Vous êtes sur la page 1sur 71
Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas – DECIV Superestrutura de Ferrovias – CIV
Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas – DECIV Superestrutura de Ferrovias – CIV
Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas – DECIV Superestrutura de Ferrovias – CIV

Universidade Federal de Ouro Preto

Escola de Minas DECIV

Superestrutura de Ferrovias CIV 259

Minas – DECIV Superestrutura de Ferrovias – CIV 259 Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO Superestrutura de
Aula 3 SISTEMA FERROVIÁRIO BRASILEIRO
Aula 3
SISTEMA FERROVIÁRIO
BRASILEIRO

Malha

Ferroviária

Brasileira

Malha Ferroviária Brasileira Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Superestrutura de Ferrovias
Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Transporte Ferroviário O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706 quilômetros, concentrando-se nas regiões Sul,
Transporte Ferroviário O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706 quilômetros, concentrando-se nas regiões Sul,

Transporte Ferroviário

Transporte Ferroviário O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706 quilômetros, concentrando-se nas regiões Sul,

O sistema ferroviário brasileiro totaliza 29.706 quilômetros,

concentrando-se nas regiões Sul, Sudeste e Nordeste, atendendo

parte

do

Centro-Oeste

e

Norte

do

país.

Foram

concedidos

aproximadamente, 28.840 quilômetros das malhas.

O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes O setor ferroviário participou na matriz de transporte

O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes

O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes O setor ferroviário participou na matriz de transporte de
O Modal Ferroviário na Matriz de Transportes O setor ferroviário participou na matriz de transporte de

O setor ferroviário participou na matriz de transporte de

carga

do

Brasil,

com

o

percentual

de

20,86%,

em

2000,

considerando o total da carga transportada no país.

2000, considerando o total da carga transportada no país. Composição Percentual das Cargas - 2000. Fonte:

Composição Percentual das Cargas - 2000. Fonte: GEIPOT.

Características do Transporte Ferroviário O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de

Características do Transporte Ferroviário

Características do Transporte Ferroviário O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de
Características do Transporte Ferroviário O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua capacidade de

O modal ferroviário caracteriza-se, especialmente, por sua

capacidade de transportar grandes volumes, com elevada eficiência

energética, principalmente em casos de deslocamentos a médias e

grandes distâncias. Apresenta, ainda, maior segurança, em relação

ao modal rodoviário, com menor índice de acidentes e menor

incidência de furtos e roubos.

Características do Transporte Ferroviário São cargas típicas do modal ferroviário:  Produtos Siderúrgicos; 

Características do Transporte Ferroviário

Características do Transporte Ferroviário São cargas típicas do modal ferroviário:  Produtos Siderúrgicos; 
Características do Transporte Ferroviário São cargas típicas do modal ferroviário:  Produtos Siderúrgicos; 

São cargas típicas do modal ferroviário:

Produtos Siderúrgicos;

Grãos;

Minério de Ferro;

Cimento e Cal;

Adubos e Fertilizantes;

Derivados de Petróleo;

Calcário;

Carvão Mineral e Clinquer;

Contêineres.

Características do Transporte Ferroviário O sistema ferroviário nacional é o maior da América Latina, em

Características do Transporte Ferroviário

Características do Transporte Ferroviário O sistema ferroviário nacional é o maior da América Latina, em termos
Características do Transporte Ferroviário O sistema ferroviário nacional é o maior da América Latina, em termos

O sistema ferroviário nacional é o maior da América

Latina, em termos de carga transportada, atingindo 162,2 bilhões

de tku (tonelada quilômetro útil), em 2001.

Concessionárias Ferroviárias de Cargas América Latina Logística - ALL Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas América Latina Logística - ALL Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto
América Latina Logística - ALL
América Latina Logística - ALL

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Tereza Cristina - FTC Rampa compensada máxima 1,72 Raio mínimo

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Ferrovia Tereza Cristina - FTC

Ferroviárias de Cargas Ferrovia Tereza Cristina - FTC Rampa compensada máxima 1,72 Raio mínimo de curva
Ferroviárias de Cargas Ferrovia Tereza Cristina - FTC Rampa compensada máxima 1,72 Raio mínimo de curva

Rampa compensada máxima

1,72

Raio mínimo de curva (m)

190,98

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Votorantim - EVM Área de atuação Sorocaba (SP)

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Votorantim - EVM Área de atuação Sorocaba (SP) ao

Estrada de Ferro Votorantim - EVM

Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Votorantim - EVM Área de atuação Sorocaba (SP) ao grupo

Área de atuação

Sorocaba (SP) ao grupo Votorantim (SP)

Extensão das Linhas

Bitola

1,00 m

20 km

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Bandeirantes S. A. FERROBAN Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Bandeirantes S. A. FERROBAN Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Bandeirantes S. A. FERROBAN Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.

Ferrovia Bandeirantes S. A.

FERROBAN

Ferroviárias de Cargas Ferrovia Bandeirantes S. A. FERROBAN Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Campos do Jordão - EFCJ Área de atuação

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Campos do Jordão - EFCJ Área de atuação São

Estrada de Ferro Campos do Jordão - EFCJ

Área de atuação São Paulo Extensão das Linhas Bitola 1,00 m 20 km
Área de atuação
São Paulo
Extensão das Linhas
Bitola
1,00 m
20 km
Concessionárias Ferroviárias de Cargas MRS Logística Área de atuação Minas Gerais, Rio de Janeiro, São

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas MRS Logística Área de atuação Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo

MRS Logística

Área de atuação Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo Extensão das Linhas Bitola 1,60
Área de atuação
Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo
Extensão das Linhas
Bitola
1,60 m
1.631,9 km
1,00/1,60 m
42,2 km
1.674,1 km
Rampa compensada máxima
2,00
Raio mínimo de curva (m)
135,00
compensada máxima 2,00 Raio mínimo de curva (m) 135,00 Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Vitória - Minas Rampa compensada máxima (%) 1,50

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Vitória - Minas Rampa compensada máxima (%) 1,50 Raio
Estrada de Ferro Vitória - Minas
Estrada de Ferro Vitória - Minas

Rampa compensada máxima (%)

1,50

Raio mínimo de curva (m)

103,55

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Centro-Atlântica S. A. - FCA Rampa compensada máxima 3,90 Raio

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Ferrovia Centro-Atlântica S. A. - FCA

de Cargas Ferrovia Centro-Atlântica S. A. - FCA Rampa compensada máxima 3,90 Raio mínimo de curva
Rampa compensada máxima 3,90 Raio mínimo de curva (m) 62,00
Rampa compensada máxima
3,90
Raio mínimo de curva (m)
62,00
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Companhia Ferroviária Nordeste - CFN Rampa compensada máxima 2,80 Raio

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Companhia Ferroviária Nordeste - CFN

de Cargas Companhia Ferroviária Nordeste - CFN Rampa compensada máxima 2,80 Raio mínimo de curva (m)
Rampa compensada máxima 2,80 Raio mínimo de curva (m) 83,00
Rampa compensada máxima
2,80
Raio mínimo de curva (m)
83,00
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Carajás - EFC Rampa compensada máxima 0,40 Raio

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Estrada de Ferro Carajás - EFC

Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Carajás - EFC Rampa compensada máxima 0,40 Raio mínimo de
Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Carajás - EFC Rampa compensada máxima 0,40 Raio mínimo de

Rampa compensada máxima

0,40

Raio mínimo de curva (m)

860,00

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Amapá - EFA Área de atuação Amapá Extensão

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Estrada de Ferro Amapá - EFA

Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Amapá - EFA Área de atuação Amapá Extensão das Linhas
Área de atuação Amapá Extensão das Linhas Bitola 1,44 m 194 km Rampa compensada máxima
Área de atuação
Amapá
Extensão das Linhas
Bitola
1,44 m
194 km
Rampa compensada máxima
1,85
Raio mínimo de curva (m)
305,63
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Jari - EFJ Área de atuação Pará Extensão

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Jari - EFJ Área de atuação Pará Extensão das
Estrada de Ferro Jari - EFJ Área de atuação Pará Extensão das Linhas Bitola 1,60
Estrada de Ferro Jari - EFJ
Área de atuação
Pará
Extensão das Linhas
Bitola
1,60 m
68 km
Rampa compensada máxima
2,00
Raio mínimo de curva (m)
450,00
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Trombetas - EFT Área de atuação Pará Extensão

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Estrada de Ferro Trombetas - EFT

Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Trombetas - EFT Área de atuação Pará Extensão das Linhas
Área de atuação Pará Extensão das Linhas Bitola 1,60 m 35 km Rampa compensada máxima
Área de atuação
Pará
Extensão das Linhas
Bitola
1,60 m
35 km
Rampa compensada máxima
1,02
Raio mínimo de curva (m)
499,82
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Norte Sul - FNS Goiás, Tocantins, Maranhão Área de atuação

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Norte Sul - FNS Goiás, Tocantins, Maranhão Área de atuação
Ferrovia Norte Sul - FNS Goiás, Tocantins, Maranhão Área de atuação Extensão das Linhas Bitola
Ferrovia Norte Sul - FNS
Goiás, Tocantins, Maranhão
Área de atuação
Extensão das Linhas
Bitola
1,00 m e 1,60 m
1.638 km
Rampa compensada máxima
0,60
Raio mínimo de curva (m)
343,00
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Norte Brasil S. A. – FERRONORTE Situação atual quanto à

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Ferrovia Norte Brasil S. A. FERRONORTE

de Cargas Ferrovia Norte Brasil S. A. – FERRONORTE Situação atual quanto à Operação Ferroviária Rampa
Situação atual quanto à Operação Ferroviária Rampa compensada máxima 2,00 Raio mínimo de curva (m)
Situação atual quanto à Operação Ferroviária
Rampa compensada máxima
2,00
Raio mínimo de curva (m)
650,00
Concessionárias Ferroviárias de Cargas Ferrovia Novoeste S. A. - NOVOESTE Rampa compensada máxima 3,5 Raio

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Ferrovia Novoeste S. A. - NOVOESTE

Ferroviárias de Cargas Ferrovia Novoeste S. A. - NOVOESTE Rampa compensada máxima 3,5 Raio mínimo de
Rampa compensada máxima 3,5 Raio mínimo de curva (m) 163,80
Rampa compensada máxima
3,5
Raio mínimo de curva (m)
163,80

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Paraná Oeste S. A. - FERROESTE Superestrutura de

Concessionárias Ferroviárias de Cargas

Concessionárias Ferroviárias de Cargas Estrada de Ferro Paraná Oeste S. A. - FERROESTE Superestrutura de Ferrovias

Estrada de Ferro Paraná Oeste S. A. - FERROESTE

de Cargas Estrada de Ferro Paraná Oeste S. A. - FERROESTE Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros O transporte ferroviário de passageiros de curta e de longa

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros O transporte ferroviário de passageiros de curta e de longa distância
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros O transporte ferroviário de passageiros de curta e de longa distância

O transporte ferroviário de passageiros de curta e de longa

distância evoluiu continuamente, em concomitância com o transporte

de carga, até confrontar-se com a acirrada competição do transporte

rodoviário, em particular a partir da década de 50 dessa concorrência

foi o declínio relativo dos sistemas ferroviários, mais acentuado no

transporte de passageiros, em um grande e, mais recentemente,

com o transporte aéreo. O resultado mais visível número de países.

Companhia Brasileira de Transportes Urbanos CBTU é um órgão federal subordinado ao Ministério das Cidades

Companhia Brasileira de Transportes Urbanos

Companhia Brasileira de Transportes Urbanos CBTU é um órgão federal subordinado ao Ministério das Cidades responsável
Companhia Brasileira de Transportes Urbanos CBTU é um órgão federal subordinado ao Ministério das Cidades responsável

CBTU é um órgão federal subordinado ao Ministério das

Cidades responsável pela

metrôs.

implantação, gestão e operação dos

A administração central da CBTU está localizada no Rio de

Janeiro e em Belo Horizonte.

Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Companhia Brasileira de Transportes Urbanos A gestão dos serviços pela CBTU é descentralizada e atualmente

Companhia Brasileira de Transportes Urbanos

Companhia Brasileira de Transportes Urbanos A gestão dos serviços pela CBTU é descentralizada e atualmente estruturada
Companhia Brasileira de Transportes Urbanos A gestão dos serviços pela CBTU é descentralizada e atualmente estruturada

A gestão dos serviços pela CBTU é descentralizada e atualmente

estruturada em:

Uma Administração Central;

Quatro

Superintendências

Fortaleza);

(Recife,

Belo

Horizonte,

Salvador

e

Três Gerências de Trens Urbanos (Natal, João Pessoa e Maceió).

Informações gerais  Extensão: 252 km, sendo 56 km eletrificados;  Bitola: 1,00/1,60 m; 
Informações gerais  Extensão: 252 km, sendo 56 km eletrificados;  Bitola: 1,00/1,60 m; 

Informações gerais

Informações gerais  Extensão: 252 km, sendo 56 km eletrificados;  Bitola: 1,00/1,60 m;  Tração:

Extensão: 252 km, sendo 56 km eletrificados;

Bitola: 1,00/1,60 m;

Tração: diesel/elétrica;

Estações: 103 unidades.

Transporte Realizado  Em 1997, atendendo a 22 municípios, transportou 70,17 milhões de passageiros, média
Transporte Realizado  Em 1997, atendendo a 22 municípios, transportou 70,17 milhões de passageiros, média

Transporte Realizado

Transporte Realizado  Em 1997, atendendo a 22 municípios, transportou 70,17 milhões de passageiros, média de

Em 1997, atendendo a 22 municípios, transportou 70,17 milhões de

passageiros, média de cerca de 192 mil usuários/dia, empregando

3.303 funcionários.

Situação da Empresa Dando continuidade ao programa de descentralização, vem atuando como responsável pela execução
Situação da Empresa Dando continuidade ao programa de descentralização, vem atuando como responsável pela execução

Situação da Empresa

Situação da Empresa Dando continuidade ao programa de descentralização, vem atuando como responsável pela execução

Dando continuidade ao programa de descentralização, vem

atuando

como

responsável

pela

execução

dos

programas

de

modernização e complementação dos sistemas de São Paulo e Rio

de Janeiro, nos termos pactuados relativos à estadualização, e nos

de

Belo

Horizonte,

Recife,

Salvador

e

Fortaleza,

visando

complementar e estadualizar. Tem como objetivo, ainda, viabilizar a

recuperação e transferir os sistemas de João Pessoa, Maceió e

Natal.

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia do Metropolitano de São Paulo - METRO-SP Características

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Companhia do Metropolitano de São Paulo - METRO-SP

Companhia do Metropolitano de São Paulo - METRO-SP Características Técnicas Linha 1 Linha 2 Linha 3
Características Técnicas Linha 1 Linha 2 Linha 3 Linhas – Denominação 1 – Azul 2
Características Técnicas
Linha 1
Linha 2
Linha 3
Linhas – Denominação
1 – Azul
2 – Verde
3 - Vermelha
Bitola (m)
1,60
1,60
1,60
Rampa compensada máxima(%)
4,00
-
-
Raio mínimo de curva (m)
300,00
-
-
Linhas Principais e ramais
56 km

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM Características Técnicas

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM

Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM Características Técnicas Linha 1 Linha 2 Linha 3
Companhia Paulista de Trens Metropolitanos - CPTM Características Técnicas Linha 1 Linha 2 Linha 3

Características Técnicas

Linha 1

Linha 2

Linha 3

Linha 4

Linha 5

Linha 6

Linha 7

Linhas Denominação

A

B

C

D

E

F

H

Bitola (m)

1,60

1,00 + 1,60

1,00 + 1,60

1,60

1,60

1,60

1,00

Rampa compensada máxima(%)

2,38

2,39

1,29

1,80

2,59

0,92

1,00

Raio mínimo de curva (m)

354,00

150,00

425,00

375,00

290,00

150,00

200,00

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia do Metropolitano do Rio de Janeiro – METRÔ RIO

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia do Metropolitano do Rio de Janeiro – METRÔ RIO INFORMAÇÕES

Companhia do Metropolitano do Rio de Janeiro METRÔ RIO

do Metropolitano do Rio de Janeiro – METRÔ RIO INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola Tração
INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

42 km

1,60 m

elétrica

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia Fluminense de Trens Urbanos - FLUMITRENS INFORMAÇÕES GERAIS

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia Fluminense de Trens Urbanos - FLUMITRENS INFORMAÇÕES GERAIS

Companhia Fluminense de Trens Urbanos - FLUMITRENS

INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

547 km

1,00/1,60 m

elétrica/diesel

Tração 547 km 1,00/1,60 m elétrica/diesel Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Metrô de Belo Horizonte O Material Rodante da STU/BH é um TREM UNIDADE ELÉTRICO -
Metrô de Belo Horizonte O Material Rodante da STU/BH é um TREM UNIDADE ELÉTRICO -

Metrô de Belo Horizonte

Metrô de Belo Horizonte O Material Rodante da STU/BH é um TREM UNIDADE ELÉTRICO - TUE,formado

O Material Rodante da STU/BH é um TREM UNIDADE ELÉTRICO - TUE,formado por dois carros motores e dois carros reboques,

estando os carros motores posicionados nas cabeceiras, com cabine

de comando, cada um.

Bitola: 1,60 m. Velocidade máxima de projeto: 90 km/h. Velocidade máxima de serviço: 80 km/h. Velocidade comercial: 46 km/h.

de serviço: 80 km/h.  Velocidade comercial: 46 km/h. Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A - TRENSURB

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A - TRENSURB INFORMAÇÕES

Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A - TRENSURB

Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S.A - TRENSURB INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola Tração
INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

31 km

1,60 m

elétrica

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Metropolitano do Distrito Federal – METRÔ-DF Superestrutura de

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Metropolitano do Distrito Federal – METRÔ-DF Superestrutura de

Metropolitano do Distrito Federal METRÔ-DF

Passageiros Metropolitano do Distrito Federal – METRÔ-DF Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Gerência de Trens Urbanos de João Pessoa – GTU/JO INFORMAÇÕES

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Gerência de Trens Urbanos de João Pessoa – GTU/JO INFORMAÇÕES GERAIS

Gerência de Trens Urbanos de João Pessoa GTU/JO

Gerência de Trens Urbanos de João Pessoa – GTU/JO INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola Tração
INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

30 km

1,00 m

diesel

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Superintendência de Trens Urbanos em Salvador – STU/SAL INFORMAÇÕES

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Superintendência de Trens Urbanos em Salvador – STU/SAL INFORMAÇÕES

Superintendência de Trens Urbanos em Salvador STU/SAL

Superintendência de Trens Urbanos em Salvador – STU/SAL INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola Tração
INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

14 km

1,00 m

elétrica

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Gerência de Trens Urbanos de Maceió – GTU/MAC INFORMAÇÕES GERAIS

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Gerência de Trens Urbanos de Maceió – GTU/MAC INFORMAÇÕES GERAIS

Gerência de Trens Urbanos de Maceió GTU/MAC

INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

32 km

1,00 m

diesel

Bitola Tração 32 km 1,00 m diesel Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Gerência de Trens Urbanos de Natal – GTU/NATAL INFORMAÇÕES GERAIS

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Gerência de Trens Urbanos de Natal – GTU/NATAL INFORMAÇÕES GERAIS

Gerência de Trens Urbanos de Natal GTU/NATAL

INFORMAÇÕES GERAIS Extensão 56 km Bitola 1,00 m Tração diesel
INFORMAÇÕES GERAIS
Extensão
56 km
Bitola
1,00 m
Tração
diesel
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Metrô do Recife - METROREC INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Metrô do Recife - METROREC INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola

Metrô do Recife - METROREC

Urbano de Passageiros Metrô do Recife - METROREC INFORMAÇÕES GERAIS Extensão Bitola Tração
INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

31,5 km

1,60 m

diesel

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia de Trens Urbanos Superintendência de Trens Urbanos de Fortaleza

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia de Trens Urbanos Superintendência de Trens Urbanos de Fortaleza
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Companhia de Trens Urbanos Superintendência de Trens Urbanos de Fortaleza

Companhia de Trens Urbanos

Superintendência de Trens Urbanos de Fortaleza STU/FOR

INFORMAÇÕES GERAIS

INFORMAÇÕES GERAIS

Extensão

Bitola

Tração

46 km

1,00 m

diesel

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Vitória-Minas – EFVM Produção de Transporte de

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Vitória-Minas – EFVM Produção de Transporte de

Estrada de Ferro Vitória-Minas EFVM

Produção de Transporte de Passageiros

Vitória-Minas – EFVM Produção de Transporte de Passageiros Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Carajás – EFC Produção de Transporte de

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Carajás – EFC Produção de Transporte de Passageiros

Estrada de Ferro Carajás EFC

Produção de Transporte de Passageiros

Carajás – EFC Produção de Transporte de Passageiros Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Corcovado – ESFECO Superestrutura de Ferrovias Prof.

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros

Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Corcovado – ESFECO Superestrutura de Ferrovias Prof.
Transporte Ferroviário Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Corcovado – ESFECO Superestrutura de Ferrovias Prof.

Estrada de Ferro Corcovado ESFECO

Urbano de Passageiros Estrada de Ferro Corcovado – ESFECO Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Principais corredores do transporte ferroviário Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Principais

corredores do

transporte

ferroviário

Superestrutura de Ferrovias

Prof. Dr. Gilberto Fernandes

Principais corredores

do

transporte ferroviário

Principais corredores do transporte ferroviário Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
Representação das Matrizes de Transporte   Matriz de Transporte   Matriz Transporte do Brasil Países

Representação das Matrizes de Transporte

Representação das Matrizes de Transporte   Matriz de Transporte   Matriz Transporte do Brasil Países
 

Matriz de Transporte

 

Matriz Transporte do Brasil

Países Desenvolvidos

Países

Subdesenvolvidos

Modalidade

Carga

Passageiros

Carga

Passageiros

Carga (%)

Passageiros

(%)

(%)

(%)

(%)

(%)

Rodoviário

55,6

93

30

30

42,2

96

Ferroviário

22,4

6

40

60

38,4

3

Aquaviário

4,6

-

14

5

10,9

-

Outros

17,4

1

16

5

8,3

1

COMPARAÇÃO SUPERFÍCIE TERRITORIAL X EXTENSÃO DE MALHA FERROVIÁRIA País Sup. Territorial (km 2 ) Malha

COMPARAÇÃO SUPERFÍCIE TERRITORIAL X EXTENSÃO DE MALHA FERROVIÁRIA

SUPERFÍCIE TERRITORIAL X EXTENSÃO DE MALHA FERROVIÁRIA País Sup. Territorial (km 2 ) Malha ferroviária

País

Sup. Territorial (km 2 )

Malha ferroviária (km)

Densidade de Ferrovias

Brasil

8.511.965

30.550

0,36

EUA

9.363.123

330.000

3,52

Rússia

22.402.200

148.000

0,66

Canadá

9.976.139

102.700

1,03

Índia

3.287.590

62.000

1,88

China

9.596.961

52.800

0,55

Alemanha

356.755

41.000

11,49

Austrália

7.686.846

40.000

0,52

França

547.026

34.600

6,33

Argentina

2.766.889

34.100

1,23

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA INSTRUMENTOS PÚBLICOS DE INCENTIVO AO INVESTIMENTO PRIVADO EM INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA INSTRUMENTOS PÚBLICOS DE INCENTIVO AO INVESTIMENTO PRIVADO EM INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA
PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA INSTRUMENTOS PÚBLICOS DE INCENTIVO AO INVESTIMENTO PRIVADO EM INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA

INSTRUMENTOS PÚBLICOS DE INCENTIVO AO INVESTIMENTO PRIVADO EM INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA

Marcos regulatórios aperfeiçoados no sentido de:

Ampliar a parceria com a iniciativa privada Garantir tarifa módica e serviço adequado e sustentável Participação da iniciativa privada nos investimentos através de:

Concessão simples: tarifa módica garante a sustentabilidade econômico financeira dos serviços Concessão patrocinada: Poder Público assume parte dos custos para

garantir tarifas módicas

Concessão administrativa: gestão privada com custos assumidos integralmente pelo Poder Público Linhas de financiamento adequadas

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA

PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
PAC - INFRA-ESTRUTURA LOGÍSTICA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Mapa Ferrovia Norte - Sul Superestrutura de Ferrovias

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

Mapa

Ferrovia Norte - Sul

PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Mapa Ferrovia Norte - Sul Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Mapa Ferrovia Norte - Sul Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção de Contorno Ferroviário de São Félix/BA e

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção de Contorno Ferroviário de São Félix/BA e Cachoeira/BA

Construção de Contorno Ferroviário de São Félix/BA e Cachoeira/BA

de Contorno Ferroviário de São Félix/BA e Cachoeira/BA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção da Variante Ferroviária Camaçari – Aratu/BA

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção da Variante Ferroviária Camaçari – Aratu/BA

Construção da Variante Ferroviária Camaçari Aratu/BA

Construção da Variante Ferroviária Camaçari – Aratu/BA Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Ferrovia Nova Transnordestina Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

Ferrovia Nova Transnordestina

ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Ferrovia Nova Transnordestina Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Ferrovia Nova Transnordestina Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Adequação do Ramal Ferroviário no Perímetro Urbano de

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Adequação do Ramal Ferroviário no Perímetro Urbano de Barra

Adequação do Ramal Ferroviário no Perímetro Urbano de Barra Mansa/RJ

do Ramal Ferroviário no Perímetro Urbano de Barra Mansa/RJ Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção de Contorno e Pátio Ferroviário de Tutóia

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção de Contorno e Pátio Ferroviário de Tutóia em

Construção de Contorno e Pátio Ferroviário de Tutóia em Araraquara/SP

de Contorno e Pátio Ferroviário de Tutóia em Araraquara/SP Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Ferroanel – Tramo Norte - SP Superestrutura de

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

Ferroanel Tramo Norte - SP

ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Ferroanel – Tramo Norte - SP Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Ferroanel – Tramo Norte - SP Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Travessia de Belo Horizonte/MG Superestrutura de Ferrovias Prof.

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

Travessia de Belo Horizonte/MG

ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Travessia de Belo Horizonte/MG Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Travessia de Belo Horizonte/MG Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Itaúna/MG Superestrutura de

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Itaúna/MG Superestrutura de

Construção do Contorno Ferroviário de Itaúna/MG

2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Itaúna/MG Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Retificação de traçado da Serra do Tigre/MG Superestrutura

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

Retificação de traçado da Serra do Tigre/MG

- 2007 / 2010 Retificação de traçado da Serra do Tigre/MG Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
- 2007 / 2010 Retificação de traçado da Serra do Tigre/MG Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr.
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Divinópolis - MG

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Divinópolis - MG Superestrutura

Construção do Contorno Ferroviário de Divinópolis - MG

2010 Construção do Contorno Ferroviário de Divinópolis - MG Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de São Francisco do

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de São Francisco do Sul/SC

Construção do Contorno Ferroviário de São Francisco do Sul/SC

do Contorno Ferroviário de São Francisco do Sul/SC Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Joinville/SC Superestrutura de

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Joinville/SC Superestrutura de

Construção do Contorno Ferroviário de Joinville/SC

/ 2010 Construção do Contorno Ferroviário de Joinville/SC Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção da Variante de Guarapuava/PR Superestrutura de Ferrovias

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

Construção da Variante de Guarapuava/PR

- 2007 / 2010 Construção da Variante de Guarapuava/PR Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
- 2007 / 2010 Construção da Variante de Guarapuava/PR Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes
FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção da Ferronorte – Trecho Alto Araguaia –

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010

FERROVIAS: PROJETOS ESTRUTURANTES - 2007 / 2010 Construção da Ferronorte – Trecho Alto Araguaia –

Construção da Ferronorte Trecho Alto Araguaia Rondonópolis/MT

da Ferronorte – Trecho Alto Araguaia – Rondonópolis/MT Superestrutura de Ferrovias Prof. Dr. Gilberto Fernandes