Vous êtes sur la page 1sur 8

Guiaelementarsobrecomofazer

umamonografiajurídica(parte1)

14defevereirode2015,8h01

5

3

Paramuitosacadêmicos,aconfecçãoeaapresentaçãodotaltrabalhodecurso(TC),representaomomentode

maiorangústiaesofrimentovivenciadoduranteafaculdadedeDireito.Algumasdasvítimasdesse“abalo

psíquico”acabamoptandoporcontornararesponsabilidadeoriundadarealizaçãodetaltrabalhoetomamo

caminho,semprearriscado,daspequenasfraudes(toleradaspormuitos,apontadasporpoucos)

consubstanciadasnosatosdecompradetrabalhosprontos,colagensdetextosencontradosnainterneteum

semnúmerodeplágios,desdeparciaisatétotais.

Estacolunatemafinalidadedealertarosincautosparaquenãopermitamqueasituaçãochegueaestenível

dedramapessoal.Claroqueexisteaquelecontingentedepessoasquerecorremaossubterfúgiosaludidosno

parágrafoacimasimplesmenteporpreguiça.Paraestescasos,édebomalvitrejáavisar,oqueseráditoaqui

nãoseránenhumpoucoútiloualentador.Aredaçãodamonografiajurídicaésemprealgodifícil,trabalhoso

e,nalgunscasos,doloroso(existeumclichêparamencionara“dor”quesentimosquandoprecisamosredigir

umtrabalhocientífico:“partodeideias”).Quantoaisso,desconheçoqualquerreceitaquepossaencurtar

caminhosoufacilitarascoisas.

caminhosoufacilitarascoisas.

Porém,existemalgumaspremissasbásicasdeorganizaçãodotrabalhodepesquisaque,sedevidamenteaplicadas,podemremediaroaumento exponencialdaansiedade,diminuindoosníveisdeangustiaesofrimentonomomentodeenfrentaroseuTC.Estemeutexto,então,temum destinatáriocomendereçocerto:você,acadêmicodegraduaçãoemdireito,quenãotemamínimaideiadecomoorganizarseutempoeoseu materialdepesquisapararedigirumaboaehonestamonografia.Nãoestoupreocupadocomaquelesqueestãoadiantadosemseusestudose queprecisamenfrentaroutrosdilemas(dissertação,tese,livros,etc ).Estes,provavelmente,nãovãoencontraraquinenhumelementonovo. Todavia,você,professor,percebendonestepequenoopúsculoalgumautilidadeparaosseusorientandosdegraduação,seráportadordeminha

gratidão,nocasoderecomendá­loaosseusalunos.

Caberegistrar,ainda,queprogrameiessaanáliseparaocuparoespaçodeduascolunas.Nadehoje,cuidareideapresentaralgumasideias

básicasrelativasagestãodapesquisa,estandomaisdiretamenteligadaaaspectosorganizacionaisqueenvolvemtempo,escolhadotemae

suadelimitaçãoe,porfim,métodoemateriais.

EmminhapróximaparticipaçãonesteDiáriodeClasse,abordareiquestõesquemeparecemsignificativasnoquedizrespeitoaofichamento

domaterialselecionado,àestruturadotrabalhoeàsuaredação.Algunstextossãoimportantesdeseremlidosemconjuntocomeste.Nocaso,

acolunadeLenioStrecksobreoprotótipodoestudantededireitoideal(cliqueaquiparaler)eoutrosdoistextosmeussobrea

responsabilidadedoestudantededireitodiantedesuaprópriaformação(cliqueaquieaquiparaler).

Organizaçãodotempo

Nãosedeixeenganarpeloselementoscurriculareseseusestreitamentosinstitucionais.NocasodoTC,amaioriadoscurrículosescolares,

relegamocumprimentodoscréditosrelativosàsuarealizaçãoeapresentaçãoparaofinaldocurso.Ofatodesuafaculdadepossuirum

currículoassimnãosignificaquevocêdeveráaguardaratéoúltimoanoparadarinícioàsuamonografia.

Aocontrário,ésalutarcomeçarapensarnelaantes.Nonossocontextoatual,oúltimoanodocursodedireitoapresenta­secomouma verdadeirafábricadeneuroses:aantecipaçãodoexamedeordem;anecessidadedecomprovaçãodoscréditosrelativosàsatividades complementares;oestágio;nalgunscasos,otrabalho colocararealizaçãodeumapesquisaearedaçãodeumamonografiaparadisputar tempocomesseconjuntodeatividadeséumconviteaosdistúrbiosgeradospelaansiedadedescontrolada.

Paraevitaressasituação,sugiroqueapreparaçãodoTCtenhainícioentreassextaesétimaetapasdocurso.Nessaaltura,jáexistem

condiçõesdeseperceber,dentreasdiversasquestõesjurídicaspassiveisdefiguraremcomotemasdemonografias,quaisseriamaquelascom

asquaissepossuimaiorafinidadeequeparecemmaisinstigantes.

Todavia,aquelequenãoteveapossibilidadedeiniciaroseuplanejamentodepesquisaduranteametadedocursoeencontra­sedianteda

tarefadeterquefazê­loemapenasumano,nãoestácompletamenteperdido.Apenascreioque,nestecaso,suaspossibilidadesestarão

reduzidas.Valedizer,quemesperaoúltimoanoparacomeçarapensarnamonografiateráquesecontentaremfazerumtrabalhomais

modesto.Porexemplo:pesquisaempírica,aessaaltura(semnenhumcontatopréviocomseusmétodospeculiares)tendeaserumfracasso.

Comentareiessepormenorcommaisdetalhesumpoucoadiante.Porenquanto,éimportantedizerque,pormotivosdeorganizaçãodotempo,

arealizaçãodepesquisaempíricasemumaadequadaatividadepreparatória,nãoseráumaboaescolha.Nessecaso,sugirorestringirsua

pesquisaàvelhaeboarevisãobibliográficamesmo.

Poroutrolado,otrabalhoiniciadonoúltimoano,mesmoquerestritoàrevisãobibliográfica,ficaráprovavelmentemaislimitadodoque

aquelequecomeçouasepreocuparcomamonografia(oucomumainiciaçãocientífica,oquedánomesmo)alipelametadedocurso.O

pesquisadordeúltimahora,muitoprovavelmente,alienaráumaparcelasignificativadesuaautonomiaintelectualparaoorientadorque,

nalgunscasoslimites,podesugerirotemaeabibliografiaquedeveserconsultada.Absolutamentesemnenhumacontribuiçãododiscente.

Essasituaçãoéextremamenteperniciosaporque,porumlado,oacadêmicoperdeumaótimaoportunidadeparadesenvolverumapostura

maisassertiva,firmeesegura.Poroutro,oorientadortambémseprejudica,umavezqueessalógicadedominaçãoecastradoradaautonomia

discente,emnadacontribuiuparaampliaçãodesuaexperiênciadepesquisa.

Escolhaedelimitaçãodotema

Alémdenãodeixaraelaboraçãodamonografiaparaoúltimoanodocurso(quandoterámuitomenostempoparasededicaraela),é

importanteque,aoiniciaroseuplanejamento,vocêjátenhasedecididoporumtemaqueseráobjetodesuapesquisa.

Nestecaso,pensoserextremamentedesaconselhávelescolherotemaporumaquestãodeafinidadecomopossívelorientador.Pormais

cativantequesejaoprofessoreasuaaula,nãoexistegarantiadeque,nomomentodeexecuçãodapesquisa,haveráefetivointeressedesua

partepelatemáticaexploradapelodocente.Apesquisaéumótimoespaçoparadesenvolvereafirmarsuaautonomiaintelectual.Assumaisto

jánoinstantededefiniçãodotema.Nessamedida,omaisadequadoéescolherumtemaqueefetivamenteproduzaemvocêumgenuíno

interesse.Nósestamosabertosparaoprocessodeconhecimentoapartirdediversos“sentimentosdesituação”:tédio,revolta,comoção,

paixãoetc.Umbomindícioparaperceberqualtemapodelheinteressar,éseauto­observarcomrelaçãoaotipodesentimentodesituaçãoque

amatérialheprovoca.Pode­se,porexemplo,terodesencadeamentodeumapesquisasobreanecessidadedeumconceitomaiscoerentistade

jurisdição,pelarevoltaquesereveladiantedocaosexistentenajurisprudênciabrasileira;oudaperplexidadequeéadescobertadachamada

“jurisprudêncialotérica”,nointeriordaqualaquestãoédecidamaispelosorteiorealizadoporocasiãodadistribuiçãodorecursonotribunal

doque,propriamente,pelajustificaçãodosargumentosjurídicoslançadosnopedidoenadefesa.

Enfim,taiselementosdenossarealidadejurídicaproduzemreaçõesimpactantesemnós.Éimportantequeotemaescolhidoparaapesquisa

possacanalizaraenergiaqueexisteno“sentimentodesituação”queelenosprovoca.

Portudoisso,aescolhadoorientadordeveserefetuadadepoisdadefiniçãodotema,sendoaltamenteaconselhávelquenãosejatrilhadoo

caminhocontrário.

Dessaconstataçãodecorreoutrocorolário:tenhasemprepresentequequeméoresponsávelimediatopelotrabalhoéoseuautor.Portanto,

você,acadêmico.Oorientadornãovai(enemdeve)fazerotrabalhoporvocê.Afunçãodoorientadoréservircomouminterlocutor

privilegiadodeseutrabalho,discutindoosresultadosdesuapesquisaeapontando,conformeocaso,ospossíveiserros.Elepodesugerir

leiturasquevenhamadescortinarnovoshorizontesparaasuapesquisa.Podeauxiliá­lonadelimitaçãodoseutemaenojulgamentoda

redaçãodeseutexto.Mashádeterminadascoisasquedependemdeumdesenvolvimentobastantepersonalista.

Esteéocasodadelimitaçãodotemaescolhido.Oorientadorpodediscutircomvocêaplausibilidadedoscortesteóricosqueasuapesquisa

pretendeefetuar.Masoesforçodeobjetividadenaanálisedotemadevepartirdopróprioacadêmico.

Naperspectivadeofereceralgumauxílio,aquivãoalgumassugestões:

Eviteabordagensaltamentegenéricas.Elaspodemserreveladaspelotítulo.Émuitopoucoaconselhável(paranãodizererrado)queuma

monografiatenhacomotítuloalgocomo“DaJurisdição”.Taltítulopodelevarsuamonografiaemdireçãoao“paradoxodocheese­tudo”,

assimenunciado:“ocheese­tudoéumsanduíchequetemdetudoumpouco(gado,porco,frango,embutidosetc.),masque,aofinal,não

possuisabordefinidodenenhumadessascoisas”.Umamonografiaassim,“DaJurisdição”,podetertudosobreotemae,aomesmotempo,

chegaràconclusãodenada.Oresultadofinalserá,apenas,umaamontoadodecolagensconceituaisqueproduzem,nomáximo,um

opacopatchwork.

Paradelimitarotemaéimportanteelaborarumproblemaarespeitodamatériae,aomesmotempo,projetaralgumahipótesedesolução,a

partirdacompreensãopréviaquesetemdaesferatemática.Talhipóteseseráposteriormentetestadadiantedaliteraturaconsultada.

Nestecaso,poderíamosformularoseguinteexemplo:“Jurisdição,segurançajurídicaecoerênciadajurisprudência:umaanáliseàluzdo

novoCPC”.

Assim,teríamoscomoproblemaaseguintepergunta:Aaltadivergênciajurisprudencial,observadaentreórgãosfracionáriosdeummesmo

tribunal,prejudicaasegurançajurídica?

Ahipóteseseria:sim.PorissoonovoCPCestabeleceumecanismoscapazesecorrigirtaldistorção,quandoprescreveaexigênciade

estabilidade,coerênciaeintegridadedajurisprudência.

Talhipótesedeveriasertestada,àtodaevidência,naliteraturadisponívelsobreotema,mas,independentementedisso,teríamosaquiuma

propostadelimitadadeumatemaparaumaeventualmonografia.

Métodosemateriais

OutropontoimportanteaserdefinidoparaumbomplanejamentodeseuTC,dizrespeitoàdecisãosobreotipodepesquisaquesepretende

efetuar.

Jáfoiditonoiníciodestetextoqueapesquisaemdireitopodeserderevisãobibliográficaouempírica.Agrandemaioriadostrabalhosda

áreaoptampelarevisãobibliográficaqueconsiste,basicamente,emreuniromaiornúmeropossíveldeliteraturaarespeitodotemaescolhido

produzindo,aofinal,umrelatórioqueapresentedeformasistemáticaosresultadosobtidospelaleituraefichamentodostextos,apresentando

ascontrovérsias,asdiferentessoluçõesparaomesmotemae,aofinal,concluindocomalgumadasviasdisponíveis(ébemconhecido,masé

semprebomlembrar,nenhumamonografiaprecisacriaralgonovooupesquisarumtemaquenuncaninguémabordou.Tudoissoé

mitológico.Naverdadeumamonografiaqueinvestigueumtemacomabundantematerialproduzidoterámelhorescondiçõesdeserbem

sucedidadoqueoutraqueesteja“tateandonoescuro”,lutandoparaencontrarmigalhasdereferências).

Essaverdadeirahegemoniadarevisãobibliográficanapesquisajurídicajárendeutodotipodecrítica.Nãoémeuobjetivoaquiretratá­las.

Semembargo,devodizerquenãotenhonenhumarestriçãocomrelaçãoàrevisãobibliográficanoDireito,mesmoquesejapuramente

bibliográfica.Pelocontrário,acreditoque,quandobemconduzidaeexecutada,talpesquisaproduzexcelentesresultados.Afinal,estamos

falandodeumaciênciamilenar,anterioratéàsmodernasciênciasdanatureza.Essatradiçãotem,paramim,umaforteautoridade.

Poroutrolado,tambémnãotenhonenhumtipodeobjeçãocomrelaçãoàpesquisaempírica.Apenaspensoque,quemoptarporessecaminho,

develevá­loasério.Éinadmissíveloqueselêporaí,inclusiveemtesesedissertações,arespeitodapesquisaempíricanoDireito.

Játivecontatocomtrabalhosquepretendiamrealizar“pesquisaempírica”(sic)dejurisprudência;ouainda,“pesquisaempírica”(sic)de

estudodecaso !

Note:seoseutrabalhopretendepesquisaroentendimentosedimentadonajurisprudênciadoSTFsobreahierarquianormativadostratadose

convençõesinternacionaisdedireitoshumanos,issonãofazdeleumapesquisaempírica.Domesmomodo,umtrabalhoquepretendeanalisar oproblemadodepositárioinfieldiantedodireitobrasileiro,apartirdealgumassituaçõesfáticasdefinidas, mesmoquedenomineissode “estudodecaso”(sic),tambémnãoestárealizandopesquisaempíricanenhuma.

Pesquisaempíricaimplicaoempregodetécnicasemétodosespecíficosque,emgeral,pretendeminvestigarcomportamentose/ouopiniões.

Paraisso,faz­senecessárioumapreparaçãoespecífica–quasenuncadisponívelnoscursosdedireito–queproblematizaasferramentasde

“prospecção”(comoserárealizadaapesquisa?Umaobservaçãoinloco?Aplicaçãodequestionários?Comoosdadosserãocoletados?)e,

depoisdereunidososdados,qualaformacorretadeanalisá­los.

Foiporessemotivoque,noinício,alerteiaosinteressadosemprocederàpesquisaempíricanodireito,queiniciassemnecessariamenteoseu

trabalhoantesdoúltimoano.Docontrário,haveriamuitopoucotempoparaseinformaradequadamentesobreastécnicaseosmétodosde

pesquisa,umavezqueseránecessáriorecorreralivrosdeoutrasáreasdoconhecimentobemcomoaprofessoresquepossuemestetipode

formação(geralmente,alguémquepassouporumcursodesociologia,psicologia,ciênciapolítica,etc.).

Umapalavrasobremateriais:arevisãobibliográficaqueserárealizada,comojáafirmado,precisarácobrir,omáximopossível,aprodução

publicadasobreotema.Essareuniãodemateriaisbibliográficosdeveráincorporar:livros,capítulosdelivros,artigospublicadosem

periódicos,textosdesitesdainternet,jornais,etc.Éfundamental,parasefazerumbomTC,quesuasreferenciasnãoestejamconcentradas

emumúnicomeiodepublicação.Émuitocomumencontrarmonografiasquefazemreferenciaapenasamanuaisdidáticos.Esseé,sem

dúvidanenhuma,opiordosmundos.Éimpossívellevarasérioumapesquisaquetenhasebaseadoúnicaeexclusivamentenoslivros

didáticosdisponíveis.

Existembonslivrosdidáticos,éverdade.Masumapesquisaquesepretendarazoávelprecisainvestigaroseuâmbitotemáticocomum

mínimodeprofundidadequedificilmenteseráencontradanessetipodeliteratura.

Éprecisorecorrer,portanto,aosperiódicos,quereúnemartigoscientíficossobretemasjurídicos.Hojeemdia,essesperiódicosestão

indexadospelaCapesesesubmetemaum“controledequalidade”conhecidocomoQualis.Assim,umavezdefinidootema,procureoque

foiproduzidosobreeleepublicadonessasrevistasouperiódicos.E,parasaberqualograudeconfiabilidadedomaterial,verifique

ostatusquearevistaconsultadaocupanosistemaQualis.Emminhapróximacoluna,voltareiafalardaprospecçãodomaterialede

possíveisformasdeorganizá­loapartirdefichamentos.

Comopalavrafinal,queroregistrarquepressuponhonestainterlocuçãoacadêmicosdedireitoespalhadosporestepaíscontinentalquelevam

asérioasuaformaçãoepossuemodesejodefazerumamonografia,nomínimo,deboaqualidade.QuemvêoTCapenasumindigestorito

depassagem,nãoestáincluídoemmeu“públicoalvo”.Estesúltimosfuncionamnalógicadofingimento:oalunofingequefezuma

monografia,oprofessorfingequecorrigiue,aofinal,tudonãopassoudeumaenormeperdadetempo.Meussincerosvotosparaquevocê,

queridoleitor,nãoestejaincluídonestatristeestatística.

5

3

RafaelTomazdeOliveiraéadvogado,mestreedoutoremDireitoPúblicopelaUnisinoseprofessordoprogramadepós­graduaçãoemDireitodaUniversidadede

RibeirãoPreto(Unaerp).

RevistaConsultorJurídico,14defevereirode2015,8h01

Revista ConsultorJurídico ,14defevereirode2015,8h01 COMENTÁRIOSDELEITORES 11comentários ARTIGOFAVORITADO!
Revista ConsultorJurídico ,14defevereirode2015,8h01 COMENTÁRIOSDELEITORES 11comentários ARTIGOFAVORITADO!

COMENTÁRIOSDELEITORES

11comentários

ARTIGOFAVORITADO!

HarlenMagno(OficialdeJustiça)

18defevereirode2015,2h50

Obrigado,Dr.RafaelTomazdeOliveira!Estouno3ºsemestreejácomeçandoameprepararparaoTC,quandotopeicomesteseuexcelenteartigo!Aguardarei

ansiosamentea2ªparte!

GRANDETEXTO!

R.G.(EstudantedeDireito)

17defevereirode2015,10h30

Excelentesconselhosereflexões,mormentesobreaspesquisasempíricasnoDireito!

TCC

CRISTHANEBAZANI(Outros)

16defevereirode2015,15h12

Muitobomoseuartigo,professorRafael,enestemomentosuperapropriadoparamim,poisestouconstruindoomeuTCCesuasdicasforamótimas.Aguardandoa

próximaparte.Abs.

Comentáriosencerradosem22/02/2015.

Aseçãodecomentáriosdecadatextoéencerrada7diasapósadatadasuapublicação.