Vous êtes sur la page 1sur 4

Universidade Federal do Recôncavo Baiano – UFRB

Centro de Ciências da Saúde – Santo Antônio de Jesus


Docente: Marcilio Baliza Disciplina: Genética Humana Aplicada a Psicologia

Discentes:

Egnaldo Alves Barreto

Sangue

Santo Antonio de Jesus – Abril de 2009


Sangue
Informações sobre o sangue humano, artérias e veias, tipos de sangue, célula
do sangue, plasma, hemácias, hemoglobina, circulação sangüínea, glóbulos
vermelhos, glóbulos brancos, tipos sangüíneos, principais componentes do
sangue, sistema circulatório, fator RH

Imagem em microscópio: sangue humano


O sangue que percorre nossas artérias e veias através do sistema circulatório e possui extrema
importância para nossa vida. Quando observado por meio de um microscópio, é possível verificar
sua constituição se dá por um líquido amarelo, chamado plasma, onde flutuam um aglomerado de
células brancas e vermelhas, água, proteínas, glicose e sais minerais.
Os glóbulos vermelhos são tão pequenos que em uma pequena gota de sangue são encontrados
mais de cinco milhões deles. Os glóbulos vermelhos têm essa coloração graças à hemoglobina,
que chega às veias sem oxigênio, após ter realizado sua distribuição, através das artérias, por
todo o corpo. Como é o oxigênio que dá à hemoglobina a coloração vermelha, os glóbulos
vermelhos das veias possuem de fato a coloração azul-arroxeada.
A vida útil dos glóbulos é curta, mas graças à medula de certos ossos é possível o nascimento de
novos glóbulos a cada minuto.
No corpo de uma pessoa saudável, a distribuição destes glóbulos ocorre da seguinte forma: Para
cada quinhentos glóbulos vermelhos, existe somente um glóbulo branco. Estes não possuem um
formato definido, contudo, possuem tamanho superior se comparados aos vermelhos. Sua função
em nosso corpo é tão importante quanto a dos glóbulos vermelhos, embora ocorra de forma
bastante diferente. Os glóbulos brancos funcionam como verdadeiros "soldados de defesa", uma
vez que protegem nosso organismo contra a invasão dos germes de inúmeras doenças. O
combate contra estes germes ocorre com a absorção destes pelos glóbulos brancos que os
absorvem, matando-os. A quantidade de glóbulos brancos geralmente é aumentada quando
ficamos doentes, porém, este fato aumenta proporcionalmente a gravidade da doença.
O plasma, em sua grande maioria, é constituído de água, na qual estão dissolvidas várias
substancias químicas importantes para manter o corpo ativo e saudável. Além disso, ele ainda
transporta os alimentos digeridos, desde as paredes do intestino até qualquer parte do corpo,
conduzindo o dióxido de carbono (produzido através da queima de oxigênio) para os pulmões, a
fim de ser expirado. Em suma, pode-se dizer que o sangue atua como distribuidor, levando todas
as vitaminas que o corpo precisa por toda a parte.
É comum locais com bancos de sangue, onde são armazenados o sangue ou plasma doados
voluntariamente por pessoas de diferentes tipos sanguíneos. Este procedimento é extremamente
importante, pois pode salvar inúmeras vidas em casos de urgência e ainda quando há a
necessidade de transfusão. Há diferentes tipos sanguíneos (A, B, AB, O), além disto, o fator Rh
pode ser positivo ou negativo, por isso, é muito importante que uma pessoa receba o mesmo tipo
sanguíneo que o seu, pois a mistura é extremamente perigosa.
Sabe-se que no corpo de um homem adulto há em torno de cinco litros e meio de sangue que,
impulsionado pelo coração, percorre todo o corpo duas vezes por minuto.
O sangue é uma combinação de líquido, células e partículas semelhantes à células, que circula
através das artérias, capilares e veias, liberando oxigênio e nutrientes essenciais aos tecidos e
eliminando dióxido de carbono e outros produtos da degradação metabólica.
Aspectos morfológicos do sangue
O sangue que percorre nossas artérias e veias através do sistema circulatório possui extrema
importância para nossa vida, corresponde aproximadamente 7% do peso do corpo, em média no
adulto 5L. Quando observado por meio de um microscópio, é possível verificar que sua
constituição se dá por um líquido amarelo, chamado plasma, onde flutuam aglomerado de células
brancas e vermelhas, água, proteínas e sais minerais.
O tecido sanguíneo é imprescindível para a manutenção da vida, já que transporta nutrientes,
oxigênio, neurotransmissores, hormônios e imunoglobulinas, além de substâncias tóxicas para
serem eliminadas; e exerce, ainda, papéis relacionados à defesa imunológica e coagulação.
O plasma, de cor amarelada, possui: 9O% de água; 9% das proteínas albumina, globulina e
fibrinogênio; e 1% dos sais inorgânicos, íons, composto nitrogenados e gases. Essas proteínas
são responsáveis em auxiliar a regulação osmótica, reações do sistema imune e a coagulação
sanguínea, respectivamente. O plasma efetua trocas de materiais com o líquido intracelular das
células do sangue e, também, com o líquido intersticial. As hemácias são tão pequenas que em
uma pequena gota de sangue são encontradas mais de milhões deles. Estas, também
denominadas eritrócitos, ou glóbulos vermelhos, possuem formato de discos bicôncavos e
apresentam-se, em nossa espécie, sem núcleos - portanto, sem DNA.
Transportam oxigênio vindo dos pulmões para os tecidos corporais, e gás carbônico. A
hemoglobina, presente nessas células, dão ao sangue sua cor característica.
Leucócitos, ou células brancas, já possuem núcleo, e possuem tamanho bem maior que o das
hemácias. São responsáveis pelo ataque e destruição de agentes invasores. Podem se
apresentar com ou sem grânulos. Existem cinco tipos de leucócitos: neutrófilo, eosinófilo e
basófilo (granulócitos), e linfócito e monócito (agranulócitos).
A vida dos glóbulos é curta, sendo que a medula de certos ossos produz novos glóbulos a cada
minuto. No corpo de uma pessoa saudável ocorre da seguinte forma: para cada quinhentos
glóbulos vermelhos, existe somente um glóbulo branco.
A aula prática no laboratório teve como principal objetivo observar a célula com diferentes
aspectos morfológicos. A aula prática aconteceu no laboratório de genética, sob a orientação do
professor Marcílio, dividindo em pequenos grupos para facilitar a observação através do
microscópio óptico. Abaixo serão descritos primeiramente todos os materiais usados e as etapas
do desenvolvimento da aula.
• Materiais:
Lâminas; algodão; álcool; microscópio óptico; luva; agulhas ou lancetas; recipiente de descarte;
material biológico (sangue); corante de Wright; água destilada;
• Procedimentos:
Desinfectar a ponta de um dedo com álcool. Picar a parte desinfetada com uma agulha ou lanceta
esterilizada e desprezar a primeira gota.
Colocar uma gota de sangue numa lâmina previamente desinfetada com álcool.
Encostar uma lâmina segundo um ângulo de 45º. Fazer deslizar a lâmina até que ela entre em
contato com a gota de sangue. Mantendo o ângulo de 45º deslocar a lâmina de modo a espalhar
o sangue de um modo uniforme pela lâmina.
Secar o esfregaço agitando a lâmina.
Cobrir o esfregaço com 5 ou 6 gotas de corante de Wright e deixar repousar durante 3 à 5 min.
Adicionar 5 gotas de água destilada e misturar. Deixar atuar mais 4 min.
Escorrer o corante e lavar com água destilada até obter uma coloração rósea.
Remover o excesso de água encostando à margem da lâmina papel absorvente.
Deixar secar ao ar.
Rodar o canhão do microscópio de modo à objectiva de menor ampliação ficar funcional.
Ilumina o campo de visão do microscópio.
Coloca a preparação na platina e prende-a com as pinças.
Foca corretamente o microscópio, usando primeiro o parafuso macrométrico e depois o
micrométrico, para obteres uma imagem nítida.
Rodar o canhão para a objetiva seguinte.
Acerta a focagem.
• Resultado
No experimento com a gota de sangue na lamina, observamos através do telescópio
óptico, inúmeras hemácias, praticamente da mesma forma e alguns tipos de leucócitos,
observamos granulócito de basófilo preenchido com grandes basófilos, granulócito neutrófilo, este
aparece de forma como tivesse vários núcleos, porém são lóbulos, pois possuem no total 46
cromossomos. Observamos também a presença de linfócito, este tinha uma característica
especial, pela relação núcleo-citoplasma bastante favorável ao núcleo (um grande núcleo
circundado por delgada camada de citoplasma, era praticamente só núcleo. Existia também um
aglomerado de plaquetas (tromboplastídeos na amostra de sangue observado), cujos detalhes
estruturais mal puderam ser observados. Alguns artefatos foram encontrados no corante
cristalizado, provavelmente fiapos de algodão.
• Conclusão
Observar a célula do sangue foi uma experiência impar, pois verificamos que algo tão pequeno e
tão complexo ao mesmo tempo. O sangue é constituído por hemácias, glóbulos brancos e
plaquetas. As hemácias as mais numerosas, são as responsáveis pelo transporte de oxigênio e
CO2 para e dos tecidos do corpo. Enquanto os leucócitos são os glóbulos brancos classificados
em duas categorias, granulócitos e agronulócitos.
Três tipos de granulócitos:
Neutrófilos são a maioria dos glóbulos brancos, eles destroem as bactérias que invadem os
espaços do tecido conjuntivo.
Eosinófilos fagocitam complexos antígeno-anticorpo e matam parasitas invasoras.
Basófilos funcionam como iniciadores do processo inflamatório.
Dois tipos de agranulócitos:
Linfócitos são agranulócitos e formam a segunda maior população de glóbulos brancos.
Monócitos a maior das células circulantes do sangue, migram para o espaço do tecido
conjuntivo.
Como dizem “sangue é vida” e ele é o veículo responsável para o transporte de materiais, pois
este circula por todo o corpo.
Observar os aspectos morfológicos do sangue foi a nossa primeira aventura para
compreendermos um pouco o funcionamento do ser vivo.

• Referências Bibliográficas
GARTNER, Leslie Gartner. Tratado de Histologia em cores. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara
Koogan, 2003. 179-189 p.

Sobotta – Atlas de Histologia. 6. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2003. 112-113 p.

http://www.msd-brazil.com/msdbrazil/patients/manual_Merck/mm_sec14_152.html

http://www.suapesquisa.com/ecologiasaude/sangue/ Disponível em 15/04/2009