Vous êtes sur la page 1sur 58
PETER BURKE SOCIOLOGIA E HISTORIA | = PETER BURKE SOCIOLOGIA E HISTORIA Tradugdo de Fatima Manins 2* edigao Edigies Afrontamento Avior Ree eke (si, Peer Be di: sis Aree. Costs Cara, 85 Pra Ni eed: 6 "Tl ria Ssnoy wa Hey “rata Fa Mos Cote se Hes /4 IseNo7-19000 Dept gal 29250 pres: igs, Brio PREFACIO ute € um or iefalo,oltando para dua dregs a0 mesmo tempo, porgue& ua Tivo escrito para, e sobre, scilogos e historia doves. Por ests rao tenet tomar muito powca cols como ceria. 0 letor deve ser avsado da inclinagdo profsional do autor. A mine formasio, e 0 misha pritica, é de Nstxiador,debrugado sobre a hit eutural socal da Europa nos séeulos XVI XVI. Foi a femtatva de exreer htria socal que levow ao mew envosimento ‘com a scilopa ¢ também com a anopaogia soil. dsiplina que esempenta, nest extudo, am papel ais bmportane do que aguele (que oo suger. Tenko ama did considerdvel para com of 30- ‘élogos ¢ anropilogo socais da Universidade de Sussex € para ‘com todos agueles gue me ajuaram a compreender um powco do que {fazem e porque ofazem, e ainda para com os meus Coleg histo- riadores que avanam na mesma direcgao por raze semelhanes, sobreudo Aso Briggs, Alan Macfarlane, Raphael Sanwel ¢ Keith ‘Thomas. Gostaria anda de agradecer a John Barnes, Tom Botiomor, ‘Stefan Collin Keith Hopkins oF seus comentrae ericos & pri Ineira versio dest iro. adic este lsro 0 soclogo com quem mais aprend. 1 SOCIOLOGOS F HISTORIADORES UM DIALOGO DE sURDOS Socislogos « historiadores nem sempre sto bons viziahos. Viznos inelectiisso-no ceramente, no sentido em que amas as sciplnas, de pera com a Antroplogia Social diem respeto a toda soriedade e a toda a gua de comporamenos humanos. A Sociologia pode bem ser definida como o estudo da sociedade humana, com énfise na generlizagto da sua esrutura, A Hsia ode er defini somo o estudo das sociedades umanas, cm fas | fas renga ere clase nas mudingis veriieadas 0 longo do tempo em cada uma. As duas abordagens sto obvament comple rmentizes. A mud éestruturadae as estruturas madam. E somente ‘omparande-a com outas que podemos descobrir em que aspesos uma dida sociedale¢ dniea. ‘Cada ua ds dscpinas poe ajuda aout a ibenar-e de oda 1 espécie de provacianismos. Os historiadores corem 0 isco de set Drovinianos ao sentido mais literal do temo. Esfccaizandose, ‘como 0 fizem, rma 2004 € mum periodo particule podem set tentados a encarta sua wparSquae como um tee dnico © mio ‘oqo uma cambragio ica de elementos que se enconiram ef ‘qualquer outa pent. Os Scidlogos sffem de provininisno nam feaiido mais metfGrico, un provincianismo gue tem mais ver em ‘rempo do que cm o hug sempre gue ace creas 0 + 1 wsociedide> com base apenas na expeniéncia contemporinea ou ‘quando discutem a madanga social a longo de um period de aprox ‘madamente tints anos, sem atentar também nos process de long pave, ‘Socidlogos © historadores vem ambos o argueiro po otho do ‘iain. nfelizmeste cada grupo tende a compreenier © ut com hase nim grosseir estereoip. Plo menos na Gri-Bretanha muitos historiadoesencaram ainda os socilogos como pessoas que cons tatam 0 que & dbvio numa Hinguagem incompresnsvele abst, = ‘quem fala toda nogdo de tempo e lugar, que comprimem os indivi ‘door em caegoias rigdas © que anda para cimlo areitam gue ‘xa aetvidaes S80 sslentieas. Os socblogos, pr sea lado, véem ‘os hstoradores emo coeccinadores de fets,amadores emopes, sem qualquer md, sendo a impreciso dos ses dado apens com: Darvel & su incapacidade para analisar. im resumo, apesar da sca de alga biinguescuj tabaho see requentement men onado nas pginas que se seguem, a verdade & que 0s socilogos€ ‘os hstoradoresndo alam a mess Ungua. Como afimouo historia dor francés Femand Bravel o seu didlogo€ geralmente um wlogo (sido, ‘Serdtalve il encarar 0s socilogos © os hstoriadores de um onto de vista scien, vendo no s6 como prises iferen- {es mas também como subeultas distin, com Hnguagens, valores Cc estls de pensamento prépros, reforgadoe pelos respects pro ‘exsos de apredizagem ob «scializagi>. Os Socidogos aprender & ‘ebrigarse sobre quadros de meres enquanio muitos hisiriado- res fogem dees e proctram conclsSes por palvras, Os scilogos| tpreadem a detectar rogras ¢ muitas vezes a ocular excepebes ‘ego sue os hinorisdores so rina para tender ao dette © falham malas vezes na descobera de padres peas. Deseahouse tus um singular conte ene a tbo dos hstoiadores © dos Aairopslogos (Cohn, 1952; Erikson, 1970; Denng. 19713) ‘Deum ponto de vista histo, ¢ claro que ambas a panes so pas de anacronismo, Os socidlogos parecer pensar ma histra fm se ola entivesse ind na fas da marrtva sem anilise, de ke 0s Mistoriadores parecer vera sociologis comes ta est ‘esse ainda na fas das grandes pneralzages sem pesquisa empleic, e Comic. Ambar as dicplinas mudaram imenso desde meados do ‘oulo XIX. Con « porgué se dexenvolveram ts dae subculture? Eta questo € de ntverabistrica, e no primo capital tnt ‘nt pre ingsa dese assum, vor Burov, 1966; Colin, 1978). ADIFERENCIAGAO ENTRE A HISTORIA E A SOCIOLOGIA [No século XVI nio havi dsputssentesocilogos © historia- ores por uma rio simples e Gbvin: 4 sociologia mio exsia come ‘isciplina auténona. Montesquieu, Adam Ferguson ¢ John Millar Sempre se rclamaram camo socilogos; so ma realidad por vezes , com tase em documentos ofc. Os hitoriadores elaboraram um con unto de sofisticadaswenicas para avai acredibilidade destesdoct- ‘mento. Sabiam somo organiza 0 material quando 0 enconavam. avin um lngar para cada facto ca facto estava no Se lugar — rua Sequéaciaeronolica. Pelo contin, © tabslbo dos historiadores soca parecia um trabalho de amidores. A shistria social» €, na verdade, wma expresso demasiado precisa para desgnaraguilo que na prin era uma eategoria reiual que G. M, Trevelyan um i dein muito expliciamene cco va histria que »politien deixow de forts. 0 fanoso teesrocipiuo, sbee a saccade da History of England de “Macaulay. esriano fina do século XVI, era deer oc wm eric conzomperineo, fora rel mat no ftalmene inst, como uma sea loj de caosidades», porque os diferentes temas — estrada, asameats joa, etc. — Seguan-s uns 408 outos sem quer tondem apareme, A Cvizacdo do Renascimerto em Ida (1860) de Borekhard, mais tarde consierada como um clisico, alo foi um fesso aquando da sua publicapio,provavelmente porgue era um ‘ensaio impressionist, Baseado en fos litera e recorendo muito pouco a documenos oficis. Quando JR. Green public a sux Shore ‘Hiscory ofthe English People (187), mais preocupada com a vida ‘quotidian & cast das batase ds watados, dis que 0 seu amigo professor E. A. Fceman tera afinmad que se Green tivese dead ‘Se for oo aque ematerial social ei escrito uma bos hist de Inglaterra. O historador francés stl de Coulanges, uj obra La (Cie Antique (184) tata fondamenaimente da histria fami B ‘1 Grécia ¢ em Roma, consti uma excep, pois foi lvado a serio pelos seus colepasdeprofisstocmibora aceditando que a histia era 8 een dos facton soins 4 verdadeia sociologia Em suma a revolugo istrica de Ranke teve uma consequéncia ‘io intenconal mas importante. J6 que a abordagem através dos «documentos era mas efieaz para a hsria pola tadcional, ta lope tomou os hisriadres do século XIX mais imitadose, num ceo sentido, mais antiquados na su ecotha de tema do que 0 seus redeacarr dn sScla XVII Flee mjetavar s tin ei por fio ser sufientemene eietfca. Por cur lad, muitos hisoriadoresrejeitavam a sociologia por ser demasiado cientfica, no seatid de que era absract educonsta «no levava em cont singlaidade dos indvduos © dos feos ata ejegfotornow se consitente na obra de alguns isos alemies do final do séeulo XIX, como Dilhey e Windeltand. Dilley, que era Simultaneanente um historiador cultural eum fl6sofo, considravs & Seciolgia de Comte e Spencer como pseudo-cenifica delineos famosa distingdo ene as cgacas, que procuram explcar de fora (exten, ¢ 2s numanidads,inclundo a hist, eujo objetivo & compresnder por dent (versehen) (Dilley, 1883). Windelband labora igualmente famosa distingzoentehistria sdeogritian, ‘reocupada com o ue é tino, e as eincias natura snomotticass, preocupadas com @ eslabelecmento de lis grat (Windelband, 1894). O principal pota-vor inglés deste ponto de vista, 0 filbsoto” -tistriade R. G. Collingwood, formulow a distingdo ene hisio- Fiaior e o cients desta forma (1935) ‘Quando weit perp: Porque € que aul po de pet deters too cor devo, le ut diner En ue ioe ‘de cieminciasospedagon de papel de vrs se omam cord os?» Quando um histriador perros: =Porge fo que Bros gual Cisars ele peeadedl=r =Qua opensanen de Bras {te 0 vou & paar Cs» Nesta pespectiva a socologia € necesarimente uma pseudo- cia, qe utliza para 0 estudo do bomem mttodos apenas apro- ‘rados ao estado ds natueza no hs lugar para a istia social no ‘quo do enecimento ‘Contuo, a reaedo hos hstria social no pode se explicada apenas em termosintlectais. A supremacia da hisiapolica no sulo XIX (para ser mais preciso, © su regresso 3 supremacis) cesta de ser malisada em termes sccolgico. Hé dois potas ovios que € peso salintar. Apesar de 0 papel social do histo riadore ter ua hngehistri, montane a Herédoto se io a uns oct ainda amtcor, ext dssipina apenas se profissonaliou no seulo XIX, quanco se fundaram os pineirsinstitats de pesquisa, 1c primwire pleats da speciale «or primeir Separtamon tos univesitros, Fok eno que a associa dos histviadores tou astra soci (da mesma forma que a associ ds socilogos| 1 vrai una geraeo mals tare) porter incompative com os | novos padres profssionas. O segundo pono € qu as goveras Vian a hstria como um meio de promover 2 unidae niconal, como uma forma de cducgo da cidadania, 0, como wn obtervador menos simpitico podria afirmar, como uma forma de propaganda. Numa “époea em que os tovos estas da Alemanha © de lia (¢ mesmo ‘stados mais unis como a Frana ea Espana) estavam divididos or tradgtes locas, 0 ensno da histria nacional nas escolse uni- ‘ersadesdesempava uma fugo de imegraco social. 0 tipo de histria pla qual es goverosestavam disposes a papa er, nara mente. histria do Esta, Os lags ente ahs eo soveme eran Particalarmente foes na Alemanha (Gilbert, 1968, Moses, 197). ‘Os teéricos scas, or seu lado, contiuaram a etuar3histrit, mas preocupavanese pouco com 0s historiadores. Comte, por xem, referi-se com desdém aos spomenoresinsigifcamtes, Wo Infanimente recchidos pela curiosidade imacional de colescio- adores cegos de medous estes» (Comte, 186, igh $2). Heber ‘Spencer declaava qu a scilogis esa pars hist scam am ‘rand eicio ests para um monte de paras oles. Ou sind: «0 ‘mas imporane svigo que @ hisoriado pode desempenhac & 0 de descrever a via $88 mages para assim fornecer mieral para a Socilogia Comparaivan. Percomemes um longo camiaho desde ‘coopera entre historiadoresflsicos ¢ os fildofos da sci Ade, caraersics do séeulo XVIM, Na melhor dis hpateses, 05 hnstonadores erm enearaos como coletores de mantra par ‘0s scislogos Na pio das hipkeses,eram totalmente ielevantes, pis nem sequer enpilaam tip cent de ijlos. Citando uma vez Thais Spencer «As biografias de monarcs(¢ a nossa rans poueo tas apredem) contibaem muito pouco para acigncia da soeiedade> (Spencer, 1908, pp. 26). "Nov principios do séulo XX, a maior pate dos tericos sociis sn evav ahs sro, qualquer qu Fosse a sua opnio sobre (5 historadores, Tal como anterormente Comte e Spenec, Emile rc pues tr ponando qu a aie pare do trabalho histori cra nu verde, «vl endigiow.Contdo le também aed que 0 pissido poder ser 8 socolgia e aprximou-se do tratalho de Fostel de Coulnges, de quem tna sido alono na Escola Normal A Divi do Trablho (1893) ¢ em As Formas lemenares da Vida Reliioa (1912), © prdpio Durkeim escreveu ums histea dt edu- casio em Franca, Transformou em politica da sua revit, Annte Sovilogaue, fier recensSesertcas delves de hist, dese que fo tatassem dagilo a que chamava a «superficial» histria dos facts. E mito provivel que sprovasiehistradoresfranceses como Lice Febere e Maze Bloch, os quis rejetariam também, ums crag mas tarde, hintia dos fatos (Bella, 1959; Momigliano, 1970 Lakes, 1973, cap. 2). No que respeita» Max Weber. a amplitude «profundidade dos seus conhecimentos histricos eram verdadeiramente fenomerals. Escreveu vs sobre as compass de comécio da Idade Média ea histriaagraria de Roma ates de esrevero su fos estado sobre 8 ica protestante 0 espiito do capitalismo. O grande eruito tlisico Theodor Mommten considerava Weber um digno sucessr “Mesa quando se dediou a tera da organizagio econémicae social, ‘Weber no desis do estado do passa, Servi-se da hist para cobter material © dos histriadores para concetos como «estado [srimonil> ou sarsma, cm ero que fo buscar uma anise da forejaprimiva do historador eclsiatico Ridolph Sohm © a que ‘eu um spicao mais oral NB foi por acaso que 0 socilowo mais incinado para a hist teaha sido proveniente da nao europa com aio inclinago para a hstria, De facto, Weber iment = ‘vias mesmo apenss como socilogo, No fim da sua ids, quando 6 acitou uma cétora de sociologia em Munigue, fez este seco Comentrio:sPare® qbe agora, nos termos dt mins nomeago, sou tam sociglogo» (Bendix, 1960, Momsen, 1974; Ro, 1976) Durkheim e Weber nfo cslavam ss no que respeta a0 seu ineresse pela isa. Tonnies, por exempl, ive una formal clissieae manteve 0 seu interesse pelo passado. O tata de soco=| logia de Pareto dicitia com rltiva profundidade Atenas. Roma © Espana recor também a exemplos a histra italiana da época rmcdivel Albion Small que os tomou responsive palo primo Aepartamento de scologa nos Estados Uaidos (em Ciao, 1892), tina anterorment sido professor de hstria. Tal campo Durkheim € ‘Wel, Smal eriteava a carer istic, mas continua a estar ‘9 pasade, A nova diiplna, a Antopolgia,estava também prima ‘esta Gpoca da hii. Sir James Frazer, que leeionow a primeira dei de antrogolopia social na, Gri-Bretanha (como professor ‘onvidido em Liverpool, 1907/8), ra um ex-classcsta que se tomar historador compativo do pensamento primitive. Nos Estados Uni os, Franz Boas, que fundou os primeros Apartamentos univers Fos de antrpolog era Clark, 1888, e em Columbia, 1899), encarava ‘sua dncpina,rlaionada com as chistriascultrase de diferentes trbos, como uma bse para generalizes sobre a evolu da huma> ida Ent, subtanone, por volta de 1920, antroplogose socilogos qucbram como purtado. O antopélog de formas britnica Bro hislaw Malinowslé descobriae poclamou simperncia do wrabalho| 4e campo, como Ihe chamav; por outas alas, x observagao Paricipanc. Esta obseragio patcipant nfo era ttalments nova: Boas fava desde #85 longa Vstas aos Kiva e Radelie-Brown | passou os anos de 1906 a 1908 nas ilhas Andaman. O que era ‘ealmenie novo ea insiténcia de Malinowski no trabalho de campo ‘come miedo antopoléieo par excellence. «O anropéiogon, din fle, weve abandooar a sua confortivel posigdo na cadeira ‘vara, O tabaho de campo torou-se uma fase pecessria ma or rmagio de qulgutantopGlogo. O novo métdo, tl como a hist de Ranks, era mis cinco: wma forma de estudiar as sociedades| tbs contemporiness mais fidedigna do que a mstona irganente ” conjectural ¢evolucionista qu a tina preedido, Condo, no er asceptel de apicagto a0 pass, (0s scidogos omecaram também a extra cada vez mais os seus datos da sociedde contemporines, quer uses esasticas oficiis ‘quer levasem cabo as sus rps observagdes.OSiicio (1897) (de Durkheim € um exemploda primeira dest aordagens; 0 trabalho ‘4 escola de Chicago nos anos 20 asta a segunda. Membros do (ver adn . 71) e também o eu empe= nhamenta num métoo comparativo. Bloch fot mono pelos alemaes em 1944, mas Febvre sobrevivew & Segunda Guers Mundi pars ‘lominar ax estutuas francesa gadas i histea ca todas as cicias| ‘cits como presidente da rctm-formada Ecole des Hoaes Eades on Sciences Soctales (sobre a «Escola dos Annales ver Hughes, 1969, pane I: Igers, 1975, cap. ebyre emparceiou com Femand Braudel, um historidor que scoditvn qe a hist ea scilogiadevem estar paicularmete fe contacto, que os estudiosos de amas as dicplinas tentam ou ‘via tonar vee expeeidaia humana come um tro Beal 1095). O seu lve O Mediterrdneoe o mundo medierrnico na ca de Filipe 1 (1989), una ebistria oa histoire ela) Tidand com. ! peografia, sociedad ea polica, com eure aonteciments, merece sr considera como a mais importante obra de histra Jo ‘éeulo (ver adn, p. 91. A sua assaclagso na Ecole des Hawes tudes, fundada em 198, permit um diflgo entre soeSlog0s, niropslogos ehisovidores frances numa altura em que isso era ‘ito diel em todo @ Indo, Mesmo assim, os historiadores france ‘es, a0 corto dos seus clega americanos, parecem ter aprendico ‘muito mais com os geégrafos do que com os socilogos (Plano 197). ‘A Franga © os Estados Unidos so dois ples em que a hit social fo leva sso por um espago de tera relatvamente longo ‘ene as relates entre a secclogiae histria foram paicularmete 2 amistosas. Os japoneses, por exempl,tém uma grande traigto de histria soca. Ej Honjo, pare citar um historiador que pbicou em ings 6 ros anos 30 trabalhava na hstria social do Sapo dos ‘Togukawe, No Breil havia Gilberto Frey, um eanfibion, qu tanto pode ser cosideradoscisogo como historia. O estado de Fey, (Casa Grande ¢Seazala (1953), sobre a socidade das plantogtes do ondst, dande en ntl, omou'se um eléssico. Na Inglatera, a "stra social chegn Bs universidades& bola da hist econéeica ‘ainda hoje no €complatamente aceite, aso msportanteestdo de [LL e Barbara Hanimond, The Village Labourer, para car apenas um ‘xem, remota 11911, Nos seus diferentes departments, alguns ‘lasts (empcitmente Jane Haron) aproveavar a elas de ‘sciGlogos eanropSlogos como Durkheim e razr para reinterpret 1 isis da calm eps ‘Nesta reve rfcréncia a0 apaecimento da hist socal um nome dbo foi debeadamente omit: 0 de Mars, Ni obstante 0 interesse do piped Marx pla hist, j dscutdo, 0 marxsmo no pasce ter ido um grande impaicio no que se escreveu no campo da histria no Osdene até aos anos 80 (estou a exci a Unido Sovis- tia), Marx pace not i levado muito a stio por Feb, Bloch fn meso por Braudel quando escreveu 0 seu Mediterraneo, a ‘ssp das semehuncas Sbvias entre os seus interests hisricos © (of dels pa ist total © mas welagSes entre estas e facts. Na rimcia meade do sEculo vine, apenas um pequens mimero de Istoradores imponants er marisa ene os guas Halvdan Keb «ajo vt sobre as revalascamponess na Noruega foi pubiado em 1926, Jan Rome, cua histra social da Holanda saiu em 1934, A.CONVERGENCIA ENTRE A SOCIOLOGIA FA HISTORIA A vetdae é qu em meaos do século XX se ih acumlado am raroivel corps de hisia social que 06 socilogos poderam tt ‘sad seo tives detejado, Contudo fi spenas nos 2n0s 80 ems fexpletament ma decade de G0 que 4 scolopa a historia come: a ram a convergic. Em 1954, dois socilogos americanos fundaram tum comisso para o eetudosociolico de documentos histricos». Frsram-no porque 0 eu ineresse pela histia os colocou numa psig, dighmos asim, de wsolidio iolanento» em rla30 205 Seas colegas de profs (Cabnman e Boskoff, 1964, itroduio. [Nio permaneceram iolados por muito temp Talcott Parsons, que tinha'uma vee perguntado «Quem Ie setualmente Spencer?» ite ressouse por un modelo evolve da mudanga soil. Duss ds mais ‘Sones monoerafisa hntiasosorias por socdlogos amerianos gira como tees feitas soba sa supervsio:Totugawa Religion| (1957) de Robert Rellah, uma pesquisa sobre o equivalent jponés 4 tien protestants, e Social Change inthe Industrial Revoltion (1959) de Neil Smelser, que tata da estuura familiar das conic ‘ede atl dos tesees do Lancashire nos princpis do sécalo XIX ‘De um fio de gua que ea nos anos 5,» socologia hits transformou-se numa coment, The First New Nation (1963) de 8. M. Lipset, The Vendée (1964) de Charles Til, Social Origins of Dic ‘atorship and Democracy (1966) de Barrington Moor: ¢ The Modern World System (1974) de Inmanwel Wallerstein so alguns dos mais amos contribu americans, Algonsaneopélogos socias cami- hiram no mesmo sentido. Peasan Wars (1969) de Ere Wolfe The Mafia of Scan Village (1974) de Anton Blok sto disso exemple. Hs rane evidentes para et regresso 3 hstria. Una mudanga social sccleradaimpb-s¢ defnitvamente 2 ategio dos vcilogos. Por out lado, desde o Seu aprecimento nos aos 20, houvetamben tempo de aereignar a sbordigem funcionalistae de descoriras sas falas, tis como o peigo de estudar a vida scald fra, sem levar em coma asintenges Jo actress 0 as sas avai da swag. Os socdlogos que se preocupam com © pent de vst dos actors, Aver se intulem sfenomenolgistas»,«ineracsionistas simblics> (qualquer outa coisa, esti, mito mais do que os fncionaiss, frnimos dos histradores, que nunca deitaram de tetarolhar sso com clos de contemparineo. Um historiadr € tentado a ffrmar que os sociglogos acabaram de descobrit aqulo que os Instonadores Sempre izeram, mas st tbe csposo aa oe, com 2 sua earacerticn profundidae, os socitlogos esto a fazer vangar esta aborager elo seu lado, 0: antropélogus sociais sempre esiverum inte ressads nas concpes dos poves que esadavam, mas a rpidas radangas sociais dima gerago fizeram com que, tl como os ‘ecidlogos, ve precupasem mai com os provessos de mudung 0 tempo. Entotano, os historians foram virando par a histria so- sia, interesandse cua ver mais ela sociologia. A dspeito dos tsforgos de alguns membros da erporago, a enchene de istria soci no odin ser susid,e paraiso também uma explicago tecioligica, Para se consepuirem oventar num pesado de ripida ‘mudanga socal algunas pessoas pensaram que seria tit debrugarem “se um pouco a sobre‘ passado — o pasado socal ‘Ascenso da histia social tansformou a questlo nama questo muito urgente. Quando a isis pl tica dominiva, er aver sficinte define histeia soil como historia que police deixava de fora. Esta defnigao residual deixou de ter qualgervildade. Ess histria socal residual foi frequen ‘mente itis por er algo dewinverebrados, se uma esr, por ‘uae lavas, sem posibilidade de gar diferentes infonmages sobre avid soci no pasado de forma sober uma desrgio, uma ‘aati ou uma elise core, Esa era a Date da ceten hha social de Macauly,consderala coro uma el loja de curios des, sind des rticas mas suaves mas no menos convngenes| a série History of American Life Perkin, 1953-4; Hofwaher, 1968), Dit apelosrecenes em favor de una hit vocial mais vgoros © ‘efnida em fermss mais postivos, quer se chame «bisa soil ‘esiutural» ou sbistria da sociedade> ou qualquer outro nome (asl, 1968; Hebsbawm, 1971 b) ‘0s historiadoes interesados nesta histria social mals rigors recomeram a conceitos e meéodos da yoinlgia e dt antropologia Tronicamente alguns dels utlizaram 0 conesto de «fungion, rei rente ng altura ex que 05 seidlogs e os anrop6logs 0 abando- fuvar, 0 que als € frequent acontecer nav celages intending tars, Mos hires exo agora intron num si | s quamtativos, que tveram a sua origem na histria econémica (a ‘ova histria econdmica» ou cloaca»), mais uma ver numa stra em que as vimudes do cleo tinham deixado de sr inscu- tieis ese tomavam objcto de debate ‘Que fazer? Chegou agora a ocasido de revelar os meus prépros valores, as minis inclingbes. Eu aeredito qu a hstria soil & um Projecto to valido como fascinate, io mereedora de um estado co coma o foram ae sits ims, 9 hisia politica © hist rondmie, Ho nessa para competed 9 panne em 38 ne primas, a sociolgiae a atrpologia. A histra que tne contar da rptur ene a histria © a socologia € uma histria do tio wo que gue comeu mal». Dizer isto nlo signifi dimimui as grades ontrbuigGes da escola de historiadores politicos de Ranke ow da escola de antopologos e vociSlogns funciomalisas de Malinowski penis chamar a aienglo para 0 facto de que houve que pagar um prego por estas conbuiges, um pgp que do & necessriocont- rar & pagar. O que alguns de nds gostrfamos de ver, 0 que comegamos aver, uma hstria social ou uma sociologiahistrca — 4 dsingto ¢ ielevate — que dove estar relacionada tanto com a ompreenso de dno como com a explicaglo de fr: tanto com 0 sgzral como com © particular © que consiga combinar o sentido spurado para esrtura do socilogo com 0 iguslmente peneante ‘atid de modangs do histonadoe. Fou para encorgar est aprox ‘magi ente abordagens que foram muitas vezes consideradas ‘paraias © mesmo incompatveis que escrevi ete ensio. Os capti- Tos sepuntes So uma tentativa de especificar, deforma to coer «© precisa quanto possive, © que 05 historiadoes € 05 socidlogos adem aprender uns com es outros os ESTRUTURAS SOCIAIS 16 defines de sia social mais posivas que shite que ‘politica deizou de fora. A histra social poderia ser defnida como ‘hist das relatos soci a histra da estraura soca a hist ‘bs vida quotidian; ahistvia david peivada; a hstria das soldari ‘des soca dos conflitos soca histria das classes soci a histria dos grupos soins evistos quer como unidades separadss quer ‘como wide muamente dependents» (sobre a dima defn. ‘er Rater 1956) Estas defines esto muito loge de sr sindninas; ‘ada uma coresfonde a uma abordagem diferente, ea qual co 3+ fas vaniagens ¢Sesvantaens. Mas & dif avancar em estas bor fagens sem recor de alguna maneia os conceios es Hnguagem | sociologia, ‘Volos ao problema do scalio» com que of hstriadoes mutes veres asia os sacGlogs deescevere mesmo de falar. O5| Iinelectuisbriiies si tive mais propensos do que a malo a usar of outros deste pecado, gras sobrevivencia da tallg0 Wo ‘vlheiro amar, «Callo», aqui, significa pouco mais cu menos 05 | ‘oncctos dos ours, Pasindo do pieipio do qu todo © desvio da Tingusgem comune o seu preg, jf que toma a comunicago com ‘oFitor mio mss sii, parting do principe de qu todo 0 devo ( Finguagem comum precisa do ser justiicado, permanece um Ini de termos téenicos da socologia que os hisoridores,sobre- td os histories soci, deveriam ser aconselhados a atc no Seu vocabulio lguns doses tres age tem equalene a lingua n em cooum —e se nfo nemo una pave para design alguna ois, no a mencina no € soli. Outos so defnidos de forma tis precisa do qu seus eaullemes mu nguagem coy, fer ‘iid asi ae distinc ns cares anes ma gobs do gue ingagem comum permit © ebjeivo pipe deste cuptulo & conus, ofrecer 208 historadores que lguem prec dso um lose da Tingutgem dh ecilogi, u, cbndo outa mtsfo,um ejo de eames de concios hice gue sia para comer 2 arian ma ie: tans hist. Dado doe a yrova ca valdde de wn concto ‘side ou sa api, cad tro srt cto da fermacom fo ou pve vir ser ado par ext problemas histo conceo. Usaemesfeqenemenexemplostadas dita da Europ Sos séclos XVI'e XVI Visas sates jntieam ext escola: € 0 Period com o gual estou mas famiaizads 0 prido sobre 0 qu Imi esceveram os historias frances gos aoe Annaler (ver fra pg. 21) ainda porqe va dum pup de soles Pe ‘ndash revanene bem documenta. Dado qe o cnc ‘i sociloia fram na sun maior pare eras depois deli indastialexaminilos nm cotexto pens Ser uma oom de tesa os finite da sua plbiade © até mesmo de descr filha da extra erica. Por outa alas, este captlodestin. se tno silos como a htonare ta bse oe gue€ nen sti un estangio para asia totes de uma lingua. cla que a metfors ingusica no pode ser leva Tonge de mis. A sctolgia Ro apenas Um Yoesbulo, um amar de Feramentascomcepiis ee neues una dacipina cs pra came esto basta em escordo seo qu faze como fret Na verdade € dif imaginar uma objcpo a quale abordagem soo giea quo tela sido feta por um socilogo, Os Rsriadoes ue persam que of socdlogoe so apenas pessoas presumids © Sic, ano um clo intl, deveri eo famoso sag {eto por C. Wright Mill 8s «Grandes Tera» 20 escapism», «Renasel ‘menion eluminismo» e fla sabre forma wclisica»& we com ‘éndiow d um fenimeno seca como o feudo medieval. Use mode Jos desta mania, sem confer a sua imponincia Igie, aloes _muias vezes os hitoriares em diealdaes desecesirias. Alguns| conhecidos debate no seio da profisséo demonstaram uma ms ‘ompreenso por yrte de um detecninado hstoriadoe do modelo de ‘Um exemplo dest nio-compreensio & a celebre contoyeria a ‘ate Sir Poa! Vinogrdof ¢F. W, Main sobre 0 senhoro medic ‘al ngs. Vinopradot (1892 pp. 223-4) superia que 1 earuuca do serio orn & sempre x menna. Sob a wore do vethor ects din cama Ge ppelagto — 06 ‘oe ov ocpantes les eo etre espa divide sets en tera odoin este ai, Tada popula ve grips mama Cmanicde de aldes que ries a restos Seba, qbe fncona {ann como conse e trbeal A mika invesigago apar-e-4 ‘cecum ace cue pce Ext € 0 lsscos senhoro medieval tal como fi desenhado erm ingmerosquadros. Numa amos igualmente clissica de anise des- trutva, Malang sastemtava que edescrever wm manerim pico» er asolutamenteimpossvel e mostava que cada um dos tragos do ‘po ientificado por Vinogradoffestavaausenienalguns casos. A uns seahorios no ina vilfos, outoe no tnkam oeypases lives, ‘outs no tnham dominio, ouvos lo Snhar residéniasenhoral (Maitand, 1897, rece que Vinogradof nin etava rsto seguro acerca da Kgica as suis goverlizagds (oparse na mudanga do «sempre» na pi mci frase ida, pra 0 sti» na za). Se estivesse mas cente de qe estava a ar um modelo. teria mais cidade tra sido paz ‘de dar uma ria mas convincete & Maia. ‘Sex til disinguir dos tps de modelos segundo os cris de inclusdo no grupo de entidades, neste caso 0s senhorios, is quai 0 ‘modelo se aplics. A linguagem venica € aqui inevitve,Preisamos de disinguir um grupo de entdades «monotésico» de um grupo “politico. Um gripo monotico & um grupo «to definido que =| posse de-um dnico conjunto de tribatos € condigo necessria € Sufi pr a incluso, Por oto ldo, um grupo politico € um ‘ripo no al nethum atibuo isola €necessvio ow suiiente para 1 incluséo no grapo.O grupo € defindo em funsto de um conjunto e arrbutos al que cada entidade tem que posuir a maior parte os latsbtos cada arb € paithado pele maior pare das entidaes (Crk, 1968, p, 37), Esta segunda stp 6, car, aque foi deserin por Witgensein numa famosa passigem sobre sparecengss Ea 2 lars. Mies efilhas, mos emis parecem-s uns com os outs © condo esas precengas io podem ser reduidas a wna qualquer ‘arvtersen essen "As objeees de Maitland a Vinogradoffpurtiam do principio de que Vinopraot fava de todos os senorios ov defiia 0 few stipco» referindos a um grupo monctica, Se conceit estivesse Aisponivel, Vinogratoff podria rplicar que 0 seu modelo era pli tec, Tera spent obviago de mostrar que cada um dos atibutos so seu grup em partiiads pala maior pete dos Senhorioe sto mo pode fazer e paras Inglaterra, mas quando um bstriador rss texto os seahorics no Cabidgeshire e nos condos viznhos no ‘éculo XIII chegou 3 concluso de que mais de cinguena por cena eles eram do que dsignou por «tip Ax, com dominio, pares servis ¢ tras de cupamies lives — por utas palavs, do tipo Vinograd (Kosminsk, 1935). Tal como os scilogos, também os hiiorilors soca nada prem fazer sem o conceto do stpicor. Quando constroem as sues tipologas ambos eo, evdenemente, a seguir o exemplo dos cin tists naturs, Estn a fazer stanonomian ca distnguitwespcies> tal como Line fz com a plans. No entanto as eiferenes especies de enorios feuds st muito menos pereeplveis do que (por exempo) 2 siferentesespécies de eucalpos. Para deseobrir um determi ‘iso € ot io erepesenativos, © caso deo ser de que grupo ee tlpco, histriador social precisa de realizar agulo a que 0s soci Jogos chamam a eebservagion. A OBSERVACAG A cbservagio ¢¢ fo € a0 mesmo tempo aqulo que os historia: lores sciais fuss tdo o tempo a faze, sem necessariament se ‘persherem disso. A Cmara doe Comuns nglesaeo Senado romano | orm estudados avs das biografias dos seus membros, biografa| coletivin ou «prosopografian, como por vezes sb designate ‘moda, Nests cans, todo 0 grupo 0, como da os SOIOgO, 2 » «popula tot fo} estudae tanto quanto 0s restos de observa © permit. Em tis aso, o conheciento dos métods de observa: ‘io usados em dscpinas prOximas pode no ser necessitio. Aos Fistoriadoes de elites ean istorindores de sociedadespré-ndustiis relatvamente x gui 8 estaiticas no abundam nem so dignas de Creito & de aconsethar gue recoham todos os dos que cosigam. ‘No ena, os histriadorescontempardneos e 05 histoiadores «que exam grandes grupos, como por exemplo a classe operiia inslsa, tndem ter aeess0 3 mais infornajao do que aquein que podem tratare, assim, para eles @ observacéo € 05 méiodos de Imnostagem podem sr muito tei, Cilbeno Frye, por exempl, 20 fserever a ita do Brasil nos dkimos anos do século XIX e Frincpios do séeulo XX, tenlou encontrar mil brasileiros nscios Ente 1850 ¢ 1900 que rpresentassen os princpas grupos sciais do fs apesar dono explear porque métod fi eseolida ess amestra {Greyre, 1959; of, Skidmore, 1964). Paul Thompson, cujhistria social da Inglaterra eduardina se baeia em grande arte em en ists fies a 50D sbreviventes desse perodo,escoTheu as pessoas Pars entevias com base nua warns» ue tnhs em conta um uli ene homens e mulheres, cidade campo, nore esl et. ‘sui semethante ao que prevalcia em todo opis, naguea pact (Thonn, 1975, pp. 8). Freyre © Thompson sG0 tanto scilogos como hisoriadores © Fieram as sits odseragbes ds vivos, mas 0 problema Ja anos: trager volta «srg mas observages istries dos mortos.O estudo de Gerald Ayimer sobre o funionlismo publico de Carlos T diz respeit acerea de 900 homens estudads através de uma amosta de 194.0 seu esto sobre cs funcionris pblieos da RepablicaInglesa dir respit acerca de 1.180 funcionéros estas aranés de ume famosa altri de 284 dees, Neste cao, os nimeros enolvidos formar ima prosopopafa total inadeuada para ser esudada por tum s homer. Lawrence Stone pide estuar todos ox pars do reino| inglesesenre 1558 ¢ 181 porgde hava apenas 382. Geralé Aylmer, ‘que tina que iar com mas de 2000 funciondros, fi cbrigndo a war fim smote (Aylmer, 1961, 1973: Stone 1965). ‘Uma anise cil do passdo, tal como uma anise social do presente, lvania dass questGesemburagosis Hi a questi da ab Tidade de evdétla ou dos wdados» eh o problema da sua cu suas classifiagtes.| ‘0 problema essai da confinga para quem usa métodos quan titative reside na cates dierenga ene dadossfirmes» (precise, rmensurveis) edd «races, qu soo opsta +E frequent ere (os dos facos os mais valionos eo frmes 05 tas feels de ob Como os socilogs, os histriadarespreisam de encontrar faces fmes not quits coe pars efit de bus ieadores Jo dks fracos» (Wootton, 1989, p. 311) Um eincador» pode ser dfinido imo algo menue que varia (nc-varit) com algo que 0180 & "Nos anos 30, por exemplo, os socidlogos americanosdescobrican que 0 tipo de casa em que ima dada Fania vivia, ¢ mesmo 2s ‘mobiiss da sua sal-de-star, variavam com 0 readimento e com 3 profs e podium, or so, Se cnsierades como un inca do [aru vocal desea fai. Na oescala da sala-de-estary, um telefone ‘0 um ria, por ctemplo ina um valor elevado (#8), enquanto tum regio desperidor ia um vale baixo (2). Dado o mero de inventinos que restim dot primeios tempos 6a Europe modems, a scala da sala de-esar de Chapin abr os horizons as hstoiadores Sci (Chapin, 195, exp. 19)- Ou seria est indicadr apenas vido bara ox Esta Unidos doe anos 30? E provivel qe © sgce de uma ‘ala come evn desendh da reocupgso com o suse com 0s cus ‘Simboloe numa dada cultura. Neste aspecto seria muito mais de ‘esperar qu et esala epudesse mais facimenteaplcar Europa no ‘culo XVII do que 208 Estados Unidos no século XX, atendendo as ‘mudangas vercadss not mobilirios domestics. No enanto, sabe ‘mos uravés da terra da Gpoca que os sibs do tates 0 séeulo XVII eram wm pouco diferentes. No Roman Bourgeois de Pureite, por exempl, caja Kista pra 8 volta Ge alguns ovens legistas que tenia fazer-se pasar or nobes, hi algumas reerncis a0 mai liso eugerindo gre naguela época mires antigos eram mais um Sintra de pobre. aaré ou dias antiquadas do que um snal de Hats elevado ou de bom gost). Condo, segundo a iteratun, 0 verdadeio inde do status era 0 vestuério. Era com its lagos ‘qe os hers bargeses de Faretbee se faam pasar por cots. s A literatura picaresea da Espana do século XVI confirma impor lneia do vestudrio come piacipal simbolo do sinus (Fares, 1966). dagu 0s historadores podem trr uma lgdo:o que ees podem pedi emprestado a8 seilogos € 0 conceit de indicator e ‘ou indicadorconcret, ‘0s socilogos da roigto tiveram que enfrentar um problema sina mis die, que Toko de encoatar um indeador para medir Itensidade © ortodosia da crenga religiosa. A tendncia foi deter- ‘nina propor do ero at dada palo, aur de pessoas «qe frequent ua dada igrela on capela ou, em ples cations somo a rang oa Ri, nim de comungantes na Pseoa (Les Bras, 1955-36; Wien, 1966). Um engenoso historador francs fentou mesmo calculit'o decéscimo da devogso na Proven, no século XVII puri do peso da cera cada das velas posts arder diame das imagens ds sartos(Vovelle, 1973. Nio hrs vidas de que as estos deste tipo, que variam enormement> de uma ‘gio pura outa epor vez a drastcamente como impo, ém uma stra par contr Se saberos ou nio ler es hist, 0 66 otra ‘questo. Lar esses nimeron comectamente impicria saber exacts rene o que significa a comunio pascal pra as pessoas envelvidas: df saber se os camponeses regio de Ores no séeulo XIX (corres somcuiae demain foc nea conodoria eee “Medira temperatura rligiosa de uma comuniade, se fia, quete ou moma, & mis diffe do que parece, O problema de deduiratiudes pollicas do nimero de votes & do mesmo tipo ames oa fracas os dados no nos fomecerio respsts Is nossa pergunas # menos que of