Vous êtes sur la page 1sur 2

24/12/2017

Globalização e interdisciplinaridade: o Currículo Integrado (Jurjo Torres Santomé) - Resenha - samantha08

Trabalhos Cadastre-se Entre Blog Contate-nos P P e e s s q q u u
Trabalhos Cadastre-se Entre Blog Contate-nos P P e e s s q q u u
Trabalhos
Trabalhos

PPeessqquuiissee666655 000000ttrraabbaallhhoosseemmoonnooggrraa

Pesquisar

Tweetar

Curtir 7,2 mil

T w e e t a r C u r t i r 7 , 2

Globalização e interdisciplinaridade: o Currículo Integrado (Jurjo Torres Santomé)

Por: samantha08 • 1/11/2016 • Resenha • 2.045 Palavras (9 Páginas) • 397 Visualizações

Página1de9

O presente texto trata de uma resenha analítica dos capítulos quatro, cinco e seis do livro

“Globalização e Interdisciplinaridade: o currículo integrado”, de Jurjo Torres Santomé. Santomé é professor catedrático da disciplina de Didática e Organização Escolar na Universidade da Corunha, além de estudar temas referentes ao currículo e currículo integrado. Neste livro, o autor oferece várias sugestões para a elaboração de propostas para trabalhos interdisciplinares, sempre

apresentando aspectos históricos e culturais para enriquecer as discussões.

No quarto capítulo do seu livro, Santomé discorre sobre a necessidade de se trabalhar um currículo voltado para a diversidade, partindo do princípio de que se deve estudar todas as culturas, sem julgamento de valores ou hierarquização. Para ele, a concretização das finalidades educacionais se constitui como o elemento central que permeia a análise das diferentes propostas de ação docente. Um exemplo de finalidade é a formação de sujeitos críticos e ativos socialmente. Para isso, o currículo escolar deve propor situações que façam os alunos pensarem e se posicionarem de maneira, muitas vezes, antagônica a do professor. Desta forma, a educação se distancia do modo tradicional e bancário. Nesse processo de constituição de sujeitos, a atenção aos conteúdos culturais assume fundamental importância.

De modo geral, Santomé aponta como comum nos livros didáticos e práticas docentes a reprodução de uma cultura hegemônica, excluindo ou estereotipando a cultura das minorias. Como exemplo destas, o autor traz a cultura das nações do Estado espanhol; culturas da infância, juventude e velhice, cultura dos trabalhadores pobres, especialmente ribeirinhos e rurais, além da cultura das mulheres, lésbicas e homossexuais.

Segundo o texto, ao considerarmos a educação como uma atividade ética e política, só serão obtidos resultados positivos caso educadores e escola tenham o compromisso de servir a atender cuidadosamente a comunidade a qual integram. Se a sala de aula for espaço de debate, os estudantes serão capazes de transpor as discussões, refletindo sobre o mundo que ajudam a construir. Assim, evita-se a criação de imagens deformadas sobre as culturas das minorias, bem como a reprodução dos estereótipos.

O autor critica fortemente o que chama de “currículo de turistas”, que é a abordagem das

culturas minoritárias com a mesma visão que um turista visita um local desconhecido: procurando levantar aspectos alimentares, o folclore e etc. Nesse currículo, desliga-se as condições de cada cultura das situações cotidianas de sala de aula e do dia a dia dos alunos, trata-as como exóticas ou

como recordações repletas de estereotipia e tergiversação, que torna natural a opressão e a marginalização sofridas pelos representantes das mesmas. Reproduz-se também ideias de cunho paternalista e hierárquico em relação às diversas culturas.

Como resposta a esse padrão repleto de pré-conceitos, aponta-se a educação pautada na antimarginalização. Esta tem por base a reconstrução dos conhecimentos e saberes dos diferentes grupos sociais do mundo, descontruindo dinâmicas políticas, históricas e semióticas que reproduzem os pensamentos já elencados. Para isso é necessário considerar os conhecimentos prévios dos alunos, já que muitos pré-conceitos se formam em instituições como a família. Esses conceitos formados com base em reproduções do senso comum devem ser refletidos criticamente, a fim de ressignificar conceitos e concepções. Dessa forma, um currículo com tal perspectiva parte da reconstrução da história e da cultura dos povos excluídos e estanciados.

Como educadores, particularmente, consideramos inconcebível que ainda mantenhamos um olhar voltado para a cultura da maioria, quando, ao observarmos nossa própria sala de aula, percebemos que não é possível que haja heterogeneidade: o grupo, assim como a sociedade, constitui-se nas diferenças. Pensamos que, para estudarmos de maneira igualitária todas as culturas, devemos partir do que cada aluno tem a nos oferecer. A diversidade não mora longe, ela nos acompanha, nos constitui e, por isso, deve ser estudada sem pré-conceitos ou estigmas, trazendo os estudantes para voz ativa e protagonizando seus próprios processos de aprendizagem. Considero de indispensável importância, também, que processos históricos sejam levantados com os alunos, pois, somente assim, eles se tornarão capazes de entender o porquê das desigualdades e da submissão a que são submetidas algumas culturas.

Informação 11 22 33 44 55 66 Denunciarestetrabalho
Informação
11
22
33
44
55
66
Denunciarestetrabalho
Trabalhos relacionados ProjetoIntegradoEmGestão Imobiliaria INTERDISCIPLINARIDADEE TRANSVERSALIDADE
Trabalhos relacionados
ProjetoIntegradoEmGestão
Imobiliaria
INTERDISCIPLINARIDADEE
TRANSVERSALIDADE
INTERDISCIPLINARIDADEE
TRANSVERSALIDADE
PLANOINTEGRADODECOMUNICAÇÃO
EMPRESARIAL-PICE
ProjetoIntegradoMultidisciplinar
PROJETOINTEGRADO
MULTIDISCIPLINAR-PIMII-DP:
EconomiaEMercado,Recursos
MateriaisEPatrimoniaisEMatemática
Aplicada
ManejoIntegradodePragasdo
Feijoeiro
PIMProjetoIntegradoMultidisciplinar
ProjetoIntegrado:ÊnfaseEm
AvaliaçõesEPeríciaImobiliária
PROJETOINTEGRADO
MULTIDISCIPLINARVI
PROJETOINTEGRADO
MULTIDISCIPLINAR
PROJETOINTEGRADO
MULTIDICISPLINARIV
Interdisciplinaridade
ProjetoIntegradoMultidisciplinar
CursosSuperioresdeTecnologia
NomeRicardoCamilodeSousaPólo

Tópicos similares

ProjetoIntegradoMultidisciplinar CursosSuperioresdeTecnologia NomeRicardoCamilodeSousaPólo Tópicos similares

24/12/2017

Globalização e interdisciplinaridade: o Currículo Integrado (Jurjo Torres Santomé) - Resenha - samantha08

No quinto capítulo do livro Globalização e Interdisciplinaridade, Santomé discorre sobre os livros didáticos. Ele
No quinto capítulo do livro Globalização e Interdisciplinaridade, Santomé discorre sobre os
livros didáticos. Ele inicia explicitando que durante muitos séculos a educação se baseou em
exposições orais, no armazenamento e reprodução memorístico, somente tendo modificado
Continuarpormais8páginas»
Baixarcomo(paramembrospremium) TXT(13.8Kb) PDF(92.2Kb) DOCX(10.7Kb)
DisponívelapenasnoTrabalhosGratuitos.com
Ler documento completo
Salvar
0 comentários
Classificar por
Mais antigos
Adicionar um comentário
Plugin de comentários do Facebook
ProjetoIntegrado MultidisciplinarGestãoDeTI Unip Tenhaacessoamaisde 665.000trabalhose monogra as Junte-seamaisde
ProjetoIntegrado
MultidisciplinarGestãoDeTI
Unip
Tenhaacessoamaisde
665.000trabalhose
monogra as
Junte-seamaisde
1.854.000outrosalunos
Trabalhosemonogra asde
altaqualidade
Registrar

©2008–2017TrabalhosGratuitos.com

©2008–2017TrabalhosGratuitos.com Trabalhos Blog Mapadosite      
 
©2008–2017TrabalhosGratuitos.com Trabalhos Blog Mapadosite      
 
©2008–2017TrabalhosGratuitos.com Trabalhos Blog Mapadosite      
 

Trabalhosgratuitos,Resenhasde

livros,Monogra asePesquisas