Vous êtes sur la page 1sur 15

Meditações Diárias

Junto

às
às
Meditações Diárias Junto às 366 meditações devocionais diárias com calendário para a leitura da Bíblia inteira
Meditações Diárias Junto às 366 meditações devocionais diárias com calendário para a leitura da Bíblia inteira

366 meditações devocionais diárias com calendário para a leitura da Bíblia inteira em um ano

Primeira Edição

diárias com calendário para a leitura da Bíblia inteira em um ano Primeira Edição São Paulo

São Paulo – SP LMS

2013

Junto às Águas tranquilas

Todos os textos bíblicos citados neste livro fazem parte de:

A Bíblia Sagrada – Tradução de João Ferreira de Almeida (ACF) SBTB – Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil - © 1994, 1995.

Impresso no Brasil Esta edição de Junto às aguas tranquilas foi publicada em 2013 pela

literatura Monte sião do Brasil Caixa Postal 241 av. Zélia de lima rosa, 340 18550-970 Boituva – sP

Fone: 15-3264-1402 e-mail: lMsdobrasil@gmail.com www.lMsdoBrasil.com.br

Tradução: WEBB Idiomas Revisores: Stephen Kramer, Charles e Faith Becker Capa: Luke Sanders ISBN: 978-85-64737-11-2 Copyright © 2013 Literatura Monte Sião do Brasil

RESERVADOS TODOS OS DIREITOS Nenhuma parte desta edição pode ser utilizada ou reproduzida em qualquer meio ou forma — seja mecânico, eletrônico ou mediante fotocópia, gravação, etc. — nem apro- priada ou estocada em sistema de banco de dados, sem a expressa autorização da Lite- ratura Monte Sião do Brasil.

Leitura bíblica: Salmo 90

1 de Janeiro

remindo o tempo

Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. —Efésios 5:16

Certo homem, quando perguntado se teria tempo para determinado projeto, respondeu: “Tempo? Eu não tenho tempo algum, tudo que tenho é do Senhor.” Que bela expressão da perspectiva correta do cristão! Visto que o nosso tempo pertence a Deus e é uma dádiva que ele nos dá,

convém utilizá-lo com sabedoria. O nosso tempo nesta terra é curto, incerto

e passageiro. Teremos que prestar contas a Deus pelo uso que fazemos de cada momento. Assim, o assunto é sério.

Estamos utilizando o nosso tempo de formas que agradam a Deus? Estamos ocupados em ajuntar tesouros no céu e buscar em primeiro lugar

o reino de Deus? Estamos mantendo as prioridades na sua devida ordem?

Qual a importância que colocamos em reservar o tempo e fazer o esforço necessário para assistir aos cultos e reuniões especiais? Muitos de nós fomos criados com uma forte ética de trabalho, o que é uma bênção. Mas há um perigo de ficarmos tão consumidos pelo trabalho, negócios e afazeres que as prioridades ficam ofuscadas e a vida espiritual sofre? Se a nossa vida estiver mais centrada nos negócios do que em Cristo e estamos sempre cansados demais para ter uma vida devocional significante, talvez seja hora de parar e reavaliar as prioridades. Estamos nos deixando dominar pelos cuidados da vida e assim caindo na sonolência e mornidão espiritual e derrota?

O nosso tempo nesta terra é um espacinho no qual temos que nos preparar para a eternidade. Ninguém sabe quanto tempo ainda tem nesta terra. Vamos nos ocupar em fazer as coisas que tem valor eterno, investindo tempo e esforço no serviço do Senhor e em levar as cargas uns dos outros, alcançando os perdidos com o evangelho e nos ocupando até que ele volte.

Mark Kropf – Cataldo, Idaho, EUA

Se não programarmos o nosso tempo, a vida vai nos programar.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 1–2; Mateus 1

1

2 de Janeiro

Leitura bíblica: 2 Coríntios cap. 8

Viciados

Agora vos rogo, irmãos (sabeis que a família de Estéfanas é as primícias da Acaia, e que se tem dedicado ao ministério dos santos). —1 Coríntios 16:15

Você já ouviu falar de benzina? De nicotina, maconha, cocaína, heroína ou crack? Há uma coisa que todos estes têm em comum: criam dependência em seus usuários. Pessoas viciadas desenvolvem um desejo quase incontro-

lável por estas substâncias. Muitos viciados fazem de tudo para conseguir estas drogas. É a sua obsessão, a única coisa em que conseguem pensar. Quero acrescentar mais uma coisa à lista de elementos viciantes: o ministério. São poucos os que apresentam este vício.

O nosso versículo chave fala de Estéfanas e sua casa. Algumas traduções

os descrevem como sendo viciados em ministrar aos santos. Eles eram a primeira família de cristãos na Acaia, batizados pelo apóstolo Paulo. Na

sua carta aos coríntios, Paulo fala da capacidade que tinham de enxergar as necessidades dos outros e fazer tudo ao seu alcance para supri-las.

A igreja na Macedônia apresentava qualidades semelhantes. O motivo

da sua ministração extraordinária encontra-se em 2 Coríntios 8:5. Eles entregaram-se a servir primeiramente a Deus, depois às necessidades dos outros e por último a si mesmos. Mesmo que passassem por grandes tribula- ções e necessidades, o gozo do Senhor nos corações os impelia a contribuir voluntariamente tudo que tinham capacidade de dar. Se tinham abundância de qualquer coisa, compartilhavam com os necessitados. Procuremos seguir o exemplo destes irmãos que foram esteios na

igreja primitiva. Primeiro, dediquemo-nos inteiramente a Cristo, depois entreguemo-nos a servir aos necessitados.

É preciso fazer mais do que só tentar, é preciso se viciar no servir!

Lavon Miller – Mack, Colorado, EUA

Primeiro JESUS, você por último e os outros no meio.

2

leitura da Bíblia em um ano gênesis 3–4; Mateus 2

Leitura bíblica: Colossenses 3:12–25

3 de Janeiro

o lar

Sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus. —Efésios 5:21

A Bíblia ensina claramente que o homem deve amar a esposa com cari-

nho e apreço, cuidando dela como do seu próprio corpo. Nós ainda amamos

a esposa como a amamos nos primeiros dias ou meses do casamento? É

comum não valorizarmos o que temos de melhor. De manhã saímos para

o trabalho e à noite voltamos para casa, esperando ver o jantar no fogão,

a casa limpa, a roupa lavada, os filhos arrumadinhos e tudo sob controle.

Já paramos alguma vez para pensar nos sentimentos dela ou fizemos algo para afastá-la dos rigores da vida e dar um tempo para ela nos contar como sente e pensa? Estamos valorizando a esposa? Esposas, vocês às vezes se perguntam: “Por que meu marido não demonstra mais carinho e amor?” Você já pensou que talvez não esteja demonstrando o devido respeito por ele? A Bíblia diz que Sara chamava Abraão de senhor. Lembrem que são filhas de Sara. Não deixe de valorizar

seu marido. Ele é falível e tem sentimentos. Não esqueça que, ao cozinhar, limpar e lavar, tudo deve ser feito como ao Senhor. Pais, estamos conduzindo nossos filhos à cruz que os leva para o céu? Se eles seguirem o nosso exemplo, chegarão no destino bendito? Façamos

o possível para facilitar o caminho para os que nos seguem. Vamos criar

nossos filhos no temor do Senhor. Filhos, é preciso respeitar os pais. Sejam agradecidos por seus pais e valorizem-nos enquanto estão aqui nesta vida. Deem-lhes as rosas enquanto em vida. Pouco valem as flores dadas após a morte.

Mark G. Meighn – Hattieville, Belize

Feliz o lar que tem o Senhor.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 5–6; Mateus 3

3

4 de Janeiro

Leitura bíblica: João 1:19–34

João Batista apresenta Jesus

Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós. —1 João 1:8

Quando João Batista batizou Jesus, uma voz do céu anunciou “Este é

o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17). Uma pomba

desceu dos céus e pairou sobre a cabeça de Jesus. Foi a forma de Deus revelar ao mundo que Jesus era o Messias. João foi escolhido para apresentar Jesus ao mundo. Muitas pessoas no Velho Testamento olharam para o futuro com fé, esperando o aparecimento do Salvador, mas João foi a pessoa que Deus chamou para dizer: “Ei-lo aqui!” A pregação de João no deserto chamou a atenção de uma grande mul- tidão. A sua mensagem tocou o coração de homens e mulheres. Ele estava mostrando o caminho certo aos homens, preparando-os para conhecerem

o Senhor. Muitos deles perceberam a condição dos seus corações e con-

fessaram seus pecados. “E também agora está posto o machado à raiz das árvores” (Mateus 3:10). A raiz é o coração do homem. A causa original do pecado é a nossa natureza pecaminosa, que resultou do pecado que Adão

e

Eva cometeram no Jardim do Éden. João Batista apresentou Jesus, dizendo: “Eis o Cordeiro de Deus, que tira

o

pecado do mundo!” (João 1:29). Jesus veio para solucionar o problema

do pecado do nosso coração. Confessar nossos pecados é importante, mas não é o suficiente. Precisamos confessar nossa natureza pecaminosa para experimentar vitória sobre o problema do pecado. Confessar que Jesus Cristo

é nosso Salvador é a resposta para nossos problemas com o pecado. Para

nos livrarmos das teias de aranha em nossas vidas, precisamos primeiro

lidar com a aranha que teceu a teia.

Ben J. Coblentz – Millersburg, Ohio, EUA

4

Jesus é o Salvador do mundo!

leitura da Bíblia em um ano gênesis 7–8; Mateus 4

Leitura Bíblica: Daniel 1:1–17

5 de Janeiro

seja um homem

E Daniel propôs no seu coração não se contaminar. —Daniel 1:8

Daniel foi levado cativo quando era adolescente para a cidade pecami- nosa da Babilônia, onde foi separado da influência piedosa de seus pais e de sua família. Deram-lhe um nome de um deus pagão e foi inscrito num programa de educação ímpio. Muitos dos seus companheiros, que também foram levados para o cativeiro, rejeitaram sua educação piedosa e aceitaram os novos costumes pagãos. Além disso, Daniel enfrentava muitos sofri- mentos nas mãos de homens cruéis e sem misericórdia. Se havia alguém que deveria ter se revoltado contra Deus e seu padrões de moral com os quais tinha sido criado, esse era Daniel. Em vez disso, ele se tornou uns dos exemplos mais notáveis de Deus no tocante a representar sozinho as convicções escriturísticas. Cada vez que Daniel ficava sozinho, parecia que ia ser derrotado; mas Deus usou as lutas que ele enfrentava para honrá-lo mais e lhe dar uma visão espiritual ainda mais abrangente. Em todas as épocas, Deus está a procura dos “Daniel” — homens e mulheres que entendam os princípios das Escrituras e que tenham determinado a vivê-los a qualquer custo. “O Senhor está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem” (Salmo 118:6). Daniel tinha uma grande confiança em Deus. “Não temas o pavor repentino, nem a investida dos perversos quando vier. Porque o Senhor será a tua esperança; guardará os teus pés de serem capturados” (Provérbios 3:25–26). Deus fechou a boca dos leões e Daniel não sofreu nenhum dano. Ele era um homem forte de Deus por causa de sua fé.

Simon Overholt – Auburn, KY

A coragem e amar a verdade valem mais do que a vida.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 9–11; Mateus 5

5

6 de Janeiro

Leitura bíblica: Hebreus cap. 4

não era um homem comum

Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus. —Mateus 5:48

Faz algum tempo que meu pai fez uma cirurgia do coração. Foi um tempo estressante que fez toda a família olhar a vida de maneira especial. Amigos e funcionários do hospital tentaram nos assegurar de que era uma cirurgia rotineira e normalmente bem sucedida. Pensei: Tudo bem, mas esta não é uma pessoa qualquer, não é um homem comum; este é meu pai, o homem pelo qual tenho mais respeito e confiança do que qualquer outro. Então pensei no que Deus se dispôs a dar pela nossa redenção. Este não era um homem qualquer, era seu Filho unigênito. Era alguém que jamais tinha feito algo errado. Ele era totalmente puro e sem pecado, o Filho perfeito. Deus disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mateus 3:17). Este era o Filho de Deus, que, “como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado” (Hebreus 4:15). Ele não é um homem comum. Só podemos imaginar de forma bem limitada a dor que Deus deve ter sentido ao enviar seu Filho perfeito para tornar-se pecado pelo mundo – para ser cuspido, açoitado e acusado falsamente. É preciso algo a mais que um homem comum para fazer uma cirurgia num coração onde um errinho mínimo faria a diferença entre vida e morte. Mesmo assim, os médicos são limitados. Quando um coração é danificado demais, eles não conseguem consertá-lo. Mas não existe coração danificado ou manchado demais pelo pecado para Deus consertá-lo inteiramente. Deus disse em Ezequiel 36:26 que ele nos dará um coração novo e um espírito novo, um que esteja sintonizado com ele e ande em obediência. Não é isso que queremos? Um coração extraordinário, recebido de Deus.

Tite Miller – Afton, Oklahoma, EUA

O amor de Deus em nossas vidas produz “um homem fora do comum”.

6

leitura da Bíblia em um ano gênesis 12–13; Mateus 6

Leitura bíblica: João 2:12–25

7 de Janeiro

limpeza de casa

Ora, amados, pois que temos tais promessas, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santificação no temor de Deus. —2 Coríntios 7:1

É provável que o templo do qual lemos na leitura bíblica, construído

com grandes quantidades de prata, ouro e pedras preciosas, era uma cons-

trução impressionante. O bordado no tecido foi uma mistura espetacular de materiais e cores. Os 46 anos que levaram para construir o templo indicam que foi, provavelmente, uma das mais finas peças de arte daquele tempo.

O templo era o lugar sagrado para adoração do povo judeu. Era requerido

de todo homem judeu que fosse ao templo oferecer sacrifícios pelo menos três vezes ao ano, não importava a que distância morasse de lá. Os vendedores serviam aos viajantes, facilitando a aquisição dos ani- mais necessários para os sacrifícios. Mas, havia algo muito errado quanto

à sua prática de venda. Jesus disse que não aprovava a prática deles. Eles talvez estivessem vendendo dentro da área do templo, oferecendo produtos de qualidade inferior, trabalhando no dia de sábado ou tirando vantagem dos consumidores.

O templo era dedicado à oração e adoração. Paulo escreveu: “Ou não

sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6:19). Nosso corpo humano é uma criação muito maior e mais nobre do que o templo judeu da antiguidade. É, na verdade, o mais fino trabalho de arte de toda a criação. Nosso corpo vem de Deus e não nos pertence. Fomos

comprados por um preço. É nossa responsabilidade andar diante do Senhor com mãos limpas e corações puros. “De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra” (2 Timóteo 2:21).

Ben J. Coblentz – Millersburg, Ohio, EUA

Jesus purifica nosso coração do pecado.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 14-15; Mateus 7

7

8 de Janeiro

Leitura bíblica: João 3:1–13

leis do nascimento

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie. —Efésios 2:8–9

Todo dia milhares de famílias recebem a bênção de um bebê recém- -nascido em seus braços. Eles não são bonecos, mas seres reais; trazem

vida e contentamento aos corações de muitas pessoas. Muitos pais, irmãos

e avós são tocados por estes pequeninos. Cada um tem um corpo, uma alma, um espírito e um tempo limitado de vida. Nascemos neste mundo por meio do corpo. A natureza obedece às leis

da concepção e o nascimento nos traz a este mundo. Este é o plano de Deus. Deus também traçou um plano para nos levar para o seu reino espiritual.

Primeiro precisamos conhecer a graça e o amor de seu plano de salvação, para que em nossas mentes compreendamos quão inúteis e incapazes somos

de salvar a nós mesmos. Não somos salvos por obras de nossa justiça própria.

A salvação é um presente de Deus (leia Efésios 2:8–9; Tito 3:5).

Depois que entendemos o plano da graça de Deus, vemos nossa insigni- ficância, nos humilhamos diante de Deus e pedimos que o seu santo Espírito entre em nossos corações. Com isso experimentamos um relacionamento de amor com nosso Salvador que nos dá a certeza da sua presença. O plano da graça de Deus é tão lindo! Não posso me gabar de nada que eu fiz para me tornar filho de Deus. Isto vem exclusivamente dele. Eu experimentei o mistério da graça de Deus através de sua palavra e pedi a Jesus que entrasse em meu coração. Ele preencheu meu coração com amor

e

com sua querida presença.

Ben J. Coblentz – Millersburg, Ohio, EUA

Jesus explicou a Nicodemos que o novo nascimento é a entrada para o reino espiritual.

8

leitura da Bíblia em um ano gênesis 16–17; Mateus 8

Leitura bíblica: João 3:14–21; Números 21:1–9

9 de Janeiro

Fé simples como a de uma criança

E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. —Atos 4:12

Os filhos de Israel estavam viajando por um grande deserto para desviar da terra de Edom. Eles ficaram fatigados e impacientes, muitos falaram mal de Deus e se posicionaram contra Moisés, seu líder. Eles também reclamaram da comida. Por causa das suas atitudes, Deus colocou serpen- tes ardentes entre as pessoas. As serpentes picaram muitas pessoas e essas morreram. Então o povo se arrependeu dos seus pecados e foi até Moisés dizendo:

“Nós pecamos. Por favor, peça a Deus que remova essas serpentes ardentes do nosso meio”. Moisés intercedeu a Deus pelo povo. Deus pediu que Moisés fizesse uma serpente de bronze e a colocasse numa haste para todos verem. E qualquer que olhasse para a serpente era curado. Deus superou as expectativas do povo, pois curou as pessoas que tinham sido picadas e estavam morrendo. Essas pessoas realmente precisavam da ajuda de Deus. Isto também testou a sua fé, pois precisavam ter fé para olhar para a ser- pente de bronze. Jesus disse a Nicodemos que o Filho do Homem seria levantado como essa serpente ardente e que qualquer que olhasse para ele com fé seria curado. Adão e Eva foram enganados no Jardim do Éden. Eles foram enve- nenados pelo pecado e receberam a sentença de morte. Eles e toda a sua posteridade teriam que morrer. Agora todos os seus descendentes estão debaixo desta maldição. Nós todos fomos picados pela cobra do pecado. Precisamos de libertação e cura. Qualquer que olhar para Jesus com a fé simples de uma criança não perecerá, mas terá a vida eterna. É a promessa de Deus para nós hoje. Fé é confiar em Deus.

Ben J. Coblentz – Millersburg, Ohio, EUA

Jesus é nossa Salvação.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 18–19; Mateus 9

9

10 de Janeiro

Leitura bíblica: Salmo 19; Gênesis 1:14–19

os céus declaram

Que é o homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites? —Salmo 8:4

Há uma Palavra de Deus que todos leem – a glória da criação. Não existe língua ou idioma incapaz de compreender o poder majestoso que criou tudo que vemos e conhecemos. Dia após dia, o sol passa silenciosamente pelo céu em testemunho a um

ser inigualável. Noite após noite, as estrelas marcam a rota da humanidade.

O poder da lua sobre a terra ainda não foi de todo desvendado. Olhamos para o céu, tentando entender qual será o tempo. Será que nos

sentimos potentes ao prever uma chuva, ou nos sentimos insignificantes porque somos incapazes de fazer chover? Às vezes, quando estamos com o ego inflado, faz bem pararmos e contemplarmos as obras de Deus. “Que coisas Deus tem realizado” (Números 23:23).

A ciência nos conta algumas dimensões da obra de Deus.

A terra orbita o sol a uma velocidade de quase trinta quilômetros por

segundo. Todo dia deslocamos mais de dois milhões e meio de quilômetros nesta órbita em volta do sol.

O volume do sol é em torno de um milhão de vezes maior do que da terra.

A largura do sol é por volta de cento e nove vezes maior do que a da terra.

Os ventos solares contribuem para a formação das auroras boreais e, às vezes, Deus utiliza os seus campos magnéticos para atrapalhar a tecnologia dos homens, chegando a atrapalhar comunicações de rádio.

Não existe nenhum outro lugar no universo capaz de sustentar a vida.

O resto do sistema solar é quente ou frio demais. Aos cento e cinquenta

milhões de quilômetros do sol, a terra é perfeita. Quando Deus falava de uma conta grande demais para expressar com

números, ele dizia: “como as estrelas do céu” (Hebreus 11:12). Até hoje

os homens não conseguiram contar as estrelas. “Mas o nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou” (Salmo 115:3).

Raymond Fox – Shiloh, Ohio, EUA

“E viu Deus que era bom”. —Gênesis 1:25

10

leitura da Bíblia em um ano gênesis 20–21; Mateus 10

Leitura bíblica: Números 13:30; Tiago cap. 4

11 de Janeiro

Disposição e pontualidade

Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor. —1 Coríntios 15:58

Numa tarde de domingo pensei em ligar para um dos meus amigos da

escola bíblica. Por alguma razão não o fiz. Várias semanas mais tarde fiquei sabendo que ele morreu num acidente de carro. Já que não liguei na hora, não liguei de jeito nenhum. Talvez ele estivesse desanimado naquele dia

e minha ligação o tivesse animado. Perdi minha chance de conversar com

ele deste lado do céu. Em Números caps. 13 e 14, os filhos de Israel poderiam ter subido de uma vez, mas ao invés disto, eles tiraram os olhos de Deus e olharam para as pessoas. Muitos deles perderam a oportunidade de morar na Terra Prometida. Tiago cap. 4 fala sobre lascívia, orgulho, calúnia, desrespeito pelo irmão, materialismo e procrastinação. Todos estes são pecados e a melhor maneira de lidar com o pecado é começando pelo coração. Peça perdão a Deus e força para mudar. Um dia, meu irmãozinho disse: “Amanhã vamos à cidade”. Ele estava muito animado por poder ir junto. Na manhã seguinte ele se levantou bem cedo e disse: “Os planos mudaram, não é amanhã que vamos à cidade, é hoje”. Esta é uma boa maneira de ver as coisas. Se você sempre disser: “Amanhã eu mudarei”, “Na próxima semana será mais fácil”, ou “Ano que vem vou dar um jeito”, amanhã nunca chegará. Se preciso mudar alguma coisa em minha vida, preciso mudar agora.

Você alguma vez mudou seus planos para ir conversar com uma pessoa solitária? Você já falou de Jesus para seus colegas de trabalho? Continuemos

a exercitar nossa viva esperança em Cristo Jesus enquanto temos oportu- nidade (leia Tiago 4:17).

Brian Yoder – Grandview, Texas, EUA

Muitas boas intenções estão enterradas no cemitério. Trabalhe hoje para ajudar alguém.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 22–23; Mateus 11

11

12 de Janeiro

Leitura bíblica: Isaías 40:9–31

Deus é grande e Deus é bom

Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem, a qual operaste para aqueles que em ti confiam na presença dos filhos dos homens! —Salmo 31:19

O egoísmo nos diz que somos importantes. O homem acredita que con-

trola o mundo. Cientistas se gabam de grandes conquistas e descobertas. A medicina vem fazendo muitas descobertas e avanços no combate às doenças. Quão grande é o homem? Considere a grandeza de Deus. Nossas mentes

conseguem vislumbrar apenas uma pequena parte disto. A criação, o dilúvio

e o controle de Deus sobre as nações e a natureza nos ajudam a ter uma

leve ideia do poder e soberania de Deus, mas a mente humana nunca o compreenderá por completo. Deus é grande! Ele é muito digno de louvor! Sua grandeza é ainda mais notável quando se observa a atenção que dá

para os mínimos detalhes. Se tivermos uma visão adequada de nós mesmos, veremos que fazemos parte destes pequenos detalhes. Vemos que somos muito pequenos quando pensamos nas nações como uma gota de água num balde, como uma poeirinha numa balança — menos do que nada. Deus tem todo o mundo para tomar conta, por que ele se importa conosco? “Que é

o

homem mortal para que te lembres dele? e o filho do homem, para que

o

visites?” (Salmo 8:4).

A atenção de Deus com os detalhes o engrandece. Deus sabe quem é

fraco e quem não tem força. Ele dá força e poder para superarmos nossas fraquezas. Ele conhece os que esperam nele e os eleva em espírito além das tarefas desgastantes da vida. Então podem tomar fôlego e continuar seu

caminho em direção ao céu. Abra sua mente para absorver mais da grandeza de Deus. A grandeza de

Deus se torna bondade quando ele olha seus filhos e temos que dizer como

o

salmista: “Oh! quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que

te

temem, a qual operaste para aqueles que em ti confiam na presença dos

filhos dos homens!” (Salmo 31:19). Espere que ele infunda sua vida com a capacidade de elevar-se ao domínio da vitória espiritual!

Delmar R. Eby – London, Kentucky, EUA

A bondade de Deus demonstra a sua grandeza.

12

leitura da Bíblia em um ano gênesis 24–25; Mateus 12

Leitura bíblica: 2 Coríntios cap. 4

13 de Janeiro

o tesouro da luz de Deus

Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. —Mateus 5:16

Deus nos deu um tesouro, que vai muito além do nosso poder de aqui- sição. É a luz do conhecimento da glória de Deus. Recebemos este tesouro gratuitamente ao olharmos com fé para a glória do semblante de Jesus Cristo. Esse tesouro de luz dissipa as trevas espirituais. Ele dissipou a escuridão do pecado em nossos corações, para vermos e sentirmos a glória de Deus. “Temos, porém, este tesouro em vasos de barro” (2 Coríntios 4:7). Deus viu por bem utilizar criaturas mortais feitas de pó para demonstrar estes tesouros. Ele colocou a luz da sua glória no meio de circunstâncias comuns e simples. Por que ele fez isso? A tendência humana seria de colocar tesouros como joias e obras de arte em lugares de luxo e destaque. Com isso procuram destacar seus tesouros com pano de fundo igualmente rico. Deus achou por bem fazer o contrário. Ele destaca e enfatiza a riqueza deste tesouro colocando-o em vasos de barro. A simplicidade e a humildade deste vaso são vistas nos versículos 8–11. A luz de Cristo é mais eficaz e gloriosa quando vista em contraste com os problemas e aflições da existên- cia humana. O esplendor do tesouro de Deus brilha e reluz na vida e nos corações dos filhos de Deus. Até o humilde vaso brilha com uma incandescência celeste de paz e satisfação. Nesta luz o mundo vê a obra transformadora de Deus. Devemos nos sentir humilhados pelo fato de sermos os portadores da luz gloriosa de Deus para um mundo na escuridão. É possível ocultar o evangelho por uma vida pecaminosa (versículo 3). Que Deus nos guarde de fazermos isto. Sou eu humilde o suficiente para que o mundo possa ver Deus em mim?

Delmar R. Eby – London, Kentucky, EUA

A remissão do pecador pela luz de Deus revela a verdadeira glória de Deus.

leitura da Bíblia em um ano gênesis 26–27; Mateus 13

13