Vous êtes sur la page 1sur 24

MIOLOGIA

Nos seres multicelulares ou pluricelulares as células se diferenciaram e especializaram para realizar


funções específicas relacionadas à digestão, reprodução, proteção, secreção e respiração. As células musculares
também se especializaram para a contração e relaxamento. As células musculares (fibras) devido a sua forma
agrupam-se em feixes ou fascículos para formar massas macroscópicas chamadas de músculos. Os músculos
participam do movimento por encurtar as distâncias entre suas extremidades por meio de uma contração.
Os músculos são considerados os órgãos ativos do movimento, enquanto que os ossos e articulações são
os elementos passivos. Os músculos são derivados de um folheto embrionário denominado mesoderme. A
célula muscular está sob o controle do Sistema Nervoso. Cada músculo possui um nervo que ao penetrar no seu
interior apresenta ramificações. No interior do músculo o nervo ramifica-se ainda mais até que os ramos
tornam-se microscópicos, mantendo contato com cada célula ou fibra muscular, o que é chamado de Placa
Motora ou Junção Mioneural. Quando o impulso elétrico passa do nervo para a placa motora, esta o transmite
para todas as células ou fibras musculares determinando uma contração. Quando o impulso elétrico resultar de
um ato consciente, se diz q o músculo é voluntário. Quando o impulso elétrico se originar de uma ou mais áreas
do Sistema Nervoso em que o indivíduo não tem consciência se diz que o músculo é involuntário. Cada
músculo possui um nervo.
Classificação morfológica e funcional dos músculos em 3 tipos:
- Tecido Muscular Liso (Músculo Liso)
- Tecido Muscular Cardíaco (Músculo Cardíaco)
- Tecido Muscular Esquelético (Músculo Esquelético)

- Músculo Liso:
. Involuntário
. Baixo número de estrias transversais; contração lenta; estrias desorganizadas; com luz no
interior.
. Localização: órgãos ocos, com parênquima, glândulas salivares e lacrimais, folículos pilosos,
baço, bulbo ocular e vasos sanguíneos.
Órgãos ocos: esôfago, estômago, intestino, uretra, ureter, útero e intestino.

- Músculo Cardíaco:
. Involuntário
. Alto número de estrias transversais
. Localização: Coração

- Músculo Esquelético:
. Voluntário
. Alto número de estrias transversais dispostas de forma organizada
. Localização: esqueleto (ossos ou cartilagens)
. Estrias: miofibrilas longitudinais (célula muscular)
. Célula muscular (multinucleada): milhares de miofibrilas -> miofilamentos (espessos e finos).

Sarcômero:
Menor conjunto de miofilamentos que consegue realizar uma contração / relaxamento.

Miofilamentos (proteínas):
Espessos: miosina
Finos: Actina, troponina e tropomiosina

Estímulo elétrico -> Fibra muscular -> Miofilamentos se aproximam -> CONTRAÇÃO

Cessar Estímulo -> Fibra muscular -> miofilamentos se afastam -> RELAXAMENTO
. Novas células musculares não são formadas após o nascimento.

. Crescimento do músculo: aumento no tamanho das fibras.

. Revestimento do músculo:
Endomísio: reveste cada célula do tecido
Perimísio: Reveste um fascículo (feixe) de fibras
Epimísio: reveste a parte externa (fáscia)

. Quando reveste um grupo de tecidos, músculos ou fibras a fáscia tem nome próprio, pois todo músculo
individualmente possui fáscia.

- Componentes Anatômicos:

- Porção média: vermelha e carnosa (“carne” -> ventre muscular que é a parte ativa e contrátil).
- Extremidades: tecido conjuntivo

* Tendão: extremidade do músculo de forma cilíndrica ou de fita


* Aponeurose: forma laminar

- Origens e Inserções:
Origem: a extremidade do músculo que não movimenta parte do corpo durante a contração do ventre.
Inserção: a extremidade do músculo movimenta parte do corpo durante a contração do ventre.

Músculos dos membros torácicos e pélvicos:


Origem: proximal
Inserção: distal

- Classificação dos Músculos:


A função determina a forma que é variável (figuras geométricas sólidas). Ex.: Trapézio, Rombóide,
Piriforme, Redondo Maior, Redondo Menor, Longos (M. Longo da Cabeça), Serra (M. Serrátil Ventral Cervical
e Torácico), Fusiformes (parte média >).

- Disposição das fibras em relação aos tendões:


a) Disposição Paralela: M. Bíceps do Braço
b) Disposição Oblíqua: Barbas de pena (M. Peniformes)
Unipenados (M. Reto da Coxa), Multipenados (M. Gastrocnêmio).

- Origem:
O tendão de origem é a cabeça do músculo. O músculo pode ter mais de um tendão de origem, e
conseqüentemente mais de uma cabeça de origem.
. Bíceps: 2 cabeças ( 2 tendões de origem): Músculo Bíceps do Braço
. Tríceps: 3 cabeças (3 tendões de origem): Músculo Tríceps do Braço
. Quadríceps: 4 cabeças (4 tendões de origem): Músculo Quadríceps da Coxa

- Inserção:
O tendão de inserção é a cauda do músculo. O músculo pode ter mais de um tendão de inserção (mais de
uma cauda).
. Bicaudados: Músculo Extensor Lateral dos dedos
. Policaudados: 3 ou mais caudas: Músculo Extensor Comum dos dedos.

- Ventre Muscular:
Os músculos podem ter mais de um ventre muscular. Há então, tendões intermediários entre os ventres.
. Dois ou mais ventres: digástricos: Músculo Digástrico
. Três ou mais ventres: poligástricos: Músculo Reto do Abdome

- Ação:
Ação resulta em contração (flexão, extensão, adução, abdução e rotação).
. Músculo Flexor Superficial dos Dedos
. Músculo Extensor Comum dos Dedos
. Músculo Adutor
. Músculo Abdutor Caudal da Perna
. Músculo Extensor Radial do Carpo

- Músculos Esfincterianos:
São músculos lisos e estriados esqueléticos que circundam aberturas animais, controlando passagens.
. Cárdia: esôfago e estômago – Esfíncter Cardíaco
. Piloro: estômago e duodeno – Esfíncter Pilórico
. Entre bexiga e uretra - Esfíncter Uretral
Ânus : Esfíncter externo (M. Esquelético Estriado) e Esfíncter interno (M. Liso).

- Anexos Musculares:
Auxiliam o trabalho do M. Estriado Esquelético.
. Ossos Sesamóides: protegem tendões, área de fixação, redirecionam e proporcionam maior vantagem
mecânica.
. Bolsas Sinoviais: pequenos sacos revestidos com membrana sinovial contendo líquido sinovial. Reduzem o
atrito entre tendão e osso, músculo e osso, ligamento e osso e pele e ossos.
. Bainhas Sinoviais:
Sacos cilíndricos como bolsas sinoviais, porém envolvem tendões como almofadas de paredes duplas
com líquido sinovial. Evitam o atrito próximo às articulações. Recobrem todo o tendão.
. Fáscia:
Membranas de tecido conjuntivo que recobrem os músculos. Em algumas regiões podem ser espessas
para sustentar um grupo de músculos ou articulações.

- Períneo:
Outro nome do diafragma pélvico. Espaço entre o ânus e os órgãos genitais externos (Escroto ou Vulva).
- Perienal:
Espaço ao redor do ânus.
- Fossa Isquioretal:
Espaço entre o Ísquio e o Reto, fechado somente por músculos. Em animais idosos, por problemas
geralmente hormonais, esses músculos perdem seu vigor. Ao defecar ou mixar, a pressão no abdome e cavidade
pélvica aumenta, e como os músculos estão fracos, as vísceras passam pelos músculos e ficam presas na
cavidade retal.
- Colapso Retal:
Quando uma mucosa, parte do reto ou do ânus se esterioriza.
- Sinsarcose:
União de ossos através de músculos.
- Pectíneo:
Em forma de dente de pente.
- Por que as fibras tem direções diferentes?
Por que se as fibras fossem na mesma direção poderia haver ruptura.
- Eventração:
Quando rompe a musculatura abdominal e as vísceras ficam suspensas só pela pele.
- Evisceração:
Quando até a pele arrebenta.
- O Músculo Cremaster é uma parte do M. Oblíquo Interno do Abdome. Ele levanta a túnica vaginal e dos
testículos em resposta às baixas temperaturas, para que a espermatogênese não seja comprometida.
- Pleura: membrana que reveste a cavidade interior do tórax.
- O Músculo Braquicefálico apresenta o vestígio da clavícula. Está divido em partes: Cleidobraquial,
Cleidomastóide e Cleidocervical.

- O menor Músculo Esquelético do corpo é o Músculo Estapédio.


- MÚSCULOS:

1) Músculos da Cauda
1.1) M. Sacrocaudal Dorsal Lateral
1.2) M. Sacrocaudal Dorsal Medial
1.3) M. Sacrocaudal Ventral Lateral
1.4) M. Sacrocaudal Ventral Medial
1.5) Mm. Intertransversários Dorsal Caudal e Ventral Caudal

2) Músculos do Diafragma Pélvico


2.1) M. Coccígeo
2.2) M. Levantador do Ânus
2.3) M. Coccígeo

3) Músculos do Membro Pélvico


3.1) Mm. Sublombares
3.1.1) M. Psoas Menor
3.1.2) M. Psoas Maior
3.1.3) M. Ilíaco
3.1.4) M. Quadrado Lombar

3.2) Mm. Do Cíngulo Pélvico


3.2.1) M. Tensor da Fáscia Lata
3.2.3) M. Ilíaco
3.2.4) M. Glúteo Profundo
3.2.5) M. Piriforme

3.3) Músculos da Coxa


3.3.1) M. Bíceps da Coxa ou do Fêmur
3.3.2) M. Gluteobíceps
3.3.3) M. Abdutor Caudal da Perna
3.3.4) M. Semitendinoso
3.3.5) M. Semimembranoso
3.3.6) M. Quadríceps da Coxa ou do Fêmur
3.3.7) M, Sartório
3.3.8) M.Grácil
3.3.9) M. Pectíneo
3.3.10) M. Adutor

Canal Femoral e Trígono Femoral

3.4) Músculos da Perna


3.4.1) M. Tibial Cranial
3.4.2) M. Extensor Longo dos Dedos
3.4.3) M. Extensor Lateral dos Dedos
3.4.4) M. Fibular Terceiro
3.4.5) M. Fibular Longo (carnívoros e ruminantes)
3.4.6) M. Sóleo
3.4.7) M. Gastrocnêmio (nos carnívoros há um osso sesamóide proximal aos côndilos do fêmur)
3.4.8) M. Flexor Profundo dos Dedos
3.4.9) M. Flexor Superficial dos Dedos
3.4.10) M. Poplíteo (Nos carnívoros há um pequeno osso sesamóide na face caudal do côndilo lateral da
tíbia.

4) Músculos do Abdome
4.1) M. Oblíquo Externo do Abdome
4.2) M. Oblíquo Interno do Abdome
4.3) M. Transverso do Abdome
4.4) M. Reto do Abdome (parede ventral do abdome)
4.5) M. Cremáster
4.6) M. Prepucial ou Supra-mamárico

Canais Inguinais

5) Músculos do Tórax
5.1) Mm. Levantadores das costelas
5.2) Mm. Intercostais Internos
5.3) Mm. Intecostais Externos
5.4) M. Retrator da Costela
5.5) M. Reto do Tórax
5.6) M. Transverso do Tórax
5.7) M. Diafragma

6) Músculos do Membro Torácico


6.1) Mm. Do Cíngulo Escapular
6.1.1) M. Trapézio (parte cervical e parte torácica)
6.1.2) M. Grande Dorsal
6.1.3) M. Braquicefálico
6.1.4) M. Omotransversário
6.1.5) M. Rombóide
6.1.6) M. Peitoral Superficial
6.1.7) M. Peitoral Profundo
6.1.8) M. Serrátil Ventral

6.2) Músculos do Ombro


6.2.1) M. Supra-Espinhoso
6.2.2) M. Infra- Espinhoso
6.2.3) M. Redondo Menor
6.2.4) M. Deltóide
6.2.5) M. Subescapular
6.2.6) M. Redondo Maior
6.2.7) M. Coracobraquial

6.3) Músculos do Braço


6.3.1) M. Bíceps do Braço
6.3.2) M. Braquial
6.3.3) M. Tríceps do Braço
6.3.4) M. Ancôneo
6.3.5) M. Tensor da Fáscia do Antebraço

6.4) Músculos do Antebraço


6.4.1) M. Extensor Radial do Carpo
6.4.2) M. Extensor Comum dos Dedos
6.4.3) M. Extensor Lateral dos Dedos
6.4.4) M. Ulnar Lateral ou Extensor Ulnar do Carpo
6.4.5) M. Extensor Oblíquo do Carpo –eqüino
M. Abdutor Longo do I dedo – ruminantes e carnívoros
6.4.6) M. Flexor Ulnar do Carpo
6.4.7) M. Flexor Superficial dos Dedos
6.4.8) M. Flexor Profundo dos Dedos
6.4.9) M. Flexor Radial do Carpo
6.4.10) M. Pronador Redondo

7) Músculos do Pescoço
7.1) M. Trapézio parte cervical
7.2) M. Rombóide parte cervical
7.3) M. Serrátil Ventral parte cervical
7.4) M. Esplênio
7.5) M. Longo da Cabeça e do Atlas
7.6) M. Esternocefálico
7.7) M. Esternoióide
7.8) M. Esternotireóide
7.9) M. Longo do Pescoço
7.10) M. Escaleno

8) Músculos da Cabeça
8.1) M. Platina
8.2) M. Levantador Nasolabial
8.3) M. Orbicular da Boca
8.4) M. Orbicular do Olho
8.5) M. Bucinador
8.6) M. Zigomático
8.7) M. Levantador da Pálpebra Superior
8.8) Mm. Auriculares
M. Escútulo-auricular Superficial
M. Escútulo-auricular Profundo Maior
M. Escútulo-auricular Profundo Menor
M. Zigomático-escutular
M. Zigomático-auricular
M. Inter-escutular
M. Parótido-auricular
8.9) M. Masseter
8.10) M. Temporal
8.11) M. Pterigóide Lateral e Medial
8.12) M. Digástrico
8.13) M. Miloióide

9) Músculos da Coluna Vertebral


9.1) Sistema Transverso-espinhal
9.2) Sistema Longuíssimo
9.3) Sistema Iliocostal

1) Músculos da Cauda:

1.1) M. Sacrocaudal Dorsal Lateral


Ação: Extensão ou elevação da cauda e movimento para um dos lados
Origem: 5ª - 6ª vértebra lombar / Sacro
Inserção: 2ª - 14ª vértebra caudal

1.2) M. Sacrocaudal Dorsal Medial


Ação: extensão da cauda e flexão lateral
Origem: Sacro
Inserção: última vértebra caudal

1.3) M. Sacrocaudal Ventral Lateral


Ação: flexão da cauda
Origem: última vértebra lombar – 1ª vértebra sacral
Inserção: estende-se por toda a cauda

1.4) M. Sacrocaudal Ventral Medial


Ação: flexão da cauda
Origem: última vértebra sacral
Inserção: estende-se por toda a cauda

1.5) Mm. Intertransversários Dorsal Caudal e Ventral Caudal


Ação: flexão lateral da cauda
Origem: 3ª vértebra caudal
Inserção: metade da cauda

2) Músculos do Diafragma Pélvico


Músculos que fecham caudalmente a cavidade pélvica deixando um espaço entre o Ísquio e o
Reto, a Fossa Isquioretal, e permitem somente a passagem do Reto.
Diafragma: s.m. placa ou objeto que divide duas cavidades.

2.1) M. Coccígeo:
(Coccígeo Lateral): Origina-se de pequeno tendão na Espinha Isquiática, cranial ao M.
Obturador interno, cruza medialmente o Ligamento Sacrotuberal e insere-se sobre os
processos transversos da 2ª até 5ª vértebras caudais.
Ação: contração bilateral: comprime a cauda contra o ânus e órgãos genitais, e contração
unilateral: flexão lateral da cauda.

2.2)Músculo Levantador do Ânus


(Coccígeo Medial): cranial e medial ao M. Coccígeo. É triangular e origina-se da parte
caudal do Ílio e Sínfise Pélvica, e insere-se na 7ª vértebra caudal.
Ação: contração bilateral: pressão da cauda contra o ânus e órgãos genitais, e contração
unilateral: elevação para um dos lados.
O M. Levantador do Ânus ao elevar a cauda comprime o Reto ocasionando o movimento
característico da defecação
Origem: Ílio e Sínfise Pélvica
Inserção: 7ª Vértebra Caudal

2.3) M. Coccígeo
Origem: Espinha Isquiática
Inserção: Processos Transversos 2ª - 5ª vértebras caudais
3) Músculos do Membro Pélvico

3.1) Mm. Sublombares

3.1.1) M. Psoas Menor


Origem: Corpo da 13ª vértebra torácica – cão
Corpo da 16ª - 17ª - 18ª vértebra torácica – eqüino
Corpo da 12ª - 13ª vértebra torácica - bovino
Inserção:M. Psoas Menor
Ação: inclinar o quadril ou flexionar a parte lombar da coluna vertebral
Irrigação: Aa. Intercostal Dorsal, Costo-abdominal Dorsal, Lombar e Ilíaca Circunflexa
Profunda.
Inervação: Nn. Lombares

3.1.2) M. Psoas Maior


Origem: Processos transversos das vértebras lombares no cão e eqüino. Vértebras lombares e 2
últimas costelas no bovino.
Inserção: Trocanter menor do Fêmur
Ação: Flexionar a articulação do Quadril deslocando o membro pélvico cranialmente e girar
lateralmente a coxa.
Irrigação: Aa. Lombar, Ilíaca Circunflexa Profunda e Femoral Profunda.
Inervação: Nn. Lombar e Femoral

3.1.3) M. Ilíaco
Ação: semelhante ao M. Psoas Menor
Irrigação e Inervação: semelhante ao M. Psoas Menor
. Devido a união entre os Mm. Psoas Menor e Ilíaco, são considerados como um músculo único
denominado de Íliopsoas.

3.1.4) M. Quadrado Lombar


Origem: 2 últimas costelas e processos transversos lombares no cão e eqüino. Quatro últimas
vértebras torácicas, última costela e processos transversos lombares no bovino.
Inserção: M. Quadrado Lombar e Ílio.
Ação: Extensão da parte lombar da coluna vertebral
Irrigação: Aa. Lombar e Ilíaca Circunflexa Profunda
Inervação: Nervos Lombares

3.2) Músculos do Cíngulo Pélvico

3.2.1) M. Tensor da Fáscia Lata


Origem: Tuberosidade Coxal e fáscia do M. Glúteo Médio
Inserção: Fáscia Lata e bordo cranial da Tíbia
Ação: tensão da fáscia lata, flexionar a articulação do Quadril e extensão da articulação do
Joelho
Irrigação: Aa. Ilíaca Circunflexa Profunda, Iliolombar e Iliacofemoral.
Inervação: N. Glúteo Cranial

3.2.2) M. Glúteo Superficial


Origem: Abduzir o membro, flexão da articulação do Quadril e tensão da fáscia glútea.
Inserção: 3º trocanter no eqüino e distal trocanter maior nas demais espécies
Ação: abduzir o membro, flexão da articulação do quadril e tensão da fáscia glútea.
Irrigação: Aa. Glúteas Cranial e Caudal e Iliacofemoral
Inervação:Nn. Glúteo Caudal nos carnívoros. Nn. Glúteos Cranial e Caudal no eqüino e bovino.
3.2.3) M. Glúteo Médio
Origem: Tuberosidades Sacral e Coxal, processos transversos da última vértebra Sacral e 1ª
vértebra caudal e Ligamento Sacrotuberal.
Inserção: trocanter maior do Fêmur
Ação: extensão da articulação do quadril e abduzir o membro
Irrigação: Aa. Glútea Cranial, Iliolombar, Iliacofemoral e Ilíaca Circunflexa Profunda
Inervação:N. Glúteo Caudal nos carnívoros. Nervos Glúteos Cranial e Caudal nas demais
espécies.

3.2.4) M. Glúteo Profundo


Origem: corpo do Ílio e Espinha Isquiática no cão e eqüino. Tuberosidade Coxal, corpo do Ílio,
Espinha Isquiática e Ligamento Sacrotuberal no bovino.
Inserção: trocanter maior do fêmur
Ação: extensão da articulação do Quadril e leve abdução da coxa.
Irrigação: A. Glútea Cranial
Inervação: N. Glúteo Cranial

3.2.5) M. Piriforme
Origem: 3ª vértebra sacral e 1ª vértebra caudal
Inserção: trocanter maior do Fêmur
Ação: extensão da articulação do Quadril
Irrigação: A. Glútea Cranial
Inervação: N. Glúteo Caudal
3.3) Músculos da Coxa:

3.3.1) M. Bíceps da Coxa ou do Fêmur


Possui 2 cabeças (2 tendões de origem):
- 1 cabeça superficial
- 1 cabeça profunda
Divide-se em três partes: Cranial, Média e Caudal
Estende-se desde a Tuberosidade do Ísquio passando pelo terço médio da Tíbia até a
Tuberosidade do Calcâneo.
Origem: Ligamento Sacrotuberal e Tuberosidade Isquiática
Inserção: face caudal do Fêmur
Face caudal da Patela
Borda cranial da Tíbia
Tuberosidade do Calcâneo
Ação: Extensor das articulações do Quadril, do Joelho e Tarsocrural
Irrigação: As. Glúteas Cranial e Caudal. A. Obturatória e Aa. Femorais Circunflexas medial e
caudal
Inervação: N. Isquiático

3.3.2) M. Gluteobíceps
União entre o M. Glúteo Superficial e o M. Bíceps da Coxa em ruminantes e suíno.

3.3.3) M.Abdutor Caudal da Perna


Origem: Ligamento Sacrotuberal
Estende-se sob o músculo Bíceps da Coxa ou do Fêmur
Inserção: face craniolateral dos músculos extensores da Tíbia
Ação: abdução do membro e flexão do joelho.
Irrigação: semelhante ao Bíceps da Coxa
Inervação: Nervo Isquiático

3.3.4) M. Semitendinoso
Origem: processos transversos das 1ª e 2ª vértebras sacrais e Tuberosidade Isquiática
Inserção:Tuberosidade do Calcâneo
Ação: estender a articulação do Quadril e Tarsocrural, e flexionar a articulação do Joelho
Irrigação: Aa. Glútea Caudal, Obturatória, Femoral Circunflexa Medial e Femoral Caudal
Inervação: N. Isquiático e N. Glúteo Caudal

3.3.5) M. Semimembranoso
Origem: extensão da articulação do Quadril e flexão da articulação do Joelho
Inserção: face medial da epífise distal do fêmur e borda cranial da Tíbia
Ação: extensão da articulação do Quadril e flexão da articulação do Joelho
Irrigação: mesma do M. Semitendinoso
Inervação: N. Isquiático e ramos do N. Tibial

3.3.6) M. Quadríceps da Coxa ou do Fêmur


Cobre parte das faces cranial, lateral e medial do Fêmur.
Origem: Ílio (M. Reto da Coxa ou do Fêmur), Fêmur (Mm. Vasto Lateral, Vasto Intermédio e
Vasto Medial)
Ação: extensão da articulação do Joelho e tensão da fáscia da perna.
Irrigação: Aa. Femorais
Inervação: N. Femoral

3.3.7) M. Sartório
Em carnívoro, bovino e suíno há partes cranial e caudal. No eqüino não há divisão.
Origem: Ílio
Inserção: Ligamento Patelar e bordo medial da Tíbia
Ação: flexão da articulação do Quadril
Irrigação: A. Femoral
Inervação: N. Safeno

3.3.8) M. Grácil
Origem: Sínfisie Pélvica
Inserção: bordos cranial e medial da Tíbia e Tuberosidade do Calcâneo
Ação: adução da coxa, extensão da articulação do Quadril e extensão da articulação do Tarso.
Irrigação: Aa. Femorais e Femoral Circunflexa Medial
Inervação: N. Obturatório

3.3.9) M. Pectíneo
Origem: Pube
Inserção: côndilo medial do Fêmur
Ação: adução da coxa e flexão da articulação do Quadril
Irrigação e inervação: mesma do M. Grácil

3.3.10) M. Adutor
Origem: Sínfise Pélvica e bordo cranial do Pube
Inserção: face caudal e epicôndilo medial do Fêmur
No cão há 2 ventres: adutor longo e adutor magno e breve
Ação: adução e extensão da articulação do Quadril e girar medialmente o Fêmur
Irrigação: Aa. Femoral, Femoral Circunflexa Medial e Obturatória
Inervação: N. Obturatório
Canal Femoral
Cranialmente: M. Sartório
Caudalmente: M. Pectíneo
Lateralmente: Mm. Vasto Medial e Iliopsoas
Vasos Sanguíneos das cavidades abdominal e pélvica para o membro pélvico.
( A. Femoral, V. Femoral e N. Safeno)

Trígono Femoral
Espaço triangular e raso em que vasos e nervos femorais percorrem na face medial da coxa.
Cranialmente: M. Sartório
Caudalmente: M. Pectíneo
Carnívoros: pulso

3.4) Músculos da Perna

3.4.1) M. Tibial Cranial


Origem: bordo cranial da Tíbia
Inserção: epífise proximal do grande Metatársico no eqüino e bovino. Ossos do Tarso (distal) no
carnívoro.
Ação: flexionar a articulação Tarsocrural e rodar o pé lateralmente
Irrigação: A. Tibial Cranial
Inervação: N. Fibular

3.4.2) M. Extensor Longo dos Dedos


Origem: Epicôndilo lateral do Fêmur
Inserção: Falanges distais
Ação: extensão dos dedos e flexão da articulação Tarsocrural
Irrigação: A. Tibial Cranial
Inervação: N. Fibular

3.4.3) M. Extensor Lateral dos Dedos


Nos carnívoros entre os Mm. Fibular Longo e Flexor Profundo dos Dedos.
Origem: bordo lateral da Tíbia e Fíbula
Inserção: tendão do Músculo Extensor Longo dos Dedos

3.4.4) Músculo Fibular Terceiro (eqüino e bovino):


Ausente nos carnívoros
No eqüino é um forte tendão entre os Mm. Extensor Longo dos Dedos e Tibial Cranial.
Origem: Côndilo Lateral do Fêmur
Inserção: grande Metatársico
Ação:flexionar a articulação Tarsocrural
Irrigação e inervação: semelhante ao M. Fibular Longo.

3.4.5) M. Fibular Longo (carnívoros e ruminantes):


Origem:Côndilo lateral da Tíbia
Inserção: Tarso e Metatarso
Ação: rotação medial do pé e flexão da articulação Tarsocrural
Irrigação:A. Tibial Cranial
Inervação:N. Fibular Profundo
3.4.6) M. Sóleo
Pequeno no eqüino e nos ruminantes
Ausente nos carnívoros
Origem: cabeça da Fíbula
Inserção: tendão do M. Gastrocnêmio
Ação: Auxiliar o M. Gastrocnêmio
Irrigação:A. Tibial Caudal
Inervação:N. Tibial

3.4.7) M. Gastrocnêmio
2 cabeças: lateral e medial
Origem: a cabeça que é lateral se origina na Tuberosidade Supracondilar Lateral do Fêmur e a
cabeça que é medial se origina da Tuberosidade Supracondilar Medial do Fêmur.
Inserção: Tuberosidade do Calcâneo
Ação: extensão da articulação Tarsocrural e flexão da articulação do Calcâneo
Inervação: N. Tibial

3.4.8) M. Flexor Profundo dos Dedos


Possui 3 cabeças: Mm. Flexor longo dos Dedos, Flexor Longo do I Dedo e Tibial Caudal
Origem: face caudal do côndilo lateral da Tíbia, face lateral da Fíbula
Ação: flexionar os dedos e estender a articulação Tarsocrural
Irrigação: A. Tibial Caudal
Inervação: N. Tibial

3.4.9) M. Flexor Superficial dos Dedos


Sob o M. Gastrocnêmio, é um forte tendão com pequeno ventre.
Origem: Fossa Supracondilar do Fêmur
Inserção: Tuberosidade do Calcâneo e Falanges
Ação: flexionar os dedos e estender a articulação Tarsocrural
Irrigação: Aa. Poplítea e Femoral Caudal
Inervação: N. Tibial

3.4.10) Músculo Poplíteo


Origem: Epicôndilo lateral do Fêmur
Inserção: face caudal da Tíbia
- Nos carnívoros há um pequeno osso Sesamóide na face caudal do Côndilo lateral da Tíbia, é
chamado de Osso Sesamóide do M. Poplíteo
Ação: flexor da articulação do Joelho e rotação medial da perna
Irrigação: Aa. Poplítea e Tibial Caudal
Inervação: N. Tibial

Tendão Comum do Calcâneo


Formado pelos tendões dos músculos:
Gastrocnêmio
Flexor Superficial dos Dedos
Bíceps da Coxa
Semitendinoso
Grácil

4) Músculos do Abdome:
Quatro músculos que auxiliam: Respiração, Micção, Defecação, Parto, Emese, Proteção (de
vísceras abdominais), sustentação (de vísceras abdominais) e flexão lateral do tronco.
4.1) M. Oblíquo Externo do Abdome
Mais externo. Suas fibras são no sentido caudoventral
Origem dividia em 2 partes: Costal e Lombar
Origem parte Costal: 4ª ou 5ª costela até 12ª, coberta pelo M. Grande Dorsal
Origem parte Lombar: última costela
Inserção: Linha Alba, Alva ou Branca, tendão Pré-púbico e corpo do Ílio.
Irrigação: Aa. Intercostal Dorsal, Lombar e Ilíaca Circunflexa Profunda.
Inervação: Nn. Intercostal, Costo-abdominal e Lombar

4.2) M. Oblíquo Interno do Abdome


Abaixo do M. Oblíquo Externo do Abdome
Fibras no sentido cranioventral
Origem: Tuberosidade Coxal
Inserção: cartilagens costais das últimas 4 ou 5 costelas, Linha Alba e Tendão
Pré-púbico.

4.3) M. Transverso do Abdome


Mais interno. Fibras no sentido transversal ↓↓↓
Origem: Cartilagens costais, últimos processos transversos lombares e Tuberosidade
Coxal.
Inserção: Cartilagem Xifóide e Linha Alba

4.4) M. Reto do Abdome


Longitudinal. Parede ventral do abdome.
Origem: cartilagens costais da 4ª ou 5ª costela
Inserção:Pube por meio do tendão Pré-púbico
Irrigação:A. Epigástrica Cranial Superficial e A. Epigástrica Caudal Superficial
Inervação:semelhante aos demais músculos do abdome

4.5) M. Cremáster
Origem: Parte do M. Oblíquo Interno do Abdome
Inserção: Túnica Vaginal que reveste os testículos
Ação: Levantador da Túnica Vaginal e dos Testículos em resposta as baixas
temperaturas
Irrigação: A. Cremastérica
Inervação: N. Genitofemoral

4.6) M. Prepucial e Supramamárico


Origem: M. Cutâneo do Tronco
Inserção: Cartilagem Xifóide do Esterno
Ação: nos machos: mover o Prepúcio sobre a Glande
Nas fêmeas: suportar as mamas e auxiliar na ejeção do leite

Canais Inguinais
Fendas nos dois sexos entre os músculos abdominais e suas aponeuroses.

2 orifícios:
Ânulo (Anel) Inguinal Profundo: Voltado para a cavidade abdominal, limitado pelo bordo caudal
do M. Oblíquo Interno do Abdome e pelo bordo lateral do M. Reto do Abdome.
Ânulo (Anel) Inguinal Superficial: Voltado para a superfície, limitado pelo bordo caudal do M.
Oblíquo Interno do Abdome e pelo bordo lateral da aponeurose do M. Oblíquo Externo do Abdome.
Estruturas que passam pelo Canal Inguinal:
Sexo Masculino: Funículo Espermático e Artéria Pudenda Externa
Sexo Feminino: Processo Vaginal, Tecido Adiposo e Ligamento Redondo do Útero.

5) Músculos do Tórax

5.1) Mm. Levantadores das Costelas


Estão nas extremidades dorsais das costelas. São pequenos e ocupam os espaços intercostais.
Origem: Processos transversos das vértebras torácicas
Inserção: extremidades dorsais das costelas
Ação:deslocar as costelas cranialmente durante a inspiração
Irrigação: Aa. Intercostais
Inervação: Nn. Intercostais
5.2) Mm. Intercostais Internos
Estendem-se pelos espaços intercostais. Possuem fibras musculares oblíquas no sentido
cranioventral.
Origem: bordos craniais das costelas
Inserção: bordos caudais das costelas
Ação: deslocar as costelas cranialmente na inspiração
Irrigação: Aa. Intercostais Dorsais ramos da A. Torácica Interna
Inervação: Nn. Intercostais

5.3) Mm. Intercostais Externos


Ação: deslocar as costelas cranialmente durante a inspiração
Irrigação e Inervação: semelhante aos Mm. Intercostais Internos

5.4) M. Retrator da Costela


Pequeno, triangular e caudal a última costela
Origem: processos transversos das 3 ou 4 primeiras vértebras lombares
Inserção: bordo caudal da última costela
Ação: retrair a última costela, auxiliar o M. Intercostal Interno
Irrigação: Aa. Lombares
Inervação: Nn. Lombares

5.5) M. Reto do Tórax


Delgado e sob o M. Peitoral Profundo
Origem:1ª costela (face lateral)
Inserção: cartilagem costal da 4ª costela e aponeurose do M. Reto do Abdome
Ação: auxiliar na inspiração
Irrigação: A. Torácica Interna
Inervação: Nn. Intercostais

5.6) M. Transverso do Tórax


Plano e situado na superfície interna do Esterno (interior do tórax).
Origem: aponeurose na superfície lateral do Esterno
Inserção: cartilagens costais da 2ª até 8ª costelas
Ação: auxiliar na expiração (aproxima as costelas diminuindo o diâmetro no interior do tórax)
Irrigação: A. Torácica Interna
Inervação: Nn. Intercostais

5.7) M. Diafragma
Larga placa músculo-tendínea que possui parte muscular (periférica) e parte tendínea (central).
Está situado entre o tórax e o abdome.
. Lado Torácico: separado da pleura pela Fáscia Endotorácica
. Lado Abdominal: separado do peritônio pela Fáscia Transversal
- No diafragma fixam-se Vértebras Lombares, Costelas e Esterno.
- Centro Tendíneo: área central e triangular rica em tecido conjuntivo fibroso sem fibras
musculares -> forame da Veia Cava Caudal.

Parte Periférica --------------------------------------------------------Borda Muscular (fibras


Musculares)

Cartilagens costais--------------------------------------------------- Parte Costal


8ª até 13ª

Cartilagem Xifóide----------------------------------------------------Parte Esternal

Parte Lombar:
. Pilar direito: 4 ou 5 primeiras vértebras
lombares
. Pilar esquerdo: 1ª ou 2ª vértebra lombar

A Parte Lombar possui duas aberturas:


Hiato Esofágico  Esôfago
Hiato Aórtico  A. Aorta, V. Ázigos e Ducto Torácico

Ação: principal músculo inspiratório (aumenta o diâmetro do tórax)


Irrigação: A. Frênica Cranial
Inervação: N. Frênico

6) Músculos do Membro Torácico

Grupo de Músculos para a união do Membro Torácico com a cabeça, pescoço e tronco.
(Sinsarcose: união de parte do esqueleto por meio de músculos. Sin = união, Sarcose = relativo a
músculos). Os membros torácicos não possuem nenhuma articulação com o tronco, sendo a
união realizada somente por músculos.

6.1) Músculos do Cíngulo Escapular

6.1.1) M. Trapézio (partes cervical e torácica)


Trapézio Cervical:
Origem: ligamento da Nuca (em carnívoros: Axis/ 1ª vértebra torácica. Em eqüino, bovino,
caprino e suíno: Crista da Nuca/ 1ª vértebra torácica).
Inserção: Espinha da Escápula
Trapézio Torácico:
Origem: Ligamento Supra- espinhoso/ 3ª à 10ª vértebra torácica
Inserção: Espinha da Escápula

Ação: elevar o membro


. parte cervical: deslocar o membro dorsal e cranialmente
. parte torácica: deslocar o membro dorsal e caudalmente
Irrigação: A. Cervical Profunda, A. Intercostal Dorsal e Tronco Costocervical
Inervação: ramos dorsais do N. Acessório (XI par craniano) e ramos dorsais dos Nn.
Torácicos.

6.1.2) M.Grande Dorsal


Músculo triangular, largo e plano situado caudalmente aos Mm do Ombro e Braço e
Posicionado sobre a parede lateral do tórax.
Origem: processos espinhosos das vértebras lombares / 7 ou 8 últimas vértebras
torácicas.
Inserção: Tuberosidade Redonda Maior do Úmero
Ação: suportar o membro, deslocar o Úmero dorsocaudalmente e flexionar a articulação
do Úmero
Irrigação: A. Subescapular, A. Toracodorsal, A Intercostal Dorsal e A. Lombar
Inervação: Nn. Peitorais Caudais e Toracodorsal

6.1.3) M. Braquicefálico
É um músculo longo e chato que se estende da cabeça ao braço. O Braquicefálico é o
vestígio da clavícula.
Intersecção clavicular: no ombro, tendão clavicular: pequena, forte e estreita linha
tendinosa que cruza transversalmente o músculo.
Divido em 3 partes:
Cleidobraquial: da extremidade distal do braço até a intersecção clavicular
Cleidocervical: da intersecção clavicular ao pescoço (processos transversos das vértebras
cervicais e Crista da Nuca)
Cleidomastóide: da intersecção clavicular ao Processo Mastóide do osso Temporal
Ação: fixar o pescoço, deslocar o membro cranialmente e estender a articulação do Úmero e do
Cotovelo
Irrigação: A. Cervical Superficial, A. Carótida Comum A. Vertebral, A. Torácica Externa e A.
Braquial
Inervação: Nn. Acessório, Cervical e ramos do Plexo Braquial.

6.1.4) M. Omotransversário
Músculo chato e estreito que se origina na Espinha da Escápula e se insere na extremidade
caudal da Asa do Atlas.
Ação: deslocar o membro cranialmente
Inervação: N. Acessório

6.1.5) M. Rombóide
Coberto pelo M. Trapézio. Dividido em partes cervical e torácica.
Rombóide Cervical:
Origem: da 2ª ou 3ª vértebra cervical até a 3ª vértebra torácica
Inserção: bordo dorsal e cartilagem da Escápula
Rombóide Torácico:
Origem: processos espinhosos da 2ª a 7ª vértebras torácicas
Inserção: face medial da cartilagem da Escápula

Ação: elevar e deslocar cranial e caudalmente o membro torácico.

6.1.6) M. Peitoral Superficial


Partes descendente e transversa. Do Manúbrio ao Úmero. Chamado de Peitoral Descendente.
Origem: Manúbrio do Esterno
Inserção: Tuberosidade Deltóide e Tubérculo Maior do Úmero
Ação: suportar, aduzir e avançar o membro torácico
Inervação: Nn. Peitorais e ramos dos Nn. Cervicais 7-8

6.1.7) M. Peitoral Profundo


Chamado de M. Peitoral Ascendente. Largo, triangular e ventralmente no tórax.
Origem: Cartilagem Xifóide
Inserção: tubérculos maior e menor do Úmero
Ação: deslocar o tronco cranialmente, estender a articulação do Úmero, aduzir e deslocar o
membro caudalmente
Irrigação: Aa. Umeral e Torácicas Interna e Externa.
6.1.8) M. Serrátil Ventral
Cobre a parte cranial da parede lateral do tórax. Possui digitações em forma de leque.
Origem: face Serrata da Escápula
Inserção: corpo das 7,8 ou 9 primeiras costelas
Ação: Sustentar o membro preso ao tronco e deslocar o membro cranialmente.

6.2) Músculos do Ombro

6.2.1) M. Supra- Espinhoso


Sob os Mm. Trapézio parte cervical e Omotransversário.
Origem: Fossa Supra- espinhosa da Escápula
Inserção: Tubérculos Maior e Menor do Úmero
Ação: extensão da articulação do Úmero
Irrigação: Aa. Supra-escapular e Umeral Circunflexa Caudal
Inervação: N. Supra-escapular

6.2.2) M. Infra- Espinhoso


Coberto pelo M. Deltóide. Localiza-se na Fossa Infra-espinhosa
Origem: Fossa Infra-espinhosa e Cartilagem da Escápula
Inserção: Tubérculo Maior do Úmero
Ação:abduzir o membro, extensor ou flexor da articulação do Úmero. Responsável pela posição
da cabeça do Úmero na cavidade Glenoidal na contração do músculo.
Irrigação: A. Subescapular
Inervação: N. Supra-escapular

6.2.3) M. Redondo Menor


Pequeno, sob os Mm. Deltóide e Infra-Espinhoso
Origem: borda caudal da Escápula
Inserção: Tuberosidade Deltóide do úmero (eqüino e bovino)
Ação: flexão da articulação do Úmero
Irrigação: A. Subescapular
Inervação: N. Axilar

6.2.4) M. Deltóide
Em ruminantes e carnívoros há parte acromial e parte escapular
Em eqüino e suíno não possui divisão
Origem: Espinha e/ou Acrômio da Escápula
Inserção: Tuberosidade Deltóide do Úmero
Ação: flexão da articulação do Úmero
Irrigação:A. Subescapular
Inervação: N. Axilar

6.2.5) M. Subescapular
Origem: Fossa Subescapular da Escápula
Inserção: Tubérculo menor do Úmero
Ação: flexão da articulação do Úmero, abdução e rotação lateral do braço.
Irrigação: A. Subescapular
Inervação:N. Axilar

6.2.6) M. Redondo Maior


Origem: bordo caudal da Escápula e Fossa Subescapular
Inserção: Tuberosidades Redonda Maior e Deltóide do Úmero
Ação: flexão da articulação do Úmero e abduzir o braço
Irrigação e Inervação: semelhante ao M. Subescapular

6.2.7) M. Coracobraquial
Origem: Processo Coracóide da Escápula
Inserção: Crista distal ao Tubérculo Menor do Úmero
Ação: flexão da articulação do Úmero e aduzir o braço
Irrigação: Aa. Umeral Circunflexa Cranial e Braquial
Inervação: N. Axilar

6.3) Músculos do Braço

6.3.1) M. Bíceps do Braço


Forte, fusiforme, na parte cranial do Úmero.
Origem: Tubérculo Supraglenoidal (2 tendões que passam pelo Sulco Intertubercular)
Inserção:Tuberosidade do Rádio
Ação: flexão da articulação do Cotovelo e suportar o membro
Irrigação: A. Braquial
Inervação: N. Musculocutâneo

6.3.2) M. Braquial
É cranial
Origem: Ocupa grande parte do Úmero (Sulco do Músculo Braquial)
Inserção: Bordo medial do Rádio
Ação: flexão da articulação do Cotovelo
Irrigação: A. Braquial
Inervação: N. Musculocutâneo

6.3.3) M. Tríceps do Braço


Grande massa muscular no ângulo entre a borda caudal da Escápula e do Úmero
Nos carnívoros e ruminantes possui 4 cabeças: Lateral, Longa, Acessória e Medial
No suíno e no eqüino possui apenas 3 cabeças: Lateral, Longa e Medial
Cabeça Longa:
Origem: é a maior do bordo caudal da Escápula
Inserção: Tuberosidade do Olécrano (Bolsa Sinovial)
Cabeça Lateral:
Na face lateral do braço entre a Cabeça Longa e o Úmero.
Origem: Tubérculo Maior do Úmero (carnívoros e ruminantes)
Tuberosidade Deltóide do Úmero (eqüino e suíno)
Inserção: Tuberosidade do Olécrano
Cabeça Acessória:
Sob a Cabeça Lateral, sobre a Cabeça Medial.
Origem: Colo do Úmero
Inserção: Tuberosidade do Olécrano
Cabeça Medial:
É a menor, na face medial do braço, entre a Cabeça Longa e o M. Bíceps do Braço
Origem: Tubérculo Menor do Úmero
Inserção: Tuberosidade do Olécrano
Todas as Cabeças: Ação: Extensão da articulação do Cotovelo
Irrigação: A. Braquial
Inervação: N. Radial
6.3.4) M. Ancôneo
Pequeno, no Epicôndilo Lateral do Úmero
Origem: terço distal da face caudal do Úmero
Inserção: Olécrano
Ação: extensão da articulação do Cotovelo
Irrigação: A. Braquial
Inervação: N. Radial

6.3.5) M. Tensor da Fáscia do Antebraço


Plano, na face medial do braço sobre a Cabeça Longa do M. Tríceps do Braço.
Origem: M. Grande Dorsal
Inserção: Fáscia do Antebraço e Olécrano
Ação: tensão da Fáscia do Antebraço e extensão da articulação do Cotovelo
Irrigação: A. Braquial
Inervação: N. Radial

6.4) Músculos do Antebraço:

6.4.1) M. Extensor Radial do Carpo


Forte e Longo, sobre a face cranial do Rádio
Origem: Epicôndilo Lateral do Úmero
Inserção: Tuberosidade Metacárpica
Ação: extensão da articulação do Carpo e flexão da articulação do Cotovelo
Irrigação: A. Ulnar
Inervação: N. Radial

6.4.2) M. Extensor Comum dos Dedos


Entre os músculos Extensor Radial do Carpo e Extensor Lateral dos Dedos
Origem: Epicôndilo Lateral do Úmero
Ação: extensão das articulações do Carpo e dos Dedos
Irrigação: A. Radial
Inervação: N. Radial

6.4.3) M. Extensor Lateral dos Dedos


Na face lateral do Rádio, entre o M. Extensor Comum dos Dedos e o Extensor Ulnar do Carpo.
Origem: Tuberosidade do Rádio (parte lateral) e Epicôndilo lateral do Úmero
Inserção: Falange Proximal (epífise proximal)
Ação: extensão do Carpo e dos Dedos
Irrigação: A. Radial
Inervação: N. Radial

6.4.4) M. Ulnar Lateral ou Extensor Ulnar do Carpo


Na face lateral do antebraço
Origem: Epicôndilo Lateral do Úmero
Inserção: osso Acessório do Carpo e Metacarpo
Ação: flexão da articulação do Carpo
Irrigação: Aa. Braquial e Ulnar
Inervação: N. Radial

6.4.5) M. Extensor Oblíquo do Carpo –eqüino


M. Abdutor Longo do I Dedo – ruminantes e carnívoros
Coberto pelos Mm. Extensores
Origem: face lateral do Rádio
Inserção: Metacarpo
Ação: extensão da articulação do Carpo e abdução do I dedo
Irrigação: A. Ulnar
Inervação: N. Radial
6.4.6) M. Flexor Ulnar do Carpo
na face caudal do antebraço, possui duas cabeças: ulnar e umeral
Origem: Epicôndilo Medial do Úmero e bordo caudal do Olécrano
Inserção: osso Acessório do Carpo
Ação: flexão da articulação do Carpo
Irrigação: A. Ulnar
Inervação: N. Ulnar
Cabeça Ulnar: superficial e menor
Cabeça Umeral: profunda, forte, ventre

6.4.7) M. Flexor Superficial dos Dedos


Na face caudomedial do antebraço, entre os Mm. Flexor Ulnar do Carpo e Flexor Profundo dos
dedos
Origem: Epicôndilo Medial do Úmero
Inserção: faces palmares das Falanges Média e Distal
Ação: flexionar os dedos e o Carpo e estender o Cotovelo
Irrigação: A. Mediana
Inervação: N. Ulnar

6.4.8) M. Flexor Profundo dos Dedos


Possui 3 cabeças: Ulnar, Umeral (maior) e Radial
Origem: Epicôndilo Medial do Úmero e face medial do Olécrano
Inserção: Falange Distal
Ação: flexor dos dedos e do Carpo
Irrigação: A. Ulnar
Inervação: Nn. Mediano e Ulnar

6.4.9) M. Flexor Radial do Carpo


Na face medial do Antebraço
Origem: Epicôndilo Medial do Úmero
Inserção: face palmar dos Metacárpicos
Ação: flexionar o Carpo e estender o Cotovelo
Irrigação: A. Mediana
Inervação: N. Mediano

6.4.10) M. Pronador Redondo


Entre os Mm. Flexor Radial do Carpo e Extensor Radial do Carpo
Origem: Epicôndilo Medial do Úmero
Inserção: bordo medial do Rádio
Ação: rotação medial do Antebraço
Irrigação: A. Mediana
Inervação: N. Mediano

7) Músculos do Pescoço

7.4) M. Esplênio
Forma triangular.
extremidade caudal = ápice
extremidade cranial = base
Localizado na parte dorsolateral do pescoço
Origem: 3ª vértebra torácica
Inserção: parte Mastóide do Osso Temporal
Ação: (bilateral): extensão (elevação) da cabeça e pescoço
(unilateral): deslocar a cabeça e o pescoço lateralmente
Inervação: Nn. Cervicais

7.5) M. Longo da Cabeça e do Atlas


M. Longuíssimo da Cabeça e do Atlas:
Origem: 3 primeiras vértebras torácicas
Inserção: parte Mastóide do osso Temporal (20% dos animais possuem parte profunda do
músculo)
M. Longuíssimo do Atlas:
Origem: da 7ª até 4ª vértebra cervical
Inserção: bordos das asas do Atlas
Ação: (bilateral): extensão da articulação Atlanto-Occipital
(unilateral): rotação da articulação Atlanto-Occipital
Inervação: Nn. Cervicais

7.6) M. Esternocefálico
No cão pode ser separado em partes Mastóide e Occipital
Origem: Manúbrio do Esterno
Inserção: parte mastóide: parte Mastóide do Osso Temporal
parte Occipital: Crista da Nuca do Osso Occipital
Ação: mover a cabeça e pescoço para um dos lados
Inervação: Nn. Cervicais e Acessório (XI Par Craniano)

7.7) M. Esternoióide
Cobre a face ventral da Traquéia
Origem: Manúbrio do Esterno e bordo cranial da 1ª Cartilagem costal
Inserção: Osso Basióide (Osso Hióide)
Ação: deslocar o osso Hióide e a língua caudalmente
Inervação: Nn. Cervicais e Hipoglosso (XII Par Craniano)

7.8) M. Esternotireóide
Situado profundamente ao M. Esternoióide. Possui intersecção tendinosa partes cranial e caudal.
Origem: 1ª Cartilagem Costal
Inserção: face lateral da Cartilagem Tireóide da Laringe
Ação: deslocar caudalmente a língua, laringe e o osso Hióide
Inervação: Nn. Cervicais

7.9) M. Longo do Pescoço


Estende-se dos corpos das 6 primeiras vértebras torácicas e de todas as vértebras cervicais
Origem: corpo das vértebras torácicas e cervicais
Inserção: Tubérculo Ventral do Atlas
Ação: deslocar o pescoço ventralmente (flexão)
Inervação: Nn. Cervicais

7.10) M. Escaleno
Origem: 1ª-6ª costelas
Inserção: 3ª vértebra cervical
Ação: (bilateral): deslocar o pescoço ventralmente (flexão)
(unilateral): flexão para um dos lados
Inervação: Nn. Cervicais e Torácicos
8) Músculos da Cabeça

8.1) M. Platina
É o mais superficial dos músculos da cabeça, cobre toda a região lateral da face.
Origem: Músculos do pescoço
Inserção:lábios
Ação: puxar a comissura labial caudalmente
Inervação: N. Facial ramos Bucais Dorsais e Ventrais

8.2) M. Levantador Nasolabial


Plano e fino abaixo da pele. Cobre as faces laterais dos ossos Nasais e Maxilares.
Origem: região frontal (entre as órbitas)
Inserção: bordos dos lábios e M. Bucinador
Ação: levantar o lábio superior e aumentar o diâmetro das narinas
Inervação: N. Facial ramo Auriculopalpebral

8.3) M. Orbicular da Boca


Principal componente dos lábios,estende-se desde as comissuras até os bordos livres dos lábios.
Fibras alcançam a parte externa do nariz. Situado entre a pele e a mucosa. A parte do músculo
que forma o lábio superior é a mais forte.
Ação: fechamento dos lábios (boca) e pressão sobre as glândulas labiais aumentando o diâmetro
das narinas
Inervação: N. Facial ramos Bucais dorsais e ventrais

8.4) M. Orbicular do Olho


Forma elíptica e plana, situado ao redor das pálpebras
Origem: pele das pálpebras
Inserção: pele das pálpebras e algumas fibras no osso Lacrimal
Ação: fechar as pálpebras
Inervação: N. Facial ramo Auriculopalpebral

8.5) M. Bucinador
Situado na parede lateral da boca. Forma as bochechas.
- Parte bucal: ângulo da boca até o M. Masseter (parte dorsal)
- Parte molar: origina-se dos lábios inferior (3 molares inferiores) até a parte bucal (parte ventral)
Ação: retornar o alimento para a superfície de mastigação dos dentes
Inervação: N. Facial ramos Bucais Dorsais e Ventrais

8.6) M. Zigomático
Fino sob a pele da bochecha
Origem: Cartilagem Escutiforme da Orelha
Inserção: Comissura Labial
Ação: retrais e elevar o ângulo da boca
Inervação: N. Facial ramo Auriculopalpebral

8.7) M. Levantador da Pálpebra Superior


Plano e delgado
Origem: dorsal ao Canal Óptico entre os Mm. Reto Dorsal e Oblíquo Dorsal
Inserção: Pálpebra Superior por meio de um tendão largo e plano entre os feixes do M. Orbicular
do Olho
Ação: elevar a Pálpebra Superior
Inervação: N. Oculomotor
8.8) Mm. Auriculares
- M. Escutuloauricular Superficial, M. Zigomaticoauricular e M. Zigomaticoescutular: mover
orelhas cranial e dorsalmente
- M. Escutuloauricular Profundo Maior: mover as orelhas caudalmente
- M. Escutuloauricular Profundo Menor: mover as orelhas lateralmente
- M. Interescutular: adução das orelhas
- M. Parotidoauricular: mover as orelhas ventral e caudalmente

8.9) M. Masseter
Face lateral do ramo da Mandíbula, coberto por aponeurose brilhante. Ventral ao osso
Zigomático.
Parte superficial: mais forte
Parte média: mais fraca
Parte profunda: fusionada ao M. Temporal
- Parte Superficial:
Origem: Osso Zigomático
Inserção: face ventrolateral da Mandíbula
- Parte Média:
Origem: Osso Zigomático (medial a origem da parte superficial)
Inserção: margem ventral da Fossa Massetérica (raramente na margem rostroventral)
- Parte Profunda:
Origem: fibras do M. Temporal (face medial do osso Zigomático)
Inserção: parte caudal da Fossa Massetérica
Todos:
Ação: elevar a Mandíbula durante o fechamento da boca
Inervação: N. Trigêmio -> N. Mandibular -> ramo Massetérico

8.10) M. Temporal
Maior e mais forte músculo da cabeça. Ocupa toda a Fossa Temporal ao redor do Processo
Coronóide da Mandíbula. Em direção dorsal cobre toda a face dorsal dos ossos Frontal, Parietal e
Occipital.
Origem: ligamento da órbita (rostral), osso Temporal (rostral), Crista da Nuca (caudal) e osso
Zigomático (lateral)
Inserção: Processo Coronóide da Mandíbula
Ação: elevar a Mandíbula no fechamento da boca
Inervação: N. Temporal -> N. Mandibular -> N. Trigêmio

8.11) M. Pterigóide (lateral e medial)


-M. Pterigóide Lateral: menor e mais curto
Origem: osso Esfenóide (fossa ventral ao Canal Alar)
Inserção: face medial do Côndilo da Mandíbula
- M. Pterigóide Medial
Origem: face lateral dos ossos Pterigóide, Palatino e Esfenóide
Inserção: face caudomedial do Processo Angular da Mandíbula (carnívoros) e bordo rostral do
Côndilo da Mandíbula (demais espécies)
Mm. Pterigóide Lateral e Medial:
Ação: elevar e puxar rostralmente a Mandíbula
Inervação: N. Pterigóide -> N. Mandibular -> N. Trigêmio

8.12) M. Digástrico
“bi-ventre da Mandíbula” ou “Occipto-Mandibular”
Possui 2 ventres: rostral e caudal -> Intersecção Tendinosa
Origem: Processo Jugular do Osso Occipital
Inserção: face medial do bordo ventral da parte molar do corpo da Mandíbula
Ação: abrir a boca
Inervação: N. Facial  ventre caudal
N. Trigêmio  ventre rostral

8.13) M. Miloióide
No espaço intermandibular. Os Mm. De cada lado formam uma base para a sustentação
da língua.
Origem: face medial da Mandíbula
Inserção: rafe fibrosa mediana. Processo lingual do osso Basióide
Ação: elevar o assoalho da boca e deslocar a língua e o osso hióide rostralmente
Inervação: N. Mandibular  N. Trigêmio

Menor Músculo Esquelético do corpo:


Músculo Estapédio
Origem: depressão na orelha média chamada de Fossa do Estapédio (Osso Temporal)
Inserção: Osso Estribo
Ação: deslocar o Estribo caudalmente com tensão sobre o Tímpano

9) Músculos da Coluna Vertebral


Músculos Epitaxiais (Epi: acima de, sobre ; axial, axis: eixo)
- Sistema Transverso Espinhal
- Sistema Longuíssimo
- Sistema Iliocostal

9.1) Sistema Transverso Espinhal


Mm. Espinhal e Semi-espinhal (cervical e torácico)
M. Semi Espinhal da Cabeça
M. Biventre Cervical
M. Multífidus (cervical, torácico e lombar)
Mm. Inter-espinhais
Mm. Intertransversários (cervical, torácico, lombar e caudal)
M. Oblíquo caudal da Cabeça
M. Oblíquo cranial da Cabeça

9.2)Sistema Longuíssimo
M. Longuíssimo da Cabeça
M. Longuíssimo do Atlas
M. Longuíssimo Cervical
M. Longuíssimo Torácico
M. Longuíssimo Lombar
M. Longuíssimo Lateral

9.3) Sistema Iliocostal


M. Iliocostal Torácico
M. Iliocostal Lombar

TRONCO VAGO SIMPÁTICO: A. Carótida Comum e V. Jugular Interna