Vous êtes sur la page 1sur 17

4 - Filtros Activos

4.1-Caracterização
4.2-Filtros activos com Ampops
4.3-Filtros de Butterworth
4.1 - Caracterização

De uma forma simples podemos definir por filtro todo o circuito, activo ou passivo,
que tem por objectivo seleccionar determinadas gamas de frequência de um sinal de
entrada.

Do ponto de implementação os filtros podem ser divididos em duas classes:

passivos - construídos com base em componentes RLC (resistências, bobinas e


condensadores);

activos - construídos com base nos componentes anteriores e em componentes


activos (transístores, FETs, Ampops).

Do ponto de vista funcional e de acordo com o tipo de filtragem podem ser:

passa-baixo (atenua frequências acima de determinado limite);


passa-alto (atenua frequências abaixo de determinado limite);
passa-banda (atenua frequências abaixo e acima de determinados limites);
rejeita-banda (atenua frequências entre dois limites);.

Assumindo que os filtros têm comportamento ideal teremos, para cada um dos
tipos, as seguintes características de amplitude:
No caso dos filtros passa-alto e passa-baixo, f0 representa a frequência de corte. No
caso dos filtros passa-banda e rejeita-banda, ∆B representa a largura de banda (3db), f0L a
frequência de corte inferior e f0H a frequência de corte superior, sendo válidas as seguintes
relações:
f0 = f0H . f0L
f0H f0H + f0L
Se f0L ≤2 ⇒ f0 ≈
2
f0 - frequência de corte (meia potência, 3 db)

Filtros passivos

. Filtros RL/RC
R C

C R

L R

R L

Passa-baixo Passa-alto

Constante de tempo: filtros RC - T0=RC


filtros RL - T0=L/R

Função de transferência do filtro passa-baixo:


1
A (ω ) =
1 + ( ωT0 ) 2
θ( ω ) = − arctg ( ω T0 )
sendo A(ω) - característica de amplitude θ(ω) - característica de fase
1
para ( ω T0 ) 2 >> 1 ⇒ A( ω ) ≅
ω T0

para ( ωT0 ) 2 = 1 ⇒ A( ω ) ≅ 1 / 2 (-3db)


θ(ω ) = − π / 4

Função de transferência do filtro passa-alto:


1
A (ω ) =
1 + 1 / ( ωT0 ) 2
θ( ω ) = − arctg (1 / ω T0 )

para ( ω T0 ) 2 << 1 ⇒ A( ω ) ≅ ω T0
para ( ωT0 ) 2 = 1 ⇒ A( ω ) ≅ 1 / 2 (-3db)
θ(ω ) = + π / 4

. Filtros em π

L C

C C L L

Passa-baixo Passa-alto
L
L C

L C L
C L C L
C C

Passa-banda Rejeita-banda

4.2 - Filtros activos com Ampops

A utilização de ampops permite a realização de todos os tipos de filtragem


prescindindo da utilização de bobinas, pelo que se evitam as desvantagens relacionadas
com o uso destes componentes, nomeadamente:

- necessidade de maior volume/espaço;


- não linearidades;
- dissipação de energia;
- induções provocadas pelo campo magnético.

Outra das vantagens associadas à utilização de ampops nos filtros activos está
relacionada com o elevado produto ganho-largura de banda que pode atingir valores da
ordem da centena de MHz possibilitando realizar filtros para frequências bastante elevadas
(dezenas de MHz). Nesta gama de frequência o factor que condiciona o comportamento do
filtro passa a ser o Slew-Rate do AMPOP que pode atingir valores da ordem dos 500 V/µs.

Filtros de Butterworth

No caso geral a função de transferência de um filtro passa-baixo é dada por:


A0
G (S) = sendo
Pn (S)

G(S) - função de transferência do filtro


A0 - ganho estático
Pn(S) - polinómio de grau n na variável S (assume-se por motivos de estabilidade que todas
as raízes se encontram no semi-plano complexo esquerdo)

No caso dos filtros de Butterworth os polinómios Pn(S) são polinómios de


Butterworth, ou seja:
2n
⎛ ω⎞
Pn (S) = Bn (S) sendo Bn (S) = 1 + ⎜⎜ ⎟⎟
⎝ ω0 ⎠
n - ordem do filtro
ω0 - frequência de corte
Bn(ω) - polinómio de Butterworth de grau n

Representa-se na figura seguinte a característica de amplitude para três filtros


passa-baixo do tipo Butterworth (n=3; n=5; n=7). De notar que se tem sempre:
B n ( jω ) 1
= ≅ 0. 707 (-3 db)
A 0 ω=ω 2
0
n=3

n=5

n=7

Os polinómios de Butterworth conduzem ao anulamento do maior número de


derivadas na origem, ou seja conduzem a características maximamente planas na banda de
passagem dos filtros. A tabela seguinte representa os primeiros cinco polinómios de
Butterworth em termos de frequências normalizadas (S/ω0).

Polinómios de Butterworth normalizados (n=1 a 5)

n Bn(S)
1 (S+1)
2 (S2+1.414S+1)
3 (S+1)(S2+S+1)
4 (S2+0.765S+1)(S2+1.848S+1)
5 (S+1)(S2+0.618S+1)(S2+1.618S+1)

Dimensionamento de um filtro Butterworth, passa-baixo, de 2ª ordem:

G(S) 1
Neste caso tem-se: = 2
(n = 2)
A0 ⎛⎜ S ⎟⎞ + 2 K ' ⎜⎛ S ⎟⎞ + 1
⎝ ω0⎠ ⎝ ω0⎠
Representa-se na figura seguinte o circuito utilizado.

R'

R1 +Vcc
V-
-
V V+ V0
V +
I 7
R R
C C -Vcc

Análise do circuito:

⎛ R′ ⎞
V0 (S) = ⎜1 + ⎟ V+ (S) (1)
⎝ R1 ⎠
Aplicando a Lei dos nós no nó V:
VI (S) − V(S) V(S) − V0 (S) V(S)
= +
R 1 / SC R + 1 / SC
VI (S) ⎡1 1 ⎤
+ V0 (S)SC = V(S)⎢ + SC +
R ⎣R R + 1 / SC ⎥⎦
⎡ V (S) ⎤ R(1 + SRC)
V(S) = ⎢ I + V0 (S)SC⎥
⎣ R ⎦ 2 RCS + 1 + RCS(1 + RCS)
1 / SC 1
como V+ (S) = V(S) = V(S) e atendendo a (1), vem:
1 / SC + R 1 + SRC
⎛ R′ ⎞ 1
V0 (S) = ⎜1 + ⎟ [ VI (S) + SRCV0 (S)]
⎝ R1 ⎠ ( RC) S + 3RCS + 1
2 2

V0 (S) K
G(S) = =
VI (S) ( RC) S + (3 − K )RCS + 1
2 2

R'
sendo K = 1 +
R1

Comparando a expressão de G(S) com a expressão do polinómio de Butterworth


normalizado do 2º grau, vem:
ω0=1/RC A0=K 2K´=1.414=3-K
Como nota final podemos referir que apesar dos filtros de Butterworth conduzirem
a curvas de resposta mais planas na banda passante, existem outros filtros que possuem
uma característica de atenuação mais acentuada na banda de rejeição (caso dos filtros de
Chebyshev).

Filtro passa-alto

Trocando as resistências com os condensadores no circuito anterior obtemos um


filtro passa-alto de igual ordem. A troca das resistências com condensadores corresponde
em termos da variável S a trocar S/ω0 por ω0/S.
Para um filtro de 2ª ordem a função de transferência é dada por:

A 0 (S/ω0 ) 2 A 0 (S/ω0 ) 2
G(S) = =
(S/ω0 )2 + 2ζ (S/ω0 ) + 1 Pn (S)

onde A0 representa o ganho estático, ω0 a frequência de corte e ζ o coeficiente de


amortecimento.

Filtro passa-banda

Podemos obter um filtro passa-banda associando em cascata um filtro passa-baixo


de frequência de corte f0H com um filtro passa-alto de frequência de corte f0L, desde que se
tenha: f0H > f0L .
Amplitude
Filtro ideal passa-baixo

Amplitude
Filtro ideal passa-banda
0 fOH Frequência

Amplitude
Filtro ideal passa-alto
0 fOL fOH Frequência

0 fOL Frequência
f0
O factor de qualidade de um filtro passa-banda é definido por: Q= ,
f 0H − f 0L

sendo f0 , a frequência central do filtro, dada por: f0 = f0H . f0L

Amplitude (db)

max
max-3

0 f f f Frequência
0L 0 0H

Em termos de implementação, a técnica de obtenção de um filtro passa-banda com


base na associação em cascata de um filtro passa-baixo com um filtro passa-alto, só conduz
a bons resultados para baixos factores de qualidade (Q<10). Para factores de qualidade
mais elevados (Q>10) utilizam-se circuitos específicos dos quais iremos referir de seguida
dois exemplos.

.Filtro activo ressonante (passa-banda)

Neste caso a função de transferência pode ser representada em função do factor de


qualidade (Q) da seguinte forma:

V0 (S) RA 0
G(S) = =
VI (S) R + SL + 1 / SC
RA 0
fazendo S = jω vem G(jω ) =
R + j(ωL − 1 / ωC)
1 ω L 1 1 L
como ω 0 = e Q= 0 = = obtemos finalmente
LC R ω 0 RC R C
A0 ⎡ ⎛ ω ω 0 ⎞⎤
A(ω ) = G(jω ) = θ (ω ) = -arctg ⎢Q⎜ − ⎟⎥
⎣ ⎝ω 0 ω ⎠⎦
1/ 2
⎡ 2⎛ ω ω0 ⎞ ⎤
2

⎢1 + Q ⎜ − ⎟ ⎥
⎢⎣ ⎝ ω 0 ω ⎠ ⎥⎦

ω0 - frequência central da banda passante


Q - factor de qualidade

Um filtro, com esta característica, pode ser obtido com base no circuito ressonante
série a seguir representado:
L C
+
V A V0
I R 0
-

A 0
- ganho do amplificador

Representam-se nas figuras seguintes as curvas associadas à característica de


amplitude e de fase para diferentes valores do factor de qualidade Q. É de notar que em
relação à característica de fase se tem sempre: θ ( ω 0 ) = 0o
Designando por f0L e f0H as frequências de corte inferior e superior do filtro são
válidas as seguintes relações:
f02
B = f0H − f0L = f0H −
f0H
A (ω ) 1
=
A 0 ω = ω 0H 2
ω = ω 0L

f0 1 R
B= =
Q 2π L
B - largura de banda
f0 - frequência central
Q - factor de qualidade

.Filtro RC activo (passa-banda)

Representa-se na figura seguinte a configuração de um filtro activo passa-banda de


2ª ordem que para além do AMPOP apenas utiliza resistências e condensadores.
C
R1 R3 +Vcc
C
-
V V0
I R2
+
7
-Vcc

Neste caso a função de transferência, a frequência central e o factor de qualidade


são dados por:

V0 (S) −S R1.R 2
R1C
G (S) = = sendo R ' = (R1 // R 2 ) =
VI (S) S2 + ⎛ 2 ⎞ R1 + R 2
⎜ R C ⎟S + 1 '
⎝ 3 ⎠ R R 3C2

Como a função de transferência de um filtro passa-banda pode ser representada em termos


do ganho na banda passante (A0), do factor de qualidade (Q) e da frequência central (ω0)
por:
(ω0 A 0 /Q)S (A 0 /Q)(S/ω0 )
G(S) = =
S2 + (ω0 /Q)S + ω0
2
(S/ω0 )2 + (1/Q)(S/ω0 ) + 1
as expressões necessárias para o dimensionamento deste tipo de filtros são:
1 1
f0 =
2π C R ' R 3

1 R3 R3
Q= A0 =
2 R' 2R 1
podendo o factor de qualidade (Q) ser definido com base nas frequências cuja atenuação
em relação ao ganho máximo (A0) vale 3 dB:

Q=
f0
∆f
∆f = f 2 − f1 f2 =
f0
2Q
(
1 + 1 + 4Q 2 ) f1 =
f0
2Q
(
1 + 4Q 2 − 1 )
f 0 = f1.f 2 (média geométrica)

Filtros rejeita-banda

Podemos obter um filtro rejeita-banda associando em paralelo um filtro passa-baixo


com frequência de corte f0L com um filtro passa-alto com frequência de corte f0H, desde
que se tenha: f0H > f0L . Em termos de diagrama de blocos tem-se:
Passa-baixo
f OL +
VI
Σ V0

Passa-alto +
f OH
Anexo 1- Formulário sobre filtros

Filtro Função de transferência Ordem Obs.

Passa-baixo G(S) =
A0 1ª -
1 + (S/ω0 )

Passa-alto G(S) =
A 0 (S/ω 0 ) 1ª -
1 + (S/ω 0 )

Passa-baixo G(S) =
A0 2ª Q=1/2ξ
(S/ω0 ) 2
+ 2ζ (S/ω0 ) + 1

Passa-alto A 0 (S/ω0 ) 2 2ª Q=1/2ξ


G(S) =
(S/ω0 )2
+ 2ζ (S/ω0 ) + 1

Passa-banda (ω0 A 0 /Q)S (A 0 /Q)(S/ω0 ) 2ª Q=1/2ξ


G(S) = =
2
S + (ω0 /Q)S + ω0
2
(S/ω0 )
2
+ (1/Q)(S/ω0 ) + 1

Nota: a função de transferência normalizada obtém-se fazendo s’=s/ω0


Anexo 2- Obtenção de filtros passa-banda e rejeita-banda a partir de
filtros passa-baixo e passa-alto

Filtro passa-banda

Podemos obter um filtro passa-banda associando em cascata um filtro passa-baixo


de frequência de corte f0H com um filtro passa-alto de frequência de corte f0L, desde que se
tenha: f0H > f0L .
Amplitude
Filtro ideal passa-baixo

Amplitude
Filtro ideal passa-banda
0 fOH Frequência

Amplitude
Filtro ideal passa-alto
0 fOL fOH Frequência

0 fOL Frequência

Filtros rejeita-banda

Podemos obter um filtro rejeita-banda associando em paralelo um filtro passa-baixo


com frequência de corte f0L com um filtro passa-alto com frequência de corte f0H, desde
que se tenha: f0H > f0L . Em termos de diagrama de blocos tem-se:

Passa-baixo
f OL +
VI
Σ V0

Passa-alto +
f OH