Vous êtes sur la page 1sur 57

Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo

Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487


Email: desenvolvimento@crcsp.org.br | web: www.crcsp.org.br
Rua Rosa e Silva, 60 | Higienópolis
01230 909 | São Paulo SP

Presidente: Domingos Orestes Chiomento


Gestão 2010-2011

Seminário A reprodução total ou parcial,


bem como a reprodução de
apostilas a partir desta obra
intelectual, de qualquer forma ou
por qualquer meio eletrônico ou
mecânico, inclusive através de
processos xerográficos, de
fotocópias e de gravação,
IFRS - As Novas somente poderá ocorrer com a
permissão expressa do seu Autor
(Lei n. 9610)
Normas Contábeis TODOS OS DIREITOS
RESERVADOS:
É PROIBIDA A REPRODUÇÃO
para Pequenas e TOTAL OU PARCIAL DESTA
APOSTILA, DE QUALQUER
FORMA OU POR QUALQUER
Médias Empresas MEIO.
CÓDIGO PENAL BRASILEIRO
ARTIGO 184.

Julho 2010
Elaborado por:
Elias da Silveira Cerqueira
O conteúdo desta apostila é de inteira
responsabilidade do autor (a).

Acesso gratuito pelo portal do CRC SP www.crcsp.org.br


CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

RESOLUÇÃO CFC Nº. 1.255/09

NBC T 19.41 – Contabilidade para Pequenas e


Médias Empresas

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS


PRONUNCIAMENTO TÉCNICO PME
CONTABILIDADE PARA PEQUENAS E MÉDIAS
EMPRESAS

Correlação às Normas Internacionais de


Contabilidade – The International Financial
Reporting Standard for Small and Medium-sized
Entities (IFRS for SMEs)

Programa do Curso
Módulo 1
¾ Conceitos Gerais
¾ Demonstrações Contábeis - Estrutura
Módulo 2
¾ Ativo Circulante
¾ Ativo Não Circulante
Módulo 3
¾ Ativo Não Circulante (Cont.)
Módulo 4
¾ Passivo
¾ Resultado
¾ Tópico Especiais

2
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

IFRS PME difere do IFRS?

Feito sob medida para as PME


Muito menor
Simplificação do IFRS completo
Organizado por tópicos

3
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Como foi simplificado?


Alguns tópicos do IFRS foram omitidos
pelo grau de relevância
Onde IFRS tinha opções, incluiu-se
apenas a opção mais simples
Simplificação de reconhecimento e
mensuração
Reduzido o número de itens divulgados
Elaboração simplificada.

Exemplos de tópicos omitidos


Relatório por Segmento
Relatórios intermediários
Lucro por ação
Seguro.

4
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Por que uma PME o adotaria?

Possibilidade de melhoria no
acesso ao capital;
Melhor comparabilidade;
Melhoria da qualidade da
informação.

ª Pequenas e Médias Empresas

5
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Alcance
Este Pronunciamento se
destina à utilização por
pequenas e médias empresas
(PMEs).
Esta seção descreve as
características das PMEs.

Público diretamente afetado

417 mil contadores


150 mil estudantes de contabilidade
72 mil gerentes de bancos
5 milhões de empresários

6
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Demonstrações contábeis:

(a) Balanço Patrimonial.


(b) Demonstração do Resultado do Período
(c) Demonstração do Resultado Abrangente
(d) Demonstração das Mutações do
Patrimônio Líquido
(e) Demonstração dos Fluxos de Caixa
(f) Notas Explicativas

A administração da
Entidade é responsável pela
elaboração e adequada
apresentação das
demonstrações contábeis

Administração X Propriedade

7
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Responsabilidade técnica e
civil do contador

Conselho Federal de
Contabilidade
Código Civil

Total segregação entre


contabilidade e fisco
Não importa forma de
tributação

Lucro Real ou Presumido

8
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Quais empresas
se enquadram
como PME?

Pequenas e médias empresas:


(a) não têm obrigação pública de prestação
de contas; e
(b) elaboram demonstrações contábeis para
fins gerais para usuários externos:
•proprietários que não estão envolvidos na
administração do negócio,
•credores existentes e potenciais,
•e agências de avaliação de crédito.

9
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Empresas que não se enquadram PME:

(i) companhias abertas – CVM


(ii) sociedades de grande porte, Lei nº.
11.638/07 (Receita $300 ou Ativos
$240)
(iii) as sociedades reguladas pelo Banco
Central do Brasil, Susep, ANS, ANEEL,
ANATEL, e outros órgãos reguladores.

Empresas que não Empresas que se


se enquadram PME: enquadram PME:

Aplicam normas Pronunciamento


contábeis CPC – PME:
completas:

Pronunciamentos Versão simplificada


do CPC – IFRS do CPC – IFRS
+- 2.500 páginas +- 230 páginas

10
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

ª Conceitos e Princípios Gerais

Alcance
Esta seção descreve o objetivo das
demonstrações contábeis de pequenas e
médias empresas (PMEs) e as qualidades
que tornam úteis as informações nas
demonstrações contábeis.

11
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Pressupostos Básicos
Regime de
Competência; e
Continuidade.

Pressupostos Básicos
Regime de Competência
¾ apropriação das receitas e das despesas, com
suas mutações nos ativos e passivos e,
conseqüentemente, no patrimônio líquido, com
fundamento nos momentos em que seus fatos
geradores contábeis ocorrem, e não apenas
quando de seus reflexos no caixa.
z O Regime de Competência exige também a
confrontação das despesas com as receitas a que se
relacionam.

12
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Pressupostos Básicos
Continuidade
Ao elaborar as demonstrações, a
administração deve fazer uma avaliação
da capacidade da entidade continuar em
operação em futuro previsível.
Quando as demonstrações contábeis não
forem elaboradas no pressuposto da
continuidade, esse fato deve ser
divulgado.

Características Qualitativas
Compreensibilidade: Entendida pelos
usuários;
Relevante: Poder de influenciar as
decisões econômicas;
Materialidade: Omissão ou erro pode
influenciar as decisões econômicas;

13
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Características Qualitativas
Confiabilidade: Livre de desvio
substancial e viés;
Essência: Considerar a essência
sobrepondo-se à forma;
Prudência: inclusão de certo grau de
precaução no exercício dos julgamentos;
Integridade: a informação dever ser
completa (materialidade e custo).

Características Qualitativas
Comparabilidade: oferecer condições ao
usuário de comparar as demonstrações ao
longo do tempo;
Tempestiva: disponível no momento da
execução da decisão. Equilíbrio entre
relevância e confiabilidade;
Equilíbrio: Os benefícios devem exceder
o custo de produzi-la.

14
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Ativos: Recursos controlados pela


entidade oriundos de acontecimentos
passados, com expectativas de benefícios
econômicos futuros.
Passivos: Obrigação presente da
entidade, proveniente de fatos passados,
com expectativas de saídas de recursos.
Patrimônio Liquido: Valor residual da
entidade, após deduzirem-se do ativo, os
passivos patrimoniais.

Ativo
Benefício econômico futuro do ativo =
potencial de contribuir com o fluxo de
caixa e equivalentes de caixa.
A forma física não é essencial para a
existência de ativo (ativos
intangíveis).
O direito de propriedade não é
essencial.

15
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Passivo

Obrigação presente de agir;


Obrigação legal;
Pode ser não formalizada;

Patrimônio líquido é o resíduo


dos ativos reconhecidos
menos os passivos
reconhecidos.

ATIVO – PASSIVO = PL

16
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Desempenho/Resultado
Demonstração do resultado e
Demonstração do resultado abrangente
Relação entre receitas e despesas.
Receita é um aumento de patrimônio líquido
que se origina no curso das atividades
normais da entidade (Ganho?).
Despesas é uma redução do patrimônio
líquido que surge no curso das atividades
normais da entidade (Perda?).

Reconhecimento
É o processo que consiste em incorporar
na demonstração contábil um item que
atenda às definições anteriores.
Condições:
Existe probabilidade de algum benefício econômico
futuro fluir para a entidade;
Tenha um custo ou valor que possa ser medido em
bases confiáveis. (estimativas)

17
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Mensuração:
Processo de determinar as quantias
monetárias pelas quais a entidade mensura
ativos, passivos, receitas e despesas em
suas demonstrações contábeis. Ativos são
registrados pelos valores pagos ou a serem
pagos (CUSTO).
Duas bases comuns para mensuração são
custo histórico e valor justo

Mensuração: Valor Justo


É o montante pelo qual um ativo poderia
ser trocado, ou um passivo liquidado,
entre partes independentes com
conhecimento do negócio e interesse em
realizá-lo, em uma transação em que não
há favorecidos.

18
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Mensuração:
A maioria dos ativos não financeiros que a
entidade inicialmente reconhece ao custo
histórico são, subsequentemente,
avaliados sobre outras bases de
mensuração. Exemplos:
ativo imobilizado: o menor valor entre o custo
depreciado e o seu valor recuperável;
Estoques: o menor valor entre o seu custo e o
preço de venda - menos despesas;

Mensuração:
Intenção: garantir que não sejam
avaliados a um valor maior do que aquele
que se espera recuperar pela venda ou
uso.
Mensuração a valor justo:
investimentos em coligadas e em empreendimentos
controlados em conjunto (joint ventures);
Propriedades para investimento;
Ativos agrícolas (CPC 29 - Ativo Biológico e Produto
Agrícola - CFC - NBC T 19.29)

19
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

ª Apresentação das Demonstrações Contábeis

Alcance
Esta seção detalha a apresentação das
demonstrações contábeis.
o que é exigido para que essas
demonstrações estejam em conformidade; e
o que é um conjunto completo dessas
demonstrações.

20
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Apresentação
As demonstrações contábeis devem
representar apropriadamente:
a posição patrimonial e financeira
(BALANÇO PATRIMONIAL);
o desempenho (DR e DRA); e
os fluxos de caixa.

Conceito importante
A apresentação
adequada exige a
representação
confiável dos efeitos
das transações. Princípios

Como se faz isso?

21
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Conformidade

A entidade deve declarar de forma


explicita e sem reservas a conformidade
com o Pronunciamento nas notas
explicativas.

Conformidade: Exemplo
Elaboramos nossas demonstrações financeiras
consolidadas, incluídas neste relatório anual, em
conformidade com as práticas contábeis adotadas no
Brasil, ou BR GAAP, que são baseadas:
na Lei nº. 6.404/76, datada de 15 de dezembro de 1976,
alterada pela Lei nº 11,638, datada de 28 de dezembro de 2007,
ou legislação societária brasileira;
nas normas e regulamentações da Comissão de Valores
Mobiliários, ou CVM; e
nas normas de contabilidade emitidas pelo Comitê de
Pronunciamentos Contábeis ou “CPC”

22
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Não Conformidade
Se a empresa deixar de aplicar uma disposição
prevista nas normas, deverá divulgar o seguinte:
Se as demonstrações contábeis continuam adequadas
apesar do descumprimentos;
que cumpriu com o Pronunciamento de Contabilidade
para PME, exceto pela não aplicação de um requisito
específico com o propósito de atingir uma
apresentação adequada;
a natureza dessa exceção, incluindo o tratamento que
o Pronunciamento para Contabilidade para PME
exigiria, e a razão pela qual esse tratamento seria
inadequado.

Frequência de divulgação
Pelo menos anualmente.
Se forem apresentadas para um período
mais longo ou mais curto, a entidade deve
divulgar as seguintes informações:
(a) esse fato;
(b) a razão para a utilização de período mais
longo ou mais curto;
(c) o fato de que os valores não são
inteiramente comparáveis.

23
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Informação comparativa
CONSISTÊNCIA
A entidade deve apresentar de forma
comparativa a informação descritiva e
detalhada que for relevante para a
compreensão das demonstrações
contábeis do período corrente.

Conjunto completo
O conjunto completo de demonstrações
contábeis da entidade deve incluir:
balanço patrimonial;
demonstração do resultado;
demonstração do resultado abrangente;
mutações do patrimônio líquido;
demonstração dos fluxos de caixa;
notas explicativas.

24
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

ª Balanço Patrimonial

Alcance
Entender os requisitos para apresentação
do Balanço Patrimonial
Definir quais informações e como deverão
ser apresentadas;
Ser capaz de classificar os Ativos e
Passivos como Circulantes e Não
Circulantes.

25
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Nova Classificação de Contas


Antes Depois

ATIVO ATIVO
Ativo Circulante Ativo Circulante
Realizável a Longo Prazo Ativo não circulante
Ativo Permanente Realizável a Longo Prazo
Investimento Investimento
Imobilizado Imobilizado
Diferido Intangível

Nova Classificação de Contas

Antes Depois

PASSIVO PASSIVO
Passivo Circulante Passivo Circulante
Exigível a Longo Prazo Passivo não circulante
Resultado de Exercícios Futuros Longo Prazo
Receitas diferidas

26
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Nova Classificação de Contas


Antes Depois

Informações
O balanço patrimonial deve incluir, no mínimo,
as seguintes contas que apresentam valores:
Caixa e Equivalentes de Caixa;
Ativos Financeiros;
Investimentos pelo Valor Justo;
Ativos Biológicos;
Tributos Diferidos;
Provisões;
Participação dos Não controladores;
Patrimônio Líquido dos Acionistas

27
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Ativo circulante
Classifica-se itens no Ativo Circulante
quando:
Espera-se vender, realizar ou consumir o ativo
durante o ciclo operacional normal da entidade;
O ativo for mantido com a finalidade de
negociação;
Espera-se realizar o ativo até 12 meses após a
data do BP;
O ativo for Caixa ou Equivalente de Caixa.

Passivo circulante
Classifica-se itens no Passivo Circulante
quando:
Espera-se liquidá-lo durante o ciclo
operacional normal da entidade;
O passivo for mantido com a finalidade de
negociação;
O passivo for exigível no período de até 12
meses após a data do BP;
Não haver direito incondicional de diferir a
liquidação do passivo (pelo menos 12 meses)

28
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Conceitos Importantes
A decisão acerca da apresentação
separada de itens adicionais deve ser
baseada na avaliação de todas as
seguintes informações:
Dos valores, natureza e liquidez dos ativos;
Da função dos ativos na empresa;
Dos valores, natureza e prazo dos passivos.

ª Demonstração do Resultado e
Demonstração do Resultado Abrangente

29
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Alcance
Esta seção exige que a entidade
apresente seu resultado para o período
contábil de reporte em duas
demonstrações contábeis:
Demonstração do resultado do período; e
Demonstração do resultado abrangente.

O que deve aparecer na DRE?


Resultado líquido das operações
continuadas;
Resultado líquido após tributos das
operações descontinuadas;
Resultado após os tributos decorrente da
mensuração ao valor justo que constituem a
unidade operacional descontinuada;
Resultado líquido do período.

30
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Exemplo DRE empresa Alfa


Itens R$
Receita Líquida 4.419.266
Custo dos produtos 1.856.900
Lucro Bruto 2.562.366
Demais Receitas (Despesas) Operacionais (1.700.000)

Resultado antes das Receitas e Despesas Financeiras 862.366


Receitas/(Despesas) Financeiras (27.000)
Resultado antes dos Tributos sobre o Lucro 835.366

IR e CSLL correntes 150.366


Resultado Líquido das Operações Continuadas 685.000
Resultado Líquido das Operações Descontinuadas 150.000
Resultado Líquido do Período 835.000

DRA – Demonstração do
Resultado Abrangente
A demonstração do resultado abrangente
deve iniciar com a última linha da
demonstração do resultado.
Não entram os efeitos de correção de erros, e
mudanças de políticas contábeis são
apresentados como ajustes retrospectivos de
períodos anteriores.

31
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

DRA: Conteúdo
Três tipos de outros resultados
abrangentes:

Ganhos e Perdas da conversão de demonstrações


contábeis (operação no exterior);
Ganhos e perdas atuariais;
Valor justo de instrumentos financeiros disponíveis
para venda.

O que deve aparecer na DRA?


Dois itens separados:
resultado do período; e
resultado abrangente total.
Desmembrados nos resultados atribuíveis
para os:
acionistas ou sócios não controladores;
proprietários da entidade controladora;

32
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Exemplo da empresa Alfa


Demonstração do Resultado Abrangente (2009) R$
Resultado Líquido do Período 835.000
Outros Resultados Abrangentes:
Ganhos (Perdas) na conversão de demonstrações contábeis de 18.000
controladas no exterior
Total do Resultado abrangente do Exercício 853.000

ª Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido


e Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados

33
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Alcance
Esta seção dispõe sobre as exigências
para a apresentação das mutações no
patrimônio líquido da entidade na:
demonstração das mutações do patrimônio
líquido; ou
demonstração dos lucros ou prejuízos
acumulados.

Forma de apresentação
Mostrar o resultado e os outros resultados
abrangentes do período, atribuíveis aos
proprietários da entidade controladora e a
participação dos não controladores.
Abordagem retrospectiva para efeitos de
correção de erros ou mudança de políticas
contábeis.

34
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Forma de apresentação
Mostrar a conciliação entre o saldo no
início e no final do período, evidenciando
separadamente as alterações decorrentes:
resultado do período;
itens dos outros resultados abrangentes;
investimentos pelos proprietários.

Capital RESERVA RESERVAS LUCROS AJUSTES TOTAL RESULT


CAPITAL LUCROS ACUMU AVAL ABRANG
PATRIM

Saldos Iniciais 1.000 80 300 - 270 1.650

Ajustes (40) (40) (40)


Instrumentos
Financeiros

Ajustes de 170 170 170


Conversão
Aumento de 500 (50) (100) 350
Capital
Lucro Líquido 250 250 250
do Período
Constituição 140 (140) -
de Reservas
Dividendos (110) (110)
Saldos Finais 1.500 30 340 0 400 2.270 380

35
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

ª Demonstração dos Fluxos de Caixa

Alcance
Esta seção dispõe sobre as informações
que devem ser apresentadas na
demonstração dos fluxos de caixa e como
apresentá-las.
Os fluxos de caixa fornecem informações:
acerca das alterações no caixa e equivalentes de
caixa da entidade;
mudanças ocorridas nas atividades operacionais, de
investimento e de financiamento.

36
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Informação a ser apresentada


Atividades operacionais são as principais
atividades geradoras de receita da entidade;
Atividades de investimento são
aquisição/alienação de ativos de longo prazo e
outros investimentos não incluídos em
equivalentes de caixa;
Atividades de financiamento são alterações que
impactam o patrimônio e os empréstimos da
entidade.

Forma de Divulgação
Método indireto: o resultado é ajustado pelos
efeitos das transações que não envolvem caixa;
Ajustes por competência sobre recebimentos ou
pagamentos operacionais passados ou futuros,e
Itens dos fluxos de caixa das atividades de
investimento ou de financiamento; ou
Método direto: recebimentos brutos de caixa e
pagamentos brutos de caixa são divulgados.

37
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Demonstração de Fluxos de Caixa


1) Atividades Operacionais
Método Direto:
(+) Recebimento de Clientes
(+) Recebimento de Juros (instituições financeiras)
(–) Pagamentos
- a Fornecedores
- de Impostos
- de Salários
- de Juros
- Despesas pagas antecipadamente
Fluxo de Caixa Líquido (Consumido)/ Gerado nas
Atividades Operacionais (Recebimentos – Pagamentos)

2) Atividades de Investimento
(+) Recebimento pela venda de Imobilizado
(–) Pagamento pela compra de Imobilizado

Fluxo Caixa Líquido (Consumido) / Gerado nas Atividades de Investimentos

Demonstração de Fluxos de Caixa


Método Direto:
3) Atividades de Financiamento
(+) Aumento de Capital
(+) Empréstimo obtido de curto prazo
(–) Distribuição de dividendos
Fluxo de Caixa Líquido (Consumido) / Gerado nas
Atividades de Financiamentos

4) Aumento/Redução nas Disponibilidades (1 + 2 + 3)

5) Saldo final de Caixa + Equivalente-caixa em 2008


6) Saldo final de Caixa + Equivalente-caixa em 2009 (4 + 5)

38
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Demonstração de Fluxos de Caixa


1) Atividades Operacionais
(+) Lucro Líquido Método Indireto
Mais: depreciação
Menos: lucro na venda de Imobilizado
(–) Aumento de Duplicatas a Receber
(+) Aumento em PDD
(–) Aumento em Estoques
(–) Aumento em despesas pagas antecipadamente
(+) Aumento de Fornecedores
(–) Redução em provisão para IR
(–) Redução em Salários a Pagar
Fluxo de Caixa Líquido (Consumido) / Gerado nas
Atividades Operacionais (Recebimentos – Pagamentos)

2) Atividades de Investimento
(+) Recebimento pela venda de Imobilizado
(–) Pagamento pela compra de Imobilizado
Fluxo de Caixa Líquido (Consumido) / Gerado nas
Atividades de Investimentos

Demonstração de Fluxos de Caixa


Método Indireto
3) Atividades de Financiamento
(+) Aumento de Capital
(+) Empréstimo obtido de curto prazo
(–) Distribuição de dividendos
Fluxo de Caixa Líquido (Consumido) / Gerado nas
Atividades de Financiamentos

4) Aumento/Redução nas Disponibilidades (1 + 2 + 3)

5) Saldo final de Caixa + Equivalente-caixa em 2008


6) Saldo final de Caixa + Equivalente-caixa em 2009 (4 + 5)

39
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

ª Notas Explicativas às Demonstrações


Contábeis

Alcance
Esta seção dispõe sobre os princípios
subjacentes às informações que devem
ser apresentadas nas notas explicativas
às demonstrações contábeis e como
apresentá-las.
Notas Explicativas:
Descrições narrativas relevantes, complementares
e/ou suplementares;
Informações acerca dos itens divulgados.

40
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Estrutura
Apresentar informações acerca das:
Conformidade com as normas;
Bases de elaboração das demonstrações contábeis;
Práticas contábeis específicas utilizadas;
Informações relevantes para compreensão das
demonstrações contábeis;
Informações relevantes sobre prováveis riscos em
que a Sociedade esteja envolvida.

Divulgação
Das premissas utilizadas nos julgamentos
profissionais adotadas na formatação dos
saldos contábeis, principalmente os que
envolvem certo grau de complexidade
Informações sobre os principais
pressupostos relativos ao futuro utilizados
nas estimativas contábeis, citando:
Sua natureza;
Valores contabilizados.

41
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Fonte: Divulgação
Notas Explicativas 31/12/2009 – Lojas Renner

Taxas médias % CDI


2009 2008 31/12/2009 31/12/2008

Caixa e bancos - - 27.286 23.441


CDB 100,5% 103,1% 306.726 132.548
Operações compromissadas
lastreadas em debêntures 100,5% 100,4% 75.401 202
LCA – Letras de crédito do
agronegócio 20,0% 35,9% 1.300 21.562
Total 410.713 177.753
As aplicações de liquidez imediata da Companhia, em sua totalidade de renda fixa,
possuem rendimentos atrelados à variação do CDI, com baixo risco de mudança de
valor, podem ser resgatadas de acordo com as necessidades de recursos da
Companhia.

Notas Explicativas Fonte: Divulgação


31/12/2009 – Lojas Renner

Taxa
média 31/12/09 31/12/08
Depreciação
(a.a.%) Custo Depreciação Líquido Líquido

Terrenos - 1.367,00 - 1.367,00 1.367,00


Edificações (*) 4 14.852,00 ( 8.016,00) 6.836,00 5.104,00
M óveis e instalações 10 545.960,00 ( 223.500,00) 322.460,00 320.276,00
Veículos 20 935,00 ( 475,00) 460,00 645,00
Equipamentos de informática 20 68.069,00 ( 47.400,00) 20.669,00 25.066,00
Total Controladora 631.183,00 ( 279.391,00) 351.792,00 352.458,00

Edificações de Controladas 4 10.231,00 ( 4.451,00) 5.780,00 6.170,00


Total Consolidado 641.414,00 ( 283.842,00) 357.572,00 358.628,00

(*) A Companhia revisou a vida útil de algumas espécies de seu imobilizado, através de
laudo técnico. Com base nestes estudos a Companhia alterou a taxa de depreciação de
prédios próprios a partir de dezembro de 2009, passando de uma taxa média de 4% para
3% ao ano.

42
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

ª Demonstrações Consolidadas

Alcance
Esta seção define as circunstâncias para
as quais a entidade deve apresentar
demonstrações contábeis consolidadas e
seus procedimentos.

43
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Exigência de Apresentação
A entidade controladora deve apresentar
demonstrações consolidadas de acordo
com este pronunciamento, devendo incluir
todas suas controladas.
Controlada é a sociedade na qual a
controladora, diretamente ou através de
outras controladas (indireta) mantém mais
da metade do poder de voto de uma
entidade.

Exigência de Apresentação
Investidora 90% Investida
ON
A B

Investidora 90% Investida


A ON B
75%
ON

Investida
C

44
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Exigência de Apresentação
O controle também existe quando a
controladora possui:
Um acordo com outros investidores;
Poder para governar as políticas operacionais e
financeiras, conforme estatuto ou acordo;
Poder para indicar ou remover os membros do
Conselho de Administração; e
O poder para obter a maioria dos votos nas reuniões
do Conselho ou outro órgão da administração.

Procedimentos de Consolidação
A consolidação deve ser preparada linha a linha
somando os ativos, passivos, receitas e despesas;
Eliminar o valor contabilizado do investimento da
controladora com o valor do patrimônio liquido das
empresas controladas;e
Separar a participação dos sócios majoritários
(controladores) dos sócios minoritários (não
controladores), no resultado do exercício e no patrimônio
líquido;
Transações e saldos dentro do grupo são eliminados,
tais como: receitas e despesas; ativos e passivos;

45
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Procedimentos de Consolidação
Os lucros ou prejuízos resultantes de transações entre as
empresas são completamente eliminados se, na data da
consolidação, estão ainda registrados no balanço
individual;
As demonstrações contábeis da controlada e controladora
devem ser preparadas na mesma data de divulgação;
As demonstrações contábeis devem ser preparadas
através de práticas contábeis uniformes;
As receitas e despesas são incluídas na consolidação a
partir da data de aquisição da empresa controlada; e
Apresentar a participação dos sócios não controladores.

ª Políticas Contábeis, Mudança de


Estimativa e Retificação de Erro

46
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Alcance
Orientação na seleção e aplicação das
políticas contábeis usadas na elaboração
de demonstrações contábeis.
Cobre, também, mudanças nas
estimativas contábeis e correção de erros.

Políticas contábeis são os


princípios, as bases, as
convenções, as regras e as
práticas específicas aplicados por
uma entidade na preparação e na
apresentação de demonstrações
contábeis.

47
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Como entender isso?


Tem relação com a consistência da
informação contábil.
Período 1 Período 2

Evento Prática contábil Mesmo Evento


Contábil diferente Contábil

Posso comparar os
dois períodos?

Quando pode ocorrer escolhas?


O Pronunciamento não trata
especificamente uma transação.
Neste caso, a administração da entidade
deve usar seu julgamento na escolha de
uma prática contábil.

48
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Impacto da prática escolhida


A escolha deve recair sobre uma
aplicação da prática contábil que resulte
em informações que sejam:
(a) Relevantes para a tomada de decisão; e
(b) Confiáveis (adequadas, neutras, prudentes,
completas, representem a essência sobre a forma).

Nunca se deve mudar?


Claro que sim!
A entidade deve mudar uma prática
contábil somente se a mudança:
(a) for exigida por mudanças neste Pronunciamento; ou
(b) resultar em demonstrações contábeis que forneçam
informação mais relevante e confiável.

49
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Aplicando mudanças
A entidade deve contabilizar as mudanças
na prática contábil, de modo geral,
retrospectivamente.

Mudança

Necessidade de comparação

Exemplo da empresa Alfa


A empresa mudou a forma de tratamento
dos encargos financeiros relacionados à
aquisição de uma estação de energia.
Antes a empresa capitalizava agora, em
2009, decidiu tratá-los como despesa.
A administração julgou que assim o valor
dos encargos se tornará mais
transparente e permitirá uma maior
comparabilidade.

50
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Divulgação da mudança
A entidade divulga o seguinte:
a natureza da alteração na prática
contábil;
os motivos (relevância e confiabilidade);
o valor do ajuste de cada rubrica (atual
e anteriores, se praticável);
uma explicação, caso seja impraticável.

Exemplo da empresa Alfa


Notas Explicativas:
1. Durante 2009 a Cia. Alfa Alterou sua política para
tratamento de encargos financeiros relacionados a
estação de energia em construção para uso pela
própria companhia. Anteriormente, a empresa
capitalizava tais encargos. Eles agora estão sendo
baixados como despesas quando incorridos. A
administração julga que esta política fornece
informações confiáveis e mais relevantes pois resulta
em maior transparência...

51
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Alteração na estimativa contábil


é um ajuste do valor contábil de
ativo ou passivo decorrente da
avaliação da posição corrente e
esperada dos benefícios futuros
e obrigações associadas com
ativos e passivos.

Aplicando mudanças
A entidade deve contabilizar as mudanças
nas estimativas contabeis, de modo
geral, prospectivamente.

Mudança

Decorrente de nova avaliação

52
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Exemplos de estimativas
Alguns itens das demonstrações não
podem ser mensurados com precisão,
podendo somente ser estimados:
Créditos de liquidação duvidosa;
Estoques obsoletos;
A vida útil ou padrão de consumo de
ativos depreciáveis.

Divulgação
A entidade deve divulgar a
natureza de qualquer
mudança em estimativa
contábil, e o efeito dessa
mudança.

53
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Erros de exercícios anteriores são


omissões e má apresentação nas
demonstrações contábeis de um ou
mais exercícios anteriores,
decorrentes de falha no uso, ou de
uso errôneo de informações
confiáveis.

Retificação de Erros
A entidade deve contabilizar os erros de
exercícios anteriores identificados
retrospectivamente, na primeira
demonstração contábil autorizada para
emissão após a sua descoberta.

Mudança

Necessidade de comparação

54
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Exemplo da empresa Beta


Durante 2009, a Cia. Beta descobriu que alguns
produtos vendidos durante 2008 foram
incorretamente incluídos nos estoques em
31/12/2008 (R$ 6.500). Em 2009 a Cia.
apresentou vendas de R$ 104.000, custos das
mercadorias de R$ 86.500 (incluídos os R$
6.500 do erro) e imposto de renda de R$ 5.250.

Notas Explicativas
1. Alguns produtos vendidos em 2008 foram
incorretamente incluídos nos estoques em
dezembro de 2008 ao valor de R$ 6.500. As
demonstrações contábeis de 2008 foram
restabelecidas para corrigir este erro. O efeito
do restabelecimento nestas demonstrações
está resumido a seguir. Não há efeito em
2009.

55
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

Notas Explicativas (cont.)


R$
Aumento no Custo das Mercadorias Vendidas (6.500)
Redução na Despesa com Imposto de Renda 1.950
Redução do Lucro (4.550)

Redução nos Estoques (6.500)


Redução no Imposto de Renda a ser pago 1.950
Redução no Patrimônio Líquido (4.550)

Divulgação de erros
A entidade deve divulgar o seguinte sobre
erros de exercícios anteriores:
(a) a natureza do erro do período anterior;
(b) o valor da correção para cada rubrica;
(c) o valor da correção para o período anterior
mais antigo apresentado;
(d) uma nota explicativa, caso seja impraticável.

56
CRC SP - Material exclusivo para uso nas atividades promovidas por este Regional

CONTATO:
desenvolvimento@crcsp.org.br

57