Vous êtes sur la page 1sur 38

Universidade Federal do Paraná

Engenharia Civil

Ciências do Ambiente

Aula 06 – Ciclo Hidrológico

Profª Heloise G. Knapik


O Ciclo Hidrológico
O Ciclo Hidrológico - Fases

Precipitação: retorno da água para a superfície através de


chuva, granizo, neve.
O Ciclo Hidrológico - Fases

Detenção: água precipitada e retida na vegetação, depressões no


terreno e construções;
O Ciclo Hidrológico - Fases

Escoamento superficial: água que escoa sobre o solo, podendo


chegar a rios, lagos, oceanos, ser infiltrada, retida ou evaporada;
O Ciclo Hidrológico - Fases

Infiltração: processo pelo qual a água precipitada ou via


escoamento superficial penetra nas camadas superficiais do solo;

Divisão da água sob a superfície em água subterrânea e água do solo


O Ciclo Hidrológico - Fases

Escoamento Subterrâneo: movimento lento da água infiltrada na


camada superior do solo, constitui a recarga de rios a aquíferos;

Interação entre um rio e um aquífero


O Ciclo Hidrológico - Fases

Evaporação: retorno da água à atmosfera na forma de vapor ;

Transpiração: água evaporada diretamente pela vegetação;

Evapotranspiração: conjunto evaporação do solo mais a


transpiração das plantas.
O Ciclo Hidrológico - Fases

Condensação: resfriamento do vapor formando nuvens (gasoso


p/ líquido);
O Ciclo Hidrológico - Fases

Precipitação: retorno da água para a superfície através de


chuva, granizo, neve.
O Ciclo Hidrológico – Volume de Controle
O Ciclo Hidrológico
Ciclo Global: Evaporação = Precipitação
• Ciclo fechado
• Recirculação de toda a água
• Oceanos: ocorre mais evaporação do que precipitação
• Continentes: ocorre mais precipitação do que evaporação

Ciclo Regional: Fluxo = Evaporação - Precipitação


• Ciclo aberto
• Parte da água retorna, fechando parte do ciclo
• Parte da água é retirada pela atmosfera
• Parte da água é trazida de fora pela atmosfera
• Equacionamento: Balanço hídrico (entradas e saídas de um sistema)
Exemplo de divisor de águas superficiais e de águas subterrâneas
Bacia hidrográfica: volume de controle

Área de drenagem: característica


mais importante

Área da bacia X lâmina precipitada


em um certo tempo =
volume de água recebido ao longo
desse intervalo de tempo
Balanço Hídrico em uma Bacia

Balanço entre as entradas e saídas de água em uma bacia hidrográfica

Principal entrada = Precipitação


Saídas: Evapotranspiração e Escoamento
P EVT
𝒅𝑽
= 𝑷 − 𝑬𝑽𝑻 − 𝑸
𝒅𝒕

∆𝑽
= 𝑷 − 𝑬𝑽𝑻 − 𝑸
∆𝒕 Q

∆𝑽=variação do volume de água armazenado na bacia (m³)


∆𝒕 = intervalo de tempo considerado (s),
P é a precipitação (m³/s), Q é o escoamento (m³/s), e
EVT é a evapotranspiração (m³/s)
Balanço Hídrico em uma Bacia

Balanço entre as entradas e saídas de água em uma bacia hidrográfica

Para intervalos de tempo longos (anos) – divide-se os volumes pela


área da bacia
P EVT
𝑷 − 𝑬𝑽𝑻 = 𝑸

P é a precipitação (mm/ano),
Q é o escoamento (mm/ano), e
EVT é a evapotranspiração (mm/ano)
Q

1 mm de chuva = 1L em 1 m²
Balanço Hídrico em uma Bacia

Exercício 1: Uma bacia de 100 km² recebe 1300 mm de chuva


anualmente. Qual é o volume (em m³) que atinge a bacia por ano?

𝑅. 130 milhões de m³

Exercício 2: Uma bacia de 1100 km² recebe anualmente 1750 mm


de chuva, e a vazão média corresponde a 18 m³/s. Calcule a
evapotranspiração total desta bacia (em mm/ano)
𝑅. 1234 mm/ano
O Ciclo Hidrológico: sistema de medições
Evaporação Infiltração

Escoamento/ Evapotranspiração
Precipitação
O Ciclo Hidrológico e os Biomas

Relação entre precipitação (P) e evapotranspiração potencial (E)

Amazônia

P/E: 1,2 a 1,8

Semiárido nordestino

P/E: 0,2
O Ciclo Hidrológico e os Biomas

Quantidade, Distribuição espacial e Periodicidade das chuvas


+
Evapotranspiração
Variabilidade sazonal da chuva média mensal em diversas regiões do Brasil
Resposta de uma bacia hidrográfica a um evento de chuva de curta duração
Hidrograma de um rio como resposta a um evento de chuva
Alteração da qualidade da água em um evento de precipitação
Alteração da qualidade da água ao longo do ciclo hidrológico:

Rota de transporte
Poluentes orgânicos persistentes (POPs)

Evaporação

Água salgada Água doce


(mar/ oceano)

Infiltração e escoamento
(dissolução de sais)

Rota de transporte
de poluentes dissolvidos e particulados
O Ciclo Hidrológico: dinâmica da poluição
Fatores que influenciam a quantidade e a velocidade de circulação
da água:

Cobertura vegetal

Evaporação
Escoamento superficial
Impermeabilização
Infiltração
Recarga aquíferos
Fatores que influenciam a quantidade e a velocidade de circulação
da água:

Altitude/Temperatura

Evaporação
Temperatura
Infiltração
Recarga aquíferos
Fatores que influenciam a quantidade e a velocidade de circulação
da água:

Topografia

Escoamento superficial
Declive
Infiltração
Recarga aquíferos
Fatores que influenciam a quantidade e a velocidade de circulação
da água:

Tipo de solo e geologia

Escoamento superficial
Granulometria
Infiltração
Recarga aquíferos
Ciclo Hidrológico e Ciclos Biogeoquímicos

Ciclos sedimentares: escoamento superficial e transporte dos elementos

Ciclo do enxofre: formação de chuva ácida

Alteração do regime de chuvas: alteração do volume de água disponível em


uma determinada bacia com implicações negativas na qualidade da água

Escoamento superficial: transporte de matéria orgânica para rios, lagos e


oceanos
Falta de água, Brasil
Controle de evaporação em reservatórios - Califórnia
Controle de evaporação em reservatórios - Califórnia

• Medida para prevenção da evaporação e proteção da qualidade da água

• Estimativa de água economizada que seria evaporada em um ano:

• 1 milhão de m³ (capacidade para abastecer 8,1 mil habitantes

durante 1 ano) – redução de 85 a 90% da evaporação

• Investimento: > 32 milhões

• Duração: 10 anos

• Área coberta: 0,71 km² (Iraí = 14 km², Itaipu = 1350 km²)

• Quantidade: 91 milhões de bolas plásticas (custo de $ 0,36 cada)

• Economia de $ 250 milhões em outras obras emergenciais


Ciclo Hidrológico – Engenharia Civil

• Dimensionamento de sistemas de drenagem urbana

• Dimensionamento e operação de reservatórios de regularização de vazão

• Propagação de cheias

• Projeto e operação de aterros sanitários – sistemas de coleta do

percolado

• Gestão de recursos hídricos


Ciclo Hidrológico e Ocupação Antropogênica

$$$
Demanda > Aumento do
disponibilidade risco de falta - Expansão do
de água para sistema de
Redução da abastecimento abastecimento;
Redução da recarga dos
cobertura aqüíferos - Captação,
vegetal = subterrâneos operação e
impermeabilização tratamento de
Aumento do água;
EXPANSÃO risco de
URBANA
inundação - Coleta e
Ocupação e tratamento de
usos esgotos;
Poluição
inadequados
sobre Aumento do - Controle de
mananciais risco de cheias;
Produção, superficiais e
transporte e subterrâneos
degradação da
- Medidas de
descarte de qualidade da
despoluição
resíduos água
hídrica.

Impactos diretos e indiretos sobre a Riscos de acidentes Investimento em


disponibilidade dos Recursos Hídricos ambientais e doenças de infra-estrutura de
veiculação hídrica Recursos Hídricos