Vous êtes sur la page 1sur 14

Sedimentogénese e rochas sedimentares

Sedimentogénese e rochas sedimentares

Constituem 5% do volume da crosta terrestre, mas cobrem 3/4 da sua superfície

Constituem 5% do volume da crosta terrestre, mas cobrem 3/4 da sua superfície

Conceito de rocha sedimentar

• É o conjunto de rochas geradas em condições termodinâmicas próprias do ambiente da superfície terrestre, para as quais concorrem:

1. Materiais arrancados a rochas pré existentes

2. Materiais precipitados

3. Materiais que resultam de restos de animais ou da sua actividade

A acumulação é isolada ou em conjunto, dos 3 constituintes fundamentais:

• Elementos detríticos

dos 3 constituintes fundamentais: • Elementos detríticos • Elementos quimiogénicos • Elementos biogénicos

• Elementos quimiogénicos

dos 3 constituintes fundamentais: • Elementos detríticos • Elementos quimiogénicos • Elementos biogénicos

• Elementos biogénicos

dos 3 constituintes fundamentais: • Elementos detríticos • Elementos quimiogénicos • Elementos biogénicos

Elementos detríticos

• Fragmentos de rochas pré-existentes (ígneas, metamórficas ou sedimentares) de diferentes dimensões:

• Balastro ou cascalho > 2mm

• Areia, entre 2 e 0,06mm

• Silte, entre 0,06 e 0,002mm

• Argila < 0,002mm

• Balastro ou cascalho > 2mm • Areia, entre 2 e 0,06mm • Silte, entre 0,06

Elementos biogénicos

Elementos biogénicos • Resultam da acumulação ou da edificação das partes esqueléticas de organismos vivos, de

• Resultam da acumulação ou da edificação das partes esqueléticas de organismos vivos, de fragmentos vegetais, etc. Podem ser de natureza siliciosa, carbonatada, fosfatada ou carbonácea.

Elementos quimiogénicos

• Também chamados minerais de neoformação

• Resultam da precipitação dos sais dissolvidos numa solução:

• Calcite, CaCO 3

• Dolomite, CaMg(CO 3 ) 2

• Hematite, Fe 2 O 3

• Halite, NaCl

• Gesso, CaSO 4 2H 2 O

• Opala, SiO 2 nH 2 O

3 ) 2 • Hematite, Fe 2 O 3 • Halite, NaCl • Gesso, CaSO 4

Classificação das rochas sedimentares

Rochas detríticas: formadas essencialmente por detritos resultantes de desagregação de outras pré- existentes que podem permanecer junto da rocha mãe ou ser transportados e depositados nas zonas mais baixas dos continentes ou no mar. Caracterizam-se por conterem elevado teor em quartzo e argilas.

Rochas de precipitação química: formadas essencialmente por minerais precipitados quer por processos de precipitação quer por evaporação.

Rochas biogénicas ou organogénicas: formadas essencialmente por restos de animais ou vegetais.

Rochas sedimentares de origem detrítica

Detritos

Litificação

Rocha

Composição

 

Desagregada

Cascalheira

Pedaços de rocha ou minerais soltos

Cascalho

   

Detritos líticos arredondados ou angulosos, agregados por cimento de composição variável

(>2mm)

Conglomerado

Consolidada

ou Brecha

Areia

Desagregada

Areias

Detritos tipo areia não consolidados

(0,06 a 2mm)

Consolidada

Arenito

Areias agregadas por cimento variável

Silte

Desagregada

Siltes

Detritos tipo silte não consolidados

(0,002 a 0,06mm)

Consolidada

Siltito

Siltes (não distinguíveis): quartzo, feldspato e micas

Argila

Desagregada

Argilas

Detritos tipo argilas não consolidados

(<0,002mm)

Consolidada

Argilito

Minerais argilosos ± compactados não visíveis, com frequente pigmentação por óxidos de Fe

Minerais argilosos

• Minerais constituintes e característicos das argilas

• São silicatos hidratados de Al, Mg, Fe, Ca, Na, e K, geralmente cristalinos e estruturalmente apresentam camadas em folhas:

• Montmorilonite ou esmectite

• Caulinite

• Ilite

• Clorite

• Vermiculite, etc.

apresentam camadas em folhas: • Montmorilonite ou esmectite • Caulinite • Ilite • Clorite • Vermiculite,
 

Argilas:

 

São rochas sedimentares detríticas, de grão muito fino (partículas de granulometria ou dimensão < 0,002mm) constituídas essencialmente por minerais de argila, podendo conter pequenas quantidades de outros minerais: sílica hidratada, matéria orgânica, quartzo, micas, etc.

A

génese dos minerais de argila dá-se à superfície da

Terra, por hidrólise dos silicatos das rochas (feldspatos

e

micas)

Ocupam mais de 50% da superfície da Terra

 

Propriedades físicas das argilas

São pouco duras, D < 2,5

 

Quando bafejadas cheiram a barro e quando pulverizadas e misturadas com água tornam-se plásticas

Após secagem, tornam-se consistentes e rígidas, e após cozedura a 1000°C adquirem grande dureza

São macias ao tacto

• São macias ao tacto

Argilito: argila que por compacção perdeu água tornando-se coerente

Principais tipos de argilas

• O tipo de argila formada depende essencialmente do clima e da composição da rocha mãe

Caulinite: forma-se mais facilmente nos produtos de meteorização das rochas ácidas (granitos, gneisses, etc.) e em climas equatoriais.

Ilite: forma-se nas zonas frias e derivam de micas.

Montmorilonite: desenvolve-se bem nos produtos de meteorização de rochas básicas e em climas tropicais e mediterrânicos com estações contrastantes e bem marcadas.

Granulometria e superfície específica

• As argilas são rochas finamente divididas uma vez que os minerais das argilas têm cristais de dimensões < 0,002 mm

• Possuem elevada superfície específica (a área da superfície externa das partículas constituintes por unidade de massa)

• Quanto maior for a superfície específica do mineral argiloso maior será a sua plasticidade

Características específicas com impacto em geotecnia

 

Caulinite

Ilite

Montmorilonite

Dimensão dos cristais (μm)

0,1 a 5

0,1 a 2

0,01 a 1

Capacidade de troca catiónica (meq/100g)

3-15

15-40

80-100

Superfície específica

5-20

100-200

600-800

(m

2 /g)

Plasticidade

Baixa

Média

Elevada

Expansibilidade

Baixa

Média

Elevada

Plasticidade

• É a propriedade de se deformar pela aplicação duma força e de manter essa deformação quando a força aplicada é retirada.

• A água em quantidade adequada forma à volta das partículas argilosas, filmes líquidos com efeito lubrificante que facilitam o deslizamento das partículas, umas sobre as outras, sempre que uma tensão superficial é aplicada.

• É avaliada por plasticímetros ou pela determinação dos limites de plasticidade e de liquidez

Aplicações da argila

- Cerâmica: porcelana, telha, tijolo

- Papel: 1 tonelada de papel contém 196kg de argila

- Cimento “portland”: calcário e 25% de argila

- Agregados leves usados na construção civil

- Refractários: tijolos para fornos, muflas, fornalhas

- Borracha, plásticos e tintas plásticas

- Perfurações: facilitam o arrefecimento da cabeça da

broca e o transporte até à boca do furo dos fragmentos

de rocha)

- Impermeabilizantes: as montmorilonites são utilizadas no revestimento de canais de rega e reservatórios de água

Rochas sedimentares de origem química

• Precipitadas

Rochas sedimentares de origem química • Precipitadas • Evaporíticas

• Evaporíticas

Rochas sedimentares de origem química • Precipitadas • Evaporíticas

Rochas sedimentares de origem não detrítica

Origem

Rocha

Composição

 

Calcários

Calcite (c/ eventual pigmentação por óxidos de Fe)

Dolomitos

Dolomite

Precipitação

Silex, chertes

Sílica criptocristalina

Gesso

Gesso

Sal-gema

Halite + impurezas (ex: argilas)

Mista:

   

precipitação

Margas

50% Argilas + 50% Calcite

/detrítica

 

Calcários conquíferos

Restos de conchas em cimento calcário

Calcários recifais

Calcite “fabricada” pelos corais

Biogénica

Diatomitos

“Carapaças” siliciosas de diatomáceas

Carvões (turfa; lenhite; hulha; antracite) betumes; petróleo e gás natural

Matéria orgânica animal e vegetal fóssil

Rochas sedimentares evaporíticas

• Precipitadas a partir de soluções saturadas, por processos de evaporação excessiva das águas:

• Salgema (halite, NaCl)

• Gesso (CaSO 4 2H 2 O)

• Anidrite (CaSO 4 ), etc.

excessiva das águas: • Salgema (halite, NaCl) • Gesso (CaSO 4 2H 2 O) • Anidrite

Salinas ou marinhas:

instaladas, actualmente, pelo homem junto ao mar

marinhas : instaladas, actualmente, pelo homem junto ao mar O salgema é pouco denso e muito

O salgema é pouco denso e muito plástico, o que contribui para que grandes massas de sal ascendam da profundidade, através de zonas de fraqueza, constituindo diapiros ou domos salinos: correspondem a grandes espessuras verticais que nada têm a ver com a espessura das camadas iniciais e que concentram o sal ascendente “espremido” da sua jazida original

têm a ver com a espessura das camadas iniciais e que concentram o sal ascendente “espremido”

Rochas sedimentares de origem biogénica

Rochas sedimentares de origem biogénica

Rochas sedimentares de precipitação

Precipitadas a partir de soluções saturadas, por processos diferentes da evaporação, ou seja, por aumento da temperatura, perda de CO 2 , por agitação das águas, etc.

• Carbonatadas

• Siliciosas

• Ferruginosas, etc.

, perda de CO 2 , por agitação das águas , etc. • Carbonatadas • Siliciosas

Carvões fósseis: resultam da incarbonização, ao abrigo do ar, de restos vegetais - os tecidos vegetais transformam-se em carvão por enriquecimento relativo em carbono, resultante da perda de hidrogénio e de oxigénio. Os 4 tipos de carvão representam termos sucessivamente mais ricos em carbono:

1. Turfa

2. Lenhite

3. Hulha

4. Antracite --------

de carvão representam termos sucessivamente mais ricos em carbono: 1. Turfa 2. Lenhite 3. Hulha 4.
de carvão representam termos sucessivamente mais ricos em carbono: 1. Turfa 2. Lenhite 3. Hulha 4.

Sedimentogénese

1. Meteorização: fenómenos que levam à destruição das rochas no próprio local onde se encontram

2. Transporte: remoção dos produtos (EROSÃO = meteorização + transporte)

3. Sedimentação: imobilização dos materiais em trânsito, a sua deposição

4. Diagénese: transformação de sedimentos soltos em agregados, é a Litificação da rocha

1. Mecanismos responsáveis pela destruição das rochas

Acções mecânicas:

levam à desagregação das rochas

Acções químicas:

levam à produção de novos minerais e de iões dissolvidos

levam à desagregação das rochas • Acções químicas : levam à produção de novos minerais e
levam à produção de novos minerais e de iões dissolvidos Acções mecânicas Ocorrem em regiões muito

Acções mecânicas

Ocorrem em regiões muito frias ou áridas

a) Termoclastia

b) Crioclastia

c) Descamação

=> levam à formação de clastos, detritos ou fragmentos da rocha mãe

a) Termoclastia b) Crioclastia c) Descamação => levam à formação de clastos, detritos ou fragmentos da

Termoclastia

Termoclastia • Produzida pelas diferenças de volume dos diferentes minerais constituintes das rochas, sob acção das

• Produzida pelas diferenças de volume dos diferentes minerais constituintes das rochas, sob acção das diferentes temperaturas (altas durante o dia e baixas durante a noite)

• Os minerais escuros e claros têm diferentes graus de absorção da luz solar (diferentes coeficientes de dilatação). Aquecem e dilatam e descolam, levando à desintegração das rochas em grãos.

Descamação

• Fracturação em placas ou em superfícies curvas e paralelas devido à descompressão e consequente expansão das rochas formadas em profundidade, sob elevadas pressões.

paralelas devido à descompressão e consequente expansão das rochas formadas em profundidade, sob elevadas pressões.
paralelas devido à descompressão e consequente expansão das rochas formadas em profundidade, sob elevadas pressões.

Crioclastia

Crioclastia • Desintegração provocada pelo frio: a água contida nos poros e fissuras das rochas gela

• Desintegração provocada pelo frio: a água contida nos poros e fissuras das rochas gela, como o gelo ocupa maior volume do que a água que lhe deu origem (9%), exercem-se pressões que levam à fracturação das rochas.

Acções químicas

Ocorrem nas zonas tropicais e temperadas

Acções químicas Ocorrem nas zonas tropicais e temperadas a. Hidrólise b. Oxidação c. Dissolução => levam

a. Hidrólise

b. Oxidação

c. Dissolução

=>

levam à formação de compostos químicos e novos minerais (minerais de neoformação)

Formação do ácido carbónico

• Nas nuvens, o dióxido de carbono reage com a água formando o ácido carbónico, tornando a água da chuva ligeiramente ácida:

• H 2 O + CO 2 ---> H 2 CO 3

• H 2 CO 3 ---> H + + HCO 3

-

Albite (feldspato sódico)

2NaAlSi 3 O 8 + 2H + +2HCO 3 - + 9H 2 O ------->

-----> Al 2 Si 2 O 5 (OH) 4 + 2Na + +2HCO 3 - +4H 4 SiO 4

Caulinite

produtos solúveis

a. Hidrólise

• Afecta principalmente os feldspatos (K, Na e Ca), convertendo-os em argilas e iões solúveis

a. Hidrólise • Afecta principalmente os feldspatos (K, Na e Ca), convertendo-os em argilas e iões

b. Oxidação

• Ocorre nos silicatos com ferro (olivinas, piroxenas, anfíbolas)

• Resulta da combinação do oxigénio atmosférico ou dissolvido na água com os minerais

• 2Fe 2 SiO 4 + 4H 2 O + O 2 ---> 2Fe 2 O 3 + 2H 4 SiO 4

Olivina

hematite

sílica solúvel

c. Dissolução

• A água subterrânea ácida ao circular através das fracturas dos calcários e dolomitos dissolve-os formando grutas, galerias, algares, etc., ou seja, carsificação.

CaCO 3 + H 2 CO 3 --> Ca ++ +2HCO 3

Calcite

-

galerias, algares, etc., ou seja, carsificação. CaCO 3 + H 2 CO 3 --> Ca +

3. Sedimentação

Ambientes de

sedimentação:

• Continental

• Litoral

• Marinho

Tipo de sedimentação: • Soluto => precipita = textura cristalina, coesa, rígida • Sólido =>
Tipo de sedimentação:
• Soluto => precipita
= textura cristalina, coesa,
rígida
• Sólido => deposita
= textura detrítica,
desagregada

• Água

• Vento

• Gravidade

2. Transporte

• Água • Vento • Gravidade 2. Transporte • Quando o agente de transporte perde a

• Quando o agente de transporte perde a competência, ou seja, a capacidade de exercer aquelas funções, os materiais em trânsito imobilizam-se, depositam, sedimentam.

3. Sedimentação

Tipo de sedimentação:

Soluto => Precipita

= textura cristalina, coesa, rígida

Sólido => Deposita

= textura detrítica, desagregada

=> Precipita = textura cristalina, coesa, rígida • Sólido => Deposita = textura detrítica, desagregada
=> Precipita = textura cristalina, coesa, rígida • Sólido => Deposita = textura detrítica, desagregada

Estratificação

• os sedimentos depositam-se sempre, salvo raras excepções, próximo da horizontal formando estratos ou camadas

• no limite entre duas camadas diferentes existe uma descontinuidade, o plano de estratificação, que constitui uma zona de fraqueza

duas camadas diferentes existe uma descontinuidade, o plano de estratificação , que constitui uma zona de
duas camadas diferentes existe uma descontinuidade, o plano de estratificação , que constitui uma zona de

Processos diagenéticos

Compacção: redução do volume do sedimento e da sua porosidade por compressão dos materiais suprajacentes

Cimentação: preenchimento dos vazios entre os detritos por substâncias que vão dar coerência à rocha – cimento

Cimentação : preenchimento dos vazios entre os detritos por substâncias que vão dar coerência à rocha

4. Diagénese ou litificação

• Conjunto de fenómenos físico-químicos de agregação e endurecimento, sofrido pelos sedimentos, desde a deposição até a transformação em rochas agregadas

• Ocorre em ambiente termodinâmico entre a sedimentação e o metamorfismo (P e T mais altas do que as da superfície da Terra)

Agentes de Meteorização

Água líquida: Chuva; Cursos de água; Águas subterrâneas; Oceanos

Água sólida

Vento

Mudanças de Temperatura

Ocupação vegetal e animal

Chuva

• A água da chuva é portadora de energia, o impacto produz erosão principalmente nas rochas menos duras

Chuva • A água da chuva é portadora de energia, o impacto produz erosão principalmente nas
Chuva • A água da chuva é portadora de energia, o impacto produz erosão principalmente nas

Curvas de Hjulstrom: Influência da velocidade da corrente e da dimensão das partículas na capacidade de erosão, transporte e sedimentação

na capacidade de erosão, transporte e sedimentação • Para o mesmo calibre de material, o aumento

Para o mesmo calibre

de material, o aumento da velocidade da corrente aumenta a competência do rio;

Para a mesma

velocidade da corrente, quanto menor o diâmetro maior a capacidade de transporte do rio.

Cursos de água: rios e ribeiras

Cursos de água: rios e ribeiras
Selecção granulométrica: diminuição do diâmetro dos sedimentos desde a cabeceira até à foz, devido à
Selecção granulométrica:
diminuição do diâmetro dos
sedimentos desde a cabeceira
até à foz, devido à diminuição
da velocidade da água.

Águas subterrâneas

Águas subterrâneas
Águas subterrâneas

Água sólida - glaciares

Água sólida - glaciares
Água sólida - glaciares
Oceanos
Oceanos
Oceanos
Oceanos

Vento

• Não tanto o vento directamente, mas fundamentalmente a carga sólida que transporta, que actua como abrasivo (corrasão = erosão eólica)

directamente, mas fundamentalmente a carga sólida que transporta, que actua como abrasivo (corrasão = erosão eólica)
directamente, mas fundamentalmente a carga sólida que transporta, que actua como abrasivo (corrasão = erosão eólica)

Mudanças de Temperatura

• Termoclastia

• Crioclastia

Mudanças de Temperatura • Termoclastia • Crioclastia

Pedogénese: formação de solos

Origem do solo: é o resultado final do processo de meteorização (mecânica e química) de uma rocha.

• Forma-se a uma taxa de 0,3 a 1,5mm/ano e considera-se, à escala humana, um recurso não renovável.

• Constituição: matéria sólida, de origem mineral de várias dimensões (desde 0,002 até 200mm), matéria orgânica, ar e água.

matéria sólida , de origem mineral de várias dimensões (desde 0,002 até 200mm), matéria orgânica ,

Ocupação vegetal e animal

Ocupação vegetal e animal
Ocupação vegetal e animal

Conceito de Solo

• Do ponto de vista pedológico: é a parte sólida externa da crosta terrestre que sofre meteorização física e química causada pelos agentes atmosféricos e pelos seres vivos e que serve de suporte à vegetação.

• Do ponto de vista geotécnico: é todo o material da crosta terrestre que não oferece resistência à escavação mecânica e que se desagrega na presença de água. As formações geológicas do tipo solo podem ser bastante problemáticas, não só no que respeita à sua fracção argilosa, potencialmente instabilizadora, mas também devido à dinâmica própria destas formações na presença de água.