Vous êtes sur la page 1sur 7

(Valores expressos em milhares de reais – R$, exceto quando outro indicado)

I - A Composição do resultado do serviço é a seguinte:

Consolidado no trimestre findo em:


31/3/2007 31/3/2006 Variação %
R$ R$

Receita operacional 1.247.830 1.047.224 19,16


Fornecimento de energia elétrica 1.224.090 1.012.468 20,90
Suprimento de energia elétrica 4.900 25.440 - 80,74
Outras receitas 18.840 9.316 102,23

Deduções da receita operacional (457.468) (424.371) 7,80


ICMS (254.550) (226.338) 12,46
PIS (19.157) (22.692) - 15,58
COFINS (114.432) (94.615) 20,94
Quota reserva global reversão (8.613) (9.505) - 9,38
Outros (a) (60.716) (71.221) - 14,75

Receita líquida dos serviços vendidos 790.362 622.853 26,89

Custos do serviço de Energia Elétrica (345.858) (232.701) 48,63


Energia Elétrica comprada para revenda (299.093) (186.748) 60,16
Encargos de uso do sistema de transmissão/distribuição (46.765) (45.953) 1,77

Custo de Operação (184.287) (158.083) 16,58


Pessoal (25.410) (22.109) 14,93
Material (6.474) (7.012) - 7,67
Matéria-prima e insumos para produção energia elétrica (55.414) (52.775) 5,00
Serviços de terceiros (48.101) (39.087) 23,06
Depreciação e amortização (68.894) (67.373) 2,26
Aluguéis e arrendamentos (24.415) (23.323) 4,68
Custo do serviço prestado a terceiros (4.512) (828) 444,93
Subvenção CCC 59.378 57.324 3,58
Outros (10.445) (2.900) 260,17

Lucro operacional bruto 260.217 232.069 12,13

(a) O valor de R$ 70.425 relativo as despesas com alguns Encargos Setoriais (PEE,
CDE, CCC e P&D) do 1º. Trim/06, alocado na rubrica Outras despesas operacionais,
foi reclassificado para “Deduções da receita operacional – Outros”, em atendimento ao
Despacho ANEEL/SFF nº. 3.073 de 28/12/2006.

1) Receita Operacional
A receita operacional no 1º. trimestre de 2007, foi de R$ 1.247.830, representando um
crescimento de 19,16% (R$ 200.606) em relação ao mesmo trimestre do exercício
anterior, devido basicamente aos seguintes fatos:

a) Acréscimo de 304.888 novos consumidores e aumento de 23,65% na quantidade de


MWh vendido;

b) As revisões tarifárias concedidas pela ANEEL a partir de abril de 2006 das


controladas distribuidoras, cujos aumentos médios variaram de 1,89% a 16,81%.

c) Aos ajustes dos IRT´s ocorridos em 2005 e 2006 no montante de R$ 47.423 a ser
aplicado na tarifa da controlada Cemat a partir de 8 de abril de 2007, compensada nos
próximos 12 meses e os gastos efetuados por esta controlada com o Programa Luz
para Todos desembolsados e não cobertos pela tarifa no montante de R$ 16.548.

d) Aquisição do controle acionário das empresas, Empresa de Distribuição de Energia


Vale Paranapanema S.A. e Rede Comercializadora de Energia S.A. em junho de 2006,
que acrescentaram à receita Operacional Consolidada do 1º trimestre de 2007 o
montante de R$ 87.058.

2) Deduções da receita operacional

As deduções apresentaram no 1º. trimestre de 2007 um acréscimo de 7,80% em


comparação ao mesmo trimestre de 2006 devido substancialmente ao aumento da
Receita (base de cálculo da maioria dos encargos/tributos que compõe estas deduções)
pelos motivos citados no item 1.

3) Custo do serviço de Energia Elétrica

Os custos do serviço de Energia Elétrica apresentaram um acréscimo de 48,63% (R$


113.157) em relação ao mesmo trimestre de 2006 devido principalmente a:

a) Aquisição de maior quantidade de energia elétrica para atender ao aumento da


demanda que no 1º trimestre de 2007 apresentou um consumo de 668.512 MWh a
maior em relação ao mesmo período de 2006.

b) Aquisição do controle acionário das empresas, Empresa de Distribuição de Energia


Vale Paranapanema S.A. e Rede Comercializadora de Energia S.A. em junho de
2006, que acrescentaram ao custo de energia elétrica consolidado do 1º trimestre de
2007 o montante de R$ R$ 32.853.

c) Reajuste tarifário na energia elétrica adquirida pelas controladas que apresentaram


variação média de 0,94% a 42,01%.
4) Custo de Operação

Os custos de operação atingiram o montante de R$ 184.287 no 1º trimestre de 2007,


contra R$ 158.083 no mesmo período do ano anterior. A variação de 16,58% (R$
26.204 ) teve como motivo a combinação dos seguintes principais fatos:
a) Pessoal – O aumento de 14,93% desta despesa na comparação entre os dois
trimestres deve-se principalmente a inclusão no consolidado do 1º trimestre de 2007
das controladas: Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema S.A. e
Rede Comercializadora de Energia S.A., adquiridas em junho de 2006 que
acrescentaram R$ 1.762 no trimestre atual, aos reajustes salariais concedidos pelas
controladas e ao PID (Programa de Incentivo ao Desligamento) da Celpa.

b) Serviços de Terceiros - O aumento de 23,06% desta despesa na comparação entre os


dois trimestres deve-se principalmente a inclusão no consolidado do 1º trimestre de
2007 de empresas adquiridas em junho de 2006 que acrescentaram R$ 1.422 no
trimestre atual e ao aumento dos gastos de manutenção e conservação da rede de
distribuição das Companhias controladas, para atender aos Programas Luz no
Campo e Luz para Todos.

c) Custo do serviço prestado a terceiros - O aumento de 444,93% desta despesa na


comparação entre os dois trimestres deve-se principalmente a inclusão no
consolidado do 1º trimestre de 2007 de empresas adquiridas em junho de 2006 que
acrescentaram R$ 1.903 no trimestre atual.

d) Outros - O aumento de 260,17% desta despesa na comparação entre os dois


trimestres deve-se substancialmente as despesas de locação junto a Cummins, de
equipamentos para manutenção das Usinas Térmicas do Baixo Araguia ocorridas no
inicio de 2007 e a recuperação de despesas em março de 2006 no montante de R$
4,5 milhões, referente a créditos junto ao INSS que reduziu o saldo desta conta
naquele trimestre.

II – Receita operacional:

No trimestre findo em
Classe de consumidor Consumidores MWh _ (R$) _
31/3/2007 31/3/2006 31/3/2007 31/3/2006 31/3/2007 31/3/2006

Residencial 2.667.116 2.439.797 1.151.010 1.022.410 452.381 401.296


Industrial 26.412 23.449 975.642 581.985 230.050 171.875
Comercial 263.326 245.191 689.579 622.968 284.561 263.960
Rural 197.492 144.560 193.411 152.423 47.890 36.812
Poder público 31.038 28.087 174.577 159.739 67.914 62.434
Iluminação pública 1.374 1.218 169.923 157.514 34.901 31.878
Serviço público 3.745 3.350 130.349 118.440 33.544 29.551
Consumo próprio 897 860 11.029 11.529
Fornecimento não faturado (28.373) (3.412)
Receita do uso da rede elétrica 22.607 16.065
Recomposição tarifária
extraordinária (17.282)
Redução receita baixa renda 20.039 18.440
Fornecimento não faturado
reposição tarifária 41.123
Provisão redução da tarifa –
Irrigação 236
Fornecimento não faturado –
Luz para todos 16.681
Fornec.não faturado RTE
-majoração 536 1.150
Amortização RTE - majoração
(299)
Subtotal 3.191.400 2.886.512 3.495.520 2.827.008 1.224.090 1.012.468
Suprimento 4.900 25.440
Transmissão
(+) Outras receitas 18.840 9.316

Total 3.191.400 2.886.512 3.495.520 2.827.008 1.247.830 1.047.224


Mercado consumidor de energia elétrica

a) No 1° trimestre de 2007, o fornecimento de energia elétrica foi de 3.495.520 MWh.


Esse volume correspondeu a um acréscimo de 23,65% em relação ao mesmo período do
ano anterior, motivado principalmente pelo aumento do consumo nas classes
residencial, comercial e rural, substancialmente nas controladas Celpa e Cemat.

b) O número de consumidores atingiu o nível de 3.191.400 enquanto que no mesmo


período do exercício anterior era de 2.886.512 gerando uma variação positiva de
10,56%. Esse acréscimo é proveniente em grande parte da classe residencial que
apresentou no período de abril de 2006 a março de 2007 um aumento de 227,3 mil
novos consumidores, e do Programa Luz para todos que contribuiu, para um aumento
da classe de consumidores rural da ordem de 36,62%.

c) Fornecimento não faturado – Reposição tarifária e Luz para todos no montante de R$


63.971, contabilizados na controlada Cemat no 1º trimestre de 2007, conforme
comentado no item I – 1 C.

d) A tarifa média de fornecimento no 1° trimestre de 2007, teve o valor de R$


358,14/MWh, contra R$ 350,19/MWh no mesmo período do ano anterior.

.
III – Receitas e despesas financeiras:
No trimestre findo em
No trimestre findo em 31/3/2007 31/3/2006 Variação
Receitas financeiras
Renda de aplicações financeiras 11.540 12.203 - 5,43
Juros ativos 25.572 18.276 39,92
Acréscimos moratórios – energia vendida 12.378 11.423 8,36
Variação monetária 24.273 15.706 54,55
Outras receitas financeiras 4.731 5.161 - 8,33
Total das receitas 78.494 62.769 25,05

Despesas financeiras
Encargos de dívidas (77.757) (78.729) - 1,23
Variação monetária (6.920) (16.237) - 57,38
Juros e Multas (76.462) (68.130) 12,23
Outras despesas financeiras (5.189) 2.984 - 273,89
Total das despesas (166.328) (160.112) 3,88
_______ ________ _____
Resultado financeiro (87.834) (97.343) - 9,77

O resultado financeiro negativo de R$ 87.834 registrado no 1º. trimestre de 2007


apresentou um decréscimo de 9,77% em relação ao mesmo período de 2006, motivado
principalmente pela combinação dos seguintes fatos:

1 - As Receitas financeiras do 1º. trimestre de 2007 apresentou um acréscimo de 25,05%


em relação a igual período de 2006, devido principalmente as variações ocorridas nas
seguintes rubricas:

a) Juros ativos – A receita com juros ativos apresentou um crescimento de


39,92% na comparação entre os trimestres, devido basicamente aos juros sobre créditos
apurados no REFIS pela controlada Cemat no montante de R$ 9.945.

(b) Variação Monetária - Esta receita apresentou aumento de 54,55% no 1º trimestre de


2007 devido principalmente ao impacto da variação cambial negativa sobre os
empréstimos em moeda estrangeira registrados nas controladas Celpa e Cemat.

2 - As Despesas financeiras do 1º. trimestre de 2007 apresentaram um acréscimo de 3,88%


em relação a igual período de 2006, motivado principalmente pela variação ocorrida nas
seguintes rubricas:
a) Variação Monetária - A despesa com variação monetária apresentou redução de
57,38% na comparação entre os trimestres devido a variação cambial negativa no 1º
trimestre de 2007, calculada sobre os empréstimos em moeda estrangeira,
principalmente as Notes Units e os empréstimos do Tesouro Nacional tomados pela
Celpa e Cemat que geraram receitas financeiras.

b) Juros e Multas - O acréscimo apresentado em 2007 na comparação entre os trimestres


foi motivado pelos encargos moratórios devido sobre o Parcelamento Excepcional –
PAEX, que as controladas aderiram em setembro de 2006, que ainda não existiam no 1º
trimestre de 2006.

c) Outras Despesas Financeiras - O aumento verificado no 1º trimestre de 2007 é devido


á recuperação de créditos junto ao REFIS pela controlada Cemat em fevereiro de 2006,
no montante de R$ 12.981, que reduziu o saldo desta rubrica no 1º trimestre de 2006.

IV - EBITDA:

31/03/07 31/03/06 Var. %


Receita Operacional 1.247.830 1.047.224 19,2%
Deduções da Receita Operacional (457.468) (424.371) 7,8%
Receita Operacional Líquida 790.362 622.853) 26,9%
Custo de Bens e Serviços Vendidos (530.145) (390.784) 35,7%
Despesas Operacionais (132.017) (106.929) 23,5%
(-) Despesas com Vendas (36.654) (29.411) 24,6%
(-) Despesas Gerais e Administrativas (89.087) (70.691) 26,0%
(-) Outras Despesas Operacionais (6.276) (6.827) - 8,1%
73.54 70.
Depreciação e Amortização 8 682 4,1%
EBITDA 201.748 195.822 3,0%

O EBITDA da REDE S.A CONSOLIDADO passou de R$ 195.822 mil no 1º trimestre


de 2006 para R$ 201.748 mil no 1° trimestre de 2007, representando um crescimento de
3,0%, principalmente devido a três fatores: 1. Aumento do custo do serviço em 35,7%,
relativo a aquisição de maior quantidade de energia elétrica para atender ao aumento da
demanda; 2. Aquisição do controle acionário da Empresa de Distribuição Vale
Paranapanema S.A e Rede Comercializadora de Energia S.A, acarretando em aumento
da energia comprada; e 3. Reajuste tarifário na energia elétrica adquirida pelas
controladas, que apresentaram variação média entre 0,94% e 42,01%.
V – Indicadores Econômico – Financeiros:

No período findo em
31/3/2007 31/12/2006
1 – Liquidez corrente
Ativo circulante / passivo circulante 0,92 0,94
2 – Liquidez geral
(ativo circulante + realizável a longo prazo) / exigível total 0,51 0,51
3 – Endividamento
Exigível total / ativo total 0,73 0,72
4 – Capitalização
(patrimônio líquido + participações minoritárias) / ativo total 0,27 0,28

5 – Valor patrimonial da ação – R$ por lote de mil ações (*) 2.269,06 2.240,19
(*) Exclui recursos destinados a aumento de capital.

Indicadores Operacionais

No período findo em
31/3/2007 31/3/2006
1 – Número de empregados 5.522 5.868
2 – Consumidor por empregado 578 492