Vous êtes sur la page 1sur 54

Aula 01

Conhecimentos Pedagógicos p/ SESI-SP (Todos os Cargos)


Professor: Rodrigo Bandeira Silva Chaves

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
APRESENTAÇÃO DO TEMA

AULA 01

Lei n° 9.394/1996

Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB)

2ª PARTE

Olá, seja bem-vindo à Aula 01 – Lei n° 9.394/1996 (LDB) – 2ª parte


do Curso de Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos – SESI-SP
(somente as normas educacionais: LDB e Res. CNE/CEB nº 4/2010),
especialmente dedicado ao Processo Seletivo a ser realizado em 2017 para os
seguintes cargos do SESI-SP: Professor de Educação Básica I, II, III;
Professor Tutor de Educação a Distância (Língua espanhola, Ensino
Médio, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos).

Nesta aula, iniciam as modificações realizadas na LDB pela


denominada “Reforma do Ensino Médio”, como ficaram conhecidas as
modificações efetivadas na LDB pela Medida Provisória nº 746/2016,
convertida pela Lei nº 13.415/2017.

O texto definitivo aprovado pela Lei nº 13.415/2017 modificou os


36392911820

seguintes dispositivos na LDB, que serão estudados nas seguintes


aulas deste curso:

- Aula 01 – Lei n° 9.394/1996 (LDB) – 2ª parte:

 Art. 24, I, §1°, §2°;


 Art. 26, §2°, §5°, §7°, §10;
 Art. 35-A, caput e todos seus parágrafos; e
 Art. 36, caput, I, II, II, IV, V, §1°, §3°, §5°, §6°, §7°,
§8°, §9°, §10, §11, §12.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 1 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

- Aula 02 – Lei n° 9.394/1996 (LDB) – 3ª parte:

 Art. 44, §3°.

- Aula 03 – Lei n° 9.394/1996 (LDB) – 4ª parte:

 Art. 61, IV, V; e


 Art. 62, caput, §8°.

Não deixe de acompanhar as novidades no canal


do aluno, por meio das minhas respostas no fórum
de dúvidas e dos meus recados gerais com
importantes dicas complementares, até a data da
prova.

Caso você deseje acompanhar as atualidades relacionadas à Educação, à


legislação educacional e aos concursos públicos, basta curtir minha página no
facebook: https://www.facebook.com/prof.rodrigobandeira/

36392911820

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 2 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

SUMÁRIO
APRESENTAÇÃO DO TEMA ........................................................................ 1
APRESENTAÇÃO DA Aula 01 – Lei n° 9.394/1996 (LDB) – 2ª parte ............... 3
QUESTÕES COMENTADAS .......................................................................40
LISTA DE QUESTÕES COMENTADAS NESTA AULA ......................................50
GABARITO ...........................................................................................53

APRESENTAÇÃO DA AULA 01 – LEI N° 9.394/1996


(LDB) – 2ª PARTE

O estudo da Lei n° 9.394/1996 (LDB) foi dividido em quatro aulas.

Na aula anterior, 1ª parte, foram esquematizados os 20 artigos iniciais —


correspondentes aos Títulos I a IV — da LDB.

Nesta aula, 2ª parte, foram esquematizados do art. 21 ao art. 38 —


integrantes do Título V — desta norma central à Educação nacional e
36392911820

comentadas questões sobre estes dispositivos.

Mantenha a determinação na luta por seus sonhos. Tenha a certeza de


que o êxito chega aos que não desistem.

Forte abraço e bons estudos!

“Só é lutador quem sabe lutar consigo mesmo. ”


Carlos Drummond de Andrade

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 3 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Caso você deseje acompanhar as atualidades relacionadas à Educação, à
legislação educacional e aos concursos públicos, basta curtir minha página no
facebook: https://www.facebook.com/prof.rodrigobandeira/

Caso você deseje acessar todos os cursos que ministro, acesse o


link:https://www.estrategiaconcursos.com.br/cursosPorProfessor/rodrigo-
bandeira-3484/

Observação importante: Além das aulas em PDF, estarei


disponível para retirar dúvidas dos alunos matriculados,
por meio do fórum virtual, e, sempre que entender
necessário, disponibilizarei materiais extras aos
matriculados, visando contribuir neste processo de
preparação para a prova.

Observação importante II: este curso é protegido por


direitos autorais (copyright), nos termos da Lei 9.610/98,
que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos
autorais e dá outras providências.

Grupos de rateio e pirataria são clandestinos, violam a lei


e prejudicam os professores que elaboram os cursos.
Valorize o trabalho de nossa equipe adquirindo os cursos
honestamente através do site Estratégia Concursos.

36392911820

Padronização de siglas:

- União, Estados, Distrito Federal e Municípios, respectivamente: U, E, DF e M


- Emenda constitucional: EC
- Constituição Federal de 1988: CF/88
- Lei n° 9.394/1996 – Lei de Diretrizes e Bases da Educação: LDB
- Lei n° 8.069/1990 - Estatuto da Criança e do Adolescente: ECA
- Código Penal: CP

*Não se preocupe em decorar datas, números de leis e de dispositivos, fixe o


conteúdo.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 4 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996.

(...)

TÍTULO V

Dos Níveis e das Modalidades de Educação e Ensino

CAPÍTULO I

Da Composição dos Níveis Escolares

Art. 21. A educação escolar compõe-se de:


36392911820

I - educação básica, formada pela educação infantil, ensino


fundamental e ensino médio;

II - educação superior.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 5 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

CF/88 e Lei n° 9.394/1996(LDB)

NÍVEIS ESCOLARES ou
NÍVEIS DE ENSINO DA
EDUCAÇÃO ESCOLAR
Educação
Creches ou
Infantil entidades Até 3 anos de idade
equivalentes
1ª etapa da
Educação Básica

Atuação Pré-escolas de 4 a 5 anos de idade


prioritária:
M

Educação Básica
Ensino
Fundamental
* obrigatória e gratuita
dos 4 aos 17 anos de idade, 2ª etapa da Duração de 9 anos, iniciando-se aos 6 anos de
assegurada inclusive sua oferta gratuita Educação Básica idade
para todos os que a ela não tiveram
acesso na idade própria Atuação
prioritária:
M, E, DF
* A educação básica pública atenderá
prioritariamente ao ensino regular.
Ensino Médio
3ª etapa da
Educação Básica Duração mínima de 3 anos

Atuação
prioritária:
E, DF

Educação Superior 36392911820

IMPORTANTÍSSIMO: prioritariamente não se confunde com exclusivamente.

U, E DF, M – podem atuar em qualquer nível escolar, por exemplo, um Município pode possuir Universidades,
em sua rede de ensino, tal como ocorre com a Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e com a
Universidade de Taubaté (Unitau). Todavia, o Município deve priorizar seus recursos educacionais à Educação Infantil
e ao Ensino Fundamental. Não pode um Município manter adequadamente uma Universidade e alegar falta de
recursos ao ensino fundamental. Porém, as Universidades mantidas pelos Municípios pertencem ao sistema
de ensino Estadual respectivo (atenção! Tem questões sobre isso). Para melhor compreensão, reveja os
art.(s), 16, 17 e 18 da LDB.

CUIDADO: conforme determina a CF/88, ADCT, art. 60, IV, tratando-se dos recursos recebidos via FUNDEB, os
Estados e Municípios os devem aplicar obrigatoriamente nos respectivos âmbitos de atuação prioritária
(Municípios -> ensino fundamental e educação infantil; Estados -> ensino fundamental e médio).
Ressalta-se que o Distrito Federal, por não se dividir em Municípios, acumula estas atuações prioritárias,
embora seja mal redigida esta lógica no texto do art. 211, §1° e §2° da CF/88.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 6 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

MODALIDADES DE ENSINO
OU
MODALIDADES DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Estas são as previstas explicitamente como Modalidades de


Ensino ou de Educação pelo Título V da Lei n° 9.394/1996 – LDB.

- destinada àqueles que não tiveram acesso ou continuidade de


Educação de Jovens e estudos no ensino fundamental e médio na idade própria
Adultos (EJA)
- cursos e exames supletivos

- no cumprimento dos objetivos da educação nacional, integra-se


aos diferentes níveis e modalidades de educação e às
dimensões do trabalho, da ciência e da tecnologia

- abrange os seguintes cursos:

I – de formação inicial e continuada ou qualificação


profissional
Educação Profissional
e Tecnologica II – de educação profissional técnica de nível médio

III – de educação profissional tecnológica de graduação e


pós-graduação

- será desenvolvida em articulação com o ensino regular ou por


diferentes estratégias de educação continuada, em instituições
especializadas ou no ambiente de trabalho.

- oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para


educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento
36392911820

e altas habilidades ou superdotação, de forma transversal a todos


os níveis, etapas e modalidades.

- haverá, quando necessário, serviços de apoio especializado,


na escola regular, para atender às peculiaridades da clientela de
educação especial.
Educação Especial
- o atendimento educacional será feito em classes, escolas ou
serviços especializados, sempre que, em função das condições
específicas dos alunos, não for possível a sua integração nas
classes comuns de ensino regular.

- a oferta de educação especial, dever constitucional do


Estado, tem início na faixa etária de zero a seis anos, durante a
educação infantil.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 7 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

MODALIDADES DE ENSINO
OU
MODALIDADES DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Estas são as previstas explicitamente como Modalidades de


Educação Básica pelas Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a
Educação Básica (Resolução CNE/CEB n° 4, de 13/06/2010)

Educação de
Modalidade também prevista pela LDB, logo ver as
Jovens e Adultos
características no quadro anterior
(EJA)

Educação
Modalidade também prevista pela LDB, logo ver as
Profissional e
características no quadro anterior
Tecnologica

Educação Modalidade também prevista pela LDB, logo ver as


Especial características no quadro anterior

Educação a
distância
*não prevista como O Poder Público deve incentivar o desenvolvimento e a
Modalidade de veiculação de programas de ensino a distância, em todos os
Ensino ou de níveis e modalidades de ensino, e de educação continuada.
Educação pelo 36392911820

Título V da LDB

- os sistemas de ensino promoverão as adaptações


necessárias à sua adequação às peculiaridades da vida rural
e de cada região, especialmente:
Educação Básica
do campo I - conteúdos curriculares e metodologias apropriadas
*não prevista como às reais necessidades e interesses dos alunos da zona
Modalidade de rural;
Ensino ou de
Educação pelo II - organização escolar própria, incluindo adequação do
Título V da LDB calendário escolar às fases do ciclo agrícola e às
condições climáticas;

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 8 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
III - adequação à natureza do trabalho na zona rural.

- O fechamento de escolas do campo será precedido de


manifestação do órgão normativo do respectivo sistema de
ensino, que considerará a justificativa apresentada pela
Secretaria de Educação, a análise do diagnóstico do impacto da
ação e a manifestação da comunidade escolar.

- O Sistema de Ensino da União, com


a colaboração das agências federais de
fomento à cultura e de assistência aos
índios, desenvolverá programas
integrados de ensino e pesquisa, para
oferta de educação escolar bilíngue e É obrigatório o
intercultural aos povos indígenas. estudo da história e
cultura afro-
- É assegurada na Educação Escolar às brasileira e
Educação indígena, nos
comunidades indígenas: a utilização de
Escolar Indígena suas línguas maternas, processos estabelecimentos de
*não prevista como ensino fundamental
próprios de aprendizagem, currículos e de ensino médio,
Modalidade de e programas específicos - com os
Ensino ou de públicos e privados,
conteúdos culturais correspondentes às que deverá incluir os
Educação pelo
Título V da LDB
respectivas comunidades -, e material diversos aspectos da
didático específico e diferenciado. história e da cultura
que caracterizam a
- O fechamento de escolas indígenas formação da
será precedido de manifestação do população
brasileira, a partir
órgão normativo do respectivo sistema
desses dois grupos
de ensino, que considerará a justificativa étnicos, tais como o
apresentada pela Secretaria de estudo da história da
Educação, a análise do diagnóstico do África e dos
impacto da ação e a manifestação da africanos, a luta dos
comunidade escolar. negros e dos povos
indígenas no Brasil,
- É desenvolvida em unidades educacionais
36392911820

a cultura negra e
inscritas em terras e cultura quilombola, indígena brasileira e
requerendo pedagogia própria em respeito à o negro e o índio na
Educação
especificidade étnico-cultural de cada formação da
Escolar comunidade e formação específica de seu sociedade nacional,
Quilombola quadro docente. resgatando as suas
*não prevista contribuições nas
como - O fechamento de escolas quilombolas áreas social,
será precedido de manifestação do órgão econômica e política,
Modalidade de
normativo do respectivo sistema de ensino, pertinentes à história
Ensino ou de que considerará a justificativa apresentada do Brasil.
Educação pelo pela Secretaria de Educação, a análise do
Título V da LDB diagnóstico do impacto da ação e a
manifestação da comunidade escolar.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 9 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

CAPÍTULO II

DA EDUCAÇÃO BÁSICA

Seção I

Das Disposições Gerais

Art. 22. A educação básica tem por finalidades

desenvolver o educando,

assegurar-lhe a formação comum indispensável para o exercício da cidadania

e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores.

Art. 23. A educação básica poderá organizar-se em séries anuais, períodos


semestrais, ciclos, alternância regular de períodos de estudos, grupos não-
seriados, com base na idade, na competência e em outros critérios, ou por
forma diversa de organização, sempre que o interesse do processo de
aprendizagem assim o recomendar.

§ 1º A escola poderá reclassificar os alunos, inclusive quando se tratar de


transferências entre estabelecimentos situados no País e no exterior, tendo
como base as normas curriculares gerais.
36392911820

§ 2º O calendário escolar deverá adequar-se às peculiaridades locais,


inclusive climáticas e econômicas, a critério do respectivo sistema de
ensino, sem com isso reduzir o número de horas letivas previsto nesta
Lei.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 10 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Art. 24. A educação básica, nos níveis fundamental e médio, será


organizada de acordo com as seguintes regras comuns:

I - a carga horária mínima anual será de oitocentas horas

para o ensino fundamental e para o ensino médio,

distribuídas por um mínimo de duzentos dias de efetivo trabalho


escolar,

excluído o tempo reservado aos exames finais, quando


houver; (Redação dada pela Lei nº 13.415, de 2017)

II - a classificação em qualquer série ou etapa, exceto a primeira


do ensino fundamental, pode ser feita:

a) por promoção, para alunos que cursaram, com


aproveitamento, a série ou fase anterior, na própria escola;

36392911820

b) por transferência, para candidatos procedentes de outras


escolas;

c) independentemente de escolarização anterior, mediante


avaliação feita pela escola, que defina o grau de
desenvolvimento e experiência do candidato e permita sua
inscrição na série ou etapa adequada, conforme regulamentação do
respectivo sistema de ensino;

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 11 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
III - nos estabelecimentos que adotam a progressão regular por
série, o regimento escolar pode admitir formas de progressão
parcial, desde que preservada a seqüência do currículo, observadas as
normas do respectivo sistema de ensino;

Na progressão parcial o estudante pode prosseguir sua evolução escolar


quando não aprovado em todas as disciplinas de determinado ano ou série da
educação básica, conforme os critérios regulamentados por cada sistema de
ensino (U, E, DF e M).

IV - poderão organizar-se classes, ou turmas, com alunos de séries


distintas, com níveis equivalentes de adiantamento na matéria,
para o ensino de línguas estrangeiras, artes, ou outros
componentes curriculares;

V - a verificação do rendimento escolar observará os seguintes


critérios:

a) avaliação contínua e cumulativa do desempenho do


aluno, com prevalência
36392911820

dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos

e dos resultados ao longo do período sobre os de


eventuais provas finais;

b) possibilidade de aceleração de estudos para alunos


com atraso escolar;

c) possibilidade de avanço nos cursos e nas séries


mediante verificação do aprendizado;

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 12 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

d) aproveitamento de estudos concluídos com êxito;

e) obrigatoriedade de estudos de recuperação, de


preferência paralelos ao período letivo, para os casos de
baixo rendimento escolar, a serem disciplinados pelas
instituições de ensino em seus regimentos;

VI - o controle de freqüência fica a cargo da escola, conforme o


disposto no seu regimento e nas normas do respectivo sistema de
ensino, exigida a freqüência mínima de setenta e cinco por cento
do total de horas letivas para aprovação;

VII - cabe a cada instituição de ensino expedir históricos escolares,


declarações de conclusão de série e diplomas ou certificados de
conclusão de cursos, com as especificações cabíveis.

§ 1° A carga horária mínima anual de que trata o inciso I do caput

deverá ser ampliada de forma progressiva, no ensino médio,

para mil e quatrocentas horas,


36392911820

devendo os sistemas de ensino oferecer,

no prazo máximo de cinco anos, pelo menos mil horas anuais de carga
horária, a partir de 2 de março de 2017.

(Incluído pela Lei nº 13.415, de 2017)

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 13 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 2° Os sistemas de ensino disporão sobre a oferta de educação de


jovens e adultos e de ensino noturno regular, adequado às condições do
educando, conforme o inciso VI do art. 4°.

(Incluído pela Lei nº 13.415, de 2017)

Art. 25. Será objetivo permanente das autoridades responsáveis


alcançar relação adequada entre

o número de alunos e o professor, a carga horária e as condições


materiais do estabelecimento.

Parágrafo único. Cabe ao respectivo sistema de ensino, à vista das


condições disponíveis e das características regionais e locais,
estabelecer parâmetro para atendimento do disposto neste artigo.

Art. 26. Os currículos da educação infantil, do ensino fundamental e do


ensino médio devem ter base nacional comum, a ser complementada, em
36392911820

cada sistema de ensino e em cada estabelecimento escolar, por uma parte


diversificada, exigida pelas características regionais e locais da
sociedade, da cultura, da economia e dos educandos.

§ 1º Os currículos a que se refere o caput devem abranger,


obrigatoriamente, o estudo da língua portuguesa e da matemática, o
conhecimento do mundo físico e natural e da realidade social e
política, especialmente do Brasil.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 14 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
§ 2° O ensino da arte, especialmente em suas expressões regionais,

constituirá componente curricular obrigatório da educação básica.

(Redação dada pela Lei nº 13.415, de 2017)

§ 3° A educação física, integrada à proposta pedagógica da escola,

é componente curricular obrigatório da educação básica,

sendo sua prática facultativa ao aluno:

I – que cumpra jornada de trabalho igual ou superior a seis


horas;

II – maior de trinta anos de idade;

III – que estiver prestando serviço militar inicial ou que, em


situação similar, estiver obrigado à prática da educação física;

IV – amparado pelo Decreto-Lei no 1.044, de 21 de outubro de


1969;

36392911820

*Este Decreto-Lei 1.044/1969 refere-se


ao tratamento diferenciado para alunos de qualquer
nível de ensino, portadores de afecções congênitas ou
adquiridas, infecções, traumatismo ou outras condições
mórbitas (este é o termo utilizado pela norma),
determinando distúrbios agudos ou agudizados.

V – (VETADO)

VI – que tenha prole.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 15 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 4º O ensino da História do Brasil levará em conta as contribuições das


diferentes culturas e etnias para a formação do povo brasileiro,
especialmente das matrizes indígena, africana e européia.

§ 5° No currículo do ensino fundamental,

a partir do sexto ano, será ofertada a língua inglesa.

(Redação dada pela Lei nº 13.415, de 2017)

§ 6° As artes visuais, a dança, a música e o teatro são as linguagens


que constituirão o componente curricular de que trata o § 2o deste artigo.
(Redação dada pela Lei nº 13.278, de 2016)

§ 7° A integralização curricular poderá incluir,


36392911820

a critério dos sistemas de ensino,

projetos e pesquisas envolvendo os temas transversais de


que trata o caput.

(Redação dada pela Lei nº 13.415, de 2017)

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 16 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 8º A exibição de filmes de produção nacional constituirá componente


curricular complementar integrado à proposta pedagógica da escola,
sendo a sua exibição obrigatória por, no mínimo, 2 (duas) horas mensais.

§ 9° Conteúdos relativos aos direitos humanos e à prevenção de todas


as formas de violência contra a criança e o adolescente serão incluídos,
como temas transversais, nos currículos escolares de que trata o caput
deste artigo, tendo como diretriz a Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990
(Estatuto da Criança e do Adolescente), observada a produção e
distribuição de material didático adequado.

§ 10. A inclusão de novos componentes curriculares de caráter


obrigatório na Base Nacional Comum Curricular

dependerá de

aprovação do Conselho Nacional de Educação


36392911820

e de

homologação pelo Ministro de Estado da Educação.

(Incluído pela Lei nº 13.415, de 2017)

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 17 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Art. 26-A. Nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino
médio, públicos e privados, torna-se obrigatório o estudo da história e
cultura afro-brasileira e indígena.

§ 1° O conteúdo programático a que se refere este artigo incluirá diversos


aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da
população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos,

tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e
dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e
o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições
nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.

§ 2° Os conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e dos povos


indígenas brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o currículo
escolar, em especial nas áreas de educação artística e de literatura e história
brasileiras.

Art. 27. Os conteúdos curriculares da educação básica observarão, ainda,


as seguintes diretrizes:

I - a difusão de valores fundamentais ao interesse social, aos direitos


e deveres dos cidadãos, de respeito ao bem comum e à ordem
democrática;
36392911820

II - consideração das condições de escolaridade dos alunos em cada


estabelecimento;

III - orientação para o trabalho;

IV - promoção do desporto educacional

e apoio às práticas desportivas não-formais.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 18 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Art. 28. Na oferta de educação básica para a população rural, os sistemas


de ensino promoverão as adaptações necessárias à sua adequação às
peculiaridades da vida rural e de cada região, especialmente:

I - conteúdos curriculares e metodologias apropriadas às reais


necessidades e interesses dos alunos da zona rural;

II - organização escolar própria, incluindo adequação do calendário


escolar às fases do ciclo agrícola e às condições climáticas;

III - adequação à natureza do trabalho na zona rural.

Parágrafo único. O fechamento de escolas do campo, indígenas e


quilombolas será precedido de manifestação do órgão normativo do
respectivo sistema de ensino, que considerará

a justificativa apresentada pela Secretaria de Educação,


36392911820

a análise do diagnóstico do impacto da ação e

a manifestação da comunidade escolar.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 19 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Seção II
Da Educação Infantil

Art. 29. A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem


como finalidade

o desenvolvimento integral da criança de até 5 (cinco) anos, em seus


aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a
ação da família e da comunidade.

Art. 30. A educação infantil será oferecida em:

I - creches, ou entidades equivalentes, para crianças de até três


anos de idade;
36392911820

II - pré-escolas, para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de


idade.

Atente-se àquela polêmica sobre o oferecimento estatal gratuito


de creches, conforme esclareci nos quadros após o art. 4°, II, na 1ª
parte do estudo da LDB.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 20 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Art. 31. A educação infantil será organizada de acordo com as seguintes
regras comuns:

I - avaliação mediante acompanhamento e registro do desenvolvimento


das crianças, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso
ao ensino fundamental;

II - carga horária mínima anual de 800 (oitocentas) horas,


distribuída por um mínimo de 200 (duzentos) dias de trabalho
educacional;

III - atendimento à criança de,

no mínimo,

4 (quatro) horas diárias para o turno parcial

de 7 (sete) horas para a jornada integral;

IV - controle de frequência pela instituição de educação pré-


escolar, exigida a frequência mínima de 60% (sessenta por cento)
do total de horas;

36392911820

A incumbência de controlar a frequência dos


alunos na pré-escola é da instituição de educação e não dos
Professores.

V - expedição de documentação que permita atestar os processos de


desenvolvimento e aprendizagem da criança.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 21 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Seção III
Do Ensino Fundamental
Art. 32. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove)
anos, gratuito na escola pública,

iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade,

terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante:

I - o desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios


básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo;

II - a compreensão do ambiente natural e social, do sistema


político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se
fundamenta a sociedade;

III - o desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em


vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de
atitudes e valores;

IV - o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de


36392911820

solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta


a vida social.

§ 1º É facultado aos sistemas de ensino desdobrar o ensino fundamental


em ciclos.

§ 2º Os estabelecimentos que utilizam progressão regular por série podem


adotar no ensino fundamental o regime de progressão continuada, sem
prejuízo da avaliação do processo de ensino-aprendizagem, observadas
as normas do respectivo sistema de ensino.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 22 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

O regime de progressão continuada não prevê a reprovação do aluno ao


término de cada série ou ano letivo. Neste regime, os alunos que não alcançam
o desempenho mínimo desejado nas avaliações do processo de ensino-
aprendizagem devem receber acompanhamento pedagógico contínuo dos
professores, preferencialmente, de forma paralela às aulas regulares.

Este regime surgiu como forma de diminuir os casos de evasão escolar


motivados pela repetência.

IMPORTANTE: A progressão continuada não deve ser confundida com a


aprovação automática. A progressão continuada não importa em mera
transposição à série seguinte, independentemente do rendimento escolar, tal
como ocorre na aprovação automática. No regime de progressão continuada
faz-se necessário esforço pedagógico referente ao monitoramento contínuo do
estudante, com aulas de recuperação, laboratórios de aprendizagem, grupos de
estudos, dentre outros métodos pedagógicos.

§ 3º O ensino fundamental regular será ministrado em língua


portuguesa, assegurada às comunidades indígenas a utilização de suas
línguas maternas e processos próprios de aprendizagem.

§ 4º O ensino fundamental será presencial,

sendo o ensino a distância utilizado como


36392911820
complementação da
aprendizagem ou em situações emergenciais.

§ 5° O currículo do ensino fundamental incluirá, obrigatoriamente,


conteúdo que trate dos direitos das crianças e dos adolescentes, tendo
como diretriz a Lei no 8.069, de 13 de julho de 1990, que institui o Estatuto
da Criança e do Adolescente, observada a produção e distribuição de
material didático adequado.

§ 6º O estudo sobre os símbolos nacionais será incluído como tema


transversal nos currículos do ensino fundamental.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 23 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Art. 33. O ensino religioso, de matrícula facultativa, é parte integrante
da formação básica do cidadão e constitui disciplina dos horários
normais das escolas públicas de ensino fundamental, assegurado o
respeito à diversidade cultural religiosa do Brasil, vedadas quaisquer
formas de proselitismo.

§ 1º Os sistemas de ensino regulamentarão os procedimentos para a


definição dos conteúdos do ensino religioso

e estabelecerão as normas para a habilitação e admissão dos


professores.

§ 2º Os sistemas de ensino ouvirão entidade civil, constituída pelas


diferentes denominações religiosas, para a definição dos conteúdos do
ensino religioso.

Ensino Religioso (tema sensível): Este art. 33 regulamenta o art. 210, §1° da CF/88.

O Brasil, como um Estado laico — também conhecido como Estado secular —, deve ser
oficialmente imparcial às crenças religiosas, cabendo aos entes federativos (U, E , DF, M) apenas
manterem relações de respeito institucional com todas as religiões.

CF, art. 19. “É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o


funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência
ou aliança, ressalvada, na forma da lei, a colaboração de interesse público;”
36392911820

Neste sentido, a CF/88 traz o seguinte Direito Fundamental:

art. 5°, VI – “é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o


livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de
culto e a suas liturgias”.

Ao Estado brasileiro nada deve importar institucionalmente a crença ou descrença dos seus
cidadãos em religiões, todavia, estas constituem valores culturais indissociáveis da sociedade,
logo o ensino religioso, de MATRÍCULA FACULTATIVA, constitui disciplina das escolas públicas
de ensino fundamental.

Conforme determina a parte final do texto do caput do art. 33 da LDB — “...vedadas


quaisquer formas de proselitismo” —, cabe destacar que o ensino religioso público não pode
se tornar em meio para conversão a religião específica, deve-se pautar pelo direito
fundamental à Bandeira
Prof. Rodrigo liberdade de crença e de culto religioso.
www.estrategiaconcursos.com.br 24 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Art. 34. A jornada escolar no ensino fundamental incluirá pelo menos


quatro horas de trabalho efetivo em sala de aula, sendo
progressivamente ampliado o período de permanência na escola.

§ 1º São ressalvados os casos do ensino noturno e das formas


alternativas de organização autorizadas nesta Lei.

§ 2º O ensino fundamental será ministrado progressivamente em


tempo integral, a critério dos sistemas de ensino.

Seção IV
Do Ensino Médio

Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação básica,

com duração mínima de três anos, terá como finalidades:

I - a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos adquiridos no


ensino fundamental, possibilitando o prosseguimento de estudos;
36392911820

II - a preparação básica para o trabalho e a cidadania do


educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz de se
adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou
aperfeiçoamento posteriores;

III - o aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a


formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do
pensamento crítico;

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 25 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

IV - a compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos


processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no
ensino de cada disciplina.

O caput do art. 35-A e todos seus parágrafos


foram incluídos pela Lei nº 13.415, de 2017.

Art. 35-A. A Base Nacional Comum Curricular


36392911820

definirá direitos e objetivos de aprendizagem do ensino médio,

conforme diretrizes do Conselho Nacional de Educação,

nas seguintes áreas do conhecimento:

I - linguagens e suas tecnologias;

II - matemática e suas tecnologias;

III - ciências da natureza e suas tecnologias;

IV - ciências humanas e sociais aplicadas.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 26 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 1° A parte diversificada dos currículos de que trata o caput do art.


26, definida em cada sistema de ensino,

deverá estar harmonizada à Base Nacional Comum Curricular

e ser articulada a partir do contexto histórico, econômico, social,


ambiental e cultural.

§ 2° A Base Nacional Comum Curricular referente ao ensino médio


incluirá obrigatoriamente

estudos e práticas de educação física, arte, sociologia e


filosofia.

§ 3° O ensino da língua portuguesa e da matemática será obrigatório


nos três anos do ensino médio,

assegurada às comunidades indígenas, também, a utilização das


respectivas línguas maternas.

36392911820

§ 4° Os currículos do ensino médio

incluirão, obrigatoriamente, o estudo da língua inglesa

e poderão ofertar outras línguas estrangeiras, em caráter optativo,


preferencialmente o espanhol, de acordo com a disponibilidade de oferta,
locais e horários definidos pelos sistemas de ensino.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 27 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 5° A carga horária destinada ao cumprimento da Base Nacional


Comum Curricular

não poderá ser superior a mil e oitocentas horas do total da carga


horária do ensino médio, de acordo com a definição dos sistemas de
ensino.

Perceba que o art. 35-A, §5° refere-se na verdade à carga


horária máxima que pode ser destinada ao cumprimento da Base
Nacional Comum Curricular durante os 3 anos do ensino médio.

Cumpre lembrar que os currículos da educação infantil, do


ensino fundamental e do ensino médio devem ter base nacional
comum, a ser complementada, em cada sistema de ensino e em cada
estabelecimento escolar, por uma parte diversificada, exigida pelas
características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia
e dos educandos (art. 26).

Desta forma, perceba que o art. 35-A, §5° estabelece uma regra
que assegura carga horária destinada à parte diversificada que deve
integrar o currículo do ensino médio, juntamente com a base nacional
comum.

Convém lembrar, também, que a Lei nº 13.415/2017 definiu


as seguintes regras quanto à carga horária mínima anual do
36392911820

ensino médio:

- atualmente, carga horária mínima anual de 800 horas, que


em 3 anos do ensino médio totalizam 2400 horas (art. 24, inc. I);

- a atual carga horária mínima anual de 800 horas deve ser


ampliada de forma progressiva para 1.400 horas, que , que em 3
anos do ensino médio totalizarão 4.200 horas. Devendo os
sistemas de ensino oferecerem, num prazo máximo de 5 anos, a
contar de 2/3/2017, pelo menos a carga horária mínima anual
de 1.000 horas, que em 3 anos do ensino médio totalizarão
3.000 horas (art. 24, §1°).

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 28 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 6° A União estabelecerá

os padrões de desempenho esperados para o ensino médio,

que serão referência nos processos nacionais de avaliação, a partir


da Base Nacional Comum Curricular.

§ 7° Os currículos do ensino médio deverão considerar a formação


integral do aluno,

de maneira a adotar um trabalho voltado

para a construção de seu projeto de vida

e para sua formação nos aspectos físicos, cognitivos e


socioemocionais.

§ 8° Os conteúdos, as metodologias e as formas de avaliação processual


e formativa

serão organizados nas redes de ensino por meio de

atividades teóricas e práticas,


36392911820

provas orais e escritas, seminários,

projetos

e atividades on-line,

de tal forma que ao final do ensino médio o educando demonstre:

I - domínio dos princípios científicos e tecnológicos que presidem


a produção moderna;

II - conhecimento das formas contemporâneas de


linguagem.
Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 29 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

O caput do art. 36 e todos seus parágrafos


foram incluídos pela Lei nº 13.415, de 2017.

Art. 36. O currículo do ensino médio

será composto

pela Base Nacional Comum Curricular

por itinerários formativos,

que deverão ser organizados por meio da oferta de diferentes


arranjos curriculares, conforme a relevância para o contexto local e a
possibilidade dos sistemas de ensino, a saber:

36392911820

I – linguagens e suas tecnologias;


Guarde bem estes
arranjos curriculares, II – matemática e suas tecnologias;
que constituem os
itinerários formativos III - ciências da natureza e suas tecnologias;
do currículo do
ensino médio.
IV - ciências humanas e sociais aplicadas; e

V - formação técnica e profissional.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 30 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 1° A organização das áreas de que trata o caput e das respectivas


competências e habilidades será feita de acordo com critérios
estabelecidos em cada sistema de ensino.

§ 2º (Revogado pela Lei nº 11.741, de 2008)

§ 3° A critério dos sistemas de ensino,

poderá ser composto itinerário formativo integrado,

que se traduz na composição de componentes curriculares

da Base Nacional Comum Curricular - BNCC

e dos itinerários formativos, considerando os incisos I a V do


caput.

§ 4º (Revogado pela Lei nº 11.741, de 2008)

§ 5° Os sistemas de ensino, mediante disponibilidade de vagas na


rede, possibilitarão ao aluno concluinte do ensino médio cursar mais um
itinerário formativo de que trata o caput.
36392911820

§ 6° A critério dos sistemas de ensino, a oferta de formação com


ênfase técnica e profissional considerará:

I - a inclusão de vivências práticas de trabalho no setor produtivo


ou em ambientes de simulação, estabelecendo parcerias e fazendo
uso, quando aplicável, de instrumentos estabelecidos pela
legislação sobre aprendizagem profissional;

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 31 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

II - a possibilidade de concessão de certificados intermediários de


qualificação para o trabalho, quando a formação for estruturada e
organizada em etapas com terminalidade.

*etapas com terminalidade -> significa


que uma etapa somente pode iniciar
quando a etapa anterior estiver sido
encerrada (terminada).

§ 7° A oferta de formações experimentais relacionadas ao inciso V do


caput, em áreas que não constem do Catálogo Nacional dos Cursos
Técnicos, dependerá, para sua continuidade,

do reconhecimento pelo respectivo Conselho Estadual de


Educação, no prazo de três anos,

e da inserção no Catálogo Nacional dos Cursos Técnicos, no prazo


de cinco anos, contados da data de oferta inicial da formação.

O termo “formações experimentais” -> Refere-se


à formação técnica e profissional (art. 36, V), em
áreas que não constem do Catálogo Nacional dos
Cursos Técnicos.

36392911820

§ 8° A oferta de formação técnica e profissional a que se refere o inciso V


do caput, realizada na própria instituição ou em parceria com outras
instituições,

deverá ser

aprovada previamente pelo Conselho Estadual de Educação,

homologada pelo Secretário Estadual de Educação

e certificada pelos sistemas de ensino.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 32 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 9° As instituições de ensino emitirão certificado com validade nacional,

que habilitará o concluinte do ensino médio

ao prosseguimento dos estudos em nível superior

ou em outros cursos ou formações para os quais a conclusão


do ensino médio seja etapa obrigatória.

§ 10. Além das formas de organização previstas no art. 23, o ensino médio
poderá

ser organizado em módulos

e adotar o sistema de créditos com terminalidade específica.

LDB, Art. 23. A educação básica poderá organizar-se em séries


36392911820

anuais, períodos semestrais, ciclos, alternância regular de


períodos de estudos, grupos não-seriados, com base na idade,
na competência e em outros critérios, ou por forma diversa de
organização, sempre que o interesse do processo de aprendizagem
assim o recomendar.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 33 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

§ 11. Para efeito de cumprimento das exigências curriculares do ensino


médio,

os sistemas de ensino poderão

reconhecer competências

e firmar convênios com instituições de educação a distância com


notório reconhecimento, mediante as seguintes formas de
comprovação:

I - demonstração prática;

II - experiência de trabalho supervisionado ou outra


experiência adquirida fora do ambiente escolar;

III - atividades de educação técnica oferecidas em outras


instituições de ensino credenciadas;

IV - cursos oferecidos por centros ou programas


ocupacionais;

V - estudos realizados em instituições de ensino nacionais


ou estrangeiras;

VI - cursos realizados por meio de educação a distância ou


educação presencial mediada por tecnologias.
36392911820

§ 12. As escolas deverão orientar os alunos no processo de escolha das


áreas de conhecimento ou de atuação profissional previstas no caput.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 34 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Seção IV-A
Da Educação Profissional Técnica de Nível
Médio

*Rever os quadros “MODALIDADES DE


ENSINO OU MODALIDADES DE EDUCAÇÃO BÁSICA”, após o art.
21.

Art. 36-A. Sem prejuízo do disposto na Seção IV deste Capítulo, o ensino


médio, atendida a formação geral do educando, poderá prepará-lo para
o exercício de profissões técnicas.

Parágrafo único. A preparação geral para o trabalho e, facultativamente, a


habilitação profissional poderão ser desenvolvidas nos próprios
estabelecimentos de ensino médio ou em cooperação com instituições
especializadas em educação profissional.

36392911820

Art. 36-B. A educação profissional técnica de nível médio será


desenvolvida nas seguintes formas:

I - articulada com o ensino médio;

II - subseqüente, em cursos destinados a quem já tenha concluído o


ensino médio.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 35 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Parágrafo único. A educação profissional técnica de nível médio deverá


observar:

I - os objetivos e definições contidos nas diretrizes curriculares


nacionais estabelecidas pelo Conselho Nacional de Educação;

II - as normas complementares dos respectivos sistemas de ensino;

*As normas gerais decorrem União, em


função da sua função normativa em relação às demais
instâncias educacionais, prevista no art. 8°, §1°.

III - as exigências de cada instituição de ensino, nos termos de seu


projeto pedagógico.

Art. 36-C. A educação profissional técnica de nível médio articulada, prevista


no inciso I do caput do art. 36-B desta Lei, será desenvolvida de forma:

I - integrada, oferecida somente a quem já tenha concluído o ensino


36392911820

fundamental, sendo o curso planejado de modo a conduzir o aluno à


habilitação profissional técnica de nível médio, na mesma instituição de
ensino, efetuando-se matrícula única para cada aluno;

*Na forma integrada, o aluno cursa as disciplinas do


ensino médio e as disciplinas da educação profissional técnica, sendo
realizada uma única matrícula, sempre na mesma instituição de
ensino.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 36 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
II - concomitante, oferecida a quem ingresse no ensino médio ou já o
esteja cursando, efetuando-se matrículas distintas para cada curso, e
podendo ocorrer:

*Na forma concomitante, ocorre uma matrícula para


o ensino médio e outra matrícula para a educação profissional técnica,
ou seja, são matrículas distintas para cada curso, podendo ser na
mesma instituição de ensino ou em instituições de ensino distintas (ver
abaixo).

a) na mesma instituição de ensino, aproveitando-se as


oportunidades educacionais disponíveis;

b) em instituições de ensino distintas, aproveitando-se as


oportunidades educacionais disponíveis;

c) em instituições de ensino distintas, mediante convênios de


intercomplementaridade, visando ao planejamento e ao
desenvolvimento de projeto pedagógico unificado.

Art. 36-D. Os diplomas de cursos de educação profissional técnica de nível


médio, quando registrados, terão validade nacional e habilitarão ao
prosseguimento de estudos na educação superior.
36392911820

Parágrafo único. Os cursos de educação profissional técnica de nível médio,


nas formas articulada concomitante e subseqüente, quando estruturados
e organizados em etapas com terminalidade, possibilitarão a obtenção de
certificados de qualificação para o trabalho após a conclusão, com
aproveitamento, de cada etapa que caracterize uma qualificação para o
trabalho.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 37 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

Seção V
Da Educação de Jovens e Adultos

Rever os quadros “MODALIDADES DE ENSINO OU


MODALIDADES DE EDUCAÇÃO BÁSICA”, após o art. 21.

Não é dever do Estado oferecer gratuitamente educação


àqueles com 18 anos ou mais nas turmas regulares da Educação
Básica (dos 4 aos 17 anos), todavia, os sistemas de ensino
estatais (U,E,DF,M) devem assegurar, gratuitamente, educação
aos jovens e adultos ( trata-se de uma modalidade de ensino ou
modalidade de educação básica) que não tiveram acesso ou
continuidade de estudos no ensino fundamental e médio na idade
própria.

Art. 37. A educação de jovens e adultos será destinada àqueles que não
tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e
médio na idade própria.

36392911820

§ 1º Os sistemas de ensino assegurarão gratuitamente aos jovens e aos


adultos, que não puderam efetuar os estudos na idade regular,
oportunidades educacionais apropriadas, consideradas as características
do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho, mediante
cursos e exames.

§ 2º O Poder Público viabilizará e estimulará o acesso e a permanência do


trabalhador na escola, mediante ações integradas e complementares entre
si.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 38 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
§ 3° A educação de jovens e adultos deverá articular-se,
preferencialmente, com a educação profissional, na forma do
regulamento.

Art. 38. Os sistemas de ensino manterão cursos e exames supletivos, que


compreenderão a base nacional comum do currículo, habilitando ao
prosseguimento de estudos em caráter regular.

§ 1º Os exames a que se refere este artigo realizar-se-ão:

I - no nível de conclusão do ensino fundamental, para os maiores


de quinze anos;

Regularmente, termina-se o ensino fundamental


com 14/15 anos. Este dispositivo evita que aqueles com a idade até 15
anos busquem “acelerar” o ensino fundamental, realizando os exames
supletivos.

II - no nível de conclusão do ensino médio, para os maiores de


dezoito anos.

36392911820

Regularmente, termina-se o ensino médio com


17/18 anos. Este dispositivo evita que aqueles com a idade abaixo dos
18 anos busquem “acelerar” o ensino médio, realizando os exames
supletivos.

§ 2º Os conhecimentos e habilidades adquiridos pelos educandos por meios


informais serão aferidos e reconhecidos mediante exames.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 39 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

“Sem treino, não há talento que faça milagre”


Germana Facundo

QUESTÕES COMENTADAS

Sobre o conteúdo desta Aula 01 – LDB – 2ª parte, não encontrei


questões do Instituto de Gestão e Desenvolvimento Social – IGDRH.

Como forma de complementação ao aprendizado, acrescento 13 questões


do CESPE-UnB, devido a qualidade destas questões.

Foco e concentração! Momento de fixar o conteúdo.


36392911820

Importante! Assista à videoaula relacionada às


questões desta aula.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 40 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

1 - CESPE - 2015 - MP/ENAP - Cargo 23 - Técnico em Assuntos educacionais -


A educação escolar é composta da educação infantil, da educação
básica formada pelo ensino fundamental e ensino médio e da
educação superior.

A Educação Escolar compõe-se pelos seguintes níveis: educação


básica e educação superior.

A educação básica, por sua vez, subdivide-se nas seguintes


etapas: Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio.

A afirmativa confunde esta classificação.

Ver os níveis de ensino ou níveis escolares no quadro


esquemático após o art. 21 da LDB, na parte expositiva da aula.

LDB

Art. 21. A educação escolar compõe-se de:

I - educação básica, formada pela educação infantil, ensino


fundamental e ensino médio;

ERRADO

36392911820

2 - CESPE - 2016 – - No Brasil, ainda há uma quantidade significativa


de cidadãos com pouca ou nenhuma escolaridade. Nesse sentido, a
educação de jovens e adultos (EJA) atende somente a parcela da
população acima de dezoito anos de idade que não completou quatro
anos de estudos escolares.

Esta questão foi anulada pelo CESPE, pois seu comando original
não possuía o vocábulo “somente”, que acrescentei para fins de
aproveitar esta questão em sua preparação.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 41 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Considerando o texto original (excluindo “somente”), o gabarito
deveria ter sido “CERTO”, pois a EJA também atende a população
indicada. Aparentemente, o gabarito PRELIMINAR veio como ERRADO
e o CESPE resolveu anular a questão, em vez de alterar para CORRETO,
após os recursos dos candidatos.

A educação de jovens e adultos será destinada àqueles que não


tiveram acesso ou continuidade de estudos no ensino fundamental e
médio na idade própria (LDB, art 37).

Para fins de conclusão do Ensino Fundamental, os exames


supletivos podem ser realizados por maiores de 15 anos.

Para fins de conclusão do Ensino Médio, os exames supletivos


podem ser realizados por maiores de 18 anos.

LDB, Art. 38. Os sistemas de ensino manterão cursos e exames


supletivos, que compreenderão a base nacional comum do
currículo, habilitando ao prosseguimento de estudos em caráter
regular.

§ 1º Os exames a que se refere este artigo realizar-se-ão:

I - no nível de conclusão do ensino fundamental, para os


maiores de quinze anos;

II - no nível de conclusão do ensino médio, para os maiores


de dezoito anos.

36392911820

ERRADO

3 - CESPE - 2015 – MPOG - Técnico em Assuntos Educacionais - A LDB define


que as formas de desenvolvimento da educação profissional e técnica
de nível médio são desarticuladas do Ensino Médio.

LDB, Art. 36-B. A educação profissional técnica de nível médio


será desenvolvida nas seguintes formas:

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 42 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
I - articulada com o ensino médio;

II - subseqüente, em cursos destinados a quem já tenha


concluído o ensino médio.

ERRADO

4 - CESPE - 2013 – FUB - Pedagogo - A LDB, ao fixar a jornada de


trabalho escolar, apresenta um grande avanço ao garantir a jornada de
tempo integral de ensino.

A LDB não garante a jornada de tempo integral de ensino, apenas


determina um progressivo esforço aos sistemas de ensino para que o
ensino fundamental implemente o regime de escolas de tempo
integral.

LDB:

Art. 34. A jornada escolar no ensino fundamental incluirá pelo


menos quatro horas de trabalho efetivo em sala de aula, sendo
progressivamente ampliado o período de permanência na escola.

§ 2º O ensino fundamental será ministrado


progressivamente em tempo integral, a critério dos sistemas
de ensino.

36392911820

Art. 87, § 5º Serão conjugados todos os esforços objetivando a


progressão das redes escolares públicas urbanas de ensino
fundamental para o regime de escolas de tempo integral.

ERRADO

5 - CESPE - 2012 – PRF – Técnico em assuntos educacionais - A educação


básica pode organizar-se em períodos semestrais, séries anuais e
grupos não seriados, com base na idade, na competência e em outros
critérios conforme o interesse do processo de aprendizagem.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 43 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

LDB, Art. 23. A educação básica poderá organizar-se em séries


anuais, períodos semestrais, ciclos, alternância regular de
períodos de estudos, grupos não-seriados, com base na idade, na
competência e em outros critérios, ou por forma diversa de
organização, sempre que o interesse do processo de
aprendizagem assim o recomendar.

CERTO

6 - CESPE - 2012 - PRF – Técnico em assuntos educacionais - O ensino


fundamental possui caráter exclusivo de continuidade, devendo
proporcionar o desenvolvimento constante do educando.

Apenas os estabelecimentos que utilizam a progressão regular por


série PODEM (ou seja, não devem) adotar no ensino fundamental o
regime de progressão continuada.

Art. 32, § 2º Os estabelecimentos que utilizam progressão


regular por série podem adotar no ensino fundamental o regime
de progressão continuada, sem prejuízo da avaliação do processo
de ensino-aprendizagem, observadas as normas do respectivo
sistema de ensino. 36392911820

*Reveja o quadro explicativo após o art. 32, §2° na parte expositiva da


aula.

ERRADO

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 44 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

7 - CESPE - 2011 – SAEB-BA – Todos cargos - A filosofia e a sociologia


compõem o rol de disciplinas facultativas no primeiro e no segundo
ano do ensino médio e o de disciplinas obrigatórias no terceiro ano.

Sobre estas disciplinas, na época da aplicação desta questão


(2011) este era o texto da LDB (atualmente, o art. 36, IV possui
redação diversa dada pela Lei n° 13.415/2017):

“Art. 36, IV – serão incluídas a Filosofia e a Sociologia como disciplinas


obrigatórias em todas as séries do ensino médio.”

Após a modificação do texto da LDB pela Lei n° 13.415/2017, que


consolidou a denominada “reforma do ensino médio”, assim ficou a
LDB quanto a estas disciplinas:

Art. 35-A, § 2° A Base Nacional Comum Curricular referente ao ensino


médio incluirá obrigatoriamente estudos e práticas de educação física,
arte, sociologia e filosofia.

Desta forma, percebe-se que, assim como em 2011, atualmente


esta questão também não poderia ser considerada correta.

ERRADO
36392911820

8 - CESPE - 2011 - SAEB-BA – Todos cargos - Os conteúdos, as


metodologias e as formas de avaliação devem ser organizados de tal
forma que, ao final do ensino médio, o educando demonstre domínio
dos princípios científicos e tecnológicos que orientam a produção
moderna.

Sobre este tema, na época da aplicação desta questão (2011)


este era o texto da LDB (atualmente, o art. 36, §1° possui redação
diversa dada pela Lei n° 13.415/2017):

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 45 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
“LDB, art. 36, § 1º Os conteúdos, as metodologias e as formas de
avaliação serão organizados de tal forma que ao final do ensino
médio o educando demonstre:

I - domínio dos princípios científicos e tecnológicos que presidem


a produção moderna;”

Após a modificação do texto da LDB pela Lei n° 13.415/2017, que


consolidou a denominada “reforma do ensino médio”, assim ficou a
LDB quanto ao tema:

Art. 35-A. A Base Nacional Comum Curricular definirá direitos e


objetivos de aprendizagem do ensino médio, conforme diretrizes
do Conselho Nacional de Educação, nas seguintes áreas do
conhecimento:

§ 8° Os conteúdos, as metodologias e as formas de


avaliação processual e formativa serão organizados nas
redes de ensino por meio de atividades teóricas e práticas,
provas orais e escritas, seminários, projetos e atividades
on-line, de tal forma que ao final do ensino médio o
educando demonstre:

I - domínio dos princípios científicos e tecnológicos que


presidem a produção moderna;

Desta forma, percebe-se que, assim como em 2011, atualmente


esta questão também poderia ser considerada correta.
36392911820

CERTO

9 - CESPE - 2011 - SAEB-BA – Todos cargos - Os cursos do ensino médio


devem ter duração de até três anos, habilitando o estudante para o
prosseguimento dos estudos.

O ensino médio deve ter duração mínima de três anos e não


duração de até três anos (máximo de 3 anos).

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 46 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

LDB, Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação básica, com
duração mínima de três anos, terá como finalidades:

ERRADO

10 - CESPE - 2011 – SAEB-BA – Professor - De acordo com a LDB, a


educação física deve ser uma atividade obrigatória em todos os níveis
de ensino.

Art. 26, § 3° A educação física, integrada à proposta pedagógica da


escola, é componente curricular obrigatório da educação básica (...).

A educação física não é atividade obrigatória à educação


superior, somente à educação básica.

Ver os níveis de ensino ou níveis escolares no quadro


esquemático após o art. 21 da LDB, na parte expositiva da aula.

Art. 21. A educação escolar compõe-se de:

I - educação básica, formada pela educação infantil, ensino


fundamental e ensino médio; 36392911820

II - educação superior.

ERRADO

11 - CESPE - 2011 - SAEB-BA – Professor - A partir da publicação da LDB,


o método de desporto generalizado passou a ser indicado e empregado
nas práticas pedagógicas.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 47 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

A LDB trata do desporto educacional, ou seja, a prática do


desporto como integrante do conteúdo curricular da educação básica.

Art. 27. Os conteúdos curriculares da educação básica


observarão, ainda, as seguintes diretrizes:

IV - promoção do desporto educacional e apoio às práticas


desportivas não-formais.

ERRADO

12 - CESPE - 2011 - SEDUC-AM - Professor - Nos termos da LDB e da


normatização específica, a oferta de programas a distância no ensino
fundamental restringe-se ao atendimento a situações emergenciais e a
casos de complementação de aprendizagem.

Art. 32, § 4º O ensino fundamental será presencial, sendo o


ensino a distância utilizado como complementação da
aprendizagem ou em situações emergenciais.
36392911820

CERTO

13 - CESPE - 2010 - SEDU-ES - Professor - Quanto ao ensino médio, etapa


final da educação básica, a LDB enfatiza seu caráter de terminalidade,
deixando de disciplinar, entre suas finalidades e diretrizes, a
possibilidade e a habilitação para o prosseguimento de estudos.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 48 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
Pelo contrário, a LDB enfatiza o caráter de progressividade nos
estudos, após o ensino médio.

LDB, Art. 35. O ensino médio, etapa final da educação básica, com
duração mínima de três anos, terá como finalidades:

I - a consolidação e o aprofundamento dos conhecimentos


adquiridos no ensino fundamental, possibilitando o
prosseguimento de estudos;

II - a preparação básica para o trabalho e a cidadania do


educando, para continuar aprendendo, de modo a ser capaz
de se adaptar com flexibilidade a novas condições de
ocupação ou aperfeiçoamento posteriores;

ERRADO

36392911820

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 49 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

LISTA DE QUESTÕES COMENTADAS NESTA AULA

1 - CESPE - 2015 - MP/ENAP - Cargo 23 - Técnico em Assuntos educacionais -


A educação escolar é composta da educação infantil, da educação
básica formada pelo ensino fundamental e ensino médio e da
educação superior.

2 - CESPE - 2016 – - No Brasil, ainda há uma quantidade significativa


de cidadãos com pouca ou nenhuma escolaridade. Nesse sentido, a
educação de jovens e adultos (EJA) atende somente a parcela da
população acima de dezoito anos de idade que não completou quatro
anos de estudos escolares.

3 - CESPE - 2015 – MPOG - Técnico em Assuntos Educacionais - A LDB define


que as formas de desenvolvimento da educação profissional e técnica
de nível médio são desarticuladas do Ensino Médio.
36392911820

4 - CESPE - 2013 – FUB - Pedagogo - A LDB, ao fixar a jornada de


trabalho escolar, apresenta um grande avanço ao garantir a jornada de
tempo integral de ensino.

5 - CESPE - 2012 – PRF – Técnico em assuntos educacionais - A educação


básica pode organizar-se em períodos semestrais, séries anuais e
grupos não seriados, com base na idade, na competência e em outros
critérios conforme o interesse do processo de aprendizagem.

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 50 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

6 - CESPE - 2012 - PRF – Técnico em assuntos educacionais - O ensino


fundamental possui caráter exclusivo de continuidade, devendo
proporcionar o desenvolvimento constante do educando.

7 - CESPE - 2011 – SAEB-BA – Todos cargos - A filosofia e a sociologia


compõem o rol de disciplinas facultativas no primeiro e no segundo
ano do ensino médio e o de disciplinas obrigatórias no terceiro ano.

8 - CESPE - 2011 - SAEB-BA – Todos cargos - Os conteúdos, as


metodologias e as formas de avaliação devem ser organizados de tal
forma que, ao final do ensino médio, o educando demonstre domínio
dos princípios científicos e tecnológicos que orientam a produção
moderna.

9 - CESPE - 2011 - SAEB-BA – Todos cargos - Os cursos do ensino médio


devem ter duração de até três anos, habilitando o estudante para o
prosseguimento dos estudos.

10 - CESPE - 2011 – SAEB-BA – Professor - De acordo com a LDB, a


36392911820

educação física deve ser uma atividade obrigatória em todos os níveis


de ensino.

11 - CESPE - 2011 - SAEB-BA – Professor - A partir da publicação da LDB,


o método de desporto generalizado passou a ser indicado e empregado
nas práticas pedagógicas.

12 - CESPE - 2011 - SEDUC-AM - Professor - Nos termos da LDB e da


normatização específica, a oferta de programas a distância no ensino

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 51 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte
fundamental restringe-se ao atendimento a situações emergenciais e a
casos de complementação de aprendizagem.

13 - CESPE - 2010 - SEDU-ES - Professor - Quanto ao ensino médio, etapa


final da educação básica, a LDB enfatiza seu caráter de terminalidade,
deixando de disciplinar, entre suas finalidades e diretrizes, a
possibilidade e a habilitação para o prosseguimento de estudos.

36392911820

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 52 de 53

36392911820 - leila peres martins


Conhecimentos Pedagógicos p/ todos os Cargos SESI-SP
Professor de Educação Básica
Prof. Rodrigo Bandeira
Aula 01 LDB 2ª parte

GABARITO

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

E E E E C E E C E E

11 12 13

E C E

36392911820

Prof. Rodrigo Bandeira www.estrategiaconcursos.com.br 53 de 53

36392911820 - leila peres martins