Vous êtes sur la page 1sur 3

NOME

NOME FICHA INFORMATIVA / DE TRABALHO DE HISTÓRIA 1º Guerra Mundial Nº ANO TURMA Nos inícios

FICHA INFORMATIVA / DE TRABALHO DE HISTÓRIA 1º Guerra Mundial

ANO

TURMA

Nos inícios do século XX, a Europa dominava o mundo graças à sua superioridade técnica, económica e cultural. Contudo, entre os Estados europeus foram-se desenvolvendo perigosas rivalidades e disputas:

- entre a Alemanha e a

- a Alemanha, com um intenso desenvolvimento da sua

indústria, ultrapassara a capacidade de produção da sua rival;

- entre a França e a país em 1871;

- a França não esquecia a Alsácia e a Lorena, perdidas para este

- entre a

e o Império Austro-Húngaro - ambos os Estados procuravam impor a sua

influência política na região dos Balcãs.

O agravamento das relações entre as potências europeias levou a um nacionalismo agressivo. Assim, em França cresceu a ideia de recuperar a Alsácia-Lorena; na Alemanha afirmou-se o pangermanismo, ou seja, a ideia de

reagrupar todos os povos de origem germânica num único Estado. A concorrência entre as potências imperialistas e o aumento de conflito provocaram a corrida aos armamentos. Ao mesmo tempo, criaram-se dois sistemas de alianças:

- a Tríplice Aliança, formada pela

,

e

;

- a Tríplice Entente, constituída pela

,

e

Este sistema de alianças era extremamente perigoso para a segurança europeia. Na verdade, caso se desse um conflito entre dois países de alianças contrárias, logo os restantes tinham de prestar apoio militar ao seu aliado. Era a época da paz armada.

Em 1914, ocorreu nos Balcãs um conflito entre a Áustria-Hungria e a Rússia que, rapidamente, provocou a

Primeira Grande Guerra. Com efeito, os interesses das duas potências chocavam nessa área da Europa - os russos eram

protectores da

Francisco Fernando (herdeiro do trono

Um mês mais tarde, a Áustria declarou guerra à Sérvia, o que levou a Rússia a mobilizar as suas

tropas. Nos inícios de Agosto, desencadeia-se o mecanismo de alianças: a Alemanha e a Áustria-Hungria declararam

guerra ao Império Russo, imediatamente apoiado pela França

exército alemão invadiu a

e a Áustria dominava a Bósnia (desde 1908). Ora, a 28 de Junho, o arquiduque

) foi assassinado na Bósnia por um estudante

A 4 de Agosto, com a intenção de tomar Paris, o

(país neutral) e a Inglaterra entrava também no conflito.

Começava então a Primeira Guerra Mundial que, com a entrada de novos países - Turquia,
Começava então a Primeira Guerra Mundial que, com a entrada de novos países - Turquia, Bulgária, Roménia,
Grécia e Japão, se estendeu a outras regiões da Europa (Portugal incluído), às colónias (africanas, americanas e
australianas) e à Ásia.
No Verão de 1914, todos pensavam que a guerra "chegaria ao fim antes do Natal". Na verdade, os planos de
mobilização foram rápidos, mas as estratégias militares fracassaram: a tentativa francesa de reconquistar a sua colónia
perdida para os alemães (a
e
) falhou (fins de Agosto) e o plano alemão de
tomar Paris foi travado na Batalha do Marne (inícios de Setembro).
Era o fim da primeira fase da guerra. Chamada
A guerra de movimentos deu lugar "à guerra
" (a segunda fase). É durante esta fase
que a Itália abandona a Alemanha, passando a fazer parte dos Aliados e sendo substituída pelo Império Otomano.
Até 1918, e como forma de manterem as suas posições, os exércitos rivais abrigaram-se, frente a frente, em valas e
abrigos cavados na terra, protegidos por arame farpado e sacos de areia, as
Aí, os soldados
suportaram o frio e a chuva, os ratos e os parasitas, os gases asfixiantes e os bombardeamentos da artilharia. As perdas
humanas foram enormes e, apesar de todas as tentativas, as posições dos exércitos rivais no terreno não se alteraram.
Esta nova etapa ficou também marcada pelo uso de novas armas e técnicas de combate, como por exemplo, o uso do
avião, do tanque de guerra, da
ou do
Face a um conflito que se prolongava, os governos dos países em guerra mobilizaram todos os seus recursos
materiais e humanos, tornando a guerra total: recrutaram todos os civis para o esforço de guerra. Para isso, utilizaram
a mão-de-obra
, os prisioneiros de guerra; pediram empréstimos aos
e divulgaram filmes, canções e cartazes para apoio moral das populações e, através da censura,
controlaram a informação. A guerra chegava também a todos devido aos bombardeamentos, quer em terra, quer no
mar.
Em 1917, ainda durante a guerra de
deram-se três acontecimentos de grande
importância:
- a entrada efectiva de Portugal (em Janeiro). Esta entrada explica-se pela necessidade de
,
e a manutenção da antiga
aliança com a Inglaterra.
- a entrada dos Estados Unidos na guerra (2 de Abril) - os ataques dos submarinos alemães aos barcos americanos
no Atlântico e os interesses dos banqueiros em recuperar os empréstimos aos Aliados obrigaram o presidente Wilson a
declarar guerra à Alemanha (acontecimento favorável às forças da "Entente").
- a saída da Rússia do conflito (15 de Dezembro) - a conquista do poder pelos comunistas levou Lenine, seu chefe,
a pedir o fim das hostilidades e a assinar a paz com a Alemanha (acontecimento favorável a este último país e à
Áustria-Hungria) no Tratado de Brest-Litovsky.
Em 1918 entrou-se na fase decisiva da guerra. Depois de desesperadas ofensivas alemãs no Nordeste da França
(entre Março e Junho), os exércitos aliados - agora reforçados com soldados e carros blindados americanos - lançaram
poderosas contra-ofensivas que bateram o inimigo no Marne e em Amiens (Julho-Agosto). Era o regresso à guerra de
, a terceira fase.
2
Face aos sucessivos desastres militares, os países do bloco da abandonaram a guerra e a
Face aos sucessivos desastres militares, os países do bloco da
abandonaram a
guerra e a própria Alemanha pediu a paz, após a abdicação de Guilherme II e a instituição da República de Weimar.
Enfim, a 11 de Novembro, em Rethondes (França), foi assinado o armistício, que pôs fim à Primeira Grande Guerra. A
entrada dos Estados Unidos no conflito tinha desequilibrado as forças em confronto.
Todos concordaram em impor - sem quaisquer negociações - os tratados de paz às nações vencidas. O mais
importante foi o Tratado de Versalhes (28 de Junho), que impôs cláusulas muito duras e humilhantes à Alemanha
(apelidado de Diktakt – ou seja – um acordo forçado e não negociado):
- a redução das forças armadas a cem mil homens, sem artilharia pesada, aviação e marinha de guerra;
- a restituição da Alsácia e da Lorena à França, a entrega de territórios prussianos à Polónia e a perda das
colónias alemãs;
- o pagamento de pesadas indemnizações aos Aliados.
Os restantes países vencidos assinaram tratados suplementares ao de Versalhes. A Europa, palco das grandes
operações militares da Primeira Guerra Mundial, saiu do conflito profundamente devastada e endividada. Portugal não
foi excepção. A sua participação no conflito trouxe-lhe: consequências positivas consequências negativas
Com efeito, o balanço da guerra foi dramático para toda a Europa:
Consequências políticas
Consequências Demográficas
Consequências económicas
No meio de todas estas dificuldades, os E.U.A. tornaram-se a principal potência mundial, graças à sua política de
empréstimos à Europa e à entrada tardia no conflito (que se deu num continente diferente). Assim, na década de 20,
assistiu-se a uma fase de “prosperidade” que culminou no desenvolvimento industrial, mercê de novos sistemas de
produção como o Taylorismo (
),
o trabalho em cadeia aplicado à construção automóvel (Ford – Fordismo) e a
uniformização dos processos de fabrico e do próprio molde de produção (a
).
O
crescimento da economia possibilitou a acumulação de riquezas e o desenvolvimento dos monopólios. A própria vida
das populações se alterou: novidades como o automóvel, o rádio ou o telefone eram adquiridas por todos; as mulheres
começam a libertar-se da vida em casa, saindo livremente para cafés, cinemas
Foi a época dos “loucos anos 20”.
3