Vous êtes sur la page 1sur 6

Exercícios Grupo 9: 1, 2, 3, 5, 6, 9, 12, 13, 15, 23, 24, 25 e 27

Forma Geral da Linha Reta

Percebemos pelos teoremas anteriores que a linha reta sempre recai na forma:
Ax + By + C = 0 e que denominamos Forma Geral da Linha Reta.

Efetuando algumas manipulações, chegamos à forma declividade-interseção:


By = −Ax − C
A C y = mx +b
y =− x−
B B

A C
Logo, sua declividade é m = − e a interseção sobre o eixo y é − .
B B

Exemplo: Dadas as equações das retas l1 2 x + 4 y − 2 = 0 e l2 3 x + 6 y −10 = 0 determine se as


mesmas são paralelas.

Solução:

A1 2 1 A 3 1
m1 = − = − = − e m2 = − 2 = − = − .
B1 4 2 B2 6 2

1
m1 = m2 = − , logo são paralelas.
2

Teorema 6: Se as equações de duas linhas retas são Ax + By + C = 0 e A' x +B ' y +C ' =0 ,


então as relações seguintes são condições necessárias e suficiente para:
A B
a. Paralelismo = ou AB '−A' B = 0
A' B'
b. Perpendicularismo AA '+BB ' = 0

c. Coincidência A = kA ' , B = kB ' e C = kC ' ; (k ≠ 0)


A B
d. Interseção em um e apenas em um ponto ≠ ou AB '−A' B ≠ 0
A' B'

Demonstração:
a. Como as linhas são paralelas m1 = m2
A A' A B
− = − , logo = ou AB '−A' B = 0
B B' A' B'
b. Como as linhas são Perpendiculares m1m2 = −1
A A'
(− )( − ) = −1 , AA ' = −BB '
B B'
AA '+BB ' = 0

c. Como as linhas são coincidentes m1 = m2 e b1 = b2


A B
m1 = m2 logo, =
A' B'

C C' C B
e b1 = b2 , − =− logo, =
B B' C' B'

A B C
daí, = = = k logo,
A' B ' C '

A = kA ' , B = kB ' e C = kC ' ; (k ≠ 0)

d. Se as retas se interceptam em um único ponto, então é condição que não sejam


paralelas.
A B
Logo, ≠ ou AB '−A' B ≠ 0
A' B'

Grupo 10: Exercício 2


Determinar a equação de uma linha reta por determinação de seus coeficientes na forma
geral sabendo que a reta deve passar pelo ponto (-2,4) e ter uma declividade igual a -3.

Ax + By +C = 0
3B ( −2) +4 B +C = 0
A.( −2) + B.4 +C = 0 Ax + By +C = 0
−6 B +4 B +C = 0
A 3Bx + By +2 B = 0
m = − = −3 −2 B = −C
B 3 x + y +2 = 0
C =2B
A = 3B

Exercícios Grupo 10: 3, 4, 5, 7 e 9


Teorema 7: A forma Normal da equação de uma linha reta é

x cos w + ysenw − p = 0

sendo, w o ângulo formado entre o eixo x e a normal e p é um número positivo e igual ao


comprimento da normal traçada desde a origem à reta distância da reta a origem.

Y
l

P1 ( x1 , y1 )
p
w
x

Demonstração:
P1 ( x1 , y1 ) = P1 ( p cos w, psenw )
senw
tgw = , como a normal é perpendicular a reta l, m1m2 = −1
cos w

1 cos w
m =− =−
tgw senw

Aplicando o teorema 1:
y − y1 = m( x − x1 )
cos w
y − psenw = − ( x − p cos w)
senw
ysenw − psen 2 w = −x cos w + p cos 2
w
x cos w + ysenw = p ( sen w + cos
2 2
w)
x cos w + ysenw − p = 0

l
Y
Exemplo: Uma circunferência cujo centro está na origemUtilizando a forma
tem raio igual aNormal (Teorema
5. Obter 7)
a equação
da reta tangente a esta circunferência no ponto (4,3). x cos w + ysenw − p = 0
(4,3) 4 3
cos w = , senw = e p=5
5 5 5

w 4 3
x + y − 5 = 0 (Forma Normal)
x 5 5
4 x + 3 y − 25 = 0 (Forma Geral)
Grupo 11: Exercício 12
A declividade de uma reta é -3. Determinar sua equação sabendo-se sabendo que sua
distância à origem é 2.
Aplicando a forma Normal (Teorema 7):
l m = tg α = −3

Y m1 m2 = −1 então tg α ⋅tgw = −1

−1 −1 1 senw
tgw = = = =
tg α − 3 3 cos w
2 cos w = 3senw

w α
sen 2 w + cos 2 w = 1
x sen 2 w + 9 sen 2 w = 1
10 sen 2 w =1
1
senw = ±
10

x cos w + ysenw − p = 0 1 3
Para senw = cos w =
3 1 10 10
1. x +y −2 = 0
10 10 1 3
Para senw = − cos w = −
10 10
3 1
2. x (− ) + y (− ) −2 = 0
10 10

Teorema 8: A forma geral da equação de uma linha reta,


Ax + By + C = 0
pode ser reduzida à forma normal,
x cos w + ysenw − p = 0
dividindo-se cada termo por r = ± ( A 2 + B 2 )
O sinal de r é definido de modo que o termo de p fique negativo.

Grupo 11: Exercício 4


Reduzir a equação 12 x −5 y −52 = 0 à forma normal e encontrar os valores de p e w.
Y

w x
4

r = ± ( A 2 + B 2 ) = ± 12 2 +( −5) 2 = ± 12 2 +( −5) 2 = ±13


12 5 52 12 5
x− y− =0 x− y − 4 = 0 , e como p está negativo, nada mais a fazer.
13 13 13 13 13

12 5 12 −5
x− y − 4 = 0 ; cos w = senw = , logo 4º. quadrante
13 13 13 13

p=4 e arccosw=12/13 w=337o 23’


Teorema 9: A distância d de uma linha reta dada Ax + By + C = 0 ao ponto dado P1(x1,y1)
pode ser obtido substituindo-se as coordenadas do ponto na forma normal da equação da
reta ou,

Ax 1 + By 1 + C
d = x1 cos w + y1 senw − p ou d =
( A2 + B 2 )

Demostração: l
Y

d
Equação da reta na forma normal
P1(x1,y1) x cos w + ysenw − p = 0

Vamos deslocar a reta de modo que a distância d seja mantida e que o ponto P1 esteja sobre
a origem.

Y
Equação da nova reta na forma normal
l’ ( x + x1 ) cos w + ( y + y1 ) senw − p = 0
x cos w + ysenw − (−x1 cos w − y1 senw + p ) = 0
logo,
d d = x1 cos w + y1 senw − p

(0,0) x

Exercícios Grupo 11: 1, 2, 3, 5, 8, 9 e 15