Vous êtes sur la page 1sur 1

A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho

A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho um conto narrativo de Mrio de Carvalho,


publicado em 1983. Trata-se de uma obra que vai amalgamar duas datas, as de 4 de
Junho de 1148 e as de 29 de Setembro de 1984. Trata-se tambm de uma obra que no
desenrolar da ao vai fazendo fortes crticas ao exrcito portugus e s foras
paramilitares da dcada de 80.

Resumo

Comea com uma situao em que se vai buscar a musa da histria Clio, pois adormece e
deixa dois fios da tapearia milenria da histria enlearem-se. Amalgamando-se as datas de 4
de Junho de 1148 e de 29 de Setembro de 1984. De seguida j no desenrolar da aco Ibn-el-
Muftar, surpreso com a mudana de poca, e tambm com a transformao da paisagem,
pensa tratar-se de um passe de magia. O polcia Manuel Reis Tobias, que no momento da
chegada repentina do exrcito de Ibn-el -Muftar estava de servio escondido atrs de um
prdio ao lado de uns semforos, comunica uma mensagem ao posto de comando dizendo que
havia uma manifestao no autorizada na Avenida Gago Coutinho e parte do Areeiro. Poucos
minutos mais tarde a Polcia de Interveno, ao tentar limpar a avenida, rapidamente
desmobilizada ao ver que a cavalaria moura se preparara para investir contra eles. No entanto
o exrcito portugus chega, e o capito Aurlio Soares consegue alcanar Ibn-el-
Muftar. Quando se cumprimentavam os dois em rabe, o Ibn-el-Muftar e o seu exrcito
desaparecem deixando o capito Soares e toda a escola militar confusa com aquele fenmeno.
A causa desse sbito desaparecimento foi o facto da deusa Clio ter despertado do seu sonho,
fazendo desaparecer os mouros e fazendo esquecer todas as pessoas que testemunharam
aquele fenmeno. Visto que ningum sabia o que se passara, os oficiais responsveis pelas
foras policiais e militares portuguesas que intervieram na ao, tiveram que explicar em
tribunal marcial o porqu de se encontrarem na avenida Gago Coutinho sem aparentemente
ter sucedido nada. J para o exrcito de Ibn-el-Muftar no foi grave pois eles aproveitaram o
caminho de regresso para devastar os campos de Santarm.