Vous êtes sur la page 1sur 9
1
1
1
1

1

Laboratório 04 Contadores

CONTADOR COM DECODIFICADOR E DISPLAYS DE 7 SEGMENTOS

A capacidade de contar é uma operação fundamental em eletrônica digital. Um contador fornece uma saída binária igual ao número de impulsos binários ocorridos na sua entrada. Os contadores podem ser construídos com flip flop's sendo o seu limite de contagem de 2 n-1 em que n é o número de flip flop's colocados em cascata. Nesta aula prática de laboratório, utilizaremos alguns CI que já realizam a função de contagem. Na primeira parte da aula utilizaremos um contador BCD para realizar a contagem de 0 a 9, um decodificador BCD para 7 segmentos e um display de 7 segmentos para observar a contagem. Já na segunda parte do trabalho usaremos outro contador em cascata com o primeiro para podermos efetuar contagens de 0 até 99 e um segundo conjunto descodificador/display para observarmos a contagem. Usaremos ainda alguma lógica adicional para limitarmos a contagem de 0 a 59. Logo, são objetivos dessa aula prática a familiarização com os CI contadores, descodificadores e displays, bem como a sua interligação e funcionamento. Em exercícios propostos, estaremos utilizando circuitos adicionais, tais como foto-transistors para detectar objetos e realizar uma implementação prática de contagem.

1 EQUIPAMENTOS

Contadores, Decodificadores e Displays de 7 Segmentos. Datapool

2
2
2
2

2

PARTE I CONTADOR DECIMAL

2 TEORIA E MONTAGEM

Nesta montagem vai usar os circuitos integrados 74LS90 (contador assíncrono), o CI 9368 (decodificador BCD) e Display de 7 segmentos (Catodo comum). Para conhecer o seu funcionamento aconselha-se uma consulta ao datasheet destes CI's. O CI 74LS90 (Figura 4.1a) é um contador assíncrono, BCD que efetua, portanto, contagem crescente em binário e pode ser utilizado também como divisores de frequência por 2 e por 5 (conforme diagrama da Figura 4.1b). Os pinos A e B são as entradas de clock para os dois divisores. Em situações de fabricantes diferentes, teríamos um diagrama funcional com notação alternativa. Neste caso, as saídas denominadas Q 0 , Q 1 , Q 2 e Q 3 , corresponderiam, respectivamente, àQ A , Q B , Q C e Q D eas entradas CP 0 e CP 1 corresponderiam, respectivamente, às entradas A e B.

2 PARTE I CONTADOR DECIMAL 2 TEORIA E MONTAGEM Nesta montagem vai usar os circuitos integrados

(a)

2 PARTE I CONTADOR DECIMAL 2 TEORIA E MONTAGEM Nesta montagem vai usar os circuitos integrados

(b)

Figura 5.1 (a) Diagrama de pinos contador 74LS90 e (b) Diagrama de pinos divisor por 2 e 5.

A saída do flip-flop da esquerda da Figura 4.2 (Q A ) executa a divisão por 2, ou seja, um sinal de frequência f1 na entrada A (pino 14) dá origem a um sinal f1 / 2 no pino 12 (Q A ). Já os três flip-flops da mesma figura, executam a divisão por 5, ou seja, um sinal de frequência f2 na entrada B (pino 1) dá origem a um sinal f2 / 5 no pino 11 (Q D ). A porta lógica 1 controla as entradas set dos flip-flops extremos. A porta lógica 2 controla as entradas reset dos quatro flip-flops. A Tabela 4.1 ilustra o procedimento para ressetar o contador: o contador resseta se ambas as entradas R0(1) e R0(2) assumem nível 1 e pelo menos uma das entradas R9 s estiver em 0. Qualquer uma das combinações nas linhas 4, 5, 6 e 7 habilita o contador para contagem.

3
3
3
3

3

3 Figura 4.2 Circuito contador 74LS90. Tabela 4.1 Combinações para ressetar o contador. Se dos divisores

Figura 4.2 Circuito contador 74LS90. Tabela 4.1 Combinações para ressetar o contador.

3 Figura 4.2 Circuito contador 74LS90. Tabela 4.1 Combinações para ressetar o contador. Se dos divisores

Se

dos

divisores da

Figura 4.1b

forem interligados, ou seja,

a saída

Q A (pino

12) for ligada

externamente à entrada B (pino 1), obtemos um circuito divisor por dez. A frequência na saída Q D (pino 11) será igual à frequência na linha clock do pino 14 dividida por 10. Neste caso, como a sequência de contagem vai de 0 a 9, o contador é chamado de contador BCD ou contador de década. A cada 10 transições negativas na entrada do clock (pino 14), o estado inicial se repete. Por exemplo, se o estado inicial é 0000 (0 em decimal), após 10 transições negativas na linha de clock o estado será novamente 0000.

Tabela 4.2 Tabela de combinações no modo BCD.

3 Figura 4.2 Circuito contador 74LS90. Tabela 4.1 Combinações para ressetar o contador. Se dos divisores
4
4
4
4

4

A Figura 4.3a a seguir apresenta uma ligação típica envolvendo as entradas reset . Quando S vai para 1, o contador resseta , caso contrário, fica liberado para contagem. Já a Figura 4.3b ilustra o diagrama de pinos do decodificador 9368 e a Figura 4.3c o diagrama de pinos do display para 7 segmentos (cátodo comum).

4 A Figura 4.3a a seguir apresenta uma ligação típica envolvendo as entradas reset . Quando

(a)

4 A Figura 4.3a a seguir apresenta uma ligação típica envolvendo as entradas reset . Quando

(b)

4 A Figura 4.3a a seguir apresenta uma ligação típica envolvendo as entradas reset . Quando

(c)

Figura 5.3 (a) Diagrama de pinos do contador 74LS90, (b) Diagrama de pinos do decodificador 9368 e (c) Diagrama de pinos do display de 7 segmentos cátodo comum.

O CI 9368 fornece corrente correspondente à 20mA nos seus pinos de saída, suficiente para uma boa luminosidade. O valor de corrente nunca poderá ser superior à 40mA para não danificar o display. As entradas do decodificador 9368 A, B, C e D deverão ser ligadas às saídas Q A , Q B , Q C e Q D do contador 74LS90. As Figuras 4.4a e b ilustram as disposições de acionamento dos displays ânodo comum e cátodo comum.

4 A Figura 4.3a a seguir apresenta uma ligação típica envolvendo as entradas reset . Quando

Figura 4.4 (a) Diagrama de acionamento do display ânodo comum e (b) Diagrama de acionamento do display cátodo comum.

5
5
5
5

5

Também é importante informar que, no decodificador 9368, o pino EL é utilizado como controle para

isolar a informação do display de 7 segmentos: Se EL estiver em 0, a informação em DCBA passa para o display, caso contrário, se estiver em 1, a informação é isolada.

Já a entrada RB0 é utilizada para apagamento ( blank ) de zeros nos cantos de uma configuração, por exemplo, quando polarizado convenientemente (Figura 4.5), os zeros à esquerda e direita em um instrumento digital são apagados (ex. o número 060,040 ficaria 60,04).

5 Também é importante informar que, no decodificador 9368, o pino EL é utilizado como controle

Figura 4.5 Diagrama de ligação dos pinos RB0 e RBI para o apagamento dos zeros à direita e à esquerda.

Entretanto, para montar um contador BCD simples (um digito), basta fazer a ligação conforme Figura

4.6 abaixo.

O pino EL (pino 3) deverá ser 0 para permitir a passagem da informação de DCBA (se for 1 o

display fica parado) e o clock deverá ser ligado a uma frequência de 1Hz (um pulso por segundo).

5 Também é importante informar que, no decodificador 9368, o pino EL é utilizado como controle

Figura 4.6 Diagrama de ligação de um contador BCD de um digito.

6
6
6
6

6

Caso não tenha os componentes acima citados, pode-se utilizar

de outros

modelos de contadores e

decodificadores, como é o caso do decodificador 4511 e do contador 4518. O contador 4518 é um CI que possui

internamente dois contadores assíncronos, independentes, ou seja, podem ser utilizados separadamente. vantagem desse CI são os pinos enable e reset, conforme figura abaixo:

Uma outra

6 Caso não tenha os componentes acima citados, pode-se utilizar de outros modelos de contadores e
6 Caso não tenha os componentes acima citados, pode-se utilizar de outros modelos de contadores e

Pinos de alimentação 16 (V DD 3 a 18V) e 08 (V SS - GND). Pinos de clock 01 (contador A) e 09 (contador B). Pinos de reset 07 (contador A) e 15 (contador B), sendo que se colocados em 0 permitem a contagem e se colocados em 1 zeram a contagem. Pinos de enable 02 (contador A) e 10 (contador B), sendo que se colocados em 0 param a contagem e se colocados em 1 habilitam a contagem. A seguir é apresentado a pinagem dos decodificadores 4511 e 74LS48 (catodo comum) e do 74LS47 (anodo comum).

6 Caso não tenha os componentes acima citados, pode-se utilizar de outros modelos de contadores e
6 Caso não tenha os componentes acima citados, pode-se utilizar de outros modelos de contadores e
6 Caso não tenha os componentes acima citados, pode-se utilizar de outros modelos de contadores e
7
7
7
7

7

7 Centro de Engenharias e Ciências Exatas Bloco B11 Espaço 2 Sala 03 Parque Tecnológico Itaipu
7 Centro de Engenharias e Ciências Exatas Bloco B11 Espaço 2 Sala 03 Parque Tecnológico Itaipu
7 Centro de Engenharias e Ciências Exatas Bloco B11 Espaço 2 Sala 03 Parque Tecnológico Itaipu
7 Centro de Engenharias e Ciências Exatas Bloco B11 Espaço 2 Sala 03 Parque Tecnológico Itaipu
8
8
8
8

8

A seguir é apresentado uma solução para contagem de 00 a 99 com o contador 4518 e decodificadores 4511.

8 A seguir é apresentado uma solução para contagem de 00 a 99 com o contador
9
9
9
9

9

PARTE II CONTAGEM DE 0 ATÉ 99

3 MONTAGEM

Na Figura 5.7 temos um circuito obtido do cascateamento de duas décadas contadoras 74LS90, com saídas para o decodificador 9368. De acordo com o cascateamento, vemos que após 10 pulsos de entrada clock, ocorre uma transição negativa em Q D (no caso da Figura 5.7 seria o Q D1 ). Essa transição negativa poderá, então, ser utilizada como gatilho para a segunda década levando o conjunto a variar de 00 a 99, passando por 100 estágios diferentes. O estágio inicial poderá ser garantido através da entrada Reset . Cabe lembrar que a cada década cascateada aumenta a contagem em 10 vezes.

9 PARTE II CONTAGEM DE 0 ATÉ 99 3 MONTAGEM Na Figura 5.7 temos um circuito

Figura 5.7 Contador BCD com dois dígitos.

9 PARTE II CONTAGEM DE 0 ATÉ 99 3 MONTAGEM Na Figura 5.7 temos um circuito

Figura 5.8 Contador BCD com dois dígitos com parada de contagem (chave SW).