Vous êtes sur la page 1sur 75

< 1 h / km2 en 1986 .000 hectáreas Conocimientos y sabiduría en un todo cultural 2. Manejo de inundaciones en 500 .400 h / 1.500 has = 167 h km2….600.

…otra adaptación cultural: el manejo del agua en las sociedades precolombinas .

Tradicional ou Indígena Convencional ou Moderna Ecológica ou Sustentável .

Agricultura Tradicional ou Indígena  Séculos de evolução (cultural e biológica)  Adaptada às condições locais  Envolve policultivos e conhecimento popular  Produtores desenvolvem ou herdam sistemas agrícolas  Satisfaz necessidades de subsistência  Sem uso de mecanização ou agroquímicos Características Ecológicas .

Agricultura Convencional ou Moderna Grande transformação a partir da “Revolução Verde”  Objetivos Maximização da produção Maximização do lucro  Práticas Básicas Uso intensivo do solo. irrigação e agroquímicos (fertilizantes e agrotóxicos) Monocultivo de uma ou poucas variedades Organismos geneticamente modificados .

Agricultura Orgânica  Insumos substituídos por recursos internos da propriedade ou das proximidades  Principais características: Manutenção de níveis altos de matéria orgânica Eliminação ou substituição de produtos químicos Rotação de culturas Diversidade de culturas e criações .

Sistemas de Produção Agrícola Sistema de Cultivo Sistema de Criação Lavoura Pastagem Cultivo Rebanho Ambiente/Planta Ambiente/Animal .

e procuram obter ganhos de produtividade com a especialização. Sistemas de Produção Agrícola Agricultura industrial ou Quimica A agricultura industrial refere-se a modos de agricultura que são análogos aos processos industriais em sua escala e segregação de tarefas. 2016.ipes-food. a intensificação no uso de insumos e da produção.org . From Uniformity To Diversity:A paradigm shift from industrial agriculture to diversi ed agroecological systems . International Panel of Experts on Sustainable Food systems. www. IPES-Food.

From Uniformity To Diversit:A paradigm shift from industrial agriculture to diversi ed agroecological systems . International Panel of Experts on Sustainable Food systems. 2016. www. Sistemas de Produção Agrícola Agricultura industrial ou Quimica Monocultivo Variedade geneticamente uniforme Segregação vertical e horizontal da cadeia de produtos Altamente mecanizada Maximização de produtos Uso intensivo de insumos externos Produçao de grande volume de produto homogeneo IPES-Food.ipes-food.org .

org) .agassessment.Relatório do IAASTD – Novas perspectivas para o uso da Terra? Agriculture na encruzilhada: Escolhendo o caminho correto para ir adiante… (www.

agassessment. Science and technology for Development .org International Assessment of Agricultural Konwledge.IAASTD: Os Relatórios www.

nitrogen and phosphorus fertilizer use. and pesticide production. Global context and recent trends Cereal and meat production. irrigation. Science 2001 . 2. David Tilman et al.

R. Crop Breeding and Applied Biotechnology 14: 194-199. RO. Marschalek. Genetic base of paddy rice cultivars of Southern Brazil. 2014 . Raimondi. Nodari. JV.

Quais as consequencias da Uniformidade? .

o que pode levar a vulnerabilidade da colheita. Vulnerabilidade genética Vulnerabilidade Genética resulta quando um organismo não tem genes que permitem-lhe resistir a um estresss ambiental ou biológico. 1972. 307p. . National Academy of Sciences. Washington. National Research Council (NRC). ou. D. quando os seus genes conferem susceptibilidade a uma praga. 1993). agente patogênico ou natural (National Research Council.C. que é a medida da susceptibilidade de um cultivo ao declínio catastrófico de sua produção (National Research Council. Genetic Vulnerability of Major Crops. 1972).

• a magnitude da diversidade genética de genes que conferem resistência ou tolerância às principais pragas e doenças ou estresses abióticos. • a extensão que uma ou poucas variedades dominam em grandes áreas pode ser o primeiro indicador útil para estimar a vulnerabilidade genética. . • a distância genética entre as linhas parentais da variedade. migração ou melhoramento. reais e potenciais. • o grau de diversidade nas interações patógeno- hospedeiro e a ocorrência de respostas diferenciadas aos diferentes biótipos de pragas e doenças. Vulnerabilidade genética Indicadores úteis de vulnerabilidade genética podem incluir: •a ocorrência de profundo afunilamento (bottleneck) durante domesticação.

wheat cassava barley 60% tomato 80% common bean. rye. soybean . inhame. sugar cane rice. Origen of the calories platano. mayz. potato. sweet potato Sugar-beet.

IPES-Food.ipes-food. www.org . 2016. From Uniformity To Diversit:A paradigm shift from industrial agriculture to diversi ed agroecological systems . International Panel of Experts on Sustainable Food systems.

NUCCI. . Melhoramento Vegetal e Biotecnologia) – Pós-Graduação – IAC. 2007. Dissertação (Mestrado em Genética. caracterização e análise da utilidade de marcadores microssatélites em genética de população de macaúba. Desenvolvimento. 84f. Stella Maris.

http://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-agrarias/estudo-identifica-agrotoxicos-mais-frequentes-
em-alimentos-consumidos-no-brasil/

Broken Promises of Genetically Modified Crops
GMOs Were Supposed to Lessen Pesticide Use

http://www.nytimes.com/interactive/2016/10/30/business/gmo-crops-pesticides.html

Broken Promises of Genetically Modified Crops
GMOs Were Supposed to Lessen Pesticide Use

http://www.nytimes.com/interactive/2016/10/30/business/gmo-crops-pesticides.html

sidra.471 acres) Source: http://www.br/bda/tabela/protabl2.gov. k/ha    Soybean Cotton Maiz Brazil .Consumption of active ingredients of pesticides per hectare (1 ha = 2.asp?c=771 .ibge.

sidra.ibge.br/areas-tematicas-qa/relatorios-de-comercializacao-de-agrotoxicos/pagina-3 http://www. ALGUNS DADOS SOBRE A COMERCIALIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL Sonia Corina Hess INGREDIENTES ATIVOS COMERCIALIZADOS/ÁREA CULTIVADA TEMPORÁRIAS + PERMANENTES (KG/HECTARES) 2010 2011 2012 2013 2014 12 10 8 6 4 2 0 BR SP GO MT SC MG MS RO DF RS RR BA PR ES RJ TO MA AP PA PI AL PE AC PB SE RN AM CE FONTES: http://www.gov.br/bda/tabela/protabl.gov.ibama.asp?c=1612&z=p&o=29&i=P .

gov.ibama. ALGUNS DADOS SOBRE A COMERCIALIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL Sonia Corina Hess FONTE: http://www.br/areas-tematicas-qa/relatorios-de-comercializacao-de-agrotoxicos/pagina-3 .

DE 22 DE ABRIL DE 2015. e dá outras providências.Convênio ICMS 100/97. . CONFAZ XXXIX . que reduz a base de cálculo do ICMS nas saídas dos insumos agropecuários que especifica. de 4 de novembro de 1997. ALGUNS DADOS SOBRE A COMERCIALIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL Sonia Corina Hess CONVÊNIO ICMS 27. CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA FAZENDÁRIA.

Brasil 28(1): 1-25 (1999) . I. Entomol. Soc. M & Bajwa. W. Integrated Pest Management: A Global Reality? An. Kogan.

.

Mensagens para levar para casa… • Necessidade de um novo paradigma • Necessidade de mudança de comportamento individual e coletivo • Necessidade de instituições com governança boa / responsável • Necessidade de melhor educação na interconectividade nos ecossistemas • Necessidade de ação JÁ Business as usual is not an option .

Igualmente preocupante é a insustentabilidade do atual modelo agrícola industrial. a agricultura é caracterizada por desconexões. (ii) entre agricultores e consumidores. Atualmente. (iii) entre políticas e conseqüências (esperadas ou não esperadas). www.Avaliação Internacional da Ciência e Tecnologia da Agricultura para o Desenvolvimento (IAASTD) A principal conclusão foi a de que o modelo até então adotado nestes últimos 50 anos não é uma opção (business as usual is not an option). tanto em países desenvolvidos quanto nos países em desenvolvimento: (i) entre agricultura e meio ambiente.agassessment.org .

Desafios Críticos : Agricultura Multifuncional Mudanças dos paradigmas e foco da P&D .4.

HISTÓRICO DA AGRICULTURA ALTERNATIVA Agricultura Convencional Século XX marcado pelos achados dos estudos de LIEBIG (introdução da prática de fertilizantes sintéticos na agricultura) Agricultura Alternativa – 4 Linhas (movimento que valorizam o uso da matéria orgânica e os processos biológicos) 1924 – Agricultura Biodinâmica (Europa) – Rudolf Steiner 1925 à 1930 – Agricultura Orgânica – Albert Howard 1925 à 1930 – Agricultura Biológica – Hans Müller 1935 – Agricultura Natural (Japão) (Biointensiva)– Fukuoka e Mokiti Okada Agroecologia Variantes: Permacultura. Agricultura Ecológica .

biológicas e mecânicas que promovem o ciclagem de nutrientes/recursos. . Sistemas de Produção Agrícola Agricultura Orgânica A USDA define a agricultura orgânica como um sistema de produção que é gerenciado para responder às condições específicas do local. promovem o equilíbrio ecológico e conservam a biodiversidade. integrando práticas culturais.

. Técnicas de biocontrole e de manutenção da biodiversidade aplicada pelos agricultores da cidade de Maringá-PR Chagas et al.38 n. Controle biológico em sistema orgânico de produção por agricultores da cidade de Maringá (Paraná. 637 – 647 .. Santa Maria v. Brasil). 2016. Ciência e Natura.Ago. p. Mai.2.

Cortesia: Miguel Altieri .

.

mayor que org. mayor que conven. >1: org. 1: org. < l: conven.=conven. Casi 300 estudios comparativos de agricultura orgánica/agroecológica y agricultura convencional Cortesia: Ivette Perfecto .

ecológicos e socioeconômicos à compreensão e avaliação dos efeitos das tecnologias sobre os sistemas agrícolas e a sociedade como um todo. 1998 . UFRGS. Porto Alegre: Ed. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. M. ALTIERI. Sistemas de Produção Agrícola Agroecologia A agroecologia é uma nova abordagem que integra os princípios agronômicos.

alelopatia e controlo biológico. Altieri MA. Vazquez L (2016) Agroecology: Principles for the Conversion and Redesign of Farming Systems. Agroecologia A agroecologia utiliza princípios ecológicos bem estabelecidos para a concepção e gestão de agroecossistemas diversificados. tais como fertilidade natural do solo.S5-010 . Nicholls CI. em que os insumos externos são substituídos por processos naturais.4172/2157-7625. doi:10. J Ecosys Ecograph S5: 010.

contribuindo assim para sua manifestação na função dos agroecossistemas.) Nicholls CI. etc. Altieri MA. quando os princípios são aplicados em uma determinada região. Cada prática está ligada a um ou mais princípios. produtividade. J Ecosys Ecograph S5: 010. tomam diferentes formas tecnológicas dependendo das condições socioeconômicas e biofísicas prevalecentes dos agricultores.4172/2157-7625. regulação de pragas. Vazquez L (2016) Agroecology: Principles for the Conversion and Redesign of Farming Systems.S5-010 . E as práticas aplicadas estabelecem interações ecológicas que impulsionam processos-chave para a função do agroecossistema (ciclo de nutrientes. doi:10. Agroecologia A agroecologia não promove receitas técnicas..

4172/2157-7625. doi:10. Princípios Agroecológicos para a conversão de sistemas agrícolas Nicholls CI. J Ecosys Ecograph S5: 010.S5-010 . Altieri MA. Vazquez L (2016) Agroecology: Principles for the Conversion and Redesign of Farming Systems.

Princípios Agroecológicos para a conversão de sistemas agrícolas • Aumentar a reciclagem da biomassa. particularmente através do manejo da matéria orgânica e pelo aumento da atividade biológica do solo. Vazquez L (2016) Agroecology: Principles for the Conversion and Redesign of Farming Systems. visando otimizar a decomposição da matéria orgânica e a ciclagem dos nutrientes ao longo do tempo. nutrientes e recursos genéticos melhorando a conservação e a regeneração dos recursos hídricos e do solo e da agrobiodiversidade. doi:10.inimigos naturais. promovendo assim os principais processos e serviços ecológicos. criando habitats adequados.4172/2157-7625.S5-010 . Nicholls CI. etc. água. • Fortalecer o "sistema imunológico" dos sistemas agrícolas através do aumento da biodiversidade funcional . J Ecosys Ecograph S5: 010. Altieri MA.. • Minimizar as perdas de energia. • Fornecer as condições de solo mais favoráveis ​para o crescimento das plantas. • Diversificar espécies e recursos genéticos no agro-ecossistema ao longo do tempo e do espaço no campo e na paisagem • Melhorar as interações biológicas benéficas e sinergias entre os componentes da agrobiodiversidade. antagonistas.

• saberes tradicionais. Agroecologia: disciplina e principio Incorpora: • complexidade. • incerteza. • conhecimento cientifico. 2004 . • inter ou transdisciplinaridade. Gomes e Borba.

grande capacidade de inovação. Qual é o cenário ? Fatores favoráveis grande diversidade cultural. . grande diversidade de ecossistemas. grande diversidade genética. conhecimientos e práticas desenvolvidas e acumuladas.

La milpa: el maíz en policultivo con frijol y calabaza Cortesia: Jaime Morales .

.

Cortesia: Ivette Perfecto .

Sin embargo. . Se encuentran 4354 variedades de papas nativas. Nuevas oportunidades Las papas nativas han conservado un perfil tradicional en el ámbito rural andino. las papas nativas han encontrado un camino hacia mercados industrializados. en los últimos años. y son casi desconocidas para los consumidores urbanos. papas nutritivo. andinas… Las papas nativas representan una de las mayores colecciones de biodiversidad de plantas cultivadas. Por su exquisitez y su alto valor Papas nativas.

Melhoramento genético participativo Uma forma de resgatar a dignidade que foi abafada no século XX .

Galinhas caipiras ao ar livre Fonte: CIMA – ITEPA – S M do Iguaçu / PR .

.

Emfin sobra e pasto fresco…. Fuente: Enrique Murgueitio – CIPAV 2008 – reconversión ambiental ganadera .

Então. analisar. • com o propósito de permitir a implantação e o desenvolvimento de estilos de agricultura com maiores níveis de sustentabilidade. dirigir. . conceitos e metodologias. desenhar e avaliar agroecossistemas. A agroecologia tem data para começar. • para estudar. mas não para terminar. a agroecologia é a ciência ou disciplina científica: • que apresenta uma série de princípios. A Agroecologia proporciona então as bases científicas para apoiar o processo de transição para uma agricultura "sustentável" nas suas diversas manifestações e/ou denominações.

A agricultura. além das outras matérias primas essenciais para nossa vida. fertilizantes químicos e outros adubos. Trecho do Texto Homem e Natureza . sem a necessidade de diminuir e empobrecer a vida no lugar. dessa forma. Gotsch . na terra.E. existentes em cada lugar que atuamos. onde não cabe maquinaria pesada. Agricultura Sintrópica Uma tentativa culta de conseguir o necessário daquilo que precisamos para nos alimentarmos. passa a ser uma tentativa de harmonizar as atividades humanas com os processos naturais de vida. uma mudança na nossa compreensão da vida. agrotóxicos. Isto implica em considerarmos um gasto mínimo de energia. trazidos de fora do sistema. Para conseguirmos isto é preciso que haja em nós mesmos uma mudança fundamental.

Que tipo de apostas ? Consumo/Produção local. Diversidade de espécies. variedades. Pesquisa participativa. cadeia produtiva) . Autonomia (energia. formas de produçao e serviços ambientais. sementes.

000 estabelecimentos em 76% da área) Orçamento 11.6 bi Reais Mais 10% -20 % dos recursos financeiros públicos Agroecologia.000 .7 bi Reais Mais 80-90% dos recursos financeiros públicos.300. Ministério da Agricultura (MAPA) Diferentes sistemas agrícolas (4.Dois Ministérios e duas Políticas Agrícolas Agronegócio or agro-industrial (800. . mais OGMs Ministério do Desenvolvimento Agrário (agora Secretaria). Mesma filosofia da Revolução mais OGMs.24% da área) Orçamento 5. orgânicos e convencional.

44 Sudeste 841.859.661 925.436 319.469.864 5.326.Numero de estabelecimentos agrícolas - Brasil e suas regiões -1996 e 2006 % total 1996 2006 Variação estab. .21 Nordeste 2.204.39 9.175 479.97 17.179 1.15 Fonte: Censo Agropecuário/ IBGE (2008). Deser (2008).070 6.08 100 Norte 446.71 19.158 7.003.335 0.613 9. (%) (2006) Brasil 4.010.413 2.97 6.954 31.41 Centro-Oeste 242.79 Sul 1.130 7.13 47.

Fonte: IBGE . 2006.Censo Agropecuário. .

A alta eficiência dos pequenos agricultores. 2006. . 70% da comida é produzida pelos pequenos agricultores: • Mandioca 87% • Feijão comum 70% • Carne (porco) – 59% • Leite – 58% • Carne (frango) 50% • Milho 46% 38% % do Produto Bruto Rural em 24% da área cultivada) Fonte : IBGE ...Censo Agropecuário.

2006. .Fonte : IBGE .Censo Agropecuário.

Alternativas dos agricultores familiares  Acompanhar o padrão tecnológico e ampliar a escala.  Construir uma inserção mais autônoma nos mercados (cadeias curtas). Cortesia: Tabajara Marcondes .

Cadeias curtas mercados locais e regionais consumidor Mercearias Padarias Feiras Mercadinhos Vendas diretas Agricultor familiar açougues Restaurantes Agroindústria Turismo familiar Propriedade PNAE e PAA Processamento e distribuição Construir pontes pela Agricultura Familiar Cortesia: Tabajara Marcondes .

Pequenos mercados locais e regionais 3. “Novas” formas de inserção da Agricultura familiar 1.) “Novas” formas de organização a) Agroindústrias familiares b) Outras atividades não agrícolas c) Redes de cooperação Cortesia: Tabajara Marcondes . Relações diretas agricultor .. Mercados institucionais (PAA.. PNAE.consumidor 2.

A encruzilhada… X .

21256 .2017.1038/nature.The FDA has not yet decided how to regulate food from genetically edited animals. such as this hornless cow. 146–147 (12 January 2017) doi:10. Nature 541.

agropages.htm . Sistemas de Produção Agrícola Global Agchem Pattern http://news.com/News/print---21111---.

com/News/print---21111---.htm .agropages. Sistemas de Produção Agrícola Market forecasts global crop protection market and related sectors http://news.

htm .com/News/print---21111---.agropages. Sistemas de Produção Agrícola Agricultura de precisão http://news.

com/News/print---21111---. Sistemas de Produção Agrícola Bio-soluções http://news.agropages.htm .

.

Sistemas agrícolas utilizados para a produção de café ao longo do tempo Moguel. Conservation Biology Vol. No. 1.11-21. p. P.M. V. Biodiversity Conservation in Traditional Coffee Systems of Mexico. 13.. 1999 . Toledo.

2010 – Agroecologia e os desafios da transição agroecológica .Revolução Verde x Agroecologia Uso intensivo de produtos e Menos dependente de fertilizantes químicos insumos externos Ineficiências energética Eficiência energética Intensiva em capital Baixa intensidade de capital Dependente de produção Economia de escopo em alta escala Intensiva em receitas Intensiva em conhecimento Adaptado de : Sauer & Balestro (Org).