Vous êtes sur la page 1sur 4

CONCEITOS BÁSICOS DE TRATAMENTO DE ÁGUA DE RESFRIAMENTO

1) CONSEQÜÊNCIAS DE UM TRATAMENTO DE ÁGUA DE RESFRIAMENTO NÃO - CONFORME

Impacto ambiental através da aplicação de produtos químicos que podem agredir o meio ambiente.

da energia elétrica). Aceleração da corrosão localizada
da
energia elétrica).
Aceleração da corrosão localizada

Parada da produção, ou redução de carga, em razão de depósitos excessivos nos feixes dos trocadores de calor (corrosão, incrustação, slime).

Reposição, manutenção e aquisição de equipamentos (trocadores de calor, tubulações, etc.) não previstos.

Riscos operacionais quanto à garantia da qualidade do produto final.

Em resumo, Prejuízos Quanto à Qualidade e Produtividade.

2) PROBLEMAS EM SISTEMAS DE RESFRIAMENTO

Corrosão: É a tendência natural dos metais retornarem ao seu estado mais estável, ou seja, na forma de óxidos e sais.

Incrustação: É o aparecimento de depósitos nos circuitos devido aos sólidos em suspensão, sais dissolvidos e características dos sistemas.

Slime: Trata-se do desenvolvimento de microorganismos e formação de depósitos de origem orgânica.

3) PRINCIPAIS CONSEQÜÊNCIAS DA CORROSÃO, INCRUSTAÇÃO E SLIME

Redução da eficiência operacional dos trocadores.

Vazamento após furo/redução da vida útil dos feixes.

Redução da resistência mecânica dos feixes.

Entupimento dos tubos dos trocadores de calor.

Aumento da perda de carga/redução da

Corrosão

Incrustação

vazão/elevação

pressão da bomba de recirculação (maior custo de

Adsorção e consumo excessivo de produtos químicos.

Redução da vida útil dos trocadores de calor. Deformação do recheio e perda da eficiência da torre de resfriamento.

Slime

4) CORROSÃO

Mecanismo de corrosão em água de resfriamento.

Ânodo Fe → Fe 2+ + 2e- (1) Cátodo: 2e- + H 2 O +
Ânodo
Fe
Fe 2+ + 2e- (1)
Cátodo:
2e- + H 2 O + 1/2 O 2 → 2 OH - (2)
Global:
Fe + H 2 O + 1/2 O 2 → Fe(OH) 2 (3)
2 Fe(OH) 2 + H 2 O + 1/2 O 2 → 2Fe(OH) 3 ou Fe 2 O 3 . 3H 2 O (4)
Fatores que influenciam a taxa de corrosão em aço carbono.
Realização de tratamento inicial: o correto pré condicionamento do sistema de água de resfriamento
diminui a taxa de corrosão e aumenta a vida útil dos equipamentos.
Temperatura da água de resfriamento: o aumento da temperatura favorece a corrosão.
Velocidade da água de resfriamento nas tubulações: na presença de inibidores de corrosão, quanto
maior a velocidade menor a taxa de corrosão.
Qualidade da água de resfriamento (make-up): a presença de contaminantes na água de reposição
aumenta a taxa de corrosão.
Condições operacionais do sistema: são variáveis que devem ser estudadas para diminuir a taxa de
corrosão.
Tecnologia de tratamento aplicado: inibidores de corrosão, dispersantes e outras soluções KURITA,
diminuem a taxa de corrosão.

Soluções para a corrosão.

diminuem a taxa de corrosão. Soluções para a corrosão. Identificar e quantificar os fatores que influenciam

diminuem a taxa de corrosão. Soluções para a corrosão. Identificar e quantificar os fatores que influenciam

Identificar e quantificar os fatores que influenciam na taxa de corrosão e

Aplicar a tecnologia de tratamento da KURITA (inibidores de corrosão, dispersantes, etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo.

etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo. 5) INCRUSTAÇÃO Mecanismo da incrustação Supersaturação
etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo. 5) INCRUSTAÇÃO Mecanismo da incrustação Supersaturação
etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo. 5) INCRUSTAÇÃO Mecanismo da incrustação Supersaturação
etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo. 5) INCRUSTAÇÃO Mecanismo da incrustação Supersaturação

5) INCRUSTAÇÃO

Mecanismo da incrustação

Supersaturação de sais (Ex: CaCO 3 , CaSO 4 , Ca 3 (PO 4 ) 2 , Zn 3 (PO 4 ) 2 , etc.)

Formação de

micro-cristais

Crescimento

dos cristais

Formação de micro-cristais Crescimento dos cristais Incrustação Precipitados nos feixes (macro
Formação de micro-cristais Crescimento dos cristais Incrustação Precipitados nos feixes (macro

Incrustação

Incrustação Precipitados

Precipitados

nos feixes

(macro cristal)

Agentes Incrustantes:

Carbonato de cálcio (mais comum)

Sulfato de cálcio Fosfato de cálcio Fosfato de zinco Fatores que influenciam a taxa de
Sulfato de cálcio
Fosfato de cálcio
Fosfato de zinco
Fatores que influenciam a taxa de incrustação.
Temperatura de superfície das tubulações: quanto maior a temperatura, mais favorecida é a
incrustação.
Velocidade da água de resfriamento nas tubulações: quanto menor a velocidade, maior a taxa de
incrustação.
Qualidade da água de make-up/resfriamento: quanto maior a concentração de sais, maior a
tendência à formação de depósitos.
Condições operacionais do sistema: ciclo de concentração, tempo de retenção e outras, são variáveis
que devem ser estudadas para diminuir a taxa de incrustação.
Tecnologia aplicada: dispersantes, inibidores de incrustação e outras soluções KURITA diminuem a
incrustação.
Soluções para a incrustação.
Identificar e quantificar os fatores que influenciam na taxa de incrustação e
Aplicar a tecnologia de tratamento da KURITA (dispersantes, inibidores de incrustação, etc.) que se
adeque à qualidade da água em estudo.
6) SLIME
Formado por agregação de microorganismos (algas, bactérias,
mucilagem)
e de pequenos grânulos
inorgânicos. São denominados também bioflocos.
Podem ser do tipo aderido ou sedimentado.
O slime é detectado nos permutadores, top deck da torre, bacia e enchimento da torre.

Mecanismo da formação de Slime.

- Aderência de Slime.

Os microorganismos aderem nas paredes do sistema;

Produzem substâncias gelatinosas (mucilagem);

Sólidos suspensos se aderem na mucilagem. O processo é cíclico e a camada de slime cresce na ausência

de tratamento químico adequado.

- Sedimentação de Biofloco.

O biofloco cresce, torna-se pesado e sedimenta-se em locais de baixa velocidade.

Fatores que influenciam na formação de slime.

Disponibilidade de nutrientes de microorganismos no sistema: Num sistema de AGR existem 4 formas do mesmo ser alimentado por nutrientes de microorganismos: água de reposição, ar, dosagem de produtos químicos e vazamentos de processo. De forma geral, N, C e P são os principais nutrientes. Algas também funcionam como nutrientes.

nutrientes. Algas também funcionam como nutrientes. Oxigênio Dissolvido: Bactérias aeróbicas e fungos

Oxigênio Dissolvido: Bactérias aeróbicas e fungos necessitam do oxigênio dissolvido na água para alimentação e reprodução. Sistemas abertos provêem oxigênio suficiente para estas funções.

Luz Solar: Acelera o crescimento das algas no top deck da torre, que servirão de nutrientes para os microorganismos.

Temperatura: A temperatura ideal de proliferação de bactérias está na faixa de 30 a 40 °C.

pH: A faixa ideal para formação de slime está entre 6,0 e 9,0. Como o pH das águas de resfriamento é controlado dentro desta faixa, ele beneficia a formação de slime.

Concentração de Bactérias: O aumento da concentração de bactérias aumenta a formação de slime. A freqüência de problemas de slime é baixa quando a contagem de bactérias é inferior a 10 3 UFC/ml.

Turbidez e Sólidos Suspensos: O aumento da turbidez aumenta a formação de slime, nas zonas de baixa velocidade. A prevenção da formação de slime é facilitada com valores de turbidez inferiores a 20 ppm caulim.

Velocidade: A sedimentação de bioflocos ocorre em zonas de baixa velocidade. Ex.: Trocadores com água no casco. Velocidade de água inferior a 0,3 m/s pode tornar a incidência de slime severa.

a 0,3 m/s pode tornar a incidência de slime severa. Soluções para a presença de Slime.

Soluções para a presença de Slime.

de slime severa. Soluções para a presença de Slime. Identificar e quantificar os fatores que influenciam
de slime severa. Soluções para a presença de Slime. Identificar e quantificar os fatores que influenciam
de slime severa. Soluções para a presença de Slime. Identificar e quantificar os fatores que influenciam
de slime severa. Soluções para a presença de Slime. Identificar e quantificar os fatores que influenciam
de slime severa. Soluções para a presença de Slime. Identificar e quantificar os fatores que influenciam

Identificar e quantificar os fatores que influenciam na formação de slime e

Aplicar a tecnologia de tratamento da KURITA (Pré tratamento da água, uso de Biocidas, etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo.

etc.) que se adeque à qualidade da água em estudo. Soluções em Engenharia de Tratamento de

Soluções em Engenharia de Tratamento de Água

Por: Diego de Oliveira e Silva/Antonio R. P. Carvalho