexão com a serpente visão ou
dragão barbudo, identifica a ligação do Tlaloc a Quetzalcoatl e K'awil, o seu homólogo
Maya. (Desenho de nascimento de Quetzalcoatl tirado de Covarrubias de 1957: 0,266)

Um ll mesoamericanos acreditavam que o maior presente que alguém poderia oferecer
os deuses era a própria vida; em troca da imortalidade, um conceito de vida eterna de
morte.I t i é provável que na Mesoamérica a noção da imortalidade divina através
submundo decapitação foi inspirado pelo próprio ritual de cogumelos .
Na religião dos maias, vários gêmeos ou irmãos representam o planeta dualista
Venus.histórias da criação Maya gravar que os gêmeos foram responsáveis por colocar
as três pedras de criação para o céu noturno no início desta era mundial. Estas três
pedras, que representam os três hearthstones originais, também pode se referir a uma
trindade dos deuses responsáveis pela criação de vida da morte. Um desses deuses,
conhecido como o Deus de milho, governou como o Deus Sol na era do mundo
anterior. Ele foi decapitado pelos Senhores da Morte depois de ser derrotado em um
jogo de bola. Seus filhos gêmeos, depois de encontrar os ossos enterrados sob o piso do
ballcourt, ressuscitou do submundo e colocou-o para o céu noturno como um jogador de
bola deificado. Acredito que a Maya poderia ver este ballplayer decapitado ressuscitado,
ainda usando seu cinto de jogo de bola, na constelação de Orion. O milho Deus
ressuscitado, conhecido como Primeiro Pai, foi identificado como Quetzalcoatl e do
planeta Vênus. À medida que o planeta Vênus, Quetzalcoatl governa o submundo, e foi
responsável pela criação de vida da morte, incluindo a do sol submundo ou Sun

Deus. Os toltecas, astecas e maias todos acreditavam que Quetzalcoatl iria regressar ao
seu jogado no final do dia.
Ele tem sido conhecido que p idade 24 de t ele Codex Vindobonensis (veja abaixo), diz
respeito ao papel cerimonial de cogumelos entre os Mixtecs. Em 1929 Walter Lehmann
notou a semelhança com cogumelos dos objetos retratados nas mãos de muitos dos
personagens retratado abaixo neste Codex. Alfonso Caso posteriormente identificados
provisoriamente o que chamou de "T" objetos no manuscrito como cogumelo s (Wasson
1980, p. 214). Heim posteriormente publicado nesta página em cores e aceito sem
hesitação a sua interpretação mushroomic. Em resume o significado desta página,
Wasson concluir d que ele mostrou "a maior posição que os cogumelos na cultura do
Mixtecs".Low y ( 1980 pp.94-103) a dd ed apoio provas garantia ing a validade destas
opiniões, e estender ed a base sobre a qual repousam . Mais recentemente, Peter Furst
concordou com esta opinião depois de um exame minucioso e análise de o códice.

Acima é uma página a partir do Codex Vindobonensis , também conhecido como
o Codex Viena . , Que se acredita ser um documento Mixtec século 14, cujo original é

agora realizada na Biblioteca Nacional de Viena, Áustria . O códiceé um dos poucos
manuscritos nativas Prehispanic que escapou da destruição espanhol. Foi produzido no
período pós-clássico para o sacerdócio e elite dominante. Mil anos de história é
registrado nos códices Mixtec, e Quetzalcoatl é citado como o grande fundador de todas
as dinastias reais.
Na segunda linha da parte superior, o último algarismo do lado direito com uma
máscara de aves foi identificado como sendo o Deus do vento, Ehecatl. um avatar
de Quetzalcoatl.Ele é mostrado concedendo cogumelos divinos para a
humanidade. Segundo a lenda asteca, Ehecatl-Quetzalcoatl criou a humanidade a partir
dos ossos que ele roubou do submundo deus da morte, cuja cabeça decapitada
Quetzalcoatl segura na mão. Observe as lágrimas de gratidão sobre o indivíduo sentado
imediatamente em frente Quetzalcoatl.Este indivíduo, e aqueles que se sentam atrás
Quetzalcoatl à esquerda também realizar cogumelos sagrados e todos parecem ter
presas. Fangs sugerem que, sob a influência mágica do cogumelo, eles foram
transformados no submundo para o jaguar submundo.
No meio da página no lado direito Quetzalcoatl é retratado apontando para o deus
Tlaloc, ( ou queimador de incenso venerar o deus Tlaloc), diretamente na frente dele,
para abrir o portal para o submundo. De acordo com Furst , que descreve esta
iconografia, a cena descreve a criação divina do consumo ritual de cogumelos sagrados
" (1981, pp.151-155). Ele identifica a fenda triangular ou em forma de V na bacia de
água na esquerda como uma passagem cósmica através do qual divindades, pessoas,
animais e plantas passam de um plano cósmico para outro.
No canto inferior esquerdo, duas figuras ficar ao lado de outra V - portal forma do
submundo ressurreição. A figura à esquerda, que aponta para o céu, também tem
presas.Ele parece ser um humano transformado em morte para o deus do submundo
Sun, ou mítico "foram jaguar". Este gesto provavelmente significa ressurreição do
Mundo Inferior. A divindade de duas caras na frente dele mantém o que parecem ser os
cogumelos psilocibina sagrados semelhantes em forma ao símbolo da flor-de-lis do
Velho Mundo.
Esta deidade de duas caras é, com toda a probabilidade, o dualista planeta Vênus eo
deus do submundo decapitação e ressurreição. Note-se que a divindade de duas caras é
pintado de preto (significando o submundo) e usa um cocar harpia double-bico
(significando a ressurreição do sol). Os cinco plumas na mantilha da harpia referem-se
aos cinco ciclos sinódicos de Venus. Os três cogumelos em sua mão referem-se a
trindade Mesoamericano: os três hearthstones de criação. ie., o sol, a estrela da manhã e
a estrela da noite.
O círculo abaixo dos pés da figura à esquerda é dividida em quatro partes, duas delas
escuro e dois luz, cada um com uma pegada. Os Fürsts, Pedro e Jill, identificaram este

símbolo como representando o eixo norte-sul ou centro sagrado como o lugar de entrada
no Submundo. Este símbolo também aparece na cena acima, em associação com uma
figura que mergulha através da fenda em forma de V para o submundo.

vasos maias codificados com o Fleur símbolo de lis como os retratados acima pode ter
contido uma bebida ritual inventado a partir do cogumelo Amanita muscaria ou outros
cogumelos alucinógenos de uma forma muito semelhante ao descrito para o Soma
lendária do Rig Veda. Observe o Fleur símbolo de lis acima eo cogumelo codificado em
Maya escribas cocar abaixo.

são triturados em uma metate. Em seguida. água adicionada. Gordon Wasson.Fotografia © Justin Kerr Maya vaso K1185 do Justin Kerr Data Base. Que determinada planta foi provavelmente o cogumelo Amanita muscaria. "(Borhegyi. Soma foi preparado por extração de suco das hastes de uma determinada planta. identificado pela primeira vez por etno-micologista R. e a bebida bebido pela pessoa consulta do cogumelo. O consumo de Soma por padres no sacrifício produziu os efeitos do deus interior. e no Rig-Veda Soma foi referido como o "Deus dos Deuses" aparentemente dando-lhe precedência acima Indra e todos os outros deuses (RV 9. entre os presentes Mixtecs dia os cogumelos sagrados devem ser reunidos por uma virgem. Soma foi a bebida divina da imortalidade. e de acordo com Wasson o acto de recolher cogumelos alucinógenos foi sempre acompanhada por uma variedade de sanções religiosas. Por exemplo. descreve um Maya escriba com o que eu acredito que é um cogumelo sagrado codificado em seu cocar. Embarcações Maya pintado como a foto acima pode ter contido uma bebida divina inventado a partir do cogumelo Amanita muscaria ou outros cogumelos alucinógenos de uma forma muito semelhante ao descrito para o Soma lendária. 1961) .42).

. Maya pintura de vasos que retrata a oferta de um cogumelo Amanita muscaria.Acima é um período tardio clássico (AD 600-900). e segurando uma placa de oferta com o que parece-me ser um cogumelo Amanita muscaria n. retratando uma régua vestindo um cocar jaguar. Acima é um close-up cena de um período clássico tardio (AD 600-900) Maya bebendo navio.

O códice. a bebida alucinógena dos indo-arianos e antigos persas do Irã . um frade dominicano que trabalhava em Oaxaca e Puebla entre 1547 e 1562. embora aparentemente barba. Acima é um fim acima da imagem do Codex Ríos que retrata uma divindade que. Este equilíbrio foi mantido através dos atos de sacrifício ritual e a oferta de Soma (sânscrito) Haoma (Avestan). Note-se que a sua coroa consiste em um símbolo estilizado Fleur-de-lis de onde emergem três cogumelos psilocibina. a deusa do maguey planta. t ele deidade provavelmente representa um aspecto do rei-deus Quetzalcoatl. que concedeu cogumelos sagrados para a humanidade e instruiu os seres humanos sobre como realizar sacrifícios em troca do dom de fogo e imortalidade. acreditava que os sacrifícios eram necessários para manter o mundo em equilíbrio. um manuscrito da era colonial espanhol agora na biblioteca do Vaticano (também chamado Codex Telleriano-Remensis). O códice em si era provável escrita e desenhada na Itália após 1566. que introduziram a sua religião Soma para a civilização do Vale do Indo por volta de 1600 aC. B ased na barba e cogumelo codificado cocar. Os arianos. Note-se também que os dois prováveis cogumelos psilocibina emergir de t ele emblema Fleur-de-lis dentro da embarcação . é atribuído a Pedro de los Ríos.Como a planta deus Soma dos antigos indo-arianos os mitos deus da Mesoamérica conter um alimento sacramental ou bebida associada ao sacrifício e imortalidade. tem sido identificada como a deusa asteca Mayahuel.

México. e que o emblema da flor de lis era um código para o cogumelo-Venus ressurreição. Revista / revisão Interamericana. Em 1980 Eyhnomycologist Bernard Lowy. um símbolo da Estrela da Manhã eo recém-nascido Sun. Fotografias © Justin Kerr O navio Maya / tolteca à esquerda é de Quintana Roo. Postclassic Maya. segurando rodada objetos em cada mão que proponho são as tampas cortadas (simbólicos da decapitação) de cogumelos psilocibina. A figura é vestido com o disfarce da harpia. O navio retrata a imagem de um deus mergulho. pp. e o deus Quetzalcoatl. A implicação é que o recipiente contém uma bebida base de psilocibina . 11. 12001400 AD. .bebendo realizada em sua mão direita. foram retratado como sob a influência de cogumelos psicotrópicos ( LOWY BERNARD de 1981. propôs que os "deuses do mergulho" no Códice de Dresden. vol.) Proponho que a flor que faz um bêbado e ir para o céu era um cogumelo sagrado. 231237. eram Mushroom Pedras de Potter Moldes ?.

Acima é um close up do Codex Laud. que retrata um vaso pintado codificados com um emblema Fleur-de-lis e dois glifos de água. .Acima é um close-up vista da pré-Conquest Codex Laud. que retrata uma bebida ritual codificados com glifos de água e um emblema Fleur-de-lis simbolizando a imortalidade divina. sugerindo que era provável uma bebida cogumelo divino.

no Codex Vaticanus. que retrata um grande vaso com uma corda torcida. Acima é um close-up cena do Codex Vaticanus que esotericamente retrata uma vítima sacrificial (pintado de azul) que emerge de um pacote sagrado. .Acima é um close-up imagens a partir da página 89. segurando um cetro da flor de lis em uma mão e cogumelos sagrados na outra. que contem as uma bebida ritual codificado com o Fleur símbolo de lis associado com cogumelos e sacrifício de sangue.

associada com a auto decapitação. no Codex Vaticanus. que retrata uma bebida ritual codificado com o Fleur símbolo de lis. O nome de Quetzalcoatl foi interpretado como significando "gêmeo precioso". indicando que a Estrela da Manhã e Evening Star são uma ea mesma coisa (Caso de 1958: 0. Acima é um close-up imagens a partir da página 89. Duran: 325). . que retrata uma bebida ritual codificados com uma flor de lis como um símbolo da imortalidade. no Codex Vaticanus.Acima é um close-up a partir da página 35.24.

representam deuses associados com o sacrifício (submundo decapitação) e renascimento e ressurreição do submundo. e por causa de seus muitos atributos. compartilhou o mesmo templo na grande cidade de Teotihuacan nas terras altas do México. Quetzalcoatl ocupou o lugar de um Tezcatlipoca branco. De acordo com Edward Seler. De acordo com o Caso de entender mitologia asteca ea multiplicidade de deuses e seus atributos é preciso entender que "a religião asteca estava em um período de síntese. . Não é surpreendente que os deuses Tlaloc e Quetzalcoatl. A jóia do vento de Quetzalcoatl. De acordo com Alfonso Caso (1958: 11). Tlaloc e Tezcatlipoca são aspectos de Quetzalcoatl como a estrela da noite. dentro do conceito de um único deus (Quetzalcoatl?) Diferentes capacidades que foram considerados relacionados "(Caso de 1958: p. mas ele também era o deus do vento. está associado com o submundo e tem sido referido como o Tezcatlipoca negro como o desenho mostrado acima. Em uma passagem do Anales de Quauhtitlán . em que não estavam sendo agrupados.Acima estão os deuses astecas Quetzalcoatl e Tezcatlipoca representado no códice Borgia como sendo um eo mesmo deus dualista. descreve cinco pontos que podem representar os seus cinco ciclos sagrados (sinódicos) de 584 dias do planeta Vênus e. portanto. O gancho no centro da jóia do vento é um símbolo eu identifiquei como o símbolo do cogumelo Venus religião de Quetzalcoatl e representa o mesmo ícone esotérica usado para identificar o olho da serpente da serpente visão. Como o "Black Tezcatlipoca" (um aspecto da Quetzalcoatl Black) ele era o deus patrono de feiticeiros. Note-se que Quetzalcoatl à esquerda tem a marca de fumar pé espelho de Tezcatlipoca e que Tezcatlipoca usa a jóia marca de vento (concha) de Quetzalcoatl. Tezcatlipoca e Xolotl.23). não foi apenas a Estrela da Manhã. e. Ce Acatl. e seu nome significa "o espelho que fuma" é por isso que ele também foi o descobridor de fogo. Quetzalcoatl.. Os deuses Xolotl. como a meia-estrela mexicana. (correspondente a oeste) em um mito primitivo. Tlahuizcalpantecuhtli. por exemplo. de gêmeos e monstros e assim por diante. Na mitologia asteca Tezcatlipoca que simboliza o céu noturno. sendo uma ea mesma . ele era conhecido por diferentes nomes: Eh'ecatl. o deus da vida e da morte..

A influência de Teotihuacan sobre toda a Mesoamérica entre 300-700 AD. Eles parecem estar oferecendo seu sangue em sacrifício em um altar que simboliza a morte e ressurreição do submundo Sun Deus. . ele era osso (isto é. Na mitologia asteca e tolteca. que retratam deuses padroeiros de Teotihuacan Quetzalcoatl e Tlaloc. e ele instruiu os seres humanos sobre como realizar sacrifícios de sangue em troca de imortalidade.. Codificado no friso em ambos os lados direito e esquerdo são os cogumelos sagrados. . As duas divindades ou padres personificando divindades na cena representam eu acredito que os aspectos gêmeas do planeta Vênus tanto como uma estrela da manhã e Evening Star (note marca bochecha). ele estava magro. em seguida. não até 8 dias se passaram que a grande estrela aparecer. isto é. Quetzalcoatl ascendeu ao trono como Deus ". México intitulado "el altar del sol". Eles dizem que ele habitou no submundo."No momento em que o planeta era visível no céu (como estrela vespertina) Quetzalcoatl morreu E quando Quetzalcoatl foi morto. ele não foi visto por 4 dias. ele era fraco). e por mais 4 dias. como a estrela da manhã Eles disseram que. suas roupas decoradas com inúmeras estrelas de cinco pontas que foram identificados como símbolos Nahuat Venus de Highland México. pode ser identificado arqueologicamente pela distribuição generalizada de cerâmica Teotihuacan. Os dois personagens sacerdotais estão vestidas em traje jaguar ou vestido como eram-jaguares. Quetzalcoatl era o deus-rei que desceu do céu para trazer a humanidade cogumelos sagrados. O desenho acima é de um período clássico Teotihuacan III fresco de Teopanzalco. do mundo atual (Nota torcido Olin símbolo no centro do sol). para simbolizar a viagem de Vênus no submundo como o sacrifício foram-jaguar.

e retrata Quetzalcoatl vestindo uma máscara vermelha com presas que o identifica comoo Deus do vento. Acima é uma opinião do close up do rei-deus Quetzalcoatl concedendo cogumelos sagrados aos seus filhos. a humanidade. também conhecido como o Codex Viena . que se acredita ser um documento Mixtec século 14. Ehecatl.Imagens acima e abaixo são reproduzidas do Codex Vindobonensis (página 24) . A imagem é da página 24 do CodexVindobonensis . .que retrata a Deus Quetzalcoatl vento acima e abaixo entregar cogumelos para a sua humanidade crianças.

Identificado como um Feathered ou Serpente Emplumada por arqueólogos em suas primeiras representações. foi realizada pelos governantes como um símbolo do poder divino. descrito como uma estatueta serpente de pés chamado o cetro manequim. como "Eu descobri". teve fontes tornam-se de regra dinástica. você vai ver que os globos oculares pendentes são realmente codificado Amanita muscaria cogumelos "Hidden In Plain Sight". . Além disso. 1996. e as características de pássaro compartilhada. ele assumiu muitas formas e atributos adicionais ao longo dos anos. i f você olhar atentamente para Quetzalcoatl.) Pelo período clássico deuses poderosos do Maya tinha tomado sobre os múltiplos aspectos tão básicos para o seu conceito do sobrenatural. e ainda assim tão confuso para a mente ocidental. Norman: Universidade de Oklahoma. Jacques. e Parney Bassett-VanKirk. serpentina. como Quetzalcoatl. t ele Maya deus K'awil foi identificado pelos estudiosos como a contrapartida Quiche Maya do deus Tohil. Esta deidade barbudo e com presasfelino. A imagem de K'awil. e tornou-se conhecido por uma grande variedade de nomes em todo o Novo Mundo. No entanto. como fez a toltecas e astecas. Remains notáveis dos povos antigos da Guatemala.Embora à primeira vista o rosto do "Weeping Deus" dá a ilusão de uma divindade com balançando olho-bolas. I optou por se referir a ele. (Foto de um "Deus Chorando" acima é de VanKirk. K'awil e Chac (a quem Schellhas atribuídas as letras K Deus e Deus B).

. O queimador de incenso retrata a Maya deus Chac. a capital dos antigos maias na península de Yucatán durante o período pós-clássico tardio dos 1220 até os 1440s. comumente retratado com presas e um longo lábio. e ele usa um cocar codificado com um X-símbolo torcido e flor de lis emblema (foto tirada por Phillip Hofstetter).Acima é um queimador de incenso cerâmico Pós-clássico das ruínas deMayapán.Ele é retratado acima segurando uma cabeça cortada na mão esquerda.

um portal sagrado que leva para o mundo sobrenatural de imortalidade. ou Wakah Chan.Stela 21 do sítio arqueológico de Nim Li Puni t em Belize retrata um governante Maya usando um Chac ou Chac-Xib Chac cocar (GI do Palenque Triad) e segurando a Deus K Manequim Scepter (GII do Palenque Triad) que descreve a serpente de pés deus K'awil. O lis peitoral Fleur de acima é semelhante em forma ao "Double-cabeça de serpente-bar". ou bar cerimonial. . O governante retratado no monumento usa um peitoral com um design de trevo casal semelhante em forma ao símbolo do Velho Mundo Fleur-de-lis. que foi identificado como uma representação simbólica da "árvore do mundo".

chromographicsinstitute. e vestindo um peitoral peito real que descreve um símbolo similar Fleur-de-lis. O monumento retrata um governante sentado usando o que tem sido chamado um cocar Chac-Xib-Chac.com/tag/mayans/) . (Acima da foto de http://www.Acima é um bloco esculpido a partir das ruínas maias de La Corona.

Este poderoso controlado cidade de comércio dos depósitos de obsidiana de El Chayal desde os tempos pré-clássico precoces (1000 aC) e localização estratégica do Kaminaljuyu abriu redes de comércio entre as plantações ricos cacau na costa do Pacífico. localizada na periferia da Cidade da Guatemala. esculpida por volta de 500 aC O monumento é a partir do sítio arqueológico de Kaminaljuyu. 1981 p. em estilo art cunhado Olmecoid subestilo. Parson.Acima. a partir Mound C-III-6. ou pós-olmeca (Lee A. . Gibbs) de Stela 9. O Kaminaljuyu stela retrata uma figura importante coroado com o que me parece ser uma flor de lis emblema. à esquerda é um desenho (por Rynyha J. e os depósitos de jade ricos no vale Motagua River. 264-265).

132) .Acima é Monumento 1. que retratam s uma cena criação . T ele figura parece estar segurando o tronco da árvore do mundo. definindo a árvore do mundo na posição vertical entre os dois (Freidel. pronto para levantá-lo na posição vertical. de San Martin Pajapan. Decodificar o de cabeça para baixo flor de lis na arte pré-colombiana? Fotografia © Justin Kerr Acima é um período clássico tardio (600-900 dC) K1250 Maya vaso. um ato aludindo a olmeca / Maya mitologia cosmológica. Veracruz. fotografado em rolo para fora o formulário por Justin Kerr. no qual um deus criador separou a terra do céu. que retrata uma ajoelhado governante olmeca ou deidade vestindo um cocar elaborado coroado com o Fleur-de-lis emblema. p. Desenhar por Linda Schele de Pré-Classic (olmeca?) iconografia. Schele e Parker 1993.

ou GI do Palenque Triad. que retratam s um submundo Jaguar Deus vestindo um lenço em volta do pescoçocodificado com um upside-down Fleur de li símbolo s. Ele pode representar GI do Palenque Triad. irmão gêmeo de Xbalanque do Popol Vuh. A divindade serpente representada no canto direito. inferir que o rei era a encarnação do irmão gêmeo de Xbalanque. 1990. Como mencionado anteriormente. que representa esotericamente o portal divina do submundo decapitação e Venus ressurreição. está relacionado com G III do Palenque Triad (Schele e Freidel. identificando-o como osubmundo Deus Sol. então. do Palenque Triad (Editors . A Floresta dos Reis . representam G II do Palenque Triad ou K'awil. A figura no meio empunhando um machado pode representar a concepção do artista do Maya Deus Chac-Xib-Chac. p.Xbalanque. pode ser que esta cena é uma interpretação inicial da "Ressurreição de Xbalanque" mítico (Yax Balam?) do Post clássico Popol Vuh. T ele Chac-Xib-Chac imitador segurando o machado é provável um período versão maia clássica do herói gêmeo Hunahpu. identificar a divindade como osubmundo Sun Deus. Note-se que a deidade jaguar à esquerda usa um lenço em volta do pescoço adorne d com um upside-down Fleur de li símbolo s. Hunahpu. Acima é um fim acima de um período clássico tardio (600-900 dC) Maya vaso K1250. t ele Underworld Jaguar Deus. Note que o earflare shell Spondylus e diadema shell em Chac de cocar são atributos de Chac. Secrets of the Maya.416).tak ing lugar no Maya Submundo. no qual avatar do herói gêmeo Xbalanque é o jaguar submundo. Maya arqueólogos determinada a partir de inscrições em Palenque que o rei era considerado a encarnação do GI. 2004: 109). Arqueologia Magazine. portanto. .

e no ato de auto-sacrifício. um símbolo do Submundo Deus Sol. simbolismo da decapitação e Submundo ressurreição. usando um símbolo ao redor de seu pescoço que eu proponho é uma cabeça para baixo flor de lis emblema. sob o disfarce do jaguar submundo. Citando etno-arqueólogo Peter T. Acima é uma cena do Codex Bodley. ( Teotihuacan 450 dC . Furst: . que retrata uma figura à direita.650 dC).Acima é uma cerâmica Jaguar Deus.

. contendo suas almas e fazer o bem ou o mal. Fo tografias © Justin Kerr Proprietário: Denver Art Museum Denver CO Maya K6608 vaso das Justin Kerr Base de Dados de Maya pinturas em vasos. Como o Soma deus védico. simbólicas da decapitação submundo que codifica as cores e os pontos da Amanita muscaria cogumelo. mas como sobrenatural. uma "trindade dos deuses" em Maya religião conhecida no sítio arqueológico de Palenque como GI. o muscaria cogumelo Amanita da Mesoamérica assume. até o ponto onde a onça é quase nenhum considerada simplesmente como um animal. Eu acredito que eu encontrei a evidência visual suficiente a partir do corpus de arte précolombiana existente para identificar esta bebida divina ea comida sacramental como o cogumelo alucinógeno Amanita muscaria. GII. embora um especialmente poderoso. 48 ) . desde os primeiros tempos. descreve três onças submundo que podem simbolizam as três pedras de lareira da criação. O submundo Jaguars Todos usam lenços de sacrifício. p. Na Mesoamérica esse deus tomou a forma do "jaguar-" no submundo."É de fato um fenômeno comum do xamanismo sul-americano (também se reflete na Mesoamérica) que os xamãs estão intimamente identificado com o jaguar. GIII. de acordo com a disposição de sua forma humana " (Furst 1976. a personalidade do próprio Deus. freqüentemente como o avatar do viva ou morta xamãs.

Na história da criação maia contada no Popol Vuh. um grande monstro pássaro conhecido como Itzam-Yeh.Considerado o dia de conclusão ou ponto de partida na contagem longa Maya. 7 Macaw ou Vucub Caquix. destruído e recriado antes da presente criação. a principal deidade Pássaro. somos informados de que havia um mundo anterior que foi criado. sem dúvida transforma o "bemushroomed" em um "jaguar eram". os irmãos gêmeos conhecidos como Hun Hunahpu e Vucub Hunahpurepresentou o Estrela da Manhã jogando um jogo de bola no horizonte oriental. senta-se sobre a árvore do mundo. Na história da criação do Quiche Maya Popol Vuh. é definir todos os ciclos dos calendários em movimento. O novo mundo foi criado no dia em que a primeira palavra foi pronunciada. Há um ciclo de repetição de 20 dias nomeados no calendário 260 dias a cada dia representado por um único símbolo ou glifo. Na era mundial anterior. De acordo com inscrições maias em Coba e Quirigua. quando Venus sobe a partir do submundo como a Estrela da Manhã. 20 dias chamado Ahau. o que significa Senhor.A embarcação acima descreve um governante ou sacerdote segurando uma bebida sagrada que. o dia no calendário maia. naquele dia foi de 4 Ahau 8 Kumk'u. o livro sagrado do Quiche Maya de Highland Guatemala. ou .

México.Régua. um nome que encontramos na Vuh Popol que significa "Aquele mestre da respiração Magic" (Gates. O nome do dia 20 na Quiche é Hunahpu. (desenhos de mim Kampen "Clássico Veracruz Grotescos e sacrificial Iconografia") . 1978 p. Observe o que proponho são cogumelos brotando da Árvore da Vida em ambas as cenas de criação codificado. em Veracruz.53). O desenho acima é do painel relevo esculpido a partir das paredes laterais verticais do Tribunal Bola do Sul pelo El Tajin.

por Frey Bernardino de Sahagun. no estado de Colima. chamado teonanacatl pelos astecas. O agrupamento em miniatura de figuras são do período formativo tardio (300 aC a 200 dC) e retrata o que parece-me ser a veneração da Árvore da Vida codificada metaforicamente como um cogumelo psilocibina. Um século XVI desenho do Códice Florentino. que significa "Deus Flesh".Acima é uma peça de cerâmica de um grupo diminuto de estatuetas de cultura Cultura Capacha em ocidental do México. A imagem acima foi descrito por Sahagun como o cogumelo sagrado do México. A imagem de . Livro 11.

"Através dos séculos ouvimos referências à Árvore da Vida. e talvez outros nomes. que fica no topo da árvore do mundo na mitologia mesoamericana. não menos importante na identidade da" árvore ". 2008 p.. mas é uma pena que raramente tem a géneros ou espécies da árvore foi anotado. a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal. Citando ethnomycologist Gordon Wasson .39) . como o fungo sagrado" (JR Irvin. a árvore nunca é escondido... a Árvore do Mundo. autor de "O Santo cogumelo" "Toda a história do Éden é mitologia baseada cogumelo.um pássaro empoleirado em cima dos cogumelos é uma possível metáfora que alude à divindade pássaro (Quetzalcoatl). agora eu ouso sugerir que é sempre o anfitrião micorrízicos de Amanita muscaria "(JR Irvin.. 2008 p. o foco do sentimento religioso dos thereabouts pessoas.99) Citando JR Irvin. sempre apontando para uma árvore que é reverenciado como santo.

Acima é uma pedra em miniatura hacha . "Não há nada de incompatível entre as pedras de cogumelos e o jogo de bola.provavelmente foram utilizados para fins cerimoniais e não usado durante o jogo real. Esses objetos de pedra.. enquanto um olhar mais atento revela a imagem de um sagrado psilocibina cogumelos codificado no rosto e chapéu. O chapéu cónico ou em forma de cone. México (Final de Período Clássico. O hacha representa uma cabeça troféu decapitado de um homem velho rosto e sem dentes enrugado usando um chapéu em forma de cone.Vou demonstrar que esse símbolo é uma versão do Novo Mundo do Velho Mundo da flor de lis emblema. é um atributo de marca do mexicano reideus Quetzalcoatl e do seu sacerdócio.. como o jogo de bola hacha abaixo . O rosto enrugado e boca sem dentes sugerem a Old Fire Deus (Xiuhtecuhtli). Este hacha foi provavelmente usada em cerimônias associados com o jogo de bola.. Aqueles que dominam os cogumelos chegar a um comando extraordinária de suas faculdades e movimentos musculares: o seu senso de . se encaixar no cinto ou jugo usado por jogadores de beisebol no jogo de bola mesoamericano. neste caso inspirado cogumelo. 2001) Hachas . 600-900 dC) (fotografia de Whittington. demonstrando evidência de contato trans-oceânico e difusão em Novo mundo antes de Colombo.Em ballplayers arte mesoamericanas são muitas vezes retratado vestindo estes curiosos objetos de pedra. Citando Gordon Wasson . de Veracruz. como o descrito acima. a palavra espanhola para ax.

( Wasson.timing é elevado. 1972a: 198. mas são muitas vezes precedida por cenas de decapitação. parece razoável propor que eram consideradas essenciais para o próprio ritual.. Cenas de transformação submundo Jaguar não só contêm imagens de cogumelo. Borhegyi. um olhar sem corpo. de sensações ". 178) " A pessoa bemushroomed está pronta no espaço. Já sugeri que os jogadores tinham ingerido cogumelos antes que eles entraram no jogo. p. com tanta evidência visual que sugere que os cogumelos alucinógenos foram consumidos antes da decapitação ritual. ele se torna um receptor puro. e Vênus ressurreição. Se as pedras de cogumelos foram relacionados com o jogo de bola. todos eles misturando em um outro mais estranhamente.Em. 1962) Há inúmeros relatos históricos. ele é os cinco sentidos desencarnados. (Wasson. totalmente passivo. Estes incluem sangria. Eu acredito que os cogumelos eram tão intimamente associada à morte e transformação jaguar. mas não ser visto . incorpóreo. até que. que eu concluir que eles devem ter sido acreditado para ser o veículo através do qual ambos ocorreu. todos eles marcados para a altura da sensibilidade e consciência. bem como imagens visuais que apontam o consumo de cogumelo para o ritual de auto-sacrifício e decapitação ritual. invisível. de Cogumelos Rússia & History.. verdade . e até mesmo o ato improvável de auto-decapitação. . a perfuração do pénis. ele continua a ser descoberto o papel que desempenharam ". infinitamente delicado. seja na vida real ou simbolicamente (auto decapitação) no submundo ou o jogo de bola ritual. vendo.

supôs que as vítimas ou cativos para o sacrifício foram decapitados por padres ou ballplayers vestidas de jaguar-trajado após o que as cabeças decapitadas de ambos os jogadores de beisebol e onças eram pendurados por cordas sobre ballcourts ou templos. com base nas numerosas pedras de cogumelos encontrados nesta área. no departamento de Escuintla.Borhegyi propôs que as cabeças de pedra e anéis de pedra posteriores fixados nas paredes da ballcourts formais foram um substituto simbólico para as cabeças troféu de épocas anteriores (Borhegyi. Durante o período clássico tardio.9 MI quadrado). . abrangendo três compostos principais. 24). é mais provável que o culto do cogumelo tem o seu inicio. foram escavados por meu pai e companheiro arqueólogo Lee A.Acima é um monumento que comemora a decapitação ritual jogo de bola.Esta área perto da fronteira do México e Guatemala. período clássico tardio (AD 600-900) cultura Cotzumalhuapa. Meu pai. e pode até ter sido usada durante certos ballgames em vez de bolas. Stephan de Borhegyi. Cotzumalhuapa era uma cidade grande que se estendeu mais de 10 quilômetros quadrados (3. Parsons. no início de 1960. Foi em t sua região que a decapitação de cabeças humanas e o desmembramento de partes do corpo atingiu novos níveis. dois deles conhecido como El Baúl. e Bilbao (Wikipedia). localizado no Pacífico Piedmont do sul da Guatemala. 1980: 20. Estas cabeças troféu eram venerados como ofertas de sacrifício. na periferia da Cidade da Guatemala.

e Lee A. .arqueólogos Maya Stephan de Borhegyi. Parsons.

e cabeças de pedra finos chamados hachas. 84). p. de Borhegyi em 1961.Acima à direita (b) é um objeto de pedra pré-colombiana conhecida anteriormente como uma "pedra cadeado" ou "pedra de estilingue". précolombianas Handstones ball-jogo: Rejoinder para Clune. O cabo de laço objeto pedra foi posteriormente designada "handstone bola-jogo" por Maya arqueólogo Stephan F. . Borhegyi "batizado" os objetos de pedra "handstones jogo de bola" por causa de sua associação arqueológico com tais artefatos mesoamericanas conhecidas como pedras palmate. indica claramente a sua ligação com précolombianas cerimônias bola do jogo ou com o jogo em si (de Borhegyi 1964. jugos de pedra.

é claro.86). .De acordo com Stephan De Borhegyi .. Se a bola do jogo foram pantomima produtoras de chuva. promulgada no início da estação chuvosa para assegurar o crescimento das culturas. pré-colombiano Handstones ball-jogo: Rejoinder para Glune.. respectivamente). pelo menos durante o período clássico. é pura especulação de que não temos relatos de testemunhas ou registros escritos de a bola do jogo como ele foi jogado em Classic ou tempos pré-clássicos " (a partir de Borhegyi. vento. "As equipes opostas pode ter representado as forças opostas (ou dualismo?) Do sol e da chuva (fantasiados como águias ou abutres sol e onças. é até possível que. o jogo serviu principalmente como um mecanismo para selecionar a pessoa adequada (s) para a primavera anual e queda sacrifícios . Tudo isso. 1964 p.. e deuses da fertilidade como Tlaloc. com o resultado previsível que a equipe representando a chuva ea fertilidade acabaria por triunfar. Xolotl. ajudaria a explicar sua estreita associação com tais chuva. e sua conexão com a morte e renascimento através do sacrifício humano por decapitação ou outros métodos. e Xochipilli. Xipe Totec. Quetzalcoatl.

esotericamente codificado no rosto da figura. . Hachas de pedra foram usados sobre jugos ballgame cerimoniais. México. representando o que parece ser um cogumelo de perfil. Em uma carta ao Borhegyi. Borhegyi acreditava que Stone hachas. Wasson escreve: O cogumelo de pedra réplica ao lado Wasson foi um presente de Steve de Borhegyi. enquanto as cabeças de pedra tenoned foram criados nas paredes de quadras de bola formais. eram um símbolo das cabeças troféu humanos de épocas anteriores. bem como cabeças de pedra antropomórficas e zoomórficas verticalmente e horizontalmente tenoned. (1980: 17) (fotografia de de Borhegyi) Etno-mycologist Robert GordonWasson propôs que a origem da decapitação ritual reside no ritual de cogumelos. em si. como um símbolo de um portal divina.Acima é uma pedra hacha de Veracruz.

o pileus do cogumelo. Isto está de acordo com a oferta de "cabeça de cogumelo" nos Anais [dos Cakchiquels] eo Vuh Popol. "A tampa do cogumelo em Mije (ou Mixe) é chamado kobahk. o Mije em seu culto do cogumelo sempre cortar o caule ou estipe (em Mije tek é "perna") da tampa e a tampa só é comido. ( 07 de junho de 1954. mas tampas de cogumelos. a mesma palavra para a cabeça.Caro Steve. Em Kiche e Kakchiquel é sem dúvida o mesmo. e kolom ocox não é" cabeça de cogumelo ". arquivos MPM). Grande insistência é colocada sobre esta separação da tampa da haste . ou na terminologia científica . .

Observe o que são os cogumelos prováveis codificadas pelo artista no canto superior esquerdo desta cena esotérica.Acima é uma antiga embarcação grega que descreve uma cena de decapitação ao pé da Árvore da Vida. .

e que eu acredito que são três cogumelos codificados codificados no manto de Abraham na imagem de fundo. Rolos do Mar Morto estudioso John Marco Allegro em seu livro "The Sacred Mushroom e da Cruz". sugere a possibilidade de que a tradição judaico-cristã contemporânea pode ser atribuída a cultos de fertilidade primitivos associados com a adoração do agaric de mosca ou . Nota A flor de lis codificados na Árvore da Vida na 1ª imagem. codificada nos pés de Humbaba? Acima é um mural que retrata uma cena bíblica da decapitação na Árvore da Vida. também conhecido como Huwawa. e a um Santíssima Trindade. que descreve uma cena de decapitação em associação com a Árvore da Vida. em que a deidade de guardião de Deus Humbaba é decapitado por Enkidu e Gilgamesh . Proponho que oartista sumeriana codifica o segredo para Enkidu de e busca de Gilgamesh para a vida eterna. como o cogumelo da imortalidade. como um símbolo esotérico da ressurreição divina. T ele macabra cena descreve a decapitação do sumeriana deidade Humbaba. 3º milênio aC.Acima é uma imagem muito cedo de um sumeriana selo cilíndrico. "Guardião do / Cedar Floresta do pinho". A cena é do Épico de Gilgamesh.

testemunhado por textos cuneiformes datados do quarto milênio aC Além disso. Citando Morto estudioso Scroll Sea John M. que inclui as línguas do .amanita muscaria (Bernard Lowy de 1971 novos registros de pedras cogumelo do Guatemala ). parece agora que esta língua antiga fornece uma ponte entre as línguas indo-europeias (que incluem grego e latim.. "Todos os caminhos do Oriente Próximo levar de volta para a bacia mesopotâmica. o principal fator que fez com que essas novas descobertas possível tem sido a constatação de que muitos dos nomes mais secretos do cogumelo voltar para a antiga suméria. o mais importante das religiões e mitologias daquela área. Só quando podemos descobrir a nomenclatura do fungo sagrado [Amanita muscaria cogumelo] dentro e fora do culto. a língua escrita mais antiga conhecida a nós. podemos começar a compreender sua função e teologia. Allegro . muito além. Da mesma forma. e nossa própria língua) eo grupo semita. a antiga Suméria. provavelmente.. estão chegando de volta ao culto do cogumelo da Suméria e seus sucessores" "Nosso estudo presente [decifrar o Dead Sea Scrolls] tem muito a ver com nomes e títulos. e.

codificada nos pés da divindade Humbaba. A busca pela imortalidade. como uma divina cogumelo.antigo Testamento.A cena é do Épico de Gilgamesh. "Guardião do / Cedar Floresta do pinho". Para o primeira vez. No antigo Egito o símbolo para "planta" que significa "Árvore da Vida" foi o lotus lírio. e nomes de plantas. foi a base da antiga Suméria Epopéia de Gilgamesh. clássicos e bíblicos. em que a deidade de guardião de DeusHumbaba é decapitado por Enkidu e Gilgamesh . . Acima está uma imagem de um sumeriana selo cilíndrico. Assim seu lugar nos sistemas cúbicos e suas funções nas antigas religiões de fertilidade pode ser determinada ". "Guardião do / Cedar Floresta do pinho". que descreve uma cena de decapitação em associação com a Árvore da Vida. a que Enkidu e Gilgamesh busca. hebraico e aramaico. Tele macabra cena descreve a decapitação do sumeriana deidade Humbaba. um símbolo na forma de um trevo. 3º milênio aC. e como o cogumelo Amanita muscaria. Eu acredito que o artista sumeriana que esculpiu este selo cilíndrico codifica a fruta segredo da imortalidade. torna-se possível decifrar os nomes de deuses.também conhecido como Huwawa. um símbolo para representar a vida ea ressurreição. personagens mitológicos.

p. creio eu.Porque os cogumelos parecia saltar magicamente durante a noite do submundo. O faraó é conhecido por ter introduzido uma "nova religião" (Soma / Haoma?) Para o Egito.worldwidestore. Os mesoamericanos. mas particularmente para a estrela que proclama o dia.htm) . com base no adoração do deus sol Aton.. eles [os Maias Quiche] deu graças ao sol e lua e as estrelas. vento e chuva. com as mãos levantadas no ar para venerar o que parecem ser dois cogumelo Amanita muscaria. referindo-se a Vênus como a estrela da manhã.um estado que descreveu como " deus interior ". Em rituais Mesoamérica de auto-sacrifício e decapitação no submundo. sob a influência do cogumelo sagrado ". descrevendo Faraó Akhenaton e esposa. a rainha Nefertiti de perfil.com/36340c. o mais provável alusão à morte noturno do sol e subsequente ressurreição do submundo por um par de divindades (gêmeos) associado com o planeta Venus tanto como estrela da manhã e estrela da noite. a experiência de quase morte" Eu gosto de chamá-lo. Foi dito que (o título dos Senhores de Totonicapan de 1953 terceira edição 1974.Acima é uma escultura de arenito egípcia (18ª Dinastia 1570-1342 aC).184). Este aspecto dualista de Vênus é por isso que Venus era venerado tanto como um Deus da Vida e da Morte. que teria sido fácil . o do dia-portador. aparentemente provocada pelos poderes de um raio. uma força divina realmente entrou em seu corpo .http://www. veio muito cedo para a convicção de que. ( Fonte de autenticidade ..

da lua e do planeta Vênus que são comumente retratado em pinturas em vasos maias. seu corpo descarnado representa a morte e decadência. eu suspeitava que poderia ser importante e relacionado a crenças religiosas de inspiração de cogumelos. auto decapitação (Borhegyi de 1969: 501) e Maya astronomia. vi imediatamente os cogumelos nas vestes de fumantes individuais no canto direito. Fotografias © Justin Kerr K1490 Na pintura vaso acima. Ele segura na mão esquerda a faca de obsidiana com que ele decapitado si mesmo. Na mão direita ele . Ele tem uma cabeça decapitada em uma mão e uma equipe serpente-pássaro no outro. Conhecido como Skeletal Deus A. envolvendo o movimento do sol. ambos avatares de Quetzalcoatl.para estes antigos concluir que eles estavam presentes divinos trouxeram a eles pelo deus do vento Ehecatl. Quando eu comecei a pesquisar as Justin Kerr Base de Dados de Maya pinturas em vasos de cogumelos. o jogo de bola. e que os cogumelos estavam nas pontas dos narizes dos executores com facas de obsidiana. Um símbolo ciclo escuro foi repetido três vezes ao longo do bordo superior do recipiente. decapitação ritual. eo deus da chuva Tlaloc. inúmeras passagens revelam ligações obscuras entre mitos Maya criação. No Popol Vuh. Como muitos outro período clássico tardio (600-900 AD) esculpida vasos pintados e. Por causa desta repetição. mas também a transformação na morte do que a vida é regenerado.Note-se que a terceira pessoa da direita não tem cabeça. uma das primeiras pinturas em vasos Maya I encontrados com imagens de cogumelo codificada foi Maya vaso K1490. ilustrado abaixo. o Senhor do Submundo é retratado como o deus do esqueleto branco no centro da cena. Esta pintura tarde vaso maia clássico (600-900 dC) a partir das montanhas da Guatemala era como um vaso Maya "Rosetta Stone" na quantidade de informação que continha. Notei também que o artista tinha codificado imagens de cogumelos para os cocares.pintura Maya Vaso K1490 retrata o ritual sagrado (e improvável) de autodecapitação.

jogar um jogo de bola em Xibalba com os Senhores da Morte e são derrotados. seguir o seu pai e tio para o submundo para vingar suas mortes. 1973. O quarto individual a partir da direita é mostrado segurando a cabeça decapitada pelos cabelos com a mão direita. através de suas alucinações. . Após um exame atento da cena.segura o pano em que ele vai embrulhar a cabeça. O arqueólogo Michael D. pode ser o mesmo conjunto de gêmeos. As duas figuras em frente deles. Esse mito. Um dos gémeos. O Popol Vuhnos diz que estes deuses maias individuais. Creio que esta cena complexa ilustra a passagem no Vuh Popol em que os heróis gêmeosfumar charutos no submundo. Hunahpu e Xbalanque. escrito em Quiche Maya usando ortografia da língua espanhola. Coe foi o primeiro a reconhecer que muitas das cenas retratadas em pinturas em vasos maias são imagens do submundo Maya. (Coe. Os dois fumantes são os dois primeiros indivíduos à direita. e versões de a história da criação do Quiché Maya das montanhas da Guatemala . Seus corpos foram enterrados sob o ballcourt no lugar de sacrifício jogo de bola. Outra interpretação pode ser que os dois fumantes . uma vez que eles usam a mesma roupa como o primeiro par. ocorreu-me que poderia representar uma versão inicial de um episódio relacionado no documento período colonial conhecido como oPopol Vuh. foram realizadas trapaceiros. Eles também desempenham um jogo de bola contra os senhores de Xibalba. e uma faca na mão esquerda. Que eles estão fumando h charutos allucinogenic é sugerida pelos cogumelos que são claramente pintadas em suas vestes e nos seus cocares de inspiração cogumelo . conhecido como Hun Hunahpu e Vucub Hunahpu. tem sido objecto de decapitação sacrificial. foram sacrificados por decapitação no submundo depois de perder um jogo de bola contra os Senhores da Morte. os Senhores da morte. 1975a). estão vendo o destino de seu pai e seu tio em sua luta contra os submundoXibalbans . é conhecido hoje como o Popol Vuh. Hunahpu e Xbalanque. no entanto. Trata-se de dois conjuntos de gêmeos divinos. no entanto. bem como jogadores de beisebol. O primeiro conjunto de gêmeos.Eles estavam prontos para qualquer armadilha que pode ser definido por eles. Os filhos de Hun Hunahpu. Xibalba. outro conjunto de deuses gêmeos conhecidos como os heróis gêmeos.

a fim de voltar à vida. . morte e renascimento aparece com freqüência na arte pré-colombiana. A figura em preto veste o que parece ser um capacete em forma de um cogumelo. devemos ter em mente que a morte a todos os mesoamericanos era apenas um prelúdio ao renascimento . Ele observa que. (Jay I. em sua tradução do Popol Vuh . Quando olhamos para a arte pré-colombiana e veja imagens que celebram a morte. Rare Collections Divisão Especial Livro e. As duas cabeças decapitadas mostrados nesta cena pertencem aos gêmeos. 1985: 250) .um portal para a imortalidade divina. Como observado anteriormente. Biblioteca do Congresso) A história da criação e destruição. e a cabeça decapitada da figura atrás dele na outra. ele segura uma lâmina de obsidiana em um lado. com base em evidências descobertas por Borhegyi e Wasson. Em um episódio dos heróis gêmeos decapitar-se no submundo. ele não descarta a presença de um Amanita muscariacogumelo. Dennis Tedlock identificou cinco episódios envolvendo a decapitação submundo e auto decapitação . cult no Popol Vuh ( Tedlock. todas as quatro figuras à direita usar lenços de sacrifício ao redor de seus pescoços.Na cena descrita acima. Coleção Kislak.

.Na Mesoamérica A flor de lis é um símbolo da imortalidade e da ressurreição divina através de decapitação (Codex Borgia).

o cena acima é do manuscrito pré-Conquest conhecido como o Codex Laud (placa 24) que retrata o ato improvável de auto-decapitação. . Note-se que o sangue que flui da cabeça decepada codifica uma cabeça para baixo Fl eur de lis. símbolo referr ing ao ato sagrado de decapitação e Submundo ressurreição.

1525.html) . que retrata uma figura decapitada. (fonte http://steveinmexico.blogspot. o cabelo da vítima que codifica uma flor símbolo estilizado de lis.com/2013/12/puttingsore-into-sorry. o código para a ressurreição divina.Acima é uma pintura do Codex Borbonicus c.

para estabelecer a comunicação direta entre a Terra eo Céu (Sky). Quetzalcoatl foi reverenciado tanto como um deus e como um governante tolteca. No Popol Vuh o livro sagrado do Quiche Maya. Somos informados pelos astecas que o herói da cultura humana Quetzalcoatl morreu no ano 1-Reed. que aparece cercado por uma serpente. é provável representado como o jaguar submundo. é mostrado no ato de autodecapitação no submundo.Acima é uma página da Historia General de Las Cosas de Nueva España (História geral das coisas da Nova Espanha) é uma obra enciclopédica sobre as pessoas ea cultura da região central do México compilados pela Fray Bernardino de Sahagún (1499-1590). rodeado por cinco símbolos Venus (5 ciclos sinódicos?). As culturas antigas do Nahua e Maya desenvolvido ideologias e mitologias semelhantes das mesmas raízes olmecas. Um dos quais está localizado na machado sugerindo decapitação no submundo é o portal para Venus ressurreição do submundo. a . no pós-clássico. creio eu. É ainda gravado em 1570 no manuscrito Nahua conhecidos como os Anais de Cuauhtitllan . O ritual cogumelo sagrado partilhada por estas culturas foi destinado. Seu irmão gêmeo. depois que os gêmeos se sacrificam no submundo na frente dos Senhores da Morte. vulgarmente designado como o Códice florentino. Xbalanque. que estava deificados como Vênus e transformada em estrela da manhã na "terra da escrita. Fotografia © Justin Kerr Maya vaso K1230 mostra o que pode ser uma cena mítica do Quiche Maya Popol Vuh. um ciclo de 52 anos desde o seu nascimento. A história sugere que. a mais velha do herói gêmeo. eles tornar-se imortal e voltar a desafiar a vida a morte como o Sol ressuscitado e da Lua." que tem sido interpretada pelos estudiosos como sendo área de Maya (Milbrath 1999: 177). Aqui Hunahpu. Nós sabemos de crónicas iniciais que. A religião Venus de cogumelo conectados com Quetzalcoatl remonta tão longe como tempos olmecas. os heróis gêmeos depois de beber uma bebida sagrada aprendeu o segredo da vida eterna e Venus ressurreição foi a partir do ato de auto decapitação no submundo.

escrita entre os anos de 1529 e 1590. e seu equivalente Aztec. eles oraram a um pelo nome de Quetzalcoatl. também em um dia de aspecto favorável.. Com base em uma passagem dos Códices Madrid trabalhado pelo Dr. comer alimentos. e eles comeram os cogumelos com mel. Eles não comeram mais alimentos.Fray Bernandino Sahagun. À meia-noite um banquete seguido. "Eles foram muito devotos {índios}. ou os restos deles. Apenas um era seu deus. "Na primeira. em seguida. A essência de Quetzalcoatl no mundo como um herói da cultura foi estabelecer essa comunicação. A ingestão de cogumelos ocorreu na primeira parte da noite. enquanto ainda estava no comando de seus sentidos. Citando Fray Bernardino de Sahagun .. cogumelos tinha sido servido. entrou e sentou-se lá de casa em . era cerimonialmente enterrados. Eles comeram-los no momento em que as trombetas shell foram soprado. nada parecia difícil para eles. eles chamados. Eles fizeram oferendas de flores e ervas aromáticas aos deuses em vários templos. comemorou o retorno de uma viagem de negócios bem sucedido com um festa de cogumelo selvagem.artes e do conhecimento. eles só bebia um chocolate durante a noite. em seguida. Houve um prelúdio para a cerimônia de comer cogumelos em que eles sacrificaram uma codorniz e ofereciam o incenso para as quatro direções. Uma festa e cerimônia de ação de graças foram organizados pelos comerciantes que retornam.. Sahagun descritos como comerciantes chamado pochtecas .10: 160). eles mostraram toda a atenção.). Barrios.207 e segs. Mas alguns. O nome de quem foi seu ministro. Fray Sahagun descreve os efeitos cogumelos e seu uso em várias passagens do seu famoso Historia General de tas Cosas de Nueva Espana. O consumo de cogumelos é parte de um já cerimônia realizada por comerciantes que retornam de uma expedição comercial para as ilhas. seguido de sacrifícios humanos em números". Quetzalcoatl ensinaram que a humanidade deve comer o cogumelo sagrado e fazer sacrifícios de sangue. e para o amanhecer as várias oferendas aos deuses." . Huitzilopochtli. pelo menos. que derreteu o ouro. Suporte und Beruf (pp. "Há um só Deus" [ele é] Quetzalcoatl "(Sahagún. Kinich Ajaw . eles cortaram a nefrite. o livro sagrado do antigo Quiche Maya. Os comerciantes só iria chegar em um dia de aspecto favorável. "Durante quatro dias houve festa e celebração e. seria extinta no submundo se não for alimentada com o sangue dos corações humanos. a partir de Schultze Jena Gliederung des Alt-Aztekischen Volks em Familie. e os comedores de cogumelos não. Como dito no Popol Vuh. o deus-sol do Maya.fim de unir o homem com Deus. e tudo isso veio de Quetzalcoatl . seu sacerdote [foi] também Quetzalcoatl. a fim de alcançar a imortalidade. Dibble e Sr. no quarto dia. veio a coroação de Montezuma II. 1950-75. "Eles [os astecas] poderia fazer praticamente qualquer coisa..

eles. cometer adultério. então ele viu tudo em visão: mesmo que ele iria ser afogado. ele seria atingido por pedras. e o que andou fazendo. 4 volumes. ele também seria pedra e teve uma visão de que sua cabeça seria esmagada por pedrasiriam condená-lo. se afogar. 1969. Sahagun. rico. México: Porrúa Editorial. E eles viu em visão. Bernardino de. um teve uma visão que ele iria comprar escravos. no entanto muitas coisas estavam a acontecer a um. viu tudo em visão. um teve uma visão que ele levaria cativos na guerra. talvez.(Codex florentino.seus lugares. viu-se que ele iria morrer no campo de batalha. E quando os efeitos dos cogumelos tinha deixado eles consultaram entre si e disseram uns aos outros o que tinham visto na visão. Dibble. o que acontecerá com aqueles que tinham comido não cogumelos. em seguida. Da forma como forem muitas coisas foram todos foram disse-que um levaria cativos. um teve uma visão que ele iria roubar. perecer na água. New Mexico: The School of American Research e da Universidade de Utah. ele seria um proprietário de escravos. um teve uma visão que ele iria cometer adultério. Alguns foram. um teve uma visão que ele iria cair de uma parte superior do telhado. um teve uma visão que ele iria viver em paz e tranquilidade. continuou. os ladrões. dançavam não mais. Historia General de las cosas de Nueva España . ele seria de pedra. e choro. mas só ficou lá acenando. seria de se tornar um guerreiro experiente. Dibble & Anderson. Bk 9 pp. Tudo o que era para acontecer a um. Traduzido e editado por Arthur JO Anderson e Charles E. um teve uma visão que ele seria rico. Um teve uma visão que já que ele iria morrer. Códice Florentino. até que ele morreu. Editado Ángel María Garibay Kintana. um líder de jovens. 1950. comprar escravos. cerimonialmente banhar escravos. Talvez ele iria para sua morte em Anauac. fornecer banquetes. um teve uma visão que ele iria ser comido por animais selvagens. 12 volumes. alguns adultério talvez comprometido. e ele iria cair para a morte. seria de morrer na batalha. tornar-se rico. em seguida. seja estrangulado. um teve uma visão que ele pereceria na água. .38-39) Sahagún.

e para os céus como uma estrela ressurreição de cogumelo Venus portal. que é um símbolo comum encontrado em pinturas em vasos maias. O fato de que o ícone X acima é torcido pode ser uma referência ao símboloOlin. A iconografia complexa ao longo da borda deste navio representa o que eu acredito representam cogumelos corte transversal. um símbolo semelhante em forma de glifos representam o planeta Vênus. pode referir-se ao movimento de cima e para baixo. O pochtecas viajou para baixo de Central do México para as terras do Golfo e para a região de Maya transportando mercadoria. muito provavelmente representa um portal sagrado para o submundo. Se assim for. o que significa que o movimento ou movimento. Senhor do Vanguard. Fray Sahagun (no livro 9 de 12) refere-se aos cogumelos com um grupo de viajar comerciantes conhecidos como o pochtecas. bem como difundir a religião de Quetzalcoatl. O ícone-X. porque eles eram seguidores de Quetzalcoatl quem eles adoravam sob o nome patrono Yiacatecuhtli ou Yacateuctli. para dentro do submundo como uma estrela de morte. Evidência de contato PRE-COLUMBIAN . o que significa que os comerciantes que levam.Fotografias © Justin Kerr Maya vaso K4932 descreve comerciantes Maya carregando grandes sacos sobre seus ombros preenchidos com o que parecem ser cogumelos. e até do submundo.

esotericamente aludindo ao fruto proibido da Árvore da Vida. .Acima na linha superior são imagens do Novo Mundo e Velho Mundo que retrata o que parece para mim como cogumelos psilocibina emergentes da flor de lis emblema.

Jared e seu povo. tais como a escrita hieroglífica. na costa norte de África. a quem eles levantaram seus templos piramidais para. 1976 p. O Livro de Mórmon também fala de um antigo hebraico pessoas que vieram para a América. e que viajou através do oceano para a terra prometida. 351) . por volta de 2500 aC. o uso do incenso. Evidências de canibalismo de lixo doméstico aparece muito cedo em San Lorenzo. A adoração do deus da tempestade Baal Hammon floresceu na colônia fenícia de Cartago. deixou o Oriente Médio quando as línguas foram confundidas na torre de Babel. A cidade de Cartago foi fundada por uma rainha fenícia chamado Dido em 825 aC. deixando Jerusalém. Vários traços fenícias são semelhantes com as da antiga olmeca e Maya. o sacrifício de crianças. localizada perto do que é hoje a cidade de Tunis . deformação craniana. um centro cerimonial olmeca namoro torno 1500-800 aC A maioria Livro de estudiosos mórmons propor que a cultura olmeca se relaciona com a cultura Jaredita. o canibalismo.Acima é cartaginês armadura 216 aC decorado com a flor de lis símbolo emergindo como a Árvore da Vida a partir da cabeça do fenício deus Baal Hammon (Museu de Cartago). o esfolamento e vestindo peles de vítimas sacrificiais. e rapidamente se tornou o posto fenícia mais rico e mais importante no Mediterrâneo (Thompkins. e o culto e veneração do sol e da lua e do planeta Vênus. referindo-se a costumes e tradições das pessoas em e ao redor de Jerusalém e do Egipto (Diane Wirth 2007) The Book of Ether (01:33) diz-nos que os jareditas. por volta de 650 aC .

tanto no Novo Mundo e Velho Mundo do Fleur símbolo de lis associada a uma tempestade Deus e um símbolo-X (cabeça deidade abaixo do símbolo-X) neste vaso cabeça capacete etrusca datada de 650 aC. que reconhecemos em evidência bíblica a ser essencialmente os cananeus.106) que as descobertas de obras literárias. perto da costa do norte da Síria. seguramente. (1962. a população nativa da Palestina no assentamento Hebrew . de acordo com Gray. ser tomado como prova da cultura dos fenícios do final da Idade do Bronze. " . ritual e textos administrativos inscritos em tabletes de argila encontrados em Ras Shamra. O arqueólogo John Gray.Eu encontrei a mesma iconografia. p. em seu livro Arqueologia e do Mundo Antigo Testamento. inscrito em um escrita cuneiforme alfabética. "pode.

é retratado em pé sobre duas montanhas.. com provisões suficientes mulher a viajar 3500 milhas de Carthage e 2500 milhas além das Colunas de . Os hititas e os hicsos foram as primeiras pessoas no Oriente Médio para usar o carro na guerra. retrata o Deus da Tempestade Baal-Zefom. Kalyanaraman. no entanto. para o Novo mundo. O cartaginês Capitão Hanno. Os hicsos / cananeuTempestade Deus Baal Zefom. nenhuma evidência conclusiva da identidade racial dos hicsos. A. (acima desenho é de http://www. argumenta em seu livroAryatarangini: Saga dos indo-arianos.Acima é um selo do cilindro encontrado em ed Indique Daba. O selo do cilindro em forma de roll-out. bem como a muitas partes do velho.html ) Citando arqueólogo bíblico John Gray (1962. Egiptólogos propor que os hicsos eram um povo semita. que os arianos da Índia antiga eram um mar-povos-adorando sol. que invadiu o Egito por volta de 1700 aC. o nome moderno da capital para os hicsos na região do delta do Nilo do Egito. que navegaram ao redor do mundo. "Há. (o Mediterrâneo oriental).net/ MapofPihahirothEthamShurYamSup h. e introduziu o cavalo e carruagem para os egípcios. na costa ocidental da África.86) sobre os hicsos (17301580 aC) . dando-lhes uma enorme vantagem sobre as pessoas que eles conquistaram. um hebreu nome que significa "senhor do norte". acima de um navio à vela com o que pode ser cogumelos divinos codificados na vela.000 homens e de sair em cerca de 500 aC.. A introdução do cavalo e da luz carruagem de guerra para o Egito sugere afinidades arianos".bibleorigins. Sri. um autor indiano que estudou os Vedas. p. o mais provável cananeus que vieram do Levante. descreve uma frota de 60 navios de 50 remos e 30.

(Hugh Fox 2005 p.D ..23) Abaixo está um pote Mochica que o falecido Hugh Fox propôs foi uma cena da mitologia greco-fenícia. ..excita luxúria Ele a descreveu em uma cena de dança. onde é comido.Incita a la lujuria . Gordon Wasson . 1976 p.Seus Cules a novas colônias encontradas (Peter Thompkins. que descreve o acoplamento Herakles com a filha do Hespérides (Hugh Fox de 2005.. Citando Ethno-micologista R.27). seria de caráter erótico ou procriador Sahagun diz que o cogumelo narcótico.. Citando pesquisador / historiador Hugh Fox Ph. " (Wasson para Borhegyi 1953/03/27) ... . 351) . "Eu fui o primeiro a ver a palavra fenícia como uma palavra [em um pote de cerâmica] e ver a cultura Mochica como uma colônia fenícia na costa peruana que começa sobre o tempo da aniquilação romanas de Cartago. Os cartagineses e seus parentes os fenícios e cananeus são conhecidos por ter sacrificado as crianças em grande escala para a sua Tempestade Deus Baal (Nigel Davies 1981. "Se eu fosse a postular a natureza de um culto mushroomic. (149 aC). o metrópole fenícios que estavam em Tunis está hoje ". p. p.63).

.Acima é outra panela Mochica ou Moche que descreve uma cena muito semelhante em que um homem de barba branca com "longos cabelos loiros" é o acoplamento com uma mulher de pele escura.

Acima é um Moche estatueta de 100 dC .800 dC que podem retratar um estrangeiro do Velho Mundo tomado como cativo? .

117) . Assim. a ingestão de narcóticos. mas também reorganizar a ordem do original. Relacion de las cosas de Yucatán foi perdido eo que temos são partes de uma cópia. "Os antigos maias também parecem ter substâncias utilizadas que alteraram o estado normal do indivíduo de consciência. há curiosos pausas e alternâncias no tom e assunto". não só omitidos ou abreviados seções. Vários vasos de cerâmica pintados retratam graficamente o uso .Acima estão Moche Retrato do navio s 100 AD. vestindo o que parece ser Amanita muscaria cogumelo enspired cocares. Ela escreve. Infelizmente a cópia original do seu livro famoso. relacionada com um aspecto do ritual Maya não está bem descrita nos documentos ethnohistorical". relatado pelo espanhol foi. "é possível que os copistas desconhecidos.800 AD representando governantes. "Landa registrou que as bebidas alcoólicas foram bebido em cada ocasião ritual". A maior parte do que sabemos sobre a Maya a partir de relatórios espanhóis após a conquista vem de Fray Diego de Landa da Ordem de San Francisco. "A embriaguez. sem dúvida. e talvez feito em 1616 de acordo com Inga Clendinnen (Conquistas ambivalentes 1987 p. escrito por três mãos diferentes.. embora certamente como parte do ritual divinatório. alucinógenos e outras substâncias psicotrópicas foi visto como uma maneira de transformar existência e para atender ou se comunicar com poderes invisíveis ".

de um aparelho enema em contextos aparentemente rituais. Este uso ritual de enemas. O jogador de bola se agacha em um joelho. e possui um Amanita muscaria cogumelo em uma mão e um aparelho enema no outro. muito provavelmente retrata um ritual enema associado com o jogo de bola. p 483 :) O uso ritual de intoxicar enemas para a transformação espiritual tem sido descrito nos primeiros relatos espanhóis de costumes nativos. fotografado em rolo para fora o formulário por Justin Kerr.. a introdução directa de substâncias alcoólicas ou alucinógenas para os resultados de cólon em absorção imediata por parte do organismo. (De Morley e Sharer. é comumente representada em pinturas em vasos maias. apressando assim os efeitos ". Fotografia © Justin Kerr Kerr Maya vaso K5172. 1983. embora mal compreendido. . À esquerda do ballplayer usa um cocar de veados e um cinto de jogo de bola ou culatra.

8-Deer tira a própria vida. um feito a partir dos sucos de cogumelos alucinógenos tomadas antes da batalha ou antes do jogo de bola. no final do calendário rodada 52 anos. e ele é representado coroado com a Fleur símbolo de lis. Os sete sobreviventes códices Mextec retratam as cerimônias religiosas que estavam no centro da civilização Mixtec.Acima é um período clássico tardio (600-900 AD) Maya vaso. descreve uma figura participando do ritual enema vestindo um cocar de veados e em forma de cogumelo tampões para os ouvidos codificados. Somos informados de que 52 anos mais tarde. A figura importante retratado na direita é nomeado 13serpente. possivelmente. e que 13 serpente pode representar a encarnação de um jovem agora imortal Quetzalcoatl (fonte Ancient America por Jonathon N. A cena acima é de um dos códices Mixtec pré-hispânicos agora alojados no museu britânico. A Serpente nome de 13. A cena acima mostra duas figuras importantes realizando uma cerimônia ritual. a figura à esquerda ser o rei Mixtec chamado 8Deer. p.69 ). Leonard 1967. pode aludir a adivinhar Venus ressurreição e para os 13 níveis do mundo superior. depois de perder uma batalha ou um jogo de bola. . 8-Deer nasceu no ano de 1011 dC e tornou-se rei dos Mixtexs com a idade de 19 após a morte de seu pai. a cena acima mostra uma cerimônia envolvendo uma bebida ritual. Uma infusão cogumelo administrado por meio de um enema teria um efeito muito mais rápido e mais potente sobre o corpo do que um ingerida por via oral. e emulando o rei-deus Quetzalcoatl ambos cometer suicídio com a idade de 52.

mostra o tributo recolhido por funcionários públicos astecas da província de Tochtepec.Acima. é uma imagem do close up de um tw vaso o-tratadas preenchido comcogumelos psilocibina . à esquerda . À direita. . Incluído no tributo foram t ele acima mencionado cogumelos psilocibina (segunda imagem da esquerda no lado de linha inferior). uma página a partir do Codex Mendoza. que significa " f lesh dos Deuses ". um códice asteca criada logo após a conquista espanhola. A imagem ampliada mostra os cogumelos que emergem de um emblema Fleur-de-lis. T ele astecas chamados de si cogumelos teonanacatl.

A cena acima do Codex Laud descreve a deusa asteca Mayahuel, deusa do maguey
planta, em uma cena que descreve o ato divino de auto sacrific. Em sua mão direita ela
aparece para segurar uma bebida ritual estilizado com um emblema Fleur-de-lis
simbolizando a imortalidade divina ou portal divina para a imortalidade. Nota da
serpente e tartaruga abaixo do chamado "árvore do mundo" ou "Árvore da Vida". Tanto
a tartaruga e agir serpente como um altar sacrificial, e ambos são avatares do deus
Quetzalcoatl e do planeta Vênus como a Estrela da Manhã.
O culto do cogumelo alucinógeno, que sobreviveu até hoje entre certas tribos como os
índios Zapotec, Chinantec e mazatecas do México, tem sido pouco divulgado entre os
dias de hoje Maya.
Que pode muito bem ter sido em uso nos tempos pré-hispânicos, no entanto, é sugerido
por fontes dicionário primeiros que descrevem um cogumelo os antigos maias
chamadoxibalbaj okox que significa "cogumelos submundo", e k'aizalab o kox, que
significa "perdeu-julgamento cogumelos "a palavra maia para o cogumelo em Keqchi
IS. ocox(Spenard 2006: 72). Ambos Wasson e Guzmán acreditam que as pedras de
cogumelos foram modelado após o Amanita muscaria . (Guzmán, 2002: 4) em uma
carta ao Wasson (30 de junho. , 1962) tem sido relatado no entanto que os cogumelos de

cerâmica foram escavados em sítios Maya da planície como El Mirador e Berriozabal
no Maya Rainforest, e em 1962 o arqueólogo Richard EW Adams relataram a
descoberta de vários espécimes de cerâmica cogumelo no Maya Rainforest no local
olmeca influenciado do Altar de Sacrificios (Borhegyi de 1963 vol.28, No.3, p.330).

Citando Maya arqueólogo David Freidel ...
"Como o mais antigo e sagrado de todas as divindades maias, estes três deuses
desempenhou um papel crucial nos primeiros simbolismo da realeza que vimos
em Cerros, Tikal, e Uaxactun."

Os três enfrentaram cerâmica queimador de incenso acima vem do sítio olmeca-Maya
antiga de Comalcalco, localizada em Tabasco, México, perto da foz do rio
Usumacinta.Os investigadores neste sítio arqueológico agora argumentar em favor do
contato transoceânica entre o Velho Mundo e Comalcalco. O site é exclusivo para
substituir o que é agora acredita-se ser do Velho Mundo disparou tecnologia tijolo
usando um tipo especial de forno, com alvenaria de pedra. Comalcalco é acreditado para
ter sido ocupada por um grupo infame de grandes marítimos conhecido como o Putun,
que eram provavelmente os Itzas infames que se acreditava serem oradores Chontal
(Culbert 1973, p148). O queimador de incenso acima mostra os rostos dos três
divindades todos com língua de fora, representando o que pode ser uma concepção
Hindu inspirado de uma trindade Maya. O conceito Hindu védica inspirado de uma
Trindade, o chamado Trimurti, personificada as funções cósmicas da criação,
manutenção e destruição, como as divindades Brama, Vishnu e Shiva. O chamado Maya
Trinity é conhecido por estudiosos como GI, GII e GIII. Note-se que duas divindades

parecem ter uma versão estilizada da flor de lis emblema codificado em seu cocar como
um símbolo da divindade, e Vênus ressurreição, e que a figura central com língua de
fora, e em forma de T Ik glifo codificado em seu cocar, é uma símbolo esotérico de o
Deus do vento, que é sem dúvida a mesma forma que o Aryan Tau atravessar. Achei que
a forma de T Ik glifo na Mesoamérica estar intimamente ligada com a flor-de-lis, e
amarrado aos nascimentos do deus Maya GI, (Chac) e a mesoamericana rei-deus
Quetzalcoatl como 9-Wind.(Fotografia © Rob Mohr, 2010)
Citando Diane E. Wirth autor de Why "Três" é importante na América Central e no
Livro de Mórmon © 2012)
"O Popol Vuh do Quiché Maya fala de três deuses criadores, e muitos sítios
mesoamericanos tinham uma tríade de deuses. Cada classe política tinha um
conjunto diferente de nomes para os seus três divindades. Alguns especulam que é
por isso que o cristianismo foi aceito tão prontamente pelos nativos . Após a
conquista espanhola, um padre espanhol com o nome de Francisco Hernandez
estudou os nativos e concluiu que os índios já acreditavam na Trindade. Ele enviou
uma carta ao Bartolomé de las Casas, um bispo de Chiapas em meados da década de
1500, e las Casas relatado que Hernandez escreveu ":
"Eles sabiam e acreditavam em Deus, que estava no céu;. Que que Deus era o Pai, o
Filho eo Espírito Santo que o Pai é chamado por eles Icona [ICONA no texto em
espanhol] e que ele havia criado o homem e todas as coisas . O nome do Filho era
Bakab que nasceu a partir de uma donzela que já tinha permaneceu virgem, cujo
nome era Chibirias, e que está no céu com Deus. O Espírito Santo que chamaram
Echuac ".
Em 1651 o médico do rei da Espanha, Dr. Francisco Hernandez, escreveu um guia para
os missionários nas colônias espanholas, Historia de las Plantas de Nueva
Espana . Nela, ele declarou que havia "três tipos" de cogumelos narcóticos que foram
adorados. Depois de descrever uma espécie letais de cogumelo, Amanita muscaria (?)
Ele afirmou que outras espécies de cogumelos quando comido causou a loucura, o
sintoma de que era o riso descontrolado. Outros cogumelos, ele continuou "sem induzir
o riso, perante os olhos de todos os tipos de coisas, tais como guerras e à semelhança de
demônios". (Wasson, 1962.. 36; ver também Furst, 1990 rev ed, 9)
Fray Diego trabalho de Duran era mais ou menos desconhecido para estudiosos até o
século 19, quando foi descoberto na Biblioteca Madrid por José Fernando Ramírez. Em
1848, Charles Etienne Brasseur de Bourbourg um sacerdote ordenado, veio para as
Américas em busca de manuscritos raros e artefatos religiosos e ao visitar Cidade do
México, Bourbourg obtido permissão para ter os arquivos da Igreja se abriu para ele,
onde descobriu uma cópia de Fray Diego Duran de, Histórias de Nova Espanha.

Durán acreditava que os astecas foram os descendentes das tribos perdidas de Israel, por
escrito, que as tradições indígenas com os quais ele estava familiarizado com, foram
semelhantes com os antigos costumes judaicos e crenças que foram descritas no Velho
Testamento (JH Parry 1976, p.318 ). Duran menciona que a cristianização dos astecas
permaneceria árdua, e que a religião "pagã" dos astecas, e "toda a sua cultura está
impregnada com os valores antigos." Duran menciona que seus escritos seria mais
provável ir inédito afirmando, "algumas pessoas (e não são poucos) dizer que meu
trabalho vai reviver antigos costumes e ritos entre os índios", e "que os índios eram
muito bons em segredo preservar seus costumes".
Espanhol Frei Bartolomé de Las Casas, também acreditava que os astecas eram
descendentes das dez tribos perdidas de Israel. Tentando provar a teoria de Las Casas,
Senhor Kingsborough, (1831-1848) passou anos e uma fortuna na publicação de sua
obra colossal Antiguidades do México (Miguel Covarrubias, 1954 p.10). Kingsborough
viajou para as bibliotecas e museus da Europa para examinar e tirar todos os
manuscritos antigos conhecidos em coleções europeias da época.

Acima é um Crown com flor de lis símbolos de um esconderijo de judeus artefatos
religiosos apreendidos por agentes em Damietta, Egito, 18 de abril de 2014 - Foto:
AP .... A flor de lis foi um dos símbolos sagrados do verdadeiro Hebrew
linhagens.http://www.haaretz.com/ arqueologia / 1.586252
Fray Duran diz-nos que a Igreja Católica, em seu zelo para destruir todos os aspectos da
cultura nativa que poderia ameaçar a crença religiosa cristã, ordenou a destruição de
todos os documentos nativas pertencentes à história, mito e lenda. A Igreja também
baniu todos os aspectos da nativa religião em favor do cristianismo, e não fez nenhuma
tentativa para estudar ou mais rituais de cogumelos recordes.

Duran escreve que os cogumelos foram comidos no ato comemorativo da adesão do
asteca Moctezuma Rei em 1502. Depois de Moctezuma tomou o seu lugar Divino,
cativos foram trazidos diante dele e sacrificado em sua honra. Ele e seus assistentes
depois comeu um guisado feito de sua carne.
"E todos os Senhores e grandes da província ... todos comeram de alguns
cogumelos da floresta, que dizem fazer você perder seus sentidos, e assim eles
sallied adiante tudo preparado para a dança ...Com este alimento que saiu de
suas mentes e estavam em pior estado do que se tivessem bebido uma grande
quantidade de vinho. tornaram-se tão embriagado e sem juízo que muitos deles
tomou suas vidas em suas mãos. Com a força destes cogumelos tiveram visões
e tinham revelações sobre o futuro, uma vez que o diabo falou a eles em sua
loucura ".

Acima é uma placa Maya clássico Período Teotihuacan inspirado, que retrata Tlaloc no
centro sagrado. Observe o símbolo em forma de estrela superar cabeça de Tlaloc e seus
dons de orelha em forma de cogumelo. Tlaloc é cercado por quatro Fleur de símbolos
lis , símbolo t ele tarde Maya arqueólogo J. Eric S. Thompson identificado como o
quincunx, uma variante do sinal Central mexicano Venus. O desenho deste símbolo

simbolizam os quatro pontos cardeais e uma central de entrada para o submundo, onde a
Árvore da vida está localizado. o símbolo da quincunx é de grande antiguidade, tendo
sido encontrados no local olmeca de San Lorenzo em Monument 43 datada de 900 aC o
projeto quincunx também aparece em plataformas Maya Venus. Os olmecas e os maias
acreditavam que era através deste portal que as almas passou em sua viagem para a
deificação, renascimento e ressurreição. De acordo com Maya arqueólogo David
Freidel, o Maya chamou este centro sagrado, balamil mixik ' , que significa "umbigo do
mundo" ( Thompson, 1960: 170-172, fig 31 nos.33-40; Freidel & Schele de 1993.: 124)

Acima é o símbolo hebraico do Velho Mundo, da Estrela de David codificado com um
Fleur símbolo de lis nele é o centro sagrado.

Acima é um símbolo do Novo Mundo hebraico da estrela de David empoleirado em
cima do símbolo Maya chamado de "cauda de penas" da cidade maia de Uxmal em
Yucatan no México. (Desenho de, The Ancient Passado do México , por Alma Reed
1966 p 12. )
Citando pesquisador / autor Richard Merrick

"A palavra hebraica" kikayon "e da palavra grega" kykeon "são uma ea mesma
coisa. Eles provavelmente referem-se a uma bebida comunhão enteogênica feita a
partir de psychoactiv e cogumelos (Soma) e / ou grãos parasitados por cravagem, o
fungo usado para fazer LSD .
o termo "kikayon" é encontrada no livro bíblico de Jonas, capítulo 4:
e Deus criou um kikayon, e fez crescer por cima de Jonas, para que fizesse sombra
sobre a cabeça, para salvá-lo de seu mal. e Jonas se alegrou em extremo por causa da
kikayon. Mas Deus enviou um bicho quando a manhã se levantou no dia seguinte, e
ele comeu o kikayon, que se secou. Jonas ficou profundamente perturbado
e aconteceu que, quando o sol se levantou, que Deus preparou um forte vento
oriental; eo sol bateu na cabeça de Jonas, ele se tornou fraco, e pediu que ele poderia
morrer, e disse: "é melhor para mim morrer do que viver."

e disse Deus a Jonas: Você estão com raiva para o kikayon? E ele disse: 'Eu sou
muito irritado, até a morte. "
E Deus disse:' Você teve pena do kikayon, que você não fez o trabalho acabou, não
fazê-lo crescer, que surgiu em uma noite, e pereceram na uma noite; [cogumelos
crescem durante a noite e muitas vezes são ido em um dia] e que eu não deveria ter
pena de Nínive, a grande cidade, em que são mais do que seis marcar mil pessoas que
não sabem discernir entre a sua mão direita ea sua mão esquerda, e também muito
gado? "
Na Grécia antiga, kykeon era uma bebida de várias descrições. Alguns foram feitos
principalmente de água, cevada e substâncias que ocorrem naturalmente. Outros
foram feitos com vinho e queijo ralado. Acredita-se que kykeon geralmente refere-se
a uma mistura composta psicoactiva, como no caso dos mistérios de Elêusis. A
kykeon foi usada no clímax dos mistérios de Elêusis para quebrar um jejum sagrado,
mas também é mencionado como uma bebida favorita dos camponeses gregos.
Na tentativa de resolver o mistério de como tantas pessoas ao longo do período de
dois milênios poderia ter consistentemente experimentou estados reveladores durante
a cerimônia culminando dos mistérios de Elêusis, tem sido postulado que a cevada
utilizada no kykeon Elêusis foi parasitados por cravagem, e que as propriedades
psicoativas desse fungo desencadeou as experiências intensas aludidos pelos
participantes na Eleusis.
a esta luz, podemos agora compreender a história de Jonas sendo engolido por uma
baleia por três dias e noites como uma alegoria para uma viagem psicodélica
resultante da ingestão de certos compostos psicoativos em uma bebida kykeon
comunhão ". (fonte(28 de fevereiro 2015) ... The Blueprint Venus: Descobrindo a Ciência
antiga de espaços sagrados)

No Irã (persa) e da mitologia védica-Hindu, tanto o Haoma e planta Soma estão
conectados no mito com uma bebida ritual e Árvore do Mundo, ou Árvore da Vida. Em
Zoroastrian (persa) religião, a mesma planta sagrada era conhecido como Haoma, e
desempenhou um papel importante na cultura persa e mitologia. o ritual Soma era uma
parte integrante da religião védica-Hindu onde Soma estava bêbado pelo sacerdócio
durante sacrifícios. suponho da arte existente que Haoma pode ter sido o cogumelo
psilocibina, visto codificada abaixo como a Árvore da vida, em uma estela, e em ambos
o cálice de ouro e prata. Observe as divindades felinas em associação com a árvore da
vida e flor de lis na arte persa.

que segue os Vedas.Acima é a psilocibina de cogumelos esotericamente codificado como a Árvore da Vida na arte persa. Nos textos hindus antigos conhecidos como os brâmanes. única após a decapitação do dragão Vrtra (rush 2013. p. 296). . um dos copos de Soma é referido como o chefe do Gayatri. assim. a águia que trouxe Indra para baixo dos céus depois de decapitar o dragão Vrtra e. obter Soma. no Rig Veda. Deve notar-se que. há temas recorrentes que aludem a decapitação e da potência espiritual da cabeça.

com/2011/09/decipherment-of-soma-andancient. e os animais que simbolizavam a vida eterna. pinho nunca decadente. o lendário Ling Chih. cujo antepassado real pode ter sido o fly-agaric [Amanita muscaria] do xamanismo Eurasiatic " . no centro da Ilha taoísta do Paraíso ficou um pinheiro imortal gigante. Furst de 1976 página 162) . em conexão com Soma e as origens da Árvore da vida " ( Peter T.Na mitologia iraniana e védico hindu.indo. entre estes é um fungo da imortalidade. que lembra uma das referências semelhantes citados por etno-Mycologist Gordon Wasson. .blogspot. ao pé da enorme. tanto o haoma e vegetal soma estão conectados no mito com a "árvore do mundo".html) Etno-arqueólogo Peter T Furst escreve: "que. (Http://bharatkalyan97. em meio as mais belas flores. "os moradores desta abençoada ilha ficou eternamente jovem bebendo da fonte da vida.

aludindo eu acredito para o cogumelo da imortalidade. que codifica em forma de cogumelo lírios sob a Árvore da Vida.A pintura acima é da arte Hindu cedo. .

"A Árvore da Vida. 1972..(Fotografia de Alex Hyde) Citando Gordon Wasson . 1976 p. "Soma do Rig-Veda fica incorporado na história religiosa e pré-história da Eurásia. ao tempo em que os nossos antepassados primeiro viveu com a bétula e the fly-agaric. O seu papel na cultura humana pode voltar agora. senão o Soma. o fly-agaric. não é a serpente o espírito chthonic auto-mesmo que nós sabemos da Sibéria?" . p. eu defendo que as lendas da Árvore da Vida e da erva Maravilhosa teve a sua génese no Cinturão Forest of Eurasia". eo fruto proibido da árvore da vida. seu parentesco bem estabelecida. "Em resumo. 103). não é o lendário Bétula. [o Amanita muscaria] do pongo dos membros da tribo Ugrian?" (a partir de Furst.. talvez através do Mesolítico e no Paleolítico "(de Furst. o que mais é. de volta. seus irmãos numerosos.212) "Em Gênesis.

que habita as florestas da nuvem da Mesoamérica. um pássaro azul-verde. Em Aztec contas Quetzalcoatl se transforma em uma serpente e. nas línguas maias a palavra chan ou kan significa tanto céu e da serpente. aludindo a uma trindade de deuses criadores na Mesoamérica. retrata uma divindade serpente Quetzalcoatl da serpente emplumada como a Árvore da Vida ou Árvore do Mundo. o quetzal. O nome de Quetzalcoatl representa uma mistura de serpente e de aves. codificados com três Flor de lis símbolos. creio eu." O Maya de Yucatán o chamou de Kukulcan. é uma das mais antigas e as divindades mais importantes da Mesoamérica. . e coatl. a Árvore do Mundo significando cima e para baixo no centro do cosmos. Quetzalcoatl foi conhecido pelo seu nome de calendário "9 de vento. Os antigos maias acreditavam que os deuses que criaram o mundo atual levantou o céu através da colocação de um eixo vertical. e é o código para o portal de-serpente-sky visão e alude ao caminho dos deuses e viagens mortos ancestral em sua jornada dentro e fora do submundo durante as cerimônias sangrentas. em seguida. Entre os Mixtecs de Oaxaca. novamente em um deus com atributos humanos e formulário. e no momento da morte e ressurreição. Th cena e. a palavra Nahua descreve tanto o céu ea serpente. avatar de Quetzalcoatl como a serpente emplumada.Acima é uma cena close up tomada a partir do manuscrito pré-Conquest conhecido como o Codex Laud.

note que o sacramento é esotericamente codificado com a flor de lis como um símbolo da divindade ea imortalidade.Acima é uma cena close up de um códice pré-Conquest que retrata a oferta de um sacramento para um duplo deidade serpente dirigida. .

Bicephalic ou duas cabeças aves são um tema comum na mitologia hindu como eles estão em arte pré-colombiana. bem como a natureza dualista do planeta Vênus (ver Codex Vindobonensis página 24). localizado em Thiruvananthapuram Índia. cultura Paracas do Peru. Na Mesoamérica pássaros de duas cabeças e / ou de duas cabeças serpentes estão ligados a ambos adesão e regência. América do Sul. (800 aC . Acima é um pássaro de duas cabeças agarrar para duas serpentes. Duas Cabeças .Acima é uma porta de entrada para o século 16.Padmanabhaswamy Temple.100 aC). A entrada do templo descreve serpentes dupla e codifica o símbolo da flor de lis.

45. tanto com decorrente do dragão olmeca. O motivo do pássaro de duas cabeças podem ser encontrados nos restos arqueológicos da civilização hitita. Imagens de pássaros e serpentes de duas cabeças são encontrados em toda a Mesoamérica e América do Sul. o Santo Romano e do Império Russo.pássaros e duas serpentes com aparência felina dirigidos comumente representam Quetzalcoatl tanto como a Estrela da Manhã e Evening Star. Acima é um período clássico selo Maya (200-600 AD) de Highland Guatemala. O motivo de duas cabeças de aves é um emblema comum associado com o Império Habsburgo. 1993 p. o Império Bizantino. 2011).126).] http: //blogs. datando de um período que vai do BCE século 20 para o século BCE 7º.uoregon . Esta criatura mítica representa o principal deus do céu que pode derivar zoomorphically da harpia (Miller e Taube. Os dois dirigiram o pássaro . e também são comumente encontrados em arte rupestre na Ilha de Páscoa remoto.edu / mesoinstitute / about / curriculum-unit-desenvolvimento / Arteofícios / têxteis / As primeiras representações de pássaros e serpentes de duas cabeças na Mesoamérica remonta aos tempos olmecas. Representando um pássaro de duas cabeças (De Galería Guatemala: Sellos Preshipánicos (Guatemala: Editorial Galería Guatemala.

que eu acredito que pode representar uma versão do Novo Mundo das mito da criação Hindu conhecido como A agitação do oceano de leite. há uma cena que também retrata serpentes dupla. Emergindo desse mar de criação (ondas de notas) é uma árvore que descreve um único olho. A serpente dirigida dupla que emoldura a parte inferior da página também envolve um corpo de água que eu acredito que representa o chamado oceano Leite da mitologia Hindu. A cena complexa na página é dividida em três secções. e o mundo meio do qual a Árvore da Vida emerge. que separa o mundo superior. A antiguidade da ave com duas pontas na mitologia hindu pode remontam tanto quanto 2000 aC. simbolizando a descida e emergência do submundo. Muitos anos atrás.104). p. 1993 p. Framing na parte inferior da página é uma de duas cabeças felino / serpente. representado com um design estilizado de bandas de passagens de criss que pode ser ligado a um Maya verbo JAL . que representam a alma do deificado mortos ancestral como as estrelas acima. do submundo. descrito acima. (Coe.163).mitológico da mitologia hindu chamado Gandaberunda (também conhecido como o Berunda) é descrito frequentemente como um motivo intrincadamente esculpida em templos hindus. É importante notar que versos no . O mundo superior é retratado e emoldurado nos cantos da página com uma faixa do céu que descreve olhos desencarnados. o que significa criar. Eduard Seler ligada ao deus jaguarpássaro-serpente associado com Venus e guerra ao deus Quetzalcoatl como a Estrela da Manhã (Miller e Taube. e serpentes entrelaçadas. emergindo de uma plataforma altar sagrado que descreve uma banda de glifos passo estilizados. No Codex Selden.

O símbolo à esquerda do Deus Sol. que são responsáveis por vezes conclusão para a morte e renascimento diário e ressurreição do Sol Deus. e em frente ao vaso Soma provável localizado no canto esquerdo da página é o sinal do ano no calendário asteca.45). vemos o Deus Sol recém-nascido emergir de uma fenda em forma de V descrito nos galhos mais altos da árvore da vida.A cena codex retrata dois personagens principais ou divindades sentadas em lados opostos da árvore. Logo à direita da plataforma altar do qual a Árvore da Vida surge. À direita do Deus Sol no canto superior direito da página é um ícone que tem a forma de um recipiente para beber que tem um símbolo de cinco pontos abaixo da embarcação que se refere ao chamado "fiveness" de Vênus. eu acredito que a sequência de eventos. Ele parece ter surgido a partir da boca da serpente abaixo dele na esquerda. Os atributos serpentes felinos representam a transformação submundo que ocorre antes da ressurreição de Deus Sol do submundo. simbolismo. referindo-se aos planetas cinco ciclos sonodic. Eu acredito que este símbolo está também relacionada com o ritual Soma e no dia sagrado Ahau. Note-se que os três carapaças de . A porção central da cena provavelmente simbolizam terra média. 1967 p. A tartaruga sangramento nesta cena representa a vítima sacrificial. cujas cascas ou carapaça nesta cena será o portal sagrado ligada à imortalidade e da ressurreição divina. coração sangrento da tartaruga pode ser visto sentado em cima da plataforma altar logo à esquerda da árvore. enrolado em volta do tronco e galhos desta árvore sagrada é uma serpente de duas cabeças. como um presente de sacrifício para os deuses da vida e da morte. foi especificamente associado com o planeta Venus e o deus Quetzalcoatl. Em frente ao Deus da Vida. Ambas as divindades têm nas suas mãos um sacramento ritual. observado por estudiosos no Códice de Dresden. no calendário Venus. Eu diria que este ritual ressurreição Venus está intimamente ligado com a bebida e Soma sacrifícios Soma mencionadas no Rig Veda. o olho do sol. Eu acredito que eles simbolizam tanto o Deus da Vida e o Deus de morte. para ser comido ou oferecido como um presente para a Árvore da Vida. do outro lado da árvore é o Deus da Morte. No topo da página. A tartaruga sangramento está localizado logo abaixo da divindade identificado como o deus da morte e do submundo. há uma tartaruga sangramento apenas acima de um corpo de água Eu acredito que se refere ao "Ocean Milk" na mitologia Hindu. a partir do qual a Árvore da Vida emerge. e é como se segue. O Deus da Vida e deus do mundo superior fica à esquerda da árvore. quando Vênus é visível pela primeira vez subindo do submundo como a Estrela da Manhã. lê-se da direita para a esquerda. Note-se que o número 5.Rig Veda referem-se a Soma como o "único olho". que retrata presas felinas simbolizando a descida serpentes para dentro e fora do submundo. e seu símbolo quincunx (Nicholson. que pode ser visto claramente na iconografia acima. que surgiu a partir da boca da serpente com a cabeça felina. Passando para a parte do meio da cena. a partir do qual o Deus Sol renasce e imortalidade é obtido.

em que as estrelas representam os olhos desencarnados de ancestrais divinizados que olham para baixo sobre eles a partir Tlalocan. sob a Árvore da Vida. assim. Aqueles que morreu por Tlaloc ou estavam sob seu olhar atento. e depois para cima. sobretudo na Selden Codex. e que a carapaça de tartaruga localizado na extrema esquerda. sob a plataforma do altar é a carapaça da tartaruga com a cabeça de um felino emergente. cabeça cortada de Tlaloc nesta cena é estilizado para representar uma estrela divina renascer do Mundo Inferior. com uma paráfrase. notas e vocabulário . de Daniel G. Ben Beasley ea Revisão da equipe Gutenberg e-book distribuído PG on-line on-line) . Tlaloc podem ser facilmente identificados nesta cena pelos olhos de marcas arregalou os olhos. o olho do sol. A sequência de eventos se move para a esquerda. simbolismo que pode ser visto codificado no tronco da árvore da vida. (Compare o mito génese do Nasadiya. editado. com a carapaça de tartaruga vazio ainda no mar. associado com o ato ritual de decapitação. Logo abaixo da Árvore da Vida. o Rig do Veda "Hino da Criação" (X: 129) com o. mas um pouco acima e à esquerda da plataforma altar é uma cabeça cortada estilizado. ele representa o deus da decapitação submundo. com um brilho em Nahuatl . como o aspecto Evening Star do planeta Vênus. que também representa o deus do submundo e. Brinton 1890 (Produzido por David Starner. logo abaixo a cabeça cortada de Tlaloc parece tem um símbolo de estrela dentro da casca. presas felinas e bigode. A cabeça decepada estilizado carrega a imagem da chuva mexicana e Lightening Deus Tlaloc. é uma referência para os três hearthstones da criação. o que provavelmente faz alusão ao planeta Vênus e que a tartaruga representa Vênus como estrela ressurreição divina. Rig Veda americano. foi diretamente para seu paraíso divino chamado Tlalocan. e acima ao longo da borda superior. O ritual Soma era uma parte integrante da religião védica-Hindu onde Soma estava bêbado pelo sacerdócio durante sacrifícios. simbolizando a transformação da tartaruga no submundo para o submundo Jaguar. V erses no Rig Veda referem-se a Soma como o "único olho".tartarugas descritas no mar primordial movimento da direita para a esquerda. canções sagradas dos antigos mexicanos.

o homem aprender os segredos do universo não fragmentada.. mas por repente.. K6777.. são um par de óculos mágicos de Tlaloc esculpidas em casca e moldado na forma de uma serpente emplumada.Fotografia © Justin Kerr Acima. "Great Eye". na sua misericórdia. " O sonho do homem é tornar-se Deus. para aqueles que são tão privilegiados não pareceu . dolorosamente por tentativa e erro fatal. ele permitirá que apenas um número muito reduzido de seus mortais escolhidos para compartilhar sua divindade. ligando assim Tlaloc com Quetzalcoatl ea dualidade do planeta Vênus. O Maya também comparou Venus a um olho. ou a seca que matou seu gado e fez barrigas de seus filhos inchar grotescamente O pênis nos céus subiria e jorrar seu suco vital quando o homem mandou. Acima de tudo. nomeando o planeta Nohoch Ich. Se. e embaixo na terra iria abrir a sua vulva e gestar seus jovens como o homem necessário. Citando Morto estudioso Scroll Sea John Marco Allegro . Mas Deus é zeloso de seu poder e seu conhecimento.. Não está mais com medo das neves no inverno ou o sol no verão. em circunstâncias muito especiais que permitirá homens a subir ao trono do céu e vislumbrar a beleza ea glória de onisciência e onipotência. ele não tolera rivais nos lugares celestiais. é é. iluminação maravilhosa por dentro. mas por um momento fugaz. Os óculos que acredito representar uma metáfora em que os óculos usados pelo "bemushroomed" pode ver além da morte para o paraíso de Tlaloc chamado Tlalocan. então ele iria ser onipotente....

o sumeriana Deus Enki era conhecido como o "Senhor do olho Sagrado" na antiga mitologia suméria. . brilhava como um farol para os homens que lutam ainda em sua batalha desigual com a natureza. e hindus acreditam que o sol é o " olho do mundo "(loka chakshus). e. assim como naiconografia na grande cidade de Teotihuacan nas terras altas do México. cada sensação é ampliada. cada força natural exagerada. onde como já mencionado. " " Para tal vislumbre de homens céu morreram. e evangelizar a visão mística. codificar. o deus Tlaloc e Quetzalcoatl da serpente emplumada partilhavam o mesmo templo. as cores são mais brilhantes. os antigos hebreus representado o sol como um olho. em seguida. Na prossecução deste objectivo grandes religiões ter nascido. e pode ser encontrado em quase todos os códices pré-hispânicos. " Na América Central o motivo "único olho" é um ícone comum.nenhuma experiência maior ou mais vale a pena. os sons mais penetrante. sufocada por suas próprias tentativas de perpetuar. também morreram.

1983. mais conhecido como o Olho de Horus.149) (Coe. cujo olhar atento protegida do faraó na vida após a morte. Codificado Amanita muscaria imagery cogumelo na arte egípcia? Os símbolos acima foram identificados como uma Vênus glifos da área de Maya (Gates. p. simboliza o planeta Vênus como a estrela submundo ressurreição divina. Os antigos maias associada a cor verde com o pássaro quetzal.163 Lendo o Maya Glyphs) (Morley / Sharer. O olho de Horus. "um verde".Este glifo.Acima é o motivo "único olho" comumente visto na arte egípcia. p. 2001 p. que fica no topo da Árvore do Mundo. é a ave quetzal. designa o portal central. e a cor verde. 1978. também era conhecido como o Wadjet.479). yax. O avatar do deus serpente Quetzal-coatl. que está ligada à cor verde ( Yax ). aka. o chamado .

pelo qual o Maya . Mesoamericanas s cholars agora estão começando a reconhecer que Venus era a peça central de Maya mitologia e cosmologia. um portal divina de cima e para baixo ( Venus). localizado no centro do universo. equinócios e . Venus Tlaloc glifo? Tiragem por Ian Graham de detalhe de Naranjo Stela 29. solstícios. eclipses. Sacerdotes encarregado do calendário plotados as estações de Vênus ao longo de períodos de 52 e 104 ciclos de ano.Axis Mundi. outros movimentos celestes. onde o Deus Sol e reis divinizados entrar e ressuscitar do Mundo Inferior. e mediu as fases da Lua.

187) Aci ma são imagens que retratam o deus Tlaloc mexicana. À direita está um grande vaso ou olla que retrata uma Tlaloc com Venus símbolo presas codificado em torno de seus olhos arregalaram. E representando o planeta Vênus conhecido como Nohoch Ek .regulados suas vidas Felizmente para os estudiosos. . p. o Maya registrou esta informação no Códice de Dresden (Milbrath 1999: 51). À esquerda é uma imagem tomada de uma pintura mural em Teotihuacán que habilmente codifica um símbolo Venus na mantilha de Tlaloc. (A partir de Michael Coe "O Maya". Acima são hieróglifos maias. quinta edição.

À direita é um período maia clássico bowl. Acima.Deve-se começar por referir que tanto Tlaloc e Quetzalcoatl partilhavam o mesmo templo em Teotihuacan. Os três pontos e três macacos podem aludir a uma trindade de deuses associados com as três pedras de lareira da criação. à esquerda é uma imagem de escultura do deus Tlaloc mesoamericana. pode ser uma referência ao símbolo asteca Ollin . que significa movimento. os olhos Goggled codificado como um símbolo de Vênus tanto como uma estrela da manhã e Evening Star. à esquerda é uma imagem esculpida de Tlaloc com o que eu diria é um símbolo de Vênus em torno da metade superior da olhos Goggled de Tlaloc que aparecem para mim para terminar em cabeças de serpente. que eu acredito que as tentativas de retratar tanto Tlaloc e Quetzalcoatl mescladas em uma imagem da flor de lis. Acima à direita é uma escultura que retrata a dualidade de Quetzalcoatl-Tlaloc como um símbolo de Vênus. ou movimento e alude susceptíveis de movimento de Vênus dentro e fora do submundo tanto como uma estrela da manhã e Evening Star. O símbolo que se estende para baixo entre os olhos de Tlaloc criando nariz torcido de Tlaloc. . (a partir do acervo do Museu Público Milwaukee).Acima.

apenas com os olhos serpentina de Quetzalcoatl. Em meu exame de pré-colombiana arte Eu descobri que os deuses que parecem estar ligadas a imagens de cogumelos estão claramente ligados ao planeta Vênus tanto como uma Estrela Estrela da manhã e à noite. em parte. um substituto artística inteligente para os olhos marca de óculos de proteção de Tlaloc. Em seu disfarce como a estrela da noite. indicando que a Estrela da Manhã e Evening Star são uma ea mesma coisa (Caso de 1958: 0. O nome de Quetzalcoatl foi interpretado como significando "gêmeo precioso". significando divina Venus ressurreição do Mundo Inferior. Deve ter sido um passo natural para os antigos associar este dualista Venus Deus. Duran: 325).24. é esotericamente formado pelas asas da ave que. (Sharer. eu acredito que eles pensaram que ele foi então ritualmente decapitado e transformado em . Quetzalcoatl / Tlaloc presidiu a morte noturno do Deus Sol como ele afundou abaixo do horizonte para o submundo. cercar dois símbolos em forma de gancho criando a aparência geral de Tlaloc.Eu acredito que o artista que pintou a taça acima propositadamente concebido a imagem abstrata de um pássaro para codificar uma imagem igualmente abstrata dos deuses mesoamericanas Quetzalcoatl-Tlaloc unidas para representar o planeta dualista Venus. 1994: 120) A julgar por uma abundância de imagens pintadas em vasos funerários Maya. e as presas que ligam Tlaloc para o Submundo eo aspecto Evening Star do planeta Vênus (compare com a imagem de Tlaloc à esquerda). O símbolo Venus a meu ver. com tanto a vida no mundo superior e morte no submundo. Quetzalcoatl / Tlaloc. Eu interpreto a cauda do pássaro para esotericamente representam bigode marca guiador de Tlaloc.

. cada um oito anos" (Milbrath 1999: 51). como um katun final (20 yr. Vênus. e subiu aos céus nas asas de uma águia real. O "fiveness" de Vênus.. ele foi ressuscitado todas as manhãs por Quetzalcoatl / Tlaloc como a Estrela da Manhã. às vezes. ela aparece depois de "morte" diário do Sol e descida ao inferno. Verdadeiramente dele fluiu para fora . e que 584 dias é o tempo que leva para a Terra e Vênus se alinhar com relação a o sol.A harpia foi provavelmente a forma personificada do período katun (um período de quase 20 anos) entre os maias do clássico tornando-se um símbolo do céu da manhã associado com sacrifício humano e ressurreição divina em nutrir o novo sol nascer (Miller e Taube. . O que deve ter parecido realmente fascinante sobre Venus é que parece tanto como uma estrela da manhã e uma estrela da noite. por exemplo.. Cada oito anos pode-se prever que Vénus irá retornar para a "mesma posição no céu. como a estrela da noite. Mesoameicans acreditava que esse conhecimento foi concedido a eles pelo mesmo Deus que lhes deu cogumelos e fogo. No Codex Chimalpopoca. Período). Governantes agraciado com este conhecimento divino se acreditava serem encarnados deste deus. De Quetzalcoatl toda a arte e do conhecimento" (Neil Baldwin 1998 p. Ele também deu ao homem das ciências. ele pode ter parecia "ressuscitar" o Sol da sua estada noturna através do Submundo. 1993: 82-83). Este deus. tornou-se associada com a morte e ressurreição no submundo. Segundo a lenda asteca. se acreditava ter criado tanto do universo e da humanidade. Ballplayers usava joelheiras com o símbolo da Ahau.. durante o dia. era visível a observadores do céu cedo mesmo.. Como a Estrela da Manhã. Este dia foi um período que termina dia no sagrado calendário 260 dias (almanaque) e sempre terminou no dia Ahau ou Ajaw. a estrela mais brilhante (na verdade um planeta) no céu. vem do fato de que cinco ciclos de Vênus de 584 dias cada igualar oito anos solares para o dia. A harpia foi pensado como a onça-pintada do céu do dia ser o maior predador aviária da Mesoamérica. À noite. Quetzalcoatl é referido como um espírito de regeneração e como a estrela da manhã.34).. Venus também parece morrer e ressuscitar do submundo com grande regularidade. na mesma altura do ano na mesma fase. elevando-se antes do amanhecer. 5 ciclos sinódicos.um jaguar bebê ou "jaguar-". "Verdadeiramente com ele começou . A passagem desse Codex lê . Ahau significa Senhor. Por esta razão. identificado como uma serpente emplumada e avatar do planeta Vênus. teorizando Eu acho que o jogo foi jogado na conclusão de um período de tempo no calendário sagrado. que terminou no dia Ahau. o calendário e escrita e de conhecimento para corrigi alguns dias para festas e sacrifício de sangue.

Freidel & Schele. 3. os maias acreditavam que era através deste portal que as almas passou em sua viagem para a deificação. 1993: 124) . de acordo com Maya arqueólogo David Freidel. LR. linha superior. Thompson identificou o glifo Maya quincunx (mostrado acima.O falecido Maya arqueólogo J. tendo sido encontrados no local olmeca de San Lorenzo em Monument 43 datada de 900 aC o projeto quincunx também aparece em Plataformas Maya Venus. 1960:. 170-172. balamil mixik ' . Ambos são de grande antiguidade.33-40. renascimento e ressurreição pelo planeta Vênus em seu disfarce como a Estrela da Manhã. Eric S.. nos 1. o Maya chamou este centro sagrado. ( Thompson. que significa "umbigo do mundo". 4 e 5. fig 31 nos. o design destes altares baixos simbolizado os quatro pontos cardeais e uma entrada central para o submundo. E na cabeça do glifo jaguar (figura do meio na segunda linha) como uma variante do sinal Central mexicano Venus.

Acima é um período tardio clássico (AD 600-900) Maya escultura de parede que descreve três divindades acima de uma faixa do céu glifos.com/. (cumulus./ch18. e dois símbolos de Venus prováveis com divindades emergente..jpg~~number=plural) Ambas as representações têm uma forte semelhança com os glifos Maya Venus. Acima são desenhos de petroglifos (gravuras rupestres) encontrados na Ilha de Páscoa que eu acredito que representam símbolos Venus. a Páscoa Islanders disse que ela representava "Make Make" seu deus criador. O petroglyph desenho acima à direita por Lorenzo Dominguez (1901-1963) é da Ilha de Páscoa. um Deus Sun que chamaram Make-Marca. De acordo com Heyerdahl. Ele observou que este foi notável porque não havia membros da família dos felinos na Ilha de Páscoa ou em qualquer outro lugar na Polinésia. Em 1886.htg/make.planetess. Thompson encontrou muitas representações de figuras felinos simbolizando seu deus supremo.. . William Thomson um oficial US Naval e primeiro pesquisador científico da Ilha de Páscoa visitou a Ilha de Páscoa. O desenho de um petroglyph do lado esquerdo da Ilha de Páscoa é de um símbolo dupla Venus encontrada pela expedição liderada por Thor Heyerdahl. logo abaixo da banda do céu glifos. que pode representar a Maya Trindade. e quando perguntado o que o símbolo significa.

Fotografia e desenho acima são de petroglifos idade de pedra encontrados no lado do Pacífico do Hartstene ilha ao largo da costa do estado de Washington. (Foto e desenho acima são doGALERIA DE NOROESTE PETROGLYPHS: ART SHAMANIC do Noroeste do Pacífico: © 2010 Daniel Leen Coincidência ou evidência de contato transoceânica com Ilha de Páscoa? . Esses petróglifos antigos na minha opinião também se assemelham Maya Venus glyphs semelhantes aos encontrados na Mesoamérica e na Ilha de Páscoa.

de fato. e um culto cabeça troféu. Heyerdahl tinha encontrado vários locais nas Ilhas Galápagos que sugeria alguma continuidade com Chimu e cerâmica costa equatoriana. Ele presume que. Não é preciso grande esforço de imaginação para concluir que estes marítimos intrépidos poderia ter alcançado o Peru. Thompson. por sua histórica viagem Kon-Tiki. Eric S. Esta lenda convencido Heyerdahl que os antigos peruanos foram os colonos originais da Ilha de Páscoa. não tinha sido muito contato pré-colombiano cedo com a Ilha de Páscoa que ajudaria a explicar a presença de tais características olmecas semelhantes como escultura em pedra monumental eram jaguares. a religião de . por meio da corrente de Humboldt. Thor Heyerdahl foi motivada por uma antiga lenda que um herói cultural peruana chamado Con-Ticci Viracocha tinha enchido o mar com peixes. Ele então deixou o Peru e navegou para o Pacífico com seus seguidores.Compare roteiro do Vale do Indo com o da Ilha de Páscoa. eles poderiam ter também ido tão longe como a Ilha de Páscoa e até mesmo para as Marquesas. Se. se essas pessoas pré-colombianas tinham navegado 800 milhas para o Galapagos. já em 400 aC Segundo o arqueólogo J. Gostaria de acrescentar minhas próprias especulações a esta teoria. que os comerciantes (Kon-Tiki) poderia muito realista ter feito isso para a Ilha de Páscoa da América do Sul. e que os contactos culturais resultantes poderia finalmente ter se estendia até a Ilha de Páscoa. Ele provou. Nós sabemos agora que a partir de contas tanto evidências arqueológicas e históricas que os comerciantes viajado bastante regularmente entre ocidental do México e da costa do Equador.

Quetzalcoatl-Tlaloc e os cogumelos sagrados da transformação jaguar poderia muito bem ter fez esta viagem. ganhou algum suporte depois que ele apresentou seus estudos no X Congresso de Ciências do Pacífico em Honolulu em 1961. inicialmente com desconto. Outros artefatos cavernas encontrados por Heyerdahl e sua equipe incluem figuras. A cabeça de pedra troféu na foto acima (de Heyerdahl)) revela três buracos ou orifícios em que cinzas dos mortos foram colocados e que sangrou em cima. ao passo que nenhum perito na Ilha de Páscoa arqueologia. De acordo com Heyerdahl as lendas dessas pessoas afirmam que os primeiros habitantes da ilha chegaram do leste. A datação por carbono de muitos desses artefatos sugere uma ocupação da Ilha de Páscoa por volta do ano 380 dC. cerca de mil anos antes do que os cientistas especulado anteriormente. foi impressionado com a semelhança de alguns rituais da Ilha de Páscoa associados ao sacrifício de sangue e construção de monumento com os da cultura olmeca-Maya que surgiram tão cedo quanto o pré-clássico no local da costa do Pacífico de Ocos. como o fundo dois acima. . O trabalho de Heyerdahl. que se assemelham foram-onças. embora. O autor.

Acima é o "olmeca foram-jaguar" semelhante ao descrito acima da Ilha de Páscoa ambos representando um felino agacha-se com cabeça humana escavado a partir Monumento Fb. o sítio olmeca de Tres Zapotes (foto da National Geographic Society) .

. então eu diria que a religião da Ilha de Páscoa centrado em torno do uso de cogumelos e a veneração do planeta Vênus como estrela ressurreição. " Se a estátua moai gigante estão em símbolos fato de Quetzalcoatl. pele pálida e usando uma vara que" trovões e relâmpagos emitida. a encarnação do planeta Vênus. Isso seria um excelente tema para os estudiosos mais especialista sobre este assunto do que eu para estudar.O lendário rei-deus Viracocha foi descrito em lendas peruanas como um "homem alto com uma longa barba.

htm) Acima.co/civilizators-english. e à direita é uma estátua gigante Moai da Ilha de Páscoa.civilizadores. à esquerda é uma barbada Maya pedra cogumelo efígie de Highland Guatemala. Ao meu conhecimento que eu sou o primeiro a apontar a semelhança óbvia do desenho da orelha nos pedra cogumelo Maya e estátua Moai da Ilha de Páscoa. .Acima está uma estátua Moai barbudo da Ilha de Páscoa. (Acima da fotografia de http://www.

Se. um dia sagrado no calendário maia que significa vento. que a viagem do mar era possível. todos os atributos ligados ao deus do vento Ehecatl / . bem como a mutilação monumento. que têm um símbolo em forma de cogumelo codificado em sua cabeça e nariz. chamados Moai. e espírito. Com isso em mente. conhecido em todo o mundo antigo como o"cogumelo sapo fezes" . à esquerda é um close-up vista de uma das estátuas gigantes da Ilha de Páscoa. Acima à direita é uma fotografia do cogumelo Amanita muscaria. tinha havido muito cedo para contato pré-colombiano com Ilha de Páscoa que ajudaria a explicar a presença de tais características olmecas-como escultura em pedra de cantaria.Thor Heyerdahl provou em sua famosa viagem Kon-Tiki. Eu também encontrei muitas evidências de um culto Were-jaguar. Acima. respiração. um dos muitos. um culto cabeça troféu e um culto Venus na ilha. Se o culto Venus / cogumelo de Quetzalcoatl-Tlaloc fez chegar a Ilha de Páscoa. então o cogumelo codificado pode também representam o símbolo Maya em forma de T ik . por marítimos do continente americano. pode-se conjecturar que um navio mercante com uma carga de cogumelos cultivados poderia ter sido soprado fora da rota de longa data do mar entre a costa da Guatemala e Equador e transportado pela corrente de Humboldt para as praias da Ilha de Páscoa.

uma divindade Maya.com/cdb/doc/impreso/8121027) . um Ik símbolo ou glifo codificado como uma forma de T dente superior. (foto dohttp://www. eo Maya Chuva Deus Chac. respiração (respiração = Life) e do espírito. e representa um dia sagrado no calendário maia ligada ao nascimento de GI do Palenque Triad. e o ato ritual de decapitação. O Maya deus Chac pode ser equiparado com o Maya deus Kukulcan. também conhecida como Chac Xib Chac. Parker. (Freidel. como o aspecto Evening Star do planeta Vênus. era sagrado para os antigos arianos da Índia. chamou a Cruz Tau. I n Velho mundo t ele mesmo símbolo. Chac e GI do Palenque Triad podem ser identificados aqui por seu dente. e os arianos da Índia. O Ik glifo. desgaste ing flares de ouvido que eu diria estão de cabeça para baixo símbolos da florde-lis. que é o c provávelhomólogo do méxico deus Tlaloc . que também está profundamente ligada com o submundo. O símbolo significa vento. e ao rei-deus Quetzalcoatl como 9-Wind. T ele deidade barbudo pode representar a divindade Maya GI do Palenque Triad. e submundo ressurreição. Argumentando para o contato trans-pacífico. foi um dos símbolos mais sagrados entre os antigos maias.milenio. conhecido como a Cruz Tau. o Maya deus da chuva. Eu suspeito que a de cabeça para baixo flor de lis símbolo é uma referência esotérica para o submundo. que era a versão Maya / tolteca do deus Quetzalcoatl. é um queimador de incenso pré-colombiana que retrata uma divindade barba. 1993 p. significa "espírito santo" ou "Deus". o que representa um símbolo do deus Mathras dos persas. A palavra k'uh. 177) ea palavra chan ou kan significa tanto serpente e do céu. t ele exata símbolo em forma de T podem ser encontrados no Velho Mundo. Schele. que se parece com um capital T.Quetzalcoatl como 9-wind. Acima. Nos códices maias este símbolo em forma de T é codificado como o olho de Chac.

e que as cores do cogumelo Amanita muscaria. vermelho com manchas brancas.Acima. à esquerda é uma pintura do védico hindu Deus Varuna. "Pouco se sabe sobre o uso de cogumelos pré-hispânica na América do Sul. muitas vezes representado andando de bicicleta na traseira de um Makara. com a única exceção de um relatório jesuíta cedo do Peru que os Indeans Yurimaguas.. uma criatura mítica água na mitologia védica hindu.. 1976 p. .-se intoxicado com um cogumelo que foi vagamente descrito como uma" árvore fungo "(Furst. Etno-arqueólogo Peter Furst . montando na parte de trás o que eu diria também uma Makara da mitologia Hindu. Note-se que Varuna é retratado segurando dois navios Soma. pode ter sido intencionalmente codificado em cores de panos de Varuna do artista.82). Acima à direita é uma estatueta de cerâmica pré-colombiana Maya retratando o deus Chac. que desde então se tornaram extintas.

Furst foi o primeiro a notar cocares inspirados cogumelo na arte sul-americana . . que retrata o sacrifício de uma criança por um sacerdote ou governante vestindo um cocar jaguar encimada por um cogumelo sagrado. bem como outras semelhanças religiosas com os olmecas e Maya da Mesoamérica.Acima é um vaso de cerâmica Moche (200-700 AD). Peter T.

Acima é um Moche (200-700 AD) estatueta de um guerreiro com cogumelo cocar transformação submetidos jaguar codificado. .

ea ressurreição divina de uma régua ou Deus Sol. logo abaixo do objeto em forma de cogumelo uma figura pequena com cocar trefoil. Nota que. . Acima é o petroglyph Fremont mais conhecido hoje como o petroglyph McKee Springs.Este petroglyph particular retrata uma divindade na extrema esquerda coroado com um símbolo que eu proponho é uma versão do Novo Mundo das flor de lis emblema do Velho Mundo. mantém o que parece ser um balde ritual. I especular que a divindade na esquerda com codificada flor de lis é um Fremont versão do deus Quetzalcoatl mesoamericana o aspecto Morning Star do planeta Vênus ressuscitar o Deus Sol do Mundo Inferior para o céu.Acima é uma pintura rupestre de Baja México. datado tão cedo quanto 1000 aC que retrata uma régua ou divindade ou um estrangeiro que veste uma mantilha estilizado na forma da flor de lis. Eu acredito que uma flor símbolo de lis foi intencionalmente codificado na cabeça do deus do céu para representar uma Trindade de deuses.

arqueólogo da Universidade de Calgary do Canadá afirmou que o busto foi encontrado 'selado em três andares.htm .30) (Heine-Geldern.Um dos casos mais convincentes para contato pré-colombiano com o Novo Mundo é uma terceira cabeça século AD de terracota descoberto em uma tumba do século XII dC no México (Jett 1971. p.andrewcollins.com/page/articles/ romanbust. É o mais próximo possível da segurança arqueológica que se pode chegar". 1967) "David Kelley. Http://www.

que retrata o que se parece muito com uma etrusca ou ponta de . fotografado em forma de roll-out por Justin Kerr. Acima é um clássico tardio (600-900 AD) navio Maya K2025. que parece-me como um estrangeiro barbudo. este escavado a partir das ruínas de El Mirador nas terras baixas da Guatemala.Acima é outra cabeça estatueta.

lança romana.co.uk/home/ etruscan-tumbas-em-tarquinia / ) . Note-se que a figura que guardara a lança está vestindo uma máscara de um homem de barba branca com um grande nariz romano em forma. os etruscos necrópole de Monterozzi em Tarquinia. Itália (1000-750 aC) (foto do http://ourtour. Os etruscos que falavam uma língua ariana parece ser uma corrida turaniana original. que formou o estrato subjacente da população por todo o mundo. Acima.

. MPM) Tiahuanaco civilização originado na margem sul do Lago Titcaca tão cedo como 300 AD.Acima são pedras em forma de cogumelo. Ekholm escreve em uma carta ao meu pai que os arqueólogos Marion e Harry Tschopik encontrado o que eles descreveram como pedras de cogumelos no preenchimento geral em um local Inca tardio na margem do Lago Titicaca (nas ruínas incas de Chucuito no Peru . Este é o lugar onde existe uma lenda inca de homens brancos com barbas que habitavam as margens do Lago Titicaca.(Ekholm para Borhegyi. (Fotografia copyright Keya Nador Judit) O falecido Gordon F. muitos dos quais parecem estar ritualmente decapitado nas ruínas incas de Chucuito no Peru América do Sul. 2000 anos antes do tempo dos Incas. ( Tiahuanaco?). que construiu uma grande cidade. Borhegyi Arquivos. 12 de março de 1953. não longe do lago Titicaca).

Acima é um Tiahuanaco navio AD 700-1000 agora na coleção do Museu Público Milwaukee (Cat. 1974 Pre -Columbian América). . 54685) que retrata dois da flor de lis estilizado símbolos que ladeiam a cabeça de uma divindade barbudo (foto de Lee A. No. Parsons.

uma mitológica um cavalo meia. Citando Robert Graves . jogando um instrumento de cordas (foto de Lee A. amanita muscaria. o que induz alucinações. eles tinham se intoxicado unicamente em vinho ou cerveja hera. No. ( Deyá. um fenómeno que explicaria a história de como Licurgo.Acima é um cálice de Tiahuanaco "kero" agora na coleção do Museu Público Milwaukee (Cat. Bolívia (Colección Fritz Buck) cultura Tiahuanaco. e notável força muscular Algumas horas desta ecstasy são seguidos pela inércia completa. às margens do Lago Titicaca . sobre os centauros com sua reputação contraditória por sabedoria e contravenção. rebelados sem sentido. a evidência. divindade da mitologia do Velho Mundo . que mostram claramente uma pele clara Centaur. eu tinha dúvidas sobre os ébrios deus Dionísio. usou estas cervejas para lavar . cuja festa outonal selvagem foi chamado de "o Ambrosia '. sugere que Sátiros (tribesmen cabra-totem). onde há um Inca lenda de homens brancos com barbas que construíram uma grande cidade às margens do Lago Titicaca. o homem meia. Parsons. pois o centauros adorado Dionísio. Estes temas estão intimamente relacionados. 1974 Précolombiana).. bocados de uma droga muito mais forte: isto é um cogumelo cru. rasgando animais ou crianças em pedaços e vangloriou-se depois de viajar para a Índia e para trás. 56976) que descreve uma sereia pele luz da mitologia do Velho Mundo. em La Paz. 1960) "Desde que revisitar os mitos gregos. armado apenas . energia erótica. em 1958. as ruínas de Tiahuanaco estão localizados no oeste da Bolívia. e suas mulheres Maenads. Espanha. e sobre a natureza da ambrosia divina e néctar. centauros (tribesmen cavalo-totem). resumidos na minha que comida centauros comeu (1958). Acima é um vaso pintado no Museo de Metales Preciosos Precolombinos. Eu já não acredito que quando seu Maenads correu furiosa ao redor do campo. visão profética. Maiorca.

Assim. convidando pessoas comuns a partilhar a sua ambrosia. como mostro no que alimento os Centauros Ate. psilocybe. que as ideias europeias de céu e inferno pode muito bem ter derivado de mistérios semelhantes. não têm incorporado as minhas conclusões no texto da presente edição. Tlaloc tinha um retiro subaquático. terá rainhas e reis da época pré-clássica sagrados sido. órfico e outros mistérios associados com Dionísio. assim era o de Argos. Um cogumelo não muito diferente que aparece em um vaso do sótão entre os cascos de Nessus o Centauro. convertido ao culto Dionísio. e por cecyon. e as visões transcendentais visto. Em todos os eventos. e. comeu este cogumelo. ouviu a sacerdotisa invocar Tlaloc. estou inteiramente de acordo com Gordon Wasson. segundo alguns historiadores. ambrosia. Os "deuses" para quem. Eu me comido o cogumelo alucinógeno. Agora acredito que 'ambrosia' e 'néctar' eram cogumelos intoxicantes: certamente os Amanita muscaria. e que deu à luz um fluxo de água. como em Masatec. assim como Dionísio. um rei sagrado de Argos. ao que parece. encaminhado exército bêbado de Dioniso de Maenads e Sátiros após o seu retorno vitorioso da Índia.com uma aguilhada de bois. foi mais tarde utilizado pelos berserks nórdicos para lhes dar poder imprudente na batalha. 'costume selvagem de arrancando suas vítimas As Bacantes cabeças pode referir-se alegoricamente para arrancar do cogumelo sagrado cabeça uma vez no México seu caule é comido nunca. em que época foram as culturas europeias e da América Central em contato? Estas teorias chamar para novas pesquisas. o cogumelo-deus. Crime do rei Tântalo era que ele quebrou o tabu. Mas talvez outros.por isso teve Dionísio. Em um espelho etrusco o Amanita muscaria é gravado nos pés de Ixion. teve visões inesquecíveis. os participantes jurou para manter o silêncio sobre o que comeu ou bebeu. em seguida. ele era um herói Thessalian que festejava a ambrosia entre os deuses. e no folclore grego. Tlaloc usava uma serpente-coroa. a bebida com sabor de hortelã tomada por Demeter em Eleusis. o descobridor americana deste rito antigo. O 'ambrosia' aos vencedores da corrida a pé Olímpico quando a vitória já conferida a realeza sagrada neles era claramente um substituto: uma mistura de alimentos as letras iniciais dos quais. o elemento secreto do Eleusinian.RG . que induz alucinações inofensivas e mais agradável. No entanto.assim era Dionísio. Receitas citado por autores clássicos para o néctar. e foi prometido a imortalidade. assim são todos os cogumelos-proverbially chamados 'alimento dos deuses' em ambas as línguas. chamado Micenas após um cogumelo que ele encontrou o crescimento no site. Qualquer ajuda perito em resolver o problema seria muito apreciada. os Centauros. Queenships sagrados e kingships caducas na Grécia. México. também. especialmente um pequeno e fino esterco de cogumelo chamado papilionaceus Panaeolus. uma ambrosia divina em uso imemoriais entre os índios Masatec de Oaxaca Province. ambrosia e néctar foram reservados. Tlaloc foi engendrado por um raio. tornou-se. nos mitos. Lemos que Perseus. portanto. explicitada grego palavra "cogumelo". e da boca de sapo de Tlaloc na Tepentitla fresco emite uma corrente de água. da mesma forma soletrar 'cogumelo'. O emblema de Tlaloc era um sapo.Vários mitos são consistentes com a minha teoria de que os seus descendentes. e eu.

[Robert Graves] Os arqueólogos que escavavam nas terras baixas da Guatemala. "As duas teorias vigentes afirmam que a Maya quer surgiu de forma independente no que é hoje a Guatemala. verão 2013. ou que se desenvolveu como resultado da influência da cultura olmeca mais velhos" (American Archaeology. . no antigo sítio Maya e olmeca influenciado de Ceibal (também escrito Seibal). Belize. sugerem que cerca de 1000 aCuma grande mudança cultural teve lugar que agora desafia as duas teorias vigentes sobre a origem da civilização maia. Tamara Stewart). sul do México e Honduras ocidentais.

1976. talvez tão cedo quanto 1000 aC (Furst. p.42-46) .19).Acima é um desenho de Stela 13.98) ( Drucker 1981. Arroz de 2007. postulamos que a língua do antigo olmeca.Palavras como muxan e okox (cogumelo) são duas das várias palavras emprestadas ou emprestados por os antigos maias . p. e sugeriu que os olmecas de La Venta provavelmente falavam uma protomaia. Monumento 19 e Monumento 13 do altar "Ambassador" com pegada. um antigo símbolo do Velho Mundo. que são claramente indicados por seus itens distintos de vestido ( Prudence M. . Vários monumentos de La Venta. a partir do site Maya olmeca influenciado de Seibal (também escrito Ceibal). Maya arqueólogo S tephan de Borhegyi teorizou que Maya civilização se desenvolveu como resultado de influências diretas da civilização olmeca de La Venta. T ele motif 3-dot descrita neste monumento está creio eu. (San Lorenzo?) a chamada "cultura-mãe" da civilização do Novo mundo. jainismo e sikhismo. referindo-se a uma Trindade de deuses criadores. Stela 3. O Buda é muitas vezes retratado sendo seguido por uma serpente dirigida sete ou "Naga". foi mixe-zoque. dois linguistas que estudam a difusão das línguas nas Mesoamérica. parecem comemorar estrangeiros. e que o motivo da serpente de sete cabeças na Stela 13. o budismo. Stela 3 a partir de La Venta apelidado pelos arqueólogos como "Tio Sam" retrata o que parece ser um estrangeiro com um nariz de alta em ponte e a barba que flui . 79)Terrence Kaufman e Lyle Campbell. pp. é um motivo comumente visto na antiga arte de Hindui sm. vivendo entre esses outros oradores Maya como os Huaxtecs e proto-Totonacs (SF de Borhegyi 1965a p.

Foi nesta região que a decapitação de cabeças humanas e o desmembramento de partes do corpo atingiu novos níveis. Borhegyi supôs que as vítimas ou cativos para o sacrifício foram decapitados por padres ou ballplayers vestidas de jaguar ou vestuário jaguar-após o que as cabeças decapitadas de ambos os jogadores de beisebol e onças eram pendurados por cordas sobre ballcourts ou templos. mas.Estas cabeças troféu eram venerados como ofertas de sacrifício. Borhegyi propôs que as cabeças de pedra e anéis de pedra posteriores fixados nas paredes da ballcourts formais foram um substituto simbólico para as cabeças troféu de épocas anteriores (Borhegyi. Eu acredito que os olmecas explorou os recursos locais. eventualmente. 63-66) Foi nesta região perto da fronteira do México e Guatemala. e.12 . Etno-arqueólogo Peter Furst.Evidência de cultura olmeca início na área de Maya foi estabelecido em inúmeros sítios arqueológicos ao longo da costa do Pacífico na mesma planície cacaueira fértil. que apoiou a teoria culto do cogumelo do Borhegyi e Wasson acrescentou: "A conexão entre estas [cogumelo] esculturas e os históricos cultos cogumelo da Mesoamérica nem sempre foi aceite. que as primeiras inscrições de calendário são encontrados na área de Maya. Este norte-sul rede de comércio olmeca mais tarde foi controlada pelas elites dominantes dos antigos maias.O monumento em El Baul conhecido como Stela 1. Estes e outros arqueólogos sugerem que os olmecas foram os primeiros a criar plantações de cacau na região fértil mais tarde chamado de Soconusco pelos astecas . um usando correlação GMT. infelizmente. estabeleceu as "rotas de comércio sul-costa que se tornaram parte de uma rede econômica ainda maior que liga o México com a América Central do sudeste. Stela 2 retrata um homem barbudo cercado por máscaras de dragão e pergaminhos e tem uma data. (Sharer. Maya arqueólogo Robert Sharer considerou por acaso que os primeiros exemplos de Maya escrita hieroglífica e estilo escultural foram encontrados em centros maias do sul pré-clássico tardio. e até mesmo pode têm sido utilizados durante determinadas ballgames em vez de bolas.19. 24). é mais provável que o culto do cogumelo tem o seu inicio. tem uma data de Contagem Longa de 7.15. onde os arqueólogos encontraram um número de pedras de cogumelos. Embora muitas pedras de cogumelos são . O monumento creditado com a maior brevidade data de contagem longa na área de Maya é a partir do sítio arqueológico de El Baul na Guatemala. 1980: 20. Parsons.7. Esta área perto da fronteira do México e Guatemala. 1983. No olmeca local influenciada de Takalik Abaj. incluindo dois de cacau e narcóticos cogumelos. Estes centros maias do sul exibido o primeiras floradas de séculos civilização maia antes do surgimento dos locais clássicos de várzea. a estela está faltando o glifo que identifica o período e ciclo da contagem longa. leria AD 36 em nosso calendário atual . e mais além. um local escavado na década de 60 por Borhegyi e seu colega arqueólogo Lee A. com base nas numerosas pedras de cogumelos encontrados nesta área.

que está sendo rapidamente ampliada por novos dados e novas estudiosos ". " ( 1972) Citando Gordon Wasson . Problemas de contatos pré-colombianos. Parsons. "Alguns especialistas americanos médios podem desafiar a minha hipótese de uma ligação entre as" pedras cogumelo ". e até mesmo na exploração arqueológica de certas regiões. e uma alguns die-hards mesmo agora. .. eu penso que nós podemos amarrar os dois juntos em uma maneira que irá satisfazer qualquer duvida " (Wasson. (A partir de Parsons. É bom enfatizar que continuam a existir lacunas fundamentais na nossa compreensão da história total e estrutura social. que deixaram de ser feitas séculos antes de Colombo chegou nestas costas. um volume que ele dedicado a meu pai falecido Dr. ." . "Há. de Borhegyi e nós.. eles eram.. "arte pré-colombiana". 1980. Stephan F. ele escreveu "América pré-colombiana". é claro. muitos problemas relacionados com os tipos de provas que foram apresentadas na área de contatos transpacíficos.. A Arte e Arqueologia do Sul. também não compreendem completamente o declínio e queda dos antigos maias .bastante fiel à natureza... ".. mas agora. mas a obstrução parece ser particularmente sólida e resistente entre os arqueólogos norte-americanos ". graças a descobertas feitas pelo falecido Stephan F..º-N) Citando o falecido Maya arqueólogo Lee A. e estão ainda a ser feito .88) Entre muitas publicações de Lee Parson. nós estamos começando a reconstruir um esboço da história da América antiga. (de Man Across the Sea. ex-curador do Museu Público Milwaukee e por muitos anos parceiro de pesquisa do meu pai. Os principais descobertas ainda estão sendo feitas. " Durante anos eu tinha apenas uma suposição para continuar. e sobrevivendo culto do cogumelo de hoje. Isso é verdade no pensamento antropológico em geral... mas a principal dificuldade parece ser uma espécie de barreira teórica que não chega a nossa reflexão sobre questões de difusão ou contato cultural.. América Central e do Oriente. p.. de Borhegyi... no entanto. rejeitar esta interpretação. nem mesmo universalmente pensado para representar os cogumelos em tudo.. até recentemente. 1971. em face de todas as evidências..que ainda não sabem as origens precisas ou causas dos incipientes civilizações olmecas e Chavin . 1972: 188. Coincidência ou Provas de pré-colombianas Contatos? Citando o final de etno-arqueólogo Gordon F Ekholm .

com um jogo de tabuleiro antigo da Índia hindu. por Gordon Ekholm página 54) ( Do Pics Para> Mohenjo-daro Games ) Arqueólogos notaram a réplica quase exata de um jogo de tabuleiro antigo jogado pelos astecas chamados Patolli. por causa do layout de jogos e design. Difusão e evidências arqueológicas .Arqueólogos como o falecido Gordon Ekholm argumentam que. . capítulo 2.terceira edição 1976. chamado Pachisi (a chamada teoria Pachisi-Patolli). ele nunca poderia ter sido desenvolvida de forma independente em lados opostos dos mundos.

Nuttall. e vários objetos preciosos (cobre sinos.Codex florentino Livro 8. Piggott. quatro dados de feijão. representa a bordo Patolli jogo. 1961. S. S. um cordão jade e penas de quetzal) que estão sendo apostadas (Clique na imagem para ampliar) Para obter a documentação de jogo Patolli-Parchisi na Mesoamérica e do Velho Mundo ver Z. 1950: 190-191 . Culin de 1898: 854 ff.

A recente emigrante de Hungria com um Ph. Stephan de Borhegyi tinha sido convidado para a Guatemala para estudar arqueologia americana pela Instituição Carnegie de Washington. "Descobertas de pedra cogumelo". em arqueologia clássica e egiptologia do Paszmany Universidade Peter em Budapeste. MPM) Meu pai Maya arqueólogo Stephan de Borhegyi. Lake Amatitlan do Campo.Pedra diminuto cogumelo ou um pedaço jogo de tabuleiro? (Ver de Borhegyi 1962 "Miniature Mushroom Pedras De Guatemala" American Antiquity) (de Borhegyi 1960. .Acima arqueólogo Stephan de Borhegyi examina uma pedra cogumelo do Guatemala. propôs a teoria de uma antiga Maya cogumelo cult depois de encontrar um número significativo de pequenas esculturas. o Gren Fundação Wenner) seu projeto era catalogar as extensas colecções arqueológicas do Museu Nacional da Guatemala. em forma de cogumelo nas colecções do Museu Nacional de Guatemala e em inúmeras coleções particulares e em torno de Cidade da Guatemala. Trabalhando sob uma concessão fornecida pelo então Fundo de Viking de Nova York (posteriormente.D.

ou os chamados "soqueiras".24). p. A estatueta é pensado para ser cerca de 4500 anos de idade. à direita. porque ele transcendeu todas as barreiras linguísticas na Mesoamérica. de uma jovem mulher ostentando um lado semelhante a um clube. é de Harappa. Muitas das figuras de barro encontradas nos locais olmecas influenciaram de Xochipala. O "jogo de bola ritual" só pode ser explicado como um fenômeno cultural cruz. 256-57) analisaram a relação entre a palavras Maya para sangue e sêmen. (Para mais informações sobre "soqueiras" ou pedras mão ballgame e . luvas de basebol e o que proponho é um copo de proteção de inspiração cogumelo e cinto. O mais antigo sítio arqueológico conhecido a partir do qual a parafernália jogo de bola real (jugo pedra) foi recuperado é El Manati. A fêmea que está acima. eo número de anéis em luva de basebol e basebol cinto ou o jugo do estatueta Tlatilco. México. no Vale do México retratam ballplayers segurando morcegos ou pás. cultura Tlatilco no oeste do estado de Guerrero. representa um ballplayer do México antigo usando um capacete de protecção. a civilização do Vale do Indo mais cedo. no namoro mexicana da Costa do Golfo em torno de 900 aC Gerard Van Bussel (Van Bussel 1991 Ibid pp. que são mais de luvas da mão porte como esse descrito acima na ballplayer Xochipala do sexo feminino (de Borhegyi SF 1980. Observe a referência simbólica para o número três no colar da estatueta de Harappa. e concluiu que a bola do jogo pode ser uma alegoria da vida através da sucessão dinástica.A estatueta vem do local da Xochipala.A estátua de bronze famosa do lado esquerdo. Tlatilco e Tlapacoya. e que o cetro em forma de serpente encontrada em El Manati pode ser uma insígnia de poder e soberania. e as datas para 1200-900 aC Ele está agora no Museu de Arte da Universidade de Princeton.

luvas ballgame ver Borhegyi de 1961:. cogumelos em forma de cerâmica que representam tanto o Amanita e cogumelos Psilocybin (Psilocybe mexicana). Um cogumelo cerâmica (feche acima da foto à direita) foi encontrado perto a estatueta de um acrobata sugerindo que os cogumelos podem ter sido consumido para induzir a capacidade atlética super-heróico e agilidade de um deus do jaguar ou foram-jaguar. 129-140 (fotografia de Xochipala ballplayer feminina de Whittington. e pelo Tlapacoya no Vale do México (Borhegyi 1980. em ambos os planaltos e planícies . provavelmente foram usados em rituais de sangria.). consumidos antes do jogo de bola e antes do ritual de decapitação. 2001). A pose do chamado acrobata. Este rituais derramamento de sangue foi provavelmente realizado após o consumo de cogumelos sagrados. Cogumelos em forma de cerâmica pré-colombianas são relatados para ter sido encontradoem El Salvador e Guatemala. (Fotografias de autor Borhegyi) cogumelos cerâmica que datam do período pré-clássico médio ou tarde foram encontrados com figurinhas de jogadores de beisebol nos sítios arqueológicos de Tlatilco em Burial 154 (Trench 6). pode representar uma postura de ioga indiano ou Hindu Oriente ou uma versão do "Dhanur Asan" "Vrischika Asan" que é uma postura de yoga avançado para pessoas que fazem "Sheersh Asan".

Para saber mais sobre os cogumelos cerâmica ver Borhegyi de.Maya floresta tropical eno México nos estados de Chiapas. em Americana Antiguidade . ou pedras palmate. "cogumelos de cerâmica pré-colombianas da Mesoamérica". . são objetos de pedra chamados palmas. Em ballplayers arte mesoamericanas são muitas vezes retratado vestindo estes curiosos objetos de pedra. vol. à esquerda codificada com a flor de lis emblema. 28: 328-338. SF de 1963 . ambos são de Veracruz. Aci ma. México e provavelmente foram utilizados para fins cerimoniais e não desgastado durante o jogo real. Tabasco e Veracruz.

Kehoe.Pré-história. Ekholm acredita que os brinquedos de rodas foram provavelmente derivado do mais conhecido cult carro do brinquedo.160). agora no Museu de Belas Artes de Boston. figuras de animais de rodas foram normalmente colocados em túmulos chineses para representar sacrifícios (Alice B. também chamados de carros (300-900 AD) no México e El Salvador tem causado alguns estudiosos para reexaminar a noção de que o princípio da roda não era conhecido em qualquer lugar nas Américas antes de Colombo. México. diffusionist Transpacific Gordon F. na Índia. China e Índia. se a invenção da roda poderia ter sido feito de forma independente. p. tanto no Antigo Palavra e do Novo Mundo. A descoberta de brinquedos com rodas pré-colombianas. cultura Harappa de Chanhu. da Idade do Bronze Próximo Oriente (3300-1200 aC).Civilização do Vale do Indo e mesoamericana rodas brinquedos animais Acima é um brinquedo animais com rodas. 2008. Os pesquisadores já notaram as semelhanças de brinquedos de barro de rodas desenterrado no México com brinquedos de barro de rodas da Mesopotâmia. controvérsias na arqueologia. a partir da civilização do Vale do Indo. Ekholm relatou a descoberta de efígies de rodas (Antiguidade Americana 1946) que foram escavados no local olmeca de Tres Zapotes em Veracruz. . Tres Zapotes era um centro olmeca ostentando cabeças colossal que foi fundada apenas alguns séculos antes de 1000 aC A questão permanece. Síria.

E. Irwin. e para documentação de figuras de animais de rodas no Velho Mundo ver HG de maio de 1935: 23-24. . C.. Para obter a documentação de figuras de animais de rodas na Mesoamérica ver GF Ekholm. RS Estrela.Acima é um pré-colombiana estatueta jaguar de rodas . 1937: I. 131-135. Speiser de 1935: I. 68ss . 425. 1963. 1946.

.

O símbolo da flor de lis também aparece ligado à divindade ea imortalidade na arte egípcia antiga. ao norte do Eufrates superior. que fez a Aten. um ariano Princess? por K.cfm? md=Content&sd=Articles&ArticleID=763) . que foi fortemente apoiada por Nefertiti . um pequeno reino de pessoas indoariana. foi Nefertiti.com/index. o centro da vida religiosa do Egito. Gajendra Singhhttp://www.boloji. que veio da terra de Mitani. Faraó Akhenaton é mais conhecido por introduzir uma nova religião para o Egito. Pesquisadores propuseram que o faraó mulher de Akhenaton rainha Nefertiti pode ter sido uma princesa hitita. no que é hoje o norte do Iraque. o disco solar. por volta de 1334-1336 aC (fonte on-line.

Acima são exemplos de imagens de cogumelo codificado em hitita e Hykos art. .

enviou ao rei de Ugarit emhititas hieróglifos. representam os aspectos dualistas do planeta Vênus como tanto Morning Star e Evening Star. .htm) Acima é um alívio escultura hitita datada em torno do século BC nona-oitava da Anatólia. ( Desenho de http://sunlight. Não é de surpreender os dois glifos que lembram cogumelos abaixo dodisco solar alado. e sol-roda foi interpretado como um símbolo hitita / Hattic para "Grande Rei" e senhorio .Acima é um close do selo de Tudhaliya IV (1237-1228 aC).orgfree. O alívio escultura descreve uma cena de duas figuras a seguir um carrinho puxado a cavalo carregando o que proponho é um sarcófago codificados com três cogumelos sagrados como um símbolo de uma Trindade e ressurreição divina. Pode ser que as duas figuras à esquerda após o carrinho. uma estrela dualista responsável pela morte e submundo ressurreição do deus do sol. na atual Turquia.com/ history_of_sun_gazing. Sua minha crença de que a roda do carrinho esotericamente alude ou é um código para o disco sol ou sol ressuscitar e que os três cogumelos codificados nas réguas sarcófago alude esotericamente a uma Trindade de deuses responsáveis pelo sol e ressurreição divina do governante.

.) O Épico de Gilgamesh é considerado o primeiro grande trabalho do mundo da literatura. Huwawa guardada uma floresta de cedro no Líbano. em que o lendário Enkidu e Gilgamesh decapitar de Deus deidade guardiãHuwawa.Acima está uma imagem de um selo cilíndrico sumério. no Líbano. Ezequiel localiza o jardim do Senhor. um paraíso onde os deuses viviam. No épico. cf. Gilgamesh e Enkidu realizar uma busca longa e perigosa para descobrir o segredo da vida eterna. 31: 1-18. que retrata uma cena do Épico de Gilgamesh. Ez 28: 14--19. (Humbaba no mito Assírio).

Proponho que a busca da vida eterna por Enkidu de e Gilgamesh. em que a deidade de guardião de Deus Huwawa é decapitado por Enkidu e Gilgamesh . que retrata uma cena semelhante da Epopéia de Gilgamesh.Acima é uma outra imagem tirada de um selo cilíndrico sumério. é codificado acima como cogumelos nos pés de Huwawa? .

em que a deidade de guardião de Deus Huwawa é decapitado por Enkidu e Gilgamesh .Acima é uma cena semelhante esculpido também da Epopéia de Gilgamesh. Pode ser que a antiga artista que esculpiu esta cena codificado os cogumelos sagrados da vida eterna nos cabos de facas de Enkidu e Gilgamesh . .

oitavo século aC de Nimrud (Kalhu antiga). nota o que parece ser um Deus Mushroom codificado em associação com a Árvore da Vida. . retrata o disco solar alado.I n a tábua de argila acima. Acima é um esculpido painel de marfim Neo-assírio. enquanto uma figura barbada fazer uma oferenda ao Deus Sol agarra o que olha para mim como a "Árvore da Vida" codificado com uma flor-de-lis emblema (Fonte: Metropolitan Museum) .

Irão) . e Fleur símbolo de lisHama Museu Nacional / ICOM Acima é um vaso em forma de cavalo de terracota com codificada Fleur de lis símbolo do Azerbaijão (Maku) 8o século -7th BC. Teerão. (Museu de Arqueologia.Frasco de cerâmica com inscrições em árabe.

Uma embarcação de Minoan da ilha de Creta descreve o que parece ser a Árvore do Mundo codificado como um símbolo da flor de lis cercado por cogumelos codificados. Neopalatial Período 1650 aC 1450 aC .Museu Arqueológico de Herakleion Crete.

(Imagem acima http://members.tripod.com/lysergia_2/psychedelia/index.blog?start=1355095213) .

Observe o que pareceme ser de cogumelos inspirado fruta de suspensão dos ramos da árvore da vida. são realmente Soma inspirado vasos de beber.Sua tentador pensar que estes copos Cabeiric ou Kabeiros copos de 5ª-início do século 4 aC. ( A partir Santuário de Kabeiros e Pais. perto de Tebas) .

. Keizer.Acima e abaixo são antigos grego Amphoras (período micênico 1600-1100 aC) cenas que descrevem que eu acredito que são cogumelo inspirado para se referir simbolicamente à Árvore da Vida e da Árvore do Conhecimento e seu fruto proibido . De acordo com Gordon Wasson. 2013 p. o consumo de uma bebida sagrada que continha uma substância psicoativa.167). era um aspecto central do antigo culto dos deuses gregos Deméter e Perséfone (Gerrit J.

A suástica. e pode ser rastreada até a civilização do Vale do Indo. . na Índia antiga. ele aparece na arte religiosa do Novo Mundo em várias culturas. antes da chegada de Colombo.Embora a origem da suástica é claro. é um ícone religioso comum em ambos hinduísmo e no budismo. símbolo do sol ressuscitar.

Acima é uma embarcação grega pintada que eu acredito que esotericamente retrata a "Árvore da Vida" e imagens de cogumelo codificado em uma cena envolvendo o uso de um espelho. .

" No Hari Purana. que podem tambémcodificado cogumelo iconografia em uma cena envolvendo o uso de um espelho. o deus Vishnu é mostrado como tendo assumido a forma de um peixe. geometria e matemática. por sua vez. a fim de recuperar os Vedas perdidos durante o dilúvio. " Esta narrativa é provavelmente a história original por trás do deus babilônico Oannes. QUOTING o pesquisador Richard MERRICK . é aparentado com a história bíblica de Jonas ser engolido por uma baleia e Noah retornando do mar em sua arca..Acima é um vaso grego ( século 4 aC) hoje no Museu Arqueológico de Florença. Este. com uma cabeça humana. escrita. Acima é a pintura retratando o deus hindu Vishnu (meio homem meio peixe) na boca ou sob a forma de um peixe gigante ou baleia.. " (de Richard Merrick. Vishnu permanece com eles por algum tempo e deu-lhes instrução ". Venus modelo?) . como o homem-peixe que chegou do mar e ensinou a agricultura babilônios. Depois de habilitado Visamitra para escapar com toda a sua tribo na arca. descrita por Beroso no século 3 aC.

Fotografia © Justin Kerr Acima é um atrasado Clássico (600-900 dC) placa Maya fotografado por Justin Kerr. um símbolo da mesma forma exata como a Aryan Tau atravessar.Note-se que a cauda do monstro do mar é moldada creio eu. . e que os dois glifos em forma de cogumelo emergindo da cauda são indiscutivelmente ( Ik) glifos . (Chac) e a mesoamericana rei-deus Quetzalcoatl como 9-Wind. que retrata uma divindade Maya ou governante dentro da barriga de uma criatura do mar. e amarrado aos nascimentos do Maya deus GI. Isto traz à mente um semelhante história bíblica de Jonas sendo engolido por uma baleia. para codificar a flor de lis como um símbolo do submundo ressurreição. Eu achei o Ik glifo na Mesoamérica estar intimamente ligada com a flor-de-lis.

usa um cocar de peixe que pode ser uma referência simbólica a um ancestral mitológica de uma idade mundial anterior que sobreviveu a um mundo que termina inundação por ser transformado em um peixe. O painel esculpido retrata um deus governante ou submundo. venerando a metade humana deidade metade peixe. T deidade chapéu dos peixes na água abaixo de receber a oferta de sangue. o sangue foi retirado do pénis e aspergido sobre os restos de cinzas cremadas ou no crânio e ossos dos antepassados falecidos exumado. Esta árvore. O ciclo de Vênus idealizado sempre terminou no dia 1-Ahau.Como mencionado anteriormente t ele desenho acima é um de uma série de seis esculturas nas paredes laterais verticais do Tribunal Bola do Sul em El Tajin. No Tajin Sul Ball Court desenho acima. representa a árvore do mundo como o portal levando para cima e para baixo no centro do . Neste último ritual. (Milbrath. com dois corpos. ele levanta antes do sol. Em seguida. 1999 p. O ritual ressurreição provavelmente foi cronometrado astronomicamente ao período de conjunção inferior do planeta Vênus. p. aparecendo assim para ressuscitar o sol do submundo como a Estrela da Manhã.170). México (desenho de Coe. 1994. Por esta razão cogumelo induzida sangrias rituais provavelmente foram programado para os movimentos do planeta Vênus tanto como uma estrela de manhã e à noite Star. acredito. Mais importante ainda. em Veracruz. com presas foram-jaguar. Há inúmeros relatos históricos que apontam o consumo de cogumelo para tal auto-sacrifício religioso atividades como deixar do sangue e perfuração do pénis. n ota a Árvore do Mundo brotando que eu identificada como cogumelos divinos da imortalidade.117). note que existem pequenos cogumelos representadas no membro de uma árvore à esquerda do centro. Neste momento Venus afunda abaixo do horizonte e desaparece no "submundo" durante oito dias. O deus barbudo acima dele. no ato sagrado da retirada de sangue do pênis dele. provavelmente representa Quetzalcoatl em seus aspectos gêmeos do planeta Vênus que representa tanto o Estrela da Noite e Estrela da Manhã.

ou Amrit que é uma palavra sânscrita para "néctar" . A parte inferior do painel tem um design rolo intrincado que eu acredito que é mais do que mera decoração e provavelmente representa uma secção transversal estilizado de um cogumelo.2 Introdução) autor de "Soma em Indian Religion" Etheogens como sacramento religioso: Os deuses concordaram em compartilhar este poderoso elixir. De acordo com Richard J. que concede aos seus deuses imortalidade.Cada símbolo de Vênus é associado com três círculos.universo. chamando-o de Amrita. Williams (2009 p. talvez representando as três pedras de lareira da criação. . os deuses se reuniram no início do tempo e agitaram o oceano para extrair uma substância que lhes daria a imortalidade.Vénus símbolos estilizados também estão representadas no painel em ambos os lados da. uma bebida sagrada. De acordo com a literatura védica. ou Santo Ambrosia.

deuses e demônios agitar o oceano primevo. a fim de obter Amrita. 1959a). que é um néctar que irá garantir-lhes a imortalidade.44) (Heine-Geldern 500-1000 dC .292) . que . David Kelley também notou a semelhança entre o calendário mesoamericano e as mansões lunares hindus. O desenho acima por Daniela Epstein-Koontz. Soma foi descrito como um deus. p. notou as semelhanças anos atrás. e como um "licor celeste" . Kelley observou as semelhanças marcantes entre os estilos decorativos Chow tardios da China de 700-200 aC e os da cultura El Tajin de Veracruz. Embora a identidade real da Soma foi perdido ao longo do tempo. é de um painel do relevo tribunal bola do sítio arqueológico de El Tajin. Jett 1971. Ele viu a semelhança entre o ciclo Mesoamericano dos Nove Senhores da noite. para a semana planetária hindu de nove dias. Note que. Ao perceber a tartaruga nesta cena criação Eu soube imediatamente que esta cena ballcourt de El Tajin era uma versão do / mito budista Hindu conhecido como "A agitação do oceano do leite". em que o avatar do deus Vishnu védica é a tartaruga do mar representado na arte Hindu como o pivô para Mt. muitas vezes representado na arte hindu. Mandara. O grande arqueólogo e epigrapher falecido David H. que era guardado por uma serpente. p. Kelley. é contada em vários textos hindus antigos.A agitação do oceano de leite. atuando como o pau agitação semelhante ao desenho abaixo. nodesenho acima por Daniela Epstein-Koontz no do painel ballcourt o Tajin. uma história da criação. Por sugestão de Vishnu. e notou a crença paralelo de quatro idades mundiais anteriores ea sua destruição cataclísmica (Susan Milbrath 1999. mas o seu trabalho foi muitas vezes criticado por sua insistência para continuar seus estudos de longo alcance contatos culturais através de trans-Pacífico e viagens transatlânticas. Como é que eu não era o primeiro pesquisador a fazer a ligação. em Veracruz México. de (Stephen C. México.

A cena de um códice pré-Conquest representa a oferta de um sacramento divino em um tubo para o Deus do Submundo. . Para obter a documentação de motivo do balde ritual (? Bag). e estou certo de que ele faz. do que as duas divindades por trás dos personagens centrais segurar contentores ou baldes rituais em suas mãos cheio com a bebida Soma. Hiezer.uma serpente dirigida dupla se esconde abaixo na parte inferior da cena. Note-se que a cauda da serpente acabar diretamente acima do símbolo do novo Sun nascido logo acima da tartaruga em um design estilizado de três lóbulos do emblema Fleur-de-lis. que cria o novo Sun nascido (Vishnu?). Para obter a documentação de motivo do balde ritual (saco?). que atua como o ponto de pivô central. Realizada por figuras em cenas hieráticas no velho mundo ver H. esotericamente aludindo eu acredito para a trindade de deuses criadores. Frankfort de 1955: pl. abaixo do mecanismo de agitação.83. Os três flechas penetrantes da Sun na cena alude à tríade ea vida do Sun dando raios de luz. na verdade representa o avatar do deus hindu Vishnu. pode. Se esta cena ballcourt não representa mitologia hindu. 1955: 198. que é composto de uma serpente entrelaçada sendo puxado em ambas as extremidades por divindades céu (quatro pontos cardeais ). A tartaruga na parte inferior da cena. emergindo da profundidade do oceano. realizada por figuras em cenas hieráticas na Mesoamérica ver Drucker. e Squier.

Proponho que a cena descreve a viagem (pegadas representam a viagem ao submundo) e ressurreição do Deus Sol identificado pelo disco solar em que emerge.Acima (e abaixo) é uma cena de página 7 do Codex Selden. O duas figuras à esquerda tanto manter uma equipe com óbvia iconografia Venus. três sendo a referência esotérica para uma Trindade de deuses criadores. identificando as duas figuras como o aspecto Evening Star e Morning Star do planeta Vênus. Acima é um desenho do close up das duas figuras centrais a partir da página 7 do Codex Selden. ou o disco solar. identificado pela cabeça decepada ele usa em suas costas. A figura diretamente na frente dele usando o cocar da harpia. representa Vênus como estrela da manhã. Note-se que o jovem Sun God (ou governante sob o disfarce do sol) sobre o direito é ressuscitado do submundo saindo de uma roda do sol. Note-se que o disco solar abaixo do jovem sol Deus é codificado com o que eu diria três cogumelos codificados da imortalidade. e deus do submundo ressurreição. Duas facas de sílex ou símbolos de pedra emanam da boca de Deus Sol identificar sacrifício de sangue em submundo. identificado pela flor de lis ele carrega debaixo do braço um objeto que representa a árvore da vida codificado com cogumelos sagrados . a figura no canto esquerdo representando Vênus como a estrela e deus do submundo decapitação Evening. Proponho que a figura .

vestindo um cocar pássaro à esquerda e segurando um bastão com provável iconografia Venus (5 ciclos sinódicos de Vênus?) Representa Vênus como estrela ressurreição. Acima é uma cena close up de uma página no Codex Selden. A figura diretamente na frente dele segurando um machado é que eu acredito que a mesma pessoa. e sua codificado de forma adequada com a flor de lis. que retrata duas divindades mergulho das estrelas acima. A figura segurando um bastão de sílex e vestindo um cocar harpia. que retrata o que eu acredito é uma cena de auto-sacrifício do Deus Sol no submundo. como um símbolo da ressurreição divina de Deus Sol. segura um objeto debaixo do braço que eu acredito que é referência simbólica de cogumelos sagrados e da Árvore do Mundo. e que ele considera uma oferta ou sacramento da imortalidade no seu braço direito. representando o que eu acredito que são deuses gêmeos que representam a dualidade do planeta Vênus. codificada com a flor de lis símbolo símbolo da ressurreição divina. Acima é uma opinião do close up de uma página no Codex Bodley. Proponho que a vítima sacrificial nas costas é o Deus Sol ou uma régua representando o deus do sol. Ambas as divindades . o segundo da direita.A figura à direita longe da cena segurando um bastão Venus em uma mão e cabeça decapitada no outro representa eu diria o aspecto Evening Star do planeta Vênus.

De acordo com os seus glifos nome. e a divindade da direita é chamado "One Death". a divindade à esquerda acompanhando o sol (disco solar) para o submundo. Sua minha crença de que todos os mesoamericanos acreditavam que as estrelas no céu noturno eram de fato as cabeças decapitadas e almas ressuscitados dos antepassados divinizados. Os assírios e babilônios também representou seu Deus Sol como uma águia ou como um disco solar com uma cruz no interior. bem como a águia (pomba no cristianismo) sendo um símbolo para o Espírito Santo que emana do sol e traz vida a tudo. a divindade à esquerda é chamado "Um Movimento". Acima é uma escultura em grego antigo que descreve dois pássaros em uma cruz codificado com quatro flor de lis como um símbolo da ressurreição. a cruz. Note-se que a divindade de mergulho no disco sol carry sa direito codificado com o que proponho são quatro cogumelos simbolizando os raios do sol a partir dos quatro pontos cardeais. .são representadas mergulho das estrelas. As divindades gêmeas transportar armas em suas mãos no submundo para decapitar o submundo Sun.

ou a roda do sol.Acima é uma cena do templo de Sippar do chamado "deus-Sol Tablet" aproximadamente BC 900 (British Museum. Note-se que o Deus sol.) O antigo babilônico relevo de pedra mostra o que parece ser a ressurreição ou o aumento do Deus Sol com cordas por uma divindade barbado usando um chapéu cônico. ou disco de sol.137. que provavelmente representa a Palavra portal árvore. 12. . emerge um símbolo da flor de lis em um altar ao lado de um pilar. No. Note-se que o pilar também codifica o Fleur emblema de lis como símbolo da ressurreição divina.

9a-8a século BC que descreve quais são cogumelos inspirado glifos prováveis. selos hitita-Hattic. é um alívio escultura hitita datada em torno do século BC 9a-8o da Anatólia. O alívio escultura descreve uma cena de duas figuras a seguir um carrinho puxado a cavalo carregando o que me parece um sarcófago codificados com três cogumelos sagrados. e mencionado anteriormente. . na atual Turquia. Sua minha crença de que a roda do carrinho alude esotericamente ao disco sol ou sol ressuscitar. e estrela da ressurreição divina.Acima. e que os três cogumelos codificados nas réguas sarcófago esotericamente alude a uma Trindade de deuses responsáveis pelo sol e ressurreição divina do governante. É também possível que as duas figuras à esquerda pode representar os aspectos dualistas do planeta Vênus como tanto Morning Star e Evening Star.

e eram conhecidos por terem ídolos de pedra possuíam que tinham a aparência de cogumelos antropomorfizadas. um povos indo-europeus foram contemporâneos dos primeiros assírios e babilônios. Os hititas. que eu proponho representam o aspecto dual do planeta Vênus tanto como uma estrela da noite Estrela e Estrela da Manhã e ressurreição.Acima é um alívio hitita? século 9o-8o BCdepicting a Árvore da Vida na forma da flor de lis entre duas esfinges aladas. .

desenho de H. Born e U. a partir de antigos hititas Anatolia. O desenho é da decoração incisa de um capacete assírio na coleção Axel Guttmann (AG 504). 22).The eram um povo antigo. Schutzwaffen aus assyrien und Urartu .Compare a pedra cogumelo do lado esquerdo da Guatemala. No que é hoje. 25 fig. com a estátua hitita à direita.. Seidl. que estabeleceu seu império no centro-norte da Anatólia por volta de 1600 aC. Desenho detalhado de um rei assírio receber as insígnias do poder dos deuses Assur. Mainz 1995. . dia Turquia moderna . e Istar.

ou deusa mãe?) Com codificada emblema Fleur-delis. Enki desempenhou o papel crucial na economia de humanidade do dilúvio global.Acima estão os deuses sumérios Enki e Enlil . Enki é creditado com a criação do homem e conferindo os segredos da vida e da morte. emblema de Enki também foi a serpente ou duas serpentes entrelaçadas em uma equipe-base para o caduceu alado. que é mundial anterior. Como Quetzalcóatl. também foi destruído pela inundação. Atributos de Enki como visto acima é uma cobra de duas cabeças. cujo avatar é a serpente emplumada. Concluo que o emblema Fleur-de-lis é um símbolo esotérico da bebida Soma e da . filhos do Deus Anu que vieram para a Terra segundo a mitologia suméria. um símbolo usado pela medicina ocidental moderna. e como o deus Quetzalcoatl Mesoamericano. muitas vezes mostrado com a coroa de chifres da divindade e vestido na pele de um peixe. Nota no desenho acima da oferta de uma bebida sagrada a uma mulher (fertilidade.

Ele é descrito em hinos sumérios ". que confere o conhecimento sobre a humanidade em Eridu (e em Nippur) e ele permite que o homem (na forma de Adapa) para obter conhecimento proibido reservado para os deuses. t ele Adapa eo mito Southwind ). Ou seja.imortalidade divina (http://www. que está em Eridu ". " Em sumeriana mitos Enki de Eridu carrega o epíteto sumério ushumgal . Walter Reinhold Warttig Mattfeld y de la Torre.html#_edn36) Citando o autor. ele também é um dos vários protótipos que foi transformada em Deus Eden . que significa" grande serpente-dragão ". mas nega-lo e a humanidade imortalidade (cf. MA Ed." Ele é retratado como o criador da humanidade e deus da sabedoria.alchemylife. e é o que planta uma grande árvore de fruta em seu jardim em Eridu chamado de Mes-árvore e outra árvore wonderous chamado Kiskanu. Ambos Quetzalcoatl e Enki são responsáveis por criar a humanidade e conferindo o segredo da imortalidade através de um ritual de auto-sacrifício.org/Pages/bltav1_wpf/bltav1_wpf. Yahweh Elohim. como o grande dragão" (ushumgal ). . Tanto o deus Quetzalcoatl mesoamericana ea sumeriana deus Enki ambos têm os atributos de uma serpente de duas cabeças. Seu duplo sentido palavras que confundem e iludem um homem incautos (Adapa) são comparados em hinos ao "veneno venenoso de uma grande víbora. Enki (ea) não é apenas um dos vários protótipos que mais tarde foi transformado em serpente do Éden.

A cena acima do Codex Laud descreve a deusa asteca Mayahuel. Em sua mão direita ela aparece para segurar uma bebida ritual estilizado com um emblema Fleur-de-lis simbolizando a imortalidade divina ou portal divina para a imortalidade. Tanto a tartaruga e agir serpente como um altar sacrificial. em uma cena que descreve o ato divino de auto sacrific. deusa do maguey planta. e ambos são avatares do deus Quetzalcoatl e do planeta Vênus como a Estrela da Manhã. . Nota da serpente e tartaruga abaixo do chamado "árvore do mundo" ou "Árvore da Vida".

que. Na dança um prisioneiro de guerra é capturado e é concedido um último drinque.Fotografia © Justin Kerr Acima estão dois Tarde Clássico (600-900 dC) Maya beber navios. chamado de Rabinal Achí. chamado de "a bebida dos senhores". é baseado em uma bebida sagrada. de acordo com Tedlock. De acordo com Tedlock houve repetidos esforços por parte das autoridades coloniais para banir as performances do Rabinal Achi porque era considerada uma dramatização da cultura Maya e Maya realeza. com glifos provável fleur símbolo de lis. Antropólogo Dennis Tedlock escreve que no Maya Highlands um drama de dança que se realiza na cidade de Rabinal. no departamento de Baja Verapaz. antes que ele é ritualmente decapitado. e. Foi este ritual beber uma bebida cogumelo chamado de "bebida dos senhores" chamado Ki " também chamado de" doze venenos ". traz sonhos para o personagem no Rabinal Achí? .

.Fotografia © Justin Kerr vasos maias pintados como os acima (nota codificada flor de lis símbolo sobre o cogumelo esquerda e codificado em escribas cocar à direita) pode ter contido uma bebida ritual inventado a partir do cogumelo Amanita muscaria ou outros cogumelos alucinógenos de uma forma muito semelhante à descrito para o Soma lendária do Rig Veda. Acima é um fim acima da vista de uma pintura do vaso Maya que retrata uma provável cogumelo Amanita muscaria estilizado na forma da flor de lis.

Fotografia © Justin Kerr Maya vaso K2781 o que pode representar um clássico tardio (600-900 AD) versão do drama que tem lugar na cidade de Rabinal. há temas recorrentes que aludem a decapitação e da potência espiritual da cabeça. ea bebida dos Lordes. a águia que carregou Indra para baixo dos céus depois de decapitar o dragão Vrtra. e obter Soma. no departamento de Baja Verapaz. Nos textos hindus antigos conhecidos como os brâmanes. No Rig Veda. Acima é um desenho Close up de Alexandre Tokovinine de Maya vaso K2781. que apoia fortemente a minha teoria de que uma bebida intoxicante ritual foi consumido antes do sacrifício e decapitação ritual. um dos copos de Soma é referido como o chefe do Gayatri. que segue os Vedas. chamado de Rabinal Achí. única após a .

O consumo de Soma por padres no sacrifício produziu os efeitos do deus interior. 296). e de acordo com Wasson o acto de recolher cogumelos alucinógenos foi sempre acompanhada por uma variedade de sanções religiosas. embarcação bebendo hitita 1400 aC Os hititas eram um indo-europeu falando pessoas na Anatólia central (dia moderno Turquia) que fundou sua antiga capital na Bogazköy (Hattusha antiga) em 1700 aC Metropolitan Museum. p. entre os presentes Mixtecs dia os cogumelos sagrados devem ser reunidos por uma virgem. . moído num metate. conhecido nos Vedas como Ahi que significa "cobra" (rush 2013. Por exemplo. NAVIOS SOMA proposto? Acima é um prata rhyton ca. em seguida. Eles são. água adicionada. e a bebida bebido pela pessoa consulta do cogumelo. Proponho que o símbolo da flor de lis está ligada ao ritual Soma eo Soma bebidas e sacrifícios Soma mencionado no Rig Veda.decapitação de Vrtra.

codificado como uma metáfora da imortalidade e ressurreição divina. Supondo que o cogumelo Amanita muscaria é o fruto proibido da Árvore da Vida.Fotografado acima em forma de rolo para fora. . o vaso de prata retrata uma régua ou deidade segurando uma águia ou falcão e sentado na frente do que pode ser um cogumelo Amanita muscaria codificado. a artista codifica a Árvore da vida na estilizado extrema direita como a flor de lis. Acima é um ouro micênica Vaphio copo datar de 1500 aC que descreve o touro sagrado. e da Árvore da Vida codificada com o símbolo da flor de lis.

html) .ancientresource.org/collections/search-the-collections/253350) Acima é uma embarcação de bronze beber Velho Mundo codificado com o símbolo da flor de lis (sourcehttp: //www.Acima é um etruscas Kyathos bronze (copo single-tratadas) com flor de lis símbolo.século 6 aC (http://metmuseum.com/lots/medieval_crusades/crusaders_artifacts1.

com flor de lis símbolo estilizado. .Turco de vidro "Bud motivo". do século 14.

Na Mesoamérica a harpia é um símbolo do deus Quetzalcoatl mexicano. que representa o aspecto Morning Star do planeta Vênus. novamente. é o avatar do aspecto Evening Star do planeta Vênus. A cena faz alusão a divindade ea imortalidade e os aspectos duais do planeta Vênus como estrela ressurreição. e o deus barbudo Quetzalcoatl-Tlaloc (nota olho goggled). creio. o mural mostrado acima da antiga cidade de Teotihuacan no Vale Central do México. Acima é um desenho.Aqui. Na . Eu acredito que a harpia acima é representado com o olho arregalou os olhos do deus Tlaloc mexicana. em forma de roll-out de um recipiente para bebida cerimonial pintado em um estilo clássico Teotihuacan (de Alarcón 1992: XV) que descreve uma harpia. que.

usando os-olhos Goggled de Tlaloc (Milbrath. ter descodificado um glifo eles acreditam que representa "A Glyph Fundador".196-197). que acreditam que é codificado diretamente acima de rolagem discurso de Quetzalcoatl. Pesquisadores que estudam as inscrições maias em Viga de Yaxchilan 25. que é retratado no Altar Q. são símbolos de Venus. Através de rituais xamânicos. representando tanto da Estrela e da noite Estrela da Manhã. foi gerado pelo medo do homem precoce de morte e suas esperanças para a ressurreição. eo Deus dualista da ressurreição Submundo. a meu ver. tendo uma régua usando uma máscara de Tlaloc. Há também uma abundância de evidências na antiga cidade maia de Copan que a Tlaloc de olhos esbugalhados está intimamente ligado com o fundador das linhagens Copan nomeados Yax K'uk Mo . o deus dualista de Vênus. surgindo a partir da descoberta dos efeitos que alteram a mente de cogumelos alucinógenos. e é o avatar de Quetzalcoatl como o aspecto Morning Star de Vênus. por . (Wasson. dois do Quetzalcoatl-Tlaloc e três deuses da tríade que são responsáveis para o sacrifício e ressurreição do submundo Sun Deus. é uma referência esotérica aos deuses criadores seu papel divino como divindades gêmeas. Acima é uma tampa incensário que retrata Yax K'uk Mo . 1980). muito possivelmente. Os três de cinco pontas meias-estrelas abstratas retratados no canto superior esquerdo. Os xamãs. O emblema Fleur-de-lis estilizada. então em outra realidade. ele esperava para transcender o primeiro e assegurar-se da segunda. A harpia representa o símbolo de Vênus e o Deus Sol ressuscitado. se não nesta vida. 1999 p.mitologia mexicana a harpia é um símbolo do mundo superior. identificando Quetzalcoatl-Tlaloc como uma ea mesma coisa. vestindo em forma de cogumelo tampões de ouvido e usando os óculos de Tlaloc. que descreve uma serpente de duas cabeças. e que este governante parece ser um dos fundadores da linhagem ligada Venus e uma divindade de olhos esbugalhados. o fundador das linhagens Copan. A religião cogumelo Venus / Quetzalcoatl-Tlaloc.

raios e chuva.sua vez. os xamãs desvendados os movimentos misteriosos. Uma multiplicidade de identidades é uma característica básica do reino sobrenatural mesoamericana. Com o tempo. espaço e imortalidade. . serpente. Esforços ocidentalizadas por arqueólogos e historiadores de arte para classificar e catalogar os muitos nomes que se sobrepõem e identidades foram frustrados pelo fato de que ordenou e categorias demarcadas em contradição com a fluidez que caracteriza americanos nativos sistemas de crença. mas em última análise. e tubarão -como um meio de compreender o lugar e destino dos seres humanos neste âmbito divina. O mexicano deus Tlaloc. cognoscíveis e previsíveis das estrelas e planetas. águia. e essas temíveis criaturas em seu ambiente como o jaguar. Este culto guerra TlalocVenus espalhar a partir da grande metrópole de Teotihuacan para a área de Maya durante o período clássico adiantado quando Teotihuacan estava em seu ápice. ao longo do tempo. e interpretado esses movimentos como uma avenida para a compreensão relação do homem com o tempo. que é facilmente reconhecível por sua marca registrada olhos Goggled. O deus Tlaloc mexicana foi claramente ligado a um culto guerreiro associado com o planeta Vênus como estrela da noite e o ritual de decapitação. Estas crenças. a lua e as estrelas. mas com numerosas semelhanças identificáveis ligados ao governo divino associado com linhagem e descida. gerou uma grande variedade de deuses com nomes diferentes em diferentes áreas de cultura. olhou para as forças mais poderosas do mundo-o natural sol. compartilhou o mesmo templo na grande metrópole de Teotihuacan com o deus Quetzalcoatl mexicano. Sua dualidade como os aspectos Evening Star e Estrela da Manhã de Vênus sugere que ambos estavam as divindades protetoras de Teotihuacan ligada à dinastia reinante. vento.

A estrela de cinco pontas como símbolo que circunda o fundo do vaso. A embarcação bebendo Teotihuacan mais provável retrata uma régua sob o disfarce de QuetzalcoatlTlaloc. o gavião-real. e a harpia em Teotihuacan mitologia representa o avatar do deus Quetzalcoatl como o aspecto Morning Star do planeta Vênus. que retrata a goggle olhos Tlaloc em associação com uma harpia . foram identificados como símbolos que representam o planeta Vênus. é um símbolo do renascimento Sun Deuses e ressurreição do Mundo Inferior. Como o Phoenix. Estes Teotihuacan inspirados cilíndrica vasos de beber tripé têm intrigado difusionistas transPacífico por causa dos vasos de formulário e motivos distintos que se assemelham vasos de beber chineses feitos durante a dinastia Han (202 aC a 220 dC).Acima é um Período Clássico (200-650 dC) tripé cilíndrica Teotihuacan recipiente para beber. O (foto do .

"A descoberta. de modo concebível. mantiveram-se vivos.. . os dons visionários de xamãs ". e. De acordo com etno-arqueólogo Peter Furst . especialmente. um fim acima de um clássico tardio (600-900 dC) Maya pintura de vasos retrata cogumelos sagrados em associação com o cervo sacrificial. por migrantes início no México.Fotografia © Justin Kerr Acima. relativo à veados como fonte de poder sobrenatural. ainda assim. de um relacionamento cervocogumelo funcional poderia... serviram para reforçar o que quer tradições asiático antigo pode.

à esquerda é um jogo de bola hacha esculpida para caber em um cinto de ballplayers (jugo). representando um veado vestindo os olhos Goggled de Tlaloc. que retrata um veado vestindo marca registrada olhos Goggled de Tlaloc e presas felinos. neste caso. Note-se que os olhos Goggled de Tlaloc lembram os anéis ou aros que vemos montados nas paredes de ballcourts formais Postclassic. e eles representam um paraíso de vida após a morte. simboliza o sacrifício e ressurreição do cervo na quadra de bola. Os olhos Goggled de Tlaloc. e ballplayers são muitas vezes retratado vestindo os olhos Goggled de Tlaloc. . México (em exposição no Museu Britânico). Acima à direita é um clássico tardio (600-900 dC?) Placa policromada de Cholula.Acima. Olhos Goggled de Tlaloc são um símbolo de sacrifício. Ballplayers são comumente retratado vestindo o cocar de um cervo.

.Acima é um fim acima da vista de uma pintura mural de Teotihuacan (200-650 dC) descrevendo o deus clareamento olhos goggled Tlaloc retratada como uma estrela de cinco pontas. que os estudiosos identificam como um símbolo de Vênus .

. a antiga capital do Cakchiquel Maya. e as imagens abaixo mostram os óculos de proteção de marcas registradas do Deus mexicano Tlaloc. que permitem a "bemushroomed" um pico para o paraíso de Tlalocan.A fotografia acima é de uma pedra cogumelo Maya em exposição no local Maya highland de Iximche. Esta pedra cogumelo.

de Borhegyi 1957) . e que acreditava-se que os gêmeos foram associados com o sol e Vênus. 1892 (o manuscrito de Serna) descreveram o uso dos cogumelos sagrados para adivinhação: "Estes cogumelos eram pequenos e amarelada e para coletá-los o sacerdote.Serna em 1650 apontou que o calendário asteca foi chamado de "contagem de planetas". Começando em cerca de 378 dC.(Sachse. Serna (1892) (o manuscrito de Serna). (Schele & . principalmente para capturar prisioneiros de cidades vizinhas para o sacrifício cerimonial. 2001. as pedras de cogumelos Quiché Maya reverenciados como símbolos de poder e comando. O planeta Vênus é talvez melhor conhecido em estudos mesoamericanas através de sua conexão com o tipo especial de guerra chamada guerra Vênus-Tlaloc. e antes eles realizavam rituais (de sacrifício de sangue) para perfurar e cortar os seus corpos. 186). também escreve que o povo do México "adorado e fez mais sacrifícios ao sol e Venus do que quaisquer outras criaturas celestes ou terrestres" . e todos os homens designados como ministros foram para as colinas e permaneceu quase toda a noite em sermões e orações" (Quest for the Sacred Mushroom. em cogumelos. S panish cronista Jacinto de la Serna. estas guerras foram programado para ocorrer durante os aspectos do ciclo astronómico Venus e foram conduzidas creio eu.De acordo com depoimento gravado em 1554 no documento Colonial intitulada El Titulo de Totonicapan. Stephan F.

.Freidel. 194) . e foram abençoados com a imortalidade. 1990: 130-31. Aci ma e abaixo são figuras pré-colombianas de guerreiros com cocares cogumelo codificados. Aqueles que morreram em batalha foi diretamente para o paraíso de Tlaloc chamado Tlalocan.

e deu o combatente uma sensação de invencibilidade e coragem para lutar nos níveis mais selvagens. . fome e sede.508).12) . que foi o primeiro a relatar rituais Cogumelo entre os astecas.Espanhol cronista Fray Sahagun. 1993. depois desapareceu" (Thomas. p. "Esta embriaguez durou dois ou três dias. também sugeriu que o chichimecas e toltecas consumido o alucinógeno mescalina antes da batalha para melhorar a bravura e força (Furst 1972. p. Hallucinogens tomadas antes da batalha provavelmente eliminado todo o senso de medo.

1962) Nas terras altas do Peru do norte da civilização Chavín floresceu que. totalmente passivo. um olhar sem corpo. 1972a: 198. ele é os cinco sentidos desencarnados. até que. invisível..Citando Ethno-micologista R.. Gordon Wasson . ele se torna um receptor puro.Em. todos eles marcados para a altura da sensibilidade e consciência. Borhegyi. de sensações ".. " A pessoa bemushroomed está pronta no espaço. mas não ser visto . Ambos foram . infinitamente delicado. vendo. verdade .. incorpóreo. ( Wasson.. em muitos aspectos paralelos da civilização olmeca contemporânea da Mesoamérica. todos eles misturando em um outro mais estranhamente.

grandes civilizações antigas e ambos usaram imagens de felinos em sua iconografia sagrada. A cultura Moche reinou na costa norte do Peru durante os anos 100-600 AD (Cortesia da fotografia Todd Braum) . Como mencionado anteriormente. 1909. 1907. Peter Furst demonstrou semelhanças religiosas conceituais entre os olmecas e Maya e América do Sul. Desde a primeira observação inúmeros arqueólogos de Saville têm relatado outras semelhanças artísticas e ideológicas aparentes entre as duas áreas que datam de tão cedo quanto o pré-clássico e continuando até o pós-clássico. Saville foi o primeiro a chamar a atenção para certas influências mesoamericanas ele chamou de "Mayoid" em material arqueológico das terras altas do Equador e do Peru e áreas costeiras do Pacífico América do Sul (Saville. 1910). codificados com o que proponho são Amanita muscariacogumelos.Pioneer arqueólogo Marshall H. Acima e abaixo são vasos retrato Moche do Peru. Há agora um consenso de que essa troca provavelmente ocorreu por mar. ambos vestindo whet parecem ser cogumelo inspirado cocar. e identificou cogumelos e cocares de cogumelos em pinturas em vasos de cerâmica Moche (200-700 dC). um período de tempo a partir de 1500 aC a AD1400.

.

em essência. A árvore. Lindamente esculpidas em um osso jaguar. com a imagem de que eu acredito é o deus Tlaloc mexicana com sua marca registrada olhos arregalaram. identifica a ligação do Tlaloc a Quetzalcoatl e K'awil. um deus associado com a estrela da noite. representa o renascimento de Quetzalcoatl e ressurreição do submundo. México. (Desenho de nascimento de Quetzalcoatl tirado de Covarrubias de 1957: 0. e sua conexão com a serpente visão ou dragão barbudo. . Eu acredito que o artista tem codificada a Árvore do Mundo de inspiração cogumelo como teria sido visto através dos olhos de Goggled do deus Tlaloc mexicana. que tem flores de cogumelo-como é. usa o que se parece com os óculos de Tlaloc. Ele ainda está ligado por seu cordão umbilical para o que eu acredito é uma árvore do mundo de inspiração cogumelo. ela foi encontrada em Tomb 7 no local de Monte Alban perto de Oaxaca. uma escultura no Museu de Berlim de Etnografia retrata olhos Goggled de Tlaloc como sendo composta de duas serpentes entrelaçadas para formar um círculo ao redor dos olhos.266) .Acima é uma peça de cerâmica do Peru. América do Sul. O nascimento de Quetzalcoatl? Vários estudiosos. primárias entre eles mexicana historiador de arte Miguel Covarrubias. Aqui Quetzalcoatl. a transformação jaguar submundo. um portal divina e metáfora para a jornada espiritual da ressurreição deificado. como descreve o nascimento do deus Quetzalcoatl mexicano. o seu homólogo Maya. e decapitação. A imagem da serpente. a figura central. Segundo o arqueólogo mexicano Alfonso Caso. interpretaram a imagem acima. Foi datado em cerca de 800 aC Os cinco dentes salientes da boca do jaguar ou puma pode ser referências esotéricas aos cinco ciclos sinódicos do planeta Vênus. Esta metáfora mesoamericana liga o lugar de criação no centro do universo (lugar de sacrifício jogo de bola) com a estrela ressurreição que é o planeta Vênus. Cultura Chavín. A cabeça do lado esquerdo usando óculos e descrito como emergindo das mandíbulas de uma serpente.

Na religião dos maias. Seus filhos gêmeos. conhecido como o Deus de milho. Um desses deuses. . foi identificado como Quetzalcoatl e do planeta Vênus.histórias da criação Maya gravar que os gêmeos foram responsáveis por colocar as três pedras de criação para o céu noturno no início desta era mundial. ainda usando seu cinto de jogo de bola.Um ll mesoamericanos acreditavam que o maior presente que alguém poderia oferecer os deuses era a própria vida. na constelação de Orion. e foi responsável pela criação de vida da morte. astecas e maias todos acreditavam que Quetzalcoatl iria regressar ao seu jogado no final do dia. governou como o Deus Sol na era do mundo anterior. Estas três pedras. conhecido como Primeiro Pai. um conceito de vida eterna de morte. depois de encontrar os ossos enterrados sob o piso do ballcourt. incluindo a do sol submundo ou Sun Deus. em troca da imortalidade. Ele foi decapitado pelos Senhores da Morte depois de ser derrotado em um jogo de bola. O milho Deus ressuscitado. Acredito que a Maya poderia ver este ballplayer decapitado ressuscitado. À medida que o planeta Vênus. que representam os três hearthstones originais. também pode se referir a uma trindade dos deuses responsáveis pela criação de vida da morte. Quetzalcoatl governa o submundo.I t i é provável que na Mesoamérica a noção da imortalidade divina através submundo decapitação foi inspirado pelo próprio ritual de cogumelos . ressuscitou do submundo e colocou-o para o céu noturno como um jogador de bola deificado. vários gêmeos ou irmãos representam o planeta dualista Venus. Os toltecas.

por Frey Bernardino de Sahagun. chamado teonanacatl pelos astecas que significa "Deuses Flesh". Acima é outro uma cena. Note-se que em frente da figura sentada são duas tampas de cogumelos representadas junto ao tronco do cogumelo que ainda está no solo. a evidência de um ritual de cogumelos entre os Astecas.Acima é um desenho do século XVI do códice florentino. A imagem de um pássaro empoleirado em cima dos cogumelos é uma possível metáfora que alude à divindade pássaro principal que fica no topo da árvore do mundo na mitologia mesoamericana. que descreve uma figura sentada vestindo um robe branco. . beber de um cálice. médio esquerdo do códice florentino. Livro 11. A imagem superior da página mostra o cogumelo sagrado do México.

em seguida. Alguns foram. talvez. ele seria atingido por pedras. ele seria de pedra. veio a coroação de Montezuma II. Um teve uma visão que já que ele iria morrer. o Sumo Sacerdote dos astecas. o que acontecerá com aqueles que tinham comido não cogumelos. e o que andou fazendo. e eles comeram os cogumelos com mel. 517). um teve uma visão que ele pereceria na água. alguns adultério talvez comprometido. até que ele morreu. seguido de sacrifícios humanos em números". Sahagun descreve o uso de cogumelos na coroação de Montezuma II. um teve uma visão que ele seria rico. Da forma como forem muitas coisas foram todos foram disse-que um levaria cativos. então ele viu tudo em visão: mesmo que ele iria ser afogado. E eles viu em visão. Mas alguns. cogumelos tinha sido servido. no quarto dia. (Sahagun. em seguida. como segue: "Durante quatro dias houve festa e celebração e. Eles comeram-los no momento em que as trombetas shell foram soprado. o cogumelo alucinógeno dos astecas. continuou. E quando os efeitos dos cogumelos tinha deixado eles consultaram entre si e disseram uns aos outros o que tinham visto na visão. um teve uma visão que ele iria cair de uma parte superior do telhado. um teve uma visão que ele iria comprar escravos. viu-se que ele iria morrer no campo de batalha. um teve uma visão que ele iria cometer adultério. enquanto ainda estava no comando de seus sentidos. dançavam não mais. um teve uma visão que ele iria viver em paz e tranquilidade. eles só bebia um chocolate durante a noite.Acima é uma ilustração do século 16 a partir do códice florentino de teononacatl . seria de se tornar um guerreiro experiente. e ele iria cair para a morte. seria de morrer na . e choro. um teve uma visão que ele iria roubar. um líder de jovens. um teve uma visão que ele levaria cativos na guerra. rico. no entanto muitas coisas estavam a acontecer a um. mas só ficou lá acenando. ele também seria pedra e teve uma visão de que sua cabeça seria esmagada por pedrasiriam condená-lo. um teve uma visão que ele iria ser comido por animais selvagens. 1950 p. Eles não comeram mais alimentos. ele seria um proprietário de escravos. os ladrões. entrou e sentou-se lá de casa em seus lugares. "Na primeira.

tornar-se rico. eles. seja estrangulado. cometer adultério. e usa um peitoral com Fleur-de-lis emblema codificado como um símbolo da ressurreição de Deus Sol do Mundo Inferior e uma trindade de Maya deuses criadores. e Kin glifos codificado na cabeça e no corpo. tem mais ou menos as mesmas características faciais como Kinich Ajaw. na Guatemala como o Maya deus Sol K'inich Ajaw . Talvez ele iria para sua morte em Anauac (Codex florentino. se afogar. fornecer banquetes.batalha. cerimonialmente banhar escravos. simbolizando o Deus Sol Submundo. comprar escravos. Bk 9: 38-39) " Os estudiosos identificaram t ele escultura acima das ruínas maias de Dos Pilas. em seguida. perecer na água. Tudo o que era para acontecer a um. . um símbolo do Submundo. mas ele tem atributos jaguar. O Maya deidade GIII do Palenque Triad. A divindade Maya tem um glifo Venus codificado em torno de seus olhos. Dibble & Anderson. viu tudo em visão.

foi identificado como o jovem Deus A Prime. dos heróis gêmeos. em uma cena da transformação jaguar e divina ressurreição Venus. Foto por Bob Klingenberg.Acima é uma escultura a partir das ruínas maias de Copán em Honduras. Fotografias © Justin Kerr Maya vaso K2284 na implantação forma que retrata uma outra cena a partir do Maya Popol Vuh. com vista para uma grande praça que os arqueólogos chamam a "falsa ballcourt". O personagem à direita. A escultura retrata o Deus do Submundo. que está ligada diretamente ao aspecto Evening Star do planeta Vênus como carrasco do Submundo Sun Deus. mostrado esvaziar o conteúdo de uma olla. Proponho que o frasco é marcado com um símbolo de morte. uma área querepresenta o submundo Maya. o que . ou Submundo Sun Deus. Observe os dois símbolos Venus acima (mostrado para os lados) em ambos os lados da barba A cabeça de divindade. um glifo conhecido como Ak'ab ou Ak'bal .

A cabeça do deus Kawi'l emerge da cauda da serpente. O sapo upended na extremidade direita representa uma metáfora Maya para o nascimento ou renascimento. e que eu acredito que é o código que simboliza o cogumelo-jaguar transformação-Venus ressurreição religião. com três lâminas. joelho. Esta forma de T Ik símbolo está associado com a Maya deus Chac. costas. A cena indica que o conteúdo do olla manifesta a Maya deus K'awil (Deus K ou GII do Palenque Triad) sob a forma de serpente visão cercado por sinais de Venus. um glifo que significa vento ou a respiração e. As três lâminas sobre o machado representa o número sagrado três. A serpente representa o portal de Vênus ressurreição que manifesta-se pela Maya o deus K'awil. e sob a cauda da serpente que ele carrega em seus braços.Note-se que o artista pode realmente ter codificado um cogumelo no ouvido do jaguar acima. (o equivalente maia de Quetzalcoatl). . Etno-arqueólogo Peter Furst (1976: 80) menciona que no dicionário Coto. e aludem a uma trindade de deuses criadores conhecidos como os três hearthstones de criação de Maya. assim. vida e do espírito. em um símbolo de gancho. e Quetzalcoatl como 9-Wind.significa escuridão. como uma referência à morte e renascimento no submundo. Fotografia © Justin Kerr Maya vaso K1652. não há nome de um cogumelo sagrado chamado de "jaguar orelha". que foi misturado com mel. como sugerido pela abelhas na cena. Note-se que as três pernas de suporte do vaso são moldados para representar o Maya palavra Ik. O deus esquelético (conhecido como Deus A) mostrado entre a onça-pintada e o sapo prende o machado sacrificial. retrata o submundo Sun Deus como um jaguar submundo cercado por símbolos Venus em seu ombro. mostrado acima. que podem ser identificados em todo Maya iconografia religiosa. e que a olla provavelmente contém uma bebida cogumelo.

GIII do Palenque Triad. fotografado em rolo para fora o formulário por Justin Kerr. eo Maya deus K'awil (Deus K) identificado como GII do Palenque Triad.Fotografia © Justin Kerr Maya vaso K2797. que retrata o que me parece um cogumelo psilocibina (ver foto abaixo) emergentes em ambas as extremidades de um Fleur estilizado de símbolo de lis. Acima é um atrasado clássico (AD 600-900) Maya vaso pintura K5186 em forma de roll-out do Justin Kerr Data Base. . descreve um submundo ritual de cogumelos ressurreição envolvendo o submundo Deus Sol.

(Foto de cogumelos psilocibina. a partir http://mattovermatter.com/2011/09/magic-mushroomsmay-permanently-alter-personality/) .

ou governante vestindo jaguar vestuário. Que ele é associado com o ritual macabro de decapitação é clara a partir da cabeça troféu que tem amarrado de cabeça para baixo a sua equipe. Kerr No. A figura de pele escura que está diretamente na frente dele usa o cocar de uma divindade submundo. A figura da extrema esquerda segurando uma lança e escudo usa o cocar da Maya Deus L. ajoelha-se na postura de alguém prestes a ser sacrificado. . uma instância de representação deidade a ter lugar no Maya Submundo. Em Maya cosmologia o planeta Vênus se acreditava ser o sol a partir da idade mundo anterior. Antes que este mundo foi destruído o país era governado por Deus L. Ele tem uma equipe real e com a mão direita faz um gesto que eu interpretar como código para o ritual de cogumelos divina. Acima é uma opinião do close up de uma pintura tarde vaso maia clássica. na forma da flor de lis emblema.A pintura maia clássico vaso tarde mostrado acima na forma de roll-out. Um jogador de bola. que eu acredito que codifica o cogumelo Amanita muscaria. que em tempos clássico tardio (600-850 dC) simbolizava o Senhor Maya do Submundo. descreve. acredito . 5390.

mostra o tributo recolhido por funcionários públicos astecas da província de Tochtepec. A imagem ampliada mostra os cogumelos psilocibina que emergem de um emblema Fleur-de-lis estilizada. uma página a partir do Codex Mendoza. Incluído no tributo eram t ele acima mencionado cogumelos psilocibina (segunda imagem da esquerda no lado de linha inferior). um códice asteca criada logo após a conquista espanhola. . À direita. Acima é um clássico tardio (600-850 dC) placa Maya. nanacatl significa cogumelo. T ele astecas chamou os cogumelos divinos ir teonanacatl.Acima. e beber navio ambos os quais codificam um semelhantes flor de lis como símbolo com cogumelo como a glifos. Teo significado Deus. à esquerda . é uma imagem do close up de um tw vaso o-tratadas preenchido com o que proponho são cogumelos psilocibinos .

a dinastia sassânida . .que eu acredito que descreve um Fleur emblema semelhante à procura de lis com o que poderia ser codificado cogumelos emergindo de ambos os lados. faz alusão à árvore do mundo.Acima é um têxtil de seda do Irã. possivelmente. 224 CE para 651 CE. para os nove níveis do submundo. Gostaria de especular também que as estrelas na cena. bem como as duas aves representam a dualidade do planeta Vênus como estrela ressurreição e que o pilar estilizado com flor de lis emblema codificado com nove corações. ou Árvore da vida. o que representa o fruto proibido que cresce sob a árvore do mundo ou Árvore da Vida. e.

bem como um símbolo de uma trindade divina.Acima é um queimador de incenso das ruínas de Mayapan em Yucatan do México. . Eu diria que o artista intencionalmente codificado flor de lis símbolos dualistas em cocar de Chac como símbolos de imortalidade (nota cogumelo nariz em forma) e Vênus ressurreição. representando a Maya Chuva Deus Chac (também conhecido como Deus B).

Sabemos que este governante poderoso hoje como K'an Chitan ou K'an Ak. Guatemala / Jean-Pierre Courau / The Bridgeman Art Library Stela 9.Tikal Stela 9. regência e uma trindade de deuses criadores (observe os três onças no cabo da régua). um título comparável ao entendimento europeu de "imperador" (Harrison. Amarelo Pecari. O governante mantém uma equipe em uma mão. Nome glifo deste governante Tikal retrata a variante cabeça de um porco com um kan símbolo da cruz. Maia / Tikal. ou o que proponho é um emblema Fleur-de-lis. e faz um gesto com a outra .O governante Maya provavelmente ocupou o posto supremo do Kaloomte. 475 AD (pedra). 92). Ele usa um cocar elaborado coroada com três insígnias Fleur-de-lis representando divindade. retrata a régua 12 da poderosa dinastia reinante em grande Maya reino de Tikal. Peten. codificado acima do olho do queixada. . início do período clássico. 1999 p. ou por seu apelido. com trefoil.

os arqueólogos identificaram que o rei era considerado a encarnação do GI. De inscrições em Palenque. A figura na parte inferior. 2004: 109). A . A figura na cena abaixo levando o jugo de um ballplayer pode representar Hun Hunapu.. (editores. um monumento esculpido em Kaminaljuyu. Os dois flutuante ou deuses suspensos acima pode representar uma versão pré-clássico dos gêmeos do herói doQuiche Maya Popol Vuh. GII.O deus identificado com a decapitação foi particularmente importante para o highland Maya no local da Kaminaljuyu. que provavelmente representa GI do pálido n that Triad. Este desenho de Stela 10. retrata o deus trevo-eyed (superior esquerdo) empunhando um machado sacrificial em uma cena de sacrifício jogo de bola ritual. GIII). que começou seu reinado mítico antes da criação do mundo em 10 de março de 3309 aC (correlação GMT) ou 3569 aC e . usando a correlação Herbert Spinden do calendário maia. Secrets of the Maya . Freidel e Schele (1998) identificaram dois dos Palenque Triad com os gêmeos herói do Popol Vuh. o que representa um jogador de bola (possivelmente Primeiro Pai) está prestes a ser decapitado pela divindade acima ostentando um olho trefoil. o pai gêmeos do herói que é decapitado no submundo pelos Senhores da Morte. As três figuras também pode representar a Palenque Triad (GI. Arqueologia revista.

como o "três local de pedra". chamando a atenção para o cinturão de Orion e a constelação de Orion como um jogador de bola. A flor-de-LIS codificado em hindu e arte budista . e Senhores do Submundo. e que a constelação de Orion representou um jogador de bola decapitado ressuscitado. os maias acreditavam que as estrelas no céu da noite foram as cabeças decapitadas dos antepassados divinizados. assim como o Deus Sol submundo é decapitado no submundo por um par de gêmeos. e do "local de jogo de bola sacrifício" que. é o submundo . nos tempos antigos.figura abaixo usa um cinto jogo de bola ou jugo incorporando os três círculos que eu acredito que significam as três pedras de lareira da criação. a trindade de deuses criadores (Palenque Triad acima). o ato ritual de decapitação garante ressurreição divina. Eu diria que . a cena sugere tha t. Inscriptions em Palenque e em Quirigua. dizem-nos que divindades gêmeas estão associados com os "três pedras de criação". no Popol Vuh.Sabemos que Quetzalcoatl e seu irmão gêmeo Xolotl eram conhecidos como os Senhores do basebol.

representando um símbolo da flor de lis. .afrescos caverna budistas do Turquestão Oriental Bezeklik.

uma vez consumido pelo fogo de Phoenix sobe novamente a partir dele é possuir cinzas renovado em juventude e plumagem lindo.mundo inteiro. e sua cauda as árvores e plantas ". enquanto no sentido místico que tipifica o. a cabeça dos céus. as asas do vento. seu bico da Lua. seus olhos o Sol. é um pássaro místico disse para viver 500 ou 600 anos e depois constrói para si uma pira funerária. . "O Phoenix é acreditado pelo chinês para defender seu Império e presidir o seu destino. O Phoenix. mas também é usado como um talismã para a longevidade e felicidade conjugal. os pés na terra.imagem moderna do dia de um Phoenix (águia) coroado com uma flor de lis emblema. a que se incendeia por vibrar suas asas sobre ele.

http://japanesemythology.Maya e arte asteca. estilizado em uma forma reminiscente ao emblema flor-de-lis do Velho Mundo.Acima à direita é o hindu símbolo AUM.org/hindu_gods/AUM175. como na Mesoamérica que remonta aos tempos olmecas. idênticos aos símbolos I encontrados em Olmec.com/2013/02/01/on-the-trail-of-the-toriisorigins/) Acima. o avatar do deus Vishnu védica é a tartaruga do mar representado abaixo como o pivô para Mt. refere-se ao governo divino e está ligada Creio que com uma trindade de deuses criadores indo todo o caminho de volta aos tempos védicos.. deuses e demônios agitar o oceano primevo. Mandara agindo como a vara de agitação. (A partir de http://karenswhimsy. Por sugestão de Vishnu. um symbo no Hinduísmo significa divindade. o que irá garantir-lhes a imortalidade. a fim de obter Amrita.com/buddhist-symbols. à esquerda são símbolos budistas para uma Tríade.(Fonte .shtm).wordpress. . (Imagem acima http://myads. é contada em vários textos antigos hindus. O símbolo.shtml) "A agitação do LEITE OCEANO " A agitação do oceano de leite.

do que as duas divindades por trás dos personagens centrais segurar contentores ou baldes rituais em suas mãos cheio com a bebida Soma. de um painel do relevo tribunal bola do sítio arqueológico de El Tajin. realizada por figuras em cenas hieráticas na Mesoamérica ver Drucker. em Veracruz México. que é composto de uma serpente entrelaçada sendo puxado em ambas as extremidades por céu divindades (quatro pontos cardeais) que criam o recém-nascido Sun (Vishnu?). abaixo do mecanismo de agitação. Observe a serpente dirigida dupla na parte inferior da cena do lado direito e esquerdo. Quando eu vi a tartaruga nesta cena Eu soube imediatamente que esta cena ballcourt Tajin era uma versão do Hindu / mito budista "A agitação do oceano do leite". muitas vezes representado na arte hindu. Jett 1971. de 500-1000 AD (Stephen C. Realizada por figuras em cenas hieráticas no velho mundo ver H. uma cena criação. A tartaruga na parte inferior da cena. Frankfort de 1955: pl. e Squier.Eu encontrei um desenho por Daniela Epstein-Koontz.83. esotericamente aludindo eu acredito para a trindade de deuses criadores. p .44) (Heine-Geldern. . Deve-se notar que outros estudiosos têm também comentou sobre as semelhanças marcantes entre estilos decorativos Chow tardios da China de 700-200 aC e os da cultura Tajin de Veracruz. e estou certo de que ele faz. Para obter a documentação de motivo do balde ritual (saco?). emergindo da profundidade do oceano. Note-se que a cauda da serpente acabar diretamente acima do símbolo do novo Sun nascido logo acima da tartaruga em um design estilizado de três lóbulos do emblema Fleur-de-lis. 1959a). México. Hiezer. um avatar do deus hindu Vishnu atua como o ponto de pivô central. 1955: 198. Os três flechas penetrantes da Sun na cena alude à tríade ea vida do Sun dando raios de luz. Se esta cena ballcourt não representa mitologia hindu. Para obter a documentação de motivo do balde ritual (? Bag).

Eu acredito que a tartaruga está ligado ao planeta Vênus e.5 cm Na mitologia mesoamericana o planeta Vênus. p. A tartaruga esculpida em casca. é de uma tartaruga que descreve um glifo Venus incisão. na Guatemala.Segundo os estudiosos mesoamericanos Mary Miller e Karl Taube. Quetzalcoatl . 1999. (1993: 175). assim como a tartaruga é na mitologia Hindu. Hun Hunahpu. e uma análise do Paris Codex (Milbrath. 1875. comprimento 4. foi escavado a partir de um enterro no Mundo Perdido de Tikal. do Justin Kerr Data Base. Museu não. existem uma série de altares clássico tardio esculpidas na forma de uma tartaruga.A fotografia acima K4880. Legendary estudioso Maya Linda Schele decifrou que o pai do herói Twins. . Mitos Ressurreição na Mesoamérica estão claramente ligados a uma tartaruga cósmica. retrata Maya Kaban cachos. renasce (como Sun Deus?) A partir do submundo pela parte de trás de uma tartaruga de terra cósmica. (aka Quetzalcoatl) está claramente ligado com a criação do universo.176) páginas Zodiac 23-24. sugere que a tartaruga está intimamente ligada com a constelação de Orion (ver tartaruga cósmica. Um desses altar tartaruga (Itzimte Altar 1). Bonampac murais quarto II). O artefato tartaruga acima está no Museu Nacional da Guatemala. portanto. o jogo de bola ritual e do cinto de Orion. Em Maya criação mitos a primeira manifestação da criação é uma tartaruga cósmica a partir da qual Primeiro Pai renasce.

Na criação mito Quiche do Popol Vuh. um verbo de acordo com Michael Coe.tanto como uma estrela da manhã. que retrata as três pedras de lareira da criação. O símbolo-X. A agitação do oceano de leite no MADRID CODEX . Lendo o Maya Glyphs: 2001 p. e uma serpente emplumada. Serpente Emplumada nada no mar antes do início da criação.163). O desenho acima por Jenni Bongard é retirado do Madrid Codex. representado em cada uma das três pedras provavelmente representa o glifo JAL. para criar (ver Coe de. colocados na parte traseira da tartaruga cósmica.

substituindo uma corda para as serpentes longo do corpo. Na cena acima do artista retrata as importâncias e as forças criativas de auto-sacrifício.Acima é a página 19. que retrata o que pode ser elementos do mesmo mito Hindu inspirado A agitação do oceano de leite. também conhecido como o Maya TroCortesianus Codex. Note-se que a divindade acima da tartaruga está pintado de azul. Corpo entrelaçadas da serpente é o mecanismo pelo qual os deuses churn oceano do leite. assim como o deus hindu Vishnu é na arte hindu e que a tartaruga abaixo mais uma vez atua como o ponto de pivô para a vara de agitação. a partir do Codex Madrid. que descreve um ritual deixar do sangue em que a corda (o corpo serpentes) está sendo puxado através dos pênis dos .

juntamente com um peixe e uma tartaruga na parte inferior. (Desenho por Felipe Davalos G) Acima é um desenho de um mural do site de Maya de Tulum. no início de uma nova era. As quatro divindades usar gestos com as mãos para agitar o leite para o mar e. eram manifestações de uma mesma divindade e que ele estava envolvido na criação do mundo. . (ambos são avatares do planeta Vênus). Inscrições em Stela C no Maya sítio arqueológico de Quirigua nos dizem que a Maya deus Itzamnah é uma das três divindades. Estrutura 5. pode representar a palavra Maya JAL. A agitação do oceano de leite. envolvidas com as atividades de criação. Os caracteres acima provável retratam os deuses dos quatro pontos cardeais que representam a vida ea morte. (Desenho de Mural 1 de Tulum de Milbrath). Os glifos na cena marcada com o símbolo-X. Observe as serpentes entrelaçadas na seção principal da cena. como a Palenque Triad. David Stuart sugeriu que Deus N e e Maya Pós clássico deus Itzamnah conhecido como Deus D a partir dos códices. juntamente com a serpente e tartaruga. um verbo que significa para criar (veja Lendo os hieróglifos maias: 2001 p. que representa o que eu acredito é uma versão pós maia clássica do mito hindu. em Yucatan do México. mundo superior e inferior.deuses acima. que é composto de serpentes entrelaçadas.163). bem como uma piscina serpente abaixo no mar primordial. Mais uma vez vemos a divindade tartaruga agindo como ponto de pivô central. A tartaruga carrega o chamado cabeça de um deus estudiosos chamam de Deus N. abaixo do mecanismo de agitação. criar e ressuscitar o deus do sol renasce.

que pode ter sido o buraco de pivô para uma vara de agitação. no norte da Guatemala.O Deus da tartaruga esculpida acima é do sítio arqueológico de Topoxté. Observe o buraco esculpido no centro do escudo da tartaruga Deuses. Mais uma vez o buraco . Acima está uma imagem cerâmica de uma tartaruga que descreve uma face de um personificando divindade ou representando o avatar de uma tartaruga. Na mitologia Hindu do deus Vishnu assume o avatar de uma tartaruga do mar. localizado em uma ilha no lago Yaxha na Bacia de Petén.

México. Acima é ac imagem Arved de uma régua ou deidade vestindo um cocar de serpente e tartaruga. foi encontrado na parede de um túmulo em Zaachila. .no centro do escudo da tartaruga Deuses. pode ter sido o buraco de pivô para uma vara de agitação. uma poderosa cidade mesoamericana no que é hoje Oaxaca.

mais uma vez atua como um ponto de pivô central do universo Lenape. A Árvore da Vida atua como um pilar cósmico de criação.A história da criação similar pode ser encontrada em Lenape (mais tarde chamado de Delawares) mitologia em que uma tartaruga. .

Cogumelos codificados abaixo da Árvore da Vida na arte hindu? "Passando o pote." .

" toda uma vila poderia permanecer alta por uma semana em um a vários cogumelos. as substâncias activas são ainda mais potente na urina do que no material original. a tradição foi chamado de "passar o pote. que o macho seria ingerir. Então. um rico proprietário de cogumelos teria uma mulher mastigar um par de os cogumelos em uma salsicha. Chukchies.org/wiki/911:Entheogens) . Koriaks eKamchadales . quando ele saiu para se aliviar depois. "O relato literário mais famoso de alucinações cogumelo foi apresentado por Oliver Goldsmith (1762) sobre o uso da Amanita muscaria no nordeste da Ásia com o Tungus . Um cogumelo era um prêmio que foi negociado para com a até quatro renas. a urina foi salvo pelo pobre em um de madeira pot e reutilizados. Aparentemente. " (de Goldsmith de http://wikicompany.relatos literários de Amanita muscaria rituais de cogumelos no nordeste da Ásia. Yakuts .

. muitas vezes. Gordon Wasson. como proposto por R. " As pessoas geralmente afirmam que os efeitos do veneno cogumelo se torna mais intensa e mais bonito quando ele já passou por um outro organismo. Assim. ser seguido por alguém que quer coletar sua urina. Pode ser que a origem da Soma e seus rituais. assim como xamãs siberianos beber a urina de Amanita muscaria renas-fed que exibem sinais apropriados de cogumelo intoxicação. que é suposto que possuem . No entanto um egundo o pesquisador Jason Fitgerald . imagem de uma deidade asteca ou governante esculpida segurando um pinheiro em uma mão e duas pinhas no outro. Citando Ethno-Mycologist Gordon Wasson .. um homem embriagado.. tem suas raízes no xamanismo dos povos da floresta da Sibéria e vieram para o Novo Mundojá no Paleolítico. a fim de obter conhecimento e sabedoria"..Acima é um século 14. "Gordon Wasson observou antigas escrituras hindus que descrevem beber urina como concedendo espiritualidade.

esse efeito para um grau particularmente elevado (Wasson 1968: 257.ku. A taça que se senta entre eles podem conter uma bebida ritual como a bebida Soma de rituais védicos. Museu de História Natural) . Selig. reimpressão Dittmar 1900) ". que retratam um homem sentado e uma mulher. a cultura Nayarit 300 aC.edu/galleries/west-mexico Universidade de Kansas. (19. Http://biodiversity. Presente de agosto imagem foto de L. Acima são unidas estatuetas de México ocidental.7 centímetros alta 26 centímetros de largura. o homem segurando um copo em uma mão e um cogumelo provável no outro.

Por razões que podem nunca ser conhecidos . e de Soma verdadeira identidade tornou-se um mistério. . foi mais tarde substituído em védicos e hindus rituais . o cerimonial uso do cogumelo Amanita muscaria e beber Soma urina.Acima são do sexo masculino e feminino estatuetas Nayarit que codificam claramente o cogumelo Amanita muscaria como os conteúdos sagrados da bebida ritual que ela tem na mão .

segurando dois cogumelos prováveis em cada mão. . que retratam um homem sentado. Nayarit cultura de 300 aC.Acima é outra estatueta de Western México. Note-se que o tampão de ouvido é semelhante à tampa do vermelho com manchas brancas Amanita muscaria cogumelo.

em que o artista Eu acredito que tem claramente codificado o cogumelo Amanita muscaria como seios.Acima estão estatueta feminina da cultura ocidental do México Zacatecas 2o século CE. .

em que o artista Eu diria claramente codificados o cogumelo Amanita muscaria.Acima são figuras masculinas de cultura ocidental México Zacatecas 2o século CE. (A fotografia à esquerda é de http://realhistoryww. Califórnia). .com/ ea fotografia da direita é de Flicker. como o sagrado sacramento da cabeça do xamã "Hidden In Plain Sight". San Francisco. fotografado node Young Museum of Fine Arts .

Do sul da Arábia BRONZE VOTIVE PLAQUE CIRCA Século 5 AC Acima é uma placa esculpida que retrata duas figuras barbudos carregando baldes rituais. que se assemelha a um baixo-ventre da tampa muscaria cogumelo Amanita . Uma possível pista para o conteúdo dos baldes é o símbolo circular no meio da cena. um símbolo do sol. .

é uma régua ou deidade asteca 15o-16o século México. . segurando o que parece ser um pinheiro no seu direito lado.Acima esculpida em basalto. e pinhas na outra.

como um símbolo de senhorio e divindade e representa um símbolo esotérico de uma trindade babilônica . Que retrata o uso do emblema da flor-de-lis na cabeça como uma coroa. e "Árvore do Conhecimento". e na outra mão o alado deus-rei detém uma pinha. Observe o alado deus-rei carrega um balde ritual em uma mão. que eu diria pode ser uma referência simbólica para a "Árvore da vida". .Acima é uma fotografia de uma laje de pedra Babylonion (650 aC?) . contendo o que eu diria é a bebida Soma ritual.

creio.Acima é Monumento 19 do sítio olmeca de La Venta. A régua ou ballplayer também usa um capacete felino-serpente inspirado representando Eu acredito que um portal divina do submundo Venus ressurreição. GII e GIII. e dois pássaros quetzal.O site de La Venta foi um dos maiores centros cerimoniais olmecas que floresceram nas selvas tropicais quentes da Costa do Golfo do México. a bebida cogumelo ritual de transformação jaguar submundo e Vênus ressurreição. A régua ou ballplayer ou ambos. é Soma. antes de ser abandonado por volta do início do século 4 aC. entre 1500 aC e 900 aC. debaixo de uma serpente emplumada. conhecidos estudiosos GI. O monumento retrata uma régua ou ballplayer segurando um balde ritual. que é um motivo comum representado na arte Maya aludindo a uma trindade de deuses maias. usa um cinto de três jogo de bola rasgada. . uma referência esotérica eu acredito para o deus criador Quetzalcoatl que foi dito ter inventado o jogo de bola. os chamados três pedras coração de Maya criação. O balde ritual ele segura na mão direita contém a bebida divina.

.. (Soma?). uma geografia espiritual. o que provavelmente faz alusão ao conteúdo do frasco ser outro senão a bebida Soma. isto não é história. a cruz não é uma cruz.Acima é um um ncient laje de pedra assíria (650 aC) que descreve uma deidade à esquerda com asas que é coroado com um emblema da divindade em seu capacete semelhante em forma ao emblema Fleur-de-lis do Velho Mundo. um anjo não é um anjo. um mega-icon porque encapsula todos os outros Novamente.. mas não é isso que a arte cristã é de cerca de um ícone é uma representação de algo que não pode ser representado. sendo este o caso Credo dos Apóstolos é também um ícone. . A divindade alada segura na mão esquerda uma panela manuseado. O Cogumelo na arte cristã (2010: 138139). Ícones são representações espirituais de um outro mundo. um livro não é um livro. é uma tentativa artística elaborada. o que você vê não é o que você recebe. preenchido com uma bebida sagrada para os deuses. John A. A flor de lis cogumelo Amanita muscaria e codificado na arte cristã Citando o Dr. " A maioria das pessoas lêem arte cristã. Ponta autor. A divindade alada acima também tem na mão o que parece ser uma pinha. e um cogumelo não é um cogumelo. como imagens. espiritual para explicar e prestar homenagem à experiência com cogumelos ". como tiros snap representando eventos históricos.

conhecido como os essênios. John Marco Allegro. mas instigante estudo dos rituais psicotrópicas no início judaico-cristianismo (1971). que formou a base das doutrinas cristãs. escreveu um controverso. morte e ressurreição de Jesus Cristo. Allegro um estudioso educado em Oxford foi designado para decifrar o Manuscritos do Mar Morto encontrados em Qumran em 1947.Cogumelos codificado na arte cristã? Morto estudioso Scroll Mar. Allegro supôs que o cogumelo Amanita muscaria foi o sacramento original do eucaristia. O SANTO GRAAL ? . incluindo a vida. foram religiosamente consumir cogumelos alucinógenos. especificamente o cogumelo Amanita muscaria em seus rituais . Allegro acreditava que os autores do Mar Morto.

XLVIII.3) "Em resumo. talvez através do Mesolítico e no Paleolítico "(de Furst. p. de volta. não é a serpente o espírito chthonic auto-mesmo que nós sabemos da Sibéria?" .212) "Em Gênesis. e encontrou os Deuses".. 1976 p.(Rig Veda. "Temos bebido o Soma e se tornar imortal. seu parentesco bem estabelecida.Citando Gordon Wasson . "A Árvore da Vida. alcançamos a Luz. 103). ao tempo em que os nossos antepassados primeiro viveu com a bétula e the fly-agaric. 8. o que mais é. senão o Soma. eo fruto proibido da árvore da vida. não é o lendário Bétula.. 1972. o fly-agaric. "Soma do Rig-Veda fica incorporado na história religiosa e pré-história da Eurásia. seus irmãos numerosos. [o Amanita muscaria] do pongo dos membros da tribo Ugrian?" (a partir de Furst. O seu papel na cultura humana pode voltar agora. eu defendo que as lendas da Árvore da Vida e da erva Maravilhosa teve a sua génese no Cinturão Forest of Eurasia".

. os cristãos terceiro e quarto século acreditavam que a árvore da vida era um símbolo de Jesus Cristo ea cruz (Ron Anderson 1985. A Árvore da Vida como um símbolo de Jesus Cristo p.Acima é um afresco italiano medieval que descreve Jesus e a serpente como a Árvore da Vida. Em segundo lugar.21).

. a partir da Abadia de Montecassino.1072) codificado com o que parece ser imaginário cogumelo em associação com a Árvore da Vida e da Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal.Fresco de Adão e Eva ea serpente. Itália (ca.

.o Amanita muscaria . em Ávila..Entrada leste da Basílica de San Vicente . Citando John Marco Allegro .. do culto tinha de ser escrito. "Milhares de anos antes do cristianismo. foi feito sob a forma de códigos escondidos nos contos. quando os segredos. . Esta é a origem básica das histórias do Novo Testamento ". por várias razões (incluindo a sua forma e poder como uma droga) chegou a ser considerado como um símbolo de Deus na Terra. Espanha.que. cultos secretos surgiu. que adorava o cogumelo sagrado .

um símbolo da transformação e renascimento. tanto no Antigo e Novo Mundo Mundo. Thomas Howard. em associação com um sapo upended.Acima. que codifica a Fleur símbolo de lis abaixo. é um véu humeral usado pelo século 17 Dominicana Cardinal. circulado em amarelo. .

Abaixo está a flor de lis que representa um símbolo do céu e da ressurreição.Acima está uma imagem de Jesus Cristo crucificado em uma cruz codificado com o símbolo da flor de lis. aparece a olhar muito como um cogumelo Amanita muscaria codificada .html) .com/muhara-picture_ba-3573. São Trinité Cira. (Foto de http://www. Trinité Cira 1400 Note que a imagem da cruz debaixo da coroa. este símbolo na Mesoamérica e no Velho Mundo representa renascimento e transformação. Véu do Cardeal agora pertence ao Priory Dominicana em Oxford. uma vez que as manchas brancas são adicionados. Observe o sapo upended verde abaixo da flor de lis emblema.naturephoto-cz. Andrew Gough. Crest. Alquimia Alquimia.

com/2009_07_01_archive.Cristo e os Doze Apóstolos.blogspot. (Http://christchurchmontrealmusic. Museu Nacional de Arte da Catalunha.html) . observe as cogumelo Amanita muscaria "Hidden In Plain Sight". do século 12. Barcelona.

Acima é uma pintura de Adão e Eva ea serpente na Árvore do Conhecimento. 1971) . sobreposto sobre um tampão do cogumelo Amanita muscaria codificado. A pintura é da Igreja de St. Hildesheim Alemanha 1192 AD. ( Foto de Allegro. Michael.

mas a ideia de que o frutas mortal foi uma maçã foi introduzido por John Milton em seu poema épico Paraíso Perdido.html) De acordo com Gênesis. o pecado entrou no mundo . Genesis nunca menciona maçã ou fruto proibido. século 12 (imagem a partir de abril DeConick http://forbiddengospels. Mural da abside Sant Sadurní no Osormort Espanha. e Árvore do Mundo. e "Árvore do Conhecimento". que faria com que Adão e Eva para morrer. Mais tarde. e outros estudiosos notáveis têm escrito que a maçã mitológica é uma substituição simbólica para o cogumelo Amanita muscaria. comeu o fruto que ela então tomou a Adão e ele comeu.Acima é uma pintura mural de Adão e Eva comer o fruto proibido da "Árvore do Conhecimento". Deus disse a Adão que ele foi proibido de comer da árvore do conhecimento. Gordon Wasson. apenas o "fruto do conhecimento" e o "fruto da vida eterna". que foi enganado por uma serpente.com/2012/04/sabbatical-post-3-why-mushrooms. Etno-mycologist Robert. Não sabemos que tipo de fruto desta árvore tinha. (alguns Amanitas são venenosas) . e através deste ato. Eva. Deus disse a Adão que se ele comeu o fruto que ele iria morrer. Observe a seguir o óbvio imagery cogumelo codificado em associação com a Santíssima Trindade.blogspot. . Deus os expulsou do jardim. sabendo que ele tinha desobedecido o que Deus lhe tinha dito explicitamente.

cortesia de sagaciousmama.com. A imagem descreve plantas sendo enterrados para medicamentos sob a . agora na Biblioteca do Eton College.Fotografia do cogumelo Amanita muscaria sob um pinheiro. A partir de uma cópia do século 12 do Herbarium de Apuleio .

Affresco con Amanite a l'Aquila em Santa Maria ad Cryptas di Foss (1264 -1283) . .direção de um sábio. Eu diria que o Fleur símbolo de lis neste desenho era código para cogumelos sagrados encontrados abaixo da Árvore da Vida. Acima é um fresco italiano. que codifica o fruto da árvore da vida ea árvore do conhecimento como cogumelo Amanita muscaria.

autor de "Cogumelos e Humanidade" "A afirmação de que Jesus faz" A menos que você comer e beber não tereis a vida em vós "parece condenar a substituição de qualquer que seja a coisa real é com um placebo (substituto). Amanita muscaria . Para aqueles que optam por debater esta peço que me mostre sua substância porque de acordo com as palavras de Jesus a menos que você comer e beber de 'It' não tereis a vida em vós. Meu corpo é carne de fato. é dentro de você deixa pouco espaço para o debate que se trata de uma substância. não um símbolo fantasma sozinho. eo meu sangue é verdadeiramente bebida.Citando James Arthur." "Este está dizendo muito claramente que a comer e beber é físico. e acrescentou o comunicado que quando você come. T ele Forbidden Fruit.

o fruto proibido codificado como cogumelos sagrados "Hidden in Plain Sight". .O Cantuária Saltério. representando Adão e Eva e a Árvore do Mundo. a Árvore do Conhecimento. 1147 AD.

em Göreme. Turquia. e Árvore do Conhecimento.Acima é uma vista de perto do teto da Karanlik Kilise ou '' Dark Church ''. é esotericamente codificado como um cogumelo estilística Amanita muscaria. o assim chamado de cogumelo da imortalidade (R.Gordon Wasson: .Este lindamente pintado fresco (do século 11) revela o que eu acredito é árvore do mundo imaginário. o vermelho tampado cogumelo infame com manchas brancas. em que a Árvore da Vida.

que esotericamente simbolizam a Árvore do mundo. Acima é uma obra do século 11 da arte feita de bronze. o chamado "Fall of Man". . ou Árvore da vida. Michael em Hildesheim. A obra de arte bronze retrata a cena do "pecado original". e uma Trindade de deuses criadores.1967)codificado com o que eu também diria são minúsculos da flor de lis emblemas. na porta da Catedral de St. na Alemanha. no qual Deus expulsa Adão e Eva do Éden por comer o fruto proibido da árvore do conhecimento.

Observe o que pode ser duas tampas Amanita muscaria cogumelo codificados abaixo dos ramos da Árvore do Conhecimento para esotericamente simbolizam o fruto da vida eterna. Amanita muscaria imagery cogumelo codificado em vitrais? . em Espanha . que retrata a árvore do mundo estilizado para representar o Fleur símbolo de lis.Acima é uma estela do Museu Burgos.

St-Martin-Chartres-Catedral. França século 12 dC "Sábios Três" e dois Amanitas codificados? .

Notre Dame de Laon França. do século 13. .

Acima e abaixo são pinturas que codificam os cogumelos na arte cristã. . em que os cogumelos podem ter sido codificado pelo artista (abaixo do cavalo) como uma metáfora da ressurreição.Acima é uma cena vitral de guerra e decapitação.

Observe os cogumelos na parte superior direita do afresco que emerge de uma flor de .Entrada de Cristo em Jerusalém (fresco). França. (século 12) / Igreja de St. Vic. Martin. Berry. escola francesa.

CONTINUA .. codificado creio eu.. com as cores do cogumelo Amanita muscaria.. Senhor dos astecas "Profecia Falha" .Acima está uma imagem da Santíssima Trindade... também ver A flor de lis: Símbolo de Quetzalcoatl.

. a resposta a este enigma da história do Novo Mundo parece estar na confluência surpreendente de idéias religiosas reconhecidas. Como eu descobri.Como o símbolo da flor de lis alterou o curso da Nova História do Mundo de Carl de Borhegyi: copyright 2015 Th e objetivo desta publicação é apresentar aspectos previamente desconhecidos de arte pré-colombiana e iconografia que brilha uma nova luz sobre um enigma central da história do Novo Mundo: como foi possível em 1519 por um pequeno grupo de 450 conquistadores espanhóis sob o comando de Hernán Cortés para conquistar o vasto e poderoso império asteca. tanto no Velho Mundo e Novo Mundo e simbolizado pelo design do trevo sabemos como a flor de lis.

Depois de Cortes. associada a uma árvore de vida. quando Cortes desembarcou no México em 1519.. Embora talvez melhor conhecido através de sua associação com a realeza francesa. Um viajante espanhol na pós-Conquest Peru chamado Pedro Cieza de León é citado por Bartolomé de Las Casas como dizendo.000 pessoas. conquistar e descobrir.2 milhões de pessoas que vivem na região central do México.. De acordo com pesquisadores de Berkeley Woodrow de Cook e Sherburne borah. destruíram tantos reinos . a população caiu para cerca de 700.. j ust mais de um século depois da chegada de Cortes no Novo Mundo. felino. Para onde quer que os espanhóis passaram." (Mann. a área tinha experimentado uma queda de 97 por cento na população indígena. tanto do Antigo e do Novo Mundo. cristãos.Em ambos os hemisférios da flor de lis símbolo é associado com o governo divino. havia uma estimativa de 25. "Nós.A chegada dos europeus ao Novo Mundo causou o que poderia facilmente ser alegado como o maior desastre na história humana. e de aves. Este desastre não foi menos do que o despovoamento trágica de nativos americanos. Na América Central.. na sua forma conhecida como a flor-de-lis ( "flor do lírio"). e ocorre na arte mais antiga. 2005: 143-145).. é como se um fogo tinha ido destruindo tudo em seu caminho. o lf símbolo itse é de muito maior antiguidade. e uma trindade de deuses criadores. ligado a divindades mitológicas sob a forma de uma serpente. como no Velho Mundo. Por 1623. tem sido um símbolo da monarquia européia e o símbolo sagrado da Santíssima Trindade. O trevo. a linha real do rei foi considerada de origem .

todos os reis mesoamericanos ou governantes. e da manhã. de monstros. "Uma das iconograficamente mais conhecido deuses dos panteões précolombianas (asteca e anteriores) era Quetzalcoatl.Descendentes da Mesoamérica rei-deus Quetzalcoatl. como o deus da vida. o . e deu o grão para o homem. ou manuais divinatórios no grupo Borgia (agora no Vaticano).. ou flor de lis símbolo. também foram identificados com os símbolos. A flor de lis símbolo da Quetzalcoatl Senhor dos astecas Acima está uma imagem do Senhor Quetzalcoatl coroado com uma flor símbolo de lis. e. o deus do planeta Vênus.. da vida. portanto. Citando arqueólogo Stephan F. Ele ensinou-lhe como organizar o calendário e criou cerimônias e fixa determinados dias para orações e sacrifícios. ligada à Árvore da Vida. em data anterior à conquista espanhola. Ele descobriu o milho. de gêmeos. o deus do vento. etc. de Borhegyi . Quetzalcoatl era a própria essência de santidade. Em suma. Quetzalcoatl aparece como o benfeitor constante da humanidade.divina. a partir da página 19 do Codex Borgia um dos cinco códices. sua vida de jejum e penitência.

racista ou degradante.seu carácter sacerdotal. para explorar seu mundo e dispersar sua bagagem intelectual para seus cantos mais distantes. teria uma barba negra e seria vestido de preto (Alma Reed. O imperador asteca Moctezuma II acreditava em uma profecia.140). o peitoral do vento Deus. (SF de Borhegyi 1966. o imperador asteca profundamente religioso estava preparado para um especial evento. Quando essa data caiu no ano 1519 no calendário europeu. p.Em uma das coincidências incríveis da história.13) A visão antropológica predominante da história antiga do Novo Mundo é que seus povos indígenas desenvolveram suas próprias culturas complexas independente da influência exterior ou inspiração. o evento acabou por ser a chegada do conquistador espanhol Hernan Cortés e seu exército nas margens do México. Esta data foi conhecido como Ce Acatl(1-Reed) no calendário asteca. As sugestões de que pode ter havido contactos entre o Velho Mundo e Novo Mundo antes da idade de expansão europeia têm sido geralmente descartado como tanto fantasiosa. Tal evento fora predito pelos sacerdotes astecas. De acordo com suas adivinhações a voltar "Deus justo" seria de pele branca. 1966 p. Segundo a lenda antiga. . os astecas espera seu deus Quetzalcoatl. antes da chegada de Colombo. Depois de ver a evidência visual do símbolo do Velho Mundo da flor de lis em arte précolombiana. e sua benevolência para com os seus filhos-humanidade-são evidentes no material que foi preservado para nós nas crônicas espanholas do século XVI e nos escritos de imagem de os manuscritos indígenas ". que tinha partido de suas terras muitos anos antes. Este muito é geralmente aceite história. para retornar ao seu povo no dia do aniversário de sua data de nascimento. os leitores deste estudo pode querer desafiar a visão predominante da história do Novo Mundo com um reconhecimento mais aberta da capacidade dos povos antigos.

vestindo tudo o vestuário preto. Há de conhecê-lo eram emissários enviados pelo imperador Moctezuma para aconselhá-lo se estes recém-chegados estranhas estavam em deuses facto ou mortais comuns. (Weiditz Trachtenbuch) Pouco depois Cortés desembarcou seus navios em 1519 ele reivindicou a nova terra em nome do Rei de Espanha. Aparentemente Cortés passou no teste. . porque ele foi autorizado a avançar para o interior para a capital asteca de Tenochtitlán transportando orgulhosamente sua bandeira com uma imagem da Virgem Maria com uma coroa adornada com símbolos da flor de lis. e segurando o escudo adornado com três Flor de lis símbolos.Retrato de Hernando Cortés 1529.

Os ztecs A deixou-nos uma série de pistas quanto à sua identificação de Cortés como a encarnação de Quetzalcoatl.A bandeira do século 16 da Virgem Maria com uma coroa estampada com o símbolo da flor de lis. Castelo de Chapultepec. Cortés é mostrado usando um capacete adornado com penas dispostas em forma de uma flor de lis. Cidade do México. . que foi levado pelos Cortés em sua entrada triunfal na capital asteca de Tenochtitlan. Nos códices que ilustram pouso de Cortés na costa do México e sua entrada triunfal na capital asteca de Tenochtitlán. O primeiro vem de representações de Cortés em livros nativos chamados códices que foram produzidos antes e depois da conquista por artistas astecas contemporâneos. A bandeira famosa com flor de lis símbolos agora reside no Museu de História Natural.

com a ajuda de informantes indígenas e artistas entre 1545 e 15751577. escritos entre 1537.A pintura acima é do códice florentino. o códice florentino contém uma riqueza de informações etnográficas inestimável.1588 . A pintura de fundo é de Histórias de Nova Espanha de Fray Diego Duran. Escrito por frade franciscano Bernardino deSahagun.

. a encarnação do seu deus Quetzalcoatl. Um soldado de infantaria do exército Cortés. comentou. e agora adornava a cabeça de seu guerreiro- .Acima é um manuscrito pano século 16 que retrata o encontro de Hernan Cortés com o Senhor tlaxcalteca. A pintura de Cortéspor um artista indiano. [general do Império Mexicano. Mas depois de Moctezuma viu um determinado símbolo no capacete dos soldados espanhóis. (capacete). na verdade. é a partir do século 16 Lienzo de Tlaxcala. ele acreditava além de qualquer dúvida de que Cortés era a encarnação de Quetzalcoatl e o cumprimento da profecia. que eram inimigos de longa data dos astecas.. era. Xicotencatl. rapidamente se aliaram com Cortés. Teuthlille. Austin. uma vez que foram persuadidos de queCortés.. Bernal Díaz del Castillo. Nela. também escrito Teudile]. sentada num trono de ouro codificado com um símbolo que proponho é uma flor de lis. deixou-nos um relato da primeira reunião fatídica das duas culturas. quando seu olho caiu em cima dele. Eis o relato em primeira mão de Diaz daquele fatídico encontro de Cortés eo imperador asteca Motecusuma: "Um dos nossos homens tinham em um capacete. Universidade do Texas. quefoi parcialmente dourada . que era muito mais iluminado do que qualquer de seus companheiros. ele escreve que os astecas estavam compreensivelmente suspeito dos estranhos recém-chegados de pele clara e barbudos. que ele tinha uma grande semelhança com um capacete que pertencia a seus antepassados mais antigos. A pintura de Cortés o retrata vestido inteiramente de preto. O Tlaxcallans.

que ele gostaria de se certificar de que o ouro deste país foi semelhante ao que encontramos em nossos rios. sob a mais terna das abraços. mas também o pedestre mais ágil na corte de Motecusuma. o grande Motecusuma foi muito surpreso com tudo o que ouvi e vi. Na América Central o símbolo de trevo das Flor de lis significava nada menos do que o poder divino do seu deus Quetzalcoatl. . CAPÍTULO XXXVIII. e ainda assim ele ficou satisfeito. a quem seus antepassados havia profetizado que. Motecusuma. fez todas as profissões da amizade ". Por esta razão. Bernal Diaz não descreveu o símbolo exibido no capacete do conquistador.. usar a máxima expedição para trazer seu informações monarca. e entregar a ele as pinturas e presentes. As Memórias do Conquistador Bernal Diaz del Castillo. na verdade. símbolo geração do milênio de idade no Velho Mundo do poder e divindade. uma vez ou outra. é altamente provável que o símbolo que tão impressionado Moctezuma foi a flor de lis. Infelizmente para a história. 1994 . "Cortés. No entanto. expressando assim o desejo. ao ouvir isso. era comumente brasonadas sobre os capacetes. E a razão por que fez tal impressão em Moctezuma e seus súditos é porque ele tinha precisamente o mesmo significado para os mesoamericanos nativos como tinha de os povos da Europa e do Oriente Médio. ele não duvidou por um instante que pertencia a que as pessoas. vir e subjugar o país ".. que "é descrito na literatura pósconquista como sendo de pele clara.. roupas.123).deus Huitzilopochtli. sobre esta Teuthlille despediu-se de Cortés e de todos nós. Se eles iriam enviar-lhe o casque cheio de pó de ouro. "Após este personagem tinha tomado a sua partida. (1568). bandeiras e escudos da conquistadores. (fonte . certamente seria extraordinariamente satisfeitos se ele poderia também ver este casque ". Escrito por si mesmo. prometendo voltar rapidamente. e comparou-a com a do ídolo Huitzilopochtli. Ele fez. com cabelos longos e uma barba preta" (México. que contém uma verdadeira e completa da descoberta e conquista do México e Nova Espanha. enquanto Cortés. Vol 1 (de 2). as flor de lis. quando finalmente avistou o capacete. MD Coe p. aprendemos que ele era não apenas um estadista distinto. ele iria enviá-lo para o nosso grande imperador. ele ainda acrescentou. Mas. ordenou o capacete para ser apresentado a ele.

Pintores nativos usou o símbolo para marcar Cortés e os indivíduos em sua comitiva que compartilharam poder Cortés. século 15o-17o. É evidente a partir da descrição de Diaz que os astecas não só reconheceu o símbolo da flor de lis. estampada com o símbolo da flor de lis.Capacetes Conquistador. mas que o símbolo convenceu de que Cortés encarna o poder e divindade de seu deus-rei Quetzalcoatl. da mesma forma que usou para marcar todos os avatares de Quetzalcoatl. .

tornando-se a primeira capital da Nova Espanha. . entre os anos de 1523-1527 Alvarado ordenou o exército que conquistou o Quiche (também escrito Kiché) Maya capital do Utatlán.Pintura do século 16 de conquistador espanhol Pedro de Alvarado. acompanhada Cortés em sua expedição para a capital asteca de Tenochtitlan em 1519.Mais tarde. Quando Cortés deixou a capital asteca. segundo no comando de Cortés. O conquistador Pedro de Alvarado. Alvarado permaneceu em Tenochtitlan como comandante.

. Ao 1541. a Página codex descreve o Que É provável a morte e Ressurreição de Alvarado. also pintado Por um artista indiano.Tonatiuh significado " Sun ". Segundo em Comando parágrafo Cortés. o ano da morte de Alvarado os reinos quiche e Cakchiquel sucumbiu ao domínio espanhol. E agraciado com uma coroa da flor de lis Nesta pintura. e o glifo à direita da cabeça loira de Alvarado representa o seu nome Nahuatl.Tonatiuh que significa " Acima da barba c onquistador Pedro de Alvarado.A página codex retrata o que é provável a morte e ressurreição de Alvarado. fazer manuscrito fazer pós-Conquest conhecido como oCodex Telleriano Remensis. EO glifo à Direita da Cabeça loira de Alvarado representação Seu Nome Nahuatl.

os homens do leste. pois sabemos que ele está morto... os portadores de o sinal de Deus. mensageiros astecas descrevendo os recém-chegados ao Rei Moctezuma II como criaturas sobrenaturais que montam em veados hornless. Fontes identificá-lo como o azul Quetzalcoatl (veja abaixo) pintado de azul a cor do céu azul. Codex florentino (Historia General de las Cosas de Nueva España). que havia prometido voltar do oriente no ano 1-Reed. sinalizou o cumprimento da profecia é que os Flor de lis tinha sido durante séculos um símbolo Mesoamericana para a divindade e senhorio. este símbolo identificaram o seu deus supremo Quetzalcoatl e tudo o que ele significava. incluindo seu cogumelo Venus religião.Embora os astecas (Asteca) livros sagrados havia predito o retorno de seu barbudo deus / rei Quetzalcoatl. Gravado nos Livros de Chilam Balam.. 1547-1582. eles a aceitaram como prova definitiva do retorno de Quetzalcoatl.4).... 1958 p. um grande feiticeiro. a julgar pelo que dizem que ele era. Huitzilopochtli como Quetzalcoatl representa a encarnação do sol que derrota o Senhor da Noite ou Senhor do Submundo a cada dia. e merece ser atribuído às chamas do inferno . onde ele sofre tormento eterno. eles mentiram.164) Espanhol cronista Frei Bernardino de Sahagún..33-34). Senhor!" (A partir de Michael Coe O Mayae Quinto edição de 1993 p. sacrificando-se . "(Sahagun. Quanto ao deus guerreiro Huitzilopochtli. um amigo de demônios . Este fato explica por que.. viu o símbolo que "adornavam a cabeça de seu guerreiro-deus Huitzilopochtli. contudo. que seu corpo foi reduzido a pó e que Deus Nosso Senhor atirou sua alma para o inferno. o próprio Moctezuma. Itza Nosso irmão mais velho vem. uma cronologia da história e costumes de Yucatan antiga quanto contadas pelos nativos para frades espanhóis do século XVI .. ou o céu do dia. oh homens de Tantun Receba seus convidados. finalmente. livro 1. acima de tudo. que você deve esperar seu retorno. "Embora este Quetzalcoatl foi um homem que eles [os índios]segurou-o de ser um deus . capítulo 5) A razão que este sinal. "Nosso Senhor vem. p. Quando seus antepassados disse que este Quetzalcoatl foi para Tlapallan e gostaria de voltar.. destemido como deuses (Peter Tompkins 1976. Este Quetzalcoatl que era um homem mortal e perecível que chamaram um deus. 1969. Senhor Xicotencatl e. os homens barbudos.. Embora tivesse algumas aparições da virtude. a chegada real dos conquistadores espanhóis era de fato um choque.Com uma história que remonta tão longe como os olmecas. ele parece ter ocupado um lugar de importância única entre os astecas (Caso. vestidos de ferro. Citando o profeta Maya Chilam Balam . e a cor do sacrifício humano. quando emissários Moctezuma no litoral e o governante tlaxcalteca..

bem como de seu chapéu cônico. mas ele compartilhou o mesmo templo como divindades protetoras do capital asteca com o mais antigo deus da guerra mexicana Tlaloc. p. e sua wind-jóia peitoral. como mostrado arqueologicamente pela distribuição generalizada de cerâmica Teotihuacan retratando deuses padroeiros da cidade Quetzalcoatl e Tlaloc. é um fim acima da imagem do Borgia Codex. ou "peitoral do vento". que neste caso é decorado com um de símbolo Fleur lis. a cor azul. sob o disfarce do azul Quetzalcoatl.33). A metrópole de Teotihuacan. uma régua ou Sumo Sacerdote. a fim de manter a humanidade viva e impedir que os deuses da escuridão ou o submundo de destruir o sol (Alfonso Caso. bem como sacrifício humano. . e autosacrifício. chamado ehecailacacozcatl. onde dinastias políticas em toda a Mesoamérica reivindicado aceitável dos governantes de uma cidade chamada Tollan ( Teotihuacan?). 1958. no vale do México exerceu uma grande influência sobre toda a Mesoamérica entre 300-700 CE. Crônicas espanholas documentar que quando os astecas falou da sua história foi sempre disse que tinha sido precedido por um povo maravilhoso que se chamavam tolteca. Para meu conhecimento não existem esculturas de Huitzilopochtli. A imagem acima mostra o rei-deus Quetzalcoatl. as pessoas de Tollan. tanto quanto Tlaloc compartilhada ou ocupavam o mesmo templo como Quetzalcoatl na grande cidade de Teotihuacan. Note que o símbolo de lis Fleur também parece emergir de um instrumento de sangria na mão. ou uma personagem. Acima. um símbolo de marca registrada de Quetzalcoatl como o Deus do vento.no submundo. coroado com um símbolo da flor de lis. O deus-rei mexicana Quetzalcoatl pode ser identificada neste códice por seu chapéu cónico marca. sendo a cor associada a Huitzilopochtli.

semelhante em forma e significado para o símbolo do velho mundo Fleur-de-Lis.Acima é um período Clássico (200-650 dC. Embarcação bebendo Teotihuacan que retrata a guerra deus-mexicana Tlaloc. ou uma régua Teotihuacan vestido com o disfarce de Tlaloc. usando uma coroa tendo um símbolo. A flor de lis como um símbolo da realeza .).

Acima é a lista dos 20 sinais dia Zapotec de Javier Urcid (2000). O glifo Zapotec no
canto inferior direito, codifica um símbolo para o cocar que vou demonstrar é uma
versão pré-conquista do Velho Mundo Fleur símbolo de lis da régua ou senhor.

O deus Tlaloc, retratado acima, na pré-Conquest Codex Borgia, um dos poucos
remanescentes pré-C o nquest códices, é reconhecível pela sua marca registrada
olhos arregalaram, e presas felinos. Embora as fontes espanholas nunca se referem
a Tlaloc como um deus cogumelo, proponho que os olhos Goggled refletem uma
visão cogumelo do paraíso chamado Tlalocan, o quarto nível do céu e um lugar de
primavera sem fim. Aqueles que morreu e foi para Tlalocan foram abençoados
com a imortalidade.

Tlaloc podem ser facilmente identificados por seus olhos de marcas arregalou os olhos,
presas felinas e bigode. Aqueles que morreu por Tlaloc ou estavam sob seu olhar atento,
foi diretamente para seu paraíso divino chamado Tlalocan. Também conhecido como
"The Master", Tlaloc é claramente um deus cogumelo inspirado, que compartilhou o
mesmo templo como Quetzalcoatl na grande cidade de Teotihuacan e, como chuva e
mitigação Deus, Tlaloc provido o sustento necessário para a vida eterna, (cogumelos) no
retorno para o derramamento de sangue humano na terra.

O queimador de incenso pré-colombiana acima mostra uma divindade presas ou
governante usando o cocar do deus Tlaloc mexicana. O cocar é coroado com três
Flor de lis símbolos e dois cogumelos codificados. O deus Tlaloc foi identificada
como a contrapartida Nahua (mexicano) ao Maya Chuva Deus Chac. Ambas as
divindades estão associados com o sacrifício humano e decapitação ritual que
proponho estão ligadas ao planeta Vênus como a estrela da noite. O queimador de
incenso é do Cultura Tarascan 1350 - 1521 CE, e agora reside no Museu de
ArteSnite.
(photofromhttp: //commons.wikimedia.orgwikiFile:
Tarascan_incense_burner_w_Tlaloc_headdress.jpg)
Como o deus asteca Huitzilopochtli, quanto mais velho deus Tlaloc mexicana estava
conectado com o sacrifício humano e de guerra e, como a estrela da noite, foi associado
com o planeta Venus. O culto a guerra Tlaloc-Venus espalhar de Teotihuacan para a área
de Maya durante o período clássico cedo em torno de 400-500 CE, quando Teotihuacan
estava em seu ápice. O deus Tlaloc compartilhado um templo com Huitzilopochtli na
grande metrópole asteca de Tenochtitlan, aludindo ao conceito dualista de um único e
mesmo, mais ou menos da mesma forma que Tlaloc e Quetzalcoatl partilhavam o
mesmo templo em Teotihuacan. Tlaloc e Quetzalcoatl, ambos aspectos de Vênus como
a estrela da noite Estrela da Manhã, sugere que ambos eram divindades protetoras de

Teotihuacan e sua dinastia governante. Como mencionado anteriormente, o nome de
Quetzalcoatl foi interpretado como significando "gêmeo precioso", indicando que a
Estrela da Manhã e Evening Star são uma ea mesma coisa (Caso de 1958: 0,24; Duran:
325).
O deus asteca Huitzilopochtli, como Quetzalcoatl e Tlaloc, é também muitas
vezesretratada segurando um bastão serpente representando parafusos da
mitigação. Tlaloc, no entanto, também era conhecido como "The Master" e "o
Provedor", porque ele concedeu a imortalidade a todos aqueles dispostos a assumir suas
próprias vidas. (Bierhorst, John, 1998 p.206). Tlaloc, creio eu, com seus atributos
foram-jaguar, foi o deus da decapitação ritual, e como o aspecto Estrela da noite de
Vênus, ele era o deus do submundo ressurreição.
Espanhol cronista Fray Toribio de Paredes, "Motolinía", descreve o sacrifício de quatro
filhos e sua disposição em cavernas como oferendas ao deus da chuva Tlaloc (Motolinia
1941, p.50). O culto a Tlaloc era tão popular que pode muito bem ter influenciou todas
as culturas da Mesoamérica.
O deus Quetzalcoatl, por outro lado, não foi apenas a Estrela da Manhã, mas ele
também era o deus do vento, a Serpente Emplumada, o deus da vida e da morte, de
gêmeos, serpentes e monstros e assim por diante, e por causa de seus muitos atributos
ele era conhecido por diferentes nomes: Eh'ecatl, Ce Acatl, Tlahuizcalpantecuhtli,
Tezcatlipoca e Xolotl. Os deuses Xolotl, Tlaloc e Tezcatlipoca são aspectos de
Quetzalcoatl como a estrela da noite, e, portanto, representam deuses associados com o
sacrifício (submundo decapitação) e renascimento e ressurreição do submundo. Não
é surpreendente que osdeuses Tlaloc e Quetzalcoatl, sendo uma ea mesma ,
compartilhou o mesmo templo àgrande cidade de Teotihuacan nas terras altas do
México.
Os astecas na época da conquista espanhola que se refere aos cogumelos como flores
(RG Wasson, 1980 p.79). "Três divindades astecas têm especial ligação com eles:
Xochipilli, Macuilxochitl e Xochiquetzal, os quais servem como patronos de beleza,
prazer e as artes" (Mary Miller e Karl Taube, 1993 p.88).

Acima são símbolos e nomes para os sinais de 20 dias no calendário asteca, note que o
símbolo no canto inferior direito referido como uma flor e que representa o número 20,
é idêntica em forma à flor de lis símbolo do Velho Mundo. Proponho que este símbolo
asteca referido como uma flor e que representa o número 20 é realmente um símbolo da
divindade, ou "Senhor" e representa um símbolo esotérico de uma trindade divina dos
deuses associados com a Árvore da Vida e um cogumelo da imortalidade. A
palavra,xochinanacatl, significando xochitl "flor cogumelo", que significa flor e
nanacatl significa cogumelo, é gravado no léxico da língua Nahuatl de Fray Alonzo de
Molina, a língua dos astecas, publicado em 1571.

A estatueta Precolumbian acima, agora no Museu Nacional da Cidade do México, é
do México Central e retrata o jovem deus Xochipilli, cujo nome em Nahuatl, a
língua dos astecas, significa "Prince of Flowers." Os astecas sempre referido como
cogumelos flores. Também conhecida como Macuilxochitl, que significa "cinco
flores", esta estatueta detém o que parece ser um cogumelo Amanita muscaria em
cada mão. De acordo com etno-arqueóloga Irene Nicholson, "flores simbolizam um
estado da alma em sua jornada para a divindade completa." ... "Cogumelos eram
conhecidos como 'a flor que nos faz bêbado" (Irene Nicholson 1967, p.90) .

Acima, no canto inferior direito é uma página do Codex Mendoza, um códice asteca
criada logo após a conquista espanhola, que mostra o tributo recolhido por funcionários
públicos astecas da província de Tochtepec. Acima no canto inferior esquerdo é um
close up da homenagem em um vaso tratadas-o tw, que me parecem ser os
cogumelospsilocibina. A imagem ampliada mostra os cogumelos psilocibina que
emergem de um emblema Fleur-de-lis estilizado, como um símbolo da divindade. T ele
astecas chamou oscogumelos divinos ir teonanacatl, Teo que significa Deus, nanacatl
significa cogumelo.

Citando Gordon Wasson ...
"Devemos ter em mente o que Precoce O homem não sabia: o Nahua (astecas) não
sabia que eles estavam lidando com um simples medicamento, como se diz, um
composto químico com uma estrutura molecular conhecida e um impacto conhecido
sobre a mente humana. eles estavam lidando com uma, uma dádiva divina milagrosa
"(Wasson, The Wondrous Cogumelo; 1980 p.80-81)

Acima é uma cena de um outro manuscrito Mixtec também de Highland México, o
chamado Codex Bodley, também foi pintado por volta de 1500. AD proponho que o
artista intencionalmente codificado um símbolo da flor de lis em cima do que eu
acredito que é um cogumelo sagrado, como uma metáfora de um dom divino, e que
os três pontos abaixo do flor de lis é um código para uma trindade de deuses
criadores.

ICONOGRAFIA MESOAMERICAN ENTENDIMENTO
"O termo Mesoamérica (Paul Kirchhoff, 1942) define as áreas do México e da América
Central que testemunharam o desenvolvimento de civilizações pré-colombianas
avançadas, tais como a olmeca, zapoteca, maia, Teotihuacano, tolteca, Mixtec e asteca,
todos os quais compartilhou uma série de traços culturais inter-relacionados que
envolvem conceitos religiosos, ritualismo, arquitetura, artes e ofícios, escrita
hieroglífica, e Calendrics "(Charles Gallenkamp de 1959, revisto 1985 p.3)
Os símbolos são importantes, especialmente para as pessoas pré-letradas para quem eles
carregam muito do poder da palavra escrita. No entanto, de fazer qualquer sentido da
iconografia asteca e a multiplicidade de deuses que povoou seu panteão, é preciso estar
disposto a pôr de lado todas as noções ocidentais de uma história linear e universo
hierárquico. Arqueólogo mexicano Alfonso Caso explica: (Os astecas, 1958: p.23):
"A religião asteca estava em um período de síntese, em que não estavam a ser
agrupados dentro do conceito de um único deus, diferentes capacidades que foram
considerados relacionados. Quetzalcoatl, um dos maiores dos deuses, fornece um
exemplo de como diferentes e aspectos aparentemente não relacionados foram a ser
sintetizado em um único Deus, ele era Quetzalcoatl, o deus do vento, da vida e da
manhã, o planeta Vênus, o deus dos gêmeos, e de monstros;. e assim por diante ".

Na arte pré-colombiana, ballplayers são muitas vezes retratado vestindo objetos
curiosos que os arqueólogos chamam de "pedras" ou palmate palmas. De acordo com
murais antigos e esculturas em relevo, as palmas eram parte do equipamento de
proteção usado por jogadores no jogo de bola mesoamericano. Enquanto aqueles usados
no jogo real provavelmente foram esculpidas em madeira, palmas pedra,
como a mostrada abaixo,provavelmente foram utilizados para fins cerimoniais.
Manuscritos Nahua (Annals of Cuauhtitlan) recorde que era Senhor Topiltzin
Quetzalcoatl que inventou o jogo de bola.

A fotografia é de 1963 a publicação "O jogo de bola de borracha da América
Antiga", escrito pelo pai do autor e mãe, arqueólogos Stephan F. de Borhegyi e
Suzanne de Borhegyi-Forrest. O jogo de bola Palma, é de Veracruz,
México, quedatam do período clássico atrasado, 600-900 CE e retrata um trevo
estilizado que proponho é uma versão pré-colombiana da flor de lis emblema do
Velho Mundo. A pedra palmate está agora na coleção do Museu Público
Milwaukee.

Citando o falecido Dr. Stephan F. de Borhegyi ...
"O jogo de bola, e difusão cultural pode estar em ordem"

"Enquanto a decapitação humano era um difundido costume ao longo de ambos os
antigos e novos mundos tão cedo quanto o período Paleolítico, sua associação com os
jogos da equipe antigos parece ter ocorrido apenas na Ásia Central e Oriental,
Mesoamérica e América do Sul (para ballgames no Sudeste Asiático , consulte
Loffler, 1955). o uso de cabeças humanas decepadas nos jogos de pólo do Tibete,
China e Mongólia remonta pelo menos tanto quanto a dinastia Chou (cerca de 1100
aC -250 aC) e, possivelmente, aos tempos Shang (cerca de 1750 BC -1100 aC). pela
dinastia Han (206 aC-220 dC), o jogo de pólo na China tornou-se mais refinado e
cabeças humanas foram aparentemente substituídas por bolas. no entanto, o costume
de usar "cabeças troféu" no jogo deve sobreviveram em forma moderna em áreas
marginais, como prova pelo fato de que os tajiques membros de tribos dias atuais do
Afeganistão ainda usam a cabeça de uma cabra como uma bola durante o jogo
(Abercombie, 1968). Embora mais estudos são necessários ao longo desta linha, é
tentador sugerir que o costume de usar cabeças humanas em ballgames competitivos
ser adicionado à crescente inventário Pré-clássico de "contatos trans-Pacífico". (SF
de Borhegyi 1980, p.25)
Se for para acreditar que os relatos dos primeiros cronistas, mesoamericanos
acreditavam em uma força dualista todo-poderoso que governou o cosmos.Essa força
tomou forma tangível no rei-deus Quetzalcoatl. Para simplificar demasiado um conjunto
muito complexo de idéias, podemos dizer que todos os outros deuses eram
simplesmente manifestações dessa força e representava diferentes expressões de
Quetzalcoatl. Este fato, mais uma vez explica por que, quando emissários

Moctezuma no litoral e o governante tlaxcalteca, Senhor Xicotencatl e,
finalmente, o próprio Moctezuma, viu o símbolo que"adornavam a cabeça de seu
guerreiro-deus Huitzilopochtli", eles a aceitaram como prova definitiva do retorno de
Quetzalcoatl.

Fontes indicam que o rosto eo corpo de Huitzilopochtli muitas vezes apresentam
pintura listrada amarela e azul (Miller e Taube, 1993 p.93).O nome glifo à direita
da figura acima, tem o símbolo do trefoil, ou Fleur-de-lis.

Frade franciscano Bernardino de Sahagun ... da origem dos deuses astecas:
"De acordo com o que os antigos nativos contou sobre o nascimento e início de
Satanás, a quem chamavam de Huitzilopochtli, a quem os mexicanos pago grande
honra e homenagem". "Não existe nenhum relato claro nem genuína (verdadeiras)
sobre a origem dos deuses, na verdade, nada se sabe sobre eles. o que eles dizem
(sobre isso) é que existe um lugar chamado Teutioacan, e ali, desde tempos
imemoriais, todos os deuses se reuniram e conversaram, dizendo: "Quem é que vai
governar e governar o mundo ? Quem é que vai ser o sol? "(Isso foi dito em outros
lugares). E que quando o sol nasceu e saiu, todos os deuses morreram e nenhum
deles permaneceu".
Bernal Díaz del Castillo diz-nos que Moctezuma sacrificados "muitos rapazes" cada dia
por um sinal dos deuses como o que fazer com o retorno dos estrangeiros
brancos.Cronista espanhol, Fray Diego Durán, escreve sobre o evento
em suas Histórias da Nova Espanha (1537-1588)

Citando Fray Duran ...
Moctezuma II, falando ......
"Eu quero que você descobrir quem seu chefe é, uma vez que ele é o único a quem
você deve dar todos esses presentes. Você deve descobrir com certeza absoluta se ele é
o que os nossos antepassados chamado Topiltzin ou Quetzalcoatl. Nossas histórias
dizem que ele abandonou esta terra mas a palavra esquerda que ele ou seus filhos
voltaria a reinar sobre este país, para recuperar o ouro, prata e jóias que saíram
escondidos nas montanhas. de acordo com as lendas, deverão adquirir toda a riqueza
que temos agora possess. If it is really Quetzalcoatl, greet him on my behalf and give
him these gifts. You must also order the governor of Cuetlaxtla to provide him with all
kinds of food, cooked birds and game. Let him also be given all the types of bread that
are baked, together with fruit and gourds of chocolate. Let all of this be placed at the
edge of the sea, and from there you and your companion, Cuiltalpitoc, will take it to
the ship or house where they are lodged. Give these things to him so that he, his
children and companions may eat of them. Observe cuidadosamente se ele come ou
não. Se ele come e bebe ele é certamente Quetzalcoatl, pois isso vai mostrar que ele
está familiarizado com os alimentos desta terra, que ele comeu-os uma vez e voltou
para saboreá-las de novo "(Os astecas, por Fray Diego Duran 1964 p.264 )
Fray Sahagun, escreve que os emissários de Moctezuma II pensou que Quetzalcoatl
tinha retornado, e descreve Moctezuma como dizendo "Ele já apareceu! Ele
voltou! Ele virá aqui para o lugar de seu trono e copa, pois é o que ele pronunciou
quando ele partiu ". De acordo com o Codex Ramirez, "todos os sinais e notícias dadas
pelos castelhanos [conquistadores] sugeriu, sem dúvida, que o grande imperador
Quetzalcoatl tinha chegado, aquele que tinha há muito tempo desapareceu sobre o mar
onde o sol se levantou e que tinha permitido -lo para se dizer que com o tempo ele teve
que voltar ". Um dos sinais do retorno de Quetzalcoatl foi quando Cortés desembarcou
seus navios na costa oriental do México, em 1519, ele vestido de preto porque era
Sexta-feira Santa, coincidentemente uma das cores de Quetzalcoatl (Conquest, por
Hugh Thomas 1993 p.185) .
Bernal Díaz del Castillo que testemunhou os acontecimentos , gravou o discurso, em
que Moctezuma disse "agora que ele tinha-nos com ele, ele estava em nosso serviço, e
nos daria tudo o que ele possuía, e que foi certamente verdade que estávamos aqueles
de quem seus antepassados tinham falado, quando falavam de homens que viriam a
partir de onde o sol se levantou para se pronunciar sobre esses territórios " (Hugh
Thomas 1993 p.282)
Quando Moctezuma viu os símbolos lis Flor de ele não teve escolha senão entregar seu
império para Cortés acreditando que Cortés era Quetzalcoatl, retornando como
profetizado no ano de seu nascimento para recuperar seu legítimo trono.

A história da crença de Moctezuma que o deus Quetzalcoatl havia retornado para
recuperar seu trono foi gravado por uma série de cronistas espanhóis. No entanto, é
importante notar que, em uma carta do vice-rei Antonio de Mendoza para Fernández de
Oviedo, um historiador coleta de material para a história das Índias, em 1541, Mendoza
negou ter pensado que os astecas, em sua migração de sua pátria mítica de Aztlan, tinha
sido conduzido por seu deus patrono Huitzilopochtli no Vale do México. Na verdade,
Mendoza afirma que os astecas tinha sido levado por um deus e homem sábio chamado
de "Quetzalcoatl", e que houve alguma confusão, e Quetzalcoatl tinha sido sempre o
líder pretendido. ( Conquest , por Hugh Thomas 1993 p.185).

Acima é a imagem de Quetzalcoatl a partir da página 19 do Codex Borgia, um dos
poucos códices pré-colombianos restantes. A página descreve Quetzalcoatl pintado
de preto, a cor da morte e do submundo. Ele veste o vermelho barbudo máscara do
Deus do vento Ehecatl, e aponta para uma serpente. Quetzalcoatl também usa um
cocar harpia que codifica uma de símbolo Fleur lis emergindo de um instrumento
de sangria. O outro atributo familiar de Quetzalcoatl é o shell pendente wind-jóia
desgastado em seu peito como um símbolo do Deus do vento .

Page 62 do Codex Borgia novamente retrata Senhor Quetzalcoatl pintado assento
preto em um trono. Ele usa sua marca registrada shell tampões de ouvido e windjóia e é coroado com um de símbolo Fleur lis em sua cabeça.
O mencionado anteriormente Codex florentino por Fray Bernardino de Sahagun, um
conjunto de informações etnográficas bem documentado sobre a cultura asteca
organizado em doze livros que consistem em mais de 2400 páginas e mais de 2000
ilustrações desenhadas por artistas nativos, nos dá mais informações sobre as crenças
religiosas astecas. Os 12 volumes agora estão localizados na Biblioteca Laurentian em
Florença, onde ele pode ter sido enviado para ser julgado pela Inquisição espanhola. A
igreja católica mais provável proibiu o livro por causa do seu conteúdo de rituais
pagãos. Ele permaneceu desconhecida até que seja redescoberta em 1883 (Orellana,
1987, p.11).

Outro exemplo de muito precoce da flor de lis adorar nas Américas chega até nós por
meio de um relato escrito por um explorador francês chamado Rene de
Laudonnière. Em 1564 Laudonnière chegou a Fort Carolina perto da foz do rio do St
John, perto da atual cidade de Jacksonville, Florida. De acordo com Laudonnierre, ele
encontrou os índios Timucuan adorando uma coluna de pedra. A coluna de pedra, ele
nos informa, tinha sido erguida em 1562 por Jean Ribault, um explorador francês que
tinha tentado resolver uma colónia protestante, na costa leste da Flórida. Ribault
ordenou a coluna esculpida com o revestimento de braços francês como prova de
possessão francesa. Essa coluna é hoje conhecida como a coluna de Ribault.

Laudonnière escreve que a coluna foi estampada com um escudo contendo três símbolos
da flor de lis, e que os índios tinham sido adorando a coluna, e tinha decorado com
coroas de flores e colocou para fora em suas ofertas de base de alimentos e armas. Os
Timucuans teve já sofreu as incursões do homem branco: Ponce de Leon em 1513,
Pánfilo de Narváez, em 1529, e Hernando de Soto em 1539 (Alvin M. Josephy Jr. p
145).. é difícil saber sem mais pesquisas se o nativo veneração óbvio 's Timucuans para
a coluna foi o resultado do, e, presença francesa muito breve antes da sua terra, ou se
eles estavam familiarizados com o símbolo associado com o senhor Quetzalcoatl por
meio de pré-contato difusão cultural da Mesoamérica.

De acordo com Sahagun, Topiltzin Quetzalcoatl "escapado" de sua amada cidade de
Tula, e quando ele olhou para trás, começou a chorar, e suas lágrimas perfurado a pedra
sobre a qual ele assim sentou descansando e chorando (A História do México antigo,
1932 p. 187).

À primeira vista o rosto do "Weeping Deus" dá a ilusão de uma divindade com
balançando olho-bolas. No entanto, eu f você olhar atentamente para os olhos de
Quetzalcoatl, você vai ver que os globos oculares pendentes são realmente codificado
Amanita muscaria cogumelos "Hidden In Plain Sight".

Citando Maya arqueólogo Stephan F. de Borhegyi ...
"... os indivíduos antropomórficas com presas com olhos pendurados, são comumente
associados com o deus Quetzalcoatl na sua forma de Ehecatl Deus do vento". (SF de
Borhegyi 1980: 17)
Esta deidade barbudo felino, serpentina, e as características de pássaro
compartilhada.Identificado como Quetzalcoatl, ele assumiu muitas formas e atributos
adicionais ao longo dos anos, e tornou-se conhecido por uma grande variedade de
nomes em todo o Novo Mundo. I optou por se referir a ele, como fez a toltecas e
astecas, como Quetzalcoatl-Tlaloc. (Foto de um "Deus Chorando" acima é de VanKirk, Jacques, e
Parney Bassett-VanKirk, Remains notáveis dos povos antigos da Guatemala, Norman: University of
Oklahoma, 1996.)

Acima é uma escultura de Pós-clássico de um templo asteca que retrata
Quetzalcoatl como a serpente emplumada, codificados com o que eu diria são os
cogumelos sagrados dos astecas chamado teonanacatl .
De Fray Sahagun contemporâneo, Fray Diego Duran, (The Aztecs, 1964, p.149) escreve
que ele foi escrito que antes de Quetzalcoatl partiu da cidade de Tula, ele deixou ordens
para que sua figura ser esculpidas em madeira e em pedra, a ser adorado por as pessoas
comuns. "Eles permanecerão como um memorial perpétuo de nossa grandeza da
forma que nos lembramos de Quetzalcoatl".

Espanhol cronista Fray Diego Duran escreve ....
"Todas as cerimônias e ritos, construção de templos e altares e colocando ídolos
neles, jejum, indo nu e dormir no chão, subir montanhas, para pregar a lei existe,
beijando a terra, comendo-o com os dedos e tocando trombetas e concha conchas e
flautas sobre a grande festa dias-- todas estas emulados os caminhos do homem
santo, Topiltzin Quetzalcoatl ".(Duran, 1971: 59) .

Cucumatz que significa "serpente emplumada". O rei sacerdote Quetzalcoatl / Kukulcan. que preenche a lacuna entre a pré-história e história. Maya arqueólogo Stephan de Borhegyi escreve: " Eu acho que a história é a seguinte:. Os maias de Chiapas. ou seja. (Gucumatz) foi expulso por seus inimigos de Tula (Tollan). liderado por descendentes de Quetzalcoatl e . parece que algumas das tribos Chontal aceitou o culto do cogumelointroduzido por ele e depois de alguns anos. por volta 960A. e acredita-se que ele reconstruiu a grande cidade de Chichen Itza. e que mais tarde construiu a cidade de Mayapan. Quetzalcoatl foi acusado de sodomia e incesto) Ele saiu com um pequeno grupo de seus seguidores e foi para Tlapallan. estão longe de ser clara. a região de Laguna de Terminos. bem como a diferença entre as datas disputadas no calendário e datas registradas no calendário europeu Maya. a pressão . Aqui ele aparentemente se estabeleceu.D (.A popularidade do nome Quetzalcoatl só demonstra a sua popularidade no Novo Mundo. Os eventos deste período. chamou-o Cuchulchan. ou "Serpente Emplumada" na sua língua. eo Quiche e Cakchiquel Maya do planalto Guatemala chamou-o Gucumatz. de tribos inimigas forçou-os a seguir em frente.O Itza Maya de Yucatán o chamou de Kukulcan.

o estelas com inscrições oficialmente conhecido como o danzante com glifos (ou Monumento 3 em San Jose Mogote). A régua ou deidade retratado é coroado com um símbolo de governo que eu acredito que representa uma versão do Novo Mundo do símbolo do Velho Mundo da flor de lis. Acima é um urn olmeca influenciado Zapotec a partir de (Tomb 7) Monte Alban.us/ monte-Alban /) . abril 1954 Arquivos de Harvard) . (Fotografia de urna Zapotec de http : //roadslesstraveled. variam entre 1680 e 1410 aC (Charles C. p.Mann 2006 . O símbolo lis Fleur de. de a mais antiga paliçada Zapotec. Novas evidências sugerem que o centro cerimonial em Monte Alban. no sul do México. foi olmeca influenciado. outros se mudou para o sul seguindo o Usamacinta direção a Guatemala "(Carta. como evidência de contato précolombiano Os primeiros indícios de escrita no Novo Mundo aparece em uma estelas no antigo local de cerimônias Zapotec de Monte Alban. O zapotecas foram uma civilização précolombiana que floresceu no vale de Oaxaca. Observe o familiar "grunhido olmeca" simbolismo de um jaguar submundo rosnando. em Oaxaca no México.237). A urna retrata uma régua ou deidade com características faciais que parecem muito semelhantes àqueles encontrados nas culturas da Ásia.159). de Borhegyi para Gordon Wasson.seus seguidores Alguns foram a nordeste de Chichen Itza. p. foi esculpida por volta de 600 aC (Josephy 1991. e começa a desenvolver sob a influência dos olmecas cerca de 700-800 aC datas de radiocarbono por Kent Flannery e Joyce Marcus .

e deuses da chuva como o deus mexicano Tlaloc eram provenientes de todos os olmecas jaguar-associado com sacrifício e do submundo (Miller e Taube.queimador de incenso Zapotec com codificada Fleur de lis símbolo? historiador de arte mexicana. demonstrou que as imagens posteriores de Quetzalcoatl. Miguel Covarrubias. serpentes de penas. 1993: 185). Na Mesoamérica encontramos estela de reis maias vestidos com trajes elaborados (representação divindade) que reforçam o poder do rei como um deus da vida e da morte e ressurreição Venus esculpida. .

que descreve a serpente de pés Maya deus. O rei detém o Deus K Manequim Scepter. o Grande. o rei de Yaxchilan.Acima é um desenho de Stela 11. conhecido como K'awil. sobre as cabeças dos três vítimas sacrificiais. T h e rei do conjurando do Maya deus K'awil manifesto ed o mundo espiritual dentro o mundo material.Nesta cena o governante foi identificado como Pássaro Jaguar. que retrata o rei poderosa vestindo um cocar de penas elaborado. . e um peitoral que codifica o emblema Fleur-de-lis como um símbolo de realeza divina. como o seu homólogo asteca-tolteca Tlaloc. representa a personificação de um raio. Chac. no estado de Chiapas no México. chuva e trovões . das antigas ruínas maias de Yaxchilan. O famoso rei usa uma máscara barbudo deus maia de decapitação conhecida como Chac (também escrito Chaac) ou Chac-Xib-Chac. "por Schellhas. designado como "Deus B .

em Chiapas México. . com felino atributos usa uma coroa codificado comdois X-símbolos. e dois da flor de lis símbolos. O deus-rei que é retratado no queimador de incenso.Acima é um fim acima de um período atrasado Clássico (600-900 dC) cerâmica queimador de incenso da antiga cidade maia de Palenque. um no lado éter de uma divindade que pode representar GI do Palenque Triad. Palenque é o lar de uma trindade de deuses maias conhecidos como Palenque Triad.

Nota A flor de lis. X-símbolo e cabeça deidade retratados na cabeça capacete etrusca acima datada de 650 aC (compare iconografia semelhante acima e abaixo) Eu encontrei semelhante flor de lis iconografia em navios cabeça capacete grego datado de cerca de 650-500 aC .

México. O governante Maya conhecido apenas como Régua C. O Maya deus K'awil também conhecido como Deus K (designada por Schellhas) . representa um portal sagrado que leva para o mundo espiritual de um mundo sobrenatural da imortalidade divina. um símbolo real que tenha sido identificado como uma representação simbólica da "árvore do mundo". conhecido como "Double-cabeça de serpente-bar". Morley acredita a barra cerimonial Maya simbolizava o posto mais alto religiosa durante o período clássico (AD 250-900). Arqueólogo Legendary Sylvanus G. detém em ambos os braços um bar cerimonial. A barra cerimonial conhecido entre os maias antigos como o Wakah Chan. é o deus mais frequentemente retratado emergindo da Double-cabeça de serpente Bar durante o período clássico. que significa "Raised-Up-Sky". coroado com um símbolo que eu proponho é uma versão do Novo Mundo do símbolo do Velho Mundo da flor de lis.Acima é uma reprodução de Stela 20. A estela esculpida retrata a adesão de um governante Maya. a partir do sítio arqueológico de Coba em Quintana Roo. Acreditava-se para invocar as divindades associadas com a imortalidade ligada a sangrias rituais e cogumelos sagrados .A barra cerimonial provavelmente representa um ícone cosmológica da .

mas como a . provavelmente a Deus Longo-cheirado". De acordo com o falecido Dr. que era um sobe e desce portal ligado à natureza dualista do planeta Vênus como estrela da manhã e Evening Star. ressuscitou do Mundo Inferior não como Chac-Xib-Chac. 1999 p. "Muitas autoridades consideram Deus B para representar Kukulcan. tem mais recursos de peixe-like. e é e é frequentemente retratado vestindo um earflare concha e um diadema shell em seu cocar que descreve um símbolo em forma de X que eu identifico como um portal para submundo. O governante também usa roupas codificado com o motivo 3 pontos. a Serpente Emplumada. No entanto o seu conhecido que governantes maias que representadas a divindade Chac-Xib-Chac em sua morte.. K'awil conhecido como o Senhor de Linhagens. Citando o falecido Dr. Chac-Xib-Chac é uma divindade com ambas as características de répteis e peixes-like. sabe como as três pedras de lareira da criação. também conhecido simplesmente como Chac (também escrito Chaac) a partir dos códices posteriores. Arqueólogos Maya propor que Régua C é retratado representando o Chac Longocheirada na Stela 20 em sua adesão. Porque os glifos na Stela 20 são demasiado reduzido para ser lido. Por causa de atributos reptilianos de Chac ele é comumente confundido com o Maya deidade serpente de pés conhecido como K'awil (também escrito K'awiil ou Kauil) a outra chamada de longa lábios divindade Maya. Herbert J. Um Estudo de Maya arte. curador de arqueologia mexicana e etnologia no Museu Peabody da Universidade de Harvard . escreve .. Gronemeyer 2004).62). "Parece bastante provável que Quetzalcoatl era uma adaptação mexicana de uma das principais divindades Maya. Chac ou Chac-Xib-Chac. um símbolo sagrado ou código referindose a uma trindade de deuses. Spinden. O governante é retratado vestindo a mantilha elaborada do Longo-cheirado Maya deus Chac-Xib-Chac. Ele empunha um machado e é comumente representado na arte Maya associado com o ritual de decapitação submundo. As inscrições Stela 20 revelam que o nome do governante pode ter sido dado o kaloomte título »(ver E1 do texto stela. Reis maias podem ter acreditado que eles estavam realmente se comunicando com o deus K'awil quando eles realizavam rituais sagrados derramamento de sangue após o consumo da bebida inebriante. ou a ressurreição do submundo. Isto sugere que Régua C entrou na vida após a morte representando esta divindade. e autor de. é considerado por muitos estudiosos a ser uma versão do G II do Palenque Triad. ligada à cogumelos e decapitação submundo. o governante retratada na Stela 20 é conhecido apenas como Governante C. que abriu a porta para o mundo espiritual. o axis mundi. um título comparável ao posto supremo do" imperador "(Harrison. 92)."árvore do mundo". cujo Aztec equivalente é Quetzalcoatl" (A Study of Maya Art 1975 p. Herbert J. Spinden. um dos grandes estudiosos de arte mesoamericana e arqueologia...

Kinich Ahau . Isto implicaria que Maya governantes que representadas o deus Chac-Xib-Chac no momento da morte. 149). 31). possivelmente indicando um nome alternativo para K'awil. O arqueólogo Michael Coe menciona em seu livro. Leitura Maya Art . Coe também menciona que a notação bar-e-ponto do número "nove" está associada com K'awil. diretamente na frente da Régua C. uma abertura de um portal divina. que provavelmente representadas o deus Tlaloc a contrapartida do deus Maya Chac-XibChac. Um excelente exemplo de transformação submundo do rei pode ser encontrado nas inscrições em Tikal em que o nome dado a este rei é Sihyaj Chan K'awiil . "A leitura dos hieróglifos maias" (página 112). Eu acredito que o glifo significado mão aberta "para levantar". antes de entrar no submundo . o rei está renascendo no momento preciso da sua ressurreição e apoteose. como um "rei vivo". renasce como a divindade "Unen K'awiil ou bebê K'awiil" (Stone e Zender 2011. indicando o número nove. assim como os seus homólogos Maya representado Chac-Xib-Chac. p.reencarnação do Deus Sol. nos diz que "ele foi criado" ou que a "árvore do mundo foi criado". mas que um espelho de fumar ou na testa conceber também são comumente usados. e que o glifo diretamente abaixo do glifo mão aberta pode significar "ele chegou". mas em sua morte. como Bolon Ts'akab. podemos concluir que Régua C ressuscitado do submundo renascer como jaguar bebê. Pesquisadores Maya nos informam que. e que há glifos que mencionam o assentamento do Senhor Kinich Ahau. que significa" K celeste " awiil nasce "( Stone e Zende r. um nome encontrado em Relacion do Bispo Landa. que glifo de K'awil é quase sempre uma logograma. p. como " Kinich Ahau u ba K'awiil " Régua C pode ter tido o título distinto de Kaloomte. quando vemos tocha ardente de K'awil perfuração na testa ou crânio do rei. e que logo abaixo que glifo é o glifo já identificada como um título que lê. mas à semelhança de K'awil. ou a do governante de Coba retratada na Stela 20. e sua adesão a partir do submundo. quando vemos tocha ardente de K'awil perfuração na testa ou crânio do rei que o rei no momento preciso da sua ressurreição e apoteose. O mesmo pode ser dito do período clássico governantes Teotihuacan. 31). ressuscitou do Mundo Inferior não como Chac-Xib-Chac mas à semelhança do deus K'awil. 2011. Eu tenho observou que diretamente em frente da Régua C. pesquisadores Maya nos informar que. Por causa da associação de Tlaloc com Submundo decapitação como o aspecto Evening Star of Venus. Então ao invés de usar o título Kaloomte que é um pouco modesto de qualquer maneira porque os glifos superiores são tão erodidas e ilegível. governantes Teotihuacan provavelmente retratou-se personificando Tlaloc. há um glifo bar com quatro pontos. e provavelmente GIII do Palenque Triad?). à semelhança do deus K'awil. ou GI do Palenque Triad. e renasce como a divindade Unen K'awiil ou o bebê do K ' awiil "(Stone e Zender 2011. . "Kinich Ahau" ou "Grande Sol Senhor". ele ressuscitado como uma reencarnação do deus Sol conhecido como Kinich Ahau (também escrito Ajaw. p.

porque K'awil foi o patrono de linhagens Maya. Cada dia tem um glifo para representá-lo. K'awil (GII do Palenque Traid?) Através de sua serpente perna pés abriu a porta para o mundo espiritual. penetrando no chão e entrar no submundo. simbolizada um raio que. rei ou "Senhor". poderia criar uma nova vida em um lugar de morte e decadência. 1999 p. O Maya deus K'awil também é reconhecível pelo tubo de fumar. Ajaw também escrito Ahau: significa régua. ou entrar. Inscrições maias também nos dizem que o rei frequentemente adicionado o nome K'awil (também escrito K'awiil) para o seu próprio.um deus de uma perna só manifesta do poder do raio. no submundo. Acima é o calendário maia Tzolkin que tem o mesmo ciclo de 20 nomes de dias. A maior parte da Mesoamérica partilhavam o mesmo calendário. e como deus da transformação divina. O idealizada ciclo de Vênus sempre terminou no dia 1-Ahau. Estes atributos esotéricos de K'awil juntamente com o espelho de obsidiana muitas vezes representado na testa são metáforas do poder de penetrar.170). (Milbrath. Na mitologia maia K'awil que é muitas vezes descrito como um deus pernas. e é a contrapartida para o sinal do dia mexicana central "flor" (Xochitl). ou axehead que penetra sua testa.Deuses de uma perna só como K 'Avil eo seu homólogo asteca Tezcatlipoca pode ser uma metáfora esotérica para o cogumelo divina .Deidade representação nos diz que o rei foi acreditado para entrar no submundo como a encarnação do deus Chac-Xib-Chac (GI do Palenque Traid?). . e o glifo na parte inferior direita.

e que o cetro em forma de serpente encontrada em El Manati pode ser uma insígnias de poder e soberania.8). O jogo de bola ritual só pode ser explicado como um fenômeno cultural cruz. para que transcendeu todas as barreiras linguísticas na Mesoamérica. p.Acima está uma estatueta pré-colombiana (note deus-olhos) agora no Museu de Denver.Escavações (Scott JF.46 pp. e um em seu cinto jogo de bola (jugo). indicando uma relação precoce entre o jogo de bola e serpentes. 1976. porque seguiram os caminhos do seu deus-rei Quetzalcoatl. Nota grandes olhos da estatueta deus. e concluiu que a bola do jogo pode ser uma alegoria da vida através da sucessão dinástica. no. Gerard Van Bussel (Van Bussel 1991 Ibid pp. segurando o que eu diria é um cogumelo Amanita muscaria. e três Ahau ícones(também escrito Ajaw) . sacrifício próprio ou o sacrifício da própria vida se acreditava ser o maior presente que se pode dar aos deuses. um símbolo de Maya reinado (SF de Borhegyi 1980.2548) descobriram um jugo pedra e um cetro em forma de serpente (início de préclássico 900 aC). O mais antigo sítio arqueológico conhecido a partir do qual jogo real bola parafernália foi recuperado é El Manati no no mexicana Gulf Coast. que . Há muitas evidências de que jogadores de beisebol da área da Costa do Golfo usava joelheiras com o design glifo Ahau. um em cada joelho. 256-57) analisaram a relação entre as palavras Maya para sangue e sêmen.

de modo a tornar-se o novo quinto sol.na lenda se sacrificou (em Teotihuacan).118). no submundo para ser sacrificados por decapitação submundo e renasce e deificado como o novo Sun. e trazer a luz de volta para o mundo: (MD Coe 1994: 91) Acima. em que o deus Quetzalcoatl. um close up de um esculpida tardia clássico Período 600-900 CE. Os sobreviventes daquela época foram transformados em macacos e Quetzalcoatl era seu governante. muitas pessoas se afogaram e outros arremessado para as montanhas e foram transformados em macacos". na quarta idade da terra ". simbolizando senhorio e divindade. como Ehecatl Deus do vento presidiram o segundo sol. Maya navio potável. Em Maya religião o macaco representa o primeiro dos Nove Senhores da noite ou Submundo. As imagens macaco nesta cena pode aludir aos Cinco Sóis contas cosmogônicos (Mary Miller e Karl Taube 1993. O primeiro deus . que retrata uma divindade barbudo coroado com o trevo em sua cabeça. De acordo com o Anales de Cuauhtitlan. o sol de vento . ehecatonatiuh. Chamado de Bolon Ti Ku. esses deuses foram responsáveis por orientar o Sun (identificado como um jaguar submundo). p. até que foi destruída por grandes ventos.

e construiu templos para ele. e chamaram-no Lord of the Dawn" (fIbid. Espanhol cronista Fray Toribio de Paredes.) No Codex Chimalpopoca." (de A. era porque essas pessoas mal orientadas acreditavam que quando um de seus deuses principais. A passagem desse Codex lê . conhecido carinhosamente pelos índios como "Motolinía".. que é quando Quetzalcoatl reapareceu como a Estrela da manhã no nascer helíaco.associado com re-nascimento foi o Monkey (GI) e Quetzalcoatl (G9) foi o último. de qual ele escreve: "os índios adoravam esta estrela mais do que qualquer outra. Aveni ". Oito dias é o período de invisibilidade para Vênus. que contava os dias por esta e rendeu reverência e ofereceu sacrifícios a ele. era onde sacrifícios humanos foram realizados em honra de Quetzalcoatl. que durou oito dias. "American Scientist 67. este é o mesmo número de dias que. celestial ou terrestre . Ele é referido como um espírito de regeneração e como a estrela da manhã. Quetzalcoatl era no submundo criar a humanidade por sangria sobre os ossos de seu pai e os ossos de gerações passadas. (capítulo 29). 274. Coincidentemente. chamados Topiltzin ou Quetzalcoatl. (Venus) ele chama de Lúcifer.36. Motolinia posta em causa as lendas que descreviam Quetzalcoatl como se opondo sacrifício humano. associada à morte e decapitação ritual e conclusão do tempo. excepto o sol. A última razão pela qual o seu calendário foi com base nessa estrela que tinham muito reverenciado e honrado com sacrifícios. nasce no ano de 1-Reed (p.. Vênus e o Maya. P. (História e Mitologia dos astecas 1992) Quetzalcoatl chamado Topiltzin Priest Ce Acatl Quetzalcoatl. " (Lafaye. Por isso se diz que saiu quando Quetzalcoatl morreu.109 ). p. 1987) Arqueo-astrônomo Anthony Aveni acrescenta que os astecas: "sabia em que dia ele [Vênus] iria aparecer no leste depois de ter perdido em si ou desapareceram no oeste. 7:39) . referindo-se a "divindade" ou "deus" (MD Coe 2001. p. Eles o chamavam Deus de ar e do vento. em conjunção inferior. foi metamorfoseado em que a estrela radiante. 31 5:21). A palavra K'uh em glifos clássico Maya foi atribuído ao deus-macaco e glifos seu perfil macaco foi usado para descrever "santo" ou "sagrado". Motolinía descreve uma estrela . e realizou mais sacrifícios rituais para ele do que para qualquer outra criatura. em suas Memoriales. morreu e deixou este mundo. registrou que os índios da Nova Espanha (conhecidos como os astecas ou astecas) considerado Quetzalcoatl como um dos seus deuses principais. Ele então saiu do submundo como a estrela da manhã.. segundo a lenda. Motolinia descreve a grande cerimônia para Quetzalcoatl. e escreve que o Santo da cidade de Cholula. "Os mais velhos diziam que ele foi mudado para a estrela que aparece ao amanhecer..28 3:56) e morreu no ano 1-Reed e é dito que ele foi para tlillan-tlapallan para morrer lá (p.

cerca de 400 dC a 650 dC. de modo que sua vida foi contada completamente como cinqüenta e dois anos" (Bierhorst 1998. p. Vasos cerimoniais influenciaram Teotihuacan e queimadores de incenso cerâmicas decoradas com as divindades protetoras Teotihuacan de Quetzalcoatl e Tlaloc são encontrados em toda a área maia da Guatemala. O período clássico na Mesoamérica (250 dC a 900 dC). Cinco destes ciclos sinódicos cheios de Estrela da Manhã para Morning Star é igual a oito anos solares para o dia em que vemos Venus subir no mesmo local a cada oito anos terrestres. é geralmente caracterizada pela forte influência de Teotihuacan. ou o "bárbaro" chichimecas ou invasores Otomi do norte do México.Há uma abundância de evidências na mitologia mesoamericana que liga os muitos avatares de Quetzalcoatl. liderados pelo lendário Topiltzin Ce Acatl. Com o conhecimento de prever Morning Star aparições nos séculos vindouros sacerdotes calendário e governantes seria reverenciado por ter os poderes de ressurreição que deram origem ao sacerdócio. à dualidade do planeta Vênus. Jaguar-Bird-Serpent. com a sua existência dualista tanto como a Estrela da Manhã ea Estrela da Tarde. T ele poder e influência religiosa de Teotihuacan declina repente em torno 600-650 AD um epois da queima e subsequente destruição da grande cidade pelos toltecas. p. existe uma lenda Nahua de um paraíso de nove céus que foi dedicado ao deus Quetzalcoatl vento. 37. e Yucatan no México. localizado a cerca de 40 km."Como para o chamado Quetzalcoatl. Era um sistema divina para a medição de tempo e calendário padres foram capazes de prever as datas exatas para solstícios e eclipses. e Seler acreditava que a imagem jaguar-pássaro-serpente foi associada com a guerra e a Estrela da Manhã (Milbrath 1999). foram responsáveis por um breve "Teotihuacan renascimento" ou avivamento (950-1150 dC). o seu ciclo sinódico completa leva 584 dias. mas quando Vênus é visto a partir da Terra. chamado Tamoanchan onde havia uma . o Codex Chimalpopoca. 25) Na mitologia do México antigo. durante o qual pré-clássico e ritos clássico tardio humana decapitação de fertilidade e sangrenta " cabeça cultos troféu "foram banidos ou obrigados à clandestinidade durante o auge da Teotihuacan" (SF de Borhegyi 1980. Eduard Seler foi o primeiro a ligar imagens serpente emplumada para Vênus e Quetzalcoatl . uma enorme metrópole religiosa. O calendário ritual foi sincronizado com os ciclos de Vênus por causa da interação do planeta e sincronização com período orbital da Terra de 365 dias. Os toltecas está sob a influência de um segundo mais civilizado cult Quetzalcoatl. a nordeste da Cidade do México. Teotihuacan exerceu uma tremenda quantidade de influência religiosa e comercial em toda a América Central. A órbita de Vênus em torno do Sol leva apenas 225 dias. 8: 1) O conceito de dualismo na religião pré-colombiana parece estar ligado com o planeta Vênus. toda a sua vida era tal que ele nasceu em 1 Reed e também morreu em 1 Reed. do Estrela da Manhã para Morning Star. Especialmente durante os anos.

Eu encontrei muitas evidências que sugerem que existe uma relação divina entre cogumelos. Citando Ethno-micologista R. tanto em Mesoamérica e no Velho Mundo. p.. uma régua ou deidade com presas estavam-jaguar.. O desenho acima é de um painel de relevo esculpido a partir das paredes laterais verticais do Tribunal Bola do Sul pelo El Tajin. Há flores sem raízes" (Hugh Thomas 1993.. por vezes.. Há flores perfeitas .474). Note-se que a figura na água abaixo de receber a oferta de sangue.. Isto. um mundo que eles chamaram sua Tlalocan (ou.... no ato sagrado da retirada de sangue do pênis dele. onde eles revelou em sensações além da imaginação ". O deus barbudo que paira acima com dois corpos. México.. ou Árvore da Vida. o rei e a Árvore do Mundo. usa um cocar de peixe. a sua Tamoanchan).. "Em Tamoanchan . "As flores [cogumelos?] levou para outro mundo. creio eu. O painel esculpido mostra uma figura.. refere-se simbolicamente a um ancestral mitológica de uma idade anterior mundo que sobreviveu a um mundo que termina inundação por ser transformado em um peixe..árvore sagrada que marcou o lugar onde os deuses nasceram e onde os cogumelos sagrados e todos vida derivada . Gordon Wasson . No tapete florido . sugere aspectos gêmeos de Quetzalcoatl como os . onde eles cantaram sua poesia asteca a música de seus instrumentos astecas. em Veracruz. um mundo de estranha e maravilhosa beleza.

assim. e. de hoje não oficial "decano de estudos Maya". Neste sangue ritual foi elaborado a partir do pénis e aspergido sobre os ossos exumados ou cinzas cremadas de antepassados falecidos. o Prometheus mexicana. Na América Central m sagrados ushrooms foram provavelmente consumido pelos sacerdotes antes do ato sagrado de perfuração pénis. aspersão-los com seu próprio sangue. no mito do caminho de Quetzalcoatl. que o perfurador em si foi adorado como um deus (de olmeca Sangria: Um Estudo Iconográfico 1991).aspectos Evening Star e estrela da manhã do planeta Vênus. Coe. observe os cogumelos codificados no membro da Árvore da Vida apenas à esquerda do centro. imitando. de 1958. Em seu manuscrito. o deus beneficente de toda a humanidade. Mendieta escreve que foi "Quetzalcoatl. (Alfonso Caso. Mais importante. que de acordo com o arqueólogo Michael D. povo do sol ) . O ato de sangria era tão sagrado na verdade. os astecas. criou uma nova humanidade ". Historia Eclesiástica Indiana . descendente de o mundo dos mortos para recolher os ossos de gerações passadas. O antigo mito da criação de Quetzalcoatl foi preservada para nós por um frade franciscano chamado Jerónimo de Mendieta em 1596.

Eu acredito que Tezcatlipoca era também uma divindade cogumelo inspirado em oposição ao Quetzalcoatl. e wind-jóia. p. . Ele era o deus da magia e da adivinhação conhecida como "Mirror Smoking". escrito por sacerdotes astecas. significando o "sunbringer" ou "portador do sol ou dia. Entre os Quiche Maya.247). 1993: 236). À direita é a deus asteca Tezcatlipoca. ou Deus Sol. nos primeiros anos após a conquista espanhola. a fim de levantar todas as manhãs para o céu como uma águia (mesoamericano mitologia 2000.125) Em Aztec (astecas) a mitologia o cosmos estava intimamente ligada aos aspectos Evening Star e estrela da manhã do planeta Vênus. desce cada noite no submundo como um jaguar para combater as forças da morte. Como a Estrela da Manhã. descreve Quetzalcoatl à esquerda usando sua máscara pássaro marca registrada.O Codex Borbonicus. 1981 p. que também teve uma manifestação de transformação como um Jaguar Deus Tepeyollotl. Vênus em sua forma como a Estrela da Manhã. Em Aztec (Nahua) lendas do sol. o Nahua ou deus mexicano avatar de Quetzalcoatl foi a harpia. foi chamadoiqok'ij. ele poderia olhar para os corações dos homens e prever eventos futuros ( Os olmecas e os seus vizinhos . e segurando uma serpente com uma estilística da flor de lis símbolo." (Tedlock.

associado com a cor verde. A manifestação desta estrela sendo o alado rei-deus Quetzalcoatl.Os murais acima e abaixo são da antiga cidade de Teotihuacan. (150 aC-750 dC) e amboscodificar o símbolo da flor de lis. O verde pássaro quetzal. o chamado axis mundi . Diz-se que quando Quetzalcoatl morreu. o portal ou o mundo pilar central . ele foi transformado em que a estrela que aparece ao amanhecer. A flor de lis símbolo aparece neste mural cena do Templo de Feathered Conches na antiga cidade de Teotihuacan n em Highland México . ou estrela da Manhã. Os antiga metrópole de Teotihuacan é pensado para ter sido estabelecida em torno de 100 aC Na mitologia mesoamericana a harpia ( acima) é associada tanto com o sol ressuscitado. e o planeta Vênus como estrela ressurreição. . aludindo ao pássaro verde que fica no topo da árvore do mundo. bem como o quetzal-arara verde são avatares do rei-deus Quetzalcoatl. que conecta o mundo inferior com o mundo superior .

The Underworld Jaguar Deus do México antigo é descrito acima. e três de cabeça para baixo flor de lis símbolos jogadas que eu proponho é o código para a sagrada trindade e submundo ressurreição. . em um códice préConquest sentado em um codificados com o Fleur símbolo de lis.

um bispo de Chiapas em meados da década de 1500. o Filho eo Espírito Santo que o Pai é chamado por eles Icona [ICONA no texto em espanhol] e que ele havia criado o homem e todas as coisas . e las Casas relatado que Hernandez escreveu ": "Eles sabiam e acreditavam em Deus. Que que Deus era o Pai. . Citando autor Diane E. cujo nome era Chibirias. América do Sul. que estava no céu. Wari (Huari) cultura AD 500 a 1000. um padre espanhol com o nome de Francisco Hernandez estudou os nativos e concluiu que os índios já acreditavam na Trindade. Por "Três" é importante na América Central e no Livro de Mórmon © 2012) "Depois da conquista espanhola.. O Espírito Santo que chamaram Echuac "... O nome do Filho era Bakab que nasceu a partir de uma donzela que já tinha permaneceu virgem.O frasco policromada cerâmica acima é do Peru.. indicando o uso generalizado do flor de lis como um símbolo da divindade e uma Trindade de deuses (Metropolitan Museum of Art). costas e cauda. Wirth de . e que está no céu com Deus. que retrata uma divindade felino com três Flor de lis símbolos codificados em sua cabeça. Ele enviou uma carta ao Bartolomé de las Casas.

e uma tríade ou trindade de deuses criadores. ele do relâmpago. De acordo com o Popol Vuh. 1966. o livro sagrado em que as tradições da quiche pessoas são gravados (Edmunson. No Popol Vuh. que cakulha era não apenas o termo Quiche por raio. a migração das tribos Quiché Maya foi conduzido sob a "orientação" espiritual de Tohil.(a partir de Lowy. Revista / revisão Interamericana. Auilix e Hacauitz. eu fiquei na aldeia de Santiago de Atitlan. vol. 94-103. como Tohil. "mucaria Amanita ea lenda Thunderbolt na Guatemala e no México" página 189. mas é também o nome Quiche para o cogumelo Amanita mucaria. conforme descrito na página 205 por Dennis Tedlock (Tedlock: 1985: 205. ligando cogumelos sagrados com raios e um mito da criação. Este líder valente foi descrito como um homem de barba branca ". De acordo com Dennis Tedlock Senhor Auilix foi o título do sacerdote do deus Auilix. Antropólogo Dennis Tedlock que traduziu o Popol Vuh. 171 e termina na p. Ele conduziu seu povo para o leste para a "terra da escrita" (a área de Maya?) Para uma cidadela topo da montanha sagrada chamada Bearded Place. que foi sétimo na . p 0. os três Thunderbolts . Como os Itzas. sua posição de ascendência é claro ". uma comunidade onde Tzutuhil [Maia] é falado e onde as tradições e costumes antigos ainda são mantidas. e foi lá que o povo Quiche acomodou-se para viver. e Raw Thunderbolt. em Tzutuhil legenda cogumelos são intimamente associado com o mito da criação. menciona que os principais deuses entre o Quiche Maya estão listados "uma e outra vez". 1985) era o deus patrono da linhagem Greathouse dado a Jaguar Night at Tulan Zuyua. associados com o governo divino. escrita por volta de 1550. Lá eu aprendi que. no verão de 1978. e. um de uma trilogia de deuses supremos. 7).326. aludindo a uma Trindade de deuses também nomeados na Vuh Popol como Tohil.222) e chama esses três deuses. Auilix e Hacauitz (a partir da p. foi identificado como uma variante Quiché do deus Quetzalcoatl.. no Popol Vuh. ele tem uma referência para o Velho Mundo como um ponto de partida e de vir de "o outro lado do mar" (Alma Reed. é reverenciada acima de todos os outros. O patrono deus Tohil.E vidência de uma trindade de deuses entre os antigos maias foi fornecida pelo falecido Ethno-mycologist Bernard Lowy. Citando Ethno-mycologist Bernard Lowy .. o povo Quiche também acreditava que eles eram guiados por Lord Serpente Emplumada de Tollan / Tula. 11 (1). os deuses cogumelo do Quiche Maya foram nomeados Thunderbolt Furacão. 213). O Quiche deus Avilix ou Auilix (PV Tedlock. o seu patrono. 1980) Lowy relatado em 1974. O Popol Vuh é o livro sagrado do Quiche Maya. p. no Quiche panteão o deus Kakulja. pp.. recém-nascido Thunderbolt.. em 1985. " Durante uma visita a Guatemala.9). cujo rosto não foi esquecido por seus netos e filhos".

conhecido como o Codex Vindobonensis .326) que o patrono deus Auilix (deus cogumelo?). Acima é uma opinião do close up de um documento Mixtec século 14. quando eles recebeu seus deuses no Tulan Zuyua. Foi dada ao Senhor Jaguar Noite. entregando cogumelos para seus filhos. 1985 p. na montanha dos sete cavernas e levado para o "grande canyon na floresta" (PV Tedlock p 0. toltecas e astecas.178) para um local que veio a ser chamado Pauilix.classificação entre os senhores da Greathouses e dirigiu uma das nove grandes casas em que sua linhagem se dividiu após a fundação da Rotten Cane. Dennis Tedlock observa (PV 1985 p. foi carregado na mochila do Senhor Jaguar Quitzé e que Auilix era o deus que Lord Jaguar Noite carregava nas costas. e de acordo com Dennis Tedlock também o nome da montanha onde o povo Quiche foi para receber os seus deuses (PV Tedlock. Note-se que Quetzalcoatl é retratado com um deus cogumelo barbudo amarrada às costas. humanidade. O Popol Vuh diz-nos que o deus Tohil. literalmente "Na Auilix". que foi identificado como uma variante Quiché do deus Quetzalcoatl. chamado de "lugar de emergência"? .171). Seriam as cavernas lendários chamados Chicomoztoc. conhecido como Sete Cavernas. O códice retrata Senhor Quetzalcoatl como o Deus do vento. um dos poucos manuscritos nativas Prehispanic que escapou da destruição espanhol. o nome dado para o lugar de origem mítica dos antigos maias. ou Codex Viena .

organizou uma festa e cerimônia de ação de graças. O muscaria e Amanita psilocibina cogumelos quando consumido gera um estado alterado de consciência que é considerado espiritualmente divina. sacrificaram uma codorniz. Os comerciantes.Note-se que Dennis Tedlock não exclui a possível presença de um Amanita muscaria culto de cogumelos no Popol Vuh.. Maya arqueólogo Eric Thompson chamado o deus Ikal Ahau ou "Black Lord". (Wasson e de Borhegyi 1962. Motolinia termina a sua dissertação com a observação de que os índios servidos os cogumelos na Sagrada Comunhão. que significa "Deuses carne" "Teo". bem como difundir a religião cogumelo de Quetzalcoatl. também faz parte de uma cerimónia mais realizada pelos comerciantes retornando de uma expedição comercial para as terras da costa. Uma passagem do livro 9 lê: "O consumo de cogumelos foi. em uma comunhão religiosa demoníaca e chamando seu cogumelo sagrado. 1987: 0. p. O pochtecas viajaram em todas as direções a partir de Central do México. também em um dia de aspecto favorável. Sahagun afirma no livro 9 de 12 que viajam grupos de comerciantes conhecidos como opochtecas. que significa Deus na língua dos astecas. e fez oferendas aos deuses de flores e ervas aromáticas.. bem como entre alguns atuais das terras altas xamãs da Guatemala (Tedlock. transportando mercadoria. à meia-noite um banquete seguido. Senhor do Vanguard. 1985. ou os restos deles. que se traduz em "sacerdotes que liderar". eram devotos seguidores de Quetzalcoatl espalhando sua religião sob o seu nome patrono da Yiacatecuhtli ou Yacateuctil. " Novo capítulo ? Não muito tempo depois da queda da capital asteca foi relatado para Hernando Cortés que os índios do Novo Mundo estavam usando certos cogumelos em suas cerimônias religiosas. era cerimonialmente enterrados.250 PV). e para o amanhecer as várias oferendas aos deuses. declarando que era a carne do seu deus. consumindo-os como frades espanhóis colocá-lo. Uma bibliografia. Como um prelúdio para a cerimônia de comer cogumelos. teonanacatl. os cogumelos alucinógenos do México e Psilocibina:. . Um dos primeiros doze franciscanos chegar logo após a conquista do México foi Toribio de Paredes que os índios carinhosamente chamado Motolinía "homem pobre". que chegaram em um dia de aspecto favorável. como o deus da morte entre os Tzotzil Maya (Orellana.163). por vezes. Motolinía gravado . p 37 1962). oferecido incenso para as quatro direções. a ingestão de cogumelos teve lugar na parte anterior do noite.

e com esta embriaguez bestial e trabalho que eles estavam se sentindo. e um pouco mais tarde veriam mil visões."Eles tinham outra forma de embriaguez. o que significa "carne de Deus" ou o diabo. A figura sentada vestindo uma túnica branca.40). especialmente as serpentes e como eles estariam fora de seus sentidos. parece-lhes que as suas pernas e corpos estavam cheios de vermes comê-los vivos.. e também contra os outros eram mais cruel. querendo alguém para matá-los. que existem nesta terra como em Castilla. Na época da conquista historiadores espanhóis concluiu que os índios do Novo Mundo devem ter sido os descendentes das tribos perdidas de Israel. que seria Sally diante da casa.. e. que navegou (como relatado no Velho Testamento) para o Novo Mundo após a sua expulsão da Samaria pelos assírios em torno de 721 aC (Charles Gallenkamp 1959 p. a quem adoravam ". metade raivoso. por Frey Bernardino de Sahagun. aconteceu às vezes que eles se enforcaram. A imagem mostra o cogumelo sagrado dos astecas. chamado teonanacatl que significa "Deuses carne". Grupos de pessoas escritos sobre no Livro de Mórmon também sugerem a ideia de migrações israelitas para as Américas. . mas aqueles desta terra são de tal natureza que comidos crus e ser amarga .. portanto. os cogumelos alucinógenos do México e psilocibina) Acima é um desenho do século XVI do códice florentino. Livro 11. que os tornava mais cruel e foi com alguns fungos ou cogumelos pequenos. comer com eles um mel abelhinhas.(Wasson e de Borhegyi 1962. e beber de um cálice é descrito na frente de duas tampas de cogumelos cortados. Estes cogumelos. chamaram em sua teonanacatl idioma.

Duran menciona que seus escritos seria mais provável ir inédito. que ele acreditava que os astecas foram os descendentes das tribos perdidas de Israel. mas se alguém que é ruim come "que mata ou faz-lo louco.) Uma pessoa é considerada segura se ele se abstém de relações sexuais cinco dias antes e depois de comer o cogumelo. que os missionários cristãos tinham dificuldade em converter os índios Mazatecas do México. porque ele vai produzir o cogumelo enquanto. porque eles equiparados cogumelos alucinógenos com Jesus Cristo. onde o cogumelo não vai crescer é chamado de "morto". p. Os vizinhos dizem que foi porque ele comeu o cogumelo e. foram semelhantes com os antigos costumes e crenças judaicas que foram descritas no velho Testamento (JH Parry 1976. Um rapaz de vinte anos me disse: "Eu sei que os estrangeiros não use o cogumelo. de arquivos Borhegyi. que também foi um dos primeiros a relatar rituais de cogumelos. sem efeitos nocivos. MPM) "Fico feliz em dizer-lhe tudo o que eu puder sobre o cogumelo Mazatec. Um sapateiro na nossa parte da cidade ficou louco cerca de cinco anos atrás. porque supostamente ele cresce apenas quando uma gota de sangue de Cristo caiu. e "que os índios eram muito bons em segredo preservação seus costumes ". teve relações sexuais com sua esposa. Pike elabora sobre o assunto do cogumelo e Jesus Cristo: (9 de março de 1953. por escrito. você pode fazer o uso dele que puder.318). Em tempos mais recentes.Eles dizem que a terra nesta região é "vivo". Pike escreve(1960). afirmando. mas a crença em que é generalizada. Eles dizem que ele ajuda a "pessoas boas". eles se referem a ele como "o sangue de Cristo". Algum dia eu posso escrever minhas observações para publicação. entretanto. mas. em seguida. Quando uma família decide fazer uso do cogumelo dizem seus amigos para trazê-los de qualquer eles vêem. que as tradições indígenas com os quais ele estava familiarizado com. Em uma carta escrita para o meu pai e Gordon Wasson em 1953. O Mazatecs raramente falar sobre o cogumelo para fora." Às vezes. Duran escreveu em suas Histórias de Nova Espanha (1537-1588) . foi Fray Diego Duran.Um desses Cronistas espanhóis. Duran chamou essas cerimônias cogumelo" Festa das Revelações ". o país quente e seco." Quando eles falam de "maldade" que significa "impuro. "algumas pessoas (e não são poucos) dizer que meu trabalho vai reviver antigos costumes e ritos entre os índios". mas eles pedem somente aqueles que podem confiar a abster- . missionário cristão e antropólogo Eunice V. porque são pessoas pobres e não podem pagar um médico e medicamentos caros." (Um assassino se ele é cerimonialmente lata limpa comer o cogumelo. mas Jesus deu a nós.

. Allegro acreditava que os autores do Mar Morto. Allegro propôs a possibilidade de que contemporânea tradição judaico-cristã pode ser atribuída a cultos de fertilidade primitivos associados com a adoração do agaric de mosca ou amanita muscaria (Bernard Lowy. nesse momento. especificamente o cogumelo Amanita muscaria em seus rituais. incluindo a vida.se de relações sexuais. Allegro um estudioso educado em Oxford foi designado para decifrar o Manuscritos do Mar Morto encontrados em Qumran em 1947. 1971 novos registros de pedras cogumelo do Guatemala ). ele vai fazer a pessoa que come uma loucura ". "The Sacred Mushroom e da Cruz".. mas que Jesus não era outro senão o próprio cogumelo. "Quando os segredos do culto tinha de ser escrito. Citando Morto estudioso Scroll Sea John M. Allegro supôs que o cogumelo Amanita muscaria foi o sacramento original do eucaristia. Allegro . Morto estudioso Scroll Mar. Allegro determinou que o cristianismo não era apenas com base em um culto da fertilidade cogumelo. . mas instigantes estudo dos rituais psicotrópicas no início judaico-cristianismo. John Marco Allegro. morte e ressurreição de Jesus Cristo. foram religiosamente consumir cogumelos alucinógenos. que formaram a base do início de Christian doutrinas. foi feito sob a forma de códigos escondidos em contos populares. conhecido como os essênios. pois se a pessoa que reúne o cogumelo teve relação sexual. em seu livro. escreveu um controverso.

estão chegando de volta ao culto do cogumelo da Suméria e seus sucessores" "Nosso estudo presente [decifrar o Dead Sea Scrolls] tem muito a ver com nomes e títulos. Citando Morto estudioso Scroll Sea John M. o próximo passo era um re-exame dos nomes e títulos do Novo Testamento. Só quando podemos descobrir a nomenclatura do fungo sagrado [Amanita muscaria cogumelo] dentro e fora do culto. parece agora que esta língua antiga fornece uma ponte entre as línguas indo-europeias (que incluem grego e latim. clássicos e bíblicos. a língua escrita mais antiga conhecida a nós. Mas estas conclusões são o resultado de uma pesquisa imparcial puramente científico". Do meu trabalho sobre estes textos. ser acusado por algumas pessoas de blasfêmia. o principal fator que fez com que essas novas descobertas possível tem sido a constatação de que muitos dos nomes mais secretos do cogumelo voltar para a antiga suméria. Assim seu lugar nos sistemas cúbicos e suas funções nas antigas religiões de fertilidade pode ser determinada ". . a antiga Suméria. Eles são um artifício literário para divulgar os ritos e regras de culto cogumelo para os fiéis ". personagens mitológicos. sem dúvida. que inclui as línguas do antigo Testamento. que remonta a 3500 aC Allegro afirma ter rastreado os nomes próprios e palavras usadas na Bíblia para os seus significados verdadeiros e originais. testemunhado por textos cuneiformes datados do quarto milênio aC Além disso. Allegro baseou suas reivindicações em seu estudo da antiga escrita cuneiforme suméria. hebraico e aramaico. " "Todos os caminhos do Oriente Próximo levar de volta para a bacia mesopotâmica.. podemos começar a compreender sua função e teologia.. a língua escrita mais antiga conhecida a nós. provavelmente. torna-se possível decifrar os nomes de deuses. "Eu vou. Da mesma forma.Para sumeriana. e nomes de plantas. o mais importante das religiões e mitologias daquela área. e nossa própria língua) eo grupo semita. E este livro é o resultado."Esta é a origem básica das histórias do Novo Testamento. e. e à conclusão de que mais está por trás deles do que foi geralmente apreciada. Para o primeira vez. "Então veio a minha nomeação como o primeiro representante britânico na equipe edição do Mar Morto em Jerusalém. muito além. Allegro . "E assim eu sondado mais profunda para os primórdios da civilização.

. eo meu sangue é verdadeiramente bebida." "Este está dizendo muito claramente que a comer e beber é físico. eo pão que eu darei é a minha carne.A Bíblia nos diz que a vida de Jesus pregava era a vida eterna. que eu darei pela vida do mundo . é dentro de você deixa pouco espaço para o debate que se trata de uma substância. não um símbolo fantasma sozinho.. "Eu sou o pão vivo que desceu do Céu: se alguém comer deste pão. e Jesus afirma que . O SANTO GRAAL ? . não tereis a vida em vós "(João 6:51.. viverá para sempre.. em verdade. e acrescentou o comunicado que quando você come. 53) Citando James Arthur. Meu corpo é carne de fato. Para aqueles que optam por debater esta peço que me mostre sua substância porque de acordo com as palavras de Jesus a menos que você comer e beber de 'It' não tereis a vida em vós. autor de "Cogumelos e Humanidade" "A afirmação de que Jesus faz" A menos que você comer e beber não tereis a vida em vós "parece condenar a substituição de qualquer que seja a coisa real é com um placebo (substituto). em verdade eu vos digo: se não comerdes a carne do Filho do homem e não beberdes o seu sangue..

aquele profeta."Se se levantar no meio de vós profeta ou sonhador de sonhos ... deverá ser condenado à morte . ou sonhador de sonhos." (Deuteronômio 13: 1.. ..5).

Blogspot. a árvore Cósmica. (A partir de Furst 1976. onde os deuses se reúnem em conclave. o fly- . a Água da Vida. capaz de subir às alturas.102) Existem referências repetidas para o alimento da vida.. p.Acima é Cristo e os Doze Apóstolos. codificados como as pernas de Jesus " escondidos In Plain Sight". observe os olhos apóstolos e o que parece-me ser cogumelo Amanita muscaria. "Em resumo. Barcelona. "" Não. na Ásia. o cogumelo Amanita muscaria cresce em uma relação simbiótica sob pinheiros e bétulas gigantes. o Axis Mundi. eu defendo que as lendas da Árvore da Vida e da erva Maravilhosa teve a sua génese no Cinturão Forest of Eurasia". onde o árvore cresce perto do umbigo da Terra. "A Árvore da Vida. ( Http: // christchurchmontrealmusic. o que mais é. não é o lendário Bétula. Este fato provavelmente deu origem à crença em uma Árvore da Vida. e. senão o Soma.ht ml ) (fotografia de cogumelo Amanita muscaria por Alex Hyde) Ao longo do norte e central da Ásia. p..103) Citando Robert Gordon Wasson . Espanha do século 12 . acreditava-se ter sido superado por um pássaro espectacular.com/2009_07_01_ archive. (a partir de Furst 1976. o Lago de Leite que está escondido. a Coluna do mundo ". pronto para ser explorado perto das raízes da árvore da vida. Museu Nacional de Arte da Catalunha. eo fruto proibido da árvore da vida.

. [o Amanita muscaria] do pongo dos membros da tribo Ugrian?" (a partir de Furst.agaric. não é a serpente o espírito chthonic auto-mesmo que nós sabemos da Sibéria?" Acima é um afresco italiano medieval que descreve Jesus e a serpente como a Árvore da Vida.21). p. Em segundo lugar. A Árvore da Vida como um símbolo de Jesus Cristo p. os cristãos terceiro e quarto século acreditavam que a árvore da vida era um símbolo de Jesus Cristo ea cruz (Ron Anderson 1985.212) "Em Gênesis. 1972.

representando a árvore da vida e dinástica decente. que emerge do corpo do pai fundador da linhagem Xiu. Observe os símbolos codificados semelhantes em forma aos flor de lis. mesoamericanas sistemas de escrita) . nos ramos da árvore da vida.A árvore genealógica da dinastia Xiu de Yucatán norte. após a conquista espanhola (desenho forma Joyce Marcus 1992. como desenhado no século XVI.

um dos poucos remanescentes préC o nquest códices que retrata a árvore do mundo ".Acima e abaixo são imagens do Codex Borgia. . a Árvore da Vida codificada com flor de lis símbolo.htm) Acima é uma cena do códice antigo que descreve a árvore do mundo encimada por uma harpia. ou" Árvore da Vida "emergentes do submundo codificado com o símbolo da flor de lis e encimada por uma espectacular pássaro divindade. (http://americaindigena.com/sacred16.

Há também algumas evidências de que os préhistóricos " da taça Pessoas " de Stonehenge. o deus do êxtase eo descobridor das runas mágicas. Citando antropólogo Christian Ratsch . e o dom da profecia.. Entre os antigos alemães. Os egípcios chamaram de " corvo ' pão s. visões delirantes. " um autor ainda argumentou que o cristianismo começou como um culto agaric mosca (Allegro 1970). pois " dá enorme poder físico. Dizia-se que Santo António comeu este pão do corvo antes dos deuses pagãos antigos lhe apareceu como demônios. e mais tarde os celtas britânicos. voam agarics apareceu onde a espuma do cavalo de Wotan caiu sobre a terra.Acima é um close-up cena do Codex Selden. " um nome que se manteve na Europa Central e Oriental até os dias atuais. Segundo a lenda. ou "Árvore da Vida" como o fruto da vida eterna. o nome corvo do pão refere-se a Wotan de dois onisciente. usado agaric de mosca em um contexto de culto (de The Dictionary of Sacred e plantas mágicas) . de acordo com Graves (1961). um símbolo esotérico da ressurreição divina. o agaric mosca foi associado com Wotan / Odin. um manuscrito Mixtec de Highland México. os seguidores de Dionysos consumidos agaric de mosca durante as festas dionisíacas e mistérios. potência erótico. corvos que tudo vê. pintado por volta de 1500. . AD Eu acredito que o artista intencionalmente codificado o símbolo da flor de lis que emerge dos ramos da Árvore do Mundo.. "The Fly agaric [Amanita muscaria cogumelo] tem sido conhecida desde a antiguidade.

com as mãos levantadas no ar para venerar o que parecem ser dois cogumelo Amanita muscaria. descrevendo Faraó Akhenaton e esposa. O faraó é conhecido por ter introduzido uma "nova religião" (Soma / Haoma?) Para o Egito.Acima é uma escultura de arenito egípcia (18ª Dinastia 1570-1342 aC). . com base no adoração do deus sol Aton. a rainha Nefertiti de perfil.worldwidestore. ( Fonte de autenticidade .com/36340c.http://www..htm ..

esta divindade planta desempenhou um papel importante na cultura persa e mitologia. que podem ajudar a explicar porque o cogumelo foi esotericamente codificada na arte religiosa do mundo antigo. "(Stephen R. para ser visto apenas por a poucos iniciados. Soma na mitologia hindu. que incluem os Gathas. não deixe a multidão [saber dele] exceto a si mesmo e ao querido amigo do teu coração. que descreve a preparação ritual e consumo da bebida sagrada chamada haoma (Gerald Messadie de 1997 p. e eles são simbólicos das coisas que são feitas em Khert-Neter ..Codificado Amanita muscaria imagery cogumelo na arte egípcia? Há uma passagem do egípcio Livro dos Mortos. " escondido à vista" . o ser supremo criado antes dos três Vedas. pois eles são mistérios do Tuat. p. que nenhum [outro] olho vê-lo. é criador e pai dos deuses. Que nenhum estranho em qualquer lugar tem conhecimento dela . Como Soma. ligado no mito com uma bebida ritual e Árvore da Vida (Larousse Mundial . os textos sagrados. os Vedas sendo os textos sagrados que foram introduzidas no subcontinente asiático por volta de 1500 aC pelos chamados arianos (sânscrito para nobre) que é posterior à / civilização Indus Harappa. hinos escrito por Zoroastro. Os ensinamentos do reformador védica Zoroastro.275) As grandes religiões do Velho Mundo são derivadas de Vedismo.. chegaram até nós através do Avestas.333 ) . Berlant de 2005. Na religião de Zoroastro. "E você deve executar essas cerimônias secretamente no Tuat-câmara do túmulo. o mesmo deus sagrado planta era conhecida como Haoma.

Na tradição judaico-cristã. 38-39) Frade franciscano Diego de Landa registrou que o Maya bebeu bebidas intoxicantes em cada ocasião ritual. O design pode ser encontrado na primeira civilização da antiga Suméria. Citando o falecido Maya arqueólogo Sylvanus G. é um conceito que tem a sua origem no Velho Mundo. A visão antropológica predominante da história antiga do Novo Mundo é que seus povos indígenas desenvolveram suas próprias culturas complexas independente da influência exterior ou inspiração. . como o culto do Soma. p. Este é o princípio básico dos mistérios gregos. canções sagradas dos antigos mexicanos. A crença em uma "árvore do mundo" ou "Árvore da Vida". Brinton 1890 (Produzido por David Starner. com um brilho em Nahuatl . As sugestões de que pode ter havido contactos entre os continentes antes da idade de expansão europeia têm sido geralmente descartado como tanto fantasiosa. uma serpente convence os seres humanos a comer o fruto da Árvore da Vida Eterna. com uma paráfrase.232). e que os índios Novo mundo modelada sua religião em crenças védicos e práticas rituais. da natureza dos deuses. Um dos assuntos mais controversos entre arqueólogos mesoamericanos foi o único que diz respeito à difusão e contato transoceânico. 1997. racista ou degradante. Sharer. o Rig do Veda "Hino da Criação" (X: 129) com o. relacionada com um aspecto do ritual Maya não está bem descrita nos documentos ethnohistorical" (Morley. É minha convicção de que as tradições védica.Mitologia 1965.. de Daniel G. e também é a base do ódio do judaísmo reativa de embriaguez "(Gerald Messadie. de Carl de Borhegyi) migraram para as Américas por volta de 1000 aC. Rig Veda americano. sem dúvida. (Compare o mito génese do Nasadiya. talvezpor meio de viagens fenícia / desdobramento caananita. "Difusionismo" é um termo frequentemente usado para descrever as origens de características culturais e sua propagação de uma sociedade para outra. "O equilíbrio do mundo foi mantida através de sacrifícios e a oferta ritual de Soma.. Ben Beasley ea Revisão da equipe Gutenberg e-book distribuído PG on-line on-line) Citando Gerald Messadie. .. Morley: "A embriaguez relatado pelo espanhol foi.483) . participando. que interliga o mundo superior com o submundo. 1983. Pode não ser coincidência que na Mesoamérica como no velho mundo há uma crença paralela em uma Árvore da vida unindo o mundo a seguir. p. trazendo assim o homem e Deus juntos. editado. p. com os céus divinos acima encimadas por uma divindade pássaro espectacular . autor de "A História do Diabo" . notas e vocabulário . assim. o suco de uma planta que poderia muito bem ter sido Amanita muscaria ou cogumelos Amanita phalloida O significado desse rito é digno de reflexão: O mundo existe apenas na condição que os seres humanos-se embriagar em determinadas datas fixas e circunstâncias. (ver "Soma nas Américas".

o sumeriana Deus Enki era conhecido como o "Senhor do olho Sagrado" na antiga mitologia suméria. assim como na iconografia nas ruínas de Teotihuacan nas terras altas do México. os antigos hebreus representado o sol como um olho. e hindus acreditam que o sol é o "olho do mundo "(loka chakshus). onde Soma estava bêbado pelo sacerdócio durante sacrifícios. Na América Central o motivo "único olho" é um ícone comum. . e pode ser encontrado em quase todos os códices pré-hispânicos. simbolismo que podem ser comumente visto codificado em arte pré-colombiana. o olho do sol.A cerimônia Soma / Haoma ocupava uma posição primordial no Indo-iraniano Vedismo. Versos do Rig Veda referem-se a Soma como o "único olho". a grande cidade onde os deuses padroeiros Tlaloc e Quetzalcoatl partilhavam o mesmo templo.

a bebida alucinógena dos indo-arianos e antigos persas do Irã . Os arianos. também era conhecido como o Wadjet. 1976 p. e que os deuses bebiam Soma para torná-los imortais. para pegar a própria terra . De acordo com o falecido etno -mycologist Robert Gordon Wasson ". à casta sacerdotal a ser substitutos "(Furst. tão cedo quanto o primeiro milênio aC. . e t Soma bebendo do chapéu produz imortalidade.97). O olho de Horus. e o poder de voar. acreditava que os sacrifícios eram necessários para manter o mundo em equilíbrio. a planta real Soma desapareceu do ritual védica eo nome passou a ser aplicado a vários substitutos. Como a planta deus Soma dos antigos indo-arianos os mitos deus da Mesoamérica conter um alimento sacramental ou bebida associada ao sacrifício e imortalidade. mais conhecido como o Olho de Horus. Sabemos que o Soma era o ponto focal da religião védica. pelo menos. aka. o suficiente por isso.Acima é o motivo "único olho" comumente visto na arte egípcia.Somos informados de que beber Soma fornece grande força física e resistência. "um verde". para ir além dos limites do céu e da terra (Furst.98) . Este equilíbrio foi mantido através dos atos de sacrifício ritual e a oferta de Soma (sânscrito) Haoma (Avestan). cujo olhar atento protegida do faraó na vida após a morte. 1976 p. e todos que eram conhecidos. que introduziram a sua religião Soma para a civilização do Vale do Indo por volta de 1600 aC. Nós sabemos a partir dos textos sagrados chamado Rig Veda (Veda é uma palavra sânscrita que significa "ver" ) que o Soma era uma planta intoxicante adorado tanto como um deus e bebida sagrada por um povo que se arianos chamados. nenhuma das quais tinham os mesmos efeitos psíquicos como o Soma original.

.Acima são imagens de México antigo que ligam o símbolo da flor de lis em um cogumelo sagrado e bebidas ritual.

e desempenhou um papel importante na cultura persa e mitologia. que retrata uma vítima sacrificial azul. O equilíbrio do mundo foi mantida através do sacrifício ritual ea oferta de Soma. Eu encontrei o cogumelo psilocibina codificado como a Árvore da Vida na estela.Acima é uma pintura códice pré-Conquest cedo. . o ritual Soma era uma parte integrante da religião védica-Hindu onde Soma estava bêbado pelo sacerdócio durante sacrifícios. na foto abaixo e em ambos o cálice de ouro e prata. A planta mistério Haoma em Zoroastrian (persa) religião. Em Zoroastrian (persa) religião. a mesma planta sagrada era conhecido como Haoma. No Irã (persa) e da mitologia védica-Hindu. pode ter sido o cogumelo psilocibina. Observe o felino abaixo em associação com a Árvore da Vida na arte persa. ou Árvore da Vida. e três cogumelos sagrados do outro lado simbolizando a trindade. segurando um bastão ou um machado que simboliza a religião cogumelo em uma mão. tanto o Haoma e planta Soma estão conectados no mito com uma bebida ritual e Árvore do Mundo.

Citando etno-micologista R. .Acima é a psilocibina de cogumelos. "É claro que pode ser argumentado que as duas grandes tradições cogumelo.. tendo surgido espontaneamente nas duas regiões de requisitos semelhantes da psique humana e similares ambiental oportunidades. Gordon Wasson . são historicamente alheio e autónoma. Mas eles são realmente não relacionado? "O uso de cogumelos.. e como Stone Age Man emergiu para a luz da proto-história destes fungos estranhos pode muito bem ter sido o principal segredo dos seus mistérios sagrados". se estou certo. que eu achei esotericamente codificado na arte persa como a Árvore da Vida. distribuídos por maior parte da Eurásia e Américas. o de New índios mundo e que dos povos da Eurásia.

" um estilo de arte tão difundida que levou o falecido arqueólogo Matthew W. que traduzido da língua maia significa "Terra da Serpente"." Ele especulou que os olmecas acreditava que em algum momento de sua mítica passado um jaguar tinham copulado com e impregnados. e foi um paraíso de deuses. onde havia um governo por um longo tempo. cerca de 1000-400 aC. os olmecas definir o tom para desenvolvimentos religiosos futuros em grande parte do Novo Mundo. que retratou em pequenas esculturas de pedra conhecidas como cogumelos Pedras e também representado em associação com figuras de cerâmica. Como a primeira religião complexa na Mesoamérica.Nós sabemos muito pouco sobre as crenças religiosas dos olmecas e seus vizinhos contemporâneos. apareceu de repente em plena floração. México. e os primórdios da Mesoamérica da cultura olmeca.Os primeiros indícios de um culto religioso à base de cogumelos no Novo Mundo. Sabemos que esta cultura pelo seu estilo poderoso da arte que caracteriza adulto e bebê "estavam-onças. uma fêmea humana. parece se espalhar rapidamente por todo o Novo Mundo com certos elementos do sistema de crença que se espalhou até a área andina da América do Sul. falam de uma terra chamada Tamoanchan. a língua que falavam. ancestrais. É provável que eles também praticavam a decapitação ritual em conexão com um culto esotérico da cabeça humana associada com cabeças troféu. Poemas astecas gravados por escribas espanhol. em primeiro lugar ao longo da costa do Pacífico da Guatemala e do México. Não o suficiente é realmente conhecido sobre as pessoas olmecas. e pouco depois no que é hoje no estado de Veracruz. outras que eles aparentemente reverenciavam o alucinógeno cogumelo Amanita muscaria. A poderosa religião unitária do olmeca. e os seres humanos". o que pode ter chamado a si mesmos. e onde esta antiga civilização veio originalmente. Esta cultura sofisticada. . Stirling em 1955 para chamar a olmeca o "povo do jaguar. e com o jogo de bola mesoamericano. com o seu estilo distinto de arte e mitologia. pirâmides e escultura de pedra megalítica decorado com as imagens de deuses e governantes. Foi dito que "esta era uma terra resolvido muito antes da fundação de Teotihuacan. parece datar de aproximadamente o mesmo período de tempo.

1200-400 aC Estas figuras com cara de bebê para crianças. muitas das quais retratam o simbolismo de um jaguar rosnar. que vem. provavelmente. Huitzilopochtli. a fim de alcançar a imortalidade. Kinich Ajaw. (Guzman. Há uma boa razão para acreditar que este ritual foi regularmente realizada antes do sacrifício. mais complexas. são uma característica distintiva na arte Ol. México) (Foto de Amanita muscaria cogumelo de Stock Royalty Free) A fotografia acima é de um apito olmeca. um dos efeitos da Amanita muscaria experiência cogumelo é para ver objetos tão gigantesco em tamanho. a fim de unir o homem com Deus. e seu equivalente Aztec. Como dito no Popol Vuh. e características faciais que parecemincrivelmente semelhantes aos encontrados nas culturas da Ásia. seria extinta no submundo se não for alimentada com o sangue dos corações humanos.(Foto do apito olmeca por Higinio Gonzalez de Puebla. Quetzalcoatl ensinaram que a humanidade deve fazer sacrifícios à divindade e transcender este mundo. Esta evidência suporta a identificação de Gordon Wasson do cogumelo Amanita muscaria como a planta reverenciado e deificado. para estabelecer a comunicação direta entre a Terra eo Céu (Sky). Esta figura parece representar um bebê segurando em uma árvore ou gigantesco cogumelo Amanita muscaria . se o sacrifício foi realizado voluntariamente pelo participante. ou efectuadas por um outro indivíduo. 2010). chamada Soma no folclore indo-ariana. De acordo com etnomycologist Gastón Guzmán. Meu estudo poderia indicar que há muitas outras. As culturas antigas do Nahua e Maya desenvolvido ideologias e mitologias semelhantes das mesmas raízes olmecas. O ritual cogumelo sagrado partilhada por estas culturas foi destinado. a fase de San Lorenzo da cultura olmeca. o deus-sol do Maya. a essência de Quetzalcoatl no mundo como um herói da cultura foi estabelecer essa comunicação. creio eu. o livro sagrado do antigo Quiche Maya. Uma destas semelhanças é o método de extracção da bebida alucinogénios utilizado em ambas as áreas. semelhanças que sugerem possíveis contatos trans-oceânicas entre o Velho Mundo e Novo Mundo. ea psilocibina do cogumelo conhecido como haoma na mitologia persa de .

Da mesma forma. quando eles foram encontrados in situ no decurso da escavação arqueológica. Citando o Dr.. p. No Rig Veda. junto com nove almofarizes e pilões. De uma maneira semelhante. chamados de pedras Soma ( RV IX. Contas de cerimônias cogumelo ainda na prática entre os índios zapotecas do México confirmar o uso dessas ferramentas na preparação de cogumelos alucinógenos para o consumo humano. Carl AP Ruck .17-18).11. são frequentemente acompanhadas por ferramentas de rectificação de pedra conhecidos comomanos e metates (ver fotografia). não há evidência arqueológica das terras altas guatemaltecas que apóiam o uso de metates para moer cogumelos alucinógenos sagrados anteriores ao seu consumo em uma cerimônia de cogumelo. pedras cogumelo.. "Assim o deus Soma [do Rig Veda] não tem nome. é descrito como um líquido intoxicante que foi batido ou pressionado para fora da planta usando pedras prementes especiais. O mais antigo dos cogumelos alucinógenos a ser gravado visualmente na arte da Mesoamérica. 109. A carne da planta foi esmagado. Soma. ferramentas de pedra que provavelmente foram utilizados nos ritos preparatórios do cogumelo (ver de Borhegyi. os arqueólogos que trabalham no local pré-clássico da Kaminajuyu descobriu nove pedras de cogumelos em miniatura em uma Maya túmulo. e os sucos foram filtradas através de lã em grandes potes. ambos perfeitamente aplicável a um cogumelo ".Zoroastro e posterior.34) Enquanto a identidade real desta planta sagrada foi perdido ao longo do tempo. e onde o cogumelo Amanita muscaria cresce em abundância. 498-504). IX. (a partir de cogumelos sagrados da Deusa de 2006. utilizando "pedras Soma". tanto a sua descrição e os detalhes da sua preparação parecem apontar para o cogumelo Amanita muscaria. a planta em torno do qual os sacrifícios védicos teve lugar. Devese concluir que esses manos emetates foram utilizados para a mesma finalidade que as pedras sagradas descritos no Rig Veda que foram utilizados para preparar Soma. Esta possibilidade é corroborada pelo fato de que a prática sobrevive até o presente em cerimônias de cogumelos mazatecas no sul do México (SF de Borhegyi de 1961: 498-504).5-6. De acordo com o Rig Veda. onde foram encontradas a maioria das pedras de cogumelos. Nas terras altas da Guatemala. é o cogumelo Amanita muscaria. Soma ser uma metáfora dele como o" One pressionado ". uma planta misteriosa chamada Soma foi a fonte de uma bebida intoxicante conhecido pelo mesmo nome. . como o guarda-sol ou roda com raios. e sua identidade botânico está escondido debaixo de uma infinidade de metáforas. 1961.

os cogumelos são levados para a casa onde a sessão está a .. Em uma carta ao Stephan de Borhegyi. as orações são disse. frades espanhóis registrou que os índios do Novo Mundo bebeu ou comeu os cogumelos para induzir transes e sonhos alucinatórios durante o qual tive visões de onças.. Os cogumelos são colocados em um Jicara ou cabaça. pássaros.Acima estão duas das nove pedras de cogumelos em miniatura encontrados enterrados juntos em um túmulo Maya no sítio arqueológico de Kaminaljuyu. e levado para a igreja.. Cogumelos alucinógenos continuou a ser coletadas e usadas em cerimônias de cura nativos em partes remotas do México para o presente. o produtor profere uma oração de graças pelo dom divino. embora enfraquecidos. nunca se perdeu.. Gordon Wasson escreve . "Os cogumelos podem ser reunidos por qualquer pessoa em qualquer hora. Muitas vezes na ajoelhado para reunir um acima. cobras e pequenos barbudos criaturas gnome-like coloridos ". juntamente com nove pedra em miniatura metates e manos (pedras Soma?) Utilizadas na preparação de uma bebida cogumelo ritual (fotografia de autor de Borhegyi ). e incenso copal é queimado. Meus informantes MIJE me dizer (Manuel Agustin) . os cogumelos são colocados sobre o altar-mor. o uso de substâncias alucinógenas em religião nativa. No entanto.e despercebido por séculos.

então os cogumelos levá-lo a ter visões horríveis de cobras e coisas semelhantes a estas ". MPM) Em um guia para os missionários escrito antes de 1577 pelo Dr. 1962. ver também Furst. 36. os cogumelos não vai prestar serviço se quem come-los tem dito ou pensado coisas desrespeitosas sobre eles. quando ele começa a falar sob a influência dos cogumelos inebriantes. e todos os homens designados como ministros foram para as colinas e permaneceu quase toda a noite em sermões e orações" (a partir de .ser realizada. Borhegyi Archives. no momento da conquista espanhola .. 1990 ed.. ouvidos às palavras do comedor.. Borhegyi de 1957). ( Wasson para Borhegyi. 1892 (o manuscrito de Serna) descreveu o cogumelo e seu uso para a adivinhação: "Estes cogumelos eram pequenos e amarelada e para coletá-los o sacerdote. não um curandeiro: aqui é a diferença básica da prática mazateca Se um objeto perdido ou roubado é pedido. o doente come os cogumelos. médico do rei de Espanha (Wasson. e se ele culpado por este pecado . Espanhol cronista Jacinto de la Serna. 9) Ele observaque os astecas. Francisco Hernandez. "Quest for the Sacred Mushroom". talvez a casa de uma pessoa doente. Stephan F. Além disso. então o suplicante come o cogumelo na presença de um membro próximo da sua família. todos os outros manter afastado a testemunha está presente para dar. . reverenciado três tipos diferentes de cogumelos.

" O clero e os conquistadores espanhóis que relataram os rituais de cogumelos foram compreensivelmente horrorizados com o que eles interpretado como uma má interpretação de inspiração diabo da Santa Eucaristia. um manuscrito da era colonial espanhol. e "toda a sua cultura está impregnada com os valores antigos. o códice em si foi provavelmente escrita e desenhada na Itália após 1566. conhecidos como códices. templos e ídolos foram destruídos e centenas de seus livros colorida ilustrada. atribuído a Pedro de los Ríos.Acima é uma pintura do Codex Ríos. Apesar destas sanções oficiais. foram queimados. Fray Diego Duran menciona que a cristianização dos astecas permaneceria árdua. a figura barbada provavelmente representa um aspecto de Quetzalcoatl. assim. . a imortalidade humanidade. um frade dominicano que trabalha em Oaxaca e Puebla entre 1547 e 1562. (nota barba e psilocibina cogumelos cocar) como o deus do autosacrifício (note bebida ritual) que concedeu cogumelos sagrados e. agora na biblioteca do Vaticano (também chamado Codex Telleriano-Remensis). no entanto. e que a religião "pagã" dos astecas. Nos anos que se seguiram à conquista espanhola. foram proibidos todos os aspectos da vida cerimonial nativa.

tão nobre como morrendo em batalha ou para uma mãe e filho para morrer no parto. "Quando o sacrifício foi concluído e os passos e pátio foram banhados com sangue humano. na língua nahuatl dos astecas. cativos foram trazidos diante dele e sacrificado em sua honra. em seu zelo para destruir todos os aspectos da cultura nativa que poderia ameaçar a crença religiosa cristã. Aqueles que foram sacrificados pela faca de obsidiana foram assegurou um lugar na Omeyocan. Ele escreve que as crianças eram ensinadas que a morte pela faca de obsidiana era uma maneira mais honrosa para morrer. Duran diz-nos que a Igreja Católica. A Igreja também baniu todos os aspectos da religião nativa em favor do cristianismo. ou o ato de pagamento. embora com uma forte dose de século XVI viés cultural e religioso. em 1502. e não fez nenhuma tentativa para estudar ou mais rituais de cogumelos recordes. mito e lenda. Tornaram-se tão embriagado e sem juízo que muitos deles tomou suas vidas em suas mãos. . significava ou "pagamento". para solenizar ainda mais as festividades. que dizem fazer você perder seus sentidos. Histórias de Nova Espanha. Bourbourg obtido permissão para ter os arquivos da Igreja se abriu para ele. (Duran. todos comeram de alguns cogumelos da floresta. Charles Etienne Brasseur de Bourbourg um sacerdote ordenado.Com a força destes cogumelos que tinha visões e teve revelações sobre o futuro. e "toda a sua cultura está impregnada com os valores antigos. e assim eles sallied adiante tudo preparado para a dança". ordenou a destruição de todos os documentos nativas pertencentes à história. veio para as Américas em busca de manuscritos raros e artefatos religiosos e ao visitar Cidade do México.. e que a religião "pagã" dos astecas." Duran menciona que a palavra para o sacrifício. Para a angústia de historiadores posteriores . nextlaoaliztli . " E todos os senhores e nobres da província se levantou e. "Com esse alimento que saiu de suas mentes e estavam em pior estado do que se tivessem bebido uma grande quantidade de vinho. uma vez que o diabo falou com eles em sua loucura ". Ele e seus assistentes depois comeu um guisado feito de sua carne. 1964: 225).alguns historiadores de consciência continuou a descrever o que tinha observado. A obra de Fray Diego Duran era mais ou menos desconhecido para estudiosos até o século 19. o paraíso do sol.. Depois de Moctezuma tomou o seu lugar Divino. quando foi descoberto na Biblioteca Madrid por José Fernando Ramírez. . Duran diz-nos que os cogumelos silvestres foram comidos no ato comemorativo da adesão da Aztec Rei Moctezuma II. Em 1848. Duran escreveu que a cristianização dos astecas permaneceria árdua. onde descobriu uma cópia de Fray Diego Duran de . vida após a morte. todo o mundo fui para comer cogumelos crus ".

Sua carne foi comido e um banquete foi preparado com ele depois que os corações tinha sido oferecido ao diabo .Cronista espanhol Fray Diego Duran . Eles não comeram mais alimentos. seguido de sacrifícios humanos em números".. Rituais sangrias foram muitas vezes realizadas em grutas.. havia dias em que dois mil. ou de embriaguez. Foi através de sacrifício de sangue que os governantes mesoamericanas e padres alimentou os deuses que tinham sido seus antepassados. matou prisioneiros e cativos de guerra . para fazer as festas mais solenes Todos comeram cogumelos selvagens que fazem um homem perder os sentidos . Somente cogumelos selvagens são faladas e foram comidos crus ". Uma coisa em toda esta história: nenhuma menção é feita de seu beber vinho de qualquer tipo. em 1502. nas grutas e cavernas da terra escura e sombria.. cogumelos tinha sido servido. continuou. e perdeu os sentidos. enquanto ainda estava no comando de seus sentidos.. pois é para nós para matar cordeiros ou gado nos matadouros . e choro.. Fray Sahagun também descreveu o uso de cogumelos na coroação de Montezuma II.. . Em seguida. Esses rituais sangria provavelmente foram cronometrados astronomicamente aos movimentos de Vênus e. eles só bebia um chocolate durante a noite. o povo tornou-se animado. viu-se que ele iria morrer no campo de batalha. e eles comeram os cogumelos com mel.. dançavam não mais. "Na primeira. até certo ponto ". comiam carne humana. matou seus filhos e filhas e sacrificou-los e ofereceu-os como vítimas para os seus deuses. mas só ficou lá acenando.. "Os índios fizeram sacrifícios nas montanhas. entrou e sentou-se lá de casa em seus lugares. sacrificaram as crianças. por meio de sangria ritual foi provavelmente o ritual mais importante entre os antigos maias... possivelmente.. Auto-sacrifício. Eu acredito que o cogumelo foi consumido em rituais de sacrifício humano e auto-sacrifício. Um teve uma visão que já que ele iria morrer. que se acreditava serem entradas para o submundo.. como segue: "Durante quatro dias houve festa e celebração e. para o período sagrado da conjunção inferior. Neste momento Venus afunda abaixo do horizonte e desaparece no "submundo" durante oito dias.. em seguida. três mil ou oito mil homens foram sacrificados . e debaixo de árvores sombreadas.. Eu não estou exagerando. Eles queimaram incenso.. Eles comeram-los no momento em que as trombetas shell foram soprado. cheio de prazer.. em seguida.. ele sobe a partir do submundo como a Estrela da Manhã. Mas alguns. um teve uma visão que ele iria ser comido por animais . veio a coroação de Montezuma II. no quarto dia. "Era comum a sacrificar os homens nos dias de festa.

tornar-se rico. um líder de jovens. um teve uma visão que ele iria cometer adultério. viu tudo em visão. que chegou em Yucatan em 1549. ele seria um proprietário de escravos. 1566).padre jesuíta Domingo Rodriguez diz-nos que o frade franciscano Diego de Landa. se afogar. um teve uma visão que ele seria rico. eles. um teve uma visão que ele iria comprar escravos. 1530. enquanto os nativos que assistiram só podia chorar e rezar. o manuscrito de Fray Diego de Landa direito Relacion de las Cosas de Yucatán. no entanto muitas coisas estavam a acontecer a um. E quando os efeitos dos cogumelos tinha deixado eles consultaram entre si e disseram uns aos outros o que tinham visto na visão. um teve uma visão que ele pereceria na água. então ele viu tudo em visão: mesmo que ele iria ser afogado. e que lhes deu muita dor. um teve uma visão que ele iria cair de uma parte superior do telhado. e ele iria cair para a morte. um teve uma visão que ele iria viver em paz e tranquilidade. até que ele morreu. mas fascinado pela cultura nativa. Talvez ele iria para sua morte em Anauac (Codex florentino. alguns adultério talvez comprometido. destruiu mais de 5000 ídolos e acumulou queima de livros na presença de nobreza. seria de se tornar um guerreiro experiente. ele seria de pedra. talvez. Na Cidade do México. Chocado. Nas próprias palavras de Landa: "Nós encontramos um grande número de livros e uma vez que continha nada além de superstições e falsidades do diabo que queimou eles. rico. E eles viu em visão. um teve uma visão que ele iria roubar. os ladrões. Ele também tinha o senhor de Texcoco queimados publicamente à morte Sunday 30 November. em seguida. Landa tomou notas meticulosas sobre a história Maya e linguagem.selvagens.000 ídolos e 500 templos. seria de morrer na batalha. apesar de esta destruição maciça. cerimonialmente banhar escravos. Ironicamente. Alguns foram. o que acontecerá com aqueles que tinham comido não cogumelos. Dibble & Anderson. comprar escravos. perecer na água. Bk 9: 38-39) " Em 1540 Fray Bartolomé de las Casas escreveu que mais de oitocentos anos de história nativa foram perdidos quando muitos códices dobradas tela hieroglífica foram queimados. Da forma como forem muitas coisas foram todos foram disse-que um levaria cativos. fornecer banquetes. cometer adultério." (Bispo Landa. Tlaloc (um deus cogumelo). escrito por volta de 1556 . ou . o que eles levaram mais gravemente. Dom Juan de Zumarraga alegou ter destruído 20. porque ele foi acusado de adorar a Deus. manuscritos com pinturas e escrita hieroglífica que ele incendiados em chamas. ele também seria pedra e teve uma visão de que sua cabeça seria esmagada por pedrasiriam condená-lo. Ele é conhecido por ter formado uma grande pirâmide de livros. Tudo o que era para acontecer a um. e o que andou fazendo. seja estrangulado. foi saudado como a maior fonte única de informação sobre os antigos maias de Yucatan. um teve uma visão que ele levaria cativos na guerra. Ele também incluiu imagens dos deuses escritos em hieróglifos maias quer como logogramas. ele seria atingido por pedras. Ele amarrou suas descrições de cerimônias maias do calendário ritual sagrado e incluiu desenhos de glifos para os 20 dias e 18 meses.

para comemorar a passagem do tempo e da conclusão de um Katun. Astronomicamente programado para os ciclos de Vênus. chamado de "Senhor Snake. o sumo sacerdote do Maya foi escolhido por causa de sua capacidade de interpretar as profecias dos katuns. o sumo sacerdote era o encarnado de Quetzalcoatl-Tlaloc. adivinhação. Wasson teorizaram que a . e. t ele servo do sol. interpretando livros sagrados. epigraphers foram capazes de decifrar e entender o significado dos hieróglifos maias.. Infelizmente. invasões envolvidos ou emboscadas. uma assim chamada "Guerra Santa" travada contra os vizinhos em sua maior parte para a tomada de cativos. Em essência. "O que era perfeito no desempenho de todos os costumes. 1932 p." supervisionou todos os assuntos sacerdotais relativos à astronomia. R. introduziu um novo culto religioso na área de Maya. juntamente com seus atributos iconográficos que distinguiram uma divindade da outra. foi eleito mais alto pontífice. exercícios e aprendendo (sabedoria) observado pelos ministros dos ídolos. "é possível que os copistas desconhecidos . 1987: 117) Landa escreveu que o Sumo Sacerdote. A cerimônia. talvez feito em 1616. escrito por três mãos diferentes. Estas profecias foram baseados em eventos que repetem ciclicamente em cada um dos períodos Katun 13 de 7200 dias. Gordon Wasson escreve que os caules dos cogumelos sagrados foram retirados e as tampas de cogumelos consumidos ritualmente em pares antes do autosacrifício. e supervisionou todas as festas. a guerra Tlaloc. De acordo com o Espanhol cronista Frei Bernardino de Sahagun . Esta cerimónia particular. e lhe chamavam Quetzalcoatl ".. a cópia original do seu famoso livro estava perdido e que temos são partes de uma cópia. da história do antigo México. Wasson observou que entre as pessoas Khanty da Sibéria Ocidental somente a tampa ou cabeça do cogumelo Amanita muscaria é comido. Ele é visto pela primeira vez em Tikal no início do clássico do culto de um deus jaguar-pássaro-serpente associada com a guerra e a Estrela da Manhã. rituais e sacrifícios de acordo com o calendário. anos mais tarde.variantes de cabeça. que estudiosos acreditam que pode ter se originado no México está claramente ligada a um calendário sagrado e a veneração do planeta Vênus. Ela escreve. mas também rearranjado a ordem do original. O Maya erguido elaborados monumentos de pedra. está ligada intimamente com o que é conhecido como a guerra Tlaloc. não só omitido ou secções abreviada. conhecido como Quetzalcoatl. chamado pedras Katun. ele foi eleito pelo rei ou chefe e todos os diretores (homens acima de tudo). também chamados de "Venus Star Wars". (Sahagun. De acordo com Landa. É em grande parte devido a este volume de trabalho que. para a tomada de cativos como vítimas sacrificiais.202)... (Clendinnen. Existem curiosos pausas e alternâncias no tom e assunto ". Este deus. de acordo com Inga Clendinnen.

pitpa" thread-like ". com as brânquias de uma cor entre o amarelo e café. Grande insistência é colocada sobre esta separação da tampa da haste . e kolom ocox não é" cabeça de cogumelo ". de Borhegyi em 1954. mas engoliu um rápido após a outra. com muitos em um único lugar. em pares. arquivos MPM) . "O topo da tampa é amarelo eo resto é a cor do café." (Wasson para de Borhegyi 07 de junho de 1954. Quando os "cabeças são consumidos. muitas vezes ao longo das trilhas de montanha. crescendo em todos os lugares em terra limpa.origem da decapitação ritual reside no próprio ritual de cogumelos. talvez 2 dedos horizontais alta. em Mije a tampa do cogumelo é chamado de "cabeça" "kobahk no dialeto de Mazatlan. o pileus do cogumelo. com uma tampa pequena para a altura. mas tampas de cogumelos. a mesma palavra para a cabeça. o Mije em seu culto do cogumelo sempre cortar o caule ou estipe (em Mije tek é "perna") da tampa e a tampa só é comido. em uma carta ao meu pai. Stephan F. Em Kiche e Kakchiquel é sem dúvida o mesmo. ou na terminologia científica . Eles chamam este cogumelo. ele escreve: "A tampa do cogumelo em Mije (ou Mixe) é chamado kobahk. Isto está de acordo com a oferta de "cabeça de cogumelo" nos Anais e o Popol Vuh. os escritores tinham em mente a remoção das hastes ". o menor. eles não são mastigados.

e não representam. México. J. como outros estudiosos .Fotografia © Justin Kerr fotografia sobre Direitos de Autor direito magic-mushroom.4 cm.11. são as tampas cortadas de cogumelos psilocibina. ht. Kislak Colecção O navio tolteca / Maya acima é de Quintana Roo. usando o disfarce familiar da harpia. Eu diria enfaticamente que os objetos nas mãos do Quetzalcoatl mergulho (Kukulcan no Yucatec maia) acima. atributos que apontam esta divindade de mergulho para Quetzalcoatl como a Manhã estrela e deus do submundo ressurreição. US Library of Congress. 1200-1400 CE do vaso retrata a imagem de um deus mergulho. postclassic Maya.com Maya Polychrome recipiente de cerâmica com Deus mergulho vestindo touca pássaro.

./golden_guide/images/g062. Honduras. Ele era o deus do auto-sacrifício. em que a cor verde.erowid. identificou este Nahua Deus como Mictlantecuhtli.. 600-700 dC. bolas de incenso. à esquerda é uma tampa incensário efígie de Copan. deus do submundo.argumentam. A remoção da cabeça do tampão do cogumelo ou cogumelo é uma referência simbólica para a decapitação ritual no submundo. Fotografias © Justin Kerr Acima. sendo a cor de jade significava que o objeto retratado foi de grande valor e considerado divino ou santo. O códice que foi pintado em papel Europeia foi datado em algum momento logo após 1528 (Wasson.jpg) Jimenez Moreno.. mostra o consumo de cogumelos selvagens para chamar o Deus do Submundo.org/. (Jpg www. A ideia de que Quetzalcoatl estava em oposição direta ao sacrifício humano simplesmente não é verdade. A imagem acima.114) Wasson escreve que o fato de que os cogumelos descrita acima são pintadas de verde era um código iconográfico. a partir do Magliabecchiano Codex. 1980 p.

e que a página mostra Senhor Quetzalcoatl concedendo o cogumelo da imortalidade aos seus filhos.descrevendo um rei Maya usando tampões para os ouvidos de inspiração cogumelos como os tampões para os ouvidos de jade retratados na direita. a humanidade . p. que retrata uma figura segurando um bastão com a cabeça troféu de cabeça para baixo. Ele tem sido conhecido que p idade 24 de t ele Codex Vindobonensis (veja abaixo). e segurando na mão esquerda. o que eu acredito é um cogumelo Amanita muscaria. Jade jóias foi considerado o melhor charme contra as más influências. e protegido do diciest em sua longa jornada para o outro mundo (SF de Borhegyi 1967.24) Acima é uma opinião do close up de um período tardio Clássico (600-900 dC) navio Maya. codificado no forma da flor de lis emblema. diz respeito ao papel cerimonial de cogumelos entre os índios Mixtec. .

O códice é um dos poucos nativa Prehispanic manuscritos que escapou da destruição espanhol. um avatar de Quetzalcoatl. Ehecatl. p. Áustria . Mil anos de história é registrado nos códices Mixtec. Foi produzido no período pós-clássico para o sacerdócio e elite dominante.Arqueólogo mexicano Alfonso Caso posteriormente identificados provisoriamente o que chamou de objetos "em forma de T" no manuscrito como cogumelo s (RG Wasson 1980.Acima é a página 24 do Codex Vindobonensis . Em 1929.acredita-se ser um documento Mixtec século 14.Ele é mostrado concedendo cogumelo sagrado para os seus filhos. cujo original é agora realizada na Biblioteca Nacional de Viena. e Quetzalcoatl é citado como o grande fundador de todas as dinastias reais. Na segunda linha da parte superior. Walter Lehmann foi o primeiro a notar a semelhança com cogumelos dos objetos retratados nas mãos de muitos dos personagens descritas acima neste Codex. 214). o último algarismo do lado direito com uma máscara de aves foi identificado como sendo o Deus do vento. também conhecido como o Codex Viena . a .

Observe as lágrimas de gratidão sobre o indivíduo sentado imediatamente em frente Quetzalcoatl.Segundo a lenda asteca. Ele identifica a fenda triangular ou em forma de V na bacia de água na esquerda como uma passagem cósmica através do qual divindades.Ele parece ser um humano transformado em morte para o deus do submundo Sun. O círculo abaixo dos pés da figura à esquerda é dividida em quatro partes. diretamente na frente dele. Este símbolo também aparece na cena acima. Fangs sugerem que. o sol. A figura à esquerda. que descreve esta iconografia.humanidade. e aqueles que se sentam atrás Quetzalcoatl à esquerda também realizar cogumelos sagrados e todos parecem ter presas. com toda a probabilidade. Ehecatl-Quetzalcoatl criou a humanidade a partir dos ossos que ele roubou do submundo deus da morte. descobri que o símbolo antigo que temos vindo a reconhecer como A flor de lis aparece na arte da Mesoamérica em aproximadamente ao mesmo tempo na . pessoas. duas figuras ficar ao lado de outra V . a cena descreve a criação divina do consumo ritual de cogumelos sagrados " (1981. De acordo com Furst .. Robert Gordon Wasson concluiu que ele mostrou "a maior posição que os cogumelos na cultura do Mixtecs". ( ou queimador de incenso venerar o deus Tlaloc). também tem presas. animais e plantas passam de um plano cósmico para outro. para abrir o portal para o submundo. A divindade de duas caras na frente dele mantém o que parecem ser os cogumelos psilocibina sagrados semelhantes em forma para o Fleur símbolo de lis do Velho Mundo. Esta deidade de duas caras é. ie. identificaram este símbolo como representando o eixo norte-sul ou centro sagrado como o lugar de entrada no Submundo. Os cinco plumas na mantilha da harpia referem-se aos cinco ciclos sinódicos de Venus. Pedro e Jill. Os três cogumelos em sua mão referem-se a trindade Mesoamericano: os três hearthstones de criação. cada um com uma pegada. No canto inferior esquerdo. Note-se que a divindade de duas caras é pintado de preto (significando o submundo) e usa um cocar harpia double-bico (significando a ressurreição do sol).portal forma do submundo ressurreição. a estrela da manhã e a estrela da noite. eles foram transformados no submundo para o jaguar submundo. cuja cabeça decapitada Quetzalcoatl segura na mão. ou mítico "foram jaguar". Ao resumir o significado da página 24. No meio da página no lado direito Quetzalcoatl é retratado apontando para o deus Tlaloc. duas delas escuro e dois luz. Para minha surpresa. que aponta para o céu. pp. Os Fürsts. o dualista planeta Vênus eo deus do submundo decapitação e ressurreição.151-155). sob a influência mágica do cogumelo. Este indivíduo. Este gesto provavelmente significa ressurreição do Mundo Inferior. em associação com uma figura que mergulha através da fenda em forma de V para o submundo.

A divindade alada olmeca aparece para ser coroado com um símbolo de trevo da divindade semelhante em forma e significado para o Velho Mundo Fleur símbolo de lis. No Velho Mundo. 900-300 aC . que retrata uma divindade alada ou Deus-rei coroado com um emblema do senhorio. que irá demonstrar é uma flor de lis símbolo. a Árvore da vida e um cogumelo da imortalidade.história como a ascensão da antiga Olmecas (1200 aC a 400 aC). Acima à direita é um desenho de um celt pedra olmeca (900-500 aC). à esquerda é um alado estatueta jadeite olmeca datado de volta. ou meia homem e metade-pássaro . ligado a uma Trindade de deuses. o emblema das flor de lis na arte pré-colombiana e iconografia carrega o mesmo simbolismo do senhorio. e que o Deus Sol submundo é frequentemente retratado como um meio-homem e divindade meia-felina muitas vezes coroados com um de símbolo Fleur . Talvez não tão surpreendentemente. Por esta razão. há uma antiga crença de que o Deus Sol nasceu a partir do mar esubiram para o céu como uma águia . divindades solares antigos foram muitas vezes descrito como metade homem / meio-peixe. Acima. como no velho mundo.

uma divindade peixe e deidade felino coroada com a Fleur emblema de lis. Acima são antigas esculturas de pedra Babylonion-assírio (1250 aC a 650 aC) . Os historiadores propõem que Sumer foi resolvido entre 4500 e 4000 aC por um povo nãosemitas e que antiga Suméria era conhecida como a "terra dos reis civilizados". Ambas as divindades aladas são retratados segurando um balde de rituais numa mão e o que pode ser uma pinha da Árvore da vida no outro. A palavra suméria para "Senhor" é apu.lis. T ele Flor de lis símbolo.7) . a mesma palavra exata para "Senhor "utilizado pela antiga civilização Inca do Peru (Hugh Fox de 2005 p. que retratam um alado deit y. aparece pela primeira vez na arte dos antigos sumérios.

Note-se que a divindade alada na esquerda segura o que parece ser uma pinha na mão esquerda. .A tabuleta de argila suméria acima retrata a deusa Inanna (conhecido por semitas como Ishtar) ladeada por duas divindades aladas carregando baldes rituais e coroado com a Fleur símbolo de lis.

Acima é uma placa esculpida da Mesopotâmia. (O Museu de Sulaimaniyah. Iraque). Nimrud ( Iraque) .Observe o que me parece ser de dois cogumelos sagrados. que retrata uma divindade alada segurando uma cobra na mão direita. período Neo-assírio. codificados abaixo na base do que provavelmente representa a Árvore da Vida . . nono-sétimo séculos aC. eo que me parece Fleur símbolo uma versão estilizada de lis em A outra mão.

Muitos dos monumentos em Izapa retratam divindades aladas e um tema religioso de uma árvore do mundo ou Árvore da vida. (um símbolo de capital em forma de T) que na Mesoamérica é o símbolo do Deus do vento. perto da fronteira da Guatemala. A divindade de longo lábios retratada na estela.64). atrás da embarcação no mar abaixo. Sem dúvida. Maya pesquisador Vincent Malmstrom propõe que a origem do calendário do dia Ritual 260 da Mesoamérica é de Izapa. eo seu homólogo Maya GI. Note-se que o barco está realmente em forma para olhar como um tau cruz. Os arqueólogos teorizaram que Izapa pode ter sido resolvida tão cedo quanto 1500 aC tornando Izapa tão antiga como os sítios olmecas de La Venta e San Lorenzo. e que ele coloca a origem do calendário em 1359 aC (Susan Milbrath 1999 p. ea flor de lis. localizada na costa do Pacífico. A estela de Izapa. uma figura importante. um homem barbudo em um barco. assim como um símbolo em forma de X codificado em sua cabeça. claramente. no estado mexicano de Chiapas. que viajou para o Novo Mundo trazendo com ele cogumelo ressurreição religião simbolizada pela cruz. retrata uma figura. Ehecatl-Quetzalcoatl. um atributo comum do deus Maya tempestade Chac ( também escrito Chaac). que representa a palavra Maya.Acima é uma estela pré-clássico do sítio arqueológico de Izapa. . talvez até mesmo um estrangeiro do Velho Mundo. é coroado com a flor de lis emblema. do Palenque Triad. segurando o que parece-me ser uma cruz em cada mão. Ik um glifo.

escrito entre 1547 e 1582. as inscrições uma t Palenque dizem-nos que o rei era considerado a encarnação do GI. Secrets of the Maya . GI.245). nasceu em 9 de Ik . do Palenque Triad. A antiga cidade de Palenque é o lar de uma trindade de deuses maias conhecidos como Palenque Triad. que viveu no México 1529-1590. e dois símbolos da flor de lis. Ele escreveu que os índios se reuniram cogumelos em campos gramados e pastagens e os usou em cerimônias religiosas porque acreditavam -los a ser a carne de seus deuses ( teonanacatl). um no lado éter de uma divindade conhecida como GI do Palenque Tríade. significa ing "9 Wind". também aparecem durante os primeiros clássico e os períodos Clássico tarde da os sites de Caracol e em Tikal. era mais simpático aos índios e sua cultura do que a maioria de seus colegas. A Floresta dos Reis . Frei Bernardino de Sahagun . Cronista espanhol. em Chiapas México. intoxicação por cogumelo. com felino atributos é coroadocom dois X-símbolos. (Proskouriakoff. Arqueologia Revista . também nascido em 9 de vento . do Palenque Triad foi identificado como um deus antropomórfico tubarão-toothed cujos atributos incluem um Spondylus shell ear-reflexo e diadema shell em seu cocar codificado com um símbolo-X . que é o mesmo aniversário como o vento Deus Ehecatl-Quetzalcoatl. GI do Palenque Triad. No Dresden e Madrid códices em forma de T Ik glifo é usado para retratar o olho de Chac. de acordo com relatos espanhóis deram .Acima é um fim acima de um período atrasado Clássico (600-900 dC) cerâmica queimador de incenso da antiga cidade maia de Palenque. O historiador de arte Linda Schele earqueólogo David Freidel propor que GI é o planeta Vênus e que GIII é o sol (Milbrath 1999: 102) Esta chamada tríade de deuses entre os antigos maias. Ele foi provavelmente o primeiro a registrar o uso de cogumelos em seu famoso Historia General de las Cosas de Nueva Espana. Ambos GI e Quetzalcoatl estão associados com o planeta Vênus e o ritual do submundo decapitação (Schele e Freidel. 1978: 116) (Milbrath 1999: 102). O deus-rei que é retratado no queimador de incenso. a versão de Mesoamérica da Santíssima Trindade . 1990 p. 2004: 109) . e que GI foi o primeiro da tríade para nascer (Editors.

" (H. " Uma ilustração do século 16 a partir de Sahagun Codex florentino de teononacatl . bebido. ela vai sobre com a cabeça erguida. e que as poderosas visões e as vozes dos cogumelos produzidos foram acreditados para ser de Deus.. ela pinta o rosto. Sahagun descreve uma senhora da noite em cogumelos ... acena com a cabeça .. [ela é] rude. suas bochechas são coloridas . 1950 p. mas começou a viver de novo.....feiticeiros. ela banha . ou Lady.. parece berrantes . esfregada com cochonilha . Thomas 1993. esta é a razão pela qual o antigo disse que quando homens morreram eles não pereça. eles costumavam dizer dele que ele era agora teotl. pois começa a despontar. diversamente pinta seu rosto. "Foi dito que eles não morreram. comer cogumelos.291)..... .. Sahagun . encontra prazer no seu corpo . o cogumelo alucinógeno dos astecas.. ela arranja seu cabelo como chifres [um estilo elegante de arranjo de cabelo] " ... o que significa dizer que ele tinha morrido. e então eles disseram que os mortos: "Senhor. a fim de se tornar espírito ou deus. vigília.... e as muitas borboletas coloridas ir voando ". andando quase fora de um sonho. ela se move lascivamente . e.e quando alguém morreu.. e que eles se transformaram em espíritos dos deuses . o poder.. vistas se em um espelho . ela aparece como uma flor. "Ela desfila. agora vem a luz do dia para as aves de penas amarelas começam a cantar.. (Sahagun.. 517). aparentemente para transformar-se em animais.. seu rosto está coberto com rouge. desavergonhado. "ela acena em um . p. No Codex florentino. {os índios} mas despertado de um sonho que tinha vivido..

que é muito menor. Um caso em questão é a ilustração acima. embora bem documentado por cronistas espanhóis e. em códices astecas. Apesar do facto de que os objectos que caem do carrinho dentro do frasco parece ser tanto o tamanho e a forma de cogumelos. . que foram identificadas no passado como grãos de milho. Estes produtos podem ter desempenhado um papel importante tanto comércio e religião em tempos pré-colombianos. de modo geral. não tem. O uso de cogumelos e peyote pelos astecas do século 16. foi reconhecido pela comunidade arqueológica.Esta página do códice florentino mostra o que parece-me ser a transferência de cogumelos cultivados não o milho. em um grande jarro de cerâmica.

Ambas as páginas ilustradas acima são a partir de Sahagun Codex florentino. mas não necessariamente indica o ritual ou ato de auto-decapitação. talvez para ser usado após a decapitação como um pacote ritual. sugestivo de auto-sacrifício. parecendo muito mush como participantes dispostos. . A figura sentada no canto inferior direito está sendo oferecendo um machado. prestes a consumir cogumelos sagrados antes de sua decapitação. Eles retratam o que eu acredito é a ingestão de cogumelos sagrados antes de decapitação. Os pergaminhos de fala talvez representando a palavra para Deus esotericamente representa o símbolo da religião. A página codex à direita mostra o que parece ser os rostos sorridentes de vítimas sacrificiais.Note-se que as capas foram transformadas em torno de como babadores. O cetro de tipos retratados em ambas as páginas acima pode representar no código do cogumelo Amanita eo "fiveness de Vênus" na representação de cinco cogumelos minúsculos que emergem do cetro.

e até mesmo o ato improvável de auto-decapitação. mas são muitas vezes precedida por cenas de decapitação. a perfuração do pénis. ligado a um culto cabeça troféu. foi fundamentada em sacrifício. bem como imagens visuais que apontam o consumo de cogumelo para o ritual de auto-sacrifício e decapitação ritual.Há inúmeros relatos históricos. O ritual de decapitação foi b ased sobre o que eu acredito que foi uma esotérica cult da cabeça humana associada a um culto do cogumelo. A religião na Mesoamérica começando com os olmecas até ao Aztecs. . com tanta evidência visual que sugere que os cogumelos alucinógenos foram consumidos antes da decapitação ritual. seja na vida real ou simbolicamente (auto decapitação) no submundo ou o jogo de bola ritual. parece razoável propor que eram consideradas essenciais para o próprio ritual. que eu concluir que eles devem ter sido acreditado para ser o veículo através do qual ambos ocorreu. Cenas de transformação submundo Jaguar não só contêm imagens de cogumelo. e Vênus ressurreição. Eu acredito que os cogumelos eram tão intimamente associada à morte e transformação jaguar. mulheres e crianças aos deuses . Estes incluem sangria. e a necessidade de oferecer a vida de homens.

vai continuar a ser ignorado u té que possa ser demonstrado sem sombra de dúvida.O falecido etno-micologista R. eram rodovias não barreiras. e do cogumelo da imortalidade. mas engoliu um rápido após o outra. a mesma palavra para a cabeça.Em conformidade com o título 17 USC Seção 107. os escritores tinham em mente a remoção das hastes. milhares de anos atrás. As sugestões de que pode ter havido contactos entre os continentes antes da idade de expansão europeia têm sido geralmente descartado como tanto fantasiosa. ele escreve: "A tampa do cogumelo em Mije (ou Mixe) é chamado kobahk. Em Kiche e Kakchiquel é sem dúvida o mesmo. qualquer trabalho com direitos de autor desta página é distribuído sob o uso justo. e kolom ocox não é" cabeça de cogumelo ". eles não são mastigados. que muitos traços da civilização do Novo Mundo. . Contatos transoceânicos com as antigas civilizações do Novo Mundo. teve a sua origem no velho mundo. quando os "cabeças são consumidos. o pileus do cogumelo. ou na terminologia científica . As imagens acima são apresentados para fins de pesquisa educacionais. Isto está de acordo com a oferta de "cabeça de cogumelo" nos Anais e o Popol Vuh. e que os leitores deste estudo vai desafiar os mais velhos vista da história do Novo mundo com um reconhecimento mais aberta da capacidade marítima dos povos antigos para explorar seu ambiente e dispersar sua bagagem intelectual para seus cantos mais distantes. mas tampas de cogumelos. em pares. acadêmicos e artísticos. Depois de ver a evidência em favor do contato pré-colombiano. t ele prevalecente visão antropológica da história antiga do Novo Mundo é que seus povos indígenas desenvolveram suas próprias culturas complexas independente da influência exterior ou inspiração. sem fins lucrativos ou pagamento de pesquisa sem fins lucrativos e apenas para fins educacionais. o Mije em seu culto do cogumelo sempre cortar o caule ou estipe (em Mije tek é "perna") da tampa e a tampa só é comido. Gordon Wasson teorizaram que a origem da decapitação ritual pode fixar no próprio ritual cogumelo. "( 07 de junho de 1954. racista ou degradante. Em uma carta ao Borhegyi em 1954. como o símbolo da flor de lis associada a uma árvore do mundo. a minha esperança é que os historiadores será mais aberta ao conceito de que os oceanos. arquivos MPM) Em resumo. Grande insistência é colocada sobre esta separação da tampa da haste .