Vous êtes sur la page 1sur 30
ANÁLISE IMF JANEIRO 2016 中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020
ANÁLISE IMF JANEIRO 2016 中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020
ANÁLISE IMF JANEIRO 2016
ANÁLISE
IMF
JANEIRO 2016

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

ANÁLISE IMF JANEIRO 2016 中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020

ÍNDICE

Análise Tema Global

3

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal

3

Mercado Monetário

9

10

Ciclo Económico

11

14

Commodities

16

Energia

16

Metais

17

Agrícolas

20

Análise de

23

A IMF ................................................................................................................................................................

30

IMF Informação de Mercados Financeiros, SA www.imf.pt

m.imf.pt (cotações para smartphone gratuito)

“Este documento destina-se a uso privado e a sua reprodução total ou parcial carece de autorização prévia da IMF. Este documento foi produzido com base em informações de fontes credíveis, mas a IMF não garante que essas informações estejam completas nem que sejam totalmente exatas. As opiniões expressas neste documento podem ser alteradas sem aviso e não pretendem constituir nenhum aconselhamento.

2|janeiro de 2016

IMF INFORMAÇÃO DE MERCADOS FINANCEIROS

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

Análise Tema Global

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

A China apresentou há algumas semanas o seu Plano Quinquenal para 2016-2020. Parte dos detalhes serão apenas conhecidos durante o ano de 2016, mas as principais linhas diretoras foram já clarificadas. O Plano Quinquenal anterior já tinha sido alvo de destaque por parte da IMF no seu Relatório “China – Os próximos 10 anos”, de abril de 2011. Voltamos ao tema porque estes objetivos de longo prazo da China são para le- var a sério e a História recente mostra que o país tem caminhado no sentido do seu cumprimento. Foi, também por isso, que a imprensa internacional deu mais destaque ao Plano este ano do que em 2011, mas

ainda assim menos atenção do que consideramos ser a adequada. O Mundo tem vindo a “virar” a Oriente,

sendo a China um dos principais focos de atividade.

Se não quiser ler nem mais uma linha, o que não aconselhamos, veja este desenho animado da agência Xinhua que explica, em inglês e em três minutos, a importância e processo do Plano Quinquenal:

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Análise – Tema Global 中國 十三五 Chinahttps://goo.gl/7KeiPM O Objetivo Centenário A planificação é uma das heranças soviéticas que ain- da persiste na China. Este será o 13º plano quinquenal desde que o Partido Comunista chegou ao poder. Na era de Mao Zedong, estes planos eram implementa- dos de forma estrita, com o Partido a definir quotas que as unidades produtivas, por exemplo de cereais ou aço, tinham de cumprir. O problema é que, muitas vezes, este comando centralizado resultava na má alocação de recursos, com efeitos desastrosos e que levaram ao empobrecimento da maior parte do país. Nos anos 80, o governo foi deixando de controlar tão ferreamente toda a atividade e os planos quinquenais foram-se tornando menos rígidos. Em vez de serem planos exaustivos e inflexíveis, passaram a constituir um documento sobre como as autoridades gostariam de direcionar o país. Portanto, os planos quinquenais já não têm apenas o foco na economia. Na ausência de uma Democracia, estes documentos são o mais próximo que o Partido apresenta de um “programa eleitoral” [de atividades e intenções], destacando as suas prioridades de longo prazo. O novo Plano Quinquenal para 2016-2020 foi revelado pelo presidente Xi de forma tranquila. É provavelmen- te o Plano mais importante em 66 anos porque pre- tende transformar finalmente a China de um estado feudal para uma economia moderna. O processo teve IMF – INFORMAÇÃO DE MERCADOS FINANCEIROS janeiro de 2016| 3 " id="pdf-obj-2-36" src="pdf-obj-2-36.jpg">

O Objetivo Centenário

A planificação é uma das heranças soviéticas que ain- da persiste na China. Este será o 13º plano quinquenal desde que o Partido Comunista chegou ao poder. Na era de Mao Zedong, estes planos eram implementa- dos de forma estrita, com o Partido a definir quotas que as unidades produtivas, por exemplo de cereais ou aço, tinham de cumprir. O problema é que, muitas vezes, este comando centralizado resultava na má alocação de recursos, com efeitos desastrosos e que levaram ao empobrecimento da maior parte do país. Nos anos 80, o governo foi deixando de controlar tão ferreamente toda a atividade e os planos quinquenais foram-se tornando menos rígidos. Em vez de serem

planos exaustivos e inflexíveis, passaram a constituir um documento sobre como as autoridades gostariam

de direcionar o país. Portanto, os planos quinquenais já não têm apenas o foco na economia. Na ausência de uma Democracia, estes documentos são o mais

próximo que o Partido apresenta de um “programa eleitoral” [de atividades e intenções], destacando as

suas prioridades de longo prazo. O novo Plano Quinquenal para 2016-2020 foi revelado pelo presidente Xi de forma tranquila. É provavelmen- te o Plano mais importante em 66 anos porque pre- tende transformar finalmente a China de um estado feudal para uma economia moderna. O processo teve

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

início em 1949, acelerando a partir de 1978, mas só nas últimas décadas os objetivos têm vindo a ser cumpridos. A sucessão de Planos Quinquenais tem como propósito atingir um Objetivo Centenário: A China pretende ser um país socialista e moderno em 2049, quando a revolução comunista completar um

O Plano anterior: 2011-2015

Importa recordar as linhas mestras do plano anterior, para que se perceba como se trata de uma estratégia consistente ao longo do tempo. Olhando para a China de hoje, reconhecemos algum sucesso na implemen- tação planeada, ou pelo menos uma intenção clara. Em 2011 planeava-se já a longo prazo com os seguin- tes objetivos:

  • 1. De PIB nominal para PIB per capita

  • 2. De Exportações para Procura Interna

  • 3. De “Fábrica do Mundo” a “Fábrica da China”

  • 4. De “Gato Preto” para “Gato Verde”

  • 5. De “Desempenhar papéis mais relevantes” a “Escrever novas regras”

6. De

“Fábrica

Mundo”

do

Mundo”

para

“Escritório

do

século. Entre outros aspetos a atingir estão uma dis- tribuição de riqueza justa, níveis de vida “razoáveis”, preservação ambiental, desenvolvimento de um sis- tema de segurança social e ser um modelo para ou- tros países.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 início em 1949, acelerando a partir de 1978,

O 13º Plano Quinquenal: 2016-2020

O Plano é uma estra- tégia nacional, esta- belecida pelos líde- res do país. Não é, como destaca a HBR, um plano no seu sentido mais estrito uma sequência precisa e detalhada conducente a certas metas. Pretende-se apresentar as políti- cas de desenvolvimento social e de crescimento eco- nómico, identificar áreas de investimento e onde os recursos e esforços do governo se devem concentrar. O novo plano não assume uma rutura com o anterior, mas há algumas diferenças e evoluções. Podem desta- car-se quatro temas principais:

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 início em 1949, acelerando a partir de 1978,
  • 1. Assegurar um crescimento médio/alto - o

Partido Comunista e o Governo definiram um objetivo

4|janeiro de 2016

de crescimento de 6.5% durante os próximos cinco anos, o que permitirá duplicar o PIB e o PIB per capita entre 2010 e 2020. É um crescimento mais lento do que os 8% anteriores, mas bem acima do resto das principais economias mundiais. Dúvidas sobre as mé- tricas à parte, a China precisará de encontrar novos motores para o crescimento, como o consumo, inova- ção e empreendedorismo, todas contidas no Plano.

  • 2. Mudar o foco do investimento e exportações

para o consumo interno é algo que já vem do Pano anterior. Antes a China seguia um estilo soviético de crescimento assente no investimento público e de

utilizar a mão-de-obra barata para desenvolver o con-

ceito de “fábrica do mundo”. Esta política teve o con-

dão de promover um crescimento notável, mas tam- bém desigualdade de rendimentos, excesso de capa- cidade, poluição, corrupção, entre outros. O objetivo é continuar a aumentar a ênfase no consumo interno.

  • 3. Melhorar o bem-estar individual através de

reformas na segurança social e cuidados de saúde o

IMF INFORMAÇÃO DE MERCADOS FINANCEIROS

objetivo diz quase tudo. Pretende-se melhorar a assis- tência à população e, no entretanto, libertar recursos das famílias para o consumo. A subida dos custos la- borais e o envelhecimento da população obrigam a China a encontrar novas formas de manter a dinâmica económica, com um dos exemplos a ser o recuo na política de permitir apenas um filho por casal.

objetivo diz quase tudo. Pretende-se melhorar a assis- tência à população e, no entretanto, libertar recursos
  • 4. Reformas estruturais pretende-se a imple-

mentação de reformas em várias áreas, incluindo a

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

livre formação de preços, regulamentação fiscal, regu- lação financeira e de investimentos e a eliminação progressiva de monopólios. Tudo aponta na direção de ambicionar e promover mecanismos competitivos de mercado.

objetivo diz quase tudo. Pretende-se melhorar a assis- tência à população e, no entretanto, libertar recursos

Fonte: Haitong

Para as empresas que queiram estar na China ou estar de alguma formas expostas a este mercado, fica evi- dente a necessidade de uma estratégia que se adapte a este contexto. Claro que toda a estratégia empresa- rial tem que ter em conta o seu ambiente, mas a van- tagem nesse caso é que o governo chinês está a anun- ciar quais os seus objetivos e, quer as autoridades, quer o mercado, irão receber melhor as entidades que ajudem a China a atingir os seus objetivos.

O mesmo Plano, apresentado de outra forma

Os quatro temas atrás descritos estão “arrumados” de

forma sobretudo conceptual. Na imprensa e na gene- ralidade dos relatórios de analistas, foram apresenta- dos sob a forma de medidas mais concretas, prova- velmente mais emblemáticas:

  • 1. Inovação: “Programa China 2025” consiste

em medidas de expansão da integração da inovação na indústria e serviços. O objetivo é, também, de promover uma mão-de-obra mais qualificada. Fala-se

também em objetivos de novas patentes, dar às uni- versidades maior autonomia e promover o ensino voltado para a inovação.

  • 2. Ambiente: “Real-time greenproposta de

implementar um sistema de monitorização em tempo real que já foi introduzido em 2014 e que obriga as fábricas a publicar, na internet, de forma horária, as emissões na atmosfera e de duas em duas horas as descargas de resíduos líquidos. A regulação em torno do tema será alterada e serão promovidas energias

renováveis, bem como a fixação de preços razoáveis para a água.

  • 3. Internet Plustrata-se de um programa

que pretende integrar grandes quantidades de dados,

a “internet das coisas” e a internet móvel com a in-

dústria, promovendo o comércio eletrónico. Segundo este plano, a internet será utilizada para promover a inovação e o crescimento dos três setores da econo- mia.

objetivo diz quase tudo. Pretende-se melhorar a assis- tência à população e, no entretanto, libertar recursos

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

  • 4. Segurança social e qualidade de vida os ci-

dadãos chineses já têm uma cobertura quase univer- sal em termos de saúde, mas sem acesso aos trata- mentos mais caros. É esta situação que se pretende combater, com o objetivo de que 50% dos custos com doenças graves seja coberto. Será também reforçado o sistema de pensões, obrigando-se os trabalhadores das empresas e organismos públicos a entregar 8% do

seu salário a um fundo para a velhice.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 4. Segurança social e qualidade de vida –

Simultaneamente, para combater a pressão demográ- fica, a idade da reforma deverá subir de forma pro- gressiva e terminará a política de filho único. Serão revistos os métodos de urbanização.

  • 5. Reforma dos mercados de capitais preten-

de-se seguir um caminho de abertura gradual dos mercados e à convertibilidade da balança de capitais em yuan. A entrada do yuan no cabaz dos Direitos Especiais de Saque do FMI já foi um passo importante neste domínio.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 4. Segurança social e qualidade de vida –

Proceder à interligação das bolsas e aumentar a fisca- lização sobre as operações de mercado é outro dos objetivos. A China já retirou o teto máximo nas taxas de depósito, introduziu mecanismos de salvaguarda

6|janeiro de 2016

dos depósitos e abriu a conta de capital a empresas e bancos na zona de comércio livre de Shanghai. As reformas vão acontecendo gradualmente, mas sem- pre no mesmo sentido.

  • 6. Liberalização e Economia apesar de a eco-

nomia chinesa já não ser tão “nacionalizada” como

era há 30 anos, 20% dos funcionários ainda trabalham

para empresas públicas ou equiparadas. São mais de 150 mil entidades públicas ou controladas pelo estado (110 delas são centrais).

O resto da economia é dinâmica, descentralizada e detida por privados. É intenção do governo continuar a operar essa transição e de intervir reduzindo os mo- nopólios em setores como a eletricidade, telecomuni- cações, transportes, petróleo e serviços públicos. No setor primário, prevê-se a evolução para um agricultor mais profissional e menos de subsistência, o que im- plicará alterações nos direitos sobre as terras.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 4. Segurança social e qualidade de vida –
  • 7. Governo das instituições o objetivo é mo-

dernizar os sistemas de governo a nível nacional, me- lhorando e adaptando mecanismos de decisão, a apli-

cação da lei, a credibilidade dos tribunais, proteção dos direitos humanos e da propriedade. Pretende-se

ainda a coordenação internacional de políticas “ma-

cro” e desempenhar papéis relevantes em novas áreas como a internet, as zonas polares, a exploração sub-

marina e o espaço.

IMF INFORMAÇÃO DE MERCADOS FINANCEIROS

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 IMF – INFORMAÇÃO DE MERCADOS FINANCEIROS janeiro de

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

Os Riscos

Ter uma estratégia implica o risco de não a conseguir implementar. Em todo o caso, é quase sempre prefe- rível ter uma estratégia do que o seu contrário. À me- dida que a China vai cumprindo algumas etapas de desenvolvimento, nomeadamente as mais identificá- veis como as de infraestrutura, legislação e outras passíveis de “benchmarking”, a complexificação do processo leva a que seja mais difícil continuar a ter sucesso. Além disso, dado o seu impacto na economia mundial, há o problema da reflexividade o que a China faz tem impacto no resto do mundo e, depois, na própria China.

Em termos de riscos mais concretos e identificáveis, a China parece estar preocupada com a corrupção, a regulação financeira, o mercado imobiliário e o mer-

cado financeiro. O tema da corrupção, negócios “in- devidos” e tráfico de influências tem aparecido asso-

ciado ao Plano Quinquenal e ao Objetivo Centenário. Os casos mais recentes de detenções e investigações de algumas figuras importantes mostram que é algo para levar a sério. Os analistas externos apontam a dívida como outro risco importante porque a dívida tem vindo a crescer duas vezes mais rápido do que a

economia. Ruchir Sharma, autor de “Breakout Nati- ons”, nota que olhando para todos os “milagres´” económicos como os da Coreia do Sul, Taiwan ou Ja- pão, terminaram com uma explosão de dívida no fim do ciclo. A internacionalização do yuan, que na prática significa maior facilidade de os agentes económicos chineses, incluindo o Estado, poderem emitir mais dívida (agora em yuan) deve ser vista neste contexto. Ao internacionalizar o yuan, a China tem a vantagem de poder dispersar os seus credores e assim a pressão. Mas, também é um convite à emissão de mais dívida, o que pode acontecer de forma descontrolada e, com o dinheiro a entrar na China, provocar desequilíbrios. O yuan deverá poder flutuar mais, o que permite cor-

Conclusão

rigir alguns potenciais exageros, mas terão também impacto no comércio mundial. Por isso, o tema da dívida parece-nos ser o que comporta mais riscos.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Os Riscos Ter uma estratégia implica o risco

Com alguma propaganda à mistura, a China vai tentando mostrar ao mundo que tem um plano de longo prazo. Se vai ter ou não sucesso, só o futuro poderá dizer. Mas deve reconhecer-se que a concretização das orientações de fundo tem sido tentada nos últimos anos. Por isso, é importante conhecer este Plano Quinquenal. Não só porque terá efei- tos globais, mas também porque qualquer entidade que se queira relacionar com a China terá que ter uma estratégia e atitude de conformidade com as políticas de longo prazo.

(IMF com Thomson Reuters, The Economist, Harvard Business Review, Haitong, Telegraph, Fortune, Project Syndicate, China Daily, Bangkok Post, Financial Times, Forbes e Youtube.)

8|janeiro de 2016

IMF INFORMAÇÃO DE MERCADOS FINANCEIROS

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

Mercado Monetário

A queda da inflação e a fraqueza da recuperação eco- nómica na zona euro levaram a que o BCE voltasse a alterar a sua política monetária. Mesmo com a liqui- dez medida pelo agregado monetário M3 a níveis razoavelmente elevados, o aumento dos empréstimos concedidos pelos bancos a empresas não financeiras e privados, continua abaixo do desejável. Nesse sentido, o Banco Central deixou inalterada a taxa de referência central a 0.05% e a de empréstimo de emergência a 0.30%, mas baixou a taxa de depósito dos anteriores -0.20% para -0.30%. Desta forma, os bancos que no fim do diatenham excesso de liquidez não utilizada e que antes tinham que pagar 0.2% ao Banco Central, passaram a ter que pagar 0.3%. Como resultado desta penalização nos depósitos junto do Banco Central, as Euribor continuaram a sua trajetória descendente e nesta fase apenas os prazos de 9 e 12 meses estão marginalmente positivos.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Mercado Monetário A queda da inflação e

Olhando para o mercado de FRAs percebe-se perfei- tamente que a expectativa do mercado é que nada de diferente venha a ocorrer em 2016 no que a taxas de referência diz respeito. Nesta altura negoceiam-se para o final de 2016 taxas de 6 meses a -0.04% e a 3 meses nos -0.18%. A grande dúvida que se coloca e que levanta muito debate e discussão está relaciona- da com o efeito prático desta situação. A tentativa de provocar alguma inflação, estimulando consumo e penalizando depósitos, não resulta caso o aforrador sinta pouca confiança no futuro da economia.

Temos o caso do Japão, onde injeções sucessivas de liquidez e taxas quase a zero há mais de duas décadas têm falhado no objetivo de subida de inflação. Outros agentes de mercado estão mais preocupados com os efeitos que uma situação prolongada de taxas baixas

possa vir a ter em sectores como o segurador e fundos de pensões, comprometidos com rentabilidades que no atual contexto são impossíveis de obter num en- quadramento de baixo risco dentro do qual não lhes é permitido sair.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Mercado Monetário A queda da inflação e

Nesta última fase do ano, as atenções viraram-se para os EUA, com a Reserva Federal finalmente a avançar para a primeira subida de taxas desde 2006, após su- cessivos adiamentos ao longo dos últimos 18 meses. A referência subiu então do intervalo de 0.0%-0.25% para os 0.25%-0.50%. A presidente da Reserva Federal acredita que há condições económicas para uma subi- da gradual das taxas, mas nem todos estão convenci- dos de que esta dinâmica não trará riscos para uma economia com baixa inflação e num contexto de lento crescimento global. Olhando para os FRAs das taxas de mercado monetário dos EUA, percebe-se que se está a negociar para o fim do ano assumindo-se mais uma ou duas subidas numa magnitude acumulada de 0.50%. A Libor a 3 meses que hoje se situa pouco aci- ma dos 0.60% negoceia para o final de 2016 um pouco acima dos 1.2%, enquanto a referência a 6 meses que está nos 0.85% negoceia para daqui a 12 meses nos

1.45%.

(IMF)

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Mercado de Obrigações e de Taxa Fixa

Mercado de Obrigações e de Taxa Fixa

Houve alguma agitação neste final do ano no que diz respeito ao mercado obrigacionista. Para além de

baixar a taxa de depósito para -0.3%, o BCE anunciou também a extensão do programa de compra mensal de títulos em 6 meses até abril de 2017. Este anúncio poderia ter levado a uma queda das taxas a longo prazo, não fossem os operadores estarem convenci- dos que para além desta medida, o BCE iria anunciar um aumento do volume mensal de compra de títulos

atualmente em €60 mil milhões.

Os títulos a 2 anos na Alemanha negoceiam nesta altura perto do valor da taxa de depósito, remuneran- do negativamente em 0.35%. O rendimento do prazo dos 10 anos conheceu alguma volatilidade neste últi- mo trimestre, oscilando dentro do intervalo 0.45%- 0.75%, fechando o ano perto dos 0.60%.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Mercado de Obrigações e de Taxa Fixa Houve

Os mercados periféricos estabilizaram apesar de resul- tados de eleições nacionais e regionais pouco anima- doras para os operadores de mercado. Portugal fecha o ano a pagar 0.10% a 2 anos e 2.50% a 10 anos, com um spread perfeitamente aceitável face à Alemanha.

Para 2016, colocam-se dúvidas sobre a capacidade de alguns países periféricos continuarem a convergir em termos de défice face às exigências de credores.

Será também curioso perceber se os rendimentos a 10 anos na Alemanha poderão voltar a convergir para os 0.10% que atingiram em abril, sabendo-se que as compras regulares do BCE acabarão por secar a liqui- dez em alguns títulos.

Nos EUA, a decisão de subida de taxas acabou por ter mais influência nos prazos mais curtos do que nos mais longos. Os rendimentos dos títulos a 2 anos subi- ram acima de 1% pela primeira vez desde abril de

10| janeiro de 2016

2010. Já os rendimentos a 10 anos terminaram o ano por volta dos 2.25%, não tendo saído do intervalo 2.0%-2.35% ao longo dos últimos três meses.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Mercado de Obrigações e de Taxa Fixa Houve

Tivemos, assim, um claro achatamento na curva de rendimentos dos EUA, com os prazos mais longos a beneficiarem do estatuto de refúgio, tendo em conta um dólar mais alto, problemas nos mercados emer- gentes e a expectativa de que a subida de taxas por parte da Reserva Federal vai ocorrer de forma muito faseada. Destaque também para alguns problemas neste final de ano que envolvem dívida de risco mais elevado. Dois fundos que operam nesta categoria nos EUA suspenderam resgates, com nítidos problemas de liquidez para venderem os seus ativos. Um dos ETFs que segue esta classe de ativos atingiu o valor mais baixo desde julho de 2009, e o rendimento dos títulos de alguns desses índices, atingiu 8.43%, já bem longe dos 5.64% que pagava em junho de 2014. Será por- ventura a grande dúvida do mercado obrigacionista para 2016. Até que ponto esta instabilidade conjugada com as crescentes dificuldades sentidas por empresas altamente endividadas associadas a produção e co- mércio de matérias-primas, não poderá desembocar noutra crise de crédito. Nos mercados emergentes o ano de 2016 vai assistir ao vencimento sem preceden- tes de um volume de $262 mil milhões, o que aten- dendo à situação crítica de muitos desses países, tem todo o potencial para algo correr mal. (IMF)

IMF INFORMAÇÂO DE MERCADOS FINANCEIROS

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

Ciclo Económico

 

PMIs Indústria

 

País/Região

dez-14

jan-15

fev-15

mar-15

abr-15

mai-15

jun-15

jul-15

ago-15

set-15

out-15

nov-15

dez-15

Mercados Desenvolvidos

Áustria 49.2 48.5 48.7 47.7 50.1 50.3 51.2 52.4 50.5 52.5 53 51.4 Canadá 53.9 51
Áustria
49.2
48.5
48.7
47.7
50.1
50.3
51.2
52.4
50.5
52.5
53
51.4
Canadá
53.9
51
48.7
48.9
49
49.8
51.3
50.8
49.4
48.6
48
48.6
Zona Euro
50.6
51
51
52.2
52
52.2
52.5
52.4
52.3
52
52.3
52.8
53.1
França
47.5
49.2
47.6
48.8
48
49.4
50.7
49.6
48.3
50.6
50.6
50.6
51.6
Alemanha
51.2
50.9
51.1
52.8
52.1
51.1
51.9
51.8
53.3
52.3
52.1
52.9
53
Grécia
49.4
48.3
48.4
48.9
46.5
48
46.9
30.2
39.1
43.3
47.3
48.1
Irlanda
56.9
55.1
57.5
56.8
55.8
57.1
54.6
56.7
53.6
53.8
53.6
53.3
Itália
48.4
49.9
51.9
53.3
53.8
54.8
54.1
55.3
53.8
52.7
54.1
54.9
Japão
52
52.2
51.6
50.3
49.9
50.9
50.1
51.2
51.7
51
52.4
52.6
52.5
Holanda
53.5
54.1
52.2
52.5
54
55.5
56.2
56
53.9
53
53.7
53.5
Coreia do Sul
49.9
51.1
51.1
49.2
48.8
47.8
46.1
47.6
47.9
49.2
49.1
49.1
Espanha
53.8
54.7
54.2
54.3
54.2
55.8
54.5
53.6
53.2
51.7
51.3
53.1
Taiwan
50
51.7
52.1
51
49.2
49.3
46.3
47.1
46.1
46.9
47.8
49.5
Reino Unido
52.6
52.9
53.8
53.8
51.7
51.9
51.5
52
51.8
51.7
55.2
52.7
Estados Unidos
55.1
53.5
52.9
51.5
51.5
52.8
53.5
52.7
51.1
50.2
50.1
48.6
Mercados Emergentes
Brasil
50.2
50.7
49.6
46.2
46
45.9
46.5
47.2
45.8
47
44.1
43.8
China
49.6
49.7
50.7
49.6
48.9
49.2
49.4
47.8
47.3
47.2
48.3
48.6
República Checa
53.3
56.1
55.6
56.1
54.7
55.5
56.9
57.5
56.6
55.5
54
54.2
Índia
54.5
52.9
51.2
52.1
51.3
52.6
51.3
52.7
52.3
51.2
50.7
50.3
Indonésia
47.6
48.5
47.5
46.4
46.7
47.1
47.8
47.3
48.4
47.4
47.8
46.9
México
55.3
56.5
54.4
53.8
53.8
53.3
52
52.9
52.4
52.1
53 53
Polónia
52.8
55.2
55.1
54.8
54
52.4
54.3
54.5
51.1
50.9
52.2
52.1
Rússia
48.9
47.6
49.7
48.1
48.9
47.6
48.7
48.3
47.9
49.1
50.2
50.1
Turquia
51.4
49.8
49.6
48
48.5
50.2
49
50.1
49.3
48.8
49.5
50.9
Mundo
51.5
51.7
51.9
51.7
51
51.3
51
51.1
50.7
50.7
51.3
51.2

Fonte: Markit, Haitong

 

Composite Leading Indicators

 
 

Rácio de tendência

 

Variação

 

(Média longo prazo =

100)

 

Variação face ao último mês (pontos)

year-on-year

Outlook para o ciclo económico

 

(pontos)

 

2015

 

2015

 

OCDE

100.0

99.9

99.8

100.0

-0.09

-0.10

-0.08

-0.04

-0.60

Crescimento estável

Zona Euro

100.6

100.6

100.6

100.6

-0.01

0.00

0.01

0.02

0.43

Crescimento estável

5 Maiores economias

 

da Ásia 1

99.1

99.1

99.1

99.1

-0.04

-0.02

0.02

0.07

-0.30

Sinais de tentativa de estabilização

G7

99.9

99.7

99.6

99.6

-0.10

-0.11

-0.10

-0.08

-0.82

Abrandamento do Crescimento

   

Canadá

99.6

99.5

99.5

99.5

-0.04

-0.04

-0.02

0.01

-0.69

Crescimento estável

França

100.6

100.7

100.8

100.9

0.08

0.08

0.08

0.07

1.19

Crescimento firme

Japão

100.0

99.9

99.9

99.8

-0.05

-0.06

-0.05

-0.03

-0.09

Crescimento estável

Alemanha

100.0

99.9

99.9

99.8

-0.05

-0.06

-0.06

-0.06

0.01

Crescimento estável

Itália

100.9

100.9

100.9

100.9

-0.01

0.00

0.02

0.01

0.66

Crescimento estável

Reino Unido

99.9

99.7

99.5

99.3

-0.19

-0.21

-0.21

-0.20

-1.63

Desaceleração do crescimento

EUA

99.6

99.4

99.2

99.1

-0.16

-0.18

-0.16

-0.12

-1.56

Desaceleração do crescimento

   

Brasil

98.9

98.9

99.1

99.3

0.00

0.08

0.16

0.22

-0.57

Tentativa de estabilização

China

98.3

98.3

98.3

98.4

-0.08

-0.06

0.01

0.08

-0.99

Tentativa de estabilização

Índia

99.9

100.0

100.1

100.3

0.14

0.15

0.15

0.15

1.38

Crescimento firme

Rússia

99.5

99.4

99.3

99.2

-0.08

-0.12

-0.11

-0.09

-1.37

Crescimento fraco

Fonte: OCDE, 08-Dez-2015

*1. China, Índia, Indonésia, Japão e Coreia

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

PIB

(Variação % face ao ano anterior)

Estimativa

Projeções

 

2010

2011

2012

2013

2014

2015

2016

2017

Alemanha

4.7

4.8

2.1

2.5

3.3

3.6

3.0

3.4

Austrália

8.0

7.1

3.3

3.3

3.1

1.4

4.0

5.5

Áustria

2.8

4.9

2.7

1.8

2.1

2.3

2.7

3.3

Bélgica

4.7

3.8

2.2

1.4

2.0

1.7

2.7

3.2

Brasil

16.8

12.6

7.7

9.4

7.1

4.9

5.0

7.3

Canadá

6.1

6.5

3.5

3.4

4.3

1.1

3.8

4.5

Chile

15.1

9.3

6.4

6.2

7.4

7.4

6.4

6.9

Estónia

3.8

13.1

8.2

5.6

5.1

2.6

3.9

5.5

China

18.3

18.4

10.3

10.1

8.2

6.3

6.5

7.0

Coreia

9.9

5.3

3.4

3.8

3.9

4.9

3.8

5.4

Dinamarca

4.9

1.9

1.8

1.1

1.9

3.2

3.3

3.9

Eslovénia

0.2

1.8

-2.5

-0.2

3.9

2.8

2.0

3.0

Espanha

0.2

-1.0

-2.6

-1.1

1.0

3.9

3.8

3.6

Finlândia

3.4

5.2

1.5

1.5

1.2

0.1

2.0

2.9

França

3.0

3.1

1.4

1.5

0.7

2.2

2.3

2.9

Grécia

-4.5

-8.3

-6.6

-6.2

-2.0

-3.1

-1.7

2.8

Países Baixos

2.2

1.8

0.3

0.9

1.8

2.5

3.8

4.2

Hungria

3.0

4.0

1.8

5.0

7.0

4.3

5.4

6.2

Irlanda

-1.9

4.7

0.5

2.6

5.4

9.1

5.4

6.6

Islândia

1.8

5.1

4.4

5.8

5.9

10.6

8.8

8.3

Itália

2.0

2.2

-1.5

-0.5

0.5

1.2

2.3

2.6

Japão

2.4

-2.3

0.8

1.0

1.6

2.9

1.9

2.7

Luxemburgo

9.0

6.9

3.2

6.9

5.0

6.5

4.1

4.4

México

9.8

9.5

7.4

3.1

6.5

7.3

6.4

6.2

Noruega

6.6

7.8

6.2

3.5

2.6

0.3

3.8

4.4

Nova Zelândia

5.0

4.3

2.5

5.5

5.2

3.4

2.9

4.2

Polónia

6.1

8.4

4.0

1.7

3.8

3.6

4.5

5.3

Portugal

2.6

-2.1

-4.4

1.1

1.9

3.1

2.1

2.3

Reino Unido

4.7

4.1

2.8

4.2

4.7

3.6

3.6

3.8

Rep. Checa

0.7

1.8

0.6

0.9

4.5

5.4

3.5

4.1

Rep. Eslovaca

5.6

4.5

2.8

2.0

2.3

3.2

4.7

5.1

Rússia

19.3

20.9

11.1

6.5

7.9

2.9

7.7

7.3

Suécia

6.8

3.9

1.0

2.3

4.0

5.2

4.8

5.0

Suíça

3.3

2.0

0.9

1.7

1.2

-0.2

0.8

1.8

Turquia

15.4

18.1

9.2

10.6

11.5

10.7

10.4

9.3

 

EUA

3.8

3.7

4.1

3.1

4.1

3.4

4.1

4.3

Zona Euro

2.7

2.7

0.4

1.0

1.8

2.7

2.8

3.3

OCDE

4.4

3.8

2.8

2.6

3.5

3.5

3.8

4.2

Fonte: OCDE, Novembro 2015

 

12| janeiro de 2016

IMF INFORMAÇÂO DE MERCADOS FINANCEIROS

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

Inflação

(Variação % face ao ano anterior)

Estimativa

Projeção

 

2010

211

2012

2013

2014

2015

2016

2017

Alemanha

1.2

2.5

2.1

1.6

0.8

0.1

1.0

1.6

Austrália

2.9

3.4

1.7

2.4

2.5

1.6

2.1

2.5

Áustria

1.7

3.6

2.6

2.1

1.5

0.9

1.5

1.7

Bélgica

2.3

3.4

2.6

1.2

0.5

0.6

1.3

1.4

Brasil

5.0

6.6

5.4

6.2

6.3

8.8

5.8

4.6

Canadá

1.8

2.9

1.5

1.0

1.9

1.2

2.0

2.3

Chile

1.4

3.3

3.0

1.8

4.7

4.4

3.9

3.0

Estónia

2.7

5.1

4.2

3.2

0.5

0.1

1.3

2.4

China

3.2

5.5

2.6

2.6

2.1

1.7

2.5

2.5

Coreia

2.9

4.0

2.2

1.3

1.3

0.7

1.6

2.0

Dinamarca

2.3

2.8

2.4

0.8

0.6

0.5

0.9

1.4

Eslovénia

2.1

2.1

2.8

1.9

0.4

-0.6

0.5

1.1

Espanha

2.0

3.1

2.4

1.5

-0.2

-0.6

0.3

0.9

Finlândia

1.7

3.3

3.2

2.2

1.2

-0.2

0.4

0.8

França

1.7

2.3

2.2

1.0

0.6

0.1

1.0

1.2

Grécia

4.7

3.1

1.0

-0.9

-1.4

-0.9

0.7

0.5

Países Baixos

0.9

2.5

2.8

2.6

0.3

0.3

1.2

1.6

Hungria

4.9

3.9

5.7

1.7

-0.2

0.1

2.2

2.7

Irlanda

-1.6

1.2

1.9

0.5

0.3

0.1

1.6

2.0

Islândia

5.4

4.0

5.2

3.9

2.0

1.9

6.0

6.0

Itália

1.6

2.9

3.3

1.3

0.2

0.2

0.8

1.1

Índia

9.5

9.5

10.2

9.5

6.4

4.3

4.9

4.6

Japão

-0.7

-0.3

0.0

0.4

2.7

0.8

0.7

2.3

Luxemburgo

2.8

3.7

2.9

1.7

0.7

0.1

1.0

1.5

México

4.2

3.4

4.1

3.8

4.0

2.9

3.4

3.2

Noruega

2.4

1.3

0.7

2.1

2.0

2.1

2.4

2.1

Nova Zelândia

2.3

4.0

1.1

1.1

1.2

0.4

1.4

1.8

Polónia

2.6

4.2

3.6

1.0

0.1

-0.8

1.0

1.7

Portugal

1.4

3.6

2.8

0.4

-0.2

0.5

0.7

1.0

Reino Unido

3.3

4.5

2.8

2.6

1.5

0.1

1.5

2.0

Rep. Checa

1.5

1.9

3.3

1.4

0.4

0.4

1.3

2.0

Rep. Eslovaca

0.7

4.1

3.7

1.5

-0.1

-0.2

1.0

1.5

Rússia

6.9

8.4

5.1

6.8

7.8

15.6

9.5

6.1

Suécia

1.2

3.0

0.9

0.0

-0.2

0.1

1.4

2.2

Suíça

0.7

0.2

-0.7

-0.2

0.0

-1.2

-0.5

0.1

Turquia

8.6

6.5

8.9

7.5

8.9

7.4

6.9

6.5

 

EUA

1.6

3.1

2.1

1.5

1.6

0.0

1.0

1.8

Zona Euro

1.6

2.7

2.5

1.3

0.4

0.1

0.9

1.3

Fonte: OCDE, Novembro 2015

 

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Dados para Orçamentação

Dados para Orçamentação

Portugal

PIB

Inflação

 

2014

2015

2016

2017

2014

2015

2016

2017

FMI

0.90%

1.60%

1.50%

1.20%*

FMI

-0.20%

0.60%

1.30%

1.70%*

OCDE

0.90%

1.70%

1.60%

1.50%

OCDE

-0.20%

0.50%

0.70%

1.00%

Banco de Portugal

0.90%

1.60%

1.80%

1.70%

Banco de Portugal

-0.20%

0.60%

1.10%

1.60%

Comissão Europeia

0.90%

1.70%

1.70%

1.80%

Comissão Europeia

-0.20%

0.50%

1.10%

1.30%

PE

0.90%

1.60%

2.00%

2.40%

PE

-0.30%

-0.20%

1.30%

1.40%

Fonte: FMI - World Economic Outlook, outubro 2015, OCDE Economic Outlook, novembro 2015; Banco de Portugal - Boletim Económico, dezembro 2015; Comissão Europeia - European Economic Forecast Autumn 2015, novembro 2015; PE Programa de Estabilidade, Abril 2015 *Projeção para 2019

Outras Economias

 

PIB

Inflação

 

2014

2015

2016

2017

2014

2015

2016

2017

 

Espanha

1.40%

3.20%

2.70%

2.50%

 

Espanha

-0.20%

-0.60%

0.30%

0.90%

Alemanha

1.60%

1.50%

1.80%

2.00%

Alemanha

0.80%

0.10%

1.00%

1.60%

Reino Unido

2.90%

2.40%

2.40%

3.00%

Reino Unido

1.50%

0.10%

1.50%

2.00%

EUA

2.40%

2.40%

2.50%

2.40%

EUA

1.60%

0.00%

1.00%

1.80%

China

7.30%

6.80%

6.50%

6.20%

China

2.10%

1.70%

2.50%

2.50%

 

2014

2015

2016

2020

2014

2015

2016

2020

 

Espanha

1.40%

3.10%

2.50%

1.80%

 

Espanha

-0.20%

-0.30%

0.90%

1.50%

Alemanha

1.60%

1.50%

1.60%

1.30%

Alemanha

0.80%

0.20%

1.20%

1.90%

Reino Unido

3.00%

2.50%

2.20%

2.10%

Reino Unido

1.50%

0.10%

1.50%

2.00%

EUA

2.40%

2.60%

2.80%

2.00%

EUA

1.60%

0.10%

1.10%

2.40%

China

7.30%

6.80%

6.30%

6.30%

China

2.00%

1.50%

1.80%

3.00%

Fonte: FMI - World Economic Outlook, outubro 2015, OCDE Economic Outlook, novembro 2015

Taxas de Juro

Projeções de Mercado para indexantes (via FRA)

 

Euribor 3M

Libor USD 3M

Libor G BP

3M

Libor JPY 3M

Wibor PLN 3M

Libor CAD 3M

Cete MXN (28d)

jan-16

-0.13%

0.60%

0.60%

0.08%

1.62%

0.79%

3.69%

abr-16

-0.14%

0.76%

0.65%

0.09%

1.59%

0.77%

3.86%

jul-16

-0.19%

0.93%

0.76%

0.08%

1.52%

0.76%

4.04%

out-16

-0.18%

1.09%

0.89%

0.08%

1.55%

0.75%

4.26%

Média 2016

-0.16%

0.85%

0.72%

0.08%

1.57%

0.77%

3.96%

Previsões IMF para taxas de juro - Bancos Centrais

 

BCE

FED

BoE

BoJ

Taxas Atuais

0.05%

0.25%

0.50%

0.10%

1º Trim. 2016

0.05%

0.25%

0.50%

0.10%

2º Trim. 2016

0.05%

0.50%

0.50%

0.10%

3º Trim. 2016

0.05%

0.50%

0.75%

0.10%

4º Trim. 2016

0.05%

0.75%

0.75%

0.10%

14| janeiro de 2016

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Dados para Orçamentação Portugal PIB Inflação 2014 2015

IMF INFORMAÇÂO DE MERCADOS FINANCEIROS

Previsões Cambiais Reuters

Previsões Câmbios vs Euro

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

Previsões Câmbios vs Dólar

Spot (**)

USD

1,0912

GBP*

0,7367

JPY*

131,35

CHF

1,0826

CAD*

1,5152

AUD*

1,4919

BRL*

4,3204

PLN

4,2663

NOK

9,6002

SEK

9,179

1 Mês 3 Meses 6 Meses 1 Ano 1,0500 1,0500 1,0300 1,0400 CNY 0,7005 0,6908 0,6878
1 Mês
3 Meses
6 Meses
1 Ano
1,0500
1,0500
1,0300
1,0400
CNY
0,7005
0,6908
0,6878
0,6884
GBP
130,17
129,86
129,24
131,44
JPY
1,0800
1,0800
1,0950
1,1000
CHF
1,4070
1,4175
1,3854
1,3863
CAD
1,5000
1,5000
1,5147
1,5072
AUD
4,0950
4,2000
4,1458
4,2536
BRL
4,2300
4,2000
4,1950
4,1500
CLP
9,400
9,250
9,100
8,900
MXN
9,350
9,300
9,225
9,025
PEN
* Previsões cruzadas entre EUR/USD e USD com respetiva moeda

Previsões Commodities Reuters

Spot (**) 1 Mês 3 Meses 6,4921 6,4000 6,4500 1,4812 1,5050 1,5100 120,36 123,91 124,00 0,9922
Spot (**)
1 Mês
3 Meses
6,4921
6,4000
6,4500
1,4812
1,5050
1,5100
120,36
123,91
124,00
0,9922
1,0300
1,0300
1,3885
1,3400
1,3500
0,7307
0,7000
0,7000
3,9593
3,9000
4,0000
708,58
715,00
718,35
17,38
16,78
16,80
3,3946
3,2400
3,3000

** Câmbios spot em 30 de Dezembro

** Câm bios spot em 31 de dezembro

6 Meses 1 Ano 6,4900 6,5500 1,5010 1,5230 125,00 125,00 1,0500 1,0540 1,3450 1,3330 0,6800 0,6900
6 Meses
1 Ano
6,4900
6,5500
1,5010
1,5230
125,00
125,00
1,0500
1,0540
1,3450
1,3330
0,6800
0,6900
4,0250
4,0900
715,00
700,00
16,82
16,50
3,3500
3,4100

Energia

Emissões CO2

 

1ºT 2016

2016

2017

Data Previsão

 

2016

2017

Data Previsão

Brent

52.00

57.90

65.00

dez-15

EUA's

9.74

11.00

out-15

Crude

48.00

49.60

52.80

dez-15

LME

Metais Preciosos

 

2016

Data Previsão

 

2016

Data Previsão

Cobre

  • 5379.9 out-15

 

Ouro

1157.80

out-15

Alumínio

  • 1650.2 out-15

Prata

15.90

out-15

Zinco

  • 1954.8 out-15

Platina

1094.90

out-15

Niquel

  • 12189.8 Paladium

out-15

 

742.40

out-15

Estanho

  • 16763.7 out-15

 

Chumbo

1827.6

out-15

Eventos em 2016

Previsões Cambiais Reuters Previsões Câmbios vs Euro 中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Previsões

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Commodities

Commodities

Energia

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Commodities Energia P ETRÓLEO Nos últimos meses de

PETRÓLEO

Nos últimos meses de 2015 e depois de uma pouco duradoura subida dos preços, a tendência no petróleo vol- tou a ser de baixa, com as principais referências globais, o brent e o WTI, a caírem bem abaixo dos $40/barril. O principal problema deste mercado, o excesso de produção diária, continua a não ser resol- vido. Havia muita expectativa sobre o possível anúncio de cortes na reunião da OPEP em dezembro, algo que acabou por não se concretizar. A produção dos EUA tem vindo a cair, mas não num volume significativo. Com o mundo a produzir mais 1.5 a 2.0 milhões de barris por dia acima daquilo que consome, a concor- rência nas exportações aumenta e com isso os des- contos feitos por alguns países para conseguirem co- locar os seus produtos. A tendência está assim de baixa e nesta fase apenas um movimento provocado

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 Commodities Energia P ETRÓLEO Nos últimos meses de

GÁS NATURAL

Depois de terminado o verão, altura em que se espera que as tempera- turas comecem a cair e consequen- temente se verifique um maior consumo de gás natural, devido à utilização de aquecimentos, o clima permaneceu ameno, não tendo ainda chegado à Europa as temperaturas invernosas. É este o principal condutor do movimento de baixa dos

preços, que levou a uma queda dos 21-22 para os 16-

17 €/MWh, nesta segunda metade de 2015, nos prin-

cipais mercados europeus. Adicionalmente, o enfra-

quecimento do complexo do petróleo acentua a pres- são deste mercado, com os preços do gás indexado ao

brent a caírem para baixo dos 23 €/MWh em dezem-

bro, sendo que os futuros para o primeiro trimestre de 2016 apontam para negociações a caminho dos 20 €/MWh, seguindo-se um trimestre com preços abaixo

pelo fecho de posições especulativas compradoras poderá levar a uma subida dos preços para o que ain- da falta deste ano.

Para 2016 são muitos os analistas que projetam uma recuperação dos preços. Os fatores mais apontados para que tal suceda são a inevitabilidade de redução de produção em operações com custos elevados e a quebra acentuada do investimento em infraestruturas que acabará por resultar numa baixa natural da ofer- ta. Muitos analistas contam com uma subida do con- sumo, algo que a nosso entender está longe de ser um dado adquirido, tendo em conta a fraqueza evidenci- ada pela China, o principal importador mundial. Neste contexto, acreditamos ser possível a continuação da baixa de preços para o intervalo $30-$35, e vemos como difícil qualquer recuperação que leve as cota- ções acima dos $60.

desta linha. Nos EUA os preços têm descido, aproxi- mando-se (e quebrando mesmo) da linha dos $2,00/MMBtu, quando no final da primeira metade do ano negociavam em torno dos $3,00/MMBtu, não só com o clima a afetar este mercado, mas também com uma maior concorrência por parte do carvão, a dimi- nuir a procura por gás. Não é apenas do lado da pro- cura que se apresentam fundamentos de baixa, tam- bém se tem verificado uma maior oferta de gás na Europa, já que os preços mais altos praticados na Ásia têm desviado produto para os mercados europeus, aumentando, portanto a disponibilidade do produto nesta região. No atual contexto, com preço baixos e com stocks em níveis relativamente elevados, é pouco provável que se assista a uma subida dos preços do gás que não estejam associadas a fenómenos meteo- rológicos de curto-prazo.

16| janeiro de 2016

IMF INFORMAÇÂO DE MERCADOS FINANCEIROS

E LETRICIDADE Depois de os preços da eletricidade terem subido ao longo da primeira metade de

ELETRICIDADE

Depois de os preços da eletricidade terem subido ao longo da primeira metade de 2015, com os preços a manterem-se em níveis sazonal- mente elevados, acima dos 50

€/MWh e com um pico em torno dos 56 €/MWh, nesta segunda me-

tade do ano verificou-se o movimento inverso. As temperaturas acima do normal têm-se mostrado co- mo principal condutor dos preços da eletricidade, já que a escassez de procura por aquecimento leva a um menor consumo e, como tal, a um menor suporte das

cotações de mercado. No lado da produção, os níveis de oferta de energia renovável continuam fracos. Em Portugal estão significativamente abaixo dos verifica- dos por esta altura no ano passado, traduzindo-se,

Metais

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

portanto, num saldo importador mais acentuado (mais do dobro face ao registado no ano passado). A escassez de chuvas tem mantido baixos os níveis da água nas barragens, recorrendo-se à energia produzi- da por fontes não renováveis. O preço médio do 3ª trimestre de 2015 situou-se acima dos 55 €/MWh, enquanto a média deste último trimestre caiu para próximo dos 50 €/MWh, mas ainda assim acima da média do 1º e 2º trimestre de 2015 em 5 €/MWh e 2 €/MWh, respetivamente, e também acima das cota- ções negociadas para todo o ano de 2016, que oscila- ram entre os 44 e 47 €/MWh. Continua a verificar-se uma gradual recuperação do consumo de eletricidade por parte da indústria, situação que deverá prolongar- se em 2016, sendo que a chegada de temperaturas de inverno terá um maior impacto nos preços.

O último trimestre do ano foi de fraqueza generalizada para os metais industriais. Na grande maioria dos casos, com destaque para o aço, está-se numa clara situação de produção muito acima do consumo, o que gera forte concorrência, pressão sobre os prémios e preços mais baixos. Praticamente todos os metais ba- teram mínimos não vistos pelo menos desde 2009, com o abrandamento do consumo chinês a destacar-se como o elemento mais negativo, ajudado pela força do dólar.

E LETRICIDADE Depois de os preços da eletricidade terem subido ao longo da primeira metade de

COBRE

Apesar de anúncios por parte de grandes produtores mundiais e da China de cortes de produção de cobre em 2016, o metal no LME não conseguiu evitar uma queda a mí- nimos de abril de 2009 nos $4444. Isto num contexto de subida do dólar, de sinais de fraqueza industrial na China e de fraco crescimento económico global.

Nos armazéns do LME, os stocks caíram mais 70.000 toneladas para 230.000 toneladas neste último tri- mestre, dando algum suporte aos preços. Para 2016 as perspetivas não são brilhantes.

Acima de tudo seriam necessários sinais de um au- mento mais consistente do consumo, em especial da China, sendo que muitos produtores ainda não anun- ciaram cortes de produção esperando por uma situa- ção dessa natureza. Caso o sentimento se altere, ve- mos como perfeitamente possível uma subida acima dos $5000, até porque muitos especuladores com posições vendedoras serão forçados a fechar posi- ções. Se, pelo contrário, se baterem novos mínimos, temos muitas dúvidas que nas atuais circunstâncias de mercado os preços caiam muito abaixo dos $4200, não havendo no nosso entender condições para que os mínimos de 2009 a $2860 sejam revisitados.

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

NÍQUEL

O nível psicológico dos $10.000 foi quebrado neste último trimestre do ano e em poucas semanas os pre- ços mergulharampara um míni- mo de $8.150, valor já não negocia- do desde o longínquo ano de 2003. Conversações de produtores chine- ses no sentido de cortarem a pro- dução deste metal, resultaram nu- ma recuperação, mas o sentimento segue bastante negativo. À semelhança do zinco, o níquel também foi apanhadopela queda do consumo de aço na China,

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 N ÍQUEL O nível psicológico dos $10.000 foi

uma vez que este metal é usado na produção de inox. Os stocks do LME têm vindo a recuar, caindo 50.000 tons para perto de 400.000 tons nestes últimos me- ses, ainda assim num nível historicamente elevado.

Para 2016, esperam-se mais anúncios de cortes de produção que permitam que os preços regressem acima dos $10.000. Nestes níveis de preço a grande maioria dos produtores perde dinheiro, pelo que será de esperar qualquer ação do lado da oferta que ajude a compensar as fracas perspetivas de consumo de aço na China.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 N ÍQUEL O nível psicológico dos $10.000 foi

ALUMÍNIO

Os fundamentais do alumínio con- tinuaram a puxar os preços deste metal para baixo, tendo atingido mínimos desde junho de 2009 a $1435. Neste caso, o problema não assenta na procura, uma vez que o crescimento do consumo de alumí- nio tem estado robusto, dada a crescente competitividade deste metal face às alter- nativas. O problema reside sim na exagerada capaci- dade instalada de produção, em especial por parte da China, e dos elevadíssimos stocks que ao longo dos últimos anos se foram acumulando por via de negó- cios meramente financeiros. A China deixou de dar

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 N ÍQUEL O nível psicológico dos $10.000 foi

ZINCO

Depois de atingirem valores perto dos $1900 após o verão, os preços do zinco resvalaram nos últimos meses até um mínimo de julho de 2009, a $1488. Em outubro o anúncio de um corte de produção de 500.000 tons em 2016 por parte da Glencore deu algum suporte, mas rapidamente o zinco foi apanhado no clima negativo que atingiu os metais industriais. O anúncio por parte de produtores chineses de que se iriam juntar aos cortes com mais 500.000 tons de produção permitiu uma rápida recu- peração até aos $1640, a qual foi de pouca duração. Tal como em outros metais, o grande falhanço nas

18| janeiro de 2016

vazão à sua produção e começou a contornar as bar- reiras alfandegárias à exportação, colocando cada vez mais produto no exterior.

Para 2016, não se antevê um cenário muito positivo. Para que os preços pudessem subir de forma consis- tente seria necessária uma redução significativa da produção chinesa, algo que não sucede porque os governos locais daquele país vão subsidiando a indús- tria tentando preservar o emprego. A menos que algo de extraordinário suceda, vemos como provável uma flutuação entre os $1400-$1600. Não nos parece que haja condições fundamentais para que tenhamos de novo os $1280 registados em fevereiro de 2009.

expectativas deu-se no consumo. Com a China a con- sumir menos aço em 2015 que em 2014. O uso de zinco para galvanização foi negativamente afetado, ficando muito abaixo do projetado no início do ano.

Tal como noutros metais, o equilíbrio do zinco depen- de nesta fase de um ajuste na oferta excedentária. Já algo se tem feito a este nível e é possível que se a situação da procura não melhorar, se anunciem mais cortes de produção, quer por via de fecho de minas quer de fundições. Caso tal suceda, parece-nos muito difícil que em 2016 os preços caiam abaixo dos $1400, parecendo-nos mais provável uma recuperação para valores mais perto dos $2000.

IMF INFORMAÇÂO DE MERCADOS FINANCEIROS

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 A ÇO O aço foi claramente o metal

AÇO

O aço foi claramente o metal mais afetado pela estagnação ou, em alguns casos, pelo decréscimo do nível de atividade industrial da China. Os últimos dados publicados mostraram que até outubro os chineses haviam consumido menos 6% de aço que em igual período de 2014. Mesmo com uma redução da produção, os excedentes de aço con- tinuam a acumular-se naquele país, passando a expor- tação a ser a única solução para evitar males maiores. Os mercados europeus viram-se assim inundadosde produto chinês, forçando a baixas de preço significati- vas e a uma prolongada agonia do sector que tem levado a fechos de unidades industriais. Um pouco por todo o mundo, sucedem-se pedidos aos governos que

ergam barreiras alfandegárias às importações chine- sas, algo que até agora não teve uma resposta signifi- cativa.

Para 2016, o cenário não se apresenta muito melhor. Um estudo recente projeta uma redução da produção chinesa de aço em 3% para 781 MMT, ao mesmo tempo que projeta também em 3% uma redução do consumo para 648 MMT. Daqui resulta mais um exce- dente anual bem superior a 100 MMT, muito do qual voltará a seguir para exportação. Dada a queda dos preços para os valores mais baixos das últimas déca- das, o espaço para maiores descidas começa a ficar limitado, mas no atual contexto será difícil projetar subidas sustentadas nas cotações.

OURO

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 A ÇO O aço foi claramente o metal

O ouro fecha em queda pelo terceiro ano consecutivo. O sentimento se- gue muito negativo para este metal precioso, que nem com a incerteza causada pelos ataques em Paris e pelas tensões entre Turquia e Rússia, conseguiu neste último trimestre negociar acima dos $1200/onça. Os preços atingiram um mínimo de seis anos a $1045/onça, pressionados pela expectativa de subida de taxas nos EUA, pela força do dólar e pela ausência de tensões inflacionistas na sequência da forte queda dos preços do petróleo. Estes baixos preços resultaram num aumento do interesse comprador de físico, quer na China quer nos EUA. No entanto, na Índia, o segundo maior consumidor mundial, as compras têm-se revela-

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 A ÇO O aço foi claramente o metal

PRATA

A prata voltou a acompanhar os mo- vimentos do ouro, ainda que com maior volatilidade. Os preços subiram no início de outubro acima dos $16/onça suportados na altura pela

expectativa de que a Reserva Federal não subiria taxas este ano. Com a reversão desse sen- timento, os preços da prata caíram para um mínimo

desde

agosto

de

2009,

negociando

perto

dos

do fracas. É ainda assim, no capítulo do investimento que a situação está mais negativa. O volume de ouro detido através de ETFs cai semanalmente para novos mínimos desde 2008 e a posição líquida especulativa em futuros é vendedora.

Para 2016, são muitos os analistas que apontam para a hipótese de os preços caírem para baixo do nível psico- lógico dos $1000/onça. Apenas eventos não expectá- veis como uma queda acentuada do dólar, uma nova descida das taxas nos EUA, a subida da inflação ou mesmo uma tendência de baixa prolongada no merca- do acionista, poderá resultar no regresso do interesse investidor em ouro e consequente na recuperação dos preços para valores pertos dos $1300/onça.

$13.75/onça. A oferta global de prata terá ficado abaixo do consumo pelo terceiro ano consecutivo em 2015, mas nem isso foi suficiente para inverter o sentido des- cendente deste mercado. A produção mineira pouco subiu e a oferta de sucata caiu, levando a uma quebra anual da oferta de 3.3%, superior à queda anual de 2.5% no consumo. Mesmo com a procura por moedas a subir 21% face a 2014 e com a procura para o sector de produção de energia solar a subir 17%, a procura global

中國 十三五 China 13º Plano Quinquenal 2016-2020

de prata física caiu, com a procura industrial a recuar 4%. Para 2016 o destino da prata deverá continuar mui- to ligado ao destino do ouro. Caso o ouro caia para $1000/onça, a prata deverá recuar para perto dos

Agrícolas

$13/onça. Sem reversão do sentimento relativamente ao investimento, o expectável aumento de procura industrial deverá ser insuficiente para que este metal recupere o seu valor relativo face ao ouro.

Para além de uma situação generalizada de stocks elevados, o verão passou sem que se tivesse registado um problema sério para as mais relevantes campanhas agrícolas do planeta. A grande necessidade dos grandes produtores de cereais e outros produtos escoarem a sua produção para o exterior, resultou numa forte competitividade e numa consequente baixa geral dos preços. Destaque também para a questão cam- bial, uma vez que em muitos casos como o do Brasil a competitividade foi ganha à conta da desvalorização da moeda local.

Para 2016 não se prevê uma alteração significativa da situação, pelo que qualquer subida significativa de preços deverá ter que passar por fatores climatéricos.

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 de prata física caiu, com a procura industrial

SOJA

As boas colheitas consecutivas, quer na América do Sul quer nos EUA, que têm vindo a elevar os stocks finais de soja há já alguns anos, voltaram a pesar nos preços e levaram as cota- ções do grão em Chicago até um mínimo de $8.55/bushel, o valor mais baixo desde finais de 2008. Também a farinha seguiu o mesmo caminho, recuando até aos $275/ton não tocados desde finais de 2011. Para além da abun- dância de oleaginosa, os preços de Chicago sofreram com a expectativa de uma contração do consumo chinês e com um incremento da concorrência do Bra- sil, país que beneficiou com uma desvalorização acen- tuada da sua moeda. A colheita dos EUA terminou bem, batendo novo recorde nos 3.981 mil milhões de bushels, levando a que nesta altura se projetem os stocks finais do próximo ano nos 465 milhões de bushels, ou seja mais do dobro dos 191 milhões de

中國 十三五 China – 13º Plano Quinquenal 2016-2020 de prata física caiu, com a procura industrial

ÓLEOS VEGETAIS

Entre junho e agosto o complexo dos óleos registou uma acentuada

baixa, com o óleo de soja em

Chicago

a

cair quase

30%, de

um

pico acima dos 35 cents/lb para um