Vous êtes sur la page 1sur 24

Boletim j

Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros
Fascículo No 17/2014

São Paulo

// Federal Veja nos Próximos


IOF Fascículos
Operações de câmbio. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 01

//
a IPI - Papel imune - Registro
Estadual especial
ICMS a ICMS - Nota Fiscal Eletrônica
Base de cálculo reduzida. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 05 (NF-e)

// IOB Setorial a ICMS - Salvados de sinistro

Federal
Bebidas - Vinho e derivados da uva e do vinho - Regulamentação. . . . . 18

// IOB Comenta
Estadual
ICMS - Incidência na confecção de sacolas com os dados do encomen-
dante e destinadas a acondicionar mercadorias comercializadas. . . . . . . 19

// IOB Perguntas e Respostas


IOF
Factoring - Contribuinte - Conceito . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Operações de câmbio - Alíquota - Remessa de juros e dividendos - Re-
cebedor estrangeiro. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Operações de mútuo - Alíquota - Mutuário optante pelo Simples Nacio-
nal. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
ICMS/SP
Antecipação - Recolhimento do imposto - Momento anterior ao da en-
trada da mercadoria em território paulista. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21
Substituição tributária - Base de cálculo - Materiais elétricos. . . . . . . . . 21
Substituição tributária - Base de cálculo - Produtos de colchoaria. . . . . 21
Substituição tributária - EHC - Distribuidor de combustíveis - Suspensão
da condição de contribuinte substituto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22
© 2014 by IOB FOLHAMATIC EBS > SAGE

Capa:
Marketing IOB FOLHAMATIC EBS > SAGE

Editoração Eletrônica e Revisão:


Editorial IOB FOLHAMATIC EBS > SAGE

Telefone: (11) 2188-7900 (São Paulo)


0800-724-7900 (Outras Localidades)

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

ICMS, IPI e outros : IOF : operações de câmbio.... --


10. ed. -- São Paulo : IOB Folhamatic, 2014. --
(Coleção manual de procedimentos)

ISBN 978-85-379-2139-5

1. Imposto sobre Circulação de Mercadorias -


Brasil 2. Imposto sobre Produtos Industrializados -
Brasil 3. Tributos - Brasil I. Série.

14-02899 CDU-34:336.223(81)
Índices para catálogo sistemático:
1. Brasil : Imposto sobre Circulação de
Mercadorias e Serviços : ICMS : Direito
tributário 34:336.223(81)
2. Brasil : Imposto sobre Produtos
Industrializados : IPI : Direito tributário
34:336.223(81)

Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução total ou parcial desta obra, por qualquer
meio ou processo, sem prévia autorização do autor (Lei no 9.610, de 19.02.1998, DOU de 20.02.1998).
Boletim IOB

Impresso no Brasil
Printed in Brazil
Boletim j

Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

a Federal
IOF 3. Contribuintes
São contribuintes do IOF os compradores ou os
Operações de câmbio vendedores de moeda estrangeira nas operações
relativas às transferências financeiras para o exterior
SUMÁRIO
1. Introdução ou do exterior, respectivamente.
2. Fato gerador
Nota
3. Contribuintes
As transferências financeiras compreendem os pagamentos e os rece-
4. Base de cálculo bimentos em moeda estrangeira, independentemente da forma de entrega e
5. Alíquota da natureza das operações.
6. Isenção (RIOF/2007, art. 12)
7. Cobrança e recolhimento
8. Solução de consulta Cosit
3.1 Responsáveis
1. Introdução São responsáveis pela cobrança e pelo recolhi-
O IOF é um tributo que incide sobre diversas mento do IOF as instituições financeiras autorizadas a
operações financeiras, tais como as de cré- operar em câmbio.
dito, câmbio, seguro e, ainda, as rela- (RIOF/2007, art. 13)
tivas a títulos ou valores mobiliários. São contribuintes
do IOF os compradores 4. Base de cálculo
Neste texto, examinaremos a
forma de incidência desse imposto ou os vendedores de moeda A base de cálculo do IOF é
nas operações de câmbio, prevista estrangeira nas operações o montante em moeda nacional
no Regulamento do IOF, aprovado relativas às transferências recebido, entregue ou posto à
pelo Decreto nº 6.306/2007. financeiras para o exterior ou do disposição, correspondente ao
exterior, respectivamente valor, em moeda estrangeira, da
(RIOF - Decreto nº 6.306/2007) operação de câmbio.
(RIOF/2007, art. 14)
2. Fato gerador
Ocorre o fato gerador do IOF na entrega de 5. Alíquota
moeda nacional ou estrangeira ou de documento A alíquota máxima do IOF incidente sobre as
que a represente ou, ainda, na sua colocação à dis- operações de câmbio é 25%.
posição do interessado, em montante equivalente à (Decreto nº 6.306/2007, art. 15)
moeda estrangeira ou nacional entregue ou posta à
disposição por este. 5.1 Alíquota reduzida
(RIOF/2007, art. 11, caput) A alíquota do IOF fica reduzida a 0,38%, observa-
das as exceções a seguir especificadas, em relação
2.1 Momento da ocorrência do fato gerador às quais será aplicado o percentual fixado para as
respectivas operações:
Ocorre o fato gerador do IOF, e ele se torna devido,
a) 0%, operações de câmbio relativas ao ingres-
no momento da liquidação da operação de câmbio.
so, no País, de receitas de exportação de
(RIOF/2007, art. 11, parágrafo único) bens e serviços;

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-01


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

b) 0%, operações de câmbio de natureza inter- rias e de futuros, na forma regulamentada pelo
bancária entre instituições integrantes do Sis- Conselho Monetário Nacional (CMN), excetua-
tema Financeiro Nacional autorizadas a operar das operações com derivativos que resultem
no mercado de câmbio e entre estas e as ins- em rendimentos predeterminados;
tituições financeiras no exterior;
Nota
c) 0%, operações de câmbio, de transferências A alíquota a que se refere a letra “k” é aplicada também às operações
do e para o exterior, relativas a aplicações de para a aquisição de quotas de investimento imobiliário.
fundos de investimento no mercado interna-
l) 0%, liquidações de operações de câmbio con-
cional, nos limites e condições fixados pela
tratadas por investidor estrangeiro, para in-
Comissão de Valores Mobiliários (CVM);
gresso de recursos no País para a aquisição de
d) 0%, operações de câmbio realizadas por em-
ações em oferta pública registrada ou dispen-
presas de transporte aéreo internacional, do-
sada de registro na CVM ou para a subscrição
miciliadas no exterior, para remessa de recur-
de ações, desde que, em ambos os casos, as
sos originados de suas receitas locais;
companhias emissoras tenham registro para a
e) 0%, operações de câmbio relativas a ingresso negociação das ações em bolsas de valores;
de moeda estrangeira para cobertura de gas- m) 0%, liquidações de operações de câmbio con-
tos efetuados no País com utilização de cartão tratadas por investidor estrangeiro, para o in-
de crédito emitido no exterior; gresso de recursos no País, inclusive por meio
f) 0%, operações de câmbio realizadas para in- de operações simultâneas, para a aquisição
gresso no País de doações em espécie recebi- de cotas de fundos de investimento em partici-
das por instituições financeiras públicas con- pações, de fundos de investimento em empre-
troladas pela União e destinadas a ações de sas emergentes e de fundos de investimento
prevenção, monitoramento e combate ao des- em cotas dos referidos fundos, constituídos na
matamento e de promoção da conservação e forma autorizada pela CVM;
do uso sustentável das florestas brasileiras, de n) 0%, liquidações de operações de câmbio para
que trata a Lei nº 11.828/2008; fins de retorno de recursos aplicados por in-
g) 0%, liquidações de operações de câmbio de vestidor estrangeiro nos mercados financeiro
ingresso e saída de recursos no e do País, re- e de capitais, nas operações descritas nas le-
lativas a recursos captados a título de emprés- tras “i”, “j”, “k”, “l”, “m”, “o”, “p”, “u” e “v”;
timos e financiamentos externos, exceto em o) 0%, liquidações de operações simultâneas de
relação às operações descritas na letra “t”; câmbio, para o ingresso no País de recursos
h) 0%, liquidações de operações de câmbio para por meio de cancelamento de depositary re-
remessa de juros sobre o capital próprio e divi- ceipts, para investimento em ações negociá-
dendos recebidos por investidor estrangeiro; veis em bolsa de valores;
i) 0%, liquidações de operações de câmbio con- p) 0%, liquidações de operações simultâneas de
tratadas por investidor estrangeiro, para in- câmbio, para o ingresso no País de recursos
gresso de recursos no País, inclusive por meio originários da mudança de regime do investi-
de operações simultâneas, para constituição dor estrangeiro, de investimento direto de que
de margem de garantia, inicial ou adicional, trata a Lei nº 4.131/1962, para o investimento
exigida por bolsas de valores, de mercadorias em ações negociáveis em bolsa de valores, na
e de futuros; forma regulamentada pelo CMN;
j) 0%, liquidações de operações de câmbio con-
Notas
tratadas por investidor estrangeiro, para in- (1) O art. 23 da Lei nº 4.131/1962 dispõe:
gresso de recursos no País, inclusive por meio “Art. 23. As operações cambiais no mercado de taxa livre serão efe-
de operações simultâneas, para aplicação no tuadas através de estabelecimentos autorizados a operar em câmbio, com
a intervenção de corretor oficial quando previsto em lei ou regulamento, res-
mercado financeiro e de capitais, excetuadas pondendo ambos pela identidade do cliente, assim como pela correta clas-
as operações mencionadas nas letras “k”, “l”, sificação das informações por este prestadas, segundo normas fixadas pela
“m”, “o”, “p” e “u”; Superintendência da Moeda e do Crédito.
[...]
k) 0%, liquidações de operações de câmbio con-
§ 2º Constitui infração imputável ao estabelecimento bancário, ao
tratadas por investidor estrangeiro, relativas a corretor e ao cliente, punível com multa de 50 (cinquenta) a 300% (tre-
transferências do exterior de recursos para zentos por cento) do valor da operação para cada um dos infratores, a
declaração de falsa identidade no formulário que, em número de vias e
aplicação no País em renda variável realizada segundo o modelo determinado pelo Banco Central do Brasil, será exigi-
em bolsa de valores ou em bolsa de mercado- do em cada operação, assinado pelo cliente e visado pelo estabelecimen-

17-02 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

to bancário e pelo corretor que nela intervierem. (Redação dada pela Lei ta ou mediante emissão de títulos no mercado
nº 9.069/1995)
internacional com prazo médio mínimo de até
§ 3º Constitui infração, de responsabilidade exclusiva do cliente, puní-
vel com multa de 5 (cinco) a 100% (cem por cento) do valor da operação, a 360 dias;
declaração de informações falsas no formulário a que se refere o § 2º. (Reda-
ção dada pela Lei nº 9.069/1995) Nota
§ 4º Constitui infração, imputável ao estabelecimento bancário e ao Quando a operação de empréstimo for contratada por prazo médio
corretor que intervierem na operação, punível com multa equivalente de 5 mínimo superior a 360 dias e for liquidada antecipadamente, total ou par-
(cinco) a 100% (cem por cento) do respectivo valor, para cada um dos infra- cialmente, descumprindo o prazo médio mínimo exigido, o contribuinte fi-
tores, a classificação incorreta, dentro das Superintendência da Moeda e do cará sujeito ao pagamento do imposto calculado à alíquota 6%, acrescido
Crédito, das informações prestadas pelo cliente no formulário a que se refere de juros moratórios e multa, sem prejuízo das penalidades previstas no
o § 2º deste artigo. art. 23 da Lei nº 4.131/1962 e no art. 72 da Lei nº 9.069/1995 (RIOF/2007,
§ 5º Em caso de reincidência poderá o Conselho da Superintendência art. 15-A, § 2º).
da Moeda e do Crédito cassar a autorização para operar em câmbio aos es-
tabelecimentos bancários que negligenciarem o cumprimento do disposto no u) 0%, liquidações de operações de câmbio con-
presente artigo e propor á autoridade competente igual medida em relação
aos corretores.”
tratadas por investidor estrangeiro, para o in-
(2) O art. 72 da Lei nº 9.069/1995 dispõe: gresso de recursos no País, para aquisição de
“Art. 72. Os §§ 2º e 3º do art. 23 e o art. 58 da Lei nº 4.131, de 3 de títulos ou valores mobiliários emitidos na forma
setembro de 1962, passam a vigorar com a seguinte redação: dos arts. 1º e 3º da Lei nº 12.431/2011;
[...] v) 0%, liquidações de operações de câmbio con-
Art. 58. As infrações à presente Lei, ressalvadas as penalidades espe-
cíficas constantes de seu texto, ficam sujeitas a multas de até R$ 100.000,00
tratadas por investidor estrangeiro, inclusive por
(cem mil reais), a serem aplicadas pelo Banco Central do Brasil, na forma meio de operações simultâneas, relativas a trans-
prescrita em regulamento a ser baixado pelo Conselho Monetário Nacional.” ferências do exterior de recursos para aplicação
q) 0%, operação de compra de moeda estrangei- no País em certificado de depósito de valores
ra por instituição autorizada a operar no mer- mobiliários, denominado Brazilian Depositary Re-
cado de câmbio, contratada simultaneamente ceipts (BDR), na forma regulamentada pela CVM;
com uma operação de venda, exclusivamente w) 6,38%, nas operações de câmbio liquidadas
quando requeridas em disposição regulamen- para o cumprimento de obrigações de admi-
tar, excetuadas as operações mencionadas nistradoras de cartão de uso internacional ou
nas letras “i”, “j”, “m” “o”, “p” e “t”; de bancos comerciais ou múltiplos na quali-
r) 6,38%, operações de câmbio destinadas ao dade de emissores de cartão de crédito ou de
cumprimento de obrigações de administrado- débito decorrentes de saques no exterior efe-
ras de cartão de crédito ou de bancos comer- tuado por seus usuários; e
ciais ou múltiplos na qualidade de emissores x) 6,38%, nas liquidações de operações de câm-
de cartão de crédito decorrentes de aquisição bio liquidadas para a aquisição de moeda es-
de bens e serviços do exterior efetuada por trangeira em cheques de viagens e para car-
seus usuários, observada a regra descrita na regamento de cartão internacional pré-pago,
letra “s” seguinte; destinadas a atender gastos pessoais em via-
gens internacionais.
Nota
(Lei nº 4.131/1962, art. 23; Lei nº 9.069/1995, art. 72; Lei
O art. 1º do Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 1/2012 esclarece
que a alíquota descrita na letra “r” aplica-se inclusive ao cumprimento das nº 11.828/2008; Decreto nº 6.306/2007, art. 15-A, caput, II a V
obrigações decorrentes das aquisições de bens e serviços do exterior com e VII a XXVI, § 3º; Ato Declaratório Interpretativo RFB nº 1/2012)
pagamento referenciado em reais por seus usuários.

s) 0%, operações de câmbio destinadas ao cum- 5.2 Empréstimo com cláusula de antecipação de
primento de obrigações de administradoras de vencimento (put/call)
cartão de crédito ou de bancos comerciais ou Nas operações de empréstimo em moeda via lança-
múltiplos na qualidade de emissores de cartão mento de títulos, com cláusula de antecipação de venci-
de crédito decorrentes de aquisição de bens mento, parcial ou total, pelo credor ou pelo devedor (put/
e serviços do exterior quando forem usuários call), a 1ª data prevista de exercício definirá a incidência
do cartão a União, os Estados, os Municípios, do imposto de que trata a letra “t” do subitem 5.1.
o Distrito Federal, suas fundações e autar- (RIOF/2007, art. 15-A, § 1º)
quias;
t) 6%, liquidações de operações de câmbio para 5.3 Empréstimo com prazo médio mínimo superior
ingresso de recursos no País, inclusive por a 360 dias
meio de operações simultâneas, referente a Quando a operação de empréstimo for contratada
empréstimo externo sujeito a registro no Ban- por prazo médio mínimo superior ao exigido (360 dias
co Central do Brasil, contratado de forma dire- - ver letra “t” do subitem 5.1) e for liquidada anteci-

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-03


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

padamente, total ou parcialmente, descumprindo-se Descrição Código de receita


o prazo médio mínimo exigido, o contribuinte ficará
Operação de câmbio - Entrada de moeda 4290
sujeito ao pagamento do imposto calculado à alíquota
de 6% acrescido de juros moratórios e multa, sem Operação de câmbio - Saída de moeda 5220
prejuízo das penalidades previstas no art. 23 da Lei nº (RIOF/2007, art. 17; Listagem de Especificações de Recei-
4.131/1962 e no art. 72 da Lei nº 9.069/1995. tas emitida pela SRF/Cosar em 1º.02.2001)
Nota
Veja notas 1 e 2, inseridas após a letra “p” do subitem 5.1. 7.1 Recolhimento fora do prazo
(Lei nº 4.131/1962, art. 23; Lei nº 9.069/1995, art. 72; O recolhimento do IOF fora do prazo previsto na
RIOF/2007, art. 15-A, § 2º)
legislação será acrescido de:

6. Isenção a) juros de mora equivalentes à Taxa Referencial


Selic, para títulos federais, acumulada mensal-
São isentas do IOF as operações de câmbio: mente, calculados a partir do 1º dia do mês
a) realizadas para pagamento de bens importa- subsequente ao do vencimento até o último
dos; dia do mês anterior ao do pagamento, e de
1% no mês do pagamento; e
Nota
Nas operações de importação financiada, a isenção do IOF de que b) multa de mora, calculada à taxa de 0,33% ao
trata a letra “a” aplica-se somente na liquidação do contrato de câmbio para dia, a partir do 1º dia seguinte ao do venci-
remessa de principal, não se aplicando na liquidação do contrato de câmbio
para remessa de juros e comissões (Ato Declaratório Interpretativo RFB nº
mento, limitada a 20%.
24/2008, art. 4º).
(RIOF/2007, art. 47)
b) em que o comprador ou o vendedor da moeda
estrangeira seja a entidade binacional Itaipu; 8. Solução de Consulta Cosit
c) em que os compradores ou os vendedores da Transcrevemos, a seguir, o texto da Solução de
moeda estrangeira sejam missões diplomáti- Consulta nº 61/2014, da Coordenação-Geral de Tribu-
cas e repartições consulares de carreira; e tação (Cosit), que trata da não aplicação da alíquota
d) contratadas por funcionário estrangeiro de zero na hipótese de descumprimento do prazo médio
missão diplomática ou representação consu- mínimo nas operações de câmbio relacionadas a
lar, exceto os que tenham residência perma- empréstimo e financiamento externos.
nente no Brasil.
SOLUÇÃO DE CONSULTA COSIT Nº 61, DE 20.02.2014 -
Notas DOU 1 DE 10.03.2014
(1) As isenções de que tratam as letras “c” e “d” não se aplicam aos
consulados e cônsules honorários (RIOF/2007, art. 16, § 1º). Assunto: Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e
Seguros ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários - IOF
(2) A isenção descrita na letra “d” também se aplica aos membros das
famílias dos funcionários, desde que com eles mantenham relação de depen- Ementa: OPERAÇÕES DE CÂMBIO - INGRESSO DE
dência econômica e não tenham residência permanente no País (RIOF/2007, MOEDA ESTRANGEIRA - ALÍQUOTA ZERO - EMPRÉS-
art. 16, § 3º). TIMO EXTERNO - LIQUIDAÇÃO ANTECIPADA - DESCUM-
PRIMENTO DO PRAZO MÉDIO MÍNIMO.
(3) A isenção também se aplica aos organismos internacionais e re-
gionais de caráter permanente de que o Brasil seja membro e aos funcio- O descumprimento do prazo médio mínimo fixado no inciso
nários estrangeiros desses organismos, nos termos dos acordos firmados XXII do art. 15-A do Regulamento do IOF implica a perda,
(RIOF/2007, art. 16, § 4º). com efeitos retroativos, do benefício fiscal de redução a
zero da alíquota de IOF incidente na liquidação das opera-
(RIOF/2007, art. 16; Ato Declaratório Interpretativo RFB nº ções de câmbio de ingresso de recursos no País, captados
24/2008, art. 4º) a título de empréstimos e financiamentos externos. Por
conseguinte, o contribuinte ficará sujeito ao pagamento do
imposto, calculado à alíquota estabelecida nesse disposi-
7. Cobrança e recolhimento tivo, vigente na data de liquidação da operação de câmbio
O IOF será cobrado na data da liquidação da de ingresso dos recursos, acrescido de juros moratórios e
multa.
operação de câmbio.
Dispositivos Legais: Lei nº 5.172, de 1966 (Código Tribu-
tário Nacional- CTN); Arts. 116, II, 117, II, e 144; Decreto
O recolhimento do IOF deverá ser feito por meio nº 6.306, de 2007, arts. 11, 15-A, IX, XXII, e § 2º; ADI RFB
de Documento de Arrecadação de Receitas Federais nº 41, de 2011.
(Darf), até o 3º dia útil subsequente ao decêndio da
(Solução de Consulta Cosit nº 61/2014)
sua cobrança, com utilização dos seguintes códigos
de receita: N
17-04 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB
Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

a Estadual
ICMS art. 37 do Regulamento do ICMS do Estado de São Paulo,
aprovado pelo Decreto nº 45.490/2000, e, em seguida,
reproduziremos quadro sinótico com as principais
Base de cálculo reduzida operações beneficiadas com base de cálculo reduzida.
SUMÁRIO
1. Introdução (RICMS-SP/2000, art. 37)
2. Base de cálculo
3. Base de cálculo reduzida
4. Nota fiscal 2. Base de cálculo
5. Escrituração Fiscal Digital (EFD)
A base de cálculo do imposto é, em regra, o valor
6. Quadro sinótico
da operação que decorrer da saída da mercadoria de
1. Introdução estabelecimento de contribuinte ou o preço do serviço,
no caso de prestação de serviços tributados pelo ICMS.
A base de cálculo é o valor sobre o qual é
aplicada a alíquota correspondente, fixada em lei, (RICMS-SP/2000, art. 37, I e VIII)
determinando-se, assim, o montante do imposto a ser
recolhido. 2.1 Fornecimento de mercadoria com prestação de
serviços
Quando o Estado concede redução da base de
No fornecimento de mercadoria com prestação
cálculo do imposto, está de fato isentando parte da
de serviços não incluídos na competência tributária
tributação incidente na respectiva operação, o que dos municípios, a base de cálculo corresponderá ao
consiste na chamada isenção parcial do imposto, valor total da operação, nele incluídas as parcelas das
como demonstramos no exemplo a seguir. mercadorias fornecidas e da prestação dos serviços.
Base de cálculo integral 100% A prestação de serviço de competência tributária
(-) Redução da base de cálculo 60% dos municípios, expressamente prevista na Lista de
(=) Base de cálculo reduzida 40% Serviços anexa à Lei Complementar nº 116/2003, com
expressa disposição de que o ICMS incide sobre o for-
Como se vê nesse exemplo, a redução da base necimento de mercadorias, tem como base de cálculo o
de cálculo representa isenção parcial (60%), pois o preço corrente da mercadoria fornecida ou empregada.
tributo só incidirá sobre parte do valor da operação,
(RICMS-SP/2000, art. 37, III, “a” e “b”)
isto é, sobre 40% do valor originariamente tributável
(100%).
2.2 Importação
Vejamos a seguinte ilustração: Na entrada de mercadoria importada do exterior, a
base de cálculo será o valor constante do documento
de importação, convertido em moeda nacional, acres-
cido das seguintes parcelas:
a) Imposto de Importação (II);
b) Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
c) Imposto sobre Operações de Câmbio (IOF/
Câmbio); e
d) quaisquer outros impostos, taxas, contribui-
ções (Programa de Integração Social “PIS” -
Importação e Financiamento da Seguridade
1 - Base de cálculo reduzida (valor tributável) = 40%; Social “Cofins” - Importação) e demais despe-
2 - Redução da base de cálculo (isenção parcial) sas aduaneiras, assim consideradas as efeti-
= 60%. vamente pagas à repartição alfandegária até
o momento do desembaraço da mercadoria,
Examinaremos nos itens seguintes alguns aspectos tais como diferenças de peso, classificação
relacionados à base de cálculo do imposto, com base no fiscal e multas por infrações.

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-05


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Para determinar a base de cálculo, o preço da Saliente-se que não se aplica a redução de base
mercadoria expresso em moeda estrangeira será de cálculo na operação própria praticada por contri-
convertido em moeda nacional pela mesma taxa de buinte sujeito às normas do Regime Especial Unificado
câmbio utilizada no cálculo do Imposto de Importação de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos
(II), sem qualquer acréscimo ou devolução posterior, pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte
se houver variação da taxa de câmbio até o paga- (Simples Nacional).
mento do efetivo preço, observando-se o seguinte:
a) o valor fixado pela autoridade aduaneira para Os acordos, quando estabelecidos e, se for o
base de cálculo do Imposto de Importação caso, efetivamente aplicados em cada Estado ou no
(II), nos termos da lei aplicável (Decreto nº Distrito Federal, podem, nas suas redações, ter como
6.759/2009 - Regulamento Aduaneiro), subs- exemplo uma das seguintes expressões:
tituirá o valor declarado; e a) fica reduzida a base de cálculo da operação
b) não sendo devido o Imposto de Importação ou prestação em “10%”... - nesse caso, o con-
(II), será utilizada a taxa de câmbio emprega- tribuinte deve subtrair do valor da base de cál-
da para o cálculo desse imposto no dia do iní- culo o percentual indicado, ou seja:
cio do despacho aduaneiro.
Valor da operação (base de cálculo): R$ 1.000,00 - 10% (R$
No caso de suspensão de tributos federais por 100,00) = R$ 900,00 (valor da base de cálculo reduzida)
ocasião do desembaraço aduaneiro, o lançamento da
b) fica reduzida a base de cálculo da operação
parcela do imposto correspondente a esses tributos
ou prestação a “20%”... - nesse caso, o contri-
federais fica também suspenso, devendo ser efeti-
buinte deve considerar como base de cálculo
vado no momento em que ocorrer a cobrança, pela
o percentual indicado, ou seja:
União, dos tributos federais suspensos.
(RICMS-SP/2000, art. 37, IV, §§ 5º, 6º e 8º) Valor da operação (base de cálculo): R$ 1.000,00 x 20% (R$
200,00) = R$ 200,00 (valor da base de cálculo reduzida)

2.3 Fornecimento de refeições c) fica reduzida a base de cálculo da operação


No fornecimento de alimentação, bebidas e outras ou prestação de forma que a carga tributária
mercadorias em bares, restaurantes, cafés e outros efetiva corresponda ao percentual de “7%”...
estabelecimentos, a base de cálculo é o valor total da - nesse caso, o contribuinte deverá dividir o
operação, nele incluídos os valores da mercadoria e percentual da carga tributária efetiva pela alí-
da prestação do serviço. quota correspondente ao produto, ou seja:
(RICMS-SP/2000, art. 37, II) Percentual da carga tributária efetiva: 7% ÷ 18% (alíquota do pro-
duto) = 38,89 x 18% = 7%
3. Base de cálculo reduzida Considerando-se que o valor de determinada operação seja de R$
1.000,00, aplicando a referida fórmula, temos:
Os benefícios fiscais só podem ser concedidos R$ 1.000,00 x 38,89% = R$ 388,90 (base de cálculo reduzida) x
ou revogados nos termos de convênios celebrados e 18% = R$ 70,00 (carga tributária da operação)
ratificados pelos Estados e pelo Distrito Federal nos
termos da Lei Complementar nº 24/1975 (por meio de (Lei Complementar nº 24/1975; RICMS-SP/2000, art. 51,
parágrafo único, Anexo II)
convênio ICMS).

A redução de base de cálculo prevista para as 4. Nota fiscal


operações internas aplica-se, também:
Sendo o valor da base de cálculo diverso do valor
a) nas saídas destinadas a não contribuinte do da operação ou da prestação, o contribuinte deverá
imposto localizado em outra Unidade da Fede- mencionar essa circunstância no documento fiscal,
ração; no qual indicará o dispositivo pertinente da legislação
b) no cálculo do valor do imposto a ser recolhido (no campo “Informações Complementares” do quadro
a título de substituição tributária, quando a re- “Dados Adicionais”), bem como o valor sobre o qual
dução da base de cálculo for aplicável nas su- tiver sido calculado o imposto.
cessivas operações ou prestações até o con-
sumidor ou usuário final. Exemplo: “ICMS - Base de cálculo reduzida -
Art. 54 do Anexo II do RICMS/2000”.
As hipóteses de redução de base de cálculo do
ICMS estão previstas no Anexo II do RICMS-SP/2000. (RICMS-SP/2000, art. 187)

17-06 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

4.1 Exemplo
Nota Fiscal Eletrônica (Danfe)

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-07


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

5. Escrituração Fiscal Digital (EFD) (EPP) optantes pelo Simples Nacional, salvo a que
estiver impedida de recolher o ICMS por este regime
Desde 1º.01.2014 todos os estabelecimentos na forma do § 1º do art. 20 da Lei Complementar nº
dos contribuintes de ICMS são obrigados a adotar a 123/2006.
EFD, mediante o registro eletrônico, em arquivo digital
padronizado, de todas as operações, prestações e
No tocante às empresas optantes pelo Simples
informações sujeitas a escrituração, dentre outros,
Nacional, a obrigatoriedade iniciará em 1º.01.2016,
nos livros Registro de Entradas, Registro de Saídas
podendo esta data ser antecipada a critério de cada
e Registro de Apuração do ICMS. Em função disto,
Unidade da Federação.
devem observar as regras de preenchimento previs-
tas no Ato Cotepe/ICMS nº 9/2008 e no Guia Prático (RICMS-SP/2000, art. 250-A; Portaria CAT nº 147/2009; Ato
da Escrituração Fiscal Digital. Cotepe/ICMS nº 9/2008; Protocolo ICMS nº 3/2011)

Essa obrigatoriedade não se aplica ao microem- 6. Quadro sinótico


preendedor individual (MEI) optante pelo Sistema
de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Reproduzimos, a seguir, quadro sinótico com as
Tributos abrangidos pelo Simples Nacional (Simei) e operações e as prestações beneficiadas por redução
à microempresa (ME) e empresa de pequeno porte da base de cálculo.
Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Admissão temporária
- Desembaraço aduaneiro decorrente de importação do exterior de bens desti- equivalente à adotada RICMS-SP/2000
nados à prestação de serviços ou à fabricação de outros bens de capital, sob indeterminada para a cobrança dos - Anexo II, art.
amparo do Regime Aduaneiro Especial de Admissão Temporária previsto em tributos federais 38
legislação federal específica.
Aeronaves, partes e peças
RICMS-SP/2000
- Operação interna ou interestadual com os produtos relacionados no art. 1º do indeterminada carga tributária de 4%
- Anexo II, art. 1º
Anexo II do RICMS-SP/2000.
RICMS-SP/2000
Algodão em pluma indeterminada 60% - Anexo II, art.
31
enquanto es-
Alho tiver vigente o RICMS-SP/2000
- Saída interestadual de alho, promovida pelo estabelecimento em que tiver sido Convênio ICMS 50% - Anexo II, art.
produzido. nº 153/2004 42
(31.05.2015)
Barras de aço RICMS-SP/2000
- Saída interna de barras de aço, classificadas nos códigos 7214.30.00, indeterminada carga tributária de 12% - Anexo II, art.
7215.10.00, 7215.50.00, 7228.30.00 e 7228.50.00 da NCM. 58
Befiex
- Operações a seguir indicadas realizadas com máquina, equipamento, apare-
lho, instrumento ou material, seus respectivos acessórios, sobressalentes ou fer-
proporcional à redução
ramentas, destinados à integração no Ativo Imobilizado de empresa industrial, RICMS-SP/2000
indeterminada do Imposto de Impor-
para uso exclusivo na sua atividade produtiva, desde que na importação de tais - Anexo II, art. 2º
tação
produtos haja redução do Imposto de Importação:
a) recebimento, pelo importador, em decorrência de importação do exterior; e
b) saída interna ou interestadual.
Biodiesel (B-100) enquanto es- carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída de biodiesel (B-100) resultante da industrialização de grãos, sebo bovi- tiver vigente o - Anexo II, art.
no, sementes ou palma. Convênio ICMS 46
nº 113/2006
(31.05.2015)
Biogás e Biometano indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saídas internas. Considerando-se: - Anexo II, art.
a) biogás o gás oriundo do processo de biodigestão anaeróbica de resíduos 69
orgânicos, sobretudo, provenientes de produção agrícola e pecuária, aterros
sanitários, estações de tratamento de efluentes, entre outras fontes geradoras e
que seja composto majoritariamente de metano;
b) biogás como biometano quando sua composição e características físico-
-químicas forem compatíveis com a Resolução da ANP nº 16/2008.
Brinquedos indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna de brinquedos classificados nas subposições 9501.00 e 9504.10 - Anexo II, art.
e nas posições 9502 e 9503, todos da NBM/SH, realizada por estabelecimento 37
fabricante.

17-08 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Carne indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Saída interestadual de carne e demais produtos comestíveis frescos resultan- - Anexo II, art.
tes do abate de ave, leporídeo e gado bovino, bufalino, caprino, ovino ou suíno, 45
resfriados, congelados, salgados, secos ou temperados.
Esse benefício aplica-se também à saída interestadual de jerked beef.
Carroçaria de ônibus indeterminada carga tributária de 8% RICMS-SP/2000
- Saídas de carroçaria de ônibus quando montada em ônibus movido a diesel ou - Anexo II, art.
semidiesel classificado no código 8702.10.00 da NBM/SH 29
A redução não se aplica na hipótese de saída interestadual em que a alíquota
aplicável seja inferior a 8%.
Carrocerias sobre chassi, vagões ferroviários de carga, carrocerias para veí- indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
culos automóveis, reboques e semirreboques - Anexo II, art.
Operações internas de carrocerias sobre chassi, classificadas no código 8704.2 65
da Nomenclatura Comum do Mercosul - NCM, bem como nas saídas internas
dos produtos a seguir indicados:
a) vagões ferroviários de carga (NCM 8606);
b) carrocerias para os veículos automóveis das posições 87.01 a 87.05 da NCM,
incluindo as cabinas (NCM 8707);
c) reboques e semirreboques, para quaisquer veículos; outros veículos não au-
topropulsados; suas partes (NCM 8716).
Células fotovoltaicas indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Saída interna efetuada pelo estabelecimento fabricante, exceto para consu- - Anexo II, art.
midor final, de células fotovoltaicas em módulos ou painéis, classificadas no 57
código 8541.40.31 da NCM.
Cesta básica indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Operações internas com os produtos a seguir indicados: - Anexo II, art. 3º
a) leite em pó;
b) café torrado, em grão, moído e o descafeinado, classificado na subposição
0901.2 da NBM/SH;
c) óleos vegetais comestíveis refinados, semirrefinados, em bruto ou degoma-
dos, exceto o de oliva, e a embalagem destinada a seu acondicionamento;
d) açúcar cristal ou refinado classificado nos códigos 1701.11.00 e 1701.99.00
da NBM/SH;
e) alho;
f) farinha de milho, fubá, inclusive o pré-cozido;
g) pescados, exceto crustáceos e moluscos, em estado natural, resfriados,
congelados, salgados, secos, eviscerados, filetados, postejados ou defumados
para conservação, desde que não enlatados ou cozidos;
h) manteiga, margarina e creme vegetal;
i) apresuntado;
j) maçã e pera;
k) ovo de codorna seco, cozido, congelado ou conservado de outro modo;
l) pão de forma, pão de especiarias, sem adição de frutas e chocolate e nem
recobertos, e pão tipo bisnaga, classificados, respectivamente, nos códigos
1905.90.10, 1905.20.90 e 1905.90.90 da NBM/SH;
m) trigo em grão, exceto para semeadura, classificado na posição 1001.00 da
NBM/SH;
n) farinha de trigo classificada na posição 1101.00 da NBM/SH;
o) mistura pré-preparada de farinha de trigo para panificação, que contenha no
mínimo 95% de farinha de trigo, classificada no código 1901.20 da NBM/SH;
p) massas alimentícias não cozidas, nem recheadas ou preparadas de outro
modo, desde que classificadas na posição 1902.11 ou 1902.19 da NBM/SH;
q) biscoitos e bolachas derivados do trigo, dos tipos “cream cracker”, “água e
sal”, “maisena”, “maria” e outros de consumo popular, classificados na posição
1905.31 da NBM/SH, desde que não sejam adicionados de cacau, recheados,
cobertos ou amanteigados, independentemente de sua denominação comercial;
r) pão francês ou de sal, assim entendido aquele de consumo popular, obti-
do pela cocção de massa preparada com farinha de trigo, fermento biológico,
água e sal, que não contenham ingrediente que venha a modificar o seu tipo,
característica ou classificação e que sejam produzidos com o peso de até 1000
gramas, desde que classificado na posição 1905.90 da NBM/SH;
s) arroz, farinha de mandioca, feijão, charque e sal de cozinha; e
t) linguiça, mortadela, salsicha, sardinha enlatada e vinagre.
Componentes de sistemas espaciais indeterminada carga tributária de 4% RICMS-SP/2000
Operações com os produtos relacionados no Anexo Único do Convênio ICMS - Anexo II, art.
nº 148/2013 destinadas à empresa Visiona Tecnologia Espacial S.A., inscrita no 68
CNPJ sob o nº 13.944.554/0001-99, com a finalidade de implantar o sistema
do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas Brasileiro
(SGDC).

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-09


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Couro (produtos de) indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna de couro do Capítulo 41 da NBM/SH, realizada por estabeleci- - Anexo II, art.
mento atacadista, com destino a estabelecimento de fabricante de produtos de 32
couro do Capítulo 42 e dos produtos do Capítulo 64, todos NBM/SH.
Cristal e porcelana enquanto es- 50% RICMS-SP/2000
- Saída promovida pelo estabelecimento fabricante dos produtos a seguir indi- tiver vigente o - Anexo II, art.
cados, classificados nas posições, subposições e códigos da NBM/SH: Convênio ICMS 40
a) louças, outros artigos de uso doméstico e artigo de higiene ou toucador, de nº 153/2004
porcelana, classificados na posição 6911; (31.05.2015)
b) copos de cristal de chumbo, exceto os de vitrocerâmica, classificados no
código 7013.21.0000;
c) objetos para serviço de mesa (exceto copos) ou de cozinha, de cristal de
chumbo, exceto de vitrocerâmica, classificados no código 7013.31.0000; e
d) outros objetos de cristal de chumbo, classificados na subposição 7013.91.
Desenvolvimento industrial e agropecuário indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Saídas internas realizadas pelo estabelecimento fabricante de produtos da - Anexo II, art.
indústria de processamento eletrônico de dados e de embalagens para ovo in 26
natura, com capacidade para acondicionamento de até 30 unidades.
Desenvolvimento industrial - Construção civil indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Produtos para condicionamento de ar, classificados nos códigos 8414.30.19, - Anexo II, art.
8414.59.90, 8415.82.10, 8415.82.90, 8418.61.10, 8418.61.90, 8418.69.90 da 28
NBM/SH, realizadas pelo estabelecimento fabricante, com destino a obra de
construção civil.
Desenvolvimento industrial e agropecuário, programa habitacional e outros indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saídas internas realizadas pelo estabelecimento fabricante, dos produtos rela- - Anexo II, art.
cionados no art. 27 do Anexo II do RICMS-SP/2000. 27
Efluentes domésticos e industriais (tratamento) indeterminada a) 60%, com estorno RICMS-SP/2000
- Operações com os produtos relacionados no Anexo Único do Convênio ICMS proporcional do crédito - Anexo II, art.
nº 8/2011, promovidas por empresas licenciadas pelos órgãos estaduais com- do imposto relativo aos 59
petentes, destinados ao tratamento e controle de efluentes industriais e domés- produtos beneficiados
ticos, mediante o emprego de tecnologia de aceleração da biodegradação. com a redução da base
de cálculo prevista neste
artigo;
b) 35%, com manuten-
ção integral do crédito
do imposto relativo aos
produtos beneficiados
com a redução da base
de cálculo.
Equino puro-sangue, exceto puro-sangue inglês (PSI) indeterminada 51,11% RICMS-SP/2000
- Operações internas - Anexo II, art. 6º
Eletrodomésticos: indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Saída interna, exceto para consumidor final, efetuada por estabelecimento fa- - Anexo II, art.
bricante dos produtos a seguir relacionados: 54
a) fogões de cozinha de uso doméstico, NCM 7321.11.00;
b) combinações de refrigeradores e congeladores (freezers), munidos de portas
exteriores separadas, de uso doméstico, NCM 8418.10.00;
c) refrigeradores do tipo doméstico, NCM 8418.21.00;
d) congeladores (freezers) horizontais tipo arca, de capacidade não superior a
800 litros, de uso doméstico, NCM 8418.30.00;
e) congeladores (freezers) verticais tipo armário, de capacidade não superior a
900 litros, de uso doméstico, NCM 8418.40.00;
f) secadoras de roupa de uso doméstico, NCM 8421.12.10;
g) máquinas de lavar louça do tipo doméstico, NCM 8422.11.00;
h) máquinas de lavar roupa, mesmo com dispositivos de secagem, de capaci-
dade até 15 kg em peso de roupa seca, de uso doméstico, NCM 8450.11.00,
8450.12.00, 8450.20.10 ou 8450.20.90;
i) máquinas de lavar roupa semiautomáticas de uso doméstico, NCM 8450.19.00;
j) máquinas de secar de uso doméstico, NCM 8451.21.00; e
k) fogões de cozinha a gás com resistência elétrica, NCM 8516.60.00.
Elevadores (partes), escadas e tapetes rolantes a seguir relacionados: enquanto es- carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
a) escadas e tapetes rolantes - NBM 8428.40; e tiver vigente o - Anexo II, art.
b) partes de elevadores - NBM 8431.31. Convênio ICMS 49
nº 16/2008
(31.05.2015)

17-10 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Flotigam Eda-B (código 2924.29.9900 da NBM/SH) indeterminada 78% RICMS-SP/2000
- Saída interestadual - Anexo II, art. 7º

Gás liquefeito de petróleo e gás natural indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna - Anexo II, art. 8º

Hidrocarbonetos líquidos - Solventes indeterminada carga tributária de 18% RICMS-SP/2000


- Saída interna dos produtos a seguir relacionados, observada a classificação - Anexo II, art.
segundo a NCM, com destino a estabelecimento industrial, que os utilize como 53
insumo em seu processo de industrialização:
a) hidrocarbonetos saturados, 2710.19.19;
b) óleos minerais brancos - óleos de vaselina ou de parafina, 2710.19.91;
c) óleos minerais brancos técnicos, 2710.19.99;
d) vaselina, 2712.10.00;
e) benzeno, 2902.20.00;
f) o-xileno, 2902.41.00;
g) estireno, 2902.50.00; e
h) cumeno, 2902.70.00.

Importação - Regime de Tributação Unificada (RTU) enquanto es- carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Desembaraço aduaneiro decorrente de importação do Paraguai, por via tiver vigente o - Anexo II, art.
terrestre, de bens e mercadorias, promovida por microempresa (ME) optante Convênio ICMS 63
pelo Simples Nacional, habilitada a operar no Regime de Tributação Unificada nº 61/2012
(RTU). (31.07.2015)

Instrumentos musicais indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000


- Saída interna de instrumentos musicais classificados no Capítulo 92 da NBM/ - Anexo II, art.
SH, realizada por estabelecimento fabricante. 35

Insumos agropecuários enquanto es- 60% RICMS-SP/2000


- Saída interestadual tiver vigente o - Anexo II, art. 9º
Convênio ICMS
nº 100/1997
(31.07.2014)

Insumos agropecuários - Rações e adubos enquanto es- 30% RICMS-SP/2000


- Saída interestadual tiver vigente o - Anexo II, art.
Convênio ICMS 10
nº 100/1997
(31.07.2014)

Lâmpadas led, luminárias led, refletores led, fitas led e painéis led indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
Saída interna efetuada pelo estabelecimento fabricante, exceto para consumi- - Anexo II, art.
dor final, de lâmpada led (NCM 8543.70.99), luminária led (NCM 9405.40.90 e 55
9405.10.99), refletor led (NCM 9405.10.93), fita led (NCM 9405.40.90) e painel
led (NCM 8531.20.00).

Madeira (MDP, MDF e chapas de fibras de madeira) indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000
- Saída interna efetuada pelo estabelecimento fabricante dos produtos a seguir - Anexo II, art.
relacionados: 56
a) quando destinados a estabelecimento fabricante de móveis, classificado
no código 3101-2/00 da Classificação Nacional de Atividades Econômicas -
CNAE:
a.1) painéis de partículas de madeira (MDP) classificados nos códigos
4410.11.10 a 4410.11.90 da NCM, exceto o código 4410.11.21 (piso lami-
nado);
a.2) painéis de fibras de madeira de média densidade (MDF) classificados nos
códigos 4411.12 a 4411.14 da NCM, exceto o código 4411.13.91 (piso lami-
nado);
a.3) chapas de fibras de madeira classificadas nos códigos 4411.92 a 4411.94
da NCM; e
b) quando destinados a estabelecimento atacadista ou varejista: piso laminado
classificado nos códigos 4410.11.21 ou 4411.13.91 da NCM.

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-11


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária

Mandioca enquanto es-


- Saída de produto resultante da industrialização de mandioca, promovida pelo tiver vigente o RICMS-SP/2000
respectivo estabelecimento industrializador. Convênio ICMS carga tributária de 7% - Anexo II, art.
nº 153/2004 43
(31.05.2015)

Máquinas, aparelhos e veículos usados indeterminada Redução: RICMS-SP/2000


- Saídas internas e interestaduais de máquinas, aparelhos e veículos usados. a) 95% - veículos e má- - Anexo II, art.
Redução: quinas ou aparelhos 11
a) veículos - 95%; agrícolas;
b) máquinas ou aparelhos: b) 80% - demais má-
b.1) de uso agrícola, classificados nas posições 8432 e 8433 da NBM/SH - 95%; quinas ou aparelhos.
b.2) demais máquinas e aparelhos - 80%.
Notas
(1) O benefício fica condicionado a que a operação da qual tiver decorrido a
entrada não tenha sido onerada pelo imposto; a entrada e a saída sejam com-
provadas mediante emissão de documento fiscal próprio e as operações sejam
regularmente escrituradas.
(2) Para efeito da redução da base de cálculo, será considerada usada a merca-
doria que já tiver sido objeto de saída com destino a usuário final.
(3) O benefício fiscal será aplicado, igualmente, às saídas subsequentes de má-
quina, aparelho ou veículo usado adquirido ou recebido com imposto recolhido
sobre a base de cálculo reduzida.
(4) A redução da base de cálculo não abrange a saída de peças, partes,
acessórios ou equipamentos aplicados em máquinas, aparelhos ou veículos
usados, em relação aos quais o imposto deverá ser calculado sobre o res-
pectivo valor de venda no varejo; quando o contribuinte não realizar venda a
varejo, o imposto será calculado sobre o valor equivalente ao preço de aqui-
sição, incluídas as despesas acessórias nela incorporadas e a parcela do Im-
posto sobre Produtos Industrializados (IPI), quando for o caso, acrescido de
30%.

Máquinas industriais e implementos agrícolas enquanto es- Vide coluna “Opera- RICMS-SP/2000
- Redução da base de cálculo do imposto incidente nas operações com má- tiver vigente o ções/Prestações” - Anexo II, art.
quinas, aparelhos e equipamentos industriais, ou com máquinas e implementos Convênio ICMS 12
agrícolas, indicados nos Anexos I e II do Convênio ICMS nº 52/1991, de for- nº 52/1991
ma que a carga tributária final incidente corresponda a um dos percentuais a (31.07.2014)
seguir indicados:
a) nas operações interestaduais com máquinas, aparelhos e equipamentos in-
dustriais:
a.1) com alíquota de 7% - com destino aos Estados das Regiões Norte, Nordes-
te e Centro-Oeste ou ao Estado do Espírito Santo - 5,14%;
a.2) com alíquota de 12% - com destino aos Estados das Regiões Sul e Sudeste,
exceto ao Estado do Espírito Santo - 8,80%;
a.3) nas operações interestaduais realizadas com consumidor ou usuário final,
não contribuinte, e nas operações internas - 8,80%;
b) nas operações interestaduais com máquinas e implementos agrícolas:
b.1) com alíquota de 7% - com destino aos Estados das Regiões Norte, Nordes-
te e Centro-Oeste ou ao Estado do Espírito Santo - 4,1%;
b.2) com alíquota de 12% - com destino aos Estados das Regiões Sul e Sudeste,
exceto ao Estado do Espírito Santo - 7%;
b.3) nas operações interestaduais realizadas com consumidor ou usuário final,
não contribuinte, e nas operações internas - 5,6%.
Nota
A redução da base de cálculo não poderá ser cumulada com qualquer outro
benefício fiscal.

17-12 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Medicamentos e cosméticos - Saída interestadual indeterminada A redução corresponde- RICMS-SP/2000
- Produtos a seguir relacionados, de acordo com o código da NBM/SH, quando rá ao valor obtido pela - Anexo II, art.
o PIS/Pasep e a Cofins forem cobrados de acordo com a sistemática prevista aplicação de um dos 22
na Lei nº 10.147/2000: percentuais a seguir in-
a) posição 30.01; dicados, sobre a base
b) posição 30.03, exceto o código 3003.90.56; de cálculo da operação,
c) posição 30.04, exceto o código 3004.90.46 conforme a alíquota in-
d) posições 3303.00 a 33.07; terestadual aplicável:
e) itens 3002.10.1, 3002.10.2, 3002.10.3, 3002.20.1, 3002.20.2, 3006.30.1 e 1) para produto farma-
3006.30.2; cêutico classificado nas
f) códigos 3002.90.20, 3002.90.92, 3002.90.99, 3005.10.10 e 3006.60.00; posições, itens e códi-
g) códigos 3401.11.90, 3401.20.10 e 9603.21.00. gos indicados nas letras
“a”, “b”, “c”, “e” e “f”:
1.1) 9,34%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 7%;
1.2) 9,90%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 12%;
2) para produto de perfu-
maria, de toucador ou de
higiene pessoal classifi-
cado nas posições 33.03
a 33.07 e nos códigos
indicados na letra “g”:
2.1) 9,90%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 7%;
2.2) 10,49%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 12%.
Novilho precoce enquanto es- a) 45%, se o animal a RICMS-SP/2000
- Saída de gado bovino qualificado como novilho precoce de estabelecimento tiver vigente o ser abatido apresentar - Anexo II, art.
rural com destino ao estabelecimento que irá promover o abate, localizado no Convênio ICMS as seguintes caracte- 41
território paulista. nº 153/2004 rísticas:
(31.05.2015) a.1) ter, no máximo, 2
dentes incisivos perma-
nentes ou idade inferior
a 2 anos e peso igual ou
superior a 225 quilogra-
mas de carcaça, para
os machos castrados,
e a 180 quilogramas,
para as fêmeas;
a.2) não ter dente incisivo
permanente ou ter idade
inferior a 1 ano e 6 me-
ses e ter peso igual ou
superior a 225 quilogra-
mas de carcaça, para os
machos não castrados;
b) 25%, se o animal tiver
no máximo 4 dentes in-
cisivos permanentes ou
idade inferior a 2 anos e
6 meses e o peso igual
ou superior a 225 qui-
logramas de carcaça,
para os machos castra-
dos, e a 180 quilogra-
mas, para as fêmeas.
Obras de arte carga tributária de 5% Decreto nº
- Desembaraço aduaneiro decorrente de importação do exterior e saída interna 60.065/2014
destinada a consumidor final de obras de arte comercializadas na Feira Interna-
cional de Arte de São Paulo (SP Arte/2014 e 2015), cujo valor unitário seja maior
que R$ 3.000.000,00.

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-13


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Papel cutsize de 1º.04.2012 a carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna de papel, do tipo utilizado para escrita, impressão ou outros 31.12.2015 - Anexo II, art.
fins gráficos, em folhas, de peso igual ou superior a 40g/m2, mas não superior 60
a 150g/m2, nas quais um lado não seja superior a 435 mm e o outro a 297 mm,
quando não dobradas, classificado na subposição 4802.56 da NCM, excluídos
os papéis para impressão de papel-moeda.
Pedra britada e pedra de mão enquanto es- 33,33% RICMS-SP/2000
- Saída interna tiver vigente o - Anexo II, art.
Convênio ICMS 14
nº 13/1994
(31.12.2014)
Perfumes, cosméticos e produtos de higiene pessoal indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna dos produtos relacionados no art. 34 do Anexo II do RICMS- - Anexo II, art.
-SP/2000, realizada por estabelecimento fabricante ou atacadista. 34
Pneus e câmaras de ar enquanto es- A redução correspon- RICMS-SP/2000
- Operação interestadual, realizada por estabelecimento fabricante ou importa- tiver vigente o derá ao valor obtido - Anexo II, art.
dor, com pneumáticos novos de borracha e câmaras de ar de borracha, clas- Convênio ICMS pela aplicação de um 24
sificados, respectivamente, nas posições 40.11 e 40.13 da NBM/SH, em que nº 6/2009 (inde- dos percentuais abai-
a receita bruta decorrente da venda dessas mercadorias esteja sujeita ao pa- terminada) xo indicados, sobre
gamento das contribuições para o PIS/Pasep e Cofins, nos termos da Lei nº a base de cálculo da
10.485/2002. operação:
a) 4,90%, nas opera-
ções tributadas pela
alíquota de 7%; e
b) 5,19%, nas opera-
ções tributadas pela
alíquota de 12%.
Pó de alumínio (código 7603.10.0000 da NBM/SH) enquanto es- carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Operações internas tiver vigente o - Anexo II, art.
Convênio ICMS 15
nº 13/1994
(31.12.2014)
Produtos alimentícios indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna dos seguintes produtos, realizadas por estabelecimento fabri- - Anexo II, art.
cante ou atacadista: 39
a) peixes e crustáceos, moluscos e outros invertebrados aquáticos do capí-
tulo 3;
b) laticínios, mel natural, outros produtos comestíveis de origem animal do capí-
tulo 4, não especificados nem compreendidos em outros capítulos, exceto leite
esterilizado (longa vida), iogurte e leite fermentado, classificados nos códigos
0401.10.10, 0401.20.10, 0403.10.00 e 0403.90.00 da NCM;
c) produtos hortícolas, plantas, raízes e tubérculos comestíveis do capítulo 7
da NCM;
d) frutas do Capítulo 8 da NCM;
e) chá, mate e especiarias das posições 0902 a 0910 da NCM;
f) produtos da indústria de moagem, amidos, féculas e glúten de trigo do Capí-
tulo 11 da NCM;
g) sementes e frutos oleaginosos do Capítulo 12 da NCM;
h) óleos vegetais comestíveis do Capítulo 15 da NCM;
i) preparações de carne, de peixes ou de crustáceos, de moluscos ou de outros
invertebrados aquáticos do Capítulo 16 da NCM;
j) açúcares e produtos de confeitaria do Capítulo 17 da NCM;
k) cacau e suas preparações comestíveis do Capítulo 18 da NCM;
l) preparações comestíveis à base de cereais, farinhas, amidos, féculas ou de
leite; produtos de pastelaria - Capítulo 19 da NCM;
m) preparações de produtos hortícolas, de frutas ou de outras partes de plantas
do Capítulo 20, exceto suco de laranja classificado no código 2009.1 da NCM;
n) preparações alimentícias diversas do Capítulo 21 da NCM;
o) vinagre e seus sucedâneos, obtidos a partir do ácido acético, para usos ali-
mentícios - NCM 2209.00.00; e
p) bebidas alimentares a base de soja ou leite e cacau e néctares de fruta - NCM
2202.90.00.

17-14 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Produtos de couro, sapatos, bolsas, cintos, carteiras e outros acessórios indeterminada a) carga tributária cor- RICMS-SP/2000
- Saída interna, exceto para consumidor final, de produtos de couro do Capítulo respondente a 7%, na - Anexo II, art.
41, de produtos dos Capítulos 42 e 64 e do código 3926.20.00, todos da No- saída realizada pelo 30
menclatura Comum do Mercosul (NCM/SH). estabelecimento fabri-
cante; e
b) carga tributária cor-
respondente a 12% ,
na saída realizada pelo
estabelecimento ataca-
dista

Produtos têxteis indeterminada Carga tributária equi- RICMS-SP/2000


- Saída interna efetuada pelo estabelecimento fabricante, exceto para consu- valente a: - Anexo II, art.
midor final, dos produtos a seguir indicados, de forma que a carga tributária a) 12%, com manuten- 52
resulte no percentual de: ção integral do crédito
a) 12%, relativamente aos produtos classificados nos códigos 5402 a 5406, do imposto relativo às
5501 a 5507 e 5902.20.00 da NCM; entradas dos insumos
b) 7%, relativamente aos seguintes produtos classificados segundo a NCM: ou das mercadorias
a) produtos classificados nos capítulos 50 a 58 e 60 a 63, exceto os produtos beneficiadas com a
das posições 5402 a 5406, 5501 a 5507, 5601 e 6309, ressalvado o disposto na redução da base de
alínea “e”; cálculo;
b) produtos classificados na posição 5901, exceto 5901.10.00; b) 7%, com manuten-
c) botões, 9606; ção integral do crédito
d) fechos ecler (fechos de correr), 9607.1; do imposto relativo às
entradas dos insumos
e) fibras têxteis de comprimento não superior a 5mm (tontisses), 5601.30;
ou das mercadorias
f) edredões, almofadas, pufes e travesseiros, 9404.90.00;
beneficiadas com a
g) bonés, 6505.00.1; redução da base de
h) gorros, 6505.00.2; cálculo.
i) chapéus, 6505.00.3.

Queijos indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000


- Operação interna com queijos tipo mussarela, prato e de minas. - Anexo II, art.
51

Radiochamada com transmissão unidirecional indeterminada carga tributária de 10% RICMS-SP/2000


- Anexo II, art.
16

Rastreamento de veículo e carga indeterminada carga tributária de 5% RICMS-SP/2000


- Prestação de serviço de comunicação, na modalidade de monitoramento e - Anexo II, art.
rastreamento de veículo e de carga. 47

Produtos químicos e petroquímicos 31.12.2009, carga tributária de 12% SP/2000 - Anexo


- Operação interna com os produtos relacionados a seguir, observada a classi- podendo ser II, art. 48
ficação segundo a NBM/SH: prorrogado
a) nafta petroquímica, 2710.11.41; mediante reco-
b) etano, 2901.10; mendação da
c) propano, 2711.12; Comissão de
d) etileno, 2901.21; Avaliação da
Política de De-
e) propeno (grau polímero), 2901.22;
senvolvimento
f) benzeno, 2902.20.00;
Econômico do
g) estireno, 2902.50.00; Estado de São
h) polietileno, 3901; Paulo
i) polipropileno, 3902;
j) poliestireno, 3903;
k) policloreto de vinila, 3904.

Soluções parenterais indeterminada carga tributária de 7% RICMS-SP/2000


- Saídas internas de soluções parenterais relacionadas no art. 62 do Anexo II do - Anexo II, art.
RICMS-SP/2000, realizada por estabelecimento industrial. 62

Suco de laranja indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000


- Saídas internas de suco de laranja classificado no código 2009.1 da NCM. - Anexo II, art.
61

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-15


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária

Telecomunicação - Call center indeterminada carga tributária de 15% RICMS-SP/2000


- Prestações de serviços de telefonia fixa a empresas de call center para a exe- - Anexo II, art.
cução dos serviços terceirizados a seguir indicados, de modo que a carga tri- 44
butária resulte no percentual de 15%:
a) serviços de atendimento ao consumidor;
b) televendas;
c) agendamento de visitas;
d) pesquisa de mercado;
e) cobrança;
f) help desk;
g) retenção de clientes.

Televisão por assinatura indeterminada carga tributária de 10% RICMS-SP/2000


a) prestação de serviço de televisão por assinatura; e - Anexo II, arts.
b) veiculação de mensagens de publicidade e propaganda na televisão por 18 e 50
assinatura.

Transporte intermunicipal de leite cru ou pasteurizado indeterminada carga tributária de 5% RICMS-SP/2000


- Anexo II, art.
19

Tubos, laminados e ligas de cobre indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000


Redução na saída interna para os produtos a seguir indicados, observada a - Anexo II, art.
Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), realizada por estabelecimento fabri- 66
cante, exceto para consumidor ou usuário final:
a) tubos de cobre, 7411.10.10, 7411.10.90;
b) laminados de cobre e ligas de cobre, 7409.11.00, 7409.19.00, 7409.21.00,
7409.29.00, 7409.31.90, 7409.39.00, 7409.40.10, 7409.40.90, 7410.11.13,
7410.11.19, 7410.11.90 e 7410.12.00.

Usinas produtoras de energia elétrica indeterminada, carga tributária de 12% RICMS-SP/2000


- Operações internas com máquinas, aparelhos, equipamentos, suas partes e exceto quanto - Anexo II, art.
peças destinados à construção ou ampliação das seguintes usinas produtoras às letras “d” e 20
de energia elétrica: “e”, que vigora-
a) Igarapava, pertencente ao Consórcio da Usina Hidrelétrica de Igarapa- rá enquanto es-
va, relativamente aos produtos indicados no Anexo II do Convênio ICMS tiver vigente o
nº 69/1997; Convênio ICMS
nº 58/2002
b) Pederneiras, pertencente à empresa Duke Energy 1 Brasil Ltda., inscrita no
(31.05.2015)
CNPJ sob nº 03.394.342/0001-21, na Rodovia SP 261, km 138, no Município de
Pederneiras, em São Paulo, relativamente aos produtos indicados no Anexo I do
Convênio ICMS nº 124/2001;
c) Santo André, pertencente à empresa Capuava Cogeração Ltda., inscrita no
CNPJ sob nº 002.838.447/0001-60, na Av. Presidente Costa e Silva, 1178, no
Município de Santo André, em São Paulo, relativamente aos produtos indicados
no Anexo II do Convênio ICMS nº 124/2001;
d) Mogi-Guaçu, pertencente à empresa Energy Works, inscrita no CNPJ sob
o nº 01.825.701/0007-18, situada na Rua Paula Bueno, nº 2935 - parte, Jardim
Samira, no Município de Mogi-Guaçu, em São Paulo, relativamente ao produtos
indicados no Anexo I do Convênio ICMS nº 58/2002; e
e) Americana, pertencente à empresa Diamond Energia Ltda, inscrita no
CNPJ sob o nº 02.211.119/0001-39, situada na Av. São Jerônimo, s/nº, Gle-
bas 11 e 12, Bairro São Jerônimo, no Município de Americana, em São Paulo,
objeto da matrícula nº 33.668, do Oficial de Registro de Imóveis de Ameri-
cana, relativamente aos produtos indicados no Anexo II do Convênio ICMS
nº 58/2002.

17-16 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Percentual Redução/
Operações/Prestações Vigência Fund. Legal
Carga tributária
Veículos enquanto es- a) relativamente aos RICMS-SP/2000
- Operação interestadual, por estabelecimento fabricante e importador, com os tiver vigente o produtos indicados no - Anexo II, art.
produtos relacionados nos Anexos I, II e III do Convênio ICMS nº 133/2002 Convênio ICMS Anexo I do Convênio 25
nº 133/2002 ICMS nº 133/2002:
(31.05.2015) a.1) 5,1595%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 7%;
a.2) 5,4653%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 12%;
b) relativamente aos
produtos indicados no
Anexo II do Convênio
ICMS nº 133/2002:
b.1) 2,3676%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 7%;
b.2) 2,5080%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 12%;
c) relativamente aos
produtos indicados no
Anexo III do Convênio
ICMS nº 133/2002:
c.1) 0,7129%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 7%;
c.2) 0,7551%, nas ope-
rações tributadas pela
alíquota de 12%.
Veículos militares enquanto es- carga tributária de 4% RICMS-SP/2000
- Saídas de veículos militares com destino ao Exército Brasileiro, inclusive as saí- tiver vigente o - Anexo II, art.
das de partes e peças, matérias-primas, acessórios e componentes separados Convênio ICMS 64
dos veículos militares, com destino os fabricantes dos veículos ou ao Exército nº 95/2012
Brasileiro. (31.05.2015)
Veiculação de mensagens de publicidade e propaganda em mídia exterior indeterminada carga tributária de 5% RICMS-SP/2000
- Prestação de serviço de comunicação na modalidade de veiculação de men- - Anexo II, art.
sagens de publicidade e propaganda em mídia exterior. 67
O benefício:
1. é opcional e sua adoção implicará vedação à apropriação de quaisquer cré-
ditos relativos à prestação do serviço de comunicação e à fruição de qualquer
outro benefício fiscal;
2. fica condicionado:
a) ao registro pelo contribuinte de sua opção em termo lavrado no Livro Regis-
tro de Utilização de Documentos Fiscais e Termos de Ocorrências (RUDFTO),
modelo 6, devendo a renúncia a ela ser objeto de novo termo, que produzirá
efeitos, em cada caso, no início de cada ano civil;
b) à emissão regular de Nota Fiscal de Serviço de Comunicação em via única,
em série distinta, por sistema eletrônico de processamento de dados, na forma
de disciplina estabelecida pela Secretaria da Fazenda.
Vinho indeterminada carga tributária de 12% RICMS-SP/2000
- Saída interna dos produtos a seguir indicados, classificados segundo a NBM/ - Anexo II, art.
SH, realizadas pelo estabelecimento fabricante: 33
a) outros vinhos; mostos de uvas cuja fermentação tenha sido impedida ou inter-
rompida por adição de álcool, 2204.2:
a.1) vinhos da madeira, do porto e de xerez, de málaga e outros licorosos;
a.2) mostos de uvas cuja fermentação tenha sido impedida ou interrompida por
adição de álcool, compreendendo as mistelas;
a.3) vinhos de mesa comuns ou de consumo corrente, produzidos com uvas
de variedades americanas ou híbridas, incluídos os frisantes com gaseificação
máxima de 2 atmosferas e mínima de meia atmosfera e graduação alcoólica não
superior a 13 G.L;
a.4) vinhos de mesa finos ou nobres e especiais produzidos com uvas viníferas,
incluídos os frisantes com gaseificação máxima de 2 atmosferas e mínima de
meia atmosfera e graduação alcoólica não superior a 13 G.L;
a.5) outros vinhos;
b) outros mostos de uva, 2204.30.00;
c) vermutes e outros vinhos de uvas frescas aromatizados por plantas ou subs-
tâncias aromáticas, 2205.

N
Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-17
Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

a IOB Setorial
Federal vinho a granel, não destinados ao consumidor
final;
Bebidas - Vinho e derivados da uva e e) exportador o estabelecimento que se destina
a exportar vinhos e derivados da uva e do vi-
do vinho - Regulamentação nho e matérias-primas; e
Foram regulamentadas as normas sobre a pro- f) importador o estabelecimento que se destina a
dução, a circulação e a comercialização do vinho e importar vinhos e derivados da uva e do vinho.
dos derivados da uva e do vinho e fixado o prazo de
Os estabelecimentos citados devem ser regis-
180 dias, a contar de 21.02.2014, para a adequação
trados no Ministério da Agricultura, Pecuária e
dos produtores e comerciantes desses produtos às
Abastecimento, observando-se, no que couberem, os
alterações estabelecidas no Regulamento da Lei nº
preceitos relativos aos gêneros alimentícios em geral,
7.678/1988, aprovado pelo Decreto nº 8.198/2014.
constantes da respectiva legislação.
A execução das disposições legais e regula-
O registro do estabelecimento será válido em todo
mentares citadas será exercida pelo Ministério da
o território nacional e deverá ser renovado a cada 10
Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
anos.
A classificação geral dos estabelecimentos viní-
Quando houver alteração da legislação perti-
colas, de acordo com suas atividades, isoladas ou em
nente, o referido registro deverá ser alterado no prazo
conjunto, é a seguinte:
estabelecido pelo órgão competente.
a) produtor ou elaborador;
b) padronizador; A alteração no registro do estabelecimento, seja
nos dados cadastrais ou na unidade produtora, não
c) envasilhador ou engarrafador; ensejará novo registro, ressalvadas as hipóteses de
d) atacadista; mudança de local ou do Cadastro Nacional da Pessoa
e) exportador; ou Jurídica (CNPJ) da unidade produtora, casos em que
o registro do estabelecimento deverá ser cancelado e
f) importador. um novo registro deverá ser providenciado.
São considerados:
a) produtor ou elaborador o estabelecimento que Os vinhos e os derivados da uva e do vinho deve-
transforma produtos primários, semi-industria- rão atender aos seguintes requisitos:
lizados ou industrializados de origem agrope- a) apresentar característica sensorial própria da
cuária em vinhos e derivados da uva e do vi- matéria-prima vegetal, animal ou mineral de
nho; sua origem, ou cuja denominação ou marca
b) padronizador o estabelecimento que elabo- se lhe assemelhe, e conter, obrigatoriamente,
ra um tipo de vinho ou derivado da uva e do essa matéria-prima nos limites estabelecidos
vinho padrão utilizando produtos de mesma no Regulamento em referência e em atos ad-
denominação, podendo adicionar outros pro- ministrativos complementares;
dutos previstos nos padrões de identidade e b) o suco de uva reconstituído, elaborado a partir
qualidade dos vinhos e derivados da uva e do do suco de uva concentrado ou desidratado,
vinho; deverá apresentar as mesmas características
c) envasilhador ou engarrafador o estabeleci- fixadas nos padrões de identidade e qualida-
mento que envasilha vinhos e derivados da de para o suco de uva integral;
uva e do vinho em recipientes destinados ao c) a graduação alcoólica de vinhos e derivados
consumidor final; da uva e do vinho será expressa em porcenta-
d) atacadista o estabelecimento que acondiciona gem de volume de álcool etílico à temperatura
e comercializa vinhos e derivados da uva e do de 20 °C;

17-18 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

d) no vinho ou derivado da uva e do vinho que a) normalidade dos caracteres sensoriais pró-
contiver gás carbônico, a medida da pressão prios de sua natureza ou composição;
gasosa será expressa em atmosferas à tempe-
b) qualidade e quantidade dos componentes
ratura de 20 °C;
próprios de sua natureza ou composição;
e) a água destinada à produção de derivados da
uva e do vinho deverá observar o padrão ofi- c) ausência de componentes estranhos, de alte-
cial de potabilidade; rações e de deteriorações;
f) os coeficientes de congêneres, componentes d) limites de substâncias e de microrganismos
voláteis não álcoois, substâncias voláteis não nocivos à saúde previstos em legislação espe-
álcoois, componentes secundários não álco- cífica; e
ois dos derivados da uva e do vinho destila-
e) conformidade com os padrões de identidade
dos e retificados serão definidos pela soma
e qualidade.
de acidez volátil (expressa em ácido acético),
aldeídos (expressos em acetaldeído), ésteres
(expressos em acetato de etila), álcoois supe- Serão considerados impróprios para o consumo e
riores (expressos pelo somatório dos mesmos) impedidos de comercialização os vinhos e derivados
e furfural, todos expressos em miligramas por da uva e do vinho que não atenderem às regras des-
100 mm de álcool anidro; critas nas letras “a” a “e” anteriores.

g) os coeficientes de congêneres dos derivados


da uva e do vinho destilados e retificados, Além das disposições de caráter geral, o Regula-
quando necessário, serão estabelecidos em mento trata em seu Capítulo XIX, composto dos arts.
ato administrativo complementar do Ministério 75 a 84, das proibições e infrações relacionadas às
da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; e atividades dos estabelecimentos que atuam na pro-
dução, circulação e comercialização do vinho e dos
h) os açúcares adicionados ao produto serão ex- derivados da uva e do vinho.
pressos em glicose.
(Lei nº 7.678/1988; Decreto nº 8.198/2014, Anexo, arts. 6º,
Os vinhos e os derivados da uva e do vinho deve- 9º, 11, 22, 47 e 75 a 84)
rão atender aos seguintes requisitos de identidade e
qualidade: N

a IOB Comenta
Estadual pelas indústrias gráficas, o Estado de São Paulo editou
a Portaria CAT nº 54/1981, com o objetivo de definir
a hipótese de não incidência do imposto estadual
ICMS - Incidência na confecção de
sobre as saídas de impressos dos estabelecimentos
sacolas com os dados do encomendante gráficos.
e destinadas a acondicionar
mercadorias comercializadas Dessa forma, deixou-se de exigir o ICMS nas
saídas efetuadas por estabelecimentos gráficos de
Em virtude das dúvidas suscitadas quanto à inci- impressos personalizados, assim entendidos aqueles
dência do ICMS ou do ISS na confecção de impressos que se destinam a uso exclusivo do autor da enco-

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-19


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

menda, como talonários de notas fiscais e cartões 4. A Portaria CAT 54/81, citada pela Consulente, cuida
de visita, não se considerando como tais aqueles da questão pertinente à incidência ou não do ICMS nas
saídas de impressos personalizados. Referida portaria,
que, mesmo contendo o nome do encomendante,
ao dispor sobre a tributação das operações efetuadas
se destinem a consumo na industrialização ou na por indústrias gráficas, em seus considerandos tratou
comercialização, como rótulos, etiquetas e materiais de grande parte das questões polêmicas que envolviam
de embalagem, ou para posterior distribuição, ainda a competência tributária para exigência do imposto
que a título gratuito. sobre os produtos confeccionados por estabelecimentos
gráficos.

Posteriormente, foi editado o Convênio ICM nº


11/1982, que autorizou as Unidades da Federação a 5. Ressalte-se, ainda, que o Conselho Nacional de
não exigirem o recolhimento do ICM (na época) na Política Fazendária - CONFAZ, em junho de 1982,
saída de impressos personalizados, promovida por celebrou o Convênio ICM-11/82, adotando esse enten-
dimento em nível nacional, nas cláusulas que transcre-
estabelecimento gráfico a usuário final.
vemos:

Assim, as sacolas confeccionadas sob enco-


menda, com os dados do cliente, e que serão por “Cláusula primeira - Ficam os Estados e o Distrito Federal
esse utilizadas no acondicionamento de merca- autorizados a não exigir o recolhimento do imposto sobre
operações relativas à circulação de mercadorias - ICM, na
dorias de sua comercialização, não são enqua-
saída de impressos personalizados, promovida por esta-
dradas como impressos personalizados, devendo belecimento gráfico a usuário...
incidir o ICMS na sua saída do estabelecimento
gráfico.
Parágrafo único - Para os fins desta cláusula, considera-
-se usuário final, a pessoa física ou jurídica que adquira
Nesse sentido manifestou-se a Consultoria o produto personalizado, sob encomenda, diretamente de
Tributária da Secretaria da Fazenda, por meio da estabelecimento gráfico, para seu uso exclusivo.
Resposta à Consulta nº 2.594/2014, a seguir trans-
crita:
Cláusula segunda - A norma prevista na cláusula anterior
não se aplica à saída de impressos destinados à comer-
ICMS - Confeção de sacolas com impressão de mar- cialização, à industrialização ou à distribuição, ainda que a
cas e informações por encomenda de clientes que as título gratuito.” (grifos acrescentados).
utilização como embalagens dos produtos a serem
revendidos.
6. Depreende-se dos dispositivos transcritos acima que
I. Incide ICMS nas saídas de sacolas personalizadas que as saídas de produtos feitos por estabelecimentos gráfi-
se destinem a acomodar os produtos comercializados pelo cos estão sujeitas ao ICMS, excetuando-se da exigência
adquirente/encomendante. apenas os chamados “impressos personalizados”. Note-
-se, ainda, que a incidência do Imposto Sobre Serviços de
Qualquer Natureza (ISSQN) deve ocorrer apenas quando
1. A Consulente, empresa de impressão de material para se tratar de impressos personalizados destinados ao
uso publicitário, afirma que fabrica sacolas por enco- consumo exclusivo do autor da encomenda (hipótese em
menda, com logomarca e informações do encomendante que não é exigido o imposto estadual). Portanto, conforme
(sacolas personalizadas). entendimento exarado, diversas vezes, por este órgão
consultivo, a saída de sacolas e demais embalagens, em
plástico, papel, ou qualquer outro material, confecciona-
2. Afirma ainda que “a matéria prima usada na fabricação das com o nome do encomendante (adquirente), está
dessas sacolas são todas por conta do consulente, ele as sujeita ao ICMS e não ao ISSQN. Referidas embalagens, ao
fabrica e também estampa a logomarca do encomendante, acomodar os produtos comercializados pelo adquirente/
criando-se assim um produto final, porém servindo apenas encomendante na sua etapa final, destinam-se ao con-
para o encomendante já que possui sua logomarca, tor- sumo na comercialização e não ao uso exclusivo do enco-
nando a venda para outras empresas impossível” e que “o mendante.
encomendante usa essas sacolas como embalagem para
seus produtos”
(Convênio ICMS nº 11/1982; Portaria CAT nº 54/1981; Res-
3. Questiona se a “fabricação das tais sacolas personaliza- posta à Consulta nº 2.594/2014)
das, que o encomendante usara para embalar, transportar
sua mercadoria vendida, é tributada pelo ICMS/SP ou ISS/
Município?”. N
17-20 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB
Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

a IOB Perguntas e Respostas


IOF Sim. Tratando-se de imposto a ser recolhido por
antecipação, conforme previsto no art. 426-A, admitir-
Factoring - Contribuinte - Conceito -se-á também o seu recolhimento em momento ante-
rior ao da entrada da mercadoria em território paulista,
1) Quem são considerados contribuintes, para
ainda que por meio de Guia Nacional de Recolhi-
efeito de incidência do IOF, nas operações de aliena-
mento de Tributos Estaduais (GNRE), com a indi-
ção de direito creditório à empresa de factoring?
cação:
No caso de alienação de direitos creditórios resul-
tantes de vendas a prazo a empresas de factoring, é a) do código de receita 10008-0 (recolhimentos
considerado contribuinte o alienante pessoa física ou especiais);
jurídica. b) do CNPJ e demais dados cadastrais do esta-
(Decreto nº 6.306/2007, art. 4º, parágrafo único) belecimento do contribuinte destinatário pau-
lista;
Operações de câmbio - Alíquota - Remessa de juros c) no campo “Informações Complementares”, do
e dividendos - Recebedor estrangeiro número da nota fiscal a que se refere o reco-
lhimento e do CNPJ do estabelecimento reme-
2) Qual é a alíquota do IOF incidente nas operações
tente.
de câmbio referentes a remessas de juros sobre o capital
próprio e dividendos recebidos por investidor estrangeiro? (Portaria CAT nº 16/2008, art. 1º, parágrafo único).
Nas liquidações de operações de câmbio para
remessa de juros sobre o capital próprio e dividendos Substituição tributária - Base de cálculo - Materiais
recebidos por investidor estrangeiro, a alíquota do elétricos
IOF é zero.
5) Qual é a base de cálculo da substituição tributá-
(Decreto nº 6.306/2007, art. 15-A, X)
ria nas operações com materiais elétricos?

Operações de mútuo - Alíquota - Mutuário optante No período de 1º.04.2014 a 31.12.2015, para o


pelo Simples Nacional cálculo da substituição tributária nas operações com
materiais elétricos destinados a estabelecimento
3) Qual é a alíquota do IOF nas operações de mútuo localizado em território paulista, deverá ser observado
em que o mutuário tenha optado pelo Simples Nacional? o Índice de Valor Adicionado Setorial (IVA-ST) previsto
Aplica-se a alíquota de 0,00137% nas operações na Portaria CAT nº 40/2014.
de mútuo em que o mutuário é pessoa jurídica optante
pelo Regime Especial Unificado de Arrecadação de (Portaria CAT nº 40/2014)
Tributos e Contribuições Devidos pelas Microempresas
e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional), Substituição tributária - Base de cálculo - Produtos de
com valor igual ou inferior a R$ 30.000,00. colchoaria
(Decreto nº 6.306/2007, art. 7º, caput, VI)
6) Qual é a base de cálculo da substituição tributá-
ria nas operações com produtos de colchoaria?
ICMS/SP Até 31.05.2014, para o cálculo da substituição
Antecipação - Recolhimento do imposto - Momento tributária nas operações com produtos de colchoaria
anterior ao da entrada da mercadoria em território destinados a estabelecimento localizado em território
paulista paulista, deverá ser observado o Índice de Valor
Adicionado Setorial (IVA-ST) previsto na Portaria CAT
4) Na hipótese de antecipação do imposto de que nº 153/2012, cuja vigência terminaria dia 31.03.2014 e
trata o art. 426-A do RICMS-SP/2000, é admitido o seu foi prorrogada pela Portaria CAT nº 39/2014.
recolhimento em momento anterior ao da entrada da
mercadoria em território paulista? (Portaria CAT nº 153/2012; Portaria CAT nº 39/2014)

Boletim IOB - Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 SP17-21


Manual de Procedimentos
ICMS - IPI e Outros

Substituição tributária - EHC - Distribuidor de em período no qual tenha realizado operações


combustíveis - Suspensão da condição de sujeitas à retenção do imposto por substitui-
contribuinte substituto ção tributária; e
7) O distribuidor de combustíveis poderá ter sus- e) descumprimento da disciplina estabelecida
pensa sua condição de sujeito passivo por substituição pela Secretaria da Fazenda relativa ao Cadas-
tributária nas operações com etanol hidratado com- tro de Contribuintes do ICMS.
bustível (EHC)?
Também poderão implicar a referida suspensão,
Sim. O distribuidor de combustíveis poderá ter sem prejuízo da instauração de Procedimento Admi-
suspensa a condição de sujeito passivo por substi- nistrativo de Cassação (PAC), Procedimento Admi-
tuição tributária nas operações com EHC nas seguin- nistrativo de Constatação de Nulidade de Inscrição
tes hipóteses: (PCN) ou qualquer outro procedimento administrativo
previsto na legislação:
a) existência de débito fiscal definitivamente
constituído, relativo ao ICMS devido por subs- a) simulação de existência do estabelecimento
tituição tributária; ou da empresa;
b) prática de infração à legislação tributária que b) simulação do quadro societário da empresa;
acarrete falta de pagamento do imposto devi- c) simulação da realização de operações;
do por substituição tributária;
d) práticas sonegatórias que levem ao desequilí-
c) descumprimento da disciplina de pagamento brio concorrencial; e
do imposto estabelecida para os distribuido-
e) falta de prestação de garantia ao cumprimento
res de combustíveis não credenciados nos ter-
das obrigações tributárias, quando exigida.
mos do art. 418-A do RICMS-SP/2000;
(Portaria CAT nº 41/2014)
d) falta de entrega de Guia de Informação e Apu-
ração do ICMS (GIA), com ou sem movimento, ◙

17-22 SP Manual de Procedimentos - Abr/2014 - Fascículo 17 - Boletim IOB