Vous êtes sur la page 1sur 23

Direito Eleitoral

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.1. Nacionalidade
Art. 12. São brasileiros:
I - natos:
a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais
estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país;
b) os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, desde
que qualquer deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil;
c) os nascidos no estrangeiro de pai brasileiro ou de mãe brasileira,
desde que sejam registrados em repartição brasileira competente ou
venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer
tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira;
(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 54, de 2007)

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.1. Nacionalidade
Art. 12. São brasileiros:
II - naturalizados:
a) os que, na forma da lei, adquiram a nacionalidade brasileira, exigidas aos
originários de países de língua portuguesa apenas residência por um ano ininterrupto
e idoneidade moral;
b) os estrangeiros de qualquer nacionalidade, residentes na República Federativa do
Brasil há mais de quinze anos ininterruptos e sem condenação penal, desde que
requeiram a nacionalidade brasileira.(Redação dada pela Emenda Constitucional de
Revisão nº 3, de 1994);
§ 1º Aos portugueses com residência permanente no País, se houver reciprocidade
em favor de brasileiros, serão atribuídos os direitos inerentes ao brasileiro, salvo os
casos previstos nesta Constituição.(Redação dada pela Emenda Constitucional de
Revisão nº 3, de 1994)
§ 2º - A lei não poderá estabelecer distinção entre brasileiros natos e naturalizados,
salvo nos casos previstos nesta Constituição.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.1. Nacionalidade
Art. 12. São brasileiros:
§ 3º - São privativos de brasileiro nato os cargos:
I - de Presidente e Vice-Presidente da República;
II - de Presidente da Câmara dos Deputados;
III - de Presidente do Senado Federal;
IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal;
V - da carreira diplomática;
VI - de oficial das Forças Armadas.
VII - de Ministro de Estado da Defesa(Incluído pela Emenda
Constitucional nº 23, de 1999).

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.1. Nacionalidade
Art. 12. São brasileiros:
§ 4º - Será declarada a perda da nacionalidade do brasileiro que:
I - tiver cancelada sua naturalização, por sentença judicial, em virtude de
atividade nociva ao interesse nacional;
II - adquirir outra nacionalidade, salvo no casos: (Redação dada pela
Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)
a) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira;
(Incluído pela Emenda Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)
b) de imposição de naturalização, pela norma estrangeira, ao brasileiro
residente em estado estrangeiro, como condição para permanência em
seu território ou para o exercício de direitos civis; (Incluído pela Emenda
Constitucional de Revisão nº 3, de 1994)

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.2. Direitos Políticos
Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal (manifestação de
vontadade do cidadão) e pelo voto direto (não pode ser por procuração; exceção
arts. 80 e 81 da CF/88 – impedimento de Presidente e Vice-Presidente da República
nos últimos dos anos de mandato) e secreto (para inibir a intimidação e suborno),
com valor igual para todos (cada eleitor vale um voto), e, nos termos da lei (lei
federal de competência exclusiva da União), mediante:
I - plebiscito; (é a consulta popular prévia pela qual os cidadãos decidem ou
demonstram sua posição sobre determinadas questões. A convocação de plebiscitos
é de competência exclusiva do Congresso Nacional quando a questão for de interesse
nacional (art. 49, XV, da CF/88).
II - referendo; (é a forma de manifestação popular pela qual o eleitor aprova ou rejeita
uma atitude governamental já manifestada. Ex.: quando um projeto de lei aprovado
pelo Poder Legislativo é submetido ao crivo dos cidadãos antes de entrar em vigor).
Ver art. 18, § 3°, da CF/88; art. 49, XV, da CF/88; arts. 2° e 3°da Lei 9.709/98.
III - iniciativa popular (A iniciativa popular consiste na apresentação de projeto de lei
à Câmara dos Deputados, subscrito por, no mínimo, um por cento do eleitorado
nacional, distribuído pelo menos por cinco Estados, com não menos de três décimos
por cento dos eleitores de cada um deles)
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.2. Direitos Políticos
De acordo com o art. 14 da CF/88, o regime de governo atual é o da
democracia semidireta, ou seja, convivem instrumentos que permitem a
deliberação direta do povo (plebescito, referendo e iniciativa popular)
com outros que fazem com que a soberania popular seja execida por
meio de representantes eleitos.
- ALISTAMENTO ELEITORAL (Capacidade Eleitoral Ativa – Direito de
Votar)
Art. 14, § 1º - O alistamento eleitoral (integrado pela qualificação e pela
inscrição) e o voto são: I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos;
II - facultativos para: a) os analfabetos; b) os maiores de setenta anos); c)
os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos (até a data do pleito
– art. 14 da Resolução TSE nº 21.538/03.
Art. 14, § 2º - Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e,
durante o período do serviço militar obrigatório, os conscritos (na ativa).
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.2. Direitos Políticos
- CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE (Capacidade Eleitoral Passiva –
Direito de ser Votado)
Art. 14, § 3º - São condições de elegibilidade, na forma da lei: I - a
nacionalidade brasileira; II - o pleno exercício dos direitos políticos; III - o
alistamento eleitoral; IV - o domicílio eleitoral na circunscrição; V - a
filiação partidária; VI - a idade mínima de: a) trinta e cinco anos para
Presidente e Vice-Presidente da República e Senador; b) trinta anos para
Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal; c) vinte e
um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito,
Vice-Prefeito e juiz de paz; d) dezoito anos para Vereador.
Art. 14, § 4º - São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos. (Dentro da
nossa estrutura política, alguns podem ser dotadas de apenas uma
parcela de cidadania, a exemplo do analfabeto, que pode votar, mas não
pode ser votado).
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.2. Direitos Políticos
- CONDIÇÕES DE ELEGIBILIDADE (Capacidade Eleitoral Passiva)
Art. 14, § 5º - O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal,
os Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão ser
reeleitos para um único período subseqüente.(Redação dada pela Emenda Constitucional
nº 16, de 1997)
Art. 14, § 6º - Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os
Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos
respectivos mandatos até seis meses antes do pleito.
Art. 14, § 7º - São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes
consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de
Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja
substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo
e candidato à reeleição.
Art. 14, § 8º - O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes condições: I - se contar
menos de dez anos de serviço, deverá afastar-se da atividade; II - se contar mais de dez
anos de serviço, será agregado pela autoridade superior e, se eleito, passará
automaticamente, no ato da diplomação, para a inatividade.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
2. Constituição da República Federativa do Brasil
2.3. Partidos Políticos
Art. 17. É livre a criação, fusão, incorporação e extinção de partidos políticos,
resguardados a soberania nacional, o regime democrático, o pluripartidarismo, os
direitos fundamentais da pessoa humana e observados os seguintes preceitos: I -
caráter nacional; II - proibição de recebimento de recursos financeiros de entidade ou
governo estrangeiros ou de subordinação a estes; III - prestação de contas à Justiça
Eleitoral; IV - funcionamento parlamentar de acordo com a lei.
§ 1º É assegurada aos partidos políticos autonomia para definir sua estrutura interna,
organização e funcionamento e para adotar os critérios de escolha e o regime de suas
coligações eleitorais, sem obrigatoriedade de vinculação entre as candidaturas em
âmbito nacional, estadual, distrital ou municipal, devendo seus estatutos estabelecer
normas de disciplina e fidelidade partidária. (Redação dada pela Emenda
Constitucional nº 52, de 2006)
§ 2º - Os partidos políticos, após adquirirem personalidade jurídica, na forma da lei
civil, registrarão seus estatutos no Tribunal Superior Eleitoral.
§ 3º - Os partidos políticos têm direito a recursos do fundo partidário e acesso gratuito
ao rádio e à televisão, na forma da lei.
§ 4º - É vedada a utilização pelos partidos políticos de organização paramilitar.
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
(CESPE/TRE/MA/2009) Segundo a CF, não é
privativo de brasileiro nato o cargo de

A - senador da República.
B - ministro do STF.
C - ministro de Estado da Defesa.
D - carreira diplomática.
E - oficial das Forças Armadas.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Resposta:
A questão, embora aparentemente fácil, coloca em risco os concurseiros mais
desatentos. É que apesar de o cargo de Presidente do Senado ser privativo de
brasileiro nato, qualquer brasileiro (nato ou naturalizado) pode ser senador da
República. Vejamos:
Art. 12.
(...)
§ 3º - São privativos de brasileiro nato os cargos:
I - de Presidente e Vice-Presidente da República;
II - de Presidente da Câmara dos Deputados;
III - de Presidente do Senado Federal;
IV - de Ministro do Supremo Tribunal Federal;
V - da carreira diplomática;
VI - de oficial das Forças Armadas.
VII - de Ministro de Estado da Defesa
Portanto, deve ser assinalada a alternativa "A".

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
QUESTÃO 28
Acerca dos princípios pertinentes ao direito eleitoral e aos direitos
políticos de que trata a Constituição Federal, assinale a opção
correta.
A) O exercício da soberania popular restringe-se ao sufrágio
universal, com valor igual para todos.
B) O alistamento e o voto são facultativos para quem tem mais de
16 anos de idade e menos de 18 anos de idade.
C) O exercício dos direitos políticos não guarda relação com a
elegibilidade.
D) Para ser candidato a prefeito de capital, é necessário ter 30
anos de idade, ou mais.
E) Os maiores de 70 anos de idade, em gozo de boas condições
de saúde, são obrigados a alistar-se e a votar.
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Resposta:
A alternativa “A” não está correta, pois o exercício da soberania popular
não se restringe ao sufrágio universal, com valor igual para todos (ex.
voto secreto).
A alternativa “C” não está correta, pois o exercício dos direitos políticos
guarda intima relação com a elegibilidade (Art. 14 CF).
A alternativa “D” não está correta, pois para ser candidato a prefeito de
capital, é necessário ter mais de 21 anos de idade (Art. 14, § 3º, CF).
A alternativa “E” não está correta, pois os maiores de 70 anos de idade,
em gozo de boas condições de saúde, não são obrigados a alistar-se e a
votar(Art. 14, § 1º , II, b, CF).

Portanto, deve ser assinalada a alternativa “B“, pois o alistamento e o


voto são facultativos para quem tem mais de 16 anos de idade e menos
de 18 anos de idade (Art. 14, § 1º , II, c, CF).
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Questão cód. 5898 9 . (TRE-GO, Cespe - Analista Judiciário - 2009)
Tendo em vista os direitos políticos, e em especial as condições de
elegibilidade, assinale a opção correta
A) Não são elegíveis para os cargos de presidente e vice
presidente da República e senador aqueles que contarem com
menos de trinta e cinco anos de idade.
B) Para concorrerem a outros cargos, os governadores e os
prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis
meses antes do pleito, salvo se já estiverem exercendo os
mandatos pela segunda vez seguida.
C) A CF prevê casos de suspensão, mas não de perda definitiva
de direitos políticos, pois a privação terminante desses direitos
configuraria ofensa ao princípio da dignidade da pessoa humana.
D) É vedada a criação de outros casos de inelegibilidade fora
daqueles taxativamente expressos na CF.
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Resposta:
A alternativa “B” não está correta, para concorrerem a outros cargos, os
governadores e os prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos
até seis meses antes do pleito, salvo se já estiverem exercendo os
mandatos pela segunda vez seguida. O salvo não está correto (Art. 14, §
6º, CF).
A alternativa “C” não está correta, pois a CF prevê casos de perda
definitiva de direitos políticos (Ex.: cancelamento da naturalização por
sentença Judicial, em virtude de atividade nociva do interesse nacional
art.12 § 4º, II letra a e b).
A alternativa “D” não está correta, pois não é vedada a criação de outros
casos de inelegibilidade fora daqueles taxativamente expressos na CF
(art. 22, I, daCF).
Portanto, deve ser assinalada a alternativa “A“, pois não são elegíveis
para os cargos de presidente e vice presidente da República e senador
aqueles que contarem com menos de trinta e cinco anos de idade. o
alistamento e o voto são facultativos para quem tem mais de 16 anos de
Prof. Sandro Vugman Wainstein
idade e menos deApostila
18 anos de idade (Art.
disponível gratuitamente no site 14, § 3º, VI, a, CF).
www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
6 . (TRE-MT, Cespe - Técnico Judiciário - 2005) No Brasil, de acordo com a
Constituição Federal e com o Código Eleitoral, o alistamento eleitoral e o
voto são obrigatórios para a maioria dos cidadãos com 18 anos ou mais de
idade. Com relação a esse assunto, julgue os itens seguintes.
I. O alistamento e o voto são obrigatórios para os analfabetos.
II. O voto não é obrigatório para quem tem 70 anos ou mais de idade.
III. Adolescentes com idade entre 16 e 18 anos podem votar sem alistar-se
em cartório eleitoral.
IV. Estrangeiros e oficiais das forças armadas não podem alistar-se em
cartório eleitoral.
V. O Código Eleitoral exclui da obrigatoriedade de alistamento os inválidos.
(art. 6, I, a)
Estão certos apenas os itens

A) I e IV.
B) I e V.
C) II e III.
D) II e V.
E) III e IV.
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
10 . (TRE-AC, FCC - Técnico Judiciário - 2003) Pedro é brasileiro
nato. Estuda em Faculdade de Direito e é presidente do respectivo
Diretório Acadêmico. Tem 19 anos e está em pleno gozo de seus
direitos políticos. Possui alistamento eleitoral regular, é filiado a
Partido Político e tem domicílio na circunscrição. O cargo eletivo
mais elevado a que Pedro pode candidatar-se é o de

A) Deputado Estadual
B) Deputado Federal.
C) Vereador.
D) Senador.
E) Presidente da República.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Gabarito
6. D
10. C

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
QUESTÃO 27
A CF trata de forma detalhada da sucessão presidencial, nos casos de vacância e impedimento
do chefe do Poder Executivo. Acerca desse assunto, assinale a opção correta.
A) O vice-presidente é eleito juntamente com o presidente da República, pois os votos por ele
recebidos se somam aos recebidos por seu companheiro de chapa, definindo-se assim o
resultado da eleição.
B) Se os cargos de presidente e vice-presidente da República vierem a ficar vagos, responde pela
presidência da República o presidente do Congresso Nacional, e deve ser feita a eleição de
novos presidente e vice-presidente da República para um mandato-tampão.
C) No caso de impedimento concomitante do presidente e do vice-presidente da República, quem
ocupará provisoriamente a Presidência da República será o presidente da Câmara dos
Deputados, e a eleição dos novos chefes da nação se dará por eleição popular direta, se ambos
os cargos tiverem ficado vagos antes de se completarem dois anos de mandato presidencial.
D) Com a vacância concomitante da Presidência e da Vice-Presidência da República, o
presidente da Câmara dos Deputados assume a Presidência da República para um mandato-
tampão, pois a CF estabelece que a eleição presidencial deve ocorrer conjuntamente com a dos
governadores dos estados e dos membros do Poder Legislativo, para que não haja rompimento
do pacto federativo.
E) Em qualquer hipótese, deve ser convocada nova eleição presidencial, seja pela via direta, seja
pela indireta, assumindo o presidente do Senado Federal provisoriamente a Presidência da
República, e, nas ausências deste, a chefia do Poder Executivo deve ser ocupada pelo presidente
da Câmara dos Deputados.
Prof. Sandro Vugman Wainstein
Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
QUESTÃO 32
Antônio, cidadão e eleitor de 81 anos de idade, deixou de exercer o
direito de votar por três eleições consecutivas e não justificou a ausência,
mas, na eleição seguinte, decidiu-se por votar. Acerca dessa situação
hipotética e da legislação a ela pertinente, assinale a opção correta.
A) A inscrição de Antônio como eleitor será cancelada, em decorrência
das disposições legais e das resoluções do TSE.
B) Serão excluídos do cancelamento os eleitores que, por definição
constitucional, não estejam obrigados a votar.
C) O eleitor com mais de oitenta anos deve atualizar seu registro
periodicamente, por determinação legal.
D) A jurisprudência do TSE é omissa quanto ao assunto objeto da
situação em apreço.
E) A CF e a Lei Eleitoral não fazem distinções em razão da idade, em
respeito à isonomia.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Gabarito
27. C No caso de impedimento concomitante do presidente e do vice-presidente
da República, quem ocupará provisoriamente a Presidência da República será o
presidente da Câmara dos Deputados, e a eleição dos novos chefes da nação se
dará por eleição popular direta, se ambos os cargos tiverem ficado vagos antes
de se completarem dois anos de mandato presidencial. Art. 80. Em caso de
impedimento do Presidente e do Vice-Presidente, ou vacância dos respectivos
cargos, serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o
Presidente da Câmara dos Deputados, o do Senado Federal e o do Supremo
Tribunal Federal.
Art. 81. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República, far-se-
á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga.
§ 1º - Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial, a
eleição para ambos os cargos será feita trinta dias depois da última vaga, pelo
Congresso Nacional, na forma da lei.
§ 2º - Em qualquer dos casos, os eleitos deverão completar o período de seus
antecessores.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br
Direito Eleitoral
Gabarito
32. B Serão excluídos do cancelamento os eleitores
que, por definição constitucional, não estejam
obrigados a votar, pois o artigo 14 da Constituição
determina que o alistamento eleitoral e o voto são
facultativos para os analfabetos, os maiores de 16 e
menores de 18 anos e os maiores de 70 anos.

Prof. Sandro Vugman Wainstein


Apostila disponível gratuitamente no site www.wainsteinsaltz.com.br