Vous êtes sur la page 1sur 64

REDES INDUSTRIAIS – TECNAUT

AUTOMAÇÃO COM QUALIDADE.


PERTO DE VOCÊ.
Algumas redes industriais disponíveis ...

LONWorks
Profibus FMS
DH+
RIO Profibus DP

Profibus PA
HART

Modbus ASI
CLP com Entradas e Saídas distribuídas
Rack Principal
Com CPU

I/O Remoto

I/O Remoto

I/O Remoto

Rede de I/O´s
Remote I/O - Introdução

• Conecta Controladores Lógicos a gavetas remotas


de I/O ou outros dispositivos inteligentes.
• Rede desenvolvida pela Allen Bradley
• Características:
– Usa cabo par trançado
– Veloc. Com. Distancia máx. em metros
57,6 Kbits/s 3048
115,2 Kbits/s 1524
230,4 Kbits/s 762
– Opcionalmente pode usar fibra óptica.
– Topologia em barramento sem derivação/ramificação
Remote I/O ou RIO

CLP LOCAL ASB

I/O remotos

ASB IHM

INVERSOR FREQ.

I/O remotos
I/O remotos
ASB
Resistor de terminação
156 ohms
Rede de Supervisão
Data Higway 485 – DH485

• Rede Industrial para conexão de até 32


dispositivos, desenvolvida pela Allen Bradley
• Características:
– Usa cabo RS-485.
– Trunkline até 1219 metros.
• Caracteristicas da Transmissão:
– 19,2 K bits/s
– Topologia em barramento sem derivação/ramificação
– Multimestre tipo Token pasing
Data Higway 485 – DH485

TERM. PROGR. SUPERVISÃO

KR
DTAM PLUS PANELVIEW 550

PIC

AIC AIC AIC AIC

C10 C10 C10 C10

ALLEN-BRADLEY ALLEN-BRADLEY ALLEN-BRADLEY ALLEN-BRADLEY


Data Higway Plus – DH+
• Rede Industrial para conexão de até 64
dispositivos, desenvolvida pela Allen Bradley
• Rede desenvolvida pela Allen Bradley
• Características:
– Usa cabo par trançado
– Veloc. Com. Distancia máx. em metros
57,6 Kbits/s 3048
115,2 Kbits/s 1524
230,4 Kbits/s 762
– Opcionalmente pode usar fibra óptica.
– Topologia em barramento sem derivação/ramificação
– Multimestre tipo Token pasing
Data Higway Plus – DH+
Resistor de terminação CLP CPU
156 ohms Micro

Micro

IHM
CLP

CLP

CPU CPU
CLP
CPU
Modelos de Redes Industriais

src dst data crc

Origem/Destino

identifier data crc

Produtor/Consumidor
(dados são identificados)
Modelo Origem - Destino

CLP1 CLP2 IHM

#2

#1
Sensor Drive1 Drive2 Drive3
Modelo Produtor - Consumidor

CLP1 CLP2 IHM

#2

#1
Sensor Drive1 Drive2 Drive3
Modelo Produtor - Consumidor

/Escravo onto
Mestre Ponto a P

m estre
Multi
Métodos de troca de dados

mudança-de-estado mudança-de-estado

polling

E/S Digitais E/S Analógicas

mudança--de
mudança de--estado cíclico
a cada 500ms
cíclico polling
a cada 1000ms

ing stado
Poll -de -e
ança clico
Mud Cí
Método de troca de dados: “Polling”

ALLEN-BRADLEY PanelView 550

7 8 9

4 5 6

1 2 3

. 0 -

<
- < - - - - - - - - - - - - - - - - - '
-

F1 F2 F3 F4 F5 ^
< >

F1
F6 F7 F8 F9 v
0

• Quando os dispositivos recebem dados, imediatamente os


enviam
• Compatível com sistemas Mestre/Escravo & Multimestre
– Normalmente não é utilizado com “ponto a ponto”
• Desenvolvido sobre origem/destino, mestre/escravo
• Inerentemente ponto a ponto, não há multicast
Método de troca de dados: Cíclica

ALLEN-BRADLEY PanelView 550


ALLEN-BRADLEY PanelView 550

7 8 9
7 8 9

4 5 6
4 5 6

1 2 3
1 2 3

. 0 -
. 0 -

<
-< < - - - - - - - - - - - - - - - - - '
- - < - - - - - - - - - - - - - - - - - '
-

F1 F2 F3 F4 F5 ^
F1 F2 F3 F4 F5 ^
< >
< >
F6 F7 F8 F9 F1 v
F6 F7 F8 F9 0F1 v
0

a cada 100ms

a cada 5ms a cada 2000ms

analog I/O

• Dispositivos produzem dados a uma taxa configurada pelo usuário


• Transferência cíclica é eficiente porque:
– os dados são transferidos numa taxa adequada ao dispositivo/aplicação
– recursos podem ser preservados p/ dispositivos com alta variação
– melhor determinismo
• Compatível com Mestre/Escravo, Multimestre, “peer-to-peer” e
Multicast
Método de troca de dados:
Mudança de Estado
ALLEN-BRADLEY PanelView 550

7 8 9

4 5 6

1 2 3

. 0 -

<
- < - - - - - - - - - - - - - - - - - '
-

F1 F2 F3 F4 F5 ^
< >

F1
F6 F7 F8 F9 v
0

digital I/O

• Dispositivos produzem dados apenas quando tem seu estado


alterado
– Sinal em segundo plano transmitido ciclicamente para confirmar que o
dispositivo está ok.
• Mudança de estado é eficiente porque:
– reduz significativamente o tráfego da rede
– recursos não são desperdiçados processando-se dados antigos
Níveis de Redes Industriais e suas Aplicações

Gerenciamento Integrado.
CAMADA DE INFORMAÇÃO Sistemas de ERP/MÊS.
Banco de dados relacional.

Controle de Processo:
CAMADA DE SUPERVISÃO E CONTROLE Contínuo e Batch.
Diagnostico.

Controle Lógico: discreto e


DEVICENET analógico.
CAMADA DE DISPOSITIVOS
Variáveis de processo.
Diagnóstico.
Resumo Comparativo dos Diferentes Níveis

USUÁRIO TAMANHO VOLUME TEMPO DE CUSTO


PRIMÁRIO DA REDE DADOS RESPOSTA

Gestores
Grande Muito Moderado Alto a
INFORMAÇÃO Troca de dados
Alto Mod.
Histórico
Operação
AUTOMAÇÃO Manutenção Moderado Alto Rápido Baixo
ponto a ponto
E
E/S Remotas Moderado Moderado Muito Baixo
CONTROLE Dispositivos Rápido
inteligentes
Manutenção Muito
DISPOSITIVOS Pequena Baixo Muito
Fiação Rápido Baixo

NOTA: Áreas sombreadas são os focos primários


Evolução da aplicação das Redes Industriais

1980’s 1990’s 2000

O.I.

PB Panel

Prox
Flex I/O
Multi-disciplined
Controller

PB
Panel
Flex I/O
Packaged Drive w/PID
Axis Controller
Controller
Drive
Posicionamento
CONTROLBUS
Prog. terminal
PROFIBUS DP
CNC PROFIBUS FMS
PC
PLC PROFIBUS PA FOUNDTION ETHERNET IP
DCS . FIELDBUS
CONTROLNET
MMI
INTERBUS-S DEVICEBUS
Rack based I/O

Low-end MMI

Standard drives
Smart sensor, DEVICENET
actuator
Simple sensor,
actuator ASI
SENSORBUS

167 kpbs 1.5 Mbps 500 kpbs 100Mbps


500 kbps 12 Mbps 5 Mbps
Classificação das redes quanto ao modelo

Origem/Destino
Dispositivos Supervisão e Controle
(Mestre/Escravo) (Multimestre)

RIO DH+
Profibus DP Profibus FMS
Interbus-S Modbus Plus
ASI LONWorks

Produtor/Consumidor
Dispositivos Supervisão e Controle

DeviceNet ControlNet
F. Fieldbus Ethernet IP
Solução proposta para os diferentes níveis

INFORMAÇÃO

SUPERVISÃO E CONTROLE

DISPOSITIVOS DISPOSITIVOS
DeviceNet
Stack Lights

DeviceNet
SMP-3
Requisitos das redes de dispositivos

Dispositivos

509 -BOD

24vdc

509 - B O D

24vdc

Substituição de fiação Baixo custo por nó instalado


Determinismo para I/O Suporte à diagnóstico
Suporte a configuração Dispositivos compactos
Baixo tempo de resposta
Suporte a diferentes fornecedores
Devicenet - Características

• Linha tronco + derivações


• Remoção de nós e diagnóstico
• Até 64 nós
• Taxas de 125, 250 ou 500Kbps
• Terminações de 121 OHM
Devicenet - Características

PS PS

• Dois pares trançados


• Sinal e alimentação 24 Vcc
• Sensores podem ser alimentados diretamente
a partir do cabo tronco
• Múltiplas fontes em paralelo
Devicenet - Características

Taxas, Alcance e Derivações

Tronco Derivação (cabo fino)


Taxa
Máximo Acumulado
125K 500m (1640 ft) 6m (20 ft) 156m (512 ft)

250K 250m (820 ft) 6m (20 ft) 78m (256 ft)

500K 100m (328 ft) 6m (20 ft) 39m (128 ft)


Rede DeviceNet
Resistor de terminação
121 ohms
Devicenet – Derivações e Ramificações

Tronco
Tap Tap

Derivação

Limitações:
• 6 metros maximo entre tap e nó
mais distante
• soma dos percursos limitados ao
máximo comprimento acumulado
Devicenet - Conexões

Seladas e Abertas
Flat, Cabo Fino e Grosso
Fibra Ótica via repetidores
Open DeviceNet Vendor Association Inc.

• CAN é uma tecnologia aberta


• Fabricantes do chip CAN: Intel,
Motorola, Philips/Signetics, NEC,
Hitachi, Siemens
• http://www.odva.org
Uma Nova Tecnologia de Redes
Abertas para Automação e Controle
Requisitos das redes de Controle

5 0 9 - B O D

T
2 4 v d c

AUTOMAÇÃO E CONTROLE
• Dados de I/O em tempo real
– Determinístico c/ alta repetibilidade
• Intertravamento entre controladores
• Mensagens entre controladores
• Programação
– “ Upload” e “download”
Controlnet - Características

• Rede para I/O e Controladores - Alta velocidade (5Mbps)


• Projetada para Processos contínuos e discretos
• Rede única para programação, mensagens “ponto a
ponto”, intertravamento em tempo real e aquisição de I/O
• Baseada no modelo Produtor/Consumidor
– “Entradas” podem ser compartilhadas por diferentes consumidores
• Permite múltiplos controladores na mesma rede
• Flexibilidade para o meio físico
– Topologias barramento, árvore e estrela combinadas
– Opção de redundância para o meio físico
– Pleno acesso a rede a partir de qualquer dispositivo
Controlnet - Características

Cabo tronco
Separação
entre taps:
Terminação qualquer
obrigatória

75 ? 75 ?
Derivação
1m “tap”
Nó Nó conector Nó Nó Nó
padrão

• Cabo coaxial RG6


» Padrão para TV a cabo (EUA)
» Baixo custo
» Boa imunidade a ruído
» Disponível sob diferentes formas a partir de diferentes fabricantes
Controlnet - Conexões

• É necessário um conector padrão para


cada dispositivo permanentemente ControlNet
ligado a rede A B LED's

NAP Porta
De acesso
a rede (RJ45)

A
Conexões
coaxiais
B
Frontal típico

• “Network Access Port” (NAP)


incorporado a todos os produtos
permitindo acesso temporário a rede.
Controlnet – Segmento coaxial
• Cálculo simples para determinação do comprimento máximo de um
segmento coaxial
• Um segmento simples pode ter
– 2 nós para 1000 m , e
– 48 nós para 250 m
• Uma rede pode conter até 99 participantes
– identificação varia de 1 a 99

1000 Necessário o uso


M
de repetidores
Extensão do e 750 Gráfico p/
cabo coaxial t um
500 L = 1000 - [(N-2)*16,3]
r Repetidores não segmento
o 250 são necessários
s
2 16 32 48
Número de dispositivos
Controlnet - Camada de Enlace
Método de Acesso ao Meio
Serviços da Camada de Enlace
Serviço Programado Serviço de Manutenção da rede

Intervalo de atualização Serviço Não-programado


da rede (NUI)

Tempo

Concurrent Time Domain Multiple Access


ControlNet – Segurança Intrínseca
• O Repetidor Ótico pode ser utilizado para interligar produtos instalados
em áreas “seguras” a produtos intrínsecamente seguros instalados em
áreas classificadas
Ex Coax

1797RPFS 1797RPA Ex Tap


Std Coax

1786RPA 1786RPFS Ex Term


Tap

Fiber IS Node IS Node

ÁREA
Node Node
ÁREA CLASSIFICADA
SEGURA TM
TM
ControlNet Ex
ControlNet
ControlNet – TUV SIL 2 (IEC 61508)
Topologia ControlNet e ControlLogix para aplicações SIL 2
ControlNet Internatinal

• Rede única para E/S, Programação e


comunicação entre Controladores
• Modelo produtor/consumidor
• Repetibilidade e Determinismo (5Mbps)
• http://www.controlnet.org
Foundation fieldbus
O que é Foundation Fieldbus?
• A resposta a demanda dos usuários por uma
rede aberta para instrumentação
• O focu primário é desenvolver um padrão
digital para substituir o sinal 4-20 mA
• Uma organização voltada para:
– Suportar e contribuir para os esforços da IEC /
ISA para definir um padrão internacional de
rede de instrumentação
Foundation FieldBus - Características
• Otimizada para coleta de dados a partir de instrumentos de
processo e controladores através da comunicação bi-
direcional e multi-variável; também suporta dados discretos
• Projetada para controle distribuido de processo baseado na
instrumentação de campo
• Opção de mídia redundante para aumentar a tolerância de
falhas
• Economias: redução nos custos de cablagem, redução no
tempo de start-up, aumento de diagnósticos, de detecção e
correção de falhas
Two-way communication
Foundation FieldBus – Estratégia de Controle
Sistema de Controle Sistema de Controle
Convencional usando FF-H1

COntrolador PID Controller

Método Subsistema de AO
tradicional fecha a Entrada/Saida
AI Fieldbus
malha de controle
no controlador de
processo 4-20mA
AI PID
AO

Foundation Fieldbus permite que você transfira o


fechamento da malha do controlador de processo para
a instrumentação de campo
Foundation FieldBus – Estratégia de Controle

FF
FFConfigurator
ConfiguratorSoftware
Software

H1 Fieldbus

OUT IN OUT CAS_IN OUT


AI PID AO
FieldBus Foundation – Níveis de controle
– H1: Solution for process automation, field-level interface,
and device integration. Runs at 31.25 kbit/s. Power and
signal are on the same wire pair. Fiber Optic Media Option.
Supports Intrinsic Safety Applications.

– HSE: Solution for high performance control backbone, high-


speed data generators/users, and subsystem integration.
Same Functions as H1, but runs at 100 Mbit/s on
Commercial, Off-The-Shelf Ethernet Equipment.
Solução Rockwell para PLC´s com
Foundation Fieldbus
• HSE suporta multiplos RSView SE / PE
dispositivos HSE como 1757- FFLD RSLogix Fieldbus Manager
um sistema RSLogix 5000
• Todos FFLD podem estar
no mesmo projeto
HSE HSE /IP

Digital
4 - 20ma
Organização Foundation Fieldbus

Board of Directors
Fisher-Rosemount
ABB Industrial Systems, Inc.
Rockwell Automation
Honeywell
Groupe Schneider
Siemens AG
Fuji Electric
Yokogawa Electric
The Foxboro Co.
Yamatake-Honeywell
Elsag Bailey
EtherNet IP
Requisitos das redes de Informação

5 0 9 - B O D

2 4 v d c

INFORMAÇÃO

• Conexão entre o nível de


automação da Planta e
Manufacturing Execution
Systems – MÊS. • Conectividade entre IHM e
• Capacidade de transferência sistemas supervisório.
de grandes volumes de dados • Troca de dados não críticos entre
• Gerenciamento de rede CLP´s, ou seja, sem ser em tempo
padronizado e ferramentas de real.
detecção e correção de falhas
Ethernet - Introdução
HISTÓRICO
• Em 1981 associação da DEC, XEROX e INTEL desenvolveu uma
filosofia de rede local.
• Posteriormente resultou no padrão 802.3 IEEE (Instituto Eng. Elétrica
e Eletrónica USA).
• Principais características:
– Topologia em barramento.
– Método de acesso CSMA/CD (Carrier Sense Multiple access/Colision
Detection).
• O prefíxo “Ether” refere-se ao fato da cablagem ser totalmente passiva.

APANET TCP/IP
FTP
commissioned Protocol Suite
1973
by DOD 1982
Telnet TCP IP DNS
1969
1972 1974 1981 1984

1965 1970 1975 1980 1985


Ethernet Comercial

• Padrão de fato - Internet, e-mail, troca de arquivos


• Embutido em vários PCs hoje em dia
• Devido a base instalada possui virtualmente
facilidades de fabricação – marcas familiares/nível de
conforto
• Tecnologia aberta
• Aumento de capacidade e performance
Evolução da Ethernet

• Recentes evoluções tecnológica fizeram a Ethernet


mais apropriada para uso em aplicações de controle
– Hubs -> Switches
– 10MB -> 100 Mb Ethernet -> (1Gb Ethernet)
– Half Duplex -> Full Duplex
– Crescimento da Internet e ferramentas de software relativas a
Internet
– Tendência a integração entre os sistemas de negócio e os
sistemas de fabricação
• Alto volume de negócios leva a redução de custo e
rápida evolução tecnológicas
Ethernet – Tipos de cabos
Cabo Coaxial 50 ohms Coaxial 50 ohms Fibra óptica Par trançado
dupla blindagem RG-58

Padrão 802.3 802.3 802.3/802.5 802.3/802.5

Ambiemte mais Indústrias e Escritórios Indústrias e Interno,


utilizado CPD’S conexão entre aproveitando
prédios rede telefefonica

Alcance em 500 185 2000 100


metros

Designação 10 base 5 10 base 2 10 base F 10 base T


técnica

Designação Thick wire Thin wire Cabo óptico Par trançado


comercial

Tipo de Vampiro BNC SMA/ST RJ-11/45


conector

Topologia Barramento Barramento Estrela Estrela


Vantagens em utilizar Rede Ethernet
• Padronização de cabos e acessórios da rede (IEEE 802.3).
• Alta velocidade de comunicação (10 Mbps, 100Mbps, 1Gbps).
• Utilização de Topologia estrela.
– Hubs e Minihubs.
– Alta confiabilidade.
• Utilização de Fibra Óptica.
– Alta imunidade a ruídos.
– Fácil Instalação.
• Protocolo TCP/IP.
– Permite conexão de dispositivos de diversos fabricantes.
– Padrão de fato.
Ethernet IP

• EtherNet/IP stands for ‘Ethernet Industrial Protocol’


• Open industrial networking standard
• EtherNet/IP reuses CIP (Control and Information Protocol),
the protocol currently used for real-time I/O and information
messaging over DeviceNet and ControlNet.
Rede Ethernet IP

ControlLogix FlexLogix SoftLogix 5800

Standard PanelView

Ethernet Switch Ethernet HUB Ethernet


Switch ALLEN-BRADLEY Powermonitor I

V 473 465 471


A 865 852 859

Power Monitor

PLC-5E
Flex I/O

ProcessLogix
MicroLogix

ControlLogix I/O
SLC 5/05 DriveLogix
ETHERNET-IP

Aplicação CIP Especificação de


ControlNet International
Protocolo de Controle e e
Apresentação Informação Padrão IEC 61158
Sessão

UDP TCP Pedido de comentários


Transporte
IETF
IP-Multicast
IP UDP/TCP/IP
Rede
Ethernet
Link MAC
IEEE 802.3
Ethernet
Físico Física
Semelhança entre as redes

• O protocolo CIP implementado no núcleodas 3 redes:


DeviceNet, ControlNet e EtherNet/IP

Control and Information Protocol (CIP)


Common Object Library
Common Device Profiles
Common Control Services
Common Routing

For Data Collection, Configuration and Control

TCP/UDP/IP
CSMA/NBA CTDMA
CSMA/CD
Physical layer Physical layer Physical layer

DeviceNet ControlNet EtherNet/IP


Solução Integrada
Histórico da Planta, Estações Rotativas
Sistemas da Empresa

Estações de Operação

Acesso Remoto Ethernet


Servidor

ControlNet ou Ethernet

DeviceNet Foundation
Fieldbus
A L L E N - B R A D L E Y P a n e l V i e w 5 5 0 A L L E N - B R A D L E Y P a n e l V i e w 5 5 0

7 8 9 7 8 9

4 5 6 4 5 6

1 2 3 1 2 3

. 0 - . 0 -

< <
- < - - - - - - - - - - - - - - - - - ' - < - - - - - - - - - - - - - - - - - '
- -

F 1 F 2 F 3 F 4 F 5 ^ F 1 F 2 F 3 F 4 F 5 ^
< > < >

F 6 F 7 F 8 F 9 F 1 v F 6 F 7 F 8 F 9 F 1 v
0 0
Nossos Contatos

Telefones:
(71) 2105-9511 (71) 8802-7351
AUTOMAÇÃO COM QUALIDADE.
(79) 3211-6937 (81) 3467-4877 PERTO DE VOCÊ.

E-mail:
jcelio@tecnaut.com.br

Internet:
www.tecnaut.com.br
www.theautomationbookstore.com
www.ab.com
www.rockwellsoftware.com